Você está na página 1de 17

Nossos Recursos em Cristo (Efésios 1: 15-23)

Nos versículos 3-14 Paulo tem estabelecido as bênçãos incríveis e ilimitadas crentes
têm em Jesus Cristo, bênçãos que atingem a nossa herança pessoal de tudo o que
pertence a Ele. No restante do capítulo (vv. 15-23) Paulo ora para que os crentes a
quem escreve virá a compreender e apreciar essas bênçãos. Nesta oração ele se
concentra na compreensão de seus recursos em seu Senhor e Salvador, Jesus
Cristo dos crentes. Nos versículos 15-16 elogiá-los, e nos versículos 17-23 ele faz
petições a Deus por eles.

Elogios para Crentes

Por esta razão, também eu, tendo ouvido falar da fé no Senhor Jesus que existe
entre você e seu amor por todos os santos, não cesso de dar graças por vós, ao
fazer menção de vós nas minhas orações; (1: 15-16)

À luz da sua herança maravilhosa em Jesus Cristo (Por esse motivo), Paulo agora
intercede pelos possuidores de que o tesouro. Como mencionado na Introdução,
estes inicialmente incluídos não só os crentes em Éfeso, mas, provavelmente,
aqueles em todas as igrejas da Ásia Menor. Fazia cerca de quatro anos desde que
Paulo ministrou lá, e agora ele estava na prisão. Mas a partir de cartas, bem como
através de relatórios pessoais de amigos que o visitaram na prisão, ele havia
recebido informações consideráveis de e sobre as igrejas. Ele ouviu duas coisas
que indicavam a genuinidade da sua salvação, e por essas duas marcas cardeais de
um Verdadeiro-fé cristã em Cristo e amor por outros cristãos, ele carinhosamente
elogiá-los. Estas duas dimensões da vida espiritual são inseparáveis (cf. 1 Jo 2: 9-
11).

Elogios para a Sua Fé

a fé no Senhor Jesus que existe entre vocês, (1: 15b)

A ênfase aqui é na crença verdadeira, com o senhorio de Jesus como o objeto


dessa crença. Alguns cristãos, talvez com a intenção de proteger o evangelho de
qualquer mácula de obras justiça, subestimar o senhorio de Cristo, quase a ponto de
negar isso. Outros gostariam de aceitar o termo Senhor apenas como uma
referência à divindade, não soberania. Mas essa separação é artificial, porque
divindade implica soberania. Aquele que por si só é Deus governa sozinho. No
entanto, aqueles que ensinam que uma pessoa deve crer em Cristo como Senhor
soberano, a fim de ser salvo são por vezes descrito pejorativamente como
"salvacionistas senhoria". O Novo Testamento, no entanto, não separa a Jesus
como Salvador de Jesus como Senhor. Ele é ao mesmo tempo, ou Ele não é nem.
Paulo diz: "Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu
coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo" (Rom. 10: 9; cf. Atos
16:31). Jesus torna-se Salvador, quando Ele é aceito como Senhor. "Para este fim",
explica Paulo em Romanos: "Cristo morreu e tornou a viver, para que pudesse ser
Senhor tanto de mortos como de vivos" (14: 9). Os crentes dizem-na verdade,
somente os crentes podem dizer- "Jesus é o Senhor", porque eles possuem o
Espírito Santo (1 Cor. 12: 3), que foi dado a eles quando eles foram salvos (Rm. 8:
9). Para receber a Jesus como Salvador, mas não como Senhor seria dividir Sua
natureza em dois. Quando recebemos a Ele, nós recebê-lo totalmente como Ele é.

Com certeza, ninguém recebe Jesus Cristo com uma compreensão completa de
tudo o que Ele é, ou tudo o que Ele exige como Senhor de que Ele salva. Muitos
cristãos vêm a Cristo com apenas a idéia nua de sua divindade soberana ou do que
significa pertencer a e submeter-se a Ele. Mas eles estão dispostos a submeter (cf.
Mt 8: 19-22; 9:. 9; 10: 37-39; Lucas 9: 57-62), a desistir de tudo o que somos e
temos (13 cf. Matt:. 44-46; 18: 3-4; 19: 16-26), e de deixar tudo e segui-Lo (Mt
19,27).. Uma vez que eles vêm a Ele, alguns cristãos perdem seu primeiro amor por
Jesus Cristo como Salvador e resistir a obedecê-Lo como Senhor. Mas sua falta de
amor torna-Lo não menos Salvador, e sua resistência torna-Lo não menos Senhor.
Cristo não é aceito em partes, primeiro como Salvador e mais tarde como Senhor.
Jesus o Salvador é Jesus, o Senhor, e Jesus é o Senhor Jesus, o Salvador. Ele não
existe em partes ou se relacionam com os crentes em partes. Consciência,
apreciação e obediência a Ele como Salvador e Senhor mudança. Quando somos
fiéis a Ele as coisas aumento, e quando somos infiéis diminuir. Mas o fato de o
senhorio de Jesus começa o mesmo momento em que Ele se torna Salvador, e nem
o Seu senhorio nem Seus mudanças obra redentora para os crentes de que o tempo
por toda a eternidade. Todos os mandamentos de Cristo, que estão a ser ensinada a
todos os crentes (Mat. 28: 19-20), assumir seu direito soberano de dar ordens e ser
obedecido. É precisamente por isso que Paulo chama de salvação "obediência da
fé" (Rom. 1: 5).

