Você está na página 1de 1

 EDIÇÃO DO MÊS | TODAS AS EDIÇÕES | VÍDEOS | CIÊNCIA | CULTURA | HISTÓRIA | SAÚDE | LIVROS ASSINAR 

História, Mundo Estranho

Como lutava uma legião romana?


A unidade básica do Exército da Roma antiga era uma força armada com 6 mil homens, que se destacava
pelos movimentos rápidos e exíveis
Por Roberto Navarro Atualizado em 4 jul 2018, 20h29 - Publicado em 18 abr 2011, 18h35

 A maior arma dessa força armada era a quantidade de


integrantes: uma legião podia ser formada por até 6 mil homens!
 Em combate, esse mar de guerreiros contava basicamente com
 dardos, espadas e escudos para enfrentar o inimigo. Embora sem o
mesmo poder das armas de fogo, essas armas curtas permitiam aos
 legionários fazer movimentos rápidos – suas unidades tinham
grande exibilidade, podendo mudar a direção do ataque para
surpreender o adversário.

Durante uma batalha, o deslocamento das tropas era controlado por


um e ciente sistema de comando, que incluía o uso de estandartes
e âmulas para transmitir mensagens e instruções. Com nome
derivado da palavra latina legio, ou “conjunto”, a legião era a
unidade básica do Exército da Roma antiga. Sua origem exata é
desconhecida, mas ela parece ter evoluído a partir de uma
formação grega conhecida como falange. “Enquanto a falange
dependia quase exclusivamente da lança, a legião possuía maior
variedade de armas”, a rma o historiador israelense Martin van
Creveld, da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Antes do século 1 a.C., porém, as legiões não eram forças


permanentes, sendo formadas por cidadãos convocados sempre que
surgia uma emergência militar. Durante o século 1 a.C., a
organização das legiões passou por amplas reformas implantadas
pelo general Gaius Marius, que incorporou à força armada
destacamentos de cavalaria e máquinas de artilharia, como
catapultas. Apesar de poderosa, a legião também tinha suas
limitações. Isso cava claro quando a luta acontecia em áreas com
orestas densas, que limitavam os movimentos dos soldados, ou
contra arqueiros que disparavam a distância, fora do alcance das
curtas armas romanas. No infográ co abaixo, você conhece a
formação básica de uma legião entre os séculos 1 a.C. e 1 d.C.

CONJUNTO DA OBRA
Uma legião podia ter até 6 mil
homens, divididos em dez
unidades menores chamadas
de coortes. No século 1 d.C.,
uma legião consistia de nove
coortes com 480 homens cada
e uma coorte maior, com 800
soldados. Nas extremidades
das coortes cavam as forças
– Sattu/Mundo Estranho
auxiliares de cavalaria

1) ARSENAL EXTRA
No século 1 d.C., cada coorte
da legião contava ainda com
uma balista (atiradora de
pedras), entre cinco e seis
scorpios (lançador de echas)
e mais cinco catapultas. Essas
máquinas de guerra eram
desmontáveis e podiam ser
transportadas em carroças

– Sattu/Mundo Estranho

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

2) QUESTÃO DE IDADE
A principal unidade da legião,a infantaria pesada, era subdividida
de acordo com a idade dos combatentes. As primeiras leiras eram
formadas por soldados jovens, o meio, por soldados em torno dos 30
anos e a retaguarda, por veteranos que pouco lutavam nas batalhas

3) PROTEÇÃO CAVALAR
Para impedir ataques inimigos pelos ancos (as laterais de uma
tropa), as legiões possuíam agrupamentos com dezenas de cavalos à
esquerda e à direita do conjunto de coortes. Geralmente, os
cavaleiros eram recrutados entre povos conquistados, para reforçar
as linhas romanas

4) BATE E FOGE
Uma infantaria leve, conhecida como velites, era formada
basicamente por arremessadores de lanças e geralmente colocada
na vanguarda da legião. Depois de arremessar suas lanças,
recuavam pelas “alamedas”, corredores estreitos abertos dentro da
coorte

5) TELHADO IMPROVISADO
Uma das principais táticas de batalha da legião era chamada de
testudo. Os soldados juntavam os escudos, formando uma carapaça
protetora contra lanças e echas, avançando contra o inimigo. A
curta distância, partiam para a luta corpo a corpo com espadas e
lanças

Legionário-padrão
I) CAPACETE – Feito de metal,
servia como aparato de
proteção
II) ESCUDO – Feito com placas
de madeira, tinha 1 m de
comprimento e servia para
defesa e ataque
III) PUGIUM – Pequeno punhal
usado como arma de último
recurso
IV) COTA DE MALHA – Feita de
ganchos de metal, protegia o
corpo do legionário contra
golpes cortantes
– Sattu/Mundo Estranho
V) GLÁDIO – Espada de lâmina
larga com 0,5 m
VI) PILO – Lança de madeira
com 2 m e ponta de ferro

MAIS LIDAS

Ciência Mundo Estranho História Cultura

Hipótese de Darwin sobre Existem mamíferos que Qual é a hierarquia das O que é o gambito da
insetos que não voam é põem ovos? Forças Armadas? rainha? Entenda o lance
con rmada após 160 de xadrez que batiza a
anos série

LEIA MAIS

Mundo Estranho Mundo Estranho Mundo Estranho Mundo Estranho

Conheça as fotos mais Fóssil de pinguim Gatos: por dentro e por 3 bichos australianos que
engraçadas do reino gigante é descoberto na fora estão entre os mais
animal de 2019 Nova Zelândia estranhos do mundo

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

CAVALARIA DARDO ESCUDO ESPADA EXÉRCITO HISTÓRIA ANTIGA

LUTA ROMA /ITÁLIA/ SOLDADO TROPA

SIGA

BEBÊ.COM CLAUDIA PLACAR VEJA SÃO PAULO

BOA FORMA ELÁSTICA QUATRO RODAS VEJA SAÚDE Grupo Abril Abril SAC

Política de Privacidade Anuncie


CAPRICHO ESPECIALLISTAS VEJA VIAGEM E TURISMO
Como desativar o AdBlock
CASACOR GUIA DO VEJA RIO VOCÊ S/A
ESTUDANTE

QUEM SOMOS FALE CONOSCO TERMOS E CONDIÇÕES TRABALHE CONOSCO Copyright © Abril Mídia S A. Todos os direitos reservados.