Você está na página 1de 4

AS TRÊS VIAS DA ADORAÇÃO

1. O INTELECTO. (COMO EU ENTENDO A ADORAÇÃO; PERCEPÇÃO INTELIGENTE) O que podemos aprender


aqui? Que a adoração não é um ritual ou a guarda de leis religiosas, mas é amar a Deus - é relacionamento.
a. com entendimento, Mc 12.30
b.

2. O SENTIMENTO. (COMO EU SINTO A ADORAÇÃO; PERCEPÇÃO SENSITIVA)


3. A EMOÇÃO. (COMO EU TRANSMITO A ADORAÇÃO; PERCEPÇÃO EMOTIVA )

A Emoção pode ser um conjunto de reacções fisiológicas e psicológicas e é causada por estímulos internos (pensamentos,
recordações) ou externos (acontecimentos que ocorrem externamente ao sujeito). Estes sintomas ocorrem durante um
curto período de tempo, embora acompanhados de uma elevada intensidade. 
Os outros conseguem aperceber-se quando vivenciamos uma emoção, pois os sintomas fisiológicos, como corar, transpirar,
correr, fugir,etc. denunciam-nos... É algo que não conseguimos esconder...

O Sentimento.... esse é privado, só nosso... e os outros só o sabem se o quisermos partilhar!


É menos intenso, quanto à sua duração é muito mais longo... Segundo António Damásio (neurologista com grandes estudos
nesta área), o sentimento acontece após a emoção! Segundo este autor acontece-nos o seguinte:

Acontecimento indutor (causa) ---> Emoção ---> Reacções Fisio-Psicológicas ---> Sentimento -----> Sentimento do
Sentimento ---> Sentimento Tornado Consciente.

Ou seja; Urso --> Medo --> Fugimos e Pensamos que podemos morrer --> Sentimo-nos em pânico (P.ex) --> tomamos
consciência daquilo que estamos a sentir e a viver.

Será que acontece sempre assim???

Qual a diferença entre sentimentos e emoções?

Esses termos, meu caro, variam de significado conforme autor. Porém acho que uma compreensão mais comportamental
sobre essa distinção seria essa:

1) emoções são estados fisiológicos relacionados a comportamentos respondentes em contingências imediatas. Ex: "Vi o


cachorro e fiquei com medo na hora!".  OBS: Sempre é bom lembrar, que emoções, apesar de significar "o que nos move",
em latim, nunca são 'causas' de comportamentos, mas apenas pistas sobre contingências em que eles ocorrem.

2) sentimentos estariam relacionados com isso, mas de forma menos corporal, indicando contingências mais estáveis e de
mais longo prazo. Ex: "Os sentimentos que eu tenho por Ana são fortes há muitos anos, já".
Enquanto a emoção é muito mais corporal e tende a passar com a situação encerrada (ex: O medo do cachorro durou até o
cachorro ir embora), os sentimentos estão mais relacionados a pensamentos e são reforçados socialmente (ex: Sinto isso
por Ana porque estou namorando ela há 2 anos).

A expressão das emoções possui  quase sempre topografia muscular no rosto. Já os sentimentos, podem passar 
desapercebidos mais facilmente.
Outra diferença seria que as emoções, por serem mais corporais e imediatas, expressam-se de forma mais intensa em
linguagem corporal, expressões faciais e outros sinais, como suor, dilatação da pupila, etc. 

Já a expressão dos sentimentos costuma ser mais sutil, através de ato, palavras, declarações, presentes, convites, etc.  

Por exemplo, "João está com raiva de Pedro (emoção), porque nutre uma inveja (sentimento) dele e Pedro tirou uma nota
melhor na prova". Nesse caso, o sentimento " inveja" é uma pista para o histórico de reforçamento que em parte determina
a emoção 'raiva' em João. Obviamente, é mais fácil identificar a raiva de João do que a inveja, o que demandaria um estudo
mais do que meramente topográfico de seus comportamentos.

"Nutrir sentimentos por alguém" significa se comportar 


persistentemente de determinada forma, em relação a essa pessoa.