Paulo não está elogiando os Efésios para alguns mais tarde, lei complementar de fé,
mas para a fé original que os trouxe a economia de submissão ao Senhor soberano .
A fé no Senhor Jesus que existe entre você se refere a essa mesma fé salvadora
com que eles entraram na vida cristã e na qual foram continuar a viver.

Elogios para o seu amor

e seu amor por todos os santos, (15c)

A segunda marca da salvação verdadeira é o amor por todos os santos , e por


causa desse amor Paulo oferece graças pelos crentes de Éfeso.

O amor cristão é indiscriminada; não escolher quais os crentes que vão adorar.
Cristo ama todos os crentes, e eles são preciosos para Ele. Por definição, portanto,
o amor cristão se estende a todos os cristãos.Na medida em que isso não acontece,
é menos do que Cristão. Paulo apela para que os crentes sejam "mantendo o
mesmo amor" (Fp 2: 2.), O que é amar a todos os crentes a mesma.

Às vezes ouvimos cristãos dizem: "Eu o amo no Senhor", o que parece sugerir que
eles não têm afeição pessoal para nem compromisso com as necessidades do
indivíduo. Estendem-se um certo tipo espiritualizado do amor só porque a outra
pessoa é um irmão. Mas isso não é amor genuíno. Para amar verdadeiramente uma
pessoa no Senhor é a amá-lo como o Senhor ama-genuinamente e sacrificial.

"Nós sabemos que já passamos da morte para a vida", João diz, "porque amamos
os irmãos. Quem não ama permanece na morte" (1 João 3:14). Importante como é,
a teologia de som não é nenhum substituto para o amor. Sem amor a melhor
doutrina é como "um gongo ruidoso ou como o címbalo que retine" (1 Cor. 13: 1). A
verdadeira salvação vai da cabeça e do coração do crente para outros crentes e ao
mundo para tocar infiéis em nome de Cristo. A verdadeira salvação produz o
verdadeiro amor, e amor verdadeiro "não amar de palavra, nem de língua, mas de
fato e de verdade" (1 João 3:18). Sempre no verdadeiro amor espiritual do Novo
Testamento é definida como uma atitude de sacrifício altruísta que resulta em atos
generosos feito para os outros. É muito mais do que um sentimento, uma atração ou
emoção. Quando o Senhor tinha lavado os pés dos discípulos orgulhosos e
egoístas, Ele lhes disse que o que Ele havia feito por eles foi o exemplo de como
eles estavam a amar uns aos outros (João 13:34).João enfatiza a mesma verdade:
"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a
nossa vida pelos irmãos Mas quem tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão em
necessidade e lhe fecha o. coração contra ele, como é que o amor de Deus
permanecer nele Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e
de verdade "(1 João 3: 16-18)?.

Esse é o tipo de amor que os cristãos de Éfeso, em seguida, teve por todos os
santos . Infelizmente, porém, o seu amor não durou. Mantiveram a fé pura e
perseverou nela. No entanto, em sua carta às sete igrejas da Ásia Menor, o Senhor
diz da igreja em Éfeso, "tenho contra ti que abandonaste o teu primeiro amor"
(Apocalipse 2: 2-4). Eles haviam perdido o grande amor por Cristo e seus irmãos na
fé para que apenas algumas décadas antes Paulo tinha tão calorosamente
elogiados-los.

Fé e amor devem ser mantidos em equilíbrio. Muitos monges, eremitas, e inúmeros


outros ao longo da história da igreja têm se esforçado para manter a sua fé pura,
mas não chegaram aos outros em amor, como o Senhor ordena cada crente a fazer.
Eles muitas vezes se tornam caçadores de heresia, ansiosos para derrubar o que
está errado, mas fazendo pouco para construir o que é bom, cheio de críticas, mas
deficiente no amor.

É lamentável que alguns cristãos têm uma espécie de fé sem amor. Porque é sem
amor não há razão para duvidar que tal fé é mesmo verdadeira. A verdadeira fé não
pode existir sem o amor verdadeiro. Não podemos amar o Senhor Jesus sem amar
aqueles a quem ama. "Aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e
todo aquele que ama o Pai ama o filho nascido de Deus" (1 João 5: 1).

