Você está na página 1de 64

.

>

r\ 332
Impren sa nacional
A fj
Jf-,
'

'•

o$
%
"5
RELATÓRIO
APRESENTADO

Ao Exm.° Snr, 'Presidente

DO

ESTADO DO CEARA'
r.
f edro Jtópsfn «Jtorges
PELO
SECRETARIO DOS NEGÓCIOS DA FAZ

J"LTTSTKCO DE 1902

Tyji. Moderna a Vapor


ATELIERS-LOUIS—RUA FORMOSA. 71

CEARA -FORTALEZA
ij c/Y

Cj^(pO
n
Secretaria dos Negócios da Fazenda do Ceará, em 30 de

Junho de

çEx.™° (Snr. presidente do (Estado.

Conservando-me ainda a confiança de V. Exc. a no cargo em


que me collocou em 12 de Julho de 1900, vou, agradecendo mais
uma vez tão elevada prova de distincção que muito me apraz e
honra, cumprir o dever que me impõe o § 3.° do art. 13 do Regu-
lamento de 28 de Dezembro de 1892, submettendo á criteriosa e
illustrada consideração de V. Exc. a o Relatório dos serviços exe-
cutados por esta Secretaria^eLurante o periodo de Julho do anno
próximo findo até esta data.
D'este documento evidencia-se que o serviço publico, cuja
direcção me foi confiada, nenhum melhoramento ainda obteve
nesse segundo periodo de minha gestão; não devendo, porém,
ser isto attribuido á inércia ou negligencia no desempenho de tão
árdua tarefa, pois affirmo pela voz da consciência que não tenho
cessado de empregar os maiores esforços, não poupando até mes-
mo sacrifícios da saúde.
Semelhante falta, pois, a se deixar de imputar á augustiosa
crise económica e financeira que devasta o Estado, então impõe o
raciocínio que seja attribuida á minha incompetência para gerir
os negócios da Fazenda.

Com relação ao pessoal desta Secretaria, assumpto a que se


acham intimamente vinculados todos os outros deste departamen-
to da Administração Publica, continuo aemittir o mesmo concei-
to que externei no Relatório anterior e a indicar a mesma medida
que alli propuz e que deverá ser realisada, apenas permittirem os
recursos do Estado, pois cada dia mais accentua-se a sua neces-
sidade.

No quadro n.° 1 estão contemplados todos os empregados
da Repartição e mencionadas todas as occurrencias, como sejam
comparecimento ao expediente, nomeação e revesamento.

Permanecem no mesmo estado.de atrazo em que encontrei


os importantes trabalhos de confecção de balanços definitivos e
de assentamentos de empregados e de próprios do Estado, visto
subsistir o motivo que me tem impossibilitado de cuidar de sua

execução a falta de empregados competentes.
Para dar. começo aos referidos trabalhos aguardava, como
disse no meu Relatório precedente, melhor ensejo que me deve-,
ria proporcionar a nova organisaçào da Repartição, pois contava
que nessa occasião se fizesse, conforme o plano que se pretendia
adoptar na reforma, acquisição de valiosos elementos que viriam,
com certesa, satisfazer as instantes necessidades do serviço.
Não se tendo, porém, realisàdo, infelizmente, tão necessária
medida, em consequência da continuação da crise financeira, não
me foi dado tratar da execução de taes trabalhos, apesar do meu
maior desejo
O não menos importante trabalho de escripturação e liquida-
ção da divida activa, que já esteve em grande atrazo, acha-se
actualmente em dia, pois que a sua execução tem sido preferida
á de outros serviços por intuitivas rasões de conveniência.
No quadro n. 2 está comprehendida a divida liquidada de
-

Julho do anno passado até agora na. importância de 39:783$170, e


discriminados a sua proveniência eos municípios ã que pertence.
O proveitosíssimo serviço de tomada de contas definitivas de
responsáveis não teve no alludido lapso de tempo o incremento
que lhe pretendia dar, porque o único empregado que o desem-
penha conjunctamente com outros de expediente daSecçào que di-
rige, esteve durante quasi quatro mezes em com missão de inspe-
de algumas estações arrecadadoras.
O quadro n.° 3 é um attestado valioso de que, não obstante, não
foi o mesmo serviço completamente descurado. .Foram liquida-
das as contas referentes aseis gestões de exactores, verificando-
se alcances que importam em 2:53-18582.
Os serviços attinentes ao movimento de entradas e sahidas de
dinheiros e outros de expediente da repartição vão sendo execu-
tados com a precisa pontualidade.

Procedendo-se á liquidação provisória do exercício financei-


ro de 190), chegou-se ao resultado de que a receita arrecadada è
\ de 2.121:7258180 ea despeza realisada, de 2.606:3588330, como se
\ verifica da synopse junta sob n. e 4, resultando uma differença pa-
]
ra mais destapara aquella de 484:6338150
:

O pagamento da diffefença da despeza sobre a receita foi oc-


corrido pelo produeto da venda das apólices da divida Federal e
pelo empréstimo levantado em virtude do acto de 23 de Abril do
anno findo.
Comparando-se a receita arrecadada na importância de
2.121:725$! 80 com a orçada, na de 2 920:9053496, resulta uma diffe-
rença de 799:180$316, que prova que^nrTmesmo exercício não se
reaíisou, como no immediatamente anterior, a previsão orçamen-
taria e que as rendas do Estado vão gradual e sensivelmente dimi-
nuindo, como effeito mediato das crises que o têm assolado.
A differença que se verifica entre a receita arrecadada e a or-
çada, provem quasi exclusivamente da grande diminuição que
occorreu no rendimento dos impo tos de exportação, industria e
profissão, rez abatida para o consumo e transfêTèTTrrcr4e proprie-
dade, pois que, sendo calculados, como consta do orçamento, em
1.289:9838500, 568:2788200,351:9503000 e 192:9428503, produsiram,
respectivamente, como se vê da alludida synopse, 811:9188525,
458:2378475, 248:6658000 e 115:0138446.
Comparando-se também adespeza realisada na importância
de 2.606:3588330 com a fixada na de 2 884:6178212, verifica-se uma
differença para mais desta sobre aquella 71e278:25S$882.
Adclicionando-se â mesma despeza realisada de 2.606:3588330
a divida fluetuante cio mesmo exercício na importância de
257:7663582, resulta que a despeza que devia ter sido effectuada
era de 2.864:1243912, inclusive a extraordinária de amortisação do
empréstimo e pagamento do respectivo juro na importância de
207:348$451.

Existem actualmente no Estado 80 Estações arrecadadoras


esta Secretaria, a Recebedoria, 2 Mesas de Rendas e 76 Collecto-
rias, cujos rendimentos estão contemplados discriminadamente
por impostos no quadro n." 5.
Confrontando-se o rendimento de todas estas estações duran-
te o exercício de 1901, na importância de 2.121:7258180 com o de
1900 na de 2 687:9738343, resulta uma differença para menos em
J901 de 566/248$023,que é devida exclusivamente a diminuição que
soffreu o rendimento dos impostos de exportação, industria e pro-
fissão, rez de consumo e transmissão, de propriedade, como já fi-
cou demonstrado
Para corrigir irregularidades que tive de notar na fiscalisação
e arrecadação das rendas, mandei inspeccionar, como me faculta
a lei, algumas estações fiscaes por dois empregados dos mais com-
petentes desta Secretaria. Sinto que a causa geral já apontada
não me permittisse mandar proseguir neste trabalho, ampliando o
a maior numero, senão á totalidade das estações fiscaes, porque
considero tal providencia de grande alcance para o serviço publi-
co, o que provam os relatórios apresentados pelos alludidos em-
pregados acerca das que foram inspeccionadas.
Opportunamente, pois, mandarei proseguir no desempenho
.

de tão proveitosa medida, logo que melhorem as péssimas condi-


ções do momento.

Em vista de proposta apresentada polo Engenheiro Rodolpho


Furquim Lahmeyer, e discutida e acceita pelo Governo, foi em
24 de Abril ultimo contractada com o mesmo Engenheiro a explo-

ração de sal no lugar— Can<-é, do município do Aracaty
Este acto. não constituindo privilegio, pois não veda a explo-
ração e exportação de sal nas mesmas condições em qualquer
outro lugar do Estado, será de vantagens. Alem de activar um
ramo de industria que, embora ha muito existente no Estado, acha-
va-se completamente inerte, ue sorte que os seus productos pouca,
ou, melhor dizendo, quasi nenhuma sahida tinham, como provam
os dados estatísticos existentes nesta Secretaria, poisa, exporta-
ção de sal no anno próximo. findo foi apenas de 1.263:480 kilogram-
mas, pagando de imposto 2:2763148, trará sensivel augmen.o ás
rendas publicas, não só pela importância de 30:0003000 que deve
ser, no minimo, paga annualmente ao. Estado a titulo de benefi-
cio na rasão de 200 reis por alqueire de i60 litros de sal exportado,
como pelo provável excesso d'esse minimo, e também pela ele-
vação ou pelo menos equiparação da taxa d'esse producto expor-
tado por qualquer outro ponto do Estado, como ficou ajustado
no contracto do theor seguinte :—-Aos vinte e quatro dias do mez
de Abril de mil novecentos e dois, no Palácio do Governo deste
Estado, presente o Exm.* 9nr. Presidente do mesmo Estado, Dr.
Pedro Augusto Borges, compareceu o Engenheiro Rodolpho Fur-
quim Lahmeyer, (pie com o mesmo Exm; Snr. Presidente do
Estsdo discutiu, ajustou e contracto u a exploração de sal no lu-
gar denominado Canoè, d» município do Aracaty, como abaixo se
declara Clausula i." O Engenheiro Rodolpho Furquim Lahmeyer
:

se obriga para com o Estado do Geará a estabelecer uma salina


no lugar denominado Canoé, do município de Aracaty, servida por
uma estrada de ferro, que igualmente se obriga a construir, para
trafegar os seus productos para o porto do Fortinhodo mesmo mu-
nicípio. Clausula 2." Obriga-se ainda a fazer exportar annualmen-
te, no minimo, cento e cincoenta mil alqueires de sal.de cento e
sessenta litros cada alqueire, a começar do 1. -de Janeiro de 1903,
pagando ao Estado do Ceará, a titulo de beneficio e correspon-
dente compensação do presente contracto, a quantia de 200 reis de
cada alqueire de sal que exportar para qualquer destino no Paiz.ou
no Extrangeiro Clausula 3 a G mesmo Engenheiro obriga-se a pagar
ao Estado do Ceará a quantia de cem contos de reis (100:000$000) a
titulo de multa em qualquer dos seguintes casos: — A— deixar de
dar execução ao presente contracta em qualquer tempo de sua du-

ração ;— R deixar de exportar annualmente, a contar de 1 de Ja-
.

neiro de mil novecentos e três, a quantidade de sal a que se obriga


pela clausula segunda ; — —
C deixar de pagar o beneficio de 200 reis
por alqueire de sal a que se obriga pela mesma clausula 2.- ena
conformidade da clausula 7. a Clausula 4." O Estado do Ceará
.

obriga se para com o Engenheiro Rodolpho Furquim Lahmeyer


?

a conceder-lhe isenção de qualquer imposto Estadoal e Municipal


por espaço de dez annos, a contar do í.' de Janeiro de 1903, para
os productosque exportar de sua salina, que faz objecto do presen-
te contracto. Clausula 5." Obriga-se o mesmo Estado do Ceará a
não fazer melhores concessões dentro do prasode dez annos, deste
contracto, a qualquer outro explorador de salinas, que não se obri-
.gue as mesmas responsabilidades eoffereçaas mesmas vantagens,
não podendo, portanto, reduzir-lhe o beneficio de 200 reis por al-
queire da mesma capacidade, que outro qualquer explorador venha
a exportar para qualquer destino, ou diminuir-lhes a taxa do im-
posto de exportação de modo que este imposto não fique inferior á
quantia de 200 reis por alqueire de sal de 160 litros. Clausula 6. a O-
briga-se ainda o mesmo Estado a pagar ao Engenheiro Rodolpho
FurquimLahmeyer a quantia de 500:000$000, verificadas quaesquer
das seguintes hypotheses :
— A—
declaração de rescisão do presente
contracto, não sendo por falta de implemento das condições que o

mesmo Engenheiro contrahe; B— concessão a novos exploradores
em contravenção ao estipulado na clausula 5 a ; — —
C outra qualquer
exigência por parte do Estado do Ceará que impossibilite ou diffi-
culte o centractante na livre exploração e producção de sua salina.
Clausula 7 a Os referidos productosda mesma salina serão despa-
chados livres de direitos Estadoal e Municipal pela Estação Fiscal
do Estado no município do Aracaty, sendo, porém, por essa occa-
sião paga na mesma Estação Fiscal a importância relativa ao be-
neficio estipulado na clausula 2. a deste contracto, ficando entendi-
do que a falta desse pagamento na referida occasião, importa con-
travenção do mesmo contracto e o contractante incurso na respe-
ctiva rescisão e ao pagamento do mesmo beneficio na rasão do tri-
plo. Clausula 8. a O presente contracto só produsirá direitos e obri-
gações reciprocas depois que fôr approvado pelo Corpo Legislati-
vo do Estado, ficando entendido que, depois de sua duração, não
haverá reversão algumada salina eaccessorios para o Estado. Clau-
sula 9. a O presente contracto terá por foro o desta capital, e não
poderá ser alienado sem expresso consentimento do Governo do
Estado, que se manifestará no praso de dez dias depois da inti-
mação, considerando-se tacita acquiescencia a falta da resposta
concensual.
E sendo reciprocamente acceitas todas estas clausulas nos
precisos termos em que se acham expressadas, lavrou-se o presen-
te termo que vaiassignado pelo Exm.- Snr Presidente do Estado,
pelo Engenheiro contractante Rodolpho Furquim Lahmeyer, e
pelas duas testemunhas presenciais Militão de Oliveira Bivar e
Guilherme Cezar da Rocha. Pagou o emolumento do n." 37 da Ta-
beliã— — C do orçamento vigente, conforme o conhecimento n/501
da Recebedoria. Eu João Baptista de Castro e Silva, amanuense o
escrevi. E eu Raymundo Viriato Ribeiro, Secretario dos Negócios
da Fazenda, o subscrevi. Dr. Pedro Augusto Borges, Rodolpho
Furquim Lahmeyer, Militão de Oliveira Bivar e Guilherme Cezar
da Rocha.
,

O prédio do projectado Asylo de Mendicidade, que havia re-


vertido ao Estado desde 21 de Maio do anno próximo findoe acha-
va-se bastante estragado e sem serventia alguma, passou por gran-
des melhoramentos, com os quaes, não obstante a mais severa
economia, se despendeu a importância de 7:9023500, assim appli-

cada: Caiação, retelhamento, pintura ea^s >alhamento 4:552$000;
— encanamento de gaz 1:368*000 e acquisiçào de. moinho, assenta-
mento deste e canalisação d'agua 1:982550(1.
Foi o mesmo pretlio locado em 1.. de Abril próximo findo a

Exm. a Snr. a D. Anna Bilhar com as condições estipuladas no
respectivo contracto que é do seguinte theor:— « Ao primeiro dia
do mez de Abril do anno de 1902, nesta cidade da Fortaleza, capi-
tal do Estado do Ceará, na quart secção da Secretaria d
i Fazenda
i

do mesmo Estado, perante o Director da mesma secção e Procura-


dor Fiscal Dr. Francisco Carlos Rodrigues, compareceu a Exm. .»

