Você está na página 1de 24

À IMAGEM E SEMELHANÇA

De Evana Ribeiro
CAPÍTULO 17

Copyright
CENA 1 - CASA DE LAYLA/CORREDOR - INT - NOITE
Continuação do capítulo anterior. Johann sai do quarto de
Michael e encontra Amanda e Darren sentadas no chão.
DARREN
(baixinho)
Como ele está?
JOHANN
Vamos deixar ele chorar, desabafar.
Amanhã ele estará melhor.
AMANDA
Contamos para a mamãe o que
aconteceu?
JOHANN
É melhor não. Ela já teve muitos
aborrecimentos nos últimos dias e
precisa de um pouco de paz para
trabalhar.
Johann sai. Amanda e Darren se levantam e vão para seus
respectivos quartos.
CORTA PARA

CENA 2 - ÔNIBUS - INT - NOITE


Milena e Ana Paula estão sentadas nos primeiros bancos do
ônibus, conversando despreocupadas. No último lugar do mesmo
ônibus, Jerri está observando as duas, muito quieto, temendo
ser visto. Em Boa Viagem, as meninas descem. Uma parada
depois, Jerri desce.
Travelling acompanhando a corrida de Jerri para alcançar Ana
Paula e Milena. Ele pára em um quiosque e consegue ver as
duas entrando no Edifício Holyday. Quando elas entram no
prédio, Jerri se aproxima mais rápido, um pouco nervoso, e
pára na frente do edifício.
JERRI
Então é aqui que vive a dona dos
meus sonhos!
Jerri tira uma nota fiscal amassada do bolso, um lápis e
anota o nome do prédio. Em seguida, se afasta da mesma forma
apressada e pega um ônibus.
CORTA PARA
2.

CENA 3 - SALA DE PROVA - INT - DIA


A sala está cheia de candidatos aguardando o começo do
concurso. Leon está sentado em uma das últimas cadeiras, no
canto esquerdo da sala (lado da janela) O sol está muito
forte e ele fecha parcialmente a cortina.
FADE PARA

CENA 4 - QUARTO DE LEON - INT - DIA


Flashback de cena da infância de Leon. Leon, vestido com o
uniforme do colégio, tem seus cabelos penteados por Alice.
ALICE
(ainda penteando os cabelos do
menino)
Então, meu bem, está preparado para
a prova de hoje?
LEON
Mais ou menos...
ALICE
Tenho certeza de que você vai se
dar muito bem. Você é o melhor! O
mais inteligente, o mais bonito...
(beija Leon, que sorri de olhos
fechados) Agora vá, seu pai já deve
estar esperando. Faça uma boa
prova!
LEON
(saindo)
Obrigado, mamãe! (fecha a porta)
FADE PARA

CENA 5 - SALA DE PROVA - INT - DIA


Continuação da cena 3. Leon está pensativo.
LEON
(off)
Acho que eu só era o melhor pra
mamãe mesmo... Valentina sempre foi
a melhor em tudo! Tudo!
Toca o sinal para o início da prova. Todos os candidatos se
debruçam sobre suas provas.
3.

LEON
(baixinho)
Mas dessa vez eu vou provar que
posso ser melhor que ela. (começa a
ler a prova)
CORTA PARA

CENA 6 - FLAT DE VALENTINA/SALA - INT - DIA


Valentina está deitada no sofá, lendo jornal, aproveitando
seu dia de folga. A campainha toca.
VALENTINA
(solta o jornal no chão e
levanta)
Ai, meu Deus! Quem pode ser a uma
hora dessas? (abre a porta)
O entregador entrega um grande buquê de rosas vermelhas para
Valentina e vai embora sem falar nada. Valentina procura
rapidamente pelo cartão e, como não o encontra, sai correndo
atrás do entregador.
Travelling acompanhando a corrida de Valentina.
VALENTINA
Hey, wait! Who sent this?
O entregador não atende ao chamado de Valentina e some de
seu campo de visão.
VALENTINA
(voltando)
Entregadores esquisitos. E
admiradores mais esquisitos ainda!
(tempo) Isso aqui deve ser pra
Lucille. Se for pra mim, esse
admirador tá mais do que mal
informado... Eu nem sou fã de rosas
vermelhas!
CORTA PARA

CENA 7 - SALA DE PROVA - INT - DIA


O recinto começa a esvaziar. Alguns candidatos levantam-se,
entregam as provas e saem. Leon preenche o gabarito, sem
pressa alguma. Termina, olha o papel uma última vez,
satisfeito, levanta-se, entrega os papéis e sai.
CORTA RÁPIDO PARA
4.