Os cristãos a quem Paulo escreveu sua carta aos Efésios tinha o equilíbrio certo, e
foi para a sua grande fé e seu grande amor que o apóstolo assegurou-lhes, eu ...
não cesso de dar graças por vós, ao fazer menção de vós em minha orações.
Pedido aos Crentes (1: 17-23)

O restante do capítulo é uma Pedido na qual Paulo ora para que Deus lhe dê
crentes verdadeira compreensão e valorização do que eles estão em Jesus Cristo, a
fim de que eles possam começar a ter uma ideia de quão magnífico e ilimitada são
as bênçãos que já pertenceram para eles em seu Senhor e Salvador. A Pedido é
dirigida para o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, uma
designação de Deus que une Deus, o Pai de Cristo, o Filho, em termos de natureza
essencial. Aquele a quem toda a glória pertence é o mesmo em essência que o
Senhor Jesus Cristo . Pela segunda vez em três versos Cristo é chamado de
Senhor (ver v. 15).

Em essência, Paulo orou para que os Efésios seria poupado do Desesperadamente


procurando o que já era deles, mas sim iria ver que o grande Deus, que é o seu
Deus é a fonte de tudo o que precisam e tem tudo pronto para eles, se eles estão
abertos a receber lo. Tal atitude receptiva requer que o próprio Deus dar-lhe um
espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele .

Warren Wiersbe conta a história de como William Randolph Hearst uma vez ler de
uma peça extremamente valiosa da arte, que ele decidiu que ele deve adicionar à
sua extensa coleção. Ele instruiu o seu agente para vasculhar as galerias do mundo
para encontrar a obra-prima que ele estava determinado a ter a qualquer preço.
Depois de muitos meses de pesquisa meticulosa, o agente informou que a peça já
pertencia ao Sr. Hearst e tinha sido armazenado em um de seus armazéns por
muitos anos.

É trágico que muitos crentes se enroscarem em uma busca por algo mais na vida
cristã, para algo especial, algo a mais que a vida cristã "comum" não possui. Eles
falam de obter mais de Jesus Cristo, mais do Espírito Santo, mais poder, mais
bênçãos, uma vida mais elevada, a mais profunda da vida, como se os recursos de
Deus foram divinamente distribuía um de cada vez, como tantas receitas
farmacêuticas ou foram desbloqueado por alguma combinação espiritual que só uns
poucos iniciados pode saber.
Para dizer: "Eu quero começar tudo de Jesus que existe", implica que quando fomos
salvos Cristo não nos dar tudo de si, para que Ele realizou algumas bênçãos em
reserva para ser parcelado para aqueles que atender a certos requisitos extras.

Pedro diz explicitamente: "Seu divino poder nos tem dado tudo o que diz respeito à
vida e à piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua própria glória
e virtude" (2 Pe. 1: 3). O ensinamento do Novo Testamento da salvação é que o
novo nascimento concede cada crente tudo em Cristo. Existe, portanto, não há
necessidade e nenhuma justificativa em busca de algo mais. Apesar de não fazê-lo
intencionalmente, como busca prejudica a essência da verdade revelada de Deus a
respeito da salvação. O germe desta grande verdade é encontrada nas palavras do
pregador: "Eu sei que tudo quanto Deus faz permanecerá para sempre; não há nada
a acrescentar a ela e não há nada para tirar dele, porque Deus assim trabalhou que
os homens devem [reverência] Him "(Ec. 3:14).

A igreja de Colossos, aparentemente, tinha sido perturbado por esse tipo de filosofia,
pensando que estavam faltando algo de Deus que tinha de ser fornecido por algum
ato, ritual, ou de outro requisito, além de salvação. Para alguns dos membros a idéia
se transformou em heresia real, o que foi ensinado e promulgada no lugar de ensino
apostólico.

Eles estavam sendo ensinados que uma pessoa precisa de Cristo além de filosofia
humana, a mesma abordagem para o evangelho visto no liberalismo moderno,
neoorthodoxy, existencialismo e outros sistemas teológico-filosófica que aparecem
sob o disfarce do cristianismo. De tal heresia Paulo diz: "Vede que ninguém vos faça
presa por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens,
segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo" (Colossenses 2: 8 ).

Os falsos mestres em Colossos também ensinou Cristo mais legalismo. Defendiam


observância de dias especiais, festas, e vários rituais para alcançar maior posição
espiritual e graça diante de Deus. Desse heresia Paulo disse: "Que ninguém agir
como seu juiz em relação à comida ou bebida, ou em relação a um festival ou uma
lua nova ou um sábado dia-coisas que são uma mera sombra do que está por vir,
mas a substância pertence a Cristo "(2: 16-17).
Um terceiro erro ensinado pelos hereges colossenses envolveu tanto o pecado do
orgulho e da busca de experiências místicas e visões para complementar a obra
completa de sacrifício expiatório de Cristo na cruz. O que eles ensinaram como algo
mais realmente trouxe algo menos, Paulo advertiu, porque levou longe do trabalho
perfeito de Cristo. "Que ninguém manter fraudar você de seu prêmio por deliciando-
se com auto-humilhação e da adoração dos anjos, tendo a sua posição sobre as
visões que ele viu, inflados sem justa causa pelo seu entendimento carnal, e não
retendo a cabeça, de quem todo o corpo, provido e realizada em conjunto pelas
articulações e ligamentos, cresce com um crescimento que é de Deus "(2: 18-19).

