Você está na página 1de 1

Abraham Maslow (1908-1970)

“O que chamamos de ‘normal’ em psicologia é na verdade a psicopatologia da média, tão pouco


dramática e tão extensivamente comum que nós geralmente nem a percebemos.” Maslow, Introdução à
Psicologia do Ser

“Não acredito que a ciência mecanicista (que na psicologia corresponde ao behaviorismo) esteja incorreta,
mas apenas que seja estreita e limitada demais para que sirva como uma filosofia geral ou abrangente.”
Maslow, Psychology of Science: A Reconnaissance

“Se você planeja ser qualquer coisa menos do que aquilo que você é capaz, provavelmente você será
infeliz todos os dias de sua vida. Maslow

Abraham Maslow nasceu no dia 1 de abril de 1908, no Brooklyn, NY. Foi o primeiro dos 7 filhos de seus
pais, que eram judeus com pouca educação, imigrantes da Rússia. Seus pais, querendo o melhor para
seus filhos, foram extremamente exigentes com Maslow em relação ao sucesso acadêmico. Sua infância
parece ter sido muito infeliz, de acordo com seus próprios relatos:
Fui um garoto tremendamente infeliz… Minha família era miserável e minha mãe era uma criatura
horrível… Cresci dentro de bibliotecas e sem amigos… Com a infância que tive, é de se surpreender que
eu não tenha me tornado um psicótico. (Maslow apud Hoffman, 1999, p. 1)
Para satisfazer seus pais, ele primeiro estudou Direito no City College of New York (CCNY). Após 3
semestres, ele se transferiu para Cornell e depois retornou ao CCNY. Casou-se com Bertha Goodman em
1928, sua prima em primeiro grau, contra a vontade de seus pais. Abraham e Bertha tiveram duas filhas.
O casal mudou-se para Wisconsin para que ele pudesse cursar a Universidade de Wisconsin. Lá, ele se
interessou pela psicologia, e seu desempenho escolar melhorou dramaticamente. Passava o tempo lá
trabalhando com Harry Harlow, famoso por seus experimentos com bebês-macacos e comportamento de
apego.
Maslow terminou sua graduação em 1930, seu mestrado em 1931 e seu doutorado em 1934, todos em
psicologia, todos na Universidade de Wisconsin. Um ano após a graduação, ele retornou a NY para
trabalhar com E. L. Thorndike na Universidade de Columbia, onde Maslow passou a interessar-se pelo
estudo da sexualidade humana.
Começou a lecionar em tempo integral no Brooklyn College. Durante esse período de sua vida, entrou em
contato com muitos intelectuais europeus que estavam migrando para os Estados Unidos, e para o
Brooklyn em particular – pessoas como Adler, Fromm, Horney, bem como vários psicólogos freudianos e
da Gestalt.
Maslow coordenou o curso de psicologia em Brandeis de 1951 a 1969. Lá conheceu Kurt Goldstein, que
concebeu originalmente a idéia de auto-realização em seu famoso livro “O Organismo” (1934). Foi lá
também que Maslow iniciou sua cruzada pela psicologia humanista – algo que se tornou muito mais
importante para ele do que suas próprias teorias.
Maslow, junto com Anthony Sutich, foram os principais responsáveis pelo lançamento, nos Estados
Unidos, da Revista de Psicologia Humanista em 1961, e pela fundação da Association for Humanistic
Psychology, em 1962.
Já no fim de sua vida, Maslow incentiva Anthony Sutich a criar a Revista de Psicologia Transpessoal, em
1969. Maslow também incentivou, mas não chegou a ver a fundação da Associação de Psicologia
Transpessoal (Association for Transpersonal Psychology), que só ocorreria em 1972.
Ele passou os anos finais de sua vida em semi-reclusão na Califórnia até 8 de junho de 1970, quando
morreu de ataque cardíaco após anos de problemas de saúde.