Você está na página 1de 61

Donizeti Manoel Rodrigues Corrêa

Diesel - Módulo XVII


MOTOR DIESEL DA FIAT DUCATO
MULTIJET ECONOMY 2.3 DE 16 V
(Controle Dimensional e Montagem)

Sete Produções (Educar Brasil Comércio e Exportação Ltda.)

l ª Edição
Belo Horizonte, 2015
~~ ~~~[QJ(QJ©~U@ íNDicE 111

ÍNDICE

MOTOR DIESEL DA FIAT DUCATO MULTIJET ECONOMY 2.3 DE 16 V -


CONTROLE DIMENSIONAL E MONTAGEM ... ................................................... 9
EDITORIAL .. ............ .. ... .. .. ... .... .... .. ............. ......... ... .. ....................... .............. ................ ........... 1 O

APRESENTAÇÃO .... ........... ..... ........ ... ... ..... .. ... ........ ..... ... .... .... .... .. ............ ................................ 11

VÁLVULAEGR ... .......... ......... .............................. .. .... .. .. .... ..... ...... ........ ....... ..... ........... ..... ........ 12

OTOR DIESEL DA D CA -F 2013 ........ .. .. ...... .. ........ .......... .. .. ........ 13


CO E 'E - ......................... ............. ........... ...... .... ..... ... ....... 17

o_oG D E S O ................................................... 19
............ .. .. .... ... .. .. .... .... .. ............... ... ... .............................. .. ... 20

- , eçã o :e Co ntro le .... ....... ....... ... .. .. .. ........... ................ .. ... .............. .. ........ .. ... ............. 21

Excentricidade e Conicidade dos Colos da Árvore de Manivelas ............................ .... ... 22

ICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO DO MOTOR ........ .. ........ .. ............................ .. ........ 23

Parafusos do Bloco Inferior .......................... .. ........ .. .... .... ... .. .......................... ... .......... 23

BLOCO INFERIOR DO MOTOR .......... ...... ............ .. .................. ..... .. .. .. ........... ...................... ...... 24

Controle dos Alojamentos das Bronzinas .......... .... ... .. .. ........................................... ..... 24

BRONZINAS DOS MANCAIS .................................................. .... .... .. .......... ........... .. .. .. .... .. .. ...... 25

Folga Radial das Bronzinas dos Mancais ...................... .. .. : .......................................... . 25

Pré-Tensão das Bronzinas dos Mancais ................. ........... .. .. .. ....................................... 26

CILINDROS DOS PISTÕES NO BLOCO DO MOTOR ....................... ...... .. ... ... ................ .... .. ...... .... 27

Controle Dimensional ............ .... ............ .. ... ............ .... ... ...... ... ..................................... 28

BORRIFADORES DE ÓLEO- JET COOLERS ................................................................... ... .. .... .. .. 28

ÁRVORE DE MANIVELAS- INSTALAÇÃO NO BLOCO DO MOTOR ...... ...... .. .... ....................... ..... 29

Excentricidade da Árvore de Manivelas ........................... .. ........................................... 29

Montagem do Eixo no Bloco- Folga Axial .................................................................... 31

BIELA- CONTROLE DIMENSIONAL ...... ...... .. ...... ..................... ...... .... .. ....................... .... .. ......... 32

Parafusos da Biela ........... ...... ... ................ .. ...... ..... ....... ... .. ............. ................... .. ......... 32

Folga Radial do Pino do Pistão ...... .. .. .. ............................. ...... .. ..... ... ......... ........ .. .. ... .... 33

Diâmetro Interno da Biela - Sem Bronzina .... .. ... .. ... ....... .. ............................................ 34
":,~··,-~----~
©IhI[!@
..

' IOOIIID (W ÍNDICE 111

Folga Radial da Biela - Diâmetro Interno da Biela com as Bronzinas ................. ... .. .... .. 3

Pré-Tensão das Bronzinas .... ... ...... .. .. .................... ...... .. ... ~ ....... ...... ...... ..... ........ .... .... .... 35

PISTÕES E ANÉIS DE SEGMENTO .............................. .......................... ....... .. ... ..... ... ............ ..... 3&

Inspeção e Controle .... ....................... .. ...... .. .......... ................................. ... .. .... .. ... ... .... 36

Alojamento do Pino do Pistão - Folga ........ ............ ..... ....... ............. .... ... ................. .... 37

Anéis de Segmento ...................................................................................................... 37

PISTÕES- MONTAGEM NAS BIELAS, ANÉIS E INSTALAÇÃO NO BLOCO ......... .... ....... ................ 38

Folga Axial da Biela na Árvore de Manivelas .............. .............................. .... ................ 40

BOMBA DE ÓLEO E BOMBA DE VÁCUO- INSPEÇÃO E INSTALAÇÃO ........................................ 41

BOMBA DE ÁGUA E BOMBA DE ALTA PRESSÃO- INSTALAR ..................................................... 42

VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO ........................................................................ ....... ....... 42

Inspeção e Instalação ....... ................. ..... ....................... ..... ..................... ..................... 42

CARTER DO MOTOR E TUBO PESCADOR DE ÓLEO ........................................................ ...... ..... 43

Instalar o Carter e seus Componentes .................. ...... ..... .. .. ........... .... ... .. ..................... 44

VOLANTE DO MOTOR - POLIA DIANTEIRA DO EIXO - INSTALAÇÃO ............................ .............. 44

TROCADOR DE CALOR DO ÓLEO DO MOTOR ...................... ..................................................... 46

Inspeção e Instalação do Trocador de Calor ..................... ............ ................................ 46

PROJEÇÃO DOS PISTÕES .......... .......... ........ ... ..... ...................................................................... 47

Junta do Cabeçote Inferior - Definir .................. ............................... ..... .. .. .................. . 48

FASAMENTO DO MOTOR ......................... ... .. ............ .................. ... .... .................. .... ... ..... ...... .. 48

Posicionamento e Travamento da Árvore de Manivela .......... ....... .. .. ..... ................. ..... : 49

JUNTA DO CABEÇOTE INFERIOR- INSTALAÇÃO ............................................................ .. ......... 50

CABEÇOTE INFERIOR- CONTROLE E INSTALAÇÃO ................. ...... .. ......... .... ... .. ........................ 50

Inspeção e Empeno- Controle ...............................; .............................. ....................... 51

Tuchos de Válvulas e Balancins - Inspeção ..................................... .. ....... ............. ·........ 51

Controle dos Alojamentos nos Cabeçotes - Instalação .......................... ...... .. ............... 52

Parafusos do Cabeçote Inferior - Sequência de Apertos .......... .. ....... ............................ 53

CABEÇOTE SUPERIOR ...... .. ..... ............ .............. ... ............ ...... ... .... ... ... .................. ................. .. 54

Controle Dimensional do Cabeçote Superior .................... ................ ........................... 55

Instalação do Cabeçote e Torque dos Parafusos ..... ............... ....................................... SE


CORREIA DE NTADA ... ..... .. .... ... .... : ......... .................. ............ ..... ... .. ....... ... ........ ......... ....... ..... ... 57

Sincro ni smo e Instalação da Correia .... ....... ... .... ... ... ... ... .......... ..... ............ ....... .. ...... .... 57

ern ador e Bomba da Direção Hidráulica- Instalar Periféricos ......... ..... ............ ....... . 59

IDADES INJETORAS - COMPONENTES E VELAS DE AQUECIMENTO ...... .... .. .......... .. ... .. .... ... , 59

Instalação das Unidade Injetoras e Velas de aquecimento ..... .... .. ............. ..... ... ..... .. .... 59

~ OR DE ESCAPAMENTO E TURBINA .... .. ... ..... ............................... ... ......... ............ ..... ....... 60

Instalação do Coletor e da Turbina ................ .............. ..... .... ....... ..... .... ... ........ .. ... ....... . 60

CO ETOR DE ADMISSÃO E UNIDADE EGR ... .... ... .......... .. ...... ... .... ....... ..... ....................... .......... 61

Instalação do Coletor de Admissão, EGR e periféricos ..... ... ..... .............. ...................... 62

TABELA DE MEDIDAS DO MOTOR ........ ... ...... ... ...... ...... ... ... .... ...... ... ..... .. .. .... ... .. ....... .. ........ ... ... 64

TABELA DE TORQUE DOS PRINCIPAIS PARAFUSOS DO MOTOR ...... ... .. ........... .... .... ... ..... ....... ... 65

ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO- PARTE MOTOR ...... ........ ....... ... .... ... ... ........ .... ...... ... ..... ...... 67

Esquema Elétrico da Injeção do Motor da Ducato 2013- L6 .. ........ ..... .... ........... ...... ... 67

Esquema Elétrico da Injeção do Motor da Ducato 2011 - L4 ...... ........... ........ ... ... .. ...... 68

QUESTIONÁRIO MÓDULO XVII ..................................................................... 69


Gabarito ....... ............... ..... ........ ........ ..... ... .. ........ .. ........ ... .. ......... ..... ..... ... ..... ......... ..... . 73
-

~= mM©l!LJ© APRESENTAÇÃO 111

APR S T CAO ...)

