Você está na página 1de 59

HINOS EVANGÉLICOS

1 (Música: S.H. 304; T.I. 2)


1 Repeti-m'as aind' outra vez,
Essas palavras de vida !
Acho netas consolo e paz,
Belas palavras de vida!
Elas vem de cima,
Dao s:ustento e guia;
Coro
Que belas sao ! Que belas sao!
Essas palavras de vida.

2 Jesus Cristo a todos dá


Belas palavras de vida!
Dá-lhe ouvido, ó pecador;
Belas palavras de vida!
Por amor te salva;
Ele ao céu te chama.

3 Jesus, único Salvador;


Belas palavras de vida!
J esus, temo Salvador;
Belas palavras de vida!
Ele é luz e vida,
Paz, conforto e guia.
2 Música: S.H. 350; T.I. 4)
Nada sou; a Ti me humilho,
Senhor; e já que me ves
A Teus pés, alenta e exalta
Esta minha pequenez.
Nao quero para guiar-me,
Outra chama que a da fé;
Seja ela a luz do trilho
Em que coloco o meu pé.

2 Guarda-me tr~s vezes santo,


Do vício, da iniquidade;
Faz' que eu exalte o Teu nome
Praticando a santidade.
Nao deixes que o inimigo
Penetre em meu cora~ao,
Com esse falaz encanto
Que nao passa de ilusao.

3 Faz' que eu busque de Teus filhos,


Essa doce sociedade,
A' qual Tu hás prometido
O Espírito de verdade,
Porque neste falaz mundo
Nao acho consola~ao,
Se trato com os que vivem
Sem Deus, sem fé, sem razao.

4 Eu sei que Te compadeces


Do prolongado penar,
Daqueles que a vida passam
O Teu reino a desejar.
Faz' pois que o desejo logrem,
Desejo do cora~ao,
De viverem sempre unidos
A Ti na etérea mansao.
4
\
3 (Música: S.H. 365; T.I. 5)
Quao bondoso amigo é Cristo!
Carregou co'a nossa dor,
E nos manda que levemos
Os cuidados ao Senhor.
Falta ao cora<;:ao dorido
Gozo, paz, consola<;:ao ?
Isso é porque nao levamos
Tudo a Deus ern ora<;:ao.

2 Tu 'stás fraco e carregado


De cuidados e temor ?
A Jesus, refúgio eterno,
Vai corn fé teu mal expor.
Teus amigos te desprezarn?
Conta-lhe ern ora<;:ao,
E corn Seu amor tao terno
Paz terás no cora<;:ao.

3 Cristo é verdadeiro amigo;


Disto prova nos rnostrou
Quando, p'ra levar conSigo
O culpado, incarnou.
Derrarnou Seu sangue puro,
Nossa mancha p'ra lavar;
Gozo ern vida e no futuro
N'Ele podernos alcan<;:ar.

4 (Mú~ica: S.H. 137; T.I. 6)


1 Vinde, meninos, vinde a Jesus!
Ele ganhou-vos ben<;:aos na cruz,
Os pequeninos Ele conduz,
Vinde ao Salvador!
5
Coro
Que alegria! Sem pecado ou mal,
Reunir-nos todos afinal!
Na santa pátria celestial,
Com nosso Salvador!

2 Já, sem demora, hoje convém


Ir caminhando a glória além;
J esus vos chama, quer vos so bem,
Vinde ao Salvador!

3 Ama os meninos ! J esus o diz,


Que receber-vos no bom país,
Quer conceder-vos vida feliz,
Vinde ao Salvador!

4 Eis a chamada: "Oh! Vinde a mim!"


Outro nao há que vos ame assim;
Seu é amor que nunca tem fim!
Vin de ao Salvador!

5 (Mú"ica: S.H. 75; T.I. 7)


1 Há um feliz lugar
Nao longe está;
Lá santos vao morar,
Glória há lá;
Oh! Como dao louvor
A seu Rei e Salvador!
Cantando com amor
Sempre, sem fim.

2 Vinde ao feliz lugar,


Nao vos demoreis!
Jesus pode salvar,
Vinde! Vereis!
6
Vamos no céu gozar
Paz, e com Jesus morar,
E nunca mais pecar,
Sempre, sem fim.

3 Os que no céu estilo


Brilham na luz;
Salvos pela forte mao
Do bom J esus!
Todos que n'Ele creem,
Ao país dos santos vem
E muita glória tem
Sempre, sem fim.

6 (Música: H.C. 88; T.I. 9)


1 Vem a Cristo, mesmo agora!
Coro
Vem, oh! vem, pecador!
Vem, vem confiadamente
A Jesus, o Senhor.

2 Crendo n'Ele ficas salvo!


3 Deus nao quer que tu te percas !
4 Cristo pode, sim, salvar-te!
5 O Senhor nao te rejeita!
6 Ele almeja perdoar-te?

7 (Música: S.H. 588; T.I. 11)


1 Findado agora o culto aqui,
Despede-nos, até ao fim,
Ao templo Teu no céu ali,
Oh! Deus de vero amor!
7
2 De Cristo, a Gra'Ya dá-nos ter,
Em Teu amor, Oh! Pai, andar,
No Santo Espirito viver,
Com Ele em COMUNHAO crescer,
E etarna paz gozar.

8 (Música: S.H. 580; T.I. 14)


1 Na PATRIA CELESTE, de Deus o doce lar,
Prepara Jesus, para os Seus, um lugar,
Pois longe do mal, do pecado e da dor,
ConSigo p'ra sempre os quer ter seu Senhor.
Coro
Oh! doce, doce lar!
Ali com Jesus vou para sempre descan'Yar.
2 Oh! lar sacrossanto de paz e de amor!
Ali, sobre o trono, verei meu Senhor,
O meigo Cordeiro, reinando em luz,
Por todos louvado,-bendito Jesus!
3 Que puras delícias se encontram em Ti!
Que gozos esperam ali
Aqueles a quem junto a Si, Deus quer ter,
E perpetuamente os satisfazer!
4 Nao sao Teus prazeres que anceio gozar,
Mas sim com Jesus para sempre morar!
Jamais desonrá-Lo; jamais ofender
A Quem, p'ra ganhar-me, por mim quis morrer.

9 (Mzíjica: S.H. 139; T.I. 16)


1 Vem! Espirito divino,
Grande ensinador!
Vem! Descobre as nossas almas
Cristo, o Salvador.
8
Coro
Mestre! Mestre!
Ouve com favor!
Em poder e gras;a insigne
Obre o Teu amor!
2 Vem! Demole os alicerces
De enganosa paz!
Aos errados concedendo
Salvas;ao veraz!
3 Vem! Reveste a Tua Igreja
De energia e luz !
Vem! Atrai os desviados
Ao Senhor J esus !
4 Maravilhas soberanas
A outros povos vem;
Oh! Derrama a mesma bens;ao
Sobre nós tambéml

10 (Música: H.C. 406; T.I. 18)


1 Cantai, oh, cantai! O Messias chegou
Dissiparam-se as trevas, a aurora raiou!
Coro
Dai louvores! Celebrai ·O! Foi morto na cruz!
Dai, louvores! Publicai-0!-'stá vivo Jesus!
2 Cantai, oh cantai! Pelos ímpios sofreu;
Satisfez a justis;a; Seu sangue verteu!
3 Cantai, oh cantai! Ternos livre perdao;
J esus nos oferta real salvas;ao!
4 Cantai, oh cantai! Nosso Salvador, Deus,
Espera-nos já nas alturas dos céus.
5 Cantai, oh cantai! O Salvador voltará!
O Rei glorioso nas nuvens virá!
9
11 (Música: S.H. 134; T.I. 19)
1 Camaradas ! A divisa
Mostra-se nos céus!
A vitória já se avista!
Quem socorre é Deus!
Coro
"Guarda o forte! Em breve Eu venho!"
Clama o Salvador.
Respondamos: "Venceremos pelo Teu
favor!"
2 Tropas infemais, rugindo,
Metem-nos horror;
Os heróis desfalecem;
Nao há mais vigor.
3 Nas batalhas poderoso
Vem o General
Com bandeira fl utuando,
Sempre triunfal!
4 Dura e triste é a peleja!
Perto a salvacrao !
Viva! Viva, camaradas!
Eis o Campeao!

12 (Música: H.C. 66; T.I. 20)


1 Contente estou porque Deus me mostrou
Quanto aos perdidos e ingratos amou,
Pois que conhecro, deveras, assim,
Que Ele, clemente, cuidava de mim.
Coro
Gozo em contar o Seu grande amor,
Seu grande amor, Seu grande amor;
Gozo em contar o Seu grande amor,
Seu grande amor por mim.
10
2 Se me perguntam como é que isto sei,
De que maneira tal gra~a ganhei,
Hei-de dizer que, na cruz do Senhor,
Deus me mostrou Seu notável amor.

