Você está na página 1de 20

Interfaces da Matemática

com a Física:
Oscilações e Ondas
Material Teórico
Introdução ao estudo das ondas

Responsável pelo Conteúdo:


Prof. Dr. Márcio Eugen Klingenschmid Lopes dos Santos

Revisão Textual:
Profa. Esp. Márcia Ota
Introdução ao estudo das ondas

• Introdução
• Classificação das ondas
• Ondas longitudinais
• Ondas transversais
• Ondas Eletromagnéticas
• Direção de Propagação de Ondas
• Ondas não Periódicas Velocidade de um Pulso
• Exercícios de Aplicação

OBJETIVO DE APRENDIZADO
· Adquirir conhecimentos básicos sobre ondas mecânicas e
eletromagnéticas, pulso, ondas longitudinais e transversais.
· Relacionar os conceitos abordados com o currículo do Ensino
Médio.
· Introduzir conceitos didáticos que venham colaborar com a futura
prática docente dos alunos para compreenderem fenômenos,
expressando-os com clareza e precisão.
· Articular os conceitos e desenvolver a capacidade de raciocínio
lógico para identificar, formular e resolver problemas.

ORIENTAÇÕES
Prezado estudante,
Nesta Unidade, estudaremos:
Ondas Mecânicas; Pulso; Ondas Unidimensionais; Ondas Bidimensionais;
Ondas Tridimensionais; Ondas Eletromagnéticas Ondas Longitudinais
Transversais; Ondas Transversais e Ondas Periódicas.
Ao término desta Unidade, desejamos que você seja capaz de resolver
atividades envolvendo o estudo de ondas.
Para tanto, realize a leitura dos textos indicados, acompanhe e refaça todos
os exemplos, bem como anote suas dúvidas. Assim sendo, fique atento às
atividades avaliativas e aos prazos de entrega.
Sucesso nos estudos!
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Contextualização
Ondas produzidas no corpo humano – As cordas vocais
Autor: Cláudia Santos do Nascimento

A laringe está especialmente adaptada para agir


como um vibrador. Conceitualmente, dizemos que
ela é um tubo com as funções de respiração, fonação
e proteção das vias aéreas. No adulto, possui cerca
de 5 cm de comprimento, no sexo masculino, sendo
um pouco menor na mulher. A produção do som
se origina na laringe como um tom fundamental
Figura 1 – Laringe e pregas vocais que é então modificado por várias cavidades de
Fonte: Félix, 2005 ressonância acima e abaixo da laringe.
O som é finalmente convertido em voz por ação da faringe, língua, palato, lábios
e estruturas relacionadas. A frequência fundamental do som é produzida por
vibrações das chamadas cordas vocais que na realidade são pregas vocais, situadas
ao longo das paredes laterais da laringe, estiradas e posicionadas por vários
músculos específicos, no limite da própria laringe (Okuno, 1982).
Emissão de som Apenas passagem de som

Figura 2 - Pregas fechadas e pregas abertas


Fonte: Instituto Ciência Hoje, 2005.

As pregas vocais são compostas por três partes que nos permitem produzir
diversas frequências. No centro de cada prega há um ligamento parecido com
uma corda. Na parte interna dos ligamentos há músculos contráteis, pequenas
tiras de músculos, controladas separadamente por fibras nervosas diferentes.

As tiras de músculos próximas às


extremidades das pregas vocais podem
contrair-se separadamente daquelas
próximas à parede da laringe e de outras
porções individuais destes músculos.
Cerca de 90% do volume das pregas vocais
Figura 3 – Corte transversal das pregas vocais é composto por tecidos musculares. Estas
Fonte: R.S.A.B., 2008 tiras são totalmente revestidas por uma
membrana mucosa bastante flexível.

Fonte: http://www.ppec.ufms.br/Dissertacoes/Dissertacao_Claudia_Santos_Nascimento.pdf

6
Leia o artigo na íntegra acessando o link abaixo:
Explor
http://www.ppec.ufms.br/Dissertacoes/Dissertacao_Claudia_Santos_Nascimento.pdf

Texto extraído da dissertação de Mestrado de Cláudia Santos do Nascimento, intitulada


“A Contextualização do Ensino de Ondas Sonoras por meio do Corpo Humano”
apresentada e defendida na universidade Federal do Mato Grosso do Sul no ano de 2009.

Agora convidamos vocês a refletir e tentar responder as questões


Explor

baseada no texto apresentado.


1. Que relação entre a saída de ar dos pulmões e a freqüência
das cordas vocais?
2. De que forma funciona o mecanismo de produção sonora do
corpo humano?
3. Experimente dizer algumas palavras colocando uma de suas
mãos na garganta. O que acontece com a sua voz?
4. Quais outros exemplos podemos encontrar aplicações para
tais fenômenos?

