Você está na página 1de 61

LIV aproxima

guia de acolhimento
na volta à escola

1 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


LIV
L A B O R ATÓ R I O I N T E L I G Ê N C I A D E V I DA
Nós somos o LIV, um programa de educação socioemocional presente
em mais de 350 escolas de todo o Brasil junto a mais de 200 mil alunos e
famílias, que tem como objetivo fazer com que os estudantes desenvolvam
a inteligência emocional, conhecendo, assim, seus sentimentos e
fortalecendo suas habilidades socioemocionais.

No LIV, o aluno desenvolve o pensamento crítico, entende que com a


ajuda de outros é possível ir mais longe e que errar faz parte do processo.

O programa LIV acontece uma vez por semana dentro da grade curricular
e se propõe a ser um espaço seguro onde a escuta e a fala são as principais
ferramentas. Os nossos materiais promovem a reflexão, o debate, a
investigação e o questionamento, não existindo respostas “corretas” ou
“esperadas”. A partir de um planejamento pedagógico estruturado, o LIV
tem a preocupação de sempre dialogar com a linguagem e os interesses
dos alunos, com um currículo desenvolvido e pensado nas particularidades
de cada faixa etária.

LIV APROXIMA
GUIA DE ACOLHIMENTO
N A VO L TA À E S C O L A

Este documento é parte de uma proposta do LIV de coletivizar


seus conteúdos. A pandemia ressaltou ainda mais a importância de
compartilharmos nossas ideias, dúvidas e medos para, assim, nos
fortalecermos como sociedade e aprendermos juntos.

Por isso, temos o desejo de que esse documento possa colaborar


para um retorno à escola mais saudável, onde a saúde mental
de toda a comunidade escolar seja levada em consideração. O
objetivo é que os escritos dispostos aqui funcionem como um guia
prático e sugestivo (para escolas, gestores, professores, alunos e
responsáveis) de propostas, ideias, ações e atividades que inspirem
e envolvam toda a comunidade escolar, amenizando os impactos
dessa retomada.

2 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


DIREÇÃO GERAL:
Caio Lo Bianco - Diretor do programa LIV
Fernanda Lemos - Gerente executiva LIV
Joana London - Gerente executiva e psicóloga LIV

COORDENAÇÃO DE PROJETO
Fabiana Decnop - Gerente executiva de marketing LIV
João Souza - Designer LIV - Supervisão de criação
Marina Batalha - Designer LIV - Diagramação
Carolina Fernandes - Analista de comunicação LIV - Redação
Aline Diniz - Supervisora de marketing Espaço de SER - Redação e Revisão
Erika Stambovsky - Coordenadora de marketing LIV - Revisão
Fernanda Ott - Supervisora de marketing de Relacionamento LIV - Revisão
Rebecca Rosa - Estagiária de comunicação LIV - Revisão

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA
Ana Carolina Medeiros - Coordenadora pedagógica LIV

AUTORIA:
Ana Carolina Medeiros - Coordenadora pedagógica LIV
Bianca Pinnola - Estagiária LIV
Joana London - Gerente executiva e psicóloga LIV
Marcia Frederico - Consultora pedagógica e psicóloga LIV
Paloma Bastos - Consultora pedagógica e pedagoga LIV
Renata Ishida - Coordenadora pedagógica e psicóloga LIV
Roberta Desnos - Coordenadora pedagógica e psicóloga LIV

COLABORADORES:
Amaral Cunha - Diretor acadêmico Escola Eleva
Bianca Vieira - Colégio CEI Mirassol e CEI Zona Sul
Fabrício Henrique Santos Silva - Gestor educacional do Colégio Darwin
Jordana de Castro Balduino Paranahyba - Psicóloga, Doutora em Educação,
professora associada de Psicologia da Educação na UFG
Marcio Cohen - Diretor pedagógico Escola Eleva
Marisangela Siqueira de Souza - Vice-diretora da escola de formação do
professor carioca Paulo Freire
Soraya Vieira Santos - Pedagoga, Doutora em Educação, professora adjunta de
Psicologia da Educação na UFG

3 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


INTRODUÇÃO | 6

A C O L H I M E N T O | 13

Reencontros | 14
Combinados podem ser lúdicos | 17
Sentimentos precisam ser acolhidos | 21

E L A B O R A Ç Ã O | 29

Cuidar da saúde mental | 30


Importância de um olhar cuidadoso | 33
Precisamos falar sobre o luto | 35
Novas formas de se relacionar | 38

A N C O R A D A | 42

Fortalecimento das redes familiares | 43


A importância de um acompanhamento coletivo | 46
Aprendizados que queremos manter | 48
Qual é o real papel da escola? | 51

S E L O L I V | 53

D E P O I M E N T O S | 55

CONGRESSO LIV | 59

C O N H E Ç A M A I S O L I V | 61

4
5 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola
Queridos responsáveis pela escola,

É bem verdade que gostaríamos de estar falando sobre essa pandemia no passado ou mesmo que
ela nunca tivesse acontecido. Mas a realidade é outra e precisamos lidar com ela para elaborarmos
a melhor forma de enfrentar o que se coloca diante de nós.

Um vírus se alastrou por diversos países do mundo assustando toda a humanidade. Os medos
emergiram em todos os sentidos e mexeram intensamente com as atividades mundiais. Fronteiras
foram fechadas, perdemos muitas pessoas, escolas pararam e descobrimos o que são os serviços
essenciais.

Fomos convocados a reinventar completamente nossas relações e atividades. Adaptações
foram feitas em poucos dias e com o mínimo de treinamento, espaços foram reorganizados para
comportar o trabalho em casa, ensino remoto, serviços domésticos e outras tantas ansiedades e
medos que passaram a morar dentro dos lares.

A pandemia tem nos deixado à flor da pele. São muito perceptíveis as oscilações de humor e o
quanto algumas situações ou notícias podem facilmente nos desestabilizar emocionalmente. E a
instrução de ficar em casa também nos obrigou a olhar para dentro e evidenciou o quão importante
é cuidarmos do que sentimos. Além disso, somos convocados a ver o peso das desigualdades
brasileiras diante da possibilidade de se proteger da pandemia, considerando que alguns não
possuem, nem ao menos, sabão e água.

Nós, do LIV - Laboratório Inteligência de Vida, acreditamos na importância da escola ter momentos
dedicados especialmente ao sociemocional, por isso desenvolvemos um material estruturado e
temos trabalhado para ser um parceiro da escola na construção do que acreditamos ser o pilar que
dará maior sustentação para a comunidade escolar: o pilar socioemocional. E, agora, essa missão
nos parece ainda mais urgente.

Não tivemos tempo para nos preparar para a paralisação das aulas presenciais, tudo surgiu como
uma grande surpresa, mas entendemos que o mundo começa a se organizar para um retorno de
suas atividades e então é preciso começarmos a nos planejar, pois queremos ter uma retomada
mais saudável e cuidadosa com todos.

Compreendemos que para esse retorno será necessário um fortalecimento da comunidade
escolar, que sofreu um grande impacto, e acreditamos que o melhor caminho para isso será através
do trabalho socioemocional.

Além disso, acreditamos que as aulas de LIV serão de suma importância nesse retorno, assim
como vêm sendo durante o isolamento social. Inclusive, indicamos fortemente que elas aconteçam
no momento presencial, para que seja feita da sua forma mais íntegra e que se complemente com
o trabalho que estamos propondo aqui, composto de um olhar institucional.

Criamos este documento com o propósito de construir, junto à escola, algumas reflexões e ações
para esse retorno. Mas, antes de tudo, queremos falar com vocês, gestores e gestoras das escolas,
que ficaram na linha de frente de todas as decisões que precisaram (e ainda precisam) ser tomadas.

6 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Podemos imaginar a quantidade de documentos, planos e diretrizes que vocês
leram nos últimos meses. Provavelmente, circularam o mundo inteiro, virtualmente,
buscando inspirações em diversas escolas para entender como cada uma agiu
na tentativa de encontrar a melhor forma de lidar com essa situação. Também
imaginamos a quantidade de comunicados, circulares e boletins que vocês
tiveram que redigir, o volume de famílias que vocês precisaram atender e as
duras decisões que precisaram ser tomadas. Realmente, não tem sido um
tempo fácil. Mas nós, do LIV, queremos prestar nossa solidariedade e dizer
que estamos pensando em vocês.

