Você está na página 1de 50

MESTRE HUIRACOCHA

Henrich Arnold Krumm-Heller

LOGOS MANTRAM MAGIA

Dr. Arnoldo Krumm-Heller “Huiracocha”


Logos, Mantram Magia
Tradução: Acauã Silva
Publicado originalmente em espanhol sob o título “Logos Mantram Magia”,
Berlin: Blücher, 1930.
“Copyleft – all rights reversed”.
SUMÁRIO
SOBRE A TRADUÇÃO.......................................................................................................................4
DEDICATÓRIA...................................................................................................................................5
RESPOSTA AO MEU CARO MESTRE HUIRACOCHA..................................................................5
INTRODUÇÃO....................................................................................................................................7
A LINGUAGEM E A PALAVRA........................................................................................................8
TUDO IRRADIA...............................................................................................................................15
O MESTRE FALOU… E NOS ESCUTAMOS.................................................................................30
EXÓRDIO..........................................................................................................................................30
A LÍNGUAGEM DIVINA.................................................................................................................31
A LÍNGUAGEM NATURA E PRIMITIVA.......................................................................................35
LÍNGUAGEM EM GERAL...............................................................................................................35
O VERBO – GÊNESIS......................................................................................................................44
CONCLUSÃO....................................................................................................................................49
Logos Mantram Magia

SOBRE A TRADUÇÃO
Aqui está publicada em nosso idioma, a obra-prima do Dr. Krumm-Heller:
Logos Mantram Magia.
Fico muito feliz em traduzir essa obra para o português, não sou tradutor
profissional, mas me empenhei muito em alcançar o espírito original da obra e do
Mestre Huiracocha. Demorei muito tempo para conseguir um resultado
satisfatório, pois não queria uma “tradução de internet”. Incluir algumas
imagens, e também notas informativas e esotéricas para os irmãos e irmãs
iniciadas na senda Rosa-Cruz.
Assim, espero que os leitores possam elevar seus espíritos e encontrarem a
Linguagem Perdida, sob os auspícios do Crestos Solar.

O TRADUTOR AMADOR

4
Logos Mantram Magia

DEDICATÓRIA
Para ao nosso iluminado mestre invisível, cujo nome não deve ser
publicado, aos nossos queridos mestres BASILIDES1, PERDURABO2 e
RECNARTUS3 que me inspiraram e ao meu querido discípulo Don JESUS
ALVAREZ PONCE, que eu dedico este trabalho, como um tributo humilde de
respeito, gratidão e amor.

O AUTOR

RESPOSTA AO MEU CARO MESTRE HUIRACOCHA


Muito querido Mestre:
Em vossa última consideração, em 03 de abril, a bordo do vapor Berlin,
você se dignou a escrever para confirmar nossas entrevistas astrais. Direi que a
carta estava à espera do momento certo e também do livro Logos, Mantram,
Magia, porque percebi que em breve o livro estaria em minhas mãos.
Bem, querido Mestre, entre você e eu já existe algo mais, do que apenas um
vínculo de discípulo; creio que hoje as minhas palavras vibram no ritmo da
harmonia indelével dos Santos Mestres.
Eu fui um privilegiado na qual você dava mais afeição do que aos outros?
Não, porque eu cruzei o seu caminho como um dos muitos que vinham para
ouvir a sua voz, para alcançar algum resultado útil dos seus ensinamentos.
Eu fui um daqueles que, por acaso, cruzou o seu caminho para descobrir
as sete letras do sagrado nome dado aos adeptos? Não, porque eu era um
desconhecido com ponto de interrogação.
Eu fui um daqueles que vestiam o manto da inocência, na qual visitaram
você algum dia sem saber o por quê? Não, porque o meu espírito inquieto, depois
de lutas internas, ansiava por orientação e quando me aproximei de você, eu
sentia que o chamado foi perfeito.
Eu fui um dos muitos que chegaram até você para satisfazer minhas
ambições? Não, porque o altruísmo habita em mim, e a minha dor cresce ao
saber que estava possuído de tão grande virtude e não conseguia utilizá-la para o
bem da humanidade.
É por isso que eu vim até você, envolvido na brisa fresca e pura da
madrugada. Talvez, eu era como um dos frutos colhidos ao contato amoroso de
uma mão hospitaleira, que as colhe em plena maturidade, momentos antes da
inevitável queda, na qual seria machucado pelo golpe do vento, aonde teria
brotado em um local menos ingrato? Talvez.
Eu fui um daqueles, na qual querendo aprender, inesperadamente, fui
obrigado a ensinar? Talvez, porque ignorando tudo o que sabia, sabia tudo o que
ignorava.
Eu fui um daqueles que andavam pelo mundo ignorando a mim mesmo,
fingindo presunçosamente conhecer a Deus? Não, porque o meu espírito já
irradiava na minha mente, transmitindo mensagens sobre a origem do próprio
cristianismo.
Eu fui um daqueles que ansiavam um pouco de luz interior, como uma
1
Ernst Christian Heinrich Peithman (1865-1943), Patriarca da Igreja Gnóstica de Eleusis.
2
Aleister Crowley (1875-1947), Profeta da Lei da Thelema.
3
Heinrich Tränker (1880-1956), fundador da Societas Pansophia.

5
Logos Mantram Magia

casa, na qual têm uma instalação elétrica completa, faltando apenas conectar os
fios com o cabo de alta-tensão, para que girando a chave aparecesse o “sim”, que
significa a luz interior? Talvez, no entanto, mais de uma vez eu senti as centelhas
de luz que vinham de uma corrente misteriosa.
Será que eu sou um daqueles que habitam temporariamente uma casa e
descobre que em seu interior há um porão onde haviam tesouros inestimáveis?
Talvez, porque em minha casa eu descobri esse lugar sagrado….. E ali brota a
água benta da imortalidade, na qual um mero toque da varinha mágica é
imantada pelos poderes secretos da natureza.
Será que eu sou um daqueles que surgem da profana multidão, como as
boias oceânicas que guiam os velejadores ao longo do mar revolto da vida? Eu
não sei, a verdade é que o meu foco adverte os pilotos, e os meus sinais são
interpretados de forma brilhante… onde está o FAROL MAIOR.
Será, então, que eu vou ser aquele que com seu toque atinge o despertar? É
possível que assim seja; mas escuta MESTRE, mensageiro favorito dos Santos,
na qual impuseram a missão de transmitir seus ensinamentos. BEM, VOCÊ
SABE: TU ÉS TANTO QUANTO EU E EU SOU TANTO QUANTO TU.
Meu espírito aproveitou a oportunidade que outros não tiraram proveito, ou
estava reservado apenas para mim.
Em meu interior há sete letras dispersas que reuniram-se em silenciosa
união harmônica.
Minha antena psicológica recebeu com grande emoção SEU CHAMADO
PERFEITO.
Meu altruísmo era minha insígnia representada por um Sol coroado de
ouro.
Minha mente já madura pelas experiências da vida, todas elas muito
amargas, dolorosas… mantiveram o sumo concentrado do meu excelso coração.
Em minha viagem, tropeços e quedas foram bons instrutores, que mais
tarde me forçaram a mostrar o caminho para outros.
Ignorando o que sabia, sempre encontrava um paliativo para a minha dor,
pois em minha mente, sempre ativa, fecundava alguma ideia que serviu como
recurso no momento da provação.
Contendo em mim todas as possibilidades de uma manifestação espiritual,
também havia uma poderosa influência astral, cuja corrente, nada estranha para
mim, produzia chispas intuitivas que me iluminaram através da aparente
escuridão.
E, finalmente, TU SABES, querido Mestre, aquele local sagrado, que
encontrei nas profundezas do meu ser, é o altar das minhas mais altas
aspirações. Ali está erguida minha cruz, na esperança de que as sete principais
virtudes se convertam em sete atributos da minha alma. Então, as sete rosas
vermelhas florescerão na minha cruz.
Reúna-se com estas minhas expressões, exatamente como fora na minha
alma, os eflúvios do meu coração, meu abraço fraterno e desejo que as rosas
floresçam em vossa cruz.

CARLOS B. GONZALEZ (V:.M:. RAUMSOL)


Córdoba - Argentina.

6
Logos Mantram Magia

INTRODUÇÃO
Durante a minha viagem através das Américas, minha missão era organizar
lojas, oferecer palestras, conferências e realizar trabalhos rosacrucianos. Eu tive
a oportunidade de anunciar algumas notas sobre o LOGOS, o qual correspondem
a ensinamentos que me foram deixados por um elevado Mestre.

Eu ofereci a meus discípulos, então, ampliar e publicar este trabalho em


um prospecto, para colocá-lo ao alcance de todos, e agora cumpro essa promessa
com o desejo, a par, de incentivar o estudo e ajudar também à aqueles que não
puderam me escutar. Mas antes de começar a verdadeira chave iniciática e
facilitar a compreensão fundamental, eu ofereço – por meio de Prefácio – algumas
lições sobre o valor DA LINGUAGEM E DA PALAVRA.

7
Logos Mantram Magia

A LINGUAGEM E A PALAVRA
Quando forçado a estudar a origem da Linguagem em geral, também é
forçado, como meta, descobrir a origem da Palavra.

Para fazer isso, temos uma disciplina, regra ou ciência, na qual todos nós
conhecemos, a Etimologia. Ela não só nos ensina essa origem, mas mostra em
cada palavra a razão para a sua existência, o seu significado e a sua forma …

Etimologia, vem da palavra ETYMOS ou ETUMOS (verdadeiro, legítimo,


real) e LOGOS (palavra, verbo). Sua ação principal será para que retrocedemos na
busca de uma origem genuína e legítima de cada palavra em sua forma mais
primitiva.

Platão foi um dos primeiros pesquisadores que lidaram com esta ciência. A
busca da verdade por esse caminho foi tentado por ele e ainda mais tarde pelos
4
Estoicos . Estes últimos – cuja base tomaram de Homero – sempre acreditaram
que a Linguagem não havia sido uma criação arbitrária, mas um produto da
natureza. Mas, enquanto, os mais antigos tinham essa crença firme, ele
encontrou um meio, uma passagem de retorno para sair ao encontro da Verdade
em si; posteriormente, foi na Filosofia moderna, que materializou o uso da
Ciência da Filologia, na qual, se tornou parte da gramática, esquecendo que
precisamente as sociedades secretas como a Maçonaria, tiveram e têm a
Gramática como sagrada5.

A Etimologia, no entanto, em seu aspecto moderno, tem um raio bastante


reduzido. Ela apenas procura explicar, limitadamente, a origem de cada palavra
em um idioma, ficando claro que cada idioma não é outra coisa senão uma
corrupção ou apenas um reflexo de outra anterior. Mas a verdadeira raiz, o
verdadeiro germe, não conseguem descobrir…

Os Filólogos, geralmente, vão ao sânscrito e estudam, aprofundam, e


encontram sua relação com o grego, latim, germânico, eslavo, celta, etc., e tentam
provar cientificamente que o Hindu-germano é, para eles, o mais arcaico e
ajustados para certas leis da língua… Isso é certamente uma referência a parte
material da Palavra e do Som, mas não em termos de BASE ESPIRITUAL, e da
PROFUNDA RAIZ DO VERBO que se encontram escondidos. A primeira é como a
História da Palavra, e seu curso através do tempo. O segundo não é alcançado
pelos estudos históricos. A história como ciência é limitada e nós pretendemos
procurar em trilhas de valores eternos e ilimitados…

Temos, por nossa parte, dois aspectos da Etimologia: a Genética e a


Pragmática, tomamos por base, então, para a investigação de nossas regras Rosa-
cruz, o eterno TRIO6.
4
O estoicismo foi uma escola de filosofia helenística fundada em Atenas por Zenão de Cítio no início do século III
a.C. Os estóicos ensinaram que as emoções destrutivas resultavam de erros de julgamento, da relação ativa entre
determinismo cósmico e liberdade humana e a crença de que é virtuoso manter uma vontade (prohairesis) que está
de acordo com a natureza.
5
É o "G” presente no centro do Esquadro e Compasso. Também é dito Geometria.
6
“Pensar, Querer, Sentir, como eterno trio”. Referência ao livro “Rosa Esotérica”, do Mestre Huiracocha. Também
uma referência a Rudolf Steiner (1861-1925) filósofo, educador, artista e esoterista, fundador da Antroposofia: “O

8
Logos Mantram Magia

Se você dar-nos a Palavra escrita por um lado e do outro o Som material,


justo é reconhecer que falta um Mediador, a Respiração, o Espírito que une o
sinal e o som. Encontrado isto, e verificado o Trio, descobrimos realmente o
destino da Palavra, do Karma e do Logos.

Qual é a parte pragmática?

Pragmática… Essa palavra me faz lembrar dos meus estudos médicos. Nós
conhecemos uma doença sob o nome de PRAMAGTAMNESIA, que tem certo
número de internos em manicômios, e consiste em produzir no paciente um
estado cerebral tal, que perde completamente a capacidade de reconhecer objetos
pelas suas denominações, ignorando o seu significado. Assim, o paciente não
sabe o que é um relógio, um bastão, um livro, um chapéu…

No caso exclusivo que estamos tratando, ao que parece, toda a humanidade


sofre da mesma doença…

Nós nos esquecemos, em absoluto, o objeto das Palavras. Devemos fazer


um retorno para a aprendizagem.

Tanto a Etimologia Genética como a Pragmática nos fornecem as bases


para esta investigação retrospectiva e elas nos levam sempre para descobrir a
existência indubitável de uma Linguagem ou Som anterior, para aproximar
remotamente de um ponto morto que podemos considerar como indefinido…
7
Peryt-Shu acredita ter encontrado a linguagem original nos documentos
egípcios, mas não o é, se ele tivesse ouvido falar de nosso Maias em Iucatã, teria
tido conclusões mais precisas.

Peryt-Shu também dá com os Elohim. Ele cita uma frase em Atlante


Egípcio que é o Zodíaco arcaico. Ya-sah Ya-on-sah Achri-uste-nzarat, que
8
traduzido é Je-sus Di-ony-sus Cri-stus de Nazaret.

Temos aqui novamente uma indicação de que Cristo é o astral, força


mediadora do universo e do zodíaco – com suas doze signos – os discípulos, como
9
sustentam os Rosa-cruzes? Vê-se nisto também um nexo do mitraísmo com o
cristianismo nosso.

