Você está na página 1de 68

_ RESPOSTASDABIBLIA

_ as acusacées dos "crentes”


. contra a Igreja Catélica

_ Para cada lar cristHo


, e 23 ~

Pe. Vicente, SVD


Uma Publicagae da
Livraria Editora Pe. Reus
Rua Duque de Caxias, 805
Caixa Postal, 285
90001-970 PORTO ALEGRE,RS.
FONE: (051) 224-1352
FAX: (051) 228-1880
RESPOSTASda BIBLIA
as acusacées dos "crentes"
contra a Igreja Catélica

Edicao atualizada

Pe. Vicente Wrosz, SVD

1? a 27* Edigao: 520.000


Outubro/93 a Julho/96

28* EDICAO: 20.000


Outubro/96

Soma Total: 540.000


Nihil obstat:

Pe. Edvino Sicuro, SVD


Provincial

Curitiba, 16 de novembro de 1992

Imprimatur:

+ Pedro Fedalto
Arcebispo

Curitiba, 10 de dezembro de 1992


INTRODUCAO
Osbisposlatino-americanos, reunidos com 0 Papa
Joao Paulo Il em Santo Domingo, em outubro de 1992,
reconheceram que o avanco das seitas é um sério
desafio para o catolicismo na América Latina, e reco-
mendam "instruir amplamente o povo, com serenidade
e objetividade, sobre as respostas que devem dar ds
injustas acusag6es contra a Igreja Catélica".

Jé no primeiro século Sao Pedro escreveu aosfiéis,


advertindo-os: "Assim comoentre o povo (de Israel)
houve falsos profetas, do mesmo modo haverd também
entre vosfalsos doutores, que introduzirdo disfargada-
mente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o
Senhor que os resgatou, atrairdo sobre si uma ruina
repentina. Muitos os seguirdo nas suas desordens e
ser@o deste modo a causa de o caminho da verdade ser
caluniado..." (II Pd 2, 1-2).

Para ajudar o povocatélico a defender-se destas


injustas acusagées, e saber rechacd-las, fornece-lhes
este livrinho as respostas biblicas na sua verdadeira
interpretacdo, baseada na tradi¢ao apostélica. Com
isso queremos colaborar na realizagdo do ardente
desejo de Jesus:
3
"Para que todos sejam um, como Tu, Pai, em Mime
Eu em Ti; para que o mundo creia que Tu Me enviaste"
(Jo 17,21-22) e "que haja um sé rebanho e um so
Pastor"(Jo 10,16).
Além disso, o livrinho tenta promover a catequese
dos adultos e uma pastoral emprol da vivénciareli-
giosa mais auténtica.

O Autor
1, VENERACAO DE IMAGENS
ACUSACAO: Oscatélicos praticam a idolatria,
fazendo e adorando imagens, o que Deus proibe na
Biblia, dizendo: "Nao fards para ti escultura alguma
do que esté em cima nos céus, ou abaixo sobre a ter-
ra, ou nas éguas, debaixo da terra" (Ex 20,4).
, RESPOSTA: O mesmo Deus, no mesmolivro do
Exodo, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e
coloca-los por cima da Arca da Alianga (Ex 25,18-20).
Manda-lhe, também, fazer uma serpente de bronze e
coloca-la por cima duma haste, para curar os mordidos
pelas serpentes venenosas (Num 21,8-9). Manda, ain-
da, a Salomao enfeitar o templo de Jerusalém com ima-
gens de querubins, palmas,flores, bois e ledes (I Reis
6,23-35 e 7,29), etc.
Seria uma graveblasfémia desses "crentes" conside-
rar Deus comoesclerosado, ja que num lugar da Biblia
manda fazer imagens, esquecido que no outro lugar o
teria proibido! Ora, os primeiros cristdos martirizados
aos milhares porque se recusaram a adorar imagens de
deuses falsos, estudaram a Biblia com mais atencio e
tespeito. Eles nao tiravam esses trechos proibitivos de
seu contexto e, comparando-os com outros, ficaram
convencidos de que Deus proibe apenas fazer ima-
gens de deuses falsos, e adora-los, — como o faziam
os vizinhos pagiios, — mas Ele ndo proibe fazer ou-
tras imagens.
Eis o verdadeiro sentido desta proibigao biblica, no
seu contexto: "Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez
5
sait do Egito, da casa da servidio. Nao teras outros
deuses diante de minha face. Nao fards parati escul
tura alguma do que (daqueles falsos deuses, que na
rada imaginagao dos pagaos ) estd em cima nos céus,
ou abaixo sobre a terra, ou nas dguas, debaixoda terra.
Nao te prostraras diante deles e nao lhes prestaras
culto, (4 imitagio dos pagios) (Ex 20,2-5). Esta proibi-
gdo, intehcionada por Deus, repete-se em varios lugares
da Biblia, como por ex, io adores nenhum outro
deus” (Ex 34,14) ou "Naofaras para ti deuses fundi-
dos" (Ex 34,17).
Porisso os primeiroscristdos pintaram nas catacum-
bas muitas imagens das cenas biblicas do Antigo e
Novo Testamento, e legaram, para a veneracdo dos sé-
culos posteriores, as imagens de Cristo-Sofredor, na
toalha de Verdnica, e no sudario sepulcral, guardado em
Turim, naItalia.
Alguns santos dos primeiros séculos afirmavam que
as imagens da Biblia, da Via Sacra, de Jesus crucifica-
do e dos santos sao o unico “livro” que também os po-
bres e analfabetos entendem e aproveitam. Isso vale,
ainda hoje, para milhdes de pessoas.
O sentido da veneragao das imagens, segundoa tra-
digéo dos Apéstolos, esté resumido nesta béngdo de
imagens, do Ritual Catdlico:
“Deuseterno e todo-poderoso, nao reprovais a escul-
tura ou a pintura das imagens dos santos, para que a sua
vista possamos meditar os seus exemplos e imitar as
suas virtudes. Nos vos pedimos que abengoeise santifi-
queis esta(s) imagen(s), feita(s) para recordar ¢ honrar
6
0 vosso Filho Unigénito e nosso Senhor Jesus Cristo
(ou: 0(s) Santo(s) NN. Concedei a todos os que diante
dela(s) desejarem venerar e glotificar 0 vosso Filho
Unigénito (ou: 0(s) Santo(s) NN.), que por seus mereci-
mentos e intercesséo, alcancem no presente a vossa
graga e, no futuro, a gloria eterna. Por Cristo, nosso
Senhor. Amém”,

2. BATISMO
ACUSACAO: O batisme dos catélicos nao é vali-
do! Sé os adultos que créem podem receber valida-
mente o batismo, que s6 vale por imersdo!
RESPOSTA: Onde esto as provas biblicas para
esta afirmacao? Nao existem!
a) Alguns “crentes” afirmam que Jesus foi batizado
no rio Jordao por imersao. Mas, os Evangelhosnao fa-
lam disso! Pode ter sido batizado como o apresentam
antigas estampas: ficando com os pés no rio, enquanto
S. Joao Ihe derramava a agua, com a mao, na cabega.
Na verdade, o modo de molhar o corpo com a agua nao
tem importancia! Sendoseria prescrito!
b) Outros afirmam que "baptizare", em grego, signi-
fica "imergir na 4gua”; logo... Os biblistas, porém, do-
cumentam que em varias passagens da Biblia esta pala-
vra significa, igualmente, “lavar’ ou “molhar” na dgua
as maos, os dedos, os pés etc. Sao Paulo usa esta pala-
vra em 1Cor 10,2: "Todos (0s Israelitas) foram bati-
zados em Moisés, na nuvem e no mar”, (- como sim-
bolo do batismocristao). Sabemos, porém, que este ba-

ci
tismo n&o aconteceu por imersdo pois os Israelitas,
junto com todas as criancgas, passaram o Mar Ver-
melho a pé enxuto, tocando apenas a areia umida do
mar. Quem tomou o “batismo por imersao”, foram os
soldados egipcios! E todos pereceram! (Ex 14,19-20)
Nobatismo vale mais a fé em Deus e a obediéncia a
seu legitimo representante do que a maneira de aplicar
a agua.
c) Algunstextos biblicos indicam o batismofeito por
imposigao. Em At 8,36-38 lemos sobre o batismo do
eunuco etiope, feito pelo didcono Filipe, no caminho
entre Jerusalém e Gaza, onde nao existe nenhum rio ou
Jagoa, em que seria possivel batizd-lo por imersao. Ha
apenas pequenas nascentes.
At 9,18-19 relata o batismo de Saulo convertido
numa casa de Damasco. Nao havia piscina nem tempo
para batismo por imersao; pois, lemos: "Imediatamente
Ihe cairam dos olhos como escamas, e recuperou a vis-
ta. Levantando-se, foi batizado, e tomando alimento,
recuperou as forcas”
Igualmente em Filipos (At 16,33) S. Paulo batizou o
carcereiro convertido: “Naquela hora da noite (0 carce-
teiro) lavou-lhe as chagas e imediatamente foi batiza-
doele e toda a sua familia”. E nos carceres romanos
nao havia piscinas!
d) Comono caso acima, assim também na ocasiao
do batismo de Lidia e de Estéfanas, S. Paulo menciona
que Lidia recebeu o batismo "com todos os de sua
casa”; (At 16,14-15) ¢ "batizei a familia de Estéfa-
nas” (1Cor 1,16), onde, certamente, nao faltavam

8
criancas pequenas.
O proprio Jesus afirma a Nicodemos: “Em verdade,
em verdadete digo, que quem nao renascer da agua e
do Espirito Santo, nao pode entrar no Reino de
Deus”. Para os primeiros cristaos esta regra valia
igualmente para as criangas. Por isso Santo Irencu
(que viveu entre 140 a 204) escreveu: "Jesus veio sal-
var a todos os que através dele nasceram de novo de
Deus: os recém-nascidos, os meninos, os jovens e os
velhos”. (Adv. Haer. livro 2).
Origenes (185 255) escreve: "A Igreja recebeu dos
Apéstolos a tradicao de dar batismo também aosre-
cém-nascidos”. (Epist. ad Rom. Livro 5,9). E S. Ci-
priano em 258 escreve: "Do batismo e da graca nio
devemosafastar as criancas”. (Carta a Fido).
e) Na "Nova e Eterna Alianca” o batismo substi-
tuiu a circuncisaéo da ”Antiga Aliancga”, como rito
da entrada para o povo escolhido de Deus. Ora, se 0
proprio Deus ordenou a Abraaocircuncidar os meninos
ja no 8? dia depois do nascimento, sem exigir deles
uma fé adulta e livre escolha, entéo nao seria ldgico
recusar © batismo4scriangas dos pais cristos, por cau-
sa de tais exigéncias.
Por isso a Igreja Catdlica recomenda batizar as
criangas dentro do primciro més, apdés o nascimento.
Mesmo que as seitas nao déem valor a Tradigao
Apostdlica, cada homem honesto reconhece que os
cristéos dos primeiros séculos conheciam muito bem e
observavam zelosamente a doutrina e as prdticas reli-
giosas recebidas dos Apéstolos.
3. CONFISSAO
ACUSACAO: Oscatélicos confessam-se com os
padres, que também sao pecadores; os crentes confes-
sam-se somente com Deus! - porque lemos na Biblia:
"Quem pode perdoar os pecados, sendo s6 Deus?"
(Me 2,7).
RESPOSTA: Quem negavaa Jesus o poderde per-
doar os pecados, e até O taxava de blasfemador, eram
os orgulhosos escribas. Jesus, porém, lhes respondeu
(Mc 2,10): “Para que saibais que o Filho do homem
temna terra o poder de perdoaros pecados...” Jesus
curou 0 paralitico perdoado, a vista deles.
Este poder de perdoar os pecados, Jesus 0 confiou
aos homens pecadores, aos Apostolos ¢ seus legitimos
sucessores, no dia mais solene, da sua Ressurrei¢gao,
quando Ihes apareceu e disse (Jo 20,21-23): ” Assim
como meu Pai me enviou, também eu vos envio a
vos. Tendodito estas palavras, soprou sobre eles ¢ dis-
se-lhes: "Recebei o Espirito Santo. Aqueles a quem
perdoardes os pecados, ser-lhes-do perdoados, e
aqueles a quem osretiverdes, ser-Ihes- ao retidos”.
Nao resta duvida que o sopro de Cristo ressuscita-
do e as palavras: "Recebei o (dom do) Espirito San-
to...” expressam claramente que os Apéstolos nao obti-
veram o poder de perdoar os pecados em virtude de sua
santidade ou impecabilidade, mas como um dom espe-
cial, merecido por Cristo e a eles conferido, em fa-
vor das almas, remidas pelo seu sangue derramado
na cruz.
10
Daidizer: "Eu nao me confesso com ospadres, por-
que eles também sao pecadores, demonstra igual insen-
satez, como afirmar: "Eu nao vou, com a minha doenga,
procurar conselho e remédio dos médicos, porque eles
também ficam doentes".
Por isso os catdlicos, mesmo que sejam papas, car-
deais e reis, dobram humildemente suas cabegas diante
de tao claras palavras de Jesus e confessam seus peca-
dos diante dum simples sacerdote, para receber o per-
dao de Deus.
Os outros crentes, porém, preferem ignorar estas
palavras de Jesus, e desprezar 0 grande dom de Jesus,
no sacramento da Peniténcia. Para motivar este proce-
dimento, procuram na Biblia varios textos no sentido:
"Convertei-vos... fazei peniténci: arrependei-vos,
para que os vossos pecados sejam perdoados,... para
que sejais salvos”.
Ninguém duvida de que o sincero arrependimento
dos pecados, com firme propdsito de nao pecar mais, e
satisfacdo feita a Deus e aos prejudicados, eram no An-
tigo Testamento condigdes necessdrias e suficientes
para obter perdio de Deus. O mesmo vale ainda
hoje para todos os que desconhecem Jesus e seu
Evangelho; para os que nfo tem nenhuma ocasido de
se confessar; e s40 ainda condigdes necessdrias para
obter perdio na boa Confissdo. Mas quem no seu
orgulho nao acredita na veracidade e obrigatorieda-
de das palayras de Cristo Ressuscitado, com as quais
ele instituiu o sacramento da Peniténcia, e por isso nao
quer se confessar, dificilmente recebera perdao!