-je , Economy está equipada com nova versão de motor diesel eletrônico, com 2.3
cam ento volumétrico e 16 válvulas. É um propulsor turbodiesel com intercoo/er e
sistema de injeção tipo Common Rail de alta pressão, desenvolvido e produzido
;:;::. ::: :r - tat Powertrain Technologies.

Nova Fiat Ducato Multijet 2013 Motor Ducato 1FA - Proconve L6

O projeto é designado como F1 A, que emprega características do moderno conceito de


downsízing (tamanho menor) de construir motores compactos combinando alta tecnologia ,
leveza, baixa cilindrada, alto rendimento, baixo consumo e menores índices de emissões.
Essa tecnologia atende às atuais normas de controle de emissões na Europa, trazida agora para
o Brasil pela Fiat.
O bloco do motor F1 A é construído em ferro fundido nodular e dividido em duas partes- bloco
superior e bloco inferior. A parte inferior substitui os cinco mancáis convencionais, formando um
conjunto robusto que confere resistência e estabilidade às partes móveis do moto r.
-- ~
Í. nnnrnr---. n n ......-... ...,......,.,, -

: , ~~~rn@ lliJ ©li u@ APRESENTAÇÃO 111

O cabeçote é construído em alumínio com quatro válvulas por cilindro acionadas por balanc ins
roletados e apoiados sobre tuchos de carga hidráulica .

Cabeçot e const ruído em alumínto com


Tuchos hidráulicos com balancins ro letados
quatro válvu las por cili ndro

A tração dos eixos de comandos é realizada por correia dentada sobre o comando de admissão,
que traciona o comando de escape através de conjunto de engrenagens e corrente alojado na
parte de trás do cabeçote.

A tração entre os comandos de vá lvulas é realizado


através de corrente

VÁLVULA EGR
O controle dos gases internos é realizado pela válvula EGR, que controla os vapores do motor
através de um motor de passo. O novo sistema EGR é equipado com um refrigerador, que reduz
a temperatura dos vapores internos, a fim de baixar os níveis de emissões de gases óxidos de
azoto I NOx.
· Unidade de resfn amento dos gases
do motor e válvula EGR

OTOR DIESEL DA DUCATO MULTIJET 2.3L 16V- FIAT 2013


O motor diesel 1FA de 2.3 litros e 16 válvulas (versão L6) é fabricado pela Fiat Powertrain
Technologies . A FPT é uma das divisões do Grupo Fiat especializada em desenvolver, produzir e
vender motores e transmissões.

o 1 FA, que equipa a nova Ducato Multijet fabricada a partir de 2013, tem as mesmas
e 'sticas físicas do motor da Ducato 2011 versão Proconve L4. Nesse caso, na versão 2011,
s; e:s ão possuem a válvula EGR.

O s·sc 2 e i jeção é do tipo Common Rail, com gerenciamento realizado por Módulo de
Co tro e E e · ico (UCE), que determina o débito de combustível através de unidades injetoras.
O sist ema a · · · e às exigencias das normas ambientais do controle de emissões Proconve L6 do
CO NAM A.
É um propulsor de projeto moderno que possui cabeçote em alumínio com quatro válvulas
por, cilindro acionadas por balancins roletados apoiados sobre tuchos de carga hidráulica. Esse
cabeçote é denominado "cabeçote inferior".

O cabeçote é equ 1pado com balancins ac1onados por


Cabeçote inferior possui quatro válvulas por cilindro
tuchos hid ráulicos

O motor 1FAda Ducato possui outro cabeçote posicionado sobre o cabeçote inferior. Construído
em alumínio, aloja os comandos das válvulas de admissão e descarga. Esse componente é
denominado
, "cabeçote superior".
Cabeçote superior do motor 1FA O cabeçote superior aloja dois comandos de válvulas

A tração do co mando de ad i s~ã o é eaf a a o co e1a e a a sobre u ma polia , na parte


dianteira d o cabeç !5. co· a o de descarga recebe tração do
co a do e a e e e com folga ajustada por um tensor
a

O comando de escape é tracionado pelo comando de


admissão por corrente

A turbina tem controle de pressão ativada por válvula wastegate ativada pela UCE. A lubrificação
é obtida através de uma derivação da linha principal que lubrifica o motor.
A turbina do motor da Ducato é controlada
por vá lvu la wastegate

-
'
FICHA TÉCNICA - MOTOR DIESEL FIAT DUCATO MULTIJET 2.3 16V
'
NÚMERO DE CILINDROS 4 em linha
POSIÇÃO DO MOTOR transversal
TAXA DE COMPRESSÃO 16,2:1
Nº DE VÁLVULAS POR CILINDRO 4 no cabeçote
CILINDRADA TOTAL 2.287 cilindradas cúbicas
POTÊNCIA MÁXIMA 127 cv a 3.600 rpm
TORQUE MÁXIMO 32,6 kgfm a 1.800 rpm
DIÂMETRO X CURSO 88 mm x94 mm
CICLO DIESEL 4 tempos
ASPIRAÇÃO turbo alimentado com intercooler
BLOCO (MATERIAL) ferro fundido
I
CABEÇOTE (MATERIAL) alumínio
NÚMERO DE MANCAIS 5
TIPO DE PISTÕES com pino flutuante
:

NÚMERO DE ANÉIS DE SEGMENTO 3


FILTRO DE AR a seco
TENSÃO 1!,0 v
ALTERNADOR 150A(14,0V)
BATERIA 95,0 Ah 450
'
INJEÇÃO ELETRÔNICA Magneti Marelli MJD 8F3.B1 Common Rail
COMBUSTÍVEL Diesel
~ =. ~~~@ ITD@ l!lf@ ~OCONVEFASE P7 El6 . o QUE SIGNIFICA? 111

;- - - - RESERVATÓRIOS DO MOTOR - CAPACIDADES -- -- - --


- - - -

13,0 L
5,3 L
5,9 L

PROCONVE FASE P7 E L6 - O QUE SIGNIFICA?