Muito tem sido escrito sobre este tema, e todos os investigadores que se
ocupam seriamente sobre o assunto chegaram à conclusão de que, nos tempos
antigos, deve ter havido uma Linguagem Arcaica, Universal, Única e comum a
todos, que já não existe mais na consciência do Eu, porém, que ainda tem
10
realidade efetiva na parte subconsciente do Ego Interno . Por esta
homem terrestre é uma entidade tríplice: um ser pensante, um ser sensível e um ser volitivo. E quando focalizamos
tudo que se acha no âmbito do Pensar, do Sentir e do Querer, abrangendo toda a medida da participação do ser
humano na vida da Terra”.
7
Albert Christin Georg Schultz (1873-1953), foi um místico e revivalista alemão.
8
Dionísio, Deus do vinho e da libertação pelo êxtase, que promete a salvação através de rituais de amor.
9
Mitra é o deus do Sol, da sabedoria e da guerra na mitologia persa. Ao longo dos séculos, foi incorporado à
mitologia hindu e à mitologia romana.
10
Para o Dr. Krumm-Helller isso é o Eu Superior.

9
Logos Mantram Magia

circunstância, todas as Sociedades Iniciáticas sustentam que o descobrimento


11
desta Linguagem constitui o único caminho para se poder chegar à Verdade .

Um fenômeno curioso é aprender a línguagem das crianças e esse fato vai


em consonância paralela com os ensinamentos da natureza. Quando as crianças
andam como os animais, que rastejam pelo chão, elas só usam as vogais, como
os animais; quando eretos é que formam as primeiras palavras, e se estabelecem
como seres humanos. A linguagem das crianças é universal e se colocarmos duas
crianças de diferentes países, eles compreendem os gestos e as vogais. Isso é o
impulso da própria natureza, é digno de se observar, se queremos redescobrir a
linguagem primitiva, pois, nas crianças a tradição permanece viva.

A criança aprende a falar em meses, com certeza que a humanidade


primitiva precisou de longos períodos para isto também.

Há mães que abusam das crianças e pretendem acelerar o processo do


andar, com o resultado, as crianças não tem forças nas perninhas e os ossos são
torcidos. Muitas mulheres não chegam a ficar com as pernas bonitas, devido ao
abuso que fizeram com elas quando pequenas. Algo semelhante acontece quando
as mães, na qual exigem que as crianças falem e repitam pela força, então obtém
para toda a vida um modo de falar defeituoso e forçado. E, portanto, uma
constituição psíquica anormal.

Há um costume muito ruim e muito comum na Espanha e na América, na


qual se impõem nas crianças pequenas, que usem frases no diminutivo:
menininha coloque a bonequinha no bercinho; em vez de, Maria… põem sua
boneca na cama. O uso abusivo do diminutivo nas coisas, ao expressar-se, faz
com que as crianças usem o diminutivo em tudo e é algo prejudicial para a vida.

Não se devemos esquecer que a língua é personalidade e ela deve ser


natural, tudo o que os pais introduzem artificialmente prejudica os filhos para
sempre.

A medicina aceita mais do que nunca, no domínio das enfermidades, o


12
valor da Constituição ou da Diáteses na predisposição orgânica e isso é
precisamente o que vem a formar a nossa idiossincrasia (temperamento) e
fisiológica pessoal. Não há enfermidade – disse um médico – há doentes, porque
cada caso clínico é diferente, distinto, depende da diátese personalíssima do
indivíduo, que exige, por isto, um diagnóstico ímpar.

Então, esta declaração é verdade, mas tenha em mente que embora


existam homens grandes e pequenos, finos e grossos, fortes e fracos em sua
aparência material, como resultado de seu organismo – que forma sua
constituição física – deve-se lembrar que o pequeno é geralmente fraco, e o alto
conserva ossos resistentes; entretanto, há homens inteligentes e tolos, sábios e
impacientes e estas qualidades nada tem a ver com sua constituição material,
mas sua forma psíquica. Aqui, há uma falta de lógica na Medicina e da
11
Encontrar a língua original era um tema vital da mitologia rosa-cruz. Como descrito no Fama Fraternitatis: “Assim
teve início a Fraternidade dos Rosa-cruzes, com apenas quatro pessoas, que desenvolveram a linguagem e
a escrita mágicas (...)”.
12
Predisposição hereditária ou constitucional para uma doença.

10
Logos Mantram Magia

inutilidade da sua aplicação terapêutica.

Por conseguinte, o verdadeiro médico deve considerar e ter em mente as


duas constituições básicas do ser humano: a material e a espiritual.

Para nós, os Rosa-cruzes, esta dualidade constitucional formam um só


conjunto, um só corpo, porque entendemos que ambas as constituições se
interpenetram e, independente de termos testado cientificamente a veracidade da
sua existência, nós usamos para o nosso modus operandi, o método moderno da
psicanálise, como um mediador, que se torna hoje, sem dúvida, o dernier cri13
da Ciência…

Os religiosos de hoje tomam, quando lhes convém, a Bíblia ao pé da letra e


quando não, eles dizem que é simbólico…

Em São Mateus, em seu décimo capítulo, quando Jesus instituiu o


sacerdócio, disse: “E, inde, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os
enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de
graça recebestes, de graças daí. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em
vossos cintos” (Mateus 10:7-9).

Como cumprem os que dizem sucessores do Nazareno? Não há necessidade


de repetir o que todo mundo sabe, ou melhor, que não sabem o que os Jesuítas
guardam em suas alforjas.

O carro usado por Sua Santidade custou um milhão de liras e, realmente, é


um objeto artístico que vale a pena ser admirado quando você vai a Roma; mas,
imediatamente, nos lembramos do jumento que Jesus usou para entrar em
Jerusalém…

Tal é o mundo de hoje… Todas as religiões tornaram-se negócios, mas se


nós, gnósticos, cobramos alguma coisa, então nosso trabalho é charlatanismo.

Os gnósticos ensinam a chave da vocalização e explicam os personagens


bíblico como forças da natureza, formando precisamente o LOGOS, a lei
primordial.

A Teologia desconhece a origem das religiões, mas não podem negar que
todas as religiões têm um lado gnóstico e um fundo esotérico.
14
Existe uma lenda que foi Menes que saiu de Iucatã (México) para o Egito e
dali levou a religião para Kekrops (Cécrope) na Grécia, permanecendo em Ática.
Em seguida, ele foi para Kadmo, donde saiu os Kadmonitas, dizem as antigas
tradições cabalísticas, que eles inventaram as vogais e as consoantes e que a eles
se deve toda cultura.

Kadmon (Adão) está de acordo com a Kabbalah, o líquido ou primeira


emanação é a imagem de Deus que foi incorporado na figura do homem.

13
Do francês, “a última moda”
14
Na mitologia grega foi o primeiro rei da Lídia, filho de Zeus com Gaia.

11
Logos Mantram Magia

Os endocrinologistas ensina-nos que a qualidade e quantidade dos


hormônios são importantes, não só no desenvolvimento da nossa constituição
física, mas também no desenvolvimento de nossa parte psíquica, e nesta
afirmação – mantida pelos Rosa-cruzes – está encerrada uma grande chave.

A hipófise também denominada glândula pituitária possui sete tipos


diferentes de hormônios que constantemente estão agindo no sentido físico e
psicológico. Nós temos, portanto, nas glândulas endócrinas de secreção interna,
um sistema nervoso líquido, que é como uma ponte de união, como uma conexão
em ambas as constituições, a chave, o caminho e que aprendemos a utilizar como
15
o verdadeiro MEDIADOR, nosso corpo astral .

Como os hormônios atuam nos centros da linguagem? Qual é a base


espiritual? E onde é que pode ser encontrado? Este problema pode ser resolvido…
Mas tenha em mente que para se aproximar neste ponto, nós temos que ir antes,
a partir do conhecido para o desconhecido, da Física à Metafísica, passo a passo
e com segurança para não se perder na maregmánum16, em um labirinto de
produções fantásticas, na qual, cobre com véu. Vamos, então, cuidadosamente
estudar a física e deslizar para certos caminhos da metafísica, que é a maneira de
descobrir e chegar à convicção da existência de um idioma primitivo.
17
De acordo com a Kabbalah a primeira palavra bíblica foi Bereschit , de
um imenso poder. Bereschit é o princípio com o qual Deus criou o céu e a terra, e
18
Josephus menciona que o conhecimento descrito em Bereschit foi feito pelo rei
Salomão.

Bereschit
19
O Zohar possui dez caminhos, dez emanações do poder divino,
denominados sucessivamente de Keter, Chochma, Binach, Gedulah (Chesed),
Geburah, Tiphereth, Nezach, Hod, Yesod e Malcud (Malkuth).

Se tomarmos o calendário asteca e compararmos os desenhos cabalistas de


20
Khunrath e os desenhos cabalísticas da Bereschit, nós vemos que tudo possui a
mesma base, só os desenhos são um pouco diferentes e os desenhos dos maias
para astecas são mais antigos.

15
Interessante notar que Rudolf Steiner desdobra em quatro aspectos esse conceito: o Eu tem sua expressão no
sangue; o Corpo Astral tem sua expressão no sistema nervoso; o Corpo Etérico tem sua expressão no sistema
glandular; e o Corpo Físico tem sua expressão no sistema sensório.
16
Do latim, significa “magnitude de algo que confunde”.
17
Do hebraico, que significa “no princípio”.
18
Titus Flavius Josephus (37-100), foi um historiador e apologista judaico romano.
19
Do hebraico “esplendor”, nome de uma das obras mais importantes da Kaballah.
20
Heinrich Khunrath (1560-1605), foi um médico, filósofo hermético e alquimista da Alemanha.

12
Logos Mantram Magia

No México e na América Central, era para mim, o berço de civilizações


modernas e do ocultismo, que está além das fontes inesgotáveis da informação.
Em um museu da Colômbia há inúmeros e curiosos amuletos de grande poder,
mas ninguém presta atenção a eles. Eles foram imantados com nomes de
Mantras sagrados.

Aplique esses nomes sagrados, num momento astrológico conveniente, em


um ritual hermético usando um metal alquímico, ainda em nossos dias são
amuletos poderosos que contêm poderes divinos. Eles podem ser escritos com as
72 letras do nome de Deus (Heptacontadua-grammaton) ou 24 (Tessarakontaya-
grammaton) ou apenas a 4 (Tetra-grammaton). A escrita do nome de Deus inclui
um poder em si mesmo e baseia-se nas leis da Natureza e contêm miraculosos
poderes e resultados.

Há eremitas Rosa-cruzes que fazem esses amuletos, eu observei muitas


pessoas que tiveram sucesso, fortuna e felicidade após adquirir esses cabalísticos
tesouros e eu recomendo de boa fé a todos ocultistas. Neles ou sobre eles há
vogais e consoantes em luta ou em harmonia.

Na Natureza são encontradas sempre duas tendências opostas, que


combatem entre si, resultando desta contenda uma Força. Há sempre um lado
positivo e um negativo, um masculino e um feminino, uma força que estimula e
outra que debilita. Na vogal essa luta foi resolvida nas esferas mais altas, mas
nas consoantes não, e hoje se efetua em nosso órgão da boca. A vogal é apenas o
ar operando em cordas brônquicas e o som muda em função da posição da boca.
As consoantes se combatem, as cordas brônquica são friccionadas e juntas
causam desarmonia. Nas consoantes não há tons, são sons e apenas na união
das vogais e consoantes resultam em harmonia.

O “K”, tão comum no Ario-Germânico e na língua maia é formado dentro da


garganta e na aura produz formas que lembram, ao mesmo tempo, algumas
runas germânicas e ornamentos dos templos de Iucatã.

Existe uma relação entre a boca e a orelha. Algumas pessoas que escutam
uma terceira pessoa falar conseguem imitar os movimentos dos lábios. Acontece
também quando ouvimos uma melodia que nos “pega” e nos faz repetir aquilo por
horas, sem sermos capaz de se livrar dela.

A psicanálise tem, assim, um fenômeno curioso para estudar e encontrará


exemplos bíblicos que dão alguma explicação.

Não há espaço para uma análise da bíblica, mas aonde Jesus ressuscita o
filho da viúva Naim, basta dizer que no hebraico antigo Naim significa semente,
sêmen, rio, fonte, se chama Naim (Ain) (Lucas 7:11-15). Outros dizem que Ain foi
a primavera ou rio, na qual Jesus foi batizado pela mão de João – Ieuan – os
alemães dizem Johanes – IO-HAN-ES… HA-AN-SA é o Logos em Hindi, de
qualquer maneira, é Jeoua (Jeova ou Jehova) ou seja, é o Logos.

Veja bem, IOA ES (Johanes ou João). Deste modo, João é a fonte, o poder,

13
Logos Mantram Magia
21
o Logos, é o líquido na qual é produzido a linguagem. Purkyně em suas
investigações sobre as relações anatômicas do ovário e oviduto da vesícula
germinal deu o primeiro passo. Após estudos sobre as glândulas de secreção
interna e a troca de diferentes hormônios, confirmou o que havia já ditos
gnósticos de séculos atrás, que há uma glândula perto do pescoço e do coração
que produz a palavra e o poder…

21
Jan Evangelista Purkyně (1787-1869), foi um médico e professor universitário checo que se notabilizou como
anatomista e fisiologista e descobridor das células de Purkinje e do efeito de Purkinje.

14
Logos Mantram Magia

TUDO IRRADIA
É um princípio do ocultismo. Tudo tem a sua aura peculiar e a sua
irradiação áurica específica, e este princípio também se cumpre na ação das
palavras proferidas. Quando um homem avançado pronuncia uma palavra,
observamos imediatamente que a aura da palavra mencionada se expande e se
propaga. O som que você ouve com ouvido é do corpo material, enquanto o da
aura é do corpo etérico.

No Avesta, de Zaratustra, fala sobre a essência da Palavra, da sua alma,


22
que é Ahura Mazdah .
23
Na filosofia Mimansa e na Yoga Mantra, vemos os elementos metafísicos
da linguagem que eles traduzem e explicam como imaginação e poder. Aqui,
então, poder e imaginação são dois problemas essenciais para ser resolvido
dentro do campo Rosa-cruz.

