Você está na página 1de 7

.

VENTO
. ·..
·.~

\
PORANDRÉ BORGES tOPES


. ~

, , r
;~Ó esCondida _no cemitério p~testante dp Reden~ Em 1g.19, estayade volta·a~ '8iasil, agora com m1l:. êharlotte floover. Des- ·
tor, na capital pl).ulista. há ún1 túmulo disereto com sa vez, ~colheu
...
m~rif.em ~~-Paulo. ozi:de.se~·pÀtno -~·côl)Sul aos EUA
.. • ,· • f, • • •

ó. nome do ameriéano Orton William Hoover. Ali . Pegou no bàtente c9rno representante' comercial 'dGs aviões 'Gúltiss. Era um
• • . •• 1

···estã!J, desa~ 1958; osTesios de um dos mais impor- . vendedÕr marqueteirt>. Por trê~ meses, o am~cano ~pát\ço; Q<>a'..pqrta,-e
' .. ~ . ·.~ .
, . ·_ e menos IEJ!IIl'b.rados- piqn'eiros da !lviar;io conve"rsaáor levou autoridadeS, polí!]cos e jornalistas para passeai
pelos céus ·
. ~- Nã6 há qu;llq~ei homenagern na.lápi.d~. Naria 'a. estranb:a.r. Pou- de São PauÍo ~ Santós. De graça-. evidentem~te. Sempre que .possíveÚn)iuía
'1-\• ~~~~ ~ que,:~1ongo' da prllneir.rmetade d? século pa5sado,_·não · nos passeios~~tas àa.sociedade, seduzid~_pelos olhos~ db ~e ·

' foi rt\ecânk~ d~ ~õe~; .ror


' hmwe setotdâ aviação ~ional ~ que Hoover:não tivésse a~sado: Ele
t;las prin'l~ ~colas 'militares~e aviação,
·:tdobatá !lé~ (â.õs mefu~res!), lJÍoneiro dos voos ~ticos, pilato.de com-
pela emoção da aventura âérea. . ,•.
O lobby deu resultado. Além de ganhar státús de cel~bridad~ ~os jo~. ·
~Vér ~nvenceu;o governo estadual; adquirir seis á~õés de ~E!nto
• ·•...

\ b~te ~duas ~luções, )n;odutar da co~trução aeronáuticapo pais e en- ' JN-4 Qenny) e três .Oriole; ·~e 'maibr porte. De lambugem, ainda~~
.• . ·~ . . •. . ... .
~ias_ta.d~~viação comerdal É,[lreso pplí~co ~or_duas vezes. 1 'r·., : em.prego e~ p~~te honàiirla d~ ~~r. para co~~ ~~~&,cola de
H~\rer Chegou '.ao Rio . :: .. ··"·' '· · · ~ : · AviaçãodaForçaPUblka. ~brião
, de Janeiio~~ 1916. y~~~
an~: o javem de Fairmount
f'OLHA DA MANHA dà~turaPo~~a.~~);F~iH~- .
. ~que{l'l·pilotQUovoo'de,inaugu-
Suta·hha, 1 S tia Sete• h• ti• I t35
indiana. ,vínha çom a fumá de ··
·ração das i,nstalações da escÔla n~
·
, sér.. ~Cios ~eJhgr~ mecâ- · O PRIMEIRO AVIÃO CONSTRUIDO EM SAO PAULO 'CainpÕ de..Mar:te, o novo.a~ódro-
. . " , . . .
.nicos da :.Curt:i$s Aemplane f. búciatin da "Empr... Amulltica lpiraap" - S.. aiiCCediclu u ftP'" mo.da capital
, ~· Moto~. Acompanha~ trêll rieaciu laoat•• reüudu O ~~íasmp ~- ~vemo
hickoaviões -o~ chainados P> paulista, poréin;
. durou
. poucÔ,Jlara
. ' ":'

. -Boats -adquiridos pela Ma- piorar, Hoover teve pn.:>blemas co.m

.rinha _b{8Si].eira.
. Explica-se: um cium~to ofi~ di.re!9r. Re-
-~~ e .·exércitos come-. sultldo: no segúndo semestze de
. ._ . . . .
~·.
·.. ~·
çavani então a ro'ontar. arm~ 19_20, j,ed:iu.d~são e ni~ntDuem