Estar à frente de uma instituição que acolhe tanta gente em um momento


tão difícil da humanidade, nos parece um grande desafio. Escola é um terreno
onde muitos buscam encontrar respostas e cobram coerência… Mas como
oferecer isso para outros em um tempo em que tudo é (des)conhecido e
incerto para todos?

A cobrança é alta e a responsabilidade também, por isso, queremos dizer


que sabemos que a maioria de vocês fez o que era possível para manter essa
instituição de pé e agora queremos nos apresentar como um parceiro para
caminharmos juntos ao longo dos próximos passos que temos nesta jornada.
Também não se esqueça dos seus parceiros na escola. Em cada proposta de
ação, nós colocamos “sugestão de responsável” para que fique claro a quem
você poderá delegar a tarefa. Adicionamos também o público-alvo de cada
proposta.

Sabemos que há milhões de questões a serem cuidadas: logísticas, pedagógicas,


administrativas. Mas também queremos lembrar do cuidado com a saúde mental
dos seus funcionários, famílias, alunos e, claro, também da sua.

O LIV Aproxima nasce desse desejo de dar algumas orientações, pensadas


por psicólogos e pedagogos, para esse retorno à escola estar pautado no
cuidado emocional de todos os envolvidos.

7 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Do que é composto esse documento?

O LIV Aproxima tem a intenção de transbordar o cuidado emocional para toda a


comunidade escolar no retorno às aulas e, para isso, criamos um documento que está
organizado em três tempos: Acolhimento, Elaboração e Ancorada.

Esses três tempos, apesar de terem uma sequência, não exigem que sejam pensados
de maneira cronológica, já que eles, de alguma forma, se sobrepõem e existem de maneira
paralela.

Desdobramos cada um desses tempos em temas que trazem um momento mais


reflexivo e indicações de ações possíveis para dar conta das questões apresentadas.

acolhimento
Temas: Reencontro, Regras podem ser
lúdicas, Sentimentos precisam ser acolhidos

Elaboracao
Temas: Cuidar da saúde mental, Importância de
um olhar cuidadoso, Precisamos falar sobre luto,
Novas formas de se relacionar

ancorada
Temas: Fortalecimento das redes familiares,
A importância de um acompanhamento coletivo,
Aprendizagens que queremos manter, Qual é o
real papel da escola?

8 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Não temos a pretensão de que todas as escolas façam as três ações, mas que cada
uma entenda as que fazem mais sentido para si e, principalmente, as que dão conta de
realizar dentro das suas dinâmicas e particularidades. Também entendemos que algumas
ações podem ter que passar por adaptações diante dos espaços, número de funcionários
e alunos. Acreditamos que esse material possa servir de inspiração, mas cada escola dará
o seu toque pessoal. É assim que construímos nossa parceria, entendendo a autonomia
como um laço fundamental da relação.

QUA L A INT ENÇÃO D E CADA


UM DES SES T RÊS T EMPOS?

9 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


acolhimento
A primeira etapa desse retorno às aulas presenciais será em torno da
preocupação em entender como cada pessoa está voltando depois de
passar um período de tempo distante fisicamente da escola e também
sobre as que vão optar por não voltar. A escuta sobre como foi a
vivência da quarentena para cada indivíduo, quais são as repercussões
emocionais e físicas do que foi vivido, os medos, as alegrias, as perdas,
tudo isso precisará ganhar espaço para ser dito e ouvido. Pensar em
como será a recepção de cada um que compõe essa comunidade
poderá ajudar em uma melhor readaptação das novas rotinas. Será
importante escutar quais são as principais ansiedades e encontrar
maneiras de acolhê-las.

Um exemplo de atividade que iremos sugerir é a gravação de um vídeo


da escola para a comunidade escolar alinhando sobre a expectativa
desse retorno, dando algumas indicações de como será e apresentando
o que estamos chamando de “cumprimento da escola”, ou seja, uma
nova forma de demonstrar afeto respeitando o distanciamento. Para
essa ação, gravamos um vídeo com algumas dicas. Vejam a seguir:

10 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Elaboracao
A segunda etapa consiste na preocupação de elaborar as vivências,
pensamentos e experiências do isolamento social.

Como estará a saúde mental das pessoas?


Como vamos cuidar dos que perderam entes queridos?

Será relevante pensar no luto como um processo importante de


ser vivido e quebrar o tabu social que temos em falar sobre morte,
mesmo os que não perderam ninguém especificamente, estão vivendo
um momento de luto coletivo. Além de outras perdas e sofrimentos
psíquicos que já nos rodeavam e nesse momento se intensificaram.
Precisaremos desenvolver uma escuta e olhar atento para as mudanças
de comportamento de todos que estarão à nossa volta e vamos ter que
reinventar nossa forma de nos relacionarmos, já que teremos muitas
indicações sanitárias sobre distanciamento.

Um exemplo de atividade que iremos sugerir nesse momento será


o de “escuta à comunidade”, em que propomos que tenham horários
preestabelecidos de escuta às pessoas que estão precisando de uma
acolhida mais individualizada. O desdobramento dessa atividade será
uma lista de lugares, disponibilizada pela escola, para indicação de um
acompanhamento psicológico de quem tiver necessidade.

11 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


ancorada
A terceira etapa não é uma etapa conclusiva. Na verdade, é um
convite para que uma nova porta se abra dentro da escola e ser
um passo inicial para que a preocupação socioemocional se torne
realmente um pilar institucional. O convite para a ancorada tem a ver
com o reconhecimento do que aprendemos nesse tempo para, enfim,
seguirmos com o nosso barco rumo a novos (e até antigos) destinos.
É a compreensão de que, se não desacelerarmos e observarmos o que
foi aprendido, acabaremos por seguir os mesmo passos que antes,
mesmo já tendo ficado claro que há muito o que mudar.

Um exemplo de atividade que iremos sugerir será o “fortalecimento


das redes familiares”, que consiste na ideia de pensarmos como
a escola e as famílias podem se apoiar nesse momento do retorno,
entendendo que será um processo gradual e distinto para cada núcleo
familiar.

Após experimentar as ações propostas, gostaríamos de escutar de


sobre como foi a experiência, quais foram as escolhas e o que fez mais
sentido de acordo com a sua realidade.

Desejamos que esse seja o ínicio de uma parceria para alguns e mais
um passo importante da nossa união para outros, mas que possamos,
juntos, construir comunidades mais fortes, redes mais sustentáveis e
ambientes mais saudáveis onde as emoções são levadas a sério e os
espaços são seguros para que todos se sintam acolhidos.

Do LIV, para todos.

12 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


acolhimento

13 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


REENCONTROS
Provavelmente, durante o período de isolamento social, você deve ter
imaginado como seria reencontrar aquele parente querido, amigo (de
trabalho ou da vida) e alunos. Quem sabe você imaginou esse momento
cheio de abraços, beijos e proximidade física? A possibilidade do reencontro,
inclusive, foi um dos nossos maiores alentos diante de um futuro incerto.

Porém, agora que o reencontro está mais próximo, é possível perceber


alguns desafios. Como possibilitar que as pessoas deem vazão à saudade
que sentiram umas das outras sem desrespeitar as recomendações
sanitárias de distanciamento? Como será rever as pessoas depois de tanto
tempo? Como é, agora, estar longe de casa? Como celebrar esse momento
de retorno para a escola respeitando aqueles que perderam entes queridos?

É necessário considerar que esse momento será marcado por alguns


estranhamentos e que cada funcionário e aluno trará a sua bagagem particular
de experiências. Um primeiro passo para acolher a comunidade escolar
é identificar os desafios do presente e buscar uma solução que mostre a
identidade da sua escola. O retorno para escola depois de meses é, sim, um
marco, mas sabemos que é possível reconhecer esses marcos de diferentes
maneiras. O mais importante é evitar ligar o motor automático das soluções
imediatas. Sempre que possível, levante o seguinte questionamento: como
ser receptivo sem ignorar a dureza do que estamos vivendo?

