Você está na página 1de 212

Alien Atraction by Tracy Lauren

ALIEN SERIES LIVRO 7

Clark:

Às vezes, você encontra pessoas na vida que a atraem


como um ímã. Vocês dois se alinham tão
perfeitamente que não há nada que você possa fazer
para impedir a atração. Foi assim para mim e para
Tennir. Apenas, esta é uma atração que não era para
ser e agora devo fazer tudo ao meu alcance para lutar
contra esses sentimentos, porque, infelizmente, ele é
o único alienígena por quem eu não posso me
apaixonar!

Tennir:

Não sei quando aconteceu, mas aconteceu mesmo


assim. Eu me apaixonei por uma humana! Um dia,
no laboratório, nossos olhos se encontraram e me
ocorreu: ela se tornou minha melhor amiga no
mundo. Percebi então que queria mais. Eu queria
tudo dela. Mas o que fazer se ela lutar contra a
atração que ambos sentimos? Tenho que encontrar
uma maneira de convencer Clark de que não importa
em que mundo estejamos, ela e eu pertencemos um
ao outro!
Sumário
CAPÍTULO 1 ......................................................... 5

CAPÍTULO 2 ....................................................... 20

CAPÍTULO 3 ....................................................... 36

CAPÍTULO 4 ....................................................... 42

CAPÍTULO 5 ....................................................... 55

CAPÍTULO 6 ....................................................... 63

CAPÍTULO 7 ....................................................... 74

CAPÍTULO 8 ....................................................... 85

CAPÍTULO 9 ......................................................103

CAPÍTULO 10 ....................................................109

CAPÍTULO 11 ....................................................116

CAPÍTULO 12 ....................................................134

CAPÍTULO 13 ....................................................151

CAPÍTULO 14 ....................................................156

CAPÍTULO 15 ....................................................166

CAPÍTULO 16 ....................................................169

CAPÍTULO 17 ....................................................174

CAPÍTULO 18 ....................................................178

CAPÍTULO 19 ....................................................186

CAPÍTULO 20 ....................................................189
EPÍLOGO ..........................................................206
CAPÍTULO 1

Tennir

Desta vez, há um alarme tocando. Isso me


arranca do meu sono e eu pulo da cama,
desorientado. Por um segundo, acho que estou de
volta à estação de ciências e posso impedir o
massacre de minhas colegas, mas então me lembro
onde estou.

Elysia. Mudei-me para cá para oferecer ajuda ao


meu meio-irmão Rennek, O Rei Cinzento. Minha
antiga vida se foi e meus colegas estão mortos há
meses. Ainda assim, nem tudo está perdido. Temos
algo precioso neste mundo e deve ser protegido por
todos os meios necessários. As fêmeas humanas. Não
posso permitir que morram das mesmas mortes
horríveis que os outros e me recuso a permitir que
sejam levados por escravistas e estupradores.

Ainda descalço, saí correndo de meu templo,


avaliando o pátio em busca de perigo. Está muito
escuro. Luzes vermelhas de emergência piscam,
distorcendo minha visão. Corro ao longo da colunata,
verificando todas as portas. Para meu horror, não
encontro nada além de cadáveres de cientistas lá
dentro ... Parece a estação espacial ... Tudo que posso
ver são jalecos ensopados de sangue. Mas nenhuma
humana. Onde estão as humanas?

Eu penso na companheira do meu irmão. Ela


estará com ele, protegida, sem dúvida. Apenas, a
dúvida se insinua e temo que ambos estejam mortos -
emboscados enquanto eu dormia ... exatamente como
estava antes.

Agora estou pingando de suor, o coração


disparado no peito. Porta após porta, não há nada
além de cientistas - sem vida no chão, rostos
distorcidos de medo e angústia. Já faz um ano e
ainda me lembro de todos os nomes deles. Eles
estavam na minha equipe. Foi meu projeto. E agora
eles estão todos mortos.

Minha busca frenética continua vazia. Frustrada,


movida pelo medo e raiva, eu esfrego minhas mãos no
rosto, me perguntando onde todos poderiam estar. Eu
tenho que salvar as mulheres. É o meu dever.
Eu deveria ter acordado mais cedo, lamento. Eu
deveria ter ouvido algo - inferno, eu deveria ter
sentido algo. Então, talvez eu pudesse ter salvado
meus colegas.

Mas não estou procurando meus colegas. Eu


tenho que me lembrar que eles estão mortos há muito
tempo. Estou procurando humanas. Isso mesmo... As
humanas. Elas precisam ser protegidas. Eu não
posso falhar com elas. Eu tenho que me concentrar!
Mas meus pensamentos nadam enquanto o alarme
ecoa em meu cérebro. É impossível pensar direito!
Onde eles podem estar? Eu não conheço muitos delas
bem. Elas vêm e vão do pátio, tendo seus próprios
negócios para tratar, e eu estou obcecado pelo meu.
Mas há uma delas, que conheço melhor do que as
outras.

Clark. A cientista humana. Ela é amigável com


todos, mas passa a maior parte do tempo no
laboratório... comigo, trabalhando para tornar esta
comunidade sustentável e segura para todos. Ela se
preocupa com este lugar, assim como eu. Nos últimos
meses, ela e eu realmente nos tornamos ... amigos.

A compreensão me atinge com força e de repente


sou tomada por uma nova onda de pavor. Ela deve ter
estado nos campos quando o ataque começou. Ela
ainda poderia estar lá, sozinha - indefesa. Eu a
imagino sem vida na lama e meu coração dá um
aperto. Não. Qualquer coisa menos isso. Eu não
posso perder Clark!

As paredes de pedra do templo se rompem e eu


estou correndo em direção aos campos, em direção a
ela ... Mas ainda está tão escuro. Não consigo ver
nada e tudo o que posso sentir é a sensação
sufocante de perigo ... e a necessidade, a necessidade
desesperada de chegar ao lado de Clark.

É quando eu acordo - com falta de ar, meu


coração ainda batendo forte. A realidade lentamente
se instala e os sons do pátio são um zumbido suave
ao fundo, me lembrando que, por enquanto, está tudo
bem.

Lá fora eu posso ouvir as vozes das humanas,


felizes e rindo. Seguras. Eu quero estar lá fora com
elas. Mas estou aqui, nos confins do meu quarto, e o
som da minha própria respiração ofegante é
estrondoso aos meus ouvidos. Eu mal posso aguentar
mais. Todas as noites, outro pesadelo. Talvez eu
mereça. Talvez seja minha punição por ser o único
sobrevivente da minha última missão de pesquisa.
Sento-me na cama e penduro a cabeça nas mãos,
tentando me concentrar. São as vozes lá fora que
fazem isso por mim, e a luz quente do sol brilhando
através das costuras da minha porta rudemente
talhada.

É seguro aqui, digo a mim mesmo. Meus medos


são irracionais.

Eventualmente, eu suspiro, me levantando, ainda


incapaz de afastar o desconforto. O fogo em minha
lareira se reduziu a nada e eu cutuco as cinzas,
pensando que poderia ferver um pouco de ceata para
acalmar meus nervos. Mas estou muito nervoso. Em
vez disso, visto minha túnica e calças e sigo para a
porta. Só há uma coisa que pode me acalmar quando
me sinto assim e estou ansioso para a distração.
Infelizmente, não ando mais do que dois passos ao
longo da coluna quando um apito me faz parar.

Ugh. April. Ela corre para se colocar no meu


caminho.

“Olá, lindo”, ela diz com um sorriso lento. Tenho


certeza de que é muito desarmante para a maioria
dos homens. No entanto, isso não faz nada para mim.
Ainda assim, eu ofereço um aceno educado.
"April."

“Há ioga depois do café da manhã. Você deve se


juntar a nós na colina. ”

“Desculpe, há trabalho a fazer esta manhã. Terei


que recusar. ”

“Você tem trabalho a fazer todas as manhãs”, ela


protesta, se aproximando de mim. "Você precisa
relaxar de vez em quando, Tennir."

“Eu preciso ir checar minha matriz de satélites, e


depois disso, os campos requerem atenção constante.
Você sabe tão bem quanto eu, a estação das chuvas
nunca está longe e a drenagem ... ”

April revira os olhos, me interrompendo. “Ugh! A


drenagem, a drenagem! Você parece a Clark - só
trabalho e nada de diversão! O que você acha de
ignorarmos, apenas por um dia? ”

“Ignorar o quê?”

"Trabalhos? Todas as coisas mundanas?


Podemos matar aula, só você e eu! Talvez fazer um
piquenique, ver se não podemos nos divertir um
pouco juntos? "
Eu dou a humana um sorriso tenso. “Vá fazer
sua ioga, April. Tive uma manhã ocupada e odiaria
que você se esquivasse de seus deveres por minha
causa. "

"Eu não me importaria." Ela olha para mim sob


os cílios grossos e escuros. Esta é uma mulher que
nunca teve que trabalhar muito para seduzir um
homem. Suponho que seja por isso que ela não para
de me incomodar, a novidade de tudo. Não é que ela
se importe comigo, na verdade, noto seu sorriso cair
cada vez que falo sobre as coisas que mais me
interessam.

“O trabalho é minha maior prioridade,” digo o


mais suavemente que posso antes de passar por ela.
Eu posso sentir ela revirando os olhos nas minhas
costas. É um maneirismo humano, mas caramba, se
isso não faz com que o objetivo seja entendido. Na
verdade, com todo o desdém que ela tem por mim,
não sei por que ela não para de tentar.

“Pego você da próxima vez! Com certeza, ”ela


grita atrás de mim, mas eu não olho para trás, nem
olho para o pátio movimentado, cheio de todas as
pessoas pelas quais me preocupo profundamente.
Ainda estou tenso do meu pesadelo e agora estou
chateado comigo mesmo por ser tão grosso com uma
das humanas. Eu simplesmente não estou atraído
por April, nem estou em qualquer lugar para iniciar
um relacionamento romântico. Além disso, April está
procurando diversão e nada sobre mim é divertido
agora. Eu estou mais ... preocupado? Assombrado,
talvez? Mas definitivamente não é divertido.

Como eu disse, só há uma coisa que me deixa à


vontade atualmente. Chego à sala do templo que
adaptamos com tecnologia moderna - sistemas de
computador, equipamentos de monitoramento e um
hub elétrico. Quando abro a porta, uma onda de
alívio me invade. Não é apenas o zumbido suave dos
computadores ou as luzes suaves que eles emitem. É
a visão de Clark curvada sobre uma simulação de
modelagem. Seu cabelo tem aquela aparência, como
se ela tivesse passado os dedos por ele muitas vezes.
Esta humana geralmente está tão estressada quanto
eu. E embora o pensamento não deva me fazer sorrir,
mas faz. Certamente que sim.

“O canal está inundado de novo”, ela me diz sem


olhar para cima. “Estou desviando o fluxo do canal
para a incubadora de peixes.”

“Você já foi para o campo?”


“Mmmm,” ela cantarola. É a sua única resposta.
Curiosa sobre o que mais ela tem feito, eu examino a
sala, notando uma caneca extra de ceata colocada ao
lado dela.

"Houve convidados em nosso pequeno escritório


esta manhã?"

Isso chama a atenção dela. Ela olha para mim,


suas sobrancelhas franzidas de uma forma que me
diz que ela está confusa. Aponto para a caneca e seu
rosto relaxa. “Oh. Não, isso é seu. " Imediatamente,
seu foco retorna ao modelo que ela está executando.

"É quase como se você estivesse me esperando."


Claro que ela estava. Passamos todos os dias aqui
juntos. A piada me rendeu uma bufada, mas ela
ainda não ergueu os olhos.

Pego a caneca quente em minha mão e observo


Clark enquanto tomo um gole. Uma sensação
relaxante enche minha alma e a tensão em meus
ombros diminui. Não há pressão aqui, com um
indivíduo de pensamento semelhante. Clark pode ser
humana, mas ela também é uma cientista, por
completo. É esse fato que nos liga. No entanto ...
apesar do que nos une, esta fêmea certamente tem
algumas ... características únicas. Características que
não posso deixar de apreciar.

Sua forma, por exemplo, é bastante


impressionante. Meu povo, o Nev‟Rhaan, é construído
de forma diferente dos humanos. Minha mãe é um
excelente exemplo. Por tudo o que ela é feminina, ela
tem muito mais músculos do que as fêmeas humanas
e ela se sobressai sobre elas - Clark especialmente,
que é uma coisinha parecida com um rato, com
cabelo castanho e traços pequenos. Pequenos traços
com exceção dos olhos, é claro. Ela tem os olhos mais
arregalados e eles se iluminam sempre que ela tem
uma ideia. Isso me faz amar nossos argumentos e
como suas sobrancelhas podem ficar sérias. Sem
mencionar a maneira como suas mãos dançam
enquanto ela afirma seu argumento. O pensamento
quase me faz sorrir, mas meu sonho permanece no
fundo da minha mente.

Lembro-me de me preocupar com ela durante o


sono. Lembro-me de ter medo de que ela estivesse no
campo sozinha ... vulnerável.

“Da próxima vez, espere por mim”, eu digo


baixinho, enquanto abro minha própria tela de
monitoramento.
"O que é isso?" ela pergunta. Eu só tenho um
pequeno pedaço de sua atenção.

“Não vá para o campo sozinha. Espere por mim."


Tento parecer indiferente. Talvez se ela estiver
prestando mais atenção ao seu trabalho do que a
mim, eu posso fazê-la concordar sem argumentar,
mas eu a ouço pausar seu modelo.

"Porque eu faria isso?"

Eu encolho os ombros e finjo estar absorta no


meu trabalho. “Razões de segurança.”

“Temos sensores em todo o perímetro de nossa


terra.”

Posso sentir seus olhos em mim enquanto ela


espera uma resposta, mas eu não dou a ela.

"Há algo com que eu deveria me preocupar?"

“Não, nada específico. Mas, para garantir, há


segurança nos grupos. ” Clark suspira e se aproxima
de mim, cruzando os braços sobre o peito e parecendo
preocupado. "Isso é sobre o urso?"

"O urso?" Em nossos primeiros meses aqui, fui


encurralado pelo que algumas humanas apelidaram
de Urso Feio. Minha mão vai para o meu peito e,
inconscientemente, rastreio as cicatrizes escondidas
sob minha túnica. Não é sobre o urso. É sobre
piratas. É sobre traficantes de escravos e oficiais
inescrupulosos da UPC - todas as pessoas que podem
querer machucar ou roubar as humanas. Os mesmos
tipos de pessoas que assassinaram toda a minha
equipe de pesquisa. “Sim,” eu minto. "O urso."

Clark balança a cabeça solenemente. “Existem


sensores agora, Tennir. Nada está passando sem que
saibamos. ”

Talvez não um urso, mas a tecnologia certa


poderia rasgar esses sensores em minutos e todos os
nossos outros sistemas de defesa, por falar nisso - se
alguém fosse determinado o suficiente.

Dou um sorriso torto para Clark. "E quanto a ...


aranhas?"

Sua expressão muda em um instante. "Eca, nem


isso mesmo. Além disso, uma coisa grande como essa
seria interrompida ... pelos sensores. ”

"Uma grande, sim, mas o que dizer de cem


pequeninas, rastejando da lama?" Eu corro meus
dedos por seu braço e ela grita enquanto se afasta.
Clark e eu encontramos algumas espécies de
aracnídeos nas plantações. Nenhum como o monstro
que meu irmão e Kate enfrentaram em seus primeiros
dias em Elysia. Ainda assim, apenas a história
daquele encontro deixou preocupações persistentes
em todos nós.

“Não preciso de ninguém para me proteger dos


insetos”, garante ela.

“Aracnídeos.”

"Obrigado, Sr. Biólogo." Ela sorri, gostando do


nosso jogo de provocação tanto quanto eu, mas ainda
assim, Clark está me examinando com aquele olhar
preocupado. "Tem certeza de que está bem?"

"Claro. Eu prometo."

Relutantemente, ela retorna para sua estação de


trabalho, os olhos ainda em mim. "Você me diria se
não fosse?"

“Sem hesitação”, minto. "Estamos de acordo,


então?"

"Sobre o que?"

“Você não vai para o campo sozinha?”


Clark suspira pesadamente. “Dê-me uma razão
baseada em evidências para não fazer isso e você tem
um acordo. Até então…"

"Foda-se?"

Ela acena com a cabeça, seus lábios se curvando


em um sorriso. "Foda-se."

Talvez eu não tenha um motivo baseado em


evidências. Ainda assim, eu não a quero lá fora
sozinha. Não é muito científico da minha parte, mas
não posso deixar de sentir o que sinto. Eu lanço um
último olhar para Clark - ela já está perdida em seus
modelos de água subterrânea e na inundação de azul
em sua tela holográfica.

Minha pequena cientista humana. Ela passa os


dedos pelos cabelos, mas não faz nada para segurar
os fios no lugar e eles caem de volta sobre seus olhos.
É absolutamente encantador, mas preocupante ao
mesmo tempo. Ela não consegue nem domar seus
cachos bagunçados - eu não consigo imaginar o que
aconteceria se ela encontrasse um perigo real
enquanto estivesse sozinha no campo. O pensamento
traz um medo familiar enrolando em meu intestino.
Não posso deixar que nada aconteça com essas
mulheres, especialmente não esta - minha amiga,
minha alma gêmea. Um suspiro pesado me escapa.
Acho que vou ter que me certificar de que estou
acordado antes dela todos os dias, porque, quer Clark
goste ou não, eu não vou deixá-la ir sozinha.
CAPÍTULO 2

Clark

Afasto o zoom e ainda, minha tela está coberta de


azul. É uma perda de tempo e meu conjunto de
habilidades. Aqui, estou tentando o meu melhor para
ser útil e estou apenas preso a uma maneira de
pensar desatualizada. Minha área de especialização é
a água, que você acha que seria muito útil em uma
floresta tropical, onde temos mais água do que
sabemos o que fazer com ela. Apenas, não é útil.
Passei minha carreira encontrando água onde não
havia - em desertos e secas. Todo o conhecimento que
acumulei, é inútil aqui. Eu sou inútil!

Eu deslizo minha tela, limpando-a enquanto


gemo de frustração. Os olhos de Tennir estão em
mim, posso senti-los e sei que ele está esperando que
eu fale.

"Eu sou uma perda de espaço", eu bufo, mas ele


apenas bufa uma risada.
"Você é do tamanho de uma galinha Elysian
recém-eclodida."

"O que isso deveria significar?"

"Mesmo que você seja uma perda de espaço, você


ocupa tão pouco que ninguém vai notar." Ele levanta
os dedos para me mostrar o quão pequena ele pensa
que eu sou, e dane-se se isso não me faz balançar a
cabeça e rir.

"Não me provoque, você não sabe como é. Estou


acostumada a ser mentalmente produtiva e me sinto
estagnada aqui. ” Eu não estou fazendo beicinho ...

“Você resolveu nosso problema de enchentes com


seus ralos franceses”, ele oferece.

"Isso foi uma coisa."

“E você é adepta de desviar a água do canal


quando necessário.”

“Tudo o que faço é apertar um botão; uma de


suas galinhas poderia fazer o trabalho. ”

Tennir acena com a cabeça em agradecimento.


"Eu ficaria muito impressionado se você treinasse
uma galinha para desviar a água para você. Talvez
esse seja o seu próximo projeto? ”
Eu cruzo meus braços sobre o peito e me inclino
contra minha estação de trabalho, impassível. "Você é
completamente hilário."

Tennir sorri, e embora seus olhos sejam piscinas


negras tão pungentes, eles parecem estar brilhando
de bom humor. "Ninguém nunca mencionou isso,
exceto você."

"Acho isso chocante." Por mais que eu goste de


nossas brincadeiras, ainda me sinto dolorosamente
improdutivo. Suponho que não há como esconder o
fato de que estou, de fato, definitivamente fazendo
beicinho neste momento.

"Bem." Tennir desliga sua tela. Ele está


monitorando a matriz de satélite novamente,
verificando e verificando novamente, executando
diagnósticos. Por que ele faz isso com tanta
frequência, eu me pergunto? "Diga-me como posso
ajudá-lo."

“Eu não sei se você pode. Estou entediada. Meu


cérebro quer trabalhar e parece que Elysia continua
me dizendo não. ”

“Você precisa de um problema para resolver.”

"Eu preciso."
Parecendo pensativo, ele passa a mão pelo couro
cabeludo liso e sem pelos. “Vivemos em uma floresta,
a quilômetros de qualquer outra civilização, e você
não consegue encontrar um único problema para
atacar?”

"Não quando há tudo isso." Eu aceno minha mão


para toda a tecnologia extraterrestre chique.
Honestamente, nem preciso apertar um botão para
desviar a água. Eu poderia programar níveis no
computador e ele faria tudo por mim ...
provavelmente poderia fazer isso pelos próximos 500
anos.

Nosso estilo de vida pode ser rústico, mas nossa


tecnologia não. É tudo muito avançado em
comparação com o que havia na Terra e não deixa
nada para minha mente ocupada fazer. “Eu gostei da
ioga e da cestaria por um tempo. Foi terapêutico - me
deu tempo para processar as coisas. Mas estou bem
agora. Eu quero ... ”Eu suspiro. "Um desafio."

Tennir acena com a cabeça e pega sua caneca,


terminando o último gole de sua ceata em um gole
rápido. "Vamos."
Eu não saio do meu lugar de beicinho. "Onde
estamos indo?"

Tennir me ignora e joga um braço pesado e cinza


em volta do meu ombro enquanto me arrasta para a
porta. Eu quase cedi com o peso disso, só que ele me
aperta com força contra o seu lado e isso me mantém
de pé. Deve ser a sensação de ser a irmã mais nova
de alguém, penso comigo mesma. Só que, mesmo eu
sei, isso não se encaixa perfeitamente na situação.

"Você deve ter sido um irmão mais velho incrível",


menciono enquanto ele me conduz para a colunata. O
pátio está vazio agora, o café da manhã acabou há
muito tempo. A maioria das mulheres foi fazer ioga
matinal com April, e espero enquanto Tennir fecha
nosso "laboratório".

Seu sorriso fica mais largo quando ele pensa em


seu irmão, Rennek, ou no Rei Cinzento, como é
conhecido entre os Vendari. Bem, suponho que ele
também seja nosso rei ... o que é meio estranho
quando penso nisso. Embora eu não possa discutir
com a liderança em Farol. Rei ou não, este lugar é
administrado de forma muito democrática, com muita
participação do grupo.
Descendo as escadas juntos, Tennir e eu temos
uma vista da parte principal do templo. É realmente
um castelo de outro mundo, digno de um rei.

“Já se passou muito tempo desde que eu era um


irmão mais velho”, Tennir me diz.

Eu inclino minha cabeça. "Realmente? Tenho a


impressão de que vocês são próximos. ”

“Próximo, sim. Especialmente depois de tudo


isso. ” Hesitamos por um momento nos portões,
olhando para o alto templo de pedra. “Mas por muitos
anos antes disso ...”

Eu olho para Tennir, esperando que ele continue,


para ouvir alguma história trágica de sua infância -
um evento que separou os irmãos.

“Bem ... Rennek é enorme. Você o viu? Ele é


definitivamente o irmão mais velho. "

Eu reviro meus olhos e bato em Tennir em seu


ombro, seu ombro estúpido e sólido como uma rocha.

"Uau ... você é tão engraçado que esqueci de rir."

"Olha só, eu já estou te animando."


"Sim, com piadas autodepreciativas. Que santo. ”
E embora haja sarcasmo em meu tom, meu sorriso é
largo. Ele realmente está me animando.

"Você pensa em mim como um irmão?" Tennir


pergunta depois de um tempo. Nossa jornada ao
redor das paredes do templo está nos levando em
direção aos campos. O caminho aqui é bem utilizado,
muito mais estabelecido do que quando chegamos a
esta terra.

Eu encolho meus ombros. “Como você pensa


sobre nosso relacionamento?” Estou curiosa. Nunca
estive tão perto de um alienígena antes.

Tennir considera a questão como se nunca


tivesse pensado muito nisso. Por que ele iria?

"Você é minha colega", ele responde


simplesmente.

Eu enrugo meu nariz, franzindo a testa com a


maneira como ele me categorizou. Eu sinto que
estamos mais perto do que isso. Eu passo mais tempo
com Tennir do que com muitos de minhas
companheiras humanas. Claro, passamos a maior
parte do nosso tempo discutindo sobre os campos,
mas gosto de pensar nisso como um discurso
intelectual. Então, sim, estou um pouco perturbada
com a resposta dele. Ainda mais perturbado quando
olho para Tennir e vejo que ele está sorrindo para
mim. Ou sorrindo, mais parecido.

"Você está rindo de mim?" Eu pergunto.

“Só de notar que você não parece muito feliz em


ser minha colega.”

