Você está na página 1de 36

BSGI

Matérias de 1º Grau
Exame de Budismo 2008
2

ÍNDICE

A profecia do Buda..........................................................................................................................................03
Sobre atingir o estado de Buda nesta existência..............................................................................................08
O Tambor na Portal do Trovão.........................................................................................................................12
A vida de Nitiren Daishonin.............................................................................................................................16
Três Provas e Comparação Quíntupla..............................................................................................................18
Transformação do destino................................................................................................................................22
Risho Ankoku Ron e Kossen-Rufu..................................................................................................................23
Prática da fé para vencer as dificuldades.........................................................................................................24
História da Soka Gakkai..................................................................................................................................26
História da BSGI: As quatro visitas do presidente Ikeda ao Brasil.................................................................30
Movimento Renascença...................................................................................................................................33
3

A Profecia do Buda
(As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. 1, pág. 131.)
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1944, PÁG. C1, 21 DE JUNHO DE 2008.

Vinte e um anos já se passaram desde que eu, Torre de Tesouro”2. Conforme consta no sutra: “Se fossem
Nitiren, compreendi esse princípio [e comecei sua capazes de agarrar o Monte Sumeru e atirá-lo na direção das
propagação]. Durante esse tempo, enfrentei adversidades dia incontáveis terras dos budas, isso também não seria difícil...
após dia e mês após mês. Nos últimos dois ou três anos, Mas, se após o Buda ter entrado em extinção, na época
entre outros obstáculos, quase fui morto. As chances de que maléfica, forem capazes de ensinar esse sutra, isso será
sobreviverei mais este ano ou mesmo este mês são uma em realmente difícil!”3 O Grande Mestre Dengyo declara:
dez mil. Se alguém duvidar de minhas palavras, instrua essa “Sakyamuni ensinou que o superficial é fácil de abraçar, mas
pessoa a procurar meus discípulos e eles explicarão o profundo é difícil. Descartar o superficial e buscar o
detalhadamente. Que sorte tenho em poder expiar, em uma profundo é o caminho de uma pessoa de coragem. O Grande
única existência, as ofensas de calúnia à Lei que vim Mestre Tient’ai confiou em Sakyamuni e o seguiu,
acumulando desde o infinito passado! Como estou feliz em empenhou-se para manter a escola Lótus,4 propagando seus
servir ao Buda Sakyamuni, o lorde dos ensinos, com quem ensinos em toda a China. Nós do Monte Hiei herdamos a
jamais me encontrei pessoalmente! Oro, antes de tudo, para doutrina de Tient’ai e nos esforçamos para manter a escola
que eu possa conduzir e direcionar o governante e aqueles Lótus e propagar seus ensinos por todo o Japão”.5 Eu,
que me perseguiram. Relatarei ao Buda sobre todos os Nitiren, nativo da Província de Awa, certamente herdei os
discípulos que me apoiaram e, antes de morrer, transferirei ensinos da Lei desses três mestres e, nesta era dos Últimos
os grandes benefícios acumulados por meio de minha prática Dias, dedico-me a manter a escola Lótus e difundir a Lei.
aos meus pais, que me trouxeram à vida. Agora, como num Juntos, deveríamos ser chamados de os quatro mestres das
sonho, compreendo a essência do capítulo “Surgimento da três nações.

Resumo e cenário histórico


Nitiren Daishonin, aos 51 anos, escreveu essa carta advento nos Primeiros e Médios Dias da Lei; (2) ele cita
durante o exílio na Ilha de Sado, em 1273, e a endereçou a declarações e profecias de Sakyamuni e de outros mestres
seus discípulos e seguidores leigos em geral. budistas em relação aos Últimos Dias da Lei, à
grandiosidade do Sutra de Lótus e às perseguições que, com
O título, “A Profecia do Buda”, refere-se a duas
certeza, atingirão o devoto desse sutra; (3) descreve
profecias. A primeira, do Buda Sakyamuni, que declara que
resumidamente o declínio do Budismo de Sakyamuni e
o devoto do Sutra de Lótus fará seu advento no início dos
proclama que o correto ensino do budismo será propagado
Últimos Dias da Lei e propagará os ensinos do sutra mesmo
em todo o mundo nos Últimos Dias; (4) identifica-se como o
enfrentando grandes perseguições. A segunda, do próprio
devoto do Sutra de Lótus, ou seja, o Buda dos Últimos Dias
Nitiren, ao anunciar que nos Últimos Dias da Lei e para toda
da Lei; (5) revela que o budismo deixou de existir na Índia e
a eternidade, seus ensinos serão propagados no mundo
na China e que o ensino correto do budismo nascerá no
inteiro em benefício de toda a humanidade.
Leste, na nação japonesa; (6) complementa sua profecia
Essa carta pode ser dividida em sete partes de comparando os presságios que ocorreram em sua época com
acordo com o conteúdo: (1) Nitiren Daishonin declara ser aqueles da época de Sakyamuni e; (7) Nitiren declara que a
um benefício muito maior nascer nos Últimos Dias da Lei e suprema Lei está agora surgindo e adverte seus seguidores
abraçar o Sutra de Lótus do que ter encontrado pessoalmente que sua ampla propagação será uma tarefa difícil.
o Buda Sakyamuni ou os grandes sábios que fizeram seu

Explanação dos tópicos


Vinte e um anos já se passaram desde que eu, Nitiren, compreendi esse princípio [e comecei sua propagação]. Durante
esse tempo, enfrentei adversidades dia após dia e mês após mês. Nos últimos dois ou três anos, entre outros obstáculos, quase fui
morto. As chances de que sobreviverei mais este ano ou mesmo este mês são uma em dez mil. Se alguém duvidar de minhas
palavras, instrua essa pessoa a procurar meus discípulos e eles explicarão detalhadamente.

A nobre existência de Daishonin enfrentando os obstáculos e maldades em prol do Kossen-rufu


“Esse princípio”, citado no trecho acima, indica o conforme profetizado por Sakyamuni no Sutra de Lótus.
surgimento do Devoto do Sutra de Lótus com o propósito de Daishonin afirma que se passaram 21 anos desde que ele
concretizar o Kossen-rufu nos Últimos Dias da Lei, compreendeu esse princípio. Esses 21 anos correspondem ao
4
período desde que ele estabeleceu o Verdadeiro Budismo. gravidade da situação é descrita por Daishonin na frase: “As
Portanto, na frase inicial, Daishonin declara que desde 1253, chances de que sobreviverei mais este ano ou mesmo este
quando recitou pela primeira vez o Nam-myoho-rengue-kyo, mês são uma em dez mil”.
se levantou como o Devoto do Sutra de Lótus que se dedica Apesar de Daishonin ser o Devoto do Sutra de
em prol do Kossen-rufu exatamente de acordo com as Lótus, as grandes dificuldades e perseguições continuaram a
profecias do Sutra de Lótus. E, desde então, veio lutando perseguí-lo justamente por ser o empreendimento pelo
persistentemente como Devoto do Sutra de Lótus. Kossen-rufu uma batalha contra as maldades.
Tal como afirma na frase “enfrentei adversidades dia após Foi em meio à superação dessas grandes perseguições que
dia e mês após mês”, Nitiren Daishonin enfrentou Daishonin pôde evidenciar a verdadeira força da natureza
dificuldades e perseguições como ondas incessantes. Nesse humana e do estado de Buda. E, com a manifestação dessa
período de 21 anos recaíram inúmeras perseguições sobre extraordinária força inerente no ser humano, Daishonin pôde
ele, a começar pelas quatro grandes perseguições. Em estabelecer o budismo para a salvação da época e das
particular, na perseguição de Tatsunokuti ocorrida dois anos pessoas dos Últimos Dias da Lei. Assim, conseguiu
antes deste escrito, Daishonin chegou a ser levado para a estabelecer o budismo a ser propagado para o mundo
decapitação pelas autoridades. Em seguida, após ser exilado convicto no princípio de “retorno do budismo para o oeste”,
na Ilha de Sado, diversos tipos de perigos continuaram a que consta em um trecho desse escrito.
ameaçar a sua vida. Por exemplo, na localidade chamada
Tsukahara, em Sado, havia sérios riscos de morte por Que sorte tenho em poder expiar, em uma única
congelamento e fome. Posteriormente, ao mudar-se para existência, as ofensas de calúnia à Lei que vim acumulando
Itinosawa, passou a enfrentar ameaças contra a sua vida desde o infinito passado! Como estou feliz em servir ao
pelos seguidores da Nembutsu residentes no local. A Buda Sakyamuni, o lorde dos ensinos, com quem jamais me
encontrei pessoalmente!

A grande alegria de superar as perseguições


Nesta frase, Nitiren Daishonin expressa seu soberanos e exilados em ilhas distantes, nenhuma delas se
profundo sentimento de alegria, benevolência e gratidão por alegrou como nós.” (Os Escritos de Nitiren Daishonin
ter conseguido estabelecer o budismo para a salvação de toda [Escritos], vol. 5, pág. 48.)
a humanidade, superando as dificuldades e as perseguições. “Por causa de minhas ações, fui condenado ao
A sucessão de dificuldades e perseguições não trazia de exílio; porém, na presente existência, esse é um sofrimento
forma alguma tristeza para a vida de Daishonin. Pelo insignificante pelo qual não vale a pena lamentar. Nas
contrário, ele demonstra com o frescor de sua vida a minhas próximas existências, desfrutarei imensa felicidade, e
comprovação da veracidade de seu ensino e, ao mesmo essa certeza é que me dá grande alegria .” (Escritos, vol. 4,
tempo, o vigor dela em superar as dificuldades. pág. 222.)
Na vida é absolutamente natural encontrar “Com este meu corpo, tenho cumprido as profecias
dificuldades. Não existe uma vida sem dificuldades. O do sutra. Quanto mais as autoridades do governo lançam sua
Budismo de Nitiren Daishonin ensina sobre a energia vital fúria contra mim, maior é minha alegria.” (Ibidem, pág. 75.)
para ultrapassar as dificuldades e tornar a vida feliz. E,
somente esse budismo nos ensina a verdadeira alegria e “(A estas notícias) eu, Nitiren, afirmei com firme
felicidade que existem na superação das dificuldades e confiança: Tenho estado consciente disto desde o começo.”
sofrimentos. (END, vol. 1, pág. 153.)
“Que felicidade!”, “quanta alegria!” — são frases “O senhor deve estar encantado com esta grande
que aparecem em abundância nos escritos de Nitiren boa sorte.” (Ibidem, pág. 163.)
Daishonin. Não há frases de lamentação como “Que “Eu não tenho a mínima dúvida de como serão os
sofrimento!”, “Que desgraça!” ou “Que tristeza!”. Por isso, meus últimos momentos. Quando cortarem minha cabeça,
quando se lê os escritos de Nitiren Daishonin com seriedade, sentirei uma alegria ímpar. Ao ter encontrado grandes
a pessoa deixará de se lamentar e nunca se afastará da prática bandidos, sei que transformarei seu grande veneno em uma
budista. jóia rara.” (Gosho Zenshu, [GZ], pág. 962.)
As frases a seguir são alguns exemplos em que “É realmente uma grande alegria saber que a minha
Nitiren Daishonin expressa sua grande alegria: situação corresponde perfeitamente ao seguinte trecho do
“Sinto uma imensa alegria mesmo estando exilado.” (END, sutra: ‘Seremos repetidamente banidos’. Que alegria! Que
vol. 5, pág. 254.) gratificante!.” (Ibidem, pág. 963.)
“Quanto maiores sofrimentos lhe sobrevêm, maior A frase “ofensas de calúnia à Lei que vim
alegria a que ele sente, devido à sua forte fé.” (As Escrituras acumulando desde o infinito passado” se refere ao acúmulo
de Nitiren Daishonin, [END], vol. 3, pág. 257.) das ofensas de caluniar a Lei ao longo do interminável ciclo
“Entre todas as pessoas, que desde o começo de da vida. As pessoas desconhecem que tipo de ofensa e
nosso presente kalpa foram perseguidos por seus pais ou quanta calúnia à Lei vieram cometendo na vida desde o
5
infinito passado. Daishonin afirma na “Carta de Sado”: “É Buda, isto é, pode-se manifestar a vida do estado de Buda. É
impossível compreender o próprio carma”. por isso que conduzir uma existência empenhando-se em
prol do Kossen-rufu possui tamanha importância.
(Escritos, vol. 5, pág. 20).
A manifestação da vida do estado de Buda pode ser
comparada ao sol que se levanta. As causas negativas que
Porém, o que ele afirma é que todos os carmas existem tais como as inúmeras estrelas no céu desaparecem
negativos do passado poderão ser expiados pela superação imediatamente com o raiar da luz do sol deste estado de
das dificuldades e sofrimentos na presente existência. Buda.
Durante toda a sua existência desde o Consta o seguinte no Sutra Fugen, que conclui o Sutra de
estabelecimento do Verdadeiro Budismo, Nitiren Daishonin Lótus: “As muitas causas negativas são como geadas e
devotou a sua vida em prol do Kossen-rufu, abraçando-o orvalhos. Desaparecem diante do sol da sabedoria”.
como seu grande desejo e própria missão, mesmo diante das Daishonin afirma que este “sol da sabedoria” se refere ao
grandes perseguições. Ele nos ensina que, ao viver esse tipo Nam-myoho-rengue-kyo.
de existência pode-se expiar as causas negativas oriundas Em uma outra passagem, Daishonin afirma: “Os sofrimentos
das ofensas de caluniar a Lei acumuladas desde o infinito do inferno desaparecem imediatamente”. Um ponto
passado. Entretanto, não se podem extinguir essas causas importante nessa afirmação de Daishonin é que os
negativas meramente por se defrontar com os sofrimentos e sofrimentos não desaparecem aos poucos, de forma gradual,
dificuldades de qualquer natureza. Somente por meio dos mas instantaneamente.
sofrimentos e dificuldades vividos por causa do budismo ou A frase a seguir, “servir ao Buda Sakyamuni, o lorde dos
do empenho e dedicação em prol da propagação da Lei e da ensinos, com quem jamais me encontrei pessoalmente”
promoção do Kossen-rufu é que se consegue extinguir todas indica empenhar-se em prol do Kossen-rufu que é o grande
as incontáveis causas negativas. Isso se torna possível desejo do Buda. E, “encontrar-se pessoalmente com o Buda
porque o Kossen-rufu é o grande desejo do Buda. Além Sakyamuni” é uma expressão que indica manifestar a mesma
disso, o ato de se empenhar em prol do Kossen-rufu condição de vida do Buda, conforme anteriormente
corresponde a viver a própria condição do Buda. Em outras mencionado.
palavras, a vida do estado de Buda possui a força de Nos dias atuais, apenas a SGI vive o grande desejo do
extinguir as incalculáveis e graves causas negativas Kossen-rufu. Portanto, somente os membros da SGI podem
acumuladas pela ofensa de calúnia à Lei. saborear a verdadeira alegria idêntica a do Buda.
O Buda conquistou a verdadeira felicidade e tranqüilidade
por meio da percepção e da iluminação à Lei que torna todas
Oro para que antes de tudo para que eu possa
as pessoas felizes. Por essa razão, o Buda manifesta o desejo
conduzir e direcionar o governante e aqueles que me
de tornar todas as pessoas, que também possuem a mesma
perseguiram. Relatarei ao Buda sobre todos os discípulos
condição de vida que a dele, igualmente felizes. Este é o
que me apoiaram e, antes de morrer, transferirei os grandes
grande desejo do Buda.
benefícios acumulados por meio de minha prática aos meus
Quando se vive exatamente de acordo com esse pais, que me trouxeram à vida.
desejo do Buda, pode-se viver a mesma condição de vida do