14 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
CHEGADA NA ESCOLA
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: COORDENADORES PEDAGÓGICOS

Propomos a criação de um vídeo mostrando o cumprimento da escola. Assim, todos


saberão como demonstrar carinho de uma maneira segura e divertida no primeiro dia de
aula. Também trazemos algumas técnicas de respiração e breve meditação para ajudar
nesse momento desafiador de mudanças. Além disso, recomendamos que exista uma
breve conversa para alinhar as expectativas dos alunos sobre o retorno, sobre alguma
regra de distanciamento social, limpeza das mãos, uso de máscaras ou rodízio de turmas.
Caso queiram uma sugestão, pedimos que vocês assistam ao vídeo a seguir, criado pela
equipe de psicólogos e pedagogos do LIV:

15 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
PESQUISA TERMÔMETRO
PÚBLICO-ALVO: FUNCIONÁRIOS, FAMILIARES E ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR ESCOLAR

Realize uma pesquisa antes das aulas presenciais voltarem para saber quais são as
maiores preocupações e dúvidas da comunidade escolar e suas expectativas. Esclareça
que é um primeiro momento de processo de acolhimento e não uma escuta de demandas
que você se compromete em seguir. Dessa maneira, você terá uma percepção mais clara
de como está a comunidade escolar e poderá escolher as ações que fazem mais sentido
para a sua realidade.

Para criar a sua pesquisa, sugerimos a criação de um formulário no Google através do


link a seguir: https://www.google.com/intl/pt-BR/forms/about/

Selecionamos algumas sugestões de perguntas que podem servir de inspiração:

Quais são os seus receios com o retorno das aulas?

Quais são as suas três maiores dúvidas sobre como será a rotina escolar?

Como você espera que seja a primeira semana de aula?

Sugerimos que não deixe de colocar uma opção de múltipla escolha em que a pessoa
possa dizer se é aluno, funcionário ou familiar a fim de garantir melhor possibilidade de
análise.

16 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


C OMBINA DO S P O D EM
S ER LÚDICOS
Lavar as mãos com frequência, usar máscaras, distância de pelo menos
um metro e meio/dois entre as pessoas. Essa não parece ser a descrição
de uma escola, certo? Ao pensarmos em escola, nós remetemos nossas
lembranças às ideias de proximidade, crianças aprendendo com brincadeiras
coletivas, compartilhamento de objetos ou ainda pensamos na demonstração
de afeto através de abraços e sorrisos. Talvez em um primeiro momento as
recomendações sanitárias serão direcionadas a limitações e restrições da
essência escolar.

Mas queremos propor uma reflexão diferente. Ao invés de pensar nas


regras como uma perda, tente encará-las de uma outra forma. Se essas
recomendações não existissem, não seria possível sequer retornar à escola
e manter as relações presenciais, tão importantes para a aprendizagem de
crianças em idade escolar. Nesse contexto, trazemos algumas perguntas
para guiar o seu planejamento sobre o tema: como explicar as novas
condutas sanitárias com menos tensão? Como fazer a comunidade escolar
compreender sobre a necessidade de respeitar essas regras sem ser através
do medo? Quais são os caminhos lúdicos para que essas regras sejam
introjetadas com mais sutileza?

17 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
BRINCANDO PARA ENTENDER
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

No nosso Instagram, disponibilizamos duas atividades que tratam da importância de


lavar as mãos no combate ao coronavírus.

01
A primeira atividade é um experimento que
explica de forma lúdica e científica como o uso
de sabão pode destruir o vírus. Não deixe de
conferir acessando o nosso perfil:
@laboratoriointeligenciadevida ou pelo link.

02
Já na segunda atividade usamos tinta para
evidenciar a forma correta de lavarmos as mãos.
Não deixe de conferir acessando o nosso perfil :
@laboratoriointeligenciadevida ou pelo link.

18 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
PINTANDO NOSSA MÁSCARA
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Solicitar que a família disponibilize uma máscara extra que possa ser pintada. Peça
para que os alunos usem a criatividade e pintem a máscara da maneira mais divertida
que puderem.

Depois desse momento, convide os alunos para um jogo de adivinhação. Eles devem
formar duplas e se posicionar um na frente do outro respeitando a distância de um metro.
Um aluno será responsável por fazer expressões faciais associadas a sentimentos como
alegria, tristeza, raiva, medo, etc. Já o outro aluno da dupla deve tentar adivinhar o que o
colega está buscando expressar. Depois, eles devem trocar os papéis.

A seguir, peça para que a turma sente em roda e busque cruzar o olhar com cada
amigo. Peça para que a turma descreva a cor e o formato do olho de cada amigo. Pergunte
para eles se alguém descobriu em que a outra pessoa estava pensando somente pelo
olhar. Para ajudar os alunos, comente sobre o olhar dos pais e dos avós, que podem
transmitir afeto ou alguma orientação sobre como agir em determinada situação. Peça
para os alunos tentarem imitar o olhar que a professora mais faz.

Professor, comunique aos alunos que os olhares podem nos ajudar a dizer o que
estamos sentindo e que eles serão os nossos grandes aliados nesse momento de uso de
máscaras.

19 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
CONCURSO DE AVISOS
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: COORDENADORES PEDAGÓGICOS

Gestor, um caminho para compartilhar as regras sanitárias pode ser espalhar cartazes
em lugares estratégicos da escola, certo? Para isso, crie um concurso para a criação
desses cartazes como uma forma lúdica de explicar as recomendações sanitárias para
todos.

Convide os alunos de cada segmento a criarem cartazes com essas regras de forma
criativa e instrutiva. Depois, mobilize os alunos a votarem em uma arte de cada segmento.
Por fim, espalhe pela escola os cartazes das artes mais votadas. Dessa forma, os alunos
poderão aprender sobre o tema de forma criativa e ainda sentir que fazem parte desse
processo de conscientização.

20 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


S ENTIM ENTOS P R EC I S A M
S ER ACOLHID O S
“Voltar quase sempre é partir para um outro lugar.” Essa frase do Paulinho da
Viola pode nos ajudar nesse momento de retorno para a escola. Afinal, se não
tomarmos cuidado, podemos ter o impulso de retomar as aulas presenciais
exatamente de onde elas pararam e com a mesma velocidade que nos era
habitual. Mas essa volta é distinta. A humanidade viveu coletivamente uma
experiência de isolamento, mortes e perdas econômicas, que afetou a todos,
mas de maneira individual e subjetiva.

Um possível caminho para não pisar o pé no acelerador é promover ações


que deem espaço para as pessoas falarem, se conectarem e se escutarem,
umas às outras. Assim, podemos tentar acolher o que foi vivido por cada um.

21 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
RECEPÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS
PÚBLICO-ALVO: TODOS OS FUNCIONÁRIOS DA ESCOLA
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR ESCOLAR

Propomos a seguinte dinâmica para o primeiro dia dos funcionários, em que o principal
foco é a escuta do que foi vivido e um tempo para o reencontro dos profissionais.

Separe as cadeiras em círculos com a devida distância entre elas, garantindo que
todos consigam se ver. Explique que a atividade se chama “círculo da confiança”,
em que um mediador faz uma pergunta ou provocação e os demais são convidados a
compartilhar seus sentimentos. Essa atividade visa criar um espaço seguro de troca,
logo, a participação não é obrigatória; só compartilha quem se sentir confortável. Só
pode falar quem estiver com o “objeto de fala”, os demais devem escutar ativamente e
não devem oferecer conselhos ao final de uma contribuição. Dado o nosso contexto atual,
o “objeto de fala” será o olhar.

Mas como essa atividade funciona na prática?

A pessoa que for conduzir o círculo deve fazer uma provocação e olhar para o funcionário
que irá começar a atividade. Após compartilhar a sua resposta, essa pessoa deve cruzar
o olhar com um colega, que será o próximo a falar. Uma rodada do círculo da confiança
termina quando os olhares tiverem cruzados todos os presentes. Pode-se fazer quantas
rodadas quiser, dependendo do tempo disponível e do engajamento da equipe.

Explique que essa dinâmica não é para expor ninguém (já que a resposta não é
obrigatória) e, sim, para convidar os professores a se atentarem para a conexão do olhar,
que será ainda mais importante a partir de agora.

22 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


A seguir, estão sugestões de perguntas para as rodadas do círculo da confiança:

QUAL FOI O SEU MAIOR DESAFIO


DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL?