CENA 8 - PONTO DE ÔNIBUS - EXT - DIA


Leon está sentado, esperando o ônibus. Não há ninguém perto
dele. Jerri se aproxima e senta ao lado dele.
JERRI
Ei, amigo. (olha para Leon) Sabe se
passou algum ônibus indo para o
Centro?
LEON
Faz pouco tempo que eu tô aqui. Até
agora não passou nenhum.
Os dois ficam um minuto em silêncio.
JERRI
Puxa, hoje eu perdi a hora mesmo!
Será que o camarada da lotérica tá
cuidando da minha carrocinha
direito?
LEON
(olha para Jerri, interessado)
Vendedor?
JERRI
É.
LEON
De doces?
JERRI
Não, de CDs alternativos,
genéricos. Ou, como chamam por aí,
piratas.
LEON
Mas isso é crime!
JERRI
Eu só faço vender, não produzo não.
LEON
Por que você não tenta vender outra
coisa?
JERRI
Eu tentei, meu nobre! Até vendedor
de calcinhas eu já fui. Mas só fui
dar certo mesmo com os CDs. Não é
uma coisa que se diga ’puxa, como o
Jerri lucra!’ Mas pelo menos tô
(MAIS...)
5.

JERRI (...cont.)
pagando o aluguel do meu quartinho
em dia. (tempo) A propósito, meu
nome é Jerri Adriano.
LEON
O meu é Leon.
JERRI
(estende a mão para Leon)
Muito prazer! (os dois apertam as
mãos) Que ônibus vai pegar?
LEON
Qualquer um que passe por Boa
Viagem.
Um ônibus se aproxima. Jerri pede para ele parar.
JERRI
Esse aqui vai pra lá. Eu vou nele
também, ele passa pela minha
parada.
Jerri sobe no ônibus, e Leon vai logo atrás dele.
CORTA PARA

CENA 9 - ÔNIBUS - INT - DIA


Jerri e Leon pagam a passagem e sentam-se em assentos no
meio do ônibus.
JERRI
Você é daqui mesmo?
LEON
Não, sou de São Paulo.
JERRI
Eu suspeitava... Chegou aqui há
muito tempo?
LEON
Não muito... Estou aqui há uns dois
meses. A primeira semana num hotel,
depois aluguei um apartamento no
Edifício Holyday. Conhece?
JERRI
Claro que conheço! É lá que mora a
mulher da minha vida!
6.

LEON
Hum, está apaixonado!
JERRI
Muito! Eu ainda vou casar com essa
mulher. Dá uma olhada aqui nesse
poema que eu escrevi pra ela. (tira
um papel amassado do bolso e
entrega a Leon)
LEON
(lê rapidamente)
Amor foi o que senti na primeira
vez que te vi;
Não sei se poderei viver sem você
aqui;
Agora que sei que você existe não
consigo te esquecer;
Porque sonhar contigo me dá imenso
prazer;
Antes eu vivia sem rumo, hoje isso
mudou;
Um dia juntos estaremos e felizes
seremos;
Levarei você para viver no lugar
mais lindo do mundo;
Amar você é tudo o que eu faço a
cada segundo.
Junte as iniciais e descobrirá o
nome da moça do meu sonho de amor.
JERRI
Fui eu quem fiz!
LEON
É, meus parabéns! (tempo) O nome da
menina é Ana Paula? E mora no
Edifício Holyday?
JERRI
Isso mesmo.
LEON
Como ela é?
JERRI
Morena, cabelos ondulados, olhos
castanhos, e uns seios...
LEON
Tá bom, tá bom! Eu acho que conheço
ela. Quando você conheceu ela?
7.