Um quarto erro promovida na igreja de Colossos era o ascetismo, a crença de que


se pode ganhar o favor especial e recompensa de Deus por meio de extrema
abnegação, abandonando de prazer físico e conforto, evitando o contato com as
pessoas "comuns", vivendo em isolada e situações austero. Esse erro, ainda mais
que os outros, alimenta o orgulho humano. Sob o nome de suprimir a carne, essas
idéias e práticas, na verdade, estimulá-lo. Como Paulo aponta, os ensinamentos
"Não manuseie, não gosto, não toque ... são questões que têm, com certeza, a
aparência de sabedoria, em self-made religião e auto-humilhação e tratamento
severo do corpo , mas não têm nenhum valor contra indulgência carnal "(02:21, 23).

O conselho de Paulo aos crentes de Colossos em resposta a essas ameaças graves


para a fé é introduzido em 1:12, onde ele diz que "o Pai ... nos fez idôneos para
participar da herança dos santos na luz", e está resumida em 2: 9-10- "Porque nele
[Cristo] toda a plenitude da Divindade habita em forma corpórea, e nele você tem
sido feita completa." Todos plenitude de Deus está em Jesus Cristo, e Ele retém
nada disso plenitude de crentes. "Nele ... temos sido feita completa," porque somos
suficientes, santos autorizados (como o uso de hikanoō [para se qualificar, faça
suficiente] em 1:12 prova). João dá um aviso sobre o mesmo problema em sua
primeira carta, dizendo: "Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que estão
tentando enganá-lo. E quanto a vós, a unção que vós recebestes dele, fica em vós,
e você não tem necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos
ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é uma mentira, e assim
como ela vos ensinou, você permanecer nele "(1 João 2: 26-27) .
Ainda hoje muitos cristãos gastam uma grande quantidade de tempo e esforço em
vão à procura de bênçãos já disponível para eles. Eles oram para a luz de Deus,
embora Ele já forneceu luz em abundância através da Sua Palavra. Sua
necessidade é a de seguir a luz que já possuem. Eles oram para a força, embora a
Sua Palavra diz que eles podem fazer todas as coisas através de Cristo que os
fortalece (Fil. 4:13). Eles oram por mais amor, embora Paulo diz que o próprio amor
de Deus já está derramado em seus corações por meio do Espírito Santo (Rom. 5:
5). Eles oram por mais graça, embora o Senhor diz a graça que Ele já deu é
suficiente (2 Cor. 12: 9). Eles oram pela paz, embora o Senhor lhes deu a Sua
própria paz, que excede todo o entendimento "(Filipenses 4: 7.). Espera-se que
oramos por essas bênçãos se o tom da oração é um dos que procuram a graça de
apropriar do que já é dado, em vez de um dos implorando por algo que acha que é
pouco disponível ou está relutantemente compartilhado por Deus.

Principal necessidade do cristão é por sabedoria e obediência a apropriar a


abundância de bênçãos que o Senhor já nos deu. Nosso problema não é a falta de
bênçãos, mas a falta de discernimento e sabedoria para entender e usá-los
corretamente e com fidelidade. Nossas bênçãos são tão vastos que a mente
humana não pode compreendê-las. Em nossas mentes, não podemos sondar as
riquezas que temos na nossa posição em Jesus Cristo. Essas coisas são totalmente
além da mente humana de compreender. Apenas o próprio Espírito Santo pode
procurar as coisas profundas da mente de Deus, e somente o Espírito pode trazê-los
para a nossa compreensão. "Assim como está escrito", diz Paulo, "" As coisas que o
olho não viu, eo ouvido não ouviu, e que não tenham entrado no coração do homem,
tudo o que Deus tem preparado para aqueles que O amam. " Mas Deus no-lo
revelou pelo Espírito;.? Porque o Espírito penetra todas as coisas, até mesmo as
profundezas de Deus Para qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o
espírito do homem, que nele está Mesmo assim os pensamentos de . Deus ninguém
conhece, exceto o Espírito de Deus Agora nós não recebemos o espírito do mundo,
mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer as coisas dado
gratuitamente por Deus "(1 Coríntios 2: 9. -12).
Verdades mais profundas de Deus não pode ser visto com os nossos olhos, ouvido
com os nossos ouvidos, ou compreendido por nossa razão ou intuição. Eles são
revelados apenas para aqueles que o amam.

Todo cristão tem muitas necessidades, físicas, morais e espirituais-para o qual Ele
deve pedir a ajuda do Senhor específicos. Mas nenhum cristão precisa, ou pode ter,
mais do Senhor ou de Sua bênção e herança do que ele já tem. É por isso que
Paulo nos diz, como ele disse aos crentes de Éfeso, para não buscar mais recursos
espirituais, mas para compreender e utilizar aqueles que nos foi dado em plenitude
absoluta do momento em que recebeu a Cristo.