3 Nesta certeza desfruto de paz,


Fé no Senhor puro gozo me traz.
Satanaz sempre vencido será:
Quem Deus amou, nao abandonará.

4 Pelo Seu dom foi que Deus revelou


Como deveras aos homens amou;
Seu grande amor breve espero louvar
No bom descan~o do Seu santo lar.

13 (Música: S.H. 216; T.I. 25)


1 Eis a escrava res gatada!
Grande pre~o, o Cristo deu:
Nao foi d'ouro nem de prata:
Próprio sangue Ele verteu.
Coro
Tanto foi o Teu amor
Que por mim assim mostraste;
P'ra remir meu cativeiro
Tua vida nao poupaste.

2 Já agora que sou Tua,


Sem jamais a Ti perder,
Quero, meu Senhor, servir-Te
Grata; e só para Ti viver.

3 Quero receber Teu jugo,


E em Teus passos caminhar:
Se por Ti eu sofro tudo,
Vou contigo em paz reinar.
11
4 'Stás no céu! Vivo eu na terra
Esperando o Teu voltar:
Leverás entao a escrava
P'ra contigo ali ficar.

5 Todo o amor por mim sentías


Padecendo a dor da cruz:
Vestes-me da Tua glória!
Vem! Oh! Vem, Senhor Jesus!

14 (Música: H.C. 302; T.I. 28)


1 Preciso de Jesus! De Ti, meu Salvador
Sómente a Tua voz tem para mim valor!
Coro
De Ti, Senhor, preciso; de Ti preciso sempre!
Oh! Dá-me a Tua ben¡;:ao, aspiro a Ti!

2 Preciso de Jesus! Unido a Ti, Senhor,


Pecado e tenta¡;:ao nao mais terao vigor.

3 Preciso de Jesus! Domina Tu meu ser!


Em santa rectidao ensina-me a viver.

4 Preciso de Jesus! Nas trevas e na luz!


Sem Ti a vida é va; sou pobre sem Jesus.

5 Preciso de J esus ! Do Sol dos altos Céus !


Oh! Guarda-me, Senhor, meu Salvador e Deus.

15 (Música: H.C. 456; T.I. 35)


1 Benigno Salvador! Com Tua aprova~ao
Consagra em doce amor a tao feliz uniao;
E sobre os noivos faz descer
A gra~ que !hes é mister.
12
2 Faze-os ero paz andar, unidos no Senhor,
E a vida aqui passar ero temo e sant0 amor:
Ligados no temor de Deus,
Que sigam juntos para os céus.
3 Oh! Digna-Te reger o seu lar como Rei,
Seus corac¡:oes manter fiéis a Tua leí !
Livra-os de toda a tentac¡:ao;
Consola-os na tribulac¡:ao.

16 (Música: H.C. 8; T.I. 37)


1 A tema voz do Salvador
Coro grac¡:a nos convida-
Chamando-nos ero Seu amor,
Querendo dar-nos vida.
Coro
Nunca dos homens se ouvirá:
Nunca nos santos céus de luz,
Mais doce nota soará
Que o nome de Jesus.
2 O cálix cheio de amargor
Jesus tero esgotado,
A fim de dar ao pecador
Perdao do seu pecado.
3 Por essa grande salvac¡:ao
De grac;as todo o crente.
É digna de celebrac¡:ao
Agora e eternamente.

17 (Música: S.H. 168; T.I. 38)


1 Sobre a cruz J esus comprava
Nossos membros, todo o ser;
Hoje e sempre, inteiramente
13
Quero a Cristo pertencer.
Meu Senhor! Meu Senhor!
Quero a Cristo pertencer.

2 Torna a minha língua a serva


De Jesus, meu grande Rei;
Poe palavras nestes lábios,
E Teu Nome exaltarei.
Meu Senhor! Meu Senhor!
E Teu Nome exaltarei.
3 Oh! Dispoe os meus ouvidos
A fechar-se a todo o mal;
Escutando Teu ensino
Com respeito cordeal.
Meu Senhor! Meu Senhor!
Com respeito cordeal.
4 De vaidade aparta os olhos,
Sempre atrai-os a Jesus;
Abre a minha fraca vista
Para ver celeste luz.
Meu Senhor! Meu Senhor!
Para ver celeste luz.
5 Toma as máos para empregá-las
No servic;:o que convém,
Diligentes, para o Mestre
Trabalhando em todo o bem.
Meu Senhor! Meu Senhor!
Trabalhando em todo o bem.
6 Guia os pés; no Teu caminho
Faze-os ágeis a correr;
Dos Teus santos mandamentos
Nunca os deixes remover.
Meu Senhor! Meu Senhor!
Nunca os deixes remover.
14
7 Sim! Desejo pertencer-Te!
Ouve a minha petir;:ao;
Vem, J esus, supremo Amigo,
Reina neste coraflio t
~eu Senhor! ~eu Senhor!
Reina neste corar;:ao.

18 (Música: H.C. 97; T.l. 49)


1 Deus já prometeu Sua salvar;:ao dar
A quem em Seu Filho Jesus confiar.

Coro
Aleluia! Já creio, já creio em Jesus,
E salvar;:ao tenho no sangue da cruz!

2 Foi tal Seu amor que me substituiu,


E sobre o calvário minha alma remiu!

3 Nao posso jamais desse amor duvidar:


Nao posso senao aos Seus pés me prostrar.

4 E quando na glória eu vir meu bom Rei,


Com todos os santos ali cantarei:

Aleluia ao Cordeiro que nos resgatau


E com o Seu sangue nos purificou !

19 (Música: S.H. 363; T.l. 50)


1 Por meus delitos expirou
J esus, a vida e luz;
O meu castigo Ele esgotou
Na ensanguentada cruz.
15
Coro
Oh! Faz' -me forte em confessar
A Ti, Jesus, Senhor;
Oh! Faz'-me pronto a confiar
Sempre no Teu amor.

2 E hei-de ter tao fraca voz,


Que trema ao confessar
A Quem por morte tao atroz
Minh'alma quis salvar?
3 Pois eu desejo aqui cantar
Tao grande Salvador;
E quando for no céu morar,
Louvá-Lo-ei melhor.

20 (Música: H.C. 535; T.I. 56)


1 Jesus, Senhor amado! Formamos nós aquí,
Com todos os remidos um mesmo corpo em Ti:
O Espírito nos liga no vínculo da paz,
Unindo-nos contigo, e gozo assim nos traz.

2 Que dita! Nos chegarmos a Ti, Jesus, Senhor,


E termos Teu Espírito por Administrador;
Teu Livro inspirado p'ra nos iluminar,
E em Teu servir¡:o santo aquí nos ocupar.

3 Cercando a Tua mesa que nos puseste aqui-


Recordar¡:ao tao santa, Senhor Jesus, de Ti-
Da Cruz até a glória, quao bom nos é seguir
Os passos gloriosos de Quem nos quis remir!

4 Louvamos, adoramos de unido corar¡:ao


E, alegres, entoamos com viva gratidao
As Tuas santas glórias, ó Cristo Salvador!
Caber¡:a que és da Igreja, manancial de amor!
16
21 (Música: S.H. 365; T.I. 61)
1 Quao bondoso amigo é Cristo!
Carregou co'a nossa dor,
E nos manda que levemos
Os cuidados ao Senhor.
Falta ao cora~o dorido
Gozo, paz, consola~ao ?
Isso é porque nao levamos
Tudo a Deus em ora~ao.

2 Tu 'stas fraco e carregado


De cuidados e temor?
A Jesus, refúgio eterno,
Vai coro fé teu mal expor.
Teus amigos te desprezam?
Conta-lhe isso em ora~ao,
E coro Seu amor tao terno
Paz terás no cora~ao.

3 Cristo é verdadeiro amigo;


Disto prova nos mostrou
Quando, p'ra levar consigo
Ao culpado, incamou.
Derramou Seu sangue puro,
Nossa mancha p'ra lavar;
Gozo em vida e no futuro
N' Ele podemos alcan~ar.

22 (Música: S.H. 452; T.I. 65)


1 Vem, Senhor da minha vida,
Generoso Benfeitor;'
Que minha alma dolorida
Chama já por seu Pastor.
17
2 Nao demores, eu Te pe~o,
Mostra-me Teu santo amor;
Vem, Senhor da minha vida,
Meu Jesus, meu Salvador.

3 Para mim, tao fatigado,


Olha, com ternura e amor;
Nao me deixes sem amparo
Neste vale de amargor.

4 Salva-me do escuro abismo


Tira, sim, da morte o horror;
Vem, Senhor da minha vida,
Meu Jesus, meu Redentor.

23 (Música: S.H. 241; T.I. 68)


1 Oh! Quao doce e rica promessa
Do Salvador Jesus, nosso Rei!
Ao que confia na Sua gra~a
Ele diz: "Nunca te deixarei."
Coro
"Oh! Nao temas! Oh! Nao temas!
Pois Eu contigo sempre serei:
Oh! Nao temas! Oh! Nao temas!
Porque Eu nunca te deixarei."