aa
Cada pecado é um ato de orgulho e desobediéncia
contra Deus. Por isso "Cristo se humilhou e tornou-
se obediente até a morte, e morte na cruz” (Flp 2,8)
para expiar o orgulho e a desobediéncia dos nossos pe-
cados, e nos merecer petdao. Porisso ele exige de nos
este ato de humildade e de obediéncia, na Confissao
sacramental, na qual confessamos os nossos pecados
diante do seu representante, legitimamente ordenado.
E, conforme a sua promessa: "Quem se humilha, sera
exaltado, e quem se exalta, sera humilhado” (Le
18,14).
Alguns “crentes” aliciam os catdlicos para sua seita
com a promessa de que, depois do batismo (pela imer-
so), estarao livres de qualquer pecado e nem poderao
mais pecar! (Conseqiientemente, nao precisarao mais
de nenhuma Confissao). Apoiamesta afirmagao nas pa-
lavras biblicas de I Jo 3, 6 e 9: “Quem permanece
Nele, nado peca; quem peca, nao O viu, nem O conhece”
e “Todo aquele que é gerado por Deus, nado comete pe-
cado, porque nele permanece o germe divino” (a graca
santificante).
Em resposta, lembro principio biblico de que en-
tre as verdades biblicas, reveladas por Deus, nao pode
haver contradicdes. Por isso, as palavras menosclaras,
devemser esclarecidas por palavras maisclaras ou pela
autoridade estabelecida por Deus (Magistério da Igre-
ja). Ora, o prdprio Joao Apéstolo escreve em (I Jo 1,8-
10): "Se dissermos que nao temos pecado algum, en-
ganamo-nos a nés mesmos, ¢ a verdade nao estd em
nds. Se confessarmos os nossos pecados, Ele fiel e
justo, e nos perdoa os nossos pecados, ¢ nos purifica

12
de toda a iniqiiidade. Se dissermos que nao temos pe-
cado, taxamo-Lo de mentiroso, e a sua palavra mao
esta em nos”.
Porisso a Tradicado Apostélica interpreta as palavras
de I Jo 3,9: "Todo aquele que é gerado por Deus nao
peca”, no sentido de "nao deve pecar gravemente”,
j4 que possuindo a gra¢a de Deus, tem suficiente fora
para vencer as tentacdes. Enquanto as claras palavras
em I Jo 1,8-10 falam dos pecados leves- veniais; sen-
do somente Maria Imaculada livre de qualquer mancha
do pecado original e pessoal, em previséo dos méritos
antecipados de Jesus Cristo que a escolheu por sua
Mae.
Portanto, todos os homens adultos necessitam de
Misericérdia Divina; e os sinceros seguidores da Biblia
recebem-na, agradecidos, no saéramento da Confissao.

4. ACOMUNHAO:
ACUSAGAO:Por que os catélicos comungam
somente sob as espécies do Pao, e os protestantes sob
espécie de Pao e Vinho, como Jesus fez na ultima
ceia?
RESPOSTA: A diferenca entre catdlicos e protes-
tantes é essencial, e bem maior do que parece:
A) - Osprotestantes desligaram-se da sucessio dos
Apéstolos, por isso seus pastores nao recebem o sacra-
mento da ordenagao sacerdotal e nao tém nenhum po-
der espiritual a mais do que seus fiéis. Portanto, eles
“presidem" apenas “a ceia”, como memoria - recorda-

13
¢80 da ULTIMACEIA de Jesus. E nela comemsimples
pao e bebem simples vinho, acreditando que, poresta
piedosa recordacao, Cristo Ihes comunica sua graga ¢ 0
seu amor,

B) - Os sacerdotes Catélicos recebem no Sacra-


mento da Ordem, 6 sacerdécio ministerial, (realmente
distinto do sacerdécio comum dosfiéis, recebido no ba-
tismo), pelo qual realizam na Santa Missa o duplo
efeito: 1° - celebram a ultima Ceia de Jesus; 2° -
(Dentro desta comemoragio, fazem o que Jesus fez
nela antecipadamente); tornam, presente (aqui e ago-
ra) o sacrificio de Jesus na Cruz, consumado pela se-
paragaio do sangue esgotejado do corpo, simbolizado
pela consagragéo separada de pao e de vinho. E isto
que Jesus ordenou aos Apéstolos e seus legitimos su-
cessores no sacerdécio, com as palavras: "Fazei isto
em memoria de Mim!" (Le 22,19)
Este sacrificio de Jesus na cruz, perpetuado em
cada Santa Missa (quefalta aos protestantes) — sendo
a principal fonte de todas as gragas — é de maxima
importancia. Por isso todos os catélicos tm a grave ob-
tigag&o, pelo 1° Mandamento daLei da Igreja, de par-
ticipar da Missa inteira nos Domingos e festas de
guarda (quando hapossibilidade).
©) - As provas biblicas sobre a real presenga de Je-
sus na Eucaristia sao as seguintes:
a) Os Evangelhos foram escritos na lingua grega, de
alta cultura, em que existem muitas expresses, para os
verbos "simbolizar, significar, representar, Tembrar,
etc." No entanto, os trés Evangelistas e $. Paulo, ao

14
descreverem a Ultima Ceia de Jesus, usam exclysiva-
mente a palavra "é": "Isto 6 0 meu Corpo; este é 0
cdlice do meu sangue". (Mt 26,26s; Mc 14,22s; Le
22,19s; ICor 11,23s.
b) Jesus falava ao povo simples, com palavrasclaras
e compreensiveis. Quando usava comparag@es, p. ex.:
"Vés sois o sal da terra; vés sois a luz do mundo"; —
ninguém reclamava, e ndo esperava ver os Apéstolos
transformados em imagens de sal ou de luz. Quando,
porém, Jesus lhes disse: "Este é 0 p&o que desceu do
céu, se alguém comerdeste p4o, viverd eternamente; e
o pao que Eu vos darei é a minha carne (imolada) pela
vida do mundo". (Jo 6,50-51) — ent&o os judeus o en-
tendem verbalmente e reclamam dizendo: "Como pode
Ele dar-nos a comer sua carne?" E Jesus reafirma:
"Em verdade, em verdade Eu vosdigo: se néo comer-
des a carne do Filho do homem, e ndo beberdes o
seu sangue, nadotereis a vida em vos... pois a minha
carne € um verdadeiro alimento e o meu sangue é
uma verdadeira bebida. Quem come deste pao vivera
eternamente"; (Jo 6,52-58). Até muitos discipulos seus
oO entenderam assim verbalmente, e por isso murmura-
ram e se retiraram dizendo: "E dura tal linguagem;
quem pode escutd-la? (Jo 6,60-66). Mas Jesus n3o se
retrata, para os recuperar. Pelo contrario, pergunta aos
doze Apostdlos: "Também vés quereis partir?" E entio
Simao Pedro da a bela resposta da fé, em nome dos
Apéstolos e de todosos fiéis catélicos: "Para quem
iremos nés, Senhor? Tu tens as palavras da vida
eterna, e nés cremos e sabemos que és o Santo de
Deus". (Jo 6,67-71). Porém, somente na Ultima Ceia

15
foi Ihes revelada a maneira de alimentar-se com 0 Cor-
po eo Sangue de Jesus, velado sob espécies de pio
vinho consagrados.
c) Outra prova biblica sobre a verdadeira presenga
de Jesus na Eucaristia, sao as admoestagées de S. Paulo
aos Corintios: “E por isso, todo aquele que comer o
pao ou beber do calice do Senhor indignamente, tor-
na-se culpadodo corpo e do sangue do Senhor... Pois
quem come e bebe sem fazer distingao de tal corpo,
come e bebe a propria condenacao”. (I Cor 11,27-
29).
e) A Comunhao soh uma ou duas espécies nao
constitui essencial diferenga j4 que em cada pedacinho
de pio e em cada gota de vinho consagrados recebe-
mosJesus inteiro, vivo e ressuscitado; como consta
claramente de suas palavras (Jo 6, 51-56): “Eu sou 0
pao vivo que desceu do céu... e 0 pao que Eu hei de
dar é a minha carne... Quem come a minha carne e
bebe o meu sangue, permanece em Mim e Eu nele’”.
Claro, nao é um pouquinho de carne ou sangue que
recebemos na santa Comunhao, mas 0 "EU” de Je-
sus: a, Pessoa do Filho de Deus Encarnado — nosso
Salvador.
Porisso os primeiros cristaos costumavam levar aos
encarceradospela fé, somente o pao consagrado; € aos
doentes que nado conseguem engolir um pedacinho da
héstia consagrada, a Igreja recomenda administrar al-
gumasgotas do vinho consagrado. E em grupos, meno-
res e bem preparados, pode-se administrar a Santa Co-
munhdo sob duas espécies. O que mais importa é a

16
viva fé, humildadee piedade diante deste Santissimo
Sacramento do Amor! Dai, o 32 Mandamento da Lei
da Igreja nos obriga: Comungar ao menos uma vez
por ano, pela Pascoa da Ressurreigao; ¢ recomenda
fazé-lo em cada santa Missa!
Que pena que pela falta de fé no poder e no amor
infinitos de Jesus, tantos “crentes” se afastaram desta
“Arvore da vida”, presente entre nds até ao fim do mun-
do, — na Eucaristia; apesar de suas palavras claras:
"Se nao comerdes a carne do Filho do homem,e nao
beberdes o seu sangue,nao tereis a vida em vés” (Jo
6,53).

