Você está na página 1de 23

REVISÃO FÍSICA – AULA 04 e 05 – Aplicações das Leis de Newton e Energia

1. (Uem-pas 2016) Sabemos que os exercícios físicos promovem o aumento da musculatura


estriada esquelética. Iniciando um exercício, com o braço na posição vertical junto a seu corpo,
um atleta segura em sua mão uma massa de 5 kg. Mantendo seu antebraço na vertical, ele
eleva essa massa em velocidade constante até seu braço atingir a posição horizontal e parar.

Assinale o que for correto.


01) Na posição inicial, a força que o atleta exerce sobre a massa é de 50 N.
02) Enquanto o atleta ergue a massa ocorre o deslizamento das fibras da proteína actina sobre
as moléculas de miosina.
04) A contração muscular ao levantar a massa ocorre devido ao encurtamento das fibras
musculares estriadas esqueléticas.
08) No indivíduo adulto, as células da musculatura estriada esquelética estão em constante
divisão celular, favorecida pela intensidade da atividade física.
16) Se o braço do atleta mede 0,35 m, o trabalho realizado por ele sobre a massa foi de 17,5 J.

2. (Uem 2018) Considere quatro vetores não nulos de mesmo módulo, sendo A vertical, cujo
sentido é de baixo para cima, B vertical, com sentido oposto de A, C horizontal, com sentido
contrário ao da escrita no Brasil, e D um vetor com ângulo de 45 com os sentidos positivos de
A e C.

Tomando como base esse enunciado e conhecimentos sobre vetores em geral, assinale o que
for correto.
01) A força peso tem direção e sentido de B.
02) A aceleração é uma grandeza vetorial.
04) B  C  D.
08) O módulo do vetor A  B é igual a duas vezes o módulo de A.
2 2 2
16) | A |  | C | | D | .

3. (Uece 2018) Ao longo de uma viagem, um automóvel de 1.000 kg para em dois pontos da
trajetória: um ponto A na estrada com inclinação de 30 em relação à horizontal, e um ponto
B na via com inclinação de 90 em relação à vertical. Considere que, no carro, atuam somente
2
as forças da gravidade (g  10 m s ), normal e de atrito (μ  0,7). As forças de atrito estático
(em N) que atuam no carro nos pontos A e B são, respectivamente,
a) 500 e 0.
b) 0 e 500.
c) 1.000 3 2 e 500.
d) 500 e 1.000 3 2.
4. (Uem 2018) Considere uma partícula O, em repouso, na origem de um plano cartesiano, e
suponha que, sobre ela, passam a atuar, simultaneamente, forças F1, F2 , e F3 , em que F1 tem
módulo igual a 1N, direção vertical e sentido para baixo, e F2 tem módulo igual a 1N, direção
horizontal e sentido para a esquerda. Assinale o que for correto.
01) Se houver equilíbrio estático, então | F3 || F1  F2 | .
02) É possível determinar F3 com um ângulo positivo diferente de 45 com o eixo das abscissas,
de forma que o sistema tenha equilíbrio estático.
04) Se | F3 || F1 |, então a partícula se moverá para o terceiro quadrante.
08) Se F3  3F1  3F2, então a partícula fará um movimento retilíneo uniforme na direção de
F3 .

16) Seja F3  10F1  12F2, então, se atuarem somente as forças 5 F1, 12 F2 e F3 na partícula,
teremos equilíbrio estático.

5. (Feevale 2017) Assinale a alternativa a seguir que identifica a Primeira Lei de Newton.
a) Um corpo em movimento tende a permanecer o movimento em MRU.
b) Quando sobre um corpo a força resultante é nula, ele tende a permanecer em repouso, se
estiver em repouso, ou continuar o movimento em MRU, se estiver se movimentando.
c) Um corpo tende a permanecer em repouso, caso sua velocidade seja diferente de zero, em
relação ao mesmo referencial.
d) Um corpo tende a permanecer em repouso ou a continuar seu movimento em trajetória
retilínea, caso a sua velocidade seja diferente de zero, em relação ao mesmo referencial.
e) Um corpo pode alterar seu movimento desde que a força resultante sobre ele seja zero.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


