À imagem e semelhança De Evana Ribeiro

Capítulo 71

2 CENA 1 – LONDRES/AEROPORTO/HALL DE EMBARQUE – INT – NOITE Continuação da cena final do capítulo anterior. Karen faz um carinho em Angela, que continua a olhando com ar de espanto. Eles ouvem a chamada para o vôo, levantam e seguem para o portão de embarque. CORTA PARA CENA 2 Tomada do aeroporto. CORTA PARA CENA 3 – CASA DE LAYLA/SALA – INT – NOITE Amanda, Layla, Johann e Isaac estão reunidos, conversando. LAYLA – Agora falta pouco para Darren voltar para casa... AMANDA – Ainda bem! Não agüentava mais ficar sem ela em casa. LAYLA – Eu estava pensando que devíamos dar uma festa para recebê-la. O que acham? AMANDA – Eu acho ótimo. JOHANN – Acho que ela vai gostar... ISAAC – Poderiam aproveitar a oportunidade para comemorar outras coisas... AMANDA – Quais?

3

ISAAC – Consegui uma nova oportunidade de promoção. AMANDA – Puxa, que ótimo! ISAAC – Bem, com essa história do seqüestro da menina Angela, apareceu a oportunidade de conseguir mudar para um posto maior. Basta solucionar a questão a contento, devolver a menina para a mãe e prender a pessoa responsável. AMANDA – E, conseguindo isso, nos casamos. ISAAC – Não. Eu pensei melhor e decidi que podemos nos casar antes. O mais rápido possível. AMANDA – Ótimo! ISAAC – Vinte dias. Que tal? AMANDA – Mas em vinte dias não dá pra resolver nada... ISAAC – Você quer algo muito grande, festa ou algo parecido? AMANDA – Não, na verdade não. ISAAC – Então por que esperar tanto? Vinte dias é um prazo ótimo.

4 AMANDA – Então tudo bem... Na festa de Darren anunciamos a data. JOHANN (levanta) – Vou pegar uísque para nós. ISAAC (também levanta) – Quer que eu traga alguma bebida para você, Amanda? AMANDA – Não, não precisa. Isaac e Johann se afastam juntos até a adega. Johann serve uma dose de uísque; Isaac serve outra. JOHANN (baixinho) – Agora tem um bom motivo para manter Layla bem longe dessa brincadeirinha de detetive dela, não é? ISAAC – Ela pode até conseguir descobrir alguma coisa com isso, mas vou dar um jeito de levar o mérito por tudo. Esse é um dos motivos que me fazem querer casar tão rápido. JOHANN – É? ISAAC – Não me leve a mal. Eu adoro sua filha, mas por que não unir o útil ao agradável? JOHANN – Está certo, está certo. Em Johann,

5 CORTA PARA CENA 4 Tomada de São Paulo no começo do dia. Sonoplastia: Black hole sun. CORTA PARA CENA 5 – SÃO PAULO/HOTEL/APARTAMENTO DE JULIAN – INT – DIA Julian e Karen entram no quarto. Angela continua dormindo. JULIAN – Ela ainda não acordou? KAREN – Teve uma noite péssima. Chamava o tempo todo pela mãe... JULIAN – Vai ser uma adaptação difícil. Só espero que não acabe como as outras! KAREN – Não vai acabar, tenho certeza! Ela gosta de nós, quis vir por livre e espontânea vontade. (t) Mas quem será essa criatura desnaturada que abandonou essa menina? JULIAN – Não vamos saber nunca. (t) Mas mudando de assunto, hoje à noite nós vamos com o Júnior a um bar... Acho que é Sacripantas o nome. Ele disse que lá tem um cantor muito bom, que devíamos conhecê-lo... KAREN – Tudo bem! Vou arranjar uma babá para Angela esta noite. Será que nos classificados tem alguém? JULIAN – Não sei... Vou buscar um jornal lá embaixo.

