Você está na página 1de 60

Manual de Instalação,

Operação e Manutenção

Split Cassette
Inverter
1 - Introdução
Este manual é destinado aos técnicos devidamente treinados e qualificados,
no intuito de auxiliar nos procedimentos de instalação e manutenção.
Cabe ressaltar que quaisquer reparos ou serviços podem ser perigosos
se forem realizados por pessoas não habilitadas. Somente profissionais
treinados devem instalar, dar partida inicial e prestar qualquer manutenção
nos equipamentos objetos deste manual.
Se após a leitura você ainda necessitar de informações adicionais entre em
contato conosco!

Endereço para contato:


Climazon Industrial Ltda
Av. Torquato Tapajós, 7937 Lotes 14 e 14B - Bairro Tarumã
Manaus - AM
CEP: 69041 - 025
Site: www.carrierdobrasil.com.br

SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor


4003.9666 (capitais e regiões metropolitanas)
0800.886.9666 (demais localidades)

2 256.09.092 - C - 02/20
Índice
Página
1 - Introdução ............................................................................................................................................... 2
2 - Nomenclatura ......................................................................................................................................... 4
3 - Pré-Instalação ..................................................................................................................................... 5
4 - Instruções de Segurança ....................................................................................................................... 5
5 - Instalação
5.1 - Recebimento e Inspeção das Unidades .................................................................................... 6
5.2 - Recomendações Gerais ............................................................................................................... 6
5.3 - Procedimentos Básicos para Instalação ................................................................................... 7
5.4 - Acessórios para Instalação e Kit Grelha .................................................................................. 8
5.5 - Instalação Unidades Condensadoras ........................................................................................ 9
5.6 - Instalação da Unidade Evaporadora ........................................................................................ 13
6 - Tubulações de Interligação
6.1 - Interligação entre Unidades - Desnível e Comprimento de Linha ................................... 25
6.2 - Conexões de Interligação ......................................................................................................... 28
6.3 - Procedimento para Flangeamento e Conexão das Tubulações de Interligação .............. 30
6.4 - Procedimento de Brasagem ...................................................................................................... 32
6.5 - Suspensão e Fixação das Tubulações de Interligação ........................................................... 32
6.6 - Procedimento de Vácuo das Tubulações de Interligação ..................................................... 33
6.7 - Adição de Carga de Refrigerante ............................................................................................ 34
6.8 - Refrigerante HFC-410A ............................................................................................................ 37
6.9 - Adição de Óleo ........................................................................................................................... 37
7 - Sistema de Expansão ............................................................................................................................ 37
8 - Instalação, Interligações e Esquemas Elétricos
8.1 - Instruções para Instalação Elétrica .......................................................................................... 38
8.2 - Interligações Elétricas ................................................................................................................ 38
8.3 - Diagrama Elétrico das Unidades Evaporadoras .................................................................... 39
8.4 - Diagramas Elétricos das Unidades Condensadoras ............................................................. 41
9 - Configuração do Sistema
9.1 - Operação de Emergência .......................................................................................................... 42
9.2 - Autodiagnóstico e Códigos de Falha - Unidades Internas .................................................. 42
9.3 - Autodiagnóstico e Códigos de Falha - Unidades Externas ................................................. 44
10 - Partida Inicial ....................................................................................................................................... 46
11 - Manutenção
11.1 - Generalidades .......................................................................................................................... 47
11.2 - Manutenção Preventiva .......................................................................................................... 47
11.3 - Manutenção Corretiva ........................................................................................................... 48
11.4 - Limpeza Interna do Sistema .................................................................................................. 48
11.5 - Detecção de Vazamentos ....................................................................................................... 48
12 - Análise de Ocorrências ..................................................................................................................... 50
13 - Planilha de Manutenção Preventiva ................................................................................................. 51
14 - Circuito Frigorígeno .......................................................................................................................... 52
15 - Características Técnicas .................................................................................................................... 53
Anexo I - Tabela de Conversão Refrigerante HFC-410A ................................................................... 57
Anexo II - Etiqueta de Capacidade - Localização na Unidade Condensadora ................................ 58

256.09.092 - C - 02/20 3
2 - Nomenclatura
UNIDADES EVAPORADORAS (Unidades Internas)
Dígitos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Código Exemplo 4 0 K V C B 3 6 C 5

1 e 2 - Tipo de Máquina 10 - Tensão / Fase / Frequência


40: Evaporadora 5: 220V / 1Fase / 60Hz
3 e 4 - Chassi ou Modelo 9 - Marca
KV: Módulo Inverter C: Carrier
5 - Tipo do Sistema 7 e 8 - Capacidade kW (BTU/h)
C: Somente Frio 30: 8,79 (30.000)
6 - Atualização Projeto 36: 10,55 (36.000)
B: Revisão Atual 48: 14,07 (48.000)
60: 16,41 (56.000)

UNIDADES CONDENSADORAS (Unidades Externas)


Dígitos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

Código Exemplo 3 8 C C V A 3 6 5 1 5 M C

1 e 2 - Tipo de Máquina 13 - Marca


38: Condensadora C: Carrier
3 - Chassi ou Modelo 12 - Opção / Feature
C: Descarga Vertical M: Mono Condensadora
4 - Tipo do Sistema 11 - Tensão de Comando
C: Somente Frio 5: 220V / 60Hz
5 - Tecnologia/Fluido Refrigerante 10 - Fase
V: Inverter / R-410A Puron 1: Monofásico
6 - Revisão de Projeto 9 - Tensão do Equip. / Freq.
A: Revisão Atual 5: 220V / 60Hz
7 e 8 - Capacidade kW (BTU/h)
30: 8,79 (30.000)
36: 10,55 (36.000)
48: 14,07 (48.000)
60: 16,41 (56.000)

4 256.09.092 - C - 02/20
3 - Pré-Instalação
Antes de iniciar a instalação das unidades evaporadora e condensadora é de extrema
importância que se verifiquem os seguinte itens:
• Adequação do equipamento para a carga térmica do ambiente; para maiores
informações consulte um credenciado Carrier ou utilize o dimensionador virtual do
site: www.carrierdobrasil.com.br
• Compatibilidade entre as unidades evaporadora e condensadora. As opções disponíveis e
aprovadas pela fábrica encontram-se no item Características Técnicas Gerais deste manual.
• Tensão da rede onde os equipamentos serão instalados. Em caso de dúvida consulte um
credenciado Carrier.
• IMPORTANTE: O Grau de Proteção deste equipamento é IPX0 para as unidades
evaporadoras e IPX4 para as unidades condensadoras.

4 - Instruções de Segurança
As unidades evaporadoras em conjunto com as unidades condensadoras foram projetadas
para oferecer um serviço seguro e confiável quando operadas dentro das especificações
previstas em projeto; todavia, devido a esta mesma concepção, aspectos referentes à
instalação, partida inicial e manutenção devem ser rigorosamente observados.

Algumas figuras/fotos apresentadas neste manual podem ter sido feitas com equipamentos
similares ou com a retirada de proteções/componentes, para facilitar a representação,
entretanto o modelo real adquirido é que deverá ser considerado.

• Verifique os pesos e dimensões das unidades (ver item 15) para assegurar-se de um
manuseio adequado e com segurança.
• Saiba como manusear o equipamento de oxiacetileno seguramente. Deixe o
equipamento na posição vertical dentro do veículo e também no local de trabalho.
Cilindros de acetileno não podem ser deitados.
• Use nitrogênio seco para pressurizar e checar vazamentos do sistema. Use um bom
regulador. Cuide para não exceder a pressão de teste nos compressores rotativos
(conforme o refrigerante utilizado no sistema).
• Antes de trabalhar em qualquer uma das unidades desligue sempre a alimentação de
força, chave geral, disjuntor, etc.
• Nunca introduza as mãos ou qualquer outro objeto dentro das unidades enquanto o
ventilador estiver funcionando.
• Mantenha o extintor de incêndio sempre próximo ao local de trabalho. Cheque
o extintor periodicamente para certificar-se que ele está com a carga completa e
funcionando perfeitamente.
• Quando estiver trabalhando no equipamento atente sempre para todos os avisos de
precaução contidos nas etiquetas presas às unidades.
• Siga sempre todas as normas de segurança aplicáveis e use roupas e equipamentos de
proteção individual. Use luvas e óculos de proteção quando manipular as unidades ou
o refrigerante do sistema.

PERIGO
Risco de explosão!
• JAMAIS utilize chama viva para detectar vazamentos na instalação ou nas unidades. Use
equipamentos e procedimentos recomendados para testar a ocorrência de vazamentos.
• JAMAIS comprimir ar utilizando o compressor da unidade.
• A não observância destas instruções pode causar dano potencial ao produto, à instalação e
à integridade física de pessoas que estejam nas proximidades durante o(s) procedimento(s).
256.09.092 - C - 02/20 5
5 - Instalação
5.1 - Recebimento e Inspeção das Unidades
Ao receber as unidades observe os itens abaixo: poeira ou outros agentes nocivos, até que
• Para evitar danos durante a movimentação a obra e/ou instalação esteja completa e o
ou transporte, não remova a embalagem sistema pronto para entrar em operação.
das unidades até chegar ao local definitivo
de instalação.
• Evite que cordas, correntes ou outros Nunca suspenda ou carregue a unidade
dispositivos encostem nas unidades. evaporadora por meio do tubo de saída do
• Respeite o limite de empilhamento indicado condensado nem pelas conexões para as
na embalagem das unidades. linhas de refrigerante.
• Não balance a unidade condensadora Utilize unicamente os quatro cantos da
durante o transporte nem incline-a mais do unidade para transporte.
que 15° em relação à vertical.
• Para manter a garantia, evite que as
unidades fiquem expostas a possíveis
acidentes de obra, providenciando
seu imediato translado para o local de
instalação ou outro local seguro.
• Ao remover as unidades das embalagens
e retirar as proteções de poliestireno
expandido (isopor) não descarte
imediatamente as mesmas, pois poderão
FIG. 1 - MANUSEIO DAS UNIDADES
servir eventualmente como proteção contra

5.2 - Recomendações Gerais


Em primeiro lugar consulte as normas ou • Verificar se o local externo é isento de
códigos aplicáveis a instalação do equipamento poeira ou outras partículas em suspensão
no local selecionado, para assegurar-se que o que por ventura possam vir a obstruir o
sistema idealizado estará de acordo com as aletado da unidade condensadora.
mesmas. Consulte por exemplo a NBR5410 da • Lembre-se que as unidades devem estar
ABNT “Instalações Elétricas de Baixa Tensão”. niveladas após a sua instalação.
• Faça também um planejamento cuidadoso • É imprescindível que a unidade evaporadora
da localização das unidades para evitar possua linha hidráulica para drenagem do
eventuais interferências com quaisquer tipos condensado feita através da bomba de
de instalações já existentes (ou projetadas), condensado existente no aparelho.
tais como instalação elétrica, canalizações de • A drenagem na unidade condensadora
água, esgoto, etc. somente se faz imprescindível quando
• Instale as unidades de forma que elas fiquem instalada no alto e causando risco de
livres de quaisquer tipos de obstrução das gotejamento. (Quando for ciclo reverso)
tomadas de ar de retorno ou insuflamento.
• Escolha locais com espaços que possibilitam
reparos ou serviços de quaisquer espécies
e possibilitem a passagem das tubulações
(tubos de cobre que interligam as unidades,
fiação elétrica e dreno).
6 256.09.092 - C - 02/20
Ferramentas para instalação:
As ferramentas relacionadas a seguir são necessárias e recomendadas para
uma correta instalação do equipamento.

Item Ferramenta Item Ferramenta


1 Bomba de vácuo 14 Parafusadeira (recomendável)
2 Conjunto Manifold (R-410A) 15 Furadeira e brocas
3 Cortador e curvador de tubos 16 Régua de nível
4 Flangeador de tubos 17 Fitas isolante e veda-rosca
5 Chave de torque (Torquímetro) 18 Fita vinílica de proteção
6 Conjunto chaves Philips / fenda 19 Trena
7 Chave de porca ou chave inglesa (duas) 20 Alicate pico e alicate corte universal
8 Conjunto chaves Allen 21 Talhadeira e martelo
9 Chave de bornes 22 Bisnaga óleo refrigerante
10 Multímetro / Alicate amperímetro 23 Maçarico de solda (para máquinas grandes)
11 Vacuômetro 24 Cilindro extra de gás (para carga adicional)
12 Serra copo alvenaria 25 Cilindro de Nitrogênio com regulador
13 Serra de metal 26 Balança digital

5.3 - Procedimentos Básicos para Instalação


UNIDADE EVAPORADORA UNIDADE CONDENSADORA

SELEÇÃO DO LOCAL SELEÇÃO DO LOCAL

ESCOLHA DO PERFIL DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO DA TUBULAÇÃO


HIDRÁULICA PARA DRENO
FURAÇÃO NO TETO - GESSO /
POSICIONAMENTO DA UNIDADE MONTAGEM

INTERLIGAÇÃO
POSICIONAMENTO DAS TUBULAÇÕES
DE INTERLIGAÇÃO CONEXÃO DAS TUBULAÇÕES
DE INTERLIGAÇÃO

INSTALAÇÃO DA TUBULAÇÃO
HIDRÁULICA PARA DRENO INTERLIGAÇÃO ELÉTRICA

MONTAGEM ACABAMENTO FINAL

256.09.092 - C - 02/20 7
5.4 - Acessórios para Instalação e Kit Grelha
5.4.1 Acessórios

Descrição Figura Qtd.