5. CASAMENTO - SACRAMEN-
TO INDISSOLUVEL?
ACUSACAO:Porque Igreja catélica proclama
o matriménio como sacramentoindissoluvel? Os ou-
tros crentes adotam simplesmente lei civil sobre 0
casamento e o divércio. Qual é o ensinamento da Bi-
blia?
RESPOSTA: a) A Biblia nao deixa nenhuma divida
a respeito da indissolubilidade do matriménio, como
consta de Mt 19,3-9. Nesta disputa com os fariseus,
acostumados a repudiar facilmente as suas mulheres,
Jesus lhes responde: ” Naolestes que o Criador, desde
o principio, os fez homem e mulher ¢ disse: — Por
isso deixa o homem pai e mae e¢ une-se com sua mulher
e os dois formam uma sé carne?... Nao separe,pois,
o homem o que Deus uniu”. — Acrescentaram eles:
17
— “Entdo, por que Moisés mandou dar-lhes libelo de
repudio e despedi-la? Respondeu-lhes Jesus: — "Por
causa da dureza do vosso coracéo, permitiu-vos
Moisés repudiar as vossas mulheres, mas no princi-
pio nado era assim”. — E agora, com a autoridade do
divino Legislador, Jesus restabelece a ordem primi-
tiva, declarando: "Ora, Eu vos digo: — Todo o que
despedir a prépria mulher, salvo 0 caso de concubi-
nato, (e nao de adultério, como traduzia-se erradamen-
te), e casar-se com outra, comete adultério; e quem
casar-se com uma repudiada, comete adultério’.
Em I Cor 7,10-11 S. Paulo reafirma a indissolubili-
dade do matriménio, esctevendo; ”Aos casados man-
do (nao eu, mas o Senhor) que a mulher nao se sepa-
re do marido.E, se ela estiver separada, que fique
sem casar, ou se reconcilie com seu marido. Igual-
mente o marido nao repudie sua mulher”. Portanto,
segundo as expressas declaragées da Biblia, nao ha
mais lugar para o divércio e novo casamento, entre os
cristéos casados.
b) Sacramento. Nacarta aos Efésios (Ef 5,25-33),
S. Paulo recomenda aos maridos amarem suas espo-
sas, "como Cristo amou sua Igreja e se entregou a si
mesmoporela, a fim de a santificar... para_que seja
santa e irrepreensivel”, — e acrescenta: — "Esse mis-
tério (= sacramento) é grande, quero dizer, com refe-
réncia a Cristo e a Igreja”.
Por esse mistério (sacramento) 0 contrato natural do
matriménio, e a convivéncia cotidiana do casal cristao,
tepresentando e encarnando o amor fecundo deCristo a
18
sua Igreja, é elevado a uma novadignidade e realidade
transcendental, ou ao plano sacramental.
E verdade que nos primeitos séculos, nos tempos da
perseguicao, o sacramento do matrim6nio nao tinha
ainda formulas prescritas, ¢ era contraido no ambiente
familiar; mas a Igreja Catdlica nunca o entregou as au-
tordades civis do Estado, (como fazem muitos "cren-
tes”), e depois prescreveu em pormenores as exigéncias
para sua valida celebragao na Igreja.
c)Mesmoquea Igreja Catélica nunca aprove o di-
vércio, em alguns casos o Tribunal Eclesiastico do
Matriménio pode declarar a nulidade dum "matri-
ménio”, quando depois de séria investigagao fica pro-
vado que, na celebragao de tal “casamento” na igreja,
faltaram condi¢des essenciais para sua validade, exigi-
das pela lei da Igreja, (idade, liberdade,etc.). Isso nao
€ concessao do divorcio, mas apenas umadeclaracao
de que — apesar da cerim6nia religiosa, — 0 tal "ma-
triménio” nao era validamente contraido, isto é,
nuncase realizou.
d) Para todos os casados vale a exortagao biblica da
carta aos Hebreus: “Seja por todos honrado o matrimé-
nio, eo leito conjugal sem macula; porque Deus julgar4
os fornicadores e os adulteros” (Hb 13,4).

6. CASAMENTO DOS PADRES?


Por que os Padres catélicos nado se casam? Assim
haveria mais vocagdes e menos escandalos. A pré-
pria Biblia o recomenda em I Tim 3,2: "E necessario
que o bispo seja irreprensivel; que tenha casado
19
com uma sé mulher...”
RESPOSTA: S. Paulo naoera casado.(veja | Cor
7,8). Numa das suas cartas ele recomenda: “Sejam
meus imitadores, como eu sou de Cristo”. Escrevendo,
pois, a Timéteo, que também era bispo celibatario,
nao lhe podia aconselhar casamento. Porém,porfalta
de candidatos celibatdrios para a fungao episcopal (na-
quela época!), ele Ihe recomenda escolher também ho-
mens casados — virtuosos. Dai na sua carta (I Tim 3,2)
ele nao coloca acento nas palavras: "que seja casa-
do”... mas nas palavaras:... “com uma sé mulher”...
—e nao com duas ou trés, mesmo que sucessivamen-
te, — o queseria sinal de moleza e muita paixao, dei-
xando pouco zelo e dedicacao para Deus e as almas.
Em I Cor7,32-33 S. Paulo apresenta os argumentos em
favor do celibato: "O que esta sem mulher, esta cui-
dadoso das coisas que sao do Senhor, como ha de
agradar a Deus. Maso que esta casado, esta cuida-
doso das coisas que sao do mundo, como ha de dar
gosto 4 sua mulher’. -
A Igreja Catdlica reconhece que a exigéncia do celi-
bato dos padres nfo é de lei divina, mas delei eclesial,
que em circunstancias especiais poderia ser abolida,
mas opta pela maior perfeigdo, jé que por este motivo
os Apdstolos de Jesus deixaram a convivéncia matri-
monial e familiar, para se dedicar inteiramente a propa-
gacao do Reino de Deus, — comoconsta de Le 18,28-
30: "Disse depois Pedro: “Eis que nds deixamos tudo 0
que nos pertence para te seguir”. Ele respondeu-lhes:
"Em verdade vos digo, nao ha ninguém que tenha
deixado casa, mulher, irmios, pais ou filhos, por

20
causa do reino de Deus, que nao receba 0 miltiplo no
tempo presente, e no século que ha de vir, a vida eter-
na”,
Assumindolivremente o celibato, 0 sacerdote imita
a maneira de viver de Jesus — celibatdrio, — inteira-
mente dedicado as coisas do Pai e de seu Reino.

7. OPAPA
OBJECAO: O Papa ¢ a predita besta do apoca-
lipse! Pois em Ap 13,18 lemos: "Quem tem inteligén-
cia, calcule o numero da besta, porque é numero de
homem:este nimero é 666”. Ora, o Papa é chamado
"Vigario do Filho de Deus”, 0, que se escreve em la-
tim: Vicarius Filii Dei. Somandoas letras que em latim
tem valor de algarismos, da a soma de 666!:
VIC ARIUS FILII DE I
a ae a a |
5110 --15 - - 150 11 50— 1 = 666
RESPOSTA:A acusagéo mostra apenas insensatez
e ddio dos acusadores contra S. Pedro e seus sucesso-
res, Vejamos:
a) O texto do Apocalipse (Ap 13,18) exige que a
Besta seja um homem, e ndéo um cargo (de chefes da
Igreja Catdlica) ocupado até agora por 264 Papas. Seria
muito mais razoavel indicar como besta apocaliptica,
um dos 18 reis da Franga com o nome LUIS (ou qual-
queroutro Luis) que se escreve em latim: Ludovicus, e
que na contagem latina dé também a soma 666;ou ain-
21
da a doutora adventista Ellen Gould White. Mas, acusar
estas pessoas, nao interessa aos nossos acusadores!

LoUuODO v Itc vs

50
kel
5 500
o5f &
1 ibs
|5 = 666

ELLENGOULD WHITE
ee
-80 50 - - = - 5 50500545 Pld
1 - -=666
b) Além disso, nenhum Papa usou titulo de “Viga-
rio do Filho de Deus”. Costumam chamar-se “Servo
dos servos de Deus”, “Bispos de Roma”, "Vigario de
Jesus Cristo”, “Patriarcas do Ocidente”, etc.
c) No mesmocapitulo Ap 13,6-8 e 15, Joao descreve
a atuacdo desta Besta: “A Besta abriu a sua boca em
blasfémias contra Deus, para blasfemar o seu nome, o
seu tabernaculo e os que habitam o céu. Foi lhe permi-
tido fazer que fossem mortos todos aqueles que nao
adorassem a imagem da besta”.
d) Cada livro da Biblia foi escrito ¢ destinado, em
primeiro lugar, ao povo contemporaneo, da mesma épo-
ca, e S6 em segundolugar poderia conter algumaprofe-
cia, referente aos tempos futuros. Assim, Joao Evange-
lista escreveu o Apocalipse para os cristaos da Asia
Menor, perseguidospelo cruel César Nero e seus suces-
sores, predizendo-Ihes a vitoria final de Cristo sobre
eles. Ora, estes cristéos nio entendiam latim, senao o
grego e o hebraico. (E se por acaso descobrissem, na
traducdo latina, esta acusagao contta o Papa, iriam re-

22
jeitd-la comocalunia diabdlica; pois tanto Sao Pedro,
como os 30 Papas dessa época, foram todos martiriza-
dospor sua fidelidade a Cristo).
Porém,eles facilmente calcularam 0 nome grego de
Cesar Neron, em caracteres hebraicos, desta maneira,
da direita para esquerda:
NVReN-RaSeQ
Prdobouot oy
50 6 200 50 200 60 100=666

Cesar Nero, sim, exigia para si as honras divinas


e mandou matar os Apéstolos Pedro e Paulo e mi-
Ihares de outros cristaos. O mesmofaziam alguns de
seus sucessores.
e) Para os verdadeiros cristéos o Papa era sempre 0
sucessor de S. Pedro, atribuindo-lhe as seguintes pro-
messas de Cristo:
Mt16, 18: "Eu digo: tu és Pedro e sobre esta Pe-
dra edificarei a minha Igreja.. A ti darei as chaves do
Reino dos céus...”
Le 22,31-32 "Simao, Simao, eis que satands vos
procurou para vos joeirar comotrigo, mas Eu roguei
por Ti, a fim que tua fé mao desfalega, e tu, uma vez
convertido, confirma os teus irmaos”.
Jo 21,15-17: “Jesus perguntou a Simao Pedro: Si-
mao filho de Joao, amas-me mais que estes? Respon-
deu-lhe ele: Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo! Diz-
lhe Jesus: Apascenta os meus cordeires...” (Apesar da

23
anterior negacio de Pedro, predita por Jesus).
f) Para aqueles que ousam chamaro Papa de Anti-
cristo, que deve aparecerpelo fim do mundo,responde
Joao Apéstolo na sua carta (I Jo 2,18-19): "O anti-
cristo esta para vir, mas digo-vos que ja agora ha mui-
tos anticristos... Eles sairam de entre nés, mas nao
eram dos nossos; porque,se tivessem sido dos nossos,
ficariam certamente conosco”. E claro que S. Joao era
sempre unido a S. Pedro ¢ seus sucessores. Portanto 0
Anticristo saira das fileiras que abandonaram a
Igreja Apostolica.
Il? ACUSACAO:Jesus nasceu pobre ma gruta de
Belém. Por que o Papa, em Roma,vive no rico pala-
cio do Vaticano ao lado darica basilica de Sao Pe-
dro?
RESPOSTA: Numaparabola (Mt 13,31-32) Jesus
compara a sua Igreja (o Reino dos céus) com o grao de
mostarda, que semeado cresceu e tornou-se grande dr-
vore, € em seus ramos aninharam-se aves vindas de
toda parte.
Assim na vida de Jesus, esta sementinha da Igreja,
era constituida apenas da Sagrada Familia; depois de
12 Apostolos, discipulos e santas mulheres. Jesus anda-
va com eles e ensinava o povo a beira do lago ou nos
montes. Jesus nao precisava de casas nem de dinheiro.
Para 0 culto divino e publico Jesus se servia de sinago-
gas e do magnifico templo de Jerusalém. Nunca profe-
riu uma sé palavra contra a riqueza e beleza do
templo de Deus! — Aocontrario, com energia expul-
sou os profanadores (Mt 21,12) e (Mc 12,42).

24
Quando este Reino de Cristo (sua Igreja) tornou-se
uma “grande arvore”, abrigando quase um bilhdo de
passaros (=fiéis catdlicos), esta mesmaIgreja necessita
de muitos e grandes templos para o culto divino, e mui-
tos edificios para a propagacdo e administragao deste
Reino de Deusvisivel na terra.
Como no Governo, ha prefeitos com prefeituras,
presidente com paldcios federais em Brasilia, assim na
Igreja ha Bispos e parocos com igrejas e suas mora-
das. E ha um Papa que preside toda Igreja. Dos de-
partamentos do Vaticano com seus auxiliares, admi-
nistra a Igreja de Cristo, residindo ali num modesto
apartamento.
Além disso, os prefeitos, os governadores e presi-
dentes cada um tem sua esposa filhos, casas e pro-
priedades, e quando morrem, deixam geralmente para
os filhos ¢ netos consideraveis herancas. O mesmo o
fazem os pastores deseitas cristas. O Papa, porém, a
exemplo de Jesus, nao tem para si nem mulher nem
propriedade nenhuma. E quando morte, deixa apenas
o bom exemplo ¢ os ensinamentos para todos. Vive e
morre pobre como Jesus.
Il? ACUSACAO: Em Roma vendem-se lem-
brangas com a fotografia e a béncao do Papa, que
ele nunca abencoou nem vin. Que exploracao!
RESPOSTA: Como Jesus curou a distancia o
servo do centuriao e a filha da mulher cananéia, sem
contacto palpavel ou visual (Mt 8,13 e 15,28), assim
também a béncao do Papa age a distancia, por sua
intengao e vontade, E o valor destas lembrancas nao

25
€é do Papa, mas é destinado para boasobras.
Porém, uma verdadeira exploracao é 0 dizimo cobra-
do (no duro: 10%) pelos pastores das seitas, em favor
de suas familias, mesmo nao sendo eles nem sacerdotes
do Antigo nem do Novo Testamento, e nem evangeliza-
dores autorizados pelos Apéstolos e seus legitimos su-
cessores.

8. INTERPRETACAODABIBLIA
Os protestantes proclamam a plena
ual na interpretacgao da Biblia. Por
que a Igreja Catélica nao a permite?

