Você está na página 1de 21

Humanidades, Ciências

Sociais e Cidadania
HUMANIDADES, CIÊNCIAS
SOCIAIS E CIDADANIA
Autoria

Rosângela Araújo de Castro


EXPEDIENTE
REITOR: FICHA TÉCNICA
PROF. CLÁUDIO FERREIRA BASTOS AUTORIA:
ROSÂNGELA ARAÚJO DE CASTRO
PRÓ-REITOR ADMINISTRATIVO FINANCEIRO:
PROF. RAFAEL RABELO BASTOS SUPERVISÃO DE PRODUÇÃO NEAD:
FRANCISCO CLEUSON DO NASCIMETNO ALVES
PRÓ-REITOR DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS:
DESIGN INSTRUCIONAL:
PROF. CLÁUDIO RABELO BASTOS ANTONIO CARLOS VIEIRA
PRÓ-REITOR ACADÊMICO: PROJETO GRÁFICO E CAPA:
PROF. VALDIR ALVES DE GODOY FRANCISCO ERBÍNIO ALVES RODRIGUES
COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: DIAGRAMAÇÃO E TRATAMENTO DE IMAGENS:
PROFA. MARIA ALICE DUARTE G. SOARES FRANCISCO CLEUSON DO NASCIMETNO ALVES
COORDENAÇÃO NEAD: REVISÃO TEXTUAL:
PROFA. LUCIANA R. RAMOS DUARTE EMANOELA DE ARAÚJO

FICHA CATALOGRÁFICA
CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO
BIBLIOTECA FACULDADE ATENEU

CASTRO, Rosângela Araújo de. Humanidades, ciências sociais


e cidadania. / Rosângela Araújo de Castro. - Fortaleza: Faculdade
Ateneu, 2018.
92 p.
ISBN:
1. Engenharia Civil. 2. Ciências Sociais. 3. Lesgislação e Ética 4. Cidadania
I. Faculdade Ateneu.

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, total ou
parcialmente, por quaisquer métodos ou processos, sejam eles eletrônicos, mecânicos, de cópia
fotostática ou outros, sem a autorização escrita do possuidor da propriedade literária. Os pedidos
para tal autorização, especificando a extensão do que se deseja reproduzir e o seu objetivo,
deverão ser dirigidos à Direção.
Rosângela Araújo de Castro

Seja bem-vindo!
Caro estudante, é com grande satisfação que apresento
o material didático da disciplina Humanidades, Ciências Sociais e
Cidadania.

Este livro está dividido em quatro capítulos conforme a ementa


da disciplina. Sendo Sistemas Políticos, Cultura das Instituições,
Interfaces entre o Homem e a Tecnologia e Legislação e Ética.
Nestes capítulos, o conteúdo será abordado de forma clara e didá-
tica com intuito de você, estudante, obter uma melhor compreen-
são da matéria.

Contudo, o conteúdo abordado será feito de forma um pouco


mais resumida, conforme as suas necessidades diante do curso.
Isto foi realizado em decorrência da disciplina abordar um leque de
ciências como Sociologia, Antropologia, História e algumas legisla-
ções que passam pelo Direito Civil, Direito Administrativo e Ética
Profissional.

Desse modo, não se tem a pretensão de esgotar todo o


assunto, ao contrário, você deverá procurar outras fontes além
deste livro para aprimorar seus conhecimentos. Portanto, o livro
servirá como um norteador de seus estudos.