CONTE UM MOMENTO MARCANTE


DESSE PERÍODO.

QUAL FOI O SEU MAIOR APRENDIZADO


COM ESSA EXPERIÊNCIA?

Após esse momento coletivo de troca, sugerimos uma reflexão individual: convide os seus
funcionários a criarem uma linha do tempo sobre os momentos, experiências, sentimentos e
reflexões do período de isolamento. Essa linha do tempo pode seguir a representação tradicional
de uma linha reta na horizontal ou pode ser livre. Os desenhos também são bem-vindos nessa
atividade.

Após esse momento de criação individual, convide os funcionários que se sentirem à vontade
para compartilhar suas linhas do tempo e colar suas criações nas paredes da sala para que todos
possam vê-las.

23 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
RECEPÇÃO DOS ESTUDANTES
ESSA AÇÃO ESTÁ DIVIDIDA EM TRÊS PARA QUE VOCÊ FAÇA
A ESCOLHA MAIS ADEQUADA PARA CADA FAIXA ETÁRIA E
MATURIDADE DAS TURMAS.

AÇÃO PARA ALUNOS DAS SÉRIES INICIAIS


PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES DAS SÉRIES INICIAIS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Recomendamos que essa dinâmica seja conduzida no primeiro dia de aula,


preferencialmente pelo professor regente.

Crie uma caixa que possa conter várias outras caixas ou embalagens dentro. Na última
camada dessa embalagem, guarde um objeto ou desenho que simbolize a saudade.

Para começar a dinâmica, organize os alunos em roda e coloque em seu centro a


caixa. Conte aos alunos que dentro dela está uma coisa que o professor guardou desde
o início do isolamento social. Cada aluno deve retirar uma camada da caixa para, no final,
descobrir que o elemento guardado foi a saudade.

Converse com os alunos sobre o tema. Primeiro pergunte a eles de quem mais sentiram
saudades na quarentena. Após escutar suas contribuições, pergunte do que eles
sentiram mais falta na escola. Por fim, peça aos alunos para desenharem sobre o que
sentiram mais saudade e exponha a arte produzida pela sala.

24 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO PARA ALUNOS DAS SÉRIES INTERMEDIÁRIAS
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES DAS SÉRIES INTERMEDIÁRIAS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Para essa atividade, será necessário levar uma caixa para a sala de aula e pedir para
que os alunos recortem uma folha de papel em três tiras. O professor deve propor um
questionamento para a turma, pedir para os alunos responderem nas tiras de papel
e guardar as suas respostas na caixa. Explique aos alunos que eles não precisam se
identificar, caso não queiram. A seguir, o professor deve ler as tirinhas e convocar os
alunos a comentarem as respostas. Repita essa proposta pelo menos por três rodadas. A
seguir, sugerimos algumas possíveis provocações:

> O QUE FOI MAIS DIFÍCIL NESSE TEMPO EM CASA?

> CONTE UM MOMENTO MARCANTE DESSE PERÍODO.

> QUAL FOI O MOMENTO MAIS LEGAL QUE VOCÊS PASSARAM EM FAMÍLIA?

> COM QUAIS PESSOAS VOCÊ MAIS CONVIVEU DURANTE O ISOLAMENTO?

> QUE FILME OU SÉRIE VOCÊ ASSISTIU E INDICARIA AOS COLEGAS?

> VOCÊ FEZ ALGUMA COISA QUE NUNCA TINHA FEITO ANTES E QUE
FOI MUITO LEGAL?

> QUAL A MELHOR PARTE DE FICAR EM CASA?

> QUAL A PIOR PARTE DE FICAR EM CASA?

> O QUE ACHOU MAIS DIFÍCIL DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL?

> DO QUE VOCÊ MAIS SENTIU SAUDADES NESSE PERÍODO?

> DO QUE MAIS SENTIU FALTA DA ESCOLA?

> QUAL FOI SEU MAIOR MEDO DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL?

25 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Propomos que finalize a aula com a seguinte pergunta:

Qual foi o sentimento que


mais marcou o seu periodo
de quarentena?

Convide os alunos a responderem a essa última pergunta em uma folha do caderno


com uma letra estilizada e canetinhas coloridas. Após os alunos colocarem os papéis
na caixa, o professor deve colar as contribuições no quadro. Peça para que os alunos
circulem aos poucos e leiam todas as ideias que formam essa nuvem de palavras.

angustia
medo
amor ansiedade

26 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO PARA ALUNOS DAS SÉRIES FINAIS
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES DAS SÉRIES FINAIS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Para essa atividade, será necessário levar para a sala algumas ilustrações que
estimulem a livre associação de ideias pelos alunos. Nós recomendamos as ilustrações
do artista Troche, tais como as apresentadas no perfil dele no Instagram: @portroche

Espalhe essas ilustrações pelo chão e convide os alunos a circularem pela sala ou por
uma quadra. Quando o professor fizer uma pergunta, os alunos devem se aproximar da
imagem que mais faz sentido diante daquela provocação. Peça para os alunos explicarem
por que se aproximaram daquela imagem e como ela se associa diante da provocação
proposta. Repita essa dinâmica conforme o tempo disponível e o engajamento dos alunos.
Sugestão de perguntas:

> QUAL FOI O SEU MAIOR DESAFIO DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL?

> CONTE UM MOMENTO MARCANTE DESSE PERÍODO.

> QUAL FOI O SEU APRENDIZADO COM ESSA EXPERIÊNCIA?

> QUAL FOI O SENTIMENTO QUE MAIS MARCOU O SEU PERÍODO DE


QUARENTENA?

27 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
RECEPÇÃO DA FAMÍLIA
PÚBLICO-ALVO: FAMÍLIAS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: COORDENADORES PEDAGÓGICOS

Coloque na entrada da escola uma mesa com uma caixa, bloco de papel, caneta e álcool
em gel. Convide os responsáveis a participarem de um mural colaborativo com o tema: o
que eu aprendi sobre a minha família em tempos de isolamento social? Para isso, eles
devem escrever ou desenhar no papel os seus aprendizados e guardá-los na caixa.

Ao longo da semana, retire os papéis e os disponha em um mural na frente da escola.


Dessa maneira você possibilitará que a família possa contar um pouco sobre a sua
experiência e se sentir pertencente e acolhida.

28 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Elaboracao

29 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


C UIDA R DA SA ÚD E M EN TA L
A pandemia evidenciou a necessidade de cuidarmos da nossa saúde
mental. Em um momento onde todos sentiram sua saúde física ameaçada
e a melhor maneira de controlar a disseminação era o isolamento, muitos
anseios, medos e temores nos acompanharam. O desconhecido tem o poder
de gerar fantasias que muitas vezes nos imobilizam e aterrorizam. Ao longo
desse processo, muitas pessoas somatizaram no corpo o que estava sendo
produzido na mente.

A obrigação de ficar em casa (ou a exposição ao sair) mostrou a importância
de olhar para dentro, seja para observar e reconhecer suas próprias emoções,
como para olhar para as relações diárias que muitas vezes estavam sendo
deixadas de lado.

Situações muito difíceis e algumas até graves podem ter sido vividas
pelas pessoas da comunidade escolar e, por isso, a instituição tem um
papel tão importante de olhar para isso no seu retorno. Mesmo que não haja
profissionais específicos desse cuidado, como psicólogos e psiquiatras, a
escola precisa estar atenta, pois muitas vezes é nesse ambiente que as
questões são reveladas.

30 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
ESCUTA À COMUNIDADE
PÚBLICO-ALVO: TODA A COMUNIDADE ESCOLAR
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PSICÓLOGOS E COORDENADORES

Entenda quem são as pessoas mais


especializadas na escola para fazer uma
escuta dessa comunidade. O ideal é que sejam
profissionais da psicologia, senão, pense nas
pessoas mais adequadas.

Combine alguns horários por semana onde


uma sala específica da escola estará aberta e
reservada para que as pessoas busquem esse
espaço para falar do que foi/tem sido difícil
nesse tempo.

Divulgue esses horários para todas as pessoas da comunidade escolar, ou seja,


funcionários, alunos e famílias. E oriente que eles sejam atendidos individualmente.