RESPOSTA: a) O triste resultado da livre inter-


pretacao da Biblia pelos protestantes é a divisio
em milhares e milhares de seitas, contraria 4 von-
tade e oracao de Jesus na Ultima Ceia: (Jo 17,20-
21). “Nao rogo sé por eles, mas’ também por aqueles
que vao crer em mim, por meio da sua palavra, para
que todos sejam uma sé coisa, assim comotu, 6 Pai,
estés em mim e eu em ti; também eles sejam um em
nés, a fim de que o mundocreia que tu me enviaste”.
Outro lastimavel efeito nestas seitas é a negacao
de alguns sacramentos e de muitas verdades impor-
tantes, contra a expressa ordem de Cristo: (Mt 28,19-
20) “Ide, pois, ensinar todos os povos... ensinando-os a
observar tudo o que vos mandei”.
A Igreja Catodlica zelava sempre para permanecer
fiel e obediente 4 vontade de Cristo. Por isso, apesar
26
de tantos séculos, tantas ragas e linguas, guarda firme-
mente a unidade e toda doutrina e todos os sacra-
mentos recebidos de Jesus. Por isso j4 S. Paulo a cha-
mava “Coluna e fundamento da verdade: (I Tm
3,14-15). “Escrevo-te para que saibas como deves por-
tar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo,
coluna e fundamento da verdade”.
O mesmo S. Paulo, zelando pela fidelidade doutri-
nal, exorta o bispo de Creta: (Tt 1,5-9) ”... E preciso
que o bispo seja... aderindo firmemente 4 palavra
fiel... para que possa exortar segundo a sa doutrina e
refutar os que a contradizem”..
b) Algunsprotestantes argumentam em favor da li-
vre interpretacdo da Biblia com as palavras de S. Paulo
(II Tim 3,14-17): “Desde a infancia vocé conhece as
Escrituras... Toda a Escritura divinamente inspirada
é util para ensinar, para repreender, para corrigir, para
formarnajustiga, a fim de que o homem de Deusseja
perfeito, apto para toda a obra boa”. Pois bem; claro
mas a obra boa por exceléncia, recomendada por Je-
sus e igualmente por S. Paulo, repetidas vezes, é a
unido de todosos cristaos na mesma Igreja — 0 Cor-
po mistico de Cristo, na mesma fé, na mesma doutrina
e tradigao apostolica. Pelo contrario, as divisdes e sei-
tas sao a pior obra, nascida poruso leviano e lamen-
tavel abuso da Biblia.
Escutemos, ainda, as claras adverténcias biblicas da
carta de S. Pedro: (II Pd 1,20) “Sabei, porém, antes de
tudo, que toda profecia contida na Escritura nao
sera siljeita 4 interpretacao particular”. E mais para
27
frente cle escreve; (II Pd 3,16) "Nas quais (cartas de S.
Paulo) ha algumas coisas dificeis, que os indoutos e
inconstantes adulteram, como fazem também com
outras escrituras, para sua prépria perdicao” .
c) Comparagaéo com a vida social organizada.
Cada um de nds pode comprar livros medicinais, a von-
tade, e estudd-los. Mas somente os que estudaram a
medicina na universidade e foram aprovados e diplo-
mados como médicos, sao autorizados a dar consultas e
receitas, ou a fazer operagdes noshospitais. E ninguém
de ndsarriscaria submeter-se 4 operacdo do coracao,
por um “curioso” auténomo.
As mesmas regras valem na pilotagem dos avides ¢
navios. Todos podemler oslivros de engenharia e pilo-
tagem: mas somenteospilotos aprovadose diplomados
ficam autorizados a conduzi-los.
O mesmo vale na sociedade religiosa, organizada
porCristo, na sua Igreja: Todos sao convidadosa escu-
tar a voz da consciéncia e a ler e meditar as Sagradas
Escrituras. Porém em coisas mais importantes,dificeis
e duvidosas, Jesus deixou-nos os “médicos” e “pilotos”
por Ele mesmoinstruidos e autorizados para curar e
guiar as nossas almas na dificil passagem para o porto
da eternidade. Eles sao os Apéstolos e seus sucessores,
os papas e bispos catdlicos. Sé eles tém a promessa de
Cristo, de serem introduzidos pelo Espirito Santo em
toda a verdade. (Jo 16,13). Dai a garantia de Jesus:
"Quem vos ouve, a mim ouve; quem vos despreza, a
mim despreza; e quem me despreza, despreza aque-
le que me enviou”. (Le 10,16).

28
9. ABIBLIA — .
A UNICA FONTE DAFE ?
OBJEC AO:Para os protestantes a Biblia é a uni-
ca fonte da fé e da revelacao divina, enquanto os ca-
télicos reconhecem 3 fontes: A Biblia, a tradicao
apostolica e o magistério da Igreja. Quem tem ra-
za0?
RESPOSTA: A propria Biblia nao apresenta ne-
nhum indice dos Livros Sagrados, e ndo afirma em ne-
nhuma parte, ser ela a tinica fonte da fé e da Palavra de
Deus. Pelo contrario, lemos nela que por muitos sécu-
los Deus confiou oralmente a sua Palavra e Alianga
a Noé e a Abraao, que pela tradi¢ao oral passava do
pai para filhos por muitas geragdes. (Gen 4,8s e
15,18s). Também Moisés recebeu a Palavra e a
Alianga de Deus oralmente. E mesmo depois, quando
escreveu os primeiros livros da Biblia, guardados na
Arca da Alianga, o ensinamento biblico foi confiado ao
sacerdote Aarao e seusfilhos. (Lev 10,8-11)
Também Jesus nao escreveu e nao mandou escre-
ver nenhum livro, mas escolheu, ensinou e autorizou
oralmente os Apéstolos, ordenando-lhes: ”Foi-me
dado todo o poderno céu e na terra. Ide, pois, ensi-
nar todos os povos... ensinando-os a observar tudo 0
que vos mandei”. (Mt 28,18-20).
Cumprindo esta ordem, os primeiros cristaos espa-
Tharam o Evangelhoportradi¢ac oral, em todaa parte,
durante os primeitos decénios, como se pode ler nas
seguintes cartas de S. Paulo:

29
(Tt 1,5) “Deixci-te em Creta para que regules o que
falta e estabelecas presbiteros nas cidades, segundo as
prescrigdes que te dei”. (II Tm 2,1-2) “Tu, pois, meu
filho, fortifica-te na fé que esta em Jesus Cristo, e 0
que ouviste de mim diante de muitas testemunhas,
confia-o a homens fiéis, que sejam capazes de ins-
truir a outros’.
(I Ts 2,13) “Nao cessamosdar gracas a Deus, porque
ao receberdes a Palavra de Deus, que de nés ouvistes,
vés a recebestes nao como palavra humana, e sim — o
que realmente é — como Palavra de Deus’.
(IITs 2,15) "Conservai as tradigd6es que aprendes-
tes ou por nossas palavrasou por nossa carta”.
Sobre a autoridade de Pedro, reunido com os
Apéstolos e presbiteros em Jerusalém (0 Magistério),
temos um claro testemunho em At 15,6-29): "Reuni-
ram-se entao os Apostolos e presbiteros para exami-
nar a questao(da circuncisdo dos pagdos convertidos).
E depois de ter discutido longamente, Pedro ergueu-se
e disse: "... Tendo nds sabido que alguns, saindo do
meio de ndés, sem nenhuma ordem de nossa parte,
vos perturbaram com discursos que agitaram as vossas
almas, aprouve a nds, depois de nos termos reunido,
escolher alguns homense envia-los a vés... que vos
exporao as mesmas coisas de viva voz. Pareceu bem
ao Espirito Santo e a nds, de nao vos impor mais ne-
nhum outro peso...”
Esta autoridade Pedrotinha recebido de Jesus, quan-
do lhe disse, (Mt 16,18-19). "Eu te digo: tu és Pedro
e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja... a ti
30
darei as chaves do Reino dos céus, e o queligares na
terra, ficara ligado nos céus; e o que desligares na
terra,ficara desligado nos céus”. Em Jo 16,12-13 Je-
sus acrescentou a promessa: “Quando vier o Espirito
da verdade, guiar-vos-a por toda a verdade’.
Portanto: Logica ¢ cronologicamente, Jesus:
1° - Escolheu, autorizou e enviou os Apéstolos, sob
a presidéncia de Pedro, a evangelizar todos os povos,
estabelecendo assim o Magistério da Igreja.
22 - Este ensinamemo,oral ¢ pelas carlas, foi trans-
mitido pelos Apéstolos, — como Tradigéo Apostdlica,
— aos bispose presbiteros por eles escolhidos e consa-
grados: (Mt 1,5: II Tim 2,12, IPd 5,1-2).
3° - Somente depois de mais de 2 séculos, o Papa
reunido com os Bispos em Concilio, com sua autori-
dade infalivel, declarou uma parte destes escritos da
Tradi¢ao, como Canon de Livros Sagrados, ou Sagra-
da Escritura, ou Biblia: reservando-se o direito e a
obrigacao de vigiar sobre sua auténtica interpreta-
¢40, de acordo com a Tradigao Apostdlica.
Dai, quandoos Catélicos obedecem ao Magistério
da Igreja, eles tém absoluta certeza de cumprir a
Vontade de Deus; mesmo quandoestao exercendo pra-
ticas que nao estao claramente ensinadas na Biblia,
comopor ex,: a devogao ao Sagrado Coragao de Jesus,
a devogao do santo Rosario, etc., — ou quando deixam
de lado muitas prescrigdes, que por motivos especiais,
circunstanciais, obrigavam o povo deIsrael no Antigo
Testamento. .
31
Osprotestantes, porém, para os quais somentea Bi-
blia é a unica fonte da Palavra de Deus, seriam_ainda
hoje obrigddos a cumprir todas as prescricdes do
‘Antigo Testamento, comopor ex.:
Nao acender fogo (para cozinhar) em nenhuma mo-
radia, no sébado (Ex. 35,3). Nao semear diferentes es-
pécies no mesmo campo (Lev 19,19). Nao semear e
nao colher nada, nos campos ¢ na vinha, no ano sabati-
co (Ex 23,10-11 e Lev 25,3-5). Nao comer os frutos
das arvores durante os primeiros 3 anos (Lev 19,23-
25). Nao comer sangue, nem carne com sangue (Lev
17,10-14 e 19,26). Nao comer coelho, lebre, porco e os
demais animais “impuros” (Lev 11, 1- 47). Punir de
morte os blasfemadores, homicidas,adulteros, homose-
xuais, os transgressores do sdbado, os que tiverem
amaldigoado os pais, ou evocado osespiritos, etc (Ex
35,1-3 e Lev 20,9-27; 24,10-23).
Quala seita que esta observandotodas estas e outras
prescricgdes do Antigo Testamento? E com queautorida-
de podem se desculpar desta nao-observancia?

10. BIBLIA — E SEITAS


PERGUNTA: A Biblia aprova as seitas, ou as
condena?
RESPOSTA: Condena! Ja no Antigo Testamento
(Num 14,1-38) lemos como Moisés tinha enviado 12
principes (um de cada tribo) para explorar a Terra Pro-
metida. Dez deles, porém, depois de terem voltado,ti-
nham feito murmurar todo o povo contra Moisés e
32
Aarao, dizendo: Escolhamos um (outro) chefe e volte-
mos para o Egito. Por. castigo, os dez exploradores
revoltados morreram feridos por uma praga, diante
do Senhor, e todos os adultos Israelitas, (acima de 20
anos), "deixaram seus cadaveres apodrecer no de-
serto”. Somente os dois exploradores fiéis a Moisés,
Josué e Caleb, entraram na Terra Prometida. +
Semelhante castigo infligiu Deus a Coré, Datan e
Abirao e seus 250 sectarios, revoltados contra a au-
toridade de Moisés e Aarao. Os trés foram engolidos
pela terra, que se abriu na vista de todos, ¢ os demais
foram devorados pelo fogo caido do céu (Num 16,1-
35).
Para o povo da Nova Alianga previu Deus 0 mes-
moregime de um s6 governo,pela profecia de Daniel
(Dan 2,44): "No tempo dessesreis (do império Roma-
no), o Deus do céu suscitard um reine que jamais sera
destruido... e subsistira para sempre”. Trata-se da Igre-
ja Catélica, confiada por Jesus a Pedro, e governada
até hoje por seus sucessores, os Papas.
Em todosos livros Sagrados nao encontraremos uma
s6 frase favoravel a divisdo deste "Reino dos Céus”, da
“Minha Igreja” (de Cristo), em seitas autonomas! Pelo
contrario, lemos no Evangelho de Jo 11,51-52 0 ordcu-
lo divino: “Jesus devia morrer pela nagado, mas tam-
bém para que fossem reconduzidos 4 unidade osfi-
Ihos de Deus dispersos”. Lamentavelmente,as seitas
promovem o contrdrio: a dispersao!
Vejamos ainda outras passagens biblicas do Novo
Testamento sobre as seitas:
33
(At 20,28-31): Adverténcia na despedida de S. Pau-
lo: “Cuidai de vés mesmos € de todo o rebanho, sobre
© qual o Espirito Santo vos constituiu bispos, para
pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o
seu proprio sangue. Sei que depois de minhapartida se
introduzirao entre yés lobos cruéis, que nio pouparao
o rebanho. Mesmo dentre vés surgirao homens que hao
de proferir doutrinas perversas, com o intento de ar-
rebatarem apéssi os discipulos. Porisso, vigiai!”
(I Pd 2,1s): “Assim como houve entre o povo (de
Israel) falsos profetas, assim havera entre vés falsos
doutores, que introduzirao disfarcadamente seitas
perniciosas. Eles, renegando assim 0 Senhor que os
resgatou, atrairéo sobre si uma ruina repentina. Muitos
os seguirao nas suas desordense serao deste modo a
causa de o caminho da verdade ser caluniado. Movidos
por.cobiga, eles vos hao de explorar por palavras
cheias de asticia...”
(Gal 1,7-9): "De fato, nao ha dois (Evangelhos): ha
apenas pessoas que semeiam a confusdo entre vés e
querem perturbar o Evangelho de Cristo. Mas, ainda
que alguém, — nds ou um anjo baixado do céu, — vos
anunciasse um evangelho diferente do que vos temos
anunciado, que ele seja anatema”. (maldito).

