Você está na página 1de 3

Página |1

QUASE NINGUÉM MAIS SUPORTA O EVANGELHO!

QUASE NINGUÉM MAIS SUPORTA O EVANGELHO!... — uma resposta a quem se sentir


respondido...

Meu exercício mental tem sido [entre tantos outros que faço...] o de ler as Escrituras apenas a partir de
Jesus; deixando de fora todas as pré-compreensões estabelecidas pela Religião Cristã; especialmente no
que tange às suas Institutas ou Dogmas; quase todos nascidos da e na Igreja de Constantino; não do e no
Evangelho...

Sim, leio tudo que houve [...] antes e depois de Jesus somente a partir de Jesus...

Alguém pergunta: E qual a importância disso?...


Ora, eu respondo...

Este é Santo Graal que os cristãos não querem achar; este é o Código da Bíblia que os judeus se recusam a admitir; este é
o Sol que os humanos fazem guerra para apagar; este é o Caminho do Verbo na vida humana que Satanás mata e morre
para destruir!...

O olhar que se adquire de tal modo de ver tudo a partir de Jesus do modo mais simples possível, nos
leva inapelavelmente para uma desconstrução profunda, e, sem exagero no dizer: desconstrução total de
tudo e de todas as coisas...

O mundo acaba!...

Afinal, foi Jesus Quem disse que aquilo que é elevado entre os homens é abominação diante de Deus!

Assim, por exemplo, em Jesus vejo que o mundo jaz no mal, que tem um Príncipe [com o qual Jesus
diz não ter nada a ver... ou a tratar...]; que originalmente o mundo era um campo de trigo, mas que foi
infiltrado de joio; que os melhores homens, os que sabem dar boas coisas aos seus filhos, ainda assim
são maus; que a geração que O cercava era incrédula e perversa [assim como todas as demais...]; que os
líderes da Religião eram os mais caídos entre os caídos; que a presunção de “saúde” dada pela Lei, pela
Moral ou pela Ética — criava a pior de todas as quedas...; que quem comete pecado [e que não
comete?...] era escravo do pecado; que o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido; que há
“perdidos” menos perdidos, pois se sabem perdidos; e que há perdidos mais perdidos que os “perdidos”,
porque se julgam achados e sabedores do caminho para outros [...]; que só Deus sabe quem é de Deus,
assim como na história do Samaritano Bom somente Deus veria tal bondade redentora [posto que o
preconceito não permitisse que os judeus vissem graça de Deus onde só havia ódio e preconceito
humano]; que o juízo de Deus separa os homens como um Pastor separa os cabritos das ovelhas; que o
critério de tal juízo não será religioso, mas apenas centrado em atos de amor, a fim de justificar, e em
atos de maldade ou de omissão, a fim de condenar; que a humanidade seguirá firme em seu caminho
para a morte; que nada acordará os humanos no curso da História; que somente a Calamidade Final
trará Luz ao entendimento humano; que os governos e poderes deste mundo não realizarão nenhuma
Paz duradoura; que a vocação homicida e suicida dos humanos os levará a um encurralamento sem
saída ou solução; que o final será marcado por desordens naturais, por assombrações inexplicáveis, por
fenômenos apavorantes, por perspectivas aterradoras, pelo divisar de um futuro de morte; e, sobretudo,
por se buscar na evasão [...] a solução [...], já que no Planeta não haverá esconderijo...
Página |2

Desse modo, o que se vê em Jesus é a afirmação de que a humanidade se fará mal até ao fim...

Ora, para alguns tal vaticínio parece ser negativo... Para mim, entretanto, ele é apenas realista na
verdade que não disfarça...
Jesus não chamou isto de Queda, mas de Morte...

Sim, por isto Ele disse que os cidadãos das falsas esperanças deste mundo eram como mortos; daí Ele
mandar os que os mortos deste mundo sepultassem seus próprios mortos, assim como os soldados da
batalha inglória devem pelo menos sepultar os mortos no mesmo campo de guerras de insanidades...

E mais: quando se lê e interpreta tudo a partir de Jesus, nenhuma religião, filosofia, sistema de governo,
ou as ilusões das virtudes humanas — ficam em pé!...

O modo como Ele tratou o mundo dos sistemas humanos, seus governos, Direitos, Leis, Poderes, e
Presunções..., sim, Seu modo de ver e interpretar o mundo dos homens sempre indicou a total falta de
esperança de Jesus no homem como criatura capaz da paz e da justiça que logo não se corrompam...