2 "Eu sou teu Deus, e para salvar-te,


Sempre contigo Eu estarei;
Nao temas, pois, porque bem seguro
Eu pela mao te conduzirei.

3 "Para remir-te dei o Meu sangue,


Pelo teu nome Eu te chamei;
Meu para sempre tu és agora,
Nunca, sim, nunca te deixarei.
18
4 "Inda que indigno, Eu escolhi-te,
Nao temas, pois, porque Eu te amei.
Quem dos Meus brac;os pode arrancar-te?
Sempre seguro te guardarei."

24 (Música: H.C. 337; T.l.69)


1 Mais peno quero estar, meu Deus, de Ti!
Inda que seja a dor que me una a Ti!
Sempre hei-de suplicar:
"Mais perro quero estar, meu Deus, de Ti!"
2 Marchando, triste, aquí na solidao,
Paz e descanso a mim Teus brac;os dao:
De noite vou sonhar:
"Mais perto quero estar, meu Deus, de Ti!"
3 Minh'alma vai cantar a Ti, Senhor!
Enquanto meditar no Teu amor,
Eu sempre hei-de rogar:
"Mais perta quera estar, meu Deus, de Ti!"'
25 (Música: S.H. 52; T.I. 71)
1 Jesus ! Quao infinito
É Teu divino amor!
Além do nosso alcance
Profundo é seu valor!
Os céus por nós deixaste,
Vieste aquí morrer;
Nos levarás, remidos,
Contigo, lá, a viver.
2 Por isso livremente
Vivemos para Ti;
A Ti obedecemos
Na vida breve, aqui;
Embora desprezados,
Em aflic¡'oes ou dor,
É suave e bom servir-Te,
Bendito Salvador!
19
26 (Música: S.H. 221; T.I. 75)
1 Santo! Santo! Santo! Deus omnipotente!
Cedo, de manha, cantaremos Teu louvor:
Santo! Santo! Santo! Jeová triuno!
És um só Deus, excelso, Creador.

2 Santo! Santo! Santo! Todos os remidos,


Junto com os anjos, proclamam Teu louvor:
Antes de formar-se o firmamento e a terra,
Eras; e sempre és, e hás-de ser, Senhor.
3 Santo! Santo! Santo! Nós os pecadores
Nao podemos ver Tua glória sem tremor:
Tu sómente és santo; nao há nenhum outro
Perfeito em pureza, poder e amor.

4 Santo! Santo! Santo! Deus omnipotente!


Tuas obras louvarao Teu nome com fervor:
Santo! Santo! Santo! Justo e compassivo!
És um só Deus, supremo, Creador.

27 (Música: S.H. 140; T.I. 79)


1 Com J esus há morada feliz,
Prometida e segura nos céus:
Avistamos o santo país
Pela fé na Palavra de Deus.
Coro
No celeste porvir!
Com Jesus, no celeste porvir!
2 Pacientes podemos penar
Se sofrermos por nosso Jesus;
Pois sem culpa, sem falta ou pesar
Viveremos no reino de luz!
20
3 No descanso perfeito, eterna!,
Desfrutando o labor que passou,
Cantaremos em tom triunfal
Os louvores de Quem nos amou!

28 (Música: H.C. 312; T.I. 80)


1 Avante, avante, ó crentes,-soldados de Jesus!
Erguei Seu estandarte,-lutai por Sua cruz!
Contra hostes inimigas,-ante essas multidoes,
O Comandante excelso-dirige os batalhéíes.
2 Avante, avante, ó crentes-por Cristo pelejai!
Vesti Sua armadura-ero Seu Poder marchai!
No posto sempre achados,-velando em oras:ao,
Por meio de perigos-seguindo o Capitao!
3 Avante, avante, 6 crt!ntes,-com pass o triunfal.
Hoje há combate horrendo-mui cedo a paz final.
Entao eternamente-bendito o vencedor;
Por Deus vitoriado-com Cristo o Salvador!

29 (Música: C.N. 12; T.I. 84b)


1 Noite jubilosa,
Noite portentosa,
Doce luz do feliz Natal!
Cristo nos liberta,
Cristo, vida certa!
Louvores ao Deus etemall
2 Noite jubilosa,
Noite portentosa,
Doce luz do feliz Natal!
Anjos cantam bino
Ao Rei pequenino,
Louvores ao Deus eternal!
21
3 Noite jubilosa,
N oite portentosa,
Doce luz do feliz Natal!
Deus connosco habita,
Dádiva inaudita!
Louvores ao Deus eternal!

30 (Música: H.C. 313; T.I. 86)


1 Deus vos guarde pelo Seu poder,
Protegidos e velados,
Desfrutando Seus cuidados;
Deus vos guarde pelo Seu poder.
Coro
Pelo Seu poder e no Seu amor,
'Té nos encontrarmos coro Jesus.
Pelo Seu poder e no Seu amor,
Deus vos guarde andando ero Sua luz.

2 Deus vos guarde bem no Seu amor,


Consolados e contentes,
Achegados sempre aos crentes;
Deus vos guarde bem no Seu amor.

3 Deus vos guarde do poder do mal,


Da ruina do pecado,
Do temor de qualquer lado:
Deus vos guarde do poder do mal.

4 Deus vos guarde para Seu louvor,


Para Seu presente gozo,
Seu servi~o glorioso:
Deus vos guarde para Seu louvor.

22
31 (Música: S.H. 17; T.I. 87)
1 Todos que na terra moram
A Deus bendigam com prazer;
Como os anjos O adoram
Devemos nós também fazer.
2 Entrai na casa do Senhor
Para com júbilo cantar;
Somos ovelhas de um Pastor
A Quem devemos adorar.
3 Sejamos servos do Senhor
E bem guardemos Sua lei;
Cantemos todos o louvor
Do nosso Salvador e Rei.
4 Tudo Seu nome louvará,
Porque benigno é o Senhor;
O Seu amor fim será,
É sempre o mesmo, o Benfeitor.

32 (Música: S.H. 551; T.I. 88)


1 No céu eu vejo esplendente
Do sol a clara luz;
Viver eu quero sómente
Brilhando por Jesus.
Coro
Brilhando, brilhando,
Brilhando qual doce luz;
Brilhando, brilhando,
Brilhando por meu Jesus.

2 Em tudo eu quero exaltá-Lo


Na escola e no estudar;
Também nao quero olvidá-Lo
Em casa e no brincar.
23
3 Bomzinho, p'ra toda a gente,
Assim me quer Jesus;
Alegre, rosto contente,
Brilhando como a luz.

4 Do feio e triste pecado,


J esus, vem-me guardar;
E por Ti sempre amparado,
E u quero, sim, andar!

5 Se assim é a Tua vontade,


Brilhando viverei;
E, pela Tua bondade,
Ao lindo céu irei.

33 (Música: S.H. 57; T.I. 92)


1 Cantemos aqu.i, como os anjos da luz;
Com júbilo eles adoram Jesus!
O trono cercando Lhe dao o louvor;
Milhares as vozes, mas um só amor.

2 Os anjos nos céus ouvimos dizer:


"Digno é o Senhor de todo o poder!"
E nós respondamos com alma e com voz:
"Digno é o Cordeiro; morreu por nós."

3 Morreste! Querendo os ímpios salvar;


Estás vivo! Os levas conTigo a reinar!
Oh! Se Tu bendito, querido Jesus!
Senhor, nossa vida, riquezas e luz.

4 Unam-se nos céus, na terra e no mar,


Ao bom Redentor, Jesus, adorar;
A cria~ao toda, levante o louvor,
Com grande alegria bendiga ao Senhor.
24
34 (Música: S.H. 269; T.I. 93)
1 Milhares de milhares
De crentes em Jesus,
Com vestiduras brancas
Já brilham na Sua luz.
Findaram seu combate
Contra o pecado vil:
Vencendo o rei das trevas
Venceram todo o ardil.

2 Que júbilo de júbilos


Ressoa em todo o céu!
Milhares sao as vozes
Clamando além do véu:-
"Chega-se o Día alegre
Da gran restaura¡;ao,
O Dia desejado
De toda a cria¡;ao."

3 Que santo regozijo


Se ve em Canaan,
Amigos com amigos
Se encontram na manha
Do Dia que nunca finda
Em triste escuridao:
Ai seus prantos cessam
Com a restaura¡;ao.

4 Apressa o Dia alegre,


Completa os Teus fiéis,
E entao nas nuvens desee,
Oh! santo Rei dos reis!
Por Ti nós esperamos,
Ilustre Salvador!
Vem! Vem com majestade,
Jesus, ó bom Senhor!
25
35 (Música: H.C. 471; T.l. 96)
1 Vai findando o dia-perto a noite vem,
Sombra vespertina--cobre os céus além.
Cristo ao fatigado-dá descanso e paz,
Sua eterna ben~ao-Aos Seus servos traz.