Bons estudos!
SISTEMAS POLÍTICOS

SUMÁRIO
1. Definição de sistema político ........................................ 10
2. Organização e estrutura do estado ...........................12
3. Características da Federação no Brasil ...................21

CULTURA DAS INSTITUIÇÕES


1. Um breve resgate histórico sobre
a Antropologia .................................................................... 30
2. Definição de cultura ..........................................................32
3. Importância da cultura na construção
da sociedade .........................................................................36
4. Os elementos presentes na cultura ..........................39
4.1. Religião ............................................................................39
4.2. Raça e etnia ..................................................................42
4.3. Identidade ................................................................... 44
4.4. Gênero ........................................................................... 46
4.5. Família ............................................................................ 48
INTERFACES ENTRE O HOMEM E A TECNOLOGIA
1. Tecnologia e sociedade: o papel da
tecnologia na vida moderna .........................................56
2. Os reflexos do desenvolvimento
SUMÁRIO
tecnológico na cultura de um povo ...........................61
Referências................................................................................ 66

LEGISLAÇÃO E ÉTICA
1. Definição de Ética e moral ............................................ 70
2. O papel social do
engenheiro e do arquiteto .............................................72
3. Ética profissional do
engenheiro - Lei nº 5.194/1966 .....................................74
4. Ética profissional do arquiteto e urbanista – Lei nº
12.378/2010 ............................................................................78
5. Código civil - Lei nº 10.406/2002.............................. 80
6. Lei de licitações - Lei nº 8.666/1993 ........................ 86
Referências..................................................................................91
CAPÍTULO 03
INTERFACES ENTRE O HOMEM E A
TECNOLOGIA

Apresentação
Caro estudante, este capítulo procura analisar o papel da tec-
nologia na sociedade moderna. Portanto, traça um breve históri-
co sobre as transformações sociais decorrentes da tecnologia ao
longo dos séculos e visualiza as consequências da tecnologia na
cultura. Também busca analisar a tecnologia como um fenômeno
social que trouxe consequências benéficas e maléficas para a vida
dos indivíduos.

HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA


• Conhecer a influência do desenvolvimento tec-
nológico nas estruturas sociais;
• Estudar sobre a influência da tecnologia na cultu-
Objetivos de ra contemporânea;
Aprendizagem
• Analisar a tecnologia como um fenômeno social.

1. TECNOLOGIA E SOCIEDADE: O PAPEL DA


TECNOLOGIA NA VIDA MODERNA
Segundo Silveira (2014), a tecnologia a partir do século XVII em
diante é a causa de transformações profundas no contexto político,
econômico, social e filosófico. A maior parte dos avanços tecnoló-
gicos do século XX ocorreu durante as duas guerras mundiais e no
período da Guerra Fria, com objetivos militares e políticos. Após a
Segunda Guerra Mundial, a ciência e a tecnologia passaram a sofrer
modificações. O desenvolvimento tecnológico foi incentivado por ser
considerado uma forma de progresso e de bem-estar social. A par-
tir da segunda metade do século XX, a humanidade passou a adqui-
rir conhecimentos tecnológicos de forma mais acelerada, algo que
também acelerou o processo de transformações sociais. O avanço
da tecnologia trouxe problemas de êxodo rural, fazendo os campo-
neses desprovidos dos meios de produção migrarem para a cidade
em busca de trabalho nas indústrias. Com isso, as cidades cresceram
de forma desordenada, gerando problemas relacionados à habitação,
saúde, educação, saneamento básico, dentre outros.

É fato afirmar que o conhecimento exerce um papel funda-


mental na produção econômica, no funcionamento do Estado e na
sociedade. As ciências sociais têm observado as mudanças ocor-
ridas na sociedade do século XXI em face do enorme desenvol-
vimento das tecnologias de informação e de comunicação como
forma de produção e de conhecimento.
56 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA
A velocidade das informações advindas do desenvolvimen-
to da tecnologia de informação e de comunicação propiciaram o
aparecimento de novas profissões, e as já existentes tiveram que
encarar novas perspectivas e novos ramos. Isto exigiu um grau de
especialização ainda maior dos profissionais.

A tecnologia moderna está enquadrada em um contexto so-


cial, político e econômico determinado, contexto este que deu ori-
gem a uma sociedade capitalista. Na vida moderna, a tecnologia
alterou o funcionamento das economias capitalistas, ou seja, ela
afetou a economia e, consequentemente, a produção de riquezas
em vários países e a dinâmica das relações na sociedade. A econo-
mia capitalista permitiu um aumento na capacidade de acumulação
de riquezas e geração de renda.

