Você está na página 1de 25

À GDGADU

GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO ESTADO DE RONDÔNIA - GLOMARON

FRATERNIDADE:
Princípio e Prática
PAULO BENEVENUTE TUPAN
Grão-Mestre da GLOMARON
paulotupan57@gmail.com +55 69 999849954

PORTO VELHO RO, 20 de dezembro de 2020 da EV


APRESENTAÇÃO
Atendendo ao chamado do Grupo das LIVES MAÇÔNICAS.
Nas pessoas dos respectivos Irmãos: JOÃO CASTELO e RUY SALLES –
GLEB; JOSÉ AMÂNCIO, LEO COSTA e JULIANO BARRETO – GLMMG;
EXPEDITO LUCAS, HERMANO DRUMMOND e LUIS PAULO - GOMG;
GUSTAVO PATUTO – GOP e MIGUEL NUSKE – GOB BA.
Continuaremos nosso trabalho com ênfase na
FRATERNIDADE, seu PRINCÍPIO e a PRÁTICA, abordando nesse bate
papo, vários de seus aspectos, com vistas ao aprimoramento do
homem Maçom.
FRATERNIDADE:
Princípio e Prática

- Aspectos Históricos
- Aspectos Jurídicos;
- Aspectos Sócio-Políticos;
- Aspectos Filosóficos Maçônico;
- Finalidade;
-CONCLUSÃO FRATERNIDADE CRISTÃ.
-BIBLIOGRAFIA
-AGRADECIMENTOS.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Históricos
Não há como falar em fraternidade sem os laços
históricos da Revolução francesa, marco divisor Idade
Moderna e a Idade Contemporânea, a RF teria sido um dos
evento de maior importância da humanidade, produzindo
frutos até hoje. Trazendo ainda ao ver de muitos historiados
um rompimento com o clero de mais de cinco séculos, enfim
a RF colocou a fraternidade em voga, saindo do campo
teórico para o prático, jurídico, social e filosófico. Com o seu
lema IGUALDADE LIBERDADE E FRANERNIDADE.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Jurídicos
Aos motes dos ideias da trilogia francesa, de igualdade,
liberdade e fraternidade, as constituições dos países,
passaram a incorporar em seu cabedal, os valores fraternos,
tudo em nome da liberdade, em busca da igualdade, mesmo
que sejam somente igualdade em direito, onde os iguais
teriam tratamento isonômico.
No Brasil não foi diferente, a constituição cidadã de 1988,
em seu preambulo “... a igualdade e a justiça como valores
supremos de uma sociedade fraterna...”
FRATERNIDADE : Princípio e prática

Aspectos Jurídicos
Consagrando os valores da fraternidade:
Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da
República Federativa do Brasil:
I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II - garantir o desenvolvimento nacional;
III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as
desigualdades sociais e regionais;
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem,
raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de
discriminação.
Seguindo com isso várias constituições modernas que
adotam e promulgam valores fraternos.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Jurídicos
As decisões judiciais, envolvendo a pessoa busca sempre
atender o princípio da fraternidade na formação do juízo
conclusivo. Envolvendo a questão social, a evitar prejuízos na
estrutura da família, o equilíbrio da renda que responde pelo
alimento, a posição social, política e religiosa do indivíduo,
fatores estes preponderante no conceito moral da fraternidade,
é como se esse principio envolvesse as relações pessoais.
Inúmeros são os julgados no Brasil atendem ao principio
da fraternidade, é claro que calçados na igualdade e na
liberdade, onde uma situação puxa a outra.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Sócio-políticos
A Fraternidade no campo sócio político vem sendo utilizada
pelas instituições para convencer a sociedade de uma necessidade
de ajudar as classes menos favorecidas. Podemos citar um grande
exemplo, que foi a criação da campanha da fraternidade criada no
segmento católico pelo Arcebispo D. Helder Câmara, na década de
1960, e que a cada ano com um tema busca um despertar para a
atenção aos pobres e necessitados. A temática poderia ser
Fraternidade e Política, para chamar a atenção de que não deveria
haver prática política sem sentimento de fraternidade. relação de
irmandade.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


“todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São
dotados de razão e de consciência e devem agir uns para com os outros
em espírito de fraternidade”.
Os maçons são ensinados a olhar a humanidade como uma só família,
devendo ajudar e proteger uns aos outros.
A Maçonaria é uma Fraternidade de homens de todos
os países, credos, raças, culturas e opiniões,
promovendo uma verdadeira amizade entre pessoas
que poderiam, de outra forma, permanecer toda uma
vida sem nunca terem se conhecido.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


Através do sentimento de Fraternidade, os maçons praticam a
Virtude Teologal da Caridade, estendendo suas mãos generosas em
apoio aos mais necessitados. A Ajuda ao próximo é um dos princípios
universais da Maçonaria.
As Lojas maçônicas possuem um Tronco de solidariedade,
cujos valores espontaneamente doados, são destinados à Caridade.
A Maçonaria é uma Irmandade onde se preconiza a
Ajuda, cujo raio de ação começa em seu círculo
interno e se estende por toda a sociedade, pois é sua
meta colaborar para ela seja cada dia mais justa e
perfeita e feliz.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


Perguntaram a ABRAHAM LINCOLN o que se poderia
entender por Fraternidade, ocasião em que narrou uma passagem
acontecida com ele mesmo. Contou que durante um inverno muito
rigoroso ele se encontrava nas imediações de uma colina coberta pela
neve quando observou dois garotos que por ela desciam de trenó.
Chegados à base, o maior dos dois colocou o menor sobre suas costas e
voltou a subir, ofegante, aquela colina até o topo, arrastando consigo o
trenó. Esse sobe-desce repetiu-se por várias vezes, até que Lincoln,
vencido pela curiosidade, numa dessas descidas aproximou-se do rapaz
mais idoso e comentou que ele estava suportando e conduzindo morro
acima uma carga muito pesada, ao que lhe respondeu o garoto: “Não
senhor, esta carga não me é pesada porque ele é meu Irmão”.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


Os estudos de Albert Pike, em sua obra Moral & Dogma, nos
remete aos ensinos da FRATERNIDADE
A FORÇA das pessoas, ou a vontade popular, em ação e
manifesta, simbolizada pelo MALHETE, regulada e guiada por e agindo
dentro dos limites da LEI e da ORDEM, simbolizada pela RÉGUA DE
VINTE E QUATRO POLEGADAS, tem como seu fruto LIBERDADE,
IGUALDADE e FRATERNIDADE: liberdade regulada pela lei; igualdade
de direitos à vista da lei; irmandade, com seus deveres e obrigações
assim como com os seus benefícios.
Com isso vemos que o princípio da FRATERNIDADE, norteiam
com mais ênfase as ações maçônicas.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


Pike, utiliza dos símbolos e alegorias para adequar o principio da
fraternidade nas usanças maçônicas, comparada a outros entes.
Produzido pela FORÇA, seguindo a RÉGUA, lapidada de acordo com
as linhas definidas pela Escala, a partir da Pedra Bruta, é um símbolo
apropriado da Força do povo, expressa como a constituição e a lei do
Estado; e as três faces visíveis do Estado, por si, representam os três
departamentos: o Executivo, que executa as leis; o Legislativo, que faz
as leis; o Judiciário, que interpreta as leis, a aplica e a mantém, entre
pessoas e pessoas, entre o Estado e os cidadãos. As três faces invisíveis
são Liberdade, Igualdade e Fraternidade, a tríplice alma do Estado –
sua vitalidade, espírito e intelecto.
Estando aqui o delinear moral adequado na prática diária.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Aspectos Filosóficos Maçônicos