É importante dizer que essa é uma primeira escuta e que não tem propósito de
virar um atendimento regular, mas, sim, de abrir uma oportunidade para algumas
questões serem colocadas e, logicamente, encaminhadas para os profissionais certos,
dependendo da sua relevância.

Compreenda a movimentação e expanda essa ação caso tenha sido bem recebida
por todos.

31 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
ATENDIMENTOS ESPECIALIZADOS
PÚBLICO-ALVO: TODA A COMUNIDADE ESCOLAR
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PSICÓLOGOS E COORDENADORES

Para dar continuidade à primeira ação, seria


interessante que a escola organizasse uma lista de
lugares e profissionais que possam atender as pessoas
da comunidade escolar.

Entendendo que a terapia é um potente espaço para


qualquer indivíduo, mas que especialmente depois de
vivermos algo duro pode ser um lugar absolutamente
essencial, é importante que a escola esteja preparada
para fazer os devidos encaminhamentos.

Indicamos que nessa lista estejam incluídos tanto


profissionais e espaços privados (ou seja, particulares),
mas que também tenham indicações de lugares públicos
ou com valores simbólicos para que ninguém deixe de ter a oportunidade de atendimento
por questões financeiras.

Em todas as cidades existem diversos espaços dedicados a atendimentos, de linhas e


valores diferentes. Busque bons profissionais para criar essa lista para a sua comunidade.

32 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


IM PORTÂ NCIA D E UM
OLHA R CUIDA D OS O
Esse lugar que tanto enfatizamos de fala e escuta ativas é muito importante,
porém nem todos se sentem à vontade ou entendem que esse movimento
pode ser tão significativo. Por isso, é fundamental que estejamos sempre com
o olhar atento para aqueles que estão à nossa volta.

Observar uma mudança de comportamento ou de humor pode ser uma boa


ferramenta para reconhecermos quando algo não está bem para alguém.

É importante enfatizar que isso não é um convite a uma vigilância para


qualquer mudança, afinal, sabemos que as pessoas podem não se mostrar
muito abertas em um determinado dia, ou podem estar mais chateadas em
outros e até mais introspectivas em alguns momentos, mas é extremamente
relevante que os funcionários da escola estejam mais atentos para essas
transformações, seja das crianças e jovens ou mesmo dos seus parceiros de
trabalho.

Com esse olhar aguçado, muitos sofrimentos podem ser identificados e,


dessa forma, encaminhados para as pessoas que podem acolher e ajudar.

33 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
VÍDEO “OLHAR ATENTO”
PÚBLICO-ALVO: FUNCIONÁRIOS DA ESCOLA
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR ESCOLAR

Acreditamos que essa reflexão e esse treinamento devam ser feitos com qualquer
funcionário da escola, já que a aparição dessas mudanças comportamentais e de humor
não ficam restritas só à sala de aula. Muitas vezes essa percepção será feita pelos
monitores que olham os recreios, os corredores, as relações ou pela pessoa que fica na
porta da escola, que enxerga a relação da criança com sua família, por exemplo.

Por isso, junte pessoas que você entende que possam se beneficiar com esse tipo de
conversa e instrução e passe o vídeo criado pela equipe de psicólogos e pedagogos do
LIV. Após encaminhar o vídeo, converse sobre a importância desse olhar cuidadoso para
toda a comunidade escolar, a fim de que seja possível identificar pessoas que estejam
passando por alguma situação difícil, mas que não têm condição ou mesmo percepção
para nomear isso e pedir ajuda.

Esse espírito de cuidado e atenção pode ser revolucionário para a instituição, pois
um espaço em que todos se sintam seguros e cuidados torna-se muito mais potente e
permite que o indivíduo transpareça a sua vulnerabilidade e humanidade.

34 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


PRECISA M OS FA L A R
S OBRE O LUTO
Esse tema parece ser um tanto espinhoso e delicado, talvez porque a
nossa sociedade moderna não tenha costume de falar sobre a morte e muito
menos sobre o processo de perder alguém.

Esse silenciamento pode parecer o melhor caminho, mas não é.

Enquanto não tocarmos em temas difíceis, eles crescerão em nós com


ainda mais força. Por isso, entendemos que, para além de um parágrafo de
reflexão sobre o luto, precisamos de um tempo maior para falar sobre sua
complexidade. Por isso, pedimos que vocês assistam a esse vídeo, criado
pela equipe de psicólogos e pedagogos do LIV:

Caso você ache interessante compartilhar com algumas pessoas da sua


equipe, fique à vontade.

35 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
HOMENAGEM AOS QUE PARTIRAM
PÚBLICO-ALVO: TODA A COMUNIDADE ESCOLAR
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PSICÓLOGOS E COORDENADORES

Entendemos que parte do processo de luto é dar espaço para que as pessoas possam
se despedir e homenagear quem infelizmente nos deixou.

Por isso, a primeira ideia para trabalhar esse tema é dedicar um mural da escola com o
título “homenagem aos que partiram” e permitir que as pessoas prestem as homenagens
que fizerem mais sentido para elas.

Podem ser escritos nomes, histórias, letras de música, desenhos ou o que cada um
achar que consiga, de alguma forma, simbolizar aquela perda.

A ideia é que esse espaço seja preenchido espontaneamente pelas pessoas que
se sentirem convidadas a isso e ele poderá ser recheado por homenagens a pessoas
que compuseram a comunidade escolar diretamente (funcionários, familiares e até
crianças, por exemplo) ou indiretamente (como familiares mais distantes dos alunos ou
funcionários).

Caso exista algum profissional na escola que esteja apto a fazer uma segunda etapa
da atividade, principalmente psicólogos, incentivamos que a ação seja feita com alunos
mais velhos, principalmente a partir do Ensino Fundamental Anos Finais. A ideia é que
esse profissional, em algum momento que o mural esteja mais preenchido, possa fazer
uma visita com os adolescentes até esse espaço, a fim de dar mais visibilidade para
ele. A proposta é mostrar a importância de cada uma daquelas pessoas que partiram,
mostrando que, por trás de cada número, também há uma história de alguém querido por
outras.

Esse movimento pode ser interessante para ir contra uma corrente de invisibilidade
e de banalização dessas perdas, mas é importante que ele só seja feito por alguém que
possa dar conta de possíveis transbordamentos emocionais que as crianças e jovens
possam viver.

É importante frisar que a proposta não é gerar mais pânico nas pessoas, pelo contrário,
mas, sim, humanizar algo que infelizmente, pela gravidade do que estamos vivendo,
acabou sendo encarado como “normal”.

36 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
ACOMPANHAMENTO INDIVIDUALIZADO
PÚBLICO-ALVO: PESSOAS ENLUTADAS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PSICÓLOGOS E COORDENADORES
PEDAGÓGICOS

Outra ação importante é mapear as pessoas da escola que perderam familiares


e outros queridos e oferecer a elas uma escuta inicial sobre como foi esse momento,
entender que tipo de ajuda elas estão precisando e fazer os possíveis (e necessários)
encaminhamentos específicos, pensados para cada caso, sejam eles de ordem psíquica
ou até financeira.

Além de um momento inicial de acolhimento dessas pessoas, é importante estabelecer


um contato regular para acompanhar como esse processo vai se desenrolando na
retomada da vida sem aquele amigo ou ente que se foi.

37 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


N OVA S FORMA S D E
S E RELACION A R
Muito do que estávamos acostumados a fazer antes da pandemia precisará
ser limitado e/ou reinventado, pelo menos enquanto não tivermos uma vacina.
Com o retorno à escola, é bem possível que haja um revezamento de horários,
turnos e divisões de turmas. Enquanto criávamos esse documento, muitas
vezes nos pegamos pensando “isso não é possível porque exige proximidade
entre as pessoas” e provavelmente por muito tempo ainda precisaremos
pensar dessa forma, olhando para o que fazíamos antes e recriando com as
condições que temos hoje.

Junto dessa reflexão nos deparamos com o desafio que é manter a escola
como um espaço essencial de socialização, mas com o distanciamento sendo
uma direção clara da Organização Mundial da Saúde (OMS). O recreio, os
refeitórios, os corredores que antes eram ocupados por multidões e muitos
corpos agora estarão com novos limites e regras. Como poderemos fazer?
Como manteremos nossos corpos “aquecidos” mesmo sem nos encostar?
Como brincar a distância? É para isso que pensamos em algumas ações
dedicadas aos alunos e ao reconhecimento de quanto o calor humano fará
falta neste ambiente.