.~ ~viação~de~d~.~-. N,o . São Pa\.tlo, com apoio da ~s. a

-
~iasil, apritnilzia cQube à Ma-
.. ... t
primeira escÔla c!vil de avia,ção do
· ~a·d~ Gti~•. q_~e. há ~ Brasil D~~ o ano de 1921, num
séculà; ~dava sua Eséolã de ~po- de pouso construído . ~o
AviaçãoNaV<!l ·· g bairro de lndiar)ópolis (hoje, re- .

~~~ u'm~proó~: ., ~
_ Só
nao ex:IStlam mstrutores. ~ . . _.,_ ____ ,__ . a.c..,--~·-.-
gião de Môema), a Escola Curtiss
d~ Aviação concedeu brevês a um ..
"'~-lll!lll•••••••••••••••••••••••l
pequeno número de pilotos civis, a
Hoover se ofereceu. "Foi-urna
loucura: eu rtãp, fàlav;l po~..' O mo~plano EAY- 10 1, criado por, Hoover, deu orlge111 ao Paullst lnha maioria vinG\_a da aristocracia pau-
guês, eles não falavan) inglês", . lista. As dificuldades eram imen- ·
costumava contar. M~ -~bía piloiàr aViões havia quatro' anos e já particiJ?a:a ~.' Em entrevista ao jornal Correior/a.Manhã, Hoover queixava-se da falta de
de trav~ías. Na ~ta de altématiVas, o mecânico ianqué tomou-se instrutor <!poio oficial: "O govem~ não facilita nada", lamentou. "Um aparelho 'me
.,. .
sài·
da primeira tunna de pilatos 'n!ivais. Dattdessaépoca sua aproximação com na Alné_J:ica do Norte por cerca de 63 contos. Só de imposto a ~dega I~
~ Sant.Qs-Dumont 27. Não é possível dar um cutso de aviação a preços leves:·
Com a ên~da d~s.Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial, Hoo":er
retorno11 a·seu país. 'Tomou-se instrutor civil pãra·a aviação do Elrército, no AS4S ABERTAS SOBRE A ~)'ANA~RA
Texas. Sua uniaa'de
J
~ormava pilatos de bombardei(5, ~ H~~ dese~~6lveu:·
• , • (
Com o Brasil prestes a'completar 100 anos como nação independente, o

. .
um grande talento para vooS'ri'otumos. Aproveifou.atemporada pal'á casar-se
'
gove!pl:> federal decidiu comemorar a data com gJ:andiloquência: Surituosas
com Ull1Jl bela jovem de IOWÍl,nove anos mais nova. obras.foram construí'das no Rio para a Exposi~ão lntemaciÓnal do Centénário
r

'.
AVISO AO PUBLICO
O aviador aort-erleaao Orton w.
Hoovet avia\
ao p~o do JUo ele Janeiro e do Interior do palz qat
Com séus ...un~s.(1920), e v anúncio dos voos abertos ao 'públlco (1922) ainda contlnúa a realizar p aueloa eereoa aobre a ma•

. ", '
,J •
; --:.

.•, . - .. •Difh:a bahla de GuiiÜara o a ao... beiJa ddade,
partiMo da m - eataç.lo onde ae IIUinteve daraato
;~~ Indepéndên~ O~mposo evento;:inaugurado em i de setenibro dé 1922,
'\ •· o ~. a Ellpoa&sao da CeatenariDo O pre\\o de cada ucaralo
aerea 6 de 100$000 e oa v&oa aerio fcltoa aoa Salt•
esteve a~ a(}público ao l~ngo de seis me5es. Além do Brasil, 14 paíSes de i badoa, Domla•o• o dlu fo rladoa, a parUr du dez llo-
ru da maobl.
"ires ~~~entes exibiram. suas atrnções ~ ~a$Ílliões 'Ião logo Hooverobte- a
2
.ve a cón~essão paramontar:nn serviço de p~seio~ aétios ~~que d; expo-
..... ... .
· sição, viajou aos EUA para buscar dois hidroaviões. · · .
.. ·.. . , .
··
, .
~----------------~~.
·· do Exército 'e da.Força Pública ~formou a capital paulista n'ul)'la praça de