“Bem, presumi que éramos amigos. Mas parece


que você me colocou firmemente na categoria "apenas
para parceiros de negócios". O que é ótimo. Eu nem
me importo. "

Eu digo isso com indiferença, mas por tudo que


ele é um alienígena, ele entende o meu sarcasmo e
isso é o que é realmente bom sobre o nosso
relacionamento, sabe? Ser capaz de ter uma
brincadeira natural com alguém de outro mundo. Faz
com que pareça ... mesmo que eu esteja tão longe de
casa, ainda posso ter uma casa aqui.

"Achei que você gostaria de ouvir isso!" ele


protesta. “Sem querer soar depreciativo, mas você
vem de um mundo bastante primitivo, Clark, e ainda
assim sua inteligência é irrefutável. Com base em
tudo que eu vi, você prosperaria em qualquer uma
das missões de pesquisa e exploração em que
participei ao longo dos anos. ”

"Realmente? Uma garota primitiva como eu? "

Tennir bate no meu ombro levemente, consciente


de meu corpo pequeno e musculoso. Por que os
homens alienígenas são tão grandes?

"Você sabe o que eu quero dizer."

Eu ofereço um sorriso. "Sim. Eu faço."

A Terra realmente não tem muita tecnologia


quando comparada ao povo de Tennir, então não
estou ofendida. Na verdade, considero suas palavras
um elogio. Para pensar, eu poderia me segurar com
um bando de cientistas alienígenas. Isso é bem legal.
É uma pena que não estou sendo desafiada aqui, em
um nível profissional ... um desperdício de meus
talentos.

"Para onde você está me levando?" Eu pergunto


quando Tennir fica perto da parte de trás das paredes
do templo. Pensei que íamos mais longe para verificar
os campos, mas parece que ele está me levando para
o galinheiro. À medida que nos aproximamos, o cheiro
me faz estremecer. Essas coisas podem não se
parecer exatamente com as galinhas da Terra, mas
com certeza cheiram como elas.

Tennir não responde, nem mesmo quando


chegamos ao galinheiro. Ele apenas segura uma cesta
como se fosse uma explicação suficiente e eu fico
olhando para ela com uma carranca desinteressada
no rosto.

"Tudo bem", diz ele finalmente, tirando a túnica e


batendo em um painel de acesso na porta do
galinheiro. “Você registra as estatísticas de hoje.”
Esse é um trabalho que farei. Dou um passo à frente
para assumir a interface com os computadores do
templo.

"Por que você tirou a camisa?" Eu questiono,


obtendo uma visão do corpo alienígena objetivamente
sexy. Tennir é musculoso, com abdômen definido...
mas eu encontro meu olhar atraído para as cicatrizes
profundas em seu peito e sou imediatamente levado
de volta àquele dia. Foi uma decisão difícil. Provas de
que não importa quanta tecnologia tenhamos, ainda
estamos à mercê da natureza. E pobre Tennir ...
Curado ou não, essas feridas terríveis me lembram de
como ele quase foi morto antes que eu tivesse a
chance de conhecê-lo.
"Está úmido aqui", ele responde com um
encolher de ombros. "Não estou ofendendo suas
sensibilidades delicadas, estou, Deusa?"

Eu zombo. "Não comece com aquela conversa


fiada de Deusa."

Tennir ri enquanto conta os ovos. Também estou


reprimindo um sorriso, tentando manter o foco
enquanto insiro os dados. Os pássaros vermelhos
selvagens, gordos e vibrantes voam em volta do
galinheiro, incomodados com a presença do
alienígena em sua casa. Eles chamam minha atenção.

Galinhas alienígenas. Elas têm esses bigodes


longos e grisalhos pendurados em seus rostos. Algo
sobre eles me faz pensar em velhas sábias, mas eles
são apenas galinhas e o bater de asas que fazem
envia poeira e penas ao redor do galinheiro. Deve
estar muito calor lá dentro, porque Tennir está
suando e penas vermelhas grudam em suas costas.

"Você vai precisar de um banho", indico.

"Você está se oferecendo para me dar banho?"


Ele carrega sua cesta agora cheia para a porta e eu
abro para ele, tirando algumas penas perdidas de seu
peito. Afinal, estou ao nível dos olhos.
“Não dificilmente. Ei, o que deu em você esta
manhã, afinal? "

"O que você quer dizer?"

"Você está agindo todo ..." Quase quero dizer


flertando, mas isso não pode estar certo. A saber,
porque April apelou para Tennir e ela é minha melhor
amiga absoluta em Elysia - o que o torna 100 por
cento, completamente, tolerância zero fora dos
limites. Eu encolho os ombros a ideia. "Eu não sei,
acho que só parece que você está de bom humor. ”

Tennir considera minha avaliação enquanto


mede as sementes para as galinhas. "Sabe, acho que
você está certa. O que é engraçado. Comecei esta
manhã de péssimo humor. ”

"Sem brincadeiras?"

Ele encolhe os ombros.

"Qualquer coisa que você quer falar?"

Tennir me dá um sorriso tenso. "Atribui um sono


ruim."

Hm. Não estou acreditando, mas se ele não


quiser compartilhar, não vou forçá-lo. "Você está se
sentindo melhor agora, certo?"
Seu sorriso fica fácil, relaxado. “Muito melhor,
minha amiga. Obrigado."

“Amiga, hein? Achei que fosse apenas sua


colega.”

“Minha colega favorita.”

“Oh, uau! Isso é um elogio! ”

"Bem, você é praticamente minha única colega


neste planeta."

Estou rindo de novo. "Você certamente sabe


como fazer uma garota se sentir especial."

"Eu não sabia que você estava procurando


elogios."

"Nunca." Fecho o registro de dados e cruzo os


braços sobre o peito, tentando esconder meu sorriso.

“Bem, você é mais do que apenas minha colega


favorita. Você é minha humana favorita também, se
isso conta para alguma coisa. "

Eu mordo meu lábio, ainda tentando conter


aquele sorriso. Algo bobo está brotando dentro de
mim. Eu me sinto ... tonta. Aquele tipo estúpido de
vertigem onde você não consegue esconder sua
felicidade, não importa o quanto você tente.
Felizmente, ele extingue esse sentimento com sua
próxima declaração.

“Apenas não compartilhe as informações com a


esposa do meu irmão. Eu não gostaria de deixá-la
com ciúmes. "

Com ciúmes? Eu mordo meu lábio inferior, me


perguntando se April ficaria com ciúmes sobre o quão
amigável essa conversa se tornou. Ela reclamou no
passado, sobre como Tennir e eu ficamos presos em
nossas discussões sobre o problema de enchentes nos
campos. Ela diz que às vezes estamos em nosso
mundinho, ignorando todos ao nosso redor. Expliquei
que simplesmente nos envolvemos em nosso trabalho
- o que é totalmente verdade. Mas a conversa de hoje
não é realmente sobre trabalho e eu sei que April está
querendo mais do tempo e atenção de Tennir desde o
primeiro dia. Eu não deveria estar roubando, não de
uma forma social como esta. Trabalho é uma coisa,
mas chegar perto? Essa é outra.

“Eu deveria voltar,” eu digo de repente.

Tennir inclina a cabeça. Algo sobre o movimento


é tão humano, ao mesmo tempo que é completamente
estranho. Existem muitas semelhanças entre nossas
formas, mas o corte de sua mandíbula, aqueles olhos
de ônix, sua pele de carvão ... isso é tão estranho
quanto parece. "Ah não. Eu não terminei com você. "

Eu levanto uma sobrancelha. Ele não pode me


dizer não.

“Eu tenho mais projetos aqui e preciso da ajuda


dessa sua mente ociosa.”

“Que tipo de projetos?”

“Eu tenho que medir a distribuição dos ciclos dos


estágios de vida no incubatório.”

“Para garantir a sustentabilidade?”

Tennir concorda. Ainda estou em cima do muro,


no entanto, e acho que Tennir pode dizer, e é por isso
que ele deixa o melhor para o final. "E…"

"E?" Eu pergunto, ainda pensando que devo


voltar para o meu quarto.

“E eu tenho que fazer amostras de solo.”

"Oh inferno. Você está flertando comigo, não


está? " Eu estou brincando.
"Flertando?" Tennir fica surpreso, como se a ideia
fosse estranha para ele - e apenas aquele olhar em
seu rosto me fez sentir segura. Ele está alheio a mim
como mulher. Amigo sim. Colega, com certeza.
Interesse romântico disponível? Nem mesmo em seu
radar. Boa.

"Estou brincando, Tennir. Você me pegou em


amostras de solo. ”

"Ok", diz ele, se recuperando do choque. Pego


outra pena perdida dele. Ele está preso em seu bíceps
desta vez, agarrado ao brilho úmido e suado lá.
Nossos olhos se encontram e ele limpa a garganta.
"Vamos."
CAPÍTULO 3

Tennir

O tempo passa rápido com Clark ao meu lado.


Ela faz todas as perguntas certas sobre o incubatório
e o solo, mas o trabalho foi feito aqui. Não há
problemas para sua mente inteligente resolver. Eu
imagino que seja frustrante.

“O conteúdo mineral parece bom”, ela me diz,


analisando as leituras de seu scanner. "Consistente."

Limpamos todo o crescimento excessivo quando


plantamos nossas safras, mas a preocupação era que
essa limpeza pudesse fazer com que os minerais
naturais vazassem do solo. Para combater o
problema, temos usado composto para manter a
saúde do solo e parece que está funcionando.

Clark passa a mão enlameada pelo cabelo e eu


rio dos montes de terra presos ali.

"O quê?" Ela está alheia à bagunça e eu acho isso


encantador.
"Venha aqui", digo a ela. Ela me vê focando em
seu cabelo e seus olhos se arregalam.

"É uma aranha?"

Eu rio e a puxo para perto para que eu possa


tirar a lama.

"Oh, droga." Ela solta um suspiro de alívio.


“Apenas sujeira. Você me assustou."

"Você parece pior do que eu depois que saí do


galinheiro."

“Contanto que eu não cheire tão mal”, ela rebate.

"Eu não cheiro mal, não é?" Eu pergunto, mas eu


sei que sim. Estou com suor escorrendo pelas minhas
costas. Ainda assim, Clark sorri para mim como se
ela tivesse um segredo para guardar.

"Não, você não cheira. Eu gostaria que você


cheirasse para que eu pudesse tirar sarro de você. "

“Que amiga você é”, repreendo, mas nós dois estamos


sorrindo. Eu tirei a maior parte da lama de seu
cabelo, mas por algum motivo eu finjo que ainda
estou trabalhando para resolver o problema e
continuo a correr meus dedos por seus cabelos
sedosos, fingindo uma carranca.
"O quê?"

Olhando em volta, eu farejo o ar. "O que é esse


cheiro horrível?"

Clark não fala, até que eu enterro meu rosto em


seu pescoço e inalo. Então, ela grita de alegria, se
contorcendo em meus braços. “Ahhhh! Isso faz
cócegas! Sair!"

"Pelas Deusas, é assim que os humanos


deveriam cheirar?" Eu pergunto, não a deixando
escapar do meu aperto. Ela é uma coisinha astuta e
quase se solta várias vezes. Só me oferece lugares
mais sensíveis para cheirar. Seu pescoço parece
especialmente com cócegas, mas quando chego às
suas axilas, ela quase perde a cabeça. A risada
selvagem de Clark é contagiante enquanto ela se
debate contra mim.

"Seu louco!" ela acusa, quase inaudível.


Aparentemente, fazer cócegas a deixa louca, e devo
dizer que adoro isso. Mas todo esse balanço e
agitação leva a melhor sobre mim e de alguma forma
nossos membros emaranhados nos fazem perder o
equilíbrio. Caímos com um respingo na terra
molhada. Felizmente, senti nossa mudança de
momentum e fui capaz de interromper a queda de
Clark com meu corpo.

No segundo em que caímos no chão, nós dois


congelamos, de olhos arregalados. E quando eu olho
para minha amiguinha tímida, lama escorrendo em
seu rosto e bochechas rosadas de tanto rir ... Eu não
consigo conter minha própria alegria e nós dois
praticamente desmoronamos, nosso acesso de
diversão tão intenso que faz os músculos do meu
estômago dor. Ela descansa a testa no meu peito com
cicatrizes por meio segundo antes de se empurrar
para cima na lama.

Clark avalia suas mãos e braços. Ela está


endurecida no solo rico em nutrientes. "Adorável", diz
ela, lançando-me um olhar acusador. Ainda assim,
ela não consegue esconder sua diversão.

"Essa é uma boa aparência para você", digo a ela,


e ela joga lama em mim, fazendo beicinho.

"O que há de errado com você, seu esquisito!


Quem cheira as axilas de alguém? "

Admiro os pontos em suas bochechas que só


aparecem quando seu sorriso é largo assim. “Isso não
é um costume no seu mundo?”
"Rapaz, isso também não é um costume no seu
mundo!"

"Não, mas você parecia gostar tanto, eu não


conseguia parar."

Suas sobrancelhas se erguem. "Eu parecia


gostar?"

"Sim, como uma verdadeira ... aberração." Eu


digo, gostando de sua reação quando uso um de seus
termos humanos.

Clark zomba de mim, mas agora ela está focada


em toda a lama, olhando para ela como se não tivesse
ideia do que fazer.

"Parece que nós dois precisamos de um banho


agora."

"Eu não estou dando banho em você!" ela insiste.


Quase digo a ela para não fazer promessas que não
pode cumprir, mas é quando me ocorre. Estou
flertando com Clark.

Eu deixei a realização tomar conta de mim ... É a


mesma sensação de paz que tive quando a vi pela
primeira vez pela manhã, mas mais. Há calor lá,
excitação. Isso faz meu coração disparar e eu quero
jogá-la por cima do ombro e carregá-la para o
banheiro. Mas minha mente científica intervém,
anulando meus desejos primitivos. Eu sei o que tenho
que fazer.

Eu vou cortejar esta mulher.


CAPÍTULO 4

Clark

A caminhada de volta ao templo é bastante


silenciosa. Não sei o que Tennir está pensando, mas
tenho muito em que pensar. April, especificamente.
Eu sei que Tennir estava apenas ... Bem, ele estava
basicamente farejando minhas axilas, o que não
parece flertar no sentido mais estrito. Mas ficamos
todos ... cócegas e lutadores por um segundo. Parecia
que estávamos cruzando as linhas. Não posso dizer
que já briguei por cócegas com um colega antes. Mas
ele é um alienígena - talvez nossa interação fosse
completamente neutra para ele?

Quando nos aproximamos do templo, ele começa


a se dirigir para os portões da frente, mas eu o
impeço. Não sei por que, mas não quero que April
veja nós dois cobertos de lama. Eu não saberia como
explicar o que aconteceu sem me sentir ... culpada.

"Vamos pelos fundos."


Tennir balança a cabeça, mudando de direção e,
quando o faz, coloca a mão na parte inferior das
minhas costas para me guiar. Meus olhos se
arregalam. Isso é flertar? Ele está flertando? Mas sua
mão cai enquanto ele segura a porta aberta. Merda.
Ele abriu a porta para mim. Isso é flertar? Oh meu
Deus, estou pensando demais.

“Então ...” eu começo, minha voz saindo mais


alta do que eu esperava. Não ajuda o fato de ecoar
nas paredes de pedra da enorme sala de banho. Eu
limpo minha garganta e verifico meu volume.

"Então." Tennir sorri enquanto arranca suas


botas. Sento-me em um dos bancos de pedra para
trabalhar por conta própria, mas estou muito ciente
do som que suas calças fazem quando ele desabotoa.

Não sei por que estou agindo tão estranho. O


banheiro é um espaço comunitário e, nos últimos
meses, até mesmo nós, humanos, nos acostumamos
a ser misto. Começo a me despir, lentamente e de
costas para Tennir. Só quando ouço um respingo é
que jogo de lado o resto da minha roupa e me apresso
para me esconder sob a tampa que a água fornece.
Não que forneça muito.
Tennir está dando voltas e eu me afundo
algumas vezes, tentando me livrar dessa sensação
desagradável, mas quando volto à superfície, seu
rosto sorridente não está longe.

“Perdi um ponto”, ele me diz, pegando meu


cabelo. Eu fico imóvel enquanto ele tira a sujeira. Meu
coração está acelerado e quando seus olhos fixam nos
meus, eu faço a única coisa que uma garota pode
fazer em uma situação como essa.

"Então, o que você acha de April?"

As sobrancelhas de Tennir baixam. Se


estivéssemos tendo um momento, essa pergunta
definitivamente o interrompeu.

"April?"

Ok, alcoviteira ... Eu sou uma bastante decente


na Terra - posso ser aqui também. "Ela é super
flexível ... por causa da ioga e tudo."

A expressão de confusão em seu rosto se


aprofunda. Porra, direção errada. “E ela é obviamente
a pessoa mais legal de todas. Ela é minha melhor
amiga, você sabia disso? "
Tennir coloca a mão em concha e derrama água
sobre os fios de cabelo que estava trabalhando. “Achei
que fosse seu melhor amigo”, ele brinca.

“Você é meu melhor colega amigo. Ela é minha


melhor amiga. "

“Quase me sinto honrado. Talvez um dia


possamos largar a parte do colega e ser apenas
amigos regulares? ”

"Você foi o único a fazer distinções antes."

"Ah, e olhe como rapidamente comecei a me


arrepender. O que você acha de limparmos a lousa e
sermos outra coisa que não amigos? ”

"Inimigos?"

"Nunca."

Droga, isso é brincadeira? Estamos brincando de


novo? Quando estou aqui tentando conversar sobre
abril? Eu abaixo meu olhar e ele pousa no peito cheio
de cicatrizes de Tennir.

"Ela estava realmente preocupada com você


quando ... quando isso aconteceu." Bato em seu peito
com o dedo, mas sou rápido para afastá-lo. Eu não
estou tentando deixar isso durar.
"Parece que me lembro de vocês dois sentados na
minha sala de recuperação."

“Bem, eu estava lá principalmente para apoiar


April,” eu admito com um estremecimento. "Desculpe.
Apenas sendo honesta."

“Não me ofendo; não nos conhecíamos tão bem


na época ”.

"Eu acho que não."

"Mas se eu enfrentar outro urso feio amanhã,


espero que você seja a primeira pessoa ao lado da
minha cama."

Minhas bochechas esquentam e eu limpo minha


garganta. Puxa, estamos nadando terrivelmente perto
um do outro.

"Quer dizer ... eu acho que April pode me vencer


nessa."

"Eu não acho que ela poderia."

Oh Deus, o que isso significa?

“Você estaria lá. Estou certo disso. Afinal, somos


os melhores amigos colegas ”. O jeito que ele está
sorrindo parece que está dizendo que somos algo
mais.

É hora de nadar de costas. Eu coloquei distância


entre Tennir e eu.

"Ela tem uma quedinha por você; você sabe


disso, certo? "

Tennir suspira e me segue. "April é sua amiga."

"Ela é. Absolutamente."

"E tenho certeza que ela é uma humana


adorável."

"Isso é muito verdade."

“Mas parece, do ponto de vista de um estranho,


que ela é propensa a se apaixonar.”

Minhas baias de natação. "O que você está


dizendo?" Oh, é melhor ele não estar chamando
minha melhor amiga de enxada.

"Estou apenas observando que, se ela tiver


interesse em mim, nenhum de nós deve levar isso
muito a sério."

Eu levanto minha sobrancelha para ele, me


sentindo leal e procurando por um motivo para
defender minha garota. "Ela tem uma queda por você
há um tempo, Tennir, isso é sério."

“Não quando eu não retribuo os sentimentos.”

Bem, esse é um ponto bastante válido. Eu reflito


sobre isso na minha cabeça.

"Além disso," Tennir continua, "ela não estava


apenas tendo uma queda por um dos mercenários de
Allison?"

Esse comentário me tira dos meus pensamentos


e eu mando um respingo pesado em Tennir direto no
rosto.

"Para o que foi aquilo?" ele pergunta, parecendo


chocado. Ele e eu sabemos que April ficou com um
desses caras e é melhor ele não a estar julgando por
isso.

“Você a está chamando de vadia”, acuso.

“Clark, eu nem sei o que é uma vadia. Então, eu


garanto a você, esse não é o caso. ”

Eu franzo a testa para ele, procurando por sinais


de que ele está falando merda. Mas ele parece
sincero. “Bem ... talvez você devesse tentar conhecê-la
um pouco melhor. Acho que você realmente se deu
bem. "

Tennir dá seu próprio nado de costas ao meu


lado. “Eu não sei o que faria você pensar isso. Ela e
eu não temos nada em comum. ”

“Não importa. Os opostos se atraem. ”

"Quem disse?"

"Todos. É de conhecimento comum. ”

"Discordo."

“Você não pode discordar do conhecimento


comum.”

"Observe-me enquanto eu faço."

Eu espirro nele novamente e ele dispara em


minha direção na água. Soltei um pequeno grito.

"Você deve querer que eu o supere novamente."

“Melhor eu! Você me segurou e me fez cócegas! "

Ele sorri e diminui a distância entre nós como se


pretendesse travar outra guerra de cócegas.

“Não! Eu vou me afogar! " Eu advirto, agarrando


seus ombros. É uma reivindicação vazia, feita apenas
para salvar minha própria bunda. Mas Tennir envolve
seus braços em volta de mim e me mantém mais alto
fora da água.

“Eu nunca deixaria você se afogar,” ele diz, seu


tom me dizendo exatamente o quão absurda é a
sugestão.

Eu relaxo um pouco, mas ele ainda está com as


mãos em mim. Meu cérebro hiperativo analisa a
conexão física. Tennir não está tocando minha bunda,
nem está acariciando qualquer parte do meu corpo.
Isso pode ser considerado uma interação muito
neutra de onde ele é ... nós dois nus, nadando juntos.
Eu olho em seus olhos e me sinto ... estranhamente
confortável. Inadequadamente animado, mas ainda ...
estranhamente confortável. Essas cicatrizes capturam
meu olhar e talvez eu não devesse, mas meus dedos
as alcançam. Tennir me deixa cair um pouco mais na
água, até que estejamos no nível dos olhos.

"Isso incomoda você?" Eu pergunto.

"Eles não machucam, se é isso que você quer


dizer."

Acho que não sei o que quero dizer, então dou de


ombros.
“Eu também não estou envergonhado delas.”

“Mas você pensa sobre isso? Sobre o ataque? ”


Eu o vejo checando os dados dos satélites e com que
intensidade ele monitora nossa terra. Talvez ele tenha
algum tipo de PTSD por enfrentar aquela horrível
criatura parecida com um urso?

Tennir solta um suspiro pesado e cobre minha


mão com a dele, mantendo-a pressionada contra o
peito. Posso sentir seu coração batendo.

"Não é isso que me preocupa, Clark."

"Então o que?" Eu sei que é alguma coisa. Ele


mencionou noites agitadas mais de uma vez. Eu vi as
bolsas sob seus olhos.

“Quando Rennek resgatou você e os outros ...”

Ele faz uma pausa, como se não tivesse certeza


se deveria continuar, mas meus olhos estão fixos nos
dele e espero que ele possa ver a preocupação escrita
neles. "Eu quero saber o que está incomodando você.
Eu quero ajudar."

“Alguém enviou uma equipe para a estação de


ciências em que eu estava. Eles queriam eliminar
qualquer evidência do que aconteceu antes que a
palavra se espalhasse e assumissem que Rennek
havia me comunicado os detalhes. ”

"O que aconteceu?"

“Eu estava no meu escritório, tinha adormecido e


quando acordei ... todos estavam mortos. Minha
tripulação inteira, assassinada. Nenhum deles sabia
de nada, mas foram mortos do mesmo jeito. Eu fui o
único sobrevivente. ”

Eu balanço minha cabeça, absorvendo a


informação. “Você não pode se culpar—”

“Eu não”, ele garante. “O problema é que tenho


medo de que aconteça de novo. Aqui." O olhar que
Tennir me dá é doloroso e ele estende a mão,
colocando a palma da mão na minha bochecha. Eu
me inclino para ela, pressionando meus olhos
fechados, tentando organizar meus pensamentos.

“Sou uma solucionadora de problemas, Tennir,


mas não acho que haja como consertar esse
sentimento. Mas eu entendo, também estou com
medo. Se alguém pudesse me tirar da Terra, o que os
impede de me levar agora? "

"Eu nunca deixaria nada-" O tom de Tennir é


firme, sério, mas eu o interrompi.
“Eu sei e não acho que isso realmente vai
acontecer de novo. É apenas um medo, sabe? Um que
é difícil de abalar. "

Ele concorda. “Eu não consigo dormir na maioria


das noites. Eu tenho esses pesadelos. Quero proteger
todos vocês - as humanas, meu irmão - mas sempre
falho. ”

“Eles são apenas sonhos. Mas as coisas que você


faz todos os dias - monitorar os satélites, cuidar do
nosso suprimento de alimentos, a sustentabilidade
aqui - você nunca falha nisso. ”

Tennir encolhe os ombros, dando-me um sorriso


suave. “É apenas um medo.”

"Entendi."

“Parece que você faz. Parece que você me entende


... apesar de quaisquer diferenças que possamos ter. "

Eu olho para sua mão, ainda cobrindo a minha.


