Você está na página 1de 82

MARINHA DO BRASIL

DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DA MARINHA

BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL

TOMO I (ADMINISTRATIVO)

Nº 03/2017

RIO DE JANEIRO, RJ, EM 31 DE MARÇO DE 2017.


(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

MARINHA DO BRASIL
DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DA MARINHA

BOLETIM DA MB TOMO I – ADMINISTRATIVO

ÍNDICE PÁGINA

ATOS NORMATIVOS DO COMANDANTE DA MARINHA


Portaria no 77, de 20MAR2017 – MB................................................................ 08
Portaria nº 78, de 20MAR2017 – MB............................................................... 09

2
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ATOS ADMINISTRATIVOS
Conclaves de Competições Esportivas no País (Alt nº 05)- EMA........................ 10
Conclaves Governamentais no Exterior (Alt nº 09 e 10) – EMA....................... 11
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 45 a 47) – EMA............... 12
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 48 e 49) – EMA............... 13
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 50 a 52) – EMA............... 14
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 53 e 54) – EMA............... 15
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 55 a 57) – EMA............... 16
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 58 e 59) – EMA............... 17
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 60 e 61) – EMA............... 18
Conclaves Não-Governamentais no Exterior (Alt nº 62 e 63) – EMA............... 19
Conclaves Não-Governamentais no País (Alt nº 04 e 05) – EMA...................... 20
Conclaves Não-Governamentais no País (Alt nº 06 e 07) – EMA...................... 21
Conclaves Não-Governamentais no País (Alt nº 08 e 09) – EMA...................... 22
Portaria nº 24, de 09MAR2017 – DGPM.............................................................. 23
Portaria nº 02, de 13MAR2017 – SGM................................................................. 35
Portaria nº 21, de 20MAR2017 – DAbM.............................................................. 38
Portaria nº 24, de 23MAR2017 – DAbM.............................................................. 39
Portaria nº 28, de 23FEV2017 – ComemCh......................................................... 40
Portaria nº 34, de 06MAR2017 – ComemCh........................................................ 41
Portaria nº 36, de 10MAR2017 – ComemCh........................................................ 42
Portaria nº 56, de 09MAR2017 – DPC.................................................................. 45
Portaria nº 63, de 20MAR2017 – DPC.................................................................. 46
Portaria nº 65, de 21MAR2017 – DPC.................................................................. 48
Portaria nº 66, de 20MAR2017 – DPC.................................................................. 49
Portaria nº 123, de 17MAR2017 – Com5ºDN....................................................... 51
Portaria nº 125, de 20MAR2017 – Com5ºDN....................................................... 52
Portaria nº 36, de 20MAR2017 – DHN................................................................. 67
Portaria nº 28, de 14MAR2017 – DEnsM............................................................. 68
Portaria nº 19, de 23FEV2017 – DFM.................................................................. 69
Portaria nº 25, de 17FEV2017 – EGN................................................................... 75
Portaria nº 2, de 02FEV2017 – ComForAerNav................................................... 79
Portaria nº 34A, de 24FEV2017 – CIAA.............................................................. 80
Portaria nº 10, de 23MAR2017 – CMatFN........................................................... 82

3
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ÍNDICE REMISSIVO DA LEGISLAÇÃO

PÁGINA
ALTERAÇÃO DE PORTARIA
Altera o Apêndice I ao Anexo da Portaria nº 73/2016, desta Escola.
Portaria nº 25, de 17FEV2017 – EGN.................................................................. 75

CLASSIFICAÇÃO DE OM QUANTO AO RANCHO


Aprova a Tabela de Classificação das OM subordinadas quanto à classificação
de rancho.
Portaria nº 36, de 10MAR2017 – ComemCh....................................................... 42

COMPETIÇÕES ESPORTIVAS
Programa Conclaves de Competições Esportivas no País (Alt nº 05)- EMA....... 10

CONCLAVES
Divulga alteração no Programa de Conclaves Governamentais no Exterior
(Alt nº 09 e 10 ) – EMA...................................................................................... 11
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 45 a 47) – EMA....................................................................................... 12
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 48 e 49) – EMA....................................................................................... 13
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 50 a 52) – EMA....................................................................................... 14
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 53 e 54) – EMA....................................................................................... 15
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 55 a 57) – EMA....................................................................................... 16
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 58 e 59) – EMA....................................................................................... 17
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 60 e 61) – EMA....................................................................................... 18
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no Exterior
(Alt nº 62 e 63) – EMA....................................................................................... 19
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no País
(Alt nº 04 e 05) – EMA...................................................................................... 20
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no País
(Alt nº 06 e 07) – EMA...................................................................................... 21
Divulga alteração no Programa de Conclaves Não-Governamentais no País
(Alt nº 08 e 09) – EMA...................................................................................... 22

4
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CREDENCIAMENTO DE EMPRESAS / ENTIDADES


Renova o credenciamento da empresa Maersk Training Brasil Treinamentos
Marítimos LTDA (Maersk Training) para ministrar curso do Ensino
Profissional Marítimo (EPM).
Portaria no 56, de 09MAR2017 – DPC................................................................. 45
Credencia a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR) para ministrar cursos do
Ensino Profissional Marítimo (EPM).
Portaria no 63, de 20MAR2017 – DPC................................................................. 46
Renova o credenciamento da Empresa Saveiros Camuyrano Serviços
Marítimos S/A para ministrar curso do Ensino Profissional Marítimo (EPM).
Portaria no 65, de 21MAR2017 – DPC................................................................. 48
Credencia a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR) para ministrar cursos do
Ensino Profissional Marítimo (EPM).
Portaria no 66, de 20MAR2017 – DPC................................................................. 49

CRIAÇÃO DE OM
Cria a Diretoria de Desenvolvimento Nuclear da Marinha e dá outras
providências.
Portaria no 77, de 20MAR2017 – MB................................................................... 08

CURSOS E ESTÁGIOS
Cria o Curso Expedito de Medicina de Superfície (C-Exp-MedSup).
Portaria nº 28, de 14MAR2017 – DEnsM............................................................. 68

DELEGA E SUBDELEGA COMPETÊNCIA


Delega e Subdelega competência a titulares de Organizações Militares (OM)
subordinadas e a Oficiais de Gabinete da Diretoria-Geral do Pessoal da
Marinha (DGPM) para baixar atos administrativos inerentes às atividades que
especifica.
Portaria nº 24, de 09MAR2017 – DGPM.............................................................. 23
Delega e subdelega competência aos Oficiais lotados no Com5ºDN e aos
Titulares de OM subordinadas.
Portaria nº 125, de 20MAR2017 – Com5ºDN....................................................... 52

5
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DESIGNAÇÃO
Designa a Comissão de Avaliação de Cursos (CAC) do CIAA.
Portaria nº 34A, de 24FEV2017 – CIAA.............................................................. 80
Designar Oficial para efetuar a classificação de material de uso sigiloso e de
uso não sigiloso no SISCOMEX.
Portaria nº 24, de 23MAR2017 – DAbM.............................................................. 39

DISTINTIVO E ESTANDARTE
Aprova o distintivo da “Diretoria Industrial da Marinha”.
Portaria nº 2, de 13MAR2017 – SGM................................................................... 35

REGULAMENTO
Altera o Regulamento da Pagadoria de Pessoal da Marinha.
Portaria nº 19, de 23MAR2017 – DFM................................................................ 69

SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA
Subdelegar Oficial para assinatura de termo, perante o Departamento da
Marinha Mercante do Ministério dos Transportes.
Portaria nº 21, de 20MAR2017 – DAbM.............................................................. 38
Subdelega competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro.
Portaria nº 28, de 23FEV2017 – ComemCh......................................................... 40
Subdelega competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro.
Portaria nº 34, de 06MAR2017 – ComemCh....................................................... 41
Subdelega competência ao Diretor do Centro de Intendência da Marinha em
Rio Grande.
Portaria nº 123, de 17MAR2017 – Com5ºDN....................................................... 51
Subdelega competência ao Comandante da Base de Hidrografia da Marinha em
Niterói para assinar o Contrato nº 51212/2017-001/00 com a Empresa
MACPORT ESTRUTURAS LTDA, CNPJ 22.942.092/0001-61 - Processo:
NUP 63999.001193/2016-16.
Portaria nº 36, de 22MAR2017 – DHN................................................................. 67
Subdelega competência.
Portaria nº 09, de 16MAR2017 – ComForAerNav.............................................. 79
Subdelegar competência ao Comandante do BtlNav, para autorizar a assinatura
do Termo de Cessão de Uso das antenas de transmissão, localizadas em área
pertencente à União Federal, sob jurisdição do Parque Nacional da Tijuca –
PARNA Tijuca, unidade de conservação sob gestão do ICMBio localizada no
Alto do Sumaré, no Município do Rio de Janeiro.
Portaria nº 10, de 23MAR2017 – CMatFN.......................................................... 82

6
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

SUBORDINAÇÃO DE OM
Transfere a subordinação do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ),
do Centro de Mísseis e Armas Submarinas da Marinha (CMASM) e do Centro
de Manutenção de Sistemas da Marinha (CMS) e dá outras providências.
Portaria nº 78, de 20MAR2017 – MB.................................................................. 09

7
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ATOS NORMATIVOS DO COMANDANTE DA MARINHA

PORTARIA Nº 77/MB, DE 20 DE MARÇO DE 2017

Cria a Diretoria de Desenvolvimento Nuclear da Marinha e dá outras providências.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das suas atribuições que lhe conferem


os art. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar
nº 136, de 25 de agosto de 2010, e o art. 26, inciso V, do Anexo I, do Decreto nº 5.417, de 13 de
abril de 2005, alterado pelo Decreto nº 8.900, de 10 de novembro de 2016, resolve:

Art. 1º Criar, dentro da Estrutura Organizacional do Comando da Marinha, a


Diretoria de Desenvolvimento Nuclear da Marinha (DDNM), Organização Militar com semi-
autonomia administrativa, devendo ser apoiada pelo Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo
(CTMSP), que proverá os recursos de pessoal e financeiros necessários à execução de suas tarefas,
com sede na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, subordinada ao CTMSP, com o propósito de
desenvolver e aperfeiçoar instalações, sistemas, equipamentos, componentes, instrumentos,
materiais, processos de fabricação, montagem e manutenção nas áreas de geração de energia
nuclear e tecnologias associadas, sob a direção de um Oficial-General.

Art. 2º O Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha


baixará os atos complementares que se fizerem necessários à execução desta Portaria.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

8
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA Nº 78/MB, DE 20 DE MARÇO DE 2017

Transfere a subordinação do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ), do


Centro de Mísseis e Armas Submarinas da Marinha (CMASM) e do Centro de Manutenção de
Sistemas da Marinha (CMS) e dá outras providências.

O COMANDANTE DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe conferem os


art. 4º e 19 da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, alterada pela Lei Complementar nº
136, de 25 de agosto de 2010, e o art. 26, inciso V, do Anexo I, do Decreto nº 5.417, de 13 de abril
de 2005, alterado pelo Decreto nº 8.900, de 10 de novembro de 2016, resolve:

Art. 1º Transferir a subordinação do AMRJ, da Diretoria-Geral do Material da


Marinha (DGMM), para a Diretoria Industrial da Marinha (DIM).

Art. 2º Transferir a subordinação do CMASM e do CMS, da Diretoria de Sistemas de


Armas da Marinha (DSAM) para a DIM.

Art. 3º O Diretor-Geral do Material da Marinha e o Diretor Industrial da Marinha


baixarão os atos complementares que se fizerem necessários à execução desta Portaria.

Art. 4º Revoga-se a Portaria nº 473/MB, de 6 de outubro de 2014.

Art. 5º Esta Portaria entra em vigor no dia 22 de março de 2017.

9
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ATOS ADMINISTRATIVOS

ESTADO-MAIOR DA ARMADA

CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE COMPETIÇÕES ESPORTIVAS NO PAÍS (PCEP) PARA 2017
(Portaria nº 200/2016, do EMA)

A - ALTERAÇÃO C - CANCELAMENTO I - INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

TÍTULO ÁREA PROPOSTA DE


PERÍODO
REPRESENTAÇÃO DE CUSTOS
Nº Nº DUR. OMO
LOCAL OMV CONH Obs
ORD. EVT. (DIAS) T DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM ECIM
NR E POSTO OM (R$) EM (R$)
ENTO
As despesas com hospedagem
ficarão a cargo da
Circuito Confederação Brasileira de
19/ma Aracaju, Brasileiro Voleibol (CBV). A Despesa
5 118/I 16/mar 4 CDM CDM G-3 CDM 0,00 0,00
r SE de Vôlei de 04 SO/SG Variável de Pessoal (DVP)
Praia será coberta por Gratificação
por Representação em
Viagem.

10
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCGE) PARA 2017
(Portaria nº 201/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL
Nº Nº DUR. REPRESENTAÇÃO ÁREA DE CUSTOS
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHECI OMOT Obs
MENTO DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE
NR E POSTO OM (R$) (R$)
Assembléia e Sessão do
Conselho Executivo da
9 38/C JUN JUN 5 França Paris Comissão 01 OfSup EMA EMA K-7 DHN 3.510,00 4.000,00
Oceanográfica
Internacional (IOC-EC)
As despesas serão
Reunião dos Estados
cobertas com
partes na convenção
recursos oriundos
10 46/I 29/mai 01/jun 4 França Paris para a Proteção do 01 OfSup EMA EMA K-7 DHN 3.120,00 4.000,00
do cancelamento do
Patrimônio Cultural
Evt 38/C do PCGE-
Subaquático
17.

11
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
As despesas com diárias
8th Anual
(US$ 2.730,00) e
Submarine and ComFor Come ComFo
45 198/I 25/abr 27/abr 3 UK Londres 01 OfSup N-5 0,00 0,00 passagens (R$ 4.000,00)
Submersible S mCh rS
serão cobertas com
Operation Summit
recursos do ComemCh.
Simpósio de As despesas com diárias
Liderança Naval no (US$ 2.310,00) e
30/ma 30/ma Costa do 01 ComOp Come CAAM
46 199/I 1 Abidjan Exercício N-7 0,00 0,00 passagens (R$ 5.000,00)
r r Marfim OfGen Nav mCh L
OBANGAME serão cobertas com
EXPRESS recursos do ComOpNav.
As despesas com diárias
Conferência em
29/ma 29/ma Washingt DGDNT DGD e passagens serão
47 200/I 1 EUA Ciência e 01 SCNS T-8 EGN 0,00 0,00
r r on M NTM cobertas pela União
Diplomacia
Européia (UE).

12
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
As despesas com diárias
(US$ 3.510,00) e
passagens (R$ 4.000,00)
Conferência sobre serão cobertas com
CTM
48 201/I 26/jun 30/jun 5 Áustria Viena Ciência e 01 OfSup CTMSP F-10 CTMSP 0,00 0,00 recursos da Ação Interna
SP
Tecnologia MD000620PDI e
MD000620PTI do
projeto LABGENE
(GND-4).
As despesas com diárias
(US$ 3,120.00) e
IV Reunião do
passagens (R$
Grupo de Trabalho
49 202/I 21/mar 24/mar 4 Suécia Luleã 01 OfSup EMA EMA H-1 EMA 0,00 0,00 4.000,00), serão
Bilateral de Defesa
cobertas com recursos
Brasil-Suécia
do Ministério da Defesa
(MD)".

13
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
A participação do OfGen será
Participação no apenas no dia 19/mai. As
01OfGen CDCiber
50 203/I 16/mai 19/mai 4 Miami EUA Exercício “Cyber EMA 0,00 0,00 despesas dos representantes
02 OfSup EB serão cobertas com recursos do
Libertad Americas”
Comando do Exército (CEx)
"Centenário da As despesas com diárias (US$
Talcachu 01OfGen
Força de Come ComFo 4.680,00) e passagens (R$
51 204/I 28/jun 07/jul 10 Chile anoValpa 01 ComForS N-5 0,00 0,00 2.400,00), serão cobertas com
Submarinos da mCh rS
raíso OfSup/Int recursos do ComemCh.
Armada do Chile"
As despesas com diárias (US$
Reunião do Clube Come ComFo 3.780,00) e passagens (R$
52 205/I 17/abr 21/abr 5 França Brest 01OfGen ComForS N-5 0,00 0,00 4.000,00), serão cobertas com
"Scorpène mCh rS
recursos do ComemCh

14
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

ÁREA PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL
Nº Nº DUR. REPRESENTAÇÃO DE CUSTOS
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE O
NR E POSTO OM (R$) (R$)
Os representantes perceberão diárias
01 OfGen pela metade durante o período do
(CDDCFN) evento. Os custos com transporte e
CGCFN
137/ Reunião 01 OfSup CDD 12.000,0 hospedagem serão cobertos pela
53 08/mai 12/mai 5 EUA Doral CDDCF J-7 CPesFN 7.200,00 organização da Conferência do Comitê
A/A ONIC (CGCFN) CFN 0 Operacional de Infantaria Naval
N
01 OfSup (ONIC). A diferença no valor das
(CDDCFN) diárias (US$ 600,00) será coberta com
recursos do CGCFN.
Tactical As despesas com diárias pela
Carolin Combat 01 OfSub metade (US$ 6.390,00) serão
ComF
54 206/I 10/abr 14/abr 5 EUA a do Casualty 03 SG-FN- UMEM Q-2 DSM 0,00 0,00 cobertas com recursos do CGCFN.
FE
Norte Care EF As passagens serão fornecidas pelo
(TCCC) organizador do evento.

15
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
Tidal, Water, As despesas com
Level and diárias e passagens
12/ma
55 207/I 08/mai 5 Canada Victoria Working 01 OfSup CHM DHN K-4 DHN 0,00 0,00 serão cobertas com
i
Group recursos da
(TWCWG2) EMGEPRON.
1ª Reunião de
ComFlotMT
Buenos Planejamento 01 OfSup Com6
56 90/A 05/jun 09/jun 5 Argentina GptFNLa H-1 EMA 7.350,00 4.800,00
Aires da Operação 03 OfInt ºDN
EsqdHU-4
ACRUX-VIII
2ª Reunião de
ComFlotMT
Buenos Planejamento 01 OfSup Com6
57 91/A JUL JUL 5 Argentina GptFNLa H-1 EMA 3.710,00 2.400,00
Aires da Operação 01 OfInt ºDN
EsqdHU-4
ACRUX-VIII

16
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
Visita à Direção-Geral
do Território, ao
As despesas com diárias
Centro de Informação
e passagens serão
Geoespacial do CASNA DGD
58 208/I 24/jun 01/jul 8 Portugal Lisboa 01 OfSup T-13 EGN 0,00 0,00 cobertas com recursos
Exército e ao Centro V NTM
da Fundação de Estudo
Operacional de Força
do Mar (FEMAR).
Aérea do Governo de
Portugal
As despesas com diárias
(US$ 7.290,00) e
01
passagens (R$
59 209/I 29/mai 02/jun 5 Noruega Oslo Brazil e NorShipping OfGen DPC DPC E-1 DPC 0,00 0,00
8.000,00), serão
01 OfSup
cobertas com recursos
da DPC.

