Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

CENTRO: CCEN
CURSO: Matemática
DISCIPLINA: Estágio Supervisionado III
PROFESSOR: Roosevelt Imperiano da Silva

EDSON RAFAEL BRAGA DO NASCIMENTO


FERNANDO CABRAL ALVES
RAPHAEL REICHMANN ROLIM

Análise de Livros Didáticos de Matemática

João Pessoa
Setembro – 2020
INTRODUÇÃO

Nas aulas de matemática ministradas para o Ensino Fundamental ou Médio, o livro didático
adotado é de extrema importância, visto que em muitos casos será um dos principais elementos
norteadores na sala de aula. Os alunos estudarão por este livro e ele auxiliará o professor a ensinar
conteúdos e escolher exercícios no decorrer do ano letivo para passar aos seus alunos. Portanto, na
escolha do livro didático de matemática, é necessário rigor e agudeza crítica. Abaixo analisaremos
superficialmente três livros didáticos do primeiro ano do Ensino Médio de acordo com as
categorias linguagem, metodologia, conteúdo, e layout. Os livros serão referenciados de acordo com
a seguinte numeração:

[1] BALESTRI, R. Matemática: interação e tecnologia, Vol 1. 2ª ed. São Paulo: Leya, 2016.

[2] SMOLE, K. S.; DINIZ, M. I.. Matemática para compreender o mundo, Vol. 1. 1ª ed. São Paulo:
Saraiva, 2016.

[3] DANTE, R. Matemática: contexto e aplicações. Vol 1. 3ª ed. São Paulo: Editora ática, 2016.
Conteúdo
A seleção de conteúdos programáticos dos três livros analisados é essencialmente o mesmo.
Os livros seguem as determinações da Base Nacional Comum Curricular. Todavia, a sequência,
enfoque e metodologia de apresentação dos conteúdos (como veremos mais abaixo) diferem em
alguns aspectos. Os livros foram aprovados pelo Plano Nacional do Livro Didático.
Relativo a referência [1] vemos que a segunda edição do livro Matemática: Iteração e
Tecnologia – Volume 1 de Rodrigo Balestri do ano de 2016, faz parte de uma coleção de 3 volumes
voltados para o ensino médio. O livro se divide em 8 capítulos, sendo eles:
1. Conjuntos;
2. Funções;
3. Função Afim;
4. Função Modular, Função Exponencial e Função Logarítmica;
5. Sequência e Progressões;
6. Tratamento da Informação;
7. Introdução à Trigonometria.
Além disso, o livro também conta com uma seção de Respostas, onde os alunos podem
encontrar as respostas das atividades propostas pelo livro. As respostas são apresentadas no formato
de gabarito, assim, o aluno que continuar tendo dificuldade em alguma atividade deverá recorrer ao
professor para que venha ter sua dúvida sanada.
Com relação a cada capítulo, destacamos que no início é apresentado um texto que contextualiza à
matemática com a tecnologia, por exemplo, o capítulo 1 apresenta um texto sobre sites de busca e o
relaciona com a teoria de conjuntos. Também logo no início de cada capítulo podemos encontrar
uma tabela com as competências e habilidades que se espera que o aluno domine depois que
terminar de estudar o capítulo.
O livro [2] é dividido em 4 unidades e 11 capítulos. São eles:

1. Unidade 1: Números e estatística


1.1 Capítulo 1: Conjuntos numéricos e intervalos na reta real
1.2 Capítulo 2: Análise de dados e Estatística
2. Unidade 2: Estudo de Funções
2.1 Capítulo 3: Relações entre grandezas: funções
2.2 Capítulo 4: Funções afim
2.3 Capítulo 5: Funções quadráticas
3. Unidade 3: Progressões e Funções
3.1 Capítulo 6: Seqüências, progressão aritmética e progressão geométrica
3.2 Capítulo 7: Função exponencial, equação exponencial e inequação exponencial
3.3 Capítulo 8: Logaritmo e função logarítmica
4. Unidade 4: Funções e Trigonometria do triângulo
4.1 Capítulo 9: Operações entre funções
4.2 Capítulo 10: Trigonometria do triângulo retâgulo
4.3 Capítulo 11: Relações trigonométricas em um triângulo qualquer

É interessante notar que este livro [2] traz algumas demonstrações, o que consideramos
bastante positivo. Logo no início do livro, ao fazer a exposição dos números irracionais, podemos
verificar a presença da prova clássica da irracionalidade de raiz de 2 no quadro “Para
complementar”. No geral, o livro é bastante completo nos temas. Seus exercícios, como de praxe,
são em grande maioria de fixação. Para além destes, o livro traz problemas e atividades
diferenciadas, historicamente contextualizadas e que enriquecem o estudo, assim como algumas
aplicações físicas. Estas inserções foram de excelente qualidade: se viessem em maior quantidade,
certamente seria de agrado e para o benefício dos alunos e professores (ainda que a realidade da
carga escolar certamente dificulte esta ampliação).