Snr.a D Anna Bilhar, directora do «Collegio No-;sa Senhora de


Lourdes» e disse que vinha assignar opresente termo de arren-
damento do próprio estadoal denominado «Asylo de Mendicidade,»
sito á praça «Benjamin Gonstant», desta cidade, para nelle funccio-
nar sob sua direcção o referido collegio, obrigaodo-sè a cumprir
fielmente o dito c mtracto nas seguintes condições a saber :-— l. 8 O
contracto ccmprehende todo o prédio locado com suas bémfeitòrias;
pertences, servidões, dependências;, muro e quintal; 2'. a O ar-
rendamento ou locação será por nove annos a c tmeçar do dia 1.-
deste corrente mez 'de Abril e a terminar no dia trinta e um de
Março de mil novecentos e onze; 3 a A renda ou aluguel será de
cento e cincoenta mil reis meiisa.es que deverão ser pagos dentro
dos dez primeiros dias" do mez subsequente ao vencido: 4 a A

locadora obriga-se a garantir á locatoria no uso pacifico do pré-
dio locado contra os embaraços, ou turbações de terceiros que se
julguem com direito s >bre o domínio ou posse do dito prédio, quer
as pretenções sejam anteriores, quer posteriores ao presente con-
tractos; 5 a Durante o tempo do arrendamento a Fazenda locadora
não poderá occupar o prédio locado no todo ou em parte, nem del-
le se utilisar por forma alguma e menos despedira locatoria sem
indemnisal-a de todos os prejnisos até o fim do contracto; 6 •'
lo-A
catoria não poderá deixar o prédio locado antes de c incluído o tem-
po do arrendamento sem pagar perdas e danmos á Fazenda locadora
salvo no caso de moléstia grave em sua pessoa ou occorrendo facto
ou factos que impossibilitem de continuar o estabelecimento a sec
cargo sem prejuiso de seus interesses; 7. a A locatoria não se obri--
ga pelo pagamento de foros, decimas e quaesquer impostos e con-
tribuições de qualquer naturesa a que por ventura estiver ou ficar
sujeito o prédio locado; 8. a A locatoria perderá para a Fazenda
locadora todas as bémfeitòrias que tiver no prédio locado as
quaes entregará no fim do contracto sem direito á indemnisaçâo
alguma; 9 a A locatoria se obriga a fazer todas as despesas ne-
cessárias concernentes á conservação do prédio locado, quanto á
sua limpeza e asseio; como também obriga-se mais, terminado
o contracto, a entregar o mesmo prédio devidamente pintado e cai-
ado no estado em que lhe é entregue; 10. a A Fazenda locadora na
9

permanência do contracto não poderá alienar por qualquer titulo o


prédio locado sem a clausula que deverá ser inserta na escriptura
ou acto de alienação de ser respeitado o presente contracto, pena de
perdas e damnos em favor da locatária; 11.
a Em todos os casos
figurados neste contracto as indemnisações serão arbitradas pelo
Bispo desta Diocese, e sua sentença, como juiz arbitro, será exe-
cutada sem mais recurso
E, sendo acceitas as condições acima estipuladas, se lavrou o
presente termo de contracto de locação pelo qual se obrigam a lo-
catária e a locadora a cumprir, ter e manter em toda a. sua pleni-
tude e com todas as responsabilidades legaes. O presente contra-
cto foi feito em virtude de portaria n.° 7. desta data. dirigida
pelo
cidadão Secretario da Fazenda, Coronel Ray mundo Viriato Ribei-
ro ao Procurador Fiscal da mesma, Dr. Francisco Carlos Rodri-
gues, e vai annexacoma respectiva nota ao presente termo. E,
depois de lido, e achado conforme e devidamente sellado, assi-
gnam o Dr. Procurador Fiscal e a locatária.
Eu Raymundo Christiano Martins, amanuense da mesma sec-
ção, o escrevi. Francisco Carlos Rodrigues, Anna Bilhar.

O próprio estadual da extincta Colónia Christina continua a


cargo do Collector da Redempçâo, ainda sem serventia alguma,
aguardando conveniente destino.
Também possue o Estado um pequeno prédio situado nas pro-
ximidades do riacho Pajehú, desta capital, o qual serviu de co-
cheira dos cavallos pertencentes a extincta Guarda Civica.
Este prédio acha-se também sem serventia convém, poi's, que
;

se lhe dê útil applicação, ou por meio de locação ou de venda, sen-


do esta, a meu ver, p.eferivel.

O empréstimo contraindo em virtude do acto de 23 de Abril do


anno próximo findo já se acha amortisado em sua maior parte. Fo-
ram totalmente indemnisados os 150:000$000 de moeda corrente
e a parte consistente em apólices que montou somente
a... .....
202:4005000, em quanto importou a divida fluetuante do exercício
de 1900, para cujo pagamento fora exclusivamente destinada, acha-
se redusida a 118: 100$000, em consequência do resgate que, de
conformidade com o mesmo acto e as instrucçoes expedidas em_ 30
de Setembro do anno próximo findo, tem sido pontualmente feito.

O quadro junto, sob n.* 6, demonstrando o movimento occor-


rido desde a data da emissão das apólices até hoje.
Não obstante já se ter solvido a maior parte de tão pesado
encargo, a divida passiva do Estado é presentemente de 600:0 o$980, 1

como se vê do quadro annexo sob n.- 7, onde estão mencionadas


discriminadamente a proveniência e natureza da mesma divida.
• 10

Na direcção da 4. a secção, a cujo cargo se acham os trabalhos


•que pertenciam ao extincto contencioso, continua o Bacharel Fran-
cisco Carlos Rodrigues, que em seu relatório (annexo A) descreve
o estado dos serviços que dirige e indica medidas que julga neces-
sárias para sanar as faltas de que se rebente a mesma secção.
Incontestavelmente notam-se neste departamento da Reparti-
ção immensas lacunas, que devem ser preenchidas, mas entendo
que isto só se poderá fazer na reforma gerai desta Secretaria.
A cobrança da divida activa, que é um dos ramos de serviço
mais importantes da secção, deu resultado muito inferior ao do
anno precedente, o que é attribuido pelo referido empregado, não
só a crise geral que muito se tem aggravado ultimamente, como
também a desídia e a incúria dos serventuários de justiça incumbi-
——
dos da execução de semelhante serviço, comprovando esta sua
asserção com factos de que faz menção
Por minha vez cabe-me dizer que noto grande morosidade
na marcha dos processos executivos., pois summarios, como são,
por sua natureza, passam-se mezes e até annos, sem que se lhes dê
julgamento final.

Continua a administrar a Recebedoria o Director de Secção


Francisco Ferreira do Valle, que desempenha com maior activi-
dade e zelo esta afanosa commissâo.
Em seu relatório (annexo B) menciona o estado dos serviços
da repartição a seu cargo e insiste na adopção das medidas que
indicou no relatório que apresentou o artno passado, fazendo so-
bresahir a de mudança da Repartição para um local próximo ao
ponto do littorrl, onde se procede ao embarque de géneros.
Esta providencia que é incontestavelmente de grande alcan-
ce para a regularidade dos serviços de fiscalisação e arrecadação,
deve ser sem demora adoptada, e penso que se poderá realisar
sem novos encargos para o Estado, pondo-se em pratica os meios
já indicados no meu relatório do anno passado, isto é, autorisar-
se a venda do próprio estadual em que funcciona a mesma repar-
tição, e com o producto fazer-se construir ou adquirir um outro
em lugar conveniente e condições adaptadas, ou locar-se o refe-
rido próprio, destinando-se o seu rendimento ao aluguel de um
prédio nas condições precisas.
Quanto as outras medidas por elle propostas, entendo que só
podem ser attendidas por occasiâo da reforma.

É bem desfavoíavel a actual situação económica e financeira


e desesperadora se me afigura a perspectiva do futuro do Estado.
A crise que o tem assolado, ha quasi três annos. continua
em sua marcha devastadora.
Ainda em Fevereiro ultimo teve o Estado de enfrentar a si-
tuação talvez mais angustiosa do que dá aoticia a historia de
suas administrações, desde o passado regimem.
11

Então cerca de. trez mezes estiveram suspensos os paga-


mentos dos próprios empregados das Repartições da Capital
pela falta absoluta de numerário, pois que apenas existia nos
cofres a quota que era reservada ao resgate da parte do emprés-
timo contrahida em apólices, a cujo sorteio se devia proceder no
começo de abril ultimo, como prescreve o acto de 23 de Abril do
anno próximo findo.
Ante tão grave estado de cousas, que tendia a mais se aggra-
var, visto como estava prestes a expirar o praso para a iníemni-
sação completa dos 150.000$000 que, em virtude do citado actn de
23 de Abril, foram levantados em moeda corrente, e havendo se frus-
tado o empréstimo que offerecera um commerciante d'esta praça,
por nào ter o Governo se sujeitado pela dignidade do Estado á
exigência que, depois de ajustadas as bases do respectivo con-

tracto, fora feita de serem as apólices da divida da União deposi-

tadas como caução em sua casa c>mmercial só um recurso res-
tava—a venda dos referidos títulos, segundo a autorisavam as Leis
os
n. 630 de 30 de Agosto de 1900 e 68i de 7 de Outubro de 1901.
Com effeito, em 14 de Abril ultimo mandou o Governo eífectuar
a venda no offnio seguinte: — «Palácio da Presidência do Ceará,

em 14 de Abril de 1902, N.° 13 Snr. Secretario dos Negócios da

Fazenda. Remetto-vos o incluso accordo desta data, pelo qual os
diversos credores do empréstimo de 150:0008000 que o Estado
contrahiu em virtude do acto d'esta Presidência de 23 de Abril do
anno próximo passado sob garantia das apólice'! da divida publica,
autorisam expressamente a venda, desde já, das referidas apólices
para que, pelo producto destas, possam ser indemnisados dos seus
títulos creditórios nos respectivos vencimentos, modificando-se
assim o dispositivo do art. 10 do referido acto.— Em vista, pois, des-
se accordo e para seu complemento, bem como em execução da
autorisação dada a esta Presidência pelo art. 6 da Lei do Orçamen-
J

to vigente, tenho resolvido ordenar a venda de 225 apólices de


1.000$000 cada uma do empréstimo Nacional de 1895 ao preço da
cotação official na Capital Federal para cuja realisação recom-
;

mendo-vos que façaes entr3gar as mesmas duzentas e vinte e cinco


apólices de n. os 44.250 a 44.474 á casa commercial desta praça
Holderness & Salgado que se incumbe de effectuar a operação na
praça no Rio de Janeiro, recolhendo o seu producto a essa Secre-
taria de Fazenda. Dr. Pedro Augusto Borges.»
Também foram vendidas nesta Capital por esta Secretaria 101
apólices, conforme a recommendação contida no officio seguinte :

—«Palácio da Presidência do Ceará, em 14 de Abril de 1902 N. 8 —


14— —
Snr. Secretario dos Negócios da Fazenda. Em virtude da au-
torisação concedida a esta Presidência pelo art. 16 da Lei do or-
çamento vigente, autoriso-vos a realisar a transmissão por venda
de cento e uma apólices da divida Nacional de 1895, pela actual
cotagáu official de SõoSooo cada uma; sendo 75 aos Snrs. Bons
Fróres e 26 aos Snrs. Motta Filhos & C % que se propõem adqui-
ril-as nestas condições para se indemnisarem dos empréstimos
que fizeram ao Estado em consequência do acto desta Presidência
de 23 de Abril do anno passado, para cujo effeito deveis consido-
12

rar vencidos, desde jà, os seus respectivos títulos creditórios.