17
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
European Quality As despesas com diárias (US$
01
Shipping 4,050,00) e passagens (R$
60 210/I JUN JUN 1 UK Londres OfGen DPC DPC E-1 DPC 0,00 0,00
Information System 8.000,00), serão cobertas com
01 OfSup recursos da DPC.
(EQUASIS)
Workshop
Performance As despesas com diárias e
Oak CTM passagens serão cobertas pelo
61 211/I 11/jun 17/jun 7 EUA Testing of Nuclear 01 OfInt CTMSP F-10 CTMSP 0,00 0,00 World Institute for Nuclear
Ridge SP
Security Security (WINS).
Arrangements

18
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO EXTERIOR (PCNGE) PARA 2017
(Portaria nº 203/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO LOCAL ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE
CUSTOS
Nº Nº DUR.
ORD. EVT. (DIAS)
TÍTULO OMV CONHE OMOT Obs
CIMENT DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM PAÍS CIDADE NR E O
OM (R$) (R$)
POSTO
A hospedagem e as passagens
Assembleia Geral serão fornecidas pelo
Monte da Organização organizador do evento. As
62 212/I 24/abr 28/abr 5 Mônaco 01 Praça DHN DPC K-4 DHN 0,00 0,00 despesas com diárias pela metade
Carlo Hidrográfica
Internacional (OHI) serão cobertas com recursos da
EMGEPRON.
Naval Academy
155/ Annapoli
63 11/abr 13/abr 3 EUA Foreign Affairs 01 Asp EN EN G-2 DEnsM 1.925,00 4.000,00
A s
Conference

19
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO PAÍS (PCNGP) PARA 2017
(Portaria nº 204/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE CUSTOS
Nº Nº DUR.
LOCAL TÍTULO OMV CONH OMOT Obs
ORD. EVT. (DIAS
ECIM DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM NR E
OM ENTO (R$) (R$)
POSTO
João Congresso Internacional de 01 OfSup CGCF
4 103/A 18/mai 20/mai 3 CGCFN P-3 DPMM 1.735,00 1.600,00
Pessoa, PB Direito Constitucional 01 OfSub N

Foz do Congresso Brasileiro de CCIMA CCIM CCIMA


5 78/A 20/mar 23/mar 4 01 SO B-2 895,00 600,00
Iguaçu, PR Pregoeiros R AR R

20
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO PAÍS (PCNGP) PARA 2017
(Portaria nº 204/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE CUSTOS
Nº Nº DUR.
LOCAL TÍTULO OMV CONH OMOT Obs
ORD. EVT. (DIAS
ECIM DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM NR E
OM ENTO (R$) (R$)
POSTO
Caso seja utilizada
aeronave da FAB, o custo
VE C-EMOS 66 OfSup das passagens aéreas não
Brasília,
6 34/A 11/set 14/set 4 BRASÍLIA 01 OfSub EGN EGN T-16 EGN 60.260,00 40.800,00 será computado. O
DF
Grupo 1 01 Praça transporte em Brasília será
realizado em ônibus
(aluguel R$ 4.000,00).
Caso seja utilizada
aeronave da FAB, o custo
VE C-EMOS 65 OfSup das passagens aéreas não
Brasília,
7 35/A 08/mai 11/mai 4 BRASÍLIA 01 OfSub EGN EGN T-16 EGN 62.670,00 40.800,00 será computado. O
DF
Grupo 2 01 Praça transporte em Brasília será
realizado em ônibus
(aluguel R$ 4.000,00).

21
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA ARMADA


AUTORIZOU A SEGUINTE ALTERAÇÃO NO PROGRAMA DE CONCLAVES NÃO-GOVERNAMENTAIS NO PAÍS (PCNGP) PARA 2017
(Portaria nº 204/2016, do EMA)

A – ALTERAÇÃO C – CANCELAMENTO I – INCLUSÃO R - REATIVAÇÃO

PROPOSTA DE
PERÍODO ÁREA
REPRESENTAÇÃO DE CUSTOS
Nº Nº DUR.
LOCAL TÍTULO OMV CONH OMOT Obs
ORD. EVT. (DIAS
ECIM DIÁRIAS PASSAG
INÍCIO FIM NR E
OM ENTO (R$) (R$)
POSTO
Caso não seja
utilizada aeronave da
66 OfSup
São Paulo, VE C-EMOS SÃO FAB, o transporte
8 36/A 08/mai 11/mai 4 01 OfSub EGN EGN T-16 EGN 63.610,00 0,00
SP PAULO será realizado em
01 Praça
ônibus (aluguel R$
9.000,00)
As despesas com
diárias serão cobertas
65 OfSup
São Paulo, VE C-EMOS SÃO com recursos
9 123/I 18/set 21/set 4 01 OfSub EGN EGN T-16 EGN 59.375,00 0,00
SP PAULO oriundos das
01 Praça
alterações nos Evts
34/A, 35/A E 36/A.

22
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA-GERAL DO PESSOAL DA MARINHA

PORTARIA Nº 24 /DGPM, DE 9 DE MARÇO DE 2017

Delega e Subdelega competência a titulares de Organizações Militares (OM)


subordinadas e a Oficiais de Gabinete da Diretoria-Geral do Pessoal da Marinha (DGPM) para
baixar atos administrativos inerentes às atividades que especifica.

O DIRETOR-GERAL DO PESSOAL DA MARINHA, no uso das atribuições


regulamentares e em conformidade com a delegação de competência prevista no §1º, do art. 2º, da
Port nº 180/MB/2001, o disposto no art. 1º, inciso VI, da Port nº 237/MB/2016 e o contido no art.
4º, da Port nº 258/MB/2012, resolve:

Art. 1º Delegar e subdelegar competência aos titulares de OM subordinadas, ao


Chefe do Gabinete, aos Assessores-Chefes e ao Chefe do Departamento de Administração da
DGPM, na forma do contido nos anexos, como a seguir mencionado:
I - Ao Diretor de Ensino da Marinha - Anexo A;
II - Ao Diretor do Pessoal Militar da Marinha - Anexo B;
III - Ao Diretor de Saúde da Marinha - Anexo C;
IV - Ao Diretor do Pessoal Civil da Marinha - Anexo D;
V - Ao Diretor de Assistência Social da Marinha - Anexo E;
VI - Ao Comandante do Centro de Instrução Almirante Alexandrino, ao
Comandante do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk, ao Diretor do Hospital Naval Marcílio
Dias, ao Comandante da Escola Naval, ao Diretor do Centro Médico Assistencial da Marinha, ao
Diretor do Serviço de Assistência Social da Marinha, ao Diretor do Centro de Perícias Médicas da
Marinha, ao Diretor do Centro de Medicina Operativa da Marinha, ao Comandante do Colégio
Naval, ao Diretor do Hospital Central da Marinha, ao Diretor da Casa do Marinheiro, ao Diretor da
Odontoclínica Central da Marinha, ao Diretor do Serviço de Identificação da Marinha, ao Diretor da
Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória, ao Diretor da Unidade Integrada de Saúde Mental, ao
Diretor do Serviço de Seleção do Pessoal da Marinha, ao Diretor do Laboratório Farmacêutico da
Marinha, ao Diretor do Serviço de Inativos e Pensionistas da Marinha, ao Diretor do Sanatório
Naval de Nova Friburgo, ao Diretor da Policlínica Naval de Niterói, e ao Diretor da Policlínica
Naval de Campo Grande - Anexo F; e
VII - Ao Chefe do Gabinete, aos Assessores-Chefes e ao Chefe do Departamento de
Administração da DGPM - Anexo G.

Art. 2º Os titulares de OM, de acordo com delegação outorgada pelo Comandante da


Marinha, expressa no art. 3º, do Anexo F, da Portaria nº 237/MB/2016, tem competência para:
I - Aprovar os regimentos internos de suas OM;
II - Conceder as gratificações, adicionais, indenizações e outras vantagens
pecuniárias legalmente asseguradas aos militares e servidores civis de suas OM, com exceção das
parcelas de pagamento sob responsabilidade dos informantes qualificados previstos no Sistema de
Pagamento da Marinha, e efetuar descontos em folha de pagamento; e
III - Conceder horário especial aos servidores civis, de suas OM, estudantes.
Parágrafo único - Os titulares das Diretorias Especializadas Subordinadas tem, ainda,
competência para aprovar o Plano Piloto (PP) e alterações de PP de OM de sua cadeia de Comando.

Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

23
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 4º Revogam-se as Portarias nº 145 e 157/2009, nº 87 e 109/2010, nº 121/2011, nº


101 e 120/2012 e nº 40/2013, todas desta Diretoria-Geral.

ANEXO A
SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO DIRETOR DE ENSINO DA MARINHA

Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor de Ensino da Marinha para:


I - Aprovar os regulamentos das Organizações Militares (OM) subordinadas;
II - Estabelecer Normas sobre a concessão de prêmios escolares, exceto os que se referem aos
cursos da Escola de Guerra Naval e os do âmbito do Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros
Navais;
III - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da OM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma de legislação em vigor naquela data.
IV - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
V - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) afastamento do militar dessa OM, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares;
b) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo nessa
Diretoria e nas OM subordinadas, cujo titular não seja almirante, bem como sua exoneração; e
c) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo
classificada como de excepcional interesse para a Marinha do Brasil, nessa Diretoria e nas OM
subordinadas, bem como sua exoneração.
VI - Autorizar os estabelecimentos de ensino da Marinha a contratarem profissionais, de
reconhecida capacidade, para realização de cursos, programas de pesquisas, ciclos de conferência,
palestras, seminários e outras atividades correlatas, de duração limitada;
VII - Aprovar o Programa de Estágios, Cursos Extraordinários e de Funções Técnicas Avançadas
no País, com duração inferior a dezesseis semanas, custeados pelo Plano de Metas ÍNDIA;
VIII - Concessão de férias atrasadas no âmbito da cadeia de Comando;
IX - Aprovar as Organizações de Combate e Organizações Administrativas das OM subordinadas;
X - Assinar, em nome do Comandante da Marinha, os acordos e atos, inclusive seus documentos
decorrentes, obedecidas as disposições legais em vigor, as diretrizes e instruções específicas que
regulem sua elaboração, relacionados a contratos cujo valor total exija Concorrência ou Pregão, no
mesmo valor exigido para Concorrência - mesmo quando esta for dispensada, dispensável ou
inexigível - bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso, de qualquer valor;

24
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

XI - Emitir a autorização para a cessão de uso de que trata o art. 20, parágrafo único, da Lei nº
9.636, de 15 de maio de 1998, os incisos I a V do art. 12 do Decreto nº 3.725, de 10 de janeiro de
2001, e o art. 1º da Port Normativa nº 1.233/MD, de 11 de maio de 2012, a qual se restringe às
hipóteses de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União sujeitos à
administração do Ministério da Defesa e dos Comandos das Forças Singulares; e
XII - Despachar os requerimentos de militares dirigidos ao Diretor-Geral do Pessoal da Marinha no
que concerne a Concessão ou Alteração do Adicional de Habilitação.

ANEXO B
SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO DIRETOR DO PESSOAL MILITAR DA
MARINHA
Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor do Pessoal Militar da Marinha para:
I - Aprovar os regulamentos das Organizações Militares (OM) subordinadas;
II - Estabelecer Normas sobre os seguintes assuntos:
a) ingresso, compromisso de tempo, permanência e exclusão do Serviço Ativo da Marinha;
b) declaração de dependentes e beneficiários dos militares da Marinha do Brasil (MB);
c) apresentação de declaração de bens no âmbito da Marinha;
d) seleção e indicação para cursos;
e) emissão de Certificados de Permanência no Exterior;
f) Carta Patente, Medalha Militar, Caderneta-Registro, Controle da Reserva da Marinha e do
pessoal militar reformado e exercício de apresentação da reserva;
g) organização e confecção de Boletins do Setor do Pessoal;
h) elaboração e divulgação da Lista de Cargos e Endereços dos Almirantes (LCEA); e
i) proposta de concessão da Medalha de Distinção a militares e servidores civis da Marinha.
III - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da OM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma da legislação em vigor naquela data.
IV - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
V - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) transferência para a reserva remunerada de oficiais superiores, intermediários e subalternos, e
praças;
b) demissão a pedido e por sentença passada em julgado de oficiais intermediários e subalternos;
c) agregação e reversão de oficiais superiores, intermediários e subalternos, e praças, observando-se
o previsto no § 3º, do art. 98, da Lei nº 6.880/80;
d) enquadramento remuneratório de Oficiais-Generais transferidos para a reserva remunerada e
reformados;
e) exclusão do Serviço Ativo da Marinha (SAM) de Oficiais Superiores, Intermediários e
Subalternos, por motivo de falecimento e extravio;

25
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

f) exclusão do SAM de Praças do CPA/CAP, por motivo de anulação de incorporação,


desincorporação, licenciamento a pedido ou “ex-officio”, deserção, falecimento e extravio;
g) reinclusão no SAM de Oficiais Superiores, Intermediários e Subalternos, e Praças, observadas as
diretrizes do Comandante da Marinha;
h) autorização para casamento de militares com pessoas estrangeiras; i) designação e dispensa de
oficiais, até o posto de Capitão de Mar e Guerra, e praças, RM1, para o Serviço Ativo, observadas
as diretrizes do Comandante da Marinha;
j) concessão de permissão para a obtenção do Certificado da Marinha Mercante;
k) fixação das quotas para concessão de licença especial a Oficiais e Praças;
l) imposição de pena disciplinar de licenciamento do SAM, a bem da disciplina, aos militares do
CPA/CAP;
m) apostilamento e expedição de cartas patentes e cópias autênticas ou certidões de cartas patentes a
Oficiais;
n) apostilamento de decretos e portarias de militares de carreira, sempre que ocorrerem inexatidões
decorrentes de lapsos manifestos e desde que a correção não afete a substância do ato;
o) assinatura, apostilamento e expedição de todas as provisões;
p) assinatura dos diplomas de Medalha Militar;
q) assinatura das cartas patentes de Oficiais Superiores, Intermediários e Subalternos;
r) afastamento do militar da OM, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares;
s) nomeação, no posto de Segundo-Tenente da Reserva Não-Remunerada - 2ºTen (RM2), dos
Guardas-Marinha oriundos dos Núcleos de Formação de Oficiais para a Reserva da Marinha;
t) promoção das medidas necessárias para o cumprimento do direito à remuneração do pessoal
militar transferido para a inatividade;
u) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo no
âmbito da cadeia de comando, nas OM diretamente subordinadas ao Comandante da Marinha e nos
órgãos e organizações militares extra-Marinha, bem como sua exoneração;
v) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo
classificada como de excepcional interesse para a MB, no âmbito da cadeia de comando, nas OM
diretamente subordinadas ao Comandante da Marinha e nos órgãos e organizações militares extra-
Marinha, bem como sua exoneração; e
w) reforma de Oficiais Superiores, Intermediários e Subalternos e Praças, da ativa;
x) selecionar os oficiais não pertencentes ao Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) para servir nas OM
subordinadas ou vinculadas ao Comandante da Marinha (Setor GCM) e órgãos extra-Marinha,
controlados pela Diretoria do Pessoal Militar da Marinha (DPMM), exceto para servir no Gabinete
do Comandante da Marinha (GCM), na Casa Militar da Presidência da República (CMPR), no
Superior Tribunal Militar (STM), e para os seguintes cargos no Ministério da Defesa (MD):
Assessor do Secretário-Geral; Ajudante de Ordens do Ministro de Estado da Defesa; Ajudante de
Ordens do Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA);
y) conceder Medalhas Militares de Ouro (30 anos), Prata (20 anos) e Bronze (10 anos), com
respectivos passadores;
z) requalificação para a especialidade de AD, por incapacidade definitiva de militar para exercer sua
especialidade/aperfeiçoamento; e
aa) demissão de oficiais do SAM, a pedido ou ex officio, por motivo de terem passado a exercer
cargo público permanente estranho à carreira, conforme previsto na Seção IV do Capítulo II do
Título IV do Estatuto dos Militares, e a consequente inclusão na Reserva não Remunerada da
Marinha.
VI - Baixar os seguintes atos relativos aos anistiados políticos pertencentes à Marinha:
a) incluir ou transferir para o regime do anistiado político de que trata a Lei nº 10.559, de 13 de
novembro de 2002, os ex-militares e militares inativos declarados por imposição de Portaria do
Ministro da Justiça; e

26
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

b) reintegrar e transferir para reserva remunerada ou reformar os ex-militares na situação de praças,


declarados anistiados políticos por força de decisão judicial.
VII - Despachar, em última instância, na esfera administrativa da Marinha, os requerimentos de
militares inativos, ex-militares e reservistas, dirigidos ao Comandante da Marinha, no que concerne
a pedidos de:
a) promoção;
b) revisão de processos de exclusão do serviço ativo;
c) revisão de cômputo de tempo de serviço;
d) alteração do Adicional de Habilitação; e
e) retorno ao SAM, exceto quando se tratar de Oficial-General.
VIII - Julgar recurso em última instância, e proferir a decisão final nos processos oriundos dos
conselhos de disciplina e expedir os atos necessários à efetivação da reforma "exofficio" ou a
exclusão a bem da disciplina;
IX - Julgar, em última instância, na esfera administrativa da Marinha, os recursos de praças,
relativos a:
a) perda ou restrição do seu direito ao acesso na carreira; e
b) reposicionamento em escala hierárquica.
X - Concessão de férias atrasadas no âmbito da cadeia de Comando;
XI - Assinar, em nome do Comandante da Marinha, os acordos e atos, inclusive seus documentos
decorrentes, obedecidas as disposições legais em vigor, as diretrizes e instruções específicas que
regulem sua elaboração, relacionados a contratos cujo valor total exija Concorrência ou Pregão, no
mesmo valor exigido para Concorrência - mesmo quando esta for dispensada, dispensável ou
inexigível - bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso, de qualquer valor;
XII - Expedir os Títulos Declaratórios de Proventos na Inatividade relativos ao pessoal militar
inativo da Marinha; e
XIII - Cumprir as atribuições de Órgão de Competência Legal em conformidade com o disposto na
SGM-302 (5ª Revisão), Volume I, cabendo:
a) orientar e controlar a atividade homologatória de habilitação visando à correta aplicação da
legislação referente aos direitos e deveres do pessoal que recebe remuneração pela MB;
b) supervisionar e normatizar as atividades homologatórias de habilitação que dão origem à
remuneração ou desconto, a serem codificadas pelo Órgão de Direção Administrativa, no SISPAG,
por intermédio de parcelas; e
c) expedir normas referentes a pessoal, nos casos não previstos na legislação vigente, que
impliquem remuneração ou desconto, a serem codificadas no SISPAG por intermédio de parcelas.
XIV - Emitir a autorização para a cessão de uso de que trata o art. 20, parágrafo único, da Lei nº
9.636, de 15 de maio de 1998, os incisos I a V do art. 12 do Decreto nº 3.725, de 10 de janeiro de
2001, e o art. 1º da Port Normativa nº 1.233/MD, de 11 de maio de 2012, a qual se restringe às
hipóteses de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União sujeitos à
administração do Ministério da Defesa e dos Comandos das Forças Singulares.

Art. 2º As alíneas a a m, o a r, t, e x a y do inciso V, e os incisos de VII a IX do art.


1º, não se aplicam aos militares Fuzileiros Navais.

27
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Anexo C
SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO DIRETOR DE SAÚDE DA MARINHA

Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor de Saúde da Marinha para:


I - Aprovar os regulamentos das Organizações Militares (OM) subordinadas;
II - Conceder, em caráter final, aos servidores civis dessa OM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma de legislação em vigor naquela data.
III - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
IV - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) afastamento do militar da OM, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares;
b) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo nessa
Diretoria e nas OM subordinadas, cujo titular não seja almirante, bem como sua exoneração; e
c) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo
classificada como de excepcional interesse para a Marinha do Brasil, nessa Diretoria e nas OM
subordinadas, bem como sua exoneração.
V - Fixar o número de vagas para admissão, por concurso, ao programa especial de bolsa de estudo,
sob a forma de internato, para acadêmicos de medicina do sexto ano;
VI - Concessão de férias atrasadas no âmbito da cadeia de Comando;
VII - Assinar, em nome do Comandante da Marinha, os acordos e atos, inclusive seus documentos
decorrentes, obedecidas as disposições legais em vigor, as diretrizes e instruções específicas que
regulem sua elaboração, relacionados a contratos cujo valor total exija Concorrência ou Pregão, no
mesmo valor exigido para Concorrência - mesmo quando esta for dispensada, dispensável ou
inexigível - bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso, de qualquer valor;
VIII - Emitir a autorização para a cessão de uso de que trata o art. 20,
parágrafo único, da Lei nº 9.636, de 15 de maio de 1998, os incisos I a V do art. 12 do Decreto nº
3.725, de 10 de janeiro de 2001, e o art. 1º da Port Normativa nº 1.233/MD, de 11 de maio de 2012,
a qual se restringe às hipóteses de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União
sujeitos à administração do Ministério da Defesa e dos Comandos das Forças Singulares.