O contraste entre seu tom de pele e o meu ... é
realmente impressionante e eu penso em quão longe
eu tive que viajar para chegar a este lugar. “Talvez
tenhamos mais semelhanças do que diferenças”,
ofereço.
"Acho que sim."

A maneira como ele diz isso soa com remorso, no


entanto, e eu olho em seus olhos. "Isso é um
problema?"

“É se você pensar que apenas os opostos se


atraem.”

Minha boca fica seca e meus lábios se abrem.


Dentro do meu peito, meu coração está disparado. Os
olhos noturnos de Tennir estão fixos nos meus e por
um breve segundo, ele e eu somos as únicas duas
pessoas no mundo.

E então não somos.

Vozes ecoam nas pedras e eu me afasto assim


que um grande grupo entra no banheiro. Eu procuro
por April entre eles, sentindo como se tivesse violado
her confiança, mas ela não está lá. Ainda assim, não
consigo afastar a sensação terrível na boca do
estômago. Eu lanço um olhar de desculpas para
Tennir. “Eu deveria ...” Mas eu não termino minha
frase. Eu me viro e nado até a beira da piscina,
apenas tendo tempo para pegar uma toalha. Deixo
minhas roupas para trás, precisando colocar
distância entre Tennir e eu, e rápido.
CAPÍTULO 5

Tennir

Eu dobro, desdobro e redobro as roupas de Clark


cerca de cem vezes antes de colocá-las debaixo do
braço e descer pela colunata vazia. Está tarde.
Certamente todo mundo está dormindo ... até ela. Eu
não sei o que espero aparecer em sua porta assim.
Minha mão paira a centímetros da madeira. Devo
bater?

Olhando para baixo, noto uma luz quente


brilhando por baixo da porta. Pode ser simplesmente
o fogo dela, queimando enquanto ela dorme. Estou
prestes a voltar quando há um som lá dentro. A porta
se abre e de repente Clark está parado diante de mim,
a luz do fogo piscando atrás dela. Ela parece uma
Deusa.

"Eu pensei ter ouvido algo."

"Desculpe, eu não queria incomodar você, mas


você deixou isso para trás." Eu estendo suas roupas,
mas ela não as pega. Ela simplesmente dá um passo
para o lado, me convidando para seus aposentos.

Eu coloco os itens na mesa e olho ao meu redor.


"Eu nunca estive em seu quarto antes", digo,
percebendo a forma como ela está decorada.
Espelhos, cestos, tapetes. Tudo funcional e clean,
mas com um toque de feminilidade. É lindo, assim
como Clark.

Meus olhos travam nos dela. "Eu deveria deixar


você ir para a cama." Eu sinto que estou invadindo o
espaço dela, mas Clark se aproxima de mim, seus
olhos cheios de propósito, e eu nem tenho tempo para
falar antes de seus braços envolverem meu pescoço e
ela me puxar para um beijo.

Meu coração dispara e eu envolvo seu corpo


minúsculo, levantando-a do chão. Minha pequena
humana, tão pequena e preciosa em meu abraço.
Essa conexão que temos ... parece tão certa, não sei
como demorou tanto para vê-la.

As mãos de Clark começam a vagar e eu a deixo


me explorar o quanto quiser, até que ela começa a
puxar minha túnica - então, felizmente, ofereço
minha ajuda. Muito rapidamente, nós dois estamos
tirando as roupas, jogando-as de lado enquanto
lutamos para colocá-las na cama, nossos lábios ainda
travados.

Esta fêmea ... ela é completamente perfeita.


Tudo, desde seu sabor, seu delicioso perfume, a
sensação de seu corpo sob o meu. Eu não poderia
pedir mais, mas ela ainda me dá mais. Sua mão
encontra meu pau e ela começa a acariciá-lo. A
sensação é celestial e enlouquecedora. Tudo em mim
se enrola com uma tensão luxuriosa. Somos todos
membros emaranhados e beijos gananciosos. Clark
geme em êxtase e eu deixo meus lábios percorrerem
seu pescoço. Vou beijar cada centímetro de seu belo
corpo ...

Esse é o plano de qualquer maneira, mas antes


que eu saiba o que está acontecendo, estou dentro
dela - olhando para as expressões que aparecem em
seu rosto enquanto fazemos amor. Ela mostra suas
emoções claramente por mim, oferecendo tudo o que
tem para dar. É o que eu gosto em nós, nunca houve
jogos. O que tivemos foi natural desde o início.

Sua boceta apertada aperta meu pau; ela está


pronta para o orgasmo e eu também. É uma sensação
tão boa, tão celestial. Estou prestes a enchê-la com
meu esperma, mas alguém bate na porta.

Pelas Deusas, alguém poderia ter um momento


pior?

Eles batem novamente, me puxando para longe


de Clark. A imagem de seu rosto, seus sorrisos
suaves à luz do fogo ... tudo desaparece até que estou
olhando para o teto. Tenho que piscar algumas vezes,
enquanto tento me lembrar de onde estou. Então eu
gemo. Eu estava sonhando de novo, mas desta vez
não eram os pesadelos cheios de terror da minha
tripulação sendo assassinada ou um ataque a esta
comunidade. Pela primeira vez em quase um ano, não
tive pesadelo algum. Em vez disso, sonhei com!

Toc, Toc, toc.

A batida na porta não era um sonho. É real e


parece mais insistente do que nunca. Eu jogo minhas
cobertas para trás apenas para revelar uma ereção
dolorosa mal contida pelas minhas calças de dormir.
A batida continua, parecendo urgente. Pode ser
Rennek com notícias importantes. Inferno, pode ser
Clark vindo dizer que tem sonhado comigo. Essa
possibilidade, embora improvável, é a que me tira da
cama. Eu olho infeliz para minha ereção. É
desagradável. Acho que simplesmente não vou abrir a
porta totalmente ...

Infelizmente, no segundo que eu quebrar, quero


fechá-lo novamente. É April, com seus cachos
saltitantes e sorriso brilhante. Eu mantenho a porta
como um limite entre nós, apenas abrindo-a um
pouco.

"O que posso fazer por você esta manhã, April?"

“Oi”, ela diz, mas além disso parece que ela quer
que seu sorriso fale, porque ela não diz mais nada. Há
um longo momento de silêncio entre nós antes de eu
limpar minha garganta.

"April, o que posso fazer por você?"

Seu sorriso se alarga. "Bem, essa lista pode


continuar indefinidamente."

“Vamos começar explicando por que você está


aqui.”

"Olha, eu sei que você tem relutado em se juntar


a nós para fazer ioga. Então, eu tive uma ótima ideia -
bem, tecnicamente Clark teve essa ótima ideia - que
tal eu te dar uma aula particular? Dessa forma, você
pode ver do que se trata. ”

Minhas sobrancelhas franzem e eu esfrego meu


rosto com a mão. “Desculpe, o quê? Clark te enviou? "

"Sim. Para oferecer a você uma aula particular de


ioga. ”

"Contigo?"

"Comigo", ela concorda.

"Uhhh ... eu não acho ... me desculpe, April. Eu


simplesmente não estou interessado. ”

"Oh." Seu rosto cai e eu me sinto um pouco


culpada. Afinal, este é o melhor amigo de Clark. “Ok,
sim. Isso é bom. Não temos que fazer ioga. Você ainda
gostaria de sair? Talvez tomar uma ceata juntos? ”

"Não. Eu ... ”Eu tenho que traçar um limite aqui,


deixar minhas intenções claras, mesmo que pareça
rude. “Eu simplesmente não estou interessado. De
maneira geral."

"Oh!" Seus olhos se arregalam.

"Eu sinto Muito. Eu não quero apressar você. "


April bagunça seus cachos e balança minhas
palavras com um sorriso. "É, não. Claro, tudo bem.
Não estou tentando ser agressivo nem nada. Não, isso
é totalmente estranho. "

Tento dar a ela minha expressão mais simpática,


para que ela saiba que não estou tentando ser cruel,
mas April olha além de mim e seu olhar se fixa na
minha cama - onde eu dormi com as roupas de Clark
ao meu lado. Eu estava gostando do cheiro dela.

Com os olhos arregalados, April franze os lábios -


uma tentativa infrutífera de esconder o sorriso.
"Estava, uh ... a Clark estava aqui?"

"Não." Eu limpo minha garganta. “Ela se


esqueceu daquelas no banheiro. Eu esperava trazê-
las de volta para ela. Você provavelmente deveria, ela
é sua melhor amiga, afinal. " Apressada, e um pouco
envergonhada, pego as roupas e tento passá-las para
April, mas seus olhos vão para minhas calças e os
últimos vestígios remanescentes de minha ereção.
Uma risada escapa dela e ela se afasta da minha
porta.
"Não, é legal, Tennir. Realmente. Muito legal.
Você pode dar a ela. Na verdade, acho que ela já está
na sala de informática. ”

Minha boca se abre e tento encontrar palavras de


agradecimento, mas há apenas uma coisa em minha
mente. "Você acha que eu tenho uma chance?"

Os olhos de April vão diretamente para o meu


pau. "Ohhh sim." Ela ri, fechando minha porta para
me deixar sozinha com meus pensamentos. Eu
permaneço congelada por meio segundo antes de
arrancar minhas roupas de dormir. Eu preciso me
vestir para o dia. Clark já está em sua estação de
trabalho e eu quero estar lá com ela.
CAPÍTULO 6

Clark

Estava garoando quando acordei esta manhã e


uma leve névoa pairava sobre o pátio. Eu fiquei lá por
um momento, olhando para as fontes, refletindo. Me
sentindo como ... bem, eu me senti como a pior
pessoa de Elysia. Toda essa beleza, toda essa sorte,
toda essa sorte de eu não estar morta ou uma escrava
sexual - e eu tenho que estragar tudo ficando
apaixonada pelo cara que minha melhor amiga está
de olho desde o primeiro dia.

A culpa pode ter me impedido de dormir na noite


passada, mas me recuso a ficar presa na emoção. É
minha responsabilidade consertar isso. Então, eu
marchei até a porta de April, determinado a bancar o
cupido.

Eu sei que se Tennir apenas passasse algum


tempo sozinho com minha melhor amiga, ele a amaria
tanto quanto eu. Então, dei a ela a ideia de uma
sessão individual. É uma coisa boa. Eu não deveria
ficar triste com isso. Eles provavelmente estão
fazendo ioga juntos agora. Ioga sexy. Tudo está
exatamente como deveria ser. Eu estou feliz. Ou pelo
menos eu deveria estar, e ainda assim, há algo
pairando sobre mim como uma névoa ...

Estou tão imerso em pensamentos que pulo


quando Tennir abre a porta da sala de tecnologia. Eu
coro instantaneamente, me sentindo uma tola
enquanto tento recuperar minha compostura. O que
deu em mim? Eu nunca estive nervoso antes.

"Bom dia", diz ele, demorando-se na porta. Eu


ofereço um sorriso tenso, desejando não ter me
sentido tão nervoso e estranho de repente. Como é
que tudo entre nós parecia mudar no decorrer de um
dia?

"Manhã."

Tennir está segurando algo em seu punho de


carvão. São minhas roupas.

"Você esqueceu isso."

"Obrigado por pegá-los." Desvio meu olhar


enquanto pego o pacote dobrado, mas seus dedos
tocam os meus e nossos olhos se encontram. Esse
sorriso encantador é fácil de se perder, mas eu me
afasto, silenciosamente prometendo não tocar em
Tennir novamente. É uma ladeira muito escorregadia.

“No que você está trabalhando hoje?”

Sua pergunta atrai um suspiro pesado de algum


lugar no fundo da minha alma. "Não muito."
Trabalho, é a única coisa que pode me distrair.
“Apenas monitorando o fluxo nos canais.” Eu encolho
os ombros. “Realmente não requer muito da minha
atenção.”

“Devemos verificar o sistema de gotejamento nos


campos”, oferece. É um trabalho tedioso, mas
necessário. Não posso dizer que estou animado com
isso, principalmente porque significa mais tempo a
sós com Tennir, e certamente não podemos ter outra
luta de cócegas. Não seria apropriado.

“Sim,” eu digo, meu tom curto enquanto tento


transmitir nessa única palavra o quão distante e
profissional eu sou hoje. Sem tocar, sem brigas de
cócegas. Eu não quero fazer nada mais do que
conversa fiada com o futuro homem de April.

“Estive pensando”, diz ele de repente e com uma


atitude solene. Isso me deixa tenso.
"Oh?" Imagino que sua sessão individual de ioga
deu a ele muito em que pensar. Com um ciúme
absurdo, começo a passar pelas telas de descarga do
canal, sem realmente olhar para nada em particular.

"Você está familiarizado com o trabalho de Kye?"

“Com a criação de peixes ou política?” Eu


pergunto, sem olhar para cima.

"O lado político", oferece Tennir, passando a mão


sobre a cabeça. Eu me pergunto se é grosso ou liso.
Não que eu tenha algum motivo para tocá-lo. “Há um
sistema nos confins do território isleriano que está
sendo colonizado por seu povo - principalmente
formado por comunidades agrícolas, pelo que ouvi.”

"O que o Kye faz aí?"

"Coisas políticas, suponho, mas na verdade


estava considerando o que você poderia fazer lá."

Minhas mãos ocupadas param no monitor e eu


olho para Tennir, confusa. "O que você quer dizer?"

“Todas aquelas fazendas? Achei que algumas


poderiam precisar de poços. ”

Minhas sobrancelhas franzem. “De que tipo de


clima estamos falando?”
"Nada assim." Tennir acena com a cabeça em
direção à porta e acho que ambos podemos imaginar
a selva úmida além das paredes do templo.

“Tenho certeza de que eles têm tecnologia ...”

“Não de acordo com Kye. Estes são alguns


mundos muito atrasados, Clark. A maioria dos
colonos usou até o último crédito que tinha apenas
para chegar lá e comprar um terreno. Isleria tem a
tecnologia, mas e quanto aos Iredescans comprando e
transportando? Essa é uma história diferente. ”

"Ok ... então por que isso está em sua mente?"

“Kye tem muitos projetos em seu prato -


trabalhando com Madreed para garantir os direitos
humanos, ele ainda está profundamente envolvido
com a soberania dos colonos Iredescan, então há sua
noiva -”

“E a incubadora de peixes”, acrescento,


percebendo o quão ocupada Kye deve estar.

Tennir concorda. “Seu trabalho tem sido um


recurso inestimável para seu povo e nossa
comunidade aqui.”
“Eu concordo totalmente, mas o que isso tem a
ver com os poços Iredescan? Quer dizer, eu adoraria
ajudar e isso é o meu caminho, mas o que posso fazer
a partir daqui? "

“Madreed criou um pequeno fundo para os


colonos - para ajudar a garantir a auto-suficiência e
sustentabilidade de seus mundos. É um acordo
aliado recíproco entre ela e Kye, mas não é suficiente
para trazer a alta tecnologia. ”

"Então você quer baixa tecnologia?" Eu sorrio.


Esta sou eu. Eu sou de baixa tecnologia.

“Queremos tecnologia acessível.”

“Como se eu custasse alguma coisa.”

“Tudo custa alguma coisa, Clark. Viajar sozinha


é uma despesa. ”

"Não tinha pensado nisso." Eu puxo meu cabelo


para trás, considerando como seria deixar Elysia e
viajar para outro sistema. Eu sei que temos acesso a
viagens espaciais. Mesmo assim, me chame de
antiquado, mas minha expectativa é que você acabe
em um planeta e fique lá para sempre.
Suponho que essa não seja mais a minha
realidade. Desde que fui abduzida por alienígenas.

“Quão longe está esse projeto?”

“Oh ... talvez 20 minutos ou mais. Talvez meia


hora? "

Eu engasgo com algo entre riso e surpresa. "O


que você quer dizer com meia hora?"

“Eu sabia que Madreed estava procurando uma


maneira de retribuir Kye e, depois de uma rápida
comunicação com eles esta manhã, todos nós
decidimos que isso parecia um esforço valioso - o
melhor uso dos fundos disponíveis. E, aqui estamos
nós agora. ”

“Parece que está acontecendo muito rápido.”

Tennir dá de ombros como se ele não tivesse


acabado de negociar um acordo de tratado
interplanetário. "Eu sabia que você estava entediado."

Meu queixo cai quando considero a quantidade


de créditos que vão para este projeto. “Por favor, não
me diga que isso está acontecendo porque estou
entediada.”
Tennir desvia a pergunta. “Independentemente
disso, está acontecendo rápido. Eu organizei a
viagem; estará pronto quando você estiver. ”

“Jesus, Tennir ...” Eu tento puxar meu cabelo


para longe do meu rosto, mas ele reage.

“Há uma lua chamada Ipoch que é considerada a


capital do sistema. É para lá que iremos. Capital ou
não, Kye diz que é bastante rústico. Possui a maior
necessidade do primeiro conjunto de poços.

“O governador lá, Serif, ele tem três agricultores


que estão no topo de sua lista em termos de
prioridade. Eu disse a ele que estaríamos a caminho
em breve e faríamos tudo o que pudéssemos, mas
esta é definitivamente sua arena, Clark. Não posso
dizer que estou familiarizado com o processo ou
mesmo como determinar o melhor posicionamento
para um poço produtivo— ”

Eu levanto minha mão trêmula para parar


Tennir. Juro por Deus que este homem está falando à
minha alma agora - oferecendo-me a chance de usar
minha experiência, de me sentir ativo e útil
novamente após tantos meses me sentindo obsoleto.
“Quem está na equipe?”
"Você e eu." Ele limpa a garganta. "Nos.
Estaremos trabalhando com os fazendeiros e o
governador, é claro. Mas nós mesmos faremos o
trabalho para manter os custos baixos. Queremos
que os fundos de Madreed se estendam o máximo
possível - para ajudar o maior número possível de
agricultores. ”

A voz de Tennir desaparece no fundo enquanto


eu começo a classificar mentalmente através da
pequena lista de coisas que eu absolutamente preciso
para este projeto. Estou realmente fazendo isso?
Saindo de Elysia para visitar outro mundo? Em outro
sistema solar? TRABALHAR? Estou virtualmente
filtrando de entusiasmo.

"Você está bem?" Tennir pergunta. Eu percebo


que inconscientemente comecei a andar pela pequena
sala, e seus olhos ônix estão me observando com
preocupação. Suas feições alienígenas cinzeladas
estão cheias de preocupação.

"Estou bem?" Eu rio alto. "Tennir, isso é ... isso é


..." Soltei um grito e corri para ele, jogando meus
braços em volta de seu pescoço. E sim, estou
plenamente ciente de que isso viola minha regra de
"não tocar" recentemente estabelecida, mas só desta
vez, acho que pode ser negligenciado para celebrações
relacionadas ao trabalho.

Isto é, até eu começar a notar o quão firme é o


aperto desse alienígena. Sem mencionar o quão duro
seu peito está - ele malhou? E caramba, esses ombros
largos ... Eu caio, reprimindo um sorriso e me
recompondo.

"Obrigado. Eu não posso te dizer o que esta


oportunidade significa para mim. ”

“É apenas o começo, Clark. O governador estima


a necessidade de mais de 100 poços em seu sistema”.

Eu grito novamente e dou um último aperto em


Tennir antes de empurrar por ele para a porta.

"Aonde você vai?"

"Eu tenho que fazer as malas!" Emocionada como


estou, o fantasma de seu toque ainda permanece na
minha pele, então eu paro antes de sair correndo da
sala. "Eu queria perguntar ... como foi a ioga esta
manhã?" Detalhes sobre o tempo que passou com
minha melhor amiga devem suprimir os sentimentos
inadequados que estou tendo, e eu examino sua
expressão enquanto ele procura as palavras certas.
“Digamos que não saiu exatamente como
planejado.”

Eu forço um sorriso. Parece que foi exatamente


como planejado. April é uma megera; Eu sabia que
ela só precisava de um tempo sozinha com Tennir,
para fazer a bola rolar. Ignorando a dor dolorosa em
meu peito, mantenho meu sorriso no lugar. "Boa. Isso
é realmente ... incrível, Tennir. " Nós nos encaramos
por um tempo até que eu percebo que talvez eu esteja
sendo estranho. "OK. Fazendo as malas agora!
Obrigado novamente por esta oportunidade. Você é
um ótimo amigo. "

E isso é tudo que ele será, digo a mim mesma


enquanto corro em direção ao meu quarto. Nunca
estive tão pronto para devotar todo o meu foco e
atenção ao trabalho. Afinal, não há melhor distração
de uma paixão não correspondida.
CAPÍTULO 7

Clark

Reconheço que chego muito cedo quando vou


para o estaleiro. Não é tão ocupado quanto às vezes
pode ficar. Allison e Da'vi estão entregando escravos
resgatados a mundos domésticos e portos seguros, e
nenhum membro da equipe de mercenários de Allison
está residente no momento. Depois, há Gile, Mire e
Gorrard - que morava em sua nave. Eles agora se
mudaram permanentemente para os aposentos do
templo. Então, estou surpreso de ver alguém no
quintal e, ainda assim, uma emoção estúpida de
emoção passa por mim quando vejo Tennir.
Mentalmente, tento reprimir.

"Oi!" Eu chamo ele. "Não esperava você aqui tão


cedo."

“Eu tenho a lista de suprimentos que você


enviou; Estou terminando o inventário agora. ”

"Impressionante."

“Essa é a sua bagagem?”


"Oh, eu posso carregá-lo-" Mas Tennir pega
minha mochila e passa a alça por cima do ombro. Por
que ele tem que ser um cavalheiro, eu lamento.

"Deixe-me mostrar a você."

Tennir lidera enquanto embarcamos no navio


emprestado. Não é exatamente minúsculo, como o
LWSS que Allison e V preferem para velocidade e
manobrabilidade. Nem é um gigante como o navio em
que Gorrard e seus amigos vieram. É algo
intermediário.

A maior parte do espaço é dedicado ao porão de


carga, e o resto é dividido entre uma modesta galera,
a ponte e dois quartos de dormir esparsos - suas
portas lado a lado. Pelo menos não vamos dormir
juntos, penso comigo mesma enquanto Tennir passa
por mim no corredor apertado para colocar minha
mochila na cama.

“Como é o tempo de viagem?”

“Alguns dias a uma velocidade moderada.”

Eu franzo a testa, decepcionada com a notícia.


Eu gostaria que fosse como filmes de ficção científica
e pudéssemos simplesmente passar por um buraco de
minhoca e estar lá em segundos.
“Quanto mais cedo partirmos, mais cedo
chegaremos lá”, diz Tennir.

"Suponho que seja verdade."

“Eu não esperava estar pronto tão rápido, mas


vendo que estamos todos embalados, o que você acha
de sairmos? Você pode verificar os suprimentos antes
de irmos, se quiser? ”

"Você quer sair agora?" A ideia é emocionante e


causa ansiedade. Eu quero trabalhar, mas mal posso
acreditar que estou realmente deixando Elysia -
mesmo que seja apenas por um curto período de
tempo.

"Não há nada nos impedindo."

Penso brevemente em April e nas outras pessoas


da aldeia. "Talvez eu deva dizer adeus primeiro?"

Tennir me lança um olhar engraçado. “Você pode


se comunicar quando quiser.”

"Certo. Eu não pensei nisso. " Eu esqueço o quão


avançadas são essas civilizações alienígenas. Só
porque não tenho meu iPhone, não significa que não
posso ligar quando quiser, não importa em que
mundo estou. Acho que realmente não preciso dizer
despedidas cara a cara. Não é como se eu fosse ficar
longe por tanto tempo. Além disso, a caminhada de
volta para a aldeia não é exatamente modesta.

Eu mordo meu lábio e puxo meu cabelo para trás


das orelhas. A verdade é que fico ansioso quando
penso em enfrentar April. Eu sei que consertei as
coisas esta manhã com a aula particular de ioga e
tudo, e não é como se nada tivesse acontecido entre
mim e Tennir de qualquer maneira.

Ainda assim, não consigo evitar a sensação de


que pisei na ponta dos pés dela - o que
definitivamente não vai acontecer novamente. Eu só
preciso me concentrar no trabalho, então vou
esquecer tudo sobre quaisquer faíscas que podem ou
não ter estado voando entre Tennir e eu. Vou colocar
um pouco de tempo e espaço entre tudo isso e
quando eu voltar, será como se nada tivesse
acontecido. Isso mesmo, uma lousa em branco.

Eu sorrio brilhantemente para Tennir,


determinada a ser nada mais do que uma colega e
amiga do belo alienígena. "OK. Se não há nada nos
impedindo, vamos fazer isso. "
Tennir retribui meu sorriso enquanto se espreme
para fora dos meus aposentos. Tento dar a ele o
máximo de espaço possível, mas é como se
estivéssemos fazendo uma dança estranha até que ele
estende as mãos e coloca as mãos em meus braços
para me guiar para um lado para que ele possa
passar.

Eu limpo minha garganta. "Retenção de carga?"

"Espera de carga", ele concorda, e depois de


alguns minutos verificando e checando nossos
suprimentos, estamos prontos para ir.