, Como·preVisto, a exposi(;âo foi um sucesso dd


. público. Ainda
. assim, os . guerra por.~3 di~. abm_a cidá.~e ~~bardeada·pela anilharia e po~a\r:iões
~ . vbs>s pUotados por Hoover e seu conterri41~ F~d Espe'r .su~ as ex- legalistas, àstrop~ rebcldesüâeradas pelo generalTsiaorb Di~ Lo~s se.reti-
. .' ,
pfiçtativai Galilhtes, os dois americanos p~over.frn ~·'concurso para . ~ para o interior do estado. Em outubro, houve o levante das ~ções
escolher~s nomes das aeronaves. Detalh~: só mulheres podíam participar. do Exército em Santo Ângelo, Rio Gr.u:td~ do S~. liderado pelo capitão Luís
A'ienced~ra ~ou.com~ prêini? ~ ~ pclos Carlos Pr~stes. As tropas· rebeládas re~-~
are ;,pilÓtado pela dupla, Ao final, mais de 3 mil
. ., . •. . ~
com os pa~ em F'oz d~ Iguaçu, n~ Paran~ e
pessoasfçram aprelien~áos "p~ei.os,aéreos Em 1922 e no ano d_erarn início a um movimentó d~ gueijllhas contra
. . .._. .
sobre a magnífica bafa de Gu:mabara. e· ;Í nos,sa ~ o gõvemó fecle!fll do presidente Arthur :Bernar-
seguinte, Hoover e seu . . : . . •):
bela à~·: Termin~da a expçsiç,lo, foi tu a d~- .-
\ ...

. . . des, que durou dois anos e ncQU CQnhecido corno

.Pre~. Em solidariedaae ao'~·revoltosds


... manda. :!1Uf floover mariteve o serviço por maís
. .
conterrâneo Fred Esper ! Cohma
- ~

, noveme5es, cõ'm voós nos fuis de semana eferia- do ExércitO, oficiais da Ma~. rebe.laniln-se no
'"' ... ' ... . .. levaram mais de 3 mil
o
dos. luerativo negócio ;endeu fàmília I-loover a encouraçado São Paulo e~ dó-lUo. de-fanei'- ·
~

prus, ~. s~ c~
• • o •

algumas seÍt)anas, d~ '1üxo. no recé:"-inaü~do pessoas para sobrevoar a . ro em direção ao sUÍ do


• I

Qipacib~ Nace I! orna lo~ estada nos·EUA baía de Guanabara juntar-se ao movimento, se eicilararn em~ntevi- .
. . ·, . •'
Além: de Orto{l · e Charlo.tte, embarçaram p~ · déu, Úiuguai. O c~pitão Protógene~ G~es -
. Nova Yo_rk ~filha Pauli(, de 3 an?s, e o bebê órtõn ~-~efe de Hoaver na ~viação. Naval -; foi preso, .
Jr - o casal ainda teria uma .m.'enina, Shirley: DoiS ·acusado de ser um dos líderes da ~êi~. .
anos-.depois, ainda nos ~A, veio a tragédia. O~n jr fo(a~opelado por um ·
~

A a~t:àção político-militar animou o governa estadual paUlista ~ reat:iv:u


caminhão. Não iesistiu. A dor e a d.istâricia 'afastaram o pilot:o da agitação
... sua for~ aérea. E e~.q,ae,,rii:r~ci~ de'~g2s; HáQ~ estava dewltã.ao Brasil,
• o • ••• . ...

política que sacudiu o Bnisil enug24 e iria ter grande influência em sua vida' ·con'VÇ>Cado. a re~simllr o posta de.inst:rutor·na Força Pú):>lica. Os ve1hos treina- .
.No irúcio de j~o d~ele ·an~. 'wn levante de rnilib.r~; "tenen~" dores Curtiss JN foram reformados e alguns poucos aviões de combate acaba-

102 PRES IDENT •• ·'""


.. -~"}.
.r

'•

.:
ram àdquiridos às préssas,Entre eles, um Hu.ff-Daland Petrel batizado d~.- .Uber:iba (MG), onde Hoove::aJ?tóveitou o do~ de'·sol para assombrar os.
. . ,,... ." ...
guera e um s'4<orsky S-JI, o.Rilposo, prestaVll!ll homenagem à saga'bandeirante. morado~ com~ _;Wôiad!'exlbição:de atrobadasnó ar: Como pe ~!to, s~