(Rom 16,17-18): “Rogo-vos, irmaos, que descon-


fieis daqueles que causam divisées e escéndalos,
apartando-se da doutrina que recebestes. Evitai-os!
Esses tais nado servem a Cristo nosso Senhor, mas ao
proprio ventre. E com palayras adocicadas e linguagem
lisongeira enganam oscoracoessimples”.
34
(Tt 3,10-11): “O homem que assim fomenta divi-
sdes, depois de advertido uma primeira e uma segunda
yez, evita-o, visto que esse tal € um perverso que, per-
severando no seu pecado, se condena a si proprio”.
(I Tim 4,3-6): “Vira tempo em que os homens ja
nado suportarao a sa doutrina da salva¢gao. Levados
pelas proprias paixdes e pelo prurido de escutar novida-
des, ajuntardo mestres para si. Apartarao os ouvidos
da verdade e se atirarao as fabulas. Tu, porém,
(comolegitimo bispo da Igreja, por mim ordenado), sé
prudente em tudo, paciente nos sofrimentos, cumpre a
missao do pregador do Evangelho, consagra-te ao teu
ministério”.
Tamanha clareza biblica dispensa comentarios!
Observacio: Apesar de tio clara condenagaode sei-
tas, pela Biblia, a Igreja Catdlica ensina que também os
protestantes, mugulmanos e até pagaos (sobretudo
nascidosnestas religiées) podem sesalvar se, seguindo
areta consciéncia, procuram conhecer o Deus verdadei-
ro e se esforgam em cumprir a Sua Vontade e Lhe agra-
dar,
Poroutro lado ha muitos catélicos, que se gabam de
seu batismoe casamento na Igreja, mas vivem afastados
da pratica dos Mandamentos e dos Sacramentos. Estes
vivemn em gravissimo perigo de se perderem eternamente!

35
11. PECADORES
NA IGREJA CATOLICA
ACUSACAO:NaIgreja Catélica ha tantos peca-
dores: assassinos, ladroes, viciados, etc., por isso ela
nao podeser a verdadeira Igreja de Cristo?
RESPOSTA:A Igreja Catélica é a legitima her-
deira do Povo de Deus do Antigo Testamento; é 0
povo da Nova e Eterna Alianga. Ora, a Biblia teste-
munha como Deus castigava severamente, até com a
morte, os pecados do povodeIsrael, mas nao expulsou
a ninguém! Afirmava: "Nao quero a morte do peca-
dor, mas que se converta e viva” (Ez 33,11).
Por isso também a Igreja Catdlica pune varios peca-
dores até com a excomunhio (pelo aborto); a outros,
amasiados negao direito ao enterro eclesidstico, ou a
serem padrinhos de batismoe crisma, etc., mas nao os
expulsa, (como fazem muitas seitas), rezando poreles
e convidando-os a conversao.
Nos Evangelhos Jesus compara sua Igreja (0 Reino
dos Céus) ao campo, cujo dono permite crescer 0 joio
junto com o trigo, e somente no tempoda colheita or-
denard aos ceifeiros: “Apanhaiprimciro 0 joio c atai-o
em feixes para ser queimado; mas 0 trigo recolhei-o no
meu celeiro” (Mt 13,24-30).
O mesmo se da na pardbola da rede com bons e
maus peixes (Mt 13,47-50): ”... Assim acontecera no
fim do mundo: Virao os anjos e separarao os maus
do meio dos justos, ¢ os lancarao na fornalha do fogo.
Ali haverd choro e ranger dé dentes”.

36
O prdéprio Jesus aceitou na sua Igreja (companhia
dos Apéstolos) um pecador, o publicano Mateus, ¢ fez
dele um santo Apéstolo. E aosfariseus, escandalizados
com semelhanteatitude, Jesus respondeu: “Nao preci-
sam de médico os que tém boasatide, mas os doentes...
Eu nao vim chamar os justos, mas os pecadores”
(Mt 9,9-13),
Alguns “crentes” costumam aplicar a Igreja Catélica
a comparacao de Jesus sobre a ma arvore, reconhe-
cida pelos mausfrutos. Esta crrado! Pois lendo esta
compara¢4éo com atengao, verificamos que Jesus fala
nela somente de pessoas particulares: Em Lucas 6,43-
45 Jesus termina esta comparacdo, concluindo: “O bom
homem tira do bom tesouro do seu coracao coisas
boas, e o mau homemtira do mautesouro coisas mas.
Porque da abundancia do coragao fala a boca”. E em
Mateus 7,15-20 Jesus nos acautela diante dos falsos
profetas que vém em pele de ovelha, mas por dentro
sdo lobos devoradores, aos quais nds devemos reco-
nhecerpelos seus frutos. Ora, em Jo 1,12-16 Jesus de-
nuncia os maus frutos destes lobos, que consistem
em: “arrebatar e dispersar as ovelhas”, que Ele,
como o Bom Pastor, deseja reunir e guardar "num so
rebanho sob um sé pastor”.
Para historiadores honestos, a existéncia continua
da Igreja Catélica durante os 20 séculos, — apesar
de tantos pecadores, heréticos e perseguidores, — é
a mais evidente prova de sua origem divina, ¢ da efi-
cacia da promessa do seu Fundador, Jesus Cristo: "Tu
és Pedro e sobre esta pedraedificarei-a minha Igre-
ja, e as portas do inferno nao poderao vencé-la” (Mt

37
16,18), e: "Eu estarei convosco todos os dias até o
fim do mundo” (Mt 28,20).

12. A VIRGINDADE DE MARIA


OBJECAO: Oscatélicos ensinam que Maria
cou sempre virgem. Porém, em varios lugares da Bi-
blia (por ex. Mc 3,31-32) lemos de irmaos de Jesus.
Portanto Maria devia ter outros filhos, além de Je-
sus!
RESPOSTA:Na linguagem biblica, "irmao” é
freqiientemente usado em lugar de primo, sobrinho,
tio, parente. Por ex. em Gen 13,8 Abraao diz a Lo:
"Somos irmaos,” — enquanto de Gen 11,27-31 consta
claramente que Lo era filho de Aran — irmao de
Abrado, portanto seu sobrinho.
Também Labao, em Gen 29,15 fala a Jaco: "Por se-
res meu irmao, servir-me-ds de: graca?” — Mas em
Gen 27,43 e 29,10-11 — Labaoé declarado irmao de
Rebeca, mie de Jacé, e tio dele.
b) Osevangelistas Mateus e Marcos, (em Mt 13,55
e Mc6,3) enumeram como "irmaos de Jesus”: Tiago,
José, Judas Simao: Porém, na cena da crucificagéo de
Jesus, Joao Evangelista coloca debaixo da cruz: “Sua
Mae, a irma de sua Mae, Maria, mulher de Cléofas,
e Maria Madalena”. Enquanto Marcos acrescenta, que
esta outra Maria (irma da Mae de Jesus) era mae de
Tiago, o Menor, e de José. Estes ultimos eram portan-
to sobrinhos de Maria Santissima, e primos de Jesus
(Jo 19,25 e Mc 15,40). Ora, Judas (Tadeu) Apéstolo,

38
declara-se, no inicio de sua carta apostdlica (Jd 1,1)
“Judas, servo de Jesus Cristo, e irmao de Tiago”. O
mesmo se da com Simao Apéstolo.
c) Alguns “crentes” teimam tirar uma conclusao (er-
tada!) de que Maria — depois da concepgaovirginal do
Salvador — tinha relagGes e outros filhos com José,
dos trés seguintes textos biblicos:
1° Mt 1,18: “Maria, sua Mae, estava desposada com
José. Antes de coabitarem, ela concebeu por virtude
do Espirito Santo”. RESPOSTA: “Antes de coabita-
tem”significa apenas: ” Antes de morarem juntos na
mesma casa”. Isso aconteceu, quando “José fez como
0 anjo do Senhorlhe havia mandado e recebeu em sua
casa sua esposa (Maria)” (Mt 1,24).
22 Le 2,7: “Maria deu4 luz o seu filho primogéni-
to”. EXPLICACAO: E errado concluir, que devia se-
guir o segundo ou mais filhos. A lei mosaica exige:
”Consagrar-me-as todo 0 primogénito (primeiro ge-
rado) entre os israelitas, tanto homem comoanimal: ele
é meu.”(Ex 13,2). - Também, quando 0 primogénito era
filho unico. Um exemplo: No Egito foi encontrada uma
inscrigéo judaica: “Arisoné entre as dores do parto
morreu, ao dar a luz seu filho primogénito.”
3* Mt 1,25; (So em algumastradugdes) “José nao
conheceu Maria (= nao teve relagdes com ela) até que
ela desse a luz um filho (Jesus)”. EXPLICACAO: Se-
tia errado insinuar, que depois daquele “até” José devia
“conhecer” Maria. “Até” na linguagem biblica refere-se
apenas ao passado. Exemplo: “Micol, ‘filha de Saul,
naoteve filhos até ao dia de sua morte” (I1Sm 6,23).
39
d) Comofidelissimo observador da Lei de Moisés,
Jesus nao podia, na hora de sua morte na cruz, con-
fiar sua Mae a Joao Apéstolo (Jo 19,26), mas devia a
té-la confiadoao filho mais idoso dela, se ela de fato
os tivesse.
e) Por isso, o Simbolo dos Apéstolos, que é mais
antigo do que o Canon dos Livros Sagrados, reza:
"Nasceu da Virgem Maria”. = no sentido de Sto.
Agostinho: “Virgem concebeu, Virgem deu a luz, Vir-
gem permaneceu”.
Conseqiientemente, os "irmaos” (primos, paren-
tes) de Jesus, tao freqiientemente mencionados noses-
critos do Novo Testamento, nunca sao chamadosfi-
Ihos de Maria, nem filhos de José, confirmandoa tra-
digao apostdlica.
f) Até os Muculmanos, nosseus livros sagrados, ve-
neram a Mae de Jesus como Virgem.
Portanto, a acusacéo contra a virgindade de Maria,
Mie de Jesus, demonstra apenas a ignorancia ou mali-
cia dos acusadores.

