Você está na página 1de 58

Edição Nova

MANUAL DE OPERAÇÕES
LUCRATIVAS

MOL

Uma abordagem prática e avançada de operações


para Day Trade e Swing Trade

Bruno Rafael
Aviso Importante

Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, armazenada em um sistema de recuperação ou
transmitido de qualquer forma ou por qualquer meio seja eletrônico, mecânico, fotocópia, gravação e
digitalização, sem a permissão prévia do autor do livro. Caso queira compartilhar algum conteúdo de seu
interesse no livro coloque a fonte para prestigiar o trabalho do autor.

Ao visualizar o conteúdo do livro você concorda que este material possui carácter educacional com o
único objetivo em mostrar um caminho para a pessoa que pretende aprender a usar os métodos em
segurança, portanto o livro não indica compra e nem venda de qualquer ativo negociável, os conselhos e
estratégias contidos no livro pode não ser adequado ao seu modelo operacional. Você deve estar ciente
dos riscos substanciais em meio as operações, e aceitá-los em momentos de perda. Não negocie com
capital que você não possa perder seja responsável.

Este livro não deve ser considerado um guia definitivo de investimento e não deve ser utilizado para
substituir as recomendações de um planejador financeiro qualificado ou de outros profissionais
competentes. Os sistemas de negociação apresentados neste livro são apenas para orientação e servem
para ilustrar os resultados teóricos relativos entre diferentes sistemas de comércios. Todo o conteúdo
abordado foi selecionado em um longo processo para que de modo seja de fácil manuseio e compreensão,
portanto eles não são responsáveis por quaisquer perdas resultantes de decisões de investimentos com
base em tomadas de decisões equivocadas. Certas informações contidas no livro foram retiradas de fontes
consideradas confiáveis para ampliar o arsenal de conteúdo.

O desempenho apresentado de qualquer sistema de negociação ou metodologia não é


necessariamente um indicativo para ganhos futuros, seus resultados comerciais podem variar. A real
proposta é proporcionar para o comerciante uma forma alternativa de ler o mercado. O autor Bruno Rafael
se isenta de qualquer garantia expressa e implícita.

Para informações e dúvidas sobre o livro entre em contato pelos e-mails:

livromol2019@gmail.com

brunorcob@gmail.com
Sobre o autor

Bruno Rafael é trader em tempo integral, com perfil analítico e admirador da Análise Técnica Clássica
desenvolveu um estilo de negociação discricionário procurando compreender o comportamento dos preços e
consequentemente extrair informações lógicas para suas tomada de decisões. Nascido na cidade de Ubiratã
PR em 1991 veio morar em Curitiba PR ainda muito novo, no qual reside até os dias de hoje.

Formado em Economia pela Universidade Positivo acredita que disciplinas como macroeconomia,
microeconomia e econometria podem ser de grande valia dentro do mercado financeiro. Apesar de
acompanhar o mercado e ficar encantado com tantos gráficos e números, somente em 2014 iniciou sua
trajetória pra valer, caminhada está que não foi fácil com tantas dificuldades encontradas e que ainda
continuam trazendo desafios e novidades todos os dias como forma de aprendizado. Acredita que as pessoas
são capazes de vencer no mercado com uma psicologia aplicada e um bom gerenciamento de risco, e acima
de tudo com respeito ao próximo.
Conteúdo

❖ Capítulo 1 Estruturando os preços 9

A lógica dos movimentos 10


Ponto de Balanço 14
Absorção 15
Área de valor justo 17
A fase de expansão dos preços 19
Áreas de negociação 21
Excesso de preço 23
Linha de controle de preço 24
Canais com excesso de preços 26
Volume em área de valor 28
Região de Pressão 30
Identificando área de oportunidade 33
Proximidade 35
Confirmação 37
❖ Capítulo 2 Dissecando os tempos gráficos 38

Conceito 39
Campo de batalha para day trade 41
Campo de batalha para swing trade 48
Falha na quebra de topos e fundos 50

❖ Capítulo 3 Setups utilizando a ação dos preços 54

Pullback Breakout (PB) 58


Pullback Confluência (PC) 61
Complexo Pullback (CP) 64
Rompimento Frustrado (RF) 67
Ponto de Parada (PDP) 70
Teste Suporte e Resistência 73
Princípios de mercado 76
Juntando tudo 79

❖ Capítulo 4 Combinação das velas como sinal de gatilhos 82

Gatilho tradicional 83
Utilizando gatilho nas bandeiras 86
Quebra do bloco 90
Volume nos gatilhos 94
Jack hammer 96

MOL - Manual de Operações Lucrativas


❖ Capítulo 5 Técnicas médias móveis e VWAP 99
Identificando os estágios do mercado 101
Divergência e Convergência 105
Correlação médias móveis 109
M20 neutra 111
O pullback 115
Pullback Cross 121
Reversão escondida 125
Regressão em gap 128
M20 + abertura 131
MM50 dias 133
Parede no gap 137
Zona de armadilha 140
Zona de recuperação 143
Passagem dupla 147
Desagregação 150
A taça como gatilho de fuga 152
Múltiplas médias móveis 154
VWAP 156

❖ Capítulo 6 Setups para Day Trade 161

A fuga dos 30 minutos 162


Máximas e mínimas 167
Capítulo 1 Capítulo
Picos1e fundos de preços Estruturando os preços 171
Duas barras 178
Estruturando os preços Avanço forte 181
Setup Doji advance 184
Fakey 187
Barra ignorada 190
3-4 bar 193
Power boxe 198
Galhardete 201
Corte nas bandas 204
Canal de tendência 210
Setup reação de rompimento 214
Ondas de Wolfe 217
Outside-bar 221
Outside-bar plus 224
Reversão chave 227

MOL - Manual de Operações Lucrativas


❖ Capítulo 7 Estratégias para Swing Trade 231

ORB (Opening range bar) 233


Turtle soup adaptado 236
Gann pullback 239
Sky Breakout 245
Trigger Doji 249
Setups utilizando o tridente 253
Troca do dia 261

❖ Capítulo 8 O stop obrigatório 266

O erro que todos cometem 268


A regra da barra de força 269
Além do ponto de equilíbrio 271
Trailing stop 273
Condução MM9 277

❖ Capítulo 9 Ação do preço sobre as retas tendências 282

Características 283
Retas interna e externa 284
Inclinação das retas 286
Rompimento direto 288

Capítulo 1 Capítulo
Reta1 vácuo Estruturando os preços
Reta pullback 291
295
Estruturando os preços Reta dupla 298

❖ Capítulo 10 Estratégias utilizando Fibonacci 301

Monitorando a contagem de ondas 302


Canal de regressão 303
Avanço 306
Bandas de regressão 310
50-EMA e as ondas 313
50% na fronteira do gap 318
Vela de força 321

❖ Capítulo 11 Os segredos para o dinheiro esperto 324

MOL - Manual de Operações Lucrativas


Capítulo
9

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Estruturando os
preços

Comprar e vender significa aproveitar as flutuações dos preços e realizar um negócio bem-sucedido, porém
obter sucesso nas operações não é algo simples e fácil, após a crise financeira de 2008 que afetou o mundo
todo criando medo e pânico entre os investidores, o mercado ganhou expectativas de uma nova era de
volatilidade, ou seja, um novo pensamento de analisar os gráficos com novas abordagens durante as
negociações. Um exemplo claro a ser mencionado é o próprio mercado brasileiro aonde se comprava um ativo
em uma tendência definida e pouco se compreendia a ação e estrutura dos preços, portanto se os novos
investidores não estiverem aptos a exercer tal função o recomendado é retoma os estudos o tempo que for
necessário.

Os preços se movimentam dado a uma multidão de investidores e instituições que em conjunto dado a suas
emoções, ganância, euforia, medo e desespero, ditam as flutuações dos preços formando movimentos
direcionais. O estado psicológico de um trader pode de forma direta afetar sua tomada de decisão influenciando
em seus resultados durante as operações, para obter resultados positivos o trader precisa deixar de lado as
emoções e controlar a adrenalina para não tomar decisões equivocadas. Os preços sempre provocará ruídos
e se a pessoa não compreender a lógica dos movimentos com o tempo será expulsa do mercado, costumo
dizer que ser trader é um privilégio, porém exige muitas responsabilidades quanto aos desafios que a profissão
exigirá das pessoas todos os dias.

O capítulo possui como proposta elaborar uma abordagem analisando o ângulo da oferta e demanda
trabalhando sobre as estruturas dos preços, determinas regiões de memória para o mercado, realizando
marcações que possam auxiliar em informações lógicas sobre o comportamento futuro dos preços, pontos
forte e fracas de cada dimensão. O capítulo é extenso com muitas informações e por isso é necessário uma
leitura paciente com atenção redrobrada para não deixar passar nenhum detalhe importante.
→ Com o decorrer do tempo os comerciantes notará que em uma tendência futura o mercado irá
fornecer oportunidades de operações, algumas dessas oportunidades permitindo surfar em uma
importante tendência ou até mesmo movimentos de curto prazo, que de modo em geral pode
também fornecer lucros aos comerciantes.

Negociações inteligentes é identificar as fraquezas nos movimentos e em seguida com os parâmetros


preenchidos ter confiança para entrar em uma operação. Esta abordagem trata-se de gerenciar uma
oportunidade quando o contexto de mercado permitir um comércio, maximizando as probabilidades de
acerto.

Pullback com oportunidade de Fraqueza do movimento em


operação teste de resistência

Movimento de contração próximo Movimentos de contração e


a potencial região de resistência expansão

11
→ Nos exemplos abaixo observe detalhamente os gráficos sendo estruturados com as marcações
para trabalhar sobre a ação do preço, note que em um gráfico limpo, o investidor consegue buscar
pontos detalhados trabalhando exclusivamente na ação dos preços. Costumo dizer para meus
amigos que o mercado é como se fosse um trem realizando paradas em suas estações, as paradas
é os níveis de suportes e resistências aonde os preços testam para seguir seu movimento adiante,
assim como o trem em suas paradas pega novos passageiros e segue sua viagem.

13
Área de Valor Justo

Quando a oferta dos touros e ursos atende á demanda e são basicamente iguais, os preços dificilmente
irão se mover para alguma direção, em vez disso eles começam a acumular ou até mesmo consolidar
gerando uma faixa de negociação aonde compradores e vendedores concordam que o instrumento ou a
segurança é corretamente precificado considerando os fundamentos subjacentes, ou seja, ambos
concordam que está área de preços corresponde as suas expectativas atuais.

Área de valor justo


Área de valor justo

A área dos preços confinadas entre essas duas linhas horizontais no exemplo gráfico acima é a área de
valor justo, não é importante a forma que você chame está faixa de negociação desde que você se
acostume em identificar essas áreas de acordo com o contexto de mercado. Você pode notar no exemplo
que os preços passaram algumas vezes do limite superior da linha, com tudo percebe-se que os preços
apenas testaram esses níveis encontrando demanda no lado negativo e volta novamente onde a maior
parte do comércio está ocorrendo. Estás áreas aonde os preços se afastam por um curto período e depois
voltam para dentro da área de valor justo é chamada de excesso de preços, no qual iremos abordar mais a
frente.

O mercado cumpriu seu objetivo facilitando a negociação entre compradores e vendedores, nesta
determinada faixa de negociação as duas pontas concordaram que está área de preço é justa, touros e
ursos se sentem satisfeitos mantendo o preço confinado nesta área, os compradores apenas irão intervir
quando necessário para evitar que os preços caiam abaixo do limite inferior desta área, já os vendedores
entram no lime superior da faixa de negociação empurrando os preços para baixo. Ao identificar e marcar
os limites da área de valor, procure deixar o máximo de espaço em branco possível acima e abaixo para
evitar tomada de decisões erradas. Por exemplo se tivéssemos que excluir o tempo fora da equação e
traçar apenas em nosso gráfico não teríamos espaço em branco, ao contrário acrescentando toda a área
dentro do retângulo teríamos uma grande turbulência com muitos ruídos dado o nível de atividade dentro
dessa faixa. Pense nisso como eliminar todo o espaço em branco entre os preços que estão dentro da área
de

O consenso de longo prazo entre compradores e vendedores é o que dá valor a uma determinada área
de preço, é assim que eles operam, querem comprar abaixo e vender acima do que consideram um preço
justo. Os preços indo mais alto, acima do valor percebido é considerado uma oportunidade de venda, já os
preços indo abaixo do que é geralmente aceito como valor justo é considerado como uma oportunidade de
compra.

17
O gráfico ao lado ilustra como a oferta e demanda se
traduz em preços e movimentos, observe cada detalhe:
Nos pontos 1 e 2 os compradores entram no mercado e
3 4
empurram os preços de volta para aonde a maior parte
da negociação está ocorrendo dentro do retângulo. Já
nos pontos 3 e 4 os vendedores entram no mercado
para empurrar os preços para baixo no valor
reconhecido. O mercado cumpre seu papel para facilitar
Área de valor
a negociação entre compradores e vendedores, quando
1 2 dominante
a oferta excede a demanda o preço cai para encontrar
equilíbrio entre compradores e vendedores criando
valor de preço.

B
A
Área de valor
dominante Território

Território Área de valor


dominante

A área de valor pode se desenvolver em cima de outra área de valor, vamos analisar os exemplos A e B.

Exemplo A: Observe a área de valor dominante com duas setas para o lado direito representando o território
dessa área de valor dominante, note que os preços começam ir acima da área de valor formando o excesso de
preço que consequentemente ganha forças preenchendo novos espaços no gráfico e iniciando um movimento
de alta. O limite superior da área de valor dominante atuará como suporte. Uma nova área de valor com
pequenas dimensões é formada acima da que foi reconhecida, ou seja, temos agora uma mudança de valor na
faixa de negociação com um importante espaço gráfico sinalizado no território.