Acessórios
1. Quadro de papel para instalação 1
instalação

2. Revestimento tubo saída 1

Acessórios 3. Abraçadeira 1
tubo dreno
4. Conexão drenagem 1

5. Controle remoto 1
Controle
Remoto
6. Pilhas alcalinas 2

7. Manual do Proprietário e Manual de


Outros 1
Instalação, Operação e Manutenção

5.4.2 - Kit Grelha


Veja na tabela abaixo o código do kit Grelha utilizado nas unidades evaporadoras
com suas dimensões e peso.

Unidades 40KV Código do Kit Dimensão LxAxP (mm) Peso (kg)


30 / 36 / 48 40KWEL 950x55x950 5,0
60 40KWEX 1020x50x1020 5,8

8 256.09.092 - C - 02/20
5.5 - Instalação Unidades Condensadoras
Quando da instalação das unidades deve-se
tomar as seguintes precauções:
• Selecionar um lugar onde não haja É importante que a instalação seja feita
circulação constante de pessoas. sobre uma superfície firme e resistente;
recomendamos uma base de concreto.
• Selecionar um lugar o mais seco e
ventilado possível.
• Evitar instalar próximo a fontes de calor ou
vapores, exaustores ou gases inflamáveis.
• Evitar instalar em locais onde o
equipamento ficará exposto a ventos
predominantes, chuva forte frequente e
umidade/poeira excessivas.
• Evitar instalar em locais irregulares,
desnivelados, sobre gramas ou superfícies
macias (a unidade deve estar nivelada).
• Não instalar as unidades de maneira que
a descarga de ar de uma unidade seja a
tomada de ar da outra.
• Obedecer os espaços requeridos para
instalação e circulação de ar conforme
figuras a seguir. Base de concreto
FIG. 3 - BASE RECOMENDADA PARA UNIDADES
CONDENSADORAS

A instalação nos locais abaixo


descritos podem causar danos ou mau
funcionamento do equipamento:
• Local com óleo de máquinas;
• Local com atmosfera
sulfurosa;
• Local onde equipamentos de rádio,
máquinas de soldar, equipamentos médicos
que geram ondas de alta frequência e
unidades com controle remoto.

FIG. 2 - EVITAR INSTALAÇÕES


256.09.092 - C - 02/20 9
Unidades Condensadoras 38CCVA

* A distância de 1,00 m é recomendável para se obter uma


melhor eficiência do equipamento.
1,20 m

Mínimo
150 mm
Recomendável *
1,00 m

75 m
0m
m 0m
75

60
0m
A Carrier recomenda que a instalação das m
ou
unidades condensadoras seja feita com as ma
is
conexões de interligação ficando alinhadas
lateralmente a parede mais próxima.

FIG. 4 - ESPAÇAMENTOS MÍNIMOS RECOMENDADOS

Para unidades condensadoras montadas com as caixas


elétricas voltadas para o mesmo lado (uma de frente
para outra), recomenda-se um espaçamento de 750 mm.
Para unidades condensadoras montadas com as caixas
elétricas uma para cada lado (uma de costas para outra),
recomenda-se um espaçamento de 600 mm.

Quando a instalação da unidade condensadora for feita


sobre mão-francesa, deve-se observar os seguintes 4,0
4m metros
aspectos:
• As distâncias mínimas e os espaços recomendados,
veja as figuras 4 e 5.
• O correto dimensionamento das fixações para
sustentação da unidade (mão-francesa, vigas, suportes,
parafusos, etc).
Veja os dados dimensionais e o peso das unidades no
item 15 deste manual.
• A fixação rígida dos suportes na parede, a fim de FIG. 5 - INSTALAÇÃO COM MÃO-
evitar-se acidentes, tais como quedas, etc. FRANCESA
10 256.09.092 - C - 02/20
Dimensional das Unidades Condensadoras 38CCVA

759
175

572
572

Dimensões em mm

FIG. 6 - DIMENSIONAL UNIDADES CONDENSADORAS 38CCVA30 / 38CCVA36

256.09.092 - C - 02/20 11
972
396

626
626

Dimensões em mm

FIG. 7 - DIMENSIONAL UNIDADES CONDENSADORAS 38CCVA48 / 38CCVA60

12 256.09.092 - C - 02/20
5.6 - Instalação Unidades Evaporadoras
5.6.1 - Recomendações Gerais
Antes de executar a instalação, leia com atenção estas instruções a fim de ficar
bem familiarizado com os detalhes da unidade. As dimensões e pesos da unidade
encontram-se no item 15 deste manual. As regras apresentadas a seguir aplicam-se
a todas as instalações.

SAÍDAS DE INSUFLAMENTO

QUATRO TRÊS DUAS


SAÍDAS SAÍDAS SAÍDAS

FIG. 8 - POSIÇÃO DA UNIDADE EVAPORADORA NO AMBIENTE

a) Faça um planejamento cuidadoso da localização das unidades para evitar


eventuais interferências com quaisquer tipos de instalações já existentes (ou
projetadas), tais como instalações elétricas, canalizações de água e esgoto, etc.
b) Instale a unidade onde ela fique livre de qualquer tipo de obstrução da
circulação de ar tanto na saída de ar como no retorno de ar.
c) Escolha um local com espaço suficiente que permita reparos ou serviços de
manutenção em geral.
d) O local deve possibilitar a passagem das tubulações (tubos do sistema,
fiação elétrica e dreno).
e) A unidade deve estar nivelada após a sua instalação.

5.6.2 - Colocação no Local


a) A unidade somente pode ser instalada na posição horizontal (insuflamento
para baixo).
b) Procure instalar a unidade no local mais central possível do ambiente,
obtendo assim a melhor distribuição de ar; porém, caso haja necessidade,
esta pode ser instalada em um dos cantos ou encostada a uma parede,
bastando para isso fechar as saídas que estiverem voltadas para estas (fig. 8);
c) Escolha a posição de instalação da unidade, linhas de refrigerante, tubo
para dreno de condensado e dos cabos de alimentação elétrica (ver
dimensional). Junto com a unidade segue um gabarito (quadro de papel)
para auxiliar esta operação.

256.09.092 - C - 02/20 13
Conexão tubo Conexões tubulação
de drenagem de refrigerante

Maior que

Maior que
1 metro

1 metro
P2 (Localização dos ganchos)
P1 (Corpo)
P (Grelha)

Maior que
1 metro
Maior que
L2 (Localização dos ganchos) 1 metro

L1 (Corpo)
L (Grelha) Dimensões em mm

Conexão tubo Conexões tubulação Unid. 40KVCB

Dimensões
de drenagem de refrigerante
(mm)
30 36 48 60

L 950 1020
H A
H1
L1 840 910
L2 780 840

Teto Saídas Entrada Saídas Painel P 950 1020


de Ar de Ar de Ar
P1 840 910
Maior que
2,5 metros 880 mm (furação teto) P2 680 840
H 275 275 317 317
Piso H1 205 245 287 287

FIG. 9 - DIMENSIONAL E ESPAÇAMENTOS MÍNIMOS

d) Faça um furo quadrangular no teto (teto falso ou rebaixo) de 880mm x 880mm,


de acordo com a forma do quadro de papel para instalação.
e) O centro do furo e o centro do corpo da unidade deverão ficar
alinhados.

A Carrier recomenda que a unidade evaporadora seja instalada no máximo


a uma altura de 2,5 metros do nível do piso. Acima disto deve ser levado em
consideração que haverá redução da eficiência do equipamento.

14 256.09.092 - C - 02/20
f) Marque a posição de fixação das hastes k) Alinhe o nível da unidade ajustando as porcas,
de suspensão de acordo com o quadro com firmeza, nos suportes laterais para
de papel. Em seguida execute a furação garantir o nivelamento da unidade. Figura 12.
e fixe as hastes. Recomenda-se o uso de
barras roscadas M10 ou 9,52 mm (3/8 in). Porca superior Suporte
g) Suspenda a unidade cuidadosamente até lateral da
Unidade
as hastes e posicione a unidade no local Evaporadora
determinado. Durante a suspensão evite
apoiar sobre a bandeja de dreno, para
evitar danos e posterior vazamento de Haste de suspensão
água condensada. (fornecida em campo) Porca inferior
h) Ajuste as porcas das hastes de maneira FIG. 12
uniforme, para garantir o equilíbrio da
l) Após conectar o tubo de drenagem do
unidade. Figura 10.
condensado e as linhas de refrigerante, faça
uma verificação final para assegurar-se que
a unidade está alinhada de maneira correta.
Abertura para manutenção
Haste de
Suspensão
A Carrier recomenda que na instalação da
unidade evaporadora seja prevista, próxima
Porcas de
Fixação ao equipamento, uma abertura destinada a
manutenção (Fig. 13 e 14 a seguir).

FIG. 10

i) Ajuste a posição da unidade para garantir


um espaçamento por igual entre e os lados
e o teto (ou forro). A parte inferior da
unidade deve ter uma diferença de altura
entre 10 mm e 12 mm em relação ao teto.
Unidade Abertura no forro
Figura 11. Evaporadora (teto falso, gesso,
j) Em geral, a medida “L” deve ser a metade rebaixo, etc.)
do comprimento do parafuso da haste de próxima a unidade
evaporadora
instalação. Figura 11.

Corpo
10mm~12mm

Conexões,
linhas de
Teto interligação
e elétrica
FIG. 11 Abertura para da unidade
manutenção evaporadora
FIG. 13 - ABERTURA PARA MANUTENÇÃO
256.09.092 - C - 02/20 15
Mínimo 400 mm
Mínimo 400 mm

FIG. 14 - ABERTURA PARA MANUTENÇÃO - DIMENSIONAL

5.6.3 - Montagem da Unidade


a) Retire cuidadosamente a grelha (se esta vier montada na unidade)
pressionando simultaneamente as travas da grelha para dentro, em seguida
puxe a grelha para baixo, como indicado nas figuras 15.

40KV_30/36/48 40KV_60

FIG. 15

b) Remova as tampas de instalação dos


quatro cantos da unidade. Retire os Tampa de
parafusos, e solte os cabos de instalação instalação
das tampas. Figura 16.

FIG. 16
16 256.09.092 - C - 02/20
Depósito
Junta tubulação de água

Gancho painel

Junta saída

Motor Swing

Parafuso
gancho

Chave de fenda

FIG. 17

c) Alinhar o motor do Swing (oscilar) adequadamente no painel com as


juntas de tubulação. Fig. 17.
d) Encaixe os quatro ganchos, do painel de instalação no corpo principal.
Ver Fig. 17 - Detalhe 1 e 2.
e) Ajuste os quatro parafusos gancho do painel para manter o painel
horizontal e aperte-os até o teto uniformemente. (Figura 17 - Detalhe 3).
f) Regule o painel na direção das setas (Figura 17), levemente de maneira a
alinhar o centro do painel com o centro da abertura do teto. Certifique-
se que os ganchos dos quatro cantos estão bem fixos.

• Não enrole a fiação do motor de Swing (oscilar) na vedação de esponja.


• Evite apertar demais os parafusos para não danificar o painel. Verifique
se a grelha está centralizada e alinhada com o teto e, principalmente, se
existe um vedante entre a saída e a entrada do ar.

A tampa de instalação do motor do Swing (oscilar) deve penetrar no


depósito de água correspondente.

256.09.092 - C - 02/20 17
g) Mantenha os parafusos de fixação sob os encaixes do painel, até que a
espessura da esponja entre o corpo e a saída do painel tenha sido reduzida
para cerca de 4 mm a 6 mm. A borda do painel deve entrar em contato
com o teto. (Figuras 18).

Corpo Espuma saída

4mm-6mm
Teto

Espuma
painel
Painel Ventilador
Espuma painel 1 Espuma painel 2
Ar sai
FIG. 18

h) O mau funcionamento, tal como presença de umidade, descrito na Figura 19


pode ser causado pelo aperto inadequado dos parafusos.

Espaço

Teto

Umidade
Condensação de água

FIG. 19

i) Se ainda continuar a existir uma distância


entre o painel e o teto após a fixação dos
parafusos, a altura da unidade deve ser
modificada, utilize as porcas do tirante para
fazer a regulagem precisa da altura.
Veja os passos 1 e 2 na Figura 20 a seguir.

Espaço não permitido

Solte a porca superior

Ajuste a porca inferior


FIG. 20
18 256.09.092 - C - 02/20
j) É possível modificar a altura da unidade através das aberturas das tampas
do painel de quatro cantos, se a elevação da unidade e o tubo de dreno não
forem influenciados. (Ver Figura 21)
k) Incline a grelha do painel, depois conecte o terminal principal do motor do
Swing (oscilar) na placa eletrônica da unidade evaporadora.
l) Recoloque a grelha observando o procedimento inverso da retirada.
m) Para recolocar a tampa de instalação:
- Aperte os parafusos do cabo da tampa de instalação. (Figura 21 -
Detalhe a)
- Pressione levemente a tampa para a instalação do painel. (Figura 21 -
Detalhe b).

a b

Parafuso de instalação
da aba da tampa Deslize os quatro encaixes
no canal correspondente
quando instalar a tampa

FIG. 21

5.6.4 - Conexão da tubulação de drenagem


Instalação do tubo de drenagem na unidade
• Utilize para tubo de drenagem um tubo de polietileno com as seguintes
dimensões:
Ø Externo de 37 mm a 39 mm e Ø Interno de 32 mm
Este tubo pode ser comprado no mercado ou no seu revendedor.
• Coloque a boca do tubo de drenagem na base da tubulação da bomba e
prenda o tubo de drenagem e o tubo revestimento (acessório) firmemente
juntos com a braçadeira.
• A tubulação da bomba e o tubo de drenagem (especialmente a parte
interna) deverão ser cobertos uniformemente com o tubo revestimento
(acessório) e ficar fortemente ligados com o constritor para evitar a
condensação causada pela entrada de ar.