"Então, quem vai pilotar essa coisa?" Eu


pergunto, rindo nervosamente enquanto me imagino
disparando para o espaço sideral. Esse tipo de viagem
pode ser rotina para Tennir, mas ainda é uma
novidade para mim.

"Vamos, vamos nos amarrar." Ele coloca a mão


nas minhas costas, me guiando, mas eu acelero meu
ritmo para escapar da sensação elétrica de seu toque.
Ele é meu amigo, apenas meu amigo. Repito as
palavras em minha mente como um mantra, mas
quando chegamos à ponte, meu cérebro fica em
silêncio. Eu paro lá, olhando para todos os painéis de
controle de alta tecnologia, observando tudo. Já se
passou muito tempo desde que estive em uma nave
espacial.

"Você está bem?" Eu ouço a preocupação de


repente envolvendo a voz de Tennir. Ele pode sentir a
mudança em mim, então reúno um largo sorriso para
afastar qualquer preocupação minha ou dele.

"Eu simplesmente não deixei Elysia desde ...


bem, desde o início."

Infelizmente, essa admissão só faz a expressão de


Tennir ficar mais pensativa. "Você está nervosa com o
nosso voo?"

"Eu deveria estar?" Eu rio em resposta à sua


pergunta, tentando forçar o clima a ficar mais leve.
Mas a realidade é que estou nervoso. É estranho,
estou inegavelmente animado para trabalhar neste
projeto de poço, e ainda deixar a segurança de Elysia
e a estabilidade que ela proporcionou ao longo do ano
passado definitivamente me fez tremer em minhas
botas - e Tennir, ele pode sentir isso.

“Eu sei como é experimentar algo fora do seu


controle. Pode fazer com que até as coisas mais
simples pareçam ... erradas. Mas eu prometo a você,
Clark, você está segura comigo. Sempre."

Sua expressão é solene e eu sinto suas palavras


penetrarem profundamente em minha alma. "Sei
quem eu sou."

Tennir acena com a cabeça, uma carranca em


seus lábios. “É fácil saber as coisas, mas muito mais
difícil parar um sentimento depois que você o tem.”

“Acho que não posso argumentar contra isso. A


emoção supera a lógica quando se trata de coisas
como medo e ... e ... ”Eu definitivamente não ia dizer
romance. Eu paro, evitando meu olhar. Depois disso,
nada mais é dito. Tennir me guia até um dos assentos
e eu caio nele, meus olhos encontrando os dele sem
jeito. Não há como lutar contra o rubor subindo em
minhas bochechas. Por que ele tem que ficar tão
perto? Por que ele tem que cheirar tão bem?

“Correias do cinto de segurança.” Ele me mostra


onde a fivela deve ser presa. “Ele se encaixa.
Certifique-se sempre de ouvir o clique. ” Suas mãos
cobrem as minhas, guiando-me nesta lição, e com um
pouco mais de força do que estou acostumada, sou
capaz de juntar as duas peças.
"Entendi", eu digo com orgulho. “Assim como os
cintos de segurança em casa.” Só não realmente. É
mais como se amarrar a algum tipo de jato militar
intenso. Tennir parece satisfeito no entanto e se
acomoda em seu assento.

"Quantas vezes você voou?" Ele está conversando


ociosamente enquanto aciona todos os tipos de
interruptores e botões. Eu ouço os motores da nave
ligando.

"Oh ... deixe-me ver." Eu faço a contagem curta.


“Teve a primeira vez, quando fui sequestrada. Mas eu
não estava consciente disso, então não sei se conta.
Em seguida, houve a fuga dos escravistas que nos
capturaram- os Ju'tup. O que foi uma experiência
incrível para todos ”.

"Para dizer o mínimo."

"Sem brincadeiras. E depois disso ... depois


houve o acidente. ”

"Quando viemos para Elysia." Ele acena com a


cabeça, lembrando daquele dia tão bem quanto eu.
Todos nós quase morremos e a nave em que entramos
foi danificado além do reparo. "E depois?"

"Hum ... isso?"


Tennir estremece. “Esta é a primeira vez que você
voa desde nosso acidente?”

"Estou bem", digo a ele. Embora eu esteja


ativamente tentando nos convencer desse fato.

"Oh, Clark, gostaria que houvesse algo que eu


pudesse dizer para aliviar seus medos-"

"Estou bem." Dou um sorriso forçado para


Tennir, mas ele não acredita ... provavelmente porque
minhas mãos estão tremendo. Então, eu os ocupo,
afastando os cabelos soltos dos olhos.

“Isso provavelmente será assustador e, na minha


experiência, só há uma maneira de combater essa
emoção.”

Eu verifico meus cintos de segurança,


certificando-me de que a fivela não vai ceder. "Estou
na beira da cadeira, meu amigo. Qual é o seu
segredo?"

"Você tem que enfrentar seus problemas de


frente."

"Vai. E aqui estava eu, esperando que você fosse


me oferecer um relaxante muscular. "
Tennir me lança um olhar engraçado. “Seu corpo
está tenso? Uma massagem ajudaria? ”

Meus olhos se arregalam. "Não! Não, vou apenas


... tentar me concentrar em pensamentos felizes. "

"Vamos acabar com isso. Você se sentirá melhor


assim que deixarmos a atmosfera. ”

Eu zombo, pensando que não é muito provável.


No meu íntimo, há um medo inegável em torno das
viagens espaciais. É assim que fui levado. Foi assim
que minha vida mudou em um instante. Com que
facilidade isso poderia acontecer de novo?

Eu tento o meu melhor para me livrar disso.


Estou com medo, mas não é só isso. Também sinto
entusiasmo em relação ao trabalho e tento me
concentrar nisso. Eu o imagino borbulhando e
subindo ao topo. Eu aperto meus olhos fechados e
imagino isso, como uma taça de champanhe sendo
servida. Boas coisas estão chegando.

Tudo isso sai pela janela quando eu sinto a


vibração dos motores enquanto eles ganham vida e o
navio muda de direção. Nós decolamos do chão. Meu
coração bate um pouco mais forte e agarro meus
apoios de braço, me sentindo em pânico. Então, o
calor de uma mão se fecha sobre a minha. Eu arrisco
uma espiada. Tennir está olhando para mim, sua
expressão gentil.

"Pronto?" Ele pergunta, sua voz quase um


sussurro. Eu aceno e bloqueio meu olhar em seus
dedos entrelaçados com os meus. Na minha visão
periférica, posso ver as nuvens passando pela tela de
visualização. O verde da floresta fica cada vez mais
longe, mas nada disso tem meu foco. Em vez disso,
estou olhando para a mão cinza-ardósia de Tennir -
tão estranha em sua natureza e, ainda assim, é a
única coisa que me mantém com os pés no chão.
CAPÍTULO 8

Tennir

Clark finalmente se soltou - depois de um


incentivo significativo da minha parte. Eu prometi a
ela que não há motivo para se preocupar agora que
deixamos a atmosfera elíseia. Temos uma bela rota
suave até as colônias de Iredescan. Esta deve ser uma
viagem agradável e uma oportunidade de chamar a
atenção dela. Infelizmente, permitir que meu pequeno
cientista se mova pela ponte parece ser um tiro pela
culatra. A liberdade não a está relaxando nem um
pouco. Na verdade, quanto mais ela olha pela tela,
mais ansiosa parece ficar.

Eu observo Clark enquanto ela está diante do


monitor, diminuída por seu tamanho e olhando para
o espaço. De vez em quando, eu a pego torcendo as
mãos ou segurando o peito como se quisesse que seu
coração se acalmasse. Eu tenho que distraí-la.
"Talvez você gostaria de falar com seus amigos
em Farol?"

Clark prendeu a respiração quando seu olhar se


fixou no meu. "Não! Tudo bem. Talvez mais tarde? "
Ela força um sorriso fraco nos lábios. Sua expressão
preocupada não me cai bem, e penso nela como ela
era ontem, rindo e brincando como se fôssemos os
amigos mais próximos. Eu quero ser assim de novo.

“É uma pena que esses navios não venham


equipados com piscinas de banho, não é?” Eu digo,
curtindo a memória de nós nadando juntos.

As bochechas de Clark ficam vermelhas e eu me


pergunto se ela acha que eu trouxe a piscina para
fins higiênicos ao invés de mais íntimos. “Claro, há
um chuveiro em seus aposentos,” eu aponto, mas isso
só me dá um olhar perplexo de meu companheiro
humano. Felizmente, no entanto, ele se transforma
em um sorriso verdadeiro - um que ilumina seus
olhos.

"Você está tentando me dizer que eu fedo,


Tennir?" Ela está me provocando. Oh, mas estou
muito grato por isso. A tensão derrete e é como se
fôssemos as únicas duas pessoas no universo.
"Deixe as Deusas me derrubarem se eu sugerir
que você cheire qualquer coisa menos que deliciosa."

O sorriso de Clark vacila e ela puxa o cabelo para


trás - um esforço sem esperança, mas encantador.

“Falando em deliciosa…”

Seus olhos se atrevem a encontrar os meus.

“Que tal uma refeição? Não vi você no café da


manhã. "

"Não, eu pulei." Clark morde seu lábio e seus


olhos voltam para a tela de visualização.

“Relaxe essas suas sobrancelhas peludas,


pequena humana. Vamos pegar algo para comer."

E assim, seu sorriso retorna. Estou aprendendo


com ela, ou talvez quanto mais ficarmos juntos, mais
natural isso se torna.

"Sobrancelhas peludas?" Clark faz uma careta


para mim. "Quero dizer, é preciso, mas de alguma
forma ainda soa como um insulto."

"Eu sou dois por dois, então. Primeiro, sugiro que


você fede e agora aponto aquelas monstruosidades
alienígenas que você usa acima dos olhos. Eu imagino
que você me ache irresistivelmente charmoso neste
momento. ”

Clark bufa, seu sorriso é tão largo que faz essas


marcas maravilhosamente assimétricas aparecerem
em suas bochechas. Eu quero pressionar beijos para
eles, mas tenho deveres muito mais importantes a
cumprir. Já passa do meio-dia e Clark ainda não
comeu.

“Alguém vai precisar te dar algumas dicas se você


espera se encontrar com uma companheira humana.
Ou qualquer fêmea, por falar nisso. ”

"Acho que você descobrirá que sou melhor nisso


do que você acredita."

“Uau, arrogante também? Lembra-me de como


você ainda está solteiro? ”

"Acredite em mim, estou trabalhando nisso." Eu


pego a mão de Clark e a puxo em direção à cozinha.

"Onde estamos indo?" ela pergunta, olhando para


a tela de visualização. É como se ela pensasse que o
simples ato de olhar para o abismo alteraria o curso
de nossa jornada. Por mais ilógico que seja, é algo
com o qual me identifico. Não faço a mesma coisa em
Elysia? Constantemente monitorando os céus em
busca de sinais de invasores - aqueles que podem
causar danos à minha família e à minha colônia.
Houve apenas uma coisa para me puxar da minha
obsessão e, agora, a mão dela está na minha.

"Você deve comer. Não é negociável. ”

“Tudo é negociável”, ela rebate. “Mas, neste caso,


você não precisa se preocupar. Estou com muita
fome. "

Eu estalo minha língua em decepção fingida.


“Você me pegou em um blefe. Eu estava totalmente
preparado para oferecer termos mutuamente
benéficos. ”

Ela ri da minha admissão. “Jogando duro, hein?


Então, quais seriam seus termos - para esta refeição
que já planejei fazer? "

Finjo refletir sobre isso, considerando minhas


opções, mas já sei exatamente o que quero.

"Dê-me uma visão sobre as fêmeas humanas."

"O que você quer saber?"

"Coisas normais." Eu encolho os ombros. “Como


como perseguir uma. Faça isso e eu cozinharei para
você. "
“Ah hah! Então, você está interessado em
perseguir alguém? ” O sorriso de Clark é presunçoso,
como se ela tivesse descoberto um grande segredo. Eu
esperava que minhas intenções fossem claras, mas
mesmo que ainda não tenham se tornado aparentes,
logo o farão. Esta viagem é uma oportunidade para
nos conhecermos em um nível muito mais profundo.

A porta da cozinha se abre e, quando entramos,


Clark solta minha mão para que ela possa vasculhar
os armários e gavetas. “Estou cozinhando”, insisto.

"Eu posso ajudar."

"Tenho certeza que você pode, mas por agora


você vai sentar e me dizer tudo o que preciso saber
sobre cortejar uma fêmea humana."

Clark hesita por um momento, puxando-oer


bloqueios indisciplinados. "Sim. Absolutamente tudo."
Ainda assim, ela não fala. Em vez disso, ela percorre
os limites apertados da sala algumas vezes antes de
ligar uma tela de visualização.

"Estou esperando minha lição, humana."

“Sim, eu pensei que talvez devêssemos ter a tela


ligada. Apenas no caso de."
“Se houver algum problema, o computador nos
notificará imediatamente.”

“E se o computador for hackeado? Ou uma


explosão de laser destrói o sistema de alerta? ”

Eu suspiro. Minha pobre Clark. Eu sei


exatamente como ela se sente. "Eu vou ajudar a
distrair você."

Ela morde o lábio, não querendo desviar o olhar


do monitor. “Essa é uma declaração ousada.”

“Posso ser bastante ousado às vezes”, garanto.


Clark segura meu olhar e parece que ela quer dizer
algo em resposta, mas ela morde a língua, um olhar
divertido em seus olhos. Mas a garrafa de Oolai que
preparei realmente a distraiu.

"O que é isso?"

"Não é uma massagem, mas pode ajudar a


relaxar os músculos."

“Bebida? Oh, Tennir, você não deveria ”, diz ela


com inteligência.

"Não? Eu poderia guardar ... ”Finjo que vou pegar


a garrafa, mas Clark me impede.
"Uau! Desacelere! Traga de volta, garotão! ”

Eu rio enquanto sirvo um copo para cada um de


nós.

“Como eu bebo essas coisas?” ela questiona,


franzindo o nariz.

Estendo a mão e corro meu polegar em seu lábio


inferior. "Com sua boca."

Ela bufa e dá um tapa na minha mão. "Oh cara,


você é um espertinho agora, sabia disso? Eu quis
dizer, eu tomo isso como um trago ou bebo devagar? "

"Do jeito que você quiser, minha deusa, mas


temos a noite toda para desfrutar da garrafa."

"É lento."

“Lento e sexy.” Eu sorrio, percebendo o rubor nas


bochechas de Clark.

“Oh meu Deus, você é um flertador. Eu posso ver


por que April gosta de você. ”

Isso faz com que o sorriso desapareça do meu


rosto. "Eu nunca flerto com April."
“Não ainda, pelo menos. De qualquer forma ”- ela
toma um gole de seu Oolai -“ você queria saber sobre
como cortejar uma humana. ”

Agora estamos no caminho certo. "Começar


falando."

Clark acena para os ingredientes que peguei para


nossa refeição. “Comece a cozinhar.”

"Seu desejo é uma ordem, Deusa."

"Hmm ..." Clark olha para a tela pensativo, mas


posso dizer que ela não está pensando em perigo, ela
está pensando em namorar. “Por onde devo
começar?”

"Como um homem deixa suas intenções claras?"

Seus ombros encolhem e ela toma outro gole.


"Droga, você sabe, talvez eu seja a pessoa errada para
perguntar." Uma careta aparece em seu rosto e ela
parece estar perdida em pensamentos. “Eu sou meio
nerd em casa, caso você não soubesse.”

“O que é um nerd?”

“Os cientistas geralmente são considerados


nerds.”
“Então nós dois somos nerds.” Eu sorrio, feliz por
termos algo em comum.

Clark está rindo de novo. “Você não pode ser um


nerd.”

"Por que não?"

Ela acena com a mão para mim. “Porque todos


vocês, alienígenas, são moldados como super-heróis.
Você tem que ser esquelético e pálido para ser um
nerd. ”

Isso faz meu sorriso ficar ainda mais largo.


"Então você, mulher, é toda nerd."

Clark me lança um olhar de repreensão.


"Caramba, valeu."

"O quê? Gosto da sua aparência. ”

"Sim, Sim. Eu não estou procurando elogios. Eu


deveria estar ajudando você com seu problema de
garota. "

"Sim, me ajude com meu problema de garota."

Ela bebe a bebida em seu copo. "Intenções?"

“Intenções,” eu concordo.

"Não, quais são suas intenções?"


É impressionante a rapidez com que sei minha
resposta. "Amor. Para escolher uma companheira. ”

Minha humana assobia. "Isso parece bastante


permanente."

"Totalmente assim."

"Não sei se April é uma garota para sempre."

"Isso é uma pena para April."

"Bem, suponho que se você quiser deixar suas


intenções claras, você deve começar pelo simples."

“Como é que se começa simples?”

"Flertando?"

"Acredite em mim, isso já começou." Eu atesto o


copo de Clark e coloco minha preparação de refeição
na mesa, para que eu possa desfrutar da beleza do
meu futuro companheiro enquanto cozinho.

“Oh, é agora? Conte me mais sobre isso."

Eu balancei minha cabeça. "Você concordou em


me contar sobre os rituais de namoro humano e
ainda temos que discutir algo que ainda não sei."

Clark bufa, soprando uma mecha de cabelo de


seu rosto. “Bem, com certas mulheres, flertar é tudo
que você precisa. Garota gosta de você, você gosta de
garota, você paquera, aí vem o sexo. O fim."

“Eu não quero que isso seja o fim. Eu quero


mais."

"Bem, isso é entre você e sua Deusa."

Eu olho para baixo e percebo que Clark já


terminou sua segunda taça de Oolai e eu sirvo outra
para ela antes de ter a chance de pensar melhor a
respeito. Minha pequena nerd esquelética ainda não
comeu nada hoje. Então, ofereço frutas enquanto ela
espera nosso jantar.

Ela deve estar com fome, porque ela não hesita, e


pelo canto do meu olho eu a observo comer, com fome
de uma maneira diferente enquanto o suco de fruta
escorre por seus dedos. “Isso é tão bom”, ela me diz.

Eu dou a ela um olhar de expectativa e ela bufa


novamente. "Eu sei eu sei. Não sou bom em romance.
Vou me esforçar mais ”, ela promete, conseguindo um
olhar determinado sobre ela.

"Por que não me diz o que funcionaria em você?"

"Oh." Clark pisca, surpresa com a pergunta. "Eu


não sei."
“Você deve ser um especialista em si mesmo!”

"Sim, bem ... é que ... eu nunca ... você sabe."

Meus olhos se arregalam. "Você é virgem?"

Ela bufa. "Não! Eu simplesmente nunca estive


apaixonada. "

"Tão difícil de vencer?"

"Eu não sei. Eu nunca tentei. ”

Eu me inclino para trás em meu assento. "Eu me


recuso a acreditar."

"Acredite, porque é verdade."

“Você é um prêmio, Clark. Qualquer homem teria


sorte de ter você. "

"Puxa, obrigado, pai."

"Pai?" Eu torço meu nariz infeliz. Não desejo esse


tipo de relacionamento com Clark. Longe disso.

“Você tem que dizer isso porque você é meu


amigo. Você sabe, como os pais têm que dizer que
seus filhos são legais? ”

Eu ri. “Eu não conto a nenhum dos meus outros


amigos que prêmio eles são, e no que diz respeito à
sua temperatura ...” (N.T. cool = legal mas também
significa gelado) Eu me levanto e faço meu caminho
para o lado dela da mesa, antes de acariciar o lado de
seu rosto. Ela me olha com os olhos arregalados e
percebo que suas pupilas dilatam. “Eu diria
moderado, mas parece que você está esquentando.”

"Oh sim? Bem - ”Clark desvia o olhar e puxa a


gola de sua camisa. Aproveito a oportunidade para
desligar a tela de visualização - ela não está
prestando atenção às suas preocupações infundadas
no momento e não vejo razão para lhe dar uma
chance mais tarde.

"Explique-se."

“Por que eu nunca me apaixonei?”

Eu aceno, deixando cair a comida que preparei


no fogão. Temos um replicador, mas quero trabalhar
no que se refere ao Clark. Quero cozinhar para ela - à
moda antiga.

“Eu sou esquisita”, ela sugere.

Eu balancei minha cabeça.

“Quero dizer, no que diz respeito aos padrões da


Terra. Sempre gostei de ciências e tive uma mente
mais analítica. Os homens na Terra não gostam
muito de... ”

"Profundidade?"

Clark ri. "Você faz parecer uma coisa boa."

“Você é uma nerd profunda, pálida e magricela”,


digo a minha querida Clark. Ela me encara por um
momento e então joga a cabeça para trás, rindo. "O
quê?"

Ela está rindo tanto que lágrimas escorrem pelo


seu rosto e ela levanta a mão, indicando que eu devo
esperar até que ela se recomponha.

"Eu entendo que era para ser um elogio, mas


provavelmente é a coisa mais cruel que um cara já
disse na minha cara."

Meu coração cai. Eu estou falhando nisso.

Clark afasta minha preocupação. "Está tudo


bem", ela garante. “Eu entendi a intenção por trás
disso. Soou engraçado. ”

"Você entendeu minha intenção?"

"Absolutamente."
Bem, está indo melhor do que eu esperava. Clark
entende que minhas intenções são torná-la minha
companheira.

Ela enxuga mais algumas lágrimas de alegria.


“Nenhum dos caras com quem saí na Terra ficou
sério. Suponho que nunca realmente me conectei com
nenhum deles. ”

“Mas veja como nos conectamos facilmente.”

Clark me dá um sorriso sincero. "Sim, isso meio


que se aproximou de mim."

"Eu também." O fogão apita, avisando que nossa


comida está pronta. Pego porções para Clark e para
mim e coloco um prato diante dela. “Eu sempre estive
tão envolvido no meu trabalho.”

"Sei exatamente o que você quer dizer."

“Provavelmente foi assim que aconteceu


conosco”, eu ofereço. "Nossa conexão."

Ela cantarola em concordância. “Passamos tanto


tempo no mesmo espaço—”

“Trabalhando lado a lado—”

“Nós nos aproximamos sem nem perceber.”


Eu levanto uma sobrancelha. "Você me enganou
para chegar perto de você."

"Enganei você?" Clark ri. "Eu nem estava


prestando atenção em você!"

“Nem eu para você, mas um dia olhei para cima e


lá estava você. Meu amigo mais próximo em Elysia. ”

Clark apoia os cotovelos na mesa, sorrindo para


mim. Seus olhos estão brilhantes do Oolai, mas ela
está feliz e relaxada. “Você é meu amigo mais próximo
também. Você e April. É perfeito, realmente. ” Ela
pega seu copo e o estende para mim, mas ainda está
cheio.

"O quê?"

“Pegue o seu e nós os brindamos”, ela instrui. Pego


meu Oolai intocado e o seguro. O copo de Clark bate
suavemente no meu. “À amizade! É um brinde, ”ela
sussurra.

“Beberei para a amizade - e para construir laços


que duram a vida toda.”

Clark toma um gole e tenta pousar o copo, mas


ela se atrapalha e o derrama sobre a mesa. "Ah
Merda!"
Pego um pano para limpá-lo e Clark tenta ajudar,
notavelmente com menos coordenação do que estou
acostumado a ver nela.

"Você está bêbada."

“Psh! Nem mesmo!"

O sorriso que ela me dá é preguiçoso e me faz rir.


Pego seu copo e coloco no limpador, então deslizo seu
prato para frente. “Coma, mulher. Já ouvi histórias de
como a sua espécie não consegue conter bebidas
alcoólicas e não quero você vomitando esta noite. "

"Não está interessado em segurar meu cabelo


enquanto vomito?"

"Se você precisar, eu vou, mas prefiro ouvir mais


de seus pensamentos sobre o amor."

“Amor,” Clark zomba, colocando um pedaço de


comida em sua boca. “Eu sou estranha quando se
trata desse tipo de coisa.”
CAPÍTULO 9

Tennir

“Juro que não estou nem bêbado”, insiste Clark.

"Então por que estou carregando você para o seu


quarto?"

"Porque você é um exibido fortão?" A cabeça de


Clark pesa no meu peito e, a julgar pelo seu tom, ela
está meio adormecida.

“Qual é o ponto de se exibir? Você nem vai


lembrar o quão forte eu sou pela manhã. "

“Todos nós vemos seus músculos, Tennir. Acho


que você vai ficar bem. "

"Você percebe meus músculos?"

"Mmm. Também noto a maneira como você


prepara uma lâmina de microscópio. ”

"Você sabe?"

"E do jeito que você gosta da sua ceata."


"Você faz o melhor ceata."

Clark bate em sua têmpora. “Porque eu presto


atenção.”

"Em que mais você presta atenção?"

“Taxas de fluxo nos canais.”

“Acredito que estávamos falando sobre mim - e


sobre meus músculos em particular.”

"Não é estranho que todos nós nademos nus


juntos?"

"Não?"

"Sim. Meninos e meninas não fazem isso na


Terra. ”

"Isso é estranho, mas o que isso tem a ver com


meus músculos?"

"Seus músculos ficam tão ... molhados."

