Você está na página 1de 7

8.

Tutela Divina:

O trabalho secreto com Kamael Michael é chamado de "comandante das

hostes celestes", mas Kamael é chamado de "campeão de Deus", o grande

guardião da assembléia dos fiéis e eleitos. Kamael preside a ordem dos

Serafins, que é a ordem dos anjos que dizem entrar e permanecer na mais

profunda presença de Deus; assim, Kamael preside as hostes que servem

como a “guarda real” da Ordem Divina. Portanto, o Arcanjo Kamael é

invocado pelos Templários quando há necessidade de maior tutela e

purificação, ou quando se confrontam com forças obscuras e hostis muito

poderosas. No entanto, como Kamael é a manifestação de Gevurah

(Severidade, Rigor ou Julgamento) no nível de Beriyah, tradicionalmente

um Templário decretará alguma forma de auto-purificação antes de

invocar Kamael, "o queimador de Deus" ou "fogo de Deus". pois Kamael é

uma intensa presença arcanélica que reflete o contínuo kármico daqueles

a quem ele aparece. Assim, um ciclo de purificação e banimento é adotado

pelos Templários como parte do contínuo invocando Kamael, e eles olham

para ver que estão honrando seu voto e caminhando de maneira sagrada

antes de invocá-lo.

Como a invocação do Arcanjo Miguel para proteção divina, a invocação

de Kamael pode ser realizada como uma meditação ou como um gesto

cerimonial, assim como com a invocação de Michael a espada do


Templário pode ser desenhada e usada como um talismã físico de o

continuum da tutela. Da mesma forma, em algumas ocasiões o altar do

Templário pode ser colocado em pano vermelho e cinco velas vermelhas

podem ser colocadas no altar, e no lugar da cruz um pentagrama pode ser

colocado no altar para uma invocação do Arcanjo Kamael - quando isso é

feito o altar é deixado assim por três dias e a cada dia é realizada a

invocação de Kamael.

O Rito de Invocação:

No início, uma cerimônia de banimento é realizada, manifestando o

círculo sagrado. (Isso pode ser realizado internamente através da

visualização da emanação do corpo de luz, se a invocação for realizada

como meditação - todas as cerimônias podem ser realizadas como

meditações dessa maneira).

Então o templário permanece em oração, preparando-se para a invocação

(salmos ou outras escrituras podem ser escolhidos para serem lidos).

Quando o Templário está pronto, eles visualizam seu corpo como se fosse

formado de cristal transparente, com espaço vazio no interior e com o Sol

Espiritual brilhando no lugar do coração; na superfície do corpo,

imaginam um fogo ou energia sutil em movimento livre, e visualizam

uma grande esfera de fogo flamejante em torno deles - essa luz e o fogo
dissipam toda a negatividade interior à medida que o templário toma o

cântico: Adonai Yeshua; Shekinah Ha-Messiah, ciente de sua união inata

com o Santo Cordeiro do Apocalipse.

Então, da mesma forma que na invocação de Michael para a tutela divina,

o Templário emana como o Arcanjo Kamael - mas uma força concentrada

de emanação é visualizada através do topo da cabeça, como uma labareda

solar explodindo do Sol Espiritual. no coração.

Visualização de St. Kamael:

Kamael é uma presença feroz e ardente, aparecendo em forma humana,

contente com o que parece ser uma armadura de bronze, portando uma

espada e uma lança - a espada está flamejando, como um relâmpago em

sua mão, e a lança é uma vara. do fogo inextinguível; há uma pluma de

chamas saindo do topo de seu capacete e a viseira do capacete está

escondida em seu semblante impressionante e terrível, mas há indícios de

uma luz ardente brilhando por dentro. Ele tem duas grandes e poderosas

asas, com o fogo celestial disparando através delas, e cavalga sobre um

seraf na forma de uma grande serpente alada de fogo (dragão). Há uma

impressionante e terrível aura de chamas sobre ele, tal como nenhum

espírito maligno pode suportar. Kamael não tem capa para sua espada,

pois ele é "puro julgamento antes do qual nenhum mal pode resistir".
Aparecendo como Arcanjo Kamael, o Templário está ciente de si mesmo

como “fogo consumidor de fogo”, a Shekinah do Santo como um “Homem

de Guerra”, e desse fogo em seu coração eles imaginam quatro grandes

serafins emanando para as quatro direções. na forma de serpentes aladas

de fogo (dragões) voltadas para fora. Com a emanação dos quatro serafim,

eles imaginam um grande círculo de chamas aparecendo

espontaneamente - é uma “visão de julgamento”, tudo manifesto é a luz

translúcida mais sutil.

