Você está na página 1de 36

Protocolos de Roteamento de

vetor distância
Objetivos
• Descrever como os loops de roteamento podem ocorrer no
roteamento de vetor da distância
• Descrever vários métodos usados pelos protocolos de
roteamento de vetor da distância para garantir a exatidão
das informações de roteamento
• Configurar o RIP
• Usar o comando ip classless
• Solucionar problemas do RIP
• Configurar o RIP para balanceamento da carga
• Configurar rotas estáticas para o RIP
• Verificar o RIP
• Configurar o IGRP
• Verificar a operação do IGRP
• Solucionar problemas do IGRP
Vetor distância
• Atualizações:
– Periódicas
– Quando ocorre alteração na topologia
Componentes da métrica
Loops de roteamento
Loops de roteamento
• a rede convergiu - O caminho preferido do Roteador C para
a Rede 1 seja via Roteador B e que a métrica do Roteador C
para a Rede 1 seja 3
• a Rede 1 falha - o Roteador E envia uma atualização ao
Roteador A, que pára de rotear pacotes para a Rede 1, mas
os roteadores B, C e D continuam a fazê-lo, pois ainda não
foram informados da falha. Quando o Roteador A envia sua
atualização, os Roteadores B e D param de rotear para a
Rede 1. No entanto, o Roteador C não recebeu nenhuma
atualização. Para o Roteador C, a Rede 1 ainda é alcançável
via Roteador B.
• o Roteador C ainda não foi informado - envia uma
atualização periódica ao Roteador D, indicando um caminho
para a Rede 1 via Roteador B. O Roteador D altera sua tabela
de roteamento para que ela reflita essas informações boas,
mas incorretas, e propaga as informações ao Roteador A, que
propaga as informações aos Roteadores B e E, e assim
sucessivamente. Qualquer pacote destinado à Rede 1 agora
entrará em loop do Roteador C para o B, para o A, para o D e
retornará ao C.
Contagem até o infinito
• Mesmo no loop a contagem de saltos vai sendo
incrementada a cada salto
• Para evitar que o pacote fique circulando
indefinidamente no loop é colocado um limite
• Atingido o limite o pacote é descartado
• Para o RIP o limite máximo de saltos é 15
Split horizon

– O Split Horizon tenta evitar este loop. Se o router B e


D receberem atualizações de A indicando que a rede
1 esta inacessível eles não poderão enviar
atualizações de volta sobre a rede 1 para o router A.
Route poisoning
• Inviabilização de rotas
• Anúncio de métrica infinita para uma rota com
falha
• Ex: colocar métrica = 16 (RIP)
Atualizações acionadas
• Vetor distância – atualizações periódicas
• Um alteração na tabela de roteamento implica
em uma atualização acionada
• Busca nova convergência mais rapidamente
• RIP (30s)
Holddown (temporizadores de
retenção)
• Quando um roteador recebe uma atualização de um vizinho,
indicando o impedimento de uma rede antes acessível, ele
marca a rota como inacessível e inicia um holddown
• Se antes da expiração do holddown, for recebida uma
atualização deste vizinho indicando que a rede está
novamente acessível, o roteador marca essa rede como
acessível e remove o holddown
• Se chegar uma atualização de outro roteador vizinho com
métrica melhor do que aquela originalmente registrada para a
rede, o roteador marca a rede como acessível e remove o
holddown
• Se, a qualquer momento antes da expiração do holddown, for
recebida uma atualização de outro roteador vizinho com
métrica pior, essa atualização será ignorada
• Ignorar uma atualização com métrica pior durante o período
de holddown concede mais tempo para que a informação de
uma alteração desfeita seja propagada em toda a rede
holddown
• Temporizador de retenção
Técnicas para reduzir loop de
roteamento
• Contagem até o infinito – RIP 16 saltos