O' E é o Programa de Controle de
çao do Ar por Veículos Automotores . As ·
~ases 7 (para veículos pesados, acima de 3,5
~ eladas) e L6 (para veículos leves, até 3,5
·a n eladas) do PROCONVE estabelecem níveis
e emissões veiculares mais baixos e, para isso,
requerem uma tecnologia mais sofisticada
n os motores. Essas inovações, para o seu
correto funcionamento, determinam que os
veículos sejam abastecidos com combustíveis
adequados com ultrabaixo teor de enxofre
(UBTE).
Proco nve - selo de homologação

PROCONVE LS
• _, _ _ 11mítes (!l/km)

CO HC NOx RCHO

2.0 0.05 0,12 0,02

~ ...........
35% 33% 29%

PROCONVE L6 PROCONVE P7
Llm1lcs (ll/km) llmll<JS (g!kW h) •

co HC NOX RCHO CO HC NOx PM

1.3 0 .05 0.08 0.02 L5 O 46 2.00 0.02

Proco nve L6 e P7 - Evolução da norma


©/À u@
;:; ~ '

~~~[]) QD T~CNOlOGIA E CONTROlE DIMENSIONAL 111

A montagem dos motores eletrônicos em geral obedece a princípios metrológicos obtidos atra és
de instrumentos de precisão. As especificações e tolerâncias fornecidas pelo fabricante de e
ser seguidas f:! risca e estão nas tabelas do manual que acompanha este curso. Todos os va lores
podem ser obtidos através dos equipamentos mostrados a seguir:

..
Instrumentos de precisão para conferir as medidas dos
com ponentes do motor

Inspeção e Controle do Bloco

• Faça a inspeção visual e verifique se não há trincas ou deformidades nas laterais e superfícies
do bloco.
• Inspecione os selos de água ou substitua-os, caso as galerias de água do bloco apresentem
indícios de operação sem aditivo.
• Confira a altura do bloco do motor (sem o bloco inferior). Para isso, utilize um paqu ímetro de
500 mm e meça da face inferior à face superior do bloco.
• O valor encontrado deve ser de 250,00 mm.
-- -- -- -- - -
BLOCO DO MOTOR
-- -

AJ~rc :OC:a: m edida entre as superfícies usinadas 250,00 mm (a confirmar)


Diãl""letro do cili nd ro depois de brunido 88,00 mm
);a ~e.-::: o ::e alojam ento dos munhões 1, 2, 3, 4 do eixo 75,50 mm
) à""e:ro de alojamento do munhão 5 do eixo 80,50 mm
::. : : ::~.s ã o das bronzinas dos mancais 0,07 mm a 0,12 mm

ARVORE DE MANIVELAS
á ro re de manivelas do motor da Ducato Multijet é construída em aço forjado com contrapesos
:egrados. O eixo possui pino guia, para encaixe da polia principal da distribuição motora e da
Dlia de acessórios.

Inspeção e Controle

• Com o eixo na posição vertical e encaixado no volante, sobre a bancada, aplique fluido especial
ara limpeza em toda a extensão do componente.
• F seguida , com pano limpo, remova o excesso de fluido e inspecione visualmente o eixo
a possíveis riscos ou trincas nos colos dos munhões e moentes.
• . . , s: .:i os e co ncordância são ângulos existentes nas laterais dos colos da árvore de manivelas.
S a ;~"' cã é e it ar a ruptura da árvore.
Excentricidade e Conicidade dos Colos da Árvore de Manivelas

• Utilizando um micrômetro, faça o controle da conicidade e da excentricidade de cada munhão.


• O valor encontrado não deve ser superior a 0,02 mm.
• Em seguida , faça o controle dos moentes.
• O valor também não deve superior a 0,02mm.
ões 1, 2, 3, 4- STD (mancais fixos) 71 ,18 mm a 71,20 mm
hão 5 - STD (mancai fixo) 76,18 mm a 76,20 mm
oentes - STD (colo das bielas) 59,01 mm a 59,03 mm
0,02 mm
0,05 mm
0,05 mm a 0,25 mm

p CIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO DO MOTOR


• ·li ze uma régua de controle, um calibre de lâminas e verifique a planicidade em três pontos
a superfície de apoio do cabeçote.
• O valor de empeno não pode ser superior a 0,1 O mm.
• Depois, gire o bloco em 180° e, com a régua de controle e o calibre de lâminas, verifique o
ali nhamento dos mancais 1, 2, 3 e 4.
• O correto é não haver folga entre os pontos de contato do alojamento das bronzinas com a
régua de controle.

Parafusos do Bloco Inferior

es de iniciar a montagem do bloco inferior, confira o comprimento dos parafusos que o fixa
ao oco. O comprimento não deve ser superior a 116,50 mm .
,,- ~~[[ID QD©Li~@ BLOCO INFERIOR 00 MOTOR · 111

BLOCO INFERIOR DO MOTOR


Para o controle dos alojamentos do bloco inferior do motor, tanto o bloco como o bloco inferior
dev~m estar limpos e sem óleo lubrificante nos alojamentos. Proceda da seguinte forma:

Controle dos Alojamentos das Bronzinas


1. Instale o bloco inferior, sem as bronzinas.
2. Instale os parafusos centrais e aperte-os com torques de 50 Nm + 60° + 60° de aperto
angular, partindo do centro para as extremidades.
3. Na sequência, instale e aperte os parafusos externos com torque de 30 Nm.
4. Em seguida, com o súbito calibrado na medida de 75,50 mm, insira-o nos alojamentos dos
mancais 1, 2, 3 e 4. A folga encontrada não pode ser superior 0,01 mm.
5. Na sequência, transfira para o súbito a medida de 80,50 mm e insira-o no alojamento do
mancai.
6. A folga encontrada não pode ser superior 0,01 mm.
BRONZINAS DOS MANCAIS
Para medir a folga radial das bronzinas nos mancais, proceda da seguinte forma :

Folga Radial das Bronzinas dos Mancais

1. Solte e retire os parafusos do bloco inferior e remova -o de seu alojamento.


2. Com um pano limpo, limpe os alojamentos e as bronzinas e instale-as nos mancais do bloco
do motor.
3. Em seguida , limpe os alojamentos das bronzinas no bloco inferior e instale as bronzinas nos
alojamentos. Depois, instale o bloco inferior no bloco do motor.
4. Instale o bloco inferior e os parafusos de fixação.
S. Aperte os parafusos centrais com torque de 50 Nm + 60° + 60° de aperto angular. Na
sequência, aperte os parafusos laterais com torque de 30 Nm.
6. Em seguida, com o auxílio de um micrômetro, meça o diâmetro dos colos dos munhões 1, 2,
3 e 4 do eixo virabrequim e transfira essa medida para o súbito.
7 . In sira o súbito no espaço dos mancais 1, 2, 3 e 4; meça a folga radial encontrada, que deve
se d e 0, 02 mm a 0,04 mm .
segui da, meça o diâmetro do 5º munhão do eixo virabrequim e transfira essa medida para

s ' b it o no espaço do 5º mancai e meça a folga radial encontrada, que deve ser de
m.
...~.-~
nn~ ,..-. .--.. "- .
-----
- • _
-~----
_
--

,
~

~mm GJJ©li\YI@ . BRONZINAS oos MANCPJS 111

Pré-Tensão das Bronzinas dos Mancais

A pré-tensão das bronzinas garante seu travamento no alojamento, para que as mesmas não
girem no mancai. Para medir a pré-tensão, proceda da seguinte forma:
1. As bronzinas devem estar montadas nos alojamentos dos mancais do bloco, e os parafusos
das capas, apertados com os torques recomendados .
2. Com o súbito instalado no espaço interno das bronzinas, zere o relógio.
3. Solte o aperto dos parafusos laterais do bloco inferior, mas, somente de um lado. Em seguida,
solte o aperto dos parafusos centrais.
4. Insira o súbito e meça a pré-tensão das bronzinas. A medida encontrada deve ser de 0,07 mm
a 0,12 mm;.
S. Ao término das medições, aperte novamente os parafusos com torque de trabalho.
CJUNDROS DOS PJSTOES NO BLOCO DO M~ OTOR

• os o controle da árvore de manivelas e de seus respectivos alojamentos, faça o controle


d imensi ona l dos cilindros no bloco do motor, conferindo conicidade e ovalização das camisas.
- ___ ;e._ ,>- -;-- _,~ , ;- """""'~ ~

~IIDJ[QJ aD@ (À LI @ BORRIFADORES DE ÓLEO - Jff COOLERS 1111

Controle Dimensional

Para o controle dimensional das camisas dos pistões proceda da seguinte forma :
1. Com o súbito calibrado na medida de 88,00 mm, meça o diâmetro do cilindro nas partes
superior e inferior.
2. Alterne os lados internos da camisa, subindo e descendo com o instrumento de medição.
3. Repita o procedimento com os outros cilindros e verifique se as camisas estão paralelas em
sua extensão e sem ovalização.
4 . A variação não deve ser superior a 0,02 mm.

BORRIFADORES DE 'ÓLEO - JET COOLERS


O motor 1FA da Fiat Ducato Multijet possui borrifadores que injetam óleo na base dos pistões,
para sua refrigeração. Faça o controle dos borrifadores da seguinte forma :
1. Avalie as condições dos jet coolers quanto a trincas e deformidad'es.
2. Com uma haste, verifique a ação da mola de cada válvula de retenção localizada no corpo
dos injetores.
3 . Essas válvulas se abrem para a passagem de óleo com pressão igual ou superior a 1 bar.
Assim, o sistema de lubrificação trabalha com pressão residual minima e garante a lubrificação
do motor em baixa rotação.
4. Em seguida, instale osjet coolers em seus alojamentos no bloco e aperte os parafusos/válvulas
com torque de 20 Nm .
• <

-~~ ~~ID[ID QD ©~Ir@ ÁRVORE DE MANIVELAS - INSTALAÇÃO 111

Verificando as válvulas internas dos borrifadores

ÁRVORE DE MANIVELAS - INSTALAÇÃO · NO BLOCO DO


MOTOR
Antes de se concluir a instalação do eixo da manivela no bloco e dar prosseguimento ao controle
di mensional do motor, é necessário conferir a excentricidade do eixo da manivela .

Excentricidade da Árvore de Manivelas


Para medir a excentricidade da árvore de manivelas, proceda da seguinte forma :
So lt e os parafusos do bloco inferior e remova-o de seu alojamento . Em seguida, remova as
bronzinas dos mancais 2, 3 e 4 .
2. Depo is, com um pano limpo, limpe as bronzinas dos mancais 1 e 5.
3. Em seguida , aplique óleo nas superfícies de contato das bronzinas.
4. Na sequência , instale o eixo virabrequim no bloco do motor, de forma que fique apoiado
somente nos mancais 1 e 5.
