Você está na página 1de 7

Acorde Diminuto

Acorde diminuto é o acorde formado pelos graus: 1, 3b, 5b, 7bb.

Obs: 7bb é o mesmo que sétima diminuta.

Exemplo em Dó diminuto:

• Primeiro grau: C
• Terceiro grau menor: Eb
• Quinto grau diminuto: Gb
• Sétimo grau diminuto: A (ou Bbb)

Acorde resultante: Cº

O símbolo mais utilizado para o acorde diminuto é uma bolinha em cima da letra do acorde: C°. Mas alguns
autores também utilizam a notação “dim“: Cdim.

O intervalo diminuto

Uma maneira fácil de pensar no acorde diminuto é lembrar do intervalo “um tom e meio”, pois todos os
graus do acorde diminuto possuem um tom e meio de distância entre si. Confira:

• Distância do 1º grau ao 3º grau menor: 1 tom e meio


• Distância do 3º grau menor ao 5º grau diminuto: 1 tom e meio
• Distância do 5º grau diminuto ao 7º grau diminuto: 1 tom e meio

Isso confere uma característica muito particular: esse acorde se repete a cada 1 tom e meio. Em outras
palavras, se você montar um acorde diminuto no braço do violão, da guitarra, do teclado ou de qualquer
instrumento e depois deslocar esse mesmo acorde 1 tom e meio para cima ou para baixo, o acorde
continuará o mesmo!

A única coisa que vai mudar é a localização das notas em relação aos dedos, mas o acorde como um todo
terá as mesmas notas, ou seja, será exatamente igual. Confira abaixo o acorde de Dó diminuto e suas
respectivas notas:

Agora esse acorde deslocado 1 tom e meio para cima (preste atenção nas notas):

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 1


Mais 1 tom e meio:

Mais 1 tom e meio:

Moral da história: C° = Eb° = Gb° = A°

Isso é muito conveniente, pois se desejarmos tocar, por exemplo, A°, podemos tocar C° (já que é o mesmo
acorde!). Isso é útil se estamos tocando em uma região do instrumento onde o acorde Cº está mais
próximo do que o acorde Aº.

Em outra situação, o acorde mais próximo e conveniente de se tocar pode ser D#°, então podemos tocar
ele também em vez de A°.

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 2


Quantos acordes diminutos existem

Observe agora que, como existem 12 notas e um acorde diminuto corresponde a outros 4 acordes
idênticos a ele, podemos concluir que só existem 3 acordes diminutos diferentes. São eles: C°, C#° e D°. Os
demais acordes diminutos são consequência desses 3 acordes:

C° = D#° = F#° = A°
C#° = E° = G° = A#°
D° = F° = G#° = B°

Função harmônica do acorde diminuto

O acorde diminuto possui dois trítonos. Eles estão entre:

1. o primeiro grau e a quinta diminuta;


2. a terça menor e a sétima diminuta.

Bom, caso já não tenha ficado explícito, o acorde diminuto possui função dominante! Logo, podemos
utilizá-lo para substituir acordes dominantes (como o V7, por exemplo).

Nesse caso, podemos trocar o acorde V7 pelo acorde diminuto localizado um semitom acima dele. Por
exemplo, o acorde G7 poderia ser substituído pelo acorde G#° (ou seus equivalentes B°, D° e F°).

• Função dominante: O acorde diminuto assume função dominante quando resolve um de seus
trítonos.
Ex.:

C#º - D ou Dm
C#º - Ab ou Abm
C#º - F ou Fm
C#º - B ou Bm

• Função auxiliar: funciona como retardo da resolução.


Ex.:
Dm7 G7 Cº C7M

• Função de passagem: O diminuto tem função de passagem quando liga cromaticamente 2 graus
diatônicos.
Ex.:
Em7 Ebº Dm7

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 3


Escalas Simétricas
Escala Diminuta

A escala diminuta é uma escala simétrica formada pela sequência: Tom – Semitom – Tom – Semitom –
Tom – Semitom – Tom.

Da mesma maneira que observamos para o acorde diminuto, a escala diminuta se repete a cada um tom e
meio. Isso é muito vantajoso, pois abre um leque de possibilidades muito grande.

T - 2 - b3 - 4 - b5 - b6 - bb7

Desenho da escala diminuta

Veja abaixo um exemplo de digitação para a escala diminuta de Dó:

Notas: C, D, D#, F, F#, G#, A, B

Já que essa escala se repete a cada um tom e meio, vamos conferir a escala diminuta de Ré#:

Notas: D#, F, F#, G#, A, B, C

Observe que, apesar dessas duas escalas começarem em notas diferentes (uma começa em Dó e a outra
começa em Ré#), ambas possuem as mesmas notas.

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 4


Escala Dom-Dim

Muitos autores reforçam que existem duas escalas diminutas: a diminuta que já mostramos e a diminuta
dominante (ou escala dom-dim). Essa escala dom-dim nada mais é do que o desenho da escala diminuta
que mostramos começando do segundo grau em vez do primeiro. Ou seja, em vez da sequência ser:

tom-semitom-tom-semitom, etc.

Começando do segundo grau, teremos:

semitom-tom-semitom-tom, etc.

Repare agora que nós utilizamos exatamente essa segunda sequência em cima dos acordes dominantes no
artigo sobre escala diminuta, pois tocamos a escala G# diminuta partindo da nota G, ou seja, a estrutura
ficou semitom-tom-semitom-tom, etc.

Moral da história: a escala dom-dim é a escala diminuta aplicada em cima do acorde dominante.

Portanto, não pense que são escalas diferentes, considere apenas que é a mesma escala diminuta, só que
aplicada em cima do dominante (tocada um semitom acima dele). Isso vai facilitar o raciocínio.

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 5


Escala Dom Dim

Apostila de música – Hamilton Moraes Página 6


Apostila de música – Hamilton Moraes Página 7

Você também pode gostar