Você está na página 1de 3

UFU – DESIGN

HISTÓRIA DO MOBILIÁRIO E DOS INTERIORES – Claudia dos Reis e Cunha


Aluna: Letícia Vasconcelos Morais Garcez - 11111 DIT 015

Panorama do design contemporâneo brasileiro

O presente trabalho tem como intuito realizar uma análise panorâmica


da produção de mobiliário brasileiro, de acordo com os designers apresentados
em seminários ministrados na disciplina de Teoria e história do Mobiliário.
Para uma melhor compreensão analisarei a produção do mobiliário
brasileiro conforme a matéria-prima empregada, a forma de fabricação.
Designers como Maurício de Azeredo formado em arquitetura pela
Mackenzie, que utiliza em excelência a madeira, principal matéria prima
utilizada na fabricação de seus móveis, ele realiza a composição de seus
mobiliários com a combinação de várias madeiras, as quais ele tem
catalogadas, ele utiliza encaixes e dispensado o uso de parafusos e pregos,
um dos encaixem amplamente utilizado por ele é a junto tridimensional a qual
tem patente.
“... seu trabalho é resultado da observação, estudo e pesquisa da arte
da carpintaria e da marcenaria...” (TEIXEIRA, 1996).
Assim como Maurício de Azeredo outra designer que utiliza a madeira
porem combinada com outras matérias primas é a Cláudia Moreira Sales,
formada pela Esdi, que em uma primeira instância trabalha com produção em
série, mas a partir dos anos 80 passa a utilizar a madeira, buscando explorar
ao máximo as características físicas desta matéria prima, buscando leveza em
suas peças apesar das madeiras nacionais serem pesadas, faz contraste entre
matérias primas, como cimento, metal, chapa de aço, vidro e alumínio fundido,
suas criações de mobiliário tem um cunho mais artesanal assim como as de
Azeredo que acompanha todo o processo produtivo desde a extração ate sua
utilização, minimizando o desperdício de matéria-prima.
Pedro Useche, formado em arquitetura pela Universidade Central da
Venezuela, que começa atuar como designer de mobiliário em São Paulo por
volta de 1984, tem um uso eclético enquanto a materiais, como madeira, ferro,
vidro, couro, borracha, porem buscando sempre o equilíbrio entre a estética e a
funcionalidade, sem se preocupar com modismo, ele desafia os limites
estruturais do material utilizado, notadamente a madeira e o aço são os mais
recorrentes em seu repertório assim como Fernando Jaeger, formado em
desenho industrial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, que cria seus
primeiros móveis por não encontrar no mercado móvel os quais se identifica-
se, ele faz pesquisa por novas madeiras em alternativa as madeiras nobres
brasileiras, pioneiro no uso do eucalipto de reflorestamento, combinando a
madeiras com materiais como aço tubular, ferro, PVC; fazendo com que seus
produtos tenham um custo mais acessível pra o consumidor, mas
preocupando-se com métodos de execução, e resgatando pequenas
características que são pontos diferenciais em suas peças, porém o que norteia
seus trabalhos é a fabricação industrial.
“... suas propostas são quase que totalmente voltadas para a indústria
moveleira, adequam-se a esta, e consequentemente visam atender um público
consumidor carente desta produção nacional, de qualidade e preços baixos.”
(TEIXEIRA, 1996).
Outra designer que utiliza a madeira, como um resgate ao trabalho de
seu pai Zanine Caldas, é Zanini de Zanine formando desenho de produto na
PUC-Rio, utiliza madeiras nativas e de demolição, trazendo referências de seu
pai que buscava aproveitar ao máximo as chapas de madeira, pensando nos
recortes, nas suas peças em madeira ele busca uma característica mais
contemporânea, tem como principal influência Sérgio Rodrigues com quem
estagiou, Zanini utiliza uma ampla gama de matérias primas, para o
desenvolvimento de duas peças, faz desde a reutilização de materiais
descartados, como novas experimentações com o metacrilato, seu trabalho é
dividido em duas partes, artesanal no que se referem às peças em madeira e
industrial, as peças realizadas em aço inox, alumínio, poliacrilato, aço cortem,
enfim o plástico.
‘’Minha experimentação de materiais é proposital. A diversidade e o
risco também fazem parte do meu trabalho’’. Zanini de Zanine
(www.studiozanini.com.br).
Marcelo Rosenbaum cursou arquitetura na Faculdade de Belas Artes
em São Paulo, projeta móveis e utilitários, com linguagem contemporânea, de
formas limpas e despojadas, marcadas pelo contrate de materiais, madeira e
metal, bem como cores e texturas (TEIXEIRA, 1996).
Rosenbaum utiliza vários materiais e atua em diversos seguimentos,
como arquitetura, mobiliário, estamparia em tecidos, louças, entre outros. Suas
peças apresentam produção mais industrial podendo ser encontradas em lojas
de departamentos, outra dupla que utiliza variados materiais em suas criações
são os Irmãos Fernando e Humberto Campana, formado em arquitetura pela
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Belas Artes de São Paulo,
formado em direito pela USP, respectivamente, utilizam todo tipo de matéria-
prima em suas criações, cordas, caco, papelão, ralo de banheiro, ursos de
pelúcia, eles reaproveitam objetos, muitos até de caráter obsoleto dando-os
novas utilidades. Em um primeiro momento a produção se da de forma
artesanal, em pequenas tiragens, ou mesmo peças únicas, porem quando as
peças tem caráter mais comercial seus projetos são produzidos na Itália pela
Edra e Alessi, e quando voltam para o Brasil, são importadas, o que eleva o
custo final.
“As propostas dos Campana são basicamente conceituais, isto é, suas
criações nos instigam ao questionamento e à avaliação do mobiliário existente,
conhecido e estabelecido, não só no aspecto funcional como também estético”.
(Teixeira, 1996, p.115).
Pode-se constatar que os profissionais ao trabalharem essencialmente
com a madeira em suas peças, estas apresentam uma produção de âmbito
mais artesanal, uma produção em escala reduzida, porem quando a utilização
de outros materiais como fonte de matéria prima, ou mesmo a combinação da
madeira com outros elementos, tais peças apresentam uma produção industrial
com caráter mais elevado.

Referências:

LEON, Ethel. Design brasileiro: quem fez, quem faz. Rio de Janeiro: Senac-
Rio / Viana & Mosley, 2005.

PERFIL Estudio Zanini de Zanine. Disponível em:


<http://www.studiozanini.com.br/>. Acesso em: 17 mar. 2013.

TEXEIRA, Maria Angélica Fernandes. Mobiliário residencial brasileiro –


criadores e criações. Uberlândia, Zardo, 1996, 130p.

Você também pode gostar