A imaginação criativa volitiva é a chave para mover a consciência normal


24
para todos os processos subconscientes. Novalis fala de um dinamismo
espiritual dentro do Linguagem e assim dá o primeiro passo para a Ciência dos
Mantras. Podemos observar que o verbo espiritualizado é a palavra que derrama
naqueles que recitam ou declamam uma tranquilizante ação espiritualizadora.

Todos os povos possuem uma relação com o idioma que usam. Por esta
razão, eu acredito que é importante notar que na Língua Espanhola não tem um
“h” aspiralado como no Alemão e em outras línguas; esta é a razão que os
nativos de qualquer parte da América, ao pronunciar esta letra, ela parece um
“g”… No entanto, os nativos das Américas, conheciam e continuam a usar o
“hhh” (som) como conhecemos.

Os maias, por exemplo, não usavam um nome para Deus e quando um dos
conquistadores insistiram com um padre maia para expressar o nome da
Divindade, ele fez uma aspiração na forma de hhhhh…

A letra “H” é a respiração humana. Assim, em tibetano, a respiração


(alento), se entende apenas com “H”.

22
Divindade maior do Zoroastrismo.
23
Nome da escola ortodoxa hindu, que significa investigação.
24
Georg Philipp Friedrich von Hardenberg (1722-1801), mais conhecido pelo pseudônimo Novalis, foi um dos mais
importantes representantes do primeiro romantismo alemão de finais do século XVIII.

15
Logos Mantram Magia
25 26
O Atman e Brahman dos hindus é puramente inspiração e expiração
do ar, que representa ao mesmo tempo, os dois pólos humanos, positivos e
negativos. Curioso, que os Hebreus dão muita importância para o H em Jahvé
(Jehovah). JHVH, eis que há dois H para o nome de Deus.

Em sânscrito, JĪVAH é o sopro da vida. Em hebraico, VIDA é HAJ. No


hebraico moderno a diferença entre H e CH é quase nula e, embora a perda do H
seja uma degeneração na língua espanhola e francesa, entretanto, a aquisição de
CH seja um passo à frente, pois sua ação espiritualiza a matéria no sentido
“mantrámico”. Na antiga China, a RESPIRAÇÃO, sopro divino, é CHI, cuja
palavra nos lembra do ICH27 alemão.

Assim como os diferentes graus da maçonaria são sintetizados no primeiro


grau, assim o Yod contêm todos os atributos de He-Vau-He.

Segundo padre Perdurabo, Yod sozinho é a palavra virgem de Mercúrio, que


envolve a sua luz em um manto e Mem é o líquido amniótico, cujo fluxo em nada
a arca para a vida.

O M:.M:. dos maçons tem um significado oculto que, naturalmente, os


maçons ignoram hoje.

Na constituição psíquica está a tonalidade, a indicação do ser interno e,


assim, temos uma realidade de material psíquico.

Em todos os textos religiosos podem ser lido nas entrelinhas o segredo


desse dualismo, mas primeiro temos que aprender a ler.

Observe a letra Y. Não seria a figura de um homem que levantou a seus


braços para adorar o Sol? Sua atitude é de demanda, de aspiração, de desejo, de
receptividade. O Yahweh-Loxi é um monte existente perto de Oaxaca (México),
que se banha totalmente da lua, onde encontramos desenhos concretos em que
aparecem a adoração dos índios ao Sol nesta mesma atitude. O nome original dos
28
Otomi (povo) foi Yaheiu.

O Y tem três braços e três ângulos. Tau é ao mesmo tempo “Y”, ou seja, na
25
Do sânscrito que significa “alma” ou “sopro vital”. Na teosofia representa a Mônada.
26
Termo sânscrito que designa o princípio divino, não personalizado e neutro do bramanismo e da teosofia. Não deve
ser confundido com Brahmā, que, com Viṣṇu e Śiva, formam a trindade (trimurti) clássica hindu.
27
Do alemão, que significa Eu.
28
Os Otomis são um povo indígena da zona central do México.

16
Logos Mantram Magia

Yoga, na união, o homem se liga a Deus, com sua própria natureza divina.

Se, em geral, representa o homem com seus dois braços levantados, temos
de ver nestes braços o sinal, na qual se concretiza a ação e efetua a realização de
todas as possibilidades cósmicas, materializando a mente e prolongando o
Cérebro em XYZ, como diz Hoyo.

O X é a Cruz, o mais antigo símbolo da Terra e se sobrepõe ao Y, que nós


temos como um símbolo dos Rosa-cruzes. O X é composto por duas barras. E
sugere, com seu ponto central, quatro estradas, quatro caminhos diferentes que
29
não são outra coisa senão os quatro elementos , as quatro direções da vida. Se
estas barras transversais forem separadas e ligadas por uma barra horizontal ou
hífen, nós temos o H.

No símbolo de Gêmeos, dois homens apertam as mãos, cuja forma também


encontramos no Avesta, como a essência divina que há no homem, significando
ao mesmo tempo a memória ou recordação de que todas as coisas (essência
divina) estão em Deus; o homem ao recordar-se volta seus olhos para EL30 como
a única fonte de vida, cuja fonte nós obtemos tudo. Com EL no seu interior.
Trazemos Deus para fora…

RECORDAR… É curioso sua etimologia:


RE. Voltar a ter.
COR. (Latim) Coração.
DAR. Dádiva, Presente.
29
Os quatro elementos são: Terra, Fogo, Água e Ar.
30
Do Semítico, traduzido para o português como Deus.

17
Logos Mantram Magia

Assim, no recinto de Deus tudo é guardado, não há o que trazer para fora.
RECORDAR, certamente é trazer do coração. No alemão é erinnern, trazer do
interior. No sânscrito, Mazdah é nome de Deus e recordar ao mesmo tempo.

CORAÇÃO, com as duas vogais O e A são de grande importância na


vocalização dos Rosa-cruzes.

O I é a própria natureza, é Ísis; A é Apophis, destruidor de Ísis; e O é


31
Osíris, redentor .

Na Cruz dos Rosa-cruzes, nós temos o L, o U e X que é realmente a luz que


32
recebemos .
33
Votan ou Wotan , foi o grande Deus dos antigos alemães, o Deus do vento,
34
representação do sopro divino, na fala Tácito . Na Rússia há uma vila, os
Votajas, que falam uma língua semelhante ao sânscrito e preservam os sons da
língua maia. Portanto, não é de surpreender que encontramos o Deus Votan, com
mesmo nome, em Iucatã e Guatemala (Belize).

Votan Maia

Votan, dizem os maias, foi quem soprou o alento nos homens pelo nariz,
estabelecendo sete famílias depois de ter passado pela Cidade das Treze
35
Serpentes, e sempre deixando aoss seus cuidados uma Vestal , uma mulher… O
culto de Votan, no México, continuou até 1691, quando o Bispo Nunez de la
36
Vega mandou a população queimar todas as imagens desse Deus na praça
pública.

31
IAO, ΙΑΩ ou ιαω é a transliteração em grego do Tetragramma hebraico YHVH, modernamente, conhecido como
nome de Deus entre os gnósticos. Na thelema, IAO é a fórmula do velho Aeon de Osíris: INRI-IAO-LVX. Na
fórmula IAO, Ísis é a natureza idílica e perfeita, estuprada por Apophis e glorificado por Osíris: a doutrina da morte
e ressurreição. Enquanto no nível microcosmo do homem, Ísis é a condição do status quo do próprio homem;
Apophis, o devorador do Sol, é o poder mágico que é desencadeada com a Iniciação, e Osíris é o novo homem, e
reintegrado na sua função divina. A mesma ideia é expressa no Fama Fraternitatis: “Ex Deo nascimur; In Jesus
morimur; Per Spiritum Sanctum reviviscimus” (Por Deus nascemos; Em Jesus morremos; Pelo Espírito Santo
renascemos). Huiracocha explica: “I” – Ignis (fogo, alma); “A” – Aqua (água, substância); “O” – Origo (causa, ar,
origem). No Pistis Sophia está escrito: “Jesus fez invocação virando-se para os quatro cantos do mundo com os seus
discípulos, vestidos com roupas de linho, dizendo: Iao, Iao, Iao”. E sua interpretação é: 'Iota' porque o universo foi
brotado; 'Alfa' porque voltará para si; 'Omega' porque a conclusão de tudo terá fim”. Também no Livro de Jeú,
Jesus declara que: o verdadeiro Deus será chamado Jeú (YEW) “Pai de meu Pai”, cuja a pronuncia sagrada é IAW
(IAO). No livro do Apocalipse (22:13) também há referência a “IAO”: “I” = Iesus; “A” = Alpha; “O” = Omega.
32
A Palavra L.V.X. é idêntica a fórmula IAO.
33
Do germano, é o nome do Deus Odin dos nórdicos.
34
Publius Cornelius Tacitus (56-117), foi um historiador, orador e político romano.
35
Vestais, na Roma Antiga, eram sacerdotisas que cultuavam a deusa romana a virgem Vesta.
36
Francisco Núñez de la Vega (1634-1706), Bispo de Chiapas, a história de Votan é publicado nas Constituciones
diocesanas del obispado de Chiappa (1702).

18
Logos Mantram Magia

Votan também era designação do CORAÇÃO e eu encontrei na Guatemala


um desenho antigo com um símbolo particular, que é exatamente o que mais
tarde viria a ser representado pelos jesuítas como o coração de Jesus… “Nihil
novum sub sole”37.

Voltando à nossa tese. Em sânscrito, AHURA é a santa substância divina.


Mas quando tomada pelo princípio material, muda o H em S e, em seguida,
torna-se ASURA38. Se você continua materializando, descendo ao fundo mais
baixo, você pode dizer que isto é, em nossa língua, o lixo, um líquido imundo …

O K é um X transformado. Agora não é a Cruz, mas que se levanta em


posição vertical para ser uma Divindade. Talvez por essa razão que encontramos
39
no Rig Veda um Deus com o nome de KA e que é o mesmo nome entre os
egípcios para significar o corpo astral.

Os maias, que também tiveram sua língua sagrada, usaram o K mais que
qualquer outro povo do mundo, e a maioria de seus deuses têm em seus nomes
com K e H.

O pensamento bem definido e muito concreto pode ser como uma seta
atirada nesta ou naquela direção. É, sem dúvidas, a ação resultante entre o
40
pensamento e a palavra. É o pensamento materializado, como diz Strindberg .
A palavra falada é também um feitiço capaz de curar ou matar. Pessoas fracas
não tem como suportar as duras palavras. Elas são azedas, estridentes, e não
podem resistir, enquanto as palavras doces preenchem com alento e acalmam.
Um insulto nos emociona, nos arrebata. É um Mantra como uma lisonja. E as
Palavras agem não só pelo significado que guardam, mas como também uma
expressão do pensamento, porque no astral se agita o impulso vibratório
41
deixando sua marca para o bem ou mal .

IAO na forma eurítmica.

37
Do latim, que significa “nada novo debaixo do sol”.
38
Do sânscrito que significa antideuses ou demônios.
39
É o primeiro livro do Veda, uma das escrituras sagradas do hinduísmo.
40
Johan August Strindberg (1849-1912), foi um dramaturgo, romancista, ensaísta e contista sueco.
41
Steiner escreve que devemos evitar um pensamento errado, pois ele pode atuar sobre outros pensamentos de
maneira tão devastadora quanto um projétil atirado às cegas contra objetos físicos.

19
Logos Mantram Magia
42
Os Rosa-cruzes conhecem uma ciência chamada Euritmia , que consiste
em reproduzir, via movimentos ginásticos rítmicos, as formas das Vogais e das
Consoantes. Esses movimentos, que são usadas da mesma forma que os faquires
da Índia e, como uma reflexão, vemos reproduzida as danças dos nossos nativos
americanos.
*

Repito hoje com mais convicção do que nunca que a Sociedade Teosófica
com o seu Orientalismo nos levou para caminhos sinuosos e pisos irregulares,
enquanto os ensinamentos dos Maias, dos Astecas, dos Templos da América
Central e dos Incas com suas antigas tradições e códices encontramos tudo,
absolutamente tudo, que imaginamos como originais do Oriente e ainda de forma
mais concreta. Exorto, pois, para quem me segue no caminho Rosa-cruz, em
primeiro lugar continuar com os nossos ensinamentos, e depois, como corolário,
olhar para o Leste. Na vocalização e a Euritmia nós temos estes hieróglifos.
Apenas uma questão decifrar.

Os sistemas de Heindel, Lewis, teosófico, etc., como já dissemos, é letra


morta. Enquanto há vários Mestres do Sumum Supremum Sanctuarium, incluindo
Eu, que se ocuparam durante muitos anos com suas pesquisas nas ciências
herméticas maias. Como prova eu recomendaria para os meus discípulos e
aqueles que se converteram sem fundamentos em meus detratores que procurem
nas bibliotecas os COMENTÁRIOS DAS SESSÕES DO XVII CONGRESSO
INTERNACIONAL AMERICANISTAS onde encontra meu trabalho sobre O
Zodíaco dos Incas em comparação com o dos Astecas. Isto foi em 1910, e a
muito tempo antes eu estudo a este respeito, aprofundando todos os dias nas
Ciências Herméticas do ponto de vista Indo-espanhol.

A euritmia nos dá as chaves dos mantras e contém em si os poderes


curativos de suma importância. Eu não posso estender neste prospecto como eu
gostaria sobre este assunto, mas nas futuras publicações vou ser mais explícito e
vou trazer a chave para tudo.

Não esqueçamos da vida e do desenvolvimento das crianças. A história se


repete e é neles o reflexo da criação do Cosmos como uma segura orientação para
a nossa existência. Eles, em sua tagarelice, estão dizendo primeiro ae… ae… ae…
Então ma… ma… ma… Mais tarde ba… ba… ba… Seus primeiros gestos, bem,
parece-se com b e m e é aí que devemos, portanto, começar a iniciação, que em
seu devido tempo, eu vou ensinar.
43
Jacolliot fez uma cópia de um dos livros antigos:

"Os livros sagrados não deve ser aceitos em seu significado aparente. De
que servirá então a proibição de revelar seus ensinamentos ao profano se o
segredo das coisas eram apenas guardados no sentido real e único da linguagem
42
É uma dança criada por Rudolf Steiner cujo objetivo é tornar visíveis as expressões da fala ou música. Ele diz que
nas posturas do IAO, o homem sente uma luz fora do corpo físico, preenchido por sons cósmicos das três vogais: o
segredo do ego no “I” (em inglês Eu) começa no Pensar; e desperta a esfera do Sentir; assim, o verdadeiro “Eu”
ilumina a consciência do Querer. O segredo do corpo astral está no “O” e o segredo do corpo etérico na vogal “A”.
Essa prática dos três sons formam na entidade humana um fluxo em direção ao Sol. Steiner, afirma que “IAO” é o
nome do Cristo, conectado com o segredo de como Cristo trabalha no homem.
43
Louis Jacolliot (1837-1890), era um advogado francês, juiz colonial, autor e conferencista.