6

Julian sai. Karen senta-se ao lado de Angela, ainda adormecida. KAREN – Tomara que não demore muito para que você me chame de mãe... Fecha em Angela dormindo. CORTA PARA CENA 6 – CASA DA FAMÍLIA PRADO/SALA DE JANTAR – INT – DIA Alice, Milena, Leon e Jerri terminam de tomar o café da manhã. LEON – Mãe, o pai deu alguma notícia? ALICE – Ele viu Valentina ontem. Ela ainda está internada, e louca para sair, para ir atrás de Angela. LEON – Internada? ALICE – É, ela foi atropelada, mas não se machucou muito. Fisicamente ela já está bem, mas o médico ainda não acha muito prudente dar alta agora. Ela pede a todo mundo para que tragam a menina, está muito inquieta, às vezes fala umas coisas que não fazem muito sentido... MILENA – Ontem eu tava vendo umas notícias na Internet, acabei lendo algo sobre esse caso. (t) Ela conhecia alguma Lucille Petrović?

7 ALICE – Era a babá dela. (t) Valentina a considerava uma mãe. Alice bebe um pouco de café. MILENA – Pois eu li que essa mulher era a principal suspeita do desaparecimento da menina, e agora dizem que ela está morta. Alice engasga com o café, mas logo se recompõe. ALICE – Como é? MILENA – Bem, foi isso que eu li. A polícia ainda está correndo atrás de novas informações. Se confirmarem a morte dela, é bem possível que ela não seja autora do crime, e sim mais uma vítima. (t) Se for assim, as investigações voltam para a estaca zero... JERRI – Meu Santo Antônio do Porquinho, quem poderia fazer uma crueldade dessas com uma criancinha inocente? ALICE – Quem sabe? LEON (levantando) – Bem, estamos atrasados pro trabalho, Jerri. Já terminou? JERRI – Já.

8 ALICE – Bem, já que vamos ficar sozinhas, Milena... Que tal se fôssemos ao shopping comprar algumas coisinhas? MILENA – Não posso... Tenho audição hoje. LEON – Já? MILENA – É. Tomada que tudo dê certo, porque essa é uma das últimas fases. JERRI – Mas é claro que vai. Tu arrasa! Dona Alice já ouviu essa menina cantando? ALICE – Ainda não. JERRI – Mas tem que ouvir. Ninguém pode passar por essa vida sem ouvir a minha amiga aqui. MILENA – Valeu, Jerri, mas você tá atrasando mais o Leon! JERRI – Ih, foi mal. Vamos nessa. Leon dá um beijo em Alice, depois em Milena. Jerri acena para as duas, sorridente, e eles saem. CORTA PARA CENA 7 – TEATRO – INT – DIA

9 Intervalo de ensaio. Ana Paula está sentada à beira do palco, com as pernas penduradas, bebendo água. Walter chega por trás dela e começa a massagear seus ombros. WALTER – A senhorita anda muito tensa, hein? ANA PAULA (saindo de perto dele) – É o cansaço. WALTER – E resolveu todos os seus problemas ontem? ANA PAULA – Resolvi sim. WALTER – Que bom. (t) Acho que hoje vou precisar de seus favores... ANA PAULA – Não sei em que posso ajudá-lo. WALTER (chegando mais perto dela, que recua a cada passo) – Não se faça de boba, menina. Você sabe muito bem o que eu quero e, por acaso, você também quer muito. ANA PAULA – De onde você tirou isso, hein? WALTER – Tá escrito na tua testa. Ana Paula tenta correr, e Walter corre atrás dela. Ficam correndo em círculos pelo palco até que ele a agarra. WALTER - Essa brincadeira de gato e rato é muito divertida, mas agora acabou.

10

Walter beija Ana Paula, que não faz o menor esforço para se soltar. Raul entra e vê a cena. RAUL (grita) – Ana Paula! Ao ouvir a voz dele, Ana Paula se solta rapidamente dos braços de Walter e quase cai no chão. RAUL – Isso foi uma cena da peça, ou é ensaio pra outra coisa? ANA PAULA (olhando para Walter, com raiva) – Vai, explica pra ele! A culpa é tua! WALTER – É, foi um ensaio. RAUL – Pois meus parabéns! Foi uma das cenas mais realistas que já vi na minha vida. Até parecia que tinham feito mais vezes. Ana Paula sai do palco sem olhar para nenhum dos dois. Raul sobe no palco e vai atrás dela. CORTA PARA CENA 8 – TEATRO/COXIA – INT – DIA Ana Paula pega sua bolsa e está quase saindo. Raul chega e a detém. RAUL – Vai pra onde?