Daí Ele dizer que o Seu reino não é deste mundo, não tem uma geografia-política e nem tampouco possui
uma manifestação fora dos atos que emanem de corações; de tal modo que Ele disse que não se deveria
buscar o reino de Deus aqui, ali ou acolá..., mas apenas dentro do coração.

Todas as questões que animam nossos debates de mortos para mortos não estavam presentes em
Jesus...

Ele nunca se ocupou das Religiões do mundo; nem dos sistemas de poder do mundo [apenas disse:
“Entre vós não é como entre eles”...]; nem se empolgou com as ofertas temporárias de paz interesseira; nem
mesmo propôs que Seus discípulos tivessem a ambição de tomar o poder que Ele mesmo rejeitara
possuir [“tudo isto ti darei...”] pela via mundana ou mesmo por qualquer via [...], posto que se esse fosse o
caso Ele mesmo teria se curvado ante o Príncipe deste Mundo...

Para Jesus, questões como a separação entre Estado e Igreja, seriam como uma anedota [...], posto que
para Ele tal coisa não devesse ser nem mesmo uma questão [...], quanto mais uma proposta [...] ou um
dilema...

Para Jesus [...] a Sua Igreja era e é no mundo apenas sal e luz; e nada mais... Sim, deveria ser uma
assembléia de escravos de todos, de servos de todos, de Filhos do Homem em pleno serviço de graça no
mundo...

Sim, quase todos os temas de nossas angustias cristãs não tiveram espaço em Jesus...

Nós, entretanto, não sabemos mais fazer a diferença; visto termos nos tornado tão discípulos do
Mundo/Igreja e da Igreja/Mundo [...] que a simples alusão ao que em Jesus é tão simples como a Luz
[...] causa desconforto na maioria [...].
Fico vendo, de um lado, as angustias dos filhos do Cristianismo aflito, com medo de que os poderes
que lhes foram dados pelo Imperador Constantino lhes não lhes sejam garantidos até ao fim... De outro
lado vejo os que querem assumir de modo explicito os poderes de domínio do Império Romano
Cristão na Terra...

Os 1º estão na defensiva, com medo de tudo...


Já os do 2º grupo estão em pleno processo de “Cruzada” político/religiosa contra os infiéis...

Jesus chora por eles como chorou sobre Jerusalém...


Página |3

Sim, “pois isto agora lhes está oculto”...

O Véu ainda não saiu de seus rostos, visto que esconda a desvanecência de suas faces sem a semelhança
de Jesus [...], porém, semelhantissima à de Constantino.

Enquanto isto... [aqui e ali] recebo ofensas por dizer apenas aquilo que vejo em Jesus e nada do que não
vejo em Jesus!

Jesus, apenas Jesus [...]; sim, Jesus, puro e simples [...] — se tornou insuportável para os ouvidos dos senhores do
Cristianismo: os clérigos, os sacerdotes, os bispos, os Dons isto e aquilo, etc...

Eu, todavia, me entristeço com a cegueira deles, ao mesmo tempo em que me encho de ternura
misericordiosa...

Nada se pode esperar de quem não sabe se serve apenas ao Evangelho, vendo tudo somente em Jesus e
a partir de Jesus, amando a Palavra da Vida, que, em sua simplicidade, destrói tudo aquilo que se tem
cultuado como “Deus”, “Jesus” e “Evangelho” — ou se serve a um hibrido de produção humana que
se batizou com o nome de “Cristianismo”.

Os que coxeiam entre tais inexistentes alternativas, segundo a radicalidade do Evangelho — tornam-se
apenas Estatuas falantes do antigo Império Romano vestido de Cristianismo.

A Antiga Serpente não apenas enganou Eva e Adão, mas Abraão, Davi, Salomão [...], todos os reis de
Israel, os Judeus, os Cristãos, o Cristianismo, o Protestantismo, o mundo todo [...]; e, em especial, segue
enganando a todos que se impressionem mais com as possíveis glórias cristãs ou ameaças aos cristãos,
do que com a perversão que nos trouxe à “preocupações” tão distantes de Jesus e do Evangelho...

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça; e quem puder discernir, discirna...

Caminho da Graça

Estações do Caminho: Texto de orientação