Você está na página 1de 2

CARTA DA COALIZÃO UNIDOS PELO BRASIL EM APOIO AO PL 6726/16

Pelo fim dos supersalários no setor público

Por ano, o Brasil gasta R$ 2,6 bilhões* financiado uma série de regalias para um grupo de
servidores públicos que já são muito bem remunerados, formado principalmente por ​juízes e
membros do Ministério Público que recebem salários acima do teto constitucional,
atualmente no valor de R$ 39,2 mil.

Isso acontece pois os salários destes servidores são inflados com uma série de
penduricalhos, como auxílio-moradia, auxílio-creche, etc. Em alguns casos, o valor beira o
absurdo, com remunerações superiores a R$ 100 mil mensais para um único juíz.

E este não é um caso isolado. A própria média remuneratória de alguns tribunais supera o
teto: os tribunais militares, por exemplo, pagam em média R$ 51,8 mil por mês para seus
juízes; o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul paga em média R$ 61,1 mil e o do
Tocantins, R$ 58 mil**.

Acabar com esses supersalários e limitar as remunerações no setor público ao teto


constitucional é urgente para o Brasil por duas razões: esta prática é uma forma de burlar a
lei, ao criar uma série de benefícios que não são considerados salários, mas na prática,
remunera o grupo de servidores em questão. Hoje, 36% da remuneração de juízes é
composta por estes extra salariais. O que era um teto, virou uma base.

Outra razão é o cenário devastador que o Brasil vive. São 14 milhões de desempregados e
o número de brasileiros vivendo na extrema pobreza pode superar os 20 milhões com o fim
do auxílio emergencial***. O valor gasto com os supersalários daria para financiar o Bolsa
Família para 1,1 milhão de famílias por um ano, considerando o valor médio de R$ 190
mensais por família.

Por tudo posto, a coalizão Unidos pelo Brasil escreve aos ​deputados federais para que
votem favoráveis ao PL 6726/16 na Câmara dos Deputados​, dando um fim definitivo aos
supersalários no Brasil. O projeto já foi aprovado no Senado e espera apenas ser apreciado
no plenário da Câmara há mais de 4 anos.

Como dito, esse é um tema urgente para o Brasil. Um medida que trará impactos positivos
para a população mais vulnerável do país, onerando apenas uma fatia muito rica da
população, além de ser mais um marco da postura republicana do Congresso Nacional.

*Estimativa elaborada pela equipe técnica do CLP - Centro de Liderança Pública


**Conselho Nacional de Justiça
*** Estimativa elaborada pela equipe técnica do CLP - Centro de Liderança Pública
Organizações que assinam a carta:

1. CLP (Centro de Liderança Pública)


2. IMM (Instituto Moreira Matos)
3. Ranking dos Políticos
4. Movimento ACREDITO
5. LIVRES
6. Associação Comercial de Pernambuco
7. Inspire Capital
8. MBL
9. Nas Ruas
10. Instituto Millenium
11. VemPraRua
12. CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil)
13. Terraço econômico
14. AELO (Associação das empresas de desenvolvimento urbano e loteamentos do
Brasil)
15. Instituto Livre Mercado