11 ANA PAULA – Tô atrasada. RAUL – Atrasada pra quê? Vai se encontrar com outro cara influente que vai te prometer a lua, que nem eu e esse aí? ANA PAULA – Que prometer a lua? Ele não me prometeu nada não. E tem mais: eu vou pra uma gravação, que consegui sem a sua ajuda. RAUL – Ah, muito bem! ANA PAULA – Agora se me dá licença, não quero chegar atrasada. Raul solta o braço dela e abre espaço para que ela passe. Ana Paula sai correndo. RAUL – Vadia. Elas são todas iguais. CORTA PARA CENA 9 Tomada aérea de Londres/Aeroporto. Sonoplastia: Citizen ship. CORTA PARA CENA 10 – LONDRES/AEROPORTO – INT – DIA Johann, Amanda e Michael esperam Darren chegar. Ela logo aparece e aproxima-se rapidamente deles, que a recebem com um abraço.

12 AMANDA – Achei que você não fosse voltar nunca mais! DARREN – Tô aqui, não é? JOHANN – Darren, você está um pouco triste. Não queria voltar agora? DARREN – Não é isso, pai... É que eu deixei uma pessoa especial no Brasil... Estou meio triste por isso. JOHANN – Entendo. MICHAEL – Um namorado, não é, mocinha? DARREN – É. (t) Onde está mamãe? JOHANN (aborrecido) - Por aí brincando de detetive... AMANDA – Aconteceram tantas coisas nos últimos dias... No caminho pra casa a gente vai te contando tudo. DARREN – Ah, também aconteceram muitas coisas comigo nos últimos dias. (t) Mas vocês podem contar as novidades primeiro. Eles se afastam, conversando fora de áudio, até sumirem de cena. CORTA PARA CENA 11 – CARRO DE JOHANN – INT – DIA

13 Darren vai no banco de trás do veículo, distraída. Amanda conversa com ela, fora de áudio. FADE PARA CENA 12 – SALVADOR/APARTAMENTO DE LEANDRO/SALA – INT – TARDE Flashback da despedida de Darren dos amigos. Ela e Pietra estão sozinhas na sala. DARREN – Por que você pediu pra se despedir de mim sem os outros por perto? PIETRA – Bem, é que eu precisava te dizer um negócio sem que eles estivessem aqui. Eu ia ficar muito inibida com eles. DARREN – Ah... Então pode dizer. PIETRA – Eu te amo. DARREN – Ah, mas não precisava ficar inibida por causa disso. Somos amigas e... PIETRA – Não, você não entendeu. Eu te amo. Não como uma amiga mas... DARREN – Não entendo. Pietra tenta beijar Darren, que recua assustada. Pietra também recua.

14 PIETRA – Desculpa. Eu não queria sentir o que eu sinto. (t) Mas eu queria que você soubesse disso antes de ir embora DARREN (hesitante) – Tá... Tá. PIETRA – Você não vai ficar chateada comigo, vai? DARREN – Não. Não vou ficar chateada. PIETRA – Vamos continuar amigas? DARREN – Vamos sim. PIETRA – Então... Boa viagem. DARREN – Obrigada. PIETRA – Você ainda vem aqui pra visitar a gente? DARREN – Virei. Darren abre a porta para sair, mas não sai imediatamente e fica olhando para Pietra. Elas ficam por um instante em silêncio e depois se abraçam. Pietra chora. PIETRA – Me desculpa, Darren! DARREN – Não tem por que pedir desculpas... A gente não manda no coração, não é?