O salto em distância é uma modalidade olímpica de atletismo em que os competidores
combinam velocidade, força e agilidade para saltarem o mais longe possível a partir de um ponto
pré-determinado. Sua origem remonta aos Jogos Olímpicos da Antiguidade. Nos Jogos Olímpicos
da Era Moderna ele é disputado no masculino desde a primeira edição, em Atenas no ano de
1896, e no feminino desde os jogos de Londres, em 1948.
Foi apenas na 5ª edição das Paraolimpíadas, em Toronto (Canadá), em 1976, que atletas
amputados ou com comprometimento visual puderam participar pela primeira vez. Com isso, o
atletismo passou a contar com as modalidades de salto em distância e salto em altura.
A Física está presente no salto em distância, de forma simplificada, em quatro
momentos:
1º momento: Antes de saltar o indivíduo corre por uma raia, flexiona as pernas, dando um último
passo, antes da linha que limita a área de corrida, que exerce uma força contra o chão. Desta
forma o atleta faz uso da Terceira Lei de Newton, e é a partir daí que executa o salto.
2º momento: A Segunda Lei de Newton nos deixa claro que, para uma mesma força, quanto
maior a massa corpórea do atleta menor sua aceleração, portanto, atletas com muita massa
saltarão, em princípio, uma menor distância, se não exercerem uma força maior sobre o chão,
quando ainda em contato com o mesmo.
3º momento: Durante a fase de voo do atleta ele é atraído pela força gravitacional e não há
nenhuma força na direção horizontal atuando sobre ele, considerando que a força de atrito com
o ar é muito pequena. No pouso, o local onde ele toca por último o solo é considerado a marca
para sua classificação (alcance horizontal).
4º momento: Chegando ao solo, o atleta ainda se desloca, deslizando por uma determinada
distância que irá depender da força de atrito entre a região de contato com o solo,
principalmente entre a sola da sua sapatilha e o pavimento que constitui o piso. No instante em
que o atleta para completamente, a resultante das forças sobre ele é nula.

6. (G1 - cftrj 2017) No terceiro momento, é importante destacar que sendo a força de atrito
com o ar muito pequena, não há nenhuma força na direção horizontal atuando sobre ele. Este
fato tem uma importante consequência sobre o rendimento do atleta: durante a fase de voo, o
centro de gravidade do atleta move-se com velocidade horizontal constante!

Isto é uma consequência direta de qual lei de movimento enunciada no século XVII?
a) Inércia.
b) Ação e reação.
c) Gravitação Universal.
d) Relatividade Restrita.

7. (G1 - ifce 2016) Há dois momentos no salto de paraquedas em que a velocidade do


paraquedista torna-se constante: quando atinge velocidade máxima, que é de
aproximadamente 200 km h, e no momento do pouso. Com base nas Leis da Física, a força de
arrasto do ar
a) é maior quando o paraquedista encontra-se em velocidade de pouso.
b) é a mesma, seja na velocidade máxima ou no momento do pouso.
c) é maior quando o paraquedista encontra-se em velocidade máxima.
d) é zero nesses dois momentos.
e) depende da posição do corpo do paraquedista nesses dois momentos.

8. (Uerj simulado 2018) Considere um bloco sujeito a duas forças, F1 e F2 , conforme ilustra o
esquema.
O bloco parte do repouso em movimento uniformemente acelerado e percorre uma distância
de 20 m sobre o plano horizontal liso em 4 s. O valor da massa do bloco é igual a 3 kg e o da
intensidade da força F2 a 50 N.

A intensidade da força F1, em newtons, equivale a:


a) 57,5
b) 42,5
c) 26,5
d) 15,5

9. (Fac. Albert Einstein - Medicin 2018) Um bloco é lançado com velocidade inicial v 0 , em
movimento ascendente, num longo plano inclinado que forma um ângulo θ com a direção
horizontal. O coeficiente de atrito cinético entre as superfícies do bloco e do plano vale μ e o
módulo da aceleração da gravidade local vale g. A expressão algébrica que possibilita
determinar a máxima distância percorrida pelo bloco durante a subida e o respectivo tempo
gasto nesse deslocamento é:

2  g  v02 v0
d t
senθ  μ  cos θ e g  senθ  μ  cos θ
a)
v02 v0
d t
2  g  (senθ  μ  cos θ) g  (senθ  μ  cos θ)
b) e
2  μ  v02 g  μ  v0
d t
g  (senθ  cos θ) (senθ  cos θ)
c) e
2  v 02 μ  v0
d t
μ  g  (senθ  cos θ) g  (senθ  cos θ)
d) e