“Ah, então você observa meus músculos


enquanto eu tomo banho. Agora, esse é o tipo de
confissão que eu estava esperando. "

“Mmmm, aposto,” Clark murmura.


"Não adormeça em mim agora; esta conversa está
finalmente ficando boa. ”

"Sobre o que estamos falando?"

"Você está me observando tomar banho."

“Coloque assim e soará constrangedor.”

"Você é tão tímida?"

"Isso só me faz parecer uma pervertida."

"Você se sentiria melhor sabendo que também


sou um pervertido?"

"Vamos ver, estou sozinha com você em uma


nave espacial e você está me carregando para a
minha cama ... Eu vou dizer não."

“Os padrões duplos!”

"Processe-me."

“O que é„ processe-me ‟? Isso é algum tipo de


favor sexual humano? "

"Como desejar."

Chegamos ao quarto de Clark, mas não estou


pronto para nos separar.
"Você precisa de mim para ajudá-la a ir para a
cama?"

“Depende. Você vai ser um pervertido? "

“Quando se trata de você? Sempre."

Clark ri sonolenta. "Você não deveria dizer isso."

"Por quê? Porque isso te faz corar tão


sedutoramente? "

“Eu não coro”, ela insiste.

"Eu peço desculpa mas não concordo."

“Eu também não ronco. Caso você esteja se


perguntando. ”

"Bem, agora vou ter que ficar por aqui para testar
a teoria."

A porta se abre e carrego meu querido humano


para dentro. Estou relutante quando a coloco na
cama, mas não é como se eu pudesse segurá-la a
noite toda. Clark rola, envolvendo-se em cobertores
enquanto ela o faz.

"Oh, não, não precisa. As botas saem, ”eu insisto,


puxando-as para ela.
"Meias!" ela comanda, o rosto meio enterrado em
um travesseiro, os olhos completamente fechados.

Eu tiro as meias dela, e apenas um momento


depois Clark está rasgando suas calças, tentando se
despir completamente.

"Deixe-me fazer isso."

"Eu entendi, seu pervertido." Bêbada como está,


seu tom é brincalhão.

“Estou apenas tentando ajudar no seu conforto.


Ajudaria se eu prometer que vou esperar até que você
tire as calças para flertar com você? "

"Minha nossa! Que cavalheiro você é! " Clark diz,


em meio a um ataque de risos. "Tudo bem, faça isso
por mim."

Depois que as calças são descartadas, ela parece


bastante confortável, então eu a cubro com um
cobertor e vou até a porta.

"Espere!" Eu me viro, observando sua expressão


carrancuda. “Fique comigo”, ela implora.

Hesito, tentando entender o que Clark está


pedindo de mim. "Por quê?" Embora eu goste de
flertar com ela, não sou um pervertido e não vou ficar
pelos motivos errados.

“Não quero acordar assustada e sozinha.” A


resposta dela é tão rápida e crua que não me
preocupo com outra palavra. Eu apenas tiro minhas
próprias botas e tiro minhas calças e túnica, então
me arrasto para a cama atrás dela. É um espaço
pequeno e tenho que me espremer para chegar perto,
mas Clark parece gostar. E devo dizer, eu também.
CAPÍTULO 10

Clark

Eu não sei que horas são, mas não importa o que


aconteça, é muito cedo.

Minha boca está seca e meus olhos com crostas.


Eu estendo a mão para esfregar meu rosto, mas há
algo pesado me segurando. Eu torço meu nariz e
avalio a situação. Há um braço cinza em volta de
mim.

Pisco algumas vezes.

Há um braço cinza em volta de mim e me abraça


com mais força.

Eu grito.

Tennir literalmente rola para fora da pequena


cama e bate no chão, mas ele se levanta em um
segundo olhando ao redor do quarto como se
procurasse algum sinal de perigo.

"O que diabos?"


"Sim! O que diabos está acontecendo aqui? " Eu
aperto o lençol no meu peito. “O que você está
fazendo na minha cama? Porque você esta nu? Oh
meu Deus, nós fizemos sexo? " Meu coração afunda.
Eu fiquei bêbada? April vai me odiar. Oh meu Deus,
eu sou uma vagabunda. Que tipo de garota faria isso
com seu amigo mais próximo? Eu enterro meu rosto
em minhas mãos.

“Nós não fizemos sexo!” Eu olho para Tennir, que


está olhando para mim como se eu fosse louco.

"Então por que diabos você está pelado?"


Gesticulo descontroladamente para ele e sua semi
matinal ereção- Jesus, eu não deveria estar vendo
isso! Eu cubro meus olhos.

"Eu estava dormindo!"

“Que porra é essa? Nu e na minha cama? ”

"Sim, você me pediu para ficar!"

“Eu pedi para você tirar a roupa? Oh merda, eu


pedi para você tirar a roupa? "

Tennir finalmente relaxa e um sorriso lento se


espalha por seus lábios. "Você não se lembra?"
Eu dou a ele um olhar severo. "Não se atreva a
brincar comigo agora, Tennir", advirto. "Diga-me o
que diabos aconteceu."

"Você me pediu para ficar, então eu fiquei."

"Nu?"

"De que outra forma você espera que eu durma?"

"Vestido?"

Tennir balança a cabeça. “Não é confortável.”

"Bem, eu não me sinto confortável com você me


colocando nua de conchinha!"

"Você não reclamou sobre isso na noite passada."

"Eu estava bêbada! Oh meu Deus, não importa.


Como vou explicar isso para April? ”

Tennir parece confuso. "Por que você explicaria


isso para April?"

Eu carranca para ele. “Você não entenderia.


Obviamente."

“O que acontece entre nós pertence apenas a


nós.”
Eu suspiro, olhando para Tennir em choque e
nojo. Ele é um trapaceiro! Procuro um travesseiro e
jogo nele. “Não é assim que eu faço as coisas!”

“Tudo bem, quero dizer ... suponho que se você


quiser contar a ela. Normalmente sou mais discreto,
mas para você serei flexível. ”

"Oh, aposto que você é discreto, certo." Estou


recolhendo os lençóis ao meu redor, tentando me dar
o máximo de cobertura possível.

Tennir se senta ao meu lado e segura uma das


minhas mãos. "Acho que você entendeu mal, Clark."

Deus, espero que sim. Eu não quero perder essa


amizade e definitivamente não quero machucar April.

“Só porque desejo ser discreto, não significa que


tenho vergonha de você. Pelo contrário." Tennir me dá
seu sorriso mais caloroso e eu tiro minha mão da
dele.

"Na verdade, não era isso que eu estava


pensando."

Tennir está carrancudo agora. “Embora eu não


entenda o significado, não me importo de dizer a
todos em Farol que dormi nu em sua cama ontem à
noite. Vou comunicá-los agora, se isso fizer você se
sentir melhor. "

"Jesus! Não! Vamos para o túmulo com este


egredo. "

Os olhos de Tennir se arregalam. "Espere, é você


quem tem vergonha? Achei que você queria contar
aos outros? "

"Não! Você simplesmente não entende. Você


também é ... não sei, alienígena. Ou muito masculino.
Sim, provavelmente é isso. Você é apenas um
homem." Eu balanço minha cabeça para ele. "Você
jura que nada aconteceu entre nós ontem à noite?"

“Nós bebemos. Você bebeu muito. ”

"Sim, obrigada."

“E então dormimos. É isso aí."

Eu dou a ele um breve aceno de cabeça. "OK.


Bem. Vou acreditar na sua palavra. Mas não mais
disso. ” Eu aceno minha mão.

"Não mais o quê?"

"Chega de dormir juntos."

O lábio inferior de Tennir se projeta.


“Você está fazendo beicinho? Não faça beicinho! ”

"Eu não estou fazendo beicinho!"

"Boa!"

"O que é beicinho?"

"Jesus!" Eu jogo minhas mãos no ar. “Vá para a


ponte e aumente nossa velocidade. Precisamos sair
deste nave já. ”

"Tudo bem", concorda Tennir, afastando-se, nu


como um pássaro gaio. Mal posso esperar que ele saia
da minha vista, mas ele coloca a cabeça para dentro
antes que a porta se feche.

"O quê?" Eu olho para ele.

"Você tem o ronco mais adorável."

Tento pegar o último travesseiro e o jogo com


toda a força que posso, mas a porta se fecha e a
imagem do rosto sorridente de Tennir está gravada
em minha mente.

Ugh. O idiota!

Sem travesseiro, me jogo de volta na cama. O que


estou fazendo com este homem? Por que toda vez que
tento simplesmente curtir nossa amizade, ela se
transforma em algo mais? Eu preciso de melhores
limites. Preciso me dar um tapa e lembrar que April já
chegou nele antes.

Deve ser fácil, certo?


CAPÍTULO 11

Clark

"Por que você está se escondendo?" Tennir liga de


fora do meu quarto.

“Eu não estou me escondendo!” Infelizmente, a


verdade é que estou no banheiro com as costas
pressionadas contra a porta, os dedos cruzados e
rezando para que Tennir não cancele a fechadura. Ele
não faria isso, faria? Estou muito envergonhado de
encará-lo agora.

Acontece que ... eu tive um sonho sujo com o


cara!

Cuidando da minha ressaca, voltei a dormir


depois que ele saiu pela manhã e prontamente meu
cérebro traidor manifestou um sonho grosseiramente
inadequado. Então, sim, eu estava me escondendo.
Por mais ilógico que seja, sinto que ele vai olhar para
mim e saber que tenho fantasiado sobre finais
alternativos para a maneira como acordamos juntos.
Mesmo agora, minha mente está voltada para
esta manhã e por todos os motivos errados. Tennir
totalmente teve um pau duro! Eu não consigo me
livrar disso! Tentei tirar meus olhos dele, mas
caramba ... Era uma anatomia alienígena e eu sou
um cientista. O que eu deveria fazer? Não olhar?

Ugh! Eu cubro meu rosto, envergonhada por mim


mesmo. Quem estou enganando? Minha graduação é
em Ciências da Terra. Não tenho nada que ver com
pênis alienígenas. Especialmente não o pênis deste
alienígena. Não quando meu mais próximo e querido
já o reivindicou como dela. Porém, eu tenho que
admitir. era surpreendentemente agradável de se
olhar. Sem farpas assustadoras ou merdas esquisitas.
Apenas um belo pau grosso, não circuncidado - o que
faz sentido, suponho ...

"To entrando!"

Eu grito.

A porta bate e eu ouço ela se abrir. Os


dormitórios são pequenos nesta nave e Tennir
imediatamente cruza o quarto para me encontrar. Ele
enfia a cabeça para dentro e eu ainda estou lá,
cobrindo meu rosto e espiando por entre os dedos -
um esforço vão para esconder o quão vermelha eu
sou.

"O que você está fazendo?"

Eu balancei minha cabeça. "Nada."


Definitivamente, não pirando.

"Por que você está se escondendo?"

"Eu disse que não estou me escondendo."

Tennir olha ao redor do banheiro como se o fato


de estarmos aqui mesmo me provasse que estou
errado ... e talvez esteja. Mesmo assim, tento me
manter firme e parecer confiante.

"Você vai descer para Ipoch?"

"Espere o que?"

“Ipoch, o planeta para o qual estamos viajando?


Você vai sair ou vai avaliar a situação do poço de
dentro do banheiro? ”

“Chegamos a Ipoch?”

“Estamos em Ipoch. Se você tivesse respondido a


qualquer um dos comunicados que tentei enviar, você
saberia disso. ”
“Bem merda, Tennir! Por que você simplesmente
não disse isso? "

Ele fica boquiaberto. "Eu fiz-"

Eu empurro passando por ele, totalmente grata


por essa diversão. É exatamente o que preciso. Abro o
armário e pego minha mochila. Tem algumas peças
de roupa e algumas das minhas ferramentas mais
básicas. Claro, Tennir tem um caso no porão de carga
com a tecnologia que vou usar para verificar minhas
teorias, mas tudo que eu realmente preciso são
minhas lupas e algumas ferramentas de
mapeamento. Estou ansioso para me apoiar neste.

Trabalhos. Doce, doce trabalho. Isso ajudará a


manter minha mente longe de Tennir e por um fim a
essa insanidade temporária.

“Estamos indo direto para o local do poço?” Eu


pergunto, jogando minha bolsa por cima do ombro e
indo em direção ao porão de carga.

"Você parece ansiosa."

"Você não tem ideia."


“Eu gostaria de ter feito isso. Poderíamos ter
conversado sobre o projeto o dia todo. ” Tennir diz, se
apressando para acompanhar.

"Sim, bem, eu tinha que dormir um pouco."

"Você provavelmente sonha com trabalho, não é?"


Tennir tenta provocar, mas então estou pensando
nele trabalhando em meus sonhos e estou corando de
novo. Eu ando um pouco mais rápido, ignorando as
borboletas no meu estômago. Eles não têm nada que
estar lá.

“Senti falta da sua companhia hoje”, diz ele,


praticamente correndo para me acompanhar.

Eu me recuso a concordar com o sentimento. Em


vez disso, eu limpo minha garganta, procurando a
tela de visão mais próxima. “Precisamos quebrar a
atmosfera?”

“Já pousamos na superfície.”

"Oh sim. Você disse isso, não disse? " Estou


exausto, mas é hora de colocar minha cabeça no jogo.
Tennir pressiona alguns botões e a escotilha se abre.
Então, estou pronto e correndo. “Quão rápido
podemos chegar ao local do poço?”
Eu desci a rampa à frente dele, apenas para não
termos que andar lado a lado. Por que a mera
presença desse cara faz minha cabeça girar? Se ele
fosse mais parecido com o estereótipo de um cientista
da Terra, então talvez ele não turvasse tanto meu
cérebro. Alguém deu a ele uma postura ruim e um
par de óculos grossos, droga. Em vez disso, ele tem
que ser a definição de masculinidade alienígena - com
seu intelecto, abdômen duro e denso ...

Eu paro repentinamente, boquiaberta com uma


característica abundantemente óbvia deste mundo
estranho. Um que Tennir não mencionou.
Infelizmente, minha parada é tão repentina que ele
bate nas minhas costas. Eu caio para frente e seus
braços voam ao meu redor, me pegando para que eu
não saia voando de cara na terra.

"Está tudo bem?" Ele pergunta, ainda me


segurando por trás.

“Tennir! É noite! ”

“É,” ele concorda, olhando para o céu - com toda


a sua falta de luz solar.

“Não podemos mapear um local de poço no meio


da noite!”
"Eu sei disso."

“Espero que sim! Ainda assim, por que você não


me disse que estaria escuro? "

"Como você pode esperar que eu diga a hora do


dia em que você nem me deixa falar?"

Eu bufo. "Isso nem é verdade." Totalmente


verdade, mas não vou admitir. "Você está falando
agora, não é? "

Ele não fala e eu evito seu olhar.

"Bem, de qualquer maneira, e agora?"

Tennir aponta para um par de protuberâncias


desajeitadas à distância e, embora eu olhe por muito
tempo e fixamente, não consigo ver o que está
acontecendo com as silhuetas sombrias.
Eventualmente, os dedos de Tennir se ligam aos
meus. Eu me afasto rapidamente - esfregando meus
dedos e a sensação de formigamento que ele deixou
para trás. Eu não deveria sentir arrepios pelo homem
por quem meu amigo tem uma queda.

"Vamos lá", ele insiste, com um sorriso suave nos


lábios.
Juntos, avançamos pelo campo de aviação. Está
muito escuro para ver como é Ipoch e não há
ninguém por perto, exceto por um idoso Iredescan
que trabalha em uma pequena e mal iluminada
estação de sentinela. Tennir lidera o caminho e o
alienígena traz um sistema de registro holográfico.

“Estamos aqui para ver Serif.”

"Ele sabe que você está vindo?"

“Deveríamos chegar em mais ou menos um dia,


mas nossos planos mudaram. Avancei e disse-lhe que
chegaríamos cedo. "

O Iredescan grunhe em reconhecimento, mas não


parece realmente se importar. Depois de alguma
rolagem ociosa, ele encontra nossos nomes no
registro e nos marca. "Parece que o governador enviou
transporte para você."

"Sim, obrigado." E com isso, nos separamos do


sentinela.

"Onde estamos indo?" Eu pergunto, sussurrando


porque é noite e tudo.

"Serif, ele é o governador do sistema e amigo de


Kye. Ele se ofereceu para nos hospedar em sua casa.”
"Oh." Uau. O líder de todo este sistema solar?
Isso soa como um grande negócio. Eu imagino o cara
na minha cabeça como Kye, um diplomata chique.
Ele provavelmente é rico, com longos cabelos roxos
elegantes e uma propriedade real. Isso pode
realmente acabar sendo umas férias de luxo. O que é
emocionante. A vida em Farol pode ser um tanto
rústica às vezes ...

Estou perdida em pensamentos, tentando me


concentrar nos aspectos mais brilhantes desta
viagem, quando um corpo irregular corta a noite. Eu
quase salto para fora da minha pele, agarrando-me ao
braço forte de Tennir.

"Que porra foi essa?" Eu assobio. Mas Tennir não


parece compartilhar minhas preocupações. Não, ele
está rindo enquanto aponta em direção às silhuetas
instáveis à distância.

“Esse é o nosso transporte.”

A luz atinge as criaturas finalmente e vejo suas


formas com mais clareza. Eles são como uma espécie
de cruzamento ímpio entre um avestruz e um búfalo -
com pescoços longos e corpos robustos e fofos.
"Oh cara ... vamos?" Eu olho para Tennir,
incapaz de terminar minha própria frase.

“Estamos cavalgando aquelas feras para a


propriedade de Serif.”

Eu faço uma careta quando nos aproximamos


deles, sem saber a logística. Eu nunca nem montei
um cavalo. Tennir larga sua bolsa e acaricia o
pescoço comprido e parecido com um espaguete da
besta alienígena mais próxima.

"O que é isso, afinal?"

Ele me lança aquele sorriso torto, do tipo que o


faz parecer muito mais um menino de ouro do que
um cientista nerd.

"Eu não faço ideia."

Eu bufo. "E você deveria ser o biólogo."

Ele dá outro tapinha na fera e começa a carregar


nossas sacolas nas costas.

"Como é que vamos continuar?" Eu questiono,


observando suas escolhas de embalagem.

"Permita-me." As mãos de Tennir encontram


meus quadris. Meu coração dá um pequeno salto e
nós olhamos. Por meio segundo eu acho que ele vai
me beijar, mas em vez disso, ele me agarra com força
e me coloca nas costas da besta. Eu grito, mas coloco
minha mão sobre a boca novamente, preocupada em
chamar o tipo errado de atenção.

"É seguro aqui?"

A expressão feliz de Tennir escurece. "Você


sempre estará segura comigo, Clark."

"Eu sei, mas alguém vai me ouvir?" Quer dizer, é


no meio da noite e não é como se eu conhecesse esse
bairro. Pelo que sei, poderíamos estar na parte ruim
da cidade.

"Você não está incomodando ninguém, pequena


humana. Agora espere. ”

Eu agarro a pele fofa do animal com minhas


mãos e aperto meus joelhos com força. Não há sela ou
rédeas. Ainda estou tentando descobrir como vou
conseguir quando Tennir subir atrás de mim. Eu
suspiro quando seu peito molda contra minhas
costas.

"Uau, por que você não monta aquele?" Eu exijo.


Tennir aponta para isso. “Aquele tem o nosso
equipamento. A menos que você queira deixá-lo na
nave e possamos voltar para buscá-lo amanhã, antes
de irmos para o local do poço? ”

Eu franzir a testa. Tennir vence esta rodada. Eu


não quero perder mais tempo do que o necessário.
Preciso trabalhar para poder tirar esse alienígena do
meu sistema.

“Exatamente como eu pensava. Agora, vamos


para o Serif para uma boa noite de descanso, então
podemos ir direto para o trabalho logo de manhã. "

“Tudo bem,” eu faço beicinho. "Ainda não sei por


que você não me disse que era noite aqui."

"Porque você estava se escondendo de mim."

"Eu não estava." Eu cruzo meu braço sobre o


peito enquanto a besta em que estamos se lança para
frente. Isso me tira o equilíbrio e eu ofego, mas o
braço de Tennir está em volta de mim em um instante
- me impedindo de escorregar. Lá se vão aquelas
borboletas de novo. Tenho que sentar em silêncio por
algum tempo para recuperar minha compostura.
Quando o faço, percebo que parecemos estar nos
afastando do aglomerado de luzes que marcam o
centro rústico da cidade de Ipoch.

"Onde estamos indo?"

"Casa de Serif." Está certo. Ainda assim, imaginei


que seria mais perto da cidade. Em vez disso, parece
que estamos viajando cada vez mais fundo na
escuridão completa. Ipoch não é como a Terra nesse
sentido. Não há poluição luminosa e o horizonte
parece se misturar perfeitamente com a noite
estrelada. Eu me inclino contra Tennir, de repente me
sentindo muito pequena e vulnerável.

“Quanto tempo até chegarmos lá?”

“Sua hipótese é tão boa quanto a minha. Nunca


estive em Serif antes. ”

"Então é assim que morremos, cavalgando juntos


para o abismo em uma vaca-pássaro fedorenta." A
besta tropeça para mim e me pergunto o quão
sensível ela é.

“Não consigo pensar em nenhuma maneira


melhor de morrer.”

"Muito engraçado. Nem brinque. "


Tennir me dá um aperto reconfortante. “Não se
preocupe, Clark. A rota é programada em minha
unidade de comunicação e, pelo que me disseram,
esses animais nunca se perdem. ”

Eu cantarolo em reconhecimento, esperando que


fiquemos seguros. Não tenho espaço no meu cérebro
para me preocupar com esse tipo de coisa agora.
Também não tenho espaço para um certo cientista
alienígena bonito, especialmente alguém que gosta de
dormir nu na minha cama. Apenas a água
subterrânea e as formações geológicas que a
escondem. Vou encontrar muita água para essas
pessoas ...

Tennir pousa o queixo na minha cabeça. Na


verdade, é um ajuste bastante confortável - a
diferença de altura perfeita. Por meio segundo eu
acho que é fofo, então eu me lembro de mim mesmo.

"O que você está fazendo?" Meu cérebro está me


dizendo para descer pelo lado do animal e caminhar o
resto do caminho até a casa de Serif. Mas há outra
parte de mim que é mais como uma gata no cio, e
quero me esfregar contra Tennir até que comecemos a
repetir as cenas do meu sonho esta manhã. Eu ainda
posso me imaginar correndo minhas mãos até a base
daquele pau grosso dele, e embora eu não saiba como
é na vida real, posso imaginar com certeza.

Eu faço uma careta. Eu não deveria estar


pensando assim. Droga, estamos praticamente
aninhando. "Ei! Eu perguntei o que você está
fazendo? "

"Você faz um bom travesseiro."

"Pare de ser fofo." Tento enxotá-lo, mas Tennir


parece imperturbável.

"Eu sabia que você me achava fofo."

"Hah!" Eu rio um pouco alto demais.

"Não me entenda mal, eu esperava ser bonito.


Mas vou levar fofo. "

“Muito engraçado,” eu bufo, fingindo estar


distraída. Infelizmente, eu o acho bonito. Na verdade,
eu o acho engraçado, charmoso, sexy e
completamente irritante. E não consigo parar de
pensar em nossa rolagem na lama e no potencial
atraente de repetir aquela pequena cena assim que
encontrarmos água aqui.

"Aí está."
"Aí está o quê?"

Tennir se inclina para o lado para dar uma boa


olhada em mim. “Serif está em casa. Você está
realmente tão distraída, Clark? "

"Sim, acho que estou."

“Eu tenho esse efeito nas mulheres”, diz ele.

Não é fofo! Dou uma cotovelada em Tennir e ele


grunhe com o impacto. Isso não o impede de rir bem-
humorado, no entanto.

"Ayo!" Alguém liga do escuro e eu pulo.

Tennir acalma meu braço com uma carícia


suave. "É apenas Serif", ele sussurra. Claro. Droga.
Estou distraída.

Um alienígena surge pulando da escuridão. Um


pouco atrás dele, posso ver as luzes piscando nas
janelas, mas não consigo distinguir a casa.

"Bem-vinda!" ele liga e, quando o vejo, fico


chocado. Ele é Iredescan, como Kye. Mas os dois não
se parecem em nada. Esse cara tem a constituição de
um tanque, é coberto por tatuagens e tem cabelos
curtos bagunçados.
"Este é o Serif?" Eu pergunto, soando muito
cético, até mesmo para meus próprios ouvidos.

Eu coro, mas o governador ri disso. “Outra


humana! Minha noiva ficará feliz em conhecê-la. ”

Esse pedaço de informação atrai meu foco. "Sua


esposa é humana?"

"Sim. Parece que Ipoch está se tornando um


paraíso para as Deusas. ”

“Não nos chame assim!” uma voz chama da


escuridão. Mesmo com os tradutores funcionando
perfeitamente em minha mente, há algo sobre seu
sotaque. Ela é da Terra. Cegamente, pulo do lado da
besta. Tennir e Serif são rápidos em garantir que eu
não coma poeira, mas eles me soltam assim que estou
firme em meus pés e então é como se eu estivesse
correndo para os braços de uma amiga há muito
perdida.