S. Gire o eixo em algumas voltas até que os colos 1 e 5 se lubrifiquem.
6. Depois, com o auxílio de um relógio comparador e de uma base magnética fixada no bloco
do motor, posicione a haste do aparelho sobre o mancai 3 do eixo .
7. Aplique uma pré-carga na haste do instrumento sobre o colo, -trave a haste fixa do aparelho
e zere o relógio.
8. Em seguida, gire o eixo em 360 graus e observe se a excentricidade da árvore de manivelas
não é superior a 0,05 mm.
9. Se o valor for superior ao limite da medida específicada, o eixo deve ser substituído.
1 O. Na sequência, remova o relógio comparador com a base. Em seguida, remova o eixo do
bloco do motor e coloque-o na posição vertical , encaixado no volante sobre a bancada.
Montagem do Eixo no Bloco - Folga Axial

Para medir a folga axial do eixo em seu alojamento, é necessário o auxílio de um relógio
compa rador com base magnética. Proceda da seguinte forma:
1. Instale as bronzinas nos manca is do bloco, inclusive a bronzina do 3º mancai, com calços
laterais integrados. Limpe e lubrifique-as.
2. Em seguida, instale o eixo virabrequ im e lubrifique os colos fixôs do eixo.
3. Na sequência, instale as bronzinas no bloco inferior e limpe-as. Depois, aplique adesivo nas
laterais do bloco inferior e, em seg uida, instale o sub-bloco no bloco do motor.
4. Instale os parafusos centrais e aperte-os com 50 Nm + 60°. Em seguida, aplique a última
etapa de 60° de aperto ang ula .
5. Na sequênc ia, inst ale os ,, ara· sos a e ais e ape rte-os com torque de 30 Nm.
6. Em seguida , inst ale o elóg"o co " a a ô· e a b ase m agnética na traseira do bloco.
7. Ajuste a pon a o i a o l ange e empurre o eixo para a frente.
8. Na sequenci a, zere
e a fo lga existente.
BIELA- CONTROLE DIMENSIONAL
A biela do motor 1 FA que equipa a Ducato Multijet é construída em aço forjado e possui grande
resistência mecânica. A capa é separada com corte a laser, com ruptura mecânica , para garantir
a condição de par único.

Biela do motor 1FA construída em aço forJado A separação da capa da biela acontece por ruptura

Parafusos da Biela

Avalie os parafusos que prendem a capa da biela. O fabricante recomenda substituí-los sempr'
que forem removidos . Caso decida reutilizá -los, observe o comprimento dos parafusos; não dev
ser superior a 49,00 mm.

30 .
32
Folga Radial do Pino do Pistão
'
Com auxílio de um micrômetro, meça o diâmetro do pino munhão e transfira a medida para o
súbito .
1. Posicione a biela sobre uma bancada.
2. Depois, insira o súbito no alojamento do pino da biela e confira a folga radial. Meça duas
vezes, de forma que cada medição seja feita a 90° uma da outra.
3. O valor da folga encontrado deve ser de 0,01 mm a 0,02 mm, conforme especificado na
tabela do fabricante .
4. Repita o procedimento com ·os outros pinos e bielas.
- -- - -=--=-----~ -- ---

' ~~[[]]) ~ ©iE~@ . BIElA- CONTROlE ~IMENSIONAl 1111

Diâmetro Interno da Biela - Sem bronzina

A biela deve ser posicionada e presa corretamente na morsa . Utilize a proteção de alum ínio para
evitar contato direto dos mordentes e não marcar ou danificar a biela.
1. Aperte os parafusos das capas da biela com um torque de 40 Nm + 60° de aperto angula r.
Em seguida, remova a biela da morsa.
2. Com o súbito calibrado na medida de 62,78 mm, meça o diâmetro interno do alojamento da
biela, no sentido longitudinal.
3. A conicidade e a ovalização não podem ser superiores a 0,01 mm. Em seguida, prenda a biela
na morsa, solte os parafusos, remova a biela e posicione-a sobre a bancada.
4. Repita o procedimento de controle com as outras bielas.

Folga radial da biela - Diâmetro interno da biela com as brohzinas

Remova os parafusos da capa de biela, instale as bronzinas e monte a capa na biela.


1. Em seguida, prenda a biela na morsa e aperte os parafusos da capa da biela com torque de
40 Nm + 60° de aperto angular.
2. Depois, remova a biela da morsa e posicione-a sobre a bancada .
3. Com o auxílio de um súbito calibrado na medida de 59,03 mm, meça o diâmetro interno da
biela com as bronzinas instaladas.
4. A medida deve ser conferida em três posições: longitudinal, 30° à esquerda e 30° à direita .
5. A tolerância permitida é de 0,03 a O, 1O mm.
6. Repita o procedimento de folga radial nas outras bielas.
.~ ~ mJIID (QJ @~11@ BIELA- CONTROLE DIMENSIONAL 111

Pré-tensão das Bronzinas

As bronzinas, quando unidas, devem ser ligeiramente maiores que seus alojamentos na biela.
Quando a capa é apertada na biela, força as bronzinas contra as paredes. Sem a pré-tensão, as
bronzinas rodariam no seu alojamento. Nunca monte um motor sem conferir a pré-tensão das
bronzinas . Para esse procedimento, proceda da seguinte forma :
1. Com a biela e bronzinas montadas, parafusos apertados com torque de trabalho, prenda a
biela na morsa.
2. Insira o súbito no espaço entre as bronzinas e zere o relógio.
3. Em seguida, solte o aperto apenas de um parafuso.
4. Insira novamente o súbito no espaço entre as bronzinas.
5. Observe a variação no relógio comparador do súbito.
6. O valor da folga deve ser de 0,03 mm a O, 12 mm.
7. Solte o aperto do outro parafuso e remova a biela da morsa .
8. Repita os procedimentos de pré-tensão com as outras bielas .
-
,,... -
--
- ~
-
-
- -R· ·--
'

~~[[[]) GD ©Jj u@ PISTÕES E ANÉIS DE SEGMENTO • 111

PISTÕES E ANÉIS DE SEGMENTO


Os pistões do motor da Fiat Ducato 2.3 de 16V têm cabeça com reentrância projetada, para
o melhor perfil da câmera de combustão. É um componente que resiste a grandes pressões.
Possuem pinos munhões do tipo flutuante e, para o resfriamento, o pistão recebe jato de óleo
em sua base, através de borrifadores.

O pistão do motor da Ducato tem alta resistênCia

Inspeção e Controle

Faça uma inspeção visual sobre. a superfície do pistão , para avali ar se há ri scos ou deformidades.
Verifique também as condições da canaletas , das camaras e do aloj amento do pino munhão.
1. Com um micrômetro, meça o diâmetro da saia do pistão .
2. O diâmetro do pistão quando standart deve ser de 87,97 mm.
3 . Repita o procedimento com os outros pistões.
-~: lilliD QD ©~~ -;. @- PISTÕES E ANÉIS DE SEGMENTO
.~ ~ ~
111

Alojamento do Pino do Pistão - Folga

Utilizando um súbito ca li brado a medida de 30,99 mm , meça o diâmetro do alojamento do


pino no pistão . A folga eco e a a e e ser de 0,01 mm a 0,02 mm. O procedimento deve ser
repetido com os out os · .ões.

Anéis de Segmento

A folga entre as pontas dos anéis de segmento deve ser medida somente quando com o bloco
inferior do motor instalado e os parafusos apertados com o torque de trabalho. Proceda da
seguinte forma:
1. Instale o 1º anel de compressão no cilindro do bloco .
2. Insira um pistão no bloco e empurre-o de encontro ao anel, para alinhá-lo.
3. Avance com o pistão em torno de 30 mm e retire-o do cilindro.
4. Com o auxílio de um calibre de lâminas, confira a folga entre as pontas. Repita os procedimentos
com os outros anéis.
S. Os valores devem ser de 0,30 mm para o 1º anel, 0,70 mm para o 2º anel e 0,20 mm para o
3º anel de óleo.
1º anel de compressão 0,20 mm 0,55 mm
2º anel de compressão 0,60 mm 0,80 mm
3º anel raspador de óleo 0,20 mm 0,50 mm

Folga lateral do 1º anel na canaleta De O, 1O mm a O, 15 mm


Folga lateral do 2º anel na canaleta De 0,06 mm a 0,10 mm
Folga lateral do 3º anel na canaleta De 0,05 mm a 0,09 mm

PISTÕES - MONTAGEM NAS BIELAS, ANÉIS E INSTALAÇÃO


NO BLOCO
Monte o pistão na biela de forma que a marca da biela esteja do mesmo lado da descrição de
pistão.
1. Introduza o pino do pistão manualmente, e, com o alicate, instale o anel trava . Novamente
confirme a posição de montagem do pistão em relação à biela . Outra forma de conferir o ladc
correto de montagem é observar a marca da biela posicionada no lado oposto do rebaixo d<
borrifador, na saia do pistão.
2. Instale o conjunto biela e pistão na morsa e, com o alicate expansor, monte os anéis d'
segmento a partir da terceira canaleta, passando pela segunda e pela primeira canaleta .
3. No prime iro e segundo anéis, posicione a marca "top" voltada para o topo do pistão.
4. Posicione as pontas do 1º anel em direção à marca "U" no topo do pistão.
S. Os anéis da 2ª e 3ª canaletas devem ter as pontas posicionadas a 120° uma das outras, a part
do 1º anel.
-:__: ~!III]])@ ©L!IJ@ PISTÕES - MONTAGEM NAS BIELAS, ANÉIS E INSTALAÇÃO 111

6. Repita o procedimento de montagem dos outros pistões e bielas e aguarde.


7. Depo is, pos icione o bloco do motor na vertical e prepare para a montagem do conjunto biela
e pist ão .
8. Lu .· · o qu e ai receber o conjunto biela e pistão.
'ela, I · ique os an éis e bronzina, encaixe o conjunto e certifique-se de que
·a a · a a o lado do volante do motor ou o rebaixo da saia do pistão

i ersa l para comprimi-los.


cooler ou no eixo, empurre o conjunto até

' ·=- -- - - -=--- --:; ----


..:!::='"-
- ----
--- ------ .-o e-a a · · a com seus parafusos. Aplique
---- - --_:::.- --
--=·::- :::;_- ~- -- ~ _;:_.:::
•os e 'elas e pistõ es nos cilindros .
os'ci one o mot o r na horizo ntal e aperte os
m , 60° de aperto angular.

Pistão com a biela montada


' nnffnr:."'\ ri n ~ · -:.,r;i~:. A ,. . . . .
~~~rnrnJ (QJ ©~ tr @ PISTÕES - MONTAGEM NAS BIELAS. ANÉIS E INSTAlAÇÃO 111