28
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ANEXO D

SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO DIRETOR DO PESSOAL CIVIL DA


MARINHA

Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor do Pessoal Civil da Marinha para:


I - Estabelecer Normas sobre o Planejamento, Lotação, Capacitação e Controle do Pessoal Civil da
Marinha do Brasil;
II - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da OM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma da legislação em vigor naquela data.
III - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da Marinha as seguintes licenças:
a) por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro;
b) para atividade política;
c) para tratar de interesses particulares; e
d) para desempenho de mandato classista.
IV - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
V - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da Marinha:
a) distribuição de servidores pelos setores de distribuição de pessoal;
b) concessão, alteração e revisão de aposentadoria dos servidores civis integrantes do quadro
permanente da Marinha;
c) autorização para remoções de servidores civis da Marinha;
d) provimento e vacância de cargos efetivos dos respectivos quadros de pessoal, inclusive a
realização de concurso público, salvo os casos previstos em lei;
e) designação e dispensa de Funções Comissionadas Técnicas, de Funções Gratificadas e de
Gratificações Temporárias das Unidades dos Sistemas Estruturados da Administração Pública
Federal (GSISTE);
f) reversão de servidor;
g) contratação, por tempo determinado, para atender a necessidade temporária de excepcional
interesse público, inclusive a realização de processo seletivo, quando autorizada na forma da
legislação em vigor;
h) habilitação, alteração e revisão de pensões civis de beneficiários de integrantes do quadro
permanente da Marinha; e
i) nomeação e exoneração de cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores,
níveis 1 a 4, exceto os do Gabinete do Comandante da Marinha.
VI - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) afastamento do militar da OM, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares;

29
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

b) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo nessa
Diretoria, bem como sua exoneração; e
c) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo
classificada como de excepcional interesse para a MB, nessa Diretoria, bem como sua exoneração.
VII - Concessão de férias atrasadas;
VIII - Assinar, em nome do Comandante da Marinha, os acordos e atos, inclusive seus documentos
decorrentes, obedecidas as disposições legais em vigor, as diretrizes e instruções específicas que
regulem sua elaboração, relacionados a contratos cujo valor total exija Concorrência ou Pregão, no
mesmo valor exigido para Concorrência - mesmo quando esta for dispensada, dispensável ou
inexigível - bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso, de qualquer valor;
e
IX - Emitir a autorização para a cessão de uso de que trata o art. 20,
parágrafo único, da Lei nº 9.636, de 15 de maio de 1998, os incisos I a V do art. 12 do Decreto nº
3.725, de 10 de janeiro de 2001, e o art. 1º da Port Normativa nº 1.233/MD, de 11 de maio de 2012,
a qual se restringe às hipóteses de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União
sujeitos à administração do Ministério da Defesa e dos Comandos das Forças Singulares.

ANEXO E

SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO DIRETOR DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA


MARINHA

Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor de Assistência Social da Marinha para:


I - Aprovar os regulamentos das Organizações Militares (OM) subordinadas;
II - Estabelecer Normas sobre Assistência Integrada;
III - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da OM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma de legislação em vigor naquela data.
IV - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis da OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
V - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) afastamento do militar dessa OM, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares;
b) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo nessa
Diretoria e nas OM subordinadas, bem como sua exoneração; e
c) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo
classificada como de excepcional interesse para a Marinha do Brasil, nessa Diretoria e nas OM
subordinadas, bem como sua exoneração.
VI - Concessão de férias atrasadas no âmbito da cadeia de Comando; e

30
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

VII - Assinar, em nome do Comandante da Marinha, os acordos e atos, inclusive seus documentos
decorrentes, obedecidas as disposições legais em vigor, as diretrizes e instruções específicas que
regulem sua elaboração, relacionados a contratos cujo valor total exija Concorrência ou Pregão, no
mesmo valor exigido para Concorrência – mesmo quando esta for dispensada, dispensável ou
inexigível - bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso, de qualquer valor;
e
VIII - Emitir a autorização para a cessão de uso de que trata o art. 20, parágrafo único, da Lei nº
9.636, de 15 de maio de 1998, os incisos I a V do art. 12 do Decreto nº 3.725, de 10 de janeiro de
2001, e o art. 1º da Port Normativa nº 1.233/MD, de 11 de maio de 2012, a qual se restringe às
hipóteses de cessão de uso para atividade de apoio dos bens imóveis da União sujeitos à
administração do Ministério da Defesa e dos Comandos das Forças Singulares.

ANEXO F
SUBDELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AOS COMANDANTES E DIRETORES DE OM
Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante do Centro de Instrução Almirante
Alexandrino, ao Comandante do Centro de Instrução Almirante Wandenkolk, ao Diretor do
Hospital Naval Marcílio Dias, ao Comandante da Escola Naval, ao Diretor do Centro Médico
Assistencial da Marinha, ao Diretor do Serviço de Assistência Social da Marinha, ao Diretor do
Centro de Perícias Médicas da Marinha, ao Diretor do Centro de Medicina Operativa da Marinha,
ao Comandante do Colégio Naval, ao Diretor do Hospital Central da Marinha, ao Diretor da Casa
do Marinheiro, ao Diretor da Odontoclínica Central da Marinha, ao Diretor do Serviço de
Identificação da Marinha, ao Diretor da Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória, ao Diretor da
Unidade Integrada de Saúde Mental, ao Diretor do Serviço de Seleção do Pessoal da Marinha, ao
Diretor do Laboratório Farmacêutico da Marinha, ao Diretor do Serviço de Inativos e Pensionistas
da Marinha, ao Diretor do Sanatório Naval de Nova Friburgo, ao Diretor da Policlínica Naval de
Niterói e ao Diretor da Policlínica Naval de Campo Grande para:
I - Conceder, em caráter final, aos servidores civis de suas Organizações Militares (OM), as
seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma de legislação em vigor naquela data.
II - Baixar os seguintes atos relativos a servidores civis de suas OM:
a) designação e dispensa de substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente, na sua esfera de
atuação;
b) interrupção de férias de servidor por necessidade do serviço, na sua esfera de atuação; e
c) afastamento de servidor subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares.
III - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar:
a) afastamento do militar subordinado, no âmbito nacional, para participação em conferências,
congressos, cursos, treinamentos e eventos similares; e
b) designação de militares e prorrogação de prazo para prestação de tarefa por tempo certo, nas OM
cujo titular seja almirante, bem como sua exoneração.

31
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 2º Subdelegar competência especificamente ao Diretor do Serviço de Inativos e


Pensionistas da Marinha para:
I - Baixar os seguintes atos relativos ao pessoal militar, exceto os do CFN:
a) reforma de Oficiais Superiores, Intermediários e Subalternos e Praças, inativos;
b) pensão a beneficiários de Oficiais e Praças dos CPA/CAP/CPFN;
c) melhoria ou retificação de proventos, na inatividade, quando o ato inicial não tiver sido regulado
por decreto;
d) concessão de auxílio invalidez, exceto para Oficiais-Generais;
e) alteração da situação de inatividade de Oficiais e Praças, exceto de Oficiais-Generais;
f) apostilamento dos Títulos Declaratórios de Proventos na Inatividade; e
g) apostilamento de decretos e portarias de militares inativos sempre que ocorrerem inexatidões
decorrentes de lapsos manifestos e desde que a correção não afete a substância do ato.
II - Encaminhar, receber, certificar ou anular os Termos de Adesão, relativos aos anistiados
políticos pertencentes à Marinha, de que trata a Lei nº 11.354, de 19 de outubro de 2008, em
conformidade com a Portaria Normativa nº 1.235, de 21 de setembro de 2006, do Ministério da
Defesa; e
III - Despachar, em primeira instância, os requerimentos de militares inativos - exceto inativos do
CFN, ex-combatentes, pensionistas e anistiados políticos e seus dependentes, dirigidos ao
Comandante da Marinha, no que concerne a pedidos de:
a) promoção;
b) revisão de processos de exclusão do serviço ativo;
c) revisão do cômputo de tempo de serviço;
d) alteração do adicional de habilitação; e
e) retorno ao SAM, exceto quando se tratar de Oficial-General.

Art. 3º As alíneas a, c e d do inciso I, do art. 2º, não se aplicam aos militares


Fuzileiros Navais.

ANEXO G
DELEGAÇÃO DE COMPETÊNCIA AO CHEFE DO GABINETE, AOS
ASSESSORESCHEFES
E AO CHEFE DO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DA DGPM

Art. 1º Delegar competência ao Chefe do Gabinete da Diretoria-Geral do Pessoal da


Marinha (DGPM) para:
I - Assinar, “Por ordem”, na forma estabelecida pelas normas em vigor, os documentos a seguir
mencionados, excluídos aqueles que sejam endereçados a organização presidida por Almirante de
Esquadra:
a) Ofícios, Despachos e Mensagens de rotina, definidos como tal, para efeito do disposto nesta
alínea, os que:
1. solicitam ou transmitam providências, esclarecimentos, informações, documentos ou material;
2. comuniquem fatos ou decisões, com características de coisas comuns, previstos na legislação ou
nos procedimentos vigentes e que não envolvam juízos novos de competência superior; e
3. restituam expedientes ou requerimentos para conhecimento, arquivamento ou correção.
b) Circulares que distribuam, revisem ou cancelem documentos ou publicações;
c) Certificados de credencial de segurança, cartões provisórios de identidade e cartões de
credenciamento de dependentes do pessoal da DGPM;
d) Contratos e Cartas-Contrato relativos à gestão administrativa, necessária ao funcionamento e à
manutenção da DGPM;

32
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

e) Ordens de Serviço de assunção/passagem de função do pessoal que serve na DGPM, exceto


desembarque de Oficiais;
f) processos de declarações de beneficiários e dependentes de militares da DGPM e titulares de OM
diretamente subordinadas;
g) Atestados, Certidões e Despachos (decisões) referentes:
1. ao pessoal lotado na DGPM;
2. a fatos relacionados com a missão da Organização Militar;
3. às atribuições de seus elementos organizacionais;
4. ao teor de documentos administrativos; e
5. requerimentos de rotina, oriundos de militares e servidores civis da DGPM.
h) Cartas ou telegramas endereçados ao público externo, que contenham esclarecimentos,
informações, encaminhamentos e solicitações relativas a militares e servidores civis, a ex-militares
e militares inativos, exceto Oficiais-Generais, a seus dependentes e pensionistas;
i) Despachos (decisões) em requerimentos ou recursos de militares ativos ou inativos, exceto
Oficiais-Generais, de ex-militares e de reservistas, excluídos aqueles cuja assinatura seja de
competência exclusiva do DGPM ou cuja assinatura haja sido delegada a Comandantes/Diretores de
OM subordinadas;
j) Recibos em quaisquer atos de comunicação processual ou administrativa oriundos dos diversos
órgãos do Poder Judiciário, do Ministério Público ou da Advocacia-Geral da União;
k) Despachos em requerimentos de Praças e servidores civis assemelhados sobre inspeções de saúde
e abertura de Inquérito Sanitário de Origem;
l) Laudos de Vistoria, Avaliação e Destinação (LVAD), de acordo com a alínea k, do inciso 3.5.7,
da SGM-303 (4ª Revisão);
m) Editais de Ciência de Eliminação de Documentos e Termos de:
Solicitação de Autorização para Eliminação de Documentos; Eliminação de Documentos; e
Transferência/Recolhimento de Documentos, de acordo com o Capítulo 6, da SGM-105 (4ª
Revisão); e
n) Ordens Internas que estabeleçam normas e procedimentos no âmbito da DGPM.
II - Conceder, em caráter final, aos servidores civis da DGPM, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade;
g) por acidente em serviço ou doença profissional; e
h) prêmio por assiduidade, para os servidores que adquiriram o direito até 15 de outubro de 1996,
na forma de legislação em vigor até aquela data.
III - Conceder as gratificações, adicionais, indenizações e outras vantagens pecuniárias legalmente
asseguradas aos militares e servidores civis da DGPM, com exceção das parcelas de pagamento sob
responsabilidade dos informantes qualificados previstos no Sistema de Pagamento da Marinha, e
efetuar descontos em folha de pagamento;
IV - Determinar a interrupção de férias de militares e servidores civis desta OM, por necessidade de
serviço; e
V - Designar e dispensar substitutos eventuais e responsáveis pelo expediente desta OM; e
VI - Presidir o Conselho de Gestão da DGPM, em consonância com o preconizado no inciso 12.2.1,
da SGM-107 (6ª Revisão).

33
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 2º Delegar competência aos Assessores-Chefes e ao Chefe do Departamento de


Administração da DGPM para assinar “por ordem” e autorizar os seguintes documentos:
I – Ofícios, Despachos, Correspondências Eletrônicas, Cartas e Mensagens de rotina, definidos
como tal, para efeito do disposto neste inciso, os que:
a) solicitam ou transmitam providências, esclarecimentos, informações, documentos ou material;
b) comuniquem fatos ou decisões, com características de coisas comuns, previstos na legislação ou
nos procedimentos vigentes e que não envolvam juízo de valor; e
c) restituam expedientes ou requerimentos para conhecimento, arquivamento ou correção.
II - Atestados e Certidões referentes:
a) ao pessoal lotado na DGPM;
b) a fatos relacionados com a missão da Organização Militar;
c) às atribuições de seus elementos organizacionais; e
d) ao teor de documentos administrativos;
III – Cartas ou telegramas endereçados ao público externo, que contenham esclarecimentos,
informações, encaminhamentos e solicitações relativas a militares e servidores civis, a ex-militares
e militares inativos, exceto Oficiais-Generais, a seus dependentes e pensionistas.
Parágrafo único - Serão definidos em Ordem Interna os assuntos de atribuiçãode cada
Assessoria/Departamento, de acordo com o previsto no Regulamento e no Regimento Interno da
DGPM.

34
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

SECRETARIA-GERAL DA MARINHA

PORTARIA Nº 2/SGM, DE 13 DE MARÇO DE 2017

Aprova o distintivo da “Diretoria Industrial da Marinha”.

O SECRETÁRIO-GERAL DA MARINHA, no uso das atribuições que lhe confere


o inciso IV, Art. 1º, do Anexo G, da Port nº 237/MB/2016 (DOU de 04AGO2016, Seção 1, p/14 e
Bol 8/2016, I, p/9), resolve:

Art. 1º Aprovar o distintivo da Diretoria Industrial da Marinha. A descrição, a


explicação e o desenho a esta acompanham.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

35
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

36
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DESCRIÇÃO
Num escudo boleado, encimado pela Coroa Naval e envolto por uma elipse feita de um cabo de
ouro e terminado em nó direito, campo de azul uma âncora de ouro em pala, tendo brocante sobre
ela uma esfera armilar de ouro e filetada de preto, envolta por roda dentada de ouro também filetada
de preto e em contrabanda. No contrachefe, faixado-ondado de prata e de azul de quatro peças.

EXPLICAÇÃO
No campo de azul esmalte clássico da Marinha, o faixado-ondado de prata e azul evoca o mar por
onde navegam os navios da Armada brasileira, a esfera armilar, utilizada como representação do
universo, alude ao distintivo do Corpo de Engenheiros da Marinha, a roda dentada as atividades
industriais e a âncora à vigilância ao tráfego marítimo.

37
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA DE ABASTECIMENTO DA MARINHA

PORTARIA Nº 21/DAbM, DE 20 DE MARÇO DE 2017

Subdelegar Oficial para assinatura de termo, perante o Departamento da Marinha


Mercante do Ministério dos Transportes.

O DIRETOR DE ABASTECIMENTO DA MARINHA, no uso de suas


atribuições, de acordo com os itens I do art. 58 e II do art. 60 do Regimento Interno, e conforme
preconizado no inciso 13.2.2 das Normas para Execução do Abastecimento (SGM-201 - 6ª
Revisão), resolve:

Art. 1º Subdelegar competência ao Diretor do Centro de Distribuição e Operações


Aduaneiras da Marinha para assinar termo, perante ao Departamento da Marinha Mercante do
Ministério dos Transportes, declarando, nos casos assim enquadrados, que o material importado
para a Marinha do Brasil (MB) destina-se, exclusivamente, para fins militares e é de interesse para a
Segurança Nacional.
parágrafo único – Esta declaração tem como objeto específico isentar a MB do
pagamento do “Adicional ao Frete para a Renovação da Marinha Mercante (AFRMM)”, no termo
da alínea d do item IV, do art. 14 da Lei nº 10.893/2004.

Art. 2º Revoga-se a Portaria nº 28, de 29 de novembro de 1995.

38
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA Nº 24/DAbM, DE 23 DE MARÇO DE 2017

Designar Oficial para efetuar a classificação de material de uso sigiloso e de uso não
sigiloso no SISCOMEX.

O DIRETOR DE ABASTECIMENTO DA MARINHA, no uso de suas


atribuições, de acordo com os itens I do art. 58 e II do art. 60 do Regimento Interno, e conforme
preconizado no inciso 13.2.2 das Normas para Execução do Abastecimento (SGM-201 - 6ª
Revisão), resolve:

Art. 1º Designar o Diretor do Centro de Distribuição e Operações Aduaneiras da


Marinha para proceder à classificação do material de uso sigiloso e o de uso não sigiloso no Sistema
Integrado de Comércio Exterior – SISCOMEX, mediante autorização prévia do Diretor de
Abastecimento da Marinha, em conformidade com o estabelecido no art. 4º da Instrução Normativa
nº 74/1997, da Secretaria da Receita Federal (SRF).
parágrafo único – Perante a SRF, todo o processamento no SISCOMEX é efetuado
vinculado ao CNPJ daquele Centro.

Art. 2º Revoga-se a Portaria nº 29, de 7 de julho de 1998.

39
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMANDO EM CHEFE DA ESQUADRA

PORTARIA Nº 28/ComemCh, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2017

Subdelega competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro.

O COMANDANTE EM CHEFE DA ESQUADRA, no uso de suas atribuições e


de acordo com o que preceitua o art. 2º, inciso II e § 1º da Portaria nº 180/MB/2001, alterada pelas
Portarias nº 236/MB/2002, nº 258/MB/2003, nº 111/MB/2004, nº 258/MB/2012, nº 159/MB/2013 e
nº 626/MB/2014, resolve:
Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro
para, em nome do Comandante da Marinha, assinar contrato com a empresa SOTREQ S/A, inscrita
no CNPJ nº 34.151.100/0001-30, referente ao processo nº 63105.003195/2016-67, Termo de
Justificativa de Inexigibilidade de Licitação, nº 05/2016, cujo objeto é a prestação de serviços
técnicos de Manutenção preventiva e corretiva de 2.000 horas de 3 motores CARTERPILLAR,
modelo C18, pertencentes ao NpqHO “Vital de Oliveira”, de acordo com as especificações técnicas
definidas pelo fabricante, incluindo todos os demais serviços e ferramentas que, mesmo não
descritos, sejam necessários para a execução dos serviços especificados, bem como quanto a
apresentação de relatório final.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data

40
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA Nº 34/ComemCh, DE 06 DE MARÇO DE 2017

Subdelega competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro.

O COMANDANTE EM CHEFE DA ESQUADRA, no uso de suas atribuições e


de acordo com o que preceitua o art. 2º, inciso II e § 1º da Portaria nº 180/MB/2001, alterada pelas
Portarias nº 236/MB/2002, nº 258/MB/2003, nº 111/MB/2004, nº 258/MB/2012, nº 159/MB/2013 e
nº 626/MB/2014, resolve:

Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante da Base Naval do Rio de Janeiro


para, em nome do Comandante da Marinha, assinar contrato com a empresa ABB TURBO
SYSTEMS LTDA, inscrita no CNPJ nº 61.074.829/0003-95, referente ao processo nº
63105.0003304/2016-46, Termo de Justificativa de Inexigibilidade de Licitação, nº 04/2016, cujo
objeto é a prestação de serviços técnicos de inspeção e manutenção corretiva, com fornecimento de
peças, em turboalimentadores das bancadas “alfa” e “bravo” do Motor de Combustão Principal de
bombordo do Navio Patrulha Oceânico “Amazonas”, de modelo TPL65-A30, de fabricação ABB
LTDA., bem como a caracterização da necessidade e a definição dos demais aspectos e meios
necessários à sua contratação e execução.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

41
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA No 36/ComemCh, DE 10 DE MARÇO DE 2017

Aprova a Tabela de Classificação das OM subordinadas quanto à classificação de


rancho.

O COMANDANTE EM CHEFE DA ESQUADRA, no uso das atribuições que lhe


confere o inciso 1.5.2 da SGM-305 – Normas sobre Municiamento (2a Revisão), resolve:

Art. 1o Aprovar a seguinte Tabela de Classificação das OM subordinadas quanto à organização de


rancho:

42
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

43
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 2o Os submarinos, quando atracados em portos fora da sede (Rio de Janeiro,


serão classificados como OM sem rancho e sem apoio, observados os limites previstos nas alíneas
b, c, e d do inciso 22.2.1, da Norma SGM-302, Volume II (5a Revisão), para a tripulação
licenciada.
Art. 3o As EDCG Tambaú, Guarapari, Camboriú e Marambaia, subordinadas ao
ComEsqdAp-1, o AvPaCoAlteHess, subordinado ao ComForS, e a EIM Reitor, subordinada ao
CIAMA, quando em viagens sem apoio móvel de outra OM ou navegando escoteiros, serão
classificadas como OM sem rancho e sem apoio, observados os limites previstos nas alíneas b, c, e
d do inciso 22.2.1, da Norma SGM-302, Volume II (5a Revisão), para a tripulação.