JERRI
Faz uns dias já... eu tava
trabalhando na praça do Diário
quando a vi. Ela estava com uma
amiga, a Milena. Essa é uma
loirinha...
LEON
Ah, eu conheço elas então!
JERRI
Conhece? (levanta a voz) Ah, meu
Deus, não acredito! Um amigo da
minha musa!
Todos os passageiros olham para eles.
LEON
Acho melhor falar mais baixo.
(tempo) Ah, peraí! É você o tal que
dedicou música pra Ana Paula no
rádio?
JERRI
É, fui eu. (levanta e dá sinal
pedindo para descer) Eu vou descer
aqui. (tempo) Você fica com esse
papel aqui e entrega pra ela?
LEON
Tá... Tudo bem.
JERRI
Valeu, amigo! Ah, toma esse
cartãozinho aqui, tem meu telefone.
Tchau!
LEON
Tchau... (olha o cartão
rapidamente) Jerri Adriano,
vendedor. (guarda o cartão e o
bilhete para Ana Paula dentro do
bolso e segue viagem)
CORTA PARA

CENA 10 - BAR SACRIPANTAS - INT - DIA


Meire e Luigi conversam, enquanto fazem um lanche.
8.

LUIGI
(percebendo preocupação no
rosto de Meire)
O que acontece?
MEIRE
Nada, nada! Eu só não tive um sono
muito bom. Tive um sonho terrível
com as meninas. (tempo) Sonhei que
elas estavam juntas num lugar
deserto. Parecia uma praia, mas não
tinha mar! No meio do sonho Ana
Paula se afastava da Cela e da
Flor, e sumia! E as meninas
gritavam, e choravam... Será que
isso quer dizer alguma coisa?
LUIGI
Pode ser que seja exatamente o
contrário, elas podem estar muito
unidas...
MEIRE
Espero que você esteja certo. Eu
morreria se descobrisse que algo
anda mal com elas...
CORTA PARA

CENA 11 - CASA DE JAIRO/QTO DE FLORA E MARCELA - INT - DIA


Flora está deitada em sua cama, triste. Talles entra em
silêncio, com um pacote de salgadinhos e uma garrafa de suco
de laranja.
TALLES
Oi, Flora!
FLORA
Oi.
TALLES
Olha o que eu trouxe pra você. Sua
irmã disse que você gosta muito de
salgadinhos de queijo.
FLORA
Ah, brigada. Só que agora eu não
quero comer.
9.

TALLES
Você devia experimentar. (come um
salgadinho) Tá uma delícia. (tempo)
Por que você não sai pra brincar no
quintal?
FLORA
Porque desde que Aninha foi embora,
não vejo mais graça em nada.
TALLES
Mas se ela voltar hoje, não vai
gostar de te ver assim, branquela,
magrinha e feia.
FLORA
(levanta)
Branquela, magrinha e feia?
TALLES
É assim que você tá. Ah, esqueci de
dizer! Tá despenteada também.
FLORA
Ora, seu...
TALLES
Aninha não ia gostar!
FLORA
(depois de um tempo pensativa)
É, você tá certo.
TALLES
Então vai sair pra brincar hoje?
FLORA
Vou.
TALLES
Amém! Primeiro come, depois troca
de roupa e vem brincar, tá? (abre a
porta para sair)
FLORA
Ei, espera aí! Eu não vou conseguir
comer isso tudo sozinha. Senta aqui
e come comigo!
Talles senta ao lado dela na cama e eles começam a comer os
salgadinhos.
CORTA PARA
10.

CENA 12 - 3º ANDAR DO ED. HOLIDAY - INT - DIA


Leon tira alguns papéis dos bolsos, procurando o papel que
Jerri deu a ele no ônibus. Tenta separar os papéis amassados
e acaba os derrubando. Ele senta no chão para poder separar
os papéis direito e encontra o papel.
LEON
(ri)
Como será que a Aninha vai reagir
quando descobrir que virou musa
inspiradora?
Leon recolhe os papéis, levanta, passa o bilhete amassado
por baixo da porta do apartamento de Ana Paula, guarda os
outros papéis no bolso e entra em seu apartamento.
CORTA RÁPIDO PARA

CENA 13 - APARTAMENTO DE ANA PAULA E MILENA - INT - NOITE


Ana Paula e Milena chegam em casa. Ana Paula corre para o
banheiro. Milena percebe um papel amassado no chão e o
recolhe. Ela lê rapidamente o papel e começa a rir.
MILENA
Aê, Aninha!
ANA PAULA
(volta correndo)
Aê Aninha o quê??
MILENA
Escuta só essa:
"Amor foi o que senti na primeira
vez que te vi;
Não sei se poderei viver sem você
aqui;
Agora que sei que você existe não
consigo te esquecer;
Porque sonhar contigo me dá imenso
prazer;
Antes eu vivia sem rumo, hoje isso
mudou;
Um dia juntos estaremos e felizes
seremos;
Levarei você para viver no lugar
mais lindo do mundo;
Amar você é tudo o que eu faço a
cada segundo.
Junte as iniciais e descobrirá o
nome da moça do meu sonho de amor."
Adivinha de quem ele tá falando?
11.