Exemplo B: A mudança de valor agora ocorre abaixo da área de valor dominante, dado que o limite inferir da
área de grande valor servirá agora como potencial resistência para a nova faixa de negociação. Perceba como
não há demanda suficiente no limite inferior dá área de valor para empurrar os preços para cima, ao contrário
disso os preços permanecem abaixo da área de valor fazendo movimentos testando os níveis de suportes e
resistências dando valor a está nova faixa de negociação.

O mercado em geral se move em equilíbrio e desiquilíbrio entre oferta e demanda, quando está em valores
equilibrado os compradores e vendedores estão contentes em realizar transações nesta área. Quando ocorre o
desequilíbrio de valor, o mercado está em busca de novos valores entrando na fase no qual a demanda excede
a oferta ocasionando a aceleração do movimento, está conjuntura faz parte da estrutura de mercado.

18
A fase de expansão dos preços

Podemos esperar uma fase de expansão após uma intensa faixa de briga ou até mesmo uma área de valor
justo, a quebra dessas regiões proporcionam oportunidades de operações que nos fazem obter lucros e
estar satisfeitos com o mercado, porém existem regras e parâmetros a serem seguidos durante a fase de
expansão. Os comerciantes devem saber onde entrar bem como onde colocar o stop de proteção durante
o rompimento das faixas.

Do mesmo modo que os comerciantes podem tirar proveito das fases de expansão, podem também
perder essas áreas de referências com os preços tomando uma direção em um forte movimento, este é um
ponto importante no qual muitos comerciantes enfurecidos entram atrasados nos rompimentos quando o
movimento já está esticado, tornando uma operação totalmente indisciplinada e desastrosa. É necessário
realizar a distinção em uma faixa de negociação, conforme abordamos a área de valor justo com seus
limites definidos, assim com uma leitura lógica podemos planejar posições futuras.

Após um movimento forte de expansão com volume, a direção do rompimento tende a continuar até que
compradores e vendedores alcancem um equilíbrio nos preços e consequentemente estabeleçam novos
limites de referência a serem alcançados. Lembre-se da fase de absorção que estudamos anteriormente,
pode ser muito útil no processo de rompimento das faixas. Um mercado com desequilíbrio entre a oferta e
demanda irá desenvolver um movimento de expansão com maior força em direção a uma nova tendência.
Um dos aspectos fundamentais e ao mesmo tempo básico, é saber diferenciar as fases de contração e
expansão dos preços trabalhando em cima das probabilidades. Em algumas ocasiões notícias e dados
econômicos podem de forma agressiva movimentar os preços fora dos limites das faixas de negociação,
isto é, a análise gráfica mostrou os passos que deveríamos seguir para montar todo o cenário.

Ponto chave

Alguns indicadores podem ser úteis durante a fase de expansão, como por
exemplo: Realinhamento das médias móveis e estreitamento das Bandas de
Bollinger.

Fase de expansão

Fase de expansão

19
Capítulo

38

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Dissecando os tempos
gráficos

Vamos bordar a estrutura dos preços em vários tempos gráficos para comprender detalhadamente seu
estruturamento quando alternamos a periodicidade dos gráficos, e quando falo em dissecar no nome do
capítulo, significa separar de maneira organizada e analisar de modo minuncioso toda a estrutura. Este conceito
consiste em uma análise abrangente identificando o comportamento dos preços em um período maior para
realizar operações em tempos gráficos menores, dado que quanto maior for o período do tempo escolhido,
maior será a imagem da análise para os investidores, porém quanto menor foi o tempo, maior será a quantidade
ruídos e detalhes.

Por diversas vezes vi amigos meus operando com meia dúzias de gráficos, diversas telas mostrando
informações ao mesmo tempo, de gráficos semanais e até 1 minuto procurando compreender a lógica de um
determinado ativo. De fato, são muitos dados gerados ao mesmo tempo, o que pode acabar acarretando em
uma bagunça na cabeça dos investidores que tentam absorver todos os detalhes ao mesmo tempo. Muitos
investidores são atraídos para operações em tempos gráficos curtos devido ser mais emocionante com a
possibilidade de realizar diversas operações, dado que uma grande maioria é impaciente e não aguentam ficar
sem boletar por muito tempo, o que as vezes pode se tornar um grande risco. Claro isso não significa que os
gráficos de curto prazo seja desprezado, eu mesmo domino com muita efiência um gráfico de 5 minutos em
minhas operações.

Do mesmo modo que expliquei anteriormente, já vi investidores negociando com apenas um tempo gráfico,
mas claro isso exige estudo e prática para tal domínio, eu mesmo por muitas vezes já realizei operações com
estes parâmetros, porém minha preferência e o que recomendo para alunos e amigos é utilizarem no mínimo
três prazos diferentes para operações de Day Trade, claro que antes de começar as negociações costumo
analisar os gráficos diários e 4 horas para estar atento a tendência provável que possa ocorrer no pregão
seguinte, lembrado sempre que trabalhamos com probabilidades e nunca certeza do comportamento futuro dos
preços.
Conceito

O que é Momentum ?

Antes de começarmos abordando diretamente a lógica dos tempos gráficos precisamos entender o que
significa momentum, dado que utilizamos a análise em vários tempos gráficos para identificar um
momentum de mercado em contexto para uma possível tomada de decisão. No mundo dos gráficos e
durante as negociações existem diversos indicadores com características diferentes manipulando as
informações geradas pelos gráficos, porém ambos com a mesma função em identificar o momentum de
mercado. Costumo definir o momentum como uma oportunidade de livro no qual não podemos deixar
passar, você não precisa necessariamente utilizar centenas de indicadores para identificar um ponto de
comércio, basta apenas trabalhar sobre o comportamento dos preços conciliando com alguns fatores. Nos
exemplos utilizaremos o oscilador estocástico lento como auxílio durante as análises.

Basicamente o momentum é um método popular para determinar se o ativo está apto para realizar uma
operação, ou seja, enquanto o momentum permanecer a lógica mostra que um movimento significativo
tende a continuar.

▪ Tempos gráficos para operações de Day Trade: você não precisa analisar todos ao mesmo tempo, a
proposta é apenas de estruturar os preços. Durante a abordagem dos exemplos de Day Trade verás que
não utilizo todos os tempos gráficos.

Gráfico Diário: Trata-se do gráfico tradicional de análises, através dele montamos posições em operações
para Swing Trade. A proposta é aplicar o contexto do gráfico diário para aproveitar situações no timeframe de
5 minutos, por exemplo: Se o ativo negociado estiver esticado no gráfico diário necessitando de um repique,
logo ficamos atentos para oportunidades de DayTrade em gráficos de 5 minutos surfando a favor da onda do
processo corretivo.

Gráfico de 4 horas: Analisar a tendência do mercado para o dia identificando a ação dos preços, dado que
os preços se move dentro de uma estrutura maior de curto prazo.

Gráfico de 1 hora: Muito utilizado para filtrar os movimentos e fazer projeções lógicas para tempos gráficos
menores, por exemplo: Se o gráfico de 1 hora estiver afastado das médias de 9 e 20 períodos, então em um
gráfico de 5 minutos você evitará operações contra o viés do gráfico de 1 hora.

Gráfico de 15 minutos: Trata-se do gráfico com o maior aproveitamento em operações intradiárias pelo fato
de diminuir a quantidade de ruídos, ou seja, os movimentos é desenvolvido com maior clareza facilitando uma
análise objetiva. Costumo utilizar em junção com o gráfico de 5 minutos.

Gráfico de 5 minutos: É uma espécie de temporizador dos movimentos, apesar de ser um tempo gráfico
curto tende a dar boas oportunidades de operações, lembrando sempre para operar tendências. Passei cerca
de muito tempo analisando cada detalhe da estrutura e comportamento dos preços neste tempo gráfico, um
grau de volatilidade sobre as velas, os rompimentos de figuras, comportamento das médias móveis bem como
outras variáveis para o embasamento do contexto. O gráfico é muito utilizado para a colocação de stop de
proteção nas operações, devido formar pontos estratégicos e baratos quando falamos em unidade monetária.

39
→ Observe os exemplos a seguir abordando a estrutura dos movimentos ocorrendo ao mesmo tempo em
vários tempos gráficos diferentes, note o comportamento dos preços e o contexto de cada timeframe.

Médias B
A descendentes

C D

Exemplo A: No primeiro exemplo temos o gráfico de 5 minutos do DOLFUT, percebe-se que o ativo trabalha
com pequenas velas de dúvidas sobre o conjunto de médias móveis conforme sinalizado no gráfico. O
rompimento ocorre com volume acima da média e o realinhamento baixista das médias, vamos acompanhar
o mesmo movimento em tempos gráficos maiores.

Exemplo B: No gráfico de 15 minutos a faixa de briga era formada por cerca de três velas, logo os preços
superam está faixa de negociação e segue em movimento de baixa. Do mesmo modo seguimos aumentando
os tempos gráficos observando o contexto em diversos ângulos diferentes.

Exemplo C: No próximo exemplo temos o contexto em um gráfico de 1 hora, observe como a barra negativa
dos vendedores superam o nível de preço em um evento técnico, está barra significa o movimento de queda
durante a parte da manhã de negociações. Lembre-se que nos gráficos de 5 e 15 minutos aumenta a
quantidade de ruídos.

Exemplo D: Observe o contexto formado no gráfico de 4 horas, note que após um movimento de queda os
preços fazem um processo corretivo formando uma pequena bandeira de baixa, observe como as duas velas
positivas representam 8 horas do pregão anterior. O Rompimento no gráfico maior provocou pressão nos
gráficos de curto prazo, o que de fato gerou uma manada de comerciantes famintos querendo pegar uma
fatia do movimento ou até mesmo surfar a tendência por completo, afim de extrair bons lucros do mercado.

46
Capítulo
54

MOL- Manual de Operações Lucrativas


v

Setups utilizando a ação dos


preços

O Preço de negociação incorpora movimentos passados, é neste conceito que buscamos extrair
informações lógicas e futuras para o comportamento dos preços, negociações de preços se refere a todo
v
movimento que o mercado faz e dado a isso as análises são feitas de forma objetiva dependendo do tipo
de análise que é executada. Nos exemplos que iremos abordar no capítulo, o leitor irá notar a presença da
média móvel de 20 períodos nos gráficos perguntando-se o porque combinar média com a ação do preço,
v
a real proposta desta combinação é treinar a mente do comerciante em uma determinada configuração
com o auxílio da média. A prática na leitura dos preços proporcionara a longo prazo uma leitura do contexto
de mercado sem o auxílio de indicadores.

A ação do preço não tenta prever um preço específico, mas pode ser útil na identificação de áreas de
suportes e resistências, reversões e continuações que tradicionalmente tem sido usada para identificar
oportunidades. No capítulo mostro abordagens com configurações determinantes sobre a movimentação
dos preços trabalhando sempre com probabilidades e nunca com certeza de ganhos.A proposta é mostrar
um caminho para o comerciante entender como trabalhar sobre a ação do preço com regras específicas
Total vendedores Volume comprador
de engajamento e simples ao mesmo tempo, identificar pontos potenciais bem como zonas com fluxo de
pedidos, nas abordagens novamente lembro do uso da média de 20 períodos que na minha concepção é
v
de extrema importância, o porque vou operar um gráfico totalmente cru se tenho a possibilidade de usar
todos esses aparatos da análise técnica clássica a meu favor.

O preço se move como um resultado coletivo do sentimento otimista e pessimista de todas as decisões
dos comerciantes em comprar e vender, ou seja, podemos definir que a ação do preço é determinada pela
tomada de decisão humana, as decisões individuais dos comerciantes são muitas vezes imprevisíveis
dado que não podemos conhecer os fatores e limitações de momento. Quando os preços entram nas áreas
de configurações não é simplesmente uma garantia que iremos negociar, porém é a hora do comerciante
se colocar em alerta para não perder as oportunidades, remova qualquer distração e mantenha o foco para
identificar as áreas adequadas para alvos e pontos de stops nas operações.
Alguns níveis de preços podem ser logicamente relacionados aos gráficos de acordo com ações de
preços e práticas da análise técnica, permitindo que o comerciante desenvolva planos de negócios e avalie
o risco retorno dentro do seu gerenciamento. O monitoramento dos gráficos pode oferecer operações de
alta frequência e por isso é necessário estar atento a todas probabilidades possíveis, tudo pode parecer
simples, no entanto requer prática e quanto mais pontos importantes você adicionar em sua análise maior
será a evolução do seu operacional. Cada entrada no mercado deve sempre ser justificável de uma
perspectiva técnica e defensável em termos de proteção.

Algumas das propostas para o capítulo:

• Analisar as entradas em comércios com baixo risco de exposição, incluindo técnicas de entradas
em tendências e em reversão de tendências, analisando o comportamento dos preços combinando
com leitura da média de 20 períodos para tornar o contexto cada vez mais assertivo e objetivo. O
uso da média serve como incremento durante o deslocamento dos preços.
• Saiba como e aonde colocar o stop loss de proteção inicial em uma posição.
• Aprenda sobre os princípios nos setups abordados, potenciais regiões de suportes e resistências
para trabalhar sobre o gráfico.

Existem diversas formas de ler o mercado e realizar operações, com isso os comerciantes devem aderir
uma leitura capaz de entender o comportamento dos preços, diria que pelo menos o básico é obrigatório
antes de abrir operações no mercado. O objetivo é sempre identificar os mercados que estão em uma
posição confortável para uma possível tomada de decisão com um risco relativamente baixo, a ação do
preço nada mais é que uma análise técnica bem elaborada trabalhando com as zonas de probabilidades
que o mercado possa proporcionar para os comerciantes. O único fator no qual a pessoa terá controle é o
nível de perda em uma operação, você não pode definir o lucro potencial que irá ganhar, terá seu alvo na
operação como expectativa de ganho.

Observe alguns tópicos importantes sobre a ação dos preços:

1. A ação do preço representa o comportamento humano coletivo, dado que o comportamento humano
em um mercado cria padrões específicos nos gráficos. Então a negociação da ação dos preços é
realmente sobre a compreensão da psicologia do mercado usando essas estruturas formadas. É por
isso que o comerciante vê os níveis de suportes e resistências sendo formados, testados as vezes
respeitados e outras vezes rejeitados.