Por esse motivo, a tecnologia precisa ser analisada sob uma


ótica crítica; deve ser observado o seu desenrolar histórico e sua
função social para conseguir compreender e dimensionar o seu pa-
pel na sociedade.

O desenvolvimento da tecnologia, ao longo dos séculos, permi-


te avaliar os significados da tecnologia moderna na especificação da
sociedade como industrial, pós-industrial e sociedade informatizada.

Alguns autores mencionam que o homem vivencia, na atuali-


dade, uma grande dependência diante das invenções e descober-
tas tecnológicas oriundas da ciência e da tecnologia.

Arocena (2004, apud Silveira) fala dos paradigmas presentes


na sociedade tecnológica. O autor diz o seguinte:
A tecnologia tem multiplicado e transformado
qualitativamente o poder de produzir e destruir,
de curar e depredar, de ampliar a cultura dos se-
res humanos e de gerar riscos para a vida, sendo
que esse poder associado aos perigos está, social
e regionalmente, de maneira muito desigual. Des-
sa maneira a ciência e a tecnologia têm feito que o
poder se fixe nas mãos de alguns seres humanos.
HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 57
Desse modo, pode-se perceber que a tecnologia, assim como
a ciência não são neutras, uma vez que são o espelho das condutas
antagônicas presentes na sociedade. Por conseguinte, a tecnologia
e a ciência tornam-se formas de poder, de controle da natureza e
de dominação entre sociedades.

Infelizmente, um desenvolvimento tecnológico que não di-


mensiona suas consequências pode trazer malefícios nas questões
culturais, sociais e ambientais. Também o fato de a tecnologia pro-
piciar mudanças nas relações de consumo e produção, como tam-
bém de despertar desejos e necessidades, possibilita um consumo
não consciente, prejudicando os recursos naturais e permitindo a
degradação do meio ambiente.

Silveira (2004) afirma que a tecnologia é um fenômeno so-


cial complexo. Além disso, o conhecimento da tecnologia moder-
na possibilitou três posicionamentos em relação à função social da
tecnologia, que são: a visão otimista diante da tecnologia; a visão
pessimista; e a visão moderada.

A visão pessimista considera a tecnologia como a principal


responsável pela destruição do meio ambiente. De acordo com
essa visão, a tecnologia também é responsável pela eliminação da
mão de obra humana, visto que é direcionada para a elevação da
produção, visto que essa atitude traz um maior lucro às empresas.

A visão moderada propaga a necessidade de se repensar o


posicionamento da tecnologia moderna frente à sociedade. Deve-
-se avaliar os riscos e os benefícios que ela pode trazer para os
seres humanos. Portanto, não pode ocorrer uma generalização de
que a tecnologia é sempre ruim, uma vez que isto serviria como
pretexto para o subdesenvolvimento de alguns países.

Entretanto, segundo Silveira (2004), a ciência e a tecnologia na


modernidade não têm se apresentado como um conhecimento livre e
desinteressado, teórico e especulativo. Pois a tecnologia permite uma
maior precisão e controle de resultados para a ciência, e isto possibili-
ta que o homem domine, controle e transforme o mundo.
58 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA
Milton (2002) possui a seguinte visão sobre o avanço tecnológico:
A tecnologia é a principal arma dos empresários
e do próprio governo para a promoção de com-
petitividade e progresso social. [...] as mudanças
tecnológicas não afetam apenas a economia. Elas
provocam transformações, por vezes profundas,
nas instituições e na maneira que os homens con-
trolam o próprio processo produtivo. Para muitos
autores, a inovação tecnológica é um dos elemen-
tos mais críticos de mudança tanto nas relações
de produção como nas relações sociais e institu-
cionais.

A tecnologia da informação e comunicação possui um gran-


de poder de penetração em todos os segmentos de produção e de
consumo da sociedade moderna, excepcionalmente, com o adven-
to da internet.