2 Nesta longa noite-livra-nos do mal-


Cerque o nosso leito--córte angelical.
Glória ao Pai e ao Filho-Deus de sumo bem,
Glória ao Santo Espírito-para sempre! Amen.

36 (Música: H.C. 547; T.I. 97)


Os Teus remidos gratos vem
Prestar-Te o culto que convém
Reconhecendo em Ti, Senhor,
O seu divino Salvador!
Digno és de que com gratidao
Te deem divina adora~ao,
Fazendo pelo plácido ar
Os Teus louvores ressoar.

2 É~ digno Tu, Senhor Jesus,


D'estar no trono, ali na luz,
És digno junto ao Pai, de haver
As honras de divino Ser.
Digno és dali, nos altos céus
Reinar no resplendor com Deus,
Entregue o cetro em Tua mao-
Deus, manisfesto em perfei~ao.

3 És digno ! Pois que em fausto dia


Deixaste o céu, com alegria,
Em benigníssima missao
De conseguir a salva~ao
26
De um pobre povo que se viu
De Deus bem longe, em extravio,
Sob a condena~ao fatal,
Sujeito a ira divinal.
4 És digno! Pois que em Ti brilhou
A glória que nos revelou
As santas perfei¡;oes de Deus,
Quais nem se viram lá nos céus:
A Sua gra~a, luz, amor,
Misericórdia ao pecador,
Agindo de combina¡;ao
Co'a santidade e rectidao.
5 Digno és, digníssimo Senhor!
Rei Santo! Cristo! Salvador!
Dos altos céus a admira¡;ao,
A Quem louvores todos dao.
Também aqui, de viva voz,
O culto tributamos nós,
Dando a J esus louvor real
Louvor e glória divinal.

37 (Música: S.H. 523; T.I. lOO)


1 Fugimos das iras do revolto mar;
Achamos bom porto, bonan~a sem par.
É simples a história, mui simples até;
Tomando na Biblia o rumo da Fé.
2 Fugimos das trevas, viemos p'ra luz;
Aqui encontramos o amante Jesus.
É simples a história, mais simples nao há:
Um Deus que nos ama, Seu Filho nos d á.
'3 Fugimos da morte, do erro e temor;
Achamos a vida, verdade e amor.
Oh! Simples história de gra¡;a e perdao:
O sangue de Cristo nos dá salvafilo.
27
4 Fugimos do mundo, vamos para os céus;
Deixamos os homens, recebe-nos Deus.
Eis desta história soberbo final:
Gozarmos p'ra sempre da vida eterna!!

38 (Música: S.H. 542; T.I. 104)


1 Avan~i, avanc;ai! derramai essa luz
Sobre os povos da terra, que nao tem Jesus.
"IDE, POIS,"-diz o Mestre; quemé que irá,
Observando o preceito que Ele nos dá ?...
Confiai no Senhor; nao tenhais mais temor;
Avanc;ai, com Jesus, avanc;ai!

2 Avanc;ai, avanc;ai, com a Bíblia na mao;


Proclamai as nac;oes que já há remissao.
Encarai os perigos com fé em J esus
Se sofrermos aqui, reinaremos em luz.
Vinde, crentes, lutai; nos trabalhos entrai
Avanc;ai, sem temor, avanc;ai!

3 Avanc;ai, avanc;ai, a pregar aos milhoes,


Que perecem nas trevas e sem salvac;ao.
Foi por eles também que o Justo morreu,
Que na terra pobreza e insultos sofreu.
Proclamai redenc;ao! Em J esus há perdao!
Avanc;ai, com amor, avanc;ai!

39 (Música: S.H. 579; T.I. 109) ~'

1 Quando a alma sequiosa


Chega a voz do Salvador,
Ela 1ogo reconhece
Ser Jesus o seu Senhor:
Mas se o "EU" quer levantar-se
P'ra mostrar algum valor,-
Vencendo vem Jesus!
28
Coro
Glória, glória, aleluia
Vencen do vem J esus!
2 Neste mundo havemos, crentes,
De ter sempre algum pezar
Mesmo lutas, dissabores,
Que nos queiram aterrar;
Mas se o mal nos ameacra
Da alegria nos roubar,-
Vencendo vem Jesus!
3 Da vaidade, fiéis servos,
Ou romanos ou ateus,
Muitas vezes nos assaltam
Para nos tomarem seus;
Mas se alguém procura ver-nos
Sem o gozo do bom Deus,-
Vencendo vem Jesus!
40 (Música: S.H. 403; T.I. 110)
1 Da linda Pátria estou bem longe,
Cansado estou:
· Eu tenho de J esus saudade;
Oh! Quando é que vou?
Passarinhos, belas flores
Querem m'encantar:
Oh! terrestres esplendores!
De longe enxergo o lar.
2 Jesus me deu a Sua promessa;
Me vem buscar:
Meu coracrao está com pressa;
Eu quero já voar.
Meus pecados foram muitos;
Mui culpado sou;
Porém Seu sangue püe-m'os limpos;
Eu para a Pátria vou.
29
3 Qual filho já da mae saudoso,
Eu quero ir;
Qual passarinho para o ninho,
Aos bra¡;os Seus fugir.
É fiel; S!la vinda é certa;
Quando, eu nao sei;
Mas Ele manda estar alerta;
Do exílio voltarei.
4 Sua vinda aguardo eu, cantando
Meu lar no céu.
Seus passos hei-de ouvir soando
Além do escuro véu.
Passarinhos, belas flores
Querem m'encantar.
Oh! terrestres esplendores!
De longe enxergo o lar.

41 (Música: H.c: 409; T.I. 116)


1 Um día a !ida acabará
E meu descanso gozarei;
Na glória que Jesus me dá
O Seu amor desfrutarei.
Coro
E face a face ve-10-ei:
"Por gra¡;a salvo," cantarei.
2 U m día o corpo natural
Qual o do meu Senhor será-
Transforma¡;ao celestial-
E dor nao mais lugar terá.
3 Quao rica tal consuma¡;ao-
Com Ele estar para O servir;
Que triunfante adora¡;ao
Espero dar-Lhe no porvir.
30
42 (Música: S.H. 222; T.I. 120)
1 Comigo habita, ó Deus! A noite vem,
As trevas crescem:-eis, Senhor, convém
Que me socorra a Tua protec~ao:-
Oh! Vem fazer comigo habita~aol
2 Depressa encontrarei o fim mortal;
Desaparece o gozo terrea!:
Mudan~a vejo em tudo, e corrup~ao:­
Comigo faze eterna habita~ao!
3 Vem revelar-Te a mim, Jesus! Senhor!
Mestre divino! Rei! Consolador!
Meu Guia forte! Amparo em tenta~ao!
Vem:-Vem fazer comigo habitacaol
4 Presente estás nas trevas ou na luz;
Nao há perigo andando com Jesus!
A morte e o túm'lo nao aterrarao
Onde meu Deus fizer habita~ao.
5 Ú morte! Em Cristo gozo a reden~ao!
Sepulcro, o pó verá ressurrei~ao!
No reino além nao há perturba~ao:
Herdo com Deus perene habita~ao.

43 (Música: S.H. 277; T.I. 121)


1 Sol da minha alma és Tu, Senhor:
Noite nao há se perto estás!
Dissipa as nuvens do temor,
E Te verei em calma e paz.

2 Sol da minha alma! ó meu J esus!


Revela a Tua glória a mim;
E recolhendo a pura Luz
Reflectirei seu brilho aqui.
31
3 Se a meus amigos for mostrar
Os frutos deste cora¡;ao,
Nao queira o espír'to se ufanar,
Mas louve a Deus com gratidao.

4 Se nesta noite um filho houver


Que a voz divina desprezou,
Opera nele com poder-
Na ovelha que se extraviou. 1'
5 Há muitos hoje em luto, em dor,
Em indigencia e tenta¡;ao ?
J
Consola, ajuda-os, Senhor,
E estende-lhes a Tua protec¡;ao!

6 Comigo o dia inteiro estás:


De Ti recebo todo o bem:
Comigo a noite passarás,
E me trarás seguro além.

44 ~Música: H.C. 244; T.l. 124)


É bemaventurado já
O crente no Senhor Jesus,
E satisfeito sempre está,
Andando em Sua santa luz!