Art. 4o Esta Portaria entra em vigor na presente data, com efeitos retroativos a 1º e
janeiro de 2017.
Art. 5o Revoga-se a Portaria no 40/2016, de 3 de março de 2016.

44
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS

PORTARIA No 56/DPC, 09 DE MARÇO DE 2017

Renova o credenciamento da empresa Maersk Training Brasil Treinamentos


Marítimos LTDA (Maersk Training) para ministrar curso do Ensino Profissional Marítimo (EPM).

O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso das atribuições que lhe são


conferidas pela Portaria no 156/MB, de 3 de junho de 2004, do Comandante da Marinha e de
acordo com o contido no Art. 8o, da Lei no 7.573, de 23 de dezembro de 1986, combinado com os
artigos 1.6, 1.12 e 1.13 das Normas da Autoridade Marítima para o Ensino Profissional Marítimo
para Aquaviários (NORMAM-30), resolve:

Art. 1º Credenciar a empresa Maersk Training Brasil Treinamentos Marítimos


LTDA, CNPJ 14.425.876/0001-94, no município do Rio de Janeiro/RJ, para ministrar o Curso
Especial MARPOL/73-78 - Anexo I (EPOL-I), qualquer que seja a natureza do curso, se do
Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários (PREPOM-Aquaviários), se curso
Extra-PREPOM, ou se curso não custeado pelo Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional
Marítimo (Extra-FDEPM).
Parágrafo Único - A execução desse curso dar-se-á sob a supervisão do Centro de Instrução
“Almirante GRAÇA ARANHA” (CIAGA), na qualidade de Órgão de Execução (OE) vinculado.

Art. 2º A realização de qualquer curso dependerá de expressa autorização da


Diretoria de Portos e Costas (DPC), por solicitação do OE vinculado.

Art. 3º Deverão ser observadas pela Maersk Training as demais recomendações e


prescrições da NORMAM-30, em particular, a celebração de Acordo Administrativo com o OE
vinculado, ressaltando que, em nenhuma hipótese, os cursos oferecidos podem ensejar indenização
por parte de alunos, independentemente da condição em que forem realizados: PREPOM, Extra-
PREPOM ou Extra-FDEPM.
Parágrafo Único - Ao término de cada curso autorizado, a Maersk Training deverá
enviar ao OE vinculado a relação dos alunos aprovados, com o respectivo aproveitamento, a fim de
possibilitar a emissão da Ordem de Serviço e dos Certificados correspondentes.

Art. 4º Obriga-se a Maersk Training a cumprir todas as disposições afetas ao EPM,


independentemente de suas normas internas, sendo-lhe vedada negar cumprimento às mesmas ao
fundamento de conflito com estas últimas, incorrendo, no caso da inobservância deste artigo, nas
penalidades previstas nas normas do EPM. De igual modo, é vedado opor cláusula de
confidencialidade à DPC no que concerne aos cursos do EPM, quaisquer que sejam os
fundamentos.
Parágrafo Único - O descumprimento de quaisquer normas ou determinação
emanada da DPC sujeitará a Maersk Training à pena de advertência, observado o devido processo
legal. Três advertências, no período em que vigorar a Portaria, resultarão no descredenciamento da
Maersk Training.

Art. 5º O presente credenciamento é válido pelo período de dois anos, a partir da data
de publicação do Acordo Administrativo no DOU, podendo ser renovado por igual período,
devendo o Acordo com o OE ser firmado no prazo máximo de trinta dias a contar da publicação
desta Portaria.

Art. 6º Esta Portaria entra em vigor a partir da data de sua publicação em DOU.

45
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA No 63 /DPC, 20 DE MARÇO DE 2017

Credencia a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR) para ministrar cursos do Ensino


Profissional Marítimo (EPM).

O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso das atribuições que lhe são


conferidas pela Portaria no 156/MB, de 3 de junho de 2004, do Comandante da Marinha e de
acordo com o contido no Artigo 8o, da Lei no 7.573, de 23 de dezembro de 1986, combinado com
os artigos 1.6, 1.12 e 1.13 das Normas da Autoridade Marítima para o Ensino Profissional Marítimo
de Aquaviários (NORMAM-30), resolve:

Art. 1º Credenciar a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR), CNPJ


33.798.026/0001-86, no município do Rio de Janeiro/RJ, para ministrar os cursos do EPM, a seguir
relacionados, qualquer que seja a natureza dos cursos, se do Programa do Ensino Profissional
Marítimo para Aquaviários (PREPOM-Aquaviários), se curso Extra-PREPOM, ou se curso não
custeado pelo Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo (Extra-FDEPM):
Curso de Aperfeiçoamento para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos
- Seção de Máquinas (APAQ-I M);
Curso de Aperfeiçoamento para 2º Oficial de Náutica (APNT);
Curso de Aperfeiçoamento para 2º Oficial de Máquinas (APMA);
Curso de Atualização e Adaptação de Náutica para Oficiais (ATNO);
Curso de Atualização de Oficiais de Máquinas (ATOM);
Curso de Atualização de Práticos (ATPR);
Curso Especial Básico de Automação (CEBA);
Curso Especial Avançado de Posicionamento Dinâmico (EAPD);
Curso Especial Básico de Posicionamento Dinâmico (EBPD);
Curso Especial de Operações com Cargas Perigosas no Trabalho Aquaviário
(EOCA);
Curso Especial de Cuidados Médicos (ESCM);
Curso Especial Básico de Navio Tanque para Gás Liquefeito (EBGL);
Curso Especial de Acesso a 2º Oficial de Máquinas (ACOM-B);
Curso Especial de Acesso a 2º Oficial de Náutica (ACON-B);
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos -
Seção Convés (CAAQ-I C);
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos -
Seção Máquinas (CAAQ-I ME);
Curso de Adaptação a 2º Oficial de Máquinas (ASOM); e
Curso de Adaptação a 2º Oficial de Náutica (ASON).

Parágrafo Único - A execução desse curso dar-se-á sob a supervisão do Centro de


Instrução “Almirante GRAÇA ARANHA” (CIAGA), na qualidade de Órgão de Execução (OE)
vinculado.

Art. 2º A realização de qualquer curso dependerá de expressa autorização da


Diretoria de Portos e Costas (DPC), por solicitação do OE vinculado.

46
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 3º Deverão ser observadas pela FEMAR as demais recomendações e prescrições


da NORMAM-30, em particular, a celebração de acordo administrativo com o OE vinculado,
ressaltando que, em nenhuma hipótese, os cursos oferecidos podem ensejar indenização por parte de
alunos, independentemente da condição em que forem realizados: PREPOM, Extra-PREPOM ou
Extra-FDEPM.
Parágrafo Único - Ao término de cada curso autorizado, a FEMAR deverá enviar ao
OE vinculado a relação dos alunos aprovados, com o respectivo aproveitamento, a fim de
possibilitar a emissão da Ordem de Serviço e dos Certificados correspondentes.

Art. 4º Obriga-se a FEMAR a cumprir todas as disposições afetas ao EPM,


independentemente de suas normas internas, sendo-lhe vedado negar cumprimento às mesmas ao
fundamento de conflito com estas últimas, incorrendo, no caso da inobservância deste artigo, nas
penalidades previstas nas normas do EPM. De igual modo, é vedado opor cláusula de
confidencialidade à DPC no que concerne aos cursos do EPM, quaisquer que sejam os
fundamentos.
Parágrafo Único - O descumprimento de quaisquer normas ou determinação
emanada da DPC sujeitará a FEMAR à pena de advertência, observado o devido processo legal.
Três advertências, no período em que vigorar a Portaria, resultarão no descredenciamento da
FEMAR.

Art. 5º O presente credenciamento é válido pelo período de dois anos, a partir da data
de publicação do Acordo Administrativo no DOU, podendo ser renovado por igual período,
devendo o Acordo com o OE ser firmado no prazo máximo de trinta dias a contar da publicação
desta Portaria.

Art. 6º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação em DOU.

47
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA No 65/DPC, 21 DE MARÇO DE 2017

Renova o credenciamento da Empresa Saveiros Camuyrano Serviços Marítimos S/A


para ministrar curso do Ensino Profissional Marítimo (EPM).

O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso das atribuições que lhe são


conferidas pela Portaria no 156/MB, de 3 de junho de 2004, do Comandante da Marinha e de
acordo com o contido no Art. 8o, da Lei no 7.573, de 23 de dezembro de 1986, combinado com os
artigos 1.6, 1.12 e 1.13 das Normas da Autoridade Marítima para o Ensino Profissional Marítimo
para Aquaviários (NORMAM-30), resolve:

Art. 1º Renovar o credenciamento da Empresa Saveiros Camuyrano Serviços


Marítimos S/A, CNPJ 33.112.152/0019-64, no município do Guarujá/SP, para ministrar o Curso
Especial Básico de Conscientização sobre Proteção de Navio (EBCP), do EPM, qualquer que seja a
natureza do curso, se do Programa do Ensino Profissional Marítimo para Aquaviários (PREPOM-
Aquaviários), se curso Extra-PREPOM, ou se curso não custeado pelo Fundo de Desenvolvimento
do Ensino Profissional Marítimo (Extra-FDEPM):
Parágrafo Único - A execução desse curso dar-se-á sob a supervisão da Capitania dos Portos de São
Paulo (CPSP), na qualidade de Órgão de Execução (OE) vinculado.

Art. 2º A realização de qualquer curso dependerá de expressa autorização da


Diretoria de Portos e Costas (DPC), por solicitação do OE vinculado.

Art. 3º Deverão ser observadas pela Saveiros Camuyrano Serviços Marítimos S/A as
demais recomendações e prescrições da NORMAM-30, em particular, a celebração de Acordo
Administrativo com o OE vinculado, ressaltando que, em nenhuma hipótese, os cursos oferecidos
podem ensejar indenização por parte de alunos, independentemente da condição em que forem
realizados: PREPOM, Extra-PREPOM ou Extra-FDEPM.
Parágrafo Único - Ao término de cada curso autorizado, a Saveiros Camuyrano
Serviços Marítimos S/A deverá enviar ao OE vinculado a relação dos alunos aprovados, com o
respectivo aproveitamento, a fim de possibilitar a emissão da Ordem de Serviço e dos Certificados
correspondentes.

Art. 4º Obriga-se a Saveiros Camuyrano Serviços Marítimos S/A a cumprir todas as


disposições afetas ao EPM, independentemente de suas normas internas, sendo-lhe vedada negar
cumprimento às mesmas ao fundamento de conflito com estas últimas, incorrendo, no caso da
inobservância deste artigo, nas penalidades previstas nas normas do EPM. De igual modo, é vedado
opor cláusula de confidencialidade à DPC no que concerne aos cursos do EPM, quaisquer que
sejam os fundamentos.
Parágrafo Único - O descumprimento de quaisquer normas ou determinação
emanada da DPC sujeitará a Saveiros Camuyrano Serviços Marítimos S/A à pena de advertência,
observado o devido processo legal. Três advertências, no período em que vigorar a Portaria,
resultarão no descredenciamento da Saveiros Camuyrano Serviços Marítimos S/A.

Art. 5º O presente credenciamento é válido pelo período de dois anos, a partir da data
de publicação do Acordo Administrativo no DOU, podendo ser renovado por igual período,
devendo o Acordo com o OE ser firmado no prazo máximo de trinta dias a contar da publicação
desta Portaria.

Art. 6º Esta Portaria entra em vigor a partir da data de sua publicação em DOU.

48
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA No 66/DPC, 20 DE MARÇO DE 2017

Credencia a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR) para ministrar cursos do Ensino


Profissional Marítimo (EPM).

O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso das atribuições que lhe são


conferidas pela Portaria no 156/MB, de 3 de junho de 2004, do Comandante da Marinha e de
acordo com o contido no Artigo 8o, da Lei no 7.573, de 23 de dezembro de 1986, combinado com
os artigos 1.6, 1.12 e 1.13 das Normas da Autoridade Marítima para o Ensino Profissional Marítimo
de Aquaviários (NORMAM-30), resolve:

Art. 1º Credenciar a Fundação de Estudos do Mar (FEMAR), CNPJ


33.798.026/0001-86, no município de Belém/PA, para ministrar os cursos do EPM, a seguir
relacionados, qualquer que seja a natureza dos cursos, se do Programa do Ensino Profissional
Marítimo para Aquaviários (PREPOM-Aquaviários), se curso Extra-PREPOM, ou se curso não
custeado pelo Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo (Extra-FDEPM):
Curso Especial de Acesso a 2º Oficial de Máquinas - Complementar (ACOM-C);
Curso Especial de Acesso a 2º Oficial de Náutica - Complementar (ACON-C);
Curso de Aperfeiçoamento para Aquaviários - Módulo Específico para Marítimos
- Seção de Máquinas (APAQ-I M);
Curso de Aperfeiçoamento para Aquaviários - Módulo Específico para Fluviários -
Seção de Máquinas (APAQ-II M);
Curso de Aperfeiçoamento para 2º Oficial de Máquinas (APMA);
Curso de Aperfeiçoamento para 2º Oficial de Náutica (APNT);
Curso de Adaptação a 2º Oficial de Máquinas (ASOM);
Curso de Adaptação a 2º Oficial de Náutica (ASON);
Curso de Atualização e Adaptação de Náutica para Oficiais (ATNO);
Curso de Atualização de Práticos (ATPR);
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Fluviários - Seção
Convés (CAAQ-II C);
Curso de Adaptação para Aquaviários - Módulo Específico para Fluviários - Seção
Máquinas (CAAQ-II M);
Curso de Formação de Aquaviários Marinheiro Fluvial de Convés Nível 3
(CFAQ-II C N3);
Curso Especial de Acesso para Capitão Fluvial (EACF);
Curso Especial de Operador ARPA (EARP);
Curso Especial Básico de Conscientização sobre Proteção de Navio (EBCP);
Curso Especial Básico de Navio Tanque para Gás Liquefeito (EBGL);
Curso Especial Básico de Navio Tanque Petroleiro e para Produtos Químicos
(EBPQ);
Curso Especial Avançado de Combate a Incêndio (ECIA);
Curso Especial de Familiarização em Balsas Transportadoras de Petróleo, seus
Derivados e Etanol (EFBP);
Curso Especial de Gerenciamento de Passadiço para Oficiais (EGPO);
Curso Especial de Navegação Eletrônica para Mestres de Cabotagem e
Contramestres (ENET);
Curso Especial para Oficial de Proteção do Navio (EOPN);

49
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Curso Especial para Operador ECDIS (EPOE);


Curso Especial Prático de Operados Radar (EPOR);
Curso Especial de Radioperador Geral (EROG);
Curso Especial de Radioperador Restrito (EROR); e
Curso Especial de Cuidados Médicos (ESCM).

Parágrafo Único - A execução desse curso dar-se-á sob a supervisão do Centro de


Instrução “Almirante BRAZ DE AGUIAR” (CIABA), na qualidade de Órgão de Execução (OE)
vinculado.

Art. 2º A realização de qualquer curso dependerá de expressa autorização da


Diretoria de Portos e Costas (DPC), por solicitação do OE vinculado.

Art. 3º Deverão ser observadas pela FEMAR as demais recomendações e prescrições


da NORMAM-30, em particular, a celebração de acordo administrativo com o OE vinculado,
ressaltando que, em nenhuma hipótese, os cursos oferecidos podem ensejar indenização por parte de
alunos, independentemente da condição em que forem realizados: PREPOM, Extra-PREPOM ou
Extra-FDEPM.
Parágrafo Único - Ao término de cada curso autorizado, a FEMAR deverá enviar ao
OE vinculado a relação dos alunos aprovados, com o respectivo aproveitamento, a fim de
possibilitar a emissão da Ordem de Serviço e dos Certificados correspondentes.

Art. 4º Obriga-se a FEMAR a cumprir todas as disposições afetas ao EPM,


independentemente de suas normas internas, sendo-lhe vedado negar cumprimento às mesmas ao
fundamento de conflito com estas últimas, incorrendo, no caso da inobservância deste artigo, nas
penalidades previstas nas normas do EPM. De igual modo, é vedado opor cláusula de
confidencialidade à DPC no que concerne aos cursos do EPM, quaisquer que sejam os
fundamentos.
Parágrafo Único - O descumprimento de quaisquer normas ou determinação
emanada da DPC sujeitará a FEMAR à pena de advertência, observado o devido processo legal.
Três advertências, no período em que vigorar a Portaria, resultarão no descredenciamento da
FEMAR.

Art. 5º O presente credenciamento é válido pelo período de dois anos, a partir da data
de publicação do Acordo Administrativo no DOU, podendo ser renovado por igual período,
devendo o Acordo com o OE ser firmado no prazo máximo de trinta dias a contar da publicação
desta Portaria.

Art. 6º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação em DOU.

50
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMANDO DO 5º DISTRITO NAVAL

PORTARIA Nº 123/Com5ºDN, DE 17 DE MARÇO DE 2017

Subdelega competência ao Diretor do Centro de Intendência da Marinha em Rio


Grande.

O COMANDANTE DO 5º DISTRITO NAVAL, no uso das atribuições que lhe


são conferidas pelo art. 2º, § 1º, da Portaria nº 180/MB, de 16 de julho de 2001, e pelo art. 4º, II da
Portaria nº 490/Com5ºDN, de 21 de novembro de 2012, resolve:

Art. 1º Subdelegar ao Diretor do Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande, a


competência que lhe é atribuída de acordo com o contido no art. 2º, § 1º, da Portaria nº 180/MB, de
16 de julho de 2001, para assinar, em nome do Comando da Marinha, o Contrato de Cessão de Uso
e documentos decorrentes, sob o nº 85810/2016-001/00, de parte de imóvel da União descrito no
objeto contratual, que fizeram entre si a União, por intermédio do Centro de Intendência da Marinha
em Rio Grande e o Banco Santander (BRASIL) S/A, com objetivo de implantação de um Posto de
Atendimento Bancário (PAB).

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data, tendo seus efeitos retroativos a
31 de março de 2016.

51
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

PORTARIA Nº 125/Com5ºDN, DE 20 DE MARÇO DE 2017

Delega e subdelega competência aos Oficiais lotados no Com5ºDN e aos Titulares de


OM subordinadas.

O COMANDANTE DO 5º DISTRITO NAVAL, no uso das atribuições que lhe


são conferidas pelos art. 11 e 12 do Decreto-Lei nº 200/1967, regulamentado pelo Decreto
nº83.937/1979, e de acordo com o estabelecido nos § 1º e § 2º do art. 3º e art. 6º do Anexo B da
Portaria nº 237/MB, de 03AGO2016, concomitantemente com a Portaria nº 122/ComOpNav, de
29NOV2016, resolve:

Art. 1º Delegar competência aos Oficiais lotados no Com5ºDN, de acordo com o


anexo que a esta acompanha.

Art. 2º Manter privativa a assinatura de Portarias e documentos que:


I - forem dirigidos aos superiores da cadeia de Comando, membros do Almirantado,
Governadores de Estado, Presidentes de Assembleia Legislativa, Presidentes de Tribunal de Justiça,
Comandante Militar do Sul, Comandantes da 3ª Região Militar, 5ª Região Militar e Ala 3, Prefeitos
e Secretários de Estado;
II - concedam direitos, vantagens ou permissões de uso, não rotineiros;
III - contiverem texto de lavra própria;
IV - comuniquem punições disciplinares de Oficiais;
V - aprovem ALTEPA de competência do Relator Adjunto;
VI - sejam inerentes à administração do Pessoal Civil e que não possam ter
delegação;
VII - sejam redigidos em termos imperativos ou que exprimam ordem ou
determinação dirigida a Titular de OM subordinada; e
VIII - no impedimento do Comandante, os documentos citados serão assinados pelo
Chefe do Estado-Maior deste Comando e, no impedimento deste, pelo CMG mais antigo do Corpo
da Armada pertencente à cadeia de Comando.