A grande benevolência de Nitiren


Nesta frase, Daishonin descreve a sua condição de benevolente: o de conduzir todos os seres vivos, sem
vida repleta de grande benevolência. exceção, para a iluminação, isto é, o de salvar toda a
Uma pessoa que manifesta a extraordinária energia vital do humanidade. O Sol é imparcial; ilumina igualmente todos os
estado de Buda não busca a felicidade somente para si seres sobre a face da Terra. As luzes da benevolência do
própria, mas, sim, é capaz de evidenciar a grandiosa Buda Original, que é como um sol para a humanidade,
condição de vida de benevolência visando salvar todas as banham sem distinção todas as pessoas do mundo”.
pessoas do sofrimento. O trecho final do capítulo “Juryo” (Revelação da
A afirmação de Daishonin contida na frase “Oro para que vida eterna do Buda) do Sutra de Lótus descreve o coração
antes de tudo para que eu possa conduzir e direcionar o do Buda que pensa incessantemente em salvar as pessoas
governante e aqueles que me perseguiram” demonstra uma com as frases Mai-ji-sa-ze-nen. I-ga-ryo-shu-jo. Toku-nyu-
condição de vida extraordinária de querer conduzir e mu-jo-do. Soku-jo-ju-bu-shin, que significa: “Medito
direcionar inicialmente o governante que o perseguiu e constantemente: como conduzir as pessoas ao caminho
ameaçou de morte. Esse é, sem dúvida, o mais alto supremo e fazer com que adquiram rapidamente o corpo de
sentimento de benevolência. um Buda?”.
A suprema condição de vida do Buda é aquela que Um ponto importante a ressaltar é que, em relação à
ora pela iluminação das pessoas, seja quem for. maldade, refutá-la com veemência é também um ato de
O presidente da SGI, Daisaku Ikeda, descreve sobre essa benevolência.
benevolência imparcial do Buda fazendo uma analogia com Em um trecho da série “Reflexões sobre a Nova Revolução
o Sol, ao dizer: “O Buda Original tem um único pensamento
6
Humana”, o presidente Ikeda faz o seguinte comentário ao se pessoa a quem temos maior dívida de gratidão.
referir a frase dos escritos que hora estudamos: “Apesar de O Buda jamais é arrogante. O Buda, ou uma pessoa
ser alvo das mais severas perseguições, Nitiren Daishonin verdadeiramente grandiosa, possui um transbordante
também demonstrou um espírito de tolerância e sentimento de gratidão, de alegria, de desejo de retribuição e
benevolência tão vasto quanto o oceano, dizendo: ‘Oro para de benevolência.
que antes de tudo para que eu possa conduzir e direcionar o
governante e aqueles que me perseguiram’. Porém, isso não Daishonin superou as grandes perseguições
significa que seja aceitável encobrir a diferença entre o bem abraçando o grande desejo de salvar a humanidade. Assim,
e o mal ou tolerar o mal”. (Terceira Civilização, edição no manifestou a vida do Buda em meio ao aspecto de um
403, março de 2002, pág. 36.) simples mortal comum. Em outras palavras, na posição de
Na seqüência, temos a frase “Relatarei ao Buda sobre todos um ser humano comum, demonstrou concretamente a sua
os discípulos que me apoiaram”. Aqui, Daishonin afirma suprema condição de vida. Trata-se, portanto, de uma
que, após a sua morte, quando chegar ao Pico da Águia, de expressão concreta do estado de Buda.
imediato relatará a Sakyamuni sobre os seus discípulos que o A leitura desta frase do escrito nos faz entender a finalidade
apoiaram. É a manifestação do espírito de gratidão. A pessoa de recitarmos Daimoku e de empenharmo-nos em prol do
que evidencia o estado de Buda e possui uma forte energia Kossen-rufu.
vital manifesta um transbordante sentimento de gratidão.
Em seguida, Daishonin afirma: “... antes de morrer, Agora, como num sonho, compreendo a essência
transferirei os grandes benefícios acumulados por meio de do capítulo “Surgimento da Torre de Tesouro”(2).
minha prática aos meus pais, que me trouxeram à vida”. Conforme consta no sutra: “Se fossem capazes de agarrar o
Nesta frase, ele nos ensina a atitude de retribuir a todas as Monte Sumeru e atirá-lo na direção das incontáveis terras
pessoas a quem temos dívida de gratidão — “transferindo os dos budas, isso também não seria difícil... Mas, se após o
grandes benefícios antes de morrer”. Os “grandes Buda ter entrado em extinção, na época maléfica, forem
benefícios” indicam a felicidade de si junto com as outras capazes de ensinar esse sutra, isso será realmente
pessoas. É também a vida do estado de Buda que torna isto difícil!”(3)
possível. Vamos transferir este supremo benefício para a

O espírito do capítulo “Surgimento da Torre de Tesouro”


O capítulo “Surgimento da Torre de Tesouro” do Sutra Na prática, “seis atos difíceis” indicam o quanto difícil é a
de Lótus inicia-se numa gigantesca torre de tesouro surgindo da realização da revolução humana, a transformação da vida, e o
terra e se elevando ao ar. Assim tem início a Cerimônia no Ar quanto é profunda a ilusão fundamental que impede a
em que Sakyamuni define a propagação futura dos ensinos, após manifestação do nosso estado de Buda.
o seu desaparecimento. Dirigindo-se aos bodhisattvas,
É por isso que na propagação do Sutra de Lótus é
Sakyamuni indaga sobre quem irá propagar o Sutra de Lótus
necessário lutar contra as maldades. O movimento do Kossen-
após a morte do Buda, fazendo-os manifestar o juramento para a
rufu é uma batalha contra as maldades. E, ao se lutar contra as
realização desta tarefa. Em outras palavras, a Cerimônia no Ar é
maldades pode-se derrotar a maldade existente no interior da
uma cerimônia de juramento para estabelecer o grande desejo
nossa própria vida. É exatamente por essa razão que o Buda
da realização do Kossen-rufu.
encoraja a abraçar e propagar o Sutra de Lótus após a sua morte,
Ao definir a propagação dos ensinos após a morte do com o mesmo grande desejo do Buda.
Buda, Sakyamuni mostra quão difícil seria esta tarefa, citando
A frase “compreendo a essência do capítulo
os “seis atos difíceis e nove atos fáceis”. Assim, o juramento de
Surgimento da Torre de Tesouro” significa compreender o
propagar o Sutra de Lótus na posteridade deveria ocorrer sob a
coração do Buda em recomendar a propagação do Sutra de
plena consciência destas dificuldades.
Lótus após a sua morte, em meio às dificuldades, expondo os
“Seis atos difíceis” são seis ações consideradas de “seis atos difíceis e nove atos fáceis”. Daishonin vinha
grande dificuldade, enquanto os “nove atos fáceis” são os fáceis persistindo nessa luta por 21 anos, seguindo fielmente esta
de praticar. Entretanto, mesmo os nove atos considerados fáceis recomendação do Buda. Com essa luta, compreendeu que as
são, na verdade, ações praticamente impossíveis de serem verdadeiras alegria e felicidade do ser humano só podem ser
realizadas. Por exemplo, entre os “nove atos fáceis” estão ações conquistadas por meio da ação de superar as grandes
como a de agarrar e atirar o Monte Sumeru, a gigantesca perseguições abraçando o Sutra de Lótus. Em outras palavras,
montanha para um outro mundo ou, a de penetrar no fogo do significa ter compreendido o coração do Buda por ter exposto os
kalpa da extinção, isto é, na chama que consumirá a tudo no fim “seis atos difíceis e nove atos fáceis” ao recomendar que se
deste mundo, carregando palha seca no ombro sem se queimar. abrace o Sutra de Lótus após a sua morte.
Todavia, tais feitos praticamente impossíveis de serem
realizados, se comparados com a ação de abraçar e propagar o
Sutra de Lótus na época maléfica após a morte de Sakyamuni, O Grande Mestre Dengyo declara: “Sakyamuni
seriam ainda tarefas fáceis. Os “seis atos difíceis” indicam seis ensinou que o superficial é fácil de abraçar, mas o profundo é
aspectos difíceis para abraçar e propagar o Sutra de Lótus na difícil. Descartar o superficial e buscar o profundo é o caminho
posteridade. de uma pessoa de coragem. O Grande Mestre Tient’ai confiou
em Sakyamuni e seguiu, empenhou-se para manter a escola
7
Lótus(4), propagando seus ensinos em toda a China. Nós do herdei os ensinos da Lei desses três mestres e, nesta era dos
Monte Hiei herdamos a doutrina de Tient’ai e nos esforçamos Últimos Dias, dedico-me a manter a escola Lótus e difundir a
para manter a escola Lótus e propagar seus ensinos por todo o Lei. Juntos, deveríamos ser chamados de os quatro mestres das
Japão”(5). Eu, Nitiren, nativo da Província de Awa, certamente três nações.

Abandonar o superficial e abraçar o profundo


Neste trecho, citando a interpretação do Grande sucedeu Tient’ai e se empenhou para propagar o Sutra de
Mestre Dengyo sobre os “seis atos difíceis e nove atos Lótus e manter a “escola Lótus” no Japão. A frase “nós do
fáceis”, Daishonin elucida “a essência do capítulo Monte Hiei” se refere à escola Tient’ai do Japão que herdou
Surgimento da Torre de Tesouro”, ou seja, o coração do o ensino de Dengyo.
Buda. A partir das palavras de Dengyo, Daishonin afirma
A frase “o profundo é difícil” indica o quanto é que ele próprio foi quem herdou a escola Lótus nos Últimos
profundo e difícil o ato de propagar o Sutra de Lótus e de Dias da Lei, sucedendo aos “três mestres das três nações” da
transformar a vida de todas as pessoas. Portanto, a afirmação escola Lótus — Sakyamuni da Índia, Tient’ai da China e
de Dengyo indica que o próprio Sakyamuni ensinou este Dengyo do Japão. A Província de Awa é uma das
ponto por meio dos “seis atos difíceis e nove atos fáceis”. E, localidades do Japão antigo, onde nasceu Daishonin. Desta
com a frase “Descartar o superficial e buscar o profundo é o forma, incluindo a si mesmo, afirma serem “os quatro
caminho de uma pessoa de coragem”, afirma que o coração mestres das três nações”. Daishonin não cita o nome do país
do Buda consiste em recomendar a prática do profundo Sutra onde nasceu, mas, sim, o nome da sua terra natal, Província
de Lótus e não dos demais sutras superficiais. de Awa. Podemos entender que isso se deve ao fato de a Lei
propagada por Daishonin ultrapassar os limites da nação e
A frase “caminho de uma pessoa de coragem”
salvar as pessoas do mundo inteiro.
significa o coração do Buda. Um dos títulos honoríficos do
Buda é o de “Líder do Povo” que significa a pessoa que Analisando sob um outro ponto de vista, a “escola
expõe livremente as diversas Leis e tem o poder de controlar Lótus” é a “escola do Myoho-rengue-kyo”. Significa
as más ações dos seres vivos. Portanto, o coração do Buda é despertar dentro de si o infinito poder chamado Myoho, isto
desejar que todas as pessoas desafiem a sua própria é, a Lei Mística, e fazer desabrochar o valor chamado
revolução humana, o ato verdadeiramente mais difícil. Rengue, a flor de lótus. Ao mesmo tempo, significa também
criar sucessivamente esse tipo de pessoa para, assim,
Por outro lado, “o caminho de uma pessoa de
desabrochar a flor de lótus em si próprio e em todas as
coragem” se aplica também a uma pessoa que se levanta
pessoas. Em outras palavras, esse é o pensamento de uma
bravamente sentindo o coração do Buda, manifestando a
“escola do humanismo” e de uma “escola da criação de
verdadeira coragem. Este coração é o próprio espírito da
valores”.
SGI.
Discorrendo sobre essa frase, o presidente Ikeda afirma: “O O Myoho-rengue-kyo é uma Lei que visa à
ato de abandonar os ensinos superficiais e buscar o mais felicidade da forma verdadeiramente universal que pode ser
profundo requer coragem. Em termos de nossa atuação, esse aplicada a quaisquer pessoas do mundo. É por isso que o
ato denota a bravura dos que emergiram da Terra e avançam presente escrito contém a declaração da realização do
em direção ao Kossen-rufu. Não existe um modo de vida Kossen-rufu mundial. E, Daishonin fez esta declaração ao
mais profundo do que viver em prol da Lei Mística e de mundo a partir de Sado, uma ilha afastada do Japão, estando
perseverar na prática da fé. Por esta razão, desejo que ainda na condição de um exilado. Ele havia atingido um
mantenham uma vida de total dedicação ao Kossen-rufu, supremo estado de vida que fez emergir dentro de si a Lei
sem hesitação ou retrocesso. Não sejam covardes nem fracos universal, revelando-a sob a forma de Gohonzon.
a ponto de distorcerem suas próprias convicções por causa Notas: 1. Este escrito foi revisado e atualizado
do sucesso profissional, fama e posição, tão comuns na conforme The Writings of Nichiren Daishonin, vol. 1, págs.
sociedade. Uma existência parece ser longa, porém, é curta, 402-403. 2. Essência do capítulo “Surgimento da Torre de
passa num piscar de olhos. Exatamente por esse motivo, Tesouro”: Refere-se aos “seis atos difíceis e nove atos
quero que levem a cabo tudo que vocês forem capazes de fáceis” estabelecidos por Sakyamuni para demonstrar como
realizar, sem deixar arrependimentos, enquanto são jovens e será difícil abraçar o Sutra de Lótus na era maléfica após
numa época em que podem se empenhar dando o máximo de seu falecimento. 3. Passagem do 11o capítulo do Sutra de
si”. de-se dizer que simboliza a própria escola de Lótus, “Surgimento da Torre de Tesouro”. 4. Escola Lótus:
Sakyamuni, pois citando os “seis atos difíceis e nove atos Refere-se aos ensinos de Tient’ai, fundamentados no Sutra
fáceis”, elucidou às pessoas que viriam após a sua morte a de Lótus. Essa escola também indica os ensinos de
praticarem e a propagarem o Sutra de Lótus. Daishonin. 5. Trecho de Princípios Extraordinários do
Por outro lado, foi o Grande Mestre Tient’ai que, nos Sutra de Lótus, de Dengyo. Abreviações: WND - The
Médios Dias da Lei, propagou o Sutra de Lótus e manteve a Writings of Nichiren Daishonin. Escritos - Os Escritos de
“escola Lótus” na China, seguindo o coração de Sakyamuni. Nitiren Daishonin. END - As Escrituras de Nitiren
Da mesma forma, foi o Grande Mestre Dengyo quem Daishonin.
8