Saúde e Fraternidade Dr. Pedro Augusto Borges»
Além das apólices constantes d'este officio foram ainda vendi-
das nesta Capital ao Dr. Virgílio Augusto de Moraes 17 apólices
nominaes da antiga emissão, e de differentes valores.
O resultado da venda foi o seguinte
lol apólices do empréstimo de 1895, do valor no-
minal de RoooSooo e ao portador, vendidas por esta
Secretaria aos Snrs. Boris Frérese Motta Filhos & C. a
sendo aquelles 75 e a estes 26, á cotação do dia no Rio
de Janeiro de 85oSooo 85:85oSooo
17 apólices nominaes da antiga emissão, sendo 9
de l:oooSooo, 1 de õooSooo e 7 de 2ooSooo, vendidas
ao Dr. Virgílio Augusto de Moraes, á cotação do dia uo
Rio de Janeiro— 860S000 por conto de réis. . . . 9:374Sooo
225 apólices, também do empréstimo de 1895, ao
portador e do valor de l:oooSooo, vendidas na praça
do Rio de Janeiro pela casa commercial Holderness
A: Salgado, sendo 37 á co.tação de 8818000. M á de
8828000, 28 á de 88IS000, 81 á de 87oSooo e 28 á
de869Sooo .
'
197:ol2Suoo
292:236$ooo
Deduzida desta importância a despeza realisada cora seguros
de remessa das apólices para o Rio de Janeiro, corretagem, com-
missão aos encarregados da venda e expedição de telegrammas,
na importância de 2:86SS42o, importou o producto liquido em
289:367858o que foram applicados á indemnisação dos 15o:oooSooo
do empréstimo de moeda corrente e ao pagamento dos respectivos
juros do 2.° Semestre na importância de 9:1338317 e ao de venci-
mentos do funccionalismo e de outras despezas urgentes.
Não obstante a providencia então adoptada, que suavisou, não
ha duvida, acrítica situação em que se encontrou o E<tado são,
todavia, difficillimas as condições do momento, que irão proijressi
vãmente se aggravando, visto como a receita não c sufficiente
para occorrer á despeza, mais avolumada com os deficits transpor-
tados dos dois últimos exercícios.
Urge, pois, que se estabeleçam medidas tão enérgicas e effi-
cazes que liquidem definitivamente os actuacs embaraços, que gra-
ves inconvenientes estão causando á marcha dos negócios públi-
cos, e procurem visar o equilíbrio orçamentário.
Estas medidas devem, quanto a mim, jpestringir-seá reducção
da despeza, pois que tem sido ella augmentada em quasi todos os
exercícios que se seguiram ao da organisaçâo do Estado, como
passo a demonstrar:
1893 1:374:0958382
1894 1:483:965S832
1895 1:743:4725382
1896 2:194:2038469
1897 2:158.8758066

//
13

1898 2:450:6503807
1899 2:584:0063478
1900 2:746:1853862
1901 2:884:6173212
1902 2:548:004$736
Para o elevado e progressivo augmento que se nota nos encar-
gos do Estado, nesse período de nove annos, não se encontra resul-
tado equivalente nos seus desenvolvimento e melhoramentos, pois
é fora de duvida que essa ampliação de despeza refere-se ao ex-
cesso dofunccionalismo, cujareorganisação na justa proporção das
necessidades publicas é indispensável.
Quanto a creaçâo de novos impostos e augmento dos existen-
tes, providencia de que também se valem os governos em circum-
stancias difficeis, entendo que não pode ser estabelecida, visto como
seria de resultado negativo, pois que todas as fontes de receita do
Estado já se acham bastante tributadas, algumas existindo que

nem supportam o peso das imposições, e serveria somente seme-
lhante medida para occasionar reclamações iguaes ás que se levan-
taram no começo deste armo quando se procedia ao lançamento
das taxas especiaes creadas sobre productos similares nos n. os 7 e
8 da Tabeliã B— do orçamento vigente, e trazer mais embaraçosa
Administração.
Não serei eu quem lembre o expediente de se contrahir emprés-
timo, porque tenho para mim que o seu emprego para fins impro-
ductivos, como o pagamento de deficits orçamentários,
é um gra-
ve erro financeiro.
Portanto, a única medida que meoccorre propor, como de effi-
cacia bastante para melhorar a difficillima situação do'
Estado é a
— de reducção da despeza.
Conforme o balancete annexo sob n.- 8 o numerário do Estado
existente nesta data nos cofres é de 114:8333265, não sendo
suffi-
ciente— nem para pagar os vencimentos do funccionalismo relativos
no mez que hoje se finda.

São estes, Exm. Snr. Presidente, os esclarecimentos que tenho


a prestar sobre os negócios da Fazenda
São deficientes, e nem podiam deixar de ser, attenta a minha
insufficiencia pessoal; posso, porém, assegurar que elles represen-
tam o esforço que só o maior desejo de cooperar para a marcha re-
gular da causa publica é capaz de fazer.
As luzes deV. Exc. e do digno Corpo Legislativo, nondo em
contribuição as energias que o patriotismo está exigindo de todos
os cearenses— nesta oppressiva conjunctura, encontrarão, estou
certo, a desejada solução, e para tão ingente e seria tarefa podem
contar com a minha franca e leal collaboração.

Saúde e Fraterninade.
O Secretario,

{Raymundo (Viriato (Ribeiro,


QUADRO demonstrativo da divida activa liquidada no pe-
ríodo de Julho de 1901 á Junho de 1 902, relativamente
ao exercício de 1900

EXEKCICSO X6K 19ttO

T
Ii\ DUSTRIA E PROFISSÃO DECIMA URBANA
LOCALIDADES

lMPUSTu MULTA TOTAL DECIMA MULTA T. TAL

Aurora 123S200 2-1S6Í0 1478840 5S40D r$320 780.0


Acarahú IOÍS60O 20S920 1J 58520 228800 658 '0 298'iiO
Àqutráz S S 8 9SGO0 2S880 I2$i80
Assarè 8 S'00 1GS880 I0l$>80 -'.C$800 148040 fi08840
Aracatv 47SO0O 0S400 5GS400 SOSOOO 0$UOO 2930CO
Barbaíha G0$000 I2S0O0 72$O0O t;
$ s
Baturité $ S 8 í 388600 4 i$380 1808180
Bòa-Viagem 1GOROOO ? ,'SOOO 192S0OO 12S0C0 38000 l,5$6'l()
Brejo dos Santos 30S0O0 68000 308000 4 OS 000 1 3$000 52$i'0O
Campos Sallcs S $ 8 4S$000 ngioo 0?S '.0(1
Conceição S 8 S 181$.'00 5 'i83G0 23õ$õ60
Coité s 8 s 109S200 32$760 14189(50
Campo Grande 434$?00 8G$340 52 ISO 10 78800
1
58310 238140
Canindé 49.8400 9$SS0 Èi-8280 8S400 28520 I0,802!i
Caratheús 1 S Jj> 20$ 400 6S120 20S530
Crato 7Õ0SO00 15CS000 coosooo 1298CC0 388880 108848(1
Fortaleza S s s 19: 14 ',$000 5:74S$380 2ft887S9Sí)
Granja 71-1*600 1428920 857S52Õ 908000 278000 1I7$(]0()
Ibiapina .148SO00 29SGO0 1773600 11 8000 :;$;:no 148, CO
Icó 458000 9: 000 54SO0O, 848000 25S203 IQ9|200
155$000 44,8280 í 998880 348800 10$ 540 45*240
6:9608000 l:i05SIC0 8:36ó|l60 24:1078700 7:2508310 j t:418S0l"
it/v

ecção da Secretaria dos Negócios da Fazenda do Estado do Ceará, em


30 de Junho de 1902. O Director,

José (Pedro de Mello Cezar.


. i '

or.VIMtO demonstrativo da divido activa liquidada n<> !><•-


riododc Julho de l!>t>l a Junho <l<- 1902, relativamente
ao exercício de !M)0 I

icxeiicicio i>i: iniMi

DECIMA URBANA
LOCALIDADES
\)\ \ \ \ cotai Dl . 1M 1

,
, 1
-..'!»
i
\
'

10 i
i
. 1

-
s s
80 101$ 60
.
DSiOfl D

Barbai lia 1 OS 1
. .
-
S
i
'

s 1 11 u
IliOSOOO
;
1
fi
II. IM ,, ,

o 10; 000 I> 11 n


D
,,.,,.
s ;

-'
1
s s
.. Ii0

s
mui rfinJo
',
., '(|l ííisoio 1
'
-
i

-" 11
i
aníndií
- BSI2H
Carailn d
750soon 00
Fortalc i

.
: 10
.

,,.
: i
inpino . ,1
'. .., d ,

1
.
70$5'.'<i

1
1 ii I ,$0OG 1)0!

,,
..!,-,, Ill, ,.

.. ,,
Jardim 083 Oil
.,

s N í
'>.. 1
$ S $
\i .ii angiiupe 1

-
'

s 1 USfiOO l

,-
Mi-rn ..
Q I IOS0O0 Í8SO0O , ,

1000 .

1
.
11. -Si III i:jsí 10

m asno \ Í'.'5SG0(Í s s *
!
101 1:,-,- nu
' - '

% 1

'I .
l»»i Hiub i 15ÕS , .

i
,,, .- ,,,
i'.i r: 1
f!

>.- . 103 ,ofl


|'ar ti uru ) 1

ivih.i Branca UiWi) 1


, 1» 1
í

-
1

-
1". ! :'ir. S
..!! ih
.

l'..i i

:>-,mi
1
*
D
1

D s s
-
!

i
Jll! | 11 1 .'Tsaio 1

-
ir.obim s 1

iangm I5SQO0 0$T2i s í 5


Pi '
w |0S o i
18OSO00
-
s S
70500(1 1 , SI '<>IJ g s
ansiíKi li ,-n 1

l
u 00 1
;us00< ,
.
.

icisco 1G7SG00 1 ISIMO


i. -, .,
msi .
o 1
.
.. II

r.Kiiim .
....

'

- -
s 1

"

-
b
1
- ,
Jouo du i i
ubu <' '"> :
II '1
'
,. 1 9 1

'
-
1 '.i mlvifil .
. 1
l

- -
1 ; .ih i< . D ,
s
'

s s

Sí4(
1

Vlegri; o ,
USGQi
1
-,.,.- ,111 1 1 1; !8l I99$8SI 349801 l0g'i'ii

ti:9ti0£ |
1 M.\ ioi > BQ0916I H ll>7$7i i
J50S IH V IIPSOIO

.i.J Secretaria dos Negócios da Fazenda do Estado do-Gcai


Junho de 1902. O Din otoi

José 'Pedro de Mello (


do compareciHiido decorrido de l.° de Junho

BSlEYjâÇêlS
Director da Secretaria Raymundo Viriato Hifaeij menti 1
o cargo de Secretario.

Benjamim Constâncio de « a « Director da Secretaria.


)

José Pedro de Mello Cesa


!


Francisco Lopes Ferreira
Directores de Secção í

!
Benjamim Gondim Brazil iç.ão da Recebedoria. Continua em serviço nesta

í Bacharel Francisco Carie


í
Joaquim Lima

Francisco Ferreira Pimei


í

! Migdonio Padilha
os
l. Officiaes
!
Sérvulo Bernardes da Silv
\

Raymundo Cândido d'01i'

Francisco Carlos Barbosa


)
1 João de Souza Forte 1 permissão no dia 4 d'í Outubro doanno passado.
'

°s í
2 Officiaes / Francisco Hygino Barb0S^lsa justificada nos dias 5 de Abril, 30 e 31 de Maio
(
(
António Henrique da Just Ido cm virtude da Lei n.° 648, de 1." de Agosto do
(
: / Jd é portaria de 10 do mesmo me z.
Porteiro Francisco Barbosa Vianríã a 23 de Marco ultimo.

«
Álvaro Bacellar do Carmo de 26 de Março deste anno, assumin o exerci-.
título
âe Abril p. findo.
Continuo Francisco Manoel de Lim
Solicitador António Bricio de Carvalh
Official addido 'Manoel Pereira do Sacraan

a
l. Secção da Secretaria dos Nego cios O Director,

zmim Gondim (Brazil.


QUADRO DEMONSTRATIVO do comparrcimenlo e faltas dos empregados da Secretaria da Fazenda' no período decorrido de de Junho

de 1901 a 31 de laio de 1902.

Categorias FUNCCION<\RIOS \ OBSERVAÇÕES


-

la ria H inlurinoroeiíli ci tarío

" • 1
'ii e il.i Seci alaria

' José Pedi i


1 Cesai IOÕ 11

; 9 16
l lireclorea de Si cçâi ;

!
Benjamim i
íondim 1 3ÕN 7 11 i. ntinúa Mi si'i .
n- ..1

Sucrutai li

i Bacharel Fr« 16 l

Joaquim Lima
' Francisco i
nentel 311 6 19
f
i

> Migdonio !
'

.: IO 11

l ." Officiaes j

( Sérvulo Berna: 1 109


i

( l; ij mundo i
Isndid i d < Ilivi

i Fre iiro 340 3 li 11

'

R ii ' : '
ii: -.i' lia i i\*. Outubro doo passado

f
2°' OITirt I! 1 Francisco Hygino 1
ima IO 3 Pnltou som catwa ustifícadj nos fliaí tli* Abril '

António II' usta 2 131 KstuLt! licoí ..... i


,-. n liifl di' 1 ]
i
i'.'-
-ii '
i'"i i
ii Eu de 10 'i

i
Henrique d Alencar irai ipi 146 18 1 Rei ii (>ei ii' lo ii
diti • '! ' lutubi o do unn

< 8

<
'. iria Justiça, dpsde o dia
> i
.

ôa it

do pn
;

Jovelino de So 161 22 n .| ou ,. |,..i di .. .1 , i' i.i. nci '


i
' ! lutilx 'i" nnn
i
In uociado . ih virtude d< portai ia di M d i

mo aiinn '! ' '! 1 i!"-" nli Hi"


\ ih; 'lises Apolonio Mae 83 1 ;
. ih lo no lt'íi < i > -i> 1 1
1 1 desde Miril do un ao |>n sado Ho
dia 23 d M ii ii
1

'Hl" i' lss a soi ir nei ta

282 i 76 i
...
uimiudo iin \ ii-hiil.' de poi taria de i lc lan
.uniu.
;

d'( Uiveira :- i i
loriodasi a dalfl de sus nomeação
; 1

; R ii l ida Vracatl i

In ndo ih i
.mi data (i isu i > tnri ido
i ii, [nirioi
Praticanh Arthur C Leito de \ asconcallos 92 '

1
I ! lull |
.in-i
de i
. ii,- 1 in ''!' .iiim i
d :!.. ! !6 'i"

llllii |
344 21

Fiel 'In Tbezoi Barbo i


i 22 '

\ i
ohivista lo Mello 318 10

Porteiro i
.!':, i
ii !! ultima

60 li tiai i
i.
mi
ii. i. .

1 .-lil 1 r 1
1
.
1

ima [65

Solicitador António Urii io de l lar'

<
ifíicial addido Manoel 2

I
.
Sen;.-,. ,
.1;, Seci etária i

de Junho de 1902 ii I
iíi

: Gondim 'Èrazú.

»
S' io de II
ART. 2."