7
7
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Introdução
Sempre que se fala sobre ondas, o exemplo mais recorrente relata as ondas
no mar, em um lago ou até em tsunamis.No entanto, a idéia de onda, quando
estudamos Física, é que a onda transporta energia e não matéria e pode ser
classificada quanto à sua natureza, forma e propagação.

Fenômenos Ondulátorios
Fonte: iStock/Getty Images

O mundo em que vivemos está repleto de aparelhos e recursos que só se


tornaram possíveis em decorrência da utilização de ondas para fins tecnológicos,
sejam nas telecomunicações, nos eletrodomésticos ou em equipamentos médicos.

Na natureza, as ondas que nos vêm imediatamente na cabeça, como exemplo,


são as ondas do mar; quando ficamos dentro da água, estamos sob a ação dessas
ondas e dependendo da ação que realizamos, podemos ser levados até a praia ou
mesmo elevados quando a onda passa. Porém, nas ondas estudadas, não podemos
pensar que as ondas transportam matéria como o exemplo das ondas do mar, pois
as ondas transportam energia e não matéria.

Como aplicações sobre a utilização das ondas podem ser citados: o uso do
ultrassom para reconstrução de imagens para diagnósticos médicos, ou para
sondagem de canais de pragas em madeira, como a broca e o cupim, da propagação
do som de explosões no solo para levantamento da camada do pré-sal. Também
a obtenção da composição química de estrelas e planetas pela análise das ondas
eletromagnéticas, principalmente, da luz, proveniente desses astros

8
Classificação das Ondas
O que são ondas?

Onda eletromagnética
Fonte: iStock/Getty Images

Uma onda pode ser exemplificada como uma perturbação que oscila em
um intervalo de tempo em alguma grandeza física. Conhecer as características
das ondas permite que sejam feitos estudo sobre as freqüências naturais
de oscilação das obras em engenharia civil, que são muito utilizados para
evitar problemas na construções.Compreender as ondas eletromagnéticas
possibilitaram importante avanços na comunicação, principalmente via satélite
e rádio.

Os seres humanos têm a capacidade auditiva de captar certas ondas que são
convertidas em sons, como as vozes, música, ruídos entre outros. No entanto,
alguns tipos de ondas não são possíveis de ser interpretadas pelos ouvidos
humanos, como o ultrassom por exemplo. A mesma coisa acontece com a
capacidade de interpretar as cores, que, na verdade, são ondas luminosas que
o cérebro tem capacidade de interpretar.

Todas as ondas podem ser classificadas quanto à sua natureza em ondas de


natureza mecânica ou eletromagnética:

Classificação de Ondas
As ondas podem ser classificadas quanto à sua natureza em:
• Ondas Mecânica: são ondas que necessitam de um meio material para a
propagação. Os meios podem ser agua, ar, um fio metálico, um trilho de trem,
uma corda, um cristal etc.;
• Ondas Eletromagnéticas: não necessitam de meios materiais para se propagar,
podendo se propagar no vácuo.
Quanto à forma de propagação da onda, é possível denominar uma onda como
sendo longitudinal ou transversal:
As ondas longitudinais têm propagação no mesmo sentido do movimento. Já as
transversais têm sua propagação de forma perpendicular ao movimento.

9
9
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

As ondas vibram de maneira transversal ou longitudinal, como já apresentado


anteriormente, porém existem ondas onde os dois modos de vibrações ocorrem
simultaneamente. Estas ondas recebem o nome de ondas mistas. Como exemplos
podem citar aquelas ondas que se propagam na superfície de um líquido ou um
objeto que flutua sobre a água e esta sujeito a passagem de algumas ondas que
vibrará de maneira transversal e longitudinal ao mesmo tempo.

Ondas longitudinais
Nas ondas longitudinais as vibrações do meio estão na mesma direção de
propagação da onda. Um exemplo clássico é o de uma onda sonora, em que zonas
de alta e de baixa pressão movem-se para frente e para trás através do meio de
propagação.

Pode ocorrer, em alguns casos, o deslocamento de uma onda tanto na forma


longitudinal quanto transversal. Isto pode ocorrer com a propagação de som em
sólidos, que chamamos de ondas mistas.

Ondas transversais
Quando balançamos uma corda, ou simplesmente observamos o balanço
das ondas do mar, percebemos que esta onda tem a aparência semelhante à da
figura abaixo.

Direção de oscilação

Direção de
vibração

Este tipo de onda que se movimenta da direita para esquerda, tem o movimento
para cima e para baixo e classifica-se como sendo uma onda transversal. Nas
ondas transversais, as vibrações do meio estão na direção perpendicular à direção
de propagação. O exemplo acima é o exemplo clássico de uma onda criada em
uma corda longa: a onda se propaga de uma ponta da corda à outra ponta, mas
o movimento real ocorre na corda na direção vertical e não da esquerda para a
direita, como a onda realmente se movimenta.