Paulo ora especificamente que Deus pode dar a faculdade de entendimento para
que possamos conhecer os nossos recursos, o que ele chama de um espírito de
sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele .

O espírito de sabedoria é dada através do Espírito Santo, mas este espírito não se
refere ao próprio Espírito Santo, como alguns intérpretes sugerem. Pneuma (
espírito ) é anarthrous aqui, o que significa que ele não tem nenhum artigo antes
dele. Nesses casos, o artigo indefinido é normalmente fornecido em Inglês, como em
nosso texto: O significado básico de pneuma (da qual nós temos essas palavras em
inglês como pneumáticos e pneumonia) é ar ou ar, e de que o significado é derivado
a conotação de espírito. Mas, como o nosso Inglêsespírito, pneuma , por vezes, foi
utilizado de uma disposição, influência, ou atitude, como em "Ele está em alto astral
hoje" Jesus usou a palavra nesse sentido na primeira bem-aventurança: "Bem-
aventurados os pobres em espírito" ( Mat. 5: 3). Ele não estava se referindo ao
Espírito Santo ou ao espírito humano, mas ao espírito, ou atitude, de humildade.

Paulo orou para que Deus lhe dê a Efésios uma disposição especial de sabedoria ,
a plenitude do conhecimento divino e compreensão de que a mente humana
santificada é capaz de receber. "Deixe-os saber o quanto eles possuem em seu
Filho", ele diz, com efeito. "Dê-lhes uma rica e profunda forte compreensão
aguçada,,, da sua herança em Cristo." Ele ora para que o Espírito Santo para dar a
seus espíritos o direito espírito de sabedoria e de revelação no pleno
conhecimento dele .
Apocalipse , embora usado aqui como sinônimo de sabedoria, lida com
conhecimento proporcionadora de Deus para nós, enquanto sabedoria poderia
enfatizar o uso desse conhecimento. Temos de conhecer e entender a nossa
posição no Senhor antes de nós são capazes de servi-Lo. Temos de saber o que
temos diante de nós pode usá-lo de forma satisfatória. Este adicional sabedoria vai
além do conhecimento intelectual. É muito mais rico; e Paulo queria que os cristãos
de Éfeso, como aqueles em Colossos, iria "continuar buscando as coisas do alto,
onde Cristo está" (Col. 3: 1).

Em sua oração pelos crentes de Éfeso Paulo pede a Deus para dar-lhes a
revelação e sabedoria em três áreas específicas da magnífica verdade de Deus,
incomparável. Ele ora por eles para chegar a uma compreensão mais clara da
grandeza do plano de Deus, a grandeza do Seu poder e da grandeza da Sua
Pessoa.

Entender a grandeza do plano de Deus

Eu oro para que os olhos do vosso coração seja iluminado, para que saibais qual
seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos
santos, (1:18)

Na maioria das culturas modernas, o coração é pensado como a sede das emoções
e sentimentos. Mas a maioria dos antigos-hebreus, gregos, e muitos outros,
considerados o coração (grego kardia ) para ser o centro do conhecimento,
compreensão, reflexão e sabedoria. O Novo Testamento também usa-lo dessa
forma. O coração foi considerada a sede da mente e vontade, e que poderia ser
ensinado o que o cérebro nunca poderia saber Emoções e sentimentos foram
associados com os intestinos, ou intestinos (grego splanchnon ; cf. Atos 1:18, onde o
termo claramente se refere a órgãos físicos, com Col. 3:12;. Filemon 7, 12, 20 e 1
João 3:17, onde se refere a afetos e sentimentos).

Uma das causas da imaturidade na igreja de Corinto era a dependência de


sentimentos acima conhecimento. Muitos crentes estavam mais interessados em
fazer o que parecia certo do que em fazer o que Deus declarou ser o certo. Paulo,
portanto, lhes disse: "A nossa boca tem falado livremente para você, O Corinthians,
o nosso coração [ kardia ] está bem abertos. Você não está retido por nós, mas você
está contido em seus próprios afetos [ splanchnon ] Agora, em um intercambiável
como falo como a crianças-abertos ampla para nós também "(2 Cor. 6: 11-13). O
apóstolo disse que, na verdade, "Eu não posso levar a verdade de Deus de minha
mente e dar-lhe a sua mente, pois suas emoções ficam no caminho." Em vez de
suas emoções sendo controlado pela verdade de Deus, suas emoções distorcidas
sua compreensão da Sua verdade.

Portanto, Paulo ora para as mentes dos efésios a ser iluminado . As emoções têm
um lugar importante na vida cristã, mas eles são confiáveis apenas como eles são
guiados e controlados por verdade que de Deus chegamos a conhecer e
compreender através de nossas mentes. É por isso que estamos a "deixar a palavra
de Cristo ricamente habitar dentro de [nós]" (Col. 3:16). Quando o Espírito Santo
trabalha na mente do crente, Ele enriquece-lo a compreender a verdade divina que é
forte e profundo, e, em seguida, refere que a verdade a esses aspectos da vida que
envolvem as nossas emoções, inclusive a vida.