Folga Axia l da Biela na Árvore de Manivelas

Com o conjunto pistões e bielas montado na árvore de manivelas, confira a folga axial das bielas
nos alojamentos da árvore de manivelas. O valor deve ser em torno de 0,20 mm a 0,30 mm.
BOMBAS DE ÓLEO E DE VÁCUO- INSPEÇÃO E INSTALAÇÃO
A unidade das bombas de óleo e de vácuo, quando danificada, assim como a carcaça da unidade,
todo o conjunto deve ser trocado. Proceda da seguinte forma:
1 . Instale a junta da unidade das bombas de óleo e de vácuo no bloco do motor.
2. Na sequência, faça inspeção visual nas bombas de óleo e de vácuo, nas engrenagens e na
carcaça.
3. Avalie também as condiçõ.es do retentor de óleo.
4 . Instale a unidade em seu alojamento no bloco, instale os parafusos e aperte-os com torque
de 1 O Nm.
BOMBAS DE ÁGUA E DE ALTA PRESSÃO - INSTALAR
Avalie as condições da bomba d'água e da sua carcaça como um todo. Verifique o estado s
anéis de vedação e instale a bomba em seu alojamento. Proceda da seguinte forma:
1. Instale os parafusos de fixação da carcaça da bomba e aperte-os com torque de 25 Nm .
2. Na sequência, instale a bomba de alta pressão em seu alojamento, na carcaça da bomba
d'água.
3. Instale os parafusos de fixação da bomba de alta pressão e aperte-os com torque de 25 Nm.
4. Instale a polia da bomba de alta pressão e a porca de fixação no eixo da bomba.
S. Trave a engrenagem com ferramenta adequada e aperte a porca com torque de 60 Nm.

VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO


A válvula reguladora de pressão controla a vazão e a pressão do óleo no sistema de lubrificaçãc
do motor.

Inspeção e Instalação

1. Faça a inspeção na mola de carga e no pistão de alívio da bomba.


2. Em seguida, lubrifique e instale os componentes internos no interior do corpo da válvu
reguladora de pressão e trave o conjunto com o anel trava.
3. Lubrifique e instale o corpo da válvula reguladora no seu alojâmento no bloco do motor.
4. Na sequência, instale o bujão com o anel vedador e aperte com torque de trabalho.
mi[QJ QD ©~ 1í@
.... •.. ~.. - ~ -~ ""!r

- -~ _J VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO 111

()

Elementos internos da válvula reguladora de pressão do


óleo do motor

CARTER DO MOTOR E TUBO PESCADOR DE ÓLEO


Verifique o carter quanto à limpeza geral, avalie o tubo pescador de óleo e seu respectivo anel de vedação .
Instalar o Carter e seus Componentes

Para instalar os componentes, proceda da seguinte forma:


1. Instale o tubo pescador em seu alojamento, instale os parafusos e aperte-os com torque e
trabalho.
2. Em seguida, avalie o segundo tubo condutor de óleo, verifique o anel vedador e instale-o em
seu alojamento . Instale o parafuso de fixação e aperte com torque de trabalho.
3. Na sequência, avalie as condições da vedação de borracha, instale o carter com o espaçador
e os parafusos de fixação do carter.
4. Aperte os 13 parafusos de 8 mm com torque de 25 Nm.
5. Aperte o parafuso de 6 mm com torque de 1O Nm .
6. Aperte o bujão do carter com torque de trabalho.