• Split horizon – Não aceita atualizações de volta vindas de


outro roteador

• Inviabilização de rotas (Route Poisoning) – Anuncia rotas


de métrica infinita para uma rota com falha

• Contadores de retenção (Holddown) – Inicia um contador


onde não são aceitas rotas com métrica pior vindas de um
outro roteador

• Atualizações acionadas – Atualizações são enviadas no


momento de uma alteração na tabela
Routing Information Protocol
• Protocolo de roteamento de vetor distância
• Contagem de saltos é usada como métrica
• Caso a contagem de saltos seja superior a 15 o
pacote é descartado
• Atualizações enviadas por broadcast a cada 30
segundos
• RIP v1 é um classfull routing protocol
• RIP v2 tem também:
– Informações adicionais sobre roteamento
– Autenticação
– Suporte a VLSM Variable-Length Subnet Mask
– É classless
Ativando o RIP
RIP – configurações opcionais
• Aplicação de deslocamentos a métricas de roteamento
• Ajuste de temporizadores
• Especificação de uma versão do RIP
• Ativação da autenticação do RIP
• Configuração do resumo da rota em uma interface
• Verificação do resumo da rota IP
• Desativação do resumo automático da rota
• Execução simultânea do IGRP e do RIP
• Desativação da validação de endereços IP de origem
• Ativação ou desativação do split horizon
• Conexão do RIP a uma WAN
classful
• Alguns protocolos de roteamento precisam
considerar o número de rede (Classes A, B e C)
em que uma sub-rede reside
• Estes protocolos são chamados de protocolo
de roteamento classful
• Classful não transmitem a informação de
máscara junto com o número de sub-rede
classless
• São os protocolos de roteamento que ignoram
regras de Classes completamente.
• Classless trasmite a máscara junto com o
número de sub-rede
• A grande vantagem de Classless é poder
trabalhar com VLSM (Variable-Length Subnet
Mask).
Temporizadores de holddown
Router(config-router)#timers basic update
invalid holddown flush
– update (30s)– intervalo de atualização
– invalid (180s) – validade da rota
– holddown (180s) – tempo de holddown
– flush (240s) – tempo para remover a rota da tabela
Comandos complementares
Router(config-router)#passive interface Fa 0/0
Para desativar o anuncio de rotas na interface indicada
Router(config-router)#neighbor X.X.X.X
Para anunciar rotas para vizinho determinado (rede
sem broadcast)
Router(config-router)#version {1|2}
Para enviar pacotes na versão 1 ou 2
Router(config-if)#ip rip send version 1
Para enviar pacotes na versão 1 na interface
Router(config-if)#ip rip receive version 2
Para receber pacotes na versão 2 na interface
show ip protocols
show ip route

•Comandos
adicionais:
•show interface s0
•show ip interface s0
•show running-config
debug ip rip
• Exibe atualizações de roteamento a medida em
que são recebidas ou enviadas
passive-interface

•Para o RIP e o IGRP, o comando passive interface interrompe o envio de


atualizações pelo roteador a um vizinho específico, mas o roteador continua a
escutar e usar as atualizações de roteamento desse vizinho. Impedir o envio de
mensagens de atualização de roteamento através de uma interface de roteador
impede que outros sistemas da interface sejam notificados dinamicamente sobre
outras rotas.
Balanceamento de carga
• Até 6 caminhos de mesmo custo (Padrão 4)
• Usa balanceamento round robin
• Os caminhos deve ter a mesma métrica
Router(config-router)#maximum path [número]
Balanceamento de carga
• IGRP usa a largura de banda para determinar
como executar esse balanceamento:
– E para B para A com métrica de 30
– E para C para A com métrica de 20
– E para D para A com métrica de 45
Dois métodos de Balanceamento
• por-destino (comutação rápida)
– Com a comutação rápida habilitada, somente uma rota estará em
cache para destino
– Todos os pacotes destinados a um mesmo host irão seguir o
mesmo caminho
– Pacotes destinados a um host diferente, mas na mesma rede,
podem utilizar um caminho alternativo
– O tráfego é balanceado baseado no destino.

• por-pacote
– Se a comutação por processo está habilitada, o roteador irá
alternar o caminho por pacote
– Para desabilitar a comutação rápida, utilize o comando no ip
route-cache. Ao usar este comando, o tráfego será balanceado
por pacotes.
Distância administrativa do IOS
Integração rotas estáticas com RIP

Router(config)#ip route 0.0.0.0 0.0.0.0 fa 0/1


Para estabeler uma rota estática padrão

Router(config-router)#redistribute static
Para divulgar uma rota estática via RIP
Rotas Estáticas Flutuante
IGRP
• Interior Gateway Routing Protocol
• É um IGP (Interior Gateway Protocol)
• Proprietário Cisco
• Atualizações a cada 90 s
• Usa como uma métrica composta:
• Largura de banda – O menor valor de largura de banda do
caminho
• Atraso – O atraso cumulativo de interfaces na rede
• Confiabilidade – A confiabilidade no link em direção ao destino,
conforme determinado pela troca de keepalives
• Carga – A carga em um link em direção ao destino, em base de
bits por segundo
• Por padrão usa Largura de Banda e Atraso
• Não suporta VLSM
• Esta sendo trocado pelo EIGRP
Três tipos de rota
• Interna: Entre sub-redes de um roteador
• Externa: Rotas para redes fora de um AS
• Sistema: Rotas dentro de um AS
IGRP recursos visando estabilidade
• Utiliza:
– Split horizons
– Atualizações de poison reverse
– Retenções
• Temporizadores:
– atualização (update)- freqüência do envio de mensagens de
atualização de roteamento (90 s)
– invalidação (invalid)- tempo que um roteador deve esperar, na
ausência de mensagens de atualização de roteamento relativas a
uma rota, antes de declará-la inválida (por default três vezes a
atualização)
– Retenção (holddown) - tempo durante o qual informações
sobre rotas mais deficientes são ignoradas (por default três vezes
a atualização mais 10 segundos)
– limpeza (flush)- indica o tempo para que uma rota seja
eliminada da tabela de roteamento. Por default sete vezes a
atualização de roteamento
Configurando o IGRP
Comando relacionados a IGRP
• router(config)#route igrp 100
• router(config-router)#network 192.168.30.0

• router#show running-config
• router#show interface s 0/0
• router#show ip protocols
• router#show ip route

• router#debug ip igrp events


• router#debug ip igrp transactions
Protocolos de Roteamento de
vetor distância