Sobre atingir o estado de Buda nesta existência


(Os Escritos de Nitiren Daishonin, vol. 1, pág. 1.)
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1944, PÁG. B5, 21 DE JUNHO DE 2008.

Se o senhor deseja livrar-se dos sofrimentos do direto à iluminação, o senhor não pode atingir o estado de
nascimento e da morte que tem suportado desde o tempo Buda, mesmo que pratique existência após existência por
sem início e atingir infalivelmente a suprema iluminação incontáveis kalpas(1). Dessa forma, atingir o estado de Buda
nesta existência, deve despertar para a verdade mística que nesta vida seria impossível. Portanto, quando o senhor ora
sempre existiu inerentemente em todos os seres vivos. Essa myoho e recita rengue,(2) deve ter a profunda fé de que o
verdade é o Myoho-rengue-kyo. Recitar Myoho-rengue-kyo Myoho-rengue-kyo é sua própria vida. (...) A mente que se
o possibilitará compreender a verdade mística inata em toda encontra encoberta pela ilusão da escuridão inata da vida é
vida. (...) Contudo, mesmo que recite e acredite no Myoho- como um espelho embaçado, mas quando for polida, é certo
rengue-kyo, se pensa que a Lei existe fora de seu coração, o que se tornará como um espelho límpido, refletindo a
senhor não está abraçando a Lei Mística, mas um ensino natureza essencial dos fenômenos e da realidade. Manifeste
inferior. “Ensino inferior” refere-se a outros ensinamentos uma profunda fé polindo seu espelho dia e noite. Como deve
além deste sutra (Sutra de Lótus), que são todos meios e poli-lo? Não há outra forma senão devotar-se à recitação do
provisórios. Nenhum desses meios ou ensinos provisórios Nam-myoho-rengue-kyo.
nos conduz diretamente à iluminação e, sem um caminho

Resumo e cenário histórico


Esta carta foi escrita no sétimo ano de Kentyo, em iluminação nesta vida. Nam-myoho-rengue-kyo, Nam-
1255, por Nitiren Daishonin quando estava com 33 anos de myoho-rengue-kyo”, esclarecendo, assim, que o mais
idade e endereçada a Toki Jonin. importante no seu budismo é a prática da fé que busca a
realização da iluminação.
Daishonin estabeleceu o seu budismo em 1253.
Portanto, essa carta foi redigida dois anos depois, época em Em síntese, o budismo é uma Lei inerente à vida
que ele iniciou a propagação em Kamakura. Nela, ele ensina que leva as pessoas a viverem corretamente. Portanto, o teor
o significado do Daimoku de Nam-myoho-rengue-kyo. Por principal desta carta se refere ao fato de que as pessoas se
volta dessa época, várias pessoas se converteram ao tornam capazes de atingir infalivelmente a iluminação desde
Budismo Nitiren tais como Shijo Kingo, Irmãos Ikegami, que recitem o Nam-myoho-rengue-kyo com a convicção de
Kudo Yoshitaka e outros. Entre eles, o primeiro a se tornar que é uma Lei existente em seu interior.
discípulo de Daishonin foi Toki Jonin, em 1254. Se o senhor deseja livrar-se dos sofrimentos do
Toki Jonin servia ao lorde Tiba, autoridade da nascimento e da morte que tem suportado desde o tempo
Província de Shimosa. Exercia a posição de secretário e sem início e atingir infalivelmente a suprema iluminação
administrador da família Tiba. Por ter uma boa formação nesta existência, deve despertar para a verdade mística que
intelectual, ele recebeu importantes escritos de Daishonin, sempre existiu inerentemente em todos os seres vivos. Essa
tais como “O objeto de devoção para a observação da verdade é Myoho-rengue-kyo. Recitar Myoho-rengue-kyo o
mente”, “A essência do Sutra de Lótus” e “Os quatro possibilitará compreender a verdade mística inata em toda
estágios da fé e os cinco estágios da prática.” vida.
Nessa carta que hora estudamos, Daishonin Nesta frase, Daishonin afirma que, para livrar-se
esclarece que o ato de recitar o Nam-myoho-rengue-kyo tem dos sofrimentos do nascimento e da morte, é preciso
como propósitos: despertar a percepção da verdade mística “despertar para a verdade mística”, isto é, recitar o Daimoku
inerente na vida das pessoas, purificar a mente, evidenciar o de Myoho-rengue-kyo.
estado de Buda e atingir a iluminação na presente existência. “Nascimento e morte sem início” indica o ciclo
Contudo, adverte que esses propósitos não se realizam infindável de nascimento e morte. No termo “sem início”
mesmo recitando Daimoku caso se busque a Lei fora de si está contido também o significado de “sem fim”. Enquanto
mesmo. Afirma também que a recitação do Nam-myoho- não se compreende o nascimento e a morte, o ciclo
rengue-kyo implantará benefícios e boa sorte na vida das infindável de existências torna-se uma repetição de
pessoas. E acrescenta que, uma vez que a recitação do sofrimentos insuportáveis. Por isso, o budismo considera
Daimoku serve para forjar a vida, todos devem se empenhar “nascimento e morte” como outro nome para sofrimento.
com profunda fé, sem negligenciar a recitação.
Após descrever o significado de que o Nam-myoho-
rengue-kyo é uma Lei inerente na própria vida, Daishonin A “suprema iluminação nesta existência” citada na
anota no final da carta: “Mantenha sua fé e atinja a frase refere-se à percepção alcançada pelo Buda que é aquele
9
que superou os sofrimentos do nascimento e da morte. A idiomáticas, cada qual sustentando a ordem em seu campo
presente existência em que nascemos como ser humano em específico.
meio a um ciclo infindável de vida e morte pode ser A lei básica que coordena todas essas leis e sustenta
considerado como oportunidade para interromper a repetição fundamentalmente todas as coisas é chamada de Lei Mística.
de sofrimentos, manifestando a mesma iluminação alcançada Como essa lei não é possível ser reconhecia e nem
pelo Buda. Para tanto, Daishonin afirma que é necessário compreendida facilmente, é chamada de “mística” dando a
perceber a verdade mística inerente em si mesmo. idéia de “misteriosa”. No seu significado está contido
A “verdade mística que sempre existiu também o sentido de “maravilhosa”.
inerentemente em todos os seres vivos” refere-se à lei básica No Daimoku que recitamos, a Lei Mística é a sua
do Universo que sustenta todas as coisas. O Buda atingiu a essência. Pelo fato de a Lei Mística sustentar o nosso mundo,
iluminação percebendo que a essência de sua vida se todas as pessoas também são sustentadas por ela. Na
encontrava nessa lei. verdade, ela existe originalmente na vida das pessoas. É por
A palavra “mística” do termo “verdade mística” é utilizada essa razão que Nitiren Daishonin se utiliza da expressão
por se tratar de uma verdade que não é visível, de difícil “sempre existiu inerentemente em todos os seres vivos”.
conscientização e de compreensão. Portanto, essa “verdade
mística” indica a própria Lei Mística que é a lógica racional Além disso, Daishonin faz uma afirmação
e o princípio fundamental que rege o Universo e sustenta extraordinária de que qualquer pessoa, durante o curso de
todas as coisas. A palavra “lei” no budismo origina-se da sua vida como ser humano, poderá se libertar do ciclo de
palavra “dharma” da Índia, e possui o significado de sofrimentos de nascimento e da morte ao perceber essa
“sustentar”. Na sociedade, existem, por exemplo, legislações verdade mística em si mesma.
que “sustentam” a ordem do trânsito, a ordem das transações Dessa forma, Daishonin afirma que as pessoas são capazes
comerciais etc. E, a lei maior que sustenta todas essas de realizar aquilo que normalmente nas religiões é reservado
legislações específicas é chamada de Constituição. Portanto, apenas para pessoas especiais. Declara ainda que é possível
a lei possui a força de sustentar a ordem e o valor numa realizá-lo durante o curso de sua presente vida. Portanto, a
sociedade. Além dessas leis criadas pelos homens, existem primeira frase desse escrito de Daishonin contém a
também as leis físicas, biológicas, sociais e as normas apresentação de uma extraordinária religião.

