Você está na página 1de 3

Inovação na educação

por Lilian Bacich

Metodologias ativas e a avaliação


Lilian Bacich fevereiro 11, 2020 Lilian Bacich

Avaliar não é fim. Avaliar é processo. Uma ação a serviço da aprendizagem!

Em nosso percurso como estudantes, desde os anos iniciais, nos deparamos com “provas” que tinham como principal objetivo verificar o quanto
retivemos dos conteúdos que foram apresentados por um professor em sala de aula. Devolver esses conteúdos em uma prova era a forma dos
professores identificarem nossa compreensão do conteúdo, atribuir uma nota e passar para a próxima etapa. Quem não tivesse boa nota, poderia
ser avaliado novamente, talvez com uma nova prova, enquanto as aulas sobre o conteúdo do próximo período (mês, bimestre, trimestre)
continuava acontecendo em sala de aula. Esse formato de coleta de dados não considera os diferentes olhares para cada conteúdo trabalhado em
sala de aula, nem sempre considera a adequação aos objetivos de aprendizagem e, mais ainda, nem sempre tem como propósito identificar as
evidências para os próximos passos que se pretende dar.

O que é uma avaliação formativa?

A avaliação é considerada multidimensional por diversos autores. Considerar o processo avaliativo por diferentes ângulos é um movimento
importante quando identificamos o potencial da avaliação em sua conexão com a aprendizagem. Avaliamos para poder oferecer melhores
experiências de aprendizagem ou as experiências de aprendizagem são desenhadas para melhorar o desempenho na avaliação?

Nessa perspectiva, concordamos com Zabala (1998) quando discorre sobre a avaliação inicial, avaliação reguladora ou formativa, e avaliação final
ou somativa. Identificar os conceitos cotidianos construídos pelos alunos sobre o tema a ser trabalhado é o ponto de partida da ação educativa;
durante o processo, é importante analisar os avanços conceituais dos estudantes; ao final de cada etapa do processo é o momento de verificar se
os objetivos de aprendizagem foram atingidos. Nesse percurso, idas e vindas acontecem o tempo todo, replanejando a ação educativa, acertando
os rumos a serem tomados, retomando o que for necessário para todo o grupo ou para alguns estudantes. Avaliar, nessa perspectiva, está
profundamente conectado com o tipo de experiência que será ofertada os estudantes, de qualquer faixa etária, para que os resultados sejam cada
vez mais conectados às necessidades dos estudantes. […]

Desenhar experiências de aprendizagem transforma o papel do professor, que deixa de ser alguém que transmite conteúdos e verifica se eles
foram apreendidos, para um designer de percursos educacionais. Para desenhar esses percursos, é importante que o educador tenha dados em
mãos, dados que são obtidos por meio de uma avaliação formativa, digital ou não, e que podem incluir as plataformas adaptativas, questionários
online, além da observação, discussão, interação “olho no olho”. Diversas pesquisas (BACICH, TANZI NETO, TREVISANI, 2015; BACICH,
MORAN, 2017) têm enfatizado esse olhar para a personalização em que os estudantes podem ser estimulados a entrar em contato com diferentes
experiências de aprendizagem, aquelas de que necessitam, porque têm dificuldade, e aquelas que podem oferecer oportunidade de irem além,
pois não estão relacionadas às suas dificuldades, mas às suas habilidades. Essas experiências podem envolver diferentes elementos, digitais ou
não, que favoreçam a comunicação, a colaboração, a resolução de problemas, pensamento crítico.
BACICH, Lilian. Recolhendo evidências: a avaliação e seus desafios. In: BACICH, Lilian e HOLANDA, Leandro. STEAM em sala de aula. Penso,
2020 (no prelo).

Share this:

Tweetar Compartilhar 0

Curtir
Um blogueiro curtiu disso.

Relacionado

Ensino Híbrido: modelos que podem apoiar a A sala de aula "híbrida" O "híbrido" que temos pela frente
reabertura das escolas Em "Lilian Bacich" Em "Lilian Bacich"
Em "Lilian Bacich"

Lilian Bacich fevereiro 11, 2020 Lilian Bacich

Publicado por Lilian Bacich


Doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP), Mestre em Educação (PUC), Pedagoga (USP) e Bióloga (Mackenzie),
professora de Ensino Fundamental, Ensino Médio. Coordenadora de curso de Pós-graduação em Metodologias ativas no Instituto
Singularidades. Organizadora dos livros: Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação; Metodologias ativas para uma educação
inovadora. Cofundadora da Tríade Educacional. www.triade.me Contato: bacichlilian@gmail.com Ver mais posts
Deixe um comentário
Digite seu comentário aqui...

Inovação na educação, Blog no WordPress.com.

Você também pode gostar