VOLANTE DO MOTOR POLIA DIANTEIRA DO EIXO,


-
INSTALAÇAO
Antes de instalar o volante do motor, verifique se o retentor está corretamente insta lado em seu
alojamento no bloco do motor. Para instalar o volante, proceda da seguinte forma :
1. Instale o volante do motor em seu alojamento no eixo da árvore.
2. Na sequência, aplique adesivo químico nos parafusos do volante, in st ale- os em seus
alojamentos e aperte-os com pequeno torque.
3. Instale a ferramenta de bloqueio do volante do motor.
4. Aperte os parafusos com torque de 30 Nm + 90°.
5. Em seguida, gire o motor no cavalete e instale a polia dianteira de sincronismo do eixo
virabrequim .
6. Instale e aperte o parafuso com torque de 300 Nm .
7. Remova o dispositivo de bloqueio do volante do motor.
1111@
-~: ~miQ) QD © VOLANTE 'DO MOTOR - POLIA DIANTEIRA DO EIXO 111
- - - - --
~~ ~~~ ~ ~ ...~
--
·;, ~
...

. ~~[[J[]J l iJ ©lllf@ ~ :·-:.


)

-
~ROCADOR DE CALOR DO ÓLEO DO MOTOR
;:;-"
111

TROCADOR DE CALOR DO ÓLEO DO MOTOR


O trocador de calor do óleo do motor 1 FA do Fiat Ducato é montado na lateral do blocc -
motor e tem a função de controlar a temperatura do óleo lubrificante através das placa s ,.. .2
ficam imersas no líquido de arrefecimento.

Inspeção e Instalação do Trocador de Calor

1. Avalie as condições do anel vedador, da junta e do trocador de calor.


2. Após a inspeção, instale o trocador de calor em seu alojamento .
3. Instale o tubo de fixação do Úocador e aperte-o com torque de trabalho.
;_=~ ~ooiDtw©L!~@ PROJEÇÃODOSPISTÕES
-" . -
~
111

-
PROJEÇAO DOS PISTOES
-
Os pistões do motor projetam-se para além da face superior do bloco . O valor dessa projeção
define a espessura da junta do cabeçote . No motor da Ducato Multijet, o procedimento para
conferir as projeções dos pistões é executado da seguinte forma:
1. Com o auxílio de um relógio comparador e de uma base magnética, instale o equipamento
na face superior do bloco .
2. Em seguida, posicione o motor em PM S e zere o po eiro do relóg io .
3. Em seguida, localize o po nto m ais sal ie te o istão e erifique a projeção do mesmo com
relação à face do bloco . Rep· a essa I · la si:o o es o pistão e anote os valores.
4. De forma geral, os alo' es as de 0, 30 mm até 0,60 mm .
5 . Rep ita es se ·
Junta do Cabeçote Inferior - Definir

Neste procedimento o valor das oito medidas somadas foi de 330,00 mm . Basta dividir esse tota l
por 8 e o resultado será 0,41 mm.
• O resultado dessa operação define a junta que será utilizada.
• Essa medida equivale à junta de classe B de 1,20 mm, ou seja, a junta correta é a com duas
marcas laterais.

Tabela de espessura da junta do cabeçote inferior

a co m 1 marca
De 0,40 mm a 0,49 mm Use a junta com 2 marcas
De 0,50 mm a 0,60 mm

FASAMENTO DO MOTOR
Antes de prosseguir a montagem do motor da Ducato, deve-se fazer o travamento do ei·xo da
manivela com ferramenta específica para o fasamento da parte inferior do motor. Proceda da
seguinte forma:
Posicionamento e Travamento da Árvore de Manivelas

1 . Com os pistões 1 e 4 posicionados a aproximadamente 5,5 mm antes da face superior do


bloco (em rampa de subida do pistão- sentido horário), instale a ferramenta no orifício específico
do bloco.
2. Avance com a ferramenta, movimente levemente o eixo até a ponta da haste encaixar;
rosquear e travar a ferramenta.
3 . A parte inferior do motor estará fasada, à espera da montagem do conjunto superior.
, -------- , - ~-

©Z!IJ@ ·
, '

~~[[]]J rnJ FASAMENTO DO MOTOR ' 111

JUNTA DO CABEÇOTE INFERIOR- INSTALAÇÃO


Inspecione a junta do cabeçote e avalie sua estrutura como um todo . A junta é construída por
três folhas de aço dispostas em camadas.
• As referências podem ser localizadas na lateral da junta, que correspondem às classes A, B, C,
relacionadas ao número de marcas na lateral.
• A marca "ALTO" indica que a junta deve ser instalada voltada para cima.
• Em seguida, instale a junta em seu alojamento, na face superior do bloco do motor.

A junta do cabeçote deve ter a marca ALTO


vo ltada para Ci ma

CABEÇOTE INFERIOR '- CONTROLE E INSTALAÇÃO


O cabeçote inferior do motor da Ducato Multijet é construído em alumínio e equipado com
quatro válvulas por cilindro, duas de admissão e duas de escape. Possui balancins acionados por
tuchos, com carga hidráulica para abertura das válvulas.
:-_::-· mil]) (QJ @fl!1J@ CABEÇOTE INFERIOR - c bNTROLEE INSTALAÇÃO 111

Balancins e tuchos hidráu licos acionam as válvulas de


O ca beçote inferior é construído em alum ínio
admissão e escape

Inspeção e Empeno - Controle

1 . Inspecione o cabeçote quanto à limpeza das câmaras e quanto a trincas.


2. Em seguida, com uma régua de controle, verifique se há empeno na superfície de contato
com o bloco do motor.
3. O valor de empeno não deve ser superior a O, 1O mm.
4 . Confiraa altura entre as faces usinadas do cabeçote. O valor deve ser em torno de 112,0 mm
+/- 0,1 O mm .