A esposa de Serif pode ser uma estranha, mas ela


é outra humana em um mundo estranho. Isso nos
torna uma família. Nós nos chocamos com um abraço
e as lágrimas ardem em meus olhos. Ela está rindo,
mas posso ouvir os soluços misturados e sei que ela
está sentindo a mesma sensação de camaradagem
que eu. Eu não me importo com quem essa mulher é,
quando você encontra outro humano no espaço, você
é uma família.
CAPÍTULO 12

Tennir

“Eu não consigo superar o quão bom é ver outra


humana!”

A esposa de Serif, Evie, está nos conduzindo por


um pequeno corredor na casa de estilo fazenda do
casal. As tábuas do assoalho rangem sob nossos pés.
É hora de dormir, mas as mulheres ainda estão
emocionadas com o encontro e enxugam as lágrimas
enquanto falam. E ainda, apesar das lágrimas, seus
sorrisos são brilhantes e genuínos. Há alegria na
conexão que eles têm. Isso me faz pensar no quanto
os humanos passaram ... e no quanto Clark e eu
temos em comum. Ambos enfrentamos grandes
dificuldades nos últimos meses.

“Lamento muito por termos chegado tão tarde”,


pede desculpas Clark. "Tenho certeza de que
acordamos você."
“Não se preocupe com isso. Não havia como
evitar. Nós apenas teremos que nos conhecer pela
manhã. "

“Eu adoraria, mal posso esperar para contar a


você sobre todas as mulheres de Elysia! Você e Serif
terão que vir visitar. ”

“Ainda é chocante pensar em quantos de nós


estamos aqui.” Evie fica maravilhada com nossos
números ao abrir a porta de um quarto. "Aqui está.
Há cobertores extras no baú e o banheiro fica no
corredor. Todo o resto é bastante autoexplicativo. ”

“Muito obrigado -” Clark diminui a velocidade até


parar, observando as acomodações. Seu sorriso vacila
e posso ver as engrenagens girando em sua mente
enquanto ela faz uma contagem mental das portas.
Quaisquer que sejam seus pensamentos, ela
rapidamente os esconde, lançando a Evie outro
sorriso brilhante. "Você é tão generosa em nos deixar
ficar com você. Eu não posso te dizer o quanto nós
apreciamos isso. ”

“É um prazer inteiramente. Pense no lugar como


um lar; você sempre será bem-vinda aqui. ”
“Cuidado,” Clark avisa. "Você não me conhece
muito bem ainda. Posso ter a risada mais irritante do
mundo. "

“Garota, você é humana. Você poderia latir como


um cachorro e ainda assim seria bem-vinda. ”

As mulheres dizem boa noite e Clark dá a Evie


um último sorriso caloroso enquanto eu entro no
quarto com nossas malas. Eu ouço a porta se
fechando atrás de mim, e quando eu encaro Clark
novamente, suas mãos estão nos quadris e a
expressão alegre desaparece de seu rosto. Na verdade,
ela está carrancuda.

"Você pode me dizer exatamente o que é isso?"


ela sibila com raiva.

Eu encolho os ombros. Embora eu não tenha


certeza do que ela está se referindo, provavelmente
poderia arriscar um palpite ...

Clark corta a mão dela na cama. “Isso, Tennir! O


que é isso?"

"Nossos arranjos para dormir?"


“Ohhh. Você sabia que isso ia acontecer, não é? "
ela pergunta, então engasga de repente. "Você
planejou isso?"

“Planejar o quê? As acomodações dos hóspedes


na casa de Serif? Não, Clark. Ele não me consultou
quando projetou seu espaço residencial. ”

Ela se aproxima e cutuca meu peito com um


dedo acusador. "Você sabia que só haveria uma
cama?"

“Eu não havia pensado nisso, mas sabia que


Ipoch era uma comunidade agrícola. Certamente não
imaginei que ficaríamos em um hotel de luxo. ”

Clark bufa, cruzando os braços sobre o peito e


olhando para a cama solitária como se fosse um
problema a ser resolvido.

"Eu vejo o que está acontecendo aqui", provoco.

Ela estreita os olhos, esperando meu raciocínio.

"Você não confia em si mesmo comigo."

“Hah! Como deseja!"

“Então o que importa o arranjo de dormir? Nós


dois somos adultos, não somos? ”
Clark pensa sobre isso, olhando para a cama e
puxando o cabelo dela ansiosamente. "Bem. Mas você
absolutamente não está dormindo nu, está me
ouvindo? "

"Está quente!"

“Oh, não está! A roupa fica! ”

Suspiro como se estivesse incomodado, mas não


me importo com a hesitação de Clark. Eu ainda vou
conquistá-la.

"Tudo bem, qualquer coisa para agradar você."

“Sim,” ela bufa, murmurando baixinho enquanto


ela remexe em nossas malas. Eu observo Clark
enquanto ela puxa suas roupas de dormir,
segurando-as e considerando-as antes de me lançar
um olhar furioso.

"O que?"

"Oh, não importa", ela resmunga, empurrando a


roupa fina de volta em sua bolsa. “Vamos apenas
dormir. Quanto mais cedo resolvermos isso, mais
cedo será de manhã e mais cedo poderemos sair para
o local do poço. ”
Eu caio na cama, deixando um espaço atraente
para Clark ocupar ao meu lado. "Você faz parecer que
não quer abraçar."

"Vamos deixar uma coisa bem clara, não haverá


abraços."

“Claro que não,” eu concordo. Embora eu só


concorde com ela em palavras, minha expressão diz
algo totalmente diferente - e Clark pode me ler bem.

"Oh garoto. Você pode tirar aquele sorriso fofo e


preguiçoso do rosto. Não está funcionando comigo. ”
E com isso, ela puxa as cobertas com força e
mergulha na cama, totalmente vestida. Clark se
encolhe, me dando as costas e puxando as cobertas
bem alto em volta do pescoço até que eu só posso ver
o topo de sua cabeça aparecendo. Eu observo por um
tempo, rindo para mim mesma, sabendo que ela não
está nem perto de dormir.

"Do que você está rindo?"

"Você."

"Posso perguntar por quê?"

"Você me acha fofo."


Clark engasga, virando na cama para olhar para
mim. "Eu não!"

"Você mesmo disse."

"Eu não fiz tal coisa."

“Você fez isso. Apenas um momento atrás, você


disse que meu sorriso era fofo e charmoso. ”

Os olhos de Clark se arregalam quando ela


lembra de suas palavras. "Eu não. Eu disse ... fofo e
preguiçoso. ” Suas bochechas ficam vermelhas de
vergonha.

"Veja, você me acha uma gracinha."

"Bem, eu certamente não acho você charmoso. ”

"Tudo bem." Eu reclino na cama, descansando


minha cabeça em minhas mãos. “Podemos começar
com fofos e ir subindo.”

Clark revira os olhos e se joga de volta na cama.


Porém, algo a faz reconsiderar e ela se senta
novamente, apenas para enfiar um travesseiro entre
nós. Não vejo o que a barreira fará de bom. Esta cama
de campo é pequena, mal grande o suficiente para
duas pessoas. Se ela está tentando se esconder atrás
de um travesseiro, seu plano não está funcionando no
mínimo e ela sabe disso tão bem quanto eu. Ou pelo
menos percebe quando ela olha para mim por cima
da parede fofa. Eu sorrio e suas pequenas
sobrancelhas peludas se erguem em agitação.

"Por mais que tente, pequena humana, você não


consegue se desvencilhar de sua atração por mim."

Seus olhos se arregalam. Ela está furiosa e eu


adoro isso. Acho um prazer completo observar as
expressões em seu rosto alienígena. Eu
provavelmente não deveria ter tanto prazer nisso, mas
eu tenho. Ela tem os traços mais bonitos que eu já vi.
Este é o rosto com o qual quero acordar pelo resto dos
meus dias. Mas ela ainda não está pronta para isso.
Ela ainda precisa ser seduzida.

“Não vou dignificar isso com uma resposta.”

“Boa ideia, somos cientistas. Não devemos perder


tempo com falsidades. ”

"Ooo, quando você se tornou tão irritante?"

"Provavelmente mais ou menos na mesma época


em que você percebeu que havia química entre nós."

Clark finge ignorância. "Química? Desculpe,


Tennir, geologia é meu forte. ”
“E a biologia é minha. Devemos gastar um pouco
de tempo comparando a biologia humana e de
Nev‟Rhaan? "

“Se você está tentando ser inteligente, você errou


o alvo. A anatomia seria a analogia apropriada. ”

Eu me inclino na direção de Clark, sorrindo. “Ok,


eu entrego. Podemos estudar a anatomia um do
outro. "

Ela afasta meu rosto.

"O que deu em você?"

"Não sei o que você quer dizer."

“Onde está o cientista obsessivo? Eu sei como


lidar com aquele cara. Eu gosto desse cara. Mas nos
últimos dias você tem sido todo ... ”

“Deixe-me adivinhar: fofo, inteligente, sexy—”

"Não! Esquisito. Você tem sido todo estranho. "

“Não tenho uma tradução para isso. É um


elogio?”

"Não!" Clark bufa, se apoiando no cotovelo.


"Olha, Tennir, não vou ficar na ponta dos pés por
causa disso. April tem uma queda por você. ”
"Ela tem."

"Sim. E April é minha melhor amiga. ”

"E o que esses supostos fatos significam para


mim?"

Clark pisca como se a resposta fosse clara como


o dia. “Eu não vou pisar no pé de ninguém,
especialmente no da minha melhor amiga!”

“Bom, eu recomendo que você não pise na ponta


dos pés. Parece doloroso. ”

“Você vai desistir, espertinho? Você sabe


perfeitamente o que quero dizer. "

“E eu vou te dizer o que quero dizer. O fato de


April estar interessada em dormir comigo não tem
importância para nós. ”

"Ela tem sentimentos por você."

"Sentimentos que residem entre suas pernas e


não vão além."

Clark abre a boca em estado de choque, olhando


para mim como se eu tivesse cometido uma blasfêmia
do mais alto nível, e antes que eu saiba o que está por
vir, um travesseiro bate na lateral do meu rosto.
"O que você está tentando dizer? Que minha
melhor amiga é uma vagabunda? ”

“Eu nem sei o que é uma vagabunda, mas não há


razão para ficar na defensiva! Não estou tentando
insultar sua amiga. Eu honro sua amizade. Estou
simplesmente dizendo que não estou com April. Eu
não declarei nenhuma intenção com ela— ”

"Você fez ioga com ela ontem de manhã."

"Eu não."

"Você disse-"

“Ela veio ao meu quarto para oferecer e eu


recusei. Como eu faço com todos os seus avanços. ”

“Então você sabe? April gosta de você e você está


apenas dispensando ela. "

“Eu não estou escovando nada de April. Já


expliquei inúmeras vezes, ela não é a humana em que
estou interessado. "

As bochechas de Clark coram em um tom


profundo de rosa e ela abaixa o meu olhar. "April é
minha melhor amiga e ela tem uma queda por você."

“Mais uma vez, não vejo por que isso importa.”


Mas Clark balança a cabeça e afunda de volta na
cama, parecendo pequeno e frágil. Eu quero puxá-la
contra mim e abraçá-la durante toda a noite. “É
importante para mim, Tennir. Eu perdi tudo. Eu não
quero perder um amigo. ”

Eu quero discutir, mas sei o que é perder tudo o


que você tem. E eu entendo o que é ter medo de
perder mais uma vez.

"Eu não vou te pressionar."

Clark estreita os olhos. “Mentiroso”, ela diz, mas


suas palavras não têm malícia. Inferno, há até mesmo
algo como um sorriso brincando nos cantos de seus
lábios.

Eu relaxo na cama e ficamos nos encarando, a


centímetros de distância. "Está tarde. Você está
cansada?"

Ela me dá um sorriso tenso. “É estranho não dormir


em Farol.”

"Você dormiu bem na noite passada."

Clark desistes. "Antes de mais nada, eu estava


bêbada."
"E, em segundo lugar, você me teve e eu estou
aqui agora. Não há nada a temer. ”

"Eu não estou assustada."

Agora é minha vez de ficar inexpressivo.

"Certo, tudo bem. Ainda estou me acostumando


com as coisas. Na minha antiga vida existia apenas a
Terra. Mas aqui ... há uma intrincada teia de
planetas, luas e espaço que estão todos
interconectados. Mas é tão grande, e viajando,
experimentando? Isso me faz sentir frágil. Isso me faz
sentir que tudo isso é frágil. ”

Eu concordo. Passei minha vida inteira fazendo


parte de uma comunidade interestelar, é difícil
imaginar uma vida de outra forma. Mas Clark está
falando sobre fragilidade, e que eu conheço bem.
Depois que minha equipe de ciências foi massacrada,
aprendi como as coisas podem ser frágeis. “Só pode
levar um momento para mudar o seu mundo para
sempre.”

Clark concorda. "Não é verdade."

"Eu entendo como você se sente."


Minha humana me olha com simpatia. "Você está
pensando no ataque do Urso Feio ou ...?"

Eu rio. “Eu atacaria minha pessoa qualquer dia


... pelo que aconteceu com minha equipe. Não, Clark.
Estou pensando nos oficiais desonestos da UPC que
invadiram minha estação de ciências, procurando
apagar todas as evidências de seus crimes, incluindo
qualquer indivíduo que conhecesse seu segredo. ”

"Diga-me o que aconteceu." Seus olhos parecem


tão preocupados. Eu sou atraído por eles. Eu quero
contar tudo a ela. Eu quero me apoiar nela e me
conectar com ela. Minha doce pequena humana - a
única mulher que eu já amei. Por mais que eu queira
protegê-la, acho que quero pedir sua proteção
também. Ela é pequena e não pode proteger meu
corpo, mas peço que ela proteja meu coração. Acho
que preciso disso.

“Eles mataram todo mundo. Dezenas de


cientistas. Machos, fêmeas. Meus amigos."

"Meu Deus…"

“Acontece que fui o único a quem Rennek contou


sobre o tráfico. Ninguém tinha que morrer além de
mim. E, no entanto, fui o único que sobreviveu. Se
não fosse por mim ... ”

Lágrimas enchem os olhos de Clark. "Não é sua


culpa."

Eu encolho os ombros. “Eu sou um cientista. Eu


entendo, mas o que eu sinto sobre isso ... ”

Clark concorda, ela sabe a diferença entre


entender algo perfeitamente bem e ainda sentir o
contrário. Ela se estica e coloca sua mão na minha. O
gesto é reconfortante.

“Tive pesadelos durante meses”, admito. Eles só


pararam por causa de Clark, mas não digo a ela que
ela é tudo com que sonho agora. Ou que estou muito
mais feliz por isso. Ainda é muito cedo em nosso
processo de namoro.

“Sinto muito”, diz ela.

"É uma sensação melhor ser capaz de dizer a


você."

"Você contou a Rennek?"

"Ele sabe o que aconteceu."

"Eu quis dizer, você disse a ele como se sente?"


Eu balancei minha cabeça. "Você é a única
pessoa para quem eu queria contar."

Clark aceita minha admissão com um ar de


determinação, parecendo como se eu tivesse apenas
concedido a ela uma grande honra ao invés de um
fardo. "Você pode me dizer qualquer coisa."

"Parece que posso." Clark acena


encorajadoramente. “Eu não quero que isso aconteça
de novo. Se houvesse outro massacre, desta vez em
Elysia ... em Farol ... eu não seria capaz de viver
comigo mesmo. "

“É por isso que você monitora os satélites o


tempo todo?”

Eu aceno, mas de repente sinto uma imensa


sensação de alívio. Compartilhando meu lado
vulnerável com Clark, tendo ela me aceitando ... é
tudo. Quero dizer a ela o quanto a amo e o quanto
seu apoio significa para mim, mas não quero assustá-
la. Então, em vez disso, alcanço a barreira do
travesseiro e seguro seu rosto em minhas mãos.

"Eu sempre vou te proteger."


Ela pisca para conter as lágrimas, sentindo
minha tristeza como se fosse sua. "Eu vou te proteger
também."

Suas palavras me fazem rir, embora sejam


exatamente o que eu gostaria de ouvir. "Você vai
agora?"

Ela acena com a cabeça, sua expressão séria. "Eu


vou. Agora somos uma família, Tennir, todos nós em
Farol. Não há nada que eu não faria por vocês. "

Eu dou a minha Deusa um sorriso suave,


sabendo que eu iria protegê-la acima de todos os
outros e direi isso a ela, com o tempo.

Clark morde o lábio inferior e se levanta. Eu sigo


seu exemplo e vejo enquanto ela puxa o travesseiro,
sem deixar nada entre nós. Com uma expressão
cuidadosa, ela se deita de volta, chegando mais perto
de mim. Eu puxo meu amor em meus braços e nos
estabelecemos juntos. Ela espia apenas uma vez,
através dos cílios, mas é rápida em esconder o rosto
no meu peito. Ela está assustada, nervosa com essa
coisa entre nós. Mas nenhum de nós pode parar o
que está acontecendo aqui. Isto é amor. Isto é para
sempre.
CAPÍTULO 13

Clark

Não acredito que passei a noite acariciando


Tennir. Um sentimento de culpa se aloja
profundamente na boca do meu estômago. April é
uma prioridade para mim. A última coisa que quero
fazer é criar uma barreira entre nós, afinal, a única
coisa que temos aqui é um ao outro.

Claro, então há Tennir e os sentimentos que


tenho por ele. Eu balanço minha cabeça, sozinha em
meus pensamentos sombrios. Ou talvez eu não esteja
tão sozinho quanto me sinto, porque meu amigo
alienígena bate suavemente sua cabeça contra a
minha, chamando minha atenção.

"No que você está pensando?" ele pergunta. A


estranha criatura em que cavalgamos nos empurra a
cada passo.

"Nada. Só pensando."
"Trabalhos?"

"Sim", minto, porque não posso dizer a verdade -


que ele está na minha mente. Inferno, que eu não
consigo tirá-lo da minha mente.

Devo ter sido a pior hóspede com Evie esta


manhã. Quieta demais. Mas suponho que ela
precisava falar mais do que eu. Seu sequestro foi
recente e não havia outros humanos por perto
quando ela foi tirada da estase. Infelizmente, sua
história era familiar e me deixou grata por haver
pessoas como Allison em nosso grupo - aquelas
comprometidas em resgatar mais humanos.

Não tenho coragem nem força para isso. Sou um


pensador, um solucionador de problemas e minha
especialidade são águas subterrâneas. Eu olho para
os campos dourados se estendendo em todas as
direções. Eu deveria estar dando piruetas agora ...
Estou no meu elemento enlouquecedor. Mas, em vez
disso, estou perfeitamente ciente da mão firme em
volta da minha cintura e do peito sólido contra o qual
minhas costas estão pressionadas. Eu quero me
apoiar nesse alienígena. Quando estamos juntos,
parece que ele levanta cada fardo que me atormentou
no ano passado e de repente não há mais dor. Eu
quero rir e rolar na lama. Eu me sinto jovem,
estúpido e feliz. Eu quero beijá-lo.

Mas isso está errado. Isso é louco. Eu não


deveria me sentir assim. Penso em April e me lembro
de seu horror quando Tennir foi atacado pelo Urso
Feio. Ela chorou. Nenhum de nós o conhecia naquela
época, mas ela já era dedicada.

Ok, ok, talvez não seja delicada. Quero dizer, ela


dormiu com outras pessoas desde então, mas ela
estava de olho nele. Ela investiu muito tempo
esmagando. Não posso simplesmente me precipitar e
fingir que não sei o que estou fazendo. Essa é uma
maneira infalível de perder dois amigos e namoradas
para sempre. Eu me sinto fortemente sobre isso -
ainda mais depois de compartilhar a experiência de
uma abdução alienígena. Por que Tennir tem que
complicar tudo!

O que ele e eu temos é uma das amizades mais


naturais que já encontrei na minha vida. Nós nos
conectamos de uma maneira que eu nunca imaginei
chegando. É como se um dia eu olhasse por cima dos
meus modelos de fluxo e lá estava ele.
Isso é algo especial, algo único. Atração como
essa não acontece todos os dias. Atire, não atração.
Eu não estou atraída por ele. Eu não posso ser. Eu
não estou autorizado. No que me diz respeito, ele tem
"propriedade de abril" estampada em sua testa. Sim,
definitivamente não é atração. É apenas essa química
mágica superespecial e única, única na vida ... que eu
tenho que ignorar completamente.

Friendzone. A besta de pescoço comprido balança


de um lado para o outro e eu faço um jogo pensando
amigo, amigo, amigo toda vez que cambaleamos para
a direita e zoneamos, zonamos, cada vez que
cambaleamos para a esquerda. É estúpido, mas me
distrai do homem alienígena nas minhas costas e do
quanto eu quero que ele me segure do jeito que fez
ontem à noite.

"Ayo!" um homem Iredescan chama. Ele está


parado em um campo rochoso e bronzeado. Ao lado
dele, há uma enorme árvore de sombra, uma longa
linha de cercas e um buraco profundo e seco. Uma
tentativa malsucedida.

Os outros membros do nosso grupo desmontam


de seus pretensos cavalos alienígenas e eu mapeio
visualmente o terreno. Há muitas rochas expostas ao
longo das encostas e árvores verdes exuberantes à
distância. Tem água aqui. Precisamos apenas
encontrar.

Tennir salta e estende a mão para mim. Nossos


olhos se prendem quando eu deslizo para baixo em
seus braços. Seria natural me inclinar e beijá-lo, mas,
em vez disso, coro e corro para me juntar a Serif e o
fazendeiro, Rowan. Quando Serif nos apresenta,
Rowan me olha com respeito e, assim, me sinto eu
mesma de novo - útil e inteligente, como se tivesse
um conjunto de habilidades que as pessoas
valorizam. Este fazendeiro está olhando para mim
como se eu fosse um cientista maluco com
conhecimento especializado e estou prestes a ajudá-lo
a resolver um problema que vai mudar sua vida. E é
exatamente isso que pretendo fazer.

Ok, Clark, jogo direito.


CAPÍTULO 14

Tennir

Clark é como uma flor em plena floração. Eu já a


vi trabalhar antes, curvada sobre uma tela de
visualização, verificando as taxas de fluxo,
executando modelos multivariados. Mas nosso canto
de Elysia está molhado e seus talentos não são
apreciados. Aqui em Ipoch, ela é a tecnologia mais
valiosa que esses agricultores têm.

Terminamos com a fazenda de Rowan no


primeiro dia. Serif havia planejado uma semana
naquele terreno, procurando o local de poço mais
produtivo. Mas meu Clark simplesmente subiu ao
topo de uma colina que dava para a propriedade e
mapeou os afloramentos de pedra. Não demorou
muito para que ela apontasse para um local e
declarasse que era o local ideal para um poço. O
restante de nós usou scanners para nos dar uma
ideia melhor da profundidade da rocha e preparou o
maquinário para a escavação.

Clark nem estava prestando atenção quando


batemos na água, ela estava inclinada sobre as
rochas, ampliando as lentes sobre os olhos,
analisando sua composição. Ela ficou emocionada
quando eu disse que ela teve sucesso, iluminando-se
de uma maneira que eu nunca tinha visto antes. E
tem sido assim desde então. Com cada pedacinho de
terra seco que vamos, Clark franze o rosto enquanto
ela pensa, mapeia, faz a varredura e então declara -
com certeza - onde encontraremos água. Então, seu
sorriso é como o sol.

Também me ilumina, vê-la assim. Até que me dê


conta ... talvez a casa de Clark seja em Ipoch ... não
em Farol?

“EU DURMO MELHOR ASSIM”, ela me disse uma


noite.

“Depois de um dia produtivo de trabalho?”

"Bem, sim. Isso também. Mas eu quis dizer como


a conchinha. ”
"O quê?"

“Abraçadinho,” ela esclarece, deslizando mais


fundo em meu abraço. Temos abraçado todas as
noites desde a nossa primeira vez aqui. Foi tão
agradável que quase temo pensar em voltar para
casa. Como será solitário em nossa primeira noite de
volta, dormindo em camas separadas, muitos quartos
separados.

"Talvez nunca devêssemos partir?"

“Muito engraçado,” ela diz, sua voz suave e


sonolenta.

Hesito por um momento, mas depois me castigo.


Posso falar abertamente com Clark sobre qualquer
coisa. Então, por que não isso?

"Eu estive a pensar."

"Uh oh."

Eu aperto minha deusa. "O que isso significa?"

"Estou brincando. O que você tem pensado, meu


amigo? " ela pergunta. Ela tem feito muito isso
ultimamente, me chamando de amiga. Isso a ajuda a
fingir que não somos mais nada.
"A possibilidade de você ficar aqui."

Clark bufa.

"Estou falando sério. Eles precisam de você aqui.