13. VENERACAO DE MARIA E


. DOS SANTOS
ACUSACAO: Esta veneracao e intercessao ¢
contraria ao ensinamento da Biblia que diz: (Lc 4,8)
" Adoraras o Senhor teu Deus e sé a Ele serviras”.
— e em (ITm 2,5) "Ha um so Mediador entre Deus
e os homens, Jesus Cristo, Homem”.
RESPOSTA: a) Os catdlicos distinguem clara-
40
mente entre culto de adoragao, que devemos somen-
te a Deus, nosso Criador e Redentor; ¢ veneracao, —
que implica apenas: respeito, admira¢gado, imitacao,
amor, etc., como se costuma demostraraospais virtuo-
sos, ouaos herdis da patria ou da Igreja, erguendo em
honra deles monumentos, e dando seus nomes a cida-
des, montanhas, pracas, ruas, etc. Nada mais humano e
também biblico!
Até o proprio Deus venera os nomes dos santos pa-
triarcas, permitindo na Biblia ser denominado “o Deus
de Abraao, de Isaac ¢ de Jaco” (Ex 3,6).
Foi Deus que enviou o anjo Gabriel para saudar a
Virgem Maria: "Ave, cheia de graca!” (Le 1,28) e co-
locou na boca deIsabel as palavras inspiradas: "Bendi-
ta sois vés entre as mulheres” (Le 1,42).
Igualmente Maria profere as palavras inspiradas pelo
Espirito Santo: "Doravante todas as geragées me
chamarao bem- aventurada,...” (Le 1,48).
Portanto, cumprindo estas profecias biblicas e repe-
tindo com respeito e amor na oragdo de “Ave Maria”, a
saudagao de Gabriel e de Isabel, os catdlicos cumprem
melhor as indicagdes da Biblia do que os protestantes,
que ignoram tudo isso, e pretendem rezar somente a
Deus.
b) Intercessao. A propria Biblia aplica o titulo de
“mediador” também a Moisés (Dt 5,5 ): “Eu fui naque-
le tempo intérprete e mediador entre o Senhor e vos".
E S. Paulo, na mesmacarta em que declara Jesus como
unico mediador entre Deus e homens, indica também
mediadores "secundarios” (Tm 2,1-5): “Recomenda
4
que se fagam preces, oragées,stiplicas ¢ agGes de gra-
gas por todos os homens...” Pois, fazer oragdes por ou-
tros, é de fato, ser intercessor e mediador entre Deus e
Os outros.
c) Alguns “crentes” admitem que os vivos podem in-
terceder em favor dos outros. Negam, porém,esta pos-
sibilidade aos falecidos, mesmo 4 Virgem Maria e aos
Santos. Eis, o que lhes respondea Biblia:
Em II Mac 15,12-15 lemos: “Parecia-lhe (a Judas
Macabeu) que Onias, sumosacerdote (ja falecido!)...
orava de maos estendidas por todo o povo judaico...
Onias apontandopara ele, disse: "Este é amigo de seus
irmaos e do povo de Israel; ¢ Jeremias (falecido!),
profeta de Deus, que ora muito pelo povo e por toda
a cidade santa’.
Se, pois, Moisés e Timéteo em vida, e Onias e Jere-
mias depois da morte, como ainda muitas outras pes-
soas na Biblia, rezam a Deus e sio mediadores entre
Ele e 0 povo, quem podera proibir esta intercessao a V.
Maria e aos Santos? Por isso, desde os primeiros sécu-
los, os fiéis cristaos rezavam: "Santa Maria, Mae de
Deus, rogai por nds pecadores, agora e na hora da nos-
sa morte”.
Portanto, as palavras de S. Paulo: “Ha um sé media-
dor entre Deus e homens, Jesus Cristo, Homem”, a tra-
digao apostélica as entendia desta maneira: Jesus Cris-
to é o unico Mediador (primeiro) que nos mereceu
todas as gracas e a salvacao eterna, pela sua vida,
morte e ressurreigao. S6 ele pode nos dar dos seus mé-
ritos, sem recorrer a nenhum outro mediador. Enquanto

42
a V. Maria e os Santos intercedem por nés pecadores,
como mediadores secundarios, por meio de Jesus,
recorrendo a seus méritos e sua mediacao. Por isso,
cada oragdo litirgica termina: "Por nosso Senhor
Jesus Cristo...” Esta verdade herdamos dos primeiros
cristaos. Antes de serem escritos os Evangelhos, eles
aprenderam no "Simbolo Apostélico” (ou Credo dos
Apostolos) "Creio na Comunhao dos Santos”. Seja-
mosgratos a Deus por tao bela verdade, por Ele a nés
revelada!

14, PURGATORIO
OBJEC AO:Os catélicos acreditam na existéncia
do purgatorio, mas a biblia nao fala dele!
RESPOSTA:E verdade que na Biblia nao se en-
contra a palavra “purgatorio”, como também nfo acha-
mos nela as palavras de “sacramento da Confissao", da
"Eucaristia” e do “Crisma”. No entanto a Biblia descre-
ve situag6es, estados ou lugares quese identificam com
a idéia de purgatério.
Em II Mac 12, 43-46 lemos: "Judas, tendo feito
uma coleta, mandou duas mil dracmas de prata a Jeru-
salém, para se oferecer um sacrificio pelo pecado.
Obra bela e santa, inspitada pela crenga na ressurrei-
go... Santo e salutar pensamento de orar pelos mor-
tos. Eis porque ele ofereceu um sacrificio expiatorio
pelos defuntos, para que fossem livres de seus peca-
dos.” — Ora, ser livre de seus pecados, depois da mor-
te, pelo sacrificio expiatorio, indica claramente a exis-

43
téncia do purgatorie.
Alguns biblistas percebem a confirmagao do purga-
tério nas palavras de Jesus em Mt 5, 25-26: “Pée-te
depressa de acordo com teu adversdrio, enquanto es-
tas ainda em caminho (da vida) com ele; a fim de que
teu adversdrio nao te entregue ao juiz, e o juiz ao guar-
da, e sejas metido na prisao. Em verdade te digo: Nao
sairas de la, enquanto nao pagaresaté o ultimo cen-
tavo”. E claro, que Jesus fala do justo juizo divino,
depois da morte. Ora, sair desta prisao depois da
morte, depois de ter pago o ultimo centavo,(seja pelo
sofrimento préprio, seja pelas oragdes e expiacdes dos
vivos) pode acontecer sé no purgatério.
Outra alusao a existéncia do purgatério encontramos
em I Cor 3, 12-15: "... Aquele, cuja obra (de ouro, pra-
ta, pedras preciosas) sobre o alicerce resistir, esse rece-
berd a sua paga, aquele, pelo contrario, cuja obra, (de
madeira, feno, ou palha), for queimada, esse ha de so-
frer o prejuizo; ele proprio, porém, poderasalvar-se,
mas como que através do fogo.” Também aquia Tra-
digaéo Apostélica entendia fogo do purgatdrio.
Entre outras testemunhas cristas dosprimeiros séculos,
escreve Tertuliano: "A esposa roga pela alma de seu
esposo e pede para ele refrigério, e que volte a reunir-se
com ele na ressurrei¢ao; oferece sufragios todos os dias
aniversdrios de sua morte.” (De Monogamia, 10)

44
15. SANTIFICACAO DO
SABADO OU DOMINGO?
OBJEGAO: A Biblia ordena (Ex 20, 8s): "Lem-
bra-te de santificar o dia de Sdbado". Por que, en-
tao, os catdlicos guardam o Domingo?
RESPOSTA:Em Mc2, 27-28 afirma Jesus: "O s4-
bado foi feito para o homem e nao o homem para o
sdbado.Porisso o Filho do Homem é Senhor também
do sabado." Sendo, pois, Senhor do sdbado, Jesus
transferiu a santificagio deste dia para Domingo, o
dia da sua Ressurreigao e da vinda do Espirito Santo a
Igreja da Nova e Eterna Aliancga, como 0 atesta toda a
tradigao crista. (Me 16, 9 e At 2, 1)
Provas indiretas da santificagao do Domingo jé no
tempo dos Apéstolos achamo-las em At 20, 7: "No
primeiro dia da semana (domingo), estando ndsreu-
nidos para a frag&o do pao (santa missa), Paulo fala-
va..."
Em Cor16, 2: "No primeiro dia da semana,cada
um de vés ponhade parte..."
No ultimo livro da Biblia, no Ap 1, 10 Sado Joao
Evangelista j4 usa a nova denominagaocrista, "Domin-
go'' — "Dia do Senhor", em lugar do judaico "primei-
ro dia da semana", ou do romano "dia do sol", — teste-
munhando de que ja naquela épocaoscristdos celebra-
vam este dia, chamando-o de "Dia do Senhor —
Ressuscitado".
Quase todos os biblistas est&éo de acordo com os

45
cientistas, de que os sete dias biblicos da criag4o, nao
eram 7 dias de 24 horas, mas 7 dias, épocas, de milha-
res de anos. E nao existe povo ou cultura, que possa
historicamente provar, qual dia da nossa semana era o
1° dia. O "Sdbado” biblico, na lingua hebraica,esta re-
lacionado com “descanso” e com "sétimo” dia. Dai a
intengéo do Autor da Biblia era: ordenar 4 humanidade
que trabalhasse durante seis dias e descansasse noséti-
mo, dedicando-o em sua honra. Por isso a Igreja Caté-
lica respeita os mugulmanos que celebram “o sétimo
dia do descanso” na nossa Sexta-feira; como também
os judeus que o celebram no sdbado. Enquantoos cris-
taéos, desde primeiro século, escolheram para o dia do
descanso, o dia histérico de domingo, o dia da nova
criagdo em honra do “novo Adio, Ressuscitado” — Je-
sus Cristo.

16. PAGAMENTOPELOS BATI-


ZADOS E CASAMENTOS.
OBJECAO: Porque os padres catélicos cobram
pelos batizados, casamentos e Missas, quando lemos
naBiblia, (Mt 10, 8), “Dai de graca o que de graca
recebestes”?
RESPOSTA: Neste trecho de Sdo Mateus, Jesus or-
dena: “Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai
os leprosos, expulsai os deménios. Dai de graca o que
de graga recebestes”.
Aqui trata-se, portanto, de curas. E so exatamente
alguns pastores protestantes, que fazem propaganda

46
tuidosa de suas “curas milagrosas”, ficando com este
negécio, ricos, com fazendas e apartamentos! Quando
os padres catdlicos fazem exorcismos, béngaos e orag6-
es pelos doentes, acompanhadas as vezes de gracas ex-
traordinarias, mas o fazem — sempre de graga!
Em muitas pardquias, onde foi introduzido o dizi-
mo, Os padres nao cobram mais por ocasiao de batiza-
do, casamento ou missa de 72 dia. Mas em muitos ou-
tros lugares as taxas constituem principal sustento do
padre e daigreja. E isto nado é contrario a Biblia que
diz: ”O que é catequizado napalavra, reparta de to-
dos os bens com o que catequiza” (Gal6, 6).
I Cor 9, 13-14: “Nao sabeis que os os que trabalham
no santudrio, comem o que é do santudrio; que o$ que
servem o altar, tém parte do altar? Assim ordenou tam-
bém o Senhor, aos que pregam o Evangelho que vivam
do Evangelho”. Haoutros trechos semelhantes.