Enquanto Jesus conversou com os dois discípulos no caminho de Emaús, seus


corações (ou seja, suas mentes) queimado dentro deles; mas não foi até que "seus
olhos se abriram [que] eles reconheceram" (Lucas 24: 31-32). Antes do Espírito
iluminar-lhes que tinham a informação, mas não a compreensão; o que sabiam ser
verdade, mas eles não podiam no poder de suas próprias mentes compreender o
significado e importância.

A primeira coisa para a qual Paulo ora é que os crentes ser esclarecido sobre a
grandeza do plano de Deus. Na mais abrangente de termos, o apóstolo pede que
lhes seja dada a compreensão de a esperança da sua vocação e as riquezas da
glória da sua herança nos santos . Ele ora por Deus para iluminá-los sobre as
verdades magníficas da eleição, predestinação, a adoção, a redenção, o perdão,
sabedoria e discernimento, herança e de vedação e penhor do Espírito Santo sobre
o qual ele acaba de ser instruindo-os (vv. 3-14 ).

Essas verdades resumir plano mestre de Deus para a redenção da humanidade,


Seu plano eterno para trazer os homens de volta a Ele através do Seu próprio Filho,
tornando-os Seus filhos. Agora que eles pertenciam a Cristo pela fé (v. 13), o desejo
supremo de Paulo era para os crentes de Éfeso para realizar plenamente o que a
sua nova identidade significava. "Você não eram reflexão tardia de Deus", diz
ele."Deus não só escolheu para salvá-lo, mas Ele escolheu para te salvar eras antes
de existirem, eras antes que você teria oportunidade por Sua graça para escolhê-lo.
Isso é quem você é!"

Até entendermos quem somos verdadeiramente em Jesus Cristo, é impossível viver


uma vida obediente e gratificante. Somente quando sabemos quem realmente
somos podemos viver como quem somos. Só quando chegamos a compreender
como nossas vidas estão ancoradas na eternidade é que podemos ter a perspectiva
correta e motivação para viver no tempo. Só quando chegamos a compreender a
nossa cidadania celestial podemos viver vidas obedientes e produtivas como
cidadãos piedosos na terra.

É grande plano de Deus que cada crente um dia "serem conformes à imagem de
seu Filho" (Rom. 8:29). Essa é a esperança da sua vocação -o destino eterno e
glória do crente cumpra no reino vindouro. A plenitude do que a esperança será
experimentado quando recebemos as supremas riquezas da glória da sua
herança nos santos . É verdade também magnífico para palavras para descrever, e
é por isso mesmo própria revelação de Deus requer a iluminação do seu Espírito,
para que os crentes até mesmo para começar a entender a magnitude maravilhosa
das bênçãos da salvação que existem na esfera dos santos.

Nossa condição de filhos gloriosos de Deus e co-herdeiros com Jesus Cristo de tudo
o que Deus possui é a consumação e no final de salvação prometida desde a
eternidade passada e realizada em esperança até que o futuro manifestação de
Cristo. Não há nada mais para buscar, nada mais a ser dado ou recebido. Temos
tudo agora e vamos tê-lo por toda a eternidade.

Compreender a grandeza do poder de Deus

e qual é a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos. Estes são, de
acordo com a operação da força do seu poder, que Ele trouxe em Cristo,
ressuscitando-o dentre os mortos, e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares
celestiais, (1: 19-20)
Segundo pedido de Paulo é para o Senhor para dar aos crentes de Éfeso
compreensão de sua grande potência que vai trazê-los para a sua herança na
glória. No verso 19, Paulo usa quatro sinónimos gregas diferentes para enfatizar a
grandeza desse poder.

Primeiro é dunamis ( poder ), da qual nós temos dinamite e dínamo. Este poder é
só para os cristãos, para aqueles que acreditam . Não só isso, mas é todo o poder
que nunca são oferecidos ou jamais poderia ter. Não poderia haver mais, e é
insensato e presunçoso para pedir mais. A suprema grandeza de Deus o poder é
dado a todos os crentes, não apenas para aqueles que acreditam e, em seguida, ter
uma experiência mística, segunda bênção, ou algum outro suposto adicional obra da
graça. Quando somos salvos, recebemos todos a graça de Deus e todo o Seu
poder, e que nos assegura a realização da nossa esperança eterna.

Em segundo lugar está energeia ( trabalhando ), a força energizante do Espírito


que capacita os crentes a viver para o Senhor. O terceiro é kratos ( força ), que
também pode ser traduzida como "domínio" (1 Tim. 6:16) ou "poder" (Heb. 2:14).
Quarta é ischus ( pode ), que carrega a idéia de poder dotado ou habilidade. Em
todos esses aspectos, o Espírito Santo capacita os filhos de Deus.