Para fechar, costuma-se ainda dizer que uma pessoa é "emocional" quando ela torna públicas suas emoções com
frequência a intensidade, na hora em que são eliciadas. Já uma pessoa "sentimental" é aquela que nutre comportamentos
em geral de reforçamento intermitente, como agir com romantismo e declarar o que sente.
Emoções, Sentimentos e Afectos
1. A EMOÇÃO“A palavra emoção traduz, em geral, à mente uma das seis emoções ditas primárias ou universais: alegria,
tristeza, medo, cólera, surpresa ou aversão. (…)” Damásio, AntónioTrabalho realizado por:Filipe LoureiroLuís BaçãoRui Reis
2. ÍndiceMente e Emoção:Introdução ao tema;PhineasGage.Emoções, sentimentos e afectos:Emoções vs Sentimentos vs
Afectos;Relações que estabelecem;Emoções primárias e emoções secundárias;Teorias das emoções.Universalidade das
emoções:De que forma a expressão das emoções pode variar consoante a cultura?Existe uma forma universal de se
expressarem as emoções?Perspectiva Evolutiva;Perspectiva Fisiológica;Perspectiva Cognitivista;Perspectiva Culturalista.
3. As estruturas biológicas da emoção:Reactividade emocional; a amígdala;Caso MatildaCrabtreeFunção biológica das
emoções;Córtex orbitofrontal no processo da tomada de decisões;Caso Elliot;Marcadores somáticos.
4. Mente e emoção
5. Falando e pensando em emoções pela primeira vez, destacamos sempre uma de seis
emoções:Alegria;Tristeza;Medo;Ira;Espanto;Nojo. Tratam-se, no fim e ao cabo, das emoções básicas ou universais. Sem que
sequer nos apercebamos, desde que nos levantamos até que nos deitamos estas fazem parte das nossas experiencias
diárias. Se repararmos, de facto a emoção é a primeira que característica que evidenciamos ao nascer, através do choro.
6. Serão as emoções importantes? Sim. Estas têm um papel muito importante na vida de cada um de nós, pois:Alertam-nos
para o perigo;Proporcionam-nos a hipótese de criar laços com os outros, desempenhando um papel importante na vida em
sociedade;Influenciam a tomada de decisões;Alteram o nosso comportamento;Fornecem aos outros informações sobre o
nosso estado interno;etc.
7. Desde que se tem memória do homem se interessar pelo estudo dos processos emocionais que este caiu em erro em
relação a dois aspectos:Considerar emoção e cognição como faces opostas da mesma moeda, dois conceitos incompatíveis,
dois domínios antagónicos; Outro, por consequência do primeiro, era considerar que a cognição, superior por definição,
impunha naturalmente a sua “vontade” à emoção.
8. Emoções, sentimentos e afectos
9. EmoçãoAs emoções:Têm origem numa causa, num objectoSão reacções corporais específicas, observáveisSão públicas e
voltadas para o exteriorSão automáticas e inconscientesPolaridade: podem ser negativas ou positivasSão versáteis: variam
em intensidade e são de breve duraçãoRelacionam-se com o tempo: as emoções têm principio e fim
10. Assim, emoção designa-se como:Um processo passageiro, desencadeado por um estimulo (externo ou interno);Opera a
nível psíquico, maioritariamente inconsciente, e é difícil de verbalizar, no entanto, representa um poderoso meio de
comunicação (expressão facial). Os animais também experienciam emoções, a diferença é que as emoções humanas têm
como característica o modo como estão ligadas às ideias, aos valores, aos princípios e aos juízos complexos que só os seres
racionais podem ter.
11. Componentes das emoções:Componente cognitiva – ocorre quando tomamos conhecimento do facto: se não houver
conhecimento deste, não se experimenta qualquer emoção.Componente avaliativa – é feita uma avaliação, agradável ou
desagradável da situaçãoComponente fisiológica – manifestações orgânicas, corporais face á emoção
12. Componente expressiva – expressões corporais que permitem mostrar ao outro as nossas emoções Componente
comportamental – comportamento que o sujeito poderá ter face a outro, é o estado emocional que desencadeia
determinado conjunto de comportamentos.Componente subjectiva – relaciona-se com o que o indivíduo sente a nível
emocional e interior a que só ele tem acesso, ou seja, é o estado afectivo associado à emoção.
13. SentimentosSentimento, por sua vez, é um processo mental relativamente estável, resultante da emoção. É uma
experiência subjectiva dos afectos e das emoções; este processo distingue-se da emoção pelo seu carácter subjectivo e
cognitivo e é inseparável dos valores. Um sentimento é privado (não observável pelos outros), ao contrário das emoções.O
Ser Humano enquanto ser dotado de consciência, analisa, interpreta, organiza e reflecte sobre os seus próprios
sentimentos, isto é, constrói sentimentos a partir dos mesmos.
14. Segundo António Damásio:Emoções e sentimentos constituem, respectivamente, o começo e o fim de um processo
contínuo;As emoções são públicas enquanto que os sentimentos são privados;Os mecanismos subjacentes às emoções e aos
sentimentos são distintos;Os mecanismos básicos da emoção não requerem, necessariamente consciência;Emoções geram