17. VALOR DOS MILAGRES.


OBJEC AO: Qscatélices acreditam que os mila-
gres acontecem em Lourdes, Fatima,etc., e aprova-
dos pelas Comissées Internacionais de médicos e
tedlogos, testemunham a veracidade da Igreja Caté-
lica. Os "crentes” nao lhes dav importancia.
RESPOSTA: Na Biblia, desde a vocacao de Moi-
sés, o milagre era tido pelos homens retos, comosinal
da presenga de Deus, da aprovagao divina duma pessoa
e da missao profética a ela confiada. Somente os orgu-
Thosos e perversos nao reconheciam este sinal de Deus.
47
Dai a Biblia louvar os que aceitavam e se alegravam
com os milagres, e reprovar os endurecidos que nao os
aceitavam. Vejamos alguns exemplos da correta e in-
correta atitude dos homens em face de milagres.
Em Ex4, 1-9 lemos, como Deus concedeu a Moisés
ostentar 3 milagres diante do povo e do Faraé, como
prova de ser ele enviado por Deus.
Atitude correta: Ex 4; 31: "O povo acreditou. E ao
ouvirem que Javé visitava os filhos de Israel,... inclina-
ram-se e o adoraram."
Atitude incorreta: Ex 7, 13: "O coracgéo do faraé
continuou endurecido, e nao hes deu atencio; como
Javé tinha predito." (— e continuou endurecido apesar
das 10 pragas com as quais foi castigado.)
I Reis 17 e 18: O profeta Elias ressuscita o filho da
vitiva; e faz que o fogo do céu devore o seusacrificio,
junto com altar.
Atitude correta (da vitva): "Agora reconheco que
és um homem de Deuse que a palavra de Javé € verda-
deira em tua boca."
"Todo 0 povo,ao veristo,, prostrou-se com 0 rosto
naterra, exclamando: — E Javé que é Deus! E Javé que
é Deus!" (e agarraram os 450 falsos profetas, e Elias os
matou; ent&o cessou o flagelo da seca e veio a chuva.)
Atitude incorreta: I Reis 19, 2: "Jezabel enviou um
mensageiro a Elias, para dizer-Ihe: "Que os deuses me
fagam tal coisa e pior, se amanh, nesta hora, eu nio
fizer com tua vida, o que fizeste com a deles,"
Nos EvangelhosJesus cura cegos, leprosos, paraliti-
cos € ressuscita mortos.
48
Atitude correta (Jo 3, 2): Nicodemos Lhe disse:
“Rabi, bem sabemos que és um mestre enviado por
Deus, pois, ninguém seria capaz de fazer os milagres
que tu fazes, se Deus nio estivesse com ele."
Le 7, 16: Depois da ressurreigaéo do jovem de Naim:
"Cheios de temor louvavam a Deus com estas palavras:
“Um grande profeta surgiu entre nés e Deus visitou
© seu povo."
Jo 30, 33: O cego curado respondeu: "Isto é espan-
toso! Ele me abriu os olhos e vés nao sabeis donde ele
vem! Sabemos que Deus nfo escuta os pecadores. Mas
Deus escuta a quem o serve com piedade e cumpre a
sua vontade... Se este homem (Jesus) nfo fosse de
Deus, nada poderia fazer!"
Atitude incorreta: Jo 9, 28 e 24: "Entao os fariseus
comegaram a insultar 0 cego curado, dizendo: "Sejas tu
discipulo dele! Nés somosdiscipulos de Moisés. Sabe-
mos(da Biblia) que Deus falou a Moisés. Quantoa Je-
sus, nfio sabemos de onde vem... Tu nasceste no pecado
e pretendes ensinar a nds? E o expulsaram."
Jo 11, 47-53: "Os sacerdotes-chefes e os fariseus
reuriram o Conselho e discutiram: "Que faremos? Este
Jesus esta fazendo muitos milagre A partir desse dia
resolveram matd-lo."
Mc3, 22: (Depois que Jesustinha feito muitas curas
e expulsadodeménios, diziam:) "Ele esta possesso de
Beelzebul. E pelo chefe dos deménios que ele expulsa
os demGnios."
Na Igreja primitiva, Pedro e Paulo fizeram alguns
milagres em nome de Jesus Cristo, — como narram os
Atos dos Apéstolos. (At 3, 6-10; 5, 12-16; 9, 33-34; 9,
49
40; 20, 7-12; 28, 3-6 etc.).
No nosso século XX a Igreja Catélica manda com
todo o rigor cientifico examinar os milagresaconteci-
dos em Lourdes e Fatima, pelas equipes de qualifica-
dos especialistas interconfessionais. Em Lourdes, por
exemplo, de 1.200 curas milagrosas, reconhecidas
como inexplicaveis por estas equipes médicas, a Co-
missio teolégica dos bispos aprovou apenas 65 como
milagrosas. Tal é 0 rigor exigido pela Igreja!
Um dos poucos milagres permanentes, confirma-
dos cientificamente, pode ser observado cada dia na
Igreja de Lanciano na Italia, — onde noséculo VII,
durante a Consagragao, na Missa dum padre Basiliano,
© pao e vinho consagrados, mudaram-se visivelmente
em Corpo e Sangue (de Jesus). Colocados num belo re-
licario, guardam-se frescos, sem se estragar, até hoje.
Em 1970, o cientista Prof. Dr. Linoli, com licenga do
Arcebispo de Lanciano, tirou pequenos fragmentos do
relicdrio, para fazer andlise cientifica em seu laboraté-
rio. Apés trés meses sintetizou-a assim: "A Carne pro-
vém do tecido fresco do coragao humano (miocardio),
do grupo sanguineo AB. O Sangue é do mesmo grupo
AB, apresentandosais e proteinas de sanguetirado, ha
uma hora, duma pessoa viva.
Em 1973 umaequipe de peritos de 7 nagdes, da Orga-
nizacao Mundial de Satde, depois de 15 meses de pesqui-
sas, confirmou o Milagre Eucaristico de Lanciano, como
"um Caso Unico" cientificamente inexplicavel.
NOTA:O grupo sangiiinio AB é muito raro na so-
ciedade em geral; mas 95 por cento dos judeus perten-
cem a este grupo.
50
18. FALSOS MILAGRES?
OBJECAO: Alguns "crentes” afirmam que em
Me 13, 21-22 Jesus tinha predito falsos milagres,
para seduzir os eleitos. Nao é isso que acontece na
Igreja Catélica?
RESPOSTA: Nao! Examinemos atenciosamente
esta profecia de Jesus, quase igual em Me 13, 21-22 e
em Mt 24, 23-25: "Entio, se vos disserem, “Vede! O
Messias estd aqui! ou, estd ali!, nao acrediteis nisso.
Porque surgirao falsos messias e falsos profetas, que
farao grandes prodigios e portentos, capazes de en-
ganaros préprioseleitos, se for possivel. Vede que eu
ja vos preveni.” Sao Paulo, predizendo os mesmos
eventos, em II Ts 2, 9-10 acrescenta que também os
milagres serao falsos. “Aquele impio (anticristo) cuja
vinda, gracas a influéncia de satands, serd acompanha-
da de toda a espécie de portentos, de prodigios e de
prestigios mentirosos, e de toda a espécie de seducoes
iniquas, para aqueles que hao de se perder, por nao te-
rem acolhido o amor da verdade, que os teria salvo.”
Disso podemostirar as seguintes conclusées légicas:
18. Aqui nao se trata de verdadeiros milagres,
com os quais Jesus prometeu acompanhar os Apéstolos
e seus verdadeiros seguidores (Mc 16, 17-20), mas de
milagres mentirosos, com cs quais satands ajudard os
falsos profetas a seduzir aqueles que nao acolheram o
amor da verdade, para seguir os falsos messias, antes
da destruicao de Jerusalém, e antes do fim do mundo.
Defato, 40 anos depois da Ascensao de Jesus vieram

51
estes falsos messias e profetas e seduziram os judeus a
rebelar-se contra a dominagao romana. Aslegides ro-
manas esmagaram o levante e destruiram Jerusalém, de
modo que nao sobrou “pedra sobre pedra”, como Jesus
tinha predito. Porém, os judeus convertidos ao cristia-
nismo, foram prevenidos pelos Apdstolos, e fugiram
para as montanhas, escapandodesta chacina.
2°. Ninguém desconhece, quantas vezes os “Teste-
munhas de Jehova” e outros sectdrios, tinham predito a
volta de Jesus para o fim do mundo, — e se desmasca-
raram comofalsos profetas dos falsos messias! E qual
a seita — entre as mais de 30.000 seitas cristis, que
tem garantia de ser a unica “dos eleitos", que nao serao
enganados? Nao serao, antes, os humildes fiéis, obe-
dientes aos Apdstolos e seus legitimos sucessores, na
Igreja Catdlica, comofoi no tempo da destruigao de Je-
rusalém?
3°, Enquanto os "predigios e portentos dos falsos
messias e profetas” serao destinados para seduzir os
eleitos, de os seguix, — as curas benfazejas e os outros
milagres dos Apdstolos e dos Santos da Igreja Catdlica
tém a aprovagao de Jesus que disse: (Mt 6, 15-20)
“Acautelai-vos dos falsos prefetas... por seus frutos os
reconhecereis... Nao pode arvore boa dar frutos maus,
nem arvore ma dar frutos bons.” Por isso a Igreja Ca-
télica costuma promulgar os verdadeiros milagres
somente depois de muitos anos, quando foram com-
provadospelos bonsfrutos: de conversdo dos ateus e
pecadores, de peniténcia, de vida pura, virtuosa, dedi-
cada a caridade,etc.

52
Quem apesar disso teima em atribuir os verdadeiros
milagres, rigorosamente comprovados e com bonsfru-
tos, ao poder de satands, estd imitando os doutores da
Lei, que atribuiram os milagres de Jesus ao poder de
Beelzebul, e aos quais Jesus respondeu que "esta blas-
fémia contra o Espirito Santo nunca tera perdio,
mas sera réu de um pecado eterno.” (Mc 3, 28-30)

19. O DOM DASLINGUAS.


PERGUNTA: Nas reunides dos "crentes”, sobre-
tudo Pentecostais, manifesta-se freqiientemente o
dom daslinguas, considerado por eles como presen-
¢a do Espirito Santo e confirmacao de veracidade da
seita. O que diz a Biblia?
RESPOSTA: 1) E verdade que a manifestacao das
linguas e de outros carismas, é na Biblia chamado sim-
plesmente: "descida do Espirito Santo”. (At 2, 4-6; 8,
15-19; 10, 44-48). Porém, nestes acontecimentos trata-
va-se sempre de comunidades unidas e obedientes
aos Apéstolos. E aqucles que receberam os dons cx-
traordindrios’ do Espirito Santo, aceitaram também os
sacramentos iniciais, de batismo e crisma (“impondo-
thes as méos”).
2) Em I Cor cap. 12, Sao Paulo fala de diferentes
dons, ministérios, operagdes, dispensados pelo mesmo
Deus: acrescentando: ” para que redundem emvanta-
gem comum”, Em seguida Sao Paulo revela o belo
mistério do Corpo mistico de Cristo, cgmpostode di-
ferentes membros, que solidamente compartilham os
sofrimentos e alegrias, e colaboram para o bem do cor-
53
po inteiro. Neste Corpo de Cristo — a sua Igreja —
Sao Paulo apresenta também uma hierarquia de valo-
res (vers. 28): ”primeiro apéstolos, segundo profetas,
terceiro doutores, depois os que possuem o dom de mi-
lagres, ... (e no fim) o dom de falar diversas linguas."

Conclusées:
a) Tudo 0 quefoi dito acima, pela Palavra de Deus,
verifica-se perfeitamente na maioria dos grupos de re-
movacao carismatica catélica. — unidos e obedientes
aos legitimos sucessores dos Apéstolos,
b) Logicamente é impossivel admitir que também os
“carismaticos” de milhares de seitas protestantes, —
que se separaram, e freqiiéntemente odeiam ¢ comba-
tem o verdadeiro Corpo mistico de Cristo, a Igreja Ca-
tolica Apostdlica Romana, — possam ser inspirados
pelo mesmo Espirito Santo, prometido por Jesus aos
Apéstolos e seus sucessores, (Jo 16, 13). O Espirito
Santo nao pode ser dividido e combater a si mesmo!
Por isso, “as inspiragdes proféticas c o dom das lin-
guas” nas varias seitas, vém provavelmente por meios
parapsicolégicos, como acontece também nas sessdes
espiritas.
c) Admite-se ainda a possibilidade, de que o Espirito
Santo poderia também em varias seitas inspirar alguns
carismaticos bem intencionados, que na sua ignorancia
desconhecem a Biblia ¢ nao se dio conta do grande mal
da divisio e separagdo do unico Corpo mistico de Cris-
to. Nestes casos as inspiragdes do Espirito Santo teriam
a finalidade de resguardar também nestas comunidades
54
alguns auténticos valores do Evangelho, e as preparar
para a reuniao com a unica Igreja de Cristo.
d) Porém, todos os carismaticos tém obrigagao_ de
respeitar as regras expostas por Sao Paulo ¢¢ in:
dos pelo Espirito Santo) em I Cor 14, 19 e 27-2
assembléia eu prefiro dizer cinco palavras com
teligéncia, a fim de poder instruir também osoutros,
do que dez mil palavras em virtude do dom das lin-
guas”; e a outra regra: "...se nao houver quem possa
interpretar (a lingua desconhecida), guardem silén-
cio na assembléia, falando somente consigo e com
Deus.”

20. ALCOOLATRAS
E FUMANTES.
PERGUNTA: Por que os alcodlatras e fumantes
catdlicos, passando para a Igreja dos "crentes”,
abandonam o vicio? Nao é isso prova de maior for¢a
e graca de Deus nestasseitas?
RESPOSTA: Nao se pode negar que tais fatos
acontecem. Porém, mais freqiientemente recuperam os
catdlicos viciados a sobriedade, quando acham apoio
entre bons amigos e parentes, e sobretudo quando se
associam aos Grupos ”AA” (Alcoélatras Anénimos),
espalhados em muitas cidades do Brasil ¢ do mundo.
Por outro lado, sao conhecidos os alcodlatras, quealis-
tando-se numaseita crista, largaram o vicio por algum
tempo, ¢ depois voltando ao mesmo, foram expulsos
desta seita; e tendo vergonha de voltar 4 sua Igreja Ca-

55
tOlica, ficaram totalmente desamparados e desprezados.
a) Quais sao as causas do alcolismo? Quais os
meios de vencé-lo?
Os médicos afirmam que algumas pessoasja nascem
com a predisposigao hereditdria para o alcoolismo, e se
nao forem prevenidos e bem acompanhados, facilmente
caem novicio, sem darem-se conta disso. E 0 viciado é
psiquicamente doente, dependente do alcool. Sente-se
mal, quando naobebe. para superar esta dependéncia
doentia, é necessdrio muita forga de vontade, que ele
sozinho nao acha. A boa Confissao e freqiiente Comu-
nhao dar-Ihe-iam esta ajuda, mas ele quase sempre as
evita. Os grupos de “AA”ele nem os conhece, ou nao
existem por perto. E, quando nesta situagao, alguns
“crentes” Ihe estendem a mao, mostrando-lhe amizade,
tespeito e esperanga, entdo ele os aceita e colabora, e
esta forca psicologica conjunta, consegue vencer 0
vicio. Repito: Nao é neste caso a graca divina, existente
ha seita, mas as forcas psicoldgicas conjuntas, que al-
cangam a vitdria sobre o vicio. (Pois, na Igreja Catdli-
ca, as fontes da graca Divina eram muito mais abun-
dantes, mas nao foram aproveitadas).
Ora, a Igreja Catélica, fiel ao ensinamento da Biblia,
nao pode proibir a todos o uso moderado das bebidas
alcodlicas. Pois desde Noé até a vinda de Jesus, o vinho
(que contém dlcool) misturado com agua, era a bebida
cotidiana destes povos. E o proprio Jesus mudou agua
em vinho nas bodas de Cana da Galiléia. A Igreja, po-
rém, sempre condenou a embriaguez e recomendou
moderacao; ¢ aos viciados, ou propensos aoalcoolis-