. '
jamais s; ~queceÍ4o mar.k~g.l~~para vo~ Políticos loea:js; Criadores de
AVIÕES ASSOMBRAI!"' _O SERTÃO •. zebu-e-claro -·a.jovem ~ad;l do dono do principal jo~ cb: sida.de:
A Cot~Prestes &~a perambulando pel~ sertões d9Brasil e, 1'\o início Na nianhã de 31 de agosto, Cf!ltenas de pessoas se áglomeÍavam para ·
de 19~~, o go;emo federal. pediu ajuda aSãofaÜlo: que ~vi~u do~batalhões assistir à ~da d~ esguruhão bandeirahte ~o a Áraguari. (M~. !.J!>rro-
~ . .. . . ~ • ~7 • ~ '; . •

dê,Ai.nfiupria
.. ,
da, Forçá Pública ao norte de Goiás. Em seu apoio, partiu no mês
o o
rizados, viram quando o Jenny de Edmundo Chantre sofreu uma pam; logo
de-agostoiuná.peq~eim ~quadrilha.liderada por Hoover élEvando SeUs novos . após a Q.ecolagém. O avião c~u ~~ ~ico, mal:ç)u o ~o~ eferfufeío o te~nte
. . -. ·.. " ~ . / : ";

pupilos na. Escola de Avia~o: os te,nentes-àviadore~ Edmundo ClÍa~tre,Naul Antônio Ltma- H0011er não aguentou - teve uroã cnse:nervos~ E! precisou ser.
· •Azeyêdó, . tÔniol.ima ~João Negrão. Negrão ficaria célebre no ano st!glÜJ1te m~Càdo. Aesq~.s:guinpara.G~ de~da. ~m-mês d~,oRa­
'·. 'com~,CQpiloto do hidroaviãoftmu, ao atrave~sar o Atlântico Sul. poso se acidentou,11~ imedjaqaes·de Ipahlerl (GO} ao voltar de l:lffia'inissãp.
· ~de São Paulo, o p~o~de vpo dos ~edicionários pÍ:~a. diversaS H~ver, t;~o m'ánche do.,à~ãó:Qhegou a s~r dado pel;l im~rensa.Ço~o morto
escala,;~ Em Ribeirão Preto (SP),.um.dos C~s";,~.~1Iéu um aci4e.nte no pou- . nô d~6i <).~ofa~'água. No C~e~s~, a opoSição ao'pi~~entêArt;hur
....._
soe o tenente Chantrefi~oll'ésperando'por reparos-~ colegas segtliraJll para
.. . . . ..
Bernardes tqmou-se implácável: como
. . .,..-;
... ameócano,
. ·Hoovér
\ . .,
jamros
. poderia .~

..

os BÓLIDOS PROJEIADQS
. .. PELO GRJNGO
.
BIPLANO-ESCOLA SÃO,.PAULO : EAY- 2.01 IPT- "0 BICHINHO"
.
Projetado e co"!struídcrem (918 nas Apresentado em 1935, era utn monopJano Um monoplano acrobático d~ asa baixa,
oficinas de manutenção do Campo de de asa alta, cabine fechada com dois para um tripulante, com estrutura feita
Marte, o ~ão Paulo era u~· blplano de lugares, estr!-'tura de madeira' e aço, de madeiras nacionais e asas elípticas. Foi
\ftstrução para dois tripulantes: Equipado cobertura de tela e contraplacado, desenvolvido no Instituto de Pesquisas
com um motor Inspirado no projeto do Taylor_Cub Tecnológicas de São PaÚio. O primeiro
. radial Velle de 5 cilindros
.
e 65 HP, atingia 144 km/h. Acidentado americano. Concebido como um prot6tlpo, apresentado em 1938, tinha
em 1930, foi reconstruído com ' .treln,ador pr:imárlo, usava um motor motor c,hecoslovaco Walter Hlkron de 60
aperfeiçoamentos e .um motor Le Blon~ fra,;cês Saimscm de. 40 HP e hélices de HP e atingia 240 km/h.
. madeira de p~o fixo, Aperfeiçoado por
e
~om~u Corsl;;l com oova l'nótorlzação,
• deu orJgem ao CAP-4 Paullstinha. '
/'

06 . 26.1,6 lll PRESIDE T 1 03.


.'

VItória de Vargas, a aviação estadual foi extin-


-~. seus aviões confiscados pelo govetno fede-