sentimentos e estes, por sua vez, geram emoções num ciclo contínuo;Os sentimentos possuem uma relação privilegiadas
com a consciência.
15. Correlação Emoções/ Sentimentos
17. Concluindo…È certo que a sociedade desempenha um papel muito mais importante na formação das emoções
secundárias (ou não fossem elas designadas, também, de emoções sociais; emoções que se dão em sociedade). Por outro
lado, as emoções primárias são inatas e biologicamente programadas. No entanto, uma coisa não leva à outra pelo que
também as secundárias o são, em certa medida, e também a sociedade actua sobre as primárias.
18. AfectoExiste, ainda, um terceiro conceito, o afecto. Este é bastante utilizado e empregue ao longo da nossa vida e
quotidiano, podendo ser empiricamente sinónimo de emoção ou sentimento, erradamente, no entanto.Então o que é o
afecto?O afecto é a sensação imediata e subjectiva que temos em relação a um objecto, pessoa, situação. Logo, os afectos
estão associados às emoções e sentimentos, mas não se confundem com estes.
19. Falar de afectos é falar da relação. A relação implica uma troca, em que se dá e se recebe, o que envolve sempre
modificação dos elementos envolvidos. Nestas relações somos afectados pelos outros e afectamo-los.Os afectos que se
estabelecem constroem a matriz da nossa vida pessoal e podem exprimir-se pelo amor mas também pelo ódio. A nossa
sobrevivência psicológica funda-se nas relações interpessoais.
20. Emoções: Universalidade e DiversidadeAs emoções básicas caracterizam-se por expressões universais, ou seja, são
comuns a todos os indivíduos. Os nossos rostos não se costumam designar como “espelhos da alma” por mero caso, pois
estes reflectem emoções. Estas manifestações são compreensíveis para todas as pessoas, independentemente da
cultura.Exemplo: independentemente do local do planeta em que nos encontramos, qualquer pessoa saberá identificar
alegria no nosso rosto ao esboçarmos um sorriso.
21. Perspectivas sobre as emoçõesAs emoções constituem um aspecto muitocomplexo do ser humano e são objecto de
váriasinterpretações que se organizam em váriasperspectivas. Estas perspectivas dão-nos a conhecer anatureza e a base das
emoções.Perspectiva evolutiva;Perspectiva fisiológica;Perspectiva cognitivista;Perspectiva culturalista.
22. Perspectiva EvolutivaFoi desenvolvida por Charles Darwin, que, através da comparação de expressões de emoções
humanas com as dos animais, identificou seis emoções primárias ou universais: a alegria, a tristeza, a cólera, o desgosto, a
surpresa e o medo. Para cada uma destas emoções, descreve as suas manifestações fisiológicas. Darwin considera que as
emoções desempenham um papel adaptativo fundamental na história da espécie humana, sendo determinantes na nossa
capacidade de sobrevivência.
23. As emoções são públicas, pelo que podem ser partilhadas com os outros através de expressões faciais
24. Experiencia de Ekman…Paul Ekman foi um cientista que desenvolveu uma investigação em que procurou testar uma
hipótese que defendia: “indivíduos de culturas distintas sentiriam diferentes emoções”. Ekman realizou uma experiência:
apresentou a uma tribo isolada da Nova Guiné, expressões emocionais de norte-americanos. Ekman concluiu que havia
emoções que estavam presentes e que se manifestavam de forma semelhante nos dois povos que apresentavam culturas
tão diferentes, ou seja, há emoções que são universais, independentemente da aprendizagem e da cultura, mas Paul Ekman
não exclui a influência da cultura na expressão das emoções.
25. Perspectiva FisiológicaO psicólogo e médico William James tem como interesse fundamental o estabelecimento da
relação entre o corpo e a mente, que se influenciariam mutuamente: a mente influencia o corpo e o corpo influencia a
mente.Exemplo: Posso sentir-me triste se assumir uma expressão facial de tristeza. (numa situação que nos provoca um
choro de tristeza, só depois é que tomamos consciência da tristeza).
26. Perspectiva CognitivistaDe acordo com a perspectiva cognitista, existe uma relação entre os nossos processos
cognitivos e as emoções. As nossas cognições são um elemento fundamental no desencadeamento das emoções: é o modo
como eu encaro uma situação, que causa a emoção.Exemplo: Zango-me com uma pessoa porque interpreto o seu
comportamento como ofensivo, (não é o comportamento da pessoa em si que provoca a minha raiva, mas o facto de eu o
interpretar como tal).Conclusão: As emoções dependem assim do modo como avaliamos as situações.
27. Perspectiva CulturalDe acordo com a perspectiva culturalista, as emoções são comportamentos aprendidos no processo
de socialização, ou seja, as emoções são como a linguagem, uma construção social. A cada cultura correspondem
diferentes emoções e diferentes formas de as exprimir.Exemplo: Em algumas culturas não se admite que os homens
chorem, enquanto que noutras culturas a expressão das emoções pelo choro é valorizada. Independentemente do sexo, o