Significados de Myoho-rengue-kyo
Outro aspecto extraordinário é a afirmação de que “Essa verdade mística inerente em todos os seres. Ele diz: “Em ‘Sobre
verdade é Myoho-rengue-kyo” em que Daishonin dá nome a essa atingir o estado de Buda nesta existência’, conforme indicado pela
lei fundamental. Faz ainda uma afirmação surpreendente na frase passagem, ‘a verdade mística que sempre existiu inerentemente em
“Recitar Myoho-rengue-kyo o possibilitará compreender a verdade todos os seres vivos é Myoho-rengue-kyo’, Daishonin afirma
mística inata em toda vida.” claramente que essa verdade mística que constitui a Lei
fundamental do Universo não é outra senão Myoho-rengue-kyo. O
Sakyamuni percebeu a Lei Mística por meio de sua
termo ‘Myoho-rengue-kyo’ já existia antes, pois era o título do
sabedoria e ensinou para seus discípulos o exercício budista para se
Sutra de Lótus. Mas Daishonin foi o primeiro a identificar Myoho-
obtê-la.
rengue-kyo como o nome do princípio do ‘verdadeiro aspecto de
Em contrapartida, Daishonin afirma que se deve recitar o todos os fenômenos’ que, conforme ensina o Sutra de Lótus, é a
Nam-myoho-rengue-kyo no sentido de expressar a crença de que profunda sabedoria de todos os budas”. (Terceira Civilização [TC],
essa lei existe dentro de si e, ao mesmo tempo, de comprovar essa edição no 461, janeiro de 2007, pág. 45.)
fé. Portanto, recita-se o Nam-myoho-rengue-kyo com a postura de
Em um outro trecho da mesma explanação, o presidente
fé de que “eu estou vivendo com base nessa lei.”
Ikeda afirma: “Em outras palavras, recitar Daimoku também é
A frase “Recitar Myoho-rengue-kyo o possibilitará manifestar nosso estado de Buda inato. É o caminho direto para
compreender a verdade mística inata em toda vida” indica que o ato evidenciar essa condição incomparável de vida. A sabedoria e a
de recitar Daimoku equivale à percepção da verdade mística, benevolência do Buda que emergem com a prática do Daimoku,
estabelecendo-se assim a religião de Daishonin. Com a recitação do enriquecem e enchem de felicidade tanto a nossa vida como a de
nome desta lei, chamada Myoho-rengue-kyo, qualquer pessoa outras pessoas. Conforme mais e mais pessoas recitam Daimoku
poderá perceber a verdade mística dentro de si mesma e conduzir pela felicidade de si e dos outros, será possível criar uma aliança de
sua vida com base nessa percepção. O Budismo de Nitiren indivíduos comprometidos, cuja vida resplandece com a
Daishonin é extraordinário por ter descoberto esse caminho. benevolência do estado de Buda, capazes de mudar até mesmo o
Até então, devido à dificuldade de compreensão da Lei Mística, ela destino da humanidade”. (Ibidem.)
veio sendo exposta por meio de parábolas ou demonstrando o
Contudo, mesmo que recite e acredite no Myoho-rengue-
quanto é maravilhosa a figura do Buda que percebeu essa lei, para
kyo, se pensa que a Lei existe fora de seu coração, o senhor não
assim, procurar despertar o espírito de procura por ela. Entretanto,
está abraçando a Lei Mística, mas um ensino inferior. “Ensino
de forma totalmente diferente, Daishonin abriu o caminho para
inferior” refere-se a outros ensinamentos além deste sutra (Sutra
revelar a verdade mística no interior da própria vida por meio da
de Lótus), que são todos meios e provisórios. Nenhum desses meios
recitação com fé do nome desta lei.
ou ensinos provisórios nos conduz diretamente à iluminação e, sem
Num trecho de uma explanação do presidente da SGI, um caminho direto à iluminação, o senhor não pode atingir o
Daisaku Ikeda, sobre esse escrito, podemos rever claramente os estado de Buda, mesmo que pratique existência após existência por
significados da recitação do Daimoku do Myoho-rengue-kyo, a incontáveis kalpas. Dessa forma, atingir o estado de Buda nesta
10
vida seria impossível. Portanto, quando o senhor ora myoho e O pensamento de que “a Lei Mística existe fora do seu
recita rengue, deve ter a profunda fé de que o Myoho-rengue-kyo é coração” acaba, no final das contas, desdenhando as pessoas do
sua própria vida. povo e, menosprezando a luta de salvar cada uma delas. Acaba
expondo apenas os aspectos de formalidades religiosas e das
Nesta frase, Daishonin nos ensina que se pensarmos que o
necessidades para a manutenção e o sustento do autoritarismo dos
Myoho-rengue-kyo existe fora de nós próprios, será impossível
clérigos. Portanto, a frase desse escrito é também uma refutação a
atingirmos o estado de Buda nesta existência. Por este motivo,
esses vícios das religiões.
deve-se recitar o Daimoku manifestando uma profunda fé de que o
Myoho-rengue-kyo é o nome dado à nossa própria vida e ao mesmo Sob o ponto de vista da nossa prática budista, essa frase
tempo representa cada momento dessa vida. Assim, Daishonin nos proporciona a convicção de que “seremos felizes sem falha” e
afirma que a recitação do Daimoku com esta consciência possibilita “atingiremos com certeza a iluminação nesta existência” com a
a iluminação na presente existência. dedicada recitação do Daimoku. Além disso, fora o objetivo por
nossa própria felicidade, praticamos, de forma espontânea e
A frase “... se pensa que a Lei existe fora de seu coração”
altruística, acalentando o desejo de que todos os nossos amigos
indica o pensamento de que o budismo existe fora da sua vida. Esse
também sejam felizes.
modo de pensar é, por exemplo, o de interpretar que sua própria
vida, de um mortal comum, é algo insignificante e miserável, Embora possa parecer fácil, trata-se de uma tarefa
enquanto que o dos budas e dos bodhisattvas é extraordinária. À verdadeiramente difícil. A grandiosidade da Soka Gakkai e da SGI
primeira vista, esse tipo de pensamento pode aparentar uma encontra-se exatamente em ter persistido nessa realização desde o
profunda fé. Porém, na verdade, é um pensamento que deprecia a início até os dias de hoje.
nossa própria vida, considerando-a como algo totalmente diferente
A mente que se encontra encoberta pela ilusão da
da dos budas e bodhisattvas. Portanto, acaba considerando o
escuridão inata da vida é como um espelho embaçado, mas quando
Myoho-rengue-kyo, o nome da iluminação do Buda ou o próprio o
for polida, é certo que se tornará como um espelho límpido,
nome da vida do Buda como algo sem nenhuma relação com a
refletindo a natureza essencial dos fenômenos e da realidade.
nossa vida.
Manifeste uma profunda fé polindo seu espelho dia e noite. Como
Um exemplo prático deste tipo de pensamento é a da deve poli-lo? Não há outra forma senão devotar-se à recitação do
Terra Pura. Na seita Terra Pura se acredita num buda residente em Nam-myoho-rengue-kyo.
um paraíso a oeste do Universo que recebe as pessoas no instante
Nesta frase, citando a analogia do espelho, Daishonin
de sua morte. Assim, não só acredita que o buda não existe dentro
elucida que a recitação do Daimoku é um exercício budista para
da própria vida como também que ele não se encontra no mundo
polir a vida. Em sua explanação a respeito dessa analogia, o
saha, ou seja, nesse mundo real. Portanto, essa é uma crença de que
presidente Ikeda escreve: “A metáfora do espelho é, de fato,
os budas e bodhisattvas não têm nenhuma relação com as pessoas
inspiradora. O espelho, que tem a propriedade de refletir objetos,
desse mundo real.
corresponde à nossa vida, dotada da verdade mística. Mas, se o
As religiões têm a tendência de se basear em um ser absoluto
espelho não for limpo e polido, naturalmente ficará embaçado. Na
distante das pessoas comuns. Assim, acabam se tornando crentes
época de Daishonin, os espelhos eram feitos de bronze, um material
que adoram e buscam a salvação nesse ser absoluto.
muito fácil de manchar e perder o brilho. Quando um espelho fica
Uma outra conseqüência deste tipo de pensamento é a de sujo, não pode cumprir sua função original. Por isso, ele precisa ser
considerar os clérigos como sendo as pessoas mais próximas dos polido regularmente. Do mesmo modo, se nos descuidarmos ou
deuses e budas e, portanto, com o poder de servir de intermediárias agirmos com negligência, nossa vida será encoberta pela
entre as pessoas comuns e os seres absolutos. Cria-se assim, um ignorância. É isso o que Daishonin quis dizer com a analogia do
conceito de que os clérigos são mais importantes que os leigos em espelho. A ação de polir é indispensável para restaurar a
uma clara discriminação das pessoas do povo. Na verdade, essa é a propriedade intrínseca do espelho. Mas não basta poli-lo uma única
real natureza da seita Nikken e é também uma atitude que equivale vez. Devemos fazê-lo regularmente, se quisermos conservar sua
a “pensar que a Lei existe fora de seu coração.” propriedade refletora. Como essa metáfora mostra, a recitação do
Daishonin afirma nesse escrito que, caso se recite o Daimoku com Daimoku é uma prática para extrair o brilho de nossa vida, remover
esse tipo de pensamento, é como se não o tivesse recitado, e que o ‘pó da ignorância’ e intensificar a luz de nossa natureza iluminada
essa não é a Lei para a iluminação na presente existência. Assim, do Darma”. (Terceira Civilização, edição no 464 , abril de 2007,
essa revelação contida logo nos primeiros escritos de Daishonin já é pág. 41.)
uma clara refutação à seita Nikken.
Nesse exemplo, o espelho em si é o mesmo, antes e
A Soka Gakkai, desde a época do presidente Makiguti, depois de ser polido, ele não se transforma em algum outro objeto.
entendeu claramente que o budismo se refere a si próprio, à Porém, o que muda radicalmente é a sua funcionalidade. De forma
iluminação das pessoas do povo e à paz desse mundo real, tendo análoga, a prática do Gongyo e Daimoku não nos transforma em
como base a prática da fé da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo. outra pessoa. Na verdade, o que muda são as funções e as
É por este motivo que o Kossen-rufu veio se desenvolvendo manifestações de nossa vida que se purifica por meio dessa prática
progressivamente. budista.
Daishonin quebrou a tendência ao autoritarismo e a O que torna a vida sem brilho como se estivesse
centralização nos clérigos comumente encontrados nas religiões, encoberta pelas nuvens é a escuridão ou a ilusão fundamental. Essa
fundamentando-se no princípio filosófico do Sutra de Lótus de que escuridão se refere fundamentalmente à ignorância da Lei Mística.
todas as pessoas podem se tornar Budas. Visando essa verdadeira É por desconhecer a Lei Mística que a vida se torna desequilibrada,
reforma religiosa, Daishonin estabeleceu a doutrina centralizada no dominada e controlada por uma impulsividade obscura,
Daimoku de Nam-myoho-rengue-kyo. O presente escrito apresenta ocasionando a infelicidade. Portanto, a escuridão fundamental se
essa doutrina central de Daishonin, revelando o significado do encontra na raiz das diversas infelicidades e sofrimentos.
Daimoku na prática, enfatizando a idéia de “não pensar que a Lei
Assim, ao compreendermos a Lei Mística, essa escuridão
Mística existe fora do seu coração”. Esse é um ponto extremamente
desaparece imediatamente. Se fizermos uma analogia da Lei
importante para ultrapassar a tendência cármica das religiões, de
Mística com o sol, a escuridão inata seria comparável às nuvens
cultivarem o formalismo e o autoritarismo.
11
escuras que o encobrem. Quando as nuvens escuras se dispersam, Gohonzon, como a comprovação dessa fé, corresponde à “prática”,
os raios do sol surgem imediatamente. Da mesma forma, ao isto é, a prática da recitação do Daimoku.
rompermos à ilusão fundamental, a força da Lei Mística começa a
Além disso, como comprovação da “fé”, surge
agir imediatamente sobre a nossa vida, fazendo manifestar diversos
naturalmente o sentimento de não restringir a maravilhosa vida do
benefícios e funções de valor. A manifestação dessas diversas
Myoho-rengue-kyo somente para si. E, assim se manifesta a
formas de benefícios e valores é exemplificada como rengue — a
“prática altruística” do sincero desejo de “querer ensinar esta Lei
flor de lótus. Essa vida que corporificou a Lei Mística é o próprio
para outras pessoas”. Trata-se do Daimoku da prática individual e
Myoho-rengue-kyo.
altruística, de que “eu vou recitar e ensinar às outras pessoas”.
Por outro lado, apesar de todos os seres vivos serem a Em relação à recitação do Daimoku como exercício para polir a
entidade da Lei Mística e sua vida estar dotada originalmente do nossa vida, podemos destacar dois pontos de fundamental
estado de Buda, se não lutarem para dispersar as nuvens espessas da importância. O primeiro é, conforme orientação do presidente
“escuridão inata”, o estado de Buda não surgirá de fato. Cabe Ikeda, “manifestar uma profunda fé em nossa vida”. Em outras
ressaltar que não se trata de uma simples recitação do Daimoku palavras, significa manifestar o “espírito de luta contra a escuridão
como se fosse um mantra ou uma palavra mágica. Esse Myoho- inata”. O segundo ponto, conforme a frase “Manifeste uma
rengue-kyo expressa a Lei fundamental do Universo. A profunda fé polindo seu espelho dia e noite”, o importante é uma
grandiosidade do Budismo de Daishonin se encontra no fato de ter séria e dedicada “continuidade”. Estes dois pontos equivalem aos
estabelecido o exercício budista da recitação do nome dessa Lei. dois aspectos da prática do Daimoku citados por Nitikan Shonin
Porém, esse exercício só se torna válido quando a pessoa que recita referenciando o termo “yu-myo sho-jin” (corajoso e ininterrupto)
o Daimoku se empenha dedicadamente para dispersar a escuridão constante nos capítulos “Meios” e “Surgimento da Torre de
inata de sua vida. Como essa escuridão é a ilusão interna da mente, Tesouro” do Sutra de Lótus. O termo “yu-myo” (corajoso)
deve-se travar no seu íntimo uma verdadeira batalha que, em outras corresponde ao Daimoku bravo e destemido que se baseia no poder
palavras, é a própria fé. da fé e, “shojin” (ininterrupto) à prática do Daimoku dedicada com
pureza e de forma ininterrupta.
Com base no Sutra de Lótus que expressa a iluminação
do Buda, Daishonin revelou o Myoho-rengue-kyo em sua própria Na explanação sobre este escrito, o presidente Ikeda
vida, e o reafirmou em meio à sua luta. Portanto, para evidenciar afirma: “Com relação à recitação do Daimoku, o primeiro ponto
essa vida do Buda chamada Myoho-rengue-kyo, é necessário fundamental é ter espírito de desafio e agir com coragem. Isso
“recitá-la” da mesma forma como fez Daishonin. Em outras significa manifestar uma profunda fé em nossa vida, tal como
palavras, a base deve ser a “fé” e “o espírito de luta contra a ensinam as palavras de Daishonin, acreditando firmemente que
escuridão inata”. O Daimoku propagado por Daishonin é “o podemos evidenciar a verdade mística que existe em nós e atingir a
Daimoku de luta”. iluminação nesta existência, sem falta. Significa também enfrentar
com coragem os Três Obstáculos e as Quatro Maldades que tentam
A escuridão inata se manifesta de diversas formas, tais
nos impedir de recitar o Daimoku. Precisamos nos desafiar, ter um
como dúvida, insegurança e desejos mundanos; a única força capaz
espírito destemido, incansável e inabalável para enfrentarmos os
de rompê-las é a “fé”. Há uma frase que diz: “denomina-se fé a não
obstáculos e superá-los sempre que se levantarem contra nós. É
existência da dúvida”.
justamente por meio desse desafio que vencemos a ignorância e
Daishonin afirma: “A excelente espada que combate a polimos nossa vida”. (Terceira Civilização, edição no 464, abril de
escuridão fundamental chama-se fé”. (Gosho Zenshu, pág. 751.) 2007, pág. 41.)
Esta “espada que combate a escuridão fundamental” deve ser
Em relação à importância da continuidade da prática do
“afiadíssima”. A luta contra diversas forças da maldade que tentam
Daimoku, o presidente Ikeda expõe: “A perseverança também é
obstruir o movimento do Kossen-rufu a começar pela seita Nikken,
vital. Para atingir o estado de Buda nesta existência, é preciso
fundamentalmente, é também o combate contra a escuridão
persistência. Daishonin diz: ‘Aceitar é fácil; manter é difícil. No
fundamental. A luta contra as diversas dificuldades que surgem em
entanto, o estado de Buda encontra-se justamente na continuidade
nossa vida, na sua essência, é também o combate contra a
da fé’. (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. 1, pág. 279). Em
escuridão.
‘Sobre atingir o estado de Buda nesta existência’ percebemos a
Quando se perde a fé na Lei Mística, isto é, a grande importância da continuidade, a partir da ênfase que
determinação de “atingir sem falta à iluminação”, de “ser feliz, haja Daishonin atribui a praticar ‘dia e noite’ e ‘diligentemente’. Manter
que houver”, de “realizar sem falta o Kossen-rufu”, acabará sendo uma prática incessante de recitação de Daimoku é um requisito
derrotado tanto pelos obstáculos e maldades que surgem no fundamental para atingir o estado de Buda”. (Terceira Civilização,
caminho do Kossen-rufu como também pelas dificuldades da vida edição no 464, abril de 2007, pág. 41.)
diária. Esse tipo de “fé” é o que está contido na frase “devotar-se à
Termos de denominações: Kalpa: Também denominado
recitação do Nam-myoho-rengue-kyo”.
aeon. Um período de tempo extremamente longo proveniente da
Diz-se que existe o “Daimoku da fé” e o “Daimoku da antiga tradição da Índia. “Ora myoho e recita rengue”: Significa
prática”. A “fé” é necessária para criar a ação interna da mente, isto recitar o Daimoku da Lei Mística, ou Nam-myoho-rengue-kyo.
é, a batalha interior. E a recitação do Nam-myoho-rengue-kyo ao
12

O Tambor no Portal do Trovão


(As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. 6, pág. 97.)
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1945, PÁG. B1, 28 DE JUNHO DE 2008.