ral, e Hóover passou alguns dias ~o xilin4ró.


Libertado, ele retomou o qabalho de instru~r
da aviação civil e, em 1931, tomou-se sócio de
Henrique b~mont Villares (sobri.nho de San-
tos-Dumont) e Fritz Roesler na Empresa f\e:_
ronaútica"(piranga (EAY), para a qual ptojetou
e construiu planadores. Entusiasta do levante
paulista de 1932, o a~erié'ano ainda colaborou
na montagem de uma aviação de combate para
os constitucionàlistas - enquanto dona Char-
lotte se alistava como erifermeira voluntária no
- ""
U,;, retrato ao lad~do Slkorsky.S- ll. Co-tn d l'reito á autóg~afo IIEI'tlbouçAo 1-losp~tal Mackell2i~.
. .
i. Usando os contatos de Hoover nos EUA;_o
atuar erÍI.combatês..,JA missão.. foi-cancelada e os aviões rem~centes
• # •
regres-

governo do es?do comptou dez modernos Curtiss_Falcon. Thlzidos clan-
·: }.;'
... -;, lf;
\;~
~,. · ~.•· ,com~o9vet'a~;isferidoleve~ent~.Amesmasortepâo~eosinis~
.. (' .:·. •
des~amente do Chile, não bast:arartr para impedir ~ deÍro~ militar dos
~" ' · o Rap(Jso. Em)J9l'Càdo .num trem dà.Mogiana pam n:paiQs em São Paulo, cónstitucjonalisbs. Hoovei, que havia participado de missões contia na-
·.
ínçendi~-~e
.•. . CQJ'i} as fagwbas da locomotiva
. .ê queinlOu
'
até o fim. vios aa Marinha na f\'onteira d? Mato GrÓSS<? ~om o Pai-aguai, arnargo\L
":-' nova temP.orada na prisão: Graças aos esforços da diplomacia ~ep.c:ma e
DUÀ$ BEvowçõEs: DUAS DER~in-~s às a1)1izâçles ihfluentes -o ex-colega Protógenés haVias~ tõ~o ~stro
os s~tes, ii ·ForÇa Pública promo~eu a_·construção de campos
• Nos an_ .. da Matinh:t do governo Vargas - ,'!!osso herói acabou depm;ta~o ~ara úm
· de ;pouso ri~ interior pa~tl!v mas a escas~ez d~ · . . brevi: refúgio n~s EUA. ....
·'
·• ~os e o· envelhecimento das àeronaves.~bm- ·
• • .:.. • • J.' ~

. ~um w'eço alto em vidas. Na volta de unia.via- Em 1938, construiu o CONSTRUToR DE AVIÕES

ID!J. Hoover
gem.aa escapou no.vamente d~ morte D~ vol~ ap Bras~, ele retbmou seu' t:Íabalho
. ' .· primeiro avião totalmente (
~o lj\dão que pÚota~, em p~e, o obrigou a ~ desen~lvimen~ de planadóres' e aviées. ~
. umP,pusÓ aeemergênciâ nas proxitnidaéles P.e Ni- brasileiro. Mais tarde, se 1935; sua empteSa aprésentou'o EAY-~d1: mono- .
,. - '· I. . .
lópolls, n~.B~ fl~w: A imp~ opo~ "'
tornou um entusiasta . alta para dois trip~.
p)ano de asa . com um
;

sicionistadenunciava que os br:lYOs pilotos p;t~;:


.. .~ .:- . ~·
mo~r rádi.~ ~ Salms?n de 40 &.: Ãrsar de
~ariis-cahm as vidas ern "c~os voadores".
• ,. j •
do transporte aéreo • , tet!jido te~_e b_omologada Çomott~or ~a
, .·. Ma!tirizado pelas ni'o rtes e pelos acidentes
comercial .~ · ~~ção ~ b~ileira, a. aeroÍiave ~o_-t:ev'e erl-
.M se~ 'ovenS"alunõs, HoÕver. ainda enfrentou comen~ O projeto sô vingou-~o cbégat às mãos ·
,..._. r

, em 19~8 ~ info~io d!! P.erder uina filha recém-


'"' I • ·•
0

'.
da CompanhiaAeron.áútica-PÍl.ulista',.que, em '1942, ·
.
* •• ' '· ...
" , . -.n~cida. 'Mesm:Õ ~sírtr, projeto~ e cohs~ inoorpÓrou a EAY,' Modlpc~dó . E: .!lp(!rfei~õ;· o
. . .. \