Esses poços precisam de monitoramento - as safras
vão florescer, os agricultores vão plantar mais, vão
aumentar o uso de água, eles correm o risco de
bombear demais a bacia. Você poderia ficar aqui e, se
esses problemas surgirem, você seria a pessoa certa
para resolvê-los. ”

"Sim, bem, talvez eu possa treinar outra pessoa


para fazer isso?" Clark ainda parece sonolenta e não
afetada.

"Você se esqueceu de Farol?"

"Claro que não."

"E ainda assim você não parece chateada porque


vamos para casa amanhã."

"Porque eu não estou."

“Você não se sentia tão útil lá, não iluminava lá


como faz aqui.”
"Uau, obrigada?" Clark olha por cima do ombro
com tristeza para mim. "Eu sou uma lâmpada fraca
em Farol?"

Eu balancei minha cabeça. "Não, não é isso que


quero dizer." Mas Clark me abre um sorriso e sei que
ela está brincando. “Estou apenas dizendo, talvez
você deva considerar como seria permanecer em
Ipoch.”

"Eu não preciso."

"Por que não?"

"Porque minha casa fica em Elysia."

"E poderia ser facilmente aqui em Ipoch, se você


quisesse."

"Mas eu não quero que seja."

“Você é feliz aqui.”

“Eu sou produtiva aqui. De maneira profissional.


Mas estou feliz com Elysia. Minha família está em
Elysia. ”

"Você não deveria nos deixar retê-la."


“Segure-me ba-” Clark se vira para me encarar,
uma pergunta em seus olhos. "Isso é sobre o quê?"
ela pergunta, e eu me procuro. Do que se trata?

“Não sei”, admito. “Acho que estou com medo.


Com medo de que tão perto quanto chegamos ... você
ainda não é minha. "

Clark se levanta até que ela esteja sentada com


os joelhos perto do peito.

“Somos amigos”, diz ela, com a voz trêmula.

“Somos amigos e prezo isso.” Penso em todas


essas noites em que dormimos enroscados nos braços
um do outro.

"Mas você quer mais."

"Você sabe que eu sei."

"Então por que você está tentando me fazer ficar


em Ipoch?"

“Não importa em que mundo você esteja, você


ainda se recusa a ser minha. Eu só quero que você
esteja em algum lugar que a faça feliz, mesmo que
não seja comigo. "
Clark parece que vai chorar e seus dedos
encontram os meus. Ela não segura minha mão, ela
apenas traça cada unha, junta e ruga como se
estivesse tentando memorizar cada pedacinho de
mim.

"Eu prometo a você, Tennir, estou feliz em Elysia.


Não há nenhum lugar onde eu preferisse estar. "

Eu concordo.

"Algo ainda está chateando você."

“Eu não quero que isso acabe”, eu admito.

“Estaremos de volta em algumas semanas para


verificar os poços.”

"Não é isso que quero dizer."

Clark desvia o olhar, puxando uma mecha de


cabelo e deixando escapar um suspiro. "Sim, eu sei."

"Mas você não sente o mesmo?"

Clark morde o lábio, seus olhos implorando.


"April-"

"Foda-se April."

"Tennir!"
"Desculpe, não quis dizer isso." Eu esfrego
minhas mãos no rosto. Clark toca meu ombro e eu
aproveito isso como uma oportunidade de puxá-la em
meus braços. Ela não luta contra isso; ela desliza
facilmente para o meu abraço e me segura como se
ela também não quisesse me soltar. “Amanhã vamos
para casa e estou com medo que as coisas voltem a
ser como eram antes.”

"Nada mudou. Começamos como amigos e ainda


somos amigos. ”

“Amigos que dormem juntos todas as noites.”

"Há apenas uma cama."

"Eu poderia ter dormido no sofá."

"Você é inteligente, você poderia ter ido lá se


quisesse."

"E você poderia ter me dito para sair, se não me


quisesse em sua cama."

Clark suspira. "Eu não quero perder nenhum


amigo, Tennir."

"Você não vai."


"Claramente, você não entende as regras das
meninas da Terra."

“Regras de menina da terra? Isso não parece


muito científico. ”

“E, ainda assim, são regras reais”, garante Clark


com naturalidade.

Eu resmungo. “Não quero perder o que temos.”

“E se continuarmos assim, nunca o faremos.”

"Isso significa que você vai dormir na minha


cama quando formos para casa?"

"Claro que não."

“Sua cama então? Eu sou flexível."

"Pare." Clark me dá uma cotovelada, mas é um


toque gentil. “Eu quis dizer, nós continuamos amigos.
Apenas Amigos."

"Do que você está com medo?"

“Corações partidos, perdendo tudo o que é


importante para mim, escolhendo entre as duas
pessoas que mais amo na minha vida.”

Eu recuo. "Você me ama?"


Clark fica rígida. “Eu amo todos em Farol.”

"Claro." Meu coração está pesado, mas não vou


pressionar Clark sobre o assunto. Se ela se decidiu,
não há mais nada que eu possa fazer.
CAPÍTULO 15

Clark

Eu sei que voltaremos em breve, mas deixar


Ipoch é difícil. Era bom trabalhar novamente e ser um
membro não gastável de uma equipe. Mas em Elysia,
tenho minha casa e família de companheiras
abduzidas e excluídas. Isso supera tudo. Digo a mim
mesma que a única coisa que vou sentir falta aqui é o
trabalho, mas isso não é verdade. Vou sentir falta da
pequena bolha isolada que Tennir e eu criamos. Tem
sido seguro para nós aqui - rir, flertar, dormir juntos
todas as noites. Mas não existimos em uma bolha em
Farol. Quando vamos para casa, isso acaba.

Digo a mim mesma que não cruzei nenhum


limite importante. Não houve beijos, nem toques.
Apenas compartilhar a cama ... e fingir que era uma
necessidade. Qualquer um de nós poderia ter dormido
no sofá o tempo todo. Mas não fizemos. Não é algo de
que me orgulho. Eu odiaria que April soubesse. O que
prova que estou trapaceando ...
Então, aqui estou, imprensado entre duas dores
de cabeça. Eu amo April. Nunca estive tão perto de
uma amiga antes na minha vida. Mas o fato é que
acho que estou me apaixonando por Tennir e
simplesmente não consigo. É assim que nos
encontramos sentados em silêncio na ponte,
assistindo Ipoch desaparecer na tela de visualização.
Ele quer mais de mim. E porra ... Eu quero mais dele.
Fixamos os olhos do outro lado da ponte.

“Devo aumentar a velocidade?”

Eu concordo. Rasgue como um Band-Aid. Tennir


pressiona alguns botões e as estrelas começam a se
desfocar. “Não deveríamos fazer isso da próxima vez.”

"Fazer o que?"

“Finja que isso pode ser qualquer coisa mais do


que uma amizade.”

Tennir não encontra meu olhar, mas ele balança


a cabeça, aceitando meus limites. Parte de mim quer
que ele discuta. É uma noção boba. Eu nunca fui
uma criatura emocional. Eu sou um cientista, pelo
amor de Deus. Eu sou governado pela lógica, não pela
emoção. Mas, pela primeira vez na minha vida, isso
não parece verdade. Agora, parece que sou governado
pelo meu coração.

Tennir não vai quebrar meu olhar. Se ele não vai


discutir, talvez eu deva? Sim, parece bom. Vamos
brigar e gritar, vou falar uma coisa para ele e ele vai
insistir em outra. Então vamos dizer foda-se e beijo. O
beijo levará ao toque, e tocar levará a arrancar
roupas, e arrancar roupas levará a sexo quente em
uma nave espacial. A ideia está parecendo cada vez
melhor, e dane-se se não estou prestes a pular da
cadeira e rastejar para o colo dele. Esse é o plano,
pelo menos, até uma explosão balançar o navio.
CAPÍTULO 16

Tennir

Eu mal posso acreditar. Estamos sob ataque.


Meu coração desaba. Todo medo irracional que tive
desde o massacre na estação científica se solidifica
em minha mente. Podemos não estar em Farol, mas a
única coisa que importa é me encarar nos olhos e
posso ver as engrenagens em sua mente inteligente
girando. Clark sai de seu assento em um instante,
assim como eu. Eu a puxo em meus braços,
firmando-a enquanto a nave treme.

“Oh, Tennir! Eu sinto muito ", ela respira


tristemente, e eu tenho que rir.

“Por que você está sentindo? Você ordenou este


ataque? "

Lágrimas brotam de seus olhos e o navio balança


novamente. "Eu sei que você tem se preocupado com
isso e aqui estamos nós ..." Sua voz falha, mas ela se
apressa para me tranquilizar. "Está tudo bem,
aconteça o que acontecer, não é sua culpa."

“Não nos resigne com a morte tão cedo. Eu fiz


uma promessa para você. ”

"Está tudo bem", ela tenta me dizer novamente,


mas eu cubro seus lábios com os meus. Nosso beijo
está muito atrasado e tornou-se agridoce pelos
soluços que sacodem o corpo de Clark. Ainda assim,
eu tiro força do abraço - nós dois tiramos. Eu poderia
me perder neste momento, se não fosse pelos
malditos alarmes estridentes.

O computador AI completa os diagnósticos e


anuncia as coordenadas flutuantes da embarcação
inimiga. Mas está agitado. Isso me diz que este não é
um simples nave pirata. É algo caro. Algo encoberto.
UPC? Comerciantes de escravos em busca de
vingança? Não importa, eles vão encontrar a morte se
tentarem embarcar nesta nave. Disso eu sei com
certeza.

Por mais maravilhoso que seja o nosso beijo,


devo arrancar de Clark. "Eu prometi que iria te
proteger."
Ela balança os braços desesperadamente para o
caos que nos envolve, a ponte inundada em luzes
vermelhas piscando. “Somos apenas nós dois, o que
podemos fazer? Não há como lutar contra algo assim!”

Eu coloco seu rosto em minhas mãos e pressiono


nossas testas juntas. "Você vai se esconder enquanto
eu deixo esses merdas embarcarem em nossa nave.
Eu vou pegá-los um por um, então irei atrás de você."
Por mais apavorada que esteja para que algo assim
aconteça, neste momento, não sinto nada além de
uma profunda sensação de clareza. Eu não vou
permitir que nada prejudique Clark - minha humana,
minha fêmea, minha companheira.

Ela balança a cabeça, sua expressão


determinada. "Eu vou lutar com você."

“Você não vai. Você irá para o seu quarto e


trancará a porta. " Eu não permito que ela proteste.
"Você prometeu cuidar de mim também, certo?"

"Exatamente! Se você lutar, eu luto! ” Ela funga a


cada respiração e suas lindas bochechas estão
vermelhas e grandes, molhadas de lágrimas.

“Olhe para mim, Clark. Você deve ouvir. ”


"Estou ouvindo." Seus olhos estão fixos
intensamente nos meus.

“Isto é vida ou morte.”

"Eu sei!"

“Eu preciso que você faça o que eu peço. Nossas


vidas dependem de você confiar em mim agora. Você
tem que se esconder. Eu preciso que você esteja
segura. "

"Eu preciso que você esteja seguro!"

"Eu vou estar. Eu sei exatamente pelo que estou


lutando. "

Clark está balançando a cabeça. "Tem que haver


outra maneira."

“Aviso: o porão de carga foi violado”, anuncia o


computador.

O rosto do meu amor se contorce de


arrependimento, e a tristeza escrita lá me fere até o
fundo. Silenciosamente, eu prometo a mim mesma
que farei tudo ao meu alcance para apagar essa dor.
Pelo resto de nossos dias, farei tudo o que puder para
trazer essa alegria feminina. Mas, primeiro, devo
garantir que sobreviveremos até a próxima hora.
"Vai."

“Eu ...” Seus olhos procuram meu rosto e suas


unhas cravam em meus ombros como se ela nunca
quisesse se soltar - e eu conheço a sensação. "Tennir,
eu te amo." Suas palavras vão direto ao meu coração,
e embora meu irmão possa ser o único com asas,
neste momento, sinto como se pudesse voar.

“E eu te amo, mais do que qualquer outra coisa


nesta vida. Agora vá."

Clark acena com a cabeça, franzindo os lábios


enquanto novas lágrimas escorrem de seus olhos.
Então, ela se vira e corre pelo corredor.

“Computador, corte os sistemas de iluminação


primária no porão de carga e todos os caminhos entre
lá e a ponte.”

As luzes se apagaram, deixando apenas o


vermelho escuro do sistema de segurança, e abro a
porta do esconderijo de armas, pronta para defender
minha companheira.
CAPÍTULO 17

Clark

A dúvida percorre cada centímetro quadrado do


meu corpo. Deixei Tennir para lutar sozinho. Parece
errado. Eu deveria estar com ele; Eu deveria estar
ajudando. Mas, em vez disso, corro para a segurança
temporária de meus aposentos e digito a senha,
entrando no quarto. Rapidamente, eu ativo as
fechaduras e não paro por aí. Eu me seguro no meu
banheiro, trancando a porta também, então me
abaixo para abraçar meus joelhos no chão do box do
chuveiro.

O tempo todo, estou repassando cenários em


minha mente, tentando confiar em meu cérebro ao
invés de meu coração - ou minha adrenalina. Quando
fui abduzido por alienígenas, nunca tive chance. Eu
nem mesmo os vi chegando. Num minuto eu estava
na minha cama e no próximo estava sendo puxado de
algum pod de estase infernal.

Mais do que qualquer coisa no universo, gostaria


de poder ser Allison agora. Eu gostaria de saber tudo
sobre armas e ser corajoso o suficiente para lutar,
mas isso não sou eu. Eu sou um cientista. Eu nunca
vivi uma vida assim antes. E embora Tennir seja um
cientista como eu, este é o seu mundo. Ele já lutou
antes. Ele defendeu o que é certo. Ele sobreviveu.
Tenho que confiar nele e dar a ele as ferramentas de
que precisa para nos proteger. Por mais que eu odeie,
agora, preciso me esconder.

Eu entendo, ele quer saber que estou segura. Ele


precisa ser capaz de se concentrar na ameaça em
questão. Eu puxo meu cabelo, me perguntando se
estou fazendo a coisa certa, me questionando um
milhão de vezes. É mais fácil lutar se ele não tiver que
me proteger - isso é um fato.

Então o que eu posso fazer? Apenas esperar?

O tempo passa irritantemente lento. As lágrimas


vêm e vão. Apesar do perigo iminente do lado de fora
da minha porta, um pensamento continua surgindo
na minha mente. Eu disse a Tennir que o amo, e
quanto mais fico sentada aqui, mais entendo a
realidade disso.

Tennir é meu e eu sou dele. Eu sei que April tem


sentimentos por ele e isso me torna uma amiga de
merda, mas eu não posso negar o que há entre nós -
é muito real, muito profundo.

Suponho que às vezes é necessária uma situação


de vida ou morte para acabar com todas as besteiras,
para fazer você perceber quais são suas prioridades.
E sim, minha amizade com April sempre será uma
prioridade - mas Tennir, ele é minha alma gêmea.
Alienígena ou não, ele é o homem com quem quero
estar pelo resto da minha vida.

Estou cheia de auto-aversão. Eu perdi tempo.


Tempo que pertenceu a nós. E veja o estado das
coisas agora. Podemos morrer. Essa pode ter sido a
única vez que tivemos e eu desperdicei com o medo e
a incerteza.

Não mais!

Eu me empurro do chão e cuidadosamente volto


para o meu quarto. Lá, na mesa embutida, está um
comunicador de pulso. Nunca me preocupo com as
coisas em Elysia. Qual seria a utilidade quando estou
a apenas algumas portas de todos os meus amigos
mais queridos? Mas agora preciso do dispositivo mais
do que nunca.

Eu esgueiro a coisa de volta para o banheiro


comigo e imediatamente começo em April.
CAPÍTULO 18

Clark

Parece que a coisa vai apitar para sempre.


Preocupo-me, terei que deixar uma mensagem e
nunca mais verei o rosto do meu melhor amigo. Mas,
como um milagre, ela responde - um sorriso no rosto.

“Garota, eu pensei que estava ficando louca. Eu


ouvi uma coisa explodindo no fundo da minha gaveta
e— ”

"April, eu tenho que te contar uma coisa!"

A expressão da minha amiga muda conforme ela


olha melhor para mim. "Onde você está? Você está
chorando? O que está acontecendo?"

Eu mordo meu lábio, tentando acalmar minhas


emoções. Este não é o momento de chorar
incoerentemente. Eu tenho coisas a dizer.
“Estamos sob ataque. Nossa nave. Eles estavam
atirando em nós; o compartimento de carga foi
violado. Isso é tudo que eu sei."

“Onde está Tennir? Merda, por que diabos você


está me ligando ?! ” Posso dizer pela vista da minha
telinha que April está correndo e eu a imagino no
pátio, ou talvez correndo pela colunata. “Ei! Onde
diabos está Rennek? " ela berra. “Chame alguém!
Chame um Vendari! Agora!"

"April! April!" Preciso gritar para chamar sua


atenção e, quando ela olha de volta para a tela, há
lágrimas em seus olhos e quase tanto terror em seu
rosto quanto no meu. Suas mãos seguram o
comunicador.

"Você está se escondendo? Você está em algum


lugar seguro agora? "

Eu enxugo minhas lágrimas. “Sim”, lamento.


"Tennir não me deixou lutar com ele. Ele me fez
esconder. ”

"Boa. Ele é um menino esperto, você ouve ele.


Você me ouve? Onde quer que você esteja agora, não
saia. Você fica segura, entendeu? "
Ela olha para cima e começa a se dirigir a outra
pessoa. “A nave de Clark e Tennir está sob ataque.
Não. Eu não sei. Que merda eu pareço, um maldito
navegador? Você tem IDs de embarcações, certo?
Você não consegue encontrá-los? ”

Uma conversa está acontecendo em segundo


plano. Eu posso ouvir os tons estrondosos de homens
alienígenas. Mas não é por isso que vim.

“April, por favor ouça. Eu não sei quanto tempo


eu tenho. Não sei se Tennir e eu vamos conseguir sair
dessa. "

“Não se atreva a falar assim”, ela avisa, e se


ainda houver outras pessoas ao seu redor, eu não
saberia. Ela está totalmente focada em mim. Meu
coração dói. April é minha âncora. Nunca tive uma
amizade tão profunda como esta ... e estraguei tudo.

"Eu tenho que te dizer uma coisa, apenas no


caso."

“Você pode me dizer quando chegar em casa. A


ajuda já está a caminho. ”

A ajuda está a horas de distância, se não dias.


Ela e eu sabemos disso.
"Saí de Farol sem me despedir."

"Eu sei e fiquei super magoada com isso, sua


vadia." Uma grande lágrima molhada escorre pela
bochecha de April.

"Eu estava evitando você."

"Por que diabos?" Ela parece genuinamente


surpresa.

Eu suspiro, inclinando minha cabeça contra a


parede do chuveiro. "Mesmo se eu conseguir voltar,
você não vai querer ter nada a ver comigo. Eu sou a
pior amiga do universo. ”

"Impossível. Você pode deixar ir qualquer coisa


idiota que você tem em sua mente agora. Eu te amo,
para todo o sempre. Você é como uma maldita irmã
para mim. Nada poderia mudar isso. ”

Eu respiro fundo e travo os olhos com April. O


que tenho a dizer está prestes a mudar tudo. "Eu me
apaixonei por Tennir."

Os olhos de April se arregalam e ela olha


desamparadamente ao redor, como se quisesse gritar
ou socar uma parede ou algo assim. "Você está
brincando comigo agora?"
Eu balanço minha cabeça, incapaz de falar.
Lágrimas escorrem de meus olhos. Eu a traí.

"Clark, há alienígenas malvados a bordo dessa


nave e você está me ligando para dizer que fodeu com
Tennir?"

Eu balanço minha cabeça, horrorizada. "Não! Não


fizemos nada parecido! Nós só nos beijamos agora,
nada mais. Então ele me fez esconder. Mas eu disse a
ele como me sinto ... e eu só ... eu só precisava que
você soubesse disso. Eu precisava ser honesta com
você ... ”

April coloca a mão na testa. Ela parece zangada


... ou talvez confusa. “Clark! Eu sei que você e Tennir
estão se aproximando. Inferno, eu sei que ele sente
algo por você! Ele me disse e eu o deixei saber que
estava tudo bem com isso! Se você tivesse se
despedido antes de partir, eu teria tido a chance de
dizer a mesma coisa! Jesus! Você não pode estar
falando sério agora! Você está realmente me ligando
para isso ?! Você tem uma maldita arma ou algo para
se proteger? "
“Não, eu ... eu não sei. Eu não olhei. Eu só
precisava ligar para você. Eu tinha que te contar.
Espere ... você sabia que Tennir gostava de mim? "

"Sim! Francamente, me sinto uma idiota por não


ter percebido antes. Foda-se, Clark! " Sua mão vai
para a cabeça como se doesse. "Garota, pegue a porra
da arma agora mesmo ou eu irei subir lá e chutar o
seu traseiro." Novas lágrimas molharam as bochechas
do meu amigo. "Proteja-se!"

“Eu realmente precisava que você soubesse,


April. Eu precisava saber que estamos ok, apenas no
caso ... ”

“Estamos ok, sempre. Nada está ficando entre


nós; você me ouve? Nem mesmo um garoto sexy. ”

"Você gosta dele."

“Eu pensei que ele era gostoso, sim. Mas todos


esses caras são sexy! Se há algo entre vocês dois, não
vou atrapalhar! Agora, concentre-se! Você está em
perigo agora. Encontrar. A. Porra. Arma."

Eu aceno, enxugando minhas lágrimas e me


recompondo. "Você vai ficar em comunicação
comigo?"
"Oh, de jeito nenhum eu vou desligar."

"Obrigada. Espere enquanto procuro algo para


me proteger. ”

"Você entendeu. Tennir vai cuidar de você,


querida. Ele vai proteger você. " April parece estar
falando mais consigo mesma do que comigo. Eu
coloco o comunicador no chão do banheiro e abro a
porta.

A costa está limpa e eu posso ouvir a voz de


April, sussurrando garantias para mim. "A ajuda está
a caminho. Você vai ficar bem. Vocês dois vão ficar
bem. ”

Eu vasculho as gavetas, mas tudo está vazio -


como as cômodas de um quarto de hotel. Não há nem
mesmo uma Bíblia para orar ... ou jogar em alguém.
Estou puxando meu cabelo, prestes a enlouquecer,
quando a porta bate. Meu coração aperta no meu
peito. Eu fico olhando para a entrada da sala pelo que
parece uma eternidade, mas provavelmente é apenas
um milissegundo. Então, eu ouço a voz de Tennir.

“Clark? Abra a porta!"

Ele parece sem fôlego, mas apenas sua voz envia


uma onda de alívio sobre mim. Estou tremendo
enquanto digito o código de acesso. A porta se abre e
mergulhamos nos braços um do outro. Estou
chorando e sinto que mal consigo ficar de pé. Demoro
um minuto para ganhar compostura o suficiente para
examiná-lo. Eu corro minhas mãos por todo o seu
corpo, procurando por sinais de lesão. Ele está
coberto de suor, mas não há sangue.

"Você está bem? Você está bem?" Eu não consigo


parar de perguntar. Ele está respondendo, mas eu
não consigo ouvi-lo. Eu não consigo entender suas
palavras. É como se minha mente estivesse muito
surpresa. Achei que íamos morrer aqui, nós dois. Mas
ele está bem. Estou bem. Ele está parado aqui na
minha frente e tudo vai ficar bem. Nós vamos ter o
nosso feliz para sempre.

Suas mãos agarram meu rosto e, entre todas as


lágrimas, nós dois estamos rindo. Eu sei que ele vai
me beijar; ele só precisa me puxar para perto e-

E tudo vai para o inferno antes que ele possa!


CAPÍTULO 19

Clark

É uma explosão de laser. Ela atinge Tennir e nos


manda voando contra a parede. Ele se vira e temos
uma visão de nosso adversário - um alienígena
sangrento que claramente já cruzou o caminho com
meu namorado. Ele está se apoiando na parede, mal
conseguindo sobreviver. Ele usa o que resta de sua
energia para tentar arruinar a nossa.

Tennir atira nele, porém, sua mira mais segura


que a do alienígena ferido. A explosão atinge seu peito
e ele desliza para o chão. A nave fica em silêncio mais
uma vez. Bem, isso não é totalmente verdade. Eu
posso ouvir a voz de April gritando nossos nomes do
banheiro, desesperada para saber o que diabos
aconteceu.

Eu pego Tennir. Não sei se é para me equilibrar


ou para ter certeza de que ainda estamos aqui. Puta
merda, eu só quero ir para casa em Farol. Mas
quando minha mão agarra o braço de Tennir, ele
recua. Está quente e úmido. Está sangrando.
"Você levou um tiro!" Eu exclamo. Claro que sim.
Isso é o que nos lançou contra a parede. Tento
verificar a ferida.

"Estou bem."

“Deixe-me ver—” Eu começo a insistir, mas o


alienígena no corredor geme. Como diabos esse cara
ainda está vivo?