Linguagem

Em geral, os livros seguem a gramática normativa do português brasileiro escrito sem,


entretanto, tornar o registro linguístico muito rebuscado e distante do público alvo. Para ilustrar,
alguns períodos são iniciados com a conjunção 'mas' ao invés de conectivos como 'entretanto' ou
'todavia', criando assim maior fluidez e semelhança com a oralidade.
No que diz respeito à escrita matemática, o simbolismo é mais presente que em coleções de
Ensino Fundamental mas ainda está distante do contexto universitário para o qual os alunos estão
sendo preparados. Em diversos enunciados de resultados matemáticos, as contrapartes em português
da simbologia lógica (e.g. quantificadores, 'se e somente se', 'se, então') são preferidas, tornando os
enunciados por vezes vagos. Por fim, apesar das semelhanças apresentadas acima, o livro [3] possui
maior densidade de informação que os demais.

Metodologia

A abordagem dos conteúdos é o ponto de maior divergência entre os livros analisados. Os


livros [1] e [3] apresentam os conteúdos para a seguir praticá-los com exercícios contextualizados,
por vezes buscando propriamente apresentar aplicações dos termos abordados. Não há tanto rigor
matemático; em geral os resultados são induzidos a partir de exemplos empíricos. De todos os livros
analisados, o livro [3] destaca-se por trazer abordagem mais tradicional.
O livro [3] apresenta com clareza os conceitos, para em seguida praticá-los com exercícios.
A maior parte destes é seca - trata direta e abstratamente os temas abordados. Algumas das questões,
porém, tentam aproximar os problemas da realidade, desenvolvendo uma situação-problema. O
livro ainda é cheio de curiosidades históricas e matemáticas, que relacionam o conteúdo
propriamente matemático com suas origens históricas; nestas, personagens, eventos e números tais
como a proporção áurea são abordados. O livro chega a trazer algumas demonstrações matemáticas.
O enfoque dos demais é, semelhantemente, a apresentação dos conteúdos seguida de prática e
exercício dos temas estudados, através de questões contextualizadas.
Relativo a referência [1] vemos que no corpo do capítulo percebemos que o autor opta por
se comunicar com os alunos por meio da apresentação dos conceitos matemáticos e por diversas
relações entre a matemática e outros campos do conhecimento, assim, o texto tem um grande teor
de contextualização da matemática, coisa esta, que hoje em dia, é imprescindível para atrair a
atenção do aluno. Além disso, o texto é munido de diversas figuras elucidativas que auxiliam os
alunos numa melhor compreensão do que está lendo, também encontramos no decorrer dos
capítulos diversos exercícios propostos resolvidos, que são seguidos por atividades propostas aos
alunos. Vale ressaltar que os exercícios resolvidos e as atividades se propõem a contextualizar a
matemática com diversas outras disciplinas e ramos do conhecimento como, por exemplo,
geografia, história, história da matemática, literatura, esportes, etc. As atividades se encontram num
nível crescente de dificuldade e, em sua maioria, são variações dos exercícios propostos resolvidos.
Por fim, os capítulos terminam com um questionário para o aluno fazendo-o refletir sobre o
que foi estudado no decorrer do capítulo, também apresenta alguns fatos históricos matemáticos
relacionados com o que foi estudo e propõem grupos de discussões entre os alunos e termina, enfim,
apresentando as ideias matemáticas usadas no decorrer do capítulo e como elas se relacionam.
Pode-se transportar a análise do livro [1] para o livro [2]. Semelhantemente, busca expor os
assuntos de matemática e relacioná-lo com diversos outros campos do conhecimento, com contínua
prática de fixação intercalada com problemas e atividades diferenciadas, assim como curiosidades
históricas cativantes.

Layout

O layout de todos os livros é semelhante e bastante claro, com margens e fontes amplas e
diversas figuras ilustrativas. Todavia, o [3], em alguns - raros - momentos apresenta um número
excessivo de imagens e quadros que podem atrapalhar a compreensão, ou a estética.
Com relação a referência [1] vemos que quanto ao layout dos capítulos, destacamos que nele
podemos encontrar diversas fotografias belíssimas que relacionam outros temas diversos com a
matemática e buscam chamar a atenção dos alunos, o livro é bem colorido e de ótima formatação,
com diversas figuras de ótima qualidade tanto no corpo do texto como para motivar as atividades
propostas e exercícios resolvidos, as cores e tamanhos usados na fonte são confortáveis.
O livro [2] também é bastante claro em seu layout e claramente fruto de muito pensamento e
dedicação. Seus diversos quadros diferentes respeitam sempre as mesmas formas, tornando-se o
leitor habituado ao esquema e significado das opções de cores, etc. Na maior parte do tempo, o
espaço e a grande quantidade de informação foram equilibrados. A parte mais pesada visualmente
pareceu-nos a voltada aos temas da estatística, onde houve alguma poluição visual. No entanto,
fazer diferente poderia consumir demasiada e ineficientemente o espaço.

Você também pode gostar