256.09.092 - C - 02/20 19
• Para evitar que a água de
condensado escorra para trás, 1 m - 1,5 m Inclinação de
retornando à unidade, o tubo aprox. 2°
de drenagem deverá ter uma
inclinação (um pequeno declive)
para baixo em direção ao lado de
saída, considere aproximadamente
2° para esta inclinação. Evite
qualquer saliência (tal como um > 1,5 m
degrau) ou depósito de água na
tubulação. (Figura 22 - Detalhe b)
• Não estique (arraste)
demasiadamente o tubo de
drenagem ao conectá-lo, para
impedir que o corpo venha a Presilha
puxá-lo. Entretanto, um ponto de Tubo de dreno
suporte deve ser definido a cada
1,0 metros - 1,5 metros, para Tubo de
evitar que o tubo de drenagem conexão
perca eficiência (Figura 22 -
Detalhe a). Opcionalmente você FIG. 22
pode amarrar o tubo de drenagem
com o tubo de ligação para fixá-lo.
(Figura 22 - Detalhe c).
• No caso de tubo de drenagem prolongado, é recomendável apertar a parte
interna com um tubo de proteção para evitar perder o tubo.
• Se a saída do tubo de drenagem é superior a conexão da bomba, será necessária
a utilização de um tubo de elevação para descarga da unidade interna. O tubo de
elevação deverá ser instalado no máximo a 750 mm do teto e a distância entre
a unidade e o tubo deverá ser inferior a 300 mm (Figura 23). Caso a instalação
não seja feita de maneira correta poderá causar retorno de água para a unidade e
possível transbordamento (unidade interna “gotejando”).
• O final do tubo de drenagem deve estar 50 mm acima do solo ou do fundo da
calha de drenagem, e não mergulhado em água. Caso a descarga de água seja
diretamente no esgoto, não se esqueça de fazer um sifão (com profundidade
mínima de 50 mm) no tubo superior para evitar que o mau cheiro de gás entre
na casa através do tubo de drenagem.

Menor ou igual 1,0m ~ 1,5m Inclinação/Declive de


300mm aproximadamente 2°

Menor ou igual
530mm Máx.
750mm
220mm

Conexão da mangueira de drenagem

FIG. 23

20 256.09.092 - C - 02/20
• No caso de instalações com duas
ou mais unidades evaporadoras,
utilizando um mesmo tubo de
drenagem, é importante que
esta tubulação seja posicionada
conforme a Figura 24 ao lado. A B
A altura da saída do tubo da
evaporadora mais distante (A)
deverá ser sempre maior que as
demais (B). A>B
A altura A deve
ser sempre
maior que a
A Carrier recomenda que em caso altura B.
de várias unidades instaladas, para
correta drenagem destas, sejam
utilizados drenos individuais. FIG. 24

Teste de Drenagem (40KV_30/36/48)


• Em construções novas esse
teste deve ser feito antes do Conexão tubo Tampa
acabamento do local de instalação. de drenagem
• Verifique se o tubo de drenagem
Tubo de
está desobstruído. Entrada de água Enchimento
• Abra a tampa da entrada de
abastecimento de água, girando e
puxando a tampa.
• Progressivamente encha o depósito
de água com cerca de 2000 ml
através do tubo de enchimento.
• Ligue a unidade e faça-a operar no
modo “REFRIGERAÇÃO”. Escute
o som da bomba de drenagem.
• Verifique se a água está sendo
descarregada satisfatoriamente
(um atraso de 1 minuto é
tolerável antes da descarga, em
função do comprimento do tubo
de drenagem).
• Certifique-se de que não há
vazamentos de água nas conexões
(juntas). CLOSED OPEN

• Pare o funcionamento da unidade Tampa


CLOSED
OPE
N

(desligue a alimentação), drene


toda a água do reservatório e
finalmente recoloque a tampa de
teste na sua posição original.
• Recoloque a tampa da entrada de FIG. 25
abastecimento de água.

256.09.092 - C - 02/20 21
5.6.5 - Instalação do duto de renovação de ar
a) Renovação do ar
A Carrier recomenda que seja instalado um
ventilador auxiliar, para a entrada de ar externo, o
qual deverá ser instalado e controlado através de
um interruptor ON/OFF, utilizando-se disjuntor
Entrada de ar externo
de segurança instalados em campo (o ventilador, o
interruptor e o disjuntor não são fornecidos com
a unidade).
Observe ainda que a vazão de ar exterior deverá ser

80mm
inferior a 10% da vazão de ar total do equipamento. Ø75mm
Deve ser instalada uma grelha de admissão de
ar exterior com filtro, para evitar a entrada de
partículas (pó, poeira, etc.) no interior da unidade 80mm
e a consequente obstrução do trocador de calor (o
filtro e a grelha não são fornecidos com a unidade). FIG. 26

b) Preparação do furo de conexão (Figura 27):


• Cortar o isolamento da parte interna do furo com um estilete.
• Cortar a tampa na placa lateral, observando o recorte desta.

Procedimento de remoção da tampa-placa (para abertura do furo):


Instalação Tipo 1: Instalação Tipo 2:
• O furo (tampa) está na posição oposta ao tubo • O furo (tampa) está na posição
de drenagem. oposta ao tubo de refrigerante.

Instalação Tipo 1 Instalação Tipo 2

FIG. 27
22 256.09.092 - C - 02/20
c) Colocação do isolamento (Figuras 28 e 29):
Instalação Tipo 1 e Tipo 2:
• As extremidades da placa lateral e o isolamento interno devem estar
completamente aderidos, sem deixar nenhuma folga ao longo da
circunferência do furo (fig. 28).
• Certifique-se que a superfície interna do isolamento está firmemente em
contato com a borda interna e o isolamento da placa lateral (fig. 28).

FIG. 28
• Coloque material de isolamento na superfície dos 4 furos, conforme
mostrado na Figura 29 - Detalhe a, em seguida, coloque no interior e na
superfície da placa.
• Assegure-se de que a interface do furo não tenha espaçamento. (Figura
29 - Detalhe a)

Instalação Tipo 1 a Instalação Tipo 2 b

FIG. 29

d) Dimensões e instalação do flange:

Furo
aproxim. 57 Ø 6 (4)
Este item não é fornecido
juntamente com a unidade.

Ø A = 75mm para 40KV_30


40KV_36
ØA

40KV_48
Ø A = 90mm para 40KV_60

Dimensões em mm

FIG. 30
256.09.092 - C - 02/20 23
Utilize os parafusos (M4x12; 4 peças - item 2 da figura 31) para instalar o
flange no furo e depois coloque o material de isolamento 3.

FIG. 31

• Ao instalar o dispositivo é necessário um duto montado em campo com


diâmetro nominal de 75mm.
• O comprimento máximo do duto de ar de renovação é 3 metros.

Instalação do duto:
• Conecte o flange do duto. O flange é montado com a interface do duto.
• Após a conexão, utilize uma fita de proteção (fita vinílica - fornecida em
campo) para envolver a articulação a fim de evitar fugas de ar.

Ø 75 mm Duto (em campo)

FIG. 32

• Todos os dutos devem ser


completamente isolados do calor.
• Quando da instalação de dutos observe
que não ocorram as situações conforme
a figura 33 ao lado.

FIG. 33
24 256.09.092 - C - 02/20
6 - Tubulações de Interligação
6.1 - Interligação entre Unidades - Desnível e Comprimento de Linha
Para interligar as unidades é necessário fazer a instalação das tubulações de interligação
(linhas de sucção e expansão). Veja os limites recomendados na tabela abaixo.

Modelos Comprimento Equivalente (m) Desnível (m) Comprimento Mínimo (m)


30 / 36 / 48 / 60 30 10 2

Procedimento de Interligação:
1º Elevar a linha de sucção acima da unidade evaporadora antes de ir para a
unidade condensadora (entre 5cm e 7cm), quando a evaporadora estiver
acima ou no mesmo nível da condensadora. (Fig. 34)

5 a 7 cm

UNIDADE SL
EVAPORADORA

FAZER UM
UNIDADE SIFÃO A CADA
CONDENSADORA 3,0 METROS
LINHA DE SUCÇÃO

SÃO
E EXPAN

Ø LINHA DE SUCÇÃO
R= 4 x Ø
LINHA D

LINHA DE EXPANSÃO

3m

SL

UNIDADE UNIDADE
CONDENSADORA EVAPORADORA

FIG. 34 - INSTALAÇÃO LINHAS DE INTERLIGAÇÃO

2º Quando a unidade condensadora estiver em um nível superior ao da


unidade evaporadora, fazer sifões nas subidas da linha de sucção a cada
3,0 m, considerando desde a saída da evaporadora. (Fig. 34)
3º Inclinar as linhas horizontais de sucção no sentido do fluxo. Ver figura 34.
4º Isolar as linhas de expansão e sucção da radiação (além de bem isoladas
termicamente) quando estiverem expostas ao sol.

256.09.092 - C - 02/20 25
Procedimento de Interligação (continuação):

• A Carrier recomenda que no projeto de instalação se considere,


sempre que possível, a menor distância (acima de 2 metros),
o menor desnível e a menor quantidade de conexões entre as
unidades evaporadora e condensadora.
• O Comprimento Linear (C.L) é o comprimento total do tubo a ser
utilizado na interligação entre as unidades.
• O valor a ser considerado para o Comprimento Máximo Equivalente
já inclui o valor do desnível entre as unidades e também as curvas e
restrições da tubulação.

Exemplo de cálculo:
Para interligação de um sistema de 10,55 kW Os diâmetros das linhas de sucção e expansão
(36.000 BTU/h) cujo percurso da tubulação serão obtidos na tabela a seguir:
tem comprimento de 9 metros (C.L) e possui O valor do C.M.E calculado foi de 10,8 metros,
6 curvas (número de conexões - N.C), o ou seja, utilizaremos as colunas entre 10 metros
cálculo do Comprimento Máximo Equivalente - 20 metros, assim sendo para nosso sistema
(C.M.E) deve ser efetuado da seguinte maneira: (036) os diâmetros recomendados são:
Fórmula: C.M.E = C.L + (N.C x 0,3) Para a tubulação de sucção: Ø 22,23 mm (7/8 in)
C.M.E = 9 + (6 x 0,3) Para a tubulação de expansão: Ø 9,52 mm (3/8 in)
C.M.E = 10,8 metros

C.M.E - Comprimento Máximo Equivalente


Modelos

0 - 10 m 10 m - 20 m 20 m - 30 m

Ø Linha de Ø Linha de Ø Linha de Ø Linha de Ø Linha de Ø Linha de


Sucção Expansão Sucção Expansão Sucção Expansão
mm (in) mm (in) mm (in) mm (in) mm (in) mm (in)

30 19,05 (3/4)* 9,52 (3/8) 22,23 (7/8) 9,52 (3/8) 22,23 (7/8) 9,52 (3/8)
36 19,05 (3/4)* 9,52 (3/8) 22,23 (7/8) 9,52 (3/8) 22,23 (7/8) 9,52 (3/8)
48 22,23 (7/8)** 9,52 (3/8) 28,58 (1.1/8) 9,52 (3/8) 28,58 (1.1/8) 9,52 (3/8)
60 22,23 (7/8)** 9,52 (3/8) 28,58 (1.1/8) 9,52 (3/8) 28,58 (1.1/8) 9,52 (3/8)

* Recomendável utilização linha 22,23 mm (7/8 in) para melhor eficiência.


** Recomendável utilização linha 25,40 mm (1 in) para melhor eficiência.

A utilização de tubulações com diâmetro não recomendado na interligação


entre unidades pode implicar em mau funcionamento do equipamento e
até em quebra do compressor. A não observância das instruções e cálculo
dos valores, bem como da correta utilização das tabelas, NÃO estarão
cobertas pela garantia da SPRINGER CARRIER LTDA.

26 256.09.092 - C - 02/20
Para unidades com refrigerante HFC-410A:
A Carrier recomenda as seguintes espessuras mínimas para as paredes das
tubulações das linhas de interligação entre as unidades:

Diâmetro das linhas - mm (in) Espessura dos tubos - mm


9,52 (3/8) / 12,70 (1/2) / 15,87 (5/8) / 19,05 (3/4) 0,80
22,22 (7/8) 1,32
A espessura mínima para as paredes das tubulações poderá ser menor que
os valores recomendados acima, desde que a tubulação seja homologada
para resistir a 3792 kPa (550 psig).

As instalações das linhas de expansão e sucção deverão ser feitas


colocando-se “loops” em cada linha (figura 35a), para evitar
ruídos devido a vibração do equipamento. Os “loops” podem
eventualmente ser substituídos por tubos flexíveis (figura 35b).
O isolamento das linhas, em ambos casos deve ser feito separadamente.

a b
FIG. 35 - INSTALAÇÃO DOS LOOPS

Como as tubulações de interligação são feitas no campo, deve-se proceder a


limpeza e a evacuação das linhas e da unidade evaporadora.