Paulo não orou para que a energia seja dada aos crentes. Como eles poderiam ter
mais do que o que eles tinham? Ele orou primeiro lugar, que lhes seja dada uma
consciência divina do poder que possuíam em Cristo. Mais tarde, na carta (caps. 4-
6) ele advertiu-os a empregar esse poder em uma vida fiel a seu Senhor.

Nós não precisamos orar para poder evangelizar, para testemunhar o evangelho a
outras pessoas. Os crentes já têm esse poder. O evangelho em si "é o poder de
Deus para salvação de todo aquele que crê" (Rom. 1:16). Escrevendo aos
Tessalonicenses, Paulo lembrou-lhes: "O nosso evangelho não foi a vós somente
em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo e em plena convicção" (1
Tessalonicenses 1: 5.).

Nós não precisamos orar por poder de suportar o sofrimento. Como introdução ao
mencionar as muitas aflições que ele havia sofrido para o Senhor, Paulo comentou:
"Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder
seja de Deus e não de nós" (2 Cor. 4: 7).
Também não precisamos orar para poder fazer a vontade de Deus. "É Deus que
está agindo em você", Paulo nos assegura, "tanto o querer e trabalhar para a sua
boa vontade" (Fp. 2:13). Paulo cumpriu seu trabalho para o Senhor através da força
do Senhor fornecido ", combatendo segundo a sua energia, o que poderosamente
trabalha dentro de mim" (Col. 1:29). Pouco antes de Sua ascensão Jesus assegurou
aos discípulos: "Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós"
(Atos 1: 8), um enduement cada crente recebe no momento ele é salvo. Deus "é
capaz de fazer muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou
pensamos, segundo o poder que opera em nós" (Ef. 3:20). Para pedir a Deus por
mais poder é uma afronta ao seu amor misericordioso que já nos deu tudo.

O sobrenatural poder ... trabalhando ... força e poder com que Deus supre cada
crente e com o qual Ele glorificará cada crente é aquele que Ele trouxe em
Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e fazendo-o sentar à sua direita mão
nos lugares celestiais . Mais tarde, na carta, Paulo lida com a questão de usar o
poder de Deus em Seu serviço (3:20), mas a sua oração aqui é que nós
compreender o poder da Sua guarda, Ele nos proteger e cumprir a Sua maravilhosa
esperança que é nosso em Cristo . A ressurreição e ascensão de poder a energia
divina que levantou Cristo da sepultura para a terra e da terra para o céu, é o poder
que nos levantar para a glória.

Às vezes, todos nós somos tentados a duvidar, a me perguntar se Deus pode fazer
uma determinada coisa para nós ou através de nós ou, finalmente, trazer-nos à Sua
presença. Mas quando olhamos para o que Ele trouxe em Cristo , em que Ele
fielmente realizado em nome de Seu Filho e em Sua garantia de que Ele vai tão
fielmente realizar a sua obra em nosso favor (através a suprema grandeza do seu
poder para nós ) -O terreno que temos para duvidar? À luz de tal garantia, como
um cristão pode se sentir inseguro, abandonado, ou impotente? O mesmo poder
ilimitado divina que o ressuscitou dentre os mortos nos ressuscitará dos mortos, e
o mesmo poder que Ele sentado à sua direita nos lugares celestiais nos sentar
ali com Ele. No entretanto, que o poder da ressurreição é a nossa disposição para
viver a Sua glória (Ef 1: 19-20; 3:20.). É tão certo que este poder nos levará à glória
que Paulo falou como se ele já tiver ocorrido, uma vez que já ocorreu no plano
eterno de Deus (2: 6).
Compreender a grandeza da pessoa de Deus

muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se
nomeia, não só neste século, mas também no vindouro. E Ele colocou todas as
coisas debaixo dos seus pés, e lhe deu o cabeça sobre todas as coisas para a
igreja, que é o Seu corpo, a plenitude d'Aquele que preenche tudo em todos. (1: 21-
23)

Mover-se de força de Cristo à Sua majestade, terceiro pedido de Paulo é para que o
Senhor dá aos crentes a compreensão da grandeza da Sua Pessoa, que protege e
fortalece-los.

Uma vez, quando Timoteo foi intimidado por críticas de outros cristãos, ele
compreensivelmente ficou desanimado. Paulo escreveu-lhe: "Lembre-se de Jesus
Cristo, ressuscitado dentre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu
evangelho, pelo qual sofro mesmo à prisão como um criminoso, mas a palavra de
Deus não está presa Por esta razão eu aguentar. todas as coisas para o bem
daqueles que são escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está
em Cristo Jesus e com ele a glória eterna "(2 Tim. 2: 8-10). "Lembre-se da grandeza
da pessoa que vive dentro de você", diz Paulo. "Ele foi ressuscitado dentre os
mortos e sentado à direita de Deus. Ele nasceu da descendência de Davi, como um
homem como nós. Ele identifica conosco, nos entende, e se solidariza com a gente."