Castells (1999, p. 35 e 36) menciona o seguinte sobre esta


temática:
A tecnologia e as relações técnicas de produção
difundem-se por todo o conjunto de relações e
estruturas sociais, apesar dessas serem organiza-
das em paradigmas oriundos das esferas domi-
nantes da sociedade como o processo produtivo.
[...] Dessa forma, os modos de desenvolvimento
modelam toda a esfera do comportamento social,
inclusive a comunicação simbólica. [...] devemos
esperar o surgimento de novas formas históricas
de interação, controle e transformação social.

Portanto, a tecnologia da informação penetra em todas os


âmbitos da atividade humana. Com isso, tanto a economia como
a sociedade e a cultura sofreram e ainda sofrerão mudanças. En-
tretanto, a tecnologia não tem o poder de determinar a sociedade,
ou seja, apenas a forma como a sociedade lida com a tecnologia
vai determinar as mudanças no seu modo de vida, uma vez que os
avanços tecnológicos são concebidos como forma de moderniza-
ção das sociedades contemporâneas.
HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 59
De acordo com Harvey (2015), as grandes mudanças tecno-
lógicas e de inovação de produtos vêm percorrendo o mundo des-
de a metade dos anos de 1960, algo que possibilitou uma maior
observação nas transformações recentes da economia mundial.
Ao longo da história, fases de inovação tecnológica na seara do
capitalismo foram vistas, contudo, nos últimos tempos estas inova-
ções têm sido mais concentradas e velozes.

O que causa grande admiração é o ritmo e o grau de transfe-


rência e imitação da tecnologia entre as diferentes zonas da econo-
mia mundial. A imitação tecnológica é largamente vista no comér-
cio de armamentos.

Pode-se verificar que o alto grau de formação científica dos


profissionais é capaz de absorver diversos tipos de conhecimentos
e procedimentos tecnológicos com uma grande velocidade, fazendo
com que novos produtos e tecnologias se difundam pelo mundo.

Portanto, para Harvey (2015), essa rapidez tecnológica faz


surgir um novo tipo de globalização. Ele comenta o seguinte: “Por
esse motivo, muitos neste momento julgam que a inovação e a
transferência tecnológica galopantes constituem a força mais sin-
gular, e ao que parece inexorável, de promoção da globalização.”
(HARVEY, 2015, p. 90).

Para o autor, a tecnologia da informação e comunicação, que


ele chama de “revolução da informação”, trouxe mudanças impor-
tantes na organização do consumo e da produção, como também
despertou novos desejos e necessidades.

No entanto, a origem do avanço no sistema da mídia e da co-


municação ocorreu com o aparelhamento militar. E posteriormen-
te foi absorvida pelas instituições financeiras e pelo capital multina-
cional como maneira de coordenar suas atividades de forma rápida.
A consequência disto foi a formação do chamado “ciberespaço”,
no qual existe a possiblidade do processamento de alguns tipos de
transações importantes de cunho financeiro.

Diante do exposto, pode-se analisar que a tecnologia da in-


formação certamente está trazendo mudanças rápidas no âmbito
das relações de trabalho, de vida e das formas culturais.
60 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA
2. OS REFLEXOS DO DESENVOLVIMENTO
TECNOLÓGICO NA CULTURA DE UM POVO
Com o advento das novas tecnologias, as pessoas passaram
a ter acesso a novos conhecimentos e a novas realidades; também
houve a construção de novas relações sociais. Entretanto, este
novo universo humano permeado pela tecnologia digital poderá
promover uma maior integração social ou uma superficialidade nas
relações humanas, permitindo o isolamento dos indivíduos.

A tecnologia da informação e comunicação promoveu mu-


danças impactantes sobre os aspectos culturais, sociais, econômi-
cos, políticos e científicos da sociedade.

Conforme Cavalcante (2012), tal tecnologia trouxe novas ne-


cessidades que impactaram a construção social do indivíduo. Esse
tipo de tecnologia pode ser definida como tecnologias intelectu-
ais, pois alcança não somente os dispositivos tecnológicos, como
também o sistema de conhecimento e compreensão dos indivídu-
os, seu pensamento e a percepção que estes têm ao entrar em
contato com as interfaces.