10
Ondas Eletromagnéticas
As ondas eletromagnéticas são geradas a partir de cargas elétricas que oscilam
e o meio por onde propagam não necessitam de um meio material e podem se
propagar no vácuo. Podemos citar como exemplos as ondas de rádio, o radar , o
raio X e as microondas. A velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas
se propagam no vácuo com uma velocidade próxima de próxima a 300000km/s.

Os diversos tipos de ondas magnéticas podem ser ordenadas tomando por base
sua freqüência, ou com seu comprimento de onda, assim se obtém o chamado
espectro eletromagnético.
Espectro eletromagnético

Fonte: http://goo.gl/RAHfJd

As ondas de rádio são exemplos de radiação eletromagnética com comprimento


de onda maior e frequência menor em relação a radiação infravermelha. Como
todas as outras ondas eletromagnéticas, viajam à velocidade da luz no vácuo. Estas
ondas podem ser geradas por empresas de radiodifusão como radio e tv, telefone
móveis, redes de comunicação sem fio e diversas outras aplicações.

As conhecidas ondas de micro-ondas, presentes na maioria de nossas casa por


estarem presentes nos fornos de micro ondas são ondas eletromagnéticas com
comprimentos de onda maiores que os dos raios infravermelhos, mas menores que
o comprimento de onda das ondas de rádio variando o comprimento de onda, e
operam em freqüências de 0,3 GHz 300 GHz.

Direções de Propagação de Ondas

Propagação na água
Fonte: iStock/Getty Images

11
11
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Quando uma onda se propaga em uma corda, por exemplo, podemos denominar
que essa onda tem característica unidirecional. Agora, quando imaginamos uma
pequena pedra lançada sobre as águas paradas de um lago, podemos observar na
superfície que as perturbações geradas, as ondas, propagam-se em duas direções,
o que nessas condições podem ser chamadas de ondas  bidirecionais. Quando
uma onda tem característica de propagação espacial, em três dimensões, a luz e,
de forma geral, as radiações eletromagnéticas, os sons ou outras perturbações que
se propaguem dessa forma, serão denominadas ondas tridirecionais.

Ondas Não Periódicas Velocidade de um Pulso


Vamos considerar alguém segurando uma corda, não esquecendo que esta
possui massa que depende de seu comprimento. Chamaremos aqui a massa
de “m” e o comprimento de “L”. A partir do momento que esta pessoa faz o
movimento de sobe e desce com a corda , segurando-a por uma das extremidades
gerando uma perturbação, não periódica ou um pulso se propaga por esta corda
com certa velocidade. Como a corda foi impulsionada uma única vez, dizemos
que essa perturbação recebe o nome de pulso unidimensional.

corda parada

Direção do pulso para direita:


y=f(x - vt)

corda com pulso


Direção do pulso para esquerda:
y=f(x + vt)

Pulso Unidimensional
A velocidade de propagação do pulso v pode ser calculada por intermédio da
seguinte expressão, conhecida como “Equação de Taylor:

T
v =
µ

Em que T é a força de tensão na corda e µ é a densidade linear, que é a razão


entre a massa da corda e seu comprimento.

m
µ=
L

12
O comprimento de uma onda é a distância que a onda se deslocou em certo intervalo
de tempo entre dois vales ou duas cristas e denominamos pela letra “λ”(lambida).
O período da onda (T) o tempo decorrido até que duas cristas ou dois vales
consecutivos passem por um ponto e freqüência da onda (f) o número de cristas ou
vales consecutivos que passam por um mesmo ponto, em uma determinada unidade
de tempo. Como se pode verificar, na figura apresentada a seguir,o comprimento de
onda corresponde à distância entre duas cristas ou vales consecutivos.

v = λf
1
f =
T
1
T=
f

Voltando ao exemplo da pessoa produzindo um pulso na corda com um


movimento de sobe e desce, se o movimento for repetidamente produzido, haverá
a formação de um trem de pulsos periódicos, constituindo uma onda periódica.

Crista y Crista

A
0
y x
a

y
vale vale
Onda Periódica

Recebe o nome de crista a parte mais alta da onda e vale e a parte mais baixa
da cavidade existente entre as cristas. O período T é o intervalo de tempo de
uma oscilação completa, bem como a frequência f é o número de vibrações por
segundo, dado em unidade de frequência chamada “hertz” (Hz).

Assim, quando dissemos que a frequência de oscilação da rede elétrica é de


60Hz, entendemos que a tensão elétrica troca de sinal 60 vezes por segundo.