=FLI Importância Somma TOTAL


§§

RerTior
1. Imposto de exportai; ete e outras
2. Dito de 5'/- addiciori 29:0138374
3. Dito sobre industria 7G.-855S789
4.'
Decima de prédios i 49:9548343
'
5. Imposio sobre rez at 34.-1G0S716
6.- Ditosobre transmíss 8:2108020
7.
1

Dito
sobre heranças 5:1468265
8." 515:6198109
sobre monte* pa
Dito
9.' 290:9328118 1:009:8918729
sobre causas cí
Dito
10. Taxa de sello
11. Emolumentos
12 Renda de propriedad iça
13. Producto da cobranç
14: Idem 'da venda de lê. 50:7108380
294:2988404
Renda 465.0228986
7:3898773
44.-937S942
15. Indemnisações 14:7708947
1G. Alcances cie exactor 10:6698948 887:8008380
17. Juros de l /. sobre oí
-

(8. Idem sobre lettras n


19. Armazenagem nda
20. Multas por infracçõe
21.- Registro de marcas
78:0778972
22/ Receita eventual
68:9818731
162:5468210
166:5698991
22:2878028 498:4G2"S932 2:396:1558041
23. Bens do evento
24. Depósitos diversos

Venda de pr 150:0008000
34(8008000
Vj 23:1488451 207:3488151
Producto da venda d
Federal jun-
dependência
Idem de remanescenl 2:8548838
Idem de 54:1848434
295 apólices
2:600:5428704

Opera
Empréstimo em apol
Idem. em dinheiro

2> Se< O 1.- Official,

o Cândido de Oliveira-
% Receita e Despesa. do Estado, realisadas no exercício de 11
M
RECEITA Importância TOTAL
: I

DESPESA Somma TOTAL

Renda ordinária Pela Secretaria do interior


i
mpo slo di i poi Li; Ba 'li 9I8S5 I
Presidente do E itod 1 9mpi . ido do . ab a • outi as
.
licionões sobre i es poi laçfio l():59JSUí
! :,...:,. proGasao
Decimo de pi ódios uri Secretai iu de 1

'
1

[mpo brô i i itida |


on lumo publn .

iblicas
,
edade i
flygiene publica 8.-2I0S030
Dito i" ''ih .1- e lega Bibliothuc publica 1
S:14tÍS265
Dito sobi q monte parlh ! [nsti iu 'Mn Publico M., 619S109
'.
Dito sobi causas I
! j. |

selle
Emolumento!
H> ikIíi je |
Pela Secretaria da Justiça
'

Producto do branca da divida actii o


i
li. '99 51
i.i. -In Ha «renda de leis • regulamentos do E lo 9ecr< tario de 1
lado "
m.ii ietrotui 11

Renda extraordinária Batalhão de S^guranjo


Policia do Poi fo
i
.i.i- ia do apitai ari 1
oiros do outras cadeias
[ndei .
l .1 1 o rcial secção de < lotistica 1 -
770S94
.,
905SI88 Despesas li iu 669S948
Juros de I' sobre 01 m' smos alcances S
Idem sobre li iti as nao pago t aFi lo no venclmonto s
\ i
mexcuagem Pela Secretaria da Fazenda
Muitos por infra a de lei ragulami aios c oníractus I

R I7CS00U
oo
Secn larifl de Estado
;. ,ni .i
,i 1

Recebedoria do E stado
< i

.
I

Mesas de rendas e coli .1-

Depósitos Pessoal 111,1. iu d


1

as dh Brsoa
'
i

Bens do I

Dopositi Créditos especiaes


Venda de propriedades do Estado 1
do empro! em dinheiro lOUOjIOSIHIII
Idem ide n apólices :;4 §1iii>oih)
1 !! os mi"- emiti sstimos
(

Produi lo da wmds di uma cosa em hostil puhlii .1 em tn


Vencimentos do Delegado Piscai do Governo i idi ral jun
dependi 1: .-
1
n .i.i Estado
tdom du remonesce - da ' Ihristino
olonio 1 :
1

Saldo pri si
Li. m 'i' "' ap dia do 'i' .
ido publico do 1 'niõo

Operações de credito
Erapresi em apólices do di I
'17 "Hi.i-i.

Iil. 'ai 111 iliuli || o lõO.OOOSOOO

2." Secção da Secretaria da Fazenda '!<> Ceará em 30 de Junho de 1ÍI02. O 1.- Offieial,

(Raimundo Cândido de Oliveira-


O
GO
CCD
rs GC
€*5

t_- ^_
<=D
OU cu
c=>
C-3
O
CT>
M
Si ^ "es
C-3
C=>
T=n T3
ctí
OO O
eo _ Lf3 G
ZD h-
0O. (D
4^ e/? &S ©S
t.-^ iTi
CLD 00
C_3
C/ --
ca
C-3 o
O
00
•4-9
CJ
CP

s
t

i
O
c-.
C
O
CTS
-.
o
"
,0 §
1—1 (35
GC
e8
o*
*53
^^^ E
"O
__ |
~-? CD
T3
"5
CD
C3i
O
5C " O
s-,

'5
o
CD
*5 CD
fej ^ fcx g > O O
O O n
CD CDa
t-
a
CO CD
pi,
a
-4-J
ÇS CD 13
<-*» CD
"^ S
~^l
>J ri
CÍ5
Cl era
cá -* CD
T3
—. 00 cS ri

QJ O £2
O 00
&
*-
*-' T3 5£ GC
rr CD
Td
ri
<*«*, 03 O- os cS
t3 CD '

^ O -3 oc "O
55 s — _q
S
,

••1
CD
-O SJ-
GD
3^
»rs 0D 6 O &.'
-O -0
CD
*s
-a T3 -c t3
03
CN CN
—< — cft
o- -—
C3
^
C/3
«
?»« .2
'3
**^i
o
t5D
"-«, <ÍÍ CU

^ "3
*^í
53
^H
5í O «2

**<*
<*U .
Cd V g O
(CÊ!
tc 1_ -5 -o

^O
<"**-

P* 05
'cã
£ O
43
O
'/)
S £
O
E
3
ri ri
!_
"u
03

O -e <4i .
ri

g
CD

O
'cB
t-i
o
>>. 5 O Cú
55
^> o> © '.

u:
- O
CO

Q ©s fe; cõ

hj
'CD
p
H
CD

s
I> O
CD

o
O QJ
^-à o»
o
•^«»
NJ OO CD
r-> ^1^ CO
^s <o
^ C_3'
<c ri

O» r" O C/5
-X'
ri
ri E-
O C "2
33 O CD
s-

a
'5
cd
*
Ch S J < O
Aracaly Cam ri
ciiii Fazenda Recebedoria ttonuna Total
is S. Mathe
eira

59.0S0S91Í 2Q6.258$052 538 835/)<l69 81i.9188525


2.9548027 10.32087-25 26.9418674 40. 592$ 145
21.07^^600 d. 7928800 214.2948200 458.2378475
40 753S4J2
I32S9J 4.V13S4O0 .3.402$600 l4!.652$-285 211.9078767
SOO 6'.. 7358000 248 665*000
I50SC 570$CW 5.1105000 4.060$00O
)00
(oOSC! 7 48900 8878000 29.844S66', 115 9138446
224»! b
i

00 4438000 33.659$232
I44SS'
671 Sc
7.6198857 17.6898508
150 2 6858000
1 .2708000
180$
)00

(35|
**800
75
% 308000
7008000
768600
1

.*
.2308000
5$850 3.1055555
8 5968800 31.5648439
17.9738420 21 7048090
1158000 -11.4738332 41.6368332
1518000 1178600 11.5118612 16.2998542
56S000
568000
233$330 .0808671 7. 071 $661
3058188 3058188

20 7 382$063 11.9698030
J00
48 6$000 1768000
00 39.6508000 6:68000 41.2488200
c
li
2.7258600
C
)0 517$700 2448920 3.5238384 5.7018004 2.121.7258184
289.3678580 291.1178580 291.1178580
97.7008000 97.700$000
150.0008000 150.0008000 247.7008000
_
94.969$468 •233.31985 '.7 625.6888326 .3048128 2 660.5428764
390 2.741 8 a6
=^898
. S 5

Japiim .!.<

i
s§ Arncovnlm Afivcnhit »..„« Itnrl.nllin Daturllti Iti-I.ir ROD Xin^.lli i Bailéu Conceição coite i acbo. In. i Grande i
rilllilllll' i aaeavcl Bnlre-Moa Gunrnnj Ura.njn Ibloplna i. » «- |
""'
lla|.l| ii
Indepcodca-
.hi Dcrliii
jo.-.iii.i Lavra. 1.1

f
!

' 641000 19**118 I25S0O0 19S200 5.3808760 IOS000 18$000


1 296*000
618800
1

Idem de 5. addiciona a sobro a > x portaçflo 382O0 Wfcm 960 2698037 500 28.00 .S1S*',.S0 2,3198100 2 841(600 2 54
;t
industrias e profissões 196(761 2.013S3DI 7 192(0111 3.957*101 707*580 4.533SOO0 ISII7S500 i.8l3$ÍOl tOn$IUlO 5B5$0 351(400 7.9788900 0688100 5.2781500 1.4598800 7.709*500 1.961*000 349*200 6.1628000 1.053*000 04085OH 620*500
i
629S30I Í5I S6tl 1 5 6258000 1 887*500 8.830*200 1 770S900 2 2 378J000 ! I
3133530 437*800 522*800 ;«i
III.! de prédios banos m 1.3788200 170*800 IIO82O0 158*5110
i 1
>
'
t- 1
320(101 8HIboi 8S70I',

1 158*520 1 0H6S8II0 ',.133 000


4 ?78$4O0 199SÍ0I 111.-- :il I85Í72Õ 0078400 4788800 127*800 250*200 1.26 IS 100 1 .4858800 4418520 2 875*502 15*200
I 1.247*200 1728000 9248960 1.2028500
:: 508000 070*000 2 375(000 2.330(000 1 36
rei abatida p rao conMimo 4.800Í0M '850*1 Ii'I) j 8858001 i
165(000 7 2403000 5 815*11(10 950t00l 1 S90SOOO I35S0(| BI5SOO0 ,-,r,ii.-iMii) 2 I65SOO0 830*000 I80SOOO 2 105(000 • 1.780SIIOO 6.I85S0OO I.285SO00 l .
5008000 81OSO00 ',
385*000 í O90S000 4.145S0OU 2.(55*000 1 71ÔS0O0 1578000 1.3808 )

'
1

7008039 1.155*010 1.301*100 i 3588690 Os


Idem sobre ansmiss&o tu propi íi dade 1 1 snsooo 37 ||0Ui 49SS800 930(99! 7.155*1 14 3938930 76S7GI IÍJS500 4á4$50Õ 9039938 5488000 12(154 780*510 8538200 1 .
..<.! 1.7358315 1 071*700 320(700 87 8585 l
134*500 720$700 1 497S92I 2.166*750 838S06I 493S3
i

26*700
1
l

' 227S303 11*500


ibra hei an< as o legados 314*197 ,08S3lf 25l.*70l I72S000 1338075 1
!l 150*399 30JJ9S5 I9S800 15*000
112*622 (5S352 20S350 89*511-
8 Idem sobre monte parttvcl 14*610 .'iiis/.n Uia» 911S06 85*690 272*533 %st«ei i isoei 84S10Õ 1 19801 121S962 sr.sir.n 17*950 108IOO 86*390 292*672 7888558 138036 12*880 3218809 218720 18500 1652 15 1

ÍOSOOO
'

D Idem sobre causas eiveis ou commerciaes 20*1 il


B0Í0O0 50*000 10*000 540*000 ;:nsiiiiii I08UUD 20S000 35SO00 20(000 4OS0O0 208000 10S000 3081100
7I*1H0 8 *200 130*000 110*200 219*200 20
-ellos 3079954 2458600 133$ 318(100 l
394(600 i
I6S600 1658.000 I0G$6CB IÍ8000 1ii$íii0 G52$600 B68800 105*000 S31SI1O0 234(000 r.31S80o 1758600 II 173110 31S800 1708000 115*400 250S300 505S0IJ0 399820o 139*800
II 8300 9S15D
[1 Imolumentos
I
88 DGSí 1*0110 ..;,.in 88600 1*000 138400 19(000 S$700 2*051
.
Rendas de propriedades d Estado i
Í8JOO0
1
Producto da cobrança da divida activa 26S600 13SS000 238600 168*100 56S600 1
394.070 18(1 10 85S600 8*280 9OÍJ.000 213*000 511SO0U T.S800 60S000
i
Idem da venda de leis é regulamentos do Es-
tado
15 imlcriini- '
I2S50O ISOUO 313*333 17*500 2768066 108101 19*994
l'.i$!-'-S lft8931 8*551 i
ÍS8967 95(830 201*125 199*990
1

II'..

11. Juros de i sobre mesmos alcances


'
IS.' Idem ssbi b \ is Ú l 'azenda do
vencimento
li) Ai ma ci n ;

MilM.iS por nifr.n-ção i)p leis. regulamentas e •

15S830 4SÍJ0 186(80 390 332*420 10*720 3S810 75*5G2 78*530 358020 5*240 27S18C 172*32! 39S80I 22*501 IÒS000 137* SOI 82*15' 876*731 25SI20 22*111 34$658
'
cti s B7S800 ITJÚjgao 18$90'i i2gíi;o 158828 1

6)111 43O00 I0S1J0O isoofl KJiOUt 28001 18000 'iSOOl 111*001


E ventual 12(1 508000 B01800 858901 30*000 258000
247*000 [OjOOO
2< o
Bene do evento -
I 958000 588000 I26880D 85*000 42$000 116S000 858000 305*000 688001 136800C 61(000
li lepoz itos diversos S03 1518000 8'. 8000 708000
I
288000 l 1

Venda de proprii dade do 000*000


Empréstimo em : 1
1

Dito 'iii dinheiro


f55*79I -1 --,
8 156*108 n 01081)2 •'
i7'íS85fi ;i 339*922 16238*560 35 0)8*326 8 U7S5B9 3 . I8S5I7 i 38887ft
'
1,-vm,;, 2 0i.S37)S I0.GO0S58H 5.1078320 : 7988957 6-7268522 '

6.056S5K 18 236S.S28 i
.Js/I- 293208112 S 999*971 27 027*398 8. 163833! 8.838823 . iil$s.u 15.377*381 2 l'.31$2i: 2 0705281 3.611*151 |i ,.
5 5

'
!