“Espere aqui,” Tennir me diz, sua arma apontada


para o bandido. Eu fico olhando para o corredor,
observando a cena se desenrolar.

"Tenha cuidado", eu sussurro.

Tennir fica cada vez mais perto e a cabeça do


bandido rola para o lado. Olhos laranja encaram meu
homem, mas parecem cansados. A mão do alienígena
se afasta de seu ferimento; ele fica mole. Assim que
ele faz, algo esférico rola para longe de seu corpo.

É engraçado como as coisas acontecem rápido.


Com que rapidez você pode se aproximar de uma
pessoa. Como você pode olhar para cima um dia e, de
repente, ter um melhor amigo olhando em seus olhos.
Quanto tempo Tennir ficou me observando antes que
eu finalmente o visse? Pensar em todo o tempo que
perdi ... quase parte meu coração. Todos esses meses,
fomos feitos um para o outro. Tudo aconteceu em um
piscar de olhos. Exatamente como a bomba.

Não se parece exatamente com uma granada.


Diferente do tipo que os militares carregam na Terra.
Parece mais um rolamento de esferas. É uma coisa
tão simples, nem sei como ficar com medo. Não até
que Tennir se vire e comece a correr de volta para o
meu quarto.

É o caos e meu cérebro é dolorosamente lento


para processar a loucura. Há fogo. Eu sei disso. Sinto
o calor como uma onda. Eu vejo como todo o salão é
engolfado. Tennir me ataca, o vento é tirado de meus
pulmões. Ele cobre meu corpo com o dele. E ainda,
meu cérebro está rastejando em um ritmo
dolorosamente lento enquanto o mundo ao meu redor
corre.

Não tenho tempo para entender o que está


acontecendo. Eu não tenho tempo para orar. Eu nem
consigo respirar para gritar.

Só consigo pensar em Tennir. Seu nome se repete


uma e outra vez em minha mente. Um mantra. Um
farol. A única coisa que faz algum sentido em um
mundo que está ficando escuro.
CAPÍTULO 20

Tennir

É como estar em um pesadelo do qual não


consigo acordar. Eu corro pelos corredores, mas
encontro parede após parede de fogo. Fios
pendurados em painéis quebrados, enviando faíscas
em todas as direções. A fumaça rola pelo teto. E Clark
... ela está inconsciente, mas viva. Eu preciso mantê-
la assim.

Envio orações às Deusas para que a cápsula de


emergência esteja intacta e que eu possa encontrar
um caminho seguro até lá. Se conseguirmos sair
disso, juro que me tornarei um homem religioso,
porque as chances certamente não parecem estar a
nosso favor no momento.

Estou na metade de um corredor quando um


pedaço de revestimento desaba e o fogo se derrama da
parede como água. Eu sou forçado na direção oposta.
A fumaça é tão densa e opressiva que não consigo
mais dizer para onde estou indo.

Mas talvez haja uma intervenção divina, porque


esse último caminho disponível para mim me leva
exatamente onde precisamos estar. A cápsula de
fuga.

Eu quase tropeço e é uma sorte que o protocolo


de emergência foi ativado automaticamente, porque a
porta está aberta para mim e eu caio, prendendo as
alças ao redor do corpo inerte de Clark. Eu preciso
tirá-la daqui. Ela precisa de ar fresco.

Com nós dois dentro, a porta se fecha e o


computador da cápsula assume o controle. Minha
cabeça está fraca e tudo que quero fazer é dormir. A
última coisa de que me lembro é de tentar confirmar
nosso destino. “Elysia,” eu digo, minha voz rouca de
toda a fumaça, então meus olhos se fecham.

Parece um momento tão breve, mas a voz


frenética de Clark me diz o contrário.

"Estou acordada", digo a ela, tendo um ataque de


tosse.

"Oh! Graças a Deus!" Seu tom é tão perturbado


que me desperta totalmente.
"O que está errado?" Eu pisco, me empurrando
para cima. Estou deitado sobre ela como um cobertor.
"Oh, estou esmagando você."

"Esmague-me o quanto quiser, contanto que você


esteja vivo." Clark me agarra e me puxa de volta para
baixo, pressionando beijos em todos os lugares do
meu rosto e pescoço que ela consegue alcançar. Isso
me faz querer deitar e puxar as cobertas ao nosso
redor. Devíamos dormir esta manhã.

"Tennir!"

"Hmm, eu disse que estou acordado."

"Mexa-se. Permita-me subir. Você perdeu muito


sangue. Eu preciso pegar um kit de primeiros
socorros. ”

Tudo volta à tona. O ataque à nossa nave. Eu


nem sei quem eram essas pessoas, mas eles eram
calculistas demais para serem piratas. Eu pensei que
tinha matado todos eles. Eu deveria ter tirado os
sinais vitais, mas em vez disso levei o último direto
para Clark. Ele atirou em mim. O pensamento é
repugnante, que eu poderia ter morrido diante de
seus olhos. Que seria a última coisa que ela veria
antes de ser feita refém e forçada a uma vida de
escravidão.

Clark sai debaixo de mim, desafivelando-se do


arnês de segurança do berço. Tento rolar de costas,
mas a dor me faz chiar.

"Quão ruim está?" ela pergunta.

"Diz-me tu." Eu me inclino para frente para que ela


possa olhar, mas isso faz minha cabeça girar.

"Quero dizer, parece excruciante."

"Essa é uma palavra forte."

"Sim, bem, uma bomba explodiu contra suas


costas e não vamos esquecer a explosão de laser em
seu braço."

"Estou bem."

"Mentiroso." Ela está vasculhando os


compartimentos de armazenamento. Aponto para
onde está o kit de primeiros socorros.

Ela o encontra rapidamente depois disso e o


abre, espalhando o conteúdo diante de nós. Eu olho
para as mãos dela. Eles estão cobertos com meu
sangue e ela está tremendo.
“Eu não sei o que é isso. O que vai ajudar? ”

Aponto para os suplementos de ferro. Eles vão


ajudar com a perda de sangue. Clark os abre e os
alimenta para mim. Quase instantaneamente estou
começando a me sentir melhor e deixo escapar um
longo suspiro.

“Devíamos enviar um comunicado, pedir ajuda,”


digo a ela.

“Liguei para April, ela contou a Rennek o que


estava acontecendo.”

O alívio toma conta de mim. "Boa. Eu realmente


não queria me levantar. "

Clark bufa. “Este pod é menor do que o Nissan


que deixei na Terra.” Ela alcança a parede oposta,
tocando-a com a ponta dos dedos. "Você está
realmente se sentindo tão mal?" Ela parece
preocupada.

"Não. Me sinto maravilhoso." Eu aponto os lenços


anti-sépticos e ela diligentemente esfrega um sobre o
ferimento no meu braço.

"Você é um mentiroso."

"Eu não sou."


Clark se move atrás de mim e ouço algo
rasgando. Ela puxa os restos da minha túnica,
jogando-a no chão. "Desculpe, não há como salvar
isso."

Eu encolho os ombros. “É apenas uma camisa.


Escapamos com tudo o que importa. ”

Do canto do olho, posso ver Clark assentindo e


eu olho para ela. Lágrimas escorrem pelo seu rosto.

"Estavam a salvo."

Ela acena com a cabeça novamente, mas seu


rosto se contorce em desespero.

"Ei, o que há de errado?"

"Eu."

"Nunca."

“Sim, todo esse tempo eu estava errado. Do


começo ao fim, e quase perdi você, sem nunca ter tido
a chance de ... ”Sua voz some.

Estou perdido ou talvez meu cérebro ainda esteja


nebuloso.

“Eu estava perdendo tempo, Tennir, um tempo


precioso. Tempo que deveria ter pertencido a nós. ”
Eu considero suas palavras. "OK. Concordo."

Ela fala impassível, vendo que estou brincando.


"Não é engraçado."

"E, no entanto, apesar de tudo, estou rindo."

Ela me dá um tapa, muito gentilmente. “E como


você pode fazer isso? Você enfrentou seu pior
pesadelo hoje. Outro ataque. Você quase morreu.
Como você pode sentar aqui e não ... enlouquecer? "

Eu respiro fundo e puxo uma mecha rebelde do


cabelo de Clark. Ela faz beicinho e a esconde atrás da
orelha.

"Você realmente deseja saber?"

"Absolutamente." Meu amor retoma o trabalho


dela limpando minhas feridas, mas acho que ela está
apenas dando algo para as mãos.

“Fiquei doente da mente e do coração por muito


tempo, Clark. Todas as noites eu era atormentado por
sonhos horríveis que me levavam de volta àquele
massacre, me mostrando que a culpa era minha,
mostrando que isso poderia acontecer de novo e de
novo. ”
“E, no entanto, quando fomos atacados hoje, você
lidou com isso como Rambo. Bem... não sei se é uma
boa analogia. Acho que ele tinha stress pós
traumático. De qualquer forma, você lidou com isso
como uma pessoa que não tem isso. ”

“Acho que nunca vou superar o que aconteceu na


minha estação de ciências, e a ideia de perder você
hoje era demais para suportar. Recusei-me a sequer
considerar essa possibilidade. ”

“Então como você pode estar tão relaxado? Como


você pode provocar? ”

"O que você quer que eu faça?"

"Surpreenda, como eu."

“Em outra época da minha vida eu teria. Mas não


mais. Não desde você."

"Tudo que eu sempre fiz foi afastar você."

"Oh, eu não concordaria com isso."

Ela me lança aquele olhar amuado que me diz


que ela é cética.
“Não é apenas sobre o romance, Clark, é sobre a
amizade também. Chegou um dia em que olhei para
cima e vi você. ”

"Você me via todos os dias."

“Quero dizer, realmente vi você, apreciei você,


percebi a profundidade de sua beleza e como eu fui
atraído por ela. Foi uma coisa inconsciente por tanto
tempo, mas magnética. Você me puxou até que meus
pesadelos foram substituídos por sonhos ... de você e
eu ... juntos. Ainda dói. Tudo isso ainda dói, mas eu
tenho você agora e isso o torna suportável. ”

"Achei que íamos morrer."

"Eu sabia que não iríamos."

Clark bufa uma risada sombria. "Estou feliz que


um de nós soubesse." Ela morde o lábio e puxa os
cabelos dos olhos, pensativa. “Liguei para April.”

"Você mencionou."

"Na verdade, não liguei para ela com a intenção


de pedir ajuda."

"Bem, que bom que você fez."


Ela balança a cabeça e seus olhos procuram
nervosamente a sala. Pego sua mão e chamo sua
atenção de volta para mim.

"Por que você a comunicou?"

"Eu queria confessar, antes de morrer."

"Confessar o quê?"

“Que amiga horrível eu fui. Muito obrigado, a


propósito. ”

"Pelo quê?"

"Você nunca me disse que ela estava bem com a


gente perseguindo um ao outro."

"Eu não sabia que precisávamos da permissão


dela."

“Tennir! Eu disse cem vezes que os sentimentos


dela por você estavam me segurando! "

"April nunca teve sentimentos por mim, Clark."

"Sim ela teve!"

“Ela estava atraída por mim, talvez. Mas ela


nunca me conheceu. Ela nunca me viu da maneira
como nos vemos. O que temos é amor. O que ela
sentiu nunca foi comparado. Nem foi correspondido. ”
"Ainda assim, parece que poderíamos ter evitado
muito drama se você tivesse apenas mencionado esse
pequeno fato."

Eu agarro Clark pelos pulsos e puxo-a contra


meu peito. "Você vai me punir por minha ignorância
sobre seus modos humanos?"

Ela estica o lábio inferior. "Não! Talvez."

Eu me inclino e dou um beijo naquele precioso


lábio inferior. "Você terá que me ensinar tudo sobre
as idiossincrasias humanas."

Ela revira os olhos, mas esfrega o nariz no meu


queixo. “Idiossincrasias…”

“Os humanos são seres estranhos e seus


requisitos de corte variam enormemente.”

"Você parece ter feito observações clínicas."

"Posso ter feito algumas anotações."

Clark sorri, seus lábios perigosamente perto dos


meus. “Você pode relatar quaisquer descobertas
conclusivas nesta fase de sua pesquisa?”

“Definitivamente? Eu te amo."
“Você não deveria fazer alguns estudos de
acompanhamento? Só pra ter certeza?"

"Não neste caso."

Eu puxo o cabelo de Clark para trás e pressiono


um beijo em seus lábios. Ela abre para mim. Nossas
bocas provocam o que está por vir, mas Clark se
afasta.

"Você está ferido."

"Não dói."

"Ok, bem." Então ela está rastejando no meu colo


e eu a ajudo a tirar suas roupas. Ela é perfeita, minha
companheira humana. E ela finalmente é toda minha.

Eu me perco, beijando seu pescoço e provando


sua clavícula. Não demora muito até que ela esteja se
contorcendo contra mim. Meus lábios encontram
seus seios arredondados e eu dedico toda minha
atenção lá, lambendo, apertando, chupando e
mordendo. Quanto mais eu dou a ela, mais eu a levo
à loucura. Ela se arqueia contra mim, esfregando seu
corpo nu em busca de alívio.
Meus dedos roubam entre suas pernas, e o som
que sai dela é a meio caminho entre um gemido e um
grito.

"Você está tão molhada." Eu deslizo entre suas


dobras, mergulhando em seu núcleo apertado,
esticando seus lábios ao meu redor. "Mal posso
esperar para ver isso chupando meu pau."

Ela olha para mim em choque, suas bochechas


se enchendo de cor. "Isso é ... isso é ..."

"O que é, meu amor?"

"Isso é super quente."

Eu rio enquanto ela morde o lábio. Ela parece tão


faminta por mim, tão luxuriosa ... e acho que ela
gosta quando falo sujo com ela. "Eu deveria estar
sussurrando coisas sujas no seu ouvido em Ipoch,
isso teria feito você desistir mais cedo?"

"Silêncio. Isso é ruim."

"Se eu te dissesse o quanto eu queria sua


pequena boceta molhada, isso teria balançado você?"

"Tennir ..." Seu tom é algo entre uma reprimenda


e implorando.
Eu puxo meus dedos de seu calor e os deslizo
sobre seu clitóris. Eu quero deixá-la louca, assim
como ela está fazendo comigo. "Sente como você está
molhada?"

"Sim ela expira.

"Isso é tudo para mim?"

Ela acena com a cabeça, seus olhos nos meus.

"Posso prová-la?"

"Sim", ela ofega. "Por favor."

Levo meus dedos à boca e lambo todo o seu


delicioso creme.

“Oh ...” Sua expressão cai e eu sorrio para ela,


conscientemente.

"Você parece desapontado, amor."

"Quando você disse que iria provar, pensei que


queria dizer ..."

"Você quer que eu beba direto do poço?"

Clark fica vermelha e eu a viro de costas. Ela


solta um grito de surpresa quando abro suas pernas.
A visão é linda pra caralho. "Eu vou fazer essa buceta
toda minha."
Sua respiração engata e ela balança a cabeça
vigorosamente.

"Você está pronta?"

"Não há mais espera."

"Está certo." Eu mergulho minha cabeça entre


suas pernas e sinto seu gosto profundamente,
lambendo-a da bunda ao clitóris. Ela grita, se
contorcendo como se mal pudesse tomar minha boca
faminta devorando sua boceta. Seus punhos cerram a
cama e ela angula os quadris, dando-me acesso a
cada centímetro dela. Ela é minha. Clark é finalmente
meu e vou mostrar a ela exatamente o que isso
significa.

Minha boca ataca seu clitóris inchado. Eu queria


tanto isso; Estou desesperado pra caralho para minha
língua rolar por toda aquela pequena protuberância
sensível. Ela já está ansiosa quando eu mergulho
meus dedos profundamente em sua boceta.

"Puta merda!" Uma onda de umidade encontra


minha língua e eu a engulo.

"Uma bucetinha tão apertada e molhada!",


murmuro. Seus quadris resistem e sua boceta aperta
meus dedos.
"Eu vou gozar!"

"Isso mesmo, goze para mim. Dê-me esse


orgasmo. ”

Ela balança a cabeça e me puxa. "Eu quero você


dentro de mim quando eu fizer isso."

"Você quer sentir sua boceta apertando em torno


do meu pau duro?"

"Tennir, dê-me agora, antes que seja tarde


demais. Estou bem no limite. ”

"Implore, diga-me que você quer meu pau." Já


estou arrancando-o da minha calça para ela,
alinhando-o com seu núcleo, mas ela implora como se
eu fosse negar.

"Por favor bebê. Eu quero aquele pau; Eu quero


sentir você dentro de mim! Eu preciso disso! Eu
preciso desse pau me enchendo. "

"Oh, eu vou te encher, tudo bem."

Eu coloco meu eixo grosso nela, minhas mãos


segurando seus quadris carnudos. Leva apenas
algumas estocadas profundas - e ela grita meu nome
com cada uma delas. Então ela está gozando em todo
o meu pau. Eu a deixo surfar nas ondas e, quando ela
termina, eu a viro.

"Deus, você é safado!", ela murmura, levantando


a bunda para mim. O ângulo faz meu pau bater ainda
mais fundo, e eu aperto suas nádegas juntas,
apreciando a visão do meu pau afundando em sua
boceta. Eu bato nela assim, até que ela tenha
palavras sujas saindo de seus lábios também.

"Mais. Mais daquele grande pau duro. ” Ela olha


por cima do ombro para mim e eu puxo seu cabelo
para trás e para fora de seu rosto para que eu possa
assistir sua expressão luxuriosa enquanto a encho
com esperma.

“Oh, puta merda ... eu posso sentir ...” ela geme


enquanto eu derramo minha carga em meu
companheiro. Eu tenho guardado tanto esperma para
ela que começa a vazar antes mesmo de eu terminar
de empurrar. Então, nós dois desabamos, moles e
cansados na cama.

Por um tempo Clark murmura baixinho para seu


deus, mas a exaustão toma conta de nós dois e logo
caímos no sono nos braços um do outro.
EPÍLOGO

April

Vigas de tração, ou o que diabos esses caras


usam, puxam a cápsula de fuga para nossa nave.
Meu coração está disparado. A última coisa que ouvi
foram gritos e explosões, e pobre Clark ... ela não
estava em um bom lugar quando o comunicador
desligou. Minha melhor amiga pensou que ela fosse
morrer e tudo o que ela queria fazer era me ligar e
consertar as coisas. Parte meu coração pensar que ela
estava preocupada com algo assim em seu momento
de necessidade. Eu amo aquela garota; claro que
quero que ela seja feliz. Só espero ter a chance de
dizer isso a ela.

Rennek e o resto dos Vendari correm para a


escotilha. O Rei Cinzento insere um código e a eclusa
de ar é liberada; ele está tão ansioso para ver Tennir
quanto eu para ver Clark. Eu empurro os outros e o
sigo até a pequena porta. Eu não sei o que espero ver.
Eu sou um aotimista, mas a visão diante de mim
ainda não é exatamente o que eu imaginava.

Clark está sentada no colo de Tennir, os dois


nus. O alienígena está claramente no fundo da minha
melhor amiga, mas eles estão muito presos na merda
para perceber que estamos mesmo aqui.

“Oh merda!” eu engasgo com a minha risada.

Clark grita e Tennir se apressa para bloquear a


visão de seu corpo.

"Desculpa por interromper!" Eu grito, fingindo


cobrir meus olhos enquanto Rennek me puxa para
fora da cáapsula.

"O que está acontecendo?" Bossan pergunta, sua


expressão atingida.

“Acasalamento”, Rennek responde.

"Porra pura é o que eu vi."

Bossan parece tão surpreso que me faz rir.

"Resumindo, eles estão bem!", eu garanto.

“Encontre-nos na cozinha!” Rennek grita,


batendo contra a porta do compartimento agora
fechada.
Não demora muito até que Clark e Tennir nos
encontrem lá. Tennir parece imperturbável, mas
Clark está abaixando a cabeça timidamente. Eu não
quero dar a ela nenhum motivo para ter vergonha!
Então, eu pulo da minha cadeira, corro para o lado
dela e a envolvo em um abraço de urso.

"Estou tão feliz que você está bem!"

Os caras imediatamente começam a falar sobre o


ataque à nave e eu aproveito a oportunidade para
pegar Clark pela mão e arrastá-la para o corredor.

“Detalhes! Eu quero detalhes! ”

"Oh meu Deus, você está me matando."

“Você finalmente conseguiu um pau! Fique


orgulhosa, querida! "

“Eu não queria que todos vissem isso. Eu não


queria que você visse isso. Quero dizer, deve ter sido
estranho, considerando as circunstâncias. ” Clark
puxa nervosamente o cabelo dela.

“Querida, em primeiro lugar, só eu e Rennek


vimos. Em segundo lugar, juro por Deus que superei.
Juro. Acabou. No segundo em que soube que Tennir
gostava de você, segui em frente!”

"Ainda…"

"Ainda não. Ele é todo seu. Só porque nós duas


achamos o mesmo cara gostoso, não significa que não
podemos ser amigas. Significa apenas que nós duas
temos um gosto incrível para homens. ”

Clark ri e finalmente um sorriso se espalha em


seus lábios. “Estou feliz que estamos bem.”

“Sempre seremos boas amigas.” Eu envolvo meus


braços em volta da minha garota e dou-lhe um aperto
muito necessário. "Agora, você vai me dar detalhes ou
o quê?"

Clark espia pela esquina e os olhos de Tennir


imediatamente se fixam. Ela solta um grito tímido e
se agarra a mim. "April! Ele é uma aberração! ” ela
sussurra, incapaz de conter seu sorriso largo.

É perfeito, é exatamente o que ela precisa. E


embora eu não tenha ciúmes do relacionamento
deles, tenho inveja que ela teve uma boa trepada! Tem
sido muito poucas e distantes entre si desde meu
sequestro, mas essa não deve ser minha principal
preocupação em um momento como este. Clark tem
uma história para contar. Infelizmente para mim, é a
versão das notas, porque os caras terminam de falar e
nos juntamos a eles na cozinha.

Estou chateada por não ser capaz de obter


minhas emoções indiretamente de uma versão mais
detalhada do encontro, mas todos querem comemorar
o fato de que ninguém morreu hoje e eu acho que eu
também.

Ainda assim, não posso deixar de me sentir um


pouco desconfortável ... um pouco tenso demais. Eu
vim aqui precisando ter certeza de que minha melhor
amiga está bem e ela está. Ela está melhor do que
bem. Ela está apaixonada. E isso é uma coisa linda.
Mas eu imaginei que ela estaria se agarrando a mim,
chorando, surtando com sua experiência de quase
morte. Só que ela não está. Ela está sentada no colo
de Tennir e eles estão ... se agarrando!

Eu não sou ciumenta. Eu não estou. Bem,


definitivamente não estou com ciúmes porque ela
acabou com Tennir. É realmente a combinação
perfeita. Estou com ciúmes porque este não é o
momento de amizade, união de garotas que pensei
que seria ... e ... Eu meio que gostaria de ter alguém
para beijar e abraçar esta noite. Sexo é realmente o
melhor tipo de distração. Se ao menos houvesse
algum imóvel disponível ao redor ...

Tennir está preso, obviamente. Rennek e Dax


também.

Eu lancei meus olhos para Bossan. Ele já serviu


seu prato e está enchendo o rosto com qualquer prato
estranho que os computadores prepararam. Este é o
único cara solteiro em todo a nave. Eu o avalio
silenciosamente por um tempo.

Para ser honesta, eu nunca realmente olhei para


Bossan antes. Ele é do tipo quieto, calmo, sempre em
segundo plano - o que não é realmente o meu estilo.
Mas ele é fofo, de um jeito meio infantil. Proeza sexual
zero, posso ver isso a uma milha de distância, mas a
inexperiência às vezes pode ter seu charme.

Depois de um longo tempo, Bossan finalmente


ergueu os olhos do prato. Nossos olhos se encontram.

Ele é como um cervo sob um farol. O adorável


alienígena até olha para trás para se certificar de que
estou olhando para ele e não para alguém do outro
lado da sala. Eu mexo meus dedos em sua direção e
ofereço um sorriso. Pobre Bossan parece totalmente
confuso.
Isso pode até ser divertido. Eu pego o olhar de
Clark e aceno com a cabeça para Bossan, cujo olhar
está nervosamente indo de seu prato para mim. Eu
sopro um beijo para ele. Para minha alegria, o cara
parece que quer derreter de vergonha, e Clark me
chuta por baixo da mesa, dando um olhar de
desaprovação.

Eu encolho os ombros, fazendo um símbolo


sexual obsceno com meus dedos e fingindo uma cara
de Oh. Clark reprime o riso, mas ainda está
balançando a cabeça, NÃO. Bah, tanto faz!

Dirijo meu olhar de volta para o alienígena


quieto. Bossan ... hmmm. Quanto mais penso nisso,
mais atraente a ideia se torna. Faz muito tempo que
não tenho uma boa transa, e se há uma maneira
melhor de tirar minha mente de todos esses casais
felizes e emparelhados, então eu não quero saber
sobre isso. Sim, um pouco de diversão sedutora
parece uma ótima ideia...

FIM