10. (Ufpr 2018) Numa competição envolvendo carrinhos de controle remoto, a velocidade de
dois desses carrinhos foi medida em função do tempo por um observador situado num
referencial inercial, sendo feito um gráfico da velocidade v em função do tempo t para ambos
os carrinhos. Sabe-se que eles se moveram sobre a mesma linha reta, partiram ao mesmo tempo
da mesma posição inicial, são iguais e têm massa constante de valor m  2 kg. O gráfico obtido
para os carrinhos A (linha cheia) e B (linha tracejada) é mostrado a seguir.
Com base nos dados apresentados, responda:
a) Após 40 s de movimento, qual é a distância entre os dois carrinhos?
b) Quanto vale o trabalho total realizado sobre o carrinho A entre os instantes t  0 s e
t  10 s?

c) Qual o módulo da força resultante sobre o carrinho B entre os instantes t  20 s e t  40 s?

11. (Fcmmg 2018) Em 2006, foi criado o “O Dia Mundial do Pulo”, uma iniciativa organizada na
internet (www.worldjumpday.org), pelo artista alemão Torsten Lauschmann, alegando ser um
Professor Hans Peter Niesward do Instituto de Física Gravitacional de Munique. No dia 20 de
julho às 07h39 (horário de Brasília), a organização do evento planejou ter 600 milhões de
pessoas do hemisfério ocidental pulando simultaneamente, com o objetivo de mover a Terra
para uma nova órbita e, desse modo, criar condições para diminuir o aquecimento global.

Do ponto de vista da Física, essa proposta:


a) é correta, pois a quantidade de movimento das pessoas após o pulo é pouco menor que a
quantidade de movimento da Terra.
b) é correta, pois a ação das pessoas sobre a Terra criaria uma reação igual e contrária que
alteraria a sua rotação.
c) é falsa, pois a força que as pessoas fariam seria radial no sentido do centro da Terra, o que
não alteraria sua rotação.
d) é falsa, pois a força que as pessoas fariam sobre a Terra é uma força interna entre elementos
do próprio planeta.

12. (Famerp 2017) Em uma exibição de acrobacias aéreas, um avião pilotado por uma pessoa
de 80 kg faz manobras e deixa no ar um rastro de fumaça indicando sua trajetória. Na figura,
está representado um looping circular de raio 50 m contido em um plano vertical, descrito por
esse avião.
2
Adotando g  10 m s e considerando que ao passar pelo ponto A, ponto mais alto da
trajetória circular, a velocidade do avião é de 180 km h, a intensidade da força exercida pelo
assento sobre o piloto, nesse ponto, é igual a
a) 3.000 N.
b) 2.800 N.
c) 3.200 N.
d) 2.600 N.
e) 2.400 N.

13. (Fmp 2016) Um helicóptero transporta, preso por uma corda, um pacote de massa 100 kg.
2
O helicóptero está subindo com aceleração constante vertical e para cima de 0,5 m s . Se a
2
aceleração da gravidade no local vale 10 m s , a tração na corda, em newtons, que sustenta o
peso vale
a) 1.500
b) 1.050
c) 500
d) 1.000
e) 950

14. (G1 - ifce 2016) Um conjunto de caixas precisa ser deslocado através de um plano inclinado,
conforme mostra a figura abaixo.

Nesta figura, as massas das 3 caixas A, B e C são, respectivamente, mA  12 kg, mB  8 kg e


mC  20 kg.
O fio que as une é inextensível e está conectado às caixas A e C. A polia é ideal e
o atrito das caixas é desprezível. Nesta situação, a intensidade da força que o bloco A exerce
sobre o bloco B é
2
(Considere a aceleração da gravidade como sendo g  10 m s , e também cos α  0,8 e
sen α  0,6).

a) 96 N.
b) 60 N.
c) 72 N.
d) 64 N.
e) 100 N.

15. (G1 - ifba 2018) Na montagem experimental abaixo, os blocos A, B e C têm massas
mA  2,0 kg, mB  3,0 kg e mC  5,0 kg. Desprezam-se os atritos e a resistência do ar. Os fios
2
e as polias são ideais e adote g  10 m s .