Art. 3º Subdelegar competência aos Titulares de OM subordinadas, conforme a


seguir mencionado:
§ 1º aos Comandantes/Diretores das OM diretamente subordinadas:
I - assinar os termos de entrega dos imóveis sob jurisdição da Marinha junto à
Secretaria do Patrimônio da União (SPU), após a autorização do Comandante da Marinha; e
II - conceder, em caráter final, nas OM onde lotam Servidores Civis, no âmbito da
cadeia de comando, as seguintes licenças:
a) para tratamento de saúde;
b) por motivo de doença em pessoa da família;
c) para o serviço militar;
d) para capacitação;
e) à gestante e à adotante;
f) paternidade; e
g) por acidente em serviço ou doença profissional.
§ 2º ao Oficial Superior, da ativa, mais antigo das OM do Estado de Santa Catarina
para autorizar honras fúnebres a militares na inatividade.
§ 3º ao Comandante da EAMSC para efetuar o Licenciamento do Serviço Ativo da
Marinha (LSAM) das Praças Especiais que estejam realizando Curso de Formação.
§ 4º ao Comandante do ComGptPatNavS:

52
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

I - executar atividades de inspeção naval, empregando os meios navais subordinados,


quando em patrulha;
II - promover a fiscalização do desenvolvimento de atividades de pesquisas e
investigações científicas, realizadas na plataforma continental e em águas sob jurisdição deste
Comando, em cooperação com as Capitanias dos Portos, conforme o disposto no Decreto nº 96.000,
de 02MAI1988; e
III - designar a Comissão de Inspeção e Assessoria de Adestramento (CIAsA) para os
navios subordinados, de acordo com a ComOpNav-300 (RES).
§ 5º ao Capitão dos Portos de Santa Catarina e ao Comandante da ENRG:
I - exercer as atividades de OM coordenadora e OM alienante de viaturas
administrativas, para as OM subordinadas localizadas nos respectivos Estados de atuação.
II - para o disposto, a ENRG é a OM coordenadora e alienante das viaturas
administrativas da CPRS.
§ 6º aos Capitães dos Portos, Delegados e Agente das Capitanias, Delegacias e
Agência:
I - coordenar as atividades das Administrações dos Portos nas áreas sob sua
jurisdição, no que concerne à Autoridade Marítima (Lei nº 8.630, de 25FEV1993);
II - promover a execução da inspeção naval;
III - determinar a emissão e aprovar parecer relativo à cessão de uso de espaços
físicos de corpos d’água de domínio da União para fins de aquicultura, no que concerne à segurança
do tráfego aquaviário (Decreto nº 4.895, de 25NOV2003);
IV - promover a fiscalização do desenvolvimento de atividades de pesquisas e
investigações científicas realizadas na plataforma continental e em águas sob jurisdição deste
Comando (Decreto nº 96.000, de 02MAI1988);
V - promover a fiscalização da visita aos portos brasileiros ou do trânsito de navios
de pesquisa estrangeiros em águas sob jurisdição deste Comando (Lei nº 7.542, de 26SET1986);
VI - adotar as medidas administrativas previstas na Lei de Segurança do Tráfego
Aquaviário (LESTA);
VII - instaurar procedimentos administrativos, lavrar Autos de Infração e aplicar as
penalidades previstas na LESTA;
VIII - ordenar ou providenciar a demolição de obra ou benfeitoria e a recomposição
do local, quando realizadas em desacordo com as normas estabelecidas pela Autoridade Marítima
(Lei nº 7.542, de 26SET1986);
IX - determinar a obtenção dos dados e informações e a apuração das
responsabilidades sobre os incidentes com embarcações, plataformas ou suas instalações de apoio
que tenham provocado danos ambientais;
X - promover a fiscalização das embarcações, plataformas ou suas instalações de
apoio, e as cargas embarcadas, de natureza nociva ou perigosa, e a autuação e aplicação das sanções
aos infratores, nas situações previstas na Lei nº 9.605, de 12FEV1998 (Lei de Crimes Ambientais),
e na Lei nº 9.966, de 28ABR2000 (Lei do Óleo), para a Autoridade Marítima;
XI - efetuar gestões junto às administrações dos portos para assegurar ou garantir aos
navios da MB a prioridade para atracação no porto (Lei nº 8.630, de 25FEV1993);
XII - determinar a emissão e aprovar o parecer da MB relativo à consulta para o
aforamento de terrenos de Marinha localizados em suas áreas de jurisdição (Decreto-Lei nº 2.490,
de 16AGO1940 e Decreto-Lei nº 3.438, de 17JUL1941);
XIII - designar os Agentes da Autoridade Marítima competentes para lavrar Autos de
Infração previstos na LESTA, Lei de Crimes Ambientais e Lei do Óleo, sendo vedada a
subdelegação; e
XIV - Designar, por Portaria, os Inspetores Navais de acordo com o art. 0104 da
NORMAM-07.

53
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

§ 5º ao Encarregado do SSN-5: designar a Comissão de Inspeção e Assessoria de


Adestramento (CIAsA) para os navios subordinados, de acordo com a ComOpNav-300 (RES).
§ 6º ao Diretor do CeIMRG:
I - exercer a função de Autoridade Requisitante de Transporte de Bagagem e
Automóvel, em conformidade com o art. 23 do Decreto nº 4.307, de 18JUL2002; e
II - assinar, em nome do Comando do 5o Distrito Naval, contrato para fornecimento
de passagens aos militares da MB, na sua área de jurisdição, quando em viagens a serviço, por
requisição, na qualidade de autoridade requisitante.

Art. 4º A celebração dos seguintes procedimentos, por sua natureza específica, terão
subdelegação analisada e concedida caso a caso:
I - convênios de natureza financeira sujeita à prévia autorização do Comandante da
Marinha;
II - contratos e documentos decorrentes cujos valores exijam Concorrência ou
Pregão, no mesmo valor exigido para a Concorrência, mesmo quando esta for dispensada,
dispensável ou inexigível, bem como Contratos de Concessão de Uso e de Direito Real de Uso que
estarão sujeitos à prévia autorização do Comandante de Operações Navais; e
III - contratos e documentos decorrentes cujos valores totais estejam limitados à
modalidade de licitação Tomada de Preços ou Pregão, no mesmo valor exigido para a Tomada de
Preços; convênios, excetuando-se os de natureza financeira; e Contratos de Cessão de Uso, Atos
Administrativos e documentos decorrentes que estarão sujeitos à prévia autorização do Comandante
do 5º Distrito Naval.

Art. 5º Não haverá subdelegação de competência para:


I - supervisionar as atividades dos Agentes da Autoridade Marítima subordinados;
II - delegar aos municípios a fiscalização do tráfego de embarcações que ponham em
risco a integridade física de qualquer pessoa nas áreas adjacentes às praias, quer sejam marítimas,
fluviais ou lacustres (Lei nº 9.537, de 11DEZ1997 - LESTA);
III - autorizar a exploração, remoção ou demolição, no todo ou em parte, de coisas ou
bens afundados, submersos, encalhados e perdidos em águas sob jurisdição nacional, em terrenos de
Marinha e seus acrescidos e em terrenos marginais, em decorrência de sinistro, alijamento ou
fortuna do mar que não tenham passado ao domínio da União (Lei nº 7.542, de 26SET1986);
IV - coordenar, controlar e fiscalizar as operações e atividades de pesquisa,
exploração, remoção e demolição de coisas ou bens afundados, submersos, encalhados e perdidos
em águas sob jurisdição deste Comando, em terrenos de Marinha e seus acrescidos e em terrenos
marginais, em decorrência de sinistro, alijamento ou fortuna do mar (Lei nº 7.542 de 26SET1986);
V - exercer a administração patrimonial, fiscalizar, controlar, conceder autorização
para demolições e reconstruções nos imóveis pertencentes ao Patrimônio Imobiliário da Marinha,
respeitadas as atribuições dos Titulares das OM; e
VI - estabelecer a rotina a ser observada em dias festivos estaduais ou municipais.

Art. 6º Fica vedada a assinatura “No impedimento” nos seguintes casos:


I - Autorização para movimentação de Oficiais no âmbito do Com5ºDN;
II - Autorização para movimentação de Praças, servindo no Gabinete do Com5ºDN;
III - Autorização para remoção de Servidor Civil no âmbito do Com5ºDN;
IV - Documentos Administrativos envolvendo decisões sobre desmembramento,
reversão, destinação, venda, permuta e incorporação de tombos ou demolição de benfeitorias da
área de jurisdição do Com5ºDN;
V - Requerimentos a autoridades militares que devam conter, obrigatoriamente, juízo
de valor;

54
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

VI - Ofícios que envolvam juízo de valor em resposta à solicitação dos Órgãos do


Ministério Público e do Poder Judiciário;
VII - Planos de Operação, Cartas de Instrução, Memorandos e ativação/desativação
de Planos de Operação;
VIII - Ordens de Serviço referentes à concessão, substituição e segunda via de Porte
de Arma de Fogo Particular (PAFP) para Oficiais Inativos;
IX - Despachos em requerimentos referentes à solicitação de PAFP para Praças da
Ativa e Inativos;
X - Ordens de Serviço referentes à concessão, substituição e segunda via de PAFP
para Praças da Ativa e Inativos;
XI - Ordens de Serviço referentes à concessão, renovação e cancelamento de Porte
de Arma de Fogo Institucional (PAFI);
XII - Ordens de Serviço referentes à Concessão e Cessação de Credenciamento de
Segurança (CREDSEG) para os Comandantes/Diretores das OM diretamente subordinadas;
XIII - Plano de Inteligência do Com5ºDN;
XIV - Plano de Segurança Orgânica (PSO) do Com5ºDN; e
XV - Documentos de Inteligência sigilosos.

Art. 7º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

Art. 8° Revogam-se as Portarias n° 490, de 21 de dezembro de 2012, 211, de 6 de


maio de 2013 e 103, de 10 de março de 2015.

ANEXO
Delegação de competência aos Oficiais lotados no Com5ºDN
1 - Delego competência aos Oficiais lotados no Com5ºDN para cumprirem o
estabelecido no art. 3.16 da SGM-105, conforme a seguir:
1.1 - Ao Chefe do Estado-Maior (CEM), competência para assinar:
a) os seguintes documentos:
I) Documentos administrativos de rotina que não contenham juízos de valor,
decisões, ordens ou determinações endereçadas a autoridades, civis ou militares, de qualquer nível
hierárquico até Vice-Almirante;
II) Documentos administrativos endereçados a autoridades que exerçam cargos ou
funções com precedência até Contra-Almirante, contendo juízo de valor, decisões, ordens ou
determinações, desde que haja anuência do Com5ºDN. Neste caso, os textos deverão ser iniciados
pela frase: “Incumbiu-me o Comandante do 5º Distrito Naval”;
III) Documentos administrativos às OM da área de jurisdição do Com5ºDN
relativos à composição do Conselho de Justiça das Auditorias da 3ª e da 5ª Circunscrição Judiciária
Militar;
IV) Folha de Preferência de Comissão para Oficiais (FPCO) servindo no âmbito do
Com5ºDN;
V) Expediente de rotina ao Comando da 3ª e da 5ª Região Militar e à Ala 3, desde
que endereçado aos respectivos Chefes de Estado-Maior;
VI) Férias atrasadas ao pessoal do Com5ºDN;
VII) Folha “N”;
VIII) Mapa de Controle/Concessão de Porte de Arma de Fogo Institucional
(MCPAFI);
IX) Termo de Transferência de Arma;
X) Ofício solicitando à DSAM a concessão de Certificado de Registro de Arma de
Fogo (CRAF);

55
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

XI) Ofício relativo à aquisição de armas de fogo e munições de uso restrito e


permitido, na fábrica e no comércio, pelos Oficiais da Ativa, Reserva Remunerada e Reformados;
XII) Documentos de encaminhamento de requerimentos já despachados sobre
inspeção de saúde em grau de recurso;
XIII) Designação de Juntas Regulares de Saúde (JRS), Junta Superior Distrital
(JSD) e Junta para compor equipe do Grupo de Avaliação e Acompanhamento de Pacientes
Especiais (GAAPE);
XIV) Relatório de Informações atinente à proposta de contratação ou prorrogação
de militares da Reserva Remunerada e Reformados, indicados para prestação de Tarefa por Tempo
Certo (TTC), no Com5ºDN, nas Seções e Assessorias subordinadas;
XV) Mensagens que tenham como origem as Seções do Estado-Maior, obedecido
ao disposto no art. 3.16 da SGM-105;
XVI) Despachos em requerimentos referentes ao Licenciamento do Serviço Ativo
da Marinha, a pedido, de Praças RM2;
XVII) Despachos em requerimentos de movimentações de militares RM2, a pedido
e por interesse do serviço, na área de jurisdição do Com5ºDN;
XVIII) Autorização para aquisição de munição para armas de fogo de uso restrito e
permitido, no comércio, para Oficiais da Ativa, Reserva Remunerada e Reformados;
XIX) Despacho em requerimentos referentes à aquisição, registro, doação,
transferência de armas de uso permitido para Oficiais da Ativa, Reserva Remunerada e Reformados,
respeitada a hierarquia e de acordo com o estabelecido nas Normas em vigor;
XX) Expedientes referentes ao registro, transferência e doação de armas de fogo de
uso restrito e permitido, pelos Oficiais da Ativa, Reserva Remunerada e Reformados;
XXI) Expedientes aos órgãos do Exército Brasileiro que tratem sobre matrículas de
dependentes de militares da MB nos Colégios Militares e de solicitações de estande de tiro para
adestramento das OM Subordinadas;
XXII) Notas para o BONO Sede;
XXIII) Documentos de rotina que não contenham juízo de valor, decisões ou
determinações, endereçados às autoridades Civis;
XXIV) Despachos em requerimentos encaminhados por Oficiais servindo no
âmbito do Com5ºDN, respeitada a hierarquia, exceto os relativos a recursos à Comissão de
Promoções de Oficiais (CPO) e às movimentações;
XXV) Despachos em requerimentos encaminhados por Praças servindo no âmbito
do Com5ºDN, excetuando-se os recursos à Comissão de Promoções de Praças (CPP) e às
movimentações que gerem custos para a MB;
XXVI) Requerimentos de rotina encaminhados para órgãos extra-Marinha;
XXVII) Mapa de Proposta de Comissão e Missão no Exterior, após ratificação do
Titular da OM;
XXVIII) Autorização para honras fúnebres a militares na inatividade;
XXIX) Expedientes referentes ao envio de dados coletados para o recadastramento
de arma de fogo;
XXX) Expedientes relativos ao envio do processo de aplicação de provas do Curso
Superior (C-Sup) e processo de aplicação de provas do Curso de Estado-Maior para Oficiais
Superiores (C-EMOS);
XXXI) Endosso de relatórios preliminares de incidentes/acidentes aeronáuticos;
XXXII) Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (PPAA);
XXXIII) Relatório Semestral de Segurança da Aviação (RSSA); e
XXIV) Relatórios de Vistoria de Segurança da Aviação (VSA).

56
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

b) Ofícios sobre:
I) Encaminhamento de Programa de Movimentação Prevista e Exercícios (PMPE);
II) Pedidos de aforamento, encaminhados pelas Agências, Delegacias e Capitanias
dos Portos subordinadas, nos casos em que não houver implicação quanto à navegação, aos
interesses navais e à defesa nacional;
III) Conhecimento ou prestação de informações para subsidiar a defesa nas ações
contra a União;
IV) Cumprimento de decisão judicial ou participando tal providência;
V) Assuntos de caráter técnico, com ou sem o envio de relatório para as Diretorias
Especializadas; e
VI) Prosseguimento a expedientes de naturezas jurídicas diversas, sem juízo de
valor.
c) Portarias sobre:
I) Autorização de Licença Especial de Seis Meses (LESM), Licença para
Tratamento de Saúde Própria (LTSP), Licença para Tratamento de Saúde de Pessoa da Família
(LTSPF), Licença à Gestante (LG), Licença para Tratar de Interesse Particular (LTIP), Licença à
Adotante (LA) e relativas ao Pessoal Militar;
II) Designação de Comissões de Seleção; e
III) Serviço Militar Voluntário e Serviço Militar Inicial, relativas às Praças, exceto
licenciamento a bem da disciplina;
IV) Designação de Oficial de Ligação; e
V) Designação de Comissão Fiscalizadora e Grupo de Apoio de Saúde para
Concursos.
d) Ordens de Serviço sobre Passagem e Assunção de Função no âmbito do Estado-
Maior, Assessorias, SPI e CLTI.

e) Avaliar os Oficiais que servem no Estado-Maior, Assessorias, SPI e CLTI,


encaminhando as Avaliação de Oficiais para ratificação do Comandante do 5ºDN.

1.2 - Ao Chefe Geral dos Serviços (CGS), competência para:


a) Atuar como Ordenador de Despesas;

b) Controlar e cautelar a documentação de cursos por correspondência de Oficiais,


Praças e Servidores Civis; e

c) Premiar e punir as Praças e Servidores Civis, observadas as disposições contidas


no Regulamento Disciplinar para a Marinha (RDM) e na Lei nº 8.112/1990.

d) Assinar:
I) Acordos Administrativos;
II) Transferências de Responsabilidade Administrativa sobre Imóveis;
III) Livros de Quartos do Estabelecimento no local designado para o Comandante;
IV) Comprovação de Caixa de Economias, Execução Financeira, Pagamento,
Municiamento e Material;
V) Cartas e Ofícios endereçados às empresas que mantenham contratos com o
Com5ºDN sobre assuntos relativos aos Departamentos subordinados e a Órgãos Públicos em nível
de administração setorial;
VI) Atestado de capacidade técnica fornecido às firmas contratadas;
VII) Ofícios, Comunicações Padronizadas e Laudos relativos às viaturas e ao
SISBENF do Com5ºDN;
VIII) Portaria de designação da Comissão Interna de Conservação de Energia;

57
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

IX) Mapa de Punição de Praças;


X) Mapas de Proposta de Viagem ou Comissão no Estrangeiro, após ratificação do
Titular da OM;
XI) Ficha de Avaliação de Desempenho do Pessoal Civil;
XII) Folha de Soluções de provas de cursos por correspondência realizados por
Oficiais, Praças e Servidores Civis, e envio de provas;
XIII) Em caráter final, aos Servidores Civis de níveis superior, médio e auxiliar, as
seguintes licenças:
- para tratamento de saúde;
- por motivo de doença em pessoa da família;
- à gestante e à adotante;
- paternidade;
- por acidente em serviço;
- prêmio por assiduidade;
- luto; e
- núpcias.
XIV) Relatório Semestral de Segurança de Aviação (RSSA/APACom5 ºDN);
XV) Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (PPAA/APACom5 ºDN);
XVI) Plano do Dia;
XVII) Termo de Destruição (TD) de Porte de Arma de Fogo (PAF) e Certificado de
Registro de Arma de Fogo (CRAF);
XVIII) Autorização para aquisição de munição no comércio, para Praças da Ativa,
Reserva Remunerada e Reformados;
XIX) Mapa de recadastramento de armas de fogo;
XX) Expedientes referentes ao registro, transferência e doação de armas de fogo de
uso restrito e permitido, pelas Praças da Ativa, Reserva Remunerada e Reformados;
XXI) Folha de Preferência de Comissão para Praças (FPCP) servindo no âmbito do
Com5ºDN;
XXII) Documentos relativos à gestão de estagiários no âmbito do Com5ºDN; e
XXIII) Plano de Emergência Individual (PEI) do Com5ºDN.

e) Avaliar os Oficiais que servem no Setor CGS, encaminhando as avaliações para


ratificação do Comandante do 5°DN.

f) Assinar Ordens de Serviço sobre:


I) Concessão de Direitos pecuniários (Auxílio-Fardamento, Adicional Militar,
Adicional de Férias, Gratificação de Localidade Especial “A”, Auxílio-Alimentação, Indenização
de Ajuda de Custo e Ajuste de Contas, Auxílio-Natalidade, Assistência Pré-Escolar);
II) Gratificação de Representação;
III) Licenciamento do Serviço Ativo (TRRM, ex-offício e Cota Compulsória);
IV) Indenização de Transporte, Passagem e Bagagem;
V) Passagem e Assunção de Função no âmbito do CGS;
VI) Direitos e Vantagens de Pessoal Civil;
VII) Diárias e Requisição de Transporte;
VIII) Distintivo de comportamento (CB/MN);
IX) Início e Conclusão de Estágio;
X) Inclusão de dependentes (Pessoal Civil);
XI) Exercícios anteriores;
XII) LESM para as Praças lotadas no Com5ºDN;
XIII) Citação Meritória/Louvor;
XIV) Habilitação para conduzir Viaturas de Serviço;

58
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

XV) Aquisição, registro, doação e transferência de armas de fogo e munição de uso


restrito e permitido, respeitada a hierarquia, e de acordo com o estabelecido nas Normas em vigor;
XVI) Investigação para credenciamento; e
XVII) Concessão e cessação de Credencial de Segurança (CREDSEG).

g) Assinar Ofícios sobre:


I) Declaração de Dependentes (DBI/DBA/DD);
II) Apresentação de militar (Cumprimento de pena, Destaque, Curso e para servir);
III) Apresentação de Praças para fins de justiça, quando solicitado pela autoridade
competente;
IV) Remessa de requerimento de TRRM;
V) Atestados de Origem;
VI) Indicação de Mérito Funcional;
VII) Encaminhamento de militares ao psicólogo para avaliação, a fim de realizarem
o Teste de Avaliação de Aptidão Psicológica (TAAP), apenas nos casos de psicólogos
credenciados;
VIII) Remessa de Informações à DPC sobre a Coleta Seletiva de Lixo no
Com5ºDN;
IX) Formulários de Cursos de Especialização;
X) Apostilamento de Carta-Patente;
XI) Abertura de Conta Bancária;
XII) Pensão Alimentícia;
XIII) Apresentação para cumprimento de pena;
XIV) Aposentadoria de Servidores Civis;
XV) Apresentação de militar (3ª e 5ª CJM);
XVI) Remessa de Autos de Instrução Provisória de Deserção (IPD), encaminhados
a 3ª e a 5ª CJM;
XVII) Ofício para aquisição de armas de fogo e munições de uso restrito e
permitido na fábrica e no comércio, pelas Praças da Ativa, da Reserva Remunerada e Reformados;
XVIII) Dispensa por Obrigações Eleitorais (TRE); e
XIX) Alienação e venda de viatura.

h) Assinar Requerimentos sobre:


I) Férias (Adiantamento Natalino, Remuneração de Férias, Auxílio-Alimentação e
Adiantamento de 70% da Remuneração);
II) Auxílio-Fardamento;
III) Distintivo de Comportamento (CB/MN);
IV) Averbação de Tempo de Serviço;
V) Transferência para a reserva remunerada (cota compulsória, ex-offício e a
pedido);
VI) Autorização para concursos (interno e externo), após conhecimento do Titular
da OM;
VII) Engajamento de MN-RC, reengajamento MN-RM2, engajamento e
reengajamento de CB-RM2 e MNE-RM2;
VIII) Reabilitação de Reservistas Navais;
IX) Licenciamento do Serviço Ativo da Marinha, a pedido, dos CB-RM2, MN-
RM2 e MNE-RM2;
X) Prorrogação do Tempo de Serviço de Oficial RM2 (MDFV/SMV);
XI) Licenciamento do Serviço Ativo da Marinha, a pedido, dos Oficiais RM2; e
XII) Exercícios anteriores.