ANA PAULA
Não faço idéia.
MILENA
Ora, Ana Paula! De você!
ANA PAULA
O quêêêêê? (arranca o papel das
mãos dela) Me dá isso aqui.
MILENA
Não vai rasgar, hein?
ANA PAULA
(olha o papel e começa a rir)
Ai... Que coisa mais brega!
MILENA
Pôxa... Não vale rir de um homem
apaixonado.
ANA PAULA
Isso só pode ser coisa daquele
cover de cantor brega... Jerri
Adriano! (tempo) E você só defende
ele porque tá apaixonada também!
MILENA
Não tem nada a ver uma coisa com a
outra.
ANA PAULA
Claro que tem! Os apaixonados
sempre vêem tudo mais florido, mais
bonito... Até uns versinhos
horrorosos que nem esses aqui viram
uma obra prima da poesia mundial!
MILENA
Ah... Deixa pra lá, eu vou tomar
banho, tá? (sai)
Sozinha, Ana Paula amassa o papel e joga dentro de um
vasinho com flores artificiais.
CORTA PARA
12.

CENA 14 - APARTAMENTO DE LEON/SALA - INT - NOITE


Leon está assistindo televisão, deitado no sofá. Seu rosto
exibe um sorriso tranqüilo, de quem cumpriu uma missão. A
campainha toca. Ele levanta-se, abre a porta e reage
alegremente ao ver Milena.
LEON
Oi, Milena! Tudo bom? Entra!
MILENA
Você parece estar tão feliz hoje!
LEON
É que fiz uma boa prova. Acho que
dá pra tirar uma nota boa. (tempo)
MILENA
Você se esforçou muito. Merece
mesmo passar. Ah, quer jantar com a
gente hoje?
LEON
Pizza de novo?
MILENA
Não, a Aninha veio com umas idéias
de comer comida japonesa e tal...
LEON
Puxa, eu adoro comida japonesa!
MILENA
(baixinho)
Eu nunca comi... (ri)
LEON
É muito boa. Acho que você vai
gostar.
MILENA
Se não, a gente pede pizza! (ri)
Vamos?
LEON
Antes eu vou tomar um banho, tô
morrendo de calor.
MILENA
Ok, te espero lá em casa. (sai)
Leon fecha a porta, desliga a TV e entra pelo corredor.
CORTA PARA
13.

CENA 15 - AP. DE ANA PAULA E MILENA/SALA - INT - NOITE


Ana Paula, Leon e Milena estão sentados no sofá, comendo
sushi e conversando.
LEON
Ah, Ana! Eu já ia esquecendo. Hoje
eu conheci um fã seu!
ANA PAULA
Outro? Se for igual ao que eu
conheço, melhor parar por aqui.
LEON
Já tem outro?
MILENA
É um carinha que vende CD pirata, o
nome dele é...
LEON
Jerri Adriano! Foi ele mesmo quem
eu conheci.
ANA PAULA
(tira o bilhete amassado do
vaso e entrega a Leon)
Vê só isso.
LEON
São os versinhos que ele escreveu
com as suas iniciais? Eu já vi.
ANA PAULA
Ah... Então é você o pombo correio,
né?
LEON
É! O Jerri é gente fina, não
custava nada dar uma forcinha...
MILENA
Essa Ana Paula tá reclamando
demais. Cuidado que pode chegar o
dia em que nem o Jerri nem ninguém
vai querer ficar com você.
ANA PAULA
(batendo na mesa de madeira
três vezes)
Isola! (bate mais seis vezes) Só
pra garantir.
Eles continuam comendo.
14.

