Você está na página 1de 2

Nota Oficial

AUMENTO DE ICMS VAI ELEVAR


CUSTO DE PRODUÇÃO E CUSTO DE VIDA EM SP

Em outubro de 2020, o Projeto de Lei 529, que tratava, em sua essência, de


ajustes tributários para aumentar a arrecadação do estado de São Paulo, foi
aprovado por 48 deputados da Assembleia Legislativa. Assim que os deputados
aceitaram o pacote fiscal, o Governo sancionou a Lei 17.293 e editou quatro
Decretos (do 65.252 ao 65.255), alterando o Regulamento de ICMS, de forma a
aumentar a carga tributária de diversos setores, sendo o agronegócio o mais
impactado.

Desde a publicação dos decretos, os diferentes elos da cadeia produtiva do agro


paulista vêm realizando estudos de impacto dessa medida idealizada e
estabelecida sem qualquer consulta prévia ao setor aqui representado.

As alterações no ICMS vão gerar alguns dos seguintes aumentos: mais 13% na
energia elétrica para consumo de estabelecimento rural; mais 3% em média nos
cerca de 200 produtos representados por insumos, rações e fertilizantes; até
8,9% nas carnes; até 8,4% no leite; entre outros. Boa parte desses reajustes será
repassada ao consumidor final, inevitavelmente.

Ainda assim, causa-nos estranheza não só a medida da maneira como foi


estabelecida, mostrando total desinteresse aos produtores e indústrias no
território paulista, mas também a dificuldade apresentada pelo Governador João
Doria e seus representantes de tentarem encontrar alternativas para diminuir
esses impactos ao nosso setor, de forma que não houve nenhum avanço até a
presente data deste documento.

De janeiro a novembro de 2020, a arrecadação estadual já superou R$ 229


bilhões, bem maior que a do mesmo período do ano passado. Isso num ano em
que todos os setores produtivos, governos estaduais e a União estão
enfrentando dificuldades por conta da pandemia.
As consequências do decreto não se limitarão ao estado de São Paulo. Em
novembro, o acumulado dos últimos 12 meses do IPCA (Índice de Preços ao
Consumidor) registrou alta de 4,31%, superando a meta de 4% definida pelo
Banco Central. A entrada em vigor do pacote tributário aumentará os preços dos
alimentos e elevará a pressão sobre os índices de inflação, dificultando ainda
mais a vida das famílias carentes, uma vez que estas destinam mais de 20% da
renda para alimentação.

A medida tomada pelo governo estadual poderá inviabilizar a produção no


estado, afetando particularmente os agricultores familiares. Muitas indústrias já
repensam seus investimentos, com planos até de tirar suas plantas de São Paulo,
o que deve agravar ainda mais o desemprego e a crise. Essa guerra fiscal vai
elevar o custo de vida num momento em que a sociedade mais precisa do apoio
do estado para superar as dificuldades da pandemia.

Diante das consequências desastrosas, o Fórum Paulista do Agronegócio


realmente espera que o Governador João Doria reveja sua decisão de onerar o
setor. Importante que se mantenha a carga tributária vigente para evitar o
aumento de inflação e a perda de competitividade do agro paulista, o que
certamente impactaria de forma nefasta toda a economia de São Paulo, com
graves reflexos na economia do Brasil.

São Paulo, 17/12/2020.

Fórum Paulista do Agronegócio