A limpeza deve ser feita fazendo-se circular nitrogênio através da


tubulação do sistema. A limpeza é extremamente importante, pois evita
que sujidades resultantes da instalação fiquem dentro da tubulação e
venham a causar problemas posteriormente.

256.09.092 - C - 02/20 27
6.2 - Conexões de Interligação
Unidades Evaporadoras
As unidades evaporadoras possuem conexões do tipo porca-flange na
saída das conexões de expansão e sucção acopladas as respectivas válvulas
de serviço. Veja figura 36.
Para fazer a conexão das tubulações de
interligação nas respectivas válvulas de serviço TAMPA
(Figura 36) das condensadoras, proceda da
CORPO CONEXÃO
seguinte maneira:
a) Se necessário, solde em trechos as
tubulações que unem as unidades
condensadora e evaporadora, use solda TAMPA VENTIL
Phoscoper e fluxo de solda. Faça passar
PORCA FLANGE
Nitrogênio no momento da solda, para
evitar o óxido de cobre. TUBO
b) Encaixe as porcas que estão pré-montadas nas
conexões da condensadora nas extremidades
dos tubos de sucção e expansão.
c) Faça flanges nas extremidades dos tubos.
Utilize flangeador de diâmetro adequado. TAMPA DE
PROTEÇÃO
d) Conecte as duas porcas flange às
respectivas válvulas de serviço.

Evite afrouxar as conexões após tê-las


apertado, para prevenir perda de refrigerante. FIG. 36 - VÁLVULA DE SERVIÇO DAS LINHAS
DE SUCÇÃO E EXPANSÃO

Ao retirarmos a porca do corpo da válvula


(figura 37) encontraremos uma cavidade central
em formato sextavado. Quando necessário, use
uma chave tipo Allen apropriada para mudar a
posição da válvula de serviço (sentido horário
fecha, anti-horário abre).

As válvulas de serviço só devem ser abertas FIG. 37 - VÁLVULA DE SERVIÇO SEM A PORCA
após ter sido feita a conexão das tubulações DE PROTEÇÃO
de interligação, evacuação e complemento
da carga sob pena de perder toda a carga de
refrigerante da unidade condensadora.

Após completado o procedimento de


interligação das tubulações de refrigerante,
recolocar a porca do corpo da válvula.
Faixa aperto: 15 Nm à 18 Nm

28 256.09.092 - C - 02/20
Unidades Condensadoras 38C
As unidades condensadoras possuem conexões de sucção do tipo tubo expandido
soldado, enquanto a conexão de expansão é do tipo porca-flange.

Como operar as válvulas de serviço previstas na unidade condensadora


Válvula de serviço fechada (figura 38):
Com uma chave Allen, girar a haste (giro
em sentido horário) para a direita até o SEEGER
fim, apertando-a firmemente ficaremos: O-RING
• Sem comunicação entre A, conexão HASTE VÁLVULA DE SERVIÇO
do evaporador e B, conexão da parte TIPO AGULHA
interna da unidade condensadora.
• Com comunicação permanente entre A e O-RING
a válvula de serviço externo tipo agulha. A
• Ter em conta que ao comprimir a agulha
central da válvula de serviço se produz a B
comunicação para o interior do sistema.
Para operar com esta, pode-se utilizar FIG. 38 - VÁLVULA DE SERVIÇO FECHADA
uma válvula especial com depressor ou
mangueira de serviço com depressor.

Válvula de serviço aberta (figura 39):


Posicionar a haste até em cima (até ter
como mínimo 1 milimetro mais baixo que o

MÍNIMO
SEEGER

1.0
anel seeger) girando-a com uma chave Allen
para a esquerda (sentido anti-horário). HASTE O-RING
É muito importante respeitar a medida de 1 VÁLVULA DE SERVIÇO
TIPO AGULHA
mm (como mínimo) de fresta entre a haste e
o anel seeger, pois se esta for forçada o anel
O-RING
seeger será rompido, trazendo consequente
perigo para o operador, pela expulsão da A
haste, com a consequente perda da carga e
vácuo realizado anteriormente. B

Para fazer a conexão das tubulações de FIG. 39 - VÁLVULA DE SERVIÇO ABERTA


refrigerante nas respectivas válvulas de
serviço proceda da seguinte maneira:
a) Quando necessário, soldar as tubulações
que unem as unidades condensadora Uma vez terminadas as operações de serviço,
e evaporadora, com solda Phoscoper deve-se colocar as tampas das válvulas de
e fluxo de solda, para evitar o óxido
serviço e ajustá-las para que produzam um
de cobre. Faça passar Nitrogênio no
lacre hermético. Verificar com detector de
momento da solda.
vazamento se estão corretamente seladas.
b) Encaixe as porcas que estão pré-montadas
nas conexões das unidades evaporadora
e condensadora nas extremidades dos
tubos de sucção e expansão.
c) Após o item “b”, faça os flanges nas Evite afrouxar as conexões após tê-las
extremidades dos tubos. Utilize apertado, desta maneira irá previnir perdas
flangeador de diâmetro adequado. de refrigerante.
d) Conecte as duas porcas-flange às
respectivas válvulas de serviço.
256.09.092 - C - 02/20 29
6.3 - Procedimento para Flangeamento e Conexão das Tubulações de Interligação
A sequência de itens a seguir, apresenta um passo-a-passo para a execução correta
do procedimento de flangeamento e também da conexão dos tubos de interligação
entre as unidades evaporadora e condensadora.

Pré-instalação Conexões da unidade condensadora:


• Cortar o tubo de interligação no tamanho O procedimento a seguir descreve a fixação
apropriado com um cortador de tubos. das tubulações de interligação nas conexões da
unidade condensadora.
• Remover a porca da conexão da unidade e ter
certeza de colocá-Ia no tubo de interligação.
• Fazer o flangeamento no extremo do tubo
de interligação com um flangeador. Veja o
procedimento conforme as fotos a seguir.

Porca Flange
FIG. 40 - CORTADOR DE TUBOS

É recomendado cortar aproximadamente 30 mm


ou 40 mm a mais que o tamanho estimado. Tubo de Interligação
FIG. 42 - TUBO COM PORCA

Remover as rebarbas das pontas do tubo


de interligação através de uma ferramenta
apropriada (tipo rosqueira), tendo em conta Certifique-se que o flange cobrirá toda área em
que uma rebarba no circuito de refrigeração ângulo do niple, encostando o flange neste. Veja
pode causar sérios danos ao compressor. o detalhe desta conexão na foto abaixo.
Este procedimento é muito importante e deve
ser feito com muito cuidado.

Tubo de interligação

Ferramenta
para rebarbar

FIG. 43 - CONEXÃO NIPLE TUBO


FIG. 41 - FERRAMENTA PARA REBARBAR

Quando estiver retirando a rebarba, assegure- Colocar um tampão ou selar o tubo


se que o extremo do tubo esteja voltado para flangeado com uma fita adesiva para evitar
baixo, para evitar que alguma partícula caia que pó ou partículas sólidas possam vir a
no interior do tubo. entrar no tubo antes deste ser usado.
30 256.09.092 - C - 02/20
• Tenha certeza de colocar óleo de refrigeração
nas superfícies em contato entre o extremo
flangeado e a união, antes de conectados entre
si. Isto é feito para evitar perdas de refrigerante.

Para sistemas com refrigerante HFC-410A NÃO


se deve utilizar óleo mineral, utilize somente
óleo polioléster.
• Para obter-se uma boa união, manter firmemente
unidos entre si o tubo de interligação, com o FIG. 46 - CONEXÃO DA LINHA DE EXPANSÃO
flange, e a conexão da unidade (observando a DA UNIDADE CONDENSADORA
respectiva linha - expansão ou sucção), enquanto Conexões da unidade evaporadora:
se faz um leve rosqueamento manual da porca.
O procedimento para fixação das tubulações de
interligação nas conexões da evaporadora é similar
Porca ao efetuado nas conexões da condensadora.
• Remover a porca do tubo da evaporadora e ter
certeza de colocá-Ia no tubo de interligação.
• Para obter-se uma boa união, manter
firmemente unidos entre si o tubo de
interligação e o tubo da unidade evaporadora
(observando a respectiva linha - expansão
ou sucção), enquanto se faz um leve
rosqueamento manual da porca.
Tubo de Interligação
FIG. 44 - APERTO MANUAL DA PORCA Porca
• Logo em seguida apertar firmemente de
maneira a garantir que haja uma perfeita
vedação entre a porca e o flange.

Tubo de
Interligação Tubo da Evaporadora

FIG. 47 - CONEXÃO DA LINHA DE SUCÇÃO


• Logo em seguida apertar firmemente de
maneira a garantir que haja uma perfeita
vedação entre a porca e o flange.

Utilize sempre duas chaves para fazer o aperto


final (conforme tabela de torques), para evitar
FIG. 45 - FIXAÇÃO DA PORCA
danos por torção nas tubulações da unidade.

Utilize sempre duas chaves para fazer o aperto


final (conforme tabela de torques padrão), para
evitar danos por torção das válvulas da unidade.

O procedimento e os cuidados para a


tubulação da linha de sucção são exatamente
os mesmos utilizados para a interligação da FIG. 48 - CONEXÃO DA LINHA DE SUCÇÃO
linha de expansão. DA UNIDADE EVAPORADORA
256.09.092 - C - 02/20 31
6.4 - Procedimento de Brasagem
Os procedimentos de brasagem estão • Ao dobrar os tubos o raio de dobra não seja
adequados para a tubulação sendo que inferior 100 mm.
durante esta deverá ser utilizado Nitrogênio,
a fim de evitar a formação de óxido nas
tubulações de interligação.

Devem ser respeitados os limites de R mín.


comprimento equivalente e desnível 100 mm
indicados para as unidades.
FIG. 49 - TUBULAÇÕES DE INTERLIGAÇÃO

6.5 - Suspensão e Fixação das Tubulações de Interligação


Procure sempre fixar de maneira
conveniente as tubulações de
interligação através de suportes ou
pórticos, preferencialmente ambas
conjuntamente.
Isole-as utilizando borracha de neoprene
circular e após passe fita de acabamento
em torno (figura 50).
Teste todas as conexões soldadas e
flangeadas quanto a vazamentos.
Pressão máxima de teste:
3792 kPa (550 psig) para refrigerante R-410A
Use regulador de pressão no cilindro de
Nitrogênio. Se for conveniente passe a
interligação elétrica junto a tubulação de
cobre, conforme figura 50.

FIG. 50 - TUBULAÇÕES DE INTERLIGAÇÃO

32 256.09.092 - C - 02/20
6.6 - Procedimento de Vácuo das Tubulações de Interligação

As unidades condensadoras 38CCVA trabalham com refrigerante HFC-410A,


exigem maiores cuidados com o compressor, tenha especial atenção ao
procedimento de vácuo de maneira que seja sempre executado corretamente.

Rosca ventil Manifold para R-410A: 12,70 mm (1/2 in)

Todo o sistema que tenha sido exposto à atmosfera deve ser


convenientemente desidratado. Isto é conseguido se realizarmos adequado
procedimento de vácuo, com os recursos e procedimentos descritos a seguir.
• Como as tubulações de interligação são feitas no campo, deve-se fazer o
procedimento de vácuo das tubulações e da evaporadora. O ponto de acesso
é a válvula de serviço (sucção) junto a unidade condensadora.

Durante o procedimento de vácuo as válvulas de serviço deverão permanecer


fechadas, pois as unidades condensadoras saem da fábrica com carga.

• As válvulas saem fechadas de fábrica para reter o refrigerante na condensadora.


Para fazer o procedimento de vácuo, mantenha a válvula na posição fechada e
interligue o sistema à bomba de vácuo conforme a figura 51a.
• Utilize vacuômetro para medição do vácuo. A faixa a ser atingida deve-se
situar entre 33,3 Pa e 66,7 Pa (250 μmHg e 500 μmHg).
• Monte um circuito como mostrado na figura 51a. Feito isto, pode-se realizar
o procedimento de vácuo no sistema.

• Sempre que possível NÃO utilize válvula manifold, nem mangueiras para
efetuar o procedimento de vácuo.
• Faça as trocas de óleo da bomba de vácuo, conforme indicação do
fabricante da mesma.
• Faça a quebra de vácuo com Nitrogênio.

PERIGO
• NUNCA utilize o próprio compressor para efetuar o procedimento de vácuo.
• Para um funcionamento seguro e eficiente do produto é imprescindível
garantir o processo de vácuo e evitar a entrada de ar durante o
procedimento de carga de fluido refrigerante.
• A não observância das recomendações acima pode causar dano potencial
ao produto, à instalação e à integridade física de pessoas que estejam nas
proximidades durante o procedimento.

256.09.092 - C - 02/20 33
Gráfico para Análise da Eficácia do Procedimento de Vácuo
213,3
(1600)
186,6
(1400)
Pressão em Pa (μmHg)

160,0
(1200)
133,3
(1000)
106,7
(800)
80,0
(600)
53,7
66,7 Pa
(400)
(500 μmHg)
26,7
(200)
Tempo
(em minutos)

Gráfico Pressão x Tempo do processo de vácuo


I Faixa de vácuo recomendada de 33,3 Pa a 66,7 Pa (250 μmHg a 500 μmHg).
II Pressão estabilizada (em torno de 93,3 Pa (700 μmHg)), indica que a condição ideal foi atingida,
ou seja, sistema seco e com estanqueidade (sem fugas).
III Tempo mínimo para estabilização: 20 minutos.
IV Se a pressão estabilizar-se apenas nessa faixa, indica que há umidade no sistema. Deve-se então
quebrar o vácuo com a circulação de nitrogênio e após reiniciar o processo de vácuo.
V Se a pressão não se estabilizar e continuar aumentando, indica vazamento (fugas no sistema).

