Você está na página 1de 3

Meu Coração


Todos em uníssono:

 
                
      
Um co - ra -ção tão va zio, tão sem a - mor pra dar; Sem pul sa ção,

            
22

    

     
sem ca - lor, sen - tin - doa dor do mal. Um mal que cor - ta, a - fli - ge e ti - raa

                     
22

 

    
  

        
   
28

    

       
for - ça de vi - ver; Me faz gri - tar por so - cor - ro e Teim plo - rar o Teu po - der. Meu co-ra - ção

 
                    
  
28

  

  
                                
34

       

          
é tu do que te - nho pra Te dar; Ea - go-ra me po - nhoem Teu al - tar e me en - tre - go. Es-

                 
       
34

   

Todos em uníssono:

  
                               
40


ten - dea Tu - a mão, eu que ro Teen - tre -gar meu co - ra - ção. Vem trans - for - mar
Meu Coração
2

                     

46

   

      
meu vi-ver, vem me fa zer re nas cer; Com Tu -a mão vem mol dar, meu co - ra -

                
     
46


Tu - a mão mol - dar,


      
52

     
    
        
            
ção é Teu. for - ça pra vi - ver;

             
52


é Teu. A Tu - a gra - ça bus - cou - me, me deu a for - ça pra vi - ver; Pa -gas teo -

   

      
        
58

     

   
pre - ço da mor - te; Oh meu Je - sus, co - moes - que - cer? Meu co - ra - ção é tu -do que

                   
   
58

   

   
                             
63

        
        
         
te - nho pra Te dar; Ea - go ra me po- nhoem Teu al - tar e me en - tre - go. Es - ten -dea Tu - a mão, eu

               
   
63

 

      
             
69

  

                
que ro Teen - tre gar meu co-ra - ção. Ea ca -da pul sa - ção eu me sin - to me - lho rar; Já não vi -

                        
    
 
69

   
Meu Coração
3

   
                 
75

      
         

              
- vo eu, mas Cris - toé quem vi - ve em mim. Meu co - ra - ção

        
        

75



  
                            
80

       
  

                      
é tu -do que te - nho pra te dar; Ea - go- ra me po - nhoem Teu al - tar e me en - tre - go.

      
      
80

Es-

            
          
86

      

                  
eu que ro Teen - tre -gar meu co- ra - ção. Meu co - ra - ção, meu co- ra -ção

                   
86

   
ten -dea Tu - a mão, é to - do Teu;

 
                             
92

 

   
          
me en - tre - go. Es - ten - dea Tu - a mão, eu que ro Teen - tre -gar meu co - ra - ção.

          
     
92

  


rit.

             
98

    
Que - ro Teen - tre - gar meu co - ra - ção.

       
           
98