Aqueles que fazem oferecimentos ao Sutra de Lótus até aqui para me visitar em seu lugar. Com certeza, o Sutra
receberão o mesmo benefício que se o fizessem a todos os de Lótus, Sakyamuni, Muitos Tesouros e os budas das dez
budas e bodhisattvas das dez direções, pois todos os budas direções sabem de sua dedicação. Por exemplo, embora a
das dez direções originam-se do único caractere myo. Lua esteja numa distância de quarenta mil yojanas da Terra,
Suponha que um leão tenha cem filhotes. Quando um leão vê seu reflexo aparece instantaneamente em um lago aqui, e o
seus filhotes sendo atacados por outros animais ou aves de som de um tambor no Portal do Trovão(3) pode ser ouvido,
rapina, ele solta o seu rugido, com isso, os cem filhotes se na mesma hora, numa distância de mil a dez mil ri. Apesar
sentirão encorajados, e as cabeças dos outros animais e aves de a senhora permanecer em Sado, seu coração veio até esta
serão partidas em sete pedaços. O Sutra de Lótus é como o província. O meio para se atingir o estado de Buda é
rei leão, o líder de todos os outros animais. Uma mulher que exatamente da mesma forma. Apesar de habitarmos uma
abraça o rei leão do Sutra de Lótus jamais teme quaisquer terra impura, nosso coração reside na terra pura do Pico da
das bestas do inferno ou dos mundos dos espíritos famintos e Águia. O simples fato de nos olharmos pessoalmente seria
dos animais. (...) A jornada da Província de Sado até esta insignificante. O coração é o que importa. Algum dia, vamos
província leva mil ri(2) cruzando o mar e as montanhas. nos encontrar no Pico da Águia, onde o Buda Sakyamuni
Como uma mulher, a senhora manteve firme sua fé no Sutra habita.
de Lótus e, por várias vezes durante anos, enviou seu marido

Resumo e cenário histórico


Nitiren Daishonin escreveu essa carta em Minobu e myoho-rengue-kyo, possui o poder de transformar o veneno
a enviou à monja leiga Senniti, esposa de Abutsu-bo, que em remédio; e as ofensas passadas, em fontes de benefício e
vivia na Ilha de Sado. Após Nitiren Daishonin ter mudado de boa sorte. Em seguida, Daishonin descreve o momento da
Kamakura para o Monte Minobu, o marido da monja leiga morte e incentiva Senniti, uma mulher já em idade avançada,
viajou de Sado a Minobu, pelo menos três vezes, para visitá- a fortalecer ainda mais sua fé no Sutra de Lótus.
lo a pedido de sua esposa. Na última parte, Daishonin expressa admiração pela
Nessa carta, Daishonin louva Senniti por sua fé e pelo espírito de procura de Senniti, que possibilitaram
sinceridade em enviar-lhe oferecimentos de tão longe e seu marido a percorrer todo o caminho de Sado a Minobu.
explica os benefícios resultantes de sinceros oferecimentos. Apesar de a monja leiga não poder visitar Daishonin, ele diz:
Em seguida, declara que o Sutra de Lótus é o ensino “Seu coração veio até esta província”. E complementa
supremo, revelando que todos os budas atingiram a afirmando que “o coração é o que importa”, explicando que
iluminação por meio desse sutra. E que, pelo Sutra de Lótus os seguidores do Sutra de Lótus, ou Nam-myoho-rengue-
ser a fonte de todos os budas, o ato de fazer oferecimentos a kyo, embora habitem o mundo secular, podem desfrutar de
esse sutra produz os mesmos benefícios que fazer imensa felicidade sem terem de ir a outros lugares para
oferecimentos a todos os budas do Universo. Explica encontrá-la.
também, que o Sutra de Lótus, a Lei suprema do Nam-

Explanação dos tópicos


Aqueles que fazem oferecimentos ao Sutra de Lótus receberão o mesmo benefício que se o fizessem a todos os budas e
bodhisattvas das dez direções, pois todos os budas das dez direções originam-se do único caractere myo. Suponha que um leão
tenha cem filhotes. Quando um leão vê seus filhotes sendo atacados por outros animais ou aves de rapina, ele solta o seu rugido,
com isso, os cem filhotes se sentirão encorajados, e as cabeças dos outros animais e aves serão partidas em sete pedaços. O Sutra
de Lótus é como o rei leão, o líder de todos os outros animais.
Uma mulher que abraça o rei leão do Sutra de Lótus jamais teme quaisquer das bestas do inferno ou dos mundos dos
espíritos famintos e dos animais.
13
Se compreendermos essas palavras de presidente todos os budas das dez direções e três existências. Desde o
Ikeda no fundo do coração, podemos afirmar que infinito passado até o infinito futuro, haverão de surgir
compreendemos perfeitamente
Os ilimitados benefícios o significado
resultantes dessa passagem
dos oferecimentos ao Sutra de incontáveis
Lótus Budas nesse Universo. Esses incontáveis Budas,
do escrito. sem exceção, atingirão a iluminação tendo o Sutra de Lótus
Os benefícios resultantes dos oferecimentos ao como seu mestre. Sendo assim, fazer oferecimentos ao Sutra
Sutra de Lótus são infindáveis e podemos transpor qualquer de Lótus equivale ao ato de fazer oferecimentos a todos os
que seja o obstáculo ou a maldade. Portanto, é de suma Budas. Portanto, com certeza, esse benefício é ilimitado.
importância possuir essa profunda convicção. Se tiver essa De acordo com a visão sobre o mundo da época, o
convicção, não há absolutamente nada a temer. Então, o que Japão não passava de uma pequena ilha no extremo leste do
significa “nada a temer”? mundo. E, em uma remota península no seu lado norte,
Nessa carta, Daishonin esclarece que não chamada Sado, morava uma mulher desconhecida, de idade
precisamos temer o destino e nem mesmo a morte. avançada, praticando esse budismo. Essa era a monja leiga
Aprofundar essa convicção é o foco principal do estudo Senniti. Porém, quão nobre e grandioso foi o coração de
dessa carta. Senniti de querer proteger Daishonin, o devoto do Sutra de
Lótus, ou seja, o sentimento de proteger o mestre do Kossen-
Em seguida, qual é o significado de “fazer
rufu. Certamente, Daishonin quis louvar ao máximo, do
oferecimentos ao Sutra de Lótus”?
fundo do coração, esse sublime sentimento.
Existem dois tipos de oferecimentos: o
Fazer oferecimentos ao Sutra de Lótus equivale a
oferecimento à Lei e o oferecimento material.
fazer oferecimentos a todos os budas e bodhisattvas das três
O oferecimento à Lei corresponde à ação de existências e dez direções. Conseqüentemente, todos os
propagar o Sutra de Lótus; à ação de comprovar e colocar budas e bodhisattvas das três existências e dez direções irão
em prática o Sutra de Lótus. proteger aquele que faz sinceros oferecimentos. Sendo
O oferecimento material corresponde a realizar assim, essa pessoa jamais cairá num impasse. Portanto, não
doações necessárias para a promoção do Kossen-rufu. há nada com que nos preocupar. Tanto em vida como na
morte, poderemos desfrutar, eternamente, de uma
De toda forma, em ambos os tipos, a “sinceridade” extraordinária e ilimitada condição de vida tão vasta quanto
tal como a de Senniti-ama é o ponto mais importante. o Universo.
“Manifestar a sinceridade” — eis a essência do ato de se

Os benefícios do “caractere Myo” — os três significados do Myo


Nessa carta consta: “todos os budas das dez direções originam-se do único caractere myo”.
Esse “único caractere myo”, corresponde ao caractere myo de Myoho, ou seja, Lei Mística, e é também o caractere myo
de Nam-myoho-rengue-kyo.
Nos vinte e oito capítulos do Sutra de Lótus estão reveladas inúmeras leis e princípios. Porém, ao final das contas, todas
essas leis e princípios são para expressar, ensinar e transmitir esse myo. Sendo que, aquele que incorporou em si esse myo é
chamado de Buda. Portanto, o Sutra de Lótus é o mestre de todos os budas.
O Nam-myoho-rengue-kyo dos Três Grandes Ensinos Fundamentais que Daishonin revelou e propagou para toda a
humanidade dos Últimos Dias da Lei é a grande Lei que possibilita a todas as pessoas conquistarem o poder desse “único caractere
myo”.
No escrito “O Daimoku do Sutra de Lótus”, Daishonin elucida os “Três significados do myo” que são: “Abrir” (Kai no
gui), “Perfeito e repleto” (Soku Enman no gui) e “Reviver” (Sosei no gui).
Os três significados do myo podem ser sintetizados a partir da explanação do presidente Ikeda sobre “O tambor no portal
do trovão” (ibidem.):

1- “Myo significa abrir”


“O caractere myo significa abrir” (Os Escritos de Nitiren Daishonin [Escritos], vol. 2, pág. 185). O Sutra de Lótus é a
chave que abre o repositório de todos os sutras. Por meio do Sutra de Lótus é possível contemplar o tesouro contido nos demais
sutras.

2- “Myo significa perfeito e repleto”


“Myo significa totalmente imbuído que, por sua vez, quer dizer ‘perfeito e repleto’.” (Ibidem, págs. 187-188). Uma única
jóia dos desejos, embora em tamanho inferior a uma semente de mostarda, tem a capacidade de fazer chover tesouros tão
14
numerosos quanto os concedidos por todas as jóias dos desejos. Fazendo outra analogia, as plantas e flores florescem quanto o sol
irradia seu brilho sobre elas. Da mesma forma, em um único caractere do Sutra de Lótus estão contidos incontáveis ensinos e
benefícios.

3- “Myo significa reviver”


“Myo significa reviver, ou seja, retornar à vida.” (Ibidem, págs. 197-198). Mesmo aqueles que eram considerados
incapazes de atingir o estado de Buda puderam reviver e alcançar a iluminação graças ao Sutra de Lótus. A Lei Mística é o ensino
perfeito e repleto que originalmente contém todos os outros sutras e é capaz de despertar e abrir o valor intrínseco de todas as
coisas. Sendo assim, mesmo aqueles que se encontram num impasse, é possível fazê-los reviver e atingir a iluminação.
Ao recitarmos o Daimoku do Nam-myoho-rengue-kyo sob os aspectos da prática individual e da prática altruística,
podemos manifestar o poder desse “único caractere myo”, de forma concreta em nossa vida. Quão extraordinário é esse budismo!
O nosso exercício budista existe justamente para incorporarmos esse “caractere myo” em nossa vida. As atividades em
prol do Kossen-rufu também são empreendidas com essa finalidade. Quando avançamos em prol do Kossen-rufu com a
determinação de “não poupar a própria vida (Fushaku shinmyo)”, conseguimos conquistar os benefícios do “caractere myo”,
inteiramente em nossa vida.

“Uma mulher que abraça o rei leão do Sutra de Lótus”


