Você está na página 1de 9

Identificação e Classificação de Produtos

Perigosos
Classes de risco

1 - Explosivos

2 - Gases

• 2.1 - Gases inflamáveis

• 2.2 - Gases não-inflamáveis, não tóxicos

• 2.3 - Gases tóxicos

3 - Líquidos inflamáveis

Classe 1 – Explosivos

Subclasse 1.1 - Substâncias e artigos com risco de explosão em massa;

Subclasse 1.2 - Substâncias e artigos com risco de projeção, mas sem


risco de explosão em massa;

Subclasse 1.3 - Substâncias e artigos com risco de fogo e com pequeno


risco de explosão, projeção, ou ambos, mas sem risco de explosão em
massa;

Subclasse 1.4 - Substâncias e artigos que não apresentam risco


significativo;

Subclasse 1.5 - Substâncias muito insensíveis, com risco de explosão em


massa;

Subclasse 1.6 - Substâncias extremamente insensíveis, sem risco de


explosão em massa.

Classes de risco

4 - Sólidos inflamáveis

• 4.1 - Sólidos inflamáveis

• 4.2 - Substâncias sujeitas a combustão espontânea

• 4.3 - Substâncias que, em contato com a água, emitem gases


inflámáveis
5 - Oxidantes e peróxidos orgânicos

• 5.1 - Oxidantes

• 5.2 - Peróxidos orgânicos

Classes de risco

6 - Substâncias tóxicas

• 6.1 - Substâncias tóxicas (venenosas)

• 6.2 - Substâncias infectantes

7 - Materiais radioativos

8 - Corrosivos

9 - Substâncias perigosas diversas

Classe 1 – Explosivos

Substância explosiva é a substância sólida ou líquida (ou mistura de


substâncias), que por si mesma, através de reação química, é capaz de produzir
gás a temperatura, pressão e velocidade tais que possam causar danos a sua
volta. Incluem-se nesta definição, as substâncias pirotécnicas mesmo que não
desprendam gases.

Subclasse 2.1 - Gases inflamáveis

Gases que a 20 oC (293 K) e à pressão normal de 101,3 kPa:

• são inflamáveis quando em mistura de 13 % ou menos, em


volume, com o ar; ou

• apresentam uma faixa de inflamabilidade com ar de, no


mínimo 12 %, independentemente do limite inferior de
inflamabilidade.

Subclasse 2.2 - Gases não inflamáveis, não tóxicos

Gases que transportados a uma pressão não inferior a 280 kPa a 20 oC (293 K),
ou como líquidos refrigerados e que:

• são asfixiantes: gases que diluem ou substituem o oxigênio


normalmente existente na atmosfera; ou,
• são oxidantes: gases que, em geral, por fornecerem oxigênio,
podem causar ou contribuir para a combustão de outro
material mais do que o ar contribui; ou,

• não se enquadram em outra subclasse.

Subclasse 2.3 - Gases Tóxicos

Gases que:

• são sabidamente tão tóxicos ou corrosivos para pessoas, que


impõem riscos à saúde; ou

• supõe-se serem tóxicos ou corrosivos para as pessoas por


apresentarem um valor da CL50 para toxicidade aguda por
inalação igual ou inferior a 5000 mL/m3.

Classe 3 - Líquidos inflamáveis

Líquidos inflamáveis são líquidos, mistura de líquidos, ou líquidos contendo


sólidos em solução ou em suspensão, que produzem vapores inflamáveis a
temperaturas de até 60,5 oC (333,5 K), em teste de vaso fechado, ou até 65,6
o
C (338,6 K), em teste de vaso aberto.

Classe 4.1 - Sólidos inflamáveis

Sólidos inflamáveis são sólidos que, nas condições encontradas no transporte,


são facilmente combustíveis ou que, por atrito, podem causar fogo ou contribuir
para ele. Esta subclasse inclui ainda, explosivos insensibilizados que podem
explodir se não forem suficientemente diluídos e substâncias auto-reagentes ou
correlatas, que podem sofrer reação fortemente exotérmica.