CORTA PARA

CENA 16 - CASA DE LAYLA/QUARTO DE MICHAEL - INT - NOITE


Michael está deitado na cama, imóvel. Usa fones de ouvido.
Alguém bate na porta dele, que não atende. Silêncio.
Ouvem-se mais uma vez batidas na porta. Depois de mais um
breve momento de silêncio, a porta se abre devagar. Darren
entra no quarto, lentamente. Caminha devagar e em silêncio
até a cama de Michael, se agacha e fica alguns instantes em
silêncio, olhando para ele. Sua expressão é um misto de pena
e ternura.
DARREN
(baixinho)
Acordado.
MICHAEL
(percebe a presença de Darren,
tira os fones de ouvido e olha
para ela, sem se levantar)
Estou há horas tentando, mas não
consigo dormir.
DARREN
Foi o que aconteceu ontem, não é?
Também não consegui dormir direito.
MICHAEL
Mas não foi com você.
DARREN
Eu me preocupo com você. Todos nós
nos preocupamos.
MICHAEL
Eu sei, minha querida. Sei o quanto
vocês se preocupam e agradeço. Mas
sinceramente, não deviam se
preocupar tanto assim.
DARREN
Papai disse que você estava muito
bravo ontem com Valentina. O que
houve?
MICHAEL
Nada importante. Sério. Ela nem
sabe que estou chateado assim.
(força um sorriso)
15.

DARREN
Deixa eu ver se adivinho... Você
está com ciúmes dela.
Michael não responde.
DARREN
Não precisa falar nada. Seu rosto
já deu a resposta. (segura a mão de
Michael) Escute um conselho de sua
irmã menor: se você ama, seja a
Valentina, seja quem for, não
desista por causa de ciúme. É... eu
acho que é normal ver aquela pessoa
de quem se gosta em companhia de
outra e começar a imaginar coisas,
mas não se deixe levar por esses
pensamentos. Eles só fazem machucar
o seu coração.
MICHAEL
Puxa... Ouvindo você falar assim,
até parece que o menor aqui sou eu!
Acho que vai entrar para a lista
dos conselhos mais sábios que já
ouvi na vida.
DARREN
Espero que sirva para melhorar o
seu dia. (levanta) Quer ir ao
cinema?
MICHAEL
Obrigado, minha irmã, mas hoje eu
quero ficar em casa, descansando.
Diga ao pessoal que fique
tranqüilo, não pretendo fazer
nenhuma bobagem.
DARREN
Sim, eu digo! Se precisar, é só
ligar. Boa noite.
MICHAEL
Boa noite...
Darren joga um beijo para Michael e sai. Michael recoloca os
fones de ouvido e volta a posição inicial.
CORTA PARA
16.

CENA 17 - VIDEOCLIPE
Imagens noturnas e diurnas da cidade de Londres e São Paulo,
ao som de Citizen Ship - Patti Smith.
CORTA PARA

CENA 18 - IGREJA CATÓLICA - INT - DIA


O recinto está lotado de pessoas esperando para a primeira
missa dominical. No primeiro banco, Clarice está sentada,
rezando. Ao terminar de rezar, olha atentamente para o
altar, esperando que o padre e Mateus entrem. Ela permanece
paralisada, como se esperasse ver algo sobrenatural.
O padre não aparece na hora marcada. Os fiéis começam a
ficar muito inquietos. Ao ouvir o barulho produzido pelas
conversas dos fiéis, Clarice sai repentinamente de seu
’transe’.
CLARICE
Mas essa missa não devia ter
começado?
Clarice olha para os lados, buscando uma explicação. O padre
aparece num canto e chama Clarice, discretamente. Ela vai ao
seu encontro.
PADRE
Dona Clarice, onde está Mateus?
CLARICE
Como? Ele não está aí com o senhor?
PADRE
Não! E eu não posso começar a missa
sem coroinha.
CLARICE
(nervosa)
Eu vou... Eu vou lá em casa ver o
que aconteceu, se ele ainda tá lá.
Clarice sai correndo pela igreja. Os fiéis continuam
inquietos e falando alto.
CORTA RÁPIDO PARA
17.