Pike, escreve que, apesar de a vida ser curta, vemos o Pensamento
e a influência do que fazemos ou dizemos são imortais; e que, até hoje,
nenhum cálculo conseguiu estabelecer a lei da relação entre causas e
efeitos. O martelo de um ferreiro inglês, pondo prostrado um oficial
insolente, levou a uma rebelião que chegou à beira de se tornar uma
revolução.
A palavra bem dita, a ação bem feita, mesmo que seja pelo mais
fraco ou humilde, mesmo que não ajudem, têm seu efeito. Seja maior ou
menor, mas o efeito é inevitável e eterno. Os ecos dos maiores atos podem
se desvanecer como os ecos de um grito por entre os rochedos, e o que
tiver sido feito aparenta, para o julgamento humano, ter sido sem
resultado. Um ato ínfimo do mais pobre dos homens pode incendiar o trem
que vai à mina subterrânea, e um império ser despedaçado pela explosão.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

F I N A L I D A D E:

Demonstrar que a FRATERNIDADE, com a mudança de “Era”,


também se tornou um dos pilares sustentáculos da Maçonaria, em face
de que o seu fim principal é tornar feliz a humanidade, e o caminho
utilizado, ou pelo menos tentado vem sendo o da fraternidade,
embasados na igualdade e liberdade, que completam a trilogia pós
revolução francesa.
Com isso ao longo nos últimos 3 séculos com a edificação da
maçonaria moderna através da GLUI, em 1717, e depois com os feitos
napoleônicos, a Maçonaria vem fazendo história, em cada momento
político, ora com ações saudosista, ora com ações intelectuais como é o
caso dos nossos dias.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

F I N A L I D A D E:
Apresentar um conceito próprio, uma ideia, do que propor para o
tema FRATERNIDADE, PRINCIPIO E PRÁTICA
Propomos que a FRATERNIDADE, é um sistema Moral como regra,
que norteiam as ações politicas e sociais de um povo, em todos os
aspectos, haja vista que a finalidade é o bem estar, não sendo diferente
com o povo maçônico.
A Fraternidade tem como PRINCÍPIO oferecer condições condignas
ao povo que compõe as nações, dando lhe além de oportunidades os
meios mínimos de sociabilidade, alimento, saúde, educação, moradia,
etc...
Como PRÁTICA, através da Maçonaria, melhorar o homem, para que
uma vez transformado provoque a mudança de outros para um mundo
melhor, sempre com o foco em tornar feliz a humanidade.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

F omentar a prática do solidariedade;


R egular-se pelos bons costumes;
A tuar sempre em prol do próximo;
T er em mente que não somos deste mundo;
E m ações sempre que engrandeça o todo;
R eagindo com qualidade de conhecimento;
N unca é tarde para o realinhamento de ações positivas;
I rmanar-se é buscar o Amor;
D ar sem buscar nada em troca;
A mar, Amar e Amar;
D ia lindo hoje, viva-o;
E m busca de aproximar-se da perfeição.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

P asse a observar a necessidade do seu irmão;


R omper com coisas que não edificam;
I ndagar sempre a verdade;
N unca desistir, DEUS nunca desiste de nós;
C rescer com qualidade e conhecimento;

I nfluenciar pessoas a buscar a DEUS;


P regue o evangelho, ainda que zombem de ti;
I r além, vale a pena tentar;
O bjetivos são feitos para serem alcançados.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática
P or erecimento não se pede, busca através do esforço;

R ender em vez de reclamar, precisamos agir sempre;

Á valiar as ações sempre;

T olerância, ações com amor, parada ganha;

I individualizar suas ações, não soma, reparta;

C onvença pessoas que o bem vale a pena;