20
Logos Mantram Magia

que usam?

Da mesma forma que a alma se oculta em sua prisão.


Que a amêndoa é coberta em sua capa.
Que as nuvens encobrem o sol.
Que o vestido cobre o corpo.
Que o ovo comprime a casca.
Que o germe repousa no interior do grão.
Da mesma forma, a Lei secreta tem sua bainha, seu véu, sua nuvem, seu
vestido, sua coberta que envolve para ocultar o conhecimento do profano".

Assim, cada palavra encarna um sentido muito mais elevado de que parece
ter e cada história muito mais lições do que mostra em sua casca.

Este é, então, a verdadeira Lei, a santa Lei, a Lei divina que, como uma
Vestal imaculada em sua túnica peplum para que nenhuma pessoa profane. E só
será desnuda, só será desvelada, quando invocar as vogais e consoantes que são
o seu expoente mais sagrado.
44
Plogeon , o arqueólogo sábio, na qual, provou que o alfabeto Maia
precedeu o alfabeto Egípcio e dos iniciados nas pirâmides egípcias, e este só
alcançou seu mais alto estado de sabedoria, por ter herdado dos maias ou
mexicanos. Este mesmo estudioso diz que o Templo de Chichén Itzá (Iucatã,
México), foi construído na mesma época que a Babilônia, Assíria, Egito e Índia
ainda eram habitadas por tribos selvagens.

Em um dos templos de Iucatã está descrita a criação do mundo por uma


mulher com um ovo e esta mesma figura, exatamente, se encontra na Literatura
bramânica de Mānava-Dharmaśāstra45, quando em 1300 a.C. dizem haver
tomado uma cópia dos Templos localizada além-mar. Este ovo simbólico mantém
sua cor azul e os egípcios deram a essa Divindade a mesma cor. Sem dúvida,
esses templos distantes, existentes além dos mares, foram relacionados com do
México.

A tumba do Príncipe Maia COH (Chacmool) contém um altar decorado com


símbolos Egípcios. O emblema da cobra ou serpente da sabedoria se encontra
tanto na sepultura deste Príncipe maia como em outros túmulos dos governantes
egípcios. Decifrado os símbolos embutidos na pedra, que relatam a vida do
príncipe COH, mostram que os próprios egípcios se apropriaram para descrever a
história de Osíris.

Osíris foi representada como um leopardo e os sacerdotes de Osíris usavam


em suas cerimonias um couro ou pele deste animal. Exatamente o mesmo que
haviam sido posto em prática pelos sacerdotes de COH. Osíris tinha duas irmãs
MAU e NIKI, o mesmo que COH e nomes idênticos no México. Não é incrível isso?
Analisando quimicamente os restos de certas espécies de animais, que
haviam na tumba do príncipe COH, verificou-se serem idênticas às que
44
Augustus Le Plongeon (1825-1908), foi um fotógrafo e antiquário que estudou as ruínas pré-colombianas da
América, em particular os da civilização maia.
45
Código de Manu é parte de uma coleção de livros bramânicos, enfeixados em quatro compêndios: o Mahabharata, o
Ramayana, os Puranas e as Leis Escritas de Manu.

21
Logos Mantram Magia

continham em vários túmulos de príncipes no Egito.

Chacmool

No Egito costumava-se levar estatuetas femininas ao Nilo para impedir as


secas, cujo hábito foi tomado dos maias que, antes, levavam aos poços e
cisternas o mesmo objeto.

No México, estátuas de certo Deus eram representadas com um braço


46
mais curto do que outro e o mesmo símbolo que é visto nos emblemas de Thoth .
Ambos, os maias e os egípcios, começavam o ano em meados de julho e ambos
tinham períodos de quatro anos.
Em um dos códices maias, que existe em Madrid, há uma descrição de
como o homem é feito de barro, uma coincidência significativa que os egípcios
repetiam o mesmo e mais tarde na Bíblia.
47
Sem dúvidas que esse arqueólogo queria ver o rosto maia em Ramses II .

Eu recomendaria para aqueles que leem em inglês o romance de Rider-


48
Hagard , Harmachi, o último Faraó e traidor de Cham. Para convencimento do
que digo, eu aconselho a trocar os personagens deste romance por nomes
mexicanos, e no lugar das margens do Nilo mudar para San Juan de Teotihuacan
e observar que fica melhor e mais adequado.

Todo dia eu estou mais contente de ter conhecido e mais estudado primeiro
as terras sagradas do México, Quirigua, Guatemala e Peru, do que o Egito, pois
aqueles lugares são superiores, são definitivamente superiores em todos os tipos
de tradições e ainda por cima da tradição da Índia. Mas ninguém em sua terra é
profeta, os mexicanos e peruanos vão buscar literatura teosófica no oriente, sem
conhecer seu próprio país, cujo estudo – por este paradoxo vivo – é deixado a nós,
alemães…

Eu estou escrevendo uma obra de próprio punho sobre O Amor dos


Astecas e Maias, é sobre um historiador que descreve as várias representações
do Eros mexicano, de uma maneira soberba.

46
Deus egípcio do conhecimento, representado com cabeça de íbis
47
Ramsés II foi o terceiro faraó da XIX dinastia egípcia. Reinou entre aproximadamente 1279 a.C. e 1213 a.C
48
Henry Rider Haggard (1856-1925), o autor faz referência ao livro Cleopatra: Being an Account of the Fall and
Vengeance of Harmachis (1889)

22
Logos Mantram Magia

Eros já é representado de uma forma ou de outra e faz parte de todas as


mitologias do Mundo, inclusive na forma de Cupido, que é a analogia que os
romanos usavam. Se investigamos o Eros através das esculturas, pinturas e
descrições na América, Ásia e Europa, notamos que, por vezes, nos é apresentada
como uma criança dormindo e outros como uma ereção em suas partes sexuais
no mesmo sentido. As descrições, aparecem, como força de atração dos principais
elementos e é, para os povos do passado, personificação dos poderes
cosmológicos que perpetuam a vida. Ele é o Deus mais antigos, que, de acordo
com os gregos, brotou de um ovo cósmico para atuar como único animador, como
a própria vida.

Eros

Entre os antigos gregos, as procissões, religiosas foram chamados Theorías


que, etimologicamente, vem do Theos, Deus. Uma dessas procissões é verificada
entre Atenas e Elêusis onde eram venerados os mistérios sexuais sagrados. Desde
tempos remotos, esse caminho é chamado Ícaro, sendo esta divindade outra
representação de Eros. Mas vale ressaltar que nenhuma outra palavra são as
vogais IAO, tão marcadamente uma divindade em conexão com o sexo, como
Ícaro, acontecendo o mesmo com outras divindades da Colômbia e Iucatã.

Na América, a figura de Eros é tão variada e múltipla que é impossível


poder abarcar neste trabalho, mas na minha revista “Rosa Cruz” prometo cuidar
desse assunto extensivamente. Eu só vou mencionar agora uma das mais belas
imagens simbolizada pelos Guaimi do Panamá (índios Ngäbe), que dizem
Noncomala, o Deus Supremo, foi surpreendido dormindo com uma bela jovem
que, durante seu sonho, derramava um licor genésico. Então Nubu, um Deus
menor, coletou essa semente e semeou, produzindo a parte essencial, mais pura,
a espécie humana e a parte mais grosseira, o macaco…

No Museu Britânico há esculturas de Quiriguá (Guatemala) e ornamentos


que correspondem aos diferentes ciclos, katuns, tuns, unials e kins. Além disso,
há uns certos rostos numerados, que por sua vez são chamados de pop, uo, zip,
zotz, tzec, xul, yaxkin, mol, chen, yax, zac, ceh, mac, kankin, muan, pax, kayab,
cumhu. Se olharmos os diferentes rostos, vemos que cada posição da boca e da
língua é diferente e bem pode ser a chave para a pronúncia das vogais e das
consoantes, muito mais preciso do que qualquer desenho hindu.

23
Logos Mantram Magia

Faces de Quiriguá
49
O Mahatma Subramanya Aiyar , guia da Sociedade Suddha Dharma
Mandala Vidyalaya, dá a seus membros certos mantras, ou seja, eles devem
repetir certas sílabas que ele retirou da literatura hindu. Se tivesse vindo comigo
no México, ele teria caído para trás ao ver que os maias já sabiam o que eles dão
em Madras (Índia) e o seu era de segunda mão.

Um iniciado da Idade Média fez desenhos sobre esta matéria e se não


houvesse sido feitas antes da era pré-colombiana, poderíamos acreditar que tinha
sido plagiadas.

Os maçons encontram essas palavras que são de posse da ordem.


50
Cristian Rosenkreuzer, na qual os inocentes Heindelianos acreditam que
foi uma pessoa real, porque são incapazes de analisar os mitos, dizem que ele
51
escreveu o Liber M . “M” é o círculo e o compasso, símbolo da evolução e da
involução, e estas vivem internamente e sobre isto não se pode escrever.

Rosenkreuz diz que fundou o primeiro convento Rosa Cruz com o irmão
G.V. e se juntaram a eles os irmãos I.A. e I.O. e, em seguida, quando eles
estavam juntos, IAO se declaram justos e perfeitos. Dizem os manuscritos, que
todos eram alemães, menos IAO, na qual, era único (solteiro) e por isso universal
e juraram celibato. Isso não te diz nada?
52
Andrea é o autor de muitas dessas coisas e sabia escrever em um
simbolismo muito bonito, ele riria em seu túmulo se soubesse que os
Heindelianos levaram tudo ao pé da letra. A ignorância é ousada.

Um autor alemão que estudou a fundo as obras Rosa-cruzes e que é um


verdadeiro Iniciado diz: “As sociedades atuais da Califórnia não têm nenhuma
ligação com os mistérios e com o antigo ensino Rosa-cruz e usam arbitrariamente
o nome da Rosa-Cruz”.

Eu recomendo aos chamados Rosa-cruzes lerem principalmente, antes de


tudo, os livros bíblicos apócrifos, e então os filósofos como Heráclito, Parmênides,
Empédocles, em seguida, Ilíada e da Odisseia de Homero e, finalmente, o que
49
Sir Subbier Subramania Iyer (1842-1924), foi um advogado, jurista e lutador pela liberdade indiana.
50
Seguidores de Max Heindel (1865-1919), foi um ocultista, astrólogo e místico cristão dinamarquês de origem
alemã, radicado nos Estados Unidos.
51
Existem 3 Livros que são citados na Fama Fraternitatis, em especial: Liber M, Liber H e Liber T. Os Rosa-cruzes
estudam o Liber M, ou seja, o Liber Mundi, o Livro do Homem, da Natureza e do Universo.
52
Johann Valentin Andreae (1586-1654), foi um teólogo alemão, apontado por muitos como o principal autor dos
manifestos rosacruzes, como o Fama Fraternitatis.

24
Logos Mantram Magia

resta dos Afitas, e dos Naassênios, dos Peraticenos, e dos Setianos, aquela seita
ofítica do segundo século, que cultuavam à sabedoria divina, que conhecia a
chave para se comunicar com os anjos, e que leiam Simão, o Mago, e os
carpocracianos que tiveram esses belos templos em Espanha.

A Igreja apresenta todo o gnosticismo como heresia e também o que não


deve ser lido, porque lhe convém.
53
Os bardesanistas são para mim a ponte entre o orientalismo e o
cristianismo e a transmigração (metempsicose) dessas pessoas é muito maior do
que o jeito budista trazido pelos teosofistas.

Talismã com as inscrições:


IAO ABRAXAS SABAOTH

54
Leiam Basilides que, segundo a Igreja, era um discípulo direto de um dos
apóstolos e ele analisa o Abraxas55 do nosso ritual Rosa-cruz. Abraxas gerou a
inteligência para Nus e esta é a razão que passa pelo Logos, a sabedoria, para
chegar ao poder56.

Tudo, absolutamente tudo, que os teosofistas trazem como filosofia e ideias


religiosas da Índia estão nas obras dos basilidianos e do sabelianos, mas isso a
57
senhora Besant não sabe.
58
Os Sabelianos têm sido aqueles que falam de forma precisa e clara sobre a
mônada e da hierarquia da Fraternidade Branca com mais pormenores que

53
Seguidores de Bardesanes (154-222), um gnóstico siríaco.
54
Basilides foi um gnóstico, que ensinou entre 117-138 d.C. em Alexandria, Egito.
55
A obra The Gnostics and Their Remains (1887), de Charles William King declara ter em sua posse uma joia de
Abraxas escrito: Jesus Cristo, Deus dos Deus, “IAW”.
56
Essa explicação é dada por Ireneu de Lyon (ca. 130-202) em sua obra Sobre a detecção e refutação da chamada
Gnosis, também conhecido como Contra Heresias (Adversus Haereses, ca. 180 d.C.).
57
Annie Besant (1847-1933), foi uma teósofa, presidente da Sociedade Teosófica.
58
Seguidores de Sabélio (? – 215 d.C) que foi um teólogo cristão. Formulador da doutrina do monarquianismo
modalista da Trindade e da crença não-trinitária.

25
Logos Mantram Magia
59
Leadbeater , mas não temos acesso aos arquivos, era necessário importar da
Índia e em sânscrito, e eles estudaram profundamente a evolução da Mônada,
que constitui a tríade superior. Esses conceitos são consolidados no Modalismo
(de Sabélio) que define o que é o Verbo, o Logos, a Voz e Som da boca de Deus,
movido ar, inteligível para o ouvido humano. Eu recomendo os meus amigos ler
60
as controvérsias de Tertuliano e, então, cairá um venda dos seus olhos e
compreenderão quão mal foi não estudar os nossos ocidentais ou pré-cristãos,
em vez de pegar emprestado dos indo-ingleses.

