Você está na página 1de 20

PSICOLOGIA

SOCIAL
Curso de Psicologia

Prof. Felipe Ferreira


Semestre – 2020.2
POR QUE
PSICOLOGIA
SOCIAL?
Sobre a nossa disciplina neste
semestre....

O que vamos estudar?

Vamos nos debruçar sobre as análises que buscam


compreender a forma como os indivíduos se relacionam entre si
e com o ambiente social. Trata-se de analisar os fenômenos
sociocognitivos e utilizar as contribuições da psicologia social
para pensar o lugar da(o) psicóloga(o), de forma que possamos
fomentar processos de reflexão acerca do campo social, bem
como de construção de práticas que estejam voltadas as
políticas públicas setoriais. Isso significa, que discutiremos o
compromisso social, ético e político da profissão, tendo em vista
a inserção com responsabilidade e qualidade da Psicologia nos
diferentes espaços institucionais
Na prática , isso quer dizer que...

Vamos estudar a diversidade das concepções que


construíram/ constroem e produziram/ produzem o
campo da Psicologia Social, a partir dos saberes e
das práticas que inicialmente estiveram ligadas ao
campo da comprovação e do experimentalismo
Psicológico...

E que podemos pensar, dentre outras coisas, como


a comprovação deste olhar e deste saber a todo
custo!
Além disso, vamos discutir também:

A dimensão ética e política incorporada ao


debate sobre Psicologia Social, tendo em
vista a necessidade de produzir
questionamentos acerca da forma como
vivemos em sociedade, considerando a
dimensão singular e coletiva dos sujeitos
nesta construção social.
Portanto...

Vamos nos debruçar sobre o estudo da


Psicologia Social enquanto uma possibilidade
de olhar e compreender os sujeitos nos
diferentes contextos . Isto é, buscar refletir
sobre este processo de forma a produzir
intervenções teórico –técnicas qualificadas na
condição de Psicológas(os)
Neste sentido, quando olharmos para os
saberes e as práticas que produziremos
conjuntamente neste espaço...

É fundamental que possamos reconhecer,


dentre outras coisas, uma atuação capaz de
propor:
- A diferença entre Psicologia Social e o que se
sabe sobre o “Social” da Psicologia;

- A diferença entre Psicologia social e o Senso


comum produzindo olhares sobre o Social e a
nossa formação cultural;
- A psicologia enquanto ciência e Profissão
produzindo olhares para os sujeitos e suas relações;

- A especificidade do campo da Psicologia Social no


âmbito da atuação profissional de Psicólogas(os);

- As possibilidades de intervenção a partir deste olhar,


considerando a inseparabilidade da teoria e da
prática para uma atuação qualificada;
Para que possamos atingir os objetivos desta
disciplina e sua relação com o projeto comum
da formação integrada na Psicologia, vamos
percorrer o caminho...

- Dos conceitos introdutórios e que fazem parte desta


disciplina, ou seja, o que eu não posso deixar de
identificar e saber quando falarmos sobre Psicologia
Social
Mas o que isso significa?

Que nos aproximaremos....

- Das principais Teorias Psicossociais;

- Do Eu Social e os grupos;
- Os fenômenos da Psicologia Social Contemporânea;

- A percepção Social e o comportamento Social na


atualidade;

- Agressão, Violência e Altruísmo;

- Estereótipos, Preconceitos e discriminação;


- Cultura, Identidade e sujeito para a Psicologia Social na
América Latina

- Psicologia Social e Pesquisa;

Psicologia Social e as relações internacionais e


transculturais;

- Produção de Subjetivadade;
Muito embora a Psicologia Social
apresente inúmeras possibilidades,
destacamos para o nosso espaço de
formação...

A prática da Psicologia Social na..

- Saúde
- Clínica
- Escola
- Trabalho
- Assistência Social
- Pesquisa
Sendo assim, a formação em Psicologia e,
em especial, a prática social deve ser
capaz de produzir movimentos que
permitam desabituar o olhar e
desnaturalizar a forma como vivemos,
entendemos, pensamos e sentimos a
vida...
Ou seja...

Há que se pensar em quatro perguntas


fundamentais para o processo de ampliação e
construção do pensamento no campo da
Psicologia Social...
São elas...

Por que eu faço?

Com quem eu faço?

De que forma eu faço?

Que efeitos eu pretendo produzir com a minha


prática?
Portanto, ao longo deste semestre vamos
pensar intervenções, produzir novas
práticas, ampliar nossa capacidade de
diálogo e qualificar, principalmente,
nossa escuta como condição fundante
para uma atuação transformadora, ética e
humana.
Atentos a essa dimensão complexa e
sensível ao campo da Psicologia Social...

Vocês estarão inseridas(os)...

Nos territórios, nas instituições e em


todos os lugares possíveis que a
Psicologia for convocada!
O psicólogo não pode mais ter uma visão
estreita de sua intervenção, pensando-a como
um trabalho voltado para um indivíduo, como se
este vivesse isolado, não tivesse a ver com a
realidade social, construindo-a e sendo
construído por ela. É preciso ver qualquer
intervenção, mesmo que no nível individual,
como uma intervenção social e, neste sentido,
posicionada. Vamos acabar com a ideia de que
mundo psicológico não tem nada a ver com
mundo social. Que sofrimento psíquico não tem
nada a ver com condições objetivas de vida. Os
psicólogos precisam ter clareza de que, ao fazer
ou saber Psicologia, estão com sua prática e seu
conhecimento interferindo na sociedade.
(BOCK, 1999)

Você também pode gostar