Você está na página 1de 10

LAUDO TÉCNICO DE SPDA – SISTEMA DE

PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS


ATMOSFÉRICAS.
Laudo no EGM2020GC440

Revisão Data Alteração Observação


00 20/10/2020 Laudo Técnico SPDA Emissão Inicial

Contratante: Bauminas Química S.A.


Obra e Endereço: Distrito Industrial de Luziânia – GO Quadra 28 Lote 21 Luziânia – GO

CEP 72.832-000

CNPJ: 19.525.278/0010-00

Elaborado por:

Wygnes Albino Assinado de forma digital por


Wygnes Albino da Silva

da Silva Dados: 2020.10.20 12:18:13


-03'00'
__________________________________

Wygnes Albino da Silva


Engenheiro Eletricista/ Segurança do Trabalho
CREA 5691/D-DF

P á g i n a 1 | 10
CONTEÚDO

1. OBJETIVO.

2. NORMAS APLICÁVEIS.

3. GENERALIDADES.

4. LAUDO TÉCNICO SPDA/MALHA DE TERRA.

4.1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS.

4.2. METODOLOGIA.

4.3. REGISTRO DAS MEDIÇÕES.

4.4. DIAGRAMA DAS MEDIÇÕES.

4.5. IMAGENS POR AMOSTRAGEM.

4.6. CONCLUSÔES QUANTO AO SPDA/MALHA DE TERRA.

P á g i n a 2 | 10
1. OBJETIVO.

Elaboração de Laudo Técnico das condições do SPDA – Sistema de Proteção contra


Descargas Atmosféricas da edificação onde opera a empresa Bauminas Química S.A.
Ltda.

2. NORMAS APLICÁVEIS.

Norma Técnica Brasileira NBR-5419 (Proteção de estruturas contra descargas


atmosféricas);

NR – 10 (Segurança em instalações e segurança em eletricidade).

3. GENERALIDADES.

3.1. O presente Laudo é um documento composto por imagens e evidências objetivas


de medições realizadas, fundamentando apontamentos de eventuais não
conformidades, seguidas de sugestões de soluções capazes de corrigi-las;

3.2. Aborda as condições das instalações que configuram o SPDA da edificação situada
em endereço informado na capa (Vide imagem via satélite disponível neste documento);

3.3. As instalações em análise estão em edifício composto por blocos separados entre
si, contendo uma edificação principal e outras edificações distribuídas no lote;

3.4. Observa entre outras diretrizes, as normas aplicáveis anteriormente citadas, bem
como projeto de SPDA apresentado pelo cliente;

3.5. Está registrado junto ao CREA-GO por meio da ART – Anotação de Responsabilidade
Técnica sob o número 1020200209317 ao qual anexamos uma cópia assinada
digitalmente.

P á g i n a 3 | 10
Vista aérea das edificações que compõem a planta.

4. LAUDO TÉCNICO SPDA/MALHA DE TERRA.

O presente documento tem por objetivo atestar as condições técnicas do Sistema de


Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), instalado na edificação.

4.1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS.

Por definição, a palavra sistema designa um substantivo masculino que, entre outros
significados, admite que sistema é um conjunto de elementos, concretos ou abstratos,
intelectualmente organizados.

Um SPDA– Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas é exatamente isso e, de


maneira simplificada poderíamos dividir este Sistema em seis conjuntos de elementos
distintos:

1º) Captor – Responsável pela troca de elétrons e, em última análise, por receber
eventuais descargas atmosféricas. Os captores, convencionalmente, são do tipo vertical
ou Franklin, podendo ser instalados separadamente ou de forma combinada,
dependendo da filosofia que o projetista adotar;

2º) Malha aérea – Responsável pela interconexão entre os captores e as descidas, bem
como desempenha papel na troca de elétrons;

3º) Descida – Responsável pela interconexão da malha aérea, malha de térrea,


vinculação de elementos passíveis de equalização, entre outras funções. De modo geral
P á g i n a 4 | 10
é classificada como descida natural (Quando utilizamos elementos estruturais da
edificação) ou descida forçada (Quando especificamos a confecção de descidas em
cordoalha de cobre nu, fitas ou outros materiais admitidos em norma) dispostas
conforme possibilidades de aplicação e da filosofia que o projetista adotar;

4º) Ponto (Ou caixa) de inspeção – São elementos que nos permitem, entre outras ações,
a desconexão provisória e proposital entre as malhas aérea e de terra;

5º) Barra ou caixa de equalização – São elementos que nos permitem, em face de
necessidade ou conveniência, manter o potencial no mesmo nível entre malhas de terra
ou anéis diferentes;