38 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
CARTAS E/OU DESENHOS PARA OUTRA TURMA

PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Entendemos que o pouco espaço e tempo de interação entre as turmas podem ser
muito sofridos para os estudantes, já que muitas vezes os seus maiores amigos estão
em turmas ou até séries diferentes.

Que tal estimularmos que os alunos façam cartas e/ou desenhos para os colegas com
quem terão pouco tempo de troca?

Pode haver um espaço reservado na grade horária para que eles façam essas produções.
A escola pode escolher se vai existir uma espécie de carteiro que levará as produções ou
se vai destinar um espaço físico para funcionar como um correio, onde todos podem ir
checar as correspondências que chegaram.

39 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
SURPRESA NO RODÍZIO
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PROFESSORES DE TURMA

Como sabemos que é bem possível que as turmas passem por uma espécie de rodízio,
ou seja, parte da turma vai frequentar presencialmente a escola em uns dias e parte em
outros, seria interessante que cada grupo de alunos preparasse uma surpresa para os
que virão nos outros dias.

Deixe-os livres para entender o que querem deixar para seus colegas, mas incentive-
os a fazer.

Algumas sugestões que podem servir de inspiração:

> DEIXAR ALGUMA PRODUÇÃO EMBAIXO DAS MESAS.

> UM DESENHO OU ESCRITOS GENTIS NO QUADRO PARA A


CHEGADA DO PRÓXIMO GRUPO.

> UM VÍDEO GRAVADO MANDANDO ALGUMA MENSAGEM PARA


OS QUE CHEGARÃO.

40 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
HORA DO BARULHO
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR E COORDENADORES

Essa é uma proposta ousada, mas não queremos deixar de incentivá-la.

Sabemos que escola também é lugar de barulho, de bagunça e todos nós temos ótimas
memórias desse tempo.

Com as novas exigências e recomendações, as aglomerações não serão permitidas.


Então, é bem possível que a escola fique mais silenciosa. Mas será que é isso que
queremos?

Nossa sugestão é uma brincadeira: que tal combinar com as crianças e jovens o uso do
famoso sinal, que normalmente é usado para marcar os tempos de intervalo, atividades,
provas, etc, para uma função diferente?

A ideia é que haja um toque de sinal diferente que funcione como um convite para que
todas as turmas, juntas, façam muito barulho, de maneira que todos se escutem, mesmo
de longe, e saibam que os outros estão presentes.

Uma outra possibilidade é a escola combinar alguma música que será cantada
coletivamente quando esse sinal for dado.

A proposta é fazer uma ou duas vezes no dia, para que os alunos também possam
extravasar um pouco da sua energia. Topam?

Observação: caso não haja esse sinal na escola, combine outro código para que esse
momento aconteça.

41 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


Ancorada

42 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


F ORTA LECIM EN TO DA S
REDES FA M IL IA R ES
O retorno à escola não será um retorno à nossa rotina usual. Talvez o
turno das aulas seja encurtado ou ocorra um rodízio entre os alunos. Essa
realidade particular da escola pode não ser acompanhada pela retomada do
trabalho dos pais, que podem ter que sair de casa para trabalhar em jornada
integral. Além disso, sabemos que o período de isolamento gerou um impacto
financeiro em muitas famílias.

Diante desse cenário atípico, talvez seja o momento ideal para estimular a
aproximação das famílias e a criação de redes de apoio. Para isso, propomos
as seguintes reflexões: como as famílias das escolas podem se configurar
em uma rede de apoio? Como podemos incentivar algum cuidado em rede?

43 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
DESAFIO EM REDE

PÚBLICO-ALVO: FAMÍLIAS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR E COORDENADORES

Convide os responsáveis a divulgarem os seus negócios individuais para a coordenação


da escola. Crie uma lista de negócios separados por categoria e compartilhe por e-mail
para a comunidade escolar. Assim, na hora de visitar uma padaria, salão de beleza ou
restaurante, todos podem priorizar os estabelecimentos das famílias que compõem a
escola. Outra ideia interessante é que pessoas que perderam seus empregos possam
compartilhar suas expertises para que a própria rede possa se mobilizar para ajudar.
Dessa maneira, estaremos como rede nos apoiado diante desse desafio econômico.

44 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
TODOS SE CUIDANDO
PÚBLICO-ALVO: FAMÍLIAS
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTORES E COORDENADORES

Convide as famílias a se organizarem em uma ajuda mútua e coletiva na hora de buscar


as crianças na escola (ou ainda na hora de cuidar de mais de uma criança para as famílias
que vão ter que trabalhar em horário integral). Disponibilize o número, caso autorizado,
das famílias da mesma turma, assim os pais podem se contatar para formar suas redes.

45 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


A IM PORTÂ NC IA D E UM
ACOM PA NHA MEN TO C OL ETI VO
Como todos vivemos algo inédito e muitas vezes doloroso, o
acompanhamento pedagógico e emocional precisará de um cuidado ainda
mais especial. Como a escola pode se comprometer com isso? Como dar conta
desse cuidado sem ser mais um peso para professores e coordenadores?

46 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
TUTORES RESPONSÁVEIS
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: COORDENADORES PEDAGÓGICOS

A escola deve definir dois tutores por turma que possam fazer um acompanhamento
mais frequente sobre o desempenho emocional e cognitivo dos alunos. Essa dupla pode
ser formada por professores e/ou coordenadores, que devem conversar quinzenalmente
com esses alunos para coletar informações sobre como estão emocionalmente e
em relação às matérias. Durante essas conversas, é interessante encaminhar para
o plantão de atendimentos aqueles alunos que estiverem emocionalmente mais
vulneráveis ou ainda traçar planos de ação pedagógicos e emocionais.

47 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AP RENDIZA D OS QUE
QUEREMOS MA N TER
É duro dizer que aprendemos algo com o que vivemos? Por mais que seja,
sem dúvida vivemos um processo onde reflexões e aprendizados foram
tirados por todos. Esse é um momento para convidar os seus alunos e
professore a pesarem as suas aprendizagens e refletirem sobre as práticas
que não querem deixar cair no esquecimento. Pode ser um momento para
valorizar a perseverança e adaptabilidade de todos diante desse contexto.

48 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
ESCUTA DOS PROFESSORES
PÚBLICO-ALVO: PROFESSORES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: PSICÓLOGOS E COORDENADORES
PEDAGÓGICOS

Construa um mural na sala de professores com duas perguntas, que o professor deve
preencher livremente. Sugestões:

> O QUE FOI MAIS DIFÍCIL OU QUAL FOI O MAIOR


DESAFIO DO ENSINO REMOTO?

> QUAL PRÁTICA DOCENTE VOCÊ QUER ADOTAR A


PARTIR AGORA?

Tenha um momento em uma reunião de professores para discutir essa produção


coletiva. Proponha uma reflexão sobre as superações e aprendizagens de seus professores
e práticas que queiram continuar aplicando, favorecendo através do reconhecimento a
busca por desenvolvimento profissional constante.

49 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
ESCUTA DOS ALUNOS
PÚBLICO-ALVO: ESTUDANTES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR E COORDENADORES

Construção de um mural na sala de cada turma com duas perguntas, que os alunos
devem preencher livremente. Sugestões:

> O QUE FOI MAIS DIFÍCIL OU QUAL FOI O MAIOR


DESAFIO DO ENSINO REMOTO?

> O QUE VOCÊ GOSTARIA QUE SE MANTIVESSE


DO ENSINO REMOTO?

Posteriormente, alguém da coordenação deve ter um momento com cada turma para
discutir essa produção coletiva. Estimule um debate com os alunos sobre o seu processo
de aprendizagem, sobre os formatos que favorecem a aprendizagem, seja em termos
de metodologias oferecidas pelos professores ou ainda como sentimentos podem ter
afetado esse processo. O autoconhecimento pode ser um grande aliado no desempenho
acadêmico e bem-estar do aluno.