modo como se chora, quem pode chorar, onde se chora, varia de cultura para cultura.Cada cultura tem o seu conjunto de
regras que especificam o tipo de emoções que se podem manifestar nas diferentes situaçõesExemplo: Um desgosto
profundo pode ser sentido da mesma forma idêntica por um japonês, um português, ou um indiano, mas o modo de o
exprimir é diferente.
28. Estruturas Biológicas da Emoção
29. As bases biológicas da emoção são:Papel regulador, pois ajuda um organismo a sobreviver;A cultura e a aprendizagem
alteram a expressão das emoções, atribuindo-lhe um significado diferente. As emoções são inatas.Os dispositivos cerebrais
responsáveis ocupam um conjunto restrito de zonas: tronco cerebral, progredindo para as partes superiores.Esses
dispositivos são activados automaticamente e inconscientemente.
30. Regularmente, há uma grande tendência a considerar apenas os juízos racionais como determinantes na avaliação de
situações e na construção de respostas aos estímulos. Para o melhor ou para o pior, os processos emocionais também
influenciam esses factores, e em larga medida.O que levou, no caso MatildaCrabtree, um pai a disparar, quase
instintivamente sobre a sua própria filha?Como já foi referido, as emoções são essenciais para a sobrevivência do ser
humano e, na verdade, o sistema límbico (estrutura cerebral associada às emoções) toma controlo sobre nós quando nos
encontramos em situações de perigo, ou possivelmente perigosas. Existem estruturas específicas que nos permitirão
entender melhor este processo.
31. Reactividade EmocionalA amígdala é a estrutura cerebral envolvente mais importante na reactividade emocional
imediata ao medo e à ira.Amígdala: Parte integrante do sistema límbico, localizada no interior de cada hemisfério, no lobo
temporal;Processa o significado emocional dos estímulos, gerando reacções emocionais e comportamentais imediatas.
33. Associando ao caso ‘Crabtree’, percebe-se que a existência de um caminho de emergência entre o tálamo e a amígdala,
é chamado a intervir em casos de emergência. O pai de Matilda, pressupondo que podia estar um ladrão dentro de casa
pressupôs ainda a possibilidade de ter de disparar caso este aparecesse, assim quando Matilda sai do roupeiro, como o seu
pai se encontra em estado de emergência, o sistema límbico assume controlo do cérebro e antes que a sensação visual
chegasse ao córtex associado, por meio do caminho de emergência, o seu pai age disparando sem ter conhecimento que
dispara contra a própria filha.
34. Concluindo…A função biológica das emoções é, então, dupla:Tem, por um lado, o papel de produzir uma reacção
específica a uma situação indutor;Por outro lado permite a regulação do estado interno do organismo, com a finalidade de
o preparar para essa reacção específica.
35. Estado emocional; alterações fisiológicas e reacção específica
36. A amígdala constitui uma estrutura importante no processamento do medo e ira, mas, porém, não explica a totalidade
das expressões emocionais. Existe, portanto, uma estrutura (que tem sido alvo de estudos num passado recente) e que não
faz, inclusive, parte do sistema límbico.Córtex orbitofrontal:Situado na face inferior do lobo fontal;Importante no
planeamento e na coordenação de comportamentos destinados a atingir objectivos;Age antecipando e avaliando o valor
potencial da recompensa/prejuízo de um comportamento.
37. A região frontal, funciona coordenando, unificando e integrando toda a informação que chega ao cérebro, logo, a
existência de casos como o de Elliot permitiram demonstrar a importância do córtex orbitofrontale do circuito pré-frontal-
amígdala no processo de tomada de decisões, visto que mais nenhuma zona tinha sido danificada. Para além disso, o caso
Elliot mostra-nos que a emoção faz parte integrante dos processos de raciocínio e de tomada de decisão. Elliot parece
incapaz de aprender com os erros e tal acontece, apenas e só, porque o seu raciocínio deixou de ser afectado por sinais
provenientes dos mecanismos de emoção.
38. Concluindo…A mente funciona como um todo, unificando e integrando diversos aspectos e processos inter-
relacionados;Existe um clara relação de interdependência entre processos cognitivos e emocionais.
39. Marcadores SomáticosA hipótese dos marcadores somáticos, criados por António Damásio, devem-se a casos da
natureza dos de Elliot.Marcadores Somáticos:Através da aprendizagem depreendemos a recompensa ou prejuízo
associados a certas situações. Assim saberemos, para diferentes situações, que certa acção pode levar a um resultado
menos bom; Funcionam como uma campainha de alarme
40. Concluindo…Os marcadores somáticos baseiam-se no passados das nossas emoções: na medida em que uma acção
levou, no passado, a uma experiência negativa, estaremos motivados a evitá-la e a pensar numa acção alternativa (e assim
consecutivamente).Os marcadores somáticos aumentam a precisão e eficiência dos nossos processos de decisão.