Interfaces são dispositivos de comunicação utiliza-


dos entre dois sistemas de informática distantes um do ou-
tro; elas estão presentes na internet. Curiosidade

Os produtos oriundos da tecnologia da informação e comu-


nicação passaram a ser considerados como símbolos de identifica-
ção no contexto social. O telefone celular e a internet tornaram-se
símbolos de pertencimento a um grupo social; também passaram a
funcionar como um meio de chegar à felicidade; uma vez que tê-los
traz a identificação do indivíduo na sociedade.
HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 61
Para Cavalcante (2012), o tempo na sociedade atual também
sofreu com a influência da tecnologia. O tempo deixou de ter uma
categoria universal para ganhar outras concepções a partir da in-
terpretação cultural. O tempo passou a ser mensurado pela veloci-
dade da tecnologia, pois a tecnologia da informação e comunica-
ção permite que a pessoa esteja em vários locais de forma quase
que instantânea, e também possibilita a comunicação com diversas
pessoas em tempo real e em qualquer lugar do mundo.

De acordo com o autor, essa visão distorcida da temporalida-


de e do espaço traz, para o indivíduo, uma dificuldade de manter
um pensamento com começo, meio e fim. A consciência que o indi-
víduo tem do tempo passa a ter interrupções e, consequentemente,
possui uma fragmentação da realidade histórica.

A sociedade pode tornar-se vítima do excesso de informa-


ção, e isto afeta a capacidade crítica dos indivíduos. As pessoas
são bombardeadas por um enorme número de informações em um
curto espaço de tempo. Assim, a capacidade cognitiva do indivíduo
ao não acompanhar tal ritmo, cria conhecimentos superficiais e
fragmentados, sem discernimento crítico.

A sociedade está vivenciando incertezas diante das relações,


com valores, padrões e modelos de comportamentos que são con-
siderados ultrapassados atualmente.

Carvalho (1997) fala da cultura diante os avanços da tecnolo-


gia, mencionando o seguinte:
A cultura (regras, padrões, planos, receitas, mo-
delos, etc.) que regula e orienta os comportamen-
tos dos seres humanos em sociedade, não acom-
panha a aceleração de mudanças tecnológicas
atuais que cada vez mais cria novas necessidades
aos seres humanos tornando-se um processo ir-
reversível [...].

Dessa forma, pode-se concluir que as novas tecnologias pos-


sibilitam novos meios de geração e transmissão de conhecimento e
recodificam o tempo, o espaço e a memória.
62 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA
Ribeiro (2005) menciona que de acordo com o antropólo-
go Marc Augé, existe uma dificuldade em entender um tempo que
acelera e um espaço que se perde na velocidade imposta pelas
novas tecnologias.

Pode-se ver que as relações sociais estão sofrendo altera-


ções; conversas que outrora eram feitas pessoalmente, agora são
realizadas via internet, mesmo quando as pessoas estão próximas
fisicamente. Até mesmo os relacionamentos afetivos são mantidos
via digital. As pessoas conhecem outras no mundo todo, mas mui-
tas vezes desconhecem seus vizinhos.

Para Libório e Salvan, vivencia-se, na atualidade, o período da pós-


-modernidade, marcada por duas temáticas importantes que prescin-
dem de compreensão para que se possa analisar este período, que são:
os conceitos da sociedade da imagem e da sociedade do conheci-
mento. A sociedade da imagem está relacionada às novas realidades so-
bre o real e sobre a mídia sempre atuante. A sociedade do conhecimento
diz respeito à quantidade de conhecimento que envolve a vida social e o
processo de escolhas das informações no cotidiano.

A realidade nunca é conhecida em estado natural,


visto que é sempre processada através dos meios de co-
nhecimento das pessoas. A realidade é uma construção
social, é o resultado do conhecimento obtido por meio do Curiosidade
senso comum.