Coro
Que satisfeito está!
Sim, satisfeito está!
Que satisfeito está,
Sim, satisfeito está,
Gozando paz e puro amor
Em seu bendito Salvador!
32
45 (Música: H.C. 440; T.I. 128)
Ó dia alegre em que J esus
Minh'alma para Si chamou,
E me fez ver, na Sua cruz,
O pre~o que por miro pagou.
Dia feliz! Dia feliz!
Em que J esus me perdoou!
2 'stá feita a grande transa~ao:
De Cristo sou, e Cristo é meu;
Amando-me de cora~ao,
Por Sua gra~a me venceu.
Dia feliz! Dia feliz
Em que Jesus por miro Se deu.
3. Minh'alma o seu descanso tero
No terno seio do Senhor;
Paz e sossego que provém
Do gozo do Seu santo amor.
Dia feliz! Dia feliz!
Em que encontrei meu Salvador!

46 (Música: H.C. 497; T.I. 129)


1 Oh! Que descanso em Jesus encontrei!
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
Oh! Que tesouros infindos achei!
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
Queiram os outros o mundo p'ra si;
Queiram riquezas, delícias, aqui;
Eu buscarei, meu Jesus, sempre a Ti!
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
2 Quer na afiis;ao, na doen~ ou na dor;
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
Quer na saúde, na for~a ou vigor;
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
33
Sempre ao meu lado, p'ra me socorrer
Coro Seu amor, siro, e coro Seu poder,
Em cada transe Ele quer me valer;
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!

3 No dia amargo de persegui\ao,


Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
Nas duras provas e na tenta\ao:
Cristo p'ra miro! Cristo p'ra miro!
Ele o pecado e o mundo venceu,
Quando por mim no Calvário morreu,
E da vitória a certeza me deu,
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra miro!

4 Quando no vale da morte eu entrar:


Cristo p'ra mim! Cristo p'ra mim!
Quando perante meu Deus me encontrar!
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra miro!
Só no Teu sangue confio, Senhor;
Só no Teu sempre imutável amor!
Inda outra vez cantarei, Salvador:
Cristo p'ra mim! Cristo p'ra miro!

47 (Mú.;ica: H.C. 342; T.T. 131)


1 Nao sou meu! Por Cristo salvo
(Que por miro morreu na cruz),
Eu confesso alegremente
Que perten\o ao bom Jesus.
Corú
Nao Sou meu! Oh! Nao sou meu!
Ó Jesus, sou todo Teu!
Hoje mesmo, e para sempre,
Ó Jesus, sou todo Teu!
34
2 Nao sou meu! Pois fui remido
Por J esus, que me comprou,
E confio em Sua gras;a,
Que minh'alma resgatou!

3 Jamais meu! A Ti confio


Tudo quanto chamo meu;
Tudo em Tuas maos entrego,
Meu Senhor, sou todo Teu!

4 Jamais meu! Oh! Santifica


Tudo quanto so u, Senhor!
Da vaidade e da soberba,
Livra-me, meu Salvador!

48 (Música: S.H. 136; T.I. 136)


Ouve! A voz divina clama,
"Quem irá a trabalhar ?"
Ricos campos nos convidam,
Hoje entremos a ceifar!
· Alto e forte o Mestre chama;
Galardao te of'rece ali;
Quem responderá, dizendo:
"Manda-me! Estou pronto aqui!"

2 Corre! Aponta aos pecadores


O benigno Salvador!
Vai! Conduze os cordeirinhos
Ao regas;o do Pastor:
Leva as almas doloridas
Novas de consolas;ao;
Vai! Publica a todo o mundo:
"Em Jesus há salvas;ao!"

35
3 Ah! Nao digas, ocioso,
"Eu nao tenho que fazer!"
Eis os povos que falecem!
-Multidües a perecer!
Olha o Mestre que suplica!
Ouve a voz chamando ali!
Oh! Responde, sem demora,
"Manda-me! Estou pronto aquí!"

49 (Música: S.H. 353; T.I. 137)


1 Quero estar ao pé da cruz,
Que tao rica fonte,
Corre franca, salutar,
De Siao no monte. ·
Coro
Sim,. na cruz, sim, na cruz,
Na cruz me glorio;
'Té que enfim vá descansar,
Salvo, além do rio.
2 A tremer ao pé da cruz,
Gras:a-amor achou-me;
Matutina estrela, ali,
Raios seus mandou-me.

3 Sempre a cruz, Filho de Deus,


Queiras recordar-me;
Dela, a sombra, Salvador,
Queiras abrigar-me.

4 Junto a cruz, ardendo em fé,


Sem temor vigio,
'Té que aterra eu possa ir ver,
Santa, além do rio.
36
50 (Música: S.H. 347; T.I. 151)
Eu recorro a meu Rei,
Por minha culpa expirou;
Por Sua perdida grei
Na cruz Ele Se imolou.*

2 Meu precioso Salvador,


Vivo eu junto de Ti;
Coro ternura, meu Senhor,
Oh! Protege-me a miro.*

3 Guia sábio e amparo


De minha alma imortal,
Oh! Concede-me o bem,
E preserva-me do mal. *

4 No celeste esplendor
Entrarei, meu Jesus,
Já passada toda a dor
Por Tua morte na cruz. *

5 Na pátria eterna!,
Me aguardas Tu a miro;
Tua presen'ra celestial
Gozarei feliz ali. *
*Repete-se no fim da quadra.

51 (Mú~ica: H.C. 448; T.l. 159)


1 Quando vos assalta alguma prova'rao,
Quando desfalece o vosso cora'rao,
Das merces divinas vos convém lembrar
E convém as ben'raos do Senhor contar.

37
Coro
Cada ben~ao nos convém lembrar;
As bondades do Senhor contar;
Ao somá-las, vemos, cada vez,
Quantas maravilhas nosso Deus já fez.
2 Andam vossas almas quase sem vigor ?
Tem chegado o dia de afli~ao ou dor?
Recordai as ben~aos recebidas já:
Mais da Sua gra~a Cristo vos dará.

3 Ben~aos tendes recebido cada dia,


For~as, amizade, gra~a, simpatia;
Mas ainda ben~aos de maior valor
Vos dará mais tarde o vosso Salvador.

52 (Música: S.H. 326; T.I. 162)


1 Ú vós que passai~ pela cruz do Calvário,
Podeis contemplar, sem a mínima dor,
Que, para livrar-vos do grande adversário,
Seu sangue inocente derrame o Senhor ?

2 Dum trono de glória celeste descendo,


Ele só procurou resgatar-vos a vós;
Pois ei-Lo em vosso lugar recebendo
Da espada divina o golpe veloz.

3 Por vós foi Jesus, com cruel zombaria,


Vestido, por homens, de manto real;
Espinhos, insultos, atroz gritaria,
Sem queixa sofreu do furor desleal.

4 Por vós, em horrível suplício pregado,


A ira divina Seu sangue ofereceu;
Por vós exclamou: "Está tudo acabado!"
Curvou a cabe~a, e humilde morreu.
38
5 Mirai-0 ! Pois ainda essas maos estendidas
Oferecem amor e garantem perdao:
Trazei pela fé vossas almas remidas;
No seio de Cristo achareis salva~ao.

53 (Músíca: S.H. 459; T.I. 165)


1 Palavra aben~oada!
Convite que contém
Promessa e cumprimento,
Com infinito bem.
Eis, cheio de ternura,
Jesus nos chama a Si;
Escravos do pecado,
Ele diz-nos: "Vinde a Mim."
Coro
Vin de, oh! vinde a Mi m!
Tristes, carregados,
Vinde, oh! vinde a Mim;
Fracos e cansados,
Vinde, oh! vinde a Mim!

2 Por que viver tao longe,


Dos bra~os de Jesus?
Por que vagar nas trevas,
Podendo andar na luz ?
Da vida sem proveito,
Da culpa e da afli~ao,
Corramos para a senda
Da eterna salva~ao.

3 Em tempos de amargura,
De desalento e dor,
Ou quando nos persegue
Doloso tentador,
39
Jesus, com voz maviosa,
Of'rece abrigo em Si;
E, dissipando o medo,
Segreda: "Vinde a Mim."

4 Em tudo e para sempre


Ouc;amos ao Senhor,
Achando doce alívio
No Seu profundo amor.
Assim conheceremos
O gozo que produz,
No corac;ao submisso,
O "Vinde" de Jesus.

54 (Música: S.H. 272; T.I. 167)


Ao NOME exímio de Jesus
Cantai, cantai louvor,
E vinde todos aclamar
O Cristo, o Salvador.

2 O Rei tem veste carmezim,


Traz ceptro de favor:
Sim, vinde todos adorar
O Cristo, o Salvador!

3 Mil diademas tem J esus,


Do mundo o Criador:
Anjos e homens! Glória dai
Ao Cristo, O Salvador.

4 "Ainda um pouco," e passará


O todo como a flor;
Mas os fiéis sempre estarao
Com Cristo, o Salvador.
40
55 (Música: S.H. 196; T.I. 168)
1 Triste estás ? Cansado, aflito,
Pol-re, e sem vigor?
"Vinde a Mim!", diz Um, que inspira
Paz e amor.
2 "Quais as marcas que me indiquem
Seu Real pendao ?"
Nos Seus pés, e maos, e lado
Chagas 'stao!
3 "Traz coroa de Monarca?
Opa de esplendor?"
Tem coroa de espinhos,
Sangue e dor.
4 "Se no meio de tristezas
Sempre eu for fiel ?"
Com Jesus terás morada
Na "Betel."