15 Pietra não responde e continua chorando, abraçada a Darren. FADE PARA CENA 13 – CARRO DE JOHANN – INT – DIA Darren continua sem prestar atenção ao que os outros dizem. MICHAEL – Darren! Está dormindo? DARREN – Dormindo, eu? Não, não... MICHAEL – Parecia estar. DARREN – Estava pensando em outra coisa e não prestei atenção ao que vocês estavam dizendo, desculpa. JOHANN – Deixem a irmã de vocês em paz, ela está cansada. Mais tarde contamos tudo para ela. Todos se calam. CORTA PARA CENA 14 Tomada de pontos turísticos de Londres. Sonoplastia: Compasso. CORTA PARA CENA 15 – LONDRES/RUA – EXT – TARDE

16 As crianças começam a sair da escola, acompanhadas de seus pais. Liv Helen também sai, com Monika. Monika abre a porta de trás do carro e Liv entra. Ela entra no veículo logo depois. CORTA PARA CENA 16 – CARRO DE MONIKA – INT – TARDE Monika dirige e olha para Liv através do retrovisor. LIV – Por que papai não veio? MONIKA – Sua tia Darren chega hoje. Vamos almoçar lá. LIV – E depois ele vai me levar para ver Valentina? MONIKA (tentando controlar a irritação) – Não, você não vai ver Valentina. Vai ver sua tia. LIV – Mas por que... Monika pára de dirigir e olha para trás, com raiva. MONIKA – Escute aqui, mocinha: eu não gosto quando você fala dessa Valentina, ouviu? Da próxima vez que eu ouvir você falando dessa mulher, vou colocá-la de castigo, entendeu? LIV (baixinho) – Eu não gosto de você. MONIKA – O que disse?

17 Liv não responde. Monika volta a dirigir. CORTA PARA CENA 17 – CASA DE LAYLA/SALA – INT – TARDE A família, com exceção de Layla, está reunida. Monika chega, trazendo Liv pela mão. Esta, ao ver Darren, sai correndo e a abraça. DARREN – Oi, princesa! Estava com tantas saudades... LIV – Eu também, tia. DARREN - Já soube que você agora tem uma madrasta. Gosta dela? LIV (baixinho) – Não. Ela é má. DARREN – Má? Por quê? Ela parece ser boazinha, assim, de longe. LIV – Mas não gosta de mim. DARREN – Você não aprontou nada, não é? Liv nega com um aceno de cabeça. MICHAEL – O que as ladies estão cochichando aí? DARREN – Ah, Michael, a menina não pode ter nenhum segredinho?

18 MICHAEL – Segredos aos cinco anos de idade? Certo, certo... Michael pega Liv no colo e a beija no rosto. MONIKA – Acho que você não devia mimar tanto sua filha, Michael. MICHAEL – Não acho que esteja mimando Liv. MONIKA – Ah, mas isso é porque ela é filha única. Quando tivermos nosso filho, as atenções vão ficar mais divididas. JOHANN – Layla está demorando demais. Vocês se importam de almoçar sem ela. LAYLA (entrando) – Desculpem o atraso! Agora só vão ter de esperar o tempo de um banho, se não se importam. DARREN – Ei, mãe! Antes venha me dar um abraço. Layla vai até Darren e elas se abraçam demoradamente. LAYLA – Desculpe não ter ido ao aeroporto com os outros, filha. Mas eu estava em uma missão importante. DARREN – Nossa, mãe. Falando assim, até parece que a senhora deixou de ser escultora e virou detetive! JOHANN – É por aí, minha filha. É por aí...

19

LAYLA – Depois conto tudo a você. Agora preciso mesmo de um banho! Não demoro. Layla sobe as escadas e sai. Johann senta-se, fumando um charuto. CORTA PARA CENA 18 - CASA DE LAYLA/QUARTO DE LAYLA – INT – TARDE/HORAS DEPOIS Layla está sentada à escrivaninha, escrevendo uma carta. Darren entra. DARREN – Atrapalho? LAYLA – Não, filha. Só estava terminando de responder esta carta aqui. Não tive muito tempo nos últimos dias... DARREN – O que houve? LAYLA – Bem, não sei se você leu alguma notícia sobre, mas a filha da Valentina foi seqüestrada recentemente. DARREN – Nossa, que horror. LAYLA – E para completar, Valentina sofreu um acidente no mesmo dia. Fui vê-la no hospital e prometi que faria a minha parte. Estou fazendo! DARREN – Mas isso não seria trabalho da polícia?