59
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

i) Assinar Documentos Eletrônicos sobre:


I) EAD/FIS;
II) Concessão de Medalha Militar de Tempo de Serviço (10, 20, 30, 40 e 50 anos);
III) Lançamento do TAF no SisTAF e no SIGEP;
IV) Mapa de punição de Praças;
V) Mapa anual de viagem ao exterior, após ratificação do Titular da OM; e
VI) Folha de Preferência de Comissão de Praça (FPCP) do CPA, CAP e CFN
lotados no Com5ºDN.

1.3 - Ao Encarregado da Seção de Organização (DN-10), competência para assinar


os documentos de rotina relativos à sua área de administração, bem como:
a) Documentos administrativos de rotina para encaminhamento dos Termos de
Inspeção de Saúde; a) Ofícios de encaminhamento de dados estatísticos (ANEMAR);
b) Parecer em Folha de Preferência de Comissão de Praças (FPCP) do CPA, CAP e
CFN das OM subordinadas;
c) Por Correspondência Eletrônica (CE), da Proposta de Participação da Marinha em
Representação (PPMR) e respectivo Mapa Proposta de Programa (MPP), do Controle Anual de
participação em Grupo de Trabalho (GT) e Órgão Colegiado (OC), do Relatório do Representante
(RR) e respectiva Análise do Relatório do Representante (ARR); e
d) Documentos de rotina relativos ao pessoal militar do SDP 5ºDN.

1.4 - Ao Encarregado da Seção Inteligência (DN-20), competência para assinar:


a) Informes e Pedidos de Inteligência, para Verificação de Dados Biográficos,
destinados aos órgãos e células de inteligência constantes no Sistema de Inteligência da Marinha
(SIMAR) e aos órgãos de inteligência extra-Marinha;
b) Ofícios de solicitação de apoio aos órgãos de Segurança Pública;
c) Ofícios de encaminhamento de alterações do Plano de Segurança;
d) Informes e Pedidos de Inteligência por “Autenticações Digitais”, no âmbito da
MB, após a autorização do Com5ºDN; e
e) Os documentos de inteligência aprovados pelo CEM.

1.5 - Ao Encarregado da Seção de Operações (DN-30), competência para assinar os


documentos de rotina relativos à sua área de administração e os referentes à solicitação de
interdição de espaço aéreo ou área marítima.

1.6 - Ao Encarregado da Seção Logística e Mobilização (DN-40), competência para


assinar os documentos de rotina relativos à sua área de administração, bem como documentos
administrativos referentes a assuntos de rotina relacionados à Gerência Local de
Material/sobressalentes, munição/armamento, viaturas/embarcações, material de CAV, marinharia,
salvatagem, CLG, CONDEF dos meios subordinados, rações operativas, PROGEM, CICE,
mobilização marítima, Sistema do Plano Diretor e PCCEL.

1.7 - Ao Assistente (DN-04)/Ajudante de Ordens (DN-04.2), competência para


assinar/autenticar:
a) Documentos físicos, em consonância com o disposto no art. 3.16 da SGM-105 (4ª
Revisão);
b) Documentos digitais, em consonância com o disposto no art. 20.5 da SGM-105 (4ª
Revisão); e
c) Documentos e publicações controladas.

60
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1.8 - Ao Assessor Jurídico (DN-05), competência para assinar os documentos de


rotina relativos à sua área de administração, bem como:
a) documentos de indicação de Assistente Técnico e de Preposto;
b) notificações, solicitações e informações, oriundas de Órgãos do Poder Judiciário,
Polícias Civil e Militar, e os que informem àqueles Órgãos do encaminhamento dado às suas
solicitações, exceto quando houver ordem específica em contrário; e
c) Comunicação Padronizada de Processos Judiciais, quando o Assessor Jurídico for
Oficial Superior, caso contrário, o documento será assinado pelo CEM.

1.9 - Ao Assessor(a) de Comunicação Social (DN-06), competência para assinar os


documentos de rotina relativos à sua área de administração, as notas à imprensa aprovadas pelo
Comandante ou pelo Chefe do Estado-Maior, as cartas que formalizem convites para cerimônias do
Com5ºDN às Associações de Ex-Combatentes e Escolas, e agradecimentos a apoios prestados por
militares do Com5ºDN.
1.10 - Ao Superintendente do Patrimônio Imobiliário (DN-07), competência para
assinar os documentos de rotina relativos à sua área de administração, e mensagens referentes à
ocupação/desocupação e inscrição em Lista de espera de PNR.
1.11 - Ao Encarregado do Centro Local da Tecnologia da Informação – CLTI (DN-
08), competência para assinar os documentos endereçados às empresas que mantenham contrato ou
executem serviços afetos à Tecnologia da Informação.
1.12 - Ao Encarregado do Núcleo de Polícia Judiciária Militar - N-PJM (DN-02.2),
competência para assinar:
a) Ofícios de encaminhamento às OM, cujos titulares não sejam Almirantes, de
cópias de notificações judiciais, afetas ao N-PJM;
b) Ofícios de encaminhamento aos órgãos judiciais e policiais de respostas a
solicitações recebidas, que não exijam juízo de valor, afetos ao N-PJM;
c) Ofícios de encaminhamento de laudos periciais e solicitações de perícias a órgãos
extra-MB;
d) Ofícios de encaminhamento de solicitação às OM com potencial para realização
de perícias;
e) Ofícios de encaminhamento de documentos no trato de requisição de diligências,
busca e captura, escolta e apreensão de coisas;
f) Ofício comunicando a deserção de militares da MB às Superintendências da
Polícia Federal e às Secretarias Estaduais de Segurança Pública dos Estados do Paraná, Santa
Catarina e Rio Grande do Sul; e
g) Fac-símile de encaminhamento de cópia de notificação judicial cujo prazo para
cumprimento seja exíguo.

1.13 - Ao Encarregado da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes


Aeronáuticos - SIPAA (DN-A9), competência para assinar atas de reunião da Comissão de
Prevenção de Acidentes Aeronáuticos.

1.14 - Ao Assessor do Relator Adjunto do Plano Diretor (DN-A10), competência


para assinar ofícios administrativos atinentes ao Sistema do Plano Diretor (SPD), e aprovação de
solicitação de diárias e passagens, dentro do limite orçamentário do COMARE.

1.15 - Ao Chefe do Departamento de Administração (DN-50), competência para


assinar:
a) documentos relativos ao pessoal civil e militar do Com5ºDN que não forem de
competência do Comandante do 5º Distrito Naval ou do CGS;

61
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

b) documentos administrativos de rotina de apresentação de servidores civis ou


militares, quitação com a Fazenda Nacional, encaminhamento de Requerimentos relativos à pessoal
(após deferimento do CGS), Folhas de Alterações de CR e de Identificação (folha nº 001),
Documento de Captação de Dados de Inativos e Reservistas Navais (DCIN), Declaração de
Beneficiários, processo de Medalha Militar, transferência para a Reserva de militares do Com5ºDN;
c) Parecer em FPCP do Com5ºDN;
d) Certidão de Autoridade em DBI/DBA;
e) Atestados e Certidões referentes a assuntos de rotina para Oficiais, Praças e
Servidores Civis lotados no Com5ºDN;
f) Cartão Provisório de Identidade;
g) Mapa Anual de TAF;
h) Livro de Quartos do Estabelecimento no local designado para o Imediato;
i) Papeletas de licença/férias;
j) Ofícios de encaminhamento de Folhas de Alterações de CR dos militares e
servidores civis;
k) Ofícios sobre remessa de estoque conciliado de CLG; e
l) Ofícios sobre remessa de Declaração de Bens e Valores.

1.16 - Ao Chefe do Departamento de Intendência (DN-60), competência para:


a) Assinar documentos administrativos para empresas que prestam serviços para o
Com5ºDN; e
b) Atuar como Agente Fiscal.

1.17 - Ao Assessor de Recrutamento Distrital - ARD (DN-A11), competência para


assinar:
a) Os documentos relativos à apresentação de candidatos aprovados nas etapas dos
Processos Seletivos de ingresso na MB;
b) Documentos administrativos que tratem de alistamento militar, efetuado pelas
Juntas de Serviço Militar, localizadas na área de jurisdição do Com5ºDN;
c) Documentos administrativos em resposta aos órgãos externos à MB em situações
que envolvam informações sobre militares da Reserva de 1ª e 2ª Classe da Marinha;
d) Ofícios de encaminhamento de Certidões de Tempo de Serviço, certificados
militares, atestados de desobrigados e 2ª via de Folhas de Alteração de inativos e reservistas;
e) Mensagens encaminhando e/ou solicitando informações de inativos e reservistas;
f) Documentos administrativos que tratem do Exercício de Apresentação da Reserva
(EXAR);
g) Ofícios e mensagens que tratem do Aviso de Convocação de Oficiais e Praças,
endereçados às OM subordinadas;
h) Ofícios externos sobre assuntos pertinentes aos concursos públicos da MB; e
i) Despacho em requerimentos referentes à:
I) Prorrogação de tempo de serviço de Oficial RM2 (MFDV/SMV);
II) Engajamento e reengajamento de Praças RM2 e MN-RC;
III) Emissão de 1ª e 2ª vias de Certificados de Reservistas e Dispensa de
Incorporação;
IV) Emissão de certidão de tempo de serviço de inativos e reservistas;
V) Emissão de certidão de ex-combatente;
VI) Folhas de Alterações de CR de inativos e reservistas;
VII) Inscrição de Reservistas nas Escolas de Formação de Oficiais e Praças de
Forças Auxiliares por meio de concursos públicos; e
VIII) Grau de Recurso dos candidatos de concursos públicos considerados inaptos
em Inspeção de Saúde (IS) pela Junta Regular de Saúde (JRS).

62
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

1.18 - Ao Encarregado do Núcleo de Assistência Social - NAS (DN-70),


competência para:
a) Assinar os documentos de rotina atinentes à sua área de administração, os relativos
à pensão alimentícia, desde que sejam de âmbito interno da MB;
b) Assinar Ofícios de encaminhamento de relatórios sociais e psicossociais de
levantamentos efetuados pelo Serviço;
c) Assinar documentos administrativos atinentes a processos do Poder Judiciário
encaminhando decisão judicial ou documento de pessoal inativo e pensionista;
d) Encaminhar para o SIPM as Declarações de Beneficiários e Dependentes relativas
a inativos e pensionistas;
e) Assinar documentos administrativos encaminhando processos para o SIPM
relativos aos militares da reserva e reformados, pensionistas, ex-combatentes e servidores civis
aposentados que recebam pagamento pelo Com5ºDN; e
f) Autorizar doações e empréstimos de recursos do Plano Básico “NOVEMBER”,
dentro das normas determinadas pela DASM. Aplica-se o disposto nas alíneas c e f quando o
Encarregado do NAS for Oficial Superior. Caso contrário, os documentos serão assinados pelo
CGS.

1.19 - Ao Oficial Superior de Pernoite (OSP), competência para assinar ofícios


rotineiros, fora do horário de rotina normal que, por suas características, não possam aguardar o
regresso do CEM, CGS ou do Comandante do 5ºDN.

1.20 - Ao Oficial de Serviço (OSE), competência para autenticar, na ausência do


Assistente/Ajudante de Ordens, os expedientes assinados pelo Comandante do 5ºDN.

2 - Instruções Complementares:
2.1 - O CEM, o CGS, os Encarregados de Seção, os Chefes de Departamento, o
Assessor de Recrutamento Distrital e o Assistente do Com5ºDN decidirão sobre a subdelegação de
competência nos diversos setores afetos às suas áreas de responsabilidade, além de terem delegação
para autorizar a expedição de mensagens sobre assuntos de rotina em suas áreas de
responsabilidade, observando o contido no item 1 deste anexo.

2.2 - Os convênios e demais Acordos Administrativos, antes de serem assinados,


deverão ser submetidos à apreciação jurídica, por intermédio do Com5ºDN, e ter subdelegação de
competência própria para assinatura dos mesmos. Os convênios de natureza financeira deverão ser
celebrados em concordância com o art. 6° da Portaria nº 180/MB/2001.

2.3 - Para efeito deste anexo, entende-se como sendo “expediente de rotina” ou
“assunto de rotina” o abaixo mencionado:
a) remessa de informações funcionais periódicas, previstas na legislação e que não
envolvam juízos de valor de competência do Comandante;
b) encaminhamento de requerimentos, apresentação de pessoal, remessa de material
ou publicações, comunicações de fatos ou decisões do Comandante que, embora não sejam de
ocorrência periódica, tenham a característica de coisas comuns, previstas na legislação ou nos
procedimentos vigentes, e que não envolvam novos juízos de competência do Comandante do
5ºDN; e
c) Ordem de Serviço de rotina é aquela que registra fato normal do Com5ºDN,
exceto se incluir palavras do Comandante do 5ºDN.

63
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

2.4 - Expediente/assuntos de rotina específicos:


a) CHEFE GERAL DOS SERVIÇOS:
- Papeleta de movimentação a pedido (Praças);
- Abertura de conta bancária;
- Comprovação de caixa de economias;
- Comprovação de execução financeira;
- Alteração e comprovação de pagamento;
- Alteração de municiamento;
- Comprovação de material;
- Licenciamento do Serviço Ativo da Marinha;
- Aposentadoria de Servidores Civis;
- Declaração de beneficiários;
- Livro de Quartos do Estabelecimento do Com5ºDN;
- Ficha de Avaliação de Desempenho de Pessoal Civil;
- Processos de medalhas;
- Ratificação de EAD/FIS e encaminhamento à DPMM e/ou CPesFN, conforme o
caso, na época devida;
- Designação de Comissão Técnica e do Júri Técnico das competições esportivas do
Com5ºDN;
- Designação de militares para comporem Comissão de Vistoria, Avaliação e
Destinação (CVAD), exceto valores acima do determinado para materiais “especiais” estipulados na
SGM-303;
- Publicação de matéria em boletins da MB;
- Remessa de Atestado de Origem;
- Inscrição em concursos extra-Marinha (Praças);
- Indenização de passagem e bagagem;
- Solicitação de férias atrasadas (após conhecimento do Comandante);
- Férias de Oficiais subordinados;
- Julgar as contravenções disciplinares das Praças;
- Mapa Mensal de Punição;
- Mapa Anual de Proposta de Viagem ao Estrangeiro, após ratificação do Titular da
OM;
- Remessa de Carta-Patente para apostilamento;
- Cartas e Ofícios endereçados às firmas que mantenham contratos com o
Com5ºDN e a órgãos públicos em nível de administração setorial;
- Pedidos de serviços às OMPS;
- Despacho nas partes de ausência das Praças, determinando as buscas do ausente e
a escalação de Inventariante, dando início ao processo de deserção;
- lançamentos em carteira de trabalho e os atos decorrentes da aplicação da CLT;
- Processos para o SIPM relativos aos pensionistas, ex-combatentes e servidores
civis aposentados, que recebam pagamento pelo Com5ºDN;
- Processos para o SIPM relativos aos militares da Reserva Remunerada e
Reformados da área do Com5ºDN;
- Vales de caixa de economias (autorização);
- Assinatura do termo de destruição de CRAF/PAF/PAFP;
- Assinatura de documentos relativos ao SISAM;
- Controle de combustíveis;
- Controle de cotas financeiras;
- Descontos de cobranças de vales em geral (inclusive guias hospitalares);
- Contratos de consignações;

64
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

- Encaminhamentos de requerimentos relativos à pessoal (após o despacho do


Com5ºDN);
- Remessa de cópia de empenho;
- Remessa de documentos relativos a inativos;
- Demonstrativo patrimonial do SISBENF;
- Transferência de Responsabilidade Administrativa sobre Imóveis (TRAI); e
- Assinatura de Acordos Administrativos.

b) ENCARREGADO DA SEÇÃO DE ORGANIZAÇÃO:


- Inspeção de saúde em grau de recurso, após decisão do Comandante;
- FPCO e FPCP, no que se refere ao SDP 5ºDN;
- Proposta de Participação da Marinha em Representação (PPMR);
- Encaminhamento de respostas/SITREP à DPMM, recebidos por CE, já
previamente autorizados pelo CEM do Com5ºDN; e
- Encaminhamento de Comunicação Padronizada às OM subordinadas nos assuntos
afetos à DN-10, previamente autorizados pelo CEM ou Com5ºDN.

c) ENCARREGADO DA SEÇÃO DE INTELIGÊNCIA:


- Retransmissão de Informes;
- Pedidos de informações;
- Documentos referentes a dados biográficos; e
- Documentos referentes à guarda de publicações específicas do setor.

d) ENCARREGADO DA SEÇÃO DE OPERAÇÕES:


- Solicitação de interdição do espaço aéreo ou área marítima; e
- Solicitação de apoio aéreo para a PATCOS Atlântico à II FAe.

e) ENCARREGADO DA SEÇÃO DE LOGÍSTICA E MOBILIZAÇÃO:


- Laudo de Vistoria, Avaliação e Destinação.

f) CHEFE DO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO:


- Encaminhamento de folhas de alteração de CR e de identificação (folha nº 001);
- Encaminhamento de carteira de identidade por término de validade;
- Encaminhamento de diplomas e fichas histórico-escolar;
- Encaminhamento de Documento de Captação de Dados de Inativos e Reservistas
(DCIN);
- Encaminhamento de Declaração de Beneficiários e Declaração de Beneficiários
Inicial;
- Encaminhamento de espólio de desertor;
- Participação de deferimentos de requerimentos (LESM, LE, férias no exterior
etc.);
- Encaminhamento de Relação Anual de Informações Sociais (RAIS);
- Certidão de Tempo de Serviço;
- Encaminhamento de material resultante de prova;
- Apresentação de candidatos aprovados em concurso para cumprimentodas etapas
complementares;
- Encaminhamento de processos de Medalha Militar de Oficiais e Praças;
- Documentos relativos a viaturas administrativas do Com5ºDN;
- Cadastramento no PIS/PASEP;
- Remessa de Folhas de Alterações de CR;
- Cartão provisório de identidade para o pessoal do Com5ºDN;

65
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

- Atestados e Certidões referentes a assuntos de rotina para Oficiais, Praças e


Servidores Civis do Com5ºDN;
- Assinatura do Livro de Quartos do Estabelecimento na função de Imediato;
- Correspondência com empresas e órgãos públicos no trato de assuntos
administrativos do Com5ºDN; e
- Informação sobre Quitação de militar com a Fazenda Nacional.

g) CHEFE DO DEPARTAMENTO DE INTENDÊNCIA:


- Solicitação de ALTCRED;
- Encaminhamento de Acordos Administrativos já celebrados;
- Pedidos de material;
- Remessa de Declaração de Rendimentos Pagos; e
- Alteração de municiamento.

h) ASSESSOR JURÍDICO:
- Indicação de Assistente Técnico (Ação Ordinária);
- Indicação de Preposto (Ação Trabalhista);
- Encaminhamento de solicitações da justiça às diversas OM da MB; e
- Encaminhamento de Acordos Administrativos.

i) ENCARREGADO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL:


- Encaminhamento de Relatórios Sociais e Psicossociais de levantamentos
efetuados pelo Serviço, após a rubrica do CGS no relatório.

j) ASSESSOR DE RECRUTAMENTO DISTRITAL:


- Encaminhamento do mapa de recolhimento de taxas e multas militares;
- Encaminhamento do relatório sobre a campanha permanente do Serviço Militar;
- Encaminhamento do subsídio para elaboração do Plano Geral de Convocação;
- Encaminhamento do relatório da campanha do alistamento;
- Encaminhamento do relatório de conscrição da Classe que Incorpora para
prestação do Serviço Militar;
- Encaminhamento do relatório referente à classe que concluiu o Serviço Militar
Inicial;
- Encaminhamento de Carta-Patente do pessoal da reserva para apostilamento;
- Assinatura e encaminhamento de Certificados referentes ao Serviço Militar;
- Assinatura e encaminhamento de Certidões de Tempo de Serviço; e
- Assinatura e encaminhamento de Atestados de Desobrigado.

