Você está na página 1de 6

FORMULÁRIO DE DESCRIÇÃO DO PROJETO

EDITAL DAHW 2017

IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL:

NOME DO COORDENADOR (A): Rose Margarethe Costa

TELEFONE: 65 3222-2433

E-MAIL: Adps_cac2012@hotmail.com

IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO:

NOME DO PROJETO: Projeto Cáceres

DATA DE INÍCIO: 02/01/2017

DATA DE TÉRMINO: 30/11/2017

CUSTO TOTAL (R$): R$ 10.000,00

RECURSO SOLICITADO PARA A DAHW (R$): R$ 10.000,00

INSTITUIÇÃO APOIADORA: DAHW/FUNDHANS

ÁREA TEMÁTICA PRETENDIDA (VIDE EDITAL, ITEM 4) Exames de Contato

FAIXA DE APOIO FINANCEIRO (VIDE EDITAL, ITEM 4) R$ 10.000,00

1
DADOS SOBRE O PROJETO

Seção 1 - RESUMO DO PROJETO

O município de Cáceres apresenta-se como endêmico com mais de 01 caso de hanseníase/10.000


hab. e está localizado a oeste do estado de Mato Grosso o qual faz fronteira com o País Bolívia. A cobertura
das equipes de saúde da família até o momento ainda é de menos de 50% e as áreas descobertas estão
direcionadas ao ambulatório para notificação, diagnóstico, tratamento e acompanhamento durante pós-
cura principalmente na presença dos episódios reacionais. É uma região de transito temporário e fixo
advindos também de outros estados brasileiros. O Projeto Cáceres de Combate e Controle da Hanseníase
abrange uma população estimada de 90.000 habitantes numa área territorial com mais de 24.000 Km².
Somos referência regional de saúde para 22 municípios, incluindo o município de Cáceres, no quesito
de diagnóstico clínico da Hanseníase e suas reações, exame laboratorial, avaliação de incapacidades, bem
como as capacitações multiprofissionais em Hanseníase.
O contexto do projeto tem como fator principal a continuidade das ações para a redução da carga da
enfermidade no município, além fortalecer as ações de busca passiva e ativa dos contatos do portador
hanseniano, sendo que apesar dos esforços a cobertura referente aos exames de contato continua abaixo
da meta pactuada anualmente e para tal finalidade utilizaremos os recursos oriundos de parcerias sob o
trajeto da sensibilização e posteriormente a conscientização da população. O manual Operacional do
Ministério da Saúde do corrente ano adicionou mudanças na vigilância de contatos além dos Contatos
domiciliares devemos apresentar uma atenção mais que especial aos contatos familiares e sociais.
Nesta atividade para se obter eficácia a participação da mídia local existente no município será por meio de
aquisição e/ou parcerias e é claro implementar todas as estratégias viáveis e criativas que estejam ao nosso
alcance. O conjunto das ações que desenvolveremos no projeto estará diretamente relacionado com as
equipes da Estratégia da Saúde da Família, Universidade do Estado de Mato Grosso, Secretaria Municipal de
Saúde e com apoio de estrutura física Hospital São Luiz, Hospital “O Bom Samaritano” e outros profissionais
voluntários pela causa juntamente com este Ambulatório de Dermatologia, anexo ao Hospital “O Bom
Samaritano”. O período de execução será programado de janeiro a novembro de 2017 beneficiando toda a
comunidade em todas as esferas sociais que nos procuram espontaneamente da zona urbana ou rural, em
campanhas, encaminhados por outros setores da saúde, seja ela privada ou pública.

2
Seção 2 – COMO O PROJETO ESTÁ ORGANIZADO?
Objetivo Geral*: Implementar ações de controle da hanseníase na busca passiva e ativa dos
contatos domiciliares, familiares e sociais.

Objetivos Específicos Produtos Esperados

1. 1.
Melhorar o conhecimento dos profissionais em Número de profissionais treinados para
hanseníase especificamente diagnóstico precoce, diagnóstico e exame de contato.
e exames de contato.
2. 2.
Aumentar a cobertura de exames de contatos. Número de contatos examinados dos casos
notificados igual ou mais de 80%.
3. 3.
Intensificar a busca ativa dos contatos dos casos Aumento de número de contatos avaliados
notificados nas áreas cobertas e descobertas das através das campanhas e mutirões comunitários
equipes de saúde da família. zona rural e urbana.