20 LAYLA – Até agora eles não chegaram a nenhum resultado, nem uma pista... DARREN – E a senhora? LAYLA – Também não, mas algo me diz que eu não devo desistir. DARREN – Papai não está gostando disso... LAYLA – Ele não precisa gostar. (t) Filha, durante muitos anos seu pai controlou tudo o que eu devia fazer. Eu não quero mais que as coisas sejam assim. DARREN – Puxa... As coisas mudaram muito por aqui enquanto estive fora. LAYLA – Sim. Pode parecer que as coisas pioraram, mas com o tempo você vai ver que o saldo dessas mudanças foi positivo. Layla abraça Darren. CORTA PARA

CENA 19 Tomada aérea de São Paulo. CORTA PARA

21 CENA 20 – CASA DA FAMÍLIA PRADO/SALA – INT – NOITE Alice está saindo para o jardim. Jerri, Milena e Leon chegam, prontos para sair. JERRI – Dona Alice não quer sair com a gente? ALICE – Não, meus queridos. Prefiro ficar em casa mesmo. MILENA – Não vai ficar muito sozinha? ALICE – Não. Não se preocupem, divirtam-se! LEON – A gente tá indo lá naquele bar que a Valentina gostava, o Sacripantas. Jerri ouviu falar e insistiu que a gente devia ir. (t) Principalmente pela Mi, que não passou no teste... ALICE – Não passou? Como assim? MILENA – Acho que eu não tava num dos meus melhores dias. Mas enfim. Outros testes virão. LEON - Se a clientela não tiver mudado muito, vamos encontrar muitos conhecidos da Tininha por lá. ALICE – Não voltem muito tarde, hein? LEON – Pode deixar, mãe.

22 Leon e Milena se despedem de Alice com um beijo. Jerri hesita por um instante, e também dá um beijo em Alice antes de sair. CORTA PARA

CENA 21 Tomada do bar Sacripantas. CORTA PARA CENA 22 – BAR SACRIPANTAS – INT – NOITE Jerri, Leon e Milena entram no bar, que está muito cheio. Logo depois, entram Julian, Karen e dois amigos. LEON – Eu sabia que era bem freqüentado, mas não pensei que fosse tanto! MILENA (olhando em direção ao palco, onde Vinícius está) – Aquele cara canta bem! LEON – É o Vinícius, ex-namorado da Valentina e pai da Angela. Um irresponsável. Um irresponsável talentoso, mas ainda assim... JERRI – Vamos lá pra frente! Daqui eu não entendo nada que o cara tá cantando. Jerri, Leon e Milena se deslocam para mais perto do palco. CORTA PARA

23

CENA 23 – BAR SACRIPANTAS – INT – NOITE Entre o palco e o balcão, estão Karen, Julian e os dois amigos, que assistem com atenção à performance de Vinícius enquanto bebem cerveja. JULIAN – Esse cara é excelente. Acho que é exatamente alguém assim que estamos procurando. (t) Que acha, Karen? Karen, distraída, não responde. AMIGO 1 – Acho que Karen não está prestando muita atenção ao cantor... AMIGO 2 (tocando o ombro de Karen) – Está tudo bem? KAREN (voltando a si) – Ah, tá tudo bem sim. Eu só tava aqui pensando se Angela está bem, se já dormiu... AMIGO 2 – Preocupações de mãe de primeira viagem... Perfeitamente compreensível. JULIAN (olhando no relógio) – A essa hora tanto ela como a babá devem estar dormindo. O show de Vinícius termina e ele é aplaudido por todos. JERRI – Ah, mas já acabou? As coisas nesse bar terminam cedo, viu... LEON – Tem paciência, Jerri! Isso aí deve ser o intervalo.