A pós-modernidade também é marcada pela comunicação em


massa. No campo do trabalho, trouxe uma nova configuração para os
tipos de trabalho com o aumento da empregabilidade. Também se
caracteriza por uma sociedade do consumo, em que a felicidade e
o bem-estar são mensurados através da quantidade de consumo de
objetos. Existe, ainda, uma maior produção de bens para a economia
de serviços. Surgiu um maior crescimento da classe de profissionais e
técnicos; o conhecimento teórico e a geração de inovação têm sido
muito valorizados, bem como a gestão de desenvolvimento técnico, o
conhecimento da tecnologia e a tecnologia intelectual.
HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 63
A tecnologia, principalmente a que se refere aos meios de
comunicação, possibilitou trocas culturais. Tanto que se pode falar,
atualmente, em cultura local, cujos costumes, crenças e padrões
de comportamento são típicos de uma determinada região. Além
disso, a cultura global torna-se mais generalizada e mais universali-
zada em decorrência da globalização da tecnologia.

Pratique
1. Disserte sobre o desenvolvimento tecnológico e seu reflexo
diante da sociedade moderna e da cultura. Fale também
sobre a tecnologia, sua importância e seus desafios no tra-
balho do arquiteto e/ou do engenheiro.

64 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA


2. Assista a pelo menos uma das seguintes obras e faça um
breve comentário sobre a presença da tecnologia na vida
das pessoas: Black mirror (é uma série de 2011, portanto,
não precisa assistir todos os episódios); Ela (2013); A rede
social (2010). Cada obra aborda a tecnologia sobre temáti-
cas diferentes.

HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 65


O desenvolvimento da tecnologia, ao longo dos sé-
culos, permite avaliar os significados da tecnologia moder-
na na especificação da sociedade como industrial, pós-in-
dustrial e sociedade informatizada.
Relembre
A tecnologia da informação e comunicação possui
um grande poder de penetração em todos os segmentos
de produção e de consumo da sociedade moderna. Tal
tecnologia promoveu mudanças impactantes sobre os as-
pectos culturais, sociais, econômicos, políticos e científicos
da sociedade.
Também trouxe novas necessidades que impacta-
ram a construção social do indivíduo. Esse tipo de tecno-
logia pode ser definido como tecnologias intelectuais, pois
alcança não somente os dispositivos tecnológicos, como
também o sistema de conhecimento e compreensão dos
indivíduos, seu pensamento e a percepção que estes têm
ao entrar em contato com as interfaces.
A tecnologia, principalmente, a que se refere aos
meios de comunicação, possibilitou trocas culturais. Tanto
que se pode falar, atualmente, em cultura local, cujos cos-
tumes, crenças e padrões de comportamento são típicos
de uma determinada região. Além disso, a cultura global
torna-se mais generalizada e mais universalizada em de-
corrência da globalização da tecnologia.

Referências
CAVALCANTE, André. Reflexões sobre as mudanças sociais moti-
vadas pelo desenvolvimento tecnológico. Revista Biblionline. v. 8,
n. 2, p. 16-26, João Pessoa, 2012.

CASTELLS, Manuel. A rede e o ser. In: A sociedade em rede. Tradu-


ção: Roneide Venâncio Majer. vol. 1. A era da informação: economia,
sociedade e cultura. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

66 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA


HARVEY, Davis. Condição pós-moderna. 22. ed. São Paulo: Loyola, 2012.
SILVEIRA, Rosemari; BAZZO, Walter. Ciência e tecnologia: transforman-
do a relação do ser humano com o mundo. IX Simpósio Internacional
Processo Civilizador: tecnologia e civilização. Disponível em: <http://
www.uel.br/grupo-estudo/processoscivilizadores/portugues/sitesa-
nais/anais9/artigos/workshop/art19.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2018.

Anotações

HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA 67


68 HUMANIDADES, CIÊNCIAS SOCIAIS E CIDADANIA
www.UniATENEU.edu.br

Rua Coletor Antônio Gadelha, Nº 621


Messejana, Fortaleza – CE
CEP: 60871-170, Brasil
Telefone (85) 3033.5199