Você está na página 1de 3

Resumo Prova II Einstein – Aula 28

AVALIAÇÃO DAS HABILIDADES VISUAIS, ESPACIAIS E PRAXICAS


ADULTOS

Testes
 Figura complexa de Rey
 Desenho do relógio
 Cubos (WAIS-III)

Figuras complexas de Rey


 Avalia memória visual, habilidade visuoespacial e planejamento e
execução
 Foi criado em 1942 para auxiliar no diagnostico diferencial entre
debilidade mental constitucional e o déficit adquirido em consequência
de traumatismo crânio-encefálico.
 Tem duas formas A: avalia pessoas 5 a 88 anos e a B: avalia crianças
de 4 a 7

Objetivo:
 Avaliar a atividade perceptiva e a memória visual, nas fases de cópia e
reprodução de memória.
 Verificar o modo como o sujeito apreende os dados perceptivos que lhe
são apresentados e o que foi conservado espontaneamente pela
memória.

Aplicação
 Primeiro reprodução da figura, alguns autores recomendam a utilização
de diferentes cores para facilitar ao terapeuta a estratégia de
memorização utilizada pelo paciente
 Depois de um intervalo (que dependerá dos objetivos da avaliação) o
paciente deve reproduzir a figura de memória.
 O intervalo não deve ser maior que 3 minutos.

Pontuação
 A figura compõe-se de 18 itens, os quais juntos formam o todo da figura.
 A figura é pontuada de 0 a 36 pontos, que variam de acordo com a
precisão e o bom
posicionamento de cada
item da figura tanto na
memória quanto na cópia.
 Em 1945 Osterrieth desenvolveu a primeira análise qualitativa da cópia da
figura, analisando os
métodos utilizados pelos
examinandos para desenhar e os erros que eles cometiam na cópia da
figura.
 Considerando hábitos intelectuais, rapidez da cópia e precisão dos
resultados, Osterrieth identificou sete procedimentos diferentes ao copiar
a figura:
1. iniciar o desenho a partir do retângulo principal e depois adicionar os
detalhes;
2. começar com um detalhe ligado ao retângulo principal, ou fazer o
retângulo incluindo nele outro detalhe e depois terminar o retângulo;
3. começar com o contorno geral da figura sem diferenciar os detalhes
do retângulo principal;
4. realizar justaposição de detalhes um a um, sem estrutura organizada;
5. copiar partes discretas da figura sem organização;
6. associar a figura com um esquema familiar, como barco, casa;
7. o desenho é uma garatuja, onde não se consegue reconhecer os
elementos da figura.
 A análise qualitativa descrita por Osterrieth avalia a maneira como o
indivíduo planeja a construção da figura.
 Outros estudos relatam que há uma significativa relação entre a maneira
como o indivíduo planeja a construção da figura e o seu potencial para
evocá-la posteriormente.
 A evocação da memória no TFCR é melhor desempenhada, quando a
cópia da figura é realizada de forma organizada.
 O TFCR pode ser utilizado na avaliação de pacientes com lesão cerebral
com diferentes resultados alcançados por pacientes com lesão no
hemisfério esquerdo e direito.
 Podem demonstrar quando há algum tipo de lesão no lado direito do
cérebro e é sensível a alguns tipos de danos cerebrais, como disfunções
no lobo temporal.
 Pacientes com lesões no HE tendem a mostrar preservada a memória
da estrutura global da figura, porém com simplificação e perda de
detalhes.
 Já os pacientes com lesões no HD e que apresentam dificuldades na
cópia da figura, mostram problemas ainda maiores na recordação da
figura, perdendo muitos elementos do desenho e fazendo reproduções
crescentemente empobrecidas da figura original. Lesão no HD
dificuldade maior na copia e memorização

Teste do desenho do relógio


 Foi criado em 1953
 Atualmente é usado como teste de rastreio
 Avalia: memória, função motora, funções executivas e compreensão
verbal
 É utilizado na avaliação com hipótese diagnostica de Demência,
pacientes com demência tem dificuldade em executar a tarefa
 Os sinais de
declínio cognitivo
no TDR são mais
evidentes no momento em que o paciente indica de maneira errada o
horário, principalmente quando se exige o horário de onze horas e dez
minutos ou vinte para as quatro, em que é necessário o pensamento
abstrato para a execução da tarefa.
 Correção (zscore)

CUBOS (WAIS-III)
 Tem como objetivo avaliar a habilidade viuoespacial e práxica através da
reprodução de desenhos construídos com cubos coloridos
 MATERIAL: protocolo de aplicação, cubos, caderno de estímulos,
cronometro
Aplicação
 Início pelo 5° desenho
 Se o examinando obtiver 0 ou 1 ponto no modelo 5 ou 6, aplicar os
modelos 1 a 4 na ordem inversa, até que o examinador obtenha a
pontuação máxima (2 pontos), em dois itens consecutivos.
 A cada novo item misturar os cubos, não permitir rotação com o livro de
estímulos.
 Rotação de um modelo em aproximadamente 30 o é considerada
fracasso. Apenas 1 rotação poderá ser corrigida durante a aplicação do
subteste, e dizer: “ Veja, ele deve ficar nesta posição (demonstrar a
posição correta)”
 Do item 1-6 : pontuar 0-2 pontos
 Do item 7 para frente a pontuação tem bônus pelo menor tempo
variando de 0-7
 Interromper : 3 erros consecutivos

Você também pode gostar