Mas vamos ficar com o nosso tema que é a Linguagem e ver como os índios
61
mexicanos explicam a Criação .

Não havia – dizem – exceto o Caos, embora coberto por um céu


majestosamente eterno. Só Deus existia, TEPIU K'OCUMATZ62, em forma
andrógina. Isso é, do sexo masculino e feminino, Pai e Mãe, ao mesmo tempo, o
Criador e a criatura. De EL, veio Huracán, que significa, para os índios antigos,
Vento, Sopro e Palavra…
63
HURACÁN , como Divindade, também é parte de TEPIU K'OCUMATZ, pois
dizem, que EL se valeu do Sopro ou Palavra para criar o mundo. Ele disse que
apenas a TERRA! E a terra foi feita, em primeiro lugar, uma nuvem, em seguida,
como uma baba gelatinosa e finalmente uma massa sólida e concreta da Terra.

Tepeu K'uq'umatz

E das nuvens saíram as Divindades CHIPI CALPULHA e RAJA CAKULHA


que fizeram os animais. Mas estes deuses eram sábios e conheciam os segredos
da Natureza, porque eles eram possuidores da linguagem da luz, e a primeira
coisa foi obrigaram os animais a falarem. Conversem! Eles disseram, mas apenas

59
Charles Leadbeater (1847-1934) foi sacerdote da Igreja Anglicana e Bispo da Igreja Católica Liberal, escritor,
orador, maçom e uma das mais influentes personalidades da Sociedade Teosófica.
60
Quintus Septimius Florens Tertullianus (ca. 160-220), foi apologista cristão, ele cunhou a palavra “Trinitas”.
61
Popol Vuh, do idioma quiché maia, “livro da comunidade”, é um registro documental da cultura maia, produzido no
século XVI, e que tem como tema a concepção de criação do mundo deste povo.
62
Tepeu, do quiché maia, “aquele que é vitorioso”, deus do céu e um dos deuses criadores; Q'uq'umatz, deus supremo;
nomes: Gucamatz, Cuculcán ou Kukulkán..
63
Hunraqan, do quiché maia, “o de uma só perna”, da mitologia maia, é deus do vento, tempestade e fogo e um dos
deuses criadores; nomes: Hurakan, Huracán, Tohil, Bolon Tzacab e Kauil

26
Logos Mantram Magia

FALEM o nome de Deus e, os animais obedeceram, desde então não fazem mais
do que FALAR este santo nome, cada um na forma e maneira, de acordo com
seus respectivos corpos.

E continuaram os Deuses dizendo: só devem VIVER aqueles que sabem


pronunciar o nome de Deus. Não vale a pena que os outros existam, se não
conhecem a linguagem. Eles devem perecer…

Então, aqueles que não podia falar, eram muito grandes e pereceram.
64
Aqueles que viveram, ficaram sob a custódia de Xpiyacoc , porque esse Deus, de
acordo com os códices, tinham dentro de si mesmo a Língua, a Palavra, e o
Logos. Mas aqui havia apenas animais, queria Xpiyacoc que existissem seres a
imagem e semelhança dos deuses e, em seguida, deu-lhes uma forma inanimada
construída do barro. Mas quando ele percebeu que faltava o Alento, a Vida, se
valeu do seu nome e de Huracán, quem soprou e deu a vida.

Havia na Terra todos os tipos de árvores, e entre elas um de cujo fruto era
proibido comer. No entanto, os seres de barro, e encorajados, ignoraram este
mandamento e eles comeram, irritando TEPEU K'UCUMATZ (assim também
escreve alguns autores) que mandou-lhes a punição do Dilúvio. Desde então seu
nome foi perdido…

Ao nomear os Maias, o Deus Supremo apenas suspirou como que


pronunciando a letra H…

Quando a água do Dilúvio foi cobrindo a Terra, alguns homens se


refugiaram nas árvores gigantes, mas a água foi erodindo o solo até soltar as
raízes e fazendo eles caírem e as aguas sepultaram suas vítimas, alguns se
salvaram na forma de macacos. De acordo com os Maias, o homem não
65
descendente do macaco, como Darwin acreditava, mas os macacos de nós.

Os deuses voltaram a fazer novos homens e, desta vez, não como barro pois
havia dado mal o resultado anterior. Agora eles voltaram a fazê-los do MILHO de
cor diferente, depois disso, durante o sono, eles se uniram as mulheres, que
tinham vindo do mundo invisível. Xpiyacoc e seu poder havia prevalecido…

Há autores que sustentam que não foi somente as mulheres que vieram do
mundo invisível, mas toda a raça humana, referindo-se a um mundo invisível,
como um país que estava do outro lado do mar e que se chama TULAN (Tule?)
aonde moram os deuses. Nada disso é verdade, dizem os índios, sobre a formação
de seres de barro, mas primeiro homem veio da PEDRA OBSIDIANA ou pelo
menos, se foram feitos de barro, ao menos, tinham que ser alimentados com esta
PEDRA. Seguem afirmando que o poder da Palavra, o poder da Falar, foi
conseguido porque o Coiote e o Corvo comeram o milho, mas Xpiyacoc para obter
esse milho, foi compelido a abrir a barriga deles e verter sangue. Com este
sangue, sacrifício de sangue, completou os homens e deu-lhes que faltava,
redimindo-os e elevando-os. Sem embargo, ainda necessitavam de algo, então o
Beija-flor foi buscar a serpente TAPIRO que, mesclou seu sangue e fez todos os
homens despertar, na qual foram novamente semelhante aos deuses.
64
Deus-avó criador da humanidade, de acordo com a mitologia maia e do povo quiché
65
Charles Robert Darwin (1809-1882), foi um naturalista britânico, autor da teoria da evolução das espécies.

27
Logos Mantram Magia

No início, havia apenas treze homens e catorze mulheres. Destes vinte e


sete descenderam todos os homens. Eles se casaram entre si e, assim, a espécie
se perpetuou.

Mas a porta para Tulan – onde moram os deuses – foi fechada, e um véu
misterioso havia ofuscado o oculto e mágico saber, forçando os homens a
aparecer nus, sem conhecimento, sem a Linguagem dos Deuses, na perpétua
ignorância. Então eles pensaram em voltar à cidade dos sonhos… e tentando, eles
notaram que a porta era guardada por um morcego.

Aqui alguns homens, que tinham permaneceram isolados, conservaram a


Sabedoria de seus pais e seus segredos, mas eles foram proibidos dar aos demais.
Qualquer um que quiser SABER, deve negociar por si mesmo na porta misteriosa
que continua sendo defendida por um guardião perene…

Faltava a LUZ, pois até então só havia escuridão, então, os homens


concordaram em pedir aos deuses. Esses satisfeitos com a demanda se ocupam
em fazer Luz, mas os homens cansados de esperar, buscam eles mesmo em
obter-la no caminho de Tulan e em outros caminhos.

Eles chegam a um lugar chamado Tulan-Zoiva e o primeiro Deus que os


receberam foi Tohil. Como eles tinham vindo de diversos lugares, desde do norte
ao sul do México, do Peru e etc., todos estranharam e se encantaram ao mesmo
tempo, que os Deuses, especialmente Tohil, tinham o mesmo nome… Uma
exclamação de alegria explodiu no coração de todos os peregrinos neste momento
de felicidade e daí veio os fundamentos da Fraternidade humana, que nasceu
deste modo.

Feliz foram os homens que voltaram de Tulan, mas algo surpreendente


aconteceu no caminho. Já não se compreendiam, sua língua havia mudado, o
desespero se apoderou deles. Então se espalharam por todo mundo, distribuindo-
se em famílias, na qual falavam a mesma língua, com a constante preocupação
de falar a linguagem primitiva.

Balam Quitzé

28
Logos Mantram Magia

Com a perda da linguagem que haviam aprendido em Tulan, todas as


tribos se queixaram e sairam em nova peregrinação procurar pela ajuda de
Balam Quitzé (do quiché maia, “jaguar que ri”) de quem esperavam salvação, mas
este simplesmente diz: eu vou dar-lhe FOGO e vou dar-lhe LUZ… Eles as
servirão para que busqueis por vós mesmos a Língua esquecida…

“Veio então, a Estrela da Manhã. Dela surgiu o Sol e os homens renderam-


lhe adoração aguardando obter de sua esplêndida luz a língua tão esperada do
salvador".

Milhares e milhares de teósofos e ocultistas buscam chave da Iniciação,


procurando encontrar um segredo íntimo que está oculto em todas as nossas
filosofias e estudos e que não pode ser escrito. Os grandes escritores vislumbram
que existem muitas maneiras de conseguir. Eu que tenho quase meio século de
estudo nesses assuntos, que tenho os mais altos graus da Maçonaria – 3-33-97 –
que pertenci à sessão esotérica da Sociedade Teosófica, que sou um membro de
mais de vinte sociedades secretas, como a O.T.O. e A.A. nas quais tenho o último
grau, que sou bispo da Igreja Gnóstica – consagrado com ordinal primitivo e
anglicano – que sou comendador da Fraternidade Rosa-cruz, tenho ligação com a
Fraternidade Branca, a Hierarquia do Invisível, que pertenci a velha guarda de
Papus, Eliphas Levi, que tratei pessoalmente com os principais ocultistas do
mundo, declaro que, para mim, a vocalização, o uso dos mantras e a oração,
mediante o despertar das secreções sexuais, é o único caminho de chegar a
meta, e o resto é, infelizmente, uma perda de tempo.

29
Logos Mantram Magia

O MESTRE FALOU… E NOS ESCUTAMOS


EXÓRDIO
Não fale a todos de coisas belas e transcendentes…

Como no provérbio bíblico, seria como jogar pérolas aos porcos66.

Mas…

À todos, sobre a taça de todos, doce ou amargo, frívolo ou ignorante,


derrama seu VINHO e com ele, a pétala da rosa do sonho…

Para aqueles com a eterna inquietação de desejos supremos. Para aqueles


que sentem uma ansiedade de que foram não realizados e vivem esperando…
esperando… o dia luminoso que há de vir… Para eles será o bálsamo, o néctar, a
magna palavra que abre todas as rotas e ilumina todas as sendas.

Para aqueles que não têm fome e sede para a vida, para os frívolos. Para
aqueles que vão com um passo rápido para a senda e não veem a floresta, nem o
pássaro que canta, nem o doce murmúrio do riacho, ou a grata velha fonte de
som cristalino – como disse o poeta – … Para esses, não será o bálsamo, nem a
Magna Obra, mas… se beberem desse vinho sagrado, além do tempo, seu sabor
florescerá e preencherá sua taça.

Não fale tudo, no entanto, as coisas belas e importantes…


Mas…
Faça um vínculo que se forma neste instante.
Abra sua compreensão.
Encha sua taça…
Cuidado para não derramar sequer uma gota deste Bálsamo da Vida.

66
"Não dêem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles,
voltando-se contra vocês, os despedaçarão" (Mateus 7:6).

30
Logos Mantram Magia

A LÍNGUAGEM DIVINA
No primeiro amanhecer do Mundo. No primeiro dia. Ao soar da hora
culminante, o LOGOS se fez carne e brotou – nas entranhas estáticas e
67
resplandecente do Paráclito – o primeiro “FIAT”. A PALAVRA que precede
tudo… O ALPHA que tudo começou… A ENERGIA espermática que encarna
tudo… Veio o nascente puríssimo da PRIMEIRA E DIVINA LÍNGUA…

“A PALAVRA DE DEUS”

Há um idioma, uma linguagem natural.

Esta linguagem da natureza – eternamente viva e eternamente sonora – tem


as suas formas… as suas caraterísticas indestrutíveis… a sua escrita
inalterada…

Estas formas, estas caraterísticas, esta escrita única e primordial não pode
ser falada sem conhecer a joia, a raiz escondida da linguagem humana.

O que significa, no sentido humano, por linguagem e por escrita?

A causa raiz, o sentido primordial da linguagem humana, não é nem a sua


organização ou estrutura, nem na pesquisa do saber. A causa raiz se encontra no
EL. Dentro do EL. Em sua intimidade mais íntima. Na joia iluminada.

El

A causa raiz é o divino sol de acontecimentos transcendentais.

Linguagem e escritura são os únicos meios para o cultivo da razão. Todas


as raças, todas as nações, todos os povos da terra, alcançaram sua cultura por
meio da linguagem, mas… nenhuma das línguas dos homens alcançaram a
perfeição.

A evolução e o progresso da cultura em todos os povos é relacionado


proporcionalmente à sua escrita e sua linguagem.

67
Do grego que significa “aquele que consola ou conforta” ou intercessor, no cristianismo é utilizado para se referir
ao Espírito Santo.

31
Logos Mantram Magia

A perfeição existente em todos os idiomas, em todas as línguas, arrasta


nossa razão para aceitar imperiosamente a existência de uma linguagem única,
isolada, primária, cristalina, de belas e puras tonalidades harmoniosas que, em
todas as expressões, em todos os vocábulos, é justo e perfeito em todos os
sentidos.

O desejo do homem de cobrir tudo por meio da linguagem, para saber tudo,
aprendendo muitos idiomas, nos obriga a supor que houve uma língua perfeita,
infinita, radical e há caminhos sobre esta existência em velhos pergaminhos
empoeirados das mais antigas tradições.

Mas… Esse idioma, essa linguagem, diz nossa investigação, se perdeu


substancialmente e a tradição também.
Todas as línguas antigas são apenas derivações dessa linguagem
primordial e apesar de suas imperfeições, seus defeitos, provam que são um eco,
talvez uma imitação distante da primitiva raiz-mãe.

Sendo a linguagem e a escrita os únicos meios de informação entre os


humanos sendo a causa de toda obra, de toda cultura, mas é preciso pensar que
a língua primordial superou todas elas, quando uma remota humanidade
superou em conhecimento a humanidade de hoje.

O primeiro idioma era uma língua cheia de verdade, de força, de pureza


original, de razão e de luz… e seus caracteres são justos e perfeitos.

Em cada obra da natureza, por toda parte, se encontram estes invariáveis


caracteres.

Esta linguagem de luz essencial, primordial, teve diferentes ramos que


continham o Divino, o Espiritual e o Físico. Daí a linguagem da luz, linguagem do
espírito e da linguagem natural. O nexo de união de todas os ramos, um troco
comum que deu origem a linguagem primordial.