6.7 - Adição de Carga de Refrigerante


As unidades condensadoras trazem apenas uma carga de gás refrigerante (C2)
de 500 gramas (0,5 kg) na condensadora.

Procedimento para calcular a quantidade de gás refrigerante a ser adicionada:


Conceitos:
(C1) Carga necessária para uma instalação com até 7,5 metros de comprimento linear;
(C2) Carga que a condensadora sai de fábrica;
(C3) Carga que se necessita adicionar para uma instalação de até 7,5 metros de comprimento linear;
(C4) Carga que se necessita adicionar por metro de comprimento excedente (CEXC).

Refrigerante Unid. Condensadora C1 (g) C2 (g) C3 (g) C4 (g/m)


1 R-410A 38CCVA30 2550 500 2050 30
2 R-410A 38CCVA36 2500 500 2000 30
3 R-410A 38CCVA48 3350 500 2850 35
4 R-410A 38CCVA60 3200 500 2700 50

Os valores apresentados na tabela acima, bem como os exemplos de cálculo


da carga de refrigerante a seguir, são meramente ilustrativos. Os valores
apresentados poderão variar sem aviso prévio.
34 256.09.092 - C - 02/20
Exemplo:
PERIGO Unidade Condensadora:
• NÃO REALIZE o recolhimento do fluido
38CCVA36 - linha 2 da tabela
refrigerante uƟlizando-se o compressor da
unidade condensadora. Para o recolhimento C.L: 10,5 metros (maior que 7,5 m)
de fluido refrigerante deve-se uƟlizar a CEXC = 10,5 – 7,5 : CEXC = 3 m
bomba recolhedora e cilindro apropriados. Carga Adicional (Coluna C3): 2000 gramas
• Jamais coloque em funcionamento a unidade Carga que se necessita adicionar por
sem cerƟficar-se de que as válvulas de metro de CEXC (Coluna C4): 30 g/m
serviço estejam abertas. Carga adicional = 2000 + (3 x 30) :
• A não observância das recomendações Carga adicional = 2090 gramas
acima pode causar dano potencial ao
produto, à instalação e à integridade İsica 3. Carga de refrigerante em casos de
de pessoas que estejam nas proximidades manutenção:
durante o procedimento.
Em casos de manutenção onde haja
necessidade de se realizar uma carga
Exemplos de Cálculo da Carga de Refrigerante:
completa, calcule a carga através da
1. Carga de refrigerante para Comprimento seguinte fórmula:
Linear até 7,5 m:
Carga completa = C1 + (CEXC x C4)
Para instalação das evaporadoras modelo
40KV cuja tubulação de interligação possui Exemplo:
comprimento linear C.L (ver subitem Unidade Condensadora:
6.1) até 7,5 m, deverá ser adicionada 38CCVA36 - linha 2 da tabela
carga de refrigerante de acordo com
C.L: 10,5 metros (maior que 7,5 m)
a condensadora utilizada e o tipo de
refrigerante, conforme apresentado na CEXC = 10,5 – 7,5 : CEXC = 3 m
coluna C3 da tabela anterior. Carga necessária para uma instalação com
até 7,5 m (Coluna C1): 2500 gramas
Exemplo:
Carga que se necessita adicionar por metro
Unidade Condensadora:
de CEXC (Coluna C4): 30 g/m
38CCVA36 - linha 2 da tabela
Carga adicional = 2500 + (3 x 30) :
C.L: 6 metros (menor que 7,5 m) Carga adicional = 2590 gramas
Carga Adicional (Coluna C3): 2000 gramas
Para realizar a adição da carga de refrigerante
2. Carga de refrigerante para Comprimento
veja o procedimento a seguir.
Linear superior à 7,5 m:
Comprimento Excedente (CEXC) é o
Procedimento para Execução da Carga
comprimento linear (C.L) acima de 7,5
de Refrigerante:
m; o qual deve ser calculado através da
seguinte fórmula: a) Após concluído e aprovado o
procedimento de vácuo (subitem 6.6),
CEXC = C.L – 7,5 m remova a bomba de vácuo, o vacuômetro
A carga a ser adicionada deverá ser obtida e o cilindro de Nitrogênio, representados
através da seguinte fórmula: no diagrama da figura 51a.
b) Para fazer a carga de refrigerante, monte
Carga adicional = C3 + (CEXC x C4)
os componentes representados na figura
51b: cilindro de carga, manifold (ver Nota
abaixo) e balança.

256.09.092 - C - 02/20 35
A figura 51b mostra o manifold (específico para Antes de colocar o equipamento em
uso em sistemas com HFC-410A) conectado operação, após o complemento da carga
à válvula de serviço de sucção (3), porém nas de refrigerante (se necessário), abra
condensadoras que possuem conexão ventil as válvulas de serviço junto a unidade
Schrader na válvula de serviço na linha de condensadora.
líquido/expansão (4), esta deverá ser utilizada
f) Uma vez completada a carga, feche o
neste procedimento de carga.
registro de sucção do manifold (2),
c) Purgue as mangueiras utilizadas para interligar desconecte a mangueira do sistema e
o cilindro à válvula de serviço. feche a válvula do cilindro de carga (1).
d) Abra a válvula do cilindro de carga (1), após
abra o registro do manifold (2).
e) O refrigerante deve sair do cilindro na Em caso de recarga integral, o sistema não
forma líquida e a carga deve ser controlada deve ser deixado exposto ao ar atmosférico
até atingir a quantidade ideal (ver tabela (destampado) por mais de 5 minutos.
neste subitem). O refrigerante deve entrar
no sistema aos poucos (evitar a chegada de
líquido ao compressor).

REGISTRO E MANÔMETRO
2 DE BAIXA PRESSÃO

REGISTRO E MANÔMETRO
MANÔMETROS DO CILINDRO
DE ALTA PRESSÃO
(NÃO UTILIZADO NESTE CASO)

REGISTRO DE SERVIÇO
REGISTRO DE
SAÍDA DE GÁS
DO CILINDRO
MANGUEIRA DE “BAIXA” - AZUL
REGISTRO DA BOMBA

VÁLVULA DE SERVIÇO

MANGUEIRA DE
VACUÔMETRO
CILINDRO DE NITROGÊNIO

PROCESSO
AMARELA
UNIDADE
DE CARGA
CILINDRO

CONDENSADORA

3,469 kg
3,469 KG

3
BOMBA DE UNIDADE VÁLVULA DE BALANÇA
VÁCUO CONDENSADORA SERVIÇO DE
4
SUCÇÃO
VÁLVULA DE SERVIÇO
LÍQUIDO/EXPANSÃO

Procedimento de vácuo a Procedimento de recarga b


FIG. 51
36 256.09.092 - C - 02/20
6.8 - Refrigerante HFC-410A
Este condicionador de ar utiliza o novo refrigerante HFC-410A que não
destrói a camada de ozônio.

Características do refrigerante
As características do refrigerante HFC-410A são: fácil absorção de
água, membranas oxidantes ou óleo, a pressão do HFC-410A é de
aproximadamente 1,6 vezes mais elevada do que a do refrigerante R-22.
Juntamente com o novo refrigerante, o óleo de refrigeração também foi
alterado, que a partir de agora passa a ser Poliolester.
Certifique-se de que água ou outros contaminantes não se misturem no
sistema de refrigeração para o novo refrigerante durante a instalação ou
serviços de reparo.

Cuidados na instalação/serviços
• Não misture outros refrigerantes ou outros óleos com o HFC-410A.
• Para evitar cargas de refrigerante incorretas, os tipos de ferramentas
e conexões de serviços foram trocadas, logo são diferentes dos
refrigerantes convencionais.
• As pressões operacionais com HFC-410A são elevadas, portanto sempre
utilize tubos com espessuras corretas especificados para uso com HFC-410A
- veja a nota de “Atenção” no subitem 6.1 neste manual.
• Durante a instalação, certifique-se de que as tubulações estejam limpas,
livres de água, óleo, pó ou sujeira.
• Certifique que ao soldar, gás nitrogênio passe através da tubulação.
• Use bomba de vácuo apropriada, com prevenção de contra fluxo,
para evitar que o óleo da bomba não retorne à tubulação enquanto a
bomba pare.
• O refrigerante HFC-410A é uma mistura azeotrópica. Use a fase
líquida para carregar o sistema. Se gás for utilizado, a composição
do refrigerante poderá mudar e afetará o desempenho do
condicionador de ar.

6.9 - Adição de Óleo


Não há necessidade de adição de óleo desde que respeitados os limites de
aplicação e operação do equipamento.

7 - Sistema de Expansão
Nas unidades condensadoras modelo 38CCV a expansão é realizada por
válvula EXV localizado na própria condensadora.

256.09.092 - C - 02/20 37
8 - Instalação, Interligações e Esquemas Elétricos

As ligações internas (entre as unidades) e externas (fonte de alimentação e unidade)


deverão obedecer a norma brasileira NBR5410 - Instalações Elétricas de Baixa Tensão.

8.1 - Instruções Gerais para Instalação Elétrica


A alimentação elétrica do sistema deve ser feita através de um circuito elétrico
independente e as unidades deverão ser protegidas através de um disjuntor de fácil acesso
após a instalação. Para adequada proteção do cabeamento e produto, utilize disjuntores
eletromagnéticos certificados que atuem em fenômenos de sobrecarga e curto-circuito.
Além deste componente, conforme previsto na NBR5410, a fim de proteger a segurança
humana instale o disjuntor diferencial (DR).
Os dados elétricos para dimensionamento e instalação do sistema estão disponíveis nas
tabelas de Características Técnicas Gerais - ver item 15.

• Os cabos de energia (alimentação) conectados à condensadora e sua respectiva interligação


com a evaporadora, deverão ser 70°C / 450V ou superior e seguir o exigido pela NBR5410
no que tange a isolação e não ser propagantes de chama. Verifique na isolação do cabo se o
mesmo possui impresso à NBR requerida e certificação do INMETRO.
• Verificar se a capacidade de condução de corrente do cabo de energia está de acordo
com a do projeto. Para efeito de cálculo do dimensionamento do cabo, utilize os valores
máximos providos neste manual.
• O cabo de comunicação A e B que interliga a evaporadora e condensadora deve ser
do tipo PP com bitola superior a 0,5mm2 e preferencialmente par trançado. Evite
enrolar as sobras dos mesmos e passar próximos a cabos de potência e equipamentos
eletrônicos. Em casos, onde não seja possível garantir estes fatores, faça uso de cabo PP
par trançado blindado, aterrando a blindagem em uma das extremidades.
• A tensão de alimentação deve estar entre 90% - 110% da tensão nominal.
• A alimentação elétrica e o aterramento deverão ser feitos através da un. condensadora.

Mantenha a energia desligada enquanto estiver efetuando os procedimentos de


interligação. Quando for efetuar qualquer manutenção no sistema observe SEMPRE
que a energia esteja DESLIGADA.

A ligação elétrica equivocada pode causar mau funcionamento da unidade e choque elétrico.
Consulte os códigos e normas locais para instalações elétricas adequadas ou limitações.

8.2 - Interligações Elétricas


220VCA + TERRA
ALIMENTAÇÃO

TERRA
MONOFÁSICA

LINHA L L

NEUTRO N N

A A
CABO PP
B B

EVAPORADORA CONDENSADORA

38 256.09.092 - C - 02/20
&2',),&$d¡2'(&25(6 :/ &2,/ 5220 60 60
&2/25&2'(6
$05 $0$5(/2 <(//2:    
'%      
         
$=/ $=8/ %/8(  

/5-
/5-

$=/
$=/

526
526

950
$05
950
$05
%5& %5$1&2 :+,7(
&1= &,1=$ *5$<
/5- /$5$1-$ 25$1*(
             

050 0$5520 %52:1


    

9,2
357 35(72 %/$&.

/5-
$=/
357

&1=

%5&
95'
950
$05

050
526 526$ 3,1.
9,2 9,2/(7$ 9,2/(7
950 9(50(/+2 5(' 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%:// 0%:/1 0%5200 0%5220 0%&2,/ 0%&2,/ 0%60 0%60 0%60 0%60 0%60

9$ 9(5'($0$5(/2 *5((1<(//2: 9


    
'% :/ &2,/ 5220 60
/
0%5($

5($ ',3
5($
/ 
1%5($

&2',),*85$d¡2'$',3 0% 

6: )81d¡2 23d¢(6 0%3803/
)¸%5,&$

 )5,248(17( 2148(17( 2))
2)))5,2 3803  21
0%3801
5(72512 21Â/7,0$)81d¡2
 (1(5*,$ 2))
2))'(6/,*$'2
 6(0)81d¡2  2)) &1

256.09.092 - C - 02/20
 6(0)81d¡2  2)) '&B0
/ 1 &1 &200
 2)) / 1 $ % *1' 9 )* 963 9 '&1 '&3
6(0)81d¡2 
0%/ 0%1 $ % *1' 9 0%'&0)* 0%'&0963 0%'&09 0%'&0'&1 0%'&0'&3

 6(0)81d¡2  2))
3
8.3 - Diagrama Elétrico das Unidades Evaporadoras

a
9,2
&1=

%5&
950

050
40KVCB30C5 / 40KVCB36C5 / 40KVCB48C5

/(*(1'$/(*(1'     

%%251(,5$7(50,1$/%/2&.

