Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA

Prof.: Eisenhawer de Moura Fernandes


Disciplina: Sensores e Transdutores
Aluno: Carlos André da Silva Cavalcante - 115211443

2ª. Lista de Exercícios - Tema: Sensores de temperatura

1. Cite duas aplicações de sensores de temperatura por efeitos mecânicos.


Termômetros por efeito mecânico são instrumentos de expansão de líquido (como o
mercúrio e álcool) em um bulbo de vidro. Na aplicação dos termômetros de mercúrio,
temos o uso para controle de temperatura do corpo humano através da dilatação térmica
do mercúrio. No caso do termômetro de álcool, são usados em laboratórios e em
residências para controle de temperatura ambiente.
2. Explique o princípio de funcionamento de um termômetro bimetálico.
Estes sensores são constituído de duas tiras de metais fixadas e com coeficiente de
dilatação térmica diferentes. Ao serem aquecidas ocorre uma expansão por dilatação
térmica, porém uma tira expandirá mais que a outra e consequentemente, utilizando-se de
uma escala calibrada, esta variação será convertida em temperatura.

3. Qual o princípio de funcionamento dos termômetros manométricos?


Este tipo de termômetro utiliza-se da propriedade dos gases ou vapor, no qual ao se
relacionar com a temperatura se expande aumentando de volume, essa variação é
registrada através de um manômetro que através de conversões adequada registrará a
temperatura num intervalo de tempo qualquer.

4. Apresente as principais características dos RTDs. Qual a faixa de temperatura de um


sensor metálico (RTD) de platina?
Os dispositivos RTDs são constituídos principalmente a base de Platina, e utiliza-se da
variação da resistência de um metal com de temperatura, possuem um coeficiente linear
de resposta estável e garante o rápido cálculo da função inversa. Além disso, apresentam
baixíssima tolerância de fabricação (0,06% a 0,15%), desta forma são de alta precisão e
ótima repetitividade de leitura. A faixa de temperatura deste tipo de sensor varia de -50°C
a 200°C para RTDs de filme de Platina, e os RTDs enrolados de fio de Platina atuam
entre -200 e 648°C.
5. Os que são termistores? Qual a diferença entre um PTC e um NTC? Como os
termistores são especificados?
Os termistores são semicondutores cerâmicos que também tem sua resistência alterada
como efeito direto da temperatura, entretanto são formados pela mistura de óxidos
metálicos prensados e sinterizado em diversas formas em filme ou em epóxi. Suas
respostas não são linear e apresentam uma sensibilidade elevada, em geral de 3% a 5%
por °C. Possui uma faixa de trabalho variando entre -100°c a 300°C.
Os termistores PTC, possuem o coeficiente de temperatura positivo, ou seja aumentam a
sua resistência com a elevação da temperatura. Podem ser constituído de semicondutores
de silício com características que podem variar de acordo com a dopagem (procedimento
de adição de impurezas químicas a um elemento semicondutor para transformá-lo num
elemento mais condutor).
Os termistores NTC utilizam componentes a base de óxidos de cromo, níquel, cobre,
ferro, manganês e titânio, no qual possuem características de diminuírem a resistência
com o aumento da temperatura, desta forma os NTCs possuem o coeficiente de
temperatura negativo.
Os termistores são especificados de acordo com seu coeficiente de temperatura, podendo
ser para temperaturas positivas (PTC) ou temperaturas negativas (NTC).

6. Explique o efeito de Seebeck.

Por volta de 1821 e 1822 físico Thomas J. Seebeck descobriu a produção de uma corrente
elétrica, que é produzida entre dois metais diferentes quando estão expostas a uma
diferença de temperatura. Se o circuito é aberto, uma força eletromotriz termelétrica
aparece e depende somente dos metais e das temperaturas sobre eles.

7. Em relação aos termopares: a. Como funcionam e como são especificados? b.


Apresente a curva típica de resposta de um termopar.
a) - O princípio de funcionamento desses sensores é a formação de uma força eletromotriz
(f.e.m.), que se gera no circuito formado pela junção de dois metais diferentes, quando
essas junções estão a temperaturas diferentes e conectada a um Instrumento de Leitura
consegue ler a temperatura do processo. São especificados de acordo com os requisitos
gerais e simultâneo dos metais para formação de um par termoelétrico, desse modo pode-
se apresentar algumas como: resistência a oxidação; linearidade dentro do possível, ponto
de fusão maior a qual o termopar é usado; sua f.e.m. deve ser suficiente para ser medida
com precisão, como também deve aumentar continuamente com o aumento da
temperatura; os metais devem ser homogêneos; suas resistências não devem apresentar
valores que limitem seu uso.

b) – a curva típica de resposta de um termopar apresenta variações de acordo com o


material utilizado para sua fabricação. Assim cada cor apresentada no gráfico indica um
tipo de termopar, sua força eletromotriz gerada em função da temperatura de trabalho.

8. Cite três requisitos gerais para a escolha dos materiais que compõem um termopar?

1-Seus pontos de fusão devem ser maiores que a maior temperatura na qual o termopar
será usado.
2- Eles devem ser resistentes a oxidação e a corrosão, consequentes do meio e da
temperatura de trabalho.
3-os matérias de construção devem ser homogêneos.

9. Considere o termopar da Fig. 1, apresente uma técnica de compensação da temperatura


da junção de referência

Em grande parte das aplicações ocorrem um distanciamento entre os termopares e os


controladores de temperaturas. Caso estes distanciamentos forem compensados por
acréscimos de cabos de cobre ou novas juntas, o sistema apresentaram erros de leitura.
Desta forma para compensar tais problemas são utilizados uma espécie de cabeçote
isotérmicos com fios de compensação de material semelhante aos do termopar. Outra
forma de compensação de possíveis erros é o chamado banho de gelo onde a junta fica
inerte a um temperatura fixa (junta fria), desta forma não há variação do gradiente de
temperatura. Porém este método requer um alto custo e manutenção constate se tornando
em muitos casos inviável. Uma solução mais prática foi a Compensação por Software,
onde a temperatura do termistor é compensada automaticamente pelo instrumento de
medida adequado a esse método. Assim, para esses casos são acrescentados um bloco
isotérmico ao invés do banho de gelo. Logo, com esta solução, basta medir a temperatura
do bloco isotérmico para compensar a medida do termopar. Esta compensação se
apresenta da seguinte forma:

Bloco isotérmico em vez de banho de gelo

Compensação eletrônica para junção de referência

Você também pode gostar