2. Ação do preço forma as estruturas para os mercados futuros e a vista, no entanto é difícil prever
100% qual será o próximo movimento e tendência do mercado, por isso trabalhamos sempre com
probabilidades. Se você é um grafista estudioso que compreende as estruturas do mercado pode
trabalhar potencialmente com possíveis movimentos dos preços, reduzindo a incerteza até certo
ponto.

3. A ação do preço ajuda a reduzir os ruídos e sinais falsos, porém não fica totalmente imune,
principalmente quando realizado comércios em tempos gráficos muito curtos. Os ruídos do mercado
é simplesmente todos os dados de preços que distorcem a imagem da tendência subjacente devido
as correções e a volatilidade.

55
Rompimento Frustrado (RF)

Teste suporte e resistência (TSR)

Resistência

Suporte

→ As operações realizadas conforme as configurações acima devem ser respeitadas rigorosamente,


operações somente com contexto de mercado favorável bem como sendo disciplinado com o seu
gerenciamento de risco. São informações básicas, porém essenciais e necessárias antes de prosseguir
com as configurações abordadas.

57
Pullback Breakout (PB)

A configuração do Pullback Breakout (PB) ocorre com a quebra de um potencial nível de suporte e
resistência mostrando a aceitação do preço em uma nova faixa de negociação.Quando nossos princípios
para uma direção futura dos preços nos leva a esperar a quebra de uma faixa de negociação importante,
logo analisamos a ação do preço procurando sinais de fraqueza no movimento de retrocesso, está fraqueza
no recuo nos alerta para uma possível oportunidade do Pullback Breakout (PB) em um contexto de mercado
favorável, é uma configuração simples, porém muitos comerciantes cometem equívocos na abertura de
posições de compra e venda.

Esteja em alerta aos sinais de fraqueza para determinar a provável direção futura dos preços de acordo
com as probabilidades e expectativas do mercado.

Definição do Pullback Breakout:

• Operamos o pullback breakout (PB) no rompimento de potenciais níveis de suportes e resistências,


regiões de memória para o mercado que eleva o nível de confiança.
• Alguns rompimentos ocorrem sem a realização do pullback e dentro desse aspecto entra a
importância das médias móveis dando apoio ao movimento.
• Pullback realizado com volume acima da média fortalece o sinal.
• Pullback realizado sobre as figuras de reversão quando encaixado em um contexto torna-se de
grande valia para abertura de posição.
• Os exemplos serão todos realizados apenas com o apoio do volume e uma média móvel de 20
períodos aritmética, trabalhando exclusivamente sobre a ação do preço procurando treinar os olhos
para visualizar os movimentos de forma clara e simples ao mesmo tempo.

PB

PB

PB

PB

58
Partimos agora a analisar o modelo pelo lado da ponta
vendedora, e de ínicio já percebemos que o pullback breakout
PB
v S ocorre de forma acentuada testando o eixo do antigo nível de
suporte. Após o teste observe a média de 20 períodos
V
inclinada para baixo confirmando a validade do movimento, a
entrada na operação de venda ocorre na segunda barra
negativa com o stop de proteção posicionado um tick acima
das velas que testam o nível de suporte.

Observe ao lado o potencial nível de suporte sendo agredido


pelos preços por cerca de dois pregões consecutivos, após a
PB superação deste patamar de preços o pullback breakout é
S formado realizando o teste sobre a antiga faixa, note a média
V móvel servindo como resistência dinâmica para os preços.
Com o cenário formado a entrada na operação de venda
ocorre na terceira vela com o stop de proteção posicionado
sobre a média móvel de 20 períodos que inicia sua inclinação
para baixo.

PB No exemplo percebe-se que o processo corretivo ocorre bem


S acima do nível de suporte principal, porém a média de 20
V períodos negociava de forma plana inclinando-se para baixo
após o processo de pullback breakout. Observe que a entrada
na operação de venda é formalizada na barra de força
negativa com o stop na máxima da vela de rejeição. O
movimento continua com os preços acelerando em queda.

Ao lado temos o gráfico diário do papel PRIO3 formando uma


figura de reversão cujo seu eixo principal é o nível de suporte
a ser superado pelos preços. Perceba que o rompimento do
nível de suporte ocorre de forma esticada e um processo
PB
S corretivo naturalmente era esperado dentro das
V circunstâncias do mercado. Contexto de venda:

• Rompimento nível de suporte com processo


corretivo sendo apoiado pela média móvel de 20
períodos servindo como resistência.

60
Capítulo
82

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Combinação das velas como sinal
de gatilhos

A leitura das velas traz informações valiosas que muitos investidores deixam passar dado a empolgação
em determinados movimentos, esquecem que as informações geradas nas velas muitas vezes servem como
tomada de decisão, a proposta do capítulo é fazer adaptações para minimizar os erros e maximizar o nível
de assertividade, me dediquei por muito tempo trabalhando em cima da leitura das velas procurando extrair
informações lógicas para incrementar em meus cálculos de probabilidades com sinais de curto e longo prazo,
este período me ajudou a compreender de modo objetivo o comportamento das velas combinando com
contextos de mercado favoráveis. No capítulo explico os benefícios e sinais mais eficazes utilizando a
combinação das velas para os gatilhos de negociação.

Munehisa Homma acumulou uma fortuna em negociações no mercado com candlestick, com o seu
sistema incluindo estudo sobre a ação dos preços, a psicologia do mercado bem como a sazonalidade do
tempo que evoluíram durante os anos. Cada vela possui características diferentes que fornecem informações
sobre a ação dos preços e diversas técnicas podem ser usadas em qualquer período, porém é necessário
entender que timeframes curtos pode gerar ruídos mudando a percepção da análise, e cada comerciante
deve compreender a leituras das velas antes de pensar em uma operação baseada exclusivamente nesta
abordagem. O uso das velas permite a prática da filosofia tradicional da análise técnica clássica de
reconhecimento dos padrões, figuras gráficas, níveis de suportes e resistências, linhas de tendências, as
velas também auxiliam a corroborar a leitura dos preços como um todo.

As constantes mudanças nas condições do mercado exigem de forma obrigatória que os investidores
estejam atentos a todos os parâmetros em determinadas operações, por isso a importância de uma leitura
abrangente das velas para lidar com as flutuações do mercado. Os gatilhos baseado nas velas podem ser a
peça final do quebra-cabeça que exige a entrada nas posições somente em contextos favoráveis.
Jack Hammer

O Jack Hammer é mais uma abordagem sobre a formação dos gatilhos, porém agora trabalhamos com
uma vela de longo pavio e corpo real pequeno, para familiariza-se nada mais é que um martelo e estrela
cadente que podem ser formados no meio e final de uma seção. Quando se fala nestes padrões logo se
associa a um padrão de reversão, porém é necessário entender que está formação somente será útil
quando enquadrada em um contexto favorável de mercado, e não simplesmente operar o padrão em
qualquer região do mercado. Note que vamos usar apenas um nome para tratar os dois padrões em
questão.

As características de mercado com este padrão, tende a indicar uma rejeição e consequentemente uma
possível reversão em determinada faixa de negociação. A regra do modelo consiste em operar quando uma
vela possui sua abertura sobre o corpo real do Jack Hammer, o acionamento do gatilho ocorre somente
quando todos os parâmetros são preenchidos.

Características do modelo:

• O padrão ideal ocorre com a sua formação em potenciais níveis de suportes e resistências visados pelos
players.
• Analisar o posicionamento das médias móveis, por exemplo, se o padrão for formado com a média de
20 períodos aritmética afastada tende a ser um sinal importante.
• Analisar o volume de negociação, em algumas ocasiões a formação do gatilho Jack Hammer ocorre
com volume cima da média, volume este de exaustão do movimento.
• O uso de um oscilador como estocástico lento ou até mesmo o MACD, pode servir de grande valia para
encontrar divergências na formação do padrão.
• A entrada de gatilho na operação ocorre na superação do corpo real do Jack Hammer com o stop loss
posicionado na mínima/máximo do pavio.
• O padrão pode ser formado em qualquer tempo gráfico, em movimentos de correção ou até mesmo
dentro de canais de alta e baixa.
• Lembre-se apesar do nome único estamos tratando dos padrões martelo e estrela cadente.
• Antes de qualquer tomada de decisão esteja atento ao risco retorno de cada operação realizada baseada
no modelo apresentado.

Jack Hammer

96
Observe no exemplo ao lado que após uma tentativa de
movimento de alta, os touros estão sem forças para levar
os preços adiante formando o gatilho Jack Hammer, note
o conjunto de médias móveis em seu estado flat, ou seja,
o padrão sendo formado para uma possível reversão de
movimento baixista com as médias lateral tende a ser um
sinal importante de retorno dos preços, lembre-se eu
disse tende a ser ,e não obrigatoriamente os preços
devem retornar, trabalhamos sempre com probabilidades.

Percebe-se agora que o exemplo é um pouco mais


complexo com o padrão sendo formado dentro de uma
bandeira de baixa, durante todo o movimento de correção
as médias móveis continuam flat sem dar indícios de que
os preços teriam forças para continuar o movimento de
alta, veja que a última vela dentro da bandeira nos liga o
alerta para uma possível rejeição, observe a sequência
do movimento que uma vela de força negativa com
volume acima da média possui sua abertura sobre o
corpo da vela anterior acionando o gatilho.

Alerta do gatilho Fiz a seleção de mais um exemplo complexo para ser


analisado, repare que o padrão é formado dentro de um
cenário caótico após a abertura em gap de alta em níveis
importantes, nenhuma média móvel que faz parte do
conjunto dava sinais que o mercado tenderia a um
movimento de alta, com um volume bem abaixo da média
os preços iniciam um movimento de queda superando a
pequena área de valor justo.

Observe no papel SANB11 em um gráfico diário que o


conjunto de médias móveis estão totalmente emboladas
Jack Hammer
sem uma tendência definida, notaram que o movimento é
um topo duplo que levou dias para ser formado, repare
que durante a formação do segundo topo do padrão
ocorre o Jack Hammer, sendo acionado com uma vela
negativa que impulsiona os preços para baixo.
Médias flat
Perceberam o contexto complexo em que o padrão foi
formado, uma tomada de decisão de imediato neste
cenário não é o recomendado, porém serve como alerta
para a sequência do movimento.

98
Capítulo
99

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Técnicas Médias Móveis e
VWAP

Durante minha experiência com leitura de mercado identifiquei diversos fatores que tornassem minhas
análises simples e o mais objetivas possíveis para as tomadas de decisões, junto com a leitura das velas as
médias móveis é um dos meus pontos fortes para realizar operações assertivas e consequentemente diminuir
o máximo o risco nas operações. O deslocamento das médias móveis mostra sinais importantes, e nesses
sinais procuro extrair informações lógicas para maximizar a produtividade nas análises em geral. Todo gestor
de dinheiro no mundo usa esses indicadores para ajudá-los a tomar decisões ao negociar seus portfólios.

Compreender o comportamento das médias móveis é interessante pelo auxílio que temos na leitura de
mercado, durante o capítulo procurei passar minha abordagem sobre as médias, como eu realmente enxergo
cada movimento e detalhe sobre este potencial indicador. Algumas técnicas foram desenvolvidas por mim
durante minha fase de aperfeiçoamento, e outros métodos de realizar a leitura das médias busquei informações
em livros estrangeiros de extraordinários Traders e investidores. Está união de informações resultou em um
capítulo rico sobre as médias móveis que se bem utilizados pelos comerciantes pode trazer excelentes
resultados futuros.

Costumo chamar o conjunto de médias que utilizo de ¨Família¨, o nome é baseado em cada média, por
exemplo considero a média de 9 períodos exponencial como o filho pequeno que não para quieto sempre se
deslocando pra lá e para cá, a média de 20 períodos aritmética é a mãe que fica fiscalizando o que o filho
pequeno está fazendo, já a média de 50 períodos aritmética é o pai que mesmo de longe está observando o
que está acontecendo, e por fim a média de 200 períodos aritmética que é a avó aonde a família visita de
tempos em tempos. E não podemos esquecer da VWAP que considero o cunhado chato que aparece de vez
em quando só para atrapalhar.
Com o conjunto das médias explicado toda esta abordagem é usada a favor do comerciante de mercado
principalmente para evitar entradas erradas nas operações, de modo algum em alguns contextos de
mercado eu opero contra uma média de 20 e 200 períodos por exemplo, dado o grau de importância dessas
médias que mostram a tendência micro e macro de um determinado ativo, essas médias são usadas
universalmente por grandes traders e instituições. Conceitos simples como não comprar ou vender quando
a média de 20 estiver afastada dos preços ou até mesmo quando estiver flat sem uma tendência definida.

A média institucional VWAP também será abordada principalmente por ser muito visada e importante
em gráficos intradiários, acrescento algumas leituras e cenários que possam servir de grande benefício
para os comerciantes, levando sempre em consideração que as médias não são mágicas e toda a leitura
deve ser feito em conjunto, entender os potenciais pontos do mercado, e assim conciliando com as médias
para possíveis tomada de decisão durante os movimentos.

Observações: Uma média mede o consenso do preço de fechamento de uma ação sobre determinado
período, a média de 20 períodos por exemplo nos mostra a configuração dos últimos 20 dias e assim por
diante, quando os preços se afastam da M20 existe o consenso de retorno como uma espécie de imã.

• As médias tendem a servir como potenciais pontos de suportes e resistências dinâmicos para os
preços.
• Determinam a direção e força de uma eventual tendência de alta ou baixa.
• Diversas estratégias e setup sã usadas com as médias móveis, como pullbacks, testes de suportes e
resistências, retorno a média e outras combinadas com indicadores técnicos.
• As médias móveis possuem funções variadas como médias rápidas de gatilhos, ou uma média mais
longa para identificar a tendência macro.
• Outro aspecto importante sobre as médias é a possibilidade de condução nas operações mais longas,
bem como pontos estratégicos para a colocação dos stops de proteção.
• A atividade dos preços nunca progride em linha reta, por isso é importante o uso das médias móveis
para trabalharem em sintonia com os preços.