56 (Mú.ica: S.H. 503; T.I. 169)


1 Neste mundo sózinho,
Nao quero nem posso andar;
Pois eu sou tao fraquinho,
Nunca me posso guardar.
Mas Jesus vai comigo,
Sempre pronto a salvar,
Pois Ele mesmo promete
Que nunca me hií-de deixar.
Coro
Nunca me deixar!
Nunca me deixar!
Sim, Ele mesmo promete,
Nunca me deixar.
41
2 Inimigos mui fortes
Procuram minha alma perder;
Se sózinho andasse
Que poderia fazer ?
Com Jesus ao meu lado
Posso alegre andar,
Pois Ele mesmo promete
Que Nunca me há-de deixar.

3 Nas tristezas da vida


Nas dores e nas afli~oes,
E na lida do dia,
Nas provas, e tenta~6es,
Cristo sempre comigo
Vai para me livrar,
Pois Ele mesmo promete
Que nunca me há-de deixar.

57 (Música: S.H. 84;· T.I. 171)


1 Jesus, meu Senhor, vivia
Crian~a e menino aqui;
Ele em tudo Se fazia
O modelo para mim.
Reconhe~o com tristeza
Que longe sou de O imitar!
Malfeitor por natureza,
Sempre inclinado a pecar.

2 Eu, tao desobediente,


Mostro meu perverso humor;
Ele, humilde e paciente,-
Ele, meu real Senhor !
Quantas vezes eu procuro
Sómente o meu próprio bem;
Jesus, com trabalho duro,
Nos salvou da morte além.
42
3 Ocioso, descuidado,
Frouxo sou no meu dever;
E Jesus foi sempre achado
Santo em todo o proceder.
Dá-me fervente desejo
Do meu Salvador seguir
Pois na Santa Bíblia vejo
Como devo a lei cumprir

4 Jesus, meu Senhor, vivia


Crian~¡:a e menino aqui;
Ele em tudo Se fazia
O modelo para mim.
Ah! Jesus! Teu bom ensino
Eu sempre hei-de precisar;
Manda o Espírito divino
Minha vida a governar.

58 (Música: S.H. 307; T.I. 172)


Abaixo do céu, na terra habitando,
Acaso Te posso, eu, vil pecador,
Tao cheio sómente de vício execrando
Mandar-te, Jesus, bastante louvor?

2 Eu cada vez mais me sinto oprimido,


Porque como devo nao sei te louvar;
Porque, meu Senhor, me vejo remido,
Verteste o teu sangue p'ra me resgatar.

3 Recebe meu canto, bem fraco, bem rude,


Sincero tributo do meu cora~¡:ao;
Tu ésa Justi~¡:a, Bondade e Virtude,
Nao deixes louvar-te meus lábios em vao.
43
4 Da minha orac;:ao aumenta-me a crenc¡:a,
Escuta o meu canto, bendito Jesus;
Já que revogaste da morte a sentenc¡:a,
Recebe a minh'alma no reino da luz .

. 59 (Música: H.C. 504; T.I. 174)


1 Ao nosso Deus e Pai,
Do corac;:ao nos sai-grato louvor.
Ao Deus que nos amou
De modo que entregou
Seu Filho, e nos salvou-seja louvor!
2 Ao Salvador Jesus,
Que padeceu na cruz, seja louvor!
Seu sangue ali verteu
E a nós assim valeu;
Aquele que morreu-seja louvor!

3 Pelo Consolador
Que veio do Senhor-suba louvor!
Ao Pai que o céu abriu;
Ao Filho que Ele ungiu-
A Quem nos redimiu-damos Iouvor!

60 (Mú~ica: S.H. 446; T.I. 193)


1 Se eu pudesse celebrar,
Com bino digno e voz sem par,
A glória de Jesus,
Co'os anjos eu alternarla
Em doce e terna melodia,
Ao pé da Sua cruz.

2 Diria o sangue que verteu,


As dores que por mim sofreu
Maldito pela lei !
44
E cantaría em grato ardor
A majestade do Senhor,
Meu sacrossanto Rei.
3 Odia alegre chegará
Quando meu Pai me levará
Remido a Sua luz!
Ali, em mase de amor,
No céu eu cantarei melhor,
Salvo por meu Jesus!

61 (Música: S.H. 182; T.I. 191)


1 Jesus, Senhor, me chego a Ti;
Tua ira santa merecí;
Se nao me aceitas, ai de mim!
Oh! Toma-me como estou!
Coro
Oh! Toma-me como estou!
Sim, toma-me como estou!
Confesso-me réu,
Mas Cristo morreu;
Oh! Toma-me como estou!
2 Culpado estou e sem poder;
Perdao Tu podes conceder,
Morreste para socorrer;
Oh! Toma-me como estou!
3 Nada de bem se acha em mim,
Dos meus esfor~os breve há fim,
Mas salva-me, Jesus, e assim,
Oh! Toma-me como estou!
4 Tu sabes por Teu forte amor
Mudar-me em fiel servidor;
Oh! Serve-te de mim, Senhor,
E toma-me como estou!
45
62 (Música: S.H. 218; T.I. 194)
1 Tu, cuja voz soou,
"Fa~a-se a luz!"
Ouve-nos coro favor,
E onde Teu sumo amor
Nao brilha coro fulgor,
Fa~a-se a luz!

2 Divina luz do céu!


No mundo já viveu
Nosso Jesus.
Cegos ! Há claridao !
Ímpios! Eis o perdao!
Em todo o cora~ao
Fac;:a-se a luz!
3 Mestre Consolador!
Animo abrazador
E.m nós produz.
Paz, zelo, fé, poder
Sempre ansiamos ter;
Conforme o Teu prazer
Fac;:a-se a luz!
4 Supremo! Sem igual!
Trino e Um! !mortal!
Dá-nos a luz.
Pai! Santo é Teu amor!
Paciente o Salvador!
Temo o Consolador!
Fa~a-se a luz!

63 (Música: H.C. 16; T.I. 200)


1 Como foi que me salvei ?
Pelo precioso sangue.
Como paz com Deus achei?
Sempre pelo mesmo sangue.
46
CorC'
Oh, fonte sem igual
Que lava nosso mal!
Paz e perdao real,
Vemos nesse mesmo sangue.

2 Cristo fez a reden9ao


Pelo precioso sangue.
Podes alcan9ar perdao
Inda pelo mesmo sangue.

3 Ero Jesus há salva9ao


Pelo precioso sangue.
Paz e santifica9ao
Inda pelo mesmo sangue.

47
CULTO PÚBLICO

a
Todos os servifos devem comefar exactamente hora mar-
cada e todos daem ajoelhar-se em orafiio silenciosa ao entrar
no santuário.

l. Canto de um hino do hinário, ficando de pé.

2. Credo dos Apóstolos, ficando de pé:


Creio em Deus Pai, todo poderoso, Criador do céu e da
terra; e em Jesus Cristo Seu único Filho, nosso Senhor,
o qual foi concebido por obra e gra<;a do Espírito Santo;
nasceu de Maria Virgem; padeceu sobo poder de Póncio
Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; ao terceiro dia
ressuscitou dos mortos; subiu ao céu; está sentado a mao
direita de Deus todo poderoso; de onde há-de vir para
julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo; na
Igreja Universal; na Comunhao dos Santos; na remissao
dos pecados; na resurrei~ao do corpo; e na vida eterna.
Amen.

3. Ora~ao, concluindo com a Ora~ao do Senhor, recitada


em voz alta, estando o ministro e o povo de joelhos.

4. Hino.
49
5. Leitura do Velho Testamento, a qual, se for dos
Salmos, poderá ser feita responsivamente, o povo ficando
de pé.

6. Glória Patri, cantada estando todos de pé.

7. Leitura do Novo Testamento.

8. Anúncios e colecta.

9. Canto de um bino do hinário, fi.cando todos de pé.

10. Sermao.

11. Oras:ao, devendo o povo fi.car ajoelhado.

12. Canto de um hin9 do hinário, fi.cando o povo de pé.

13. Doxologia e a Bens:ao Apostólica (2a. Cor. 13:14).

50
SALMOS DE DAVID

Salmn l.
1 BEMAVENTURADO o varao que nao anda segundo
o conselho dos ímpios,-nem se detem no caminho dos
pecadores nem se assenta na roda dos escarnecedores.
2 Antes tem o seu prazer na lei do Senhor,-e na sua
lei medita de dia e de noite.
3 Pois será como erva plantada junto a ribeiros de águas,
a qual dá o seu fruto na estar;:ao própria,-e cujas folhas
nao caem, e tudo o que fizer prosperará.
4 Nao sao assim os ímpios;-mas sao como a moínha que
o vento espalha.
5 Pelo que os ímpios nao subsistirao no juizo,-nem os
pecadores na congregar;:ao dos justos.
6 Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; mas o
caminho dos ímpios perecerá.