9$
9$

%5&
%5&

&1&21(&725&211(&725 950

050
9$

&2,/6(16256(53(17,1$&2,/6(1625
',3',36:,7&+ '&0
'%3/$&$',63/$<',63/$<%2$5'     
*1'7(55$*5281' *1' *1'

'&0027259(17,/$'25)$102725 %
0%3/$&$(/(75À1,&$0$,1%2$5' / 1 * $ %
3%20%$3803      *1' *1'
5($5($7255($&725
52206(1625$0%,(17(52206(1625
6002725'(3$66267(33(502725
:/&+$9(1,9(//(9(/6:,&+7

39
 5(9 '
/(*(1'$/(*(1' :/ &2,/ 5220

40
60 60
%%251(,5$7(50,1$/%/2&.    
'%      
&1&21(&725&211(&725            
&2,/6(16256(53(17,1$&2,/6(1625
',3',36:,7&+
         
'%3/$&$',63/$<',63/$<%2$5'
*1'7(55$*5281'

/5-
/5-

$=/
$=/

526
526

950
$05
950
'&0027259(17,/$'25)$102725               $05

0%3/$&$(/(75À1,&$0$,1%2$5'

9,2
/5-
$=/
3%20%$3803

357

&1=

%5&
95'
950
$05

050
5($5($7255($&725
52206(1625$0%,(17(52206(1625
0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%'% 0%:// 0%:/1 0%5200 0%5220 0%&2,/ 0%&2,/ 0%60 0%60 0%60 0%60 0%60
6002725'(3$66267(33(502725
:/&+$9(1,9(//(9(/6:,&+7 9 
   
'% :/ &2,/ 5220 60
/
0%5($

5($ ',3
5($
/
1%5($
&2',),*85$d¡2'$',3
6: )81d¡2 23d¢(6 )¸%5,&$ 0%
 )5,248(17( 2148(17( 2)) 0%3803/

2)))5,2
5(72512 21Â/7,0$)81d¡2
 (1(5*,$ 2)) 3803
2))'(6/,*$'2 0%3801

 6(0)81d¡2  2))

2)) / 1
&1
 6(0)81d¡2 
&1 &200 '&B0
 6(0)81d¡2  2)) / 1 $ % *1' 9 )* 963 9 '&1 '&3
3
40KVCB60C5

0%/ 0%1 $ % *1' 9 0%'&0)* 0%'&0963 0%'&09 0%'&0'&1 0%'&0'&3

 6(0)81d¡2  2))

256.09.092 - C - 02/20
a
9,2
&1=

%5&
950

050

&2',),&$d¡2'(&25(6     

&2/25&2'(6 &1 &1


 8 

$05 $0$5(/2 <(//2: &1

9$
9$
'0%

%5&
%5&

950

050
$=/ $=8/ %/8(  9
9$

%5& %5$1&2 :+,7( '5,9(502'8/(


      :
*1' *1'
&1= &,1=$ *5$<
$=/

950
$05

/5- /$5$1-$ 25$1*( % / 1 * $ %   

     *1' *1'
050 0$5520 %52:1
357 35(72 %/$&.
%/'&
526 526$ 3,1.
9,2 9,2/(7$ 9,2/(7
950 9(50(/+2 5('
9$ 9(5'($0$5(/2 *5((1<(//2:  5(9 %
3$5$(9$325$'25$ /(*(1'$/(*(1' &2',),&$d¡2'(&25(6
72,1'22581,7 &21),*85$d¡2'$',3 &2/25&2'(6
%%251(,5$'()25d$(&20$1'232:(5$1'&200$1'/7(50,1$/%/2&. ',3&21),*85$7,21 &2',),&$&,21(6'(&2/25(6
&$3&$3$&,725&$3$&,725
&203&2035(6625,19(57(5,19(57(5&2035(6625 ',3 N N N N $05 $0$5(/2 <(//2: $0$5,//2
'%3/$&$'2'5,9(5'5,9(5%2$5' $=/ $=8/ %/8( $=8/
 2)) 2)) 2)) 2))
((99$/9/$'((;3$16¡2(/(75À1,&$(/(7521,&(;3$16,219$/9( %5& %5$1&2 :+,7( %/$1&2
*1'32172'($7(55$0(172*5281'32,17  2)) 2)) 21 21 &1= &,1=$ *5$< *5,6
+3635(66267$72'($/7$+,*+35(6685(6:,7&+ /5- /$5$1-$ 25$1*( 1$5$1-$
 2)) 21 2)) 21
/3635(66267$72'(%$,;$/2:35(6685(6:,7&+ 050 0$5520 %52:1 0$5521
0%3/$&$35,1&,3$/0$,1%2$5'  2)) 2)) 2)) 2)) 357 35(72 %/$&. 1(*52

32:(56833/<
6(5,$/&20056


2)0027259(17,/$'25&21'(16$'25$287'225)$102725

(175$'$'()25d$
526 526$ 3,1. 526$

9$&3+3(+]
5($5($7255($&725  2)) 2)) 2)) 2))

&2081,&$d­26(5,$/56
9,2 9,2/(7$ 9,2/(7 9,2/(7$
670(,2'2&21'(16$'250,'&2,/  2)) 2)) 2)) 2)) 950 9(50(/+2 5(' 52-2


    67$0%,(17((;7(512287'225$,5
*1' 6768&d¡268&7,21
67'(6&$5*$&2035(6625',6&+$5*(&2035(6625
/ 1 $ % 7&7(50267$72'2&2035(6625&2035(66257+(50267$7
%
/ 1 $ %
((9

%5&

%5&

950
950
    

%5&

$=/
%5&
950
&2009 &200*1' &200% &200$ &2009 &200*1' &200% &200$ ((9 ((9 ((9 ((9 ((9

$&/,1 $&1,1 950 / / 59


            

%
%

$
%5& $ ((9
59
)7 1 59

*1'
9
*1'
9


1
&$5*$ &200 &200
$&/287 $&1287
950
'&3 '&3 '2

'2
%5& '&1 '2
'&1
3

67 +36
$, ',
950



0,'&2,/ +,*+35(6685(

256.09.092 - C - 02/20
$, ',
3

67 /36
$,
0% ',
$=/



5($ 287'225 /2:35(6685(

/
/
$, ',
',3
7

67

%5&
%5&
7&
$, ',
%5&



68&7,21 ',

%5&

950
$, ',
8.4 - Diagramas Elétricos das Unidades Condensadoras

21
67
950
$, $&0
$&/ $&1 '. '. '&3 '&1

',6&+$5*( ',63/$<
357 950 %5&

$
8 $, $&0
$&0
%5&

%
$=/ 357
$&0

%5& 9
'% $,

9 *1'
$,
$,

950 :
%5&

8 9 :
&$3


2)0

&203
050

 a 


5(9(

41
9 - Configuração do Sistema
9.1 - Operação de Emergência
O botão de funcionamento temporário (botão de emergência) pode ser utilizado
no caso de não funcionamento do controle remoto sem fio (pilhas descarregadas
ou perda do mesmo, por exemplo). Figura abaixo

Unidades Unidades
40KVCB30 / 40KVCB36 / 40KVCB48 40KVCB_60

ON/OFF
Temperature

88
re
eratu
Temp

1
1

FIG. 52

1. Botão de funcionamento temporário (modo emergência):


Através deste botão, o usuário poderá colocar a unidade em operação. Ao
pressionar este botão, ela mudará entre os modos desligado e refrigeração.
No modo refrigeração, ela opera com temperatura de ajuste de 24°C e
ventilação automática.

9.2 - Autodiagnóstico e Códigos de Falha - Unidades Internas


Unidade Evaporadora
Display Un.
LEDs* Operação Descrição / Detalhes
Condensadora Display
Power Timer Defrost Alarm
. (ponto) Apagado Apagado Apagado Apagado Desligado Modo espera (stand-by)
Temperatura Temperatura
Aceso Apagado Apagado Apagado Operação Normal
ambiente ajustada
Temperatura Temperatura
Aceso Apagado Apagado Apagado Modo Ventilação
ambiente ambiente
Temperatura
Temperatura Temporizador (timer) Veja o item "Funcionamento
Apagado Aceso Apagado Apagado ajustada e
ambiente atuando do temporizador (TIMER)".
. (ponto)
Pisca
alternadamente
Temperatura Sistema em degelo Veja o item "Visor da Unidade
Apagado Apagado Aceso Apagado entre dE e
ambiente atuando Interna".
Temperatura
ajustada
Temperatura Modo dormir (Sleep) Veja o item "Funcionamento
Aceso Apagado Apagado Apagado Desligado
ambiente atuando da função DORMIR".
* Somente nas unidades 40KVCB30 / 40KVCB36 / 40KVCB48. As unidades40KVCB60 possuem apenas o display.

42 256.09.092 - C - 02/20
Alarmes relacionados à Unidade Evaporadora (Indicação no display da Evaporadora)
Unidade Evaporadora
Display Un.
LEDs* Operação Descrição / Detalhes
Condensadora Display
Power Timer Defrost Alarm
Verificar:
1) Sensor da serpentina do
Congelamento
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso FR Evaporadora
evaporador pode estar mal
conectado.
2) Carga de gás baixa.
Verificar:
1) Sensor da serpentina do
evaporador pode estar mal
conectado.
2) Carga de gás baixa
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso CF Refrigeração precária
(vazamento).
3) Configuração errada da DIP
placa principal de evaporadroa.
Unidade configurada em fria,
operando em aquecimento.
Verificar:
1) Sensor da serpentina do
evaporador pode estar mal
conectado.
2) Carga de gás baixa
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso HF Aquecimento precário
(vazamento).
3) Configuração errada da DIP
placa principal de evaporadroa.
Unidade configurada em fria,
operando em aquecimento.
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Sr Falha sensor ambiente Aberto ou em curto circuito.
Falha sensor da
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Sc serpentina
Aberto ou em curto circuito.

Reincie o sistema. Em caso de


Placa Eletrônica - Mau
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso EE funcionamento
constante reiscindencia, troque
a placa eletrõnica principal.

O sistema voltará em operação


normal automaticamente.
Caso, alarme persista
reincidentemente, verifique:
1) Verificar se hélice do motor
Sobrecarga no
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso CO Compressor
não está travada e/ou motor
queimado.
2) Condensador obstruído/sujo
ou não obedecido
espaçamento mínimo na
instalação.

1) Verificar se há entopimento
no dreno.
2) Verificar se a bomba está
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso LE Chave de Nível
funcionando.
3) Verificar se chave de nível
não está danificada.
1) Verificar se hélice não está
trancada.
2) Verificar se cabo do motor
está bem conectado na placa
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso DC Falha no motor DC eletrônica conforme esquema
elétrico.
3) Reiniciar sistema. Se
problema, persistir trocar placa
ou motor.
Versão de software não é
Versão de software compatível com a placa
00 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso SF incompatível eletrônica. Entrar em contato
via SAC.

256.09.092 - C - 02/20 43
9.3 - Autodiagnóstico e Códigos de Falha - Unidades Externas
Alarmes relacionados à Unidade Condensadora (Indicação no display da Evaporadora)
Unidade Evaporadora
Display Un.
LEDs* Operação Descrição / Detalhes
Condensadora Display
Power Timer Defrost Alarm
1) Verifique se os cabos A e B
não estão inveridos.
2) Verifique se estão sendo
usados os canais COMM1
entre evaporadora e
Falha de comunicação condensadora.
01 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso CE entre Evaporadora e 3) Verifique se os cabos de
Condensadora energia e comunicação não
estão juntos ou próximo a
componentes eletrônicos.
Verifique a recomendação do
cabo e interligação contidas
neste manual.
1) Verifique se o cabo está bem
Falha de comunicação
conectado conforme esquema
02 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od entre placa principal e
elétrico e em boas condições.
driver
Desconectado ou fora do
03 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Sensor Externo range.
1) Verifique a integridade dos
cabos.
Sensor Meio 2) Verifique se a conexão dos
04 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
Condensador cabos não está errada, tanto
no lado da placa como da
posição à ser medida a
05 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Sensor Sucção
temperatura.
3) Medir valores dos sensores,
desconectando-os da placa.
06 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Sensor Descarga 10k/25°, exceção descarga
100k/25°.
Este alarme tem reset
automático. Se persistir o erro,
verifique:
1) Verificar se hélice do motor
Temperatura Meio não está travada e/ou motor
07 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
Condensador muito alta queimado.
2) Condensador obstruído/sujo
ou não obedecido
espaçamento mínimo na
instalação.
Este alarme requer reset
manual. Se persistir o erro,
Temperatura Sucção verifique:
08 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
muito alta 1) Pouca carga de refrigerante.
2) Falha na Válvula de
Expansão Eletrônica (EXV).

Este alarme tem reset


automático. Se persistir o erro,
verifique:
Temperatura Sucção 1) Excesso de refrigerante.
09 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
muito baixa 2) Falha na Válvula de
Expansão Eletrônica (EXV).
3) Falha no motor da
Evaporadora.