MM200 Exponencial
MM20 Exponencial
MM200 Aritmética
MM20 Aritmética

→ Os dois exemplos acima representam a diferença entre o deslocamento das médias móveis aritmética
e exponencial, o intervalo de confiança entre as duas periodicidades muitas vezes será mínimo.

100
Correlação Médias Móveis

A abordagem sobre correlação das médias é essencial, dado que a cada timeframe diferente o período de
uma média móvel muda sua representatividade, ou seja, sofrem variações que precisam ser analisadas
pelos comerciantes, podemos ter o caminho livre para os preços em um gráfico de 5 minutos por exemplo,
porém quando trocamos para o gráfico de 15 minutos ou até mesmo 60 minutos usando a correlação é
possível que tenha uma média servindo como suporte e resistência dinâmico para os preços.

Este tipo de correlação pode ser usado com diversos períodos de médias, por isso é necessário realizar
adaptações entre os tempos gráficos diferentes e compreender o comportamento de determinado período
da média móvel em questão, no começo é confuso e exigirá muita atenção e análise do comerciante para
usar esta abordagem identificando contextos favoráveis para operações seguras, aumentando assim as
probabilidades de acerto. A combinação é recomendada para mercado futuro dado a maior volatilidade dos
ativos.

5 e 15 Minutos

• Média de 9 períodos (Exponencial) no gráfico de 5 minutos possui sua representatividade


com a média de 20 períodos (Aritmética) no gráfico de 15 minutos.

• Média de 50 períodos (Aritmética) no gráfico de 5 minutos possui sua representatividade com


a média de 200 períodos (Aritmética) no gráfico de 15 minutos.

• Média de 200 períodos (Aritmética) no gráfico de 5 minutos possui sua representatividade


com a média de 50 períodos (Aritmética) no gráfico de 15 minutos.

• Média de 9 períodos (Exponencial) no gráfico de 15 minutos possui sua representatividade


com a média de 20 períodos (Aritmética) no gráfico de 5 minutos.

5 e 60 minutos

• Média de 200 períodos (Aritmética) no gráfico de 5 minutos possui sua representatividade


com a média de 20 períodos (Aritmética) no gráfico de 60 minutos.

Vamos analisar os exemplos a seguir usando a abordagem do modelo nos gráficos de 5, 15 e 60 minutos,
com a correlação das médias de 9 períodos (Exponencial), 20 períodos (Aritmética), 50 períodos
(Aritmética), 200 períodos (Aritmética). A proposta é procurar áreas de oportunidade aonde o conjunto de
médias móveis favorece o contexto para uma possível tomada de decisão.

Ponto chave

A combinação das médias móveis em determinados tempos gráficos


proporciona ao investidor identificar a tendência de um ativo sem precisar olhar
para todos os tempos gráficos ao mesmo tempo.

109
5 minutos M200 15 minutos

M50
M9
M20 M9
M50 M20

M20

60 minutos

Gráfico 5 e 15 minutos: Observe os dois tempos gráficos e note o comportamento das médias móveis, durante
o deslocamento dos preços a M200 (5 min) está no mesmo preço que a M50 no (15 min), é importante ter em
mente que os valores dificilmente serão exatos, por isso a lógica da correlação é trabalhar com as potencias
regiões e não especificamente com os preços.

Gráfico 5 e 60 minutos: Note a M200 nos (5 min) como está em sincronia com a M20 no (60 min), ou seja,
uma potencial região de resistência está formada.

M200

M20

M200

M50

M20

Gráfico 5 e 15 minutos: Perceba como a M50 nos (5 min) está com o seu deslocamento na exata região da
M200 nos (15 min) formando-se um importante suporte dinâmico para os preços.

Gráfico 5 e 60 minutos: Quando analisamos somente o posicionamento das médias móveis pela ótica dos
preços, nota-se que a M200 nos 5 minutos está no preço ( 3.939,07), observe a M20 nos 60 minutos posicionada
no preço ( 3.941,25), a diferença dos preços entra na pequena margem de erro. A análise parece ser confusa,
porém é de extrema importância compreender a lógica da minha proposta sobre a correlação, com está
abordagem podemos trabalhar com uma maior segurança nas operações.

110
O Pullback

Está configuração de recuo ocorre muitas vezes em um movimento de forte tendência e volatilidade,
algumas características e técnicas serão apresentadas para validar a análise do modelo. Muitos conhecem
o movimento como regressão a média ou até mesmo ponto contínuo, porém vou fazer adaptações com
outas médias móveis para fortalecer o sinal durante o pullback. È um dos modelos favoritos que gosto de
realizar operações, dado o nível de assertividade quando realizado de modo correto. Basicamente
comerciantes que perderam a primeira onda de impulsão usará este mergulho dos preços para tentar surfar
na tendência predominante, e haverá ocasiões no curso natural do mercado e seus ciclos, que a
configuração de recuo sobre a média não ocorrerá com frequência.

O movimento corretivo é uma fraqueza que pode ser apenas uma onda de tomada de lucro em um
movimento temporário, este período de menor fraqueza pode gerar uma oportunidade de comércio sempre
a favor da tendência. Não é recomendado stop muito curto para o modelo, dado que a grande maioria dos
players estão ciente aonde estará alocado o stop dos comerciantes e podem te tirar das operações de
maneira precoce.

Configurações-Chave no pullback sobre as médias móveis:

• Identifique a tendência do mercado, observe o posicionamento das médias móveis de 20, 50 e 200
períodos por exemplo, ambas alinhadas a uma tendência tende a ser um importante sinal.
• O movimento de pullback que procuramos se dá em cima das médias móveis de 20 e 50 períodos
aritmética.
• Após o recuo sobre a média, um padrão de reversão é o recomendado para fortalecer o sinal da
operação, por exemplo, martelos e engolfos, lembre-se também dos gatilhos que estudamos no capítulo
anterior.
• Pullback sem volume dificulta a continuação do movimento, principalmente em uma tendência de alta.
• Um oscilador pode ser usado conforme os preços se aproximem das médias móveis, recomendo o uso
do estocástico lento com a calibragem 7,3,3.
• Evitar o movimento de pullback quando o mercado estiver lateralizado gerando sinais falsos.
• Estar atento ao risco retorno de cada operação baseado no modelo apresentado.

M50
M20
M20

115
Continuação do
movimento

Pullback

No primeiro exemplo do pullback com o mercado Após o teste sobre as medias móveis o mercado
trabalhando em alta temos uma onda de impulso que segue em um movimento de alta como mostra o
acelera os preços para cima, perceba como a média exemplo acima, a ordem de compra é acionada com
móvel de 20 períodos (Preta) começa a ficar o comerciante extraindo bons lucros do mercado.
ascendente paralela com a média de 50 períodos, No mesmo movimento uma segunda oportunidade
observe o movimento corretivo sendo formado com de regressão a média é formada, o comerciante
os preços indo de encontro as médias. Com o deve ter em mente que abrir posições neste modelo
contexto favorável o comerciante pode deixar uma é obrigatório que as médias estejam ascendente
ordem de gatilho na superação da vela que testa a fortalecendo o movimento de tendência e o contexto
M20. para uma possível operação.

B
A

Gap

Pullback

Exemplo A: No primeiro exemplo temos o papel da MGLU3 em um movimento de alta com as médias
móveis ascendente, o pullback ocorre com a formação de três velas de dúvida sobre a M20, é normal ao
teste sobre a média velas com essas características.

Exemplo B: Observe o gráfico diário do papel PETR4 trabalhando em tendência de alta, o movimento de
correção sobre as médias móveis demora dias para ocorrer, perceba que após o teste sobre a M20 temos
a formação de um gap que continua o movimento de alta por mais alguns dias. Este modelo é clássico
usado no mundo todo, por isso é muito importante aprimorar os conceitos para aproveitar as oportunidades
quando formadas em contexto.

116
Capítulo
161

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Setups Para Day
Trade
Para um movimento ou até mesmo um padrão importante é necessário que o mercado esteja encaixado em
um contexto favorável, dado que existem vários padrões que ocorrem diariamente durante a ação dos preços,
cabe os comerciantes conseguirem interpretar de maneira correta para minimizar os riscos antes de qualquer
tomada de decisão. Tenho uma percepção negativa sobre pessoas que operam somente um setup, acredito que
a pessoa acaba se tornando um robô sem leitura de mercado ficando dependente do setup como único e
exclusivo meio para realizar uma operação. Este é o fator subjetivo da análise técnica que permite ao
comerciante sistematicamente aplicar suas ideias ao mercado e medir objetivamente seus ganhos e perdas.

Cada padrão possui suas características, porém em ambos os casos operar estes padrões em regiões
caóticas, ou seja, em áreas de valor justo do mercado tornam as operações com muitos erros e sinais falsos. O
que eu tento passar é um conceito sólido e simples de operar estes tipos de configurações, sempre trabalhando
com as probabilidades do mercado e não certeza de ganhos. Se o movimento não está ocorrendo de acordo
com sua avaliação não hesite em encerrar a operação e preservar seu capital. O gerenciamento de risco
necessita ser respeitado rigorosamente em qualquer operação, não é simplesmente a formação de um setup
que o comerciante na euforia irá abrir posições de maneira indisciplinada, calcular o risco retorno é de extrema
importância para preservar seu capital e manter o psicológico alinhado.

Tenham sempre em mente que não existe setups milagrosos de Santo Graal como meio de riquezas
incalculáveis, o que realmente existe é uma boa leitura do contexto de mercado, a maioria dos métodos para
Day Trade requer atenção considerável pois ocorrem falhas. A proposta principal do capítulo é usar as
configurações contidas como sinal de alerta para as operações e não simplesmente uma abertura de posição
conforme a configuração estiver sendo formada, ou seja, o comerciante precisa avaliar todo o cenário que o
mercado se encontra e entender se a configuração tem fundamentos em determinado movimento.

Apesar do capítulo ser dedicado a operações de Day Trade, acrescentei alguns exemplos com tempo gráfico
diário para que modo a pessoa continue absorvendo a proposta dos tempos gráficos que abordamos no segundo
capítulo do livro. Apresento estes setups simplesmente no espírito de compartilhamento, o comerciante pode
experimentar e modificar qualquer uma dessas configurações deixando no modo de seu gosto e preferência,
lembre-se de permanecer fiel a lógica do contexto e a leitura dos preços usando os setups como auxílio.
A fuga dos 30 minutos

O modelo operacional possui como proposta capturar grandes oscilações dos preços em gráficos
intradiários de modo objetivo e organizado, é uma configuração ofensiva para operadores de mercado com
perfil agressivo. A primeira meia hora de negociação geralmente trata-se do período de desenvolvimento
dos preços, e após uma concordância tende a produzir movimentos de fuga, estando sempre atentos a
abertura do mercado á vista. É importante utilizar gráficos com liquidez elevadas para um bom
funcionamento do modelo, mercado futuro é o recomendado, entretanto o modelo pode ser aplicado em
outros mercados de modo que seja bem aceito.

Depois que o primeiro cenário é estabelecido o gatilho de compra e venda ocorre na superação da
primeira vela de 30 minutos, porém é necessário algumas características serem analisadas antes de
qualquer tomada de decisão. Evite operar os primeiros 30 minutos de pregão dado que este início é usado
para configurar as operações de compra e venda conforme os pontos de suportes e resistências são
formados. A fuga dos 30 minutos é um método poderoso quando bem aplicado ao seu operacional,
entretanto não é perfeita, assim como nenhuma estratégia é perfeita e estão sempre sujeitas a falhas.
Lembre-se de que a chave para o sucesso de uma operação é a persistência, ou seja, desistir do modelo
depois de algumas perdas é demonstrar fraqueza, a adaptação ao modelo irá trazer uma alto confiança nas
tomadas de decisões e consequentemente um aumento no nível de assertividade das operações.

30 minutos 30 minutos
30 minutos
30 minutos

30 minutos
30 minutos
30 minutos 30 minutos

O alvo da operação:

→ Para o alvo da operação recomendo a projeção de todo o intervalo da primeira barra, ás vezes podemos
ter uma vela de pequena amplitude para projeção. Porém o alvo varia de acordo com cada perfil e
preferência de cada pessoa.

Projeção 30 minutos

Projeção
30 minutos

Características do modelo:

• Aplicação do modelo ocorre em gráficos de 30 minutos.


• Recomendado para mercado futuro dado a volatilidade dos ativos, porém pode ser usado em ações com
fluxo de pedidos e boa liquidez.
• Evite operar a primeira vela dos 30 minutos, aguardar o período de meia hora para o desenvolvimento
dos preços.
• O recomendando é desconsiderar o modelo após a formação da quinta barra caso o gatilho não seja
acionado.
• Operação válida somente em contexto de mercado favorável.
• Evite carregar uma operação até o final do dia, estamos trabalhando na modalidade de Day Trade, não
arrisque o lucro já ganho querendo levar sua operação para outro dia.
• Respeite rigorosamente o seu gerenciamento de risco durante as operações.

162
Máximas e Mínimas

A popularidade do dia de negociação em ações e mercados futuros tem sido uma benção para muitos
iniciantes e por isso surge a necessidade de aprender várias estratégias como forma de enxergar o mercado
em diversos ângulos diferentes. Começamos abordando uma leitura de máximas e mínimas em um tempo
gráfico de 60 minutos, dado que em um tempo gráfico maior temos a possibilidade de diminuir a quantidade
de ruídos e minimizar o máximo os riscos.

A proposta do modelo é mostrar para os comerciantes que operam em um gráfico de 5 minutos por
exemplo sobre o contexto de mercado, se um gráfico de 60 minutos não está dando condições para uma
eventual operação, então logo combinamos os tempos gráficos para identificar o mercado fora de contexto
para operações, duas velas de rejeição no gráfico de 60 minutos tende a deixar uma quantidade enorme
de ruídos nos 5 minutos. Usamos está leitura para encontrar possíveis pontos satisfatórios para uma
abertura de posição segura. Vamos analisar todos os detalhes do modelo.