O primeiro homem foi forçado a ter essa linguagem. Mas foi perdida.
68
Os Moabitas falavam ela.

As sucessivas gerações a perderam. Mas a tradição, o laço de conexão dos


Iniciados, conservou com autorização da hierarquia branca da Fraternidade
Rosa-cruz.

Os Iniciados antigos a conheciam.

Foi neste idioma inefável e absoluto que Moisés recebeu as Tábuas da Lei.
O Egito e, acima de tudo, nas florestas alemãs – quando os homens cantavam
com ritmo alegre elevando suas almas através dos sonhos – esta linguagem divina
foi considerada uma língua sagrada.

68
Habitante de Reino de Moab do Antigo Testamento. Descendentes de da filha de Ló, com seu próprio pai. Elas
embebedaram o pai e as conceberam cada uma, um filho do próprio pai. A mais velha gerou Moabe, patriarca do
povo moabita e a mais nova gerou Ben-Ami, patriarca do povo de Amom, os amonitas.

32
Logos Mantram Magia

Todos os Iniciados conhecem esse idioma sagrado. A missão de todos os


Iniciados é ir, lentamente, pelo caminho aonde podem encontra-lá.

Na reconquista desta linguagem suprema está baseado toda


Iniciação. O homem aprende a falar com a legião de irmãos invisíveis e, como
um rio de ouro, a senda conduz a uma santa quietude que se derrama na selva
do Sol.

Os Apóstolos receberam como um dom sagrado.

Os Rosa-cruzes, todos os Iniciados da Fraternidade, receberam o Espírito


divino e seus vasos sagrados o conservam como místicos depositários. A todos se
abre o caminho, a senda, a rota mágica para reconquistá-la. As bases estão nas
69
práticas dos Iniciados Rosa-cruzes .

Nesta linguagem encontra a conexão, o caminho e a comunicação com os


mundos invisíveis.

Nesta linguagem, nessa escrita de luz está a síntese de todos os mistérios


intelectuais e físicos.

Esta linguagem de poder é o PODER dos PODERES.

Os caminhos para alcançar esta linguagem de luz, são:

Fé.
Autoconhecimento.
Inocência.
Modéstia.
Oração.

Renúncia.
Igreja.
Purificação.
Observação.
UNIÃO.

Aleph

69
Referência ao Curso de Magia Rúnica do Mestre Huiracocha.

33
Logos Mantram Magia

Dar essa linguagem para alguém, é dar posse da suprema dádiva, é a


MISERICÓRDIA dos Mestres e de DEUS em nós. O Aleph70 deste idioma divino é
71
o divino Logos – o Crestos .

Assim, como o alento de nossa boca, o verbo físico move-se suavemente em


um panorama material de nossos pensamentos e sentimentos para a alma de
uma terceira pessoa. Assim, esse alento – o espírito divino – do TODO-
PODEROSO foi alcançado mediante o LOGOS, como em si mesmo, produziu tudo
o que existe.

Quando esse alento, saído do Logos divino, se volta a convergir em nós


como VERBO da suprema linguagem, então o Divino, que é Espiritual e que é
Físico, se unirá em uma linguagem de luz e, deste modo, o Iniciado estará na
72
possessão da Palavra Perdida de Hiram – dos Maçons – da Palavra de Luz, e na
posse de todos os poderes de Cristo, que é o tudo em todos.

70
Aleph é a primeira letra de vários alfabetos semíticos, como hebraico e árabe.
71
O Sol por detrás de Cristo.
72
“O Sol se levantou, o fantasma do tempo se desvaneceu,a Palavra Perdida foi encontrada”.

34
Logos Mantram Magia

A LÍNGUAGEM NATURA E PRIMITIVA


LÍNGUAGEM EM GERAL
Sob o nome da linguagem, entendemos uma manifestação de poder, de
energia, segundo o qual se manifesta uma força interior que irradia para o
exterior. Todas as coisas da Natureza têm a sua linguagem peculiar. E assim,
observamos que todas as coisas da natureza podem se expressar em sua
linguagem peculiar.

As forças de cada Entidade estão ligadas aos meios de expressão e, entre as


forças e o veiculo de expressão, tanto quantitativa como qualitativamente, há
uma relação exata, de tal modo que cada Entidade pode se expressar na sua
forma precisamente de ser.

Podemos dizer que é a Força das Forças ou que é que DEUS, que se
expressa cada dia e cada hora mediante sua força.

O cristalizado, a vivacidade dessa expressão, é a Palavra Física. O


intangível, o etéreo e eterno, é o alfabeto físico. Todos vem a ser como tipos ou
estruturas físicas de uma expressão da energia divina.

Cada coisa na natureza, cada forma de expressão é diferente das demais,


por suas condições. Entre as mesmas condições há uma diferenciação de Causas
e Efeitos, de energia, de órgãos e formas.

Cada estado é uma letra. Várias Letras dão uma sílaba. E o conjunto delas
formam uma Palavra… A Natureza é uma escritura viva, indestrutível, eterna, por
meio da qual se comunica a VERDADE, desde o primeiro dia brilhante da
criação, para aqueles que aprenderam e esculpiram em si esta escritura.

Cada entidade corpórea ou manifestada é um espelho fiel do que está no


seu interior e de todo o universo, um conjunto de caracteres diferentes sobre a
natureza das coisas. Relações, particularidades, modos, aplicações paixões…
unidades de todas as características que se combinam para formar um conjunto.

Todas as formas – desde o mineral mais elementar, da flor mais perfumada,


ao homem de inteligência mais genial – são letras vivas de um grande Alfabeto
Universal e de toda a Natureza, sublime e cintilante, será um livro aberto da
Verdade e do Amor divino.

Tudo o que existe é um belo hieroglífico… Cada corpo é o símbolo de uma


força sutil e invisível análoga a ele e que vive dentro dele como o sal vive diluído
imperceptível na água que o contém.

Inevitavelmente, por conseguinte, deve existir uma escritura dentro do


conjunto dos caracteres da Natureza, como um livro aberto, está na frente dos
olhos dos que sabem ler… Aonde pode ser percebido cada símbolo e com esta
73
percepção ascender até as formas genuínas e primordiais .
73
Entendemos que além da Clarividência, devemos utilizar a metodologia de análise junguiana ou simbólica-
analógica, na qual busca amplificar a imagem simbólica, traçando relações de semelhança com outros

35
Logos Mantram Magia

A linguagem humana – que une a alma do primeiro homem com a alma do


último homem, pois é o veículo de expressão entre os homem, entre a razão e
entre a alma – difere da Linguagem Primordial, pelo motivo de que a primeira é a
manifestação de forças intelectuais e espirituais, e a segunda é interna, invisível e
secreta.

A fonte misteriosa – de som cristalino – desta linguagem está dentro do


homem, mas… nem a investigação, nem a instrução, nem a sabedoria podem
encontrar ou explicar o fenômeno de sua existência e origem… A Linguagem
Primordial provém de causas transcendentais que só o transcendental poderá
encontrar.

A Linguagem e a escrita são os únicos atributos, os únicos meios, pelos


quais o homem pode expressar suas forças espirituais de ação, refletindo sempre
suas manifestações. Há ações faladas e ações em si, não é nada mais do que a
vivente escrita do coração que, embora silencioso, fala.

A origem da linguagem humana, por conseguinte, está no próprio homem.


Isso quer dizer que as nossas forças intelectuais podem conter a base de sua
potencialidade como REALIDADE74.

Como a nossa parte intelectual é distinta da nossa parte sensível, em que


refere-se aos sentidos físicos, nem são a organização, nem a instrução, as chaves
mágicas podem dar essa base tácita e escondida.

E não é a organização, porque não tem o homem o fundamento intelectual,


e não poderia valer-se dela. E não é a instrução, porque o homem, sem
conhecimento prévio, não estaria capacitado.

Por isso, a estrutura incorpórea de toda linguagem deve estar na parte


intelectiva do EGO interno.

Linguagem e escrita são os meios gerais de instrução e educação dos


homens.

Através da linguagem e da escrita se verifica todos os inventos e todos os


descobrimentos dos homens. Pelas palavras foram feitos Monumentos e a escrita
passou para a Posteridade.

A linguagem fez os humanos, seres humanos. Ele coloca fios imantados em


suas afeições. Provocou monumentos razoáveis.

A linguagem fez Leis e uniu as Raças. Por ela foi possível ou realizável obter
a História da humanidade em forma hereditária, de coração para coração, de
alma para alma.

Pela linguagem minha alma se une a alma do primeiro e do último dos


homens. A linguagem é a natureza viva de nossa razão e por seu meio recebe o
símbolos, para melhor interpretá-los.
74
Caibalion diz que: "O Todo é Mente, o Universo é Mental".

36
Logos Mantram Magia

conteúdo e vai recebendo em continuação.

Sem a linguagem teria sido impossível para o homem chegar à razão,


porque só pela linguagem recebe a razão de uma forma sensível, pois pode um
homem sensato entender e comparar.

Para aquele que viu – ou pela expressão interna – a Unidade na


Pluralidade, o invisível no visível e, assim, ascendeu e fez comparações entre
causas e efeitos.

A linguagem não é apenas um meio ou veículo de expressão entre homens


e homens, mas também entre almas e almas.

Uma sensação inconfundível de forças invisíveis deverá preceder qualquer


civilização na humanidade, porque só com a realidade alcança o homem a
compreensão da razão.

Se o homem não tinha percebido nada mais do que as coisas visíveis, teria
agido como um animal. Para conseguir uma posição ética superior, ele só pode
levar a força da razão que refletia no invisível para o visível. Sem uma linguagem,
não seria possível este avanço.

Todos os povos do Universo alcançaram sua cultura através da linguagem,


mas nenhuma dessas línguas é perfeita.

Existe uma relação proporcional entre o estado de civilização de um povo e


a linguagem ou idioma que possui, mas este povo, seja ela qual for, não
ultrapassará uma limitação porque todos os idiomas expressam fases, reflexões,
atributos, qualidades das coisas, mas NÃO SINTETIZAM AS COISAS EM SI.

A imperfeição indubitável dos idiomas conhecidos nos obriga a assumir que


a existência de uma Língua perfeita, justa e harmoniosa, com uma escrita
insubstituível que, de forma absoluta, representa a coisa em si mesma em sua
verdadeira e absoluta VERDADE.

Até o desejo do homem de saber vários idiomas, que é uma prova de sua
tendência para a Unidade, nos faz supor que a realidade existente dessa
linguagem única como uma síntese do todo.

A linguagem não é outra coisa que expressões instrutivas e explicativas da


linguagem do VERBO de Deus. A língua mais perfeita, dentre todas, será aquela
que mais se aproxime dessa linguagem natural e primitiva.

Assim é o pensamento. Enquanto fala, pressupõe haver pensando, nenhum


pensamento será mais perto da verdade do que aquele que mais se aproxime
dessa linguagem natural e primitiva.

Todos os idiomas humanos são apenas derivações da primeira e única


linguagem, seja na fala e na escrita, pois, ainda que imperfeito, sempre carregam
em si sinais indeléveis da raiz ou mãe primitiva.

37
Logos Mantram Magia

A Invenção das letras não foi por um meio casual ou caprichoso. Os


primeiros caráteres da escrita eram símbolos da progressão da razão e da
compreensão e as primeiras palavras, expressões do sentimento e do
pensamento. Mas os homens ao se distanciarem em sua maneira de sentir e de
pensar perderam de vista a linguagem primitiva da luz. A multiplicidade
obscureceu o simples. A casca, o ovo fértil. Mas, em qualquer língua, um raio de
luz penetra, essa luz extinta da razão, consubstanciado nos caráteres da escrita.

Há certamente uma linguagem brilhante, que é silenciosa e perene, dentro


da essência humana, e que o homem perdeu ao obscurecer a Unidade, ao
distanciar-se dela, e ao extinguir o reconhecimento dessa linguagem. Portanto, o
homem caiu, mas mesmo sem a Palavra física que o ligava ao Divino, o homem
deve recuperá-la, porque nos falta a expressão sintética interna do Divino.

Como o homem estava descendo e afundando cada vez mais em sua


materialidade, mais e mais se extingue na sua alma as letras e, enquanto a
linguagem ganha em palavra, vai perdendo em espiritualidade.

A linguagem é o meio ou veículo através do qual Deus se entende com os


Deuses, espírito com espírito, alma com alma, razão com a razão. Esta mesma
linguagem foi que se serviu Deus para entender-se com os homens e manifestar-
se a eles, e por meio do qual seres intelectuais compreendem seres intelectuais.

A linguagem é o veículo de ligação entre os seres humanos e as entidades


de mundos superiores.

A arte de ensinar e instruir o homem foi necessária para o próprio homem,


desde o primeiro momento da sua existência.

As mais antigas tradições ensinam que os homens primitivos se


relacionavam consistente e constantemente com alguns seres celestes chamados
ELOHIM. Todavia, os ensinamentos dos ELOHIM nunca se perderam
completamente, porque existem sucessores e vão existido até hoje, e Eles
continuam a se comunicar com os Rosa-cruzes por intermédio desta Linguagem
Primordial. Os ensinamentos dos ELOHIM, que são os ensinamentos Rosa-
cruzes, nunca foi perdido e como foi comunicada, continua a ser comunicada, de
ouvido a ouvido, pela linguagem…

Elohim

Os Elohim eram os espíritos de luz, em nome de Deus, que comunicaram


as modalidades divinas e seus poderes. Isto significa que as fontes intelecto-
divinas da Divindade ou da comunicação com seres intelectuais são operados

38
Logos Mantram Magia

pelos ELOHIM, que dão à luz ao espírito e ao intelecto humano. É Deus Elohim
ou a Divindade que se comunica com os humanos.

Entretanto, para a maioria da Humanidade que abandonou o Caminho da


Luz e, por seu materialismo, se afastou da Divindade, a percepção da influência
destes Seres Celestiais e das Comunicações Elohínicas passaram a se fazer como
que por um raio distorcido, ou seja, por uma espécie de refração oblíqua, e não
por radiação direta da Divindade. Assim, obscureceu a linguagem primitiva e
deste obscurantismo brotou todas as línguas conhecidas.

