Você está na página 1de 1

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM PERNAMBUCO

SUPERINTENDÊNCIA DAS CAMPANHAS EVANGELIZADORA


Pr. Presidente Ailton José Alves

PROJEFÉRIAS 2017.1 – CARTAS ÀS IGREJAS DA ÁSIA

Estudo 02 – Carta à igreja de Éfeso

TEXTO BASE: Ap 2.1-7

INTRODUÇÃO

A igreja de Éfeso se caracterizou por sua intolerância às heresias, pela defesa e cumprimento da doutrina
recebida dos apóstolos. Mas, Jesus a repreendeu por sua negligência quanto ao amor, pois havia descuidado a sua
devoção pessoal a Cristo e à Sua Palavra (Ap 2.4). Esta carta nos ensina que, mais que liturgia ou cumprimento de
mandamentos, o Senhor Jesus espera de cada um de nós, um amor sincero e devotado à Sua pessoa divina (Mc
12.32-34; 1 Tm 1.5; 2 Tm 2.22).

1. CARACTERÍSTICAS DA IGREJA DE ÉFESO. Esta igreja foi fundada pelo apóstolo Paulo durante a sua
segunda viagem missionária (At 18.19) e experimentou um grande avivamento a partir da terceira viagem do
apóstolo, quando houve batismos com o Espírito Santo, curas divinas e muitas conversões (At 19. 1-17).
1.1. Era uma igreja com grande conhecimento bíblico. O conteúdo bíblico e teológico da igreja em Éfeso era
singular. Esta realidade era o resultado do trabalho ostensivo de ensino do apóstolo Paulo, que durante três anos
seguidos os ensinou a Palavra de Deus (At 20.17-31). Durante esse tempo, Paulo lhes expôs “ todo o conselho de
Deus” (At 20.27). A igreja em Éfeso ainda teve o privilégio de receber uma carta pastoral enviada por Paulo (Ef 1.1-
5).
1.2. Era uma igreja ensinada por grandes líderes. Além de Paulo, a igreja em Éfeso teve outros grandes mentores
espirituais, como Timóteo e Tíquico. Alguns estudiosos afirmam que o apóstolo João, o discípulo amado, também
pastoreou aquela igreja.
1.3. Era uma igreja que conhecia as operações do Espírito Santo (At 19.11,12). Éfeso se tornou a principal sede
das atividades de Paulo na terceira viagem missionária e o lugar onde Deus multiplicou as Suas maravilhas. O Nome
do Senhor Jesus foi grandemente engrandecido por meio daquela Igreja.

2. A IGREJA EM ÉFESO REPREENDIDA POR DEIXAR O PRIMEIRO AMOR (Ap 2.4). Podemos definir
este amor como a alegria da salvação que nos impulsiona a declarar toda a nossa afeição a Deus (Sl 116.1). É o
enlevo que, no início, fez com que os efésios vivessem nas regiões celestiais em Cristo Jesus (Ef 1.3). Com o passar
do tempo, por descuidar do uso das armas espirituais (Ef 6.10-18), a igreja já não conservava o ardor daquele
sentimento descrito por Salomão: “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele se alimenta entre os lírios” (Ct
6.3).
2.1. O amor é o segredo da nossa íntima comunhão com Deus. Este amor é fruto do amor divino, que nos alegra
(1 Pe 1.8), nos estimula a momentos de devoção (Cl 1.4) e nos leva à obediência a Palavra (Jo 14.21-24).
2.2. O amor impulsiona o crente ao serviço (2 Co 5.14). Esta é uma prova inconteste do amor a Deus (Hb 6.10).
2.3. O amor nos prepara para a vinda de Jesus. A Bíblia afirma que a coroa de justiça está reservada aos que
amam a sua vinda (2 Tm 4.8).
3. COMO RESTAURAR O PRIMEIRO AMOR (Ap 2.5). Jesus não disse apenas a falta cometida pela igreja em
Éfeso, mas, como ela poderia restaurar sua condição espiritual.
3.1. “Lembra-te de onde caíste”. É a recordação da alegria proporcionada pela comunhão com Jesus, que já foi
desfrutada e a verificação do que nos afastou desta condição (Sl 51.9-12).
3.2. “Arrepende-te”. É o reconhecimento das faltas cometidas contra Deus e o abandono das práticas que O
aborrecem (1 Jo 1.7; Tg 4.9; Pv 28.13).
3.3. “Prática as primeiras obras”. O perdão e a restauração da comunhão, o amor a Jesus se torna como “nos dias
antigos” (Ml 3.4). Devemos rever os caminhos e as práticas que antes nos levaram para perto de Deus e foram
esquecidas com o passar do tempo (Lm 5.21).
CONCLUSÃO

A cura para o esfriamento do amor para com Deus é o reconhecimento das faltas e voltar às práticas das
primeiras obras. Jesus deseja ardentemente que vivamos em intensa comunhão com Ele.