44 256.09.092 - C - 02/20
Alarmes relacionados à Unidade Condensadora (Indicação no display da Evaporadora)
Unidade Evaporadora
Display Un.
LEDs* Operação Descrição / Detalhes
Condensadora Display
Power Timer Defrost Alarm
Este alarme tem reset
automático. Após três
tentativas, requer reset manual:
1) Pouca carga de refrigerante.
10 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Proteção de Descarga 2) Falha na Válvula de Expansão
Eletrônica (EXV).
3) Falha no motor da
Condensadora.

Este alarme tem reset


automático. Após três
tentativas, requer reset manual:
1) Verificar se o cabo da EXV
está corretamente conectada
conforme esquema elétrico e se
está em boas condições.
2) Verificar se a solenóide esta
11 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od EXV error
devidamente encaixada no
corpo da válvula.
3) Verificar se modelo da EXV
está de acordo com a
capacidade da condensadora.
4) Verificar se a EXV não está
trancada.

Este alarme tem reset


automático. Após três
12 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Low Pressure tentativas, requer reset manual:
1) Verificar se cabo do motor
está bem conectado na placa
conforme esquema elétrico.
2) Para alarmes 12/13, faça as
13 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od High Pressure medições de pressões e
verifique se não há vazamento.
3) Para alarme 13, verifique se
o termostato está bem
conectado na placa e bem
14 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Compressor Temp
posicionado no topo do
compressor.
Este alarme tem reset
30 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Sobrecorrente Hardware
automático. Após três
31 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Falha no chaveamento tentativas, requer reset manual.
32 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Sobrecorrente Software 1. Verifique se a tensão de
alimentação está está de
33 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Erro amostragem corrente
acordo.
Super aquecimento 2. Verifique se o motor do
34 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
Dissipador condensador não está
Sobre tensão no bloqueado.
35 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
barramento 3. Verifique se o cabo do reator
Sub tensão no
36 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
barramento
e outros estão bem conectados
Sobrecorrente Entrada conforme esquema elétrico.
37 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
Driver 4. Verifique se o reator não está
38 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Erro PFC em curto ou aberto. Meça
reatância.
39 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od Erro sensor do Dissipador
Este alarme requer reset
manual. Em caso de constante
40 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od EEPROM e Outros
reiscindencia, troque a placa
driver.
Este alarme tem reset
automático. Após três
Falha de comunicação tentativas, requer reset manual.
41 (piscando) Apagado Apagado Apagado Aceso Od
interno ao Driver Em caso de constante
reiscindencia, troque a placa
driver.

256.09.092 - C - 02/20 45
10 - Partida Inicial
A tabela abaixo define condições limite de aplicação e operação das unidades.

CONDIÇÕES E LIMITE DE APLICAÇÃO E OPERAÇÃO

Situação Valor Máximo Admissível Procedimento


1) Temperatura do ar externo
Para temperaturas superiores, consulte
(unidades com condensação 50°C (R-410A)
um credenciado Carrier.
a ar)
Variação de ± 10% em relação Verifique sua instalação e/ou contate
2) Voltagem
ao valor nominal a companhia local de energia elétrica.
3) Desbalanceamento de rede Voltagem: 2% Verifique sua instalação e/ou contate
(Modelos 048) Corrente: 10% a companhia local de energia elétrica.
4) Distância e desnível entre Para distâncias maiores, consulte um
Ver Subitem 6.1
as unidades credenciado Carrier.

Antes de partir a unidade, verifique as condições acima e os seguintes itens:


• Verifique a adequada fixação de todas as conexões elétricas;
• Confirme que não há vazamentos de refrigerante;
• Confirme que o suprimento de força é compatível com as características
elétricas da unidade;
• Assegure-se que os compressores podem se movimentar livremente sobre os
isoladores de vibração da unidade condensadora;
• Assegure-se que todas as válvulas de serviço estão na correta posição de
operação (abertas);
• Assegure-se que a área em torno da unidade externa (condensadora) está livre
de qualquer obstrução na entrada ou saída do ar;
• Confirme que ocorre uma perfeita drenagem e que não haja entupimento na
mangueira do dreno.

Os motores dos ventiladores das unidades são lubrificados na fábrica.


Não lubrificar quando instalar as unidades. Antes de dar a partida ao motor,
certifique-se de que a hélice ou turbina do ventilador não esteja solta.

Nas unidades condensadoras montadas exclusivamente com compressores


do tipo Scroll deve-se observar o ruído do mesmo após o start-up. Se o
ruído for alto e as pressões forem as mesmas após a partida, inverta duas
faces de alimentação!
Este procedimento é obrigatório e a não observância implica em perda de
garantia do equipamento.

46 256.09.092 - C - 02/20
11 - Manutenção

11.1 - Generalidades

Antes de executar quaisquer serviços de manutenção, desligue a


tensão elétrica que alimenta o aparelho.
Para evitar serviços de reparo desnecessários, confira cuidadosamente os
seguintes pontos:
• O aparelho deve estar corretamente ligado à rede principal, com todos os
dispositivos manuais, e/ou automáticos de manobra/proteção do circuito
adequadamente ligados, sem interrupções tais como: fusíveis queimados,
chaves abertas, etc.
• Mantenha o gabinete e as grelhas bem como a área ao redor da unidade a
mais limpa possível.
• Periodicamente limpe as serpentinas com uma escova macia. Se as aletas
estiverem muito sujas, utilize, no sentido inverso do fluxo de ar, jato
de ar comprimido ou de água a baixa pressão. Tome cuidado para não
danificar as aletas.
• Verifique o aperto de conexões, flanges e demais fixações, evitando o
aparecimento de vibrações, vazamentos e ruídos.
• Assegure que os isolamentos das peças metálicas e tubulações estão no local
correto e em boas condições.

11.2 - Manutenção Preventiva


LIMPEZA
Limpe o condensador com uma escova de pelos macia, se necessário utilize
também um aspirador de pó para remover a sujeira. Após esta operação
utilize pente de aletas, no sentido vertical de cima para baixo, para desamassar
as mesmas.
O acúmulo de poeira obstrui e reduz o fluxo de ar resultando em perda de
capacidade.
Limpe os gabinetes com uma flanela ou pano macio embebido em água
morna e sabão neutro. NÃO USE solventes, tetracloreto de carbono, ceras
contendo solvente ou álcool para limpar as partes plásticas.
FIAÇÃO
Cheque todos os cabos quanto a deterioração e todos os contatos (terminais)
elétricos quanto ao aperto e corrosão.
MONTAGEM
Certifique-se que as unidades estão firmemente instaladas.
CONTROLES
Assegure-se que todos os controles estão funcionando corretamente e que a
operação do aparelho é normal. Vibrações podem causar ruídos indesejáveis.
DRENO
Verifique entupimentos ou amassamento na mangueira do dreno. Isto pode
ocasionar um transbordamento na bandeja e consequente vazamento de
condensado.
256.09.092 - C - 02/20 47
11.3 - Manutenção Corretiva
Deve ser feita nas situações em que algum componente impeça o perfeito
funcionamento de uma ou das duas unidades.
Nestas ocasiões é necessário consultar os esquemas elétricos fixos nas unidades.

11.4 - Limpeza Interna do Sistema


A queima de um motor elétrico é reconhecida pelo cheiro característico.
Quando um motor de um compressor hermético queima, a isolação do
enrolamento do estator forma carbono e lama ácida, neste caso, limpe o circuito
do refrigerante antes de instalar um novo compressor. Instale um novo tubo
capilar e filtro do condensador.

Danos a um novo compressor causados por falhas na limpeza do sistema


não são cobertos pela garantia do produto.

11.5 - Detecção de Vazamentos


Quando houver suspeita de que exista um vazamento no circuito de refrigeração,
deve-se proceder da seguinte forma:
• Caso ainda haja pressão suficiente de refrigerante no sistema pode-se passar
imediatamente a localização do vazamento por um dos processos indicados a
seguir (subitens 11.5.1 e 11.5.2).
• Se, entretanto, a pressão residual estiver muito baixa, deve-se conectar
ao sistema um cilindro de Nitrogênio (utilize uma das válvulas de serviço
existentes nas unidades).
• A seguir pressurize a unidade até 3792 kPa (550 psig) para refrigerante R-410A.
• Dependendo do método a ser utilizado deve-se acrescentar também uma
pequena quantidade de refrigerante ao sistema. Coloque o refrigerante antes
do Nitrogênio.

11.5.1 - MÉTODOS DE DETECÇÃO


- Detector Eletrônico (refrigerante + Nitrogênio)
Procure pelo vazamento passando o sensor do aparelho próximo de
conexões, soldas e outros possíveis pontos de vazamento. Use baixa
velocidade no deslocamento do sensor.
O aparelho emite um sinal auditivo e/ou luminoso ao passar pelo ponto
de vazamento.
- Solução de água e sabão
Prepare uma solução com sabão ou detergente e espalhe-o sobre as
conexões, soldas e outros possíveis pontos de vazamento.
Aguarde pelo menos 1 minuto para verificar onde se formará a bolha.

Quando em ambientes externos o vento poderá dificultar a localização.


Uma solução muito pobre em sabão também é inadequada, pois não
formará bolhas.

48 256.09.092 - C - 02/20
- Método de Imersão
O método da imersão em tanque poderá ser utilizado para inspeção em
componentes separados do aparelho (especialmente serpentinas).
Neste caso o componente deve ser pressurizado a 3792 kPa (550 psig) para
refrigerante R-410A.

Não confundir bolhas de ar retiradas entre as aletas com vazamentos.

11.5.2 - REPARO DO VAZAMENTO


Após localizado o vazamento marque o local adequadamente e retire a pressão
do sistema, eliminando o refrigerante e/ou Nitrogênio lá existentes.
Prepare para fazer a solda (use solda Phoscopper ou solda prata), executando-a
com passagem de Nitrogênio no interior do tubo (durante a soldagem e a uma
baixa pressão), evitando a formação de óxidos no interior do tubo.

Certifique-se que o reparo foi bem sucedido, pressurizando e re-testando


o aparelho.

256.09.092 - C - 02/20 49
12 - Análise de Ocorrências
Tabela orientativa de possíveis ocorrências no equipamento condicionadores de ar,
com sua possível causa e correção a ser tomada.
Sintomas Causas Solução
Falta de energia. Aguarde até que energia seja restabelecida.
A fonte de energia está desligada. Ligue a fonte de energia.
A unidade não liga. Fusível da fonte de energia queimado. Substitua o fusível.
Pilhas do controle gastas ou outro problema no
Substitua as pilhas ou inspecione o controle.
controle remoto.
A temperatura não está corretamente
O ar sai normalmente Selecione corretamente a temperatura.
selecionada.
da unidade mas não
O compressor está com a proteção de 3 min
refigera. Aguarde.
ativada.
Verifique por vazamentos e a correta carga de
Há muita ou pouca carga de refrigerante.
refrigerante.
A unidade liga e Não há ar ou circulação de gás no circuito de Execute o procedimento de vácuo e
desliga refrigeração. recarregue o refrigerante.
frequentemente. O compressor está com mal funcionamento. Faça manutenção ou substitua o compressor.
A tensão está muito alta ou muito baixa. Instale um manômetro de controle.
O circuito do sistema está bloqueado. Encontre a causa do defeito e solucione-a.
O trocador de calor da unidade Interna/Externa
Limpe o trocador de calor das unidades.
está sujo.
O filtro de ar está sujo. Limpe o filtro de ar.
Entrada/Saída de ar da unidade Interna/Externa Elimine toda sujeira e/ou bloqueio de ar da
está bloqueada. unidade.
Baixa eficiência de Portas e janelas estão abertas. Feche as portas e janelas.
refrigeração. Proteja a unidade da exposição direta aos
Raios solares incidindo diretamente.
raios solares.
Muitas fontes de calor próximas. Reduza as fontes de calor próximas.
A temperatura externa está muito alta. A capacidade de refrigeração reduz (normal).
Verifique por vazamentos e a correta carga de
Vazamento ou falta de refrigerante.
refrigerante.
Quando o modo AUTO (Automático) está
Verifique se o modo indicado no display está na
selecionado a unidade regula a velocidade de
posição "AUTO".
A velocidade de ventilação automaticamente.
ventilação não altera. Quando o modo DRY (Desumidificação) está
Verifique se o modo indicado no display está na
selecionado a unidade regula a velocidade de
posição "DRY".
ventilação automaticamente.
O controle remoto
não transmite o sinal,
Verifique se as pilhas do controle remoto estão Substitua as pilhas do controle e/ou religue a
mesmo quando a tecla
gastas ou se a fonte de energia está desligada. energia.
ON/OFF é
pressionada.
A indicação de
Verifique se o modo indicado está na posição A temperatura não pode ser selecionada no
temperatura no
"FAN ONLY". modo "FAN" (Ventilação).
controle não aparece.
O indicador do display
desaparece depois de Verifique se a operação do timer chegou ao final A unidade desligará quando atingir o tempo
um determinado quando TIMER OFF é mostrado no display. selecionado.
tempo.
O indicador TIMER Quando atingido o tempo estabelecido o ar
Verifique se a função timer está ativada quando
ON desaparece após condicionado iniciará automaticamente e
TIMER ON estiver aparecendo no display.
um certo tempo. TIMER ON irá sair do display.
Não há sinal sonoro
Verifique se o sinal transmissor do controle Direcione o sinal transmissor do controle
na unidade Interna
remoto está direcionado para o infravermelho da remoto para o receptor infravermelho da
mesmo quando
unidade interna quando a tecla ON/OFF é unidade interna e pressione novamente a tecla
pressionada a tecla
pressionada. ON/OFF.
ON/OFF.
50 256.09.092 - C - 02/20
13 - Planilha de Manutenção Preventiva
Frequência
Item Descrição dos Serviços
A B C
Inspeção geral na instalação do equipamento, curto circuito de
ar, distribuição de insuflamento nas unidades, bloqueamento na

entrada e saída de ar do condensador, unidade condensadora *
exposta à carga térmica.
2° Verificar instalação elétrica. *
3° Lavar e secar o filtro de ar. *
4° Medir tensão e corrente de funcionamento e comparar com a nominal. *
Verificar aperto de todos os terminais elétricos das unidades, evitar

possíveis maus contatos. *
6° Verificar obstrução de sujeira e aletas amassadas. *
Verificar possíveis entupimentos ou amassamentos na mangueira do

dreno. *
8° Fazer limpeza dos gabinetes. *
9° Medir diferencial de temperatura. *
10° Verificar folga do eixo dos motores elétricos. *
11° Verificar posicionamento, fixação e balanceamento da hélice ou turbina. *
12° Verificar operação do sensor de temperatura. *
13° Medir pressões de equilíbrio. *
14° Medir pressões de funcionamento. *
Códigos de frequência:
A = Mensalmente B = Trimestralmente C = Semestralmente