Salmo 8
Ú Senhor, Senhor nosso, quao admirável é o teu nome
em toda a terra,-pois puseste a tua glória sobre os céus!
2 Da boca das crianr;:as e dos que mamam tu suscitaste
forr;:a, por causa dos teus adversários,-para fazeres calar
o inimigo vingativo.
51
3 Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos,-a lua
e as estrelas que preparaste;
4 Que é o hornero mortal para que te lembres dele ?-E o
filho do hornero, para que o visites ?
5 Contudo, pouco nienor o fizeste do que os anjos,-e de
glória e de honra o coroaste.
6 Fazes coro que ele tenha domínio sobre as obras das tuas
maos;-tudo puseste debaixo de seus pés:
7 Todas as ovelhas e bois-assim como os animais do
campo.
8 As aves dos céus, e os peixes do mar,-e tudo o que
passa pelas veredas dos mares.
9 6 Senhor, Senhor nosso, quao admirável e o teu nome
sobre toda a terra!

Salmo 14
DISSE o néscio no seu cora<;ao: nao há Deus.-Tem-se
corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras, nao
há ninguém que fa<;a o bem.
2 O Senhor olhou desde os céus para os filhos dos homens,
-para ver se havia algum que tivesse entendimento e
buscasse a Deus.
3 Desviriam-se todos e juntamente se fizeram imundos:-
nao há quem fa<;a o bem, nao há sequer um.
4 Nao terao conhecimento os obreiros da iniquidade ?-
Que cornero o meu povo, como se comessem pao? Eles
nao invocam ao Senhor.
5 Ali se acharam em grande pavor,-porque Deus está
na gera<;ao dos justos.
52
6 Vós envergonhais o conselho dos pobres,-porquanto o
Senhor é o seu refúgio.
7 Oh, se de Siao rivera já vindo a reden~ao de Israel!
Quando o Senhor fizer voltar os cativos do seu povo, se
regozijará Jacob e se alegrará Israel.

Salmo 16
1 GUARDA-ME, ó Deus,-porque f'm ti confio.
2 A minha alma disse ao Senhor: Tu és o meu Senhor,
-nao tenho outro bem além de ti.
3 Digo aos santos que estao na terra,---e aos ilustres em
que está todo o meu prazer:
4 As dores se multiplicarao aqueles que fazem oferendas
a outro deus;-nao oferecerei as suas liba~oes de san-
gue, nem tomarei os seus nomes nos meus lábios.
5 O Senhor é a por~ao da minha heran~a e do meu cálix:
-tu sustentas a minha sorte.

6 As linhas caem-me em lugares deliciosos:-sim, coube-me


urna forrnosa heran~a.
7 Louvarei ao Senhor que me aconselhou;-até os meus
rins me ensinam de noite.
8 Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim:-
por isso que ele está a minha mao direita, nunca vacilarei.
9 Portante está alegre o meu cora~ao e se regozija a mi-
nha glória:-também a minha carne repousará segura.
10 Pois nao deixarás a minha alma no inferno,-nem per-
mitirás que o teu Santo veja corrup~ao.
11 Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presen~a há
abundancia de alegrías; atua mao direita há delicias per-
, petuamente.
53
Salmo 19
1 Os séus manifestam a g1ória de Deus,-e o firmamento
anuncia a obra das suas maos.
2 Um dia faz declara.¡:ao a outro dia,-uma noite mostra
sabedoria a outra ñoite.
3 Sem 1inguagem, sem fa1a,-ouvem-~e as suas vozes,
4 Em toda a extensao da terra, e as suas pa1avras até ao
fim do mundo.-Ne1es pos urna tenda para o sol,
5 Que é qua! noivo que sai do seu tálamo,-e se alegra,
como um herói, a correr o seu caminho.
6 A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu
curso até aoutra extremidade deles;-e nada se furta ao
seu calor.
7 A lci do Senhor é perfeita, e refrigera a a1ma:-o testemu-
nho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices.
8 Os preceitos do Senhor sao rectos, e alegram o cora.¡:ao:
-o mandamento do Senhor é puro, e alumia os o1hos.
9 O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente,
-os juízos do Senhor sao verdadeiros e justos juntamente.
10 Mais desejáveis sao do que o oiro, sim, do que muito
oiro fino;-e mais doce do que o mel e o licor dos favos.
11 Também por eles é admoestado o teu servo;-e em
os guardar há grande recompensa.
12 Quem pode entender os seus próprios erros ?-expurga-
-me tu dos que me sao ocultos.
13 Também da soberba guarda o teu servo, para que nao
se assenhoreie de mim:-entao serei sincero, e ficarei
limpo de grande transgressao.
14 Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a medi-
ta.¡:ao do meu cora.¡:ao perante a tua face, Senhor, Rocha
minha e Libertador meu!
54
Salmo 23
O SENHOR é o meu pastor:-nada me faltará.
2 Deitar-me faz em verdes pastos,-guia-me mansamente
a águas tranquilas.
3 Refrigera a minha alma;-guia-me pelas veredas da justi-
~a, por amor do seu nome.

4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte,


nao temería mal algum,-porque tu estás comigo; a tua
vara e o teu cajado me consolam.
5 Preparas urna mesa perante mim na presen~a dos mcus
inimigos,-unges a minha cabe~a com óleo, o meu cálix
transborda.
6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirao
todos os días da minha vida: e habitarei na casa do Senhor
por longos dias.

Sa!mJ 24
1 DO SENHOR é a terra e a sua plenitude,-o mundo e
aqueles que nele habitam.
2 Porque ele a fundou sobre os mares,-e a firmou sobre
os rios.
3 Quem subirá ao monte do Senhor ?-Ou quem estará
no seu lugar santo ?
4 Aquele que é puro de maos e limpo de cora~ao,-que nao
entrega a sua alma a vaidade, nem jura enganosamente,
5 Este receberá a ben~ao do Senhor-e a justi~a do Deus
da sua salva~ao.
6 Esta é a gerac;:ao daqueles que buscam,-daqueles que
buscam a tua face, ó Deus de Jacob.
55
7 Levantai, 6 portas, as vossas cabe~as-; levantai-vos, ó
entradas eternas, e entrará o Rei da Glóría.
8 Quem é este Reí da Glória ?-0 Senhor forte e poderoso,
o Senhor poderoso na guerra.
9 Levantai, 6 portas, as vossas cabe~as,-levantai-vos, 6
entradas eternas, e entrará o Reí da Glória.
10 Quem é este Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos;
ele é o Rei da Glória.

Salmo 27
O SENHOR é a minha luz e a minha salva~ao; a quem
temerei ?-0 Senhor é a for¡¡:a da minha vida; de quem
me receareí ?
2 Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos,
investiram contra I1lim, para comerem as minhas carnes,
-trope~aram e caíram.

3 Ainda que um exército me cercasse, o meu cora~ao nao


temeria:-ainda que a guerra se levantasse contra mim,
nele confiaria.
4 Vma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei:-que possa
morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida,
para contemplar a formosura do Senhor, e aprender no
seu templo.
5 Porque no día da adversidade me esconderá no seu pa-
vilhao:-no oculto do seu tabernáculo me esconderá:
por-me-á sobre urna rocha.
6 Também a minha cabe~a será exaltada sobre os meus
inímigos que estao ao redor de mim:-pelo que ofere-
cerei sacrificio de júbilo no seu tabernáculo; cantarei,
sim, cantarei louvores ao Senhor.
56
7 Ouve, Senhor, a minha voz quando clamo;-tem piedade
de mim, e responde-me.
8 Quando tu disseste: Buscai o meu rosto;-o meu cora~ao
te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei.
9 Nao escondas de mim a tua face, nao rejeites ao teu servo
com ira; tu foste a minha ajuda,-nao me deixes nem
me desampares, ó Deus da minha salva~ao.
lO Porque, quando meu pai e minha mae me desampara-
rem,-o Senhor me recolherá.
ll Emina-me, Senhor, o teu caminbo,-e guia-me pela
vereda direita, por causa dos que me andam espiando.
12 Nao me entregues a vontade dos meus adversários;-
pois se 1evantaram falsas testemunhas contra mim, e os
que respiram crueldade.
13 Pereceria sem dúvida,-se nao cresse que veria os bens
do Senhor na terra dos viventes.
14 Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu
cora~ao; espera pois no Senhor.