Tuchos de Válvulas e Balancins - Inspeção

Os c os de vál vulas do motor 1FAda Ducato têm dimensões reduzidas e deve ser avaliado
quan o a desg ast es ou deformidades. Os roletes dos balancins devem ser avaliados quanto a
folgas e imperfeições . Sempre que o cabeçote for desmontado, recomenda-se não perder o
posicionamento dos tuchos em relação a seus alojamentos.
n~~- -- •
. -
.

~~~]][]) M©~ u@ CABEÇOTE INFERIOR - CO~TROLE E INSTALAÇÃO 111

Balancins roletados apoiados em tuch os de carga


Det alhe do tucho hidráulico separad o do balancim
hidráuliCa

Controle dos Alojamentos no Cabeçote - Instalação

1. Avalie os alojamentos dos tuchos no cabeçote e certifique-se de não haver rebarbas nas
bordas.
2. Em seguida, desmonte um dos tuchos e insira-o nos orifícios, fazendo movimentos laterais
em busca de folga irregular.
3. Caso constate folga excessiva, substitua o cabeçote.
4. Em seguida, faça a montagem do tucho no balancim.
S. Depois, lubrifique os alojamentos dos tuchos e instale-os em seus alojamentos.
6. Em seguida, instale o cabeçote inferior no bloco do motor.
. f

=-~-- lill]) QD ©~LI@' CABEÇOTE, INFERIOR- CONTROLE E INSTALAÇÃO 111

Parafusos do Cabeçote Inferior- Sequência de Apertos

O cabeçote inferior do motor da Ducato é preso ao bloco do motor por seis parafusos centrais
que, para aperto, utilizam chave soquete E-Torx 18. Para o aperto dos outros quatro parafusos
nas extremidades, dois de cada lado, utilize a chave soquete E-Torx 14.
Instalação e Sequência de Apertos

Instale os parafusos em seus alojamentos e aplique um leve aperto em todos.


Etapa 1: Aperte os seis parafusos centrais com torque de 100 Nm. Em seguida, aperte os
quatro parafusos externos com torque de 50 Nm.
Etapa 2: Aperte os seis parafusos centrais com torque de 90°. Em seguida, aperte os quatro
parafusos externos com torque de 60°.
Etapa 3: Aperte novamente os seis parafusos centrais com torque de 90°. Em seguida , aperte
os quatro parafusos externos com torque de 60°.

CABEÇO E SUPERIOR
O cabeçote superior do motor da Duca t o é const ruído em alu mínio e aloja dois comandos de
válvulas, admissão e escape. A tração dos comandos é fe ita por co rrente com fo lga cont rolada .por
tensor hidráulico. O controle dimensional do cabeçote superior deve s~r feito da seguinte forma:

O cabeçote superior do motor da Ducato aloJa os Os comandos de vá lvu las são traoonados por corrente e
comandos de válvulas est1cador automático
.-~=
~
~~ QIJ ©LÃ lJ@ CABEÇOTE SUPERIOR 111

Controle Dimensional do Cabeçote Superior


1. Observe as condições do cabeçote superior quanto a trincas e deformidades.
2. Avalie também o estado dos alojamentos dos eixos e avalie a parte de trás do cabeçote, onde se
localiza a tração entre os comandos de válvulas.
3. Em seguida, avalie as condições dos eixos de comando de válvulas de admissão e escape.
4. Utilizando um micrômetro, confira e transfira as medidas do 1º colo dos comandos de admissão e
descarga para o súbito.
5. Em seguida, com o súbito calibrado, confira a folga radial do 1º alojamento dos comandos de admissão
e escape no cabeçote superior.
6. A folga encontrada deve ser em torno a 0,03 mm a 0,08 mm.
7. Em seguida, repita os procedimentos, para medir a folga radial dos colos 2 e 3 dos comandos de
admissão e escape e de seus respectivos alojamentos no cabeçote superior.
8. Da mesma forma, a folga radial dos colos 2 e 3 dos comandos de admissão e escape e de seus
alojamentos deve ser de aproximadamente 0,03 mm a 0,08 mm.
9. Lubrifique o comando de escape e instale-o em seu alojamento no cabeçote.
1 O. Na sequência, instale a tampa com anel vedador e, em seguida, instale o anel t rava externo
do comando;
11 . Lubrifique o comando de admissão e instale-o em seu alojamento no cabeçote. a sequência,
instale o retentor do comando.
12. Em seguida, monte o conjunto de engrenagens, corrente e esticador. Depo is, i s ate o conjunto no
alojamento dos comandos de válvulas.
13. Em seguida, instale os parafusos do esticado r, aperte manualmente e espere.
14. Em seguida, instale os parafusos das engrenagens, sem apertar.
15. Depois, aperte os parafusos de 6 mm do esticador automático com torq ue de O m.
16. Movimente as engrenagens para confirmar que os comandos estão livres .
17. Na sequência, instale as ferramentas de fasagem dos comando's de ad issã o e escape e aplique
um leve aperto nos parafusos das engrenagens.
18. Remova o pino trava do esticador e verifique o bloqueio do conjunto de co rre e co m os comandos.
~ mrriD ®©L! !f@ CABEÇOTE SUPERIOR ' 111

Instalação do Cabeçote e Torque dos Parafusos

Lubrifique os roletes dos tuchos de válvulas e, em seguida, instale a junta do cabeçote superior
sobre o cabeçote inferior. Proceda da seguinte forma:
1. Instale o cabeçote superior em seu alojamento.
2. Posicione e instale os 28 parafusos do cabeçote. Aperte todos a partir do centro para as
extremidades com torque de 25 Nm.
3. Na sequência, confirme o travamento dos comandos na parte superior do cabeçote e verifique
o funcionamento do esticador da corrente dos eixos.
4. Aperte os parafusos das engrenagens da corrente com torque de 115 Nm.
5. Instale a tampa de proteção e aperte os parafusos com torque de trabalho.
CORREIA DENTADA
Para instalar a correia de sincronismo, utilize as ferramentas defasagem corretas para o bloqueio
do eixo, dos comandos e da polia do comando de admissão.

Sincronismo e Instalação da Correia

~ ·-:a a ali a do comando de admissão e o parafuso de fixação . Não aperte, apenas encoste.
seç; · a. i s ale o pino de fasamento (5,5 mm) .
·a, i stale o esticador automático da correia e o parafuso, mas, não aperte.
e a· , i .st a e o tensionador e aperte o parafuso com torque de trabalho.
4 . A correia de e ser i nstalada com as setas indicativas voltadas para o sentido de giro motor
(sentido horári o). Inicie a pa rtir da engrenagem do eixo, depois a polia da bomba de alta pressão,
bomba d'água, polia do comando, ténsionador automático e, por último, pelo esticado a c~· -- -
5. Aplique carga no tensionador até o final do curso. Trave e aperte com torque de rao.a'"" _
Verifique a tensão e o posicionamento da marca de referência na polia e se o pino de fasa
da polia do comando está livre.
6. Em seguida, utilize uma ferramenta para travamento da polia do comando de admissão e
aperte o parafuso com torque de 90 Nm.
7. Remova as ferramentas de fasagem da árvore de manivelas, remova o pino da polia do
comando e as duas ferramentas de fasagem e bloqueio dos comandos de válvulas.
8. Em seguida , aplique 720° de giro no eixo do motor. Reinstale as ferramentas defasagem e
confira o sincronismo do motor.
9.Se tudo estiver correto, remova as ferramentas de sincronismo da árvore de manivelas, dos
comandos de válvula e instale os respectivos bujões de acesso.
1 O. Instale a capa de proteção da correia dentada e aperte os parafusos com torque de trabalho.
11. Na sequência, instale a polia de acessórios e aperte os parafusos com torque de trabalho.
~:__ mW©!A11@ CORREIADENTADA -· 111

Alternador e Bomba da Direção Hidráulica - Instalar Periféricos


:oo e .ianteiro do motor.
€ · a or, a bomba hidráulica da direção e aperte os parafusos com torque de trabalho.
-:a~ a cor eia multi V, que traciona o conjunto.
s:e:q · a, i nstale o suporte do semieixo na lateral do bloco e aperte os parafusos com
"O .e oe trab alho .
5. :: seguida, instale o suporte traseiro esquerdo do motor.

UNIDADES INJETORAS COMPONENTES E VELAS DE


AQUECIMENTO
Antes de instalar as unidades injetoras, instale as arruelas de vedação em seus alojamentos no
ca beçote superior.

Instalação das Unidades Injetoras e Velas de Aquecimento


1 . Em seguida, instale as unidades injetoras, os suportes e seus parafusos e aperte-os com torque
e trabalho.