50 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


QUA L É O REA L PA P EL
DA ESCOLA ?
Durante esse período de isolamento social, algumas escolas conseguiram
adotar práticas associadas ao ensino remoto, com aulas on-line, por
exemplo. Outras, porém, esbarraram no problema de falta de acesso à
internet de algumas famílias. Independentemente do caso, a escola foi
convidada a pensar sobre o seu formato e sobre a sua essencialidade na
vida das crianças.

Manter alguma atividade para o aluno durante esse período parece ter
sido o desejo de todos, mas qual era o real objetivo? O mais importante era
manter a excelência acadêmica e as notas dos alunos, uma aprendizagem
efetiva ou o vínculo do aluno com a escola? Não existe uma resposta correta
para essa pergunta. Cada escola tem o seu projeto pedagógico e suas
prioridades, no entanto, talvez esse seja um momento de refletir sobre isso.

Foi possível perceber um movimento de equipes pedagógicas discutindo


quais eram os conteúdos essenciais para esse período de quarentena.
Também foi possível perceber que mesmo com um cenário ideal de aulas on-
line e aprendizagem efetiva dos alunos, algo parecia estar faltando. Por que
mesmo em um cenário como esse, o desejo de voltar à escola é tão grande?
Diante desse sentimento, nós perguntamos: qual é o real papel da escola?
Por que sentimos tanta falta dela?

Foi possível perceber que, para esse momento, muitas instituições,


incluindo a OMS, recomendaram algum tipo de exercício físico e contato
virtual com pessoas queridas como forma de garantir a saúde mental. Será
que na escola fazemos a mesma coisa? Será que favorecemos práticas que
estimulem o corpo? Será que paramos para pensar no quanto a socialização
é necessária? Favorecemos o uso de espaços abertos, que tanto nos fizeram
falta nesse período? Estimulamos a arte como espaço de elaboração, ela
que esteve presente em um número infinito de lives e consumo de filmes
e séries? Pensamos em temas transversais como igualdade e respeito aos
direitos humanos?

51 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


AÇÃO:
JUNTOS SOMOS MAIS FORTES
PÚBLICO-ALVO: FUNCIONÁRIOS E GESTORES
SUGESTÃO DE RESPONSÁVEL: GESTOR E COORDENADORES

Reúna os funcionários e crie grupos de trabalho que pensem o que é essencial para
a escola. Após um período de reflexão, crie um plano de ação para mudanças possíveis
dentro de cada realidade.

52 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


PARTIC IPE DA NOS S A
JORNA DA DO SEL O A Z UL!

O Selo Azul vem mostrar a importância do olhar consciente para a saúde mental na
volta às aulas presenciais de forma estruturada, reconhecendo a responsabilidade
desse cuidado emocional da mesma maneira que devemos cuidar dos protocolos
de higienização.

Pensando no retorno à escola, o LIV desenvolveu a “Jornada do Selo Azul”,


que consiste em 4 etapas nas quais as escolas terão a oportunidade de acessar
materiais exclusivos do LIV, desde um raio-X da saúde mental, tanto dos professores
quanto dos alunos, até o aprofundamento dos temas sugeridos neste guia.

Desta forma, será possível uma vivência contínua e rica a partir de conteúdos
ilustrativos, artigos, pílulas audiovisuais e posts para que a experiência de retomada
da sua escola seja feita da melhor maneira possível, olhando para a saúde mental
de todos que a compõem.

Ao final da jornada, sua escola receberá o Selo Azul e um kit de materiais para
ambientação, identificando-a como uma escola que participou de todo o processo
e se preocupa com uma preparação emocional coordenada para toda a comunidade
escolar.

53 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


C O M O RE C E B O O S CON T EÚ D OS
D A JOR NA DA D O SEL O A ZUL ?

As etapas da nossa jornada serão sempre enviadas para o e-mail usado no


momento em que você baixou o Guia LIV e disponibilizadas na página da jornada,
que pode ser acessada no botão abaixo.

Assim, você poderá revisitar os conteúdos quando quiser! Fique atento à caixa de
entrada e à aba de spam para ser notificado quando chegarem os novos conteúdos!

Ficamos felizes em estarmos juntos a você e a sua escola nessa retomada às aulas
presenciais! Convide outras escolas para também participarem dessa jornada.

VAMOS COMEÇAR A
JORNADA DO SELO AZUL?

CLIQUE PARA
ACESSAR A JORNADA!

54 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


QUANDO SE ACREDITA EM UM PROGRAMA COMO O
LIV - LABORATÓRIO INTELIGÊNCIA DE VIDA,
ACREDITA-SE TAMBÉM NO PAPEL DA ESCOLA
ENQUANTO FORMADORA DE PESSOAS CAPAZES
DE VIVER EM SOCIEDADE E APTAS A SUPERAR OS
DESAFIOS QUE SURGEM NO CAMINHO.

PRESENTE ATUALMENTE EM INSTITUIÇÕES


DE ENSINO DAS CINCO REGIÕES DO PAÍS, O
CURRÍCULO SOCIOEMOCIONAL OFERECIDO PELO
LIV TEM BENEFICIADO MILHARES DE ALUNOS,
EDUCADORES E FAMÍLIAS.

55 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


depoimentos
CENT RO DE E N S IN O C H ARLE S DA R WIN
ESPÍRITO SAN TO
SILVIO PANTELEÃO, GESTOR DAS UNIDADES LINHARES E COLATINA DO CENTRO
DE ENSINO CHARLES DARWIN, NO ESPÍRITO SANTO, CONTA QUE A PARCERIA DO
LIV COM O GRUPO DE ESCOLAS COMEÇOU HÁ QUATRO ANOS. INICIALMENTE, O
MATERIAL E AS AULAS SEMANAIS FORAM INTRODUZIDOS NA GRADE CURRICULAR
DO ENSINO FUNDAMENTAL. APÓS DOIS ANOS DE PARCERIA, A REDE DECIDIU
AMPLIAR O ATENDIMENTO SOCIOEMOCIONAL PARA O ENSINO MÉDIO.

“JÁ OUVIMOS DE ALUNOS QUE ESSA ERA A AULA QUE ELES MAIS GOSTAVAM.
[O LIV] NOS TROUXE UMA SENSAÇÃO DE QUE NOSSA APOSTA ESTAVA INDO NA
DIREÇÃO CORRETA, PORQUE A IDEIA É: O FOCO TEM QUE SER O ALUNO! SE A
GENTE PERDER O FOCO NO ALUNO, NÃO TEM POR QUE TER ESCOLA. ENTÃO, SE O
FOCO É O ALUNO E ELE PERCEBEU QUE AQUILO FOI UM GANHO PARA ELE, DÁ A
ENTENDER QUE ESTAMOS NO CAMINHO CERTO”.

COLÉGIO E QU IP E
PERN AMBU C O
NO COLÉGIO EQUIPE, DE RECIFE (PE), A PARCERIA COM O LIV JÁ DURA TRÊS ANOS,
RELEMBRA VERÔNICA PEREIRA, PSICÓLOGA E COORDENADORA DA INSTITUIÇÃO.
“ENTENDEMOS QUE A CRIANÇA E O JOVEM TÊM QUE SER TRABALHADOS EM SUAS
MÚLTIPLAS APRENDIZAGENS”, DESTACA.

PARA A EDUCADORA, O PROGRAMA TAMBÉM DIALOGA COM A NECESSIDADE DE


DESENVOLVER OS QUATRO PILARES DA APRENDIZAGEM: APRENDER A SER, APRENDER A
CONVIVER, APRENDER A FAZER E APRENDER A CONHECER – CITANDO O RELATÓRIO DELORS,
ESCRITO PELO ECONOMISTA, POLÍTICO E PROFESSOR FRANCÊS JACQUES LUCIEN JEAN
DELORS E PUBLICADO PELA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A
CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO).

“NESSA PERSPECTIVA, O ALUNO NÃO É VISTO APENAS NO SEU ASPECTO


DA COGNIÇÃO, MAS TAMBÉM NO SEU ASPECTO SOCIOEMOCIONAL”.