6º) Malha de terra – É composta, por sua vez, de elementos imprescindíveis ao


escoamento de transientes, com ênfase às hastes. Ela é responsável pela conexão de
todas as hastes de aterramento entre si, bem como a conexão entre malhas ou anéis
diferentes via barra de equalização. Em um SPDA a malha de terra desempenha a função
primordial de promover o escoamento de eventual ddp – diferença de potencial
decorrente de uma descarga atmosférica dentro do menor tempo possível. Diante da
exposição das funções essenciais desses conjuntos de elementos, segue:

4.2. METODOLOGIA.

O procedimento utilizado na elaboração do Laudo Técnico seguiu os seguintes passos:

a) Anotação de Responsabilidade Técnica – ART - junto ao CREA/GO – Conselho


Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás;
b) Análise do projeto de SPDA fornecido para entre outras ações a localização de
pontos que representativos para medições;
c) Efetuar e registrar as medições;
d) Efetuar registro fotográfico por amostragem das medições de acordo com os
pontos referidos no item b;
e) Indicar o método da medição adotado (p.e. Wenner);
f) Proceder ao tratamento dos dados coletados;
g) Emitir o Laudo Técnico.

4.3. REGISTRO DAS MEDIÇÕES.

Realizamos medições de resistividade da malha de aterramento, em ponto aleatório em


caixa de inspeção indicada em projeto.
O ponto escolhido foi a caixa de inspeção situada na calçada da subestação de entrada
de energia, próxima a ponto de equalização, indicada em projeto.
Equipamento utilizado: Terrômetro digital MINIPA MTR 1522
Escala adotada: 40 Ω (Quarenta Ohms)
P á g i n a 5 | 10
Data da medição: Dia 19 de outubro de 2020, às 15:20 horas.
Condição climática: Tempo nublado.
Condição do solo: Úmido.
Observação: Ocorreu chuva moderada no dia anterior.
Método de medição adotado: Wenner.
Resistividade Média da malha: 3.48 Ω (Três virgula quarenta e oito Ohms)

A resistividade média resulta da aplicação do método de interpolação:

4.4. DIAGRAMA DAS MEDIÇÕES.

P á g i n a 6 | 10
4.5. IMAGENS POR AMOSTRAGEM.

Evidências objetivas das medições

Foto 1 A: Evidência da primeira medição. No display é possível verificar a leitura


declarada e, no detalhe do círculo de cor laranja, a escala adotada (40 Ω).

Foto 1 B: Evidência da segunda medição. No display é possível verificar a leitura


declarada e, no detalhe do círculo de cor laranja, a escala adotada (40 Ω).

Foto 1 C: Evidência da terceira medição. No display é possível verificar a leitura


declarada.

Evidências objetivas das conexões do terrômetro à caixa de inspeção e hastes


provisórias de medição

Foto 2 A: Conexão à caixa de inspeção (Detalhe círculo laranja).

Foto 2 B: Conexões às hastes provisórias (Detalhe círculos laranja).

P á g i n a 7 | 10
Evidências objetivas da filosofia mista do SPDA

Foto 3: Captor tipo Franklin sobre caixa d’água (Detalhe círculo laranja).

Foto 4: Captores verticais característicos da filosofia Gaiola de Faraday (Apontados pelas


setas laranja).

P á g i n a 8 | 10
Evidências objetivas das boas condições das instalações do SPDA

Foto 5 A: Bloco da recepção: Descidas confeccionadas em cordoalha de cobre nu em


bitola recomendada (35mm²), protegidas com eletroduto até 2,5 metros de altura, em
perfeitas condições (Vide detalhe dentro do círculo laranja).

Foto 5 B: Cubículo da subestação de entrada de energia: Descidas confeccionadas em


cordoalha de cobre nu em bitola recomendada (35mm²), protegidas com eletroduto até
2,5 metros de altura, em perfeitas condições (Vide detalhe dentro do círculo laranja).

P á g i n a 9 | 10
Foto 5 C: Exemplo de garantia de continuidade de armadura no telhado e “siding”
confeccionado com telha metálica (Detalhe no círculo laranja).

Foto 5 D: Exemplo de equalização (aterramento) de massas metálicas à malha de terra


(Detalhes nos círculos azuis).

4.6. CONCLUSÔES QUANTO AO SPDA/MALHA DE TERRA.

a) Fundamentado nos conceitos apresentados no item 4.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS,


podemos afirmar que o SPDA existente no local está executado de acordo com o projeto
apresentado pela Bauminas Química S.A., possuindo todos os elementos que compões
tal sistema;

b) A filosofia de projeto e de instalação é a mista, ou seja, parte da edificação é atendida


pelo método Gaiola de Faraday e parte da edificação é atendida pelo método captor
Franklin;

c) As instalações do sistema apresentam excelente aspecto construtivo e de


manutenção;

d) As medições realizadas pelo método Wenner resultaram em valores bem abaixo do


valor máximo aceitável por norma, portanto esta consultoria considera que o sistema
analisado ESTÁ APTO para a destinação de uso.

P á g i n a 10 | 10

Você também pode gostar