No fio que liga o bloco B com o bloco C, está intercalada uma mola leve de constante elástica
3,5  103 N m. Com o sistema em movimento, a deformação da mola é?

a) 2,0 cm

b) 1,0 cm
c) 1,5 cm
d) 2,8 cm
e) 4,2 cm

16. (G1 - cps 2018) Vinícius observa duas crianças, Caio e João, empurrando uma caixa de
brinquedos. Relembrando a aula de Ciências que teve pela manhã, ele observa o deslocamento
da caixa e faz um desenho representando as forças envolvidas nesse processo, conforme a
figura.
Considerando que a caixa esteja submetida a duas forças horizontais, nos sentidos
representados na figura, de intensidades F1  100 N e F2  75 N, ficou pensando em como
poderia evitar o deslocamento da caixa, fazendo com que ela ficasse em equilíbrio (parada).

Concluiu, então, que para isso ocorrer, uma outra criança deveria exercer uma força de
intensidade igual a
a) 100 N, junto com João.
b) 100 N, junto com Caio.
c) 75 N, junto com João.
d) 25 N, junto com Caio.
e) 25 N, junto com João.

17. (Efomm 2018) Em uma mesa de 1,25 metros de altura, é colocada uma mola comprimida e
uma esfera, conforme a figura. Sendo a esfera de massa igual a 50 g e a mola comprimida em
10 cm, se ao ser liberada a esfera atinge o solo a uma distância de 5 metros da mesa, com base
nessas informações, pode-se afirmar que a constante elástica da mola é:

2
(Dados: considere a aceleração da gravidade igual a 10 m s .)

a) 62,5 N m
b) 125 N m
c) 250 N m
d) 375 N m
e) 500 N m

18. (Uece 2018) Um pêndulo ideal, formado por uma esfera presa a um fio, oscila em um plano
vertical sob a ação da gravidade, da tensão no fio e de uma força de atrito entre o ar e a esfera.
Considere que essa força de atrito seja proporcional à velocidade da esfera. Assim, é correto
afirmar que, no ponto mais baixo da trajetória,
a) a energia cinética é máxima e a perda de energia mecânica pelo atrito é mínima.
b) a energia cinética e a potencial são máximas.
c) a energia cinética e a perda de energia mecânica pelo atrito são máximas.
d) a energia cinética e a potencial são mínimas.
19. (Ufrgs 2018) O uso de arco e flecha remonta a tempos anteriores à história escrita. Em um
arco, a força da corda sobre a flecha é proporcional ao deslocamento x, ilustrado na figura
abaixo, a qual representa o arco nas suas formas relaxada I e distendida II.

Uma força horizontal de 200 N, aplicada na corda com uma flecha de massa m  40 g, provoca
um deslocamento x  0,5 m.

Supondo que toda a energia armazenada no arco seja transferida para a flecha, qual a velocidade
que a flecha atingiria, em m s, ao abandonar a corda?
3
a) 5  10 .
b) 100.
c) 50.
d) 5.
12
e) 10 .

20. (Espcex (Aman) 2018) Um bloco de massa igual a 1,5 kg é lançado sobre uma superfície
horizontal plana com atrito com uma velocidade inicial de 6 m s em t1  0 s. Ele percorre uma
certa distância, numa trajetória retilínea, até parar completamente em t 2  5 s, conforme o
gráfico abaixo.
O valor absoluto do trabalho realizado pela força de atrito sobre o bloco é
a) 4,5 J
b) 9,0 J
c) 15 J
d) 27 J
e) 30 J

21. (Eear 2018) O gráfico a seguir relaciona a intensidade da força (F) e a posição (x) durante
o deslocamento de um móvel com massa igual a 10 kg da posição x  0 m até o repouso em
x  6 m.

O módulo da velocidade do móvel na posição x  0, em m s, é igual a


a) 3
b) 4
c) 5
d) 6

22. (Ime 2018)

Conforme a figura acima, um corpo, cuja velocidade é nula no ponto A da superfície circular de
raio R, é atingido por um projétil, que se move verticalmente para cima, e fica alojado no corpo.
Ambos passam a deslizar sem atrito na superfície circular, perdendo o contato com a superfície
no ponto B. A seguir, passam a descrever uma trajetória no ar até atingirem o ponto C, indicado
na figura. Diante do exposto, a velocidade do projétil é:
Dados:

- massa do projétil: m;
- massa do corpo: 9m; e
- aceleração da gravidade: g.
5Rg
10
a) 2
3Rg
10
b) 2
5Rg
10
c) 3
3Rg
10
d) 5
2Rg
10
e) 3

23. (G1 - ifba 2018) O Beach Park, localizado em Fortaleza-CE, é o maior parque aquático da
América Latina situado na beira do mar. Uma das suas principais atrações é um toboágua
chamado “Insano”. Descendo esse toboágua, uma pessoa atinge sua parte mais baixa com
velocidade módulo 28 m s.

