Você está na página 1de 5

1.

APRESENTAÇÃO
Prezados irmãos e irmãs em Cristo. É uma grande alegria tê-los comigo para
refletirmos um pouco sobre a devolução do Dízimo em nossa Comunidade.
Para isso, busquei textos Bíblicos que fundamentassem e ajudassem os fiéis a
compreender o que é o Dízimo no sentido Bíblico e onde será aplicado nas Comunidade.

2. O QUE É O DÍZIMO?
Em todo o mundo, todas as religiões agradecem a Deus, dando-lhe ofertas, flores,
alimentos, frutos, animais, cantos, hinos, ... Tudo em louvor a Deus.
Apesar da palavra “dízimo” significar dez por cento ou a décima parte de alguma
coisa, a Igreja Católica flexibiliza, deixando como critério o que determina o coração do fiel.
"Todos os dízimos da terra - seja dos cereais, seja das frutas - pertencem ao Senhor;
são consagrados ao Senhor” (Levítico 27,30).

O Dízimo deve ser mensal?


Sim. A contribuição dever ser mensal para quem recebe salário ou tem retirada de sua
empresa todo o mês. Quem não recebe salário todo mês deve devolver seu Dízimo de acordo
com os seus rendimentos.

O que é Oferta?
Oferta é uma contribuição espontânea e, livre e não obrigatória. É um gesto de
agradecimento a Deus, por tudo que Ele fez e faz.
O Dízimo e Oferta se completam e são a base de sustentação das pastorais da
Comunidade, que vão permitir, através destes recursos materiais, que Deus se manifeste a
todos pela proclamação de sua Palavra, pela sagrada eucaristia, pelos sacramentos, pela ajuda
aos necessitados, na manutenção dos seminários, na formação de futuros padres e
evangelizadores, enfim na propagação do Reino de Deus.
O Dízimo não se substitui por nada!

A Bíblia diz,
“A alma generosa será cumulada de bens; e o que largamente dá, largamente receberá”
(Provérbios 11,25)
Em toda a Bíblia vamos encontrar várias passagens e referência em que Deus, embora
criador de todas as coisas sempre pediu Dízimo e Ofertas ao seu povo.
“Todos os dízimos da terra são propriedade do Senhor... São coisas consagradas ao
Senhor” (Levítico 27,30)
O Dízimo é um mandamento, uma expressão da vontade de Deus. E nós que
acreditamos em Deus não podemos negar o que Lhe pertence.

Quanto devemos devolver o Dízimo?


10% de todos os rendimentos. Igreja Católica flexibiliza, deixando como critério o que
determina o coração do fiel.
“Deus ama quem dá com alegria” (2 Coríntios 9,7)
Para ser um bom dizimista é importante ter um coração generoso e agradecido.

Onde devo devolver o Dízimo?


“Então ao lugar que o Senhor, vosso Deus, escolheu para estabelecer nele o seu nome,
ali levareis todas as coisas que vos ordeno: vossos holocautos, vossos sacrifícios, vossos
dízimos, vossas primícias e todas as ofertas escolhidas que tiverdes prometido por voto ao
Senhor” (Deuteronômio 12,11).
O Dízimo deve ser devolvido na Comunidade onde celebro a minha fé.
“Aquele que dá a semente ao semeador e o pão para comer, vos dará a rica sementeira
e aumentará os frutos de vossa justiça” (2 Cor 9,10).
“Quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher” (2 Cor 9,6).
O Dízimo é a demonstração generosa e concreta de nossa fé.

Por que para muitas pessoas é tão difícil devolver o Dízimo?


Existem muitas pessoas que são muito ligadas às pastorais da Igreja e não devolvem o
Dízimo. Alguns por falta de conhecimento da Palavra de Deus, outros por não terem
consciência do que é ser Igreja, outros por comodidade pessoal.
Devolver o Dízimo é um dever de todos... padres, bispos, ... todos.

O que nós aprendemos com o Dízimo?


Aprendemos a ser generosos, a ser solidários. Quando entregamos o Dízimo Deus não
olha o valor, Ele valoriza o amor, a gratidão e reconhecimento que temos para com Ele.