Todo cristão deve continuamente ter esse foco. Quando olhamos para Ele, os
nossos problemas físicos, problemas psicológicos e até problemas espirituais não
vai tear de modo muito importante antes de nós. Nós não só será mais capaz de ver
os nossos problemas como elas realmente são, mas será, então, e só então, ter a
motivação certa e poder para trabalhar com eles. É triste que lemos e ouvimos muito
sobre as coisas periféricas da vida cristã e tão pouco sobre a pessoa que é a fonte
de vida cristã. Quanto mais feliz e produtiva somos quando a nossa principal
atenção está em sua pureza, grandeza, santidade, poder e majestade. Paulo chama
os coríntios a olhar intensamente em Sua glória com a visão clara fornecida na Nova
Aliança, e, assim, ser feito semelhante a Ele pelo Espírito Santo (1 Cor. 3:18).

Que grande bênção que podemos ter quando tomamos tempo para definir nossas
próprias preocupações e necessidades de lado e simplesmente se concentrar em o
Senhor da glória, permitindo que o Espírito Santo para fazer em nós o que Paulo lhe
pediu para fazer nos EUA Efésios-dar uma compreensão profunda de a verdade de
que o nosso Senhor está acima de todo governo e autoridade, poder e domínio,
e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro
. A regra termos ( Arche , o que significa líder ou primeiro), autoridade ( exousia ),
poder ( dunamis ) e domínio ( kuriotés, senhorio) foram termos judaicos tradicionais
para designar seres angélicos de grande categoria e poder. O ponto aqui é que o
poder de Cristo aplicada em favor do crente não pode ser derrubado ou negada ou
derrotado, porque ultrapassa de longe as hostes de Satanás que projetam para
derrotá-lo.

Note-se que a questão da guerra cósmica entre Deus e suas hostes Angelicalais e
Satanás e seus demônios é uma questão de grande importância nas Escrituras.
Redenção é uma demonstração do poder de Deus diante dos anjos (03:10). Nosso
conflito é com estes anjos caídos, que se esforçam para deter nossos esforços para
Deus (6:12; cf. 1 Pd 3: 18-22, o que mostra o triunfo de Cristo sobre aqueles anjos
caídos, realizado em sua morte.). Satanás e seus anfitriões têm se esforçado para
frustrar o plano de Deus desde o início e são o inimigo constante da obra do reino,
mas eles estão destinados a ser derrubado e eternamente banido (Ap 20: 10-15).

Nosso Senhor não só está em cima, mas muito acima , de tudo e de todos. Ele está
acima de Satanás e, acima de sistema mundial de Satanás. Ele está acima dos
santos anjos e os anjos caídos, acima de pessoas salvas e pessoas que não foram
salvos, para o tempo e para a eternidade. Ele está acima de todos os nomes, títulos,
graus, níveis, poderes e jurisdições no universo. Deus pôs todas as coisas
debaixo dos pés (a citação do Salmo 8:. 6; cf. Heb 2: 8.). Não há limite de tempo,
como Paulo disse Cristo será supremo não só neste século, mas também no que
há de vir , isto é, no reino eterno do Senhor Jesus Cristo (cf. 2: 7).

O mais importante, na medida em que os crentes estão em causa, Deus lhe deu
como cabeça sobre todas as coisas para a igreja, que é o Seu corpo, a
plenitude d'Aquele que preenche tudo em todos .Cristo não só é a cabeça da
igreja, mas a sua plenitude . Uma vez que Ele tem uma relação única e íntima com
os remidos a quem ama, todo o Seu poder será usado em seu nome, para cumprir o
Seu propósito amoroso para eles. Ele é completamente sobre nós e completamente
em nós, nosso Senhor supremo e poder supremo. A igreja é a plenitude ou
complemento ( Pleroma ) de Cristo. Como cabeça deve ter um corpo para
manifestar a glória do que a cabeça, assim o Senhor deve ter a igreja para
manifestar a Sua glória (3:10). Jesus Cristo é o único para quem a palavra
incomparável aplica verdadeiramente; Ainda em uma emocionante e garantir
maravilha, Ele nos escolheu para exibir sua majestade incomparável. Estamos
garantidos para vir para a glória, a fim de que possamos sempre manifestar seu
louvor.

O Cristo é incomparável incompleto até a igreja, que é o seu corpo , está completo.
Jesus Cristo preenche tudo em todos , dando Sua plenitude aos crentes. Mas em
sabedoria e graça de Deus, os crentes, como a igreja , são também a plenitude
daquele . João Calvin disse: "Esta é a maior honra da igreja que até Ele está unido
a nós, o Filho de Deus atribui a Si mesmo em alguma medida incompleta. O consolo
é para nós a aprender que não até que estamos em Sua presença é que ele possuir
todas as Suas partes, nem Ele deseja ser considerado completo. "

O ponto desta grande Pedido é para que possamos compreender o quão seguro
estamos em Cristo e como inabalável e imutável é a nossa esperança da herança
eterna. O poder da glorificação é invencível e é atualmente operativa para nos trazer
a glória.

Você também pode gostar