66
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO

PORTARIA Nº 36/DHN, DE 22 DE MARÇO DE 2017

Subdelega competência ao Comandante da Base de Hidrografia da Marinha em


Niterói para assinar o Contrato nº 51212/2017-001/00 com a Empresa MACPORT ESTRUTURAS
LTDA, CNPJ 22.942.092/0001-61 - Processo: NUP 63999.001193/2016-16.

O DIRETOR DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO, no uso das atribuições que


lhe são conferidas pelo disposto nos §§ 1º a 3º, do art. 2°, da Portaria nº 180/MB, de 16 de julho de
2001, alterada pela Portaria nº 626/MB, de 23 de dezembro de 2014, ambas do Comandante da
Marinha; e pelo disposto § 10, do art. 1º; e no art. 3º, da Portaria nº 4/DGN, de 1º de março de 2012,
do Diretor-Geral de Navegação, resolve:

Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante da Base de Hidrografia da Marinha


em Niterói para assinar o Contrato nº 51212/2017-001/00 com a Empresa MACPORT
ESTRUTURAS LTDA, CNPJ 22.942.092/0001-61 - Processo: NUP 63999.001193/2016-16,
empresa de engenharia especializada, vencedora da CONCORRÊNCIA nº 010/2016, da Base de
Hidrografia da Marinha em Niterói (BHMN), para executar os serviços necessários à estabilização
e/ou desmonte de blocos rochosos e para construção de canaletas de drenagem no Setor Rua São
Paulo, situado na encosta do Complexo Naval da Ponta da Armação (CNPA).

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

67
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA

PORTARIA Nº 28/DEnsM, DE 14 DE MARÇO DE 2017

Cria o Curso Expedito de Medicina de Superfície (C-Exp-MedSup).

O DIRETOR DE ENSINO DA MARINHA, usando das atribuições que lhe


confere o inciso 4.3 das Normas sobre Cursos e Estágios do Sistema de Ensino Naval - (DGPM-101
- 7ª Revisão), aprovadas pelo Diretor-Geral do Pessoal da Marinha, resolve:

Art. 1° Criar o Curso Expedito de Medicina de Superfície (C-Exp-MedSup), de


acordo com as normas que a esta acompanham.

Art. 2° Esta Portaria entra em vigor na presente data.

ANEXO
NORMAS PARA O CURSO EXPEDITO DE MEDICINA DE SUPERFÍCIE
a) TÍTULO DO CURSO
Curso Expedito de Medicina de Superfície.

b) SIGLA DO CURSO
C-Exp-MedSup.

c) PROPÓSITO DO CURSO
Suplementar a capacitação técnico-profissional dos Oficiais do Quadro de Médicos do Corpo de
Saúde da Marinha e Oficiais Médicos RM2, para o desempenho da função de Oficial Médico
embarcado nos Meios de Superfície da Esquadra, da Diretoria de Hidrografia e Navegação e dos
Grupamentos Navais Distritais, mediante o conhecimento das atividades inerentes à rotina de bordo,
das técnicas pré-hospitalares de saúde e do suporte avançado de vida.

d) LOCAIS DE REALIZAÇÃO DO CURSO


O curso será conduzido nas dependências do Centro de Medicina Operativa da Marinha (CMOpM),
do Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD) e do Centro de Adestramento Almirante Marques de
Leão (CAAML), sob supervisão didático-pedagógica e administração escolar da Escola de Saúde
do HNMD.

e) TIPO DE ENSINO
Profissional.

f) REQUISITOS PARA A MATRÍCULA


I – Ser Oficial Médico, do Corpo de Saúde da Marinha ou RM2; e
II – Estar apto na Inspeção de Saúde, sem restrições.

g) DURAÇÃO
22 dias letivos.

68
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

DIRETORIA DE FINANÇAS DA MARINHA

PORTARIA No 19/DFM, DE 23 DE MARÇO DE 2017

Altera o Regulamento da Pagadoria de Pessoal da Marinha.

O DIRETOR DE FINANÇAS DA MARINHA, no uso de suas atribuições que lhe


confere o art. 10.1, da SGM-105 (4ª Revisão) – Normas sobre Documentação Administrativa e
Arquivamento da Marinha, resolve:

Art. 1º Aprovar as alterações no Regulamento da Pagadoria de Pessoal da Marinha


que esta acompanha.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

ANEXO
REGULAMENTO DA PAGADORIA DE PESSOAL DA MARINHA

CAPÍTULO I
Do Histórico
Art. 1° A Pagadoria de Pessoal da Marinha (PAPEM), com sede na cidade do Rio de
Janeiro, RJ, foi inicialmente criada pela Portaria Ministerial n° 102, de 1º de março de 1996, com a
denominação de Pagadoria do Pessoal da Marinha. Em 18 de fevereiro de 1997, pela Portaria
Ministerial n° 65, a PAPEM foi recriada com a denominação atual. Suas atividades e organização
foram regulamentadas pela Portaria n° 7/SGM, de 10 de março de 1997 e, posteriormente, pelas
Portarias nº 29/SGM, de 18 de agosto de 1999, nº 47/SGM, de 25 de novembro de 1999, nº
37/SGM, de 30 de outubro de 2001, nº 37/SGM, de 29 de outubro de 2003 e 34/SGM, de 21 de
junho de 2006. Transferida a sua subordinação pela Portaria nº 65/MB, de 2 de fevereiro de 2012,
sua organização e atividades passaram a ser regidas por Regulamento, aprovado pela Portaria nº 3,
de 26 de março de 2013, do Diretor de Coordenação do Orçamento da Marinha. Revogada esta
Portaria, sua organização e atividades passaram a ser regidas por este Regulamento, aprovado pela
Portaria nº 19, de 23 de março de 2017, do Diretor de Finanças da Marinha.

CAPÍTULO II
Da Missão
Art. 2° A PAPEM, tem o propósito de administrar os sistemas de pagamento
atinentes ao pessoal da Marinha, no país e no exterior, a fim de contribuir com a preparação e
eficácia do Poder Naval.

Art. 3° Para a consecução do seu propósito, cabem à PAPEM as seguintes tarefas:


I - executar o pagamento do pessoal militar e civil, ativo e inativo, e pensionistas;
II - exercer as atribuições de órgão distribuidor do numerário necessário às Organizações Militares,
destinado às gestorias conotadas a pessoal; e
III - manter intercâmbio com entidades públicas ou privadas afins e representar a MB, quando
determinado, em congressos e conferências relacionados com os assuntos de sua competência.

69
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Art. 4° Em situação de mobilização, conflito, estado de defesa, estado de sítio,


intervenção federal e em regimes especiais, cabem à PAPEM as tarefas concernentes à mobilização
e à desmobilização que lhe forem atribuídas pelas Normas e Diretrizes referentes à Mobilização
Marítima e as emanadas pelo Diretor de Finanças da Marinha.

CAPÍTULO III
Da Organização
Art. 5° A PAPEM é subordinada à Diretoria de Finanças da Marinha.

Art. 6° A PAPEM tem como titular um Diretor (PAPEM-01), auxiliado por um Vice-
Diretor (PAPEM-02), e compreende cinco Departamentos, a saber:
I - Departamento de Sistemas de Pagamento (PAPEM-10);
II - Departamento de Finanças (PAPEM-20);
III - Departamento de Informática (PAPEM-30);
IV – Departamento de Consignações (PAPEM-40); e
V - Departamento de Administração (PAPEM-50).
§ 1° O Diretor é assessorado por um Conselho de Gestão (PAPEM-03), por uma Assessoria de
Gestão Pública (PAPEM-04), por uma Assessoria Jurídica (PAPEM-05), por uma Assessoria
do SISPAG (PAPEM-06) e por uma Assessoria de Controle Financeiro (PAPEM-08).
§ 2 º Subordinado diretamente ao Vice-Diretor, a PAPEM dispõe, ainda, de um Serviço de
Secretaria e Comunicações (SECOM) (PAPEM-07).

Art. 7° O organograma anexo ao presente Regulamento, detalha a estrutura organizacional desta


Pagadoria.

CAPÍTULO IV
Das Atribuições dos Elementos Componentes
Art. 8º Ao Vice-Diretor (PAPEM-02) compete:
I - substituir o Diretor nos seus impedimentos;
II - efetuar a coordenação das atividades dos Departamentos; e
III - exercer as atribuições estabelecidas na legislação vigente, especialmente no OGSA, para
Imediato de Organização Militar.

Art. 9º Aos Departamentos e às Assessorias competem as seguintes tarefas básicas:


I – disseminar as orientações emanadas pelo Diretor;
II – manter atualizada e acompanhar o cumprimento dos eventos, afetos ao seu setor, relacionados
na Agenda Administrativa da OM;
III - estabelecer a programação do setor, em decorrência do programa de atividades da PAPEM;
IV - contribuir para o cumprimento das tarefas atribuídas à PAPEM, de acordo com as diretivas do
Diretor, os planos e documentos decorrentes;
V - coordenar as atividades das Divisões subordinadas; e
VI - exercer as atribuições que lhe forem especificamente delegadas pelo Diretor.

Art. 10. Ao Departamento de Sistemas de Pagamento (PAPEM-10) compete,


especificamente:
I - administrar o Pagamento de Pessoal da Marinha, no país e no exterior;
II - supervisionar as solicitações de cadastramento e alteração de dados no PIS/PASEP;
III - administrar as atividades operacionais no Sistema de Pagamento de Pessoal (SISPAG);
IV - administrar no Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (SIAPE), as
atribuições que lhe competir;

70
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

V - administrar o controle de qualidade das rubricas e cadastros do pagamento;


VI - administrar as obrigações patronais do pessoal civil da Marinha vinculados ao Regime Geral de
Previdência Social;
VII - coordenar a manutenção de normas e realizar estudos relativos aos Sistemas de Pagamento;
VIII - supervisionar o recebimento e a execução das implantações realizadas pelas Organizações
Centralizadoras, atinentes à alteração de dados cadastrais e financeiros, no SISPAG;
IX - promover, no âmbito interno e externo, adestramento ao pessoal que realiza atividades de
pagamento de pessoal;
X - apoiar e supervisionar as Unidades Pagadoras (UPAG), no que concerne às atividades atinentes
ao SIAPE, avaliando as conformidades dos registros de pagamento, bem como prover as ações
corretivas necessárias; e
XI - identificar, registrar e atualizar detalhadamente as ‘’regras de negócio’’ que condicionam a
atividade de pagamento de pessoal.

Art. 11. Ao Departamento de Finanças (PAPEM-20) compete, especificamente:


I - administrar as atividades de execução financeira do pagamento de pessoal militar e civil, no país
e no exterior;
II - administrar os créditos e recursos financeiros de municiamento e pagamento de pessoal;
III - administrar os registros contábeis, no SIAFI, atinentes ao PAPEM-SISTEMA;
IV - administrar o Capital de Giro da Conta de Pagamentos Imediatos (COPIMED) da Marinha,
incluindo os desembolsos solicitados pelas OM;
V- administrar os repasses de benefícios, facultativos e os compulsórios, recolhidos pelos Sistemas
de Pagamento de Pessoal;
VI - administrar as atividades de bloqueios, reversões e do Sistema de Responsabilidade (SISRES)
atinentes a pagamento de pessoal;
VII - elaborar séries históricas de despesas relativas às parcelas de pagamento;
VIII - elaborar projeções de comportamento das despesas relativas Ações Orçamentárias de
Pagamento;
IX – administrar as devoluções efetuadas por meio de GRU (Guia de Recolhimento da União); e
X - efetuar os desembolsos de Municiamento solicitados pelas OM.

Art. 12. Ao Departamento de Informática (PAPEM-30) compete, especificamente:


I - administrar as atividades de análise de sistemas informatizados;
II - administrar as atividades de desenvolvimento, implementação e manutenção de sistemas
informatizados;
III - administrar os dados dos sistemas informatizados;
IV – administrar a infraestrutura dos ambientes computacionais dos sistemas informatizados;
V- supervisionar a rede de microcomputadores;
VI – supervisionar as atividades de Segurança das Informações Digitais; e
VII – administrar as atividades para consolidar informações gerenciais solicitadas pelos Órgãos da
Marinha ou extra MB.

Art. 13. Ao Departamento de Consignações (PAPEM-40) compete, especificamente:


I - administrar as atividades operacionais relativas às consignações efetuadas, no SISPAG, pelas
Entidades Consignatárias, por intermédio do Sistema Digital de Consignações (E-CONSIG); e
II – administrar as atividades operacionais relativas a pensão alimentícia, benefício família e aluguel
de casa.

Art. 14. Ao Departamento de Administração (PAPEM-50) compete, especificamente:


I - administrar os bens patrimoniais;
II - administrar os recursos financeiros e orçamentários destinados ao funcionamento da PAPEM;

71
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

III - administrar as atividades de segurança e manutenção das instalações;


IV - administrar as atividades de pessoal e adestramento;
V - administrar as atividades de obtenção; e
VI - administrar o apoio operacional aos Departamentos.

Art. 15. Ao Conselho de Gestão (PAPEM-03) compete:


I - atuando na área temática, econômica e financeira, prover o assessoramento necessário à direção
da OM, mediante planejamento, programação, controle e fiscalização da aplicação dos recursos
orçamentários, financeiros e patrimoniais colocados à disposição da OM ou pelos quais responda; e
II - assessorar o Diretor na administração geral e no desenvolvimento organizacional, focando suas
iniciativas em resultados para os usuários internos e externos, mediante a promoção e a
implementação de práticas de gestão exitosas que espelhem o “estado da arte” da gestão
contemporânea e propiciem padrões elevados de desempenho e de qualidade em gestão em uma
estratégica de aprimoramentos contínuos.

Art. 16. À Assessoria de Gestão Pública (PAPEM-04) compete, especificamente,


assessorar o Diretor nos assuntos relativos à gestão organizacional da PAPEM, executar e coordenar
as ações para consolidar a base conceitual e doutrinária do modelo de Excelência Gerencial adotado
na MB (Programa Netuno), visando aprimorar o desempenho da OM, focado na valorização e
capacitação humana, e nas práticas que otimizem os processos operacionais, gerenciais e de apoio
da OM.

Art.17. À Assessoria Jurídica (PAPEM-05) compete, especificamente:


I - assessorar o Diretor quanto aos aspectos jurídicos que envolvam pagamento de pessoal; e
II – prover assessoria técnico-legal aos elementos organizacionais dos Departamentos.

Art.18. À Assessoria do SISPAG (PAPEM-06) compete, especificamente, assessorar


o Diretor nos seguintes assuntos relacionados à modernização do SISPAG: avaliação e priorização
das atividades planejadas, gerenciamento de contrato e revisão da normatização das regras de
negócio, propondo alteração, quando pertinente.

Art. 19. Ao Serviço de Secretaria e Comunicações (SECOM) (PAPEM-07) compete,


especificamente:
I - receber, preparar, expedir e arquivar a correspondência oficial;
II - manter atualizada a legislação de interesse da PAPEM; e
III- administrar os serviços de comunicações.

Art. 20. À Assessoria de Controle Financeiro (PAPEM-08) compete,


especificamente, efetuar o controle interno sobre a atividade de pagamento de pessoal, enfatizando
o procedimento de crítica sobre as alterações mensais de pagamento e dos processos afetos,
principalmente, aos Departamentos de Sistemas de Pagamento (PAPEM-10), ao Departamento de
Finanças (PAPEM-20) e ao Departamento de Consignações (PAPEM-40).

72
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CAPÍTULO V
Do Pessoal
Art. 21. A PAPEM dispõe do seguinte pessoal:
I - um (1) Capitão de Mar e Guerra, da ativa, do Quadro de Oficiais Intendentes da Marinha –
Diretor;
II – um (1) Capitão de Fragata, da ativa, do Quadro de Oficiais Intendentes da Marinha –Vice-
Diretor;
III - um (1) Capitão de Mar e Guerra, da reserva, do Quadro Técnico; um (1) Capitão de Fragata, do
Quadro de Oficiais Intendentes da Marinha; dois (2) Capitães de Corveta, do Quadro Técnico e um
Capitão de Corveta, do Quadro de Oficiais Intendentes da Marinha – Chefes de Departamento;
IV – militares, dos diversos Corpos e Quadros, e servidores civis distribuídos pelo Setor de
Distribuição de Pessoal (SDP), com base na Tabela de Lotação (TL); e
V – militares da inatividade, não constantes da TL, admitidos de acordo com norma específica.
§ 1º O Regimento Interno preverá as funções que terão seus ocupantes propostos para o grupo de
"Direção e Assessoramento Superiores" (DAS) e para "Funções Gratificadas" (FG).

CAPÍTULO VI
Das Disposições Transitórias
Art. 22. O Diretor da PAPEM aprovará, no prazo de noventa (90) dias, o Regimento
Interno, que apresentará o detalhamento deste Regulamento.

73
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

74
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ESCOLA DE GUERRA NAVAL

PORTARIA Nº 25/EGN, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2017

Altera o Apêndice I ao Anexo da Portaria nº 73/2016, desta Escola.

