Você está na página 1de 1

Roni Dalpiaz

Diario a Bordo

ronidalpiaz@gmail.com ICD

SOBRENOMES AÇORIANOS EM TORRES


Protestante, a disputa por membros A PALAVRA É...
tornou necessária a identificação dos
fiéis e a contagem e os registros
passaram a ser uma obrigação dos SOBRENOME
padres e pastores de cada cidade
Quando se tornou necessário criar mais distinções
europeia. Estes primeiros registros para as pessoas não se confundirem umas com as
ainda não apontavam os sobrenomes, outras, o homem olhou para a vegetação, para a
somente os nomes. Em sua maioria, geografia e para onde mais houvesse inspiração. O
resultado: uma mistura de sobrenomes que já têm
nem o nome da mãe da criança vários séculos de idade. Os mais incidentes no Brasil
batizada era informado. O uso do são: Silva, Santos, Oliveira, Souza, Lima e Pereira.
sobrenome como identificação Silva, origem Portugal: Acredita-se que surgiu no
familiar surgiu um pouco depois, mas Império Romano para designar moradores de regiões
de matas – “silva”, em latim, é “selva”. Trazido ao
não havia ainda uma obrigação Brasil pelos colonizadores, foi adotado também por
quanto à hereditariedade, como hoje. escravos libertos.
O surgimento das disputas quanto ao Santos, origem Portugal: Sua origem é religiosa: era
direito de sucessão (de terras e bens) - dado, em Portugal, a quem nascia no dia 1º de
novembro – o Dia de Todos os Santos. Cristãos-
era preciso algo que indicasse vínculo novos (judeus convertidos que viviam na Península
com o dono da terra, para que os filhos Ibérica) também o adotaram para fugir da Inquisição.
ou parentes pudessem adquirir a terra, Oliveira, origem Portugal: O primeiro português a
usar seria dono de uma vasta plantação de oliveiras, a
já que qualquer pessoa com o mesmo árvore que produz a azeitona.
nome poderia tentar se passar por Souza (e Sousa), origem Portugal: É derivado do
O livro do osoriense Rodrigo vários grupos de DNA utilizando o filho. (trecho extraído do livro deTrespach) latim (“saxa”) e quer dizer “seixos” ou “rochas”. O
Trespach, “Cidade dos Ventos”, me mesmo sobrenome como Apesar de constatarmos a presença nome pertenceu a uma família portuguesa que tinha
despertou novamente o interesse identificação. destes e de outros sobrenomes
ancestrais entre os visigodos, povos bárbaros do
pelos sobrenomes em geral, mas Vamos usar como exemplo a família norte da Europa. Tomé de Souza, primeiro
autenticamente açorianos, Ruschel governador-geral do Brasil, foi um membro ilustre
mais especificamente dos Schumacher, que em alemão significa localizou, através de registros de Lima , origem Portugal: A maior hipótese é que
sobrenomes daqui de Torres. sapateiro e na Alemanha havia muitos óbitos os seguintes sobrenomes aqui venha do rio espanhol Limia. A palavra celta
No livro de Rushel, em uma de suas sapateiros em vilas e cidades, significaria esquecimento: segundo a lenda, quem
em Torres: atravessasse Limia perderia a memória. Em Portugal,
crônicas, há a origem de alguns surgindo, assim, várias famílias -João Martins da Rocha, falecido em uma das primeiras famílias foi a de dom João
sobrenomes das famílias açorianas Schumacher, sem nenhuma ligação 1810, com 67 anos, sepultado na Fernandes de Lima, senhor das terras de Limia.
que para cá vieram no século XVIII, uma com as outras quanto ao código matriz de Osório. Era natural da ilha Pereira, origem Portugal: Ao que tudo indica, é uma
oriundos de Santa Catarina (70%) e genético. Há casos de que famílias referência a uma propriedade que tinha uma
Terceira, uma das Açores, e foi pai de plantação de peras, a Quinta de Pereira, localizada ao
Mostardas (10). Sobrenomes portam sobrenomes distintos e, no Francisco Martins da Rocha e sogro norte de Portugal. Quem usou o nome primeiro foi
açorianos como Borges, Silveira, entanto, são descendentes de um de Elias da Silveira, dois importantes um rico e poderoso senhor do século 13, chamado
Rosa, Terra e Brum são derivados de mesmo ancestral, com o mesmo dom Gonçalo Pereira
fazendeiros e povoadores da região Fonte:https://mundoestranho.abril.com.br
suas origens flamencas (Os açores DNA. Os sobrenomes não eram nada de Itapeva e Estância do Meio.
foram colonizados por imigrantes mais do que simples apelidos ou -José Silveira, natural da ilha de São
dos Países Baixos), van der Berge
(Borges), van der Haagen (Silveira),
alcunhas, daí que os sobrenomes
indicam geralmente características
Jorge ou da de Faial (Açores), Mundo
falecido em 1811, com 80 anos,
van Roosen (Rosa), van Aard
(Terra), e van Bruyn (Brum).
físicas, lugares de origem e as
profissões dos primeiros portadores.
sepultado no cemitério da Itapeva. CURIOSO
Este colono parece ter sido
De acordo com Trespach, o uso do E cada povo ou país adotou uma descendente do flamengo Wilhelm
sobrenome como identificação forma de transmiti-los de geração em van der Haagen, a que os portugueses
familiar surgiu, mais ou menos, na geração. (trecho extraído do livro deTrespach) apelidaram de Guilherme da Silveira,
mesma época dos registros, mas não Se o uso do sobrenome serviu como um dos povoadores daquelas ilhas.
havia ainda uma obrigação quanto à identificação familiar, provavelmente José era pai do fazendeiro Alexandre
hereditariedade como a que temos Rosa, Silveira, Terra são bons da Silveira, dono de extenso capo ao
hoje. E isso também varia conforme exemplos disso. sul da Itapeva.
o país, cada um adotou forma Os registros paroquiais de batismo, -José Pereira Brum, natural da ilha do
diferente a utilização do sobrenome, casamento e óbitos, começam a ser Pico, uma das Açores, morto em
e também em épocas variadas. Isso organizados com o Concílio de Trento 1813, aos 70 anos. Era da família
quer dizer que surgiram vários (1545-1563), que estabeleceu a flamenga dos Bruyn e deixou Em Guangzhou, na China, as autoridades
sobrenomes idênticos em grupos obrigatoriedade quanto aos registros descendentes no município. tiveram que construir uma estrada como essa,
com códigos genéticos distintos, ou de nascimento para os católicos. Fonte: TRESPACH, Rodrigo. Cidade dos Ventos. pois três famílias desse bloco de apartamentos
vice-versa, tendo como resultado Naquela época, pós-reforma RUSCHEL, Ruy Ruben. Torres tem história. se recusaram a vender suas residências.