.
nr>
Iblnploa In. ii... """""•- lin|il[>ttt'n Indapçalea . Incluir. In- .Inrillm Llmoelra
Moraria
\U1.I
MnrniiKOn- Mi-ri-Jnim Uarnocn llllagrca allaaaa
Vi-llin
tlllH-ll|ll> I*ncn1ulin ,..„,..„,„ l-rilrii iiimi
ca
,,„.,.. Porangaua Porli Ira» —~-H '
1
Qd xaila (Julgara
lulxttri
'
1

1
1:0" 1

Hanfcitc
ll.il !>•;'>" ( tl.l.J
Baboelro sanl Anon
- '
'1
ItUM

1 1OOSO00
I

1(15000 18)000 1 2065000 1 1 1)285 IOSOOO 2S00H


500 asioi 648800 5S1.5 2S000 SJ3S700 9I5S100 3.12
.- 513)200 2305000 l
72
( N 1.9SIS0O0 2 378$000 ! 3495200 6 162! 053(000 040)500
-.'
620*501 sisaisi 2 349S4O0 34 15600 5495301 7555100 9.2693101 •í 2445600 1.428S30II 7119)200 1245800 2.372*8011 8145900 3 (20)700 :im$ooo 3 300 I30)9'00 2.2215115 2275800 BS2S900 2498100 2.603)800 136555100 1455! i 129)900 5588 00 !0 i

2IOSI400
1
3 i 1 1 . 2 1 3
6725 081)000
620)000
1

1.1 l 1788201 IIOSÍOO 585501


1 3435520 4375801 5IJS800 391)301 íO6«4O0 ,2305801 2788720 3523900 169)680 2635400 9018500 42 IS000 l 1165400 124S600 3015800 i ,980 -.MIS 180 1
i, uri,
475400 325)600 8 2I4$000 I09S440 1.211*400
WSSOOO 2 5I0S000
li i 090S 1 i 2 155*000 i 7403(10(1 H57S 1.3405000 50S0OI 670*000 2 3758001 2 1305000 I65| 101 l 2151000 8 2458000 :: 108001 930$000 7055000 2 S255000 1 9608000 805)000 3.245S0IKJ 14O8OO0 94OS009 '!" 9755000 6.375)000 S soou 10)000 79OSO00
1 6 035)000 •MoS S 355S 522$9O0 633)03'
1

1.193)195
1 l.l$.Miii i
1975921 i 1665750 B38S05! 4933515 700S03S 1. 155)0 IC 1 .30151 (K i
3585690 6325491 1595286 3.4088780 6185200 508$ '.00 I70SO0O 2 2995367 1 3215210 1136674 .

263)268 9605700 2435110 1.7528750 109)5011 13IS49I I967)710 1 I2SI85 2 913)500


ii I0S80O i iS 227S 108 265701 115600 2 19)323 9OSO40 (54SÍ 201)725
57)380
B 138636 ,$$83G 32IS609 2IS7S0 IS5O0 I6SÍIÍ l 3)622 1 l lõs:ir,i 20SÓ5I 89$5(S !78|93l 1875626 158*261 15)165 1885522 8S775 1868150 10)150 19S340 479SI69 [80)294 358S043 211)853 HS645
208 IOSOOO SOSO0Ò
1
308000 IOSOOO 10)000 205000 20)000 IOSOOO 205000 158 30S000
2I3SO0O 30)200
1 ii II5$40Q 505SOÕO 3995200 71$ MO 391800 8 $200 130)000 IIOSÍOO 2195200 2698 1 1978800 ',I5$70(I 1675800 79$300 11)800 120)7011 '.«8100 96$200 323)000 17)400 905200 l 1OS2O0 15IS600 l 1835200 i
15)800 100 81S700 359S0O0 135200 2915000 108000
3)000 27SC56
115300 93150 1)500 SS00O 3S00O 25$000 58000 1)200 15000 160 225778 5)560

2GS600 2OSO00 19S200


608000 !?;sooo 293600 168$ 100 568600 905170 20)250 1595740 22)360 IOSOOO 808)300 555000 1 1758159 32)200

2765666
83S330
;i L7S500 10S40U II9S994 1665045 1 (75393 II 65663 : 15182 2731 157 3)242

0S9Í10 '.I$I20
(98800 22$500 1 l&SOOQ I37)« S2S45! 2761730 25)120 2"Í$I4II 3 í)858 65320 395814 838210 118)11» 695320 76)600 95 181 285401 16)500 l S4596I 3725031 7)321 I89S840 3110 g$4ie 2)001
ni$ 25000 25000 12$IIOI 105001 20)000
li 8 oiih
85S 305 106001 1 | ;

: 25SO00 23)000 85000 755001 131)001


. 105)000 68800(1 1255000 GISOOO 397*500 258000 998 98S001 8S500C 85)001 888001 1
*
28)001
705000 28)000 7)0111 28)(XX 2105001
i noo$noo osooo

-• '.. v I63S3 Í5 K K38S33I 8 9 $830 15 3775338 2 634J2I3 5225961) 97GS284 IS15G -5 ô 5365522 '. 86 053319 11 129)811 6 a 7S79 448)301 :, 694)23
II 1 •2
3.61 .
; io K818fi46 í. 5935308 25 «60SJ01 6.4445320 3.3058460 l 955S84£ i, 5225289 : s."iis:i'i." õ 8105039 1 1. 6908791 1 38750(1 :, 121891 3.1137)031 6 520S279 161 51 II 2 3118535' 5195532 1 9655551 15.329S991 B76S841 i 185(11 i
1
llliirlm •miiiI Ainiíi s Frnm4i- s
IVIII. ....(,- yn cnitA VaUnrA '"'"iihi,"'"
ilii
i;i'ili-i>i|>v ;t " Baboolro Snnl Annn *» Uiillrrln Bnerdwdo
iii»-i»h
s Ben.ill
.lo
MaUiAih -riiniliir
Sobral B .-... ít Ubn »..„„ lllllll. Trnhiry iduiiíuri HnlAii l mnvy Vnrzts Alo-
ure
VlflOWH Aifi.íif.v 1 * mu clm i iiíniiii, Reeeticdorta Soiiimn lolnl

'
28001 lOOSimO 488000 59.0S0S9H ZCffi 258(052 538 838(9169 BI 1.9188595
2S.00 2 9548021 26 9118674 10.592(145
[!9S ii •
13 I155SI0I 1 1 ,8501 | iHS -
:. 775S20I 1 51 38200 230SOOO 915S100 :i.vms:«ii i 538*001 l 1593 ilo 7588400 3. '194838(1 l .7511*0110
1 1.5418200 í 901J000 1 9O4S860 t .787SS00 l.fiOliSOOO 760*400 4.01'..$,' 20 3058000 1.2O7SUO0 1 7848600 21 07-^81 p i»2S«00 21 1.2948200 958.2375475
I7S40I -
109$ ?6fiS10C 6728000 MõSâUil ::--n 2248800 78IS680 5 .'assoo 84S20C x 8l)SÍS0 :i8$ 238(44(1 U9S2Q0 M .02(1 00 211.9078767
i a i$i oi 141 - 1 aiussoo 2538006 .1 ,:,s.suo 1 3818730 7.9008101 712S8O0 2848600 998840 i .
i i
.
.
i
.
l
..

IO$OOI ! 29UJ00I 2 v ,08001 .-,


iSooi 15S00J .
,| *.-,[]( 3 5IO8O00 1508000 eeosooo 2 G65S00I 2 675800C i s;u$ooo 5701000 3 405SO00 9.7158000 1 09SSOOO 1.350800(1 1.185SO0O 885S00O ÍJ5S00O t.nasooa 4 065S000 |70$000 565(1)002 920(000 .. 1
108000 i 060(000 6Í.7358000 Í48 6658000
109*101 I3IS49 'li.". TH I2518Í 3.76SSI80 1938195 ---. 9028300 1. 2048521 H94s23'J tG3S0Oi 353J0U0 9OS00O 7788269 7695676 7I4S9QQ É87SO00 !9 34ÍS661 115 9138446
:
l ?31(95l 9X08172 633(03"- 1 .'.M-ll- 1.4258870 i
2248756 1 Mins:. 711 'i 092167C 610SII00 884S50U 494Í36U
201(72; .::<'.;:,
2818235 6718337 2538256 19.3348345 1.8098457 208800 4738tf)0 438000 33.659(332
i

158S04; 2 II $35.1 i .15439 57S:tso 2586(5:. 129*8 IV 608366 I05S450 1718427 3108636 1.7358481 282164 646*296 3 9S216 i$;.oo 315625 ,
P19S857 17.6898508
208001 JO< 108 ÍOSOOO suSOOO 10$0LI(I lll-llllll 75SOO0 40800C IO* 8)0 1OSO0C 30 SOO') l 270SO00 2 6858000
iiiii B7S70I ;
138201 .

I20SO00 I40S200 8138000 30(200 IViSlOO 17 (80(1 3904)000 3968900 Ml 15300 50S600 9908500 1H8100 278400 3038989 225120C 1 88200 1118000 225(OU0 288000 22(400 1788401 7008000 1.9808000 B 5968800 3I.&64S439
I
i
;

ÍS600 7S HU 1ISS00 3(000 hi$: 1.-11 III


:,5$750 4IS167 IS01I6 468634 2O8OI10 588170 788600 .* 5(85(1 3 1058555 17.9738420 21 704S090
II 58000 11.4738332 41 636S3:i2
1758159 ':--•" 20S001) stooo 6I8I0O 9 &$600 228000 :i5$ouo 1(18000 15ISOO0 1178601 11. 511 8612 16 2998542
i

198200 7'?$'.GI 48800 558600


56S000
568000
735182 "
Bi («Si Í3SÍ42 835330 1738659 2338330 í 080807 I 7 0718661
305S188 305S18S

i
| ,8960 17280 10 ioo liljlifi 6S9dO 9$ 120 568402 !09i}250 908470 osooa 52S779 1618400 798760 1258400 57S000 128S147 72(580 6S600 16S920 308701 968921 7 3828063 11.9698031
IOSO00 :õ(ooo 28000 128000 6800 1768
1 08000 5S2GII 5S200 208000 758000 ÍOSOOO 78000 893000 39.6508000 6:68001 41.2485200
828000 ! 3 1(000 l)3S.MiC 1618000 .
( 2.725Sfi00
2IO8Ú00 283000 i 4 sono 148000 56S000 2I0J000 "JNSOlK 42 $000 2748000 ;.I7$700 1448921 3 5238384 5.701 S004 2. 121. 7258184
?;."" 289 3678581 291.1 I7S58C 291.H78S8U
97.7008000 97.7Ú0(0OU
ir.o.noosooo i;,u tiuusimi 247.7(W8O00
5198582! '.
965S55ll i:, : '..-'hm 876S8Í: G69S5I U 053S19I 92 $-i:| 63 7S79Í 2.720S35H 8 9708927 109*306 C S890 2.74 S3S0 1.16l|802 61.910X046 mi:-:.' 7.7318783 6 622»! 16 5 488813' 2. 08889 S0 2 669$70l 9.6188290 74ISIO0 2.8588734 6 53383 94.969(468 ffli.319S5i" 625 6888321 1.075.3018128 l 660.5428764
1 i
i.".
1
448(JO0 5.694(234 i

1
, II
SÉS O o o c
05
O o o o
O O o o
m&èm
O C c

c
o o c —c
z C lO "-O

GO N
f*
in co o>
GC
~
O O O
tf O O O
o o ~
1VNIW0N &$mm
oco
5© o c c
H01VA
00 'O cç
/O CD CO CC
epepijUBnÇ)
Ci ^
CM

(

O
so.í?«d semi'
sop le^ox ~>
OS
os cn o IO
O «3
O GO
CO
o
G^ O* —
— cu
Cv —
I

_ : "O"
c o o
** ê© =S5t
o
IBíojl Oro
o o c — -o
SJ O If 5 O ira
©
GB. o -^ CO CM CT5
O.» —— -fl"
c3
"3 P o o o
cS
{eu o- o o
o o o o cá
es 95 T3
-icuou O o o
5C
fefl OCO t/3
O
GB j'oye A • t—
O
I

o
9pBp O» CN CO 03
jíubtiÇ)

oo
o o o o 05
O
CD O o
o
o
mmo
o ^rv /•
rc
1«Í0JL CO o
c->
_•
<— 'S
92 92 CO 00 CS
£~~

o
Ooo CO CD
O
CD
o [.eu
m mO
CD CD
m m

-IttTOU o
ooo
o c CB
-o
CD iO GV
o
<co
Xj 0C >C CM
epep CT>
C— O
CD
IIUB f) 11
c/3

CD CD CD o
GB O
OO OO CO
CD
CZ~>
es
t&
«p o o o CO
oco o
o o -T CD
o >n £•
CO lO -* o

CO o o
O
O CD
O CD
te
.0)
1VNIJV0N mmm
o
CD
CD o
FOI VA ooo
CO IO GV
"o
oo
O r-
— oo i
-
apepi^uBriÇ) G^
t-- ^-i sr
QUADRO DKiUO.VSTRATÍVO das apólices da divida publica do E*lado, cmillidai do. aeconlo com »w Lais //. U30, de 30 de Agoslode 11)00, 635. de 2 de
Outubro do mesmo anno, e acto executivo de :>'>' de Abril de IH01.

Apólices Emittidas V|)OlÍCON i engatadas Apollc >s, y IJ08 111'OH M acham pa KOS Apólices Sorl ndaM /
Apólices Existentes
•-
- c .
lo -""- i In Idio- nimos, ilc i n 1 Mtrll
- —
s
s
x Total
1,,.. ,1,. lltl J< lilllli

Z — /
- do \ alur 113 TQTAL
5 r
s -i" "B
=
c
» * !
i;. ||« |
\ li >| .

Juros
--. 1

nominal
, Juros •

1 1 E- 3
io 1
DO 1
i
iSouo f»3:oooSooO
• .'
uo 55 onosunu i S 100
r iOOS 39 " ::: :. i
i
|3R i^tioojooo
.i: .'U'.
1

. IOOJOOO ÍS i 9 1948012 1

M |, [ .,, .'.: 1
,| ;
,
| i
101 .