Classe 4.2 - Substâncias sujeitas a combustão espontânea

Substâncias sujeitas a aquecimento espontâneo nas condições normais de


transporte, ou ao entrar em contato com o ar, sendo, então, capazes de se
inflamarem; são as substâncias pirofóricas e as sujeitas a auto-aquecimento.

Classe 4.3 - Substâncias que, em contato com a água, emitem gases


inflamáveis
Substâncias que, por reação com a água, podem tornar-se espontaneamente
inflamáveis ou desprender gases inflamáveis em quantidades perigosas.

Subclasse 6.1 - Substâncias tóxicas

Substâncias que são capazes de provocar a morte, lesões graves ou danos à


saúde humana, se ingeridas, inaladas ou se entrarem em contato com a pele.

Subclasse 6.2 - Substâncias infectantes

Substâncias que contêm microorganismos viáveis, incluindo bactérias, vírus,


rickettsia, parasitas, fungos ou um recombinante híbrido ou mutante, que
provocam, ou há suspeita que possam provocar, doenças em seres humanos ou
animais.

Classe 7 - Materiais radioativos

Qualquer material cuja atividade específica seja superior a 70 kBq/kg. Nesse


contexto, atividade específica significa a atividade por unidade de massa de um
radionuclídeo ou, para um material em que o radionuclídeo é essencialmente
distribuído de maneira uniforme, a atividade por unidade de massa do material.

Classe 8 – Corrosivos

São substâncias que, por ação química, causam danos severos quando em
contato com tecidos vivos ou, em casos de vazamentos, danificam, ou mesmo
destroem outras cargas ou o veículo; elas podem, também, apresentar outros
riscos.

Classe 9 - Substâncias perigosas diversas

Incluem-se nesta classe as substâncias e artigos que durante o transporte


apresentam um risco não abrangido por qualquer das outras classes.

Exemplos de Substâncias Perigosas


sClaube/cSdRiontâ
.1 Trintolue
1.3 Carosctuhpinlzçã
2.1 Aceto,ilnGLP
2. Hélio,ntrgê
2.3 Amôniard,clo
3 lGasoin,met
4.1 Enxofre
4.2 Fósfrobcan
4.3 Sódieomtálc
5.1 Peoxirdóhgên
5.2 Peróxidosgânc
6.1 frCloióm,en
7 Tó,riuoânmetálc
8Ácidosulfúr,hóxe
9 Bifenlaoscprd

Rótulo de Risco

Painel de Segurança

Painel de Segurança
Rótulos de Risco

Petrobras P-36
Em 20 de março de 2001, a P-36, estacionadas ao longo do Roncador,
naufragou depois de três explosões deixou 11 trabalhadores mortos. Na altura,
as maiores do mundo semi havia sido produzindo 84000 b / d e 1,3 milhões de
cu m / d de gás. A P-36 tinha sido projetada para produzir 90000 b / d de
petróleo bruto, até ao final do ano, e atingir o seu auge na sua capacidade de
180000 b / d em 2004.

Causar explosões eram desconhecidos da Petrobras disse ainda tinha havido um


vazamento de gás que escapou para a coluna onde as explosões tiveram lugar.

A água inundaram os pontões da plataforma, fazendo com que a plataforma


para a lista em um ângulo de 25 °. A plataforma começou naufrágio, apesar de
azoto 4100t ser bombeado para os compartimentos alagados, a uma taxa de
200 l / hora, em uma tentativa de quitação de cerca de 15% dos estimados 7
milhões de litros.
Fotografias tiradas pelo Capitão Tor-Andre Remøy do Extremo Sailor

Explosão em depósito de fogos na Holanda

Em 13 de maio de 2000, houve uma explosão


de um depósito de fogos de artifício que
devastou a cidade de Enschede, na Holanda.
Uma enorme bola de fogo produziu uma onda
explosiva. A primeira, pequena, detonou
centenas de fogos e fez com que as pessoas
saíssem de suas casas para observar.
Depois da segunda explosão, pessoas cobertas
de sangue sentavam-se confusas e estupefatas no meio da rua. A explosão foi
sentida num raio de 30 quilômetros.

Depósito de fogos
Pelo menos 100 t de fogos de artifício foram armazenadas no depósito,
localizado em bairro residencial.

Foto: Circulo em amarelo – local de armazenagem – Nota–se que a região é


densamente habitada - Paul Hofstee - Division of Urban Planning & Management
International Institute for Aerospace Survey and Earth Sciences (ITC)
Destruição
Parte da cidade ficou reduzido a escombros, carros queimados, os telhados
(asbestos, amianto) foram arrancados das casas e pedaços de vidros
espalhados na rua. Cerca de 400 casas foram destruídas e 900 casas
seriamente avariadas. Pelo menos 2.000 pessoas perderam suas casas

Contaminação
As autoridades holandesas alertaram a população da cidade de Enschede (135
quilômetros a leste de Amsterdã) sobre o perigo da existência de resíduos
cancerígenos de amianto em suspensão na atmosfera, liberados pela violenta
explosão da fábrica de fogos de artifício.

Foto - tirada um mês depois da explosão - Paul Hofstee - Division of Urban


Planning & Management International Institute for Aerospace Survey and Earth
Sciences (ITC) Enschede, the Netherlands

Mortes e Feridos
22 pessoas morreram e 947 feridos.
Quatro bombeiros morreram durante
combate ao fogo.

Emergência e Resgate
Os trabalhos de resgate e transporte
de vizinhos de feridos contaram com o
auxílio de ambulâncias enviadas por
cidades vizinhas. A ajuda veio não só
de cidades holandesas, mas de Rheine,
na Alemanha, cuja fronteira fica
próxima a Enschede.
Localização da fábrica e depósito
A fábrica foi construída em 1977, na época o depósito ficava fora da cidade,
mas com o desenvolvimento da cidade, a fábrica ficou cercada de moradias.

Inspeção de segurança
A fábrica tinha autorização para funcionamento e passou por todas as inspeções
obrigatórias, incluindo a inspeção do exército da Holanda.

Causa provável
A causa do incêndio nunca foi oficialmente confirmada.

Prejuízos
Os danos estimados apenas pelas seguradoras foram 302 milhões de dólares.

Comentário da agencia inglesa de Saúde e Segurança, HSE (Health & Safety


Executive) sobre a explosão de Enschede e se poderia acontecer na Inglaterra.
A agência inglesa de segurança e saúde HSE (Health &Safety Executive)
assegura que um cenário semelhante não aconteceria aqui, pois as distâncias
de separação entre tais fábricas e residências atingem 185 metros. “Se o poder
de explosão de fogos caírem na categoria mais elevada, mais perigosa, a
distancia seria de 421 metros”, disse o porta voz da HSE.

Os fogos de artifícios no Reino Unido estão sujeitos ao mesmo regime de


controle de explosivos.
■ Acima de uma tonelada, as lojas de fogos, devem ser cadastradas pela
autoridade local de fogo.
■ Um limite inferior a 100 kg, aplica-se para fogos de artifícios mais potentes
usados por profissionais para espetáculos de fogos.
■ Acima de 7,2 toneladas podem ser mantidos em lojas licenciadas por um
conselho. As quantidades maiores exigem uma licença da HSE com especial
anuência da autoridade local.

O Reino Unido tem um sistema de licenciamento e exigências bem definido para


manter zonas de separação em torno de lojas com explosivos. Essas zonas de
separação são destinadas para proteger os edifícios habitados na vizinhança de
uma explosão perigosa. Entretanto, a HSE está revendo a legislação de
explosivos. Essa revisão levará em conta algumas lições de Enschede.