Características e observações do modelo operacional.

• Recomendado para mercados futuros, índice e Dólar.


• Será utilizado tempos gráficos de 60 minutos para identificar o contexto principal e o gráfico de 5 minutos
como tomada de decisão na abertura de posições.
• Em determinado movimento uma vela pode superar o corpo das duas velas anteriores no gráfico de 60
minutos, este contexto pode estar gerando uma operação no gráfico de 5 minutos.
• Em um movimento de alta com a formação de novas máximas, as médias móveis devem estar inclinadas
para cima em um movimento ascendente.
• Em um movimento de queda com a formação de novas mínimas, as médias móveis devem estar
inclinadas para baixo em um movimento descendente.
• Analisar as potenciais regiões de suporte e resistências, bem como a tendência do mercado no pregão
anterior.
• Está configuração pode servir como um ansiolítico para os comerciantes.
• Se o comerciante tem múltiplos contratos na operação, então tire proveito de parte de sua posição na
primeira meta de lucro e fazer uma parada no ponto de equilíbrio.
• O modelo exigirá muita atenção dos comerciantes, dado que necessitamos estar com os dois tempos
gráficos alinhados antes de qualquer tomada de decisão.

Máximas: Conforme o mercado se desenvolve ficamos atentos a ação dos preços, quando duas velas fazem
novas máximas no gráfico de 60 minutos mudamos para o gráfico de 5 minutos identificando um ponto de
entrada com contexto aonde o stop de proteção esteja bem alocado na operação

→ A seguir iremos analisar os exemplos na ponta compradora procurando extrair informações lógicas
de cada movimento. Lembrando sempre a importância no contexto formado em um gráfico de 60
minutos.

167
60 Minutos 5 Minutos

Gráfico de 60 minutos: Vamos ao primeiro exemplo abordando a leitura pelo lado da ponta
compradora, observe no gráfico de 60 minutos a formação de duas velas de rejeição com as médias
móveis ascendentes dando contexto para a tendência de alta. Identificamos duas velas de rejeição
fazendo novas máximas, passamos agora a observar o contexto em um gráfico de 5 minutos.

Gráfico de 5 minutos: Após a formação das máximas sobre as velas de rejeição no gráfico de 60
minutos, note no gráfico de 5 minutos que a entrada na operação de compra foi antecipada, perceba
que as médias móveis ainda estão em flat, porém veja como pequenas velas possui seu fechamento
acima das médias confirmando contexto.

60 Minutos 5 Minutos

Gráfico de 60 minutos: Analisando outro exemplo novamente no lado dos compradores nota-se que
o mercado trabalha em um movimento de alta com as médias móveis ascendentes, durante este
movimento temos a formação de duas velas de rejeição formando novas máximas e dentro desta
conjuntura observamos o gráfico de 5 minutos verificando se existe contexto para uma possível tomada
de decisão.

Gráfico de 5 minutos: Quando passamos a analisar o gráfico de 5 minutos logo notamos que uma
barra de força supera uma faixa de negociação caótica para os preços elaborada pelas duas velas de
rejeição no gráfico de 60 minutos. Note o exato ponto de entrada na operação de compra com o stop
loss posicionado abaixo da faixa de negociação anterior.

Está leitura necessita ser cirúrgica que no diz respeito a uma abertura de posição, conforme já foi
mencionado anteriormente a leitura serve como alerta para evitar operações em regiões demasiadas
do mercado. Durante a formação das velas de rejeição nos 60 minutos, o mercado trabalhou por cerca
de duas horas com baixo volume e diversas velas de indecisão no gráfico de 5 minutos, ou seja, é uma
abordagem simples de analisar os preços, porém ao mesmo tempo que é simples torna-se de extrema
objetividade para grafistas mais cautelosos.

168
Fakey

A estratégia de negociação do Fakey é eficiente dentro das probabilidades do mercado em uma tendência
dominante, indica um nível de rejeição dentro desta área de negociação e consequentemente pode
desencadear movimentos importantes. O padrão consiste essencialmente quando temos um inside bar
seguido de uma vela de rejeição, o padrão de reversão pode ocorrer sobre a média móvel de 9 períodos
exponencial e a entrada na operação é na superação do candle ligado a média, a formação nunca será
perfeita.

Em qualquer tempo gráfico o Fakey pode ser identificado, porém deve ser operado com o mercado em
tendência para um maior nível de assertividade.

Características do padrão:

• O padrão foi desenvolvido para ser operado com o mercado em tendência.


• O teste será realizado com maior clareza em cima da média móvel de 9 períodos
exponencial.
• Fakey pode ser desenvolvido com várias velas, o comerciante tem a opção de ir mudando
o gatilho de entrada conforme o movimento se desenvolve.
• Pode ser operado em qualquer tempo gráfico, entretanto gráficos com periodicidade maior
é o recomendado.
• Vamos aplicar a abordagem das velas gatilhos em cima do padrão.
• Analisar o volume de negociação.
• O padrão nunca será perfeito, fique atento a pequenos ruídos deixado pelas velas. Nos
exemplos iremos abordar as possíveis formações do padrão.
• A proposta de apresentar o modelo pelo lado da ponta compradora é pelo fato que em um
movimento de alta o mercado sobe de escada deixando padrões pelo caminho.
• Regra principal: Inside bar + Vela de rejeição = Padrão Fakey.

187
Características do Inside Bar:

Observe alguns exemplos detalhado sobre as características possíveis para a formação do inside bar,
note que o padrão sofre variações em sua formação, ou seja, nunca será perfeito como é apresentado,
por isso a necessidade de entender a leitura de candle e saber interpretar um inside bar para extrair
informações em uma eventual tomada de decisão.

Vamos ao primeiro exemplo do padrão Fakey a favor


da tendência de alta, percebe-se a primeira onda de
impulsão de alta superando todas as médias móveis,
C
um movimento de respiro do mercado é esperado,
S veja como o retrocesso segura na média de 50
períodos com a M9 e M20 ascendente insinuando a
possível continuação de alta. O padrão é formado
com um detalhe importante, somente foi válido dado
o apoio da M50, observe detalhadamente como o
Fakey não chega a toca na M9.

Observe ao lado outro exemplo do modelo, o mercado


Pivot macro está formando um interessante pivot de alta com o
conjunto de médias móveis ascendentes, perceba que
após a perna de correção os preços fazem um micro
Micro pivot pivot de alta formando o padrão Fakey que é apoio
C
pelas médias. O gatilho de compra é acionado na
S
superação da vela de rejeição com o stop loss abaixo
desta mesma vela.

Em mais um exemplo percebe-se que o padrão é


formado após uma barra de força com volume acima da
média, perceba que as três médias móveis estão
ascendentes e a dificuldade para os preços superar as
médias é grande. Note que estamos trabalhando
C interpretando os micros pivôs, não é uma leitura fácil,
S entretanto a prática e o tempo podem ajudar o
comerciante a ler o mercado de forma abrangente.

188
Barra Ignorada

Vamos estudar agora o conceito do padrão barra ignorada que necessita ser operado exclusivamente com
o mercado em tendência para surfar a onda deste movimento em um eventual comércio, basicamente é
uma segunda oportunidade para o comerciante que o mercado proporciona. Em minhas análises de
mercado considero este padrão para comerciantes mais agressivos, dado que nos piores cenários e
flutuações do mercado o risco de ser violinado existirá pelo fato do stop loss ser curto nas operações.

A proposta é trabalhar com abordagens para maximizar a utilidade das barras ignoradas, o padrão
quando bem encaixado em um contexto de mercado favorável tende a dar bons lucros aos comerciantes,
e o fator principal do modelo é que pode ser operado em qualquer tempo gráfico. O comerciante deve
sempre analisar o gerenciamento de risco.

Barra ignorada de alta Barra ignorada de baixa

Stop loss
Gatilho
Gatilho
Stop loss

Descrição do padrão

• Operar a barra ignorada somente a favor da tendência.


• Médias móveis precisam acompanhar o movimento da primeira barra que antecede a formação da
barra ignorada.
• A pequena barra ignorada pode conter sombras.
• A barra ignorada deve estar com o seu corpo dentro da vela anterior.
• Analisar o volume de negociação para o fortalecimento da continuação do movimento e o acionamento
da barra ignorada.
• A entrada na operação fica na superação da barra ignorada, com o stop loss posicionado na
mínima/máxima. Um detalhe importante na colocação do stop é que a vela responsável por acionar o
gatilho pode ter sua abertura deixando sombras e dentro deste cenário o comerciante deve optar por
um stop loss que se encaixe dentro do seu gerenciamento.

190
Outside-Bar Plus

Continuando com o mesmo conceito do Outside-Bar, porém realizando algumas alterações na leitura das
velas para assim desenvolver um outro modelo de operação. A combinação das velas difere-se pelo fato
de que agora usamos uma barra maior que supere todas as velas anteriores em determinado contexto de
mercado.

O modelo é indicado para operar possíveis reversão de movimentos, entretanto o padrão pode ser
formado em regiões de forte memória, como por exemplo importantes níveis de suportes e resistências,
quando formado em meio de gráfico ficamos com o sentimento de dúvida para o lado do rompimento, porém
o ideal é sempre buscar operações a favor da tendência do mercado seguindo o deslocamento das médias
móveis.

Características do modelo:

• Uma barra podendo ter seu corpo real completo ou até mesmo longas sombras irá encobrir as velas
anteriores, ou seja, engolfando todo o conjunto de velas para confirmar o padrão.
• O ideal é operar o padrão sempre a favor da tendência, porém a formação em potenciais faixas de
negociação pode ser um importante modelo de reversão do movimento.
• As velas que antecede a barra principal tendem a possui baixo volume de negociação.
• O uso do oscilador estocástico lento pode auxiliar na identificação das áreas de sobrecompra e
sobrevenda para a confirmação do padrão.

Operação de compra: Com os parâmetros preenchidos opera-se o rompimento da barra que engolfa o
conjunto de pequenas velas, o stop de proteção fica na mínima da barra principal.

Operação de venda: Com os parâmetros preenchidos opera-se o rompimento da barra que engolfa o
conjunto de pequenas velas, o stop de proteção da operação fica posicionado na máxima da barra principal.

224
Capítulo
231

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Estratégias Para Swing
Trade
Preços e padrões técnicos são semelhantes em todos os prazos podendo extrair informações lógicas de acordo
com cada abordagem realizada, porém gráficos diários acredito ser melhor para analisar padrões gráficos
identificando potenciais fortes com alta probabilidade de oscilação, dado que é muito complicado tentar antecipar
um cenário em timeframes curtos com a quantidade de ruídos. Manter uma operação por mais de três dias irá
exigir paciência do investidor pelo fato das oscilações ocorrerem conforme o mercado se desenvolve, assim como
operações de Day Trade na modalidade de Swing Trade o investidor também precisa estar atento ao timing de
mercado para realizar um balanço identificando ações com oportunidades de negócio.

As negociações de swing podem proporcionar lucros maiores do que as próprias operações de Day Trade,
com os tempos gráficos maiores pensamos em uma meta de lucro cada vez maior de acordo com as probabilidades
de cada operação e seu desenvolvimento exigindo paciência do investidor. Operações de Swing Trade não exige
que a pessoa fique o dia inteiro na frente do computador procurando oportunidades para um comércio, costumo
dizer que o maior investidor de todos é aquele que realiza as próprias análises sem precisar de auxílio de terceiros
em suas tomadas de decisões, acredito que pelo menos o básico da análise técnica clássica os investidores
deveriam ter conhecimento, já imaginou que interessante o investidor aplicar seu capital e de vez enquando
acompanhar a evolução de sua operação e tendo pelo menos o básico de conhecimento para identificar o cenário
com o desenrolar dos preços.

As configurações estratégicas encontradas neste capítulo servem mais como alerta do que uma própria tomada
de decisão, vocês já devem ter percebido a inúmeras vezes que venho falando sobre a importância do contexto
de mercado antes de inicar uma operação, se em operações intradiárias com um risco maior devemos sempre
operar tendências, imaginem então operações de swing que exigirá do mercado uma concordância com a nossa
análise. Quando temos um contexto favorável que engloba alguma configuração apresentada durante o capítulo
do livro, logo as probabilidades de um maior nível de assertividade nas operações aumentam gradualmente.
Sky Breakout

Esta configuração possui como característica principal a superação de um potencial nível de suporte e
resistência, ou seja, a troca de estoque para outra faixa de preço. Para tal configuração usamos o indicador
OBV ( On Blance Volume) que auxilie em nossa tomada de decisão e outras variáveis que necessitam estar
em contexto.

Conforme o mercado marca um fundo ou topo de grande relevância aonde os preços trabalhem por
dias ou até meses, logo ficamos atentos ao rompimento desta faixa de negociação. Nesses pontos de
referências fazemos a marcações no OBV desenhando uma linha horizontal pegando todos os pontos do
OBV combinando com os níveis de suportes e resistências dos gráficos, confirmamos a fuga observando o
OBV que nos irá fornecer uma referência visual confirmando o rompimento. Nos exemplos iremos abordar
todos os detalhes e parâmetros para que o modelo de operação seja bem compreendido.

Definição OBV: OBV significa volume de balanço e mede a acumulação e distribuição de um determinado
ativo, o volume compartilhado é adicionado em dias ou subtraído em dias inativos de um saldo corrente de
volume.O indicador OBV é rico no que diz respeito ao seu funcionamento, dado que não leva fama de ser
um indicador atrasado e quando bem utilizado pode ser muito útil para a previsões de movimentos futuros.