Q 13°.
r t, .. QoniAm '}' a
<> JvSoe
( -

>3
o.
o
O c^
ao 00
O i

"a CS O

<_7>
m CT3

j

53 C?S O tO iO
Os
su
O
A, ^ O th
o
fl áj ^h
c*^

g^
c*S
<9^
V)
— 'i oo o
CO
'

\
a.
«li
&H-'
3.2 o
*e õ
^
O
'CS
•o.
«o
03
CTS
^
^ iO ro 00
th GO O)
.O X
CD
"O
*5 cS e^9!>
o
.-o
m O o
'«?*
^>
^*»,
«
^
oo C71
00 CD ^cT"
r- co
'
1

j'
a
ÇD

Q
í^ô IO IT-" ^T
si
w
<M C5 GV
"-" GV
I
O
£*; <*>
li
« i

i
d
ra
O
1

os
<v
«
o
<->.
H
•<o
SD
«to
-
i

1
g
"»o &0 i~ lC T^
c*l •c»a OS X y2
;-"•>
« CO T i-O
» <&&§ 4S- 'CS
«V ••4;
CO ^
""CS
H
s
N CO lO CO
O

r-
CD L— O
CD ^
">^ es I- GO lO
**?
CS N N o
co *G
a3
53 <5j
K. « a
»")
O CD
GO N
|
cS
a. CO
iw
J
CO
*\ 9,1 3 '
01 e©
o
~*^
-««i
H CO C3
00
73
Si O M
O) j^ cd
Sb)
**-0
-^
C CL
O CO T
00
CC
.2
P CD

Cq §X>. Oí "S
CS
s O
o
o
o h
ri O t>S)
CD
«*"
St!
w
bs
CS ~cs GM
CO
U !"H
O
CS -o
i o CO
95
"O câ
cu CO
ÍS a. 4 CO o
-S„ OS
CO w £ S i> CD
ss ~« O!
.

> O
"Ç*
•«i> «D 1*3 11
3 5
. CD'

^S > GO
£
^S es

>*:
S*J

"C3
O
CO
O
Cu «í o ícS

o s a
<
GB e^
o
CO
O
•D
'V Q ;,;

U
" CO

d M GO
"^
-

b .
-
su «*
e
a &

gj «s
3
1
;ergigio BE 1801
Balancete do estado do CAIXA GERAL e seus auxi-
liares até 30 de Junho de 190%.

C2JLTHLA. QERAL
Receita. 937:l44S57i
Despeza 822:31 1$306
Saldo 11.4:833S2oo

CAIXA DE DEPÓSITOS E CAUÇÕES


Receita 144:91 7$009
Despeza $
Saldo . 1!4:9I7$0U9

CAIXA DE DIVERSOS VALORES


Receita • . .1- 957$.H44
Despeza ....... •-
S
Saldo .

, 9S7SS4 6

RECAPITULAÇÃO DOS SALDOS


v
Em dinheiro no Caixa Geral 1 14.833$26 .

Em dinheiro noCaixade depósitos *j:Q9ft,g109 120:9315374


Em outros valores no Caixa de de-
pósitos > 138:8188900-
Em apólices no Caixa de diversos
valores $
Em letras no Caixa de diversos
valores 9S7SS46
260:70788-^0

d. 8 Secção da Secretaria da Fazenda do. Ceará, 30 de Ju-


nho de 1902.

O Escrivão do Caixa, O Director-Thezoureiro,

Henrique (TAIencar Araripe. Joaquim Lima.


Jinnexo - H
Directoria da 4. a Secção da Secretaria de Fazenda
do Estado do Ceará, em 31 de Maio de 1902.

(f,llm.° <Exm. a (§,r. (Secretario dos (Negócios da fazenda

Apresentando á vossa illustrada consideração a exposição do


movimento d'esta Secção durante o anno decorrido de3l de Maiode
1901, á 31 de Maio do corrente, desempenho-me da obrigação que
me é imposta pelo § ° 20 do art.° 40 do Regulamento de 7 de Outu-
bro de 1889.
N'esta exposição levo ao vosso conhecimento o estado em que
se acha a 4. a Secção d'esta Secretaria, de que sou director enun-
ciando a minha opinião sobre as causas que têm influído 'para a
maior ou menor arrecadação da divida activa.
E para melhor apreciação, maior clareza e concisão, vou divi-
dir este trabalho em paragraphos

LIQUIDAÇÃO DA DIVIDA ACTIVA


Inquestionavelmente um dos ramos mais importantes de servi-
ço d'esta Secção, e a liquidação da divida activa, cujos esforços em-
pregados por esta procuradoria, no sentido de seguir uma marcha
regular a cobrança da mesma divida, não foram correspondidos,
como era de esperar, devido a certas causas supervinientes e influ-
enciaes de que me occuparei, as quaes a proporção que iam appa-
recendo, jamais deixaram de ser verbalmente levadas ao vosso co-
nhecimento.
Façamos um ligeiro histórico :

A arrecadação da divida activa durante o período alludido foi


realmente inferior a do período transacto, isto em consequência da
crise que atravessou todo o Paiz influindo poderosamente n'este
Estado que, como nenhum outro, foi assaltado por uma secca cruel
18

e desoladora, como também da desídia e incúria dos serventuários


de justiça, incansáveis na protelação dos meios postos em pratica
para activar as execuções em andamento
Como sabeis, liquidada a divida activa de 1895 á 1899 e remetti-
daaesta Secção, afim de que o Procurador Fiscal procedesse a co-
brança na forma da lei, não fiz demorar, deascordo com o disposi-
tivo do§ 6.° do ait.° 20 do Regulamento de 7 de Outubro de 1889,
em chamar por editaes publicados na imprensa official, com o praso
de 60 dias, a virem pagar os seus débitos os contribuintes que ainda
o não tinham feito.
Findo esse praso remetti ao Juiz Substituto dos Feitos da Fa-
zenda as petições acompanhadas das certidões respectivas com-
probatórias da divida existente em que requeria que fossem citados
os contribuintes remissos, para em 24 horas, que correm em cartó-
rio, pagarem as quantias devidas ou nomearem bens a penhora,
tudo na forma da lei.
Estas petições que se elevaram ao crescido numero de 4693, fo-
ram despachadas, apesar das constantes reclamações d'esta procu-
radoria, no longo praso de 4 á 5 mezes, afim de que podessem
ser passados os respectivos mandados pelo escrivão do feito.
Até a presente data foram passados 999 mandados executivos
contra os contribuintes das diversas estações fiscaes do Estado que
deixaram de pagar os impostos de industria e profissão e decima
urbana de 1895, cujos mandados á 5 de julho de 1901 foram remetti-
dos á diversas Collectorias.
Assim, pois, 3694 petições despachadas, como acima ficou dito,
para serem passados os mandados respectivos contra contribuintes
que não satisfizeram os seus débitos no período decorrido de 1896
á 1899, estão uma parte no cartório do escrivão dos feitos da Fa-
zenda e a outra nesta Secretaria, afim de ser escripturada no livro
competente.
Diminuto como é o pessoal da Secção á meu cargo, impossí-
vel é dar expansão a inscripçào de tola divida activa no livro des-
tinado a este fim, ainda mais fazer a escripturação dos livros :

de termos de fiança, contractus e outras obrigações — de índice ge-
ral dos responsáveis, — de inscripções de hypothecisde assenta-
mentos das causas de natureza diversas,. — de assentamento de
mandados e precatórias — de registro de parece res-fiscaes,— de
protocollo geral ou de entrada dos papeis na Secção e sahida para
outras estações, todos exigidos conforme estabelece o art.° 23 do
Regulamento de 7 de Outubro de 1889, como também fazer a publi-
cação pelo Jornal Official de todos os devedores, extrahir as guias
dos que acudirem ao convite amigável, requerer os mandados exe-
cutivos e finalmente contestar embargos, arrasoar appellações em
não pequeno numero e officiar em outros processos a que esta sec-
ção é obrigada por intermédio de seu director, que exerce as func-
ções de Procurador Fiscal, advogado dos interesses do Estado.
Sobrecarregada como é esta Secção de tanto trabalho, supe-
rior talvez ao das demais da casa é de simples intuição a impossi
bilidadedecom o pessoal de que dispõe dar desemvolvimento a to-
dos os serviços que correm pela mesma, serviços estes que têm aug-
19

mentado mais que duplamente, portanto, imprescindível se torna o


augmento do pessoal ao menos com mais um empregado de aptidão
já provada; equiparando-a assim ás demais d'esta Secretaria, e isto
tanto mais ^necessário quanto se torna urgente a escripturação em
dia dos livros existentes.
A n.° 628 de 21 de Agosto de 1900, creou dous lugares de
lei
de justiça no Juizo dos Feitos da Fazenda.
officiaes
Em virtude d'esta lei foi nomeado pelo Juiz competente, Manoel
da Silva Pinheiro que mezes depois por denuncia d'esta procurado-
ria o mesmo Juiz teve que demittil-o por incapacidade moral.
Em substituição foram nomeados: Manoel Leite da Silva e Pau-
loGonçalves Freire, sendo que o primeiro nunca compareceu a esta
Repartição e o segundo por faltas commettidas, acha-se quasi im-
possibilitado de continuar a prestar os seus serviços.
Existem actualmente dous officiaes do Juizo do Civel fazendo o
trabalho d'esta Secção quanto a execução dos mandados expedidos
contra os contribuintes remissos, que além de serem vagarosos,
não podem dar vasão aos mandados existentes que se acham acu-
mulados n'esta procuradoria.
Me parece de grande alcance a futura lei orçamentaria estipu-
lar um ordenado embora pequeno, para os officiaes privativos da
Fazenda, pois que assim, a cobrança da divida será feita com mais
promptidão e isto devido ao jogo de interesse que a percepção de
taes vencimentos apresentaria a estes serventuários de Justiça que
no cumprimento de seus deveres tornar se-iam mais activos, ho-
nestos e criteriosos.
Na cobrança da divida activa feita por esta Secção, quer ami-
gavelmente, quer judicialmente, expede-se guias, que geralmente
são entregues a própria parte devedora para ir satisfazer seu debito
na Recebedoria.
Alguns, por esquecimento, deixam de voltara esta Secção para
apresentar o conhecimento de quitação, afim de se dar baixa na
divida, resultando d'isto algum embaraço.
Seria, p )rtanto, conveniente para evitar taes obstáculos que a
Recebedoria no dia I ° de cada mez mandasse apresentar a esta
Secção as guias que foram pagas no mez anterior para a vistadellas,
dar-se a competente baixa na divida, em que foi remeltida a apresen-
tação do conhecimento.
Durante o anno a que se refere este relatório foram tomadas de-
finitivamente as contas de quatro exactores. verificando-se alcan-
ces na importância de 2:534$582, como vereis do quadro apresen-
tado pela 3. a Secção.
Dos exactores constantes do dito quadro, ficaram alcançados o;

collector do município de Milagres, José Pedro de Figueiredo, na


importância de 2:447$886, contra o qual foi instaurado um processo
que corre os tramites legaes, o de Lavras na importância de 81 $071
e o do Coité na importantancia de 5S645; sendo que. os alcances des-
tes dous últimos foram originados de pequenos enganos de escripta
e uma vez scientes dos referidos alcances não tardaram em fazer
recolhel-os â esta Secretaria.
20

Foram também remettidas á esta Secção, para es devidos fins,


as contas do ex-coliector do município do Crato, Ildebrando Sis-
nando Baptista, definitivamente tomadas pelo Director de Secção da
Recebedoria, José Gomes Carvalhêdo, verificando-se um alcance
contra o mesmo, na importância de 4:797$4i0, cuja cobrança está
sendo feita judicialmente.
Foram aceusadas em audiências- no Juizo dos Feitos da Fazen-
da, no correr do anno alludido, 153 penhoras, das quaes foram pa-
gas 45 e dispensadas pelos competente? poderes, 26, restando 82 em
andamento.

REGIMENTO DE CUSTAS
O Presidente do Estado de então, Coronel José Freire Bt*serril
Fontenelle, usando da attribuição conferidi no art.° 1.° da Lei
n.° 201, de 24 de Julho de 1895, resolveu expedir á 15 de Maio
de 1896 o Regimento para as custas judiciarias do mesmo Estado e
que actualmente se acha em vigor.
Este Regimento de custas tornou-se asphixiante ás partes menos
favorecidas da fortuna, não guardando as rasoaveis proporções,
por exemplo: promove-se a execução da insignificante quantia de
500 réis, o vencido tem de pagar cultas contadas no mandado na im-
portância de 19SOO0 e isto è tanto nas pequenas como nas maiores
;

quantias, não havendo, pois, nenhuma relatividade.


N'este ponto o Regimento está pedindo uma reforma por demais
justificável,

SOLICITADOR DOS FEITOS


O actual tem desempenhado o lugar que oceupa com z^lo e soli-
citude, satisfazendo as necessidades do cargo.

PESSOAL DA SECÇÃO
Esta Secção conta dois empregados: —ol.° official Francisco
Ferreira Pimentel que se acha incapaz do serviço pela sua avançada
idade e incommodos de saúde, e seria um acto de verdadeira philan-
thropia se a Assemblóa Estadual o ap isentasse com ordenado por
inteiro e o Amanuense Raymundo Christiano Martins que, pela sua
assiduidade, intelligencia e amor ao trabalho, tem dssempenhado
a contento o serviço que se lhe confia.
Se, como já disse, o pessoal d'esta Secção era diminuto, hoje
é insuficientíssimo em vista doestado valetudinário do 1.° official.

FIANÇAS
Foram lavrados vinte e cinco termos de fiança de exactores,
importando o computo na quantia de 78:4143503.
21

Ainda d'esta vez não esquecerei de declarar que grande parte


d essas fianças foi garantida por meio de hypothecas de bens de raiz,
;

sendo a outra parte, em cadernetas da Caixa Económica, apólices


da divida publica da União e apólices da divida publica do Estado,
caucionadas n'esta Secretaria.
Para garantia de taes fianças foram dados bens de raiz ava-
liados em 97:700$000 e caucionadas cadernetas e apólices no valor
22:1708000.
D'estes termos de fiança consta um do ex-collector do muni-
cípio de Paracurú, Anastácio de Castro Moura, garantido por meio
de lettras endossadas por firmas de agricultores abastados no valor
de 957S546.
Cumpre lembrar-vos mais uma vez que orneio mais seguro
para a Fazenda e mais económico para os exactores, é a garantia
por meio de apólices da divida publica da União ou do Estado ou
de caderneta da Caixa Económica.
O processo de fiança por meio de hypothecas de bens de raiz,
além de trazer o inconveniente de ser dispendiosíssimo para as
partes algumas vezes os bens hypothecados têm depreciamento de
valor, chegando a uma epocha dada em que elles não dão para
cobrir o computo da fiança no caso de alcance dos exactores e
outras em que pretextando os mesmos exactores, serem enormes os
gastos com o processo de especialisação da hypotheca legal de-
moram em tratar da ditaespecialisaçã", resultando uma certa falta
de garantia para a Fazenda.
Os poderes competentes do Estado poderão n'este sentido, pro-
ver em lei especial.