FRATERNIDADE: Princípio e Prática

CONCLUSÃO FRATERNIDADE CRISTÃ


Como Maçom, crendo no Deus Altíssimo, como força
suprema criadora de tudo que Existiu, existe e existirá.
Irei fazer um breve comentário da fraternidade dentro da Economia divina em
seu plano de criação, que ao destinar parte desse tempo aos povos das nações
não israelitas/judeus, nesse grande intervalo chamado de novo testamento em
que já dura dois mil anos.
Nesse momento ora vivido por todos nós na face desse planeta terra,
que é uma minúscula partícula do grande universo formada por inúmeras
galáxias, o verbo/logus se fez carne e habitou esse mundo, trazendo um novo
momento de oportunidade da busca da verdade, atravé do grande
mandamento do AMOR. Momento esse em que o próprio Cristo encarnado se
esvaziou de Si, em prol do todo, do próximo com amor, caridade, muitas vezes
movido de intima compaixão.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

Dando continuidade iremos fundamentar esse


Princípio da FRATERNIDADE, a luz bíblica:
Filipenses 2
1 Portanto, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma

comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões,


2 Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo

ânimo, sentindo uma mesma coisa.


3 Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os

outros superiores a si mesmo.


4 Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que

é dos outros.
5 De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6 Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos

homens;
8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte,

e morte de cruz.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

No texto bíblico apontado vemos a FRATERNIDADE,


no próprio CRISTO, ao esvaziar-se De Si, em prol
de todos, ao dar a sua própria Vida como humano,
o perfeito holocausto para salvara humanidade, em todos os seus atos
se completou com amor.
Paulo, o Apostolo dos gentios ao descrever no texto a
verdadeira FRATERNIDADE, já delimita seu PRINCIPIO E PRATICA, “Não
devemos agir por contenda ou por vanglória”, cada um deve considerar
os outros superiores a si mesmo. Aqui entra o verdadeiro sentido da
prática da fraternidade, quando sabemos ouvir o outro e lhe oferecemos
o devido respeito, calcado no princípio que é o amor e o exercício da
tolerância.
O mundo vivendo o exercício da unidade, onde cada um busca
seu destino, com a era pós Cristo que se estende aos nossos dias, onde
o homem é senhor de si,
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

...tem se afastado do verdadeiro ser fraterno que


deveria nortear suas ações, com isso surge a grande
instituição, MAÇONARIA, com os seus ensinamentos
Trazer o homem ao eixo principal da FRATERNIDADE.
No plano Divino para o homem, é que sejamos seres por
excelência FRATERNOS, tudo o que tem na terra está em suas mãos
a disposição para a prática do bem, ocorre que a natureza
pecaminosa do homem caído o arrasta sempre para a prática do
MAL.
A Maçonaria através da fraternidade tem buscado melhor o
homem, para que ele volte ao eixo e melhore o mundo, mas vemos
cada vez que a ambição, o orgulho e a vaidade tem revestido alguns
iniciados, que se outo fazem verdadeiros deuses, deixando que o
conhecimento e as joias o contaminem e o extirpe do bem.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

FONTES BIBLIOGRAFICAS

- www.wikipedia.com
- Pesquisas de internet
- GLOMARON, Cartilha Maçonaria para não Maçons, 2018.
- MACHADO JUNIOR, Izautonio. Cum Panis Maçônico: A ética da
Solidariedade Maçônica e os Princípios da Ordem, 2017.
- GRANDE LOJA MAÇÔNICA DO ESTADO DE MATO GROSSO.
Complementos às Instruções de Aprendiz Maçom, 2011.
- ALBERT PIKE. Moral & Dogma
- Conhecimentos da vida maçônica.
FRATERNIDADE: Princípio e Prática

AGRADECIMENTOS
Ao Deus Altíssimo, por nos conceder a Salvação,
como DOM, mediante a FÉ;
A todos os meus Valorosos Irmãos, que compõe o grupo das LIVES
MAÇÔNICAS, a todos os irmãos, que com suas presenças prestigiam essa
pequena peça de arquitetura agora apresentada, as nossas autoridades e
palestrantes presentes, que se preocupam com os destinos da maçonaria
nesse momento de pandemia, com seus brilhantes trabalhos;
Aos meus também valorosos irmãos Izautonio Machado e Emerson
Boritza pelo incentivo e o apoio.
Posso todas as coisas naquele que me fortalece –Filip.4-13

Você também pode gostar