Sa/m.J 30

EXALTAR-TE-El, ó Senhor, porque tu me exaltaste;-


e nao fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre
mim.
2 Senhor, meu Deus,-clamei a ti, e tu me saraste.
3 Senhor, fizeste subir a minha alma da sepultura:·-con-
servaste-me a vida para que nao descesse ao abismo.
4 Cantai ao Senhor, vós que sois seus santos,-e celebrai
a memória da sua santidade.
57
5 Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está
a vida;-o choro pode durar urna noite, mas a alegria
vem pela manha.
6 Eu dizia na minha prosperidade:-Nao vacilarei jamais.
7 Tu, Senhor, pelo -teu favor fizeste forte a minha monta-
nha:-tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado.
8 A ti, Senhor clamei,-e ao Senhor supliquei.
9 Que proveito há no meu sangue, quando des.¡:o a cova ?
-Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua ver-
dade?
10 Ouve, Senhor, e tero piedade de mim,-Senhor, se o
meu auxílio.
11 Tornaste o meu pranto em folguedo;-desataste o meu
saco, e me cingiste de alegria:
12 Para que a minha glória te cante louvores, e nao se cale:
Senhor Deus meu, eu te louvarei para sempre.

Salmo 32
BEMAVENTURADO aquele cuja transgressao é per-
doada,-e cujo pecado é coberto.
2 Bemaventurado o hornero a quem o Senhor nao imputa
maldade,-e em cujo espírito nao há engano.
3 Enquanto eu me calei,- envelheceram os meus ossos
pelo meu bramido em todo o dia.
4 Porque de dia e de noite a tua mao pesava sobre mim;-o
meu humor se tornou em sequidao de estío.
5 Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade nao en-
cobri;-dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas trans-
gressoes; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.
58
6 Pelo que todo aquele que é santo orará a ti, a tempo de te
poder achar:-até no trasbordar de muitas águas, estas
a ele nao chegarao.
7 Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da
angústia:-tu me cinges de alegres cantos de livramento.
8 lnstruir-te-ei e ensinar-te-ei o caminho que deves se-
guir;-guiar-te-ei coro os meus olhos.
9 Nao sejas como o cavalo, nem como a mula, que nao
tero entendimento,-cuja boca precisa de cabresto e
freio, para que se nao atirem a ti.
lO O ímpio tero muitas dores,-mas aquele que confia no
Senhor a misericórdia o cercará.
11 Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós os justos;
e cantai alegremente, todos vós que sois rectos de corayao.

Salmo 37
1 NAO te indignes por causa dos malfeitores,-nem
tenhas inveja dos que obram a iniquidade.
2 Porque cedo serao ceifados como a erva,-e murchari'i.o
como a verdura.
3 Confia no Senhor e faze o bem;-habitarás na terra, e
verdadeiramente serás alimentado.
4 Deleita-te também no Senhor,-e ele te concederá o que
deseja o teu cora~ao,
5 Entrega o teu caminho ao Senhor;-confia nele, e ele
tudo fará.
6 Ele fará sobressair a tua justi~ como a luz,-o teu juizo
como o meio-dia.
59
7 Descansa no Senhor, e espera nele; nao te indignes por
causa daquele que prospera em seu -caminho,-por causa
do homem que executa astutos intentos.
8 Deixa a ira, e abandona o furor;-nao te indignes para
fazer o mal.
9 Porque os malfeitores serao desarreigados;-mas aqueles
que esperam no Senhor herdarao a terra.
1O Pois ainda um pouco, e o ímpio nao existirá;-olharás
o seu lugar, e nao aparecerá.
11 Mas os mansos herdarao aterra, e se deleitarao na abun-
dancia de paz.

Salmo 39
EU disse: Guardarei os meus caminhos para nao de-
linquir com a minha língua:-enfrearei a minha boca
enquanto o ímpio estiver diante de mim.
2 Com o silencio fiquei como mudo; calava-me mesmo
acerca do bem;-mas a minha dor se agravou,
3 Incendeu-se dentro de mim o meu coras:ao; enquanto
eu meditava se acendeu um fogo:-entao falei com a
minha língua. Disse:
4 Faze-me conhecer, Senhor, o meu fim,-e a medida dos
meus dias qua! é, para que eu sinta quanto sou frágil.
5 Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da
minha vida é como nada diante de ti;-na verdade, todo
o homen, por mais firme que esteja, é totalmente vaida-
de.
6 Na verdade, todo o homem anda como urna sombra; na
verdade em vao se inquietam:-amontoam riquezas, e
nao sabem quem as levará.
60
r
7 Agora, póis, Senhor, que .espero eu ?-A minha espe-
ran~ta está em Ti.

8 Livra-me de todas as minhas transgressoes;-nao me fa~tas


o opróbrio dos loucos.
9 Emudeci; nao abro a minha boca,-porquanto tu o fizeste.
10 Tira de sobre mim a tua praga;-estou desfalecido pelo
golpe da tua mao.
11 Se com repreensoes castigas alguém, por causa da ini-
quidade,-logo destrois, como tra~ta, a sua beleza:-de
sorte que todo o homem é vaidade.
12 Ouve, Senhor, a minha ora~tao, e inclina os teus ouvidos
ao meu clamor; nao te cales perante as minha lágrimas,
porque sou para contigo como um estrarlho, e peregrino
como todos os meus pais.
13 Poupa-me, até que tome alento, antes que me vá, e
nao seja mais.

ORAc;A.o DO SENHOR
Pai Nosso, que estás nos Céus, santificado seja o Teu nome;
venha o Teu reino; seja feita a Tua vontade, assim na terra
como no Céu. O pao nosso de cada día nos da hoie; e per-
doa-nos as nossas di·vidas assim como nós perdoamos aos nossos
devedores; e nt1o nos deixes cair em tentafiio; mas livra-nos
do mal; pois Teu e o reino, o poder, e aglória, para ~emPre.
Amen.

61
Hinos em Portugu2s com música no Hinário Xitshwa

Guia:- S. H. -Salmos e Hinos


H. C.- Hinos e Canticos
C. N. - Cap.tic os do N ata!

Xitshwa Portug,J.es: Xitshwa Portugués


1 2 ......... S.H. 304 33 92 ......... S.H. 57
2 4 ......... S.H. 350 34 .. .. .. .. . 93 ......... S.H. 269
3 . . .. .. .. . 5 ......... S.H. 365 35 ......... 96 ......... H.C. 471
4 ......... 6 ......... S.H. 137 36 ......... 97 ......... H.C. 547
5 ......... 7 ...•..... S.H. 75 37 ......... lOO ......... S.H. 523
6 ........• 9 ......... H.C. 88 88 ......... 104 ......... S.H. 542
7 . . . . . . . . . 11 ......... S.H. 588 39 ......... 109 ......... S. H. 579
8 .. .. .. .. . 14 ......... S.H. 580 40 ......... 110 ......... S.H. 403
9 ......... 16 ......... S.H. 139 41 ......... 116 ......... H.C. 409
10 ......... 18 ......... H.C. 406 42 ......... 120 ......... S.H. 222
11 ......... 19 ......... S.H. 134 43 ......... 121 ......... S.H. 277
12 ......... 20 ......... S.H. 66 44 ......... 124 ......... H. C. 244
13 ......... 25 ......... S.H. 216 45 ......... 128 ......... H.C. 440
14 ......... 28 ......... H. C. 302 46 ......... 129 ......... H.C. 479
15 .. .. .. .. . 35 ......... H.C. 456 47 ......... 131 ......... H.C. 342
16 ......... 37 ......... H. C. 8 48 ......... 136 ......... S.H. 102
17 ......... 38 ......... S.H. 168 49 ......... 137 ......... S.H. 353
18 ......... 49 ......... H. C. 97 50 ......... 151 ......... S.H. 347
19 ......... 50 ......... S.H. 363 51 ......... 159 ......... H.C. 448
20 ......... 56 ......... H.C. 535 52 ......... 162 ......... S.H. 326
21 ......... 81 ......... S.H. 365 53 ......... 165 ......... S.H. 459
22 .. .. .. . .. 65 ......... S.H. 452 54 ......... 167 ......... S.H. 272
23 ......... 68 ......... S.H. 241 55 ......... 168 ......... S.H. 196
24 .. .. .. .. . 69 ......... H.C. 337 56 ......... 169 ......... S.H. 503
25 ......... 71 ......... S.H. 52 57 ......... 171 ......... S.H. 84
26 ......... 75 ......... S.H. 221 58 ......... 172 ......... S.H. 307
27 ......... 79 ......... S.H. 140 59 ......... 174 ......... H.C. 504
28 ......... 80 ......... H.C. 312 60 ......... 191 ......... S.H. 182
29 ...... 84b ......... C.N. 12 61 ......... 193 ......... S.H. 446
30 ......... 86 ......... H.C. 313 62 ......... 194 ......... S.H. 218
31 87 ......... S.H. 17 63 ......... 200 ......... H. C. 16
32 .. .. .. . .. 88 ......... S.H. 551