Na passagem que se inicia com a analogia “Suponha absolutamente nada a temer.
que um leão tenha cem filhotes”, Daishonin elucida a forma
Em relação a esse incentivo de Daishonin a Senniti-
como surgem os ilimitados benefícios dos oferecimentos ao
ama, o presidente Ikeda comenta o seguinte ao explanar esse
Sutra de Lótus.
escrito: “Podemos considerar essa passagem como uma menção
Nesse trecho, Daishonin compara o Sutra de Lótus que sobre a extraordinária força da prática da fé das mulheres. Em
contem o ilimitado poder do caractere myo ao “rei leão”. Da outras palavras, ao contrário dos homens que tendem a pensar
mesma forma, Daishonin declara que aqueles que abraçam o nos seus interesses, a mulher, por ter comparativamente pouco a
Sutra de Lótus e fazem oferecimentos são como os “filhos do perder, tem elevada capacidade de perceber a ilimitada força da
leão”. Ele compara também a infeliz condição de vida de Lei Mística por meio do ensino e do caráter do mestre. Essa
inferno, fome e animalidade com as bestas do mundo do crença gera a condição essencial da prática da fé de ‘não
inferno. duvidar e nada temer’. A mulher que consegue adquirir essa
condição inabalável da fé jamais será derrotada pelas funções
O rugido de um leão, ao ver seus filhotes sendo
malignas. As mulheres possuem a sabedoria para discernir de
atacados por outros animais ou aves de rapina, é capaz de
imediato o certo do errado. Elas possuem a coragem essencial
encorajar cem filhotes a ponto de fazê-los derrubar e vencer
para derrubar os três venenos da avareza, ira e estupidez.
esses animais. Igualmente, aqueles que fazem oferecimentos ao
Possuem a benevolente determinação de desenvolver todas as
Sutra de Lótus conseguem adquirir a imensurável força do
coisas do Universo. Um coração determinado, imbuído de
“caractere myo” e ultrapassar os infortúnios da condição de vida
sabedoria, coragem e benevolência surge ao ser inspirado pela
de inferno, fome e animalidade.
conduta do mestre que despertou para a suprema Lei. Essa
Daishonin incentiva Senniti-ama encorajando-a com mulher jamais será influenciada pelas funções sutis e malignas
as seguintes palavras: “Uma mulher que abraça o rei leão do da maldade. O Sr. Toda sempre dizia que: ‘Se a realização do
Sutra de Lótus jamais teme quaisquer das bestas do inferno ou Kossen-rufu será uma realidade ou não, dependerá da atuação
dos mundos dos espíritos famintos e dos animais”. das mulheres’. Para uma mulher que conheceu a ‘maior das
Nessa passagem, Daishonin se refere especialmente a alegrias’, nada poderá obstruir o seu caminho. É exatamente o
“uma mulher”. Na época, devido a uma sociedade de samurais aspecto dessa mulher revigorada que inspirará o coração de
totalmente centralizada nos homens, a mulher vivia em geral outras mulheres”. (Revista Daibyakurengue, edição de setembro
numa condição vulnerável e o seu coração era facilmente de 2007.)
influenciado pelas diversas circunstâncias de intranqüilidade. A jornada da Província de Sado até esta província
De fato, parecia comum às mulheres derramarem lágrimas pelos leva mil ri(2) cruzando o mar e as montanhas. Como uma
infortúnios da vida. mulher, a senhora manteve firme sua fé no Sutra de Lótus e,
Provavelmente, Senniti como uma pessoa central entre por várias vezes durante anos, enviou seu marido até aqui para
os praticantes da Ilha de Sado, ouvia as vozes dessas mulheres me visitar em seu lugar. Com certeza, o Sutra de Lótus,
que sofriam com problemas de família, de doença, de velhice Sakyamuni, Muitos Tesouros e os budas das dez direções sabem
etc. Podemos crer que Senniti pedia orientações a Daishonin a de sua dedicação. Por exemplo, embora a Lua esteja numa
respeito desses problemas. distância de quarenta mil yojanas da Terra, seu reflexo aparece
instantaneamente em um lago aqui, e o som de um tambor no
Embora não se saiba ao certo se os problemas eram Portal do Trovão(3) pode ser ouvido, na mesma hora, numa
dela ou de outras pessoas, ao perceber uma sensível mudança no distância de mil a dez mil ri. Apesar de a senhora permanecer
coração de Senniti, Daishonin encoraja-a declarando que para a em Sado, seu coração veio até esta província.
mulher que abraça o Sutra de Lótus, o sutra do rei leão, não há
O meio para se atingir o estado de Buda é exatamente
15
da mesma forma. Apesar de habitarmos uma terra impura, encontrar ou não com uma pessoa. O importante é “com que
nosso coração reside na terra pura do Pico da Águia. O sentimento” a pessoa se encontra e efetivamente “o quê está
simples fato de nos olharmos pessoalmente seria insignificante. fazendo”.
O coração é o que importa. Algum dia, vamos nos encontrar no
Em sua explanação desse escrito, o presidente Ikeda
Pico da Águia, onde o Buda Sakyamuni habita.
escreveu: “O que importa é o coração! — o sentimento de uma
“Apesar de a senhora permanecer em Sado, seu pessoa se manifesta sem falta em suas ações. No caso de
coração veio até esta província.” Nesse trecho, Daishonin Senniti-ama, sua sinceridade se manifestou no ato de enviar,
declara que “Embora a senhora não possa dar um passo sequer todos os anos, seu marido ao encontro de Daishonin. O imutável
para fora da longínqua Sado, ultrapassando mar e montanhas, espírito de Senniti-ama revelou-se nesse ato. ‘Esse seu
sem dúvida alguma, o seu coração veio ao meu encontro”. sentimento é um caminho para a iluminação!’; ‘Compreendo
perfeitamente a sua sinceridade!’ — essas expressões estão
As pessoas que mantêm uma firme prática budista
cristalizadas na afirmação de Daishonin: ‘O que importa é o
manifestam o estado de Buda em vida, e na morte se integram
coração!’”. (Revista Daibyakurengue, edição de setembro de
ao estado de Buda do Universo. Dessa forma, Daishonin
2007.)
incentiva Senniti revelando-lhe o surpreendente e verdadeiro
aspecto de mestre e discípulo que compartilham o mesmo Ao final, Daishonin conclui: “Algum dia, vamos nos
estado de Buda. encontrar no Pico da Águia, onde o Buda Sakyamuni habita”.
Essa é uma declaração de que a intenção de Senniti é verdadeira
Para a monja Senniti, o fato dela não poder mais se
e de que ela infalivelmente atingirá o estado de Buda e que irá
encontrar com Daishonin pelo resto da vida talvez tenha
encontrar o mestre na Terra Pura do Pico da Águia. O laço de
causado profunda tristeza em seu coração. Ou talvez, o próprio
mestre e discípulo no budismo perdura eternamente pelas três
Daishonin tenha percebido esse sentimento nela. Por essa razão,
existências da vida.
ele a incentiva dizendo que o seu coração estará sempre
presente no mesmo estado de Buda dele. Na mesma explanação, o presidente Ikeda afirma:
“Em certa ocasião, num diálogo com os integrantes da Divisão
Daishonin afirma que: “Apesar de habitarmos uma
dos Universitários, respondi da seguinte forma a respeito de
terra impura, nosso coração reside na terra pura do Pico da
‘unicidade de mestre e discípulo’: ‘Este princípio significa
Águia”. Ou seja, o mundo saha em que habitamos, embora seja
possuir o mestre no âmago da vida e levantar-se só. O
uma terra impura, o coração que abraça o ensino da Lei Mística
presidente Toda está presente em meu ser, está dentro de mim.
habita o Pico da Águia, isto é, a Terra da Luz Eternamente
Essa questão não é algo que possa simplesmente ser dito da
Tranqüila.
boca para fora, é uma questão de espírito. Por ser inerente em
Por mais distante que estejam fisicamente, mestre e nossa vida é que se cria a unicidade.’ Independentemente da
discípulo que compartilham o mesmo estado de Buda estarão hora ou do lugar, onde quer que eu esteja, sempre me dedico
sempre juntos. A determinação da prática budista ultrapassa dialogando com meu mestre Toda. A “unicidade” está dentro de
imediatamente as barreiras da distância física. nós. A unicidade de mestre e discípulo ultrapassa a distância e o
“Nosso coração reside na terra pura do Pico da tempo. O espírito de mestre e discípulo irá edificar, por toda a
Águia.” Esse trecho indica que o espírito de procura de Senniti eternidade, a história de luta em conjunto”. (Ibidem.)
por Daishonin é genuíno. Além disso, quer dizer que Senniti “O que importa é o coração”. É fortemente
está lutando com o mesmo espírito de Daishonin. recomendável que possamos abraçar essa grandiosa filosofia e,
Aquele que empreende uma luta de unicidade de juntos com o Mestre, avançar nos dedicando continuamente em
mestre e discípulo consegue manifestar a suprema condição de prol do Kossen-rufu.
vida do Buda da mesma forma que o seu mestre, sem ser Termos de denominações: Esse escrito foi revisado e
abalado por qualquer que seja a circunstância ou sofrimento. atualizado conforme The Writings of Nichiren Daishonin, vol.
“O simples fato de nos olharmos pessoalmente seria 1, pág. 949. Mil ri: Indica simplesmente uma distância muito
insignificante.” Conforme essa passagem do escrito, no mundo longa. Portal do Trovão: Portal localizado em Hui-ti, em Shao-
da prática budista o que importa não é a formalidade de poder se hsing, Província de Chekiang, na China. Acredita-se que o som
do tambor desse local alcançava até a distante capital de Lo-y.

A vida de Nitiren Daishonin


BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1946, PÁG. C1, 05 DE JULHO DE 2008.

Nitiren Daishonin nasceu em 16 de fevereiro de de Zeshobo Rentyo.


1222, em Kominato, na Província de Awa, a leste da Baía de Após vários anos de estudo nos principais templos
Tóquio, como filho de uma família de pescadores e foi de Kamakura, Quioto e Nara, Rentyo concluiu que o
chamado de Zenniti-maro. verdadeiro ensino do budismo encontrava-se no Sutra de
Com a idade de 12 anos, foi estudar no Templo Lótus por revelar a essência da iluminação do Buda
Seityoji, da escola Tendai, e decidiu seguir o sacerdócio aos Sakyamuni.
16 anos tendo Dozembo — o sacerdote-chefe desse templo Rentyo retornou então para o Templo Seityoji e
— como seu mestre. Ao ordenar-se, adotou o nome religioso
16
recitou o Nam-myoho-rengue-kyo pela primeira vez no dia Diante da iminente invasão estrangeira que predisse
28 de abril de 1253 e declarou a fundação do Verdadeiro no Rissho Ankoku Ron, Nitiren admoestou novamente os
Budismo. Ele mudou também o seu nome para Nitiren governantes dizendo que deveriam abraçar o Verdadeiro
(literalmente, Sol de Lótus). Budismo.
Nessa ocasião, Nitiren refutou a escola Terra Pura No dia 10 de setembro de 1271, Hei-no-Saemon,
(Nembutsu) afirmando ser a causadora de incessantes chefe da força militar, ordenou que Nitiren prestasse
sofrimentos. Essa declaração provocou a ira de Tojo depoimento na corte de investigação. Este o enfrentou
Kaguenobu, um fervoroso crente da Terra Pura, que usou seu destemidamente e advertiu-o contra a conduta errônea do
poder de autoridade regional para bani-lo do Templo governo. Como resultado, dois dias depois, Nitiren foi
Seityoji. Nitiren foi então para Kamakura, sede do governo arrastado como um criminoso pelas ruas de Kamakura pelos
da época. soldados de Hei-no-Saemon, que decidiu arbitrariamente
condená-lo à pena de morte. Contudo, no momento da
Numa pequena cabana localizada em
decapitação, “um corpo celeste tão brilhante quanto a Lua
Matsubagayatsu, no subúrbio de Kamakura, Nitiren iniciou
surgiu repentinamente no alto de Enoshima e atravessou
as atividades de propagação de seus ensinos. Nessa época, as
rapidamente o céu do Sudeste ao Noroeste. Era pouco antes
três calamidades e sete desastres aconteceram uns após
da alvorada e estava muito escuro para ver o rosto de
outros. Em particular, um grande terremoto abalou
qualquer pessoa. Entretanto, o objeto luminoso clareou toda
Kamakura em agosto de 1257 e destruiu grande parte das
a área. O carrasco caiu cobrindo sua face com seus olhos
edificações. Diante dessas ocorrências, Nitiren visitou o
ofuscados. Os soldados entraram em pânico e ficaram
Templo Jissoji para ponderar sobre como erradicar a causa
atemorizados. Alguns fugiram para longe, outros caíram de
dessas calamidades. Foi durante sua estada nesse templo que
seus cavalos e vários se encolheram nas selas”. (“Sobre o
Nikko tornou-se seu discípulo. Mais tarde, ele se tornou o
comportamento do Buda”, As Escrituras de Nitiren
legítimo sucessor de Nitiren.
Daishonin [END], vol. 1, pág. 163.) Esse acontecimento é
No dia 16 de julho de 1260, Nitiren endereçou um conhecido como Perseguição de Tatsunokuti.
tratado intitulado “Tese sobre o estabelecimento do ensino
Nesse momento, Nitiren abandonou a sua figura
correto para a paz da nação” (Rissho Ankoku Ron) a Hojo
efêmera de Bodhisattva Jogyo e revelou sua verdadeira
Tokiyori, ex-regente que exercia grande influência sobre o
identidade de Buda Original dos Últimos Dias da Lei. Esse
governo.
fato é chamado de Hosshaku Kempon (rejeitar a forma
O tratado afirmava que a causa das três calamidades transitória e revelar a verdadeira identidade).
e dos sete desastres estava na calúnia das pessoas à
Após a tentativa malsucedida de execução, Nitiren
verdadeira Lei e na aceitação de doutrinas que contradiziam
foi condenado ao exílio na Ilha de Sado. Ele foi abandonado
os ensinamentos do Buda Sakyamuni.
numa pequena choupana em ruína localizada no meio do
Entretanto, Tokiyori rejeitou com cautela a cemitério de Tsukahara. Nitiren chegou em Sado, uma ilha
admoestação de Nitiren. Enquanto isso, com o apoio de Hojo do Mar do Japão, em 11 de novembro de 1271, onde o
Shiguetoki, o pai do então regente Hojo Nagatoki, um grupo inverno era extremamente rigoroso. Além de não possuir
de crentes da Terra Pura reuniu-se em Matsubagayatsu, na roupas para suportar o frio e nem alimentos, Nitiren sofreu
cabana de Nitiren, para assassiná-lo. Esse acontecimento é constantes ataques dos bonzos inimigos que residiam na
conhecido como Perseguição de Matsubagayatsu e ocorreu região. Apesar de viver numa difícil situação, ele escreveu
na noite de 27 de agosto de 1260. importantes obras durante a permanência em Sado, entre os
Nitiren escapou por pouco dessa perseguição, mas quais, os dois mais importantes são “Abertura dos olhos” e
foi banido para a Península de Izu em 12 de maio de 1261. “O verdadeiro objeto de devoção”.
Esse acontecimento é chamado de Exílio a Izu. A ordem do O escrito “Abertura dos olhos”, concluído em
regente de exilá-lo foi, na realidade, uma decisão ilegal fevereiro de 1272, é a prova documental de sua revelação
baseada apenas em seus sentimentos pessoais. Nitiren foi como Buda Original. Nitiren expõe ser o possuidor das “Três
libertado desse exílio em fevereiro de 1263 por ordem de virtudes de soberano, mestre e pais” e o “Buda Original dos
Hojo Tokiyori e retornou para Kamakura. Últimos Dias da Lei”, ou o “objeto de devoção em termos de
No dia 11 de novembro de 1264, quando Nitiren Pessoa”. Ele escreveu “O verdadeiro objeto de devoção” em
estava a caminho de uma visita a seu discípulo Kudo abril de 1273, no qual esclarece o objeto de devoção para a
Yoshitaka, ele e sua comitiva foram atacados pela tropa de salvação de todas as pessoas nos Últimos Dias da Lei.
Tojo Kaguenobu na localidade de Komatsubara. Nessa Nitiren inscreveu a sua condição de vida em forma de um
Perseguição de Komatsubara, Nitiren sofreu um ferimento mandala, revelando desse modo o “objeto de devoção em
da testa, teve sua mão esquerda quebrada e seus discípulos termos de Lei”. Por meio desses escritos, ele ensina que as
Kyoninbo e Yoshitaka foram mortos. pessoas nos Últimos Dias da Lei devem abraçar o objeto de
devoção (Gohonzon) de Unicidade de Pessoa e Lei (Ninpo-
No dia 18 de janeiro de 1268, emissários mongóis Ikka) e recitar o Daimoku com fé a fim de atingir a
chegaram a Kamakura e submeteram uma ordem de iluminação nesta vida.
submissão ao governo japonês. Caso a ordem fosse ignorada,
o Japão seria invadido pelo exército mongol. Perdoado do exílio em fevereiro de 1274, Nitiren
17
retornou para Kamakura e apresentou-se perante Hei-no- eles persistiram sem ceder às torturas impostas pelos guardas
Saemon em 8 de abril. Nessa ocasião, o chefe da força de Hei-no-Saemon. Mais tarde, os três irmãos Jinshiro,
militar estava gentil e educado quando perguntou a Nitiren Yagoro e Yarokuro foram executados, enquanto os outros
sobre o ataque mongol e quando isso ocorreria. Nitiren dezessete crentes foram banidos de suas terras. Essa foi a
respondeu claramente: “Eles certamente chegarão ainda este Perseguição de Atsuhara. Com esse acontecimento, em que
ano”, conforme consta no escrito “Sobre o comportamento os crentes lavradores mantiveram a fé com risco da própria
do Buda”. Também admoestou os oficiais contra a aceitação vida, Nitiren reconheceu que a época para cumprir o
de religiões heréticas e solicitou a eles que buscassem a fé no propósito de seu advento havia chegado. Então, inscreveu o
Verdadeiro Budismo a fim de evitar a invasão. Entretanto, Dai-Gohonzon do Verdadeiro Budismo em 12 de outubro de
eles polidamente recusaram a advertência. Nitiren decidiu 1279.
então viver em reclusão na Vila Haguiri, que ficava aos pés Mais tarde, Nitiren mudou-se para o Templo Kuon
do Monte Minobu. construído em novembro de 1281. Depois de transferir a
Em outubro de 1274, as forças mongóis atacaram as essência de seus ensinos a Nikko, Nitiren faleceu em 13 de
ilhas Ikki e Tshushima e a região de Kyushu no sul do Japão. outubro de 1282, na residência de seu discípulo Munenaka
Durante essa época, Nitiren se devotou totalmente para Ikegami.
preparar os seus discípulos e trabalhou em volumosas teses * As três calamidades são: guerra, peste e fome. Os
tais como “Seleção do tempo” e “Retribuição aos débitos de sete desastres são: eclipse solar ou lunar; movimento
gratidão”. Além disso, transferiu oralmente seus ensinos a anormal de corpos celestes ou aparecimento de cometas;
seu sucessor Nikko, os quais compõem o “Registro dos destruição geral pelo fogo; irregularidades meteorológicas
ensinos orais” (Ongui Kuden). tais como tempestades e alterações anormais de temperatura;
Em setembro de 1279, vinte camponeses e ventanias e furacões; seca prolongada; destruição do país
seguidores de Nitiren, que viviam em Atsuhara, foram pelas lutas internas ou pela invasão estrangeira. Esses
injustamente detidos, levados a Kamakura e aprisionados, desastres e calamidades variam de acordo com o sutra.
sendo coagidos a abandonar a fé no Budismo Nitiren. Porém,
18