Qual a diferença entre Sentimento e Emoção? Você sabe?!


Os sentimentos seriam ações decorrentes de decisões tomadas por uma pessoa. Por exemplo, o amor é o ato de sempre
decidir pelo bem a favor do outro ou algo, independente das circunstâncias. 
 
As sensações físicas sentidas surgem como consequência da decisão de amar. Essas sensações que uma pessoa sente por
outra são apenas emoções (sensações corporais), consequentes do instinto que a levou sentir atração física pela outra.
 
Portanto, a emoção é uma experiência de duração mais breve, e é acompanhada por componentes físicos, motores e
glandulares. O sentimento está ligado ao conjunto de crenças e à estrutura do pensamento, enquanto que a emoção está
no corpo, são sensações físicas. A ligação entre sentimento e emoção é tão intensa e completa que os dois se fundem,
fazendo com que o homem se torne um ser único e indivisível.
 
Todas as pessoas têm em graus variados, uma inconsciência do que sente. Quanto mais consciente se tornem esses
sentimentos, mais as pessoas podem conviver com experiências emocionais. Não podemos observar um sentimento, mas
sim os efeitos que ele produz (corpo). Quando você está triste seu estômago está triste, quando você está alegre seu
estômago também está, e é assim para todas as partes do corpo.
 
Fica claro que, à medida que somos capazes de descarregar nossos sentimentos, associando às lembranças específicas, eles
perdem o poder de atormentar, pois se forem negados, guardados, temidos, usados defensivamente e afastados se
transformarão em doença.
 
Assumir os sentimentos é um dos passos para a maturidade e para saber lidar com os próprios estados emocionais. O
sentimento faz parte da vida do indivíduo, ele é individual, único e intransferível, não podemos sentir pelo outro e nem
saber exatamente o que o outro está sentindo. Somente o dono do sentimento sabe de onde ele vem, que nome ele tem e
como pode encará-lo.
 
Agora que você já sabe a diferença, fale de seus sentimentos e viva melhor com suas emoções!!!

A adoração precisa ter coração e cabeça. Ela tem de envolver as emoções e o pensamento.
Verdade sem emoção produz ortodoxia morta e uma igreja cheia de admiradores artificiais.
Por outro lado, emoção sem verdade produz agitação vazia e cultiva pessoas superficiais que rejeitam a disciplina do
raciocínio exato.
A adoração verdadeira, porém, vem de pessoas com emoções profundas, grande amor e doutrina sadia.
Afeições fortes por deus, arraigadas na verdade, são ossos e medula da adoração bíblica”

A MOEDA NA BOCA DO PEIXE

1. A OFERTA É FRUTO DO MILAGRE


2. A OFERTA É FRUTO DO TRABALHO;
3. A OFERTA É FRUTO DAS ENTRANHAS.

Você também pode gostar