Você está na página 1de 3

TRABALHO SUBSTITUTIVO

Semana 1 (Aula 1)
24/junho (terça-feira) - 19:00h
https://ide-fgv-br.zoom.us/rec/share/2_BTf-
7b5D1LYYHEw3mPeaogRoj3X6a803dM_fNbmgy8PiYeGjLu63S9Mj19g3M

Disciplina: Gerenciamento de
Módulo:
cronograma em projetos

Aluno: Jean Erik Araujo da Silva Turma: 03

Tarefa: Trabalho substitutivo à ROL da Semana 1

Um gestor de projetos que não consegue gerenciar seu próprio tempo, não consegue
gerenciar o tempo em seu projeto.

Podemos gerenciar o tempo, mas não temos domínio sobre o tempo. Temos que ter a
habilidade de colocar as atividades no tempo para chegarmos ao cronograma.

É importante gerenciar o tempo porque este é um recurso escasso e precisamos gerenciá-lo


para aproveitá-lo da melhor maneira possível.

3 Pontos importantes para o gerenciamento de cronograma:

Organização

Antecipação

Investigação: investigar para maximizar os resultados bons e minimizar os resultados ruins.

Quem sabe o porquê das coisas, faz melhor.

Analisar dados é saber observar. Quem não tem informação não observa. Quando você vai por
exemplo para uma obra. Se você não tem conhecimento de obra, instalações, você não vai

1
observar as amarrações das ferragens das estruturas, não vai observar se a tubulação de
hidrantes está com suportes corretos. Quando você observa com conhecimento, você percebe
as coisas que estão ali.

O último passo é intervir: tomada de decisão.

Reunião: Deve ter preparação, saber com quem conversar, o que irá buscar na reunião.

Plano de gerenciamento do cronograma:

É onde fazemos a “Definição das políticas, dos procedimentos e da documentação para


planejamento, desenvolvimento, gerenciamento e controle do cronograma do projeto.”

Define as diretrizes, as regras do jogo para gerenciar o cronograma ao longo do projeto.

Pontos chave:

1. Nível de precisão (depende das premissas e restrições)


2. Unidade de medida (horas, dias, semanas e meses)
3. Modelo de cronograma
4. Controle de limites e desvios: muitas empresas estão colocando no contrato multas
para não atendimento de prazos. Tendo isso em vista, deve-se tomar, claro, muito
cuidado com os prazos, mas também registrar por e-mail todos os atrasos que não
sejam de sua responsabilidade. Por exemplo, em obras, se eu sou de uma empresa de
instalações, grande parte do meu escopo depende de liberação de áreas pela civil,
caso a civil atrase seu cronograma, todo o cronograma sofrerá impacto. Nessa
situação, muito provavelmente nosso cronograma também sofrerá impacto. Existem
duas possibilidades, mudar o planejamento para continuar atendendo ao prazo,
aumentando equipe ou aumentando horários de trabalho, o que acarretará aumento
nos custos, e repassar estes custos para o contratante, ou manter o planejamento de
equipe e registrar que os atrasos são consequência do atraso da civil. Do mesmo
modo, aumentando o tempo, aumentará o custo, sendo providencial registrar tudo,
para posteriormente apresentar os custos desse atraso ao contratante e “brigar” por
um adicional no contrato.
5. Regras para medição de desempenho
6. Formato dos relatórios

No plano de gerenciamento de cronograma deve constar:

1. Formato para o desenvolvimento do cronograma


2. Ferramenta a ser usada: exemplo, MS Project, Primavera
3. Nível de precisão exigido: reservas de contingência não existem mais, o GP que conta
com reserva, não domina seu projeto. A não ser que seja transparente com o cliente,
contingenciamento de 10% é de risco, se não acontecer, não será cobrado.
4. Unidade de medida: horas, dias, semanas, meses
5. Metodologia e procedimentos para utilizar, controlar, gerenciar mudanças do
cronograma:
a. Quem pode atualizar?

2
b. Com que frequência?
c. Como será feira a atualização?
d. Como será feita a distribuição das informações?
6. Identificação de medidas de performance: exemplo, regras para medir o percentual
completo

Estrutura do plano de gerenciamento do cronograma:

1. Modelo para desenvolvimento do cronograma do projeto


2. Nível de precisão necessário e unidades de medida que serão utilizadas
3. Processos para definição e manutenção do cronograma
4. Regras para medição de desempenho
5. Formato de relatórios

Você também pode gostar