O DIRETOR DA ESCOLA DE GUERRA NAVAL, no uso de suas atribuições e


de acordo com o art. 5.5, do EMA-432 (4ª Revisão), resolve:

Art 1º Alterar a redação constante no Apêndice I ao Anexo da Portaria nº


73/EGN/2016, conforme abaixo mencionado:
- Disciplina “OPERAÇÕES NAVAIS (CA)”:
no campo “Matéria”, alíneas c e g, substituir os textos conforme abaixo descrito:

c) Aeronaves na Guerra Naval EGN-427 (3ª Revisão) e ATP 1 (C)


I. As aeronaves: definição, classificações e características: EGN-427 (2ª Revisão), cap. 2, art.
2.1 e 2.7;
II. Os navios-aeródromos: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 3, somente os art. 3.3 e 3.4;
III. Outros navios que operam aeronaves: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 4;
IV. As aeronaves e as tarefas básicas do poder naval: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 5;
V. As operações e ações de guerra naval: EGN-427 (3ª Revisão), cap.6;
VI. Emprego de aeronaves nas Operações de Ataque: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 7;
VII. Emprego de aeronaves nas Operações A/S: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 8;
VIII. Emprego de aeronaves nas Operações Anfíbias: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 9;
IX. Emprego de aeronaves nas Operações de Minagem e Contramedidas de Minagem: EGN-
427 (3ª Revisão), cap. 10;
X.Emprego de aeronaves nas Operações de Esclarecimento: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 11;
XI. Emprego de aeronaves nas Operações de Bloqueio: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 12;
XII. Emprego de aeronaves nas Operações de Apoio Logístico Móvel: EGN-427 (3ª Revisão),
cap. 13;
XIII. Emprego de aeronaves nas Operações Especiais: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 14;
XIV. Emprego de aeronaves nas Operações de Defesa de Porto ou de área marítima restrita:
EGN-427 (3ª Revisão), cap. 15;
XV. Emprego de aeronaves nas Operações Ribeirinhas: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 16;
XVI. Ações de defesa aeroespacial: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 17;
XVII. Ações de Guerra Eletrônica e de Guerra Acústica: EGN-427 (3ª Revisão), cap.18;
XVIII. Ações de Guerra Nuclear, Química e Biológica: EGN-427 (3ª Revisão), cap. 19;
XIX. Designação de aeronaves: EGN-427 (3ª Revisão), Anexo A;
XX. Organização das Unidades Aéreas: EGN-427 (3ª Revisão), Anexo B; e
XXI. Procedimentos de defesa aeroespacial de forças navais: ATP-1(C) Vol. 1 - Antiair
Warfare (AAW), cap. 7, somente os títulos 7014, 7015, 7020, 7022 a 7024, 7065 e 7066.

g) Operações Anfíbias ComOpNav-542 (Mod. 1)


I. Conceitos básicos, organização das forças, relações de comando: cap. 1 a 3;
II. Desenvolvimento de uma Operação Anfíbia: cap. 5, 9, 10, 11 e 12 (somente 12.1, 12.2.1 e
12.2.3, 12.3, 12.4, 12.5, 12.6 e 12.9); e
III. Apoio de fogo: cap. 13.
No campo “Bibliografia”, alterar item 3 conforme abaixo:

75
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

_______.ComOpNav-542: Manual de Operações Anfíbias. Rio de Janeiro, 2000 Mod. 1.


Reservado.
- Disciplina “OPERAÇÕES DE FUZILEIROS NAVAIS (FN)”
no campo “Matéria”:
Onde se lê: h) Operações de Evacuação de Não Combatentes.
Leia-se: i) Operações de Evacuação de Não Combatentes.
Onde se lê: i) Apoio de Fogo em Operações Conjuntas.
Leia-se: j) Apoio de Fogo em Operações Conjuntas.
Onde se lê: j) Operações Interagências (MD-33-M-12)
Leia-se: k) Operações Interagências (MD-33-M-12)
Onde se lê: k) Medidas de Coordenação do Espaço Aéreo nas Operações Conjuntas (MD-33-
M-13).
Leia-se: l) Medidas de Coordenação do Espaço Aéreo nas Operações Conjuntas (MD-33-M-
13).
No campo “Bibliografia”, item 9, substituir o texto conforme abaixo descrito:
9._______.MD32-M-01. Doutrina de Inteligência Operacional para as Operações Combinadas
(RESERVADO). Brasília, 2006.
- Disciplina “SERVIÇO DE INTENDÊNCIA (IM)”,
no campo “Bibliografia”, substituir o texto conforme abaixo descrito:
1. GIACOMONI, James. Orçamento Público. São Paulo: Atlas, 2012. Capítulos 11, 12 e 14.
2. JUND, Sérgio. AFO – Administração Financeira e Orçamentária. 2ª Ed. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2007. Parte 1 (Cap. 2 e 4) / Parte 2 (Cap. 1, 2, 3, 6 e 10).
3. BOWERSOX, D. J.; BOWERSOX J. C. B.; CLOSS, D. J.; COOPER, M. B. Gestão
Logística da Cadeia de Suprimentos, 4a. edição. Porto Alegre: Mc Graw Hill Education, 2013.
Capítulos 1, 2, 3, 6, 12 e 13.
4. BRASIL. Marinha do Brasil. Estado-Maior da Armada. EMA-420. Normas para Logística
de Material. Brasília, 2002, 2ª Revisão Mod. 1. Capítulo 1. (*)
5. ____. EMA-400. Manual de Logística da Marinha. Brasília, 2003, 2ª Revisão Mod. 1.
Capítulo 6. (*)
6. ____. Secretaria-Geral da Marinha. SGM-201. Normas para Execução do Abastecimento.
6ª Revisão Mod. 3 Rio de Janeiro, 2009. Capítulos 2 a 8, 11, 15 e 22. (*)
7.____. Diretoria-Geral do Material da Marinha. DGMM-0130. Manual do Apoio Logístico
Integrado. 2013. Capítulos 1, 2 e 8. (*)
8.____. Presidência da República. Lei nº 12.598, de 21 de março de 2012. (*)
9.____. Presidência da República. Decreto nº 7.970, de 28 de março de 2013. (*)
10.____. Presidência da República. Lei nº 12.794, de 2 de abril de 2013. (*)
11.____. Marinha do Brasil. Secretaria-Geral da Marinha. SGM-30l. Normas sobre
Administração Financeira e Contabilidade na MB. (7ª Revisão). Brasília, 2014. (*)
12. ______. SGM-304. Normas sobre Contabilidade das Organizações Militares Prestadoras
de Serviços (OMPS). 1ª Edição Brasília, 2008. Capítulos 1, 2, 4, 5, 6 e 12. (*)
13.______.Marinha do Brasil, Secretaria-Geral da Marinha. SGM-40l. Normas para a Gestão
do Plano Diretor. Rev. 1, 1ª Edição Brasília, 2014. Capítulos 2, 3, 4, 7, 8, 9, 11 e 12. (*)
14. ______.Ministério da Fazenda. Instrução Normativa nº 01, de 06 de abril de 2001. Define
diretrizes, princípios, conceitos e aprova normas técnicas para a atuação do Sistema de Controle
Interno do Poder Executivo Federal. Brasília, DF. (*)
15. ______. Marinha do Brasil, Secretaria-Geral da Marinha. SGM-601. Normas sobre
Auditoria, Análise e Apresentação de Contas na Marinha. 5ª Rev. Brasília, 2014. Capítulo 4. (*)
16. ______. Secretaria-Geral da Marinha. SGM-107. Normas Gerais de Administração. 6ª
Rev. Brasília, 2013. Capítulos 1 a 12. (*)
Observações:

76
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

a) As publicações assinaladas com asterisco (*) são passíveis de consulta por ocasião da
prova.
b) Deverão ser consideradas as alterações introduzidas nas Publicações constantes da
bibliografia até 31/12/2016.
- Disciplina “GEOPOLITICA E GEOGRAFIA POLÍTICA” (CA, FN e IM),
no campo “Matéria”, alíneas a e b, substituir o texto conforme abaixo descrito:
a) Geopolítica
I. Os Precursores da Geopolítica e suas raízes. Conceito de Geopolítica. As Teorias
Geopolíticas: Poder Marítimo; Poder Terrestre e Poder Aéreo.
II. A contribuição dos fatores Histórico, Geográfico e Político para a formulação da
Geopolítica.
III. O Pensamento Geopolítico Brasileiro: predecessores e geopolíticos.
IV. A Geopolítica contemporânea: os choques culturais, a nova ordem, as mudanças no
poderio militar e as redefinições geoestratégicas; e
V. A importância dos Oceanos. O conceito de Oceanopolítica. Amazônia Azul e suas
vertentes econômica, ambiental, científica, soberania nacional e diplomática.

b) Geografia Política
I. Geografia da população. A distribuição espacial da população no Brasil e no mundo. Os
grandes movimentos migratórios internacionais e intranacionais. Dinâmica populacional e
indicadores da qualidade de vida das populações;
II. Geografia econômica. Globalização e Divisão Internacional do Trabalho. Formação e
estruturação dos blocos econômicos internacionais. Energia, logística e reordenamento territorial
pós-fordista. Disparidades regionais e planejamento no Brasil;
III. Geografia agrária. Distribuição geográfica da agricultura e pecuária mundiais. Estrutura e
funcionamento do agronegócio no Brasil e no mundo. Estrutura fundiária, uso da terra e relações de
produção no campo brasileiro;
IV. Geografia urbana. Processo de urbanização e formação de rede de cidades. Conurbação,
metropolização e cidades mundiais. Dinâmica intraurbana das metrópoles brasileiras. O papel das
cidades médias na modernização do Brasil; e
V. Geografia e Gestão Ambiental. O meio ambiente nas Relações Internacionais.
Macrodivisão natural do espaço brasileiro. Política e gestão ambiental no Brasil.

- Disciplina “POLÍTICA E ECONOMIA (CA, IM e FN),


no campo “Bibliografia”, alínea a, substituir o texto conforme abaixo descrito:
a) Política
1. BRASIL. Lei Complementar nº. 97, de 9 de junho de 1999. Dispõe sobre as normas
gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.*
2. BRASIL. Lei Complementar nº. 117, de 2 de setembro de 2004. Altera a Lei
complementar nº. 97 que dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o
emprego das Forças Armadas, para estabelecer novas atribuições subsidiárias.*
3. BRASIL. Lei Complementar nº. 136, de 25 de agosto de 2010. Altera a Lei
complementar nº. 97 que dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o
emprego das Forças Armadas, para criar o Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas e
disciplinar as atribuições do Ministro de Estado da Defesa. *
4. BRASIL. Estado-Maior da Armada. EMA-305. Doutrina Básica da Marinha (2ª
Revisão). 2014. Cap. 1 e 2;
5. DIAS, Reinaldo. Ciência Política. São Paulo. Ed. Atlas. 2011. Capítulo 2; Cap. 3 - itens
3.1, 3.4 a 3.6 e 3.9 a 3.11; Cap. - 4 itens 4.1 a 4.3 e 4.5 a 4.10 ; Cap 5; Cap 6, exceto 6.7 e 6.8; Cap
7; Cap 8, capítulo 9 - itens 9.1, 9.2, 9.5, 9.9 e 9.10, Cap 10 exceto itens 10.7, 10.8 e 10.9 e Cap 11
itens 11.1 e 11.2.

77
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6. FERNANDES, Luiz Philippe da Costa. O Brasil e o mar no século XXI: Relatório aos
tomadores de decisão do País. Rio de Janeiro: Cembra. Download realizado em 5 de setembro de
2016. Arquivos disponiveis em http://www.egn.mb/cemos-exameselecao.php. Cap. II - itens 2 e 3,
Cap. V- item 3, Cap. VI- item 6, Cap. VIII - itens 4 e 5, Cap. IX - item 4 e Cap. X - itens 3.3 e 4e. 7.
BRASIL. Ministério de Defesa. Política Nacional de Defesa, 2012.a. Download realizado em 7 de
fevereiro de 2017. Arquivo disponível em http://www.egn.mb/cemos-exameselecao.php.(*)
8.______. _______________. Estratégia Nacional de Defesa, 2012.a. Download realizado em 7
de fevereiro de 2017. Arquivo disponível em http://www.egn.mb/cemos-exameselecao.php.(*)
No campo “Obs”, substituir o texto conforme abaixo descrito:
É permitida a consulta às legislações assinaladas com (*).
Disponíveis em: http://www2.planaltogov.br/presidencia/legislacao.

Art 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

78
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMANDO DA FORÇA AERONAVAL

PORTARIA Nº 9/ComForAerNav, DE 16 DE MARÇO DE 2017

Subdelega competência.

O COMANDANTE DA FORÇA AERONAVAL, no uso de suas atribuições que


lhe são conferidas pelo art. 2°, inciso II e Parágrafo 1° da Portaria n° 180/MB/2001, alteradas pelas
Portarias n° 236/MB/2002, 258/MB/2003, 111/MB/2004, 159/MB/2013 e 626/MB/2014, resolve:

Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante da Base Aérea Naval de São Pedro


da Aldeia para, em nome do Comandante da Marinha, assinar os contratos e seus documentos
decorrentes com as empresas abaixo relacionadas, conforme Pregão Eletrônico SRP n° 1/2016, da
BAeNSPA, cujo objeto é contratação de serviços de manutenção preventiva e corretiva de viaturas
com fornecimento de peças, conforme especificações do Termo de Referência:

I) ALIANÇA CARVALHO COMÉRCIO E SERVIÇOS DE PRODUTOS


INDUSTRIAIS E AUTOMOTIVOS LTDA, CNPJ n° 08.362.070/0001-00, referente ao Grupo
n°17, do Apêndice I, do Termo de Referência, cujo valor contratual é de R$ 183.600,00 (cento e
oitenta e três mil e seiscentos reais);

II) COMERCIAL LUBI EIRELI – EPP, CNPJ n° 30.248.108/0001-69, referente


aos Grupos n° 8, 9 e 11, do Apêndice I, do Termo de Referência, cujo valor contratual é de
R$138.463,00 (cento e trinta e oito mil e quatrocentos e sessenta e três reais);

III) FACILITA SERVIÇOS E COMÉRCIO DE PRODUTOS INDUSTRIAIS E


AUTOMOTIVOS LTDA – EPP, CNPJ n° 13.004.212/0001-99, referente ao Grupo n° 16, do
Apêndice I, do Termo de Referência, cujo valor contratual é de R$ 41.494,00 (quarenta e um mil e
quatrocentos e noventa e quatro reais);

IV) G4 SERVIÇO E COMÉRCIO DE PRODUTOS INDUSTRIAIS,


AUTOMOTIVOS E AGRÍCOLAS LTDA – EPP, CNPJ n° 13.754.000/0001-29, referente aos
Grupos n° 1, 3, 5, 6, 10 e 13, do Apêndice I, do Termo de Referência, cujo valor contratual é de R$
339.408,75 (trezentos e trinta e nove mil e quatrocentos e oito reais e setenta e cinco centavos); e

V) RADIADORES REVELLES PEÇAS E SERVIÇOS LTDA - ME, CNPJ n°


72.400.401/0001-40, referente aos Grupos n° 2, 4, 7, 12, 14, 15 e 18, do Apêndice I, do Termo de
Referência, cujo valor contratual é de R$ 193.429,50 (cento e noventa e três mil e quatrocentos e
vinte e nove reais e cinquenta centavos).

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

79
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

CENTRO DE INSTRUÇÃO ALMIRANTE ALEXANDRINO

PORTARIA Nº 34A /CIAA, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2017

Designa a Comissão de Avaliação de Cursos (CAC) do CIAA.

O COMANDANTE DO CENTRO DE INSTRUÇÃO ALMIRANTE


ALEXANDRINO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela alínea a, do inciso 3.3.8, da
DGPM-101 (6ª Revisão/Mod.4), resolve:

Art. 1º Designar os titulares das funções abaixo relacionadas para constituírem a


Comissão de Avaliação de Cursos, deste Centro de Instrução:

Presidente
Superintendente de Ensino.

Membros Efetivos:
Coordenação Geral
Chefe do Departamento de Orientação e Avaliação.
Coordenação Executiva:
Dimensão Corpo Docente
Encarregado do Serviço de Orientação Pedagógica.
Dimensão Corpo Discente
Encarregado do Serviço de Orientação Educacional.
Dimensão Organização Didático-Pedagógica
Encarregado da Divisão de Planejamento e Controle de Ensino.
Dimensão Instalações e Laboratórios
Encarregado do Serviço de Avaliação e Banco de Questões.
Dimensão Pós-Escolar
Chefe do Departamento de Orientação e Avaliação.
Informantes Qualificados:
Chefe do Departamento de Instrução;
Chefe do Departamento de Apoio ao Ensino;
Chefe do Departamento de Atividades Físicas;
Imediato do Corpo de Alunos;
Chefe do Departamento de Cursos Especiais;
Chefe do Departamento dos Cursos de Especialização;
Chefe do Departamento de Cursos de Habilitação e Aperfeiçoamento;
Encarregado da Escola de Cursos de Formação;
Encarregado da Escola de Máquinas e Artífices;
Encarregado da Escola de Administração;
Encarregado da Escola de Comunicações;
Encarregado da Escola de Taifa;
Encarregado da Escola de Eletricidade e Eletrônica;
Encarregada da Escola de Armamento e Convés;
Encarregado da Escola dos Cursos de Qualificação Técnica Especial;
Encarregado da Secretaria Escolar;
Encarregado da 1ª Divisão dos Cursos de Habilitação e Aperfeiçoamento;
Encarregado da 2ª Divisão dos Cursos de Habilitação e Aperfeiçoamento;

80
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Encarregado da 1ª Divisão dos Cursos de Especialização;


Encarregado da 2ª Divisão dos Cursos de Especialização;
Encarregado da 3ª Divisão dos Cursos de Especialização;
Encarregado da Divisão de Finanças;
Encarregado da Divisão de Pessoal Civil;
Coordenador do Sistema de Pessoal, Alunos e Notas;
Encarregada da Divisão de Recursos Instrucionais;
Ajudante do Encarregado da Divisão de Cursos Especiais;
Ajudante do Encarregado da Escola de Artífices;
Ajudante do Encarregado da Escola de Armamento e Convés;
Ajudante do Encarregado da Escola de Taifa;
Ajudante do Encarregado da Escola de Eletricidade e Eletrônica;
Ajudante do Encarregado da Escola de Máquinas;
Ajudante do Encarregado da Escola de Formação;
Ajudante do Encarregado da Escola de Administração;
Ajudante do Encarregado da Escola de Comunicações;
Ajudante do Encarregado da Escola dos Cursos de Qualificação Técnica Especial;
Coordenador Auxiliar da Escola de Eletricidade e Eletrônica;
Coordenador Auxiliar da Escola de Cursos de Formação;
Coordenador Auxiliar da Escola de Máquinas e Artífices;
Coordenador Auxiliar da Escola de Armamento e Convés;
Coordenador Auxiliar da Escola de Administração;
Coordenador Auxiliar da Escola de Comunicações;
Coordenador Auxiliar da Escola de Taifa;
Coordenador Auxiliar da Escola dos Cursos de Qualificação Técnica Especial;
Supervisor do Departamento de Atividades Físicas;
Supervisor do Sistema de Avaliação do Sistema de Ensino Naval (SavSEN); e
Supervisor do Sistema do Corpo Docente Integrado (SisCDI).

Secretário
Encarregado da Secretaria da Superintendência de Ensino.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

Art. 3º Revoga-se a Portaria nº 148, de 24 de junho de 2016.

81
(BOLETIM DA MARINHA DO BRASIL – TOMO I – ADMINISTRATIVO Nº 03/2017)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

COMANDO DO MATERIAL DE FUZILEIROS NAVAIS

PORTARIA Nº 10/CMatFN, DE 23 DE MARÇO DE 2017

Subdelegar competência ao Comandante do BtlNav, para autorizar a assinatura do


Termo de Cessão de Uso das antenas de transmissão, localizadas em área pertencente à União
Federal, sob jurisdição do Parque Nacional da Tijuca – PARNA Tijuca, unidade de conservação sob
gestão do ICMBio localizada no Alto do Sumaré, no Município do Rio de Janeiro.

O COMANDANTE DO MATERIAL DE FUZILEIROS NAVAIS, no uso das


atribuições que lhe são conferidas pelo Art. 12, do Decreto-Lei nº 200/1967, regulamentado pelo
Decreto nº 83.937/1979, e em conformidade com a Portaria nº 180/MB, de 16 de julho de 2001,
alterada pela Portaria nº 626/MB de 23 de dezembro de 2014, combinado com o Art. 10.1 da SGM-
105 (4ª Revisão), resolve:

Art. 1º Subdelegar competência ao Comandante do Batalhão Naval para assinar o


Termo de Cessão de Uso a ser firmado com o INSTITUTO CHICO MENDES DE
CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE – ICMBio, tendo como objeto a utilização das antenas
de transmissão, localizadas em área pertencente à União Federal, sob jurisdição do Parque Nacional
da Tijuca – PARNA Tijuca, unidade de conservação sob gestão do ICMBio localizada no Alto do
Sumaré, no Município do Rio de Janeiro, RJ.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na presente data.

82