Você está na página 1de 1

MATURIDADE PARA APRENDER A LER E A ESCREVER

Qual o conceito de maturação para a leitura e a escrita?


É o momento ideal do desenvolvimento em que cada criança individualmente, pode
aprender a ler e a escrever com facilidade e proveito.

Este período depende de fatores, tais como:


-fisiológicos
-ambientais
-emocionais
-intelectuais

Não se pode esperar que todas as crianças amadureçam ao chegarem a determinada


idade cronológica.É neste sentido que, usar apenas o critério cronológico (idade) para
introduzir a criança no processo de ensino, é incorrer num sério problema, pois, a
variável idade não garante o sucesso do aluno em relação às metas visadas pelos
programas escolares.
Ana Maria Poppovic coloca que devemos adotar o critério “idade mental” ao se falar em
idade de início de alfabetização.Engloba a potencialidade de cada criança; a motivação
para aprender; o grau de estimulação das habilidades básicas necessárias à alfabetização
e as experiências adquiridas pela criança na interação com seu meio ambiente.

Iniciar a alfabetização sem dados concretos sobre a maturação ou antes que a criança
esteja pronta e preparada para tal, é incorrer num grande risco, pois poderá acarretar
dificuldades intransponíveis logo no início do processo de aprendizagem.
Outra variável é o desenvolvimento cognitivo.A criança deve ter atingido um estágio de
desenvolvimento cognitivo tal, que lhe permita, compreender a relação entre palavra
falada e escrita, ou seja, deve ter ultrapassado a fase do realismo nominal lógico.
O que significa a fase do realismo nominal lógico?

Para a criança compreender a relação entre a palavra falada e a palavra escrita, é


necessário que tenha ultrapassado uma certa fase do desenvolvimento cognitivo, que é
chamada de realismo nominal lógico.Tome-se como exemplo 2 palavras: formiga e boi.

A primeira, enquanto seqüência sonora, é considerada grande.Já a palavra boi, é


considerada pequena.Ambas as palavras encerram um significado, representam 2
animais diferentes.Não existe qualquer relação entre o tamanho das palavras e os
animais que elas representam.No entanto, a criança elabora a hipótese de que se a
palavra é grande, enquanto seqüência de sons, deverá representar uma “coisa” grande.Se
a palavra é pequena, deverá representar uma “coisa” pequena.Existe uma confusão entre
palavra falada e o objeto ou significado que ela representa.A criança também acredita
que objetos semelhantes devem ter nomes semelhantes e que, objetos diferentes devem
ter nomes distintos. Esta fase de desenvolvimento cognitivo é chamada fase do realismo
nominal lógico.

Só quando a criança compreende a relação entre palavra falada e escrita e, percebe a


palavra falada independente das características do objeto que representa, conseguirá
acompanhar com facilidade o processo de alfabetização.

Você também pode gostar