2
Considerando-se a aceleração da gravidade com módulo g  10 m s e desprezando-se os
atritos, estima-se que a altura do toboágua, em metros, é de:
a) 28
b) 274,4
c) 40
d) 2,86
e) 32
RESPOSTAS COMENTADAS

Resposta da questão 1:
01 + 02 + 04 + 16 = 23.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Biologia]


Durante um movimento ocorrem contrações musculares do músculo esquelético, através de
filamentos proteicos contráteis, que encurtam as fibras musculares, onde actina (filamento
fino) desliza sobre a miosina (filamento grosso). A musculatura de um adulto não sofre divisão,
apenas a formação de novas células para reparação.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Física]


[01] Correta.
FP
F  mg
F  5  10
F  50 N

[16] Correta.
W  Fd
W  50  0,35
W  17,5 J

Resposta da questão 2:
01 + 02 = 03.

Do enunciado, temos o esquema:

[01] Verdadeiro. A força peso é vertical para baixo, como B.

[02] Verdadeiro. A aceleração possui intensidade, direção e sentido. Sendo, portanto, uma
grandeza vetorial.

[04] Falso. Vide figura abaixo:


[08] Falso.
A B  0

[16] Falso. Como os vetores têm o mesmo módulo, podemos escrever que:
2 2 2 2 2 2 2 2
A C  D  A  A  A 2A  A

O que só seria possível se os vetores fossem nulos.

Resposta da questão 3:
ANULADA

Questão anulada pelo gabarito oficial.

No ponto A:

Fat A  Psen30  1000  10  0,5


 Fat A  5000 N

Para o ponto B (repare que o enunciado diz que o automóvel faz 90 com a vertical e não com
a horizontal, o que obviamente não seria possível):
FatB  0 N

Como não há resposta correta, a questão foi anulada.

Resposta da questão 4:
01 + 04 = 05.

[01] Verdadeiro.

F3  F1  F2 .
Para haver equilíbrio estático, devemos ter que

[02] Falso. De acordo com a figura acima, F3 deve se opor a F1  F2, fazendo 45 com o eixo
horizontal.

F F , F  1N,
[04] Verdadeiro. Se 3 1
ou seja, 3 ela não conseguirá evitar que a resultante das
forças esteja direcionada para o terceiro quadrante.

[08] Falso. Para o movimento ser uniforme, a resultante das forças deve ser nula, ou seja:
F3  F1  F2
(pelo item 01)
No entanto, pela expressão dada, temos que:
F3  3F1  3F2  3 F1  F2

[16] Falso. Condição de equilíbrio:


F1  F2  F3  0

Substituindo os dados do item, obtemos:


 
5F1  12F2  10F1  12F2  5F1  0

Resposta da questão 5:
[B]

A lei da inércia ou Primeira lei de Newton da Dinâmica impõe que um corpo em equilíbrio, isto
é, um corpo em que a força resultante sobre ele é nula, tem a tendência de permanecer
parado se assim estiver ou permanecer em movimento retilíneo uniforme se estiver em
movimento, pois se não há força resultante, também não há aceleração. Portanto, alternativa
[B].

Resposta da questão 6:
[A]

Um corpo em movimento tende a permanecer em movimento se nenhuma força externa atuar


sobre ele.

Resposta da questão 7:
[B]

De acordo com o Princípio da Inércia (1ª Lei de Newton), se o movimento é retilíneo e


uniforme (o vetor velocidade é constante), a resultante das forças sobre o corpo é nula, ou
seja, as forças atuantes sobre ele estão equilibradas. No caso, a força de arrasto do ar tem a
mesma intensidade do peso, seja na velocidade máxima ou no momento do pouso.

Resposta da questão 8:
[B]

Do MRUV:
a  t2 2  Δs 2  20 m
Δs  a a  a  2,5 m s2
2 t 2
 4 s 2

Pelo Princípio Fundamental da Dinâmica:


F2  F1  m  a  F1  F2  m  a
F1  50 N  3 kg  2,5 m s2  F1  42,5 N

Resposta da questão 9:
[B]
A figura mostra as forças ou componentes relevantes para essa situação:

Na direção normal, a resultante é nula:


Ry  0  N  Py  Psen θ  N  mgcos θ.