256.09.092 - C - 02/20 51
14 - Circuito Frigorígeno

Modelos Somente Frio

LS - Linha de Sucção LE - Linha de Expansão

52 256.09.092 - C - 02/20
15 - Características Técnicas Gerais
Unidade Evaporadora 40KVCB30 com Unidade Condensadora 38CCVA30

CÓDIGOS CARRIER 40KVCB30C5 38CCVA30515MC


CAPACIDADE NOMINAL REFRIGERAÇÃO - kW (BTU/h) 8,79 (30.000)
ALIMENTAÇÃO (V-Ph-Hz) 220-1-60
NOMINAL (A) 11,91
CORRENTE
MÁXIMA (A) 15,30
NOMINAL (W) 2620
POTÊNCIA
MÁXIMA (W) 3369
CABEAMENTO ELÉTRICO/DISJUNTOR Ver norma NBR 5410
REFRIGERANTE R-410A
TIPO / TAMANHO Válvula EXV
SISTEMA DE EXPANSÃO
LOCAL Condensadora
Ver Etiqueta de Capacidade nas
CARGA DE GÁS (g) (Até 7,5m)
unidades condensadora - Anexo II
MASSA DO PRODUTO (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 23,0 44,0
DIMENSÕES LxAxP (mm) 840x205x840 572x759x572
MASSA DA GRELHA (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 5,0 -
DIMENSÕES GRELHA LxAxP (mm) 950x55x950 -
DISTÂNCIA EQUIVALENTE ENTRE UNIDADES (m) 30
DESNÍVEL ENTRE UNIDADES (m) 10
DIÂMETRO DO DRENO (mm) 32
COMPRESSOR TIPO Inverter
TIPO / QUANTIDADE Centrífugo / 1 Axial / 1
VENTILADOR
VAZÃO (m³/h) 1400 N/D
DIÂMETRO DAS LINHAS SUCÇÃO - mm (in) 19,05 (3/4)
(Ver item Tubul. de Interligação) EXPANSÃO - mm (in) 9,52 (3/8)

256.09.092 - C - 02/20 53
Unidade Evaporadora 40KVCB36 com Unidade Condensadora 38CCVA36

CÓDIGOS CARRIER 40KVCB36C5 38CCVA36515MC


CAPACIDADE NOMINAL REFRIGERAÇÃO - kW (BTU/h) 10,55 (36.000)
ALIMENTAÇÃO (V-Ph-Hz) 220-1-60
NOMINAL (A) 14,36
CORRENTE
MÁXIMA (A) 18,50
NOMINAL (W) 3160
POTÊNCIA
MÁXIMA (W) 4063
CABEAMENTO ELÉTRICO/DISJUNTOR Ver norma NBR 5410
REFRIGERANTE R-410A
TIPO / TAMANHO Válvula EXV
SISTEMA DE EXPANSÃO
LOCAL Condensadora
Ver Etiqueta de Capacidade nas
CARGA DE GÁS (g) (Até 7,5m)
unidades condensadora - Anexo II
MASSA DO PRODUTO (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 24,5 44,0
DIMENSÕES LxAxP (mm) 840x245x840 572x759x572
MASSA DA GRELHA (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 5,0 -
DIMENSÕES GRELHA LxAxP (mm) 950x55x950 -
DISTÂNCIA EQUIVALENTE ENTRE UNIDADES (m) 30
DESNÍVEL ENTRE UNIDADES (m) 10
DIÂMETRO DO DRENO (mm) 32
COMPRESSOR TIPO Inverter
TIPO / QUANTIDADE Centrífugo / 1 Axial / 1
VENTILADOR
VAZÃO (m³/h) 1715 N/D
DIÂMETRO DAS LINHAS SUCÇÃO - mm (in) 19,05 (3/4)
(Ver item Tubul. de Interligação) EXPANSÃO - mm (in) 9,52 (3/8)

54 256.09.092 - C - 02/20
Unidade Evaporadora 40KVCB48 com Unidade Condensadora 38CCVA48

CÓDIGOS CARRIER 40KVCB48C5 38CCVA48515MC


CAPACIDADE NOMINAL REFRIGERAÇÃO - kW (BTU/h) 14,07 (48.000)
ALIMENTAÇÃO (V-Ph-Hz) 220-1-60
NOMINAL (A) 19,73
CORRENTE
MÁXIMA (A) 25,60
NOMINAL (W) 4340
POTÊNCIA
MÁXIMA (W) 5290
CABEAMENTO ELÉTRICO/DISJUNTOR Ver norma NBR 5410
REFRIGERANTE R-410A
TIPO / TAMANHO Válvula EXV
SISTEMA DE EXPANSÃO
LOCAL Condensadora
Ver Etiqueta de Capacidade nas
CARGA DE GÁS (g) (Até 7,5m)
unidades condensadora - Anexo II
MASSA DO PRODUTO (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 28,1 61,0
DIMENSÕES LxAxP (mm) 840x287x840 626x972x626
MASSA DA GRELHA (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 5,0 -
DIMENSÕES GRELHA LxAxP (mm) 950x55x950 -
DISTÂNCIA EQUIVALENTE ENTRE UNIDADES (m) 30
DESNÍVEL ENTRE UNIDADES (m) 10
DIÂMETRO DO DRENO (mm) 32
COMPRESSOR TIPO Inverter
TIPO / QUANTIDADE Centrífugo / 1 Axial / 1
VENTILADOR
VAZÃO (m³/h) 1715 N/D
DIÂMETRO DAS LINHAS SUCÇÃO - mm (in) 22,23 (7/8)
(Ver item Tubul. de Interligação) EXPANSÃO - mm (in) 9,52 (3/8)

256.09.092 - C - 02/20 55
Unidade Evaporadora 40KVCB60 com Unidade Condensadora 38CCVA60

CÓDIGOS CARRIER 40KVCB60C5 38CCVA60515MC


CAPACIDADE NOMINAL REFRIGERAÇÃO - kW (BTU/h) 16,41 (56.000)
ALIMENTAÇÃO (V-Ph-Hz) 220-1-60
NOMINAL (A) 23,00
CORRENTE
MÁXIMA (A) 27,00
NOMINAL (W) 5060
POTÊNCIA
MÁXIMA (W) 5720
CABEAMENTO ELÉTRICO/DISJUNTOR Ver norma NBR 5410
REFRIGERANTE R-410A
TIPO / TAMANHO Válvula EXV
SISTEMA DE EXPANSÃO
LOCAL Condensadora
Ver Etiqueta de Capacidade nas
CARGA DE GÁS (g) (Até 7,5m)
unidades condensadora - Anexo II
MASSA DO PRODUTO (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 34,4 61,0
DIMENSÕES LxAxP (mm) 910x287x910 626x972x626
MASSA DA GRELHA (PESO) SEM EMBALAGEM (kg) 5,8 -
DIMENSÕES GRELHA LxAxP (mm) 1020x50x1020 -
DISTÂNCIA EQUIVALENTE ENTRE UNIDADES (m) 30
DESNÍVEL ENTRE UNIDADES (m) 10
DIÂMETRO DO DRENO (mm) 32
COMPRESSOR TIPO Inverter
TIPO / QUANTIDADE Centrífugo / 1 Axial / 1
VENTILADOR
VAZÃO (m³/h) 2697 N/D
DIÂMETRO DAS LINHAS SUCÇÃO - mm (in) 22,23 (7/8)
(Ver item Tubul. de Interligação) EXPANSÃO - mm (in) 9,52 (3/8)

56 256.09.092 - C - 02/20
Anexo I
Tabela de Conversão Refrigerante HFC-410A
Pressão de Vapor Pressão de Vapor
Temperatura Temperatura
MPa (kg/cm²) (psi) MPa (kg/cm²) (psi)
Saturação (°C) Saturação (°C)
-40 0,075 0,8 11 13 1,080 11,0 157
-39 0,083 0,8 12 14 1,114 11,4 162
-38 0,091 0,9 13 15 1,150 11,7 167
-37 0,100 1,0 14 16 1,186 12,1 172
-36 0,109 1,1 16 17 1,222 12,5 177
-35 0,118 1,2 17 18 1,260 12,9 183
-34 0,127 1,3 18 19 1,298 13,2 188
-33 0,137 1,4 20 20 1,338 13,6 194
-32 0,147 1,5 21 21 1,378 14,1 200
-31 0,158 1,6 23 22 1,418 14,5 206
-30 0,169 1,7 24 23 1,460 14,9 212
-29 0,180 1,8 26 24 1,503 15,3 218
-28 0,192 2,0 28 25 1,546 15,8 224
-27 0,204 2,1 30 26 1,590 16,2 231
-26 0,216 2,2 31 27 1,636 16,7 237
-25 0,229 2,3 33 28 1,682 17,2 244
-24 0,242 2,5 35 29 1,729 17,6 251
-23 0,255 2,6 37 30 1,777 18,1 258
-22 0,269 2,7 39 31 1,826 18,6 265
-21 0,284 2,9 41 32 1,875 19,1 272
-20 0,298 3,0 43 33 1,926 19,6 279
-19 0,313 3,2 45 34 1,978 20,2 287
-18 0,329 3,4 48 35 2,031 20,7 294
-17 0,345 3,5 50 36 2,084 21,3 302
-16 0,362 3,7 52 37 2,139 21,8 310
-15 0,379 3,9 55 38 2,195 22,4 318
-14 0,396 4,0 57 39 2,252 23,0 327
-13 0,414 4,2 60 40 2,310 23,6 335
-12 0,432 4,4 63 41 2,369 24,2 343
-11 0,451 4,6 65 42 2,429 24,8 352
-10 0,471 4,8 68 43 2,490 25,4 361
-9 0,491 5,0 71 44 2,552 26,0 370
-8 0,511 5,2 74 45 2,616 26,7 379
-7 0,532 5,4 77 46 2,680 27,3 389
-6 0,554 5,6 80 47 2,746 28,0 398
-5 0,576 5,9 84 48 2,813 28,7 408
-4 0,599 6,1 87 49 2,881 29,4 418
-3 0,622 6,3 90 50 2,950 30,1 428
-2 0,646 6,6 94 51 3,021 30,8 438
-1 0,670 6,8 97 52 3,092 31,5 448
0 0,695 7,1 101 53 3,165 32,3 459
1 0,721 7,4 105 54 3,240 33,0 470
2 0,747 7,6 108 55 3,315 33,8 481
3 0,774 7,9 112 56 3,392 34,6 492
4 0,802 8,2 116 57 3,470 35,4 503
5 0,830 8,5 120 58 3,549 36,2 515
6 0,859 8,8 124 59 3,630 37,0 526
7 0,888 9,1 129 60 3,712 37,9 538
8 0,918 9,4 133 61 3,796 38,7 550
9 0,949 9,7 138 62 3,881 39,6 563
10 0,981 10,0 142 63 3,967 40,5 575
11 1,013 10,3 147 64 4,055 41,4 588
12 1,046 10,7 152 65 4,144 42,3 601

256.09.092 - C - 02/20 57
Anexo II
Etiqueta de Capacidade - Localização na Unidade Condensadora
A etiqueta de capacidade das unidades condensadoras está localizada externamente
conforme indicado nas figuras abaixo. Nesta etiqueta constam o modelo e o
número de série das unidades, dados técnicos tais como: tensão, frequência, fase,
capacidade, consumo/corrente (em refrigeração e em aquecimento), além do tipo e
carga de gás refrigerante.

Unidade Condensadora 38CCV

Para realizar o cálculo correto da carga de


gás adicional, referente a instalação do seu
equipamento, veja o valor constante na Etiqueta
de Capacidade da unidade condensadora e o
procedimento no subitem 6.7 deste manual.

58 256.09.092 - C - 02/20
ANOTAÇÕES

256.09.092 - C - 02/20 59
256.09.092 - C - 02/20

CLIMAZON INDUSTRIAL LTDA


Av. Torquato Tapajós, 7937 Lotes 14 e 14B
Bairro Tarumã - Manaus - AM
CEP: 69.041-025
Telefones para Contato: CNPJ: 04.222.931/0001-95
4003.9666 - Capitais e Regiões Metropolitanas
0800.886.9666 - Demais Localidades www.carrierdobrasil.com.br