56
mo, recomenda, como os psicdlogos, a abstinénci:
total. O mesmo exigem também os grupos "AA”, ja
que sem isso nao ha cura!
Quando, porém, apesar de todo esforco e apoio, 0
viciado nao consegue livrar-se do alcoolismo, entao a
Igreja nio o expulsa, mas recomenda tratd-lo com pa-
ciéncia, respeito e amor, como deve se tratar qualquer
doente incurdével. S6 Deus, que conhece o intimo do
homem,tem direito de julgd-lo. Para nds vale o precei-
to de Jesus: “N&o julgueis ¢ nao sereis julgados; nio
condeneis € nao sereis condenados.” (Le 6, 37)
b) A mesma atitude mantém a Igreja Catdlica para
com os fumantes, A Biblia nado oferece nenhuma base
para proibir totalmente o fumo, — como o fazem mui-
tas seitas. Pois, até a vinda de Jesus o fumo era desco-
nhecido. Mas, acompanhando as pesquisas cientificas
da medicina, a Igreja taxa o costumede fumar, sobretu-
do 0 exagerado, de pecado contra o 5? Mandamento da
Lei de Deus, ja que ele estraga a satide e encurta a vida.
Além disso, esbanja o dinheiro, que o cristao devia usar
para finalidades mais dignas,

21. ESPIRITISMO
E CRISTIANISMO.
PERGUNTA: Pode um cristao ser espirita ou
umbandista e freqiientar suas sessdes?
RESPOSTA: Nao!
a) O espiritismo nega 40 verdades essenciais da dou-
trina cristf; ensina reencarnagéio;afirma a aparigéo dos
57
espiritos do além, evocados pelos médiuns, e ensina
muitas outras heresias opostas 4 doutrina cristd, negan-
do principalmente o poder salvador.de Jesus Cristo.
Falando mesmode Santos, de catidade, de oragdo e
boas obras, 0 espiritismo segue apenas as orientacdes
de seu codificador, Allan Kardec, que (no seu livro de
Médiuns, 2* edigaéo, pdég. 336) recomenda iludir os
cristaos, aceitando no come¢osuas convicgéespara de-
pois, pouco a pouco lhastirar.
Ja o famoso escritor do espiritismo no Brasil, Dr.
Carlos Imbassahy, escreve claramente: "Nem a Biblia
prova (para nds) coisa alguma... O espiritismo nao é
um ramo do cristianismo, como as demais seitas cris-
tas. Nao assenta seus principios nas Escrituras (Sagra-
das)... A nossa base é o ensino dos espiritos. Dai o
nome espiritismo.” (A margem do Espiritismo, pag.
219)
Dai vale para os cristaéos a adverténcia de Jesus:
"Cuidai-vos dos falsos profetas que se apresentam em
pele de ovelha, mas por dentro séo lobos vorazes.” (Mt
7, 15).
b) O quediz a Biblia sobre as praticas espiritas?
RESPOSTA: Lemosem Dt18, 9-14; “Nao se acha-
r4 no meio de ti quem pratique a adivinhagao, o sortilé-
gio, a magia, o espiritismo, a evocacdo dos mortos:
porque todo homem quefizer tais coisas constitui-uma
abominagao para o Senhor.”
Lev 20, 6-27: “Se umapessoa recorreraos espiritas,
adivinhos, para andar atrés deles, voltarei minha face

58
contra essa pessoa e a exterminarei do meio do meu
povo.” “Qualquer mulher ou homem que evocar espiri-
tos, sera punido de morte.”
c) Nas sessées espiritas, ha realmente contatos
com os espiritos do além?
RESPOSTA: Nao! Eis um de muito exemplos. Uma
senhora nascida na Argentina, masresidente, hd anos,
em Curitiba, narra o seguinte:
“Faz alguns anos morreu minha filha. Os espiritas
meprocuraram, prometendo-me que me poriam em co-
municagdo com ela. Eu,aflitissima comoestava,aceitei
e fui A sesso. Quando o chefe dos trabalhos me anun-
ciou a presenga dela, comecei, é claro, a falar em espa-
nhol, lingua cssa que, em casa, nos era mais familiar.
Mas para meu grande desapontamento, minhafilha ha-
via esquecido o espanhol e somente sabia falar em por-
tugués. Minha decep¢ao cresceu de ponto,atingindo o
climax, quando pedi que ela me dissesse, para maior
garantia de identificacao, o apelido que ela tinha em
casa. Até seu proprio apelido ela havia esquecido.Isto
era demais. Levantei-me indignada, langando em rosto
dos responsaveis pela sess4o, essa verdadeira palhagada
que estavam cometendo comigo. Em conseqiiéncia dis-
sO, nao quero nem falar em Espiritismo.”
A revista norte-americana, "Womans Companion”,
para experimentar a veracidade ou mentira dos médiuns
espiritas, inventou uma historia sobre um tal soldado
George Bertlett de 27 anos, falecido na invasao de Oki-
nawa, que deixou a vitiva, Barbara, com dois filhos ¢
5.000 dolares.
59
Agora os repérteres desta revista, disfargados, per-
guntaram a 20 diferentes médiuns espiritas, em nome
da viuva Barbara: O que devia fazer com os 5.000 dé-
lares; e se devia casar-se novamente, com um funciona-
tio do banco e ir morar em Nova York.
As respostas dos médiuns eram todas diferentes, as
vezes contraditérias e fantdsticas. Mas nenhum médium
declarou: “Nao consigo comunicar-me com o espirito
de seu marido, porque este nao existe, nem a inventada
vitva Barbara!” — E so esta resposta teria sido a ver-
dadeira!
Para quem quiser aprofundar o conhecimento do es-
piritismo, recomendamosos livros de Edvino A. Fride-
tichs: “Onde os Espiritos baixam”, Caixinha de pergun-
tas", "Panorama da Parapsicologia” ¢ “Casas Mal-as-
sombradas”.
Podem ser adquiridos em: Centro Latino-Americano
de Parapsicologia, Av. Leonardo da Vinci, 2123 (Jaba-
quara) CEP.: 04313-002 - Sao Paulo, SP. Fone: (011)
577-9451, ou em: Livraria Editora Pe. Reus — Cx.P.
285 — Rua Duque de Caxias, 805 CEP.: 90010-282 -
Porto Alegre - RS.

22. ORIGENS DE ALGUMAS .


IGREJAS E SEITAS CRISTAS
PERGUNTA:Sao todas asIgrejas cristas iguais
e fundadaspor Cristo?
RESPOSTA: Nao! Somente uma Igreja foi fun-
dadapor Cristo e confiada a Pedro e seuslegitimos
60
li-
sucessores — 0s Papas (comoja foi provado neste
pri-
vrinho, na base da Biblia). Por isso ela, desde os
r
meiros séculos, foi chamada Igreja Catélica — que
dizer UNIVERSAL — para todos.
Todas asigrejas ouscitas cristas tem seu fundador e
a data de sua origem.Eis as datas de algumas delas:
Protestantes - Luteranos: Fundados por Martinho
ti-
Lutero (1484- 1546) na Alemanha - sacerdote agos
niano - que depois se casou com uma ex-freira.
Batistas: Por John Smith, clérigo anglicano, na Tn-
glaterra e Holanda, no Século XVII. No Brasil desde
1871.
Presbiterianos: por John Knox, sacerdote catdlico,
contagiado pela doutrina de Lutero e Calvino. Na Esed-
cia, em 1560.
Congregacionistas: Por Robert Brawne, clérigo an-
glicano, na Inglaterra em 1600.
Metodistas: Por John Wesley, na Inglaterra, em
1727.
Anglicanos Episcopais: Pelo rei da Inglaterra, Hen-
rique VIII, em 1534, pelo “Ato de supremacia Régia".
Obcecado pela paixdo, casou-se 8 vezes, mandando
executar algumas de suas ex-esposas.
Adventistas: Por William Miller — Estados Unidos,
em 1831. Agricultor, sem estudos, predisse algumas
vezes o fim do mundo,sem efeito!
Testemunhas de Jeova: Por Charles Taze Russel,
Estados Unidos, em 1874. No Canada, em pleno Tribu-
nal jurou conhecer a lingua grega. Sendo-lhe apresenta-
61
do o Novo Testamento em grego,foi convencidodeperjii-
rio. Sua mulher divorciou-se dele em 1897, acusando-o de
adultério com duas mulheres, e de maus tratos.
Igreja Apostélica: por Eurico Matos Coutinho, que
chama a si mesmo de "bispo". Morava em Sao Paulo,
Brasil.
Pentecostais e Assembléia de Deus: por pastores de
cerca de 100 congregagdes diferentes dos Estados Uni-
dos, em 1914.
Evangelho Quadrangular: é um ramo de Pentecos-
talismo, iniciado por Harold Williams, nos Estados
Unidos, e promovido no Brasil desde 1940.
Congregagiio Crista no Brasil: Por Luis Frances-
cou, em 1910, em Platina - Parana, Brasil. Depois esta-
beleceu-se entre os migrantes italianos em Sao Paulo.
Mormons ou Igreja dos Santos dos Ultimos Dias:
Fundagio fantastica de José Smith, em 1830, nos Esta-
dos Unidos.
Igreja Universal do Reino de Deus: fundada por Edir
Macedo, em 1977, no Rio de Janeiro, Brasil. & um ramo
pentecostal quelevaas praticas de curas, milagres ¢ exor-
cismo ao extremo. Edir Macedo foi um adepto da umbanda
ese proclamoubispodaigreja fundadaporele e que ja esta
presente em 46 paises.
Observagao: Aos que desejarem aprofundar a maioria
das questdes acima, recomendo 0 livrinho de Pe. Estevao
Bettencourt, O.S.B.,"15 Questdes de Fé" — Editora Santua-
tio, Cx. P. 4 — 12.570 - Aparecida - SP

62
Prezado Leitor!

Se, lendo esse livrinho, vocé ficou mais conven-


cido que o Espirito Santo - 0 Espirito da Verdade -
é um 86 (e naodividido em 30.000 espiritos secta-
rios e contradit6rios) e que assim comoCristo pro-
meteu, Ele continua atuando pelos Apéstolos e
seus legitimos sucessores (apesar de seus pecados
e fraquezas humanas), na Igreja Catélica, a fim de
reunir(e nao dividir!) na mesma verdade eno mes-
mo amor, todos os homens de boa vontade, - entao
a
torne-se também seu apéstolo! Compre e oferec
esselivrinho, ou o empreste, a seus parentes, ami-
gos, vizinhos,.,. para que sejam mais confirmados
na Fé, comoainda aquele, que ja abandonou, ou
esté em perigo de abandonara Gnica verdadeira
Igreja de Cristo. Reze porele, para que 0 Bom Pas-
tor o reconduza a seu Rebanho e Acasa comumdo
Pai Celeste.

O Autor

63
INDICE
Introdugéo
1, Veneragdo de imagens ..
2.Batismo ....
3. Confissao .
4. Comunhao
5. Casamentoindissoliivel? ...
6. Casamento dos Padres?
FEO PAD wenieseceseinieageayce
8. Interpretacao da Biblia...
9. Biblia, unica fonte da fé? .
10. Biblia seitas ..
11. Pecadores na Igreja Catdlica
12. Virgindade de Maria .......
13. Veneracao de Maria e Santos ..
14, Purgatorio ......-.2-- 05+ ee
15, Santificagiio do Domingo ou Sabado? .
16, Pagamento pelos batizados e casamentos .
17. Valor dos milagres
18. Falsos milagres? ...
19, O dom das linguas ...
20. Alcodlatras e Fumantes
21. Espiritismo e Cristianismo ..
22. Origens de algumas Igreja e seitas . . .
64
@ Preco do livrinho:

A partir de 01.01.96: R$ 1,00


Descontos, com Correio pago pela Livraria:
50 a 99 exemplares:10% de desconto
100 a 499 exemplares: 20% de desconto
500 ou mais exemplares: 30% de desconto

® Este livrinho pode ser comprado


ou encomendado na:

Livraria SVD
Rua Emiliano Perneta, 433
Caixa Postal, 1.108
80420-080 - Curitiba, PR
FONE:(041) 222-0136
ena

Livraria Editora Padre Reus


Rua Duque de Caxias, 805
Caixa Postal, 285
90001-970 Porto Alegre, RS.
FONE:(051) 224-1352
FAX: (051) 228-1880