Três Provas e Comparação Quíntupla


BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1945, PÁG. B5, 28 DE JUNHO DE 2008.

Os princípios budistas denominados de “Três Provas” e “Comparação Quíntupla” estabelecem parâmetros para julgar a
validade de uma religião. Por meio desses parâmetros são comprovadas a integridade, a supremacia e a veracidade do Budismo
Nitiren sobre outras doutrinas.

Três Provas: documental, racional e real


A prova documental refere-se aos escritos de uma religião que prega ensinos incompatíveis com a razão. A
religião, pelas quais o seu teor pode ser conhecido e prova racional é um meio parcial para comprovar a
avaliado. Serve também como meio para verificar se os veracidade de uma religião por depender de comparações
ensinos propagados pelos seus seguidores estão de acordo com a razão humana.
com o teor da doutrina. A prova real analisa a supremacia de uma religião
No escrito “Diálogo entre um sábio e um homem por meio da avaliação dos resultados provenientes da prática
ignorante”, Nitiren adverte: “O grande Mestre Tient’ai de sua doutrina. Uma religião exerce grande influência na
afirma: ‘O que está de acordo com os sutras deve ser escrito vida real de uma pessoa como também em todo o âmbito
e colocado à disposição de todas as pessoas. Porém, não social. E essa influência pode gerar resultados positivos ou
depositem sua fé em palavras ou significados inexistentes negativos pelos quais uma religião demonstra a qualidade de
nos sutras’. Isso significa que devemos acreditar no que está seus ensinos. Entre as três provas, a prova real é considerada
claramente explicado nos sutras e descartar qualquer como a mais importante.
declaração que não esteja fundamentada nesses escritos”. Nitiren afirma: “Para julgar o mérito das doutrinas
(END, vol. 2, pág. 78.) budistas, eu, Nitiren, acredito que os melhores padrões são o
Conforme essa advertência, ninguém deve abraçar da razão e o da prova documental. Mas a prova real é ainda
uma religião que não se baseia em documentos escritos de mais valiosa que ambos”. (END, vol. 6, pág. 168.) A “razão”
sua doutrina. Caso contrário, o ensino propagado pelos seus citada nesta frase refere-se à prova racional. O fato de
seguidores pode ser mera arbitrariedade. Nitiren considerar a prova real como a essencial baseia-se no
propósito principal do budismo de promover o bem-estar das
Nas religiões budistas em geral, a prova documental
pessoas no mundo real.
é constituída pelos sutras do Buda Sakyamuni. No caso do
budismo praticado pelos membros da SGI, a prova Embora a prova real seja a principal, uma religião
documental é constituída de escritos redigidos pelo próprio que não atende aos requisitos de qualquer uma das três,
Buda Nitiren. deixa de ser uma religião confiável.
A prova documental não é suficiente para Exemplificando com um medicamento, a bula é a
comprovar a supremacia de uma religião pelo fato de não prova documental, a razão de sua eficácia é a prova racional
avaliar a veracidade dos ensinamentos contidos em seus e o resultado obtido é a prova real. Quando atende estes três
escritos. requisitos, o medicamento é considerado eficaz. Caso
contrário, pode ser um veneno para o corpo.
A prova racional consiste em verificar a
compatibilidade dos ensinos de uma religião com a razão e o O Budismo Nitiren, tanto em termos de doutrina
raciocínio lógico. Conforme a afirmação de Nitiren de que como de sua aplicação na vida real, é a única religião que se
“Budismo é razão” (Gosho Zenshu, pág. 1.169), os ensinos baseia em princípios objetivos e universais, cuja supremacia
budistas consideram a razão como ponto fundamental de sua é comprovada plenamente por meio da avaliação pelas três
doutrina. Em outras palavras, ninguém deve acreditar em provas.

Comparação Quíntupla
Na primeira metade de “Abertura dos olhos”, “confucionismo ou escrituras externas”; 2) nos ensinos da
Nitiren delineia o ensino que, posteriormente, ficaria Índia, anteriores ao budismo, incluindo o bramanismo, que
conhecido como “comparação quíntupla”. juntos são denominados “caminho externo”; e 3) nos ensinos
do budismo, referidos como “caminho interno”.
As três virtudes de soberano, mestre e pais formam
o tema de “Abertura dos olhos”. Nitiren menciona diversas Ele também examina o que é ensinado às pessoas e
pessoas respeitadas como soberanos, mestres e pais em qual a atitude que elas têm em relação à vida mediante a
muitas filosofias e religiões de sua época, especificamente: veneração das três virtudes citadas em cada tipo de ensino.
1) no confucionismo e nas outras filosofias e tradições Ele faz isso porque o critério que permite estabelecer se
religiosas da China, que se agrupam sob o nome de alguém pode incorporar as qualidades notáveis de soberano,
19
mestre e pais é ver em que medida o ensino que ele fundamentalmente a lei causal da origem da felicidade ou da
representa permite às pessoas viverem de maneira correta e infelicidade.
segura. Dessa forma, em “Abertura dos olhos”, quando ele Por exemplo, quando um médico tenta curar uma
debate o tema de soberano, mestre e pais, examina enfermidade, se o tratamento não se basear numa minuciosa
incisivamente cada tipo de ensino e o modo de vida que cada compreensão da causa do mal, só agravará o estado do
uma dessas diferentes religiões e filosofias propõem. O foco paciente. Do mesmo modo, se não conhecemos as causas
de sua análise é a lei causal da vida. fundamentais do sofrimento e da dor, toda medida que for
O propósito da comparação quíntupla é esclarecer empregada para resolver o sofrimento humano acabará
qual religião ou filosofia pode fazer, de maneira real e agravando a situação. A essência de uma filosofia ou religião
efetiva, com que as pessoas superem seus sofrimentos e é esclarecer a causa e o efeito.
atinjam um estado de felicidade indestrutível. Essa Se examinarmos as tradições religiosas e
comparação implica em avaliar os diferentes ensinos com filosóficas, veremos que há diferenças na forma como
base na forma que explicam a causa e o efeito na vida. explicam a causalidade da vida. Em “Abertura dos olhos”,
Especificamente, esta se refere à causalidade que determina ele avalia a profundidade relativa das principais correntes
a felicidade ou a infelicidade. Em última instância, é a religiosas mediante a comparação quíntupla para esclarecer a
causalidade de atingir o estado de Buda. causalidade para se atingir o estado de Buda como o ensino
Em outras palavras, a Comparação Quíntupla essencial para todas as pessoas dos Últimos Dias da Lei
examina a superioridade e a profundidade relativas de cada alcançarem a iluminação.
ensino pesando em que medida busca e reconhece

1. Comparação entre budismo e não-budismo


A primeira comparação é entre o budismo, o em certos casos, os efeitos do bem e do mal não aparecem
“caminho interno”, e os ensinos não-budistas da Índia e da nesta existência?”. Dessa forma, não podem responder
China, o “caminho externo”. questões existenciais como: “Por que eu nasci?” ou “Qual o
propósito de minha existência?”
O budismo ensina que a causa principal que
determina a felicidade ou infelicidade reside em nosso O bramanismo e outros ensinos da Índia antiga
interior e que somos protagonistas com o poder para decidir expõem a causalidade da vida que permeia as três existências
nosso próprio destino. Por isso, o budismo é chamado de do passado, presente futuro, mas é uma causalidade
“caminho interno”. influenciada pelo determinismo ou fatalismo e sujeita a
forças externas como a natureza ou alguma divindade que
Em contrapartida, se observarmos as religiões e
controla o destino humano. Conseqüentemente, esses
filosofias não-budistas, veremos que algumas não
ensinos limitam seriamente a vontade e a autonomia
reconhecem o princípio de causalidade no que concerne à
humana.
boa sorte ou ao infortúnio individual. Embora algumas
exponham doutrinas de acidentalismo ou indeterminismo Em síntese, os ensinos antigos da Índia e da China,
segundo as quais tudo é produto do acaso ou da com exceção do budismo, falham em explicar a causalidade
coincidência, outras expõem doutrinas de determinismo ou ou o fazem de maneira parcial e tendenciosa. Esta é a
de fatalismo segundo as quais tudo está predeterminado ou conclusão de Nitiren. Assim, em “Abertura dos olhos”, ele
predestinado. Há também aquelas que se posicionam no diz a respeito dos fundadores dessas religiões e filosofias:
meio dessas duas perspectivas. Isto se refere aos ensinos dos “Nada mais são que bebês que não compreendem os
três ascetas, considerados como fundadores das filosofias princípios de causa e efeito”. (END, vol. 4, págs. 15-16.)
não-budistas da Índia. Há também doutrinas semelhantes que Porém, o budismo, o “caminho interno”, ensina que
podem ser encontradas em muitas filosofias e correntes de o indivíduo é responsável por tudo o que ocorre com ele, ou
pensamento existentes na atualidade. seja, cada um colhe o que semeia.
Entre os sistemas de pensamento analisados por Podemos aceitar tranqüilamente o rigoroso
Nitiren, estão também aqueles que reconhecem o princípio princípio de causa e efeito agindo em nossa vida pela
de causalidade dentro dos limites da existência presente, mas seguinte razão: por compreendermos a verdade de que
não antes do nascimento ou após a morte, pois afirmam que possuímos inerentemente o ilimitado poder transformador
o que ocorre depois não pode ser conhecido. Nessa categoria conhecido como “natureza de Buda”. Para continuarmos nos
se enquadram o confucionismo e o taoísmo, e se inclui empenhando pela nossa felicidade, precisamos saber que a
também o racionalismo ocidental que se fundamenta no possibilidade para atingi-la reside em nós.
desenvolvimento da ciência moderna.
O budismo possibilita-nos despertar para a nossa
Esses tipos de filosofias não podem explicar de responsabilidade e autonomia pessoal, ou seja, reconhecer
maneira satisfatória as questões como: “Por que os seres que temos o poder de escrever nosso próprio destino por
humanos nascem em diferentes circunstâncias?” e “Por que, meio da nossa vontade e das nossas ações no presente.
20

2. Comparação entre Budismo Mahayana e Budismo Hinayana.


Em “Abertura dos olhos”, Nitiren menciona pouco Como o Hinayana defende que os desejos mundanos
sobre esta comparação em particular. Contudo, pelo fato de ele dos nove estados inerentes em nossa vida são a causa da
censurar os discípulos dos dois veículos, que eram praticantes infelicidade, a única forma de eliminá-los completamente é
dos ensinos do Hinayana, nas suas comparações entre o extinguindo a vida. Por isso, é dito que, para o Hinayana, o
Mahayana verdadeiro e o provisório e entre os ensinos teórico e enfoque da iluminação está em reduzir o corpo a cinzas e
verdadeiro do Sutra de Lótus, podemos considerar que nelas aniquilar a consciência. Nesse ponto encontra-se a limitação do
está inclusa a comparação entre Budismo Mahayana e Budismo Hinayana.
Hinayana.
Em contraste, os ensinos Mahayana, em vez de
O budismo é chamado de “caminho interno”. No procurar eliminar os desejos mundanos, afirmam que é possível
entanto, ele abarca uma ampla variedade de ensinos. Entre eles, controlá-los adequadamente e construir uma vida pura, forte e
os do Hinayana buscam libertar as pessoas dos desejos automotivada, abrindo e manifestando a sabedoria da
mundanos, que são a causa do sofrimento, e atingir o nirvana — iluminação que se encontra dormente na mesma vida cheia de
estado de suprema paz e tranqüilidade — mediante práticas desejos. Este é o princípio chamado de “desejos mundanos são
como a observância de preceitos e a meditação. Porém, a iluminação”. Muito mais do que simplesmente possibilitar às
felicidade a que aspiram os ensinos do Hinayana é passiva, pessoas eliminar as causas da infelicidade, buscam ativamente
porque só buscam eliminar a causa da infelicidade das pessoas. capacitá-las a transformar essas causas de infortúnios em causas
Não permitem ao ser humano abrir o caminho ativamente para para a felicidade, e conduzir seus semelhantes à iluminação.
sua própria felicidade e, muito menos, a dos demais.