Características do modelo:

• Recomendado para gráficos diários e semanais com a proposta de diminuir a quantidade de rúidos.
• A calibragem do OBV é a tradicional encontrada em muitas plataformas de negociação.
• O modelo é um alerta sobre uma possível fuga do mercado para uma nova tendência ou até mesmo um
outro andar de preços.
• Identificar potenciais pontos de suportes e resistências nos gráficos.
• Após identificado os pontos desenhamos uma linha horizontal no OBV marcando os mesmos pontos do
gráfico.
• O rompimento de uma importante região deve ocorre com volume, e o ideal que seja com uma barra de
força.
• Observar o comportamento do conjunto de médias móveis.
• O novo preço deve fechar abaixo do nível de suporte, ou acima do nível de resistência.
• É necessário que o papel tenha liquidez para dar sequência ao movimento de fuga.
• Em alguns movimentos o OBV antecipara o rompimento, entretanto é subjetivo afirmar que irá ocorrer de
forma segura e objetiva, e por isso bato tanto na tecla sobre a importância na análise do contexto de
mercado.
• O rompimento não é validado sobre a linha de controle de preço, conforme estudamos no primeiro
capítulo.

v v

SKY Breakout SKY Breakout

245
Trigger Doji

No capítulo sobre os gatilhos utilizando as velas abordamos diversos contextos e características de


utilização, e usando da mesma lógica, porém iremos realizar alterações para aplicar o modelo em
operações de Swing Trade em cenários de mercado favoráveis. O Doji é um padrão de vela mais poderoso
do que qualquer indicador que sinalize sinal de sobrecompra ou até mesmo sobrevenda, mas lembro que
não deve ser usado como único sinal de confirmação para uma possível tomada de decisão, é necessário
todo embasamento técnico em cima do padrão.

Durante boa parte do livro eu venho falando sobre está vela procurando acrescentar o padrão dentro
de contextos que proporcionem operações com probabilidades de acerto. Para o modelo utilizaremos
algumas regras em se tratando de operações de Swing Trade que exige uma análise cíclica, por exemplo:
Em operações de compra utilizaremos o Doji de fechamento alto (DFA), e para operações de venda o Doji
de fechamento baixo (DFB). Apesar da minha insistência no padrão de vela durante todo o livro, evite
misturar as abordagens dado que cada uma possui características específicas mesmo com o padrão sendo
o mesmo.

Após a formação do doji uma vela deve possuir seu fechamento alto (DFA) acima
da máxima do doji, porém as regras agora mudam com a entrada na operação de
compra sendo acionada após a primeira vela que confirma a estrutura do modelo
operacional. Lembre-se o foco da análise são os Dojis sem corpo real, com sua
formação semelhante a uma cruz.

Após um movimento de alta prolongado, ficamos atentos em uma possível


formação de Doji que tende a ocasionar na mudança de comportamento dos
preços. Um vela deve possuir seu fechamento abaixo da mínima do doji para
validar o modelo (DFB), o padrão deve ser rigorosamente analisado e encaixado
em um contexto de mercado favorável. Isso ajuda a minimizar os riscos e
potencializar uma eventual operação de venda.

Ponto chave

Doji é um padrão poderoso quando enquadrado em um contexto de mercado


favorável, sua formação em potenciais nível de suportes e resistências pode
ocasionar em uma mudança significativa dos preços.

249
Setups utilizando o Tridente

Muitos comerciantes não tem o hábito de realizar marcações em gráficos diários e semanais, alguns por
não sentirem a necessidade e outros por sentirem dificuldades em identificar os pontos exatos. E foi
pensando neste aspecto que acrescentei a ferramenta tridente no capítulo para que de modo através do
tridente o comerciante marque os pontos principais de transição dos preços, também pelo fato de poucos
conhecerem a importância e utilidade da ferrramenta nos gráficos. A ferramenta Tridente foi desenvolvida
pelo Dr. Alan Andrews e possui como característica antecipar a formação de um canal, o modelo consiste
em três linhas de tendência baseada em três pontos selecionados.

Basicamente serve como suporte e resistência extremo que contém a linha mediana como eixo principal
para as zonas potenciais dos preços, ligamos três pontos no pivot para obter a linha mediana. Segundo
Andrews existe uma alta probabilidade dos preços atingirem a linha mediana e em seguida reverter seu
movimento. É necessário marcar os pontos conforme a memória de preço do mercado para o manuseio da
ferramenta.
Caracterísiticas do Tridente:

• Possui como principais funções identificar a formação dos canais de alta e baixa trabalhando com os
testes realizados pelos preços na linha mediana do futuro canal.
• Em gráficos diários e semanais conseguimos diminuir o ruído dos preços facilitando a utilização do
tridente.
• Para o modelo aplicamos a ferramenta estocástico lento 7,3,3 (Exponencial) ao teste da linha mediana.
• Vamos aplicar a ferramenta tridente de várias formas estratégicas procurando trabalhar sobre a ação do
preço em todos os cenários.

A primeira abordagem na utilização do tridente consiste na


Teste Linha aplicação tradicional da ferramenta ligando os pontos de
B mediana pivot, projetamosdado as porbabilidades e flutuações dos
preços um possível canal de alta ou baixa. Após o teste na
linha mediana do canal ficamos atentos a todas variáveis
disponíveis para uma possível tomada de decisão.

Preço
A C

Observe o primeiro exemplo no gráfico diário do ativo


Teste linha
B mediana
DOLFUT, note a ligação dos pontos A B e C formando
uma conjuntura para trabalhar a ferramenta tridente.
Com a projeção do canal elaborada, aguardamos por
um teste na linha mediana, note na sequência que os
C preços respeitam a base inferior do canal tridente
realizando o teste sobre a linha mediana.
A
• Teste na linha mediana com a média de 20
períodos inclinada para baixo.
• Estocástico lento em nível de sobrecompra.

A
C No segundo exemplo percebe-se que apliquei a
M20 ferramenta tridente marcando os pontos com o mercado
trabalhando em um movimento de baixa, após uma onda
de impulsão de baixa o mercado sinaliza com o auxílio do
B estocástico que está em seu limite de baixa, observe o
afastamento da média móvel de 20 períodos. Com o
Teste linha
contexto identificado os preços realizam o teste sobre a
mediana
linha mediana do tridente revertendo sua tendência
principal.

253
Conclusão

O capítulo forneceu uma nova maneira de enxergar determinados movimentos e configurações estratégicas
que devem ser utilizadas somente em um contexto favorável de mercado.Todos os modelos apresentados
para operações na modalidade de Swing Trade foram minunciosamente selecionadas levando em
consideração suas probabilidades matemáticas dentro do mercado, tendo sempre em mente que durante
todo o livro tenho usadas as configurações como importantes sinais de alerta e não especificamente para
uma tomada de decisão.

Por se tratar de operações com duração média de três dias o investidor deve estar ciente de todas as
varáveis e riscos em cada operação, portanto ao utilizar alguma estratégia do capítulo o investidor assume
que está disposto a colocar seu capital em jogo. É necessário possuir conhecimento e leitura de mercado
antes de utilizar alguma das configurações, de modo algum transforme suas operações em algo
mecanizado ou até mesmo depender exclusivamente de apenas uma estratégia. A estrutura de mercado
nos fornece os principais pontos para a formação de uma determinada configuração, áreas essas com
expectativas de fluxo de pedidos, ou seja, o cenário ideal ocorre quando uma estratégia é formada aonde
uma grande maioria de players também enxerguem o mesmo movimento, aumentando assim as
probabilidades da operação ser assertiva.

A ação do preço irá nos fornecer áreas aonde os fluxo de pedidos pode ir contra as nossas expectativas
sobre o movimento, podendo reverter completamente o quadro de um determinado ativo. Portanto antes
de se aventurarem em uma operação siga os requisitos abaixo sempre respeitando o seu gerenciamento
de risco e consequentemente preservando seu capital.

ALVO Risco
STOP ENTRADA
Primário Retorno

Ponto chave
Operações de Swing Trade podem ser desgastantes para o psicológico do
investidor, dado o período em que seu capital estará em jogo. Se a pessoa não
possui paciência para esperar o momento certo evite operações de Swing
Trade.

265
Capítulo
266

MOL- Manual de Operações Lucrativas


O Stop obrigatório

Depois de apresentar tantas técnicas e leitura de mercado eu não poderia deixar passar um tema tão importante,
diria ser obrigatório para todos os investidores de curto e longo prazo. Um fuzileiro jamis vai para um campo de
batalha sem sua arma e principalmente sem o seu colete a prova de balas, pois bem vamos imaginar que o
colete é nosso stop de proteção durante as operações, ou seja, o colete irá preservar a vida do fuzileiro durante
suas missões, já o stop é um meio de proteger o capital do investidor contra perdas que estejam fora do seu
gerenciamento de risco. Eu sei que parece uma comparação agressiva, porém é uma maneira de tentar passar
para as pessoas a importância do stop em suas operações.

Assim que um mometum de operação é identificado procuramos um ponto seguro para o posicionamento
do stop de proteção, isto deve ser feito antes da abertura de posição para uma eventual operação. O que muito
se questiona é o stop financeiro ou técnico, todavia o recomendado sempre será o stop técnico pelo fato dos
preços poderem oscilar evitando assim que a operação seja encerrada de forma precoce. É necessário ter em
em mente que o stop técnico necessita que o investidor tenha um capital maior, diferentemente do stop
financeiro que devido o pouco capital não permite ao investidor trabalhar sua proteção de forma correta. Em
determinados cenários o próprio mercado irá mostrar pontos estratégicos, muitas vezes proporcionando stops
baratos e de fácil visualização.

Quando uma ordem de stop é inserida no gráfico o investidor concorda com o mercado sobre os riscos e
probabilidades durante sua operação, este limite de perca garante que você obtenha uma segurança durante
as operações tornando-se um parceiro do mercado e não um adversário. Os níveis de stop loss precisam ser
adaptados a cada situação individual do mercado com base na ação do preço e histórico de um determinado
ativo. Não importa o setup ou qualquer que seja sua estratégia operacional, em todas o uso do stop de proteção
é obrigatório para iniciantes como também para investidores de maior experiência, não sabemos se uma
determinada configuração irá funcionar 100% de forma consistente e as falhas sempre podem aparecer quando
menos esperarmos, caso uma falha seja concretizada a ordem de parada irá nos proteger com uma perda
dentro do nosso gerenciamento de risco. O risco é inevitável não podendo ser evitado durante as negociações,
entretanto pode ser gerenciado e reduzido conforme os métodos explicados no livro forem seguidos
rigorosamente dentro do operacional do investidor, seja no curto ou longo prazo.
O erro que todos cometem

Acredito eu que muitos iniciantes ou até mesmo traders experientes com anos de mercado já cometeu erros
com os stops em suas operações, o sentimento de cobiça e a ganância muitas vezes influenciam o modo
de pensar e agir das pessoas, o fato é enquanto o imediatismo estiver na frente da razão as tomadas de
decisões serão sempre equivocadas. Na maioria das operações o único objetivo dos traders é extrair lucros
do mercado deixando de lado a premissa de que antes de pensar no retorno, é necessário operar com
profissionalismo e dedicação.

Quando realizamos uma operação de compra ou venda temos que ter em primeiro lugar o ponto
estratégico para colocar o stop de proteção, e somente depois dos pontos identificados iniciamos uma
operação. O problema se dá quando o trader não aceita a perda durante o desenrolar da operação, por
exemplo: Vamos supor que uma operação de compra foi realizada com o stop de proteção devidamente
posicionado no gráfico, porém o mercado não anda a favor e logo começa a voltar contra ameaçando as
proximidades do stop de proteção, neste cenário o trader preocudado com a possibilidade da operação se
tornar perdedora começa a manipular o stop mudando de lugar, ou seja, aumentando o risco da operação
saíndo totalmente do seu gerenciamento de risco. Este tipo de situação jamais deve ser feito ou até mesmo
pensado, coloque na operação apenas o capital que você aceite a perder por completo.

Entrada de
compra

Stop indisciplinado 2 operação


Stop inicial 1 dentro do C perdora fora do gerenciamento.
gerenciamento de risco

S1

S2

Entrada de compra B C

C
A C
C
Stop indisciplinado 2
Stop inicial 1 dentro do operação perdora fora do
S1 gerenciamento.
gerenciamento de risco S2 Operação perdedora S3

Exemplo A: No exemplo acima temos um gráfico de 5 minutos testando nível de suporte, conforme os preços
deixam uma vela de retomada demonstrando rejeição na faixa de suporte, uma operação de compra é iniciada
com o stop de proteção um tick abaixo da sombra inferior da vela martelo.

Exemplo B: O mercado anda a favor por um pequeno período, mas logo começa a mostrar sinais de rejeição
revertendo seu movimento, neste víes negativo dos preços o trader começa a se sentir ameaçado e o
sentimento de medo toma conta na operação. Conforme o mercado se desenvolve negativamente o trader
indicisplinado altera o stop de lugar desespeitando seu gerenciamento de risco.

Exemplo C: A cada movimento de queda dos preços o stop de proteção era alterado aumentando cada vez
mais o valor da perda na operação, o trader não quer aceitar que errou em sua análise e insiste em lutar contra
as forças do mercado. A operação é encerrada em S3 o que de fato se tornou um trade com um prejuízo muito
maior do que manter o stop de proteção em seu lugar recomendado de acordo com o gerenciamento de risco.

268
Condução MM9

Outra possibilidade de realizar a condução de uma determinada operação seguindo a ótica do trailing stop,
é pela média móvel de 9 períodos exponencial. A média de 9 é uma média rápida e muitas vezes usada
como gatilho nas operações ou até mesmo sinal de alerta para abrir posições quando o mercado estiver
em um movimento de tendência, porém o foco na nossa análise é usar a média de 9 períodos para
condução dos movimentos, bem como pontos para os stops de proteção durante as operações de compra
e venda.

Este modelo de usar a M9 é muito eficaz em qualquer tipo de mercado para a condução dos trades, ou
seja, ás vezes os comerciantes entram em uma determinada operação mas logo saem de suas posições
com receio de serem estopados, dentro deste aspecto em algumas oportunidades acabam perdendo bons
movimentos quando o mercado está em uma tendência definida.

Características do modelo:

• O modelo de condução é baseado exclusivamente na média móvel de 9 períodos exponencial.