., n~ im~~visada$ ~!icinas d~ ~ampo de Marte o biplano de treln~en­ . monoplano deu origem ªo lendário modelo CAP-4 Paulistinhi!; ~durante
to ~PaUlo, prime~~ avião ~peraciqnal fab?~do no estado.' Mas foj só · toda a Segunda •
G~~ Mttndial (1939-1945}, seria um dos s~~ps da
• ,. • • j

. depois qa tcl~ca ~uei:l~ do ve~rano Anharíguer~, que ~o~~uzia o pilotÕ e camp~ ·"Dê asas para o ·BJ?isil". Prol]lovida pelo jo~~ls Chat~- .
deputado Manoel Lacerda Frimco, q~ o goveroó .estâduai finalmente de-
•• , '(. • t .t
· brland, a_ campartha resul~u ná compra e posterior do~ção ié c~tenas'·~~ .
cidiu·.investir em novas aerónaves. Recé1T!-incorporados! seis modernos ses avi~s para,a~ubeS em !00? oJÍ.Íús. Outra U:Uciativa- J.llna pa'rceria de

. CUÍ1iss Fled~g·ti~ram seu batisfno de fogo em 1930, quando. a


b\plands ~
Hoover~m F-i!9. Brotero no récti~~cria~~ liiSti~to de Pesq~ Tee-
Força Pública paulista sé uniu aos regimentos legalistas e se preparou pará
• J • • ! : • • • • •
·nológi.~ ~e São_p..;ulb (IPT)·~ (esúltou no i!es·en~olvfn:ten~ do IPI'-"O Bichi- .
combater as tropas revolucionárias lideradas por GetÚlio Varga_s. -c~m a nho". Apresentado em 1938 e considerado o primeiro projeto -de avião total-

104 PRES IDENT ••·• •••

.,
.. . '
mente brasil~iro, tratava~ de iuna Ín~ema e elegante a~o~ve acrobáti~ Bm 19.54 ele fecebeu dafoYça AéreaBrasileira acomenc;la. da Ordem .
para ~ triPulan~. com estrutura feita de madeira J;iaeiopal, aSas elípticas e do Mérito Aer~ná~~(;o. C~~n~ diploFta, cbl!iou ao po~to c;! e cpnsul dqs
. .
m~tor de 6o 1--w. Dosquafro protótipos conStruídos, apenas um sobreviveu. EUA nas• cidades
• •
de SalvadÓr,

Curitlba
...
e Santós. Morreu en:i

São
ti
Paulo,
Está no MuseuAeroespaclal.d~ Rio de Janeiro. · .. de. causas nattu;ais, em. i.ulho. de 1958; aos ~7 anos: Ch;jottje rétp:p1ou
Os álto~ e baixos do negóci~ de constn.tgão de aViões Jl~ Brasil ~ áS di- aos EUA,.onde viyjam Paula e Slp.rley, as filhas do casai_.. Eni .contraste .
ficu\clâde5
í"J
decorrentes• da.Segunda Guêrra des:Íriima.ram Hoover.
..
EJ1cl1942 o ~
com·a f~a que t ve no início do século ~. Orton Hoov~r desapakceu
f!dip~dedorvendéu aRAY e-entrou para oserviço diplomático àmeri~o.
•• • < , •
da memória.aero~:átltica brasileira. Não ,há .monumento~. ~ei~ ortos, ·
• • , I
' ÇOIOO adidp àfronáuticQ.civil do c~nsulado em São Paúlõ. Nessa condiÇão, avenidas ou praças coni. seu nç}:Ile nas prjncip~i(<li~des ·onde a~qll.
• • • • ; • I : "

participou, da política de aprox:im'lção dos EUA com o Brasil no cÚrso da Se- . O título de Grande Oficial da Ordem do M&it~Aeforiáutiço: con~~di- ·
•~ààGttWta ~undial. S~·~mais velha.Paula, ~tão sob do-torpo de do ~cla Presidência da R~públ,ica 'no fula! de 20~0: ·P~Sllou desp.~cebido
, L. , •

·.:Baile do Teatro Mllnicipal.de São Paulo e amiga de inteléctuais como o pintor pela imprensa . .1\~esar de ~cldo nos- EUA, Hoover se. dizia rrtéio b!ll-
. e ~qqite~ávio d~ Carvalho.;.. que a.retratou -, cbegou a. se ~udar para
r • • I • , .• ,
