Você está na página 1de 2

O papel do treinador

José Santos – Curso de formação de treinadores de basquetebol, nível 1

Resumo
Este trabalho aborda de forma básica a função do treinador, pois o tema obrigaria a uma discussão
mais ampla.
Numa primeira análise, dá uma visão resumida do papel do treinador, e depois foca-se de um modo
ligeiro no seu papel junto dos escalões mais jovens.

Introdução
De um modo simplificado pode-se dizer que, para poder exercer correctamente a sua função, o
treinador precisa de: conhecer, comunicar e gostar.
Conhecer:
 os aspectos da sua modadlidade;
 os praticantes (nos seus variados aspectos);
 os factores de treino e as técnicas de ensino;
 as questões do planeamento e da organização do seu trabalho.
Comunicar:
 transmitir aos praticantes o seus conhecimentos, e assegurar-se de que a informação é
assimilada;
 estabelecer com eles uma relação cordial, franca, aberta, de respeito e imparcial.
Gostar:
 daquilo que faz;
 de ensinar e de treinar;
É fácil verificar que a ausência completa destas capacidades condena o treinador ao insucesso.
Por outro lado, a conjugação de todas estas capacidades dá ao treinador um conjunto de princípios
que o ajudam a dar resposta às várias situações que irão surgir no seu trabalho e a ultrapassar
obstáculos, como a tomada de opções entre as diferentes alternativas que se lhe colocam. No fundo
toda esta bagagem dá ao treinador a capacidade de tomar decisões nos momentos em que urge uma
tomada de posição.

O caso particular do treinador de jovens.


O treinador deve ser, acima de tudo, um educador e um formador de pessoas. O seu trabalho deveria
ser dividido em três metas:
 a pessoa;
 o atleta;
 o jogador de basquetebol (podia ser qualquer outra modalidade)
O jogador de basquetebol seria, pela especificação, o primeiro objectivo, mas não é. Trata-se de um
objectivo importante, mas não o mais importante. Para se conseguir formar um bom jogador,
precisamos antes de ter o atleta, e este tem de ser consequência das suas obrigações e direitos
enquanto pessoa. Além disso, não sabemos se ele irá continuar no basquetebol ou se vai trocar de
modalidade (como é comum acontecer em todas as modalidades) ou até, se alheia por completo do
desporto. É por isso que é preciso formar a pessoa antes de tudo.
Por isso, torna especial relevância o relacionamento entre treinador e o jovem, sendo este um dos
pontos mais importantes do processo de formação do indivíduo. O treinador é o amigo, é o irmão
mais velho, é o confidente, o conselheiro, e muitas vezes o pai/mãe, etc. Baseado nisto, os hábitos
do treinador e a sua conduta serão tomados como exemplo. Se o treinador fuma ou bebe na frente
dos jovens, criará neles a vontade de imitá-lo.
Há situações em que o treinador passa mais tempo com os jovens do que os próprios pais,
exercendo por isso uma maior influência nesta fase da sua vida.
Depois, quando a confiança aumenta, mesmo em relação aos pais do jovem, há certas coisas que só
treinador consegue fazer com que os jovens obedeçam, tais como estudar, por exemplo. E, muitas
das vezes são os próprios pais que se encarregam de pedir ao treinador ajuda.
Sociabilização, equilíbrio emocional e moral, lealdade, sinceridade, espírito de equipa, capacidade
de superação, são todos conceitos que o treinador/formador deve incutir nos jovens.
As relações entre os jovens jogadores devem ser trabalhadas de modo a desenvolverem mais e
melhor, cabendo também ao treinador o respeito pela maneira de ser de cada um para que não
cometa injustiças.
Por outro lado, na nossa vida estamos sempre a competir. Competimos no mercado de trabalho,
competimos na prova de acesso a qualquer instituição de ensino

Materiais e métodos (Descrição experimental do trabalho)


«Apresentar os materiais e os equipamentos usados para se realizar o trabalho (nome, marca,
modelo). Descrever como foi realizado o procedimento experimental na sua totalidade (preparação
metalográfica, ensaio de dureza, microscopia, etc) – entre 15 e 30 linhas»

Conclusões
«Apresentar de uma forma resumida as conclusões finais obtidas – entre 2 e 5 linhas».

Referências

1. Autores. Título. Revista/livro/sitio na internet, Ano: pág xx-pág yy.


2. .
3. .

Notas: margem superior e inferior (2,5 cm cada). Margem esquerda e direita (2 cm cada).
Tipo de letra: Time new roman; tamanho de letra: 12; espaçamento simples entre linhas.
Não esquecer numeração e legenda das figuras e tabelas bem como a sua referenciação
durante o texto.
Ver o exemplo apresentado (ficheiro: Exemplo de relatório do trabalho prático)