Os primeiros idiomas foram mais perfeito do que os anteriores, e por


consequência, eles se aproximaram da linguagem primitiva. Entre os mais
75
antigos são dos alemães e suas Runas que são tácitas e contêm segredos
escondidos. Também existem na Ásia, onde as línguas são de grande pureza, as
quais refletem uma raiz única, em uma série de sentidos. Um desses curiosos
idiomas, que possui muito da Atlântida, é do País Basco (Espanha), povo Proto-
Caldeu, que segundo alguns pesquisadores tem uma estreita analogia com os
israelitas da Palestina, o qual demonstra sua origem na Ásia Menor.

A raiz ASK, fundamental do povo basco, é mais comum na América e se


encontra em muitas palavras ALASKA, ASKTECAS, etc. A raíz também aparece
na a velha Germania (Alemanha) com ASKENIS, um dos primeiros descendentes
76
de Jafé e o tronco de todos os alemães.

O idioma Bégalo (Bengali) tem setecentas palavras raízes como elementos


da razão das quais formam verbos e adjetivos.

Existem idiomas cujas palavras descansam em raízes de três letras, sendo


as outras progressões dessas raízes. Linhas de encanto ou de manifestação de
beleza é sua escrita, embora são caráteres mais antigos e simples, eles se
aproximam do idioma principal.

As letras da Linguagem Primitiva não são mais do que signos da razão. Os


seus pontos, suas listras simples, signos e também seus princípios e suas ideias;
todos juntos não são outra coisa senão a razão simbolizada.

Os mistérios e Iniciação Rosa-cruzes mantiveram a linguagem primitiva


como Noé conservou dentro da Arca (que é um símbolo) e Abraão era um sábio
nesta Linguagem. TEUT77 chamava a face da Divindade.

A luz divina projeta seus raios luminosos sobre os homens primitivos e eles
75
Na época que o Fama Fraternitatis foi escrito, o suéco Johannes Bureus (1568-1652) procurava provar que as
runas escandinas eram a relíquia da língua original perdida no Oriente após o dilúvio, mas preservada pelos povos
hiperbóreos.
76
Jafé ou Jafet foi o terceiro filho de Noé, segundo o relato do Gênesis. A tradição judia descreve-o como o fundador
da cidade Jafa. A tradição diz que os filhos de Noé são os progenitores de todas as raças humanas, Jafé seria o pai
dos europeus, persas e indianos (indo-europeus).
77
Teut ou Thoth, segundo o idioma dos egípcios.

39
Logos Mantram Magia

sabendo prendê-la, utilizavam-se da luz única para chamar seu Deus. O homem
desceu na região astral (a queda de culpa), e perdeu esta luz divina. Sua razão e
vontade ficaram completamente enfraquecidas. Ele começou a vaguear, o que não
era foi possível antes queda, e para sempre sua visão escureceu a missão de seu
destino.

Seu dever ainda é buscar essa luz substancialmente encerrado no idioma


divino.

Caído o homem na escravidão da matéria, ele perdeu substancialmente


seus elementos de compreensão que eram fornecidos pela Linguagem primordial,
porque em seu entendimento único via formas, manifestações e símbolos. Teve
que se orientar, então, procurou um meio que era divino e humano ao mesmo
tempo, a Linguagem. Meio, tal como o cordão de ouro que a Deusa se orientou no
labirinto, você pode transformar o homem primitivo em estado divino.

Só pelo LOGOS poderá o homem se unir outra vez ao seu Deus.

Por isso, Cristo é chamado de Logos, que se fez carne e habitou entre nós e
habitará em nós, porque, assim como a palavra física é a chave portadora de
nossas forças físicas, assim, Cristo é o acumulador de propriedade e qualidades
divinas.

O NOME DE DEUS É MAIOR MISTÉRIO DO MUNDO.

Nossos sentidos são muito limitados para compreensão de que DEUS É


ESPÍRITO, mas o seu nome exprime todas as suas qualidades e para aqueles que
aprendem a pronunciar corretamente o Santo Nome de Deus – o maior segredo
que possa existir – o Céu se abrirá e a comunicação com o Mundo Astral, com os
Mestres Ascensos e com os Elohim será restabelecida.

Pronunciar é evocar as forças inerentes à palavra. A palavra é real. O Pai


pronunciou ao filho e o filho para nós outros. É o Mistério mais santo de todas as
religiões.

Cristo e os Iniciados ensinam o nome de Deus. Os mantras que comunicam


os Mestres são os Poderes de Poderes.

Aprender a pronunciar o nome de Deus é o maior segredo que pode existir


e os discípulos se preparam pouco a pouco mediante práticas e pronunciações de
chaves que preparam a terra para receber um dia a santa semente.

Para entender isso é preciso saber o que é FORÇA e o que é a


manifestações das FORÇAS, algo muito unido no universo.

Espiritualmente é a força da razão, por detrás se encontra uma mente


treinada. A Vontade é a manifestação da Força. Razão e Vontade são palavras
intelectuais do espírito. Vontade e Razão, pensamento e sensação no físico. A
razão com a vontade formam, nos planos superiores, uma Unidade. Assim, tudo é
força e ação.

40
Logos Mantram Magia

Como o ser humano só concebe símbolos físico e suas abstrações, a porta


do mundo transcendental será fechada se ele não tivesse um órgão ou meio pelo
qual pode experimentar esse mundo transcendente. Este é a linguagem.

Este meio realmente existe e leva o espírito da filosofia as suas melhores


concretizações que eleva as compressões mais altas.

Este meio, não é outra coisa que, a forma-base do entendimento e nós os


Rosa-cruzes aprendemos na PNEUMATOLOGIA78 ou ciência espiritual.

O mundo astral é um intercambio entre o físico e o mental ou espiritual, é


o fio sutil de uma metamatemática que une a uma pneumática superior, porque
os matematas são formas originais da natureza, dos quais a Matemática retirou
seu nome, e por isso que chegamos à compreensão de formas mais elevadas,
entrando em um novo mundo de ideias e aproximando da razão pura que é Deus.

Assim, o homem, das suas limitações físicas, não pode compreender como
o entendimento pode medir as distâncias que nos separam das estrelas e que
encontre ali uma solução dos magnos problemas, assim como os filósofos
escolásticos não compreenderam o mundo transcendental sem ter conhecido
previamente as formas e meios pelos quais a razão humana vê.

Estas formas existem e são tão exatas como as linhas da geometria, aonde
encontramos magnitudes, dimensões e progressões numéricas idênticas à Luz na
qual todas as formas se tornam visíveis.

Estas formas estão, em um sentido espiritual, contidas na própria escrita,


mas se perderam dos olhos do homem material que só ficou com a letra morta.

Estas formas luminosas são conhecidas pelos Rosa-cruzes e que pela


Iniciação alcançam uma compreensão transcendental.

Os Mistérios Antigos, cujos os princípios são como os dos Rosa-cruzes em


função dos Mundos Superiores, conhecem a linguagem divina que é a chave da
Porta Transcendente. O alfabeto desta língua serve para formar os mantras pelos
quais nos colocam em comunicação com os mundos suprafísicos, chamado de
invisível. É a compreensão alcançada por eles pelas ideias mais puras, a Vontade,
e os sentimentos mais puros.

Esta linguagem é usada pelos Mestres e não podem ser dadas provas
públicas. Basta dizer que se comunicam como a luz que substitui as palavras
humanas.
79
Como Herder diz: Para que nas condições atuais da humanidade, o meio
de comunicação entre os dois mundos deve encarnar os aspectos mais finos e
sutis da razão e da vontade que poderíamos chamar de transcendental.

78
É o estudo metafísico sobre os seres espirituais, principalmente entre os homens e Deus.
79
Johann Gottfried von Herder (1744-1803), foi um filósofo e escritor alemão.

41
Logos Mantram Magia

O mundo físico não pode entender o que está fora de seu alcance, porque
não existe uma escala e uma Lei Natural, só o espírito pode se juntar ao espírito e
só as forças se juntam as forças.

Como a constituição humana é meramente um sistema de força, uma


ascensão do progresso humano é equivalente a uma ascensão de forças.

Esta acumulação de energia, essas forças, não podem ser de outro modo
senão pelo espiritual, pois hão de brotar puramente da razão pura, uma
sementeira de ideias que brotam de nossa razão espiritual.

Os Espíritos são órgãos, estruturas do próprio Deus, inspirados pela


Divindade, como os princípios fundamentais das ideias são animadas pela razão.

Assim, como a compreensão nos liga com as ideias e estas com a razão, as
forças espirituais nos unem com forças transcendentais, e estas, por sua vez,
com Deus.

Mas como Deus é a fonte mais abundante da razão pura e, portanto, uma
suprema luz celestial e intelectual, seus espíritos – como diz as Sagradas
Escrituras – são como os raios de uma chama de Luz. Portanto, somente a luz é
que nos pode comunicar com Deus.

Esta luz está entre nós, é a razão. Dentro dele temos o EGO divino. Ele só
se desenvolverá e se desenrolará pela escada que conduz à Esfera transcendental
e ascender as formas mais puras de luz.

Para a compreensão das coisas no plano físico, tínhamos necessidade de


órgãos e sentidos físicos. Para compreender as formas espirituais de luz, para
penetrar o transcendental, precisamos separar os mundos superiores, cujo o
primeiro patamar é o mundo astral.

Conservamos, pois, uma linguagem única nos mundos superiores que


devemos cultivar e aprender, como se aprende o alfabeto de qualquer língua,
junto com os caracteres da sua escrita transcendental. Para isso, o entendimento
e leitura do ritmo do coração e sua fala.

Todas as línguas são aprendidas por imitação. Igual condição se necessita


para aprender a Linguagem primitiva e, por consequência, o verdadeiro segredo
está na imitação de Deus. Precisamos de continuar a escala, começando pela
soletração…

Esta linguagem, para os Rosa-cruzes, nada mais é do que a modificação da


Luz divina. Precisamos passar, em seguida, pela iniciação para entender esta
linguagem divina e valermos conscientemente disso. Para entender isso, é preciso
perguntarmos como falamos e lemos ordinariamente.

Lendo, vê-se a razão nos caracteres de luz; falando, expressa-se com


sentimentos. Na linguagem comum, a língua é um instrumento de manifestação e
o órgão-veículo; é o ar interno do qual atua o espírito-pulmão. A Língua dar a
forma, enquanto o pulmão fornece a substância.

42
Logos Mantram Magia

Deus se manifesta sempre como Deus, mediante a linguagem e a escrita.

O que no estado físico é o som ou tom, é o Êxtase80 no plano espiritual. O


mais sublime é esta compreensão extática, como resultado ou síntese dela, é a
ascensão à Deus.

OM MANI PADME HUM!

80
O deus grego do êxtase é Dionísio, em grego Διόνυσος (Diónysos). Segundo Paul Tillich, o termo êxtase significa
"estar fora de si", é apontado para um estado de espírito, na qual a mente transcende sua situação habitual. O êxtase
não é uma negação da razão, é um estado mental em que a razão está além de si mesma, que transcende o sujeito-
objeto. É o estado que os místicos buscam alcançar. Mas o êxtase é uma preparação para manifestação do Mistério.
Muitas vezes é confundida com entusiasmo que significa "ter deus dentro de si", mas que modernamente já não
possui a conotação religiosa. Vemos nessa passagem uma chave para o Ritual Rosa-cruz.

43
Logos Mantram Magia

O VERBO – GÊNESIS
A letargia de séculos, de silêncio impenetrável, passando por todo os
antigos Mistérios. O Verbo-gênese, o Fiat espermático do primeiro e brilhante
momento, reside guardado em um hermético cofre de eras passadas e arcano
divino, a chave mágica que abre a porta dourada, que sigilosamente se esconde
atrás do fundo falso da Arca da Aliança…

Sério, grave e profundo, ao que parece, é o silêncio do Santuário. A única


voz de Deus – a voz inaudível – que fala suavemente, muito suavemente, ao
eleito…

Mas a Fraternidade Rosa-cruz, a guardadora dos sete caminhos floridos,


tem preservado a íntegra conexão tradicional com verdadeiros rituais, onde as
arcaicas verdades míticas adquirem sua pureza original e tornar-se nos lábios
dos Iniciados em Força e Sabedoria. Por isso, a Fraternidade celebra de tempos
em tempos as mesmas cerimônias, ritos idênticos e antigos Mistérios dormentes
adquirem uma nova e candente flor.

Onde está a Verbo-gênese, a Palavra de Deus?

Sílaba por sílaba, na profundidade da Linguagem primitiva. Na língua


primordial de Luz, sem a qual, a Mente carecia de um valioso tesouro ideográfico,
onde tivera, plasticamente, a sublime e justa manifestação da Verdade.

Qual é esse idioma principal de Luz?

Através dos tempos foi revelado… É a comunicação divina. Mas… A palavra


mudou e a voz permanece calada em nossos dias. É somente um patrimônio de
Iniciados entram no Templo do Saber Gnóstico e conhecem esta magnífica
linguagem. No entanto, é Cor, é Som, é Luz, e está no Ser, é a mesma substância
do Gênesis. Seu Verbo precede tudo. Se antepõem a toda criação. Por isso os
Gregos chamavam o homem de Alma falante, ou seja, a Encarnação do Verbo.

A sublime luz irradia nos Mistérios arcaicos. Interessante, neste caso, é os


Mistérios de Éfeso (Turquia), onde a natureza foi adorada na forma da Deusa
81
Ártemis. Foi lá que Crátilo , um dos Sacerdotes filósofos, se dedicava a explicar a
seus discípulos os Mistérios da linguagem; e Platão, em seus diálogos, faz
referência a ele, em uma discussão entre este Sacerdote e Sócrates, em que o
primeiro dá a conhecer os movimentos da boca e a posição dos dentes, para
pronunciar o D, T, O, I e R.

Todos os velhos ensinamentos dos Mistérios antigos coincidem com os


nossos Alfabetos, e são dimensionamentos imperfeitos da primitiva Linguagem.
Mas sendo esta Linguagem primitiva uma revelação imediata da Divindade,
devemos reconhecer que a Centelha Divina está no coração de todos dos outros,
mesmo no mais imperfeito. Assim, sabendo pronunciar todas as letras de A a Z,
formaríamos no espaço um corpo etéreo humano.