Na direção tangencial, a resultante é oposta à orientação do eixo x. Aplicando o princípio


fundamental da dinâmica:
Rx   ma  Px  Fat   ma  mgsen θ  μ N   ma 
 m a  m gsen θ  μ m gcos θ  a   g  sen θ  μ cos θ.

Como o movimento é uniformemente variado, aplicando a equação de Torricelli, vem:


v 02
v 2  v 02  2a ΔS  0  v 02  2g  senθ  μ cos θ ΔS  ΔS  .
2g  sen θ  μ cos θ

Para determinar o tempo de subida, basta aplicar a equação horária da velocidade.


v 0 v 0 v0
v  v0  a t  t   t  t .
a  g  sen θ  μ cos θ g  sen θ  μ cos θ

Resposta da questão 10:


a) Como os móveis saem do mesmo ponto, ou seja, tem a mesma posição inicial e o gráfico
nos traz a informação de que o carrinho A tem velocidade maior ou igual a zero, enquanto
que o carrinho B tem ao longo de todo o trajeto, velocidade menor ou igual a zero,
significando que ambos os carrinhos se deslocam em sentidos contrários na pista retilínea.
Com isso, se afastam até o momento da parada. O deslocamento de cada carrinho é
determinado pela área sob a curva de cada um, de acordo com o esquema:
Para o carrinho A, o deslocamento será:
S A  A1  A2  A3  A4
10  4 10 10  2
SA    4  2   10  2   S A  20  30  20  10  S A  80 m
2 2 2

Para o carrinho B, o deslocamento será:


SB  A5  A6  A7
10   2  20   2 
SB   10   2    SB  10  20  20  SB  50 m
2 2

Logo, a distância entre os dois carrinhos após 40 s de movimento é a diferença de suas


posições:
Δs  sA  sB  Δs  80   50  Δs  130 m

b) Para determinar o trabalho neste trecho, temos que calcular a aceleração:


Δv 4  0
a A  010 s     a A  0 10 s   0,4 m s2
Δt 10

O trabalho será:
Fma
WA010 s  F  d 
 WA010 s  m  a  d

Assim, temos:
WA  010 s   2  0,4  20  WA  010 s   16 J

c) Para obtermos o módulo da força resultante sobre o carrinho B, devemos primeiramente


encontrar a aceleração neste intervalo de tempo e depois aplicar o Princípio Fundamental da
Dinâmica:
Δv 0   2 
aB 20 40 s     aB 20 40 s   0,1m s2
Δt 20
FR B 20  40 s   m  a  2  0,1 FR B 20 40 s   0,2 N

Resposta da questão 11:


[D]
A ação de forças internas não alteram o estado de movimento, pois estão acompanhadas de
seus pares ação e reação que possuem mesmo módulo e direção, mas sentidos contrários,
sendo assim, o somatório dessas forças no sistema seria anulado. Para que conseguíssemos
alterar a órbita da Terra, necessitaríamos um “empurrão” externo como um corpo de grande
massa interagindo com o sistema Terra-Lua como um asteroide capturado pela gravidade da
Terra, por exemplo. Resposta correta [D].

Resposta da questão 12:


[C]

No ponto A, temos:

Ou seja, N  P atua como resultante centrípeta. Sendo assim:


mv 2
NP 
R
80  502
N  800 
50
N  800  4000
 N  3200 N

Resposta da questão 13:


[B]

Observando o diagrama de corpo livre para o sistema de corpos:


Aplicando a segunda lei de Newton sobre o pacote:
FR  m  a
T  m g  ma
T  m   g  a   T  100 kg  10  0,5  m / s2  T  1050 N

Resposta da questão 14:


[D]

Aplicando a segunda lei de Newton para cada e lembrando que a força f que o bloco A
exerce sobre o bloco B é um par ação-reação, logo a força f será a força que o bloco B
exerce sobre o bloco A.
Observação: Estamos em um plano inclinado, então, a força peso será decomposta na sua
componente vertical e horizontal.