Algumas pessoas falam... Você disse que tudo o que temos vem de Deus, mas se eu tenho
é porque trabalhei e consegui com o suor do meu rosto, não é mesmo?
Exatamente. Se você tem é porque trabalhou e também porque Deus permitiu. Se Ele
não permitisse, você não teria o que tem.
“A terra de certo homem rico produziu muito bem. Ele pensou consigo mesmo: ‘O
que vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. "Então disse: ‘Já sei o
que vou fazer. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali
guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem
grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e
alegre-se’. "Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe
será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’ "Assim acontece com
quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus". (Lucas 12:16-21)

Dízimo sem fé não é Dízimo, é pagamento. Para pagar basta ter dinheiro e a Igreja
não é comercio, onde se vendem graças e os cristãos negociam com Deus.
Dízimo sem medo. Muitas pessoas ainda relutam em assumir o Dízimo nas
comunidades, pensando que vão ficar mais pobres.
Ao devolver o Dízimo, devemos ter em mente que tudo o que temos é um dom de
Deus e d’Ele recebemos e não estamos fazendo nada demais, apenas estamos cumprindo com
seus preceitos.
“Tudo vem de ti, e a ti ofertamos o que de tuas mãos recebemos” (1 Cr 29,14).
(TODOS NOVAMENTE).

Para onde vai o Dízimo?


O dinheiro do Dízimo que levamos à Igreja serve para atender as necessidades
materiais da Comunidade, conforme as dimensões: Religiosa, Missionária e Social.
Religiosa, manutenção da Igreja, das pastorais, das salas de catequeses, de toda a
estrutura da comunidade, do salário dos funcionários, conta de luz, água, telefone,
internet, materiais de limpeza.
Missionária, formação de agentes das pastorais, manutenção da diocese, ajuda aos
seminários para a formação de futuros padres, enfim, tudo aquilo que colabora para a
evangelização e construção do Reino de Deus.
Social, atender os pobres, doentes, os desamparados e aqueles que não podem prover
o seu sustento.

3. RESPOSTAS ÀS SUAS DÚVIDAS


1) O Dízimo não é para encher o bolso do Padre?
O dinheiro do Dízimo que levamos à Igreja serve para atender as necessidades materiais da
Comunidade, conforme as dimensões: Religiosa, Missionária e Social.

2) Deus precisa de Dinheiro?


Não. Deus não precisa do meu, nem do seu dinheiro, mas a sua obra aqui na terra sim. Para a
pregação do evangelho, para manter os pregadores, os padres e todas as pessoas que se
dedicam às obras da Igreja.

3) Eu dou Oferta, estou dispensado de devolver o Dízimo?


Não. Não está dispensado. A Oferta é um ato espontâneo, pode dar ou não. O Dízimo é aquela
obrigação mensal que você deve ter para com a Comunidade.

4) Eu dou meu Dízimo diretamente aos pobres, estou certo?


Não. Ajudar os pobres não é Dízimo é caridade. Aliás é um dever nosso como bons cristãos,
ajudar aqueles que por motivos diversos não podem prover seu sustento.

5) Eu devolvo o Dízimo em doações.


O Dízimo não se substitui por nada. Dízimo, Ofertas, doações e caridade são coisas bem
distintas umas das outras.

6) Qual é o certo: pagar ou devolver o Dízimo?


Dízimo não se paga, Dízimo não é uma dívida que se deve pagar. É antes de tudo, devolução
da parte que pertence a Deus.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Dízimo é um tributo religioso deixada por Deus para dar emparo e sustento à
Igreja e cada um de nós é responsável por tudo isso.
Antes de encerrar gostaria de lê com vocês alguns trechos bíblicos:
“Consagra teus dízimos com alegria. Dá ao Altíssimo conforme te foi dado por ele”
(Eclesiástico 35,11).
“Recebestes de graça, de graça dai” (Mateus 10,8-10).
“Quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher” (2 Cor 9,6).
“Este é meu mandamento: Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (João
15,12).
Devolvendo o Dízimo estamos colocando em comum uma parte dos nossos bens para
que todos possam viver como irmãos.
“Oração do Dizimista
Recebei, Senhor, o meu dízimo
Não é uma esmola, porque não sois Mendigo.
Não é uma simples contribuição, porque não precisais dela.
Esta oferta, Senhor, representa meu reconhecimento,
minha gratidão e amor por tudo o que me destes,
é minha partilha com quem tem menos,
é meu esforço para o sustento da comunidade.
Se tenho, é porque Vós me destes”.
Amém!

Seja um dizimista em nossa Comunidade. Deus conta com você! Deus o ama e
quer bem! Retribua a Ele com amor e agradeça por tudo que Ele fez por você!

REFERÊNCIA:
BUZANELLO, A. Dízimo Fruto da nossa Fé. Editora Buzanello, Campo Grande – MS.

Você também pode gostar