Seção 3–COORDENAÇÃO DO PROJETO


3
3.1. Qual é a equipe técnica envolvida?
DADOS DA EQUIPE
Função no Projeto Função Institucional
Nome Formação Profissional
(Coordenação, apoio, etc...) (se houver)
Bióloga Responsável Ambulatorial
Sanitarista/PTNMSUS Programa Hanseníase,
-SES/MT Tuberculose e
Leishmaniose Tegumentar
Americana (servidora
Rose Margarethe Costa Coordenadora/Instrutora estadual)
Enfermeira Enfermeira Programa
Hanseníase Programa de
Hanseníase, Tuberculose
Jociély Maria Mendes e Leishmaniose (servidor
da Silva Instrutora municipal).
Aux. Enfer/Técnica de Técnica de laboratório
Laboratório- Programa de Hanseníase,
PTNMSUS-SUS- Tuberculose e
SES/MT Leishmaniose (servidora
Rosineide Ap. Malaguti Instrutora estadual)
Bioquímico Bioquímico Programa de
Hanseníase, Tuberculose
e Leishmaniose (servidor
Rogério Ramsdorf Instrutor municipal)
Enfermeiro Enfermeiro Programa
Tuberculose (servidor
Pedro Moron Apoio Técnico municipal).
Téc. Enfermagem Técnica de Enfermagem
Programa de Hanseníase,
Tuberculose e
Leishmaniose (servidora
Márcia Ap. Souza Meira Apoio municipal)
Médica Médica Programa de
Dermatologista Hanseníase (Servidora
Bárbara Klein Instrutora municipal)

3.2. Cronograma de atividades:


4
FE MA AB MA JU AG OUT NO
Ações/Atividades JAN JUL SET
V R R I N O V
1. Início do projeto-Aquisição de
X
insumos, material administrativo
2. Capacitação dos Profissionais de
Saúde da rede Atenção Básica,
Referencias Especializadas e Cadeia X
Pública; Acadêmicos de
Enfermagem e Medicina.
3. Treinamento Prático - Exame de
X X
Contatos Domiciliar e Familiar
4. Exame de Contatos domiciliares e X X
X X X X X X X
Familiares zona rural e urbana.
X X
5. Exame de Contatos Social X X X X X X X

6. Campanha Mídia Local X X X X


7. Mutirão nas áreas cobertas e
descobertas pelas Equipes de Saúde X X
da Família zona rural e urbana.
8. Exame de Contatos após 05 anos de X X
X X X X X X X
cura do caso índice.
9. Prestação de contas/ Avaliação do
X
projeto

3.3. Orçamento físico-financeiro


Ações/Atividades Total (R$)
1. Início das Atividades – aquisição de insumos e material administrativo R$ 2.000,00
2. Capacitação dos Profissionais de Saúde-Diagnóstico e Exame de Contato. R$ 1.700,00
3. Exame de Contatos zona rural e urbana – transporte e material de consumo. R$ 1.300,00
4. Mutirão zona rural e urbana R$ 1.000,00
5. Capacitação dos Profissionais de Saúde-Diagnóstico e Exame de Contato – Aula R$ 500,00
Prática
6. Insumos para laboratório R$ 3.500,00
TOTAL R$ 10.000,00

3.4. Matriz de Avaliação de Resultados1

Metas
Objetivo Específico Indicadores Qualitativos Fontes de Informação
Quantitativas
1

5
Capacitar mais de ADPS-Ambulatório de
1. Melhorar o 80% dos Nº de profissionais dermatologia e
conhecimento dos profissionais de treinados X 100 Pneumologia Sanitária.
profissionais em saúde através de
hanseníase treinamento em
especificamente serviço para
diagnóstico precoce e diagnóstico
exame de contato. Precoce e exames
de contato.

Nº de contatos
ADPS e SINAN/NET
examinados X 100
Melhorar o
4. Aumentar a cobertura
exame de contato
de exames de
igual ou mais de
contatos
80%

7. Intensificar a busca Sensibilizar e Nº de campanhas e


ativa de contatos nas realizar a busca mutirões realizados X os ADPS/UBS/ESF
áreas cobertas e ativa na bairros assistidos.
descobertas das população
equipes de saúde da através das
família com campanhas e
diagnóstico clínico e mutirões na zona
laboratorial. urbana e rural.

_________________________ ___________________________
Assinatura do Coordenador Assinatura do responsável legal
do projeto da instituição