Para o bloco A, temos:


T  (Pa  senα  f )  ma  a
T  (ma  g  senα  f )  ma  a
T  72  f  12  a (i)

Para o bloco B, temos:


f  Pb  senα  mb  a
f  mb  g  senα  mb  a
f  48  8  a (ii)

Para o bloco C, temos:


Pc  T  ma  a
mc  g  T  ma  a
200  T  20  a (iii)

(i)  (iii),
vem:
T  72  f  12  a

200  T  20  a
128  f  32  a (iv)
(iv)  (ii), temos:

128  f  32  a

f  48  8  a
80  40  a
a  2 m s2 (v)

(v) em (ii) :
f  48  8  a
f  48  8  2
f  48  16
f  16  48
f  64 N

Resposta da questão 15:


[B]

50  20
mC g  mA g  mA  mB  mC  a  a   a  3m/s2.
10

Aplicando o princípio fundamental no corpo C:


mCg  mCa 5  10  5  3
mC g  k x  mCa  x    x  0,01 m  x  1 cm.
k 3,5  103

Resposta da questão 16:


[E]

Para que a caixa de brinquedos fique em equilíbrio, é necessário que a força resultante sobre a
mesma seja igual a zero, para isto a outra criança deve ajudar João com a diferença entre as
forças F1 e F2 .
F1  F2  100 N  75 N  F1  F2  25 N

Assim, a caixa fica parada, pois a resultante das forças será nula. Alternativa [E].

Resposta da questão 17:


[E]

Após o lançamento horizontal, temos:


1 2 1
y:
h gt  1,25   10  t 2  t  0,5 s
Em 2 2 (tempo de queda)

Em x : d  vt  5  v  0,5  v  10 m s (velocidade horizontal da esfera)

Desprezando o atrito com a mesa, por conservação da energia mecânica:


kx 2 mv 2

2 2
k  0,12  0,05  102
 k  500 N
m

Resposta da questão 18:


[C]

No ponto mais alto devemos ter energia potencial máxima e energia cinética nula.
No ponto mais baixo devemos ter energia potencial nula e energia cinética máxima, assim
como a perda de energia mecânica, uma vez que a força de atrito atinge o seu maior valor
neste ponto por ser proporcional à velocidade do pêndulo.

Resposta da questão 19:


[C]

Para calcular a energia elástica do arco, necessitamos da sua constante elástica k determinada
pela Lei de Hooke:
Fe  k  x

Onde:
Fe  Força elástica em newtons;
k  Constante elástica do arco;
x  Deslocamento do arco em metros.

200
Fe  k  x  200  k  0,5  k   k  400 N m
0,5

Assim, com a Conservação da energia, igualamos a energia elástica Ee à energia cinética Ec


para obter a velocidade máxima disparada pelo arco.
m  v 2 k  x2 k  x2 k
Ec  Ee   v v  x 
2 2 m m

Substituindo os valores dados e usando a massa da flecha em quilogramas, temos:


k 400
v  x  v  0,5   v  50 m s
m 0,040

Resposta da questão 20:


[D]

τ  ΔEc
1,5  02 1,5  62
τ   τ  27 J
2 2
 τ  27 J
Resposta da questão 21:
[A]

Como o trabalho realizado é numericamente igual a área, temos que:

τ
 6  3  10  τ  45 J
2 ( τ  0, pois o trabalho realizado é contra o movimento)

Pelo teorema da energia cinética, chegamos a:

τ
mv f 2 mv 02 m
2

2

2

v f 2  v 02 
45 
10 2
2
 
0  v 02  9  v 02

 v0  3 m s

Resposta da questão 22:


[A]

Sendo v a velocidade do projétil e v A a velocidade do conjunto corpo + projétil após a


colisão, por conservação da quantidade de movimento, temos:
v
mv  10mv A  v A 
10

Por conservação de energia, a velocidade do conjunto no ponto B será:


EmA  EmB

10mv A 2 10mvB2 v2
 10mgR   vB   2gR
2 2 100

Para o lançamento horizontal, temos:


Em y :
1 2 2R
R gt  t 
2 g

Em x :
v2 2R
R  vB t   2gR  
100 g
2v 2R 5gR
R2   4R2  v 2  100 
100g 2
5gR
 v  10
2

Resposta da questão 23:


[C]

Analisando o sistema e aplicando o teorema da conservação da energia mecânica:


mv 2 v2 282
mgh   h   h  39,2m  h  40 m.
2 2g 2  10

Você também pode gostar