24

JERRI – E se não for? O show não pode parar! (t) Milena, vai lá no palco. MILENA – Ô Jerri... JERRI – Tem nada de “ô, Jerri”. Vai lá. Deus te disse: “desce e arrasa”; eu te digo: “sobe e humilha”! MILENA – Não vou, não. JERRI – Vai, que eu vou subir nessa joça e te anunciar. Vem. LEON – Jerri, você é doido? A gente não conhece ninguém aqui! JERRI – A gente não, mas a sua irmã sim. Jerri sobe ao palco, levando Milena arrastada. JERRI – Pessoal, eu sei que vocês não me conhecem, eu também não conheço vocês... Não se assustem, não estou bêbado. Acontece que essa moça aqui do meu lado, que vocês também não conhecem, é uma super cantora! O problema é que alguns jurados malucos não sabem valorizar os talentos que passam na frente deles. Por isso estou aqui, para defender os novos talentos da música. (t) E pra provar que eu não tô mentindo, a Milena aqui vai cantar. (baixinho, para Milena) Toma que o palco é teu.

25 Jerri desce do palco e deixa Milena sozinha. Nervosa, ela olha em volta e fica por alguns instantes calada. Todos os presentes esperam que ela comece ou desça do palco. MILENA (cantando) – Do you remember the riots in Gothenburg in the Summer of 2001? Oh, you should have fun. I held your hand so proud… Ela continua a música (“Do you remember the riots?”, de Jens Lekman) e todos os presentes começam a se animar. JERRI – Eu não disse que ia dar certo? LEON – Tá, você é louco, mas pelo jeito o pessoal tá gostando. Corta para o balcão, onde estão Karen, Julian e os amigos. KAREN – Acho que hoje é um bom dia! Essa menina canta muito bem! No fim do balcão, Luigi assiste a tudo. Meire se aproxima, ligeira. MEIRE – Luigi, acabei de ficar sabendo que tem dois produtores musicais estrangeiros aqui no bar. Aquele casal ali do outro lado (indica Julian e Karen). LUIGI – Tem certeza? MEIRE – Um dos clientes conheceu eles, de uma revista aí… Acho que eles vão querer levar o cantor.

26

LUIGI – E a mocinha também! Veja só como ela canta bem. MEIRE – Queria que Aninha estivesse aqui hoje pra ver isso. Pena que ela brigou com Raul... CORTA PARA CENA 24 Tomada do bar, indicando passagem de duas horas. CORTA PARA CENA 25 – BAR SACRIPANTAS – INT – NOITE O movimento no recinto já é bem menor. LEON – Pessoal, acho que já tá na hora. Minha mãe pode ficar preocupada se a gente demorar muito. E já basta as preocupações com Tininha... Eles se levantam para sair. Vinícius vem na direção da mesa deles. VINÍCIUS – Oi, teu nome é Milena, não é? MILENA – Sim. VINÍCIUS – Eu sou o Vinícius. Leon olha para Vinícius, contrariado.

27 MILENA – Já andaram me falando de você. VINÍCIUS – Vim só te parabenizar. Você é uma ótima cantora. MILENA – Obrigada. Você também é... Karen e Julian se aproximam deles. JULIAN – Olá, podemos falar com vocês dois um minuto? VINÍCIUS – Conosco? JULIAN – Sim. (t) Eu sou Julian Landresk e esta é minha esposa Karen. Somos produtores musicais e gostamos muito das performances de vocês. KAREN – Especialmente da sua, menina. Aparentemente você foi pega de surpresa e se saiu muito bem. MILENA – Obrigada! (olha para Jerri) Esse meu amigo aqui gosta de fazer surpresinhas às vezes... JULIAN – Se possível, gostaríamos de conversar com vocês amanhã, aqui mesmo. Pode ser? Vinícius e Milena se entreolham e depois olham para Karen e Julian, sorrindo. ********** FIM DO CAPÍTULO 71 **********

28

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful