Você está na página 1de 9

Frei Luís de

Sousa, Almeida
Garrett
ATO I – Cenas V a VII
ASSUNTO

Cena V - Anúncio, por Frei Jorge, da intenção dos governadores espanhóis de se instalarem
em casa de Manuel de Sousa Coutinho e consequentes reações de Maria e D. Madalena.
Cena VI - Chegada de Manuel de Sousa, anunciada por Miranda.
Cena VII - Comunicação da decisão de Manuel de Sousa Coutinho de se mudar com a
família para o palácio de D. João de Portugal.
INDÍCIOS TRÁGICOS

Cena V – O ouvido muito apurado de Maria (sintoma da sua grave doença).


Cena VI – A audição sensível de Maria caracterizada por Frei Jorge como um “terrível
sinal”.
Cena VII - O terror de D. Madalena. A instalação (no palácio de D. João) “quase debaixo
dos mesmos telhados” de Frei Jorge (prenúncio da tomada do hábito).
Frei Jorge
Homem religioso, atento,
preocupado com a família,
especialmente com o irmão.
Notícia de que Frei Jorge é portador

Anuncia que os governadores querem sair de Lisboa e instalar-se


no palácio de D. Manuel de Sousa Coutinho.

Esta notícia provoca agitação em D. Madalena, que não considera


de bom tom apropriarem-se de uma casa alheia.
Motivo da agitação de Manuel de Sousa

O patriotismo de Manuel de Sousa Coutinho faz com que este se sinta


revoltado face à afronta dos governadores e à hipótese de se instalarem em
sua casa.
A expressão “o que vale um português dos verdadeiros” é tradutora do
entusiasmo de Maria perante o patriotismo do pai.
Manuel de Sousa Coutinho
D. Madalena destaca a determinação, a
coragem, a sabedoria e o mérito do
companheiro. A coragem, determinação e
impulsividade ao incendiar o seu palácio
são reveladores do seu patriotismo. Sente-
se cansado e revoltado.
Tempo cronológico cenas VI e VII

Oito horas do dia 28 de julho de 1599, de noite.

Espaço
Mudança do palácio de D. Manuel para o palácio de D. João de Portugal.
Linguagem e argumentação de D. Madalena
e de D. Manuel

D. Madalena adota um tom sentimental e emotivo, sem argumentação lógica,


contrariamente a D. Manuel, que assume um tom racional, fundamentando
logicamente a sua argumentação.