2 . I sial e o sensor de fase, a unidade do blow-by e aperte os parafusos com torque de trabalho.
segui da , instale o tubo de enchimento de óleo .

e as bu la ções do raíl às unidades injetoras.


· ~· · ~ s arafu sos do tubo raíl com torque de trabalho e, em seguida, aperte as porcas dos
o e de trabalho.
7. a seq. e d a, insta le as velas de aquecimento em seus alojamentos e aperte-as com torque de
trabalho.
COLETOR DE ESCAPAMENTO E TURBINA
Antes de instalar o coletor de admissão, recomenda-se avaliar a planicidade da área de contato
com a junta e o cabeçote inferior.

Instalação do Coletor e da Turbina


1. Instale a junta, o coletor de escapamento, os espaçadores, as porcas e aperte-as com torque de
trabalho.
2. Na sequência, instale a junta e a turbina no coletor de escapamento, instale as porcas e aperte-as
com torque de trabalho.
3. Instale o tubo alimentador de óleo e aperte a porca e o parafuso com torque de trabalho.
4. Na sequência, instale o tubo de retorno do óleo e aperte os parafusos e a porca com torque
de trabalho.
=---_ mQD ©Li 11@ COLETOR DE ESCAPAMENTO~ TURBINA 111

COLETOR DE ADMISSAO E UNIDADE EGR


-
O coletor de admissão do motor 1 FAda Ducato Multijet deve ser cuidadosamente inspecionado.
Junto a esse componente se integra a unidade de controle e resfriamento dos gases internos do
motor, a EGR. Proceda da seguinte forma:
~ - - - - -

Instalação do Colet or de Admissão, EGR e Periféricos

1. ln'stale o coletor de admissão em seu alojamento com os parafusos; aperte-os com torque de
trabalho.
2. Em seguida, instale a válvula termostática com o tubo condutor de água; instale os parafusos
e aperte-os com torque de trabalho.
3. Instale o tubo de alta pressão da bomba ao tubo rail e aperte as porcas do tubo com torque
de trabalho .
4. Em seguida , instale o tubo co nd utor de gas es do mot or pa ra o blo -by .
5. Instale o suporte traseiro da EGR; em seg uida, inst ale a un idade EGR com pleta . Aperte porcas
e parafusos com torque de trabalho .
6. Instale o tubo de alimentação da bomba de alta pressão e aperte o parafuso com torque de
trabalho.
7. Instale o tubo da linha de retorno na bomba de alta pressão.
8. Instale o tubo condutor de ar da turbina e aperte os parafusos do suporte com torque de
trabalho.
9. Em seguida, instale a mangueira de retorno das unidades injetoras.
1 O. Instale a vareta do óleo do motor e aperte o parafuso de sua fixação.
11. Na sequência, instale o filtro de óleo, e, para finalizar, instale a capa superior do motór.
TABELA DE MEDIDAS DO MOTOR
Diâmetro do cilindro no bloco- medida STD 88,00 mm
Ovalização e conicidade máxima do cilindro 0,02 mm
Altura do cabeçote 112,00 mm
Empenamento máximo do cabeçote 0,10 mm
Diâmetro interno do 1º mancai do comando de válvulas admissão/ 48,98-49,01 mm
escape no cabeçote superior (lado correia)
Diâmetro interno do 2º mancai do comando de válvulas admissão/ 46,98-47,01 mm
escape no cabeçote superior (mancai do meio)
Diâmetro interno do 3º mancai do comando de válvulas admissão/ 35,98-36,01 mm
escape no cabeçote superior (lado corrente)
Folga entre os colos dos eixos dos comandos de válvulas e os mancais 0,06-0,09 mm
(alojamentos) no cabeçote superior (folga de trabalho)
Diâmetro do 1º colo do comando de válvulas admissão/escape (lado 48,92-48,95 mm
'
da correia)
Diâmetro do 2º colo do comando de válvulas admissão/escape (colo 46,92-48,95 mm
do meio)
Diâmetro do 3º colo do comando de válvulas admissão/escape (lado 46,92-46,95 mm
da corrente)
Diâmetro do furo maior da biela 62,78 mm
Diâmetro do furo menor da biela 32 mm
Folga entre as extremidades do.anel do pistão -1 º anel de compressão 0,20-0,35 mm
Folga entre as extremidades do anel do pistão- 2º anel de compressão 0,60-0,80 mm
Folga entre as extremidades do anel do pistão - Anel de contro le de 0,25-0,50 mm ' '

óleo
Folga entre anel e canaleta do pistão- 1º anel de compressão 0,010-0,15 mm
Folga entre anel e canaleta do pistão- 2º anel de compressão 0,060-0,100 mm
Folga entre anel e canaleta do pistão- Anel de controle de óleo 0,050-0,090 mm
Diâmetro do pistão 87,90-87,93 mm
Folga entre o pino e o pistão 0,010-0,020 mm·
Diâmetro do pino do pistão 31,99-32,00 mm
TABELA DE TORQUE DOS PRINCIPAIS PARAFUSOS DO MOTOR
Parafusos do sensor de posição do eixo de comando (CMP) 10 Nm
Parafuso da polia do eixo de comando- (correia dentada) 90 Nm
Parafuso do sensor de rotação (CKP) 10 Nm
-~·

Parafuso da biela 40 Nm + 60°


Parafusos do bloco inferior do motor (centr ais) 50 Nm + 60° + 60°
Parafusos do bloco inferior do motor (laterais.) 30 Nm
Parafusos do cabeçote ,i nferior (centrais) - 3 etapas 100 N m + 90° + 90°
Parafusos do cab eçote inferior (t:Aittoos) - 3 et apas 50 Nm + 60° + 60°
Parafusos do cabeçote superior 25 Nm
Parafuso do tensn r fixo (iotamsdiário) da co rreia dentada 40 Nm
Parafusos do :e'lsor autom át ico da correia dentada 35 Nm
Bujão da g a1sria :!e óleo do bloco do motor 50 Nm
?arafuso ao volante do motor 30 Nm + 90°
Porça do cofetor de exaustão 25 Nm
Parafuso do coletor de admissão 30 Nm
Tub o de alimentação de combustível 30 Nm
Porca da polia da bomba de alta pressão 60 Nm
Parafusos de fixação da bomba de alta pressão 25 Nm
Parafuso do suporte das unidades injetoras de combustível (bico 28 Nm
injetor)
Tubos de alimentação dos injetores de combustível 30 Nm
Velas de ignição 15 Nm
Parafuso do carter do motor 25 Nm
. .
Bujão da válvula reguladora de pressão de óleo do motor 30 Nm
Parafuso da carcaça da bomba de óleo e vácuo 25 Nm
Parafuso da tampa plástica da correia do distribuidor 10 Nm
Porca do tubo da linha de óleo para o turbocompressor no bloco do 25 Nm
motor
Parafuso oco da linha de alimentação de óleo no turbocompressor 25 Nm
Parafuso da bomba d'água 30 Nm
m m
"'
.c V\
o
c
I'D c
3 m
I•
tu ~
m )>
I• I'D'
Ve las I"+ m
Aque cedo ras ~ r-
n m'
o '""'i
c..
tu -
:::0
n
o
c Interruptor de
Central das velas
de préaquecim ento -·
::l
I'D
t.t'\
tut
c
)>
c pressão de óleo
Quadro de
o
n c.. z
)> o '-
-1 m
s:
o
_ Sen so r de
oI"+
o
""o
)>t

s: ~

~ ""'""''
~

c..
-c:,....
de água no

~
s:::: Senso r de
sinal Combu stível tu
pos ição do
pedal do Se nso r da c :::0
tD
acelerador árvore de c '""'i
,.... manivelas (ESS)
n
tu
m
I"+
o s:
o-1
s: Sensor N
o
o,.... MAF
..,J,
o
o""C ..,J,

I
:::0
,...
.1\Jw Sensor
taqu imétric o
~

V01
r'

< Se nso r de
pre ssão
Rai l
~

,..-·
VI Sensor de posição
d a árvo re
tD de comando
3
PJ Válvu la de

s: comb ustíve l
PJ
~
::::s
,..tD
s:
PJ
'tD"'
-· Sensor de
temperatura do
arrefecimento

m
c Sensor de
Pressão do NC
;::a
o
Interruptor do NC
VJ CVM
Bomba elétrica
de combust ível

Ao pain el d e inst rumento s

Interru pt or
do pedal da Sistema
embreagem MJD 8F3 Relé SOA-Sistema de
arrefecimento
,.,
3
$)J
Borboleta

s:
$)J
~
::l
n>
,.... da árvore
de comando

s: Válvula de

..,
$)J combustivel

n>
--·
s:
'-
c
00
'T1
w
Interruptor de
m pressão de óleo

c:: Sensorde
~ temperatura do

o arrefecimento

V1 Sensor de
Pressão do NC
CVM
Bomba elétrica
de combustível

Ao painel de instrumentos

Sistema
MJD 8F3 Relé SOA-Sistema de
arrefecimento
m m
I•
"'c
.c V\
o
I•
tD c
I•
Velas
Aqu ece d ora s 3 m
cu

sina l I 11 I Y 4 1
I•

I
-m
ti),
r+
)>
m
::::!. r-
m,
n
o -t
c
c:
:::OIIICII

Rei é
Aquecime nto
a.
cu
-
-o
n
~

n
)>
-1
sinal comando EDC
diagnose sinal EDC
Diese l


::l
tD
un
CUl
c)>
o 0 o
a. z
o ~

s:
c Se nso r de s:
m
11(1
-
,.... tu rbo
T MAP
-= o
r+
o., o
)>t
~:
tD
,.... Sensor de
Se nso r
a.
~
PTC Integrado
temperatura dos
gases pós-cata- Fil t ro cu
s:
lisador (DPF)
T Combustíve l
o
c
::xl
Sensor de
temperatura dos -t
o,.... gases pré-cata- n
cu m
o
lisador (DPF)

Senso r de
r+
o
o-t
s:
""' pressão do Sensor da N
.w
N Rai l árvo re de
m an ive las (ÊSS)
o
..... o
w :;IC

-< I
~
di fe rencial
~+V ma~sa~
~ : --1 ")0 A
I Sensor
MA F
r-
I
O"l

~ I se nsor e

Você também pode gostar