o . sileiro por op~o:Aq1.1i ~ved ~ m;4or Il~~~ de seys.diã~. p ~~écime~-
• • ' \. • ' • • t • I ; ; ~ ·" ,.

Recife, Pémambuco, afim de dirigir shows para:~-sé>laados alfleócanos ins- to


\
de s~
t
enotXJ,leimportânc,ia histórica talvez tenha• algo ave~

tom .um
..,.,. •
• "f'..· : t.

, talados no:Nordeste. D~t"e p pós-gÜenaBoovêr foj um dos grand~entu- nacionalisll}o Í:àc~o qué contami~a os de~ates sob!e pjoneiri~mo de o.
. . , .. I . . .
s~ do' desenvolvimento do ttansporte
. aéreo comercial. brasileiros e azn.ericános na aviação.
' ...
ALGUMAS MÁQUINAS VOADO.RÀS QUE ELE PILOTOU'· NO BRASIL'

CURTISS FBOACT MODEL F · Çompany (que deu orlge!:J' à pelt~ .


F.un.dada em 1916, à Curtl~s Aeroplane Alrll.~es), o ágil blp.lan'o '!lllltar tiiíh:i • .,.
and ·Hotor Company foi uma .ctas · · motor radial WrlgM de lOO.HP,
-ptlmelras .e mpresas c~nstrutpras.-de atingia 1110 km/h, levahdo pllóto e dols
.aviões nos EUA. Projetados por Glenn passag~lros. Foi usado pelas marlnbas do$
Cur!:lss em 1911, os Flylng Boats màdel EUA e da Arg~n~ll,a.
F era~ hldroavlões blplanos pariA dois .. -"
tripulantes, equipados com um motor SIKORSI<Y S·ll · .
V8 de 100 HP.1'oram usados pelas Fabricado pela Slkor"sky M11nufacturlng
• marinhou dos. EUA, Rúss"", Reino Unido, c;orporatlo.n, foi projetado em 1915
Itália e Brasil. como avião destinado a-fotografia aérea.
Dotado de' um motor _radlat Wrlght :
CURTISS lN-4 "JENNY" ·de 100 HP, o biplano carr~gava dois
Projetado em 19JS, esse biplano leve de trlplllantes. Alguns exemplares foram
CÍols lugares (ahuio à frente, lnst11utor convertidos pa!<a ~50 militar ~ recebera!'n
.atr':is) eq~lpado com um motor de 99 inetr.alhadoras móveis.
HP foi o treinador básico do Exército
americano du.rante a Primeira Guerra CURTrss FLEDC'õLING MOD.EL SI
Mundial. Fabricados aos .m ilhares é Variante men~s potente do treinador

vendidos a baixo-preço no pós-guerra, militar mddelo 48, o Fledgllng 51 foi
os Jenny se tornaram um dos pilares desenvolvldo 'em 19,17 como treinador
do Inicio da avlaçiio civil nos EUA nos primário e avião de us'\. civil. Equipado
anos 1910. com úm motor Curtlss Challenger de
170 HP, era um biplano bastante ágil, quê
CURTISS MODÚ 17 ..ORIOLE" transportava dois tripulantes e atingia
f'roduzldo a part.Í': de 19'19, era um 170 km'lh.
biplano de uso geral pa~ três ocupan~s
(piloto e dois passageiros) com motor CURTISS A-3 FALCON
de ISO WP. R~busto e veloz-para a época Lançado em 1915, o A·l foi um poderoso
'(138 km/h de velocidade máxima), foi caça-bombardeiro biplano adotado
o mode'lo cedido _pela Força Pú.bllca ao pelas aviações do ExércÍto e da Marinha
piloto Ed,u Chaves para o pioneiro ralde dos EUA. $éu mótor VIl de 435 'HP
Rio-Buenos Aires, em 1910. garanti,;* uma velocidade máxima de 114
/ . km/h. Podia ser equipado com atê. seis
HU,f·DALA!!tb PETIUiL . metralhadoras de calibre .30 e tarregava
Avião r;uó, produzido. a partir de 90 kg de. bombas sob as asas. li ·
1914 pela Ht.~ff·Daland Manl(facturlng

PRI';SIDE rjT ).05.

Você também pode gostar