CENA 19 - CASA DE MATEUS - INT - DIA


Clarice entra na casa correndo e chamando o filho. Ela corre
entra em todos os cômodos gritando sem parar. Depois de
procurar em todos os lugares, volta à sala e senta no sofá,
desesperada.
CLARICE
(grita)
Ai, meu Deus! Onde será que esse
menino foi se meter?
CORTA RÁPIDO PARA

CENA 20 - CASA DE MEIRE/QTO DE FLORA E MARCELA - INT - DIA


A janela do quarto está aberta. Mateus aparece, olha para os
lados, certificando-se de que não há ninguém, e pula
rapidamente a janela, entrando no quarto. Ouvem-se sons de
passos, aproximando-se do quarto. Mateus, tentando fazer o
mínimo de barulho possível, entra no guarda-roupa vazio.
Meire entra no quarto, com uma vassoura e um espanador.
Começa a passar o espanador pelos móveis, que não estão
muito empoeirados.
MEIRE
(olhando para um urso grande,
sobre uma das camas)
Este bichinho aqui tá precisando
ser lavado... (larga o espanador
sobre a cama, pega o urso e sai)
Mateus sai do guarda roupa, julgando-se sozinho no cômodo.
Ouve os passos de Meire, voltando para o quarto. Ele volta
para o guarda-roupa, para se esconder. Meire chega e vê a
porta se fechando.
MEIRE
Quem está aí? (aproxima-se do
guarda-roupa) Quem está aí? (abre a
porta do móvel) O que é que você
está fazendo aqui?
MATEUS
(olhando para Meire, sorri)
Bom dia, dona Meire!
CORTA PARA
18.

CENA 21 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - DIA


O quarto está organizado, à exceção da cama de Michael. Ele
está sentado na cama, ainda com a roupa de dormir, dando a
impressão de que acabou de acordar. Está com o telefone sem
fio nas mãos e a agenda, aberta, no colo. Disca um número e
espera a chamada ser completada.
CORTA PARA

CENA 22 - FLAT DE VALENTINA/QTO - INT - DIA


Valentina dorme sozinha no quarto. O telefone toca.
Valentina não dá sinais de que vai acordar. O aparelho toca
mais quatro vezes, e pára.
CORTA RÁPIDO PARA

CENA 23 - CASA DE LAYLA/QTO DE MICHAEL - INT - DIA


Continuação da cena 21.
MICHAEL
Alô. A Valentina está acordada?
(tempo) Ainda não? (tempo) Ah...
CORTA RÁPIDO PARA

CENA 24 - FLAT DE VALENTINA/SALA - INT - DIA


Lucille fala ao telefone com Michael.
LUCILLE
Quer deixar recado? Quando
Valentina acordar eu...
VALENTINA
(entra correndo)
Ei, eu já acordei! Pode passar a
ligação!
LUCILLE
(sorrindo)
Ah, ela já está aqui! Vai falar com
você agora. (entrega o telefone a
Valentina)
VALENTINA
Alô? (tempo) Oi, Michael! (tempo)
Não, não me acordou não. (sorri)
19.

Tela se divide em duas, mostrando os dois interlocutores.


MICHAEL
(sorrindo)
Ah, bom... É que eu queria saber se
você está livre hoje à noite. Bem,
se você poderia... É...
VALENTINA
Sim, estou livre.
MICHAEL
Gostaria de jantar comigo hoje?
Você escolhe o lugar.
VALENTINA
Seria um prazer! Bom, hoje eu vou
para o hospital à tarde, mas...
MICHAEL
Seu carro ainda não tá pronto, né?
Eu posso ir te pegar no hospital,
sem problema nenhum.
VALENTINA
Muito obrigada!
MICHAEL
Então até a noite. Um beijo.
VALENTINA
Outro pra você.
Ambos desligam o telefone.
A cena passa a mostrar apenas o quarto de Michael, que
levanta-se sorridente e começa a arrumar a cama.
CORTA PARA

CENA 25 - CASA DE MEIRE/QTO DE FLORA E MARCELA - INT - DIA


Mateus está sentado em uma das camas. Meire está em pé, de
frente para ele, muito séria.
MEIRE
Agora você vai voltar pra casa e
pedir desculpas a sua mãe e ao
padre.
20.