CONTRACTOS
Forão lavrados três termos de contractos :

o primeiro em 26
de Agosto de 190i, com o cidadão Louis Cholowieçki, para forneci-
mento de livros, talões e cadernos, para Secretarias e Estações fis-
caes, na importância de 2:0723890, o segundo em 7 de Janeiro p. fin-
do, com Francisco Xavier de Souza, para reparos no Asylo de Men-
dicidade na importância de 4:5528000 e o terceiro em 1.° de Abril do
corrente anno com D. a Anna Bilhar para locação do prédio deno-
minado Asylo de Mendicidade, á Praça Benjamim Constant á razão
de cento e cincoenta mil réis (150S5ÒOO) mensaes.
Existem dez termos de contracto com diversos credores do Es-
tado no valor de 60:000|!000, os quaes estão devidamente annotados
por terem sido os mesmos credores embolsados de seu capital e
juros.
§

ADIANTAMENTOS
Foram lavrados trinta termos de responsabilidade de adian-
tamentos na importância de 6:486$670, sendo 29 á professores
primários, importando em 6;226$670 e um do offícial do Bata-
22

lhão de Segurança, Francisco Marcondes Ferraz, importando em


2605000.
§

PARECERES
No espaço de tempo a que se circumscreve este relatório, foi
por mim revisto tão grande numero de requerimentos, consultas
e reclamações, que não ha exemplo idêntico n'esta Secretaria,
constando do livro de registro d'esta secção, ter sido consul-
tado o elevado numero de 813 petições, proferindo os pareceres de
accordo com as leis e regulamentos em vigor.
Quasi todas estas reclamações recahiram sobre machinismos
agrícolas que não funccionaram em razão da secca de 1900 e pré-
dios que se conservaram fechai ís ptr falti de locatários.

CERTIDÕES
Expediram-se a requerimento de partes 30 certidões.

OFFICIOS
Esta procuradoria dirigiu a diversas autoridades e collectorias
do Estado 84 officios.

TERMOS DE INCINERAÇÃO
Conforme portarias de 9 de Julho 1901 e de 14 de Janeiro p. fin-
do, lavraram-se nos livros competentes um termo de incineração
de estampilhas dilaceradas, de diversos valores, na importância de
46S500, e um de extincção e incineração de apólices da divida pu-
blica do Estado, sorteadas aos 11 dias do mez de Outubro ultimo,
as quaes declarastes extinctas, de accordo com o art.° 12 das Ins-
trucções de 30 de Setembro de 1901, combinado com o art.° 6.° do
Acto de 23 de Abril do mesmo anno.

TERMO DE VERIFICAÇÃO DE ENTREGA DE ESTAMPILHAS


De ordem do Exm. Sr. Tenente Coronel Dr. Presidente do
Estado foram recebidas pelo Thesoureiro d'esta Secretaria 500$000
estamnilhas do valor de 300 réis cada uma, na importância de
150:0003000.
Todas estas estampilhas ficaram em poder do Thesoureiro, que
por ellas foi debitado no Caixa especial, respectivo, de conformida-
23

de com o art.° 11 § único do n.° 680 de 27 de Setembro de 1901, la-

vrando-se n'esta Secçã > de accordo com a lei, o competente termo


de verificação de entrega de estampilhas aos 7 dias do mez de Ja-
neiro do corrente anno.
§

Ao terminar este meu relatório e ainda em observância ao esta-


belecido noart. 40 do Reg. de 7 de Outubro de 1889, cumpre mais
uma vez indicar-vos as seguintes medidas :

O augmento, como necessário se torna repetir, do pessoal da


4. a Secção, sobrecarregada de trabalho superior a probabilidade de
ser vencido pelo pessoal existente, o restabelecimento do art.° 73 do
citado regulamento, para que o Procurador fiscal tenha mais vasto
campo de acção e não sejam depremidas as attribuições e regalias
que deve ter como advogado dos interesses da Fazenda, obrigando-
se-lhe a assignar o — —
Ponto na hora precisa, tornando-se vexatória
esta obrigação que vem quasi sempre difficultar extraordinariamen-
te os interesses da Fazenda, tanto mais quando pela natureza do
cargo que exerce, torna-se incompatível o seu comparecimento a
repartição em hora certa e determinada com a obrigação de per-
correr constantamente os cartórios do escrivão dos Feitos da Pro-
vedoria e de outros Juizes e frequentar as audiências.
Em todos os Estados do Paiz o Procurador Fiscal,
não é obrigado a contastar a sua assistência na repartição com
a assignatura do —Ponto — o que repelle positavamente a natu-
reza e expansão de seus deveres e attribuições como advogado
do Fisco.
O Procurador Fiscal tem, sim o dever, visto que dirige uma
secção, de comparecer todos os dias úteis a repartição, assignar o
— Ponto — não.
Em conclusão tenho a satisfação de annunoiar-vos se não foi
possivel cumprir a vosso contento os deveres de um vosso au-
xiliar prompto e dedicado no desempenho de tornar uma reali-
dade a intelligente e efficaz direcção que com maior solicitude
haveis imprimido a marcha dos Negócios da Fazenda do Estado,
ao menos resta-me a consciência de ter procurado no desempe-
nho de minhas obrigações cumprir com a maior promptidão as or-
dens que me são transmittidas e n'este posto permanecerei por
ter como religião o exacto cumprimento das obrigações inheren-
tes ao cargo que occupo.
Espero que tomareis na devida consideração estas minhas
indicações para o fim de serem suppridas pelos poderes compe-
tentes mediante vossa solicitude.
Peço desculpas das lacunas que necessariamente encontrareis
n'este humilde trabalho e fico desbancado na certeza de que ellas
serão preenchidas pela vossa reconhecida competência e applau-
dido tino administrativo.
Saúde e fraternidade

O P. Fiscal,

(grancisco (Carlos {Rodrigues.


jFIrmexo B
Recebedoria do Estado do Ceará, em IO de
Junho de 1902.

(Sr.- (Secretario da fazenda.

Desempenhando-me do preceito estabelecido no § 14, do Art.°


9.° do Reg. de 17 de Dezembro de 1897, venho apre-ientar-vos o re-
latório do modo como for.im executados os serviços d i fiscalisação
e arrecadação das rendas do município. d'esta Capital, a meu cargo,
no período decorrido de junho do armo passado a 31 de maio
p. findo.
No meu ultimo relatório, que peço para ser considerado parte
integrante d'este, apreciando, em geral, as leis que regulam os
serviç >'s'd'esta repartição, indiquei lacunas e propuz medidas, umas
attinentes a melhorar a fiscalisação, outras a facilitar o emprego
de meins coercivos, quando se tornão necessários, para a fiel
execução e observância das leis, e, finalmente, outras no intuito
de tornar mais equitativas, mais liberaes na sua applicação, certas
disposições regulamentares, que, modeladas conforme as neces-
sidades de 1861, epocha em que entraram em vigor, quasi nulías
são hoje em proveito d'aquelles para quem foram estabelecidas.
Não tendo sido, porem, nenhuma d'ellas adoptada, continuão
aquelles serviços -a resentir-se de tão-detrimentosas lacunas.
Do mesmo modo continua o inconveniente que tenho aponta-
do nos relatórios anteriores da estreitesa do âmbito dos empre-
gados de aptidão sufficiente, pois que effectivamente poucos são
os quebom conhecem o serviço e podem auxilial-o, na rasâodas suas
exigências; e d'estes mesmos está a Repartição privada do concur-
so dos dois directores de Secção occupados como se acham, por
motivos de indiscutível relevância, um na Directoria da Secretaria
da Fazenda, e outro na fiscalisação da Mesa de Rendas do Camo-
cim e mais repartições fiscaes do Norte do Estado.
A mudança d'esta repartição para um local mais próximo do
ponto do littoral, por onde se fazem a conferencia e embarque
de mercadorias, sujeitas a direitos, de exportação, e que o interes-
.

28

se do fisco está a reclamar, é outra providencia, que reputo de


importância capital.
Quanto á parte financeira vereis dos quadros annexos qual
foi a importância das rendas arrecadadas no ultimo exercido, no-
tando-se differença para menos, não só entre os exercícios de 1899
a 1900, como d'este ultimo com o de 1901
Em junho do anno passado, quando me occupei d'este assum-
pto, já era bem notável a diminuição das rendas publicas e as ;

causas, que, então, para isso concorreram, mais e mais se aggra-


varam no decurso do anno pela mingoada producção de géneros
do Estado destinados á exportação, por isso que, á falta de chu-
vas, resequindo os nossos campos, numa deflagração quasi geral,
atrophiou-lhes a sp iva, que os nutre e enriquece, tornando impos-
sível a lavoura das terras.
A este desastre, sobreveio o da baixa dos preços para os es-
cassos productos que ainda no^ restava cuja cotação no extran-
)

gei.ro não lograva cobrir as despesas de sua exportação.


Assim, pois, taes elernentos perturbadores da vida civil não
podião deixar de actuar sobre a marcha regular do Estado, en-
travando-lhe o seu normal funccionamento, e a diminuição das
rendas publicas é o prisma que reflecte essa conturbaçào angustio-
sa qua todos lamentamos e soff remos
A importância total das rendas arrecadadas por esta Reparti-
ção nos exercicios de 1899 attingiu a 1:579:9158936; em 1900 a
1:476:397304 [ eem 1901— a I:075:304$I28 ; como demonstram os
annexos sob n. os 1 e 2.
Estas rendas comparadas entre si apresentam sensível decres-
cimento, principalmente nos direitos sobre géneros de exportação
que em 1899 renderam —
910:4338790; em 1900 835:9085104 e em
190 1

538:8388169.
lia a notar ainda que os impostos provenientes da decime ur-
bana e das industrias e profissões seffreram declínio apreciável
uns anhos de 1900 a 1001, pelas causas geraes a que acima alludi.
Confrontando-se a arrecadação effectuada no período decorri-
do de Janeiro a Maio de l'.)0l com a que se arrecadou no 1.° se-
mestre do corrente anno-verifica-se a favor d'este ultimo período
a differença para mais na importância de 20:7088216, accrescimo
que provem exclusivamente dos direitos arrecadados sobre géne-
ros do exportação, como se vê do annexo sob n.° 3.°, onde vão
consignadas detalhadamente as rendas dos semestres supra men-
cionados, a do primeiro na importância de 477:8128S73 e a do 2.°
na importância de 498:520$689.
Em synthese. Sr. Secretario, são estas as informações que
nor sua importância devo aqui consignar sobre os negócios d'esta
Repartição

Saúde e Fraternidade,

O Administrador.

Francisco Ferreira do Valle.


— '

inr#0'X OOi OO^OO co


OOCCO O
O Oí CO
CO 00 O T — Cl c^x O
1

OS
ct —
-
a ai i~~ -* «o co
CO 03 #âl#^w^»w^i&*^wyjW(yíy:'yj
Oi^Cio OCO o* — 00 Oco c o->
< fl
eOuOt- co. loCí
lo
-»o — Ci co co
O 1
=3 OX — *# «TO! tfOi^iM O CO c- ç.
.

Z (-<
t^ --— CO CO CO *— — • »— I-í f— co r-
©
CS Cu
a
Cd ca
'5
CM
O
O O
O CÃ CÃ — CV
UO OOO
O O 10
CD
ro
CÃ CÃ CÃ
^ CÃ í#
S CÃ CÃ CÃ CÃ 00 CÃ
^
í/i
uO t-
(#:
O OO ÊÃ- <?# cr,
-D *s
c o3 l> íxj
3)
CL, <p —^ CD S
CS O O 'O "# S C C O C?'Ò « O CD
Cl-OXÍ.OtDCiflCOUí-O^O
-c* -» 00
CD 00
Í-- ^
•^^ — .C; P'T'0»OXCX^OoOC
CÃ CÃ CÃ CÃ
'/.'V; =Ã 7 O CÃ gr
O
^ ^ CD co
^ Cà dà =7"?
V}
?' iO ^ 7D D D -^ M " O ^' ^
j .-
£ft ; :>„:
W -
ÍQ-if C3-IÍ5 « 0. — l> CS — iO co — O'
CD 00 c>
--T

1- oo i# to ?' >o a to
00 «?r
"^
© > (-.
s rçs

CO CC O v~ — T D
co ?> — ^ CD

c- v-00 C-—
— C- C-í
CO >o
<-h o ^
-T-. ií3 C-'

- ti

^
^
tn OO -^ O
O co
O 000 OOirt co- T' U <5ò
r^
CO 3
W
OO
cr—
<r>
c^o --^

&±ç&y? Èà »3 CÃ
-"*

CÃ CÃ CÃ
cdcd<^
Ó*
as c~ (D ^
-^

O CD
í/í CÃ -V.,
CoC Cl O CÃ CS
ç#=
"^
<^= í/3
*«r
CÃ 0»
— -a
c5> <
CO Oí
iÇ t_-

w CO O-' 0-1--
CO OS
C-*
CS C<0
© A^
VZH
2
'

CS ** co
CD
cò Í> t-í
j>-


o
< ,D —.
-*T
íT 73
rvi

i-ví
&.
l> CM
— B Cí
Cd CO OCO
O
- CO CD
— 'O
CD O
O O t-
> '^à
<; t—
CO
--— lOO
<W
«O <7t —
-sr
iO £- Ni
pH Cà Cà Cà é# cã c/j &$ c/i cã Cà «5 e# 00 €Ã- Cà Cà Cà O0 93= O'
t- CD CD O CO CD O (.--

1—1
•< CO CD
Of — *
I— CM
CO 00 O iO
O
lí) OO
"^ ?'*
GO .