• Recomendado para qualquer tempo gráfico, porém é importante estar atento ao gerenciamento de risco
quanto ao tamanho dos estopes em determinado tempo gráfico.
• Analisar o volume de negociação do ativo que o comerciante pretende abrir posições, dado que um ativo
sem volume fica inviável realizar uma condução de trade por um período maior.
• Analisar o comportamento das demais médias móveis, se tivermos uma média móvel de 20 períodos em
seu estado flat por exemplo, temos um importante sinal de que o movimento não irá muito longe.

→ Operação de compra: Após a ordem de compra ser acionada o comerciante passa a conduzir a
operação pela média móvel de 9 períodos, dentro do modelo o trade será encerrado quando uma
vela fechar abaixo da M9 demonstrando que os touros estão sem forças para continuar o movimento
de alta.

→ Operação de venda: Após a ordem de venda ser acionada o comerciante passa a conduzir a
operação pela média móvel de 9 períodos, o trade de venda será encerrado quando uma vela fechar
acima da M9 demonstrando que os ursos estão sem forças para continuar o movimento de baixa.

A B C

A B C

277
Capítulo
282

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Ação do preço sobre as retas
tendências

Uma das ferramentas mais simples e eficaz que um grafista pode usar para trabalhar sobre a ação e estrutura dos
preços se trata das linhas de tendências, durante toda a abordagem dos exemplos vou me referir as linhas de
tendências como reta tendência, ou seja, reta suporte para movimentos de alta e reta resistência para movimentos
de baixa, não há nada em especial por trás disso, trata-se apenas de uma preferência minha em chamar as linha
de tendência.Essas retas podem ser muito úteis para identificar a direção e o comprimento de uma determinada
tendência.

O rompimento de uma reta com características de memóra para o mercado pode sinalizar uma possível reversão
de tendência, em suma essas retas plotadas nos gráficos nos dão uma referência visual simples e objetiva dos
estoques em questão e se estendermos essas retas além da borda direita dos gráficos teremos um mapa visual
de onde o estoque é provável que troque em um futuro próximo, bem como é através é através delas que
conseguimos identifcar triângulos e demais figuras conhecidas da análise técnica clássica. Assim as retas suportes
e retas resistências desenhadas de modo correto nos gráficos é uma ferramenta inestimável para ajudar a realizar
negócios lucrativos no mercado.

A proposta do capítulo é aplicar métodos e uma leitura objetiva trabalhando sobre a ação dos preços conforme
o mercado supere as retas com o apoio alternativo das médias móveis, trabalhando sobre cada detalhe possível
afim de evitar tomada de decisões equivocadas por parte dos comerciantes. Cada detalhe foi minunciosamente
selecionado para uma análise de maior assertividade em cada movimento. Nenhuma tendência de negociação
existe até que uma reta possa ser colocada no gráfico que intercepta pelo menos três pontos de preço. Podemos
ter diversas retas plotadas nos gráficos servindo como pontos extremos de suportes e resistências, todos sabem
que desenhar uma retaé simples, porém é necessário trabalhar a ação dos preço durante a fase de rompimento.
Reta resistência: Reta com inclinação descendente traçada
ligando os picos em declínio, quanto maior o número de
vezes que a linha é testada aumentará a expectativa, e
maior será a força do rompimento.

Reta suporte: Reta com inclinação ascendente conectando


os pontos inferiores crescentes. Uma reta suporte bem
desenhada é aquela que consegue identificar o máximo de
teste realizado pelos preços.

Retas interna e externa

Uma reta interna é desenhada sobre o corpo real das velas, procurando todos os pontos importantes, essas linhas
internas pode cortar as sombras das velas, mas não deve superar seu corpo real. As sombras que trabalham fora
das retas são chamadas de excesso de preço, conforme estudamos no primeiro capítulo do livro, recomendo que o
leitor releia para que de modo extraia informações que possam ser aplicadas no modelo das retas. As retas externas
são desenhadas ligando todas as sombras e respectivamente evitando ao máximo deixar excesso de preços.

O que a maioria dos comerciantes se perguntam é qual das retas funcionam melhor, como regra geral e preferência
pessoal, sou a favor das retas externas dado que elas mostram que nesses pontos ocorreram a maior parte das
negociações, e de modo direto mantem toda a base indentificada e devidamente marcada. A maioria dos grafistas já
notaram que as sombras das velas por diversas vezes servem como níveis de suportes e resistências dinâmicos para
os preços, por isso quando ocorre a superação de uma determinada linha de tendência eu sugiro observar se o
mercado está com forças para superar as retas internas e externas, quando as duas retas estiverem muito próximas
é necessário que o mercado supere toda a faixa de negociação para confirmar uma superação válida. O rompimento
das retas demonstra que o mercado pretende seguir em uma nova direção pelos menos no curto prazo.

Ponto maior

Corpo real menor

Corpo real maior

Ponto menor

284
Reta interna
Rompimento

Reta externa

Reta interna

Reta interna
Rompimento com
pullback testando a reta
Rompimento suporte externa

Reta externa

Reta externa Reta externa

Rompimento Rompimento

Reta interna
Reta interna

→ Cada exemplo selecionado acima mostra as características das retas interna e externa, note que para os
preços confirmarem um rompimento válido é necessário superar as duas retas, por exemplo, os preços podem
superar as duas retas e realizar o processo de pullback somente na reta externa o que modo direto torna o
sinal ainda mais forte. A distância entre as duas retas é outro aspecto a ser observado pelos comerciantes,
dado que este afastamento pode sugerir um grau de maior dificuldades para o mercado superar este patamar,
lembro que está abordagem pode ser realizada em qualquer timeframe, porém é necessário estar atento aos
ruídos na quantidade de velas formadas em tempos gráficos menores.

285
Inclinação das retas

Linhas de tendências (retas) devem ser monitoradas regularmente, conforme o mercado evolui trabalhamos
sobre a ação do preço ajustando a inclinação das retas ou até mesmo alongando o seu tamanho. Quando
a ação dos preços desenvolve circunstâncias aonde somos forçados a desenhar retas de forma mais
íngreme, logo ficamos atentos a uma possível correção ou até mesmo uma reversão do movimento.

Conforme a tendência começa a acelerar de forma muito acentuada, a inclinação das retas se tornará
cada vez mais íngreme, este evento técnico é importante para identificar o comportamento dos preços
durante a superação dessas retas, com um movimento muito íngreme é difícil o mercado conseguir manter
por muito tempo e logo essas retas tendem a serem rompidas. Após a superação dessas retas, esteja ciente
de que se uma tendência é muito forte uma reversão não ocorrerá de modo imediato e neste contexto temos
o seguinte cenário:

• Após o rompimento das retas, os preços podem acelerar rapidamente na direção oposta da
tendência.
• Após a superação das retas, os preços podem se mover para o lado consolidando por um
determinado período.
• Se a tendência predominante possui uma demanda elevada, após o período consolidado os preços
tendem a seguir na direção da tendência vigente.

Este movimento acelerado que permite desenhar uma reta íngreme pode desenvolver um evento técnico
chamado de capitulação, evento este que ocorre quando investidores que ainda estão posicionados em
algum papel desistem de permanecer na operação liquidando suas posições, está capitulação será
acompanhada de um grande volume gerando a aceleração do movimento após a rompimento das retas.
Alguns investidores não tem conhecimento de análise técnica e apenas aplicam seu capital em bsuca de
retornos futuros, com a falta de conhecimento gráfico ele é incapaz de identificar quando uma tendência
está desgastada em seu ciclo final, porém os analistas das casas de análises irão alertar o investidor sobre
a possibilidade de encerrar suas operações em determinado ativo, em meio a este trâmite ocorre a
capitulação encerrando a participação do investidor.

Investidores liquidam
suas posições
Ponto íngreme

Rompimento

Reta suporte
íngreme

No exemplo acima percebe-se um forte movimento de alta no gráfico diário do papel TUPY3, observe como
os preços respeitam a reta suporte verde após a primeira onda de impulsão. Conforme o mercado alecera em
tendência de alta ocorre o que chamo de ponto de íngreme da tendência, processo este que mostra o exato
ponto aonde o movimento fica mais íngreme nos possibilitando desenhar uma segunda reta suporte.

Este movimento íngreme acelerado pode dar sinais de cansaço indicando um período de correção ou até
mesmo uma reversão da tendência, observe no exemplo os investidores liquidando suas posições
ocasionando no evento técnico de capitulação revertendo a tendência de forma acelerada.

286
Rompimento direto

Esta configuração de rompimento é a mais simples e direta possível para ser analisada, o rompimento
ocorre com muita rapidez ignorando completamente as retas desenhadas no gráfico. Neste rompimento
direto os preços tendem a afastar-se por um tempo das retas e somente depois retornam para uma
correção, é importante que fique claro que o movimento de correção não pode testar as retas, analisar o
volume de negociação bem como o posicionamento do conjunto das médias móveis que utilizaremos para
auxiliar na análise do contexto durante o processo de fuga dos preços.

É difícil identificar quando teremos um rompimento falso de uma linha de tendência, seria o Santo Graal
prever a movimentação futura dos preços, por isso trabalhamos com todas as configurações e
probabilidades possíveis procurando extrair informações lógicas. Caso ocorra uma fuga falsa ficamos
atentos a dois tipos de cenário após o rompimento frustrado.

• O mercado ficar lateralizado formando uma área de valor justo.


• Pode retornar de forma agressiva para a tendência anterior.

Rompimento ascendente Rompimento descendente

Características do modelo:

• O rompimento ocorre sem realizar o reteste sobre as retas, todos os pontos devem ser
devidamente marcados, retas interna e externa.
• Analisar o comportamento do conjunto de médias móveis, dado que as informações geradas
pelas médias possuem um grau elevado de importância.
• O recomendado é que o rompimento das retas ocorra com volume acima da média
demonstrando força na continuação do movimento.
• Para o modelode rompimento, o comerciante pode aplicar a ferramenta OBV validando o
contexto de fuga.
• Outra possibilidade é identificar níveis de sobrecompra e sobrevenda durante o processo de
rompimento.
• Um movimento de fuga só é válido em contexto com todos os parâmetros preenchidos.

Evento técnico
Reta resistência médias móveis

Rompimento
direto Rompimento
direto
Reta suporte
Evento técnico
médias móveis

288
Capítulo
301
7

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Estratégias utilizando
Fibonacci

A sequência de Fibonacci está presente em muitas áreas e deve ser usado de várias maneiras diferentes e cada
investidor possui suas particularidades na hora de aplicar a ferramenta sobre a ação do preço, a todo movimento terá
mudanças e usamos Fibonacci para fazer possíveis projeções ou retrações dos preços procurando potenciais regiões
de alvos, bem como aonde os preços encontrem níveis de suportes e resistências importantes que impõe dificuldades
em seu deslocamento, lembrando que sempre trabalhamos com a ferramenta de acordo com as probabilidades do
mercado.

Não existe uma fórmula mágica de utilizar a ferramenta e sim fazer adaptações quando o ambiente de negociação
do mercado for favorável, lembre-se Fibonacci não é mágico, porém funciona na grande maioria das vezes e o por
que funciona tão bem não sei te dizer, eu costumo trabalhar com potenciais zonas de suportes e resistências e utilizar
a ferramenta para projetar possíveis alvos para as operações. O mercado se move sobre ondas e no contexto em
geral Fibonacci projeta as proporções da onda 1 ou até mesmo a projeção de uma figura que tende a respeitar dado
as flutuações dos preços. É importante avaliar alguns pontos importantes quanto a tomada de decisão utilizando
exclusivamente a ferramenta, geralmente alguns investidores usam de forma agressiva a abordagem na retração de
50%, mas lembrem-se deve ser aplicado somente em contexto favorável de mercado, outro aspecto importante é o
posicionamento de uma determinada média móvel, por exemplo se em uma operação tenho o alvo projetado por
Fibonacci mas no meio do caminho tenho uma média de 200 períodos flat, a questão é, será que você irá confiar
que os preços cheguem até o alvo mesmo com uma forte M200 flat servindo como base de proteção para os preços
?.

Espera-se que um investidor experiente seja capaz de identificar o ponto de partida de uma determinada onda,
no entanto a identificação do momento adequado não é fácil mesmo para o profissional experiente, por isso no
capítulo trabalho com várias formas de utilizar a ferramenta, aplicando em contexto estratégicos e fazendo
combinações necessárias para extrair informações lógicas, como por exemplo: pontos de entradas e alvos nas
operações, adaptando a ferramenta junto com médias móveis e bandas de Bollinger.
Avanço

Primeiro vamos relembrar o básico sobre o processo de retração dos preços sobre os níveis de Fibonacci,
essas retrações que a maioria dos comerciantes estão familiarizados são chamadas de processo interno,
ou seja uma pequena correção inferior a 100% buscando preços alvos que impulsione o mercado para a
sequência do movimento. A análise tradicional dos ciclos de mercado também assume que a duração do
ciclo é estática e por tanto o ciclo continuará indefinidamente no futuro.

Preços e ciclo de volatilidade mudam com o tempo, o que pode ter sido um ciclo bastante regular no
passado pode não ser mais evidente na atividade recente do mercado. A maioria dos altos e baixos
corretivos são formados em proporções muito próximas das seções recentes da tendência, por exemplo
uma correção de tendência para touros ou ursos é geralmente completa em 38,2%, uma zona ampla de
grandes probabilidades para os preços. A maioria dos comerciantes não compreendem a maneira correta
de aproveitar uma correção dos preços, identificar se realmente aquele nível dado as probabilidades do
mercado irá segurar os preços servindo como suporte e resistência, por isso incluímos na análise algumas
variáveis que possam auxiliar na tomada de decisão.

Os níveis utilizados para a correção dos preços são:

• 38.2%, 50% e 61.8%

Na análise aplicamos o conjunto das médias móveis como tem sido nos capítulos anteriores, precisamos
identificar a tendência do mercado e aumentar as probabilidades quanto ao teste dos preços sobre
determinado nível de Fibonacci, evitando assim operações arriscadas baseadas exclusivamente na
ferramenta sem contexto de mercado.