(Acima do Templário surgindo no corpo de emanação como Arcanjo

Kamael, na prática avançada há uma visualização do Santo Cordeiro do

Apocalipse, entronizado no Livro dos Sete Selos, mantido no colo da Santa

Mãe - ela usando um manto externo de preto e uma túnica interna de

vermelho carmesim, com um véu sobre a cabeça e uma coroa de ouro no

véu com um grande rubi no centro da imagem.Esta imagem é vista como

espontaneamente aparecendo como se de "ar rarefeito".

Como Kamael, com cinco serafim, o Templário toma o canto: Elohim

Givor; Ish MiYLCHaMaH; DaYYan (Deus Poderoso; Homem de Guerra;

Juiz)

Como os cantos templários, eles vislumbram o brilho da luz e do fogo

aumentando dentro e ao redor, e chamas de fogo disparando, como vastas

labaredas solares, em todas as direções do espaço infinito - fogo


consumindo tudo o que não é igual a si mesmo, devorando todas as

negativas forças que toca, incinerando tudo o que toca em um instante.

Então, como Arcanjo Kamael com os anfitriões, o Templário retoma o

canto tradicional de Kamael: Ha Ka Yo Ma Sá Ka Ma El. (Alternativamente,

a versão exterior do canto poderia ser usada: Ah Ya Ko Ma Kamael.) Com

este canto o Templário visualiza explosões de luz ardente saindo em todas

as direções do espaço infinito, como ondas esféricas de luz ardente, mas

em rápida sucessão. - o ritmo aumentando com o canto continuado até

que haja um grande fluxo de luz ardente preenchendo o espaço infinito.

Ao mesmo tempo, o clareamento é visto a partir da espada, atingindo

qualquer sombra ou sombra diretamente.

(No corpo de emanação como Kamael uma força escura e hostil pode ser

atingida com o poder das asas, espada, lança ou olhar do Grande Anjo; da

mesma forma eles podem ser atingidos pelo poder do olhar, respiração,

asas, garras ou cauda do santo serafim Golpeando com asas o Templário

entoa “Ha”, golpeando com a espada eles entoam “Ka”, golpeando com

lança eles entoam “Yo,” e golpeando com olhar eles entoam “Sa.”)

Quando tudo é realizado, espaço infinito sendo purificado de todas as

forças negativas, o Templário visualiza o círculo de fogo se dissolvendo

nos quatro grandes serafins, e os quatro serafins se dissolvendo e

retornando ao seu próprio centro do coração como Arcanjo Kamael; então


eles imaginam seu corpo de emanação de Kamael dissolvendo-se e

derramando-se no centro do coração de seu corpo de luz transparente.

Então o Templário retoma o cântico: Yeheshuah-Yehovosha, consciente de

sua união inata com o Messias ressuscitado e entrando em união na

fruição do canto.

(Na prática avançada, neste ponto, o Templário realiza uma transferência

de consciência, visualizando a dissolução de sua aura de chamas no corpo

de luz transparente e reunindo sua consciência no Sol Espiritual no

Coração, então visualizando o disparo do Centro Estelar. do alto da cabeça

para a imagem do Santo Cordeiro acima.

Quando a transferência de consciência está completa, como o Cordeiro

Sagrado do Apocalipse, o Templário visualiza-se dissolvendo-se no Fundo

da Luz Clara, desaparecendo como um arco-íris no céu! Isso é chamado

de “pureza suprema” e é a paz perfeita - repouso.) Quando o movimento

está completo, o Templário dá louvor e ação de graças a El Elyon, à

Virgem Mãe e ao Cordeiro Sagrado, e lembra a bênção que

Melquisedeque falou sobre Abrão quando ele retornou de sua batalha

com os reis de Edom; então o Templário coloca o Selo Sagrado no rito,

dedicando o mérito. Isto conclui a prática de invocar o Arcanjo Kamael

para a tutela divina.


(Esta prática de Kamael é estendida como assistência espiritual invisível

aos outros, da mesma forma que a prática de Michael.)

Se alguém estuda e contempla as invocações de “tutela divina” com

Michael e Kamael, descobrirá que eles têm uma profunda intenção

mística, assim como sua intenção teúrgica declarada, pois são práticas de *

auto-purificação e união * que são freqüentemente usado como práticas

diárias pelos templários em seu processo de auto-realização. Tipicamente,

primeiro um novo iniciado Templário aprenderá a prática com Michael, e

uma vez que a habilidade seja adquirida com essa prática eles irão

praticar com Kamael, então, talvez, eles possam praticar Kamael em

emanação irada - os três representando ciclos de auto-purificação, cada

um mais intensivo que o outro.