1
5
c1-
O
C*
-^- co ** 00 CO C-
CO 05
ra O :r-C O 33 ?' OOC. O OO O
SmOWCXOJDOOCOiOOWO O.C5
CD CD
_-

-"7--TCO-TCOC CC^CO O O O
CD m 00 t/i fA- Ç/J -/. <>,- CO <7í C/i '7? C/j í/j '/:<&</!
tfi */}
c
!** <!• CD CD
i7í

CD OC lQ v- (-
CO CS O— -- -- ?*
CQCSt^t^-
•-«
CSCC
iC i~- c<
-* CDCO—D c
CD l-~
— — r-
© a
CS t— -^ CO C^ CO 00 t— # "" CS CXI O '

cp
CO uO— --—
CO -sr
C^
^~ r: CV iT
C3 -*3«
00
^C< ^-
co c—
-q*
I
CO o*
-T
T"*
1

O CO
CD CO
CO
— CD
CD' CD
*-—
O
CD
O t^-
Eâ — -•-*
l^ -^
^ O^
'
iO CD lO
CO
<;
£ T,
O
c/3 09 00 W3 ee
t- CD
m O CD00 ^
c/í --/j c^o v-
cd c:
00 mm^^n
O
' <o

t"-

O
z
PS K CD CD
CN» — .
I--CV
CO 00

lO
ÇS
iO
CD'
0C
iT3 ?'
N73
ST.
ۥ*
t-H (» 00 CO ©
ro
£-.
ca B3
CD CD O
O — CO OcO O- OOO- ~/ CP
Cd
OH
CO -=r «n
O CD O
-ít OOi
O OS
O
CO
CD O
CD O tf .1
*
CJS
o
P71
S yO Cfi C/I- €& í/7 0-Ç> CÃ 00 €/í c/i í/':- C/5 ê^= =7".'
C/v ^^ I-*
C/3 CÃ
«ScN o
.

cÕc^' cdT-^ "Õsc-


Q PS
LC0 f>-
*7«
CD -* CO
CD -^T CO
CO CS
t- L-
CD ts
C -O
<J
c t— . rH — Cí
2
O TO OO —~ O O — -* O
05ODOOC^HoO0'OOO.0Oin?:
1
— — — CD CD
<*" O- '
1

!C '
Cm
t- cd i- o cd co lo — CD o ri o
o co íê O
CO CÃ €^
00 — CD — o —
Cfe ^ CÃ 00 Ti 00 QS CÃ CÃ
Cft C/?
CD OO -r co f
^ r
CD o cc
çí>
t~~ cr.
Cs j Cã=
'
~
-a
CO ÈO W-OS - O 050 CR tO CO 'O "T tO
*.,r> C-/
Ct iO £ -
o
iOCD &
i/J
^- — CS CS t— CD lO D3 CO CS
'.O --— C"3
X)
GO CjinOnO
— t— iO
io;f i-cccs O
— f-, r- ai cõ
^ 1
OS
^vT C-' lCj
O* ~r*~
CO CO
lO
*-• (r-
o
a>
CS
S-a
C o -O
E3T3
yj ífi <D

.O O "i
O
k o =r
O)
•- o É «
<a CD
_ = CD s d >.2
13 ~ o ff "^ soe cj
'-
CO
c^C'— a) i. >
1
O
f* &5^.fl«.§.as-a
H
02
< ^«^oj^v^o « G -^co c;S>
d
Sco ^2 fl S *
-'Sc«,l A
O cs « .^ o
PS cfi
.a « * tf
ryí =3 _çí ^ P t: «
ctí

es 7Í ^.tJ 2 .- S,.© o
«£ .

C OC c3 C — CD C CO ÍS CJ D
1 hÍ o£ HSP>SC5£ccíp
f i « < i

O
O O
OO © «* O
O O OOO
OO fftO- o
o © co o
«3"
o
S5
ojcoomo o o destoo
83 83 &$m e/3ê*3&3&3&38383^
«o>
CG
•cS
os! ,
OMO
83 83 83 83
«^
Os CD
CO
-V
OiOlO
— SQ CC
CO
os
— CO
CM
co
CO Cá <nt- cm cm os caí íít cm
<J
<s SJ
CD
CS
CO I— — O o «sr o
5 cjla CO GO <ro O
Oo go W
O, 3g CM C£)
83 83 =^83 &3 83 ^#£83 83 83 83 ^
CTS Tf IO Ch
O w
as:— ."O CS — 00 OO CO ^9
O
O K
-í CR *-i
CO OO
o
cm
'

cm
io
to o
— CM
«D <n
Di
CS
<! cri -)-' O c-,
•—

o
í
a. CO as
Q
CS "OCOCO
O — O O O CM COOOCiO
(NOOOtOO OO
O CO CD
efi

IccS
C_«~ go oo o cc
tio •*? 0500000 CM
o> — CD
a.
CD
— — co o o co ooxlo — io GO CM O O o
CO M M O OO T
cr;
ecs
n_3
'

í© ÍO ~f CM -T CO
Oí O OC Tf 00
CO T i^ 5v N i"
(TN

-t-i
lO o— "O o
tt
o s ***

'3 (MM-í CO eo =3 >


Oi -~ t-s &-I
CD
<
C8
co r-
GO GO

CO
iO
oo
O
o> o
«cr CD-
-3 CQ O
z
o CM CO OS iO O^f
O WE^sefê $%&3 &3 <fê^ #^83 83 83 ^83 ^ê© 83 O
"^^
o

C-l
i—
o> *!
CTS—
CO OS
O
t-i GO
CM
.TO
COO
CO
Kl
CS
CS
O ca
*!
CO GO
CO T—
CM
'
tO
Til
«ri
•cS
t-i
59
O,
CO CS

o. c_ -íC
00«cr"-0
ooo
OOO ©—O
iOOOOO cm
CD

< 83 83 83 83 83
J5C001CJO o o -TOCO
«cr
83 83 83 &$<frtt m 33 83 83 83 -83 O
ap OCOO
CO
CTS «3*
cc
«3-
OiOiO
^ CO CO
CO^-icocO
CTS CM
O cá W-TiH CM CM CM
CTS lO CM cS
kl c a 'u
CD s O
r-j
G,
OO^OOOtOcOOCOvpOIO —
O

CS

CD
'CCS
C-O-
. — CO O
ifl» O O O O O O O CO 00 LO O O'OOcO
[^ O! C oo o ff O " o O ^ cn CO O O N
O O Oi CD
,a
-4—'
CCS US 6© ç^ ^=83 83 83 83 83 83 83 83 ^83 83
tfj tft 85=
CD
O
CS
CCS 00 —
Tf-^ococor-OCOOiCOcO^-GOíOOOO
CO t-i CO CO cr'' -^" »cr St CO' Oí cr' t-i r- t^ TO co
CO
Oi 00 I- CO — CO CM CD 1— CM CO CO 'O— O
< i-,
"

Q O _OO
co
,- CS CM

co t- «cr 02(M
— cS
-a
< o rM

ta
«2 o
CD *cs
< íO o
D -3 05
t/2
CO
O
cS
O
CD
CD
--. c Ch
O —
t-,
CO
cz
— .— Sh
CD © _ <-. .CS,

c o M CJ1 cu «-'
CS
cS

S5
CS

<— O-, ee 0-i


— CS*2 O
CS CD
2>:—
CD
Cl
CD CD
> n> "t:
h>.

cd -£13 cS >
i

C/J
CB
3 H CS > >C O "-O
tS >
CD
< tf cs c-o"d ~ ® r« CS
;/)

+3 U ^ «
iafi
K -, w CS--
Q < CD S
o cc «J H -O g
j.

oO
cS
S « cs 5L
i

.^ O-p.- q o
05
ri
-

Z N 3^ _^>s:^bCcD c:-'
H kí \^ cl CD f- <s
CS
W^ o cS CD "S-I-iCD-^aJCDCD
QUADRO DEMÍ rfados no biénio de 4900 e

1901, c

*-^
1901
G-ENEI ntida
i
Valor
;.-..-

official
I

Taxa
I

Direitos
H(3

732 1:0858085 T/. 758956


Aguardente de fructas
1.968 1:3778600 « 968432
Idem de canna
.871,5 558:24089-20 IO'/. 55.-82 4 8092
Algodão em pluma
Assucar 210 848000 4-/. 3$360
Aves domesticas 556 1:J70$000 6-/. 708200
23.172 18- 800$ 100 10-/. 1:8808010
Café pilado
Cal
1.13'i 4:5248000 5-/. 2268200
Cangalhas
4.126 6:2148500 6-/. 3728870
Carne secca
Cacau 2.663 7988900 ((
478934
Cebollas 5.218 4; 1878733 « 2518264
08.239 72:2508900 10-/. 7:2258090
Cera de carnaúba
39:4828971 2:7638808
Chapéos de palha de carnaúba 32.532 Tl-
Idem, Idem, tecido fino 6.746 22:399$200 a . 1:5678944
24.527 1:962$ 142 « 1378350
Chifres
2 985 1 i .-8798000 10-/. 1:187$900
Cigarros
19.136 8 100 11:91386*10
Couros espichados
Idem salgados 46.984 18500 70:4768000
Idem verdes
.003 7028100 IO 7/. 708210
Crinas ou cabellos de animaes 1

14.914 % '
« 4:8668772
Diversas mercadorias.
.496,5 32:4038628 2:2688254
Doce de goiaba ou caju VI.-
524 5088200 358574
Idem secco ou crystallisado
19 652 11:3188114 « 7928268
Esteiras
Feijão
195 58$500 10-/, 58850
Fumo em corda 41.721 41:6398285 2:9l4$750
Fumo preparado 169 .8458000 io- T . 848500
Gado azinino 27 58 135$000
Idem bovino 2.009 10$ 20:0908000
Idem caprino 181 18 1818000
197 10$ 1:970$000
Idem cavallar
485 158 7:2758000
Idem muar
Idem suino 1 2$ 2S000
28.778 650 148:7058700
Gomma elástica .

.500,2 13:0018200 6-[. 7808072


Laranjas
6.265 8:7918000 4388550
Macarrão
13.109 3:3128000 6'D 198$720
sol In
Vinho de caju
57:5%
6.154 5:0708485
^TÚU- 4a
0.161 «-
3548934
Idem de qualquer q.ua,i idade 96
Xaropes medicinaes 96$000 « 68720
334,2 6688400
Importância de diffe.enças na 5-ji 338420
3$010
538:838$! 69
liioo
dos a noras de produceão do Estado erportadm «o biénio de
e
o( ADRO DEMONSTRA TiVO
1901, cujos direitos foram arrecadados peta Recebedoria
do Est'ado-\

inoi
OENEROS 1" '! Valo. olíkial Taxa Ir |-
lurnlTn ial I
.: Direitos

i.i- 'i :
J5S950
Liln 94 16$ i

(Veuapoontc ili fi ucl ia 963133


Li. -iii de Kilo
-
13092
I35:2t7$6ín
.

Kili i
'i .
ior,
870 gooo I
!0 813000
.,
it- ',„
i n. .i l:7(US06G
1:021 Kilo
Kilo
.

i .ii. pilado
' I97S80I hl, 131
,n, 2268200
Uma
.
,
i
I
i- :
i(if
l mgallias Kilu ,, .',
ÍS5U0
Kllo I 9803001 II
,
!(i
:',
.

'irnr
!

i ..
li. 19 mi .

500S1UI I0$012 '

. .
,

2518264
1:161X13!
l .
! I0S Hl-. :: ,00 .*
I58O90
I ,
i
;l i!. .

! 7633808
. I ,
,9g8
i
'li.ij li pai i-.i tecidi 1:5673914
'
92 $561 ,, ; ,,.
-.,,. lecitlo (Inu
ImI.
1:I87$900
;
,il
'HUM- 11,11 li 9133600
;oui os pspii hi
i

.
I [<i
109 - is: 16 981 IS500 70 I76S
-
i

ou c ibelloB lli Kllo i


959S800
i ',\ ii, :i-
i
13 191 .'II I 666S775
Diversas inpn adori i
ni 19«
Kilo i
:
,i &;S09S780
1.. di _,.. .i;i ou caju i
1
,
1
,74
i7$770
[dum sei c xysiallisado I1SSM 792S268
17 09IS3 I [96S393 I

i
i
.
.

IS .v,s: 5S850
i o
li ,
II II ,,:;', i8l 2:91-1*750
: 675
69 .
, . 81SÍ
i uni' i prej s I35|000
Gado i inino 2!
j 009 B 20:0903000
Idem i 310
t

IXI
•;
1813000
[dera i
.i, V 9701
101
8:813! S 1",S 7:2758
Idem mi 1 s !1 28000
uino - 650 i
18 7053700
98 til .i Kiio
iSO O ih- , ,00 »! 780S01S
I ,aranjas i i

I. ,l... 8:7913000 1383550


.. ,
l 151 i9i Kilo
13 109 1000 II
\ 198*720
6583585 |

[)H oi de palha do aarnaúb i


1 .-li'..
7:0658: I94Í585
Kilo lo eus
30:245{000
..

s
,
i

,,,, |90 1
"II ,
s
.Min i
.

200 90.093 s 17:0813850


arm ini 134
. .

II III 688 l i 100 I68S800


ih ! I

6-|. 1598810
I || .

380. a 13500
: iii i
., i.

79S ,75 'i 373! 683650


i 59IS440
rap H ni b meu icii »
: I7JS805
.
f.,- ijoa li 1.1'MI í

• :,.-,.$ ,'», 19
..." ai ioospo .

Loi mii 25 14*470


i
i
s Pi. i,
i

|-..'.V' 180 Kilo il.' 8 16531-12 571*560


las o Inbyrinllu Kilo 273348
II
,.i i ,ii i
5 1 5583
Si-tiii In 2593600
'

119-1 28 I
298
i i

.
1700 180 ,

S..II,,
. '.-li 0593000 i

Litro ,
[5 070 i 134
Vinlu) - ,
,
',

|.i ,
., iju iltjuer i|i i dddi! 33 120
II Q I 'ii i
.

33.1110
ih ia i]e diffi i" ai na
H 5 ai •