306
50-EMA e as ondas

No capítulo sobre as médias móveis fizemos análises específicas em cima da média de 50 períodos
aritmética, mostrando a importância desta média em determinado contexto de mercado, como por exemplo
a retração de 50% combinada com a média. Optei por deixar esta abordagem neste capítulo dado as
combinações com as ondas baseadas em Fibonacci e para diferenciar o uso da média junto a ferramenta,
evitando confundir a cabeça do investidor no capítulo sobre as médias caso o contéudo fosse estudado no
caítulo próprio sobre as médias móveis. É necessário prestar atenção em cada detalhe explicado nos
exemplos.

A contagem das ondas é absorvida diante de uma média móvel com características importantes para
a ação dos preços, formação de um pivot de alta ou baixa usando a média como impulso é um fator de
extrema importância a ser analisado. É diferente do pullback cross que necessita do conjunto das médias
sem combinar com Fibonacci.

Característica do modelo:

• Analisar as ondas sendo formadas sobre a média de 50 períodos.


• Média móvel de 20 períodos necessita estar dando suporte para o movimento.
média
• Após o teste sobre a média de 50, a ferramenta deve ser aplicada de maneira tradicional ligando os
pontos A B e C.
• O fechamento dos preços acima da M50 com a formação de um gatilho nas velas fortalece o sinal.
• Retração de 50% junto a M50 na contagem das ondas.

Estude o gráfico para ter certeza de que os preços não estão se consolidando em torno da média
móvel de 50 períodos aritmética

Preços
Preços
3 3

1 1
M50 M50
b

50%
2
c
2

A primeira abordagem ocorre quando os preços fazem o teste sobre a média móvel de 50 períodos e
continuam o movimento a favor do contexto. Aplicamos o modelo tradicional de Fibonacci nos pontos A B e
C projetando a terceira perna do pivot de alta, outro detalhe é acompanhar a contagem das ondas.

Outra variável na aplicação do modelo diz respeito ao teste sobre o nível de 50% com o apoio da média
móvel de 50 períodos aritmética, nesta abordagem o comerciante pode trabalhar com as projeções de 138.2
ou 161.8 para possíveis alvos nas operações. Volte ao capítulo de médias móveis na parte da M50 e suas
características e dado toda importância da média aplicamos este modelo com Fibonacci, sempre atentos a
todo o contexto de mercado.

313
Capítulo
324
7

MOL- Manual de Operações Lucrativas


Os segredos para o dinheiro
esperto
O comportamento dos investidores reflete os movimentos nos gráficos e por isso muitas vezes um determinado
padrão é respeitado e rastreado, é um ciclo que se repete diariamente dentro das flutuações do mercado. Com
muitos sinais atraentes que podem ser interpretadores de várias formas pelos investidores na buscar pelas
operações corretas. Todas as habilidades analíticas necessárias para um grafista aumentar a confiança nas
previsões é o ponto culminante dos aspectos fundamentais para um comércio bem-sucedido, quanto maior for
a entrada de sinais e padrões, maior são as chances de melhoria no tempo das negociações e redução dos
riscos. Para obter resultados positivos é necessário uma base sólida em seu gerenciamento de risco, toda
negociação que for iniciada deve ter um stop de proteção pré determinado, bem como uma meta de lucro caso
o mercado demonstre fraqueza na continuação do movimento. Sua base sólida deve ser estabelecida com
muito cuidado e consideração, pois deve ser executada com comprometimento e consistência para ser
validada.

A maioria dos investidores não segue consistentemente as regras e lógicas imposta em sua base de
negociação, pelo contrário a maioria vai pelo lado do modo especulativo em alta frequência de maneira
desorganizada negociando com a intuição mesmo que inicialmente você possa obter sucesso, porém quando
começam a ocorrer as perdas o desespero bate e uma caça eulouquecida é iniciada na tentativa de recuperar
e terminar o dia pelo menos no famoso zero a zero, lembre-se a intuição não é um método ou sistema de
negociação. Portanto a proposta é trabalhar com algumas metas de senso comum que devem ser respeitadas,
mesmo que seja difícil permanecer por muito tempo consistente em seus resultados.

Durante o capítulo acrescentei alguns tópicos que possui como proposta abrir a mente do investidor que
deseja realmente seguir uma carreira vencedora, o próprio nome sobre o dinheiro esperto reflete muito bem
aonde eu pretendo chegar. É das coisas simples que extraímos grandes informações para dar sequência a
nossos objetivos, seja na bolsa de valores ou em qualquer outra profissão. A dica que sempre passo para as
pessoas é acreditarem na análise técnica clássica e procurar se atualizar sempre que for necessário, dado que
a natureza do mercado muda a todo instante e dificilmente um dia de negociação será exatamente igual ou
paralelo a outro sem sofrer oscilações, portanto leiam todos os tópicos com atenção e procurem colocar em
prática pelo menos um pouco do que foi falado, tenho certeza que será de grande vália.
A tendência é sua amiga

A maioria dos professores de analise técnica batem na tecla principalmente para os que estão começando
é operar somente tendência, ou seja, seguir a tendência e evitar operar quando o mercado estiver sem
direção. A melhor maneira de extrair lucros do mercado será sempre em dias de tendência, porém esperar
o mercado entrar em tendência é um grande problema para os comerciantes famintos para realizarem
operações, é neste ponto que a grande maioria das pessoas perdem dinheiro por não terem paciência por
esperar o mometum certo de mercado.

Em qualquer movimento de forte tendência, haverá movimentos de contração podendo ser de curto
prazo ou até mesmo uma correção acentuada como forma de descanso para continuar a tendência vigente.
A todo momento surgem notícias que podem destruir o gráfico por um determinado período ocasionando
em um sentimento de pânico entre os investidores, que podem liquidar suas operações devido o cenário.
Portanto evite a tentação das notícias, observe apenas o que os gráficos estão mostrando. Quando o
investidor realiza uma operação ele tem em mente que necessita obter lucros, porém não sabemos de
forma antecipada de quanto será este lucro, é necessário determinar a tendência e consequentemente
tentar surfar ela até as variáveis do mercado demonstrar que o movimento de tendência está perdendo
força.

Tenha um plano antes de negociar

Antes de iniciar uma operação o investidor de curto e longo prazo deve ter um plano especifico e objetivo
em suas tomadas de decisões, principalmente trabalhando em cima da parte emocional que tende a ser o
maior inimigo de qualquer profissional. A ansiedade e euforia devem ser controlada durante as seções de
negociação, todos sabemos que não é uma tarefa fácil, porém se você tiver alguma crença siga firmimente
com ela, ou até mesmo procure ajuda de um especialista na área. O que não pode ocorrer é o grafista
mandar super bem em suas análises e a aprte emocional prejudicar suas decisões finais.

Outro ponto muito importante a ser citado diz respeito as perdas durantes as operações, se você não
tiver força para suportar uma perca, é sinal que seu perfil não se encaixe para trabalhar com operações de
riscom, tenha em mente que você irá perder muitas vezes nesta batalha comercial. Seu plano deve ser bem
estruturado seguindo um bom gerenciamento de risco, somente assim suas chances irão aumentar
gradativamente. Quem já teve a oportunidade de ler as obras de Jesse Livermore percebeu que seu método
de negociação era procurar oportunidades que fosse possível entrar próximo a seu ponto de risco, ou seja,
seu risco por negociação era pequeno em relação a margem de lucro que poderia ganhar.

Eu particularmente tenho o meu plano no qual todos os dias faço minhas alterações com novas
observações, quando meu emocional me atenta para fugir do plano, penso que seja a hora de parar e
refletir, jamais desistir, mas sim procurar estar centrado em minhas decisões. Um dos maiores erros é
persistir no erro eminente, por exemplo: Se o mercado não está fluindo de acordo com o meu plano, sei
que é um importante sinal para sair da operação e preservar o capital investido.

O objetivo do plano operacional é estabelecer um conjunto específico e fixo de regras


para a atividade comercial que devem ser rigorosamente respeitadas durante as
operações.

325
Bibliografia

Estratégias Operacionais de Análise Técnica de Ações. (Alexandre Fernandes)

Fundamentos de Análise Técnica de Ações (Alexandre Fernandes)

Anna Coulling (A complete Guide To Volume Price Analysis)

Alan S. Farley (The Master Swing Trader)

Alexander Elder (Trading Divergences)

Alexander Elder (Como SeTransformar Em Um Operador de Sucesso)

Alexander Elder (Aprenda a operar no mercado de ações)

Alexander Elder (The New Trading For a Living)

Larry Williams (Long-term Secrets to short-term Trading)

Thomas N Bulkowski (Encyclopedia of Chart Patterns Second Edition)

Thomas N. Bulkowski (Getting Sttarted in Chart Patterns)

Thomas N. Bullkowski (Encyclopedia of Candlestick Charts)

Thomas N. Bullkowski (Swing And Day Trading)

Márcio Noronha (Análise Técnica, Teoria, Ferramentas e Estratégias)

Andrew Abraham (The Bible Of Trend Following )

Perry J. Kaufman (A short Course in Technical Trading)

Perry J. Kaufman (Trading Systems and Methods)

Perry J. Kaufman (New Trading Systems and Methods)

Gregory L. Morris (Candlestick Charting Explained)

George Lindsay (And The Art Of Technical Analysis)

Oliver L. Velez (Power Trading)

trade Oliver Velez (Strategies for Profiting on every)

Oliver Velez & Greg Capra (Tools And Tactics Master Day Trader)

Fari Hamzei (Master Traders )

George A. Maclean (Fibonacci and Gann Applications in Financial Markets)

Jake Bernstein (Strategic Futures Trading)

John J. Murphy (Trend Forecasting With Technical Analysis)

John J. Murphy (Technical Analysis Financial Markets)

John J. Murphy ( Trading With Intermarket Analysis)

Joe Dinapoli (Trading With Dinapoli Levels)

Joh L. Person (Candlestick And Pivot Point Trading Triggers)

Martin Pring (Market Momentum)

Marting Pring on Price Patterns

Bob Volman Understanding Price Action)

330
Steve Nison (Japanese Candlestick Charting Techniques)

Adam Grimes (The Art And Science Of Technical Analysis)

Tina Logan (Getting Started in Candlestick Charting )

Adventures of a Currency Trader (Rob Booker)

How To Make a Living Trading Foreign Exchange (Courtney D. Smith)

Ed Ponsi (Patterns Probabilities)

Ed Ponsi ( Technical Analysis and Chart Interpretations)

John F. Carter (Mastering The Trade)

Lewis Borsellino (Day Trader`s Course)

Mike Bellafiore (One Good Trade)

Forex Trading Strategies (Michael Duane Archer)

Technical Trading Mastery (Chris Vermeulen)

The Daily Trading Coach (Brett N. Steenbarger)

Trade The Trader (Quint Tatro)

O Operador Disciplinado (Mark Douglas)

Dynamic Technical Analysis (Philippe Cahen)

A Trader’s Money Management System (Bennett A MCDowell)

Explosive Stock Trading Strategies (Dr Samir Elias)

The Universal Principles Of Successful Trading (Brent Penfold)

How to Beat the Market Makers (Fausto Pugliese)

Beat The Forex Dealer ( Agustin Silvani)

Breakthrough Strategies for Predcting Any Market ( Jeff Greenblatt)

A complete guide to the Futures Market ( Jack D. Schwager)

Commitments Of Traders (Floyd Upperman)

De Mark Indicators (Jason Perl)

Day Trading With Short Term Price Patterns And Opning Range Breakout ( Toby Crabel)

Contrarian Ripple Trading ( Aidan J. MCNamara, Martha A. Brozyna)

Evidence-Based Technical Analysis ( David R. Aronson)

Full-View Integrated Technical Analysis (Xin Xie)

Following The Trend ( Andreas F. Clenow)

L’art du Trading (Thami Kabbaj)

Essential Technical Analysis (Leigh Stevens)

331
Proftable Day and Swing Trading (Harry Boxer)

Profitability and Systematic Trading (Michael Harris)

Trade Like a Pro (Noble Drakoln)

Technical Analysis Power Tools For Active Investors (Gerald Appel)

Technical Analysis Trading Professional (Constance M. Brown)

Technical Analysis for Direct Access Trading (Rafael Romeu & Umar Serajuddin)

Technical Analysis for Algorithmica Pattern Recognition (Prodromos E. Tsinaslanidis)

Strategies for the Online Day Trader ( Gonzales, Fernando, Rhee, Willian)

Sniper Trading Workbook (George Angell)

Secrets Of the Trading Pros (H. Jack Bouroudjian)

The Mental Strategies of Top Traders (Ari Kiev)

The Forex Chartist Companion ( Michael Duane Archer and James Lauren Bickfor)

Technical Analysis Of Stock Trends (Robert D. Edwards and John Magee)

Getting Started in Candlestick Charting (Tina Logan)

Timing the Market (Curtis M. Arnold)

Timing The Market (Deborah Weir)

Timing Solutions For Swing Traders (Robert T.H. Lee, Peter A. Tryde)

The Secret Science Of Price and Volume (Timothy Ord)

Trading Beyound The Matrix ( Van K. Tharp, PHD)

Trade Your Way To Financial Freedom (Van K. Tharp)

Trade Like Jesse Livermore (Richard Smitten)

Trade Like an O’Neil Disciple (Gil Morales e Dr. Chris Kacher)

Trading Triads (Felipe Tudela)

High Probability Trading Strategies ( Robert C. Miner)

A Technical Approah To Trend Analysis ( Michael C. Thomsett)

Winnning the Day Trading Game (Thomas L. Busby)

Winning Edge Trading (Ned Gandevani)

Trading the Measured Move ( David Halsey)

Day Trading Stocks the Wall Street Way ( Josh Dipietro)

Day Trading For Dummies ( Ann C. Logue)

Technical Analysis ( Julie R. Dahlquist, Charles D. Kirkpatrick)

How To Trade The New Single Stock Futures (Jake Bernstein)

332