81
Filósofo grego, discípulo de Heráclito de Éfeso

44
Logos Mantram Magia

Se nós somos a encarnação do Verbo, é claramente dedutível, que todo o


nosso corpo e cada órgão não são outra coisa que um produto das letras
pronunciadas.

Se assim está no Homem, a organização microcósmica, facilmente pode ser,


de igual modo, no macrocosmo. A Hoste coletiva de Criadores divinos, os Elohim,
pronunciando a palavra precedente, as letras da linguagem mágica, criaram o
Mundo. Porque a Criação não foi obra imediata de Deus, mas de uma cadeia de
forças Elohínicas, estes maravilhosos arquitetos, instrumentos ativos da
82
Divindade Onisciente .

O Mundo veio em sua manifestação, do mesmo modo que veio o ser


humano e esta compreensão nos dá um paralelo curioso, na qual, existe entre
nossos órgãos de geração embrionária e os órgãos da linguagem.

O espaço entre o ouvido e a garganta existem canais de comunicação, uns


tubos finíssimos conhecidos com o nome de trompa de Eustáquio, do lado direito
e esquerdo das narinas, há um espaço aéreo de comunicação aberta com o
interior através da faringe.

Parte interna do ouvido

Da mesma forma, se comunicam os ovários femininos com o útero,


coincidindo, neste caso, que a Vulva é moldada na forma da nossa boca, órgão da
Linguagem, e uma estranha semelhança o Sexo com a Glote fonte de vibração.

Certamente a natureza sempre usa os mesmos meios para produzir efeitos


iguais.
Se a Palavra ou Verbo cria e produz à luz e esse nascimento é similar ao
nascimento humano, somos forçados a encontrar semelhança entre os órgãos
mediadores.

Para dar à luz a um ser é necessariamente obrigatório a Cópula, nós


podemos assegurar que o processo de penetração do ar para os pulmões é outra
Cópula muito semelhante que dá origem ao nascimento da Palavra.

Paralelos comparativos que refletem a mesma identidade de função entre o


Microcosmo e o Macrocosmo e a vontade de fazer luz sobre este grande mistério!
82
"Bereshit bará Elohim et hashamayim ve-et ha-arets". Do hebraico, que significa literalmente, "No princípio, os
Elohim criaram os céus e a terra". Elohim também podem ser entendidos como os Espíritos da Luz ou Exusiai (de
acordo com a angeologia). Sendo Jehovah um desses Elohim ou Javé-Elohim.

45
Logos Mantram Magia

NOSCE TE IPSUM SI NATURAM VIS NOSCERE.

Podemos dizer que todas as fases na qual passou a humanidade deixaram


a sua marca no desenvolvimento fetal e durante os nove meses de gestação o
embrião passa por todas as características de milhões de séculos de evolução
83
planetária, como ensina Ciência Hermética .

Todavia, ainda é para a medicina desconhecido por completo, o problema


do desenvolvimento e evolução do óvulo humano durante as primeiras semanas
de gestação.

Em nossos templos conhecemos este processo com todos os seus detalhes.


Veja um exemplo: Crê a ciência médica que é o mesmo embrião que se desenvolve
desde o começo, vindo posteriormente, o cório, âmnio, alantoide e o saco
84
vitelino . De acordo com nossos ensinamentos, este processo se verifica de
maneira oposta, sendo estes invólucros os primeiros que se formam…

Os invólucros citados, que crescem na massa fetal são antenas que


recolhem as forças cósmicas, na Lei Biológica o feto necessita que operem em
comunicação com os astros que influenciam seu desenvolvimento.

O embrião se encontra pela primeira vez com a cabeça para baixo. Em


seguida, passa pelo período vegetal. Mais tarde, perto do nascimento, permanece
meses em situação vertical. É o período animal. Apenas fica na posição vertical
quando ele entra no reino humano.

É tão exata esta comparação dual, que a evolução do mundo pode ser
estudada mediante a compreensão do desenvolvimento do embrião humano e ele
85
nos dá a Chave do Logos. Aprendemos, então, que a Biogenia está em proporção
direta e paralela com a Logogenia, pois as forças cósmicas entram para ser
fecundadas em nós e produzem a Palavra.
86
Tomás de Aquino descreveu que o nascimento é tríplice, ou seja, que
nascemos três vezes: da eternidade, da mãe e do Coração (aeæternalis ex patre,
temporalis ex matre, spiritualis ex Corde).

83
O nascimento do corpo físico é acompanhado por forças etéricas vindas do cosmo, as quais trabalharam durante os
9 meses de gestação para formar os padrões dos órgãos e funções. Que são trabalhadas pelo Curso Zodiacal.
84
São chamados de Anexos Embrionários; encontrados junto ao embrião em formação.
85
Ciência da Vida, ela trata das leis e meios para a produção de vida
86
Tomás de Aquino (1225-1274), foi um frade italiano cujas obras tiveram enorme influência na teologia e na
filosofia, principalmente na tradição conhecida como Escolástica.

46
Logos Mantram Magia
87
Santo Agostinho confessa o que chamamos de cristianismo existiam
séculos antes do nascimento do Nazareno, e também chamar a atenção para a
similaridade do Nascimento do Senhor e da criação do mundo com o
desenvolvimento do feto. “O Verbo se fez carne e habitou entre nós”, dizem as
Escrituras (João 1:14).
88,
Haekel num momento de clarividência, disse: a ontogenia (estudo das
origens de um organismo desde o embrião) é uma recapitulação da filogenia
(estudo da evolução entre grupos de organismos). Isto é, o processo de criação de
um ser humano é igual à criação do mundo.

A partir deste ponto de vista prático e original, estudam os Rosa-cruzes a


Mitologia, aonde dentro da narração mítica e da fábula se encontram as
supremas verdades simbólicas para aqueles que sabem ler. Apenas para aqueles
que estudam por deleite e frivolidade, sem ânimo de investigação, e que nada
dizem essas lendas sábias.
89
Medite por um momento sobre a lenda de Ísis e Osíris .

Ísis e Osíris eram irmãos e um casal divino que tomaram a direção e a


90
regência do mundo. Seu irmão, Tífon , espírito do mal, aparece de repente e
consegue pela astúcia o que não pode fazer pela força; Tífon fez que Osíris
entrasse em um caixão ou cofre para jogá-lo no mar. Tífon percebe que Ísis
procura ansiosamente o corpo. Então, Osíris é mais uma vez preso e seu corpo
repartido em catorze pedaços distribuídos pelo Mundo.

Ísis peregrina novamente, ansiosa e chorosa, à procura de seu irmão e


marido, em seguida, encontra os pedaços e sepulta-os em diferentes partes e
ergue diversos Templos onde se encontra cada um deles.

Do Coração de Osíris nasce Hórus (Aurus?) e retira de sua viúva mãe Ísis a
tiara de rainha e se torna o dono do mundo.

Osíris é a palavra primordial de luz e Ísis a natureza. Os princípios


Masculino e Feminino governam o mundo até que veio Tífon, a respiração que
em seu vertiginoso sopro deu origem à separação dos dois princípios, gerando a
palavra humana.

Hórus91 é a força do Logos, a energia do esperma, a síntese do Pleroma.


Uma parte de Hórus vive e bate no embrião humano, mais tarde, aparece a falar e
faz o VERBO.

87
Agostinho de Hipona (354-430), foi um teólogo e filósofo dos primeiros anos do cristianismo. Escrevendo na era
patrística, ele é amplamente considerado como sendo o mais importante dos Padres da Igreja no ocidente.
88
Ernst Heinrich Philipp August Haeckel (1834-1919), foi um biólogo, naturalista alemão, filósofo, médico, professor
e artista que ajudou a popularizar o trabalho de Charles Darwin e um dos grandes expoentes do cientismo
positivista.
89
Referência a fórmula IAO.
90
Helena Blavatsky diz que Tífon, ou Tifão, ou Apofis representa o aspecto tenebroso de Osíris.
91
“Seidade Todo-Poderosa, Seidade Cósmica, Tu, cujo brilho ilumina os mundos; Tu que é o hálito que faz tremer e
estremecer a tudo; com o signo da cruz, eu te conjuro Grande Ser, para que apareças sobre teu Trono do Globo
Solar”.

47
Logos Mantram Magia

Uma ponta do véu foi levantada. No entanto, enquanto a mariposa inquieta


se aloca em nossa Alma, não há um caminho estático, sereno e pacífico, os sete
caminhos luminosos, não há a divina compreensão do Logos, nem saberá qual é
o ponto do círculo donde os três enigmas do Tempo são destacados. Para
perscrutar o Arquivo do Cosmos nos faz falta a divina Linguagem de Luz e este só
se aproxima de nos mediante a JOIA, a LUZ…

Hórus é o Deus
Falcão, o Senhor do
Novo Aeon.

48
Logos Mantram Magia

CONCLUSÃO
A JOIA com seu IOA já disse, querido discípulo, pense sobre isso.

A etimologia da palavra joia é a latim GAUDIA (pl gaudium) gozo – prazer.


Assim também é chamado um anel que ostenta as imagens de Ísis e Serápis,
ligados por uma serpente. Isso também resume o que eu escrevi…

NINGUÉM EM SUA TERRA É PROFETA, repito o dito popular, e é esta


convicção que obriga as pessoas a buscar em países distantes novas
modalidades. O doméstico, do lar, da própria terra, se presente ou futuro, é sem
valor e não interessa.

Por esta razão a Sociedade Teosófica, em nenhum lugar do mundo,


alcançou mais adeptos do que na América Latina, introduzindo esta mistura de
Budismo e Vedantismo, que se afiliaram tantos não-crentes de outras religiões.
Aqueles que antes de haviam negado a Trindade cristã, não tiveram dificuldade
em aceitar, em seguida, Brahma, Vishnu e Shiva. Aqueles que tinha negado a
Ressurreição, aceitam plenamente a Reencarnação sem perceber que tudo é a
mesma coisa e que nada de novo havia trazido nestes ensinamentos…
92
O grande Jinarajadasa , um homem de muito conhecimento, foi
interrogado no transcurso de sua pregação acerca da Simbologia Arcaica da
América, encolhendo os ombros e confessou que não havia compreendido nada. É
natural. Ele só sabia de Karma e Reencarnação que são dogmas que requerem
demasiado tempo e longas palestras para introduzir na Espanha e na América à
maneira Oriental.

Karma, sim. Karma horrível engendrado pelos espanhóis, ou seja, os frades


que acompanharam os conquistadores para a América, na qual destruíram os
deuses Maias, Quichés, Incas e outros, que eram ídolos, se preferir, no entanto
eles estavam cheios de fluido, de forças e vibrações mentais daquele velho povo.

Ao destruir esses acumuladores do passado, uma parte se dirigiu, por


assim dizer, para os ídolos cristãos que ao se tornarem moda como o Coração de
Jesus, ou o Culto de Maria e de Santo Antônio provocaram uma reação nos ídolos
93
do novo continente e da Espanha, que no tempo de Carlos V não viu o pôr do
sol em seus domínios, mas perdeu suas colônias e hoje – da pena de dizer que a
política conduzida pela Companhia de Jesus – uma potência de segunda ordem.

Na América, o cristianismo alcançou os seus triunfos, mas os velhos


deuses e os velhos ensinamentos não dormem e a força inerente de seus templos,
trancado em seus manuscritos, estão pedindo constantemente pela ressurreição,
por isso, é um dever lidar com ele, para cancelar esse Karma, que foi provocado
pelos frades ao levarem o cristianismo e que hoje tratam de provocar os
Teosofistas Orientais a levarem para América essas teorias e filosofias de fora
novamente, sem nenhum acordo com as tradições do solo americano.

92
Curuppumullage Jinarajadasa (1875-1953) foi um autor indiano, um ocultista, maçom e teósofo.
93
Carlos V & I (1500-1558) foi o Imperador Romano-Germânico como Carlos V e Rei da Espanha como Carlos I.

49
Logos Mantram Magia

Nós, os Rosa-cruzes, de nossa parte, vamos cumprir este dever e


cordialmente convidamos aos demais que querem nos seguir, pois, em maior
número o trabalho será mais rentável e o fruto mais ótimo.

Os mistérios sempre existiram e São Paulo diz muito claramente: que,


embora existiram gerações passadas que não conheceram no tempo dele (Paulo);
disse em Efésios 3:4: “Lendo-me, podereis entender a compreensão que me foi
concedida do mistério de Cristo”.

O MISTÉRIO DE CRISTO É O MISTÉRIO ROSA-CRUZ.

Neste trabalho tenho sido tão discreto como deveria e tão claro quanto
pude. A Palavra ou Logos não é uma boca que fala, mas um ouvido que ouve e
um olho que pode ver nas entrelinhas.

O Mestre sempre diz as coisas certas, somente o discípulo, por vezes, que
não compreende o sentido.

Se este livro chegar nas mãos, da maioria dos advogados, médicos e


engenheiros da Espanha e da América, provavelmente consideram este estudo
uma aberração, devo dizer que o seu prejuízo é devido apenas a falta de
preparação anterior na nossa disciplina. Eu recomendo que vocês leiam primeiro
as obras simples, como dos teosofistas Leadbeater ou Besant e depois releiam o
que eu tenho exposto aqui. Aos meus discípulos lhe peço para não ler, mas que
estudem parágrafo por parágrafo este livro e pouco a pouco vão abrir os seus
olhos as coisas ocultas de grande alcance. A todos eu recomendo, leiam antes os
meus livros anteriores: Rosa-Cruz – Novela de Ocultismo Iniciático (1926),
Tatwametro ou as vibrações do Éter (1926), e Tratado de Quirologia médica
(1927) e, em seguida, se você ainda tem dúvidas, qualquer pessoa me envie uma
carta com questionamentos para o meu nome em Berlin-Heilingesee –
Alemanha, perguntando o que querem sobre estes estudos e eu farei o meu
melhor para satisfazê-lo.

Discípulo.

Eu mantive minha promessa. Que esta brochura te sirva de estímulo em


seus estudos e que você vá aplicando seus ensinamentos, dia após dia, com as
práticas usuais que foram dadas.

Este é a Via, o Caminho, a Senda para chegar à Meta – que se abre no


alvorecer da Tule distante – e por isso poderá exclamar um dia como Virgílio:

Felix qui potuit rerum cognoscere causas94.

94
“Feliz o que pode conhecer as causas das coisas”

50

Você também pode gostar