C O LÉ G I O S AIN T JOHN
RIO DE J ANE IRO
LUÍSA MENDES, PROFESSORA DE LIV NO COLÉGIO SAINT JOHN, NA CIDADE DO RIO DE
JANEIRO, ACOMPANHA A PARCERIA DESDE O INÍCIO. ELA EXPLICA O QUANTO ALUNOS E
EDUCADORES FORAM AFETADOS POSITIVAMENTE AO LONGO DOS ANOS. “TEVE ATÉ UMA
OCASIÃO EM QUE UMA ALUNA PARA QUEM EU DAVA CIÊNCIAS E LIV, FALOU: ‘POXA, VOCÊ É
UMA PROFESSORA QUANDO DÁ AULA DE CIÊNCIAS E OUTRA PROFESSORA QUANDO DÁ AULA
DE LIV. A GENTE PRECISA DESSA LEVEZA NA AULA DE CIÊNCIAS ASSIM COMO ACONTECE NAS
AULAS DE LIV”, CONTA A EDUCADORA. NA ESCOLA, O PROGRAMA ATENDE ESTUDANTES DESDE
A EDUCAÇÃO INFANTIL ATÉ O SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO.

“[NAS AULAS DE LIV] O FOCO É MAIS DIRECIONADO PARA EXTERNAR O


SENTIMENTO, O QUE ESTÁ SE SENTINDO NAQUELE MOMENTO, O QUE ESTÁ
ATRAPALHANDO A VIVER ALGUMAS COISAS EM SALA DE AULA OU NO
RELACIONAMENTO EM CASA OU COM OS AMIGOS. ISSO TROUXE UMA VISÃO E UM
FOCO DIFERENTE PARA O MEU JEITO DE SER COM OS MEUS ALUNOS”.

56 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


depoimentos
“FOI INTERESSANTE QUANDO CONHECI O LIV. TENHO DUAS FILHAS QUE
USAM O PROGRAMA E PUDE PERCEBER O POTENCIAL DE EXECUÇÃO
DESENVOLVIDO, TORNANDO-AS MAIS CONFIANTES E COM MAIS FORÇA
PARA TIRAR OS SONHOS DO PAPEL. HOJE, COMO PROFESSOR, PERCEBO
QUE FALTA AOS JOVENS A CAPACIDADE DE SE RELACIONAR COM AS
OUTRAS PESSOAS E É ISSO QUE FAZ O LIV TÃO IMPORTANTE.”

BERNARDINHO
Ex-treinador de voleibol e empresário

“UM DIA RECEBI O CONVITE PARA ENRIQUECER OS MATERIAIS DO LIV


FALANDO PARA OS PAIS. ADOREI DUPLAMENTE O CONVITE. PRIMEIRO,
PORQUE NAS MINHAS ANDANÇAS PELO O BRASIL, SEMPRE É APONTADO
PELOS PROFESSORES O QUANTO É DIFÍCIL A RELAÇÃO FAMÍLIA E ESCOLA.
SEGUNDO, A RAZÃO QUE ME LEVOU A ESCREVER O MATERIAL: EU CONFIO
NA PROPOSTA DO LIV. EM TEMPOS DE MUITAS FÓRMULAS MÁGICAS E
SALVADORAS QUE SÃO OFERECIDAS PARA AS ESCOLAS, OLHAR PARA O LIV
COM MAIS ATENÇÃO FOI O QUE ME DESAFIOU.”

LOURDES ATIÉ
Especialista em Educação

“QUANDO EU ME TORNEI PAI, EU SABIA QUE ISSO [FALAR DE SENTIMENTOS]


ERA IMPORTANTE, MAS NÃO SABIA QUAL ERA A MANEIRA DE REALIZAR O
DIÁLOGO COM A CRIANÇA SOBRE ISSO. [...] O LIV VEM E ORGANIZA ISSO,
ATRAVÉS DE ESTUDO, DE LUDICIDADE E DE MUITA SENSIBILIDADE.”

LÁZARO RAMOS
Ator, apresentador, cineasta e escritor

“É SENSACIONAL TER UM “LABORATÓRIO” PARA EXPLORAR AS HABILIDADES


SOCIOEMOCIONAIS. VEJO O LIV COMO UM MODO MUITO INTELIGENTE
DE DESENVOLVER NOS ALUNOS HABILIDADES COMO A PERSEVERANÇA,
PROATIVIDADE E CRIATIVIDADE. HABILIDADE ESSAS QUE ME TORNARAM
O EXPLORADOR E NAVEGADOR QUE SOU. FIQUEI IMPRESSIONADO COM O
PROGRAMA, COM O MATERIAL E COM O ESFORÇO DOS PROFESSORES EM
TRAZER DIFERENTES EXPERIÊNCIAS VIVAS PARA AS AULAS.”

AMYR KLINK
Escritor e navegador

57 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


ASSISTA:
RIA, CHORE, SINTA. UM CONVITE
PARA FALAR DOS SENTIMENTOS!

CONHEÇA
O MANIFESTO LIV, NARRADO PELO
ATOR E PAI LIV, LÁZARO RAMOS:

58 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


apr esenta:

ASSISTA AO CONGRESSO LIV!


O Congresso LIV é um evento realizado anualmente desde
2017 com o objetivo de ampliar o debate sobre a educação
socioemocional. Desde sua primeira edição, destaca-se por ser um
evento internacional, trazendo ao Brasil grandes nomes da cena
educacional como Edgar Morin, Howard Gardner, Domenico De Masi
e Paul Tough, além, é claro, de grandes profissionais brasileiros das
áreas de Educação, Psicologia, Artes e Saúde, como Lourdes Atié,
Daniel Becker, Lázaro Ramos e Christian Dunker, configurando-se
assim, como um espaço de troca de saberes.
Em 2020, o evento aconteceu no ambiente virtual e contou com mais
de 25 especialistas e influenciadores que levantaram questões e
olhares voltados para a aproximação de toda a comunidade escolar.

VOCÊ PODE VER E REVER O


CONTEÚDO CLICANDO AQUI.

59 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola


ENTENDA POR QUE O LIV PODE SER UM PARCEIRO VITAL PARA A SUA ESCOLA

Falar sobre educação socioemocional é uma Na BNCC, as competências socioemocionais


discussão que ultrapassa o ambiente escolar. estão presentes em todas as 10 competências
gerais. Portanto, no Brasil, até 2020, todas as
Na contramão do século passado, características escolas deverão contemplar as competências
como solução de problemas, pensamento crítico, socioemocionais em seus currículos. Elas se
criatividade, gestão de pessoas, empatia, alinham às novas diretrizes propostas pela
inteligência emocional, bom senso e flexibilidade BNCC, à proposta de Educação para o século
serão mais importantes do que competências 21 da UNESCO, a fim de garantir aos alunos
técnicas, de acordo o World Economic Forum uma formação integral, que os prepare para
(Fórum Econômico Mundial), em seu último os  desafios que serão enfrentados  no mundo
relatório sobre o futuro do trabalho (The Future contemporâneo.
of Jobs Report 2018). São as Competências do
Século XXI. Essas competências gerais relacionadas aos
valores e ao comportamento se alinham à
- E o Brasil está inserido nesse contexto? proposta da Base de garantir aos alunos uma
Sim e muito! Em 20 de dezembro de 2017, a formação integral, que os prepare para os
Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi desafios que serão enfrentados no mundo
homologada pelo então Ministro da Educação, moderno.
Mendonça Filho. A resolução apresentada pelo
Conselho Nacional de Educação (CNE) institui e - Mas como educação socioemocional, BNCC e
orienta a efetivação e adequação dos currículos a prática se comunicam?
escolares à BNCC até 2020. Diante de todo esse cenário, chegamos à seguinte
conclusão: todas as escolas brasileiras deverão
A BNCC prevê as aprendizagens essenciais que incluir em seus currículos, ainda em 2020, as
as escolas brasileiras devem desenvolver ao habilidades socioemocionais, e desenvolvê-las
longo de toda a Educação Básica, sintetizadas nos alunos faz parte dos desafios do século XXI
em dez competências gerais. na educação. Uma pauta aquecida e, ao mesmo
tempo, urgente para as próximas gerações.

Fonte: Ministério da Educação e Cultura (MEC)


60 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola
AINDA NÃO É UMA ESCOLA PARCEIRA LIV?
CLIQUE AQUI E PEÇA LIV NA SUA ESCOLA!

APROXIME-SE!
ACOMPANHE O LIV NAS REDES:

61 | LIV aproxima: guia de acolhimento na volta à escola