MATEUS
Eu não quero voltar pra casa! Não
quero viver a vida que a minha mãe
quer que eu viva, entende?
MEIRE
Entendo, entendo perfeitamente! Mas
você não vai agüentar uma semana
longe da sua casa. Conheço bem essa
história.
MATEUS
Você também fugiu de casa, né?
MEIRE
Fugi, mas a história era outra.
Desde que a primeira mulher do meu
irmão tinha saído de casa, quem
cuidava de tudo ali era eu. E
quando eu fui embora, não estava
sozinha. (tempo) E eu não sirvo de
exemplo pra ninguém e é melhor você
voltar pra sua casa. Senão eu mesma
levo você lá!
MATEUS
(levanta)
Não, não precisa! Eu saio.
MEIRE
Vamos lá pra sala. Vou abrir a
porta pra você sair.
MATEUS
Não precisa! Eu saio por onde
entrei. (pula a janela)
Meire balança a cabeça negativamente.
MEIRE
Pobre garoto...
Meire pega a vassoura e começa a varrer o quarto.
CORTA PARA

CENA 26 - CASA DE JERRI/SALA - INT - DIA


Não há ninguém na sala. O rádio está ligado em volume alto.
Ouvem-se batidas na porta e um homem grita, chamando Jerri.
Jerri entra na sala, com os cabelos molhados e uma toalha
enrolada na cintura.
21.

JERRI
Quem é?
SENHORIO
Sou eu! Vim saber do aluguel!
JERRI
(entreabrindo a porta)
Eu... É... Senhorio querido!
(tempo) Não o esperava...
SENHORIO
(seco)
Percebi! Agora quero saber onde
está o dinheiro do aluguel.
JERRI
(abre totalmente a porta)
Puxa, eu ainda não... Sabe como é,
as vendas caíram um bocado
ultimamente. (sorri, sem graça)
SENHORIO
O que eu disse ao senhor, hein, seu
Jerri Adriano? (tempo) Disse que se
em uma semana o senhor não tivesse
pelo menos o dinheiro de um mês de
aluguel, eu seria obrigado a
despejá-lo. Já se passou uma
semana!
JERRI
E não tem uma segunda chance pro
amigo aqui?
SENHORIO
Seria a terceira, meu caro. Sinto
muito, mas não posso mais com isso.
Tem dois dias para se mudar. Isso é
tudo. (sai)
JERRI
(começa a correr atrás dele)
Ei, espera aí! Vamo conversar...
(percebe que está apenas de toalha,
pára imediatamente e volta para
casa)
CORTA RÁPIDO PARA
22.

CENA 27 - PRAÇA DO DIÁRIO - EXT - DIA


Jerri está empurrando sua carrocinha de CDs en volta da
praça. O movimento, tranqüilo, repentinamente começa a
aumentar.
Um pedestre chega correndo e pára ao lado de Jerri.
PEDESTRE
A polícia tá aí, cara! Tão
apreendendo material pirata.
JERRI
O quê?
PEDESTRE
Já pegaram teu fornecedor e dois
vendedores, tu é o próximo! Larga
essas coisas aí e corre!
JERRI
Não, eu...
O pedestre agarra Jerri pelo braço e o arrasta para longe.
Jerri assiste de longe a polícia chegar e apreender seu
material de trabalho.
CORTA PARA

CENA 28 - APARTAMENTO DE LEON/SALA - INT - DIA


Leon aparece na sala, ainda usando as roupas de dormir.
Passa rapidamente pelo cômodo e entra na cozinha. A
campainha toca. Ele volta e atende.
LEON
Bom dia, Jerri!
JERRI
Oi... Te acordei?
LEON
Não, não... Eu tava indo tomar
café.
JERRI
É que eu tava precisando conversar
com alguém, e pensei logo em
você... Foi só perguntar em que
andar você morava.
23.

LEON
Pela sua cara... Tem problemas, não
é?
JERRI
Problemão... Hoje eu acordei com o
pé esquerdo. Perdi meu ganha pão.
LEON
Puxa... Mas mais cedo ou mais tarde
a pirataria ia acabar te dando
problema.
JERRI
Só que isso não é o pior! (tempo)
Eu também vou perder minha casa! O
dono do quartinho onde eu moro
disse que tenho dois dias pra dar o
fora.
LEON
Sinto muito por você. Já tomou café
da manhã?
JERRI
Já, já. (tempo) Leon... Eu sei que
a gente se conhece bem pouquinho
mas você ficaria chateado se eu te
pedisse um favor?
LEON
Pode pedir. Se estiver ao meu
alcance...
JERRI
Então lá vai. (tempo) Posso morar
com você?
Leon olha para Jerri, assustado.

********** FIM DO CAPÍTULO 17 **********