Segundo a relação de Taylor a velocidade de propagação de um pulso (meia


onda) que se propaga numa corda esticada depende da intensidade da força que
traciona (T) e de densidade linear (µ) . Sabendo que a densidade linear é a relação
entre a massa (m) e o comprimento da Corda (l), podemos escrever a relação de
Taylor por:

T
v=
µ

13
13
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Exercícios de Aplicação
Os exercícios, a seguir, trazem os conceitos estudados nesta unidade. Tente
resolvê-los e depois compare com as expectativas de resposta indicadas abaixo de
cada um dos exercícios.

Questão 1: Um fio tracionado de massa 240 g e de comprimento 1,2 msofre uma
vibração, sabendo queestá sendo tracionada por uma força de 120N, determine a
velocidade de propagação da onda:

Expectativa de resposta:

m
µ=
L
0, 240
µ=
1, 2
µ = 0, 2kg / m

Utilizando-se da equação de Taylor, podemos determinar a velocidade:

T
v =
µ
120N
v =
0, 2kg / m
v = 600
v = 24,5m/s

Questão 2 Em uma partida de futebol, a velocidade com que se propaga a


comemoração em formato de onda “Ola” é de 5m/s, em que cada período é
realizado por 20 torcedores, considerando que estão distantes entre si por 100cm.
Qual é a frequência dessa onda?

Expectativa de resposta:

Pessoas = 18

Velocidade = 5 m/s

Distância entre as pessoas = 50 cm

14
λ = 20 . 1
λ = 20m
v = λ .f
5 = 20 . f
f = 0, 25Hz

Questão 3 Por um fio, que se encontra esticado, propaga-se uma onda com
frequência de 60Hz a uma velocidade de 10m/s. Determine o comprimento da
onda que se propaga por este fio.

Expectativa de resposta:

Frequência : 60Hz

Velocidade : 10m/s

v = λ .f
10 = λ. 60
10
λ =
60
λ = 0,17 metros

Questão 4 Sob a superfície de uma banheira de hidromassagem, temos


ondas periódicas formadas pelo sistema de limpeza através de jatos submersos.
Considerando que essas ondas se propagam com uma velocidade de 14,4 km/h e
com comprimento de 50 centímetros, determine a frequência dessa onda:

Expectativa de resposta:

Convertendo a velocidade para m/s, temos: 14,4 km/h / 3,6 = 4m/s

O comprimento da onda é dado em centímetros, convertendo para metros


temos 0,5 metros.

Aplicando a relação, temos:


v=λ .f
4 = 0, 5. f
4
f =
0, 5
f = 8 Hz

15
15
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Questão 5. Uma corda tracionada em 60N apresenta massa de 50g e um


comprimento de 5 metros. Qual é a velocidade de propagação de um pulso nessa
corda, tendo em vista as condições apresentadas?

Expectativa de resposta:

Inicialmente, devemos converter a unidade de massa, 50g para 0,05 kg.

Sabendo que a densidade da corda pode ser obtida pela relação abaixo, temos:

m
µ=
L
0, 05
µ=
5
µ = 0, 01kg / m

Utilizando-se da equação de Taylor, podemos determinar a velocidade:

T
v=
µ
60 N
v=
0, 01kg / m
v = 6000
v = 77,5 m/s.

16
Material Complementar

Livros
Física Completa – Volume único
BONJORNO, Regina Azenha. FTD, São Paulo 2001.

Sites
Aulas sobre ondas
http://www.sofisica.com.br/conteudos/Ondulatoria/Ondas/classificacao.php
http://www.brasilescola.com/fisica/ondas.htm

Leitura
Desenvolvimento de uma Unidade de Ensino Potencialmente significativa para o Ensino do Conceito de Ondas
A Dissertação de mestrado que apresenta uma interessante intervenção com alunos
baseada na ideia de aprendizagem significativa, em que são estruturadas atividades
potencialmente significativas com os estudantes diante dos modelos tradicionais
utilizados em sala de aula. A autora é Graziely Ameixa Siqueira dos Santos, teve
sua dissertação apresentada e defendida na Universidade Federal do Espírito Santo
e publicada em Fevereiro de 2015. O trabalho pode ser encontrado no endereço:
http://www.ensinodefisica.ufes.br/pos-graduacao/PPGEnFis/detalhes-da-tese?id=8751

17
17
UNIDADE Introdução ao estudo das ondas

Referências
BONJORNO, Regina Azenha. Física Completa - Volume único. FTD, São Paulo 2001.

FUKE,L.F; CARLOS, T.S;KAZUHITO, Y. Os Alicerces da Física: Termologia


Óptica Ondulatória, Editora Saraiva, São Paulo, 1998.

HALLIDAY, D; RESNICK,R; WALKER, J. Fundamentos da Física 2: gravitação,


ondas e termodinãmica. Editora LTC, São Paulo, 2004.

CALÇADA, S.C; SAMPAIO, J.L. Física Clássica: Óptica e Ondas. Editora Atual,
São Paulo, 1995.

18