3. Comparação entre Budismo Mahayana verdadeiro e provisório


Os ensinos do Mahayana, que buscam possibilitar às estão dotadas intrinsecamente da natureza de Buda. Dessa
pessoas manifestar as causas para a felicidade, dividem-se em forma, esses ensinos impõem limitações às causas da felicidade.
duas categorias: o Mahayana verdadeiro e o Mahayana Não pertencem ao Mahayana verdadeiro. São ensinos expostos
provisório. como meios para adequação às crenças populares da época.
Nada mais são que ensinos provisórios.
O Sutra de Lótus, que constitui o Mahayana
verdadeiro, esclarece que a vida de todas as pessoas está Por outro lado, o Sutra de Lótus, o ensino verdadeiro,
originalmente dotada do estado de Buda, a causa fundamental elucida a iluminação real do Buda com base no fato de que
da felicidade. Revela também uma outra verdade: todas as todas as pessoas — incluindo as dos dois veículos, as pessoas
pessoas podem manifestar e revelar a natureza de Buda em sua más e as mulheres — podem igualmente atingir a iluminação.
vida. Elucida também que esta questão está fundamentada na doutrina
dos três mil mundos num único momento da vida.
Os ensinos do Mahayana anteriores ao Sutra de Lótus,
que constituem o Mahayana provisório, defendem que as A verdadeira intenção do Buda é que todas as pessoas
pessoas dos dois veículos, desprezadas porque só buscavam a tornem-se felizes. E é no Sutra de Lótus que a iluminação do
própria iluminação como também as pessoas más e as mulheres, Buda é diretamente revelada ao expor os princípios que a torna
que se acreditava serem incapazes de se tornarem felizes, não possível.

4. Comparação entre ensinos teórico e verdadeiro do Sutra de Lótus


Embora todas as pessoas possuam em sua vida o rejeitar e procurar eliminar os desejos mundanos nos nove
estado de Buda — causa fundamental da felicidade —, a estados. Esse enfoque sugere que somente extinguindo nossa
questão é como manifestá-lo na vida real. vida dos nove estados (causa) é que podemos fazer surgir a vida
do estado de Buda (efeito).
Se analisarmos do ponto de vista da eternidade da vida
e do princípio de causa e efeito que abrange o passado, o Em contraste, o ensino essencial (segunda metade) do
presente e o futuro, o estado de vida que experimentamos no Sutra de Lótus esclarece que Sakyamuni realmente atingiu o
presente é produto de nossas ações (carma) acumuladas desde estado de Buda no remoto passado, há kalpas tão numerosos
incontáveis existências passadas. Os sutras anteriores, incluindo quanto as partículas de pó de um grande sistema de mundos e,
o ensino teórico (primeira metade) do Sutra de Lótus, ensina pelo fato de sua vida como um bodhisattva ter perdurado desde
que, para transformar esse carma, necessitamos constantemente então, ele continuou a aparecer sob várias formas para ensinar
realizar boas ações por um período extremamente longo, e os seres vivos. Isso revela a verdadeira imagem do Buda.
acumular benefícios dessas ações em nossa vida. Por esse ponto Em outras palavras, os nove estados e o estado de Buda também
de vista, atingir a iluminação requer incontáveis kalpas de se encontram inerentes na vida de Sakyamuni.
prática budista.
Ao explicar isso, o ensino essencial revela que
Esses sutras ensinam ainda que o Buda Sakyamuni podemos manifestar o estado de Buda em nossa vida dos nove
atingiu a iluminação pela primeira vez na Índia como resultado estados, tal como somos, e que é possível abrir o caminho da
de suas práticas realizadas durante um período de tempo iluminação exatamente como somos.
incalculável. Essa forma de ver a iluminação persiste no erro de
21

5. Comparação entre Budismo da Semeadura e Budismo da Colheita


O ensino essencial do Sutra de Lótus abre o caminho para fundamental que ele percebeu naquele momento. Ao buscar e
atingirmos o estado de Buda exatamente como somos. Porém, praticar esta Lei com fé, uma pessoa comum pode obter
quando vistos no contexto de seu significado literal e superficial, imediatamente o fruto do estado de Buda.
observamos que Sakyamuni só conseguiu adquirir a vida eterna
Nitiren nos deixou Gohonzon, no qual representou
como resultado de ter praticado o caminho de bodhisattva antes de
fielmente o estado de Buda que percebeu em sua própria vida
sua iluminação no remoto passado. Para chegar a essa vida eterna,
mediante o Nam-myoho-rengue-kyo, sem deixar de ser uma pessoa
ele precisou atingir o primeiro estágio de segurança, o da não-
comum. Com este Gohonzon como espelho, e com Nitiren como
regressão. Dessa forma, por ter atingido esse estágio, foi capaz de
exemplo, podemos fazer surgir instantaneamente esse estado
romper com sua fé resoluta a escuridão fundamental, de adquirir
iluminado de nosso interior, com a profunda fé e a convicção de
sabedoria e perceber que os nove estados e o estado de Buda se
que nós também possuímos o estado de Buda.
encontram sempre presentes na própria vida sob forma inata.
Nesse contexto, o Budismo Nitiren é o único ensino que
Contudo, a prática necessária para atingir o primeiro
expõe a transformação do destino. Ensina também que a causa
estágio de segurança é extremamente difícil, da mesma forma como
principal do mau destino se encontra nos atos de descrença e de
é difícil atingir a sabedoria que permite perceber o estado de Buda
oposição à Lei Mística. Como ela é uma lei que está inerente na
na própria vida. Ambos os feitos excedem a capacidade das pessoas
vida, esses atos são cometidos contra a Lei ou verdade da própria
comuns. Dessa maneira, do ponto de vista de seu significado literal,
vida. Eis a razão de ser a principal causa negativa.
o ensino essencial não abre diretamente o caminho para as pessoas
comuns atingirem o estado de Buda em sua presente forma e atingir A fórmula de mudar o destino proveniente dessa causa na
a iluminação nesta existência. presente existência encontra-se no ato de acreditar na Lei Mística,
isto é, na verdade inerente na vida. E a prática dessa fórmula é a
Mas o ensino implícito nas profundezas do Sutra de Lótus
recitação do Nam-myoho-rengue-kyo.
— ou seja, o Budismo Nitiren — revela diretamente o Nam-
myoho-rengue-kyo, que é a força motriz que sustentou a prática de Por meio dessa prática, individual e altruísta, a energia
bodhisattva de Sakyamuni para atingir o primeiro estágio de vital e o potencial do estado de Buda são fortalecidos para
segurança no remoto passado, e é, ao mesmo tempo, a Lei possibilitar a transformação do destino em direção à felicidade.

Amenizar o efeito cármico


O princípio budista que elucida a transformação do Mesmo que uma pessoa pratique corretamente e se
destino é chamado de “amenizar o efeito cármico” (Tenju Kyoju, empenhe em prol da propagação da Lei Mística, os efeitos do mau
em japonês). carma surgem na forma de obstáculos e maldades, adversidades e
perseguições. Contudo, são efeitos que se manifestam de forma
Nitiren afirma no escrito “Amenizar o efeito cármico”:
amenizada em conseqüência dos poderes benéficos da prática da
“O Sutra do Nirvana expõe o princípio de amenizar o efeito
Lei Mística. Embora sejam à primeira vista efeitos negativos, são
cármico. Se uma pessoa deixa de expiar seu pesado carma passado
resultados concretos da transformação do mau destino.
na presente existência, ela experimentará os sofrimentos do inferno
no futuro; mas se ela enfrenta grandes obstáculos nesta vida [por Na “Carta de Sado”, Nitiren afirma: “O ferro, quando
causa do Sutra de Lótus], os sofrimentos do inferno irão se aquecido e forjado, torna-se uma excelente espada. As pessoas de
desvanecer instantaneamente”. (Os Escritos de Nitiren Daishonin valor e os sábios são testados com ofensas. Meu presente exílio não
[Escritos], vol. 3, pág. 127.) é resultado de nenhum crime secular, mas serve somente para que
eu possa expiar, na presente existência, as graves ofensas que criei
De acordo com esse princípio, uma pessoa pode receber
no passado e me libertar dos três maus caminhos na próxima”.
os efeitos do mau carma acumulado desde o passado de forma mais
(Escritos, vol. 5, pág. 21.)
leve por meio da fé e da prática do Budismo Nitiren.

Aspiração do destino pretendido


Outro princípio budista que elucida também a prática do budismo, tornando-se feliz e líder na sociedade, estará
transformação do destino é chamado de “aspiração ao destino comprovando brilhantemente a grandiosidade do ensino. (...) Em
pretendido” (Ganken ogo, em japonês). conclusão, quanto maior for o infortúnio na vida, mais brilhante
será a comprovação dos benefícios da prática budista. Pode-se dizer
De acordo com o Sutra de Lótus, uma pessoa que deveria
que carma é outro nome que se dá a missão”. (NRH, vol. 1, págs.
renascer numa circunstância de felicidade como resultado da boa
197-198.)
sorte e dos benefícios provenientes da prática budista, nasce no
meio de pessoas infelizes mediante seu próprio desejo justamente O fato de uma pessoa viver numa situação adversa apesar
para propagar a Lei Mística. de praticar firmemente o Budismo Nitiren não significa que essa
circunstância de vida é simplesmente efeito do mau carma. Na
Consta na Nova Revolução Humana: “Se uma pessoa que
verdade, ela renunciou à vida de felicidade e optou por viver em
vive como uma rainha, sem dificuldades ou problemas, disser que
meio às adversidades com o propósito de salvar as pessoas como
se tornou feliz graças à prática do budismo, ninguém ficará
Bodhisattva da Terra. Por isso, aspirou por um destino pretendido
surpreso com isso. Contudo, quando uma pessoa doente, pobre e
para comprovar e propagar o poder da Lei Mística.
menosprezada por todos consegue transformar sua vida por meio da
22
A transformação do destino
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1947, PÁG. A8, 12 DE JULHO DE 2008.

O BS publica nesta edição, a última matéria de estudo para aspecto dos ensinos budistas. Se a vida se restringisse apenas a isso, as
os candidatos ao Exame de Budismo 2008 para o Primeiro Grau. Ao pessoas teriam de viver numa constante insegurança justamente por não
lado, a ficha de inscrição para o Exame que será realizado no dia 21 de conseguirem saber as causas negativas de existências passadas, tendo
setembro, e o regulamento que também foi publicado na edição no de carregar, inclusive, um grande complexo de culpa. Além disso, o
1.943. As demais matérias, em encarte especial nas quatro edições destino seria algo previamente delineado e provocaria nas pessoas o
anteriores do BS. desinteresse pela própria vida, tornando-as adeptas de um modo de vida
passivo no qual a única preocupação seria a de não cometer nenhum
Existem adversidades que têm origem em causas cometidas
mal. O Budismo de Nitiren Daishonin transcende o limite da concepção
pelo próprio indivíduo na presente existência; e aquelas em que as
superficial da Lei de Causa e Efeito, de castigo e recompensa, e revela a
causas foram praticadas em existências passadas. Essas causas do
natureza real da causalidade e a forma como recuperar o estado de
passado formam o carma, cujos efeitos traçam o destino na presente
pureza da vida existente desde o infinito passado. Isso significa que
existência, isto é, a felicidade ou a infelicidade de uma pessoa.
uma pessoa deve viver em prol do Kossen-rufu consciente da missão
Contudo, o carma pode ser tanto positivo como negativo. Na maioria
como Bodhisattva da Terra”. (Nova Revolução Humana, vol. 1, pág.
das vezes, esse termo é empregado no sentido de causas negativas.
197.)
O budismo ensina a Lei de Causa e Efeito que abrange as
Nesse contexto, o Budismo Nitiren é o único ensino que
três existências da vida: o passado, o presente e o futuro. As causas do
expõe a transformação do destino. Ensina também que a causa principal
passado se manifestam como efeitos no presente, e as causas do
do mau destino se encontra nos atos de descrença e de oposição à Lei
presente surgirão como efeitos no futuro. Embora essa lógica seja
Mística. Como ela é uma lei que está inerente na vida das pessoas, esses
adotada pelo budismo em geral, é simplesmente uma explicação da
atos são cometidos contra a Lei ou verdade da própria vida. Eis a razão
teoria de causa e efeito. Em outras palavras, se o presente é definido
de ser a principal causa negativa.
pelas causas do passado, o destino se torna algo imutável e pré-
determinado e a única maneira de transformá-lo seria praticando o bem A fórmula de mudar o destino proveniente dessa causa na
por sucessivas existências até se criar um carma positivo. Esse tipo de presente existência encontra-se no ato de acreditar na Lei Mística, isto
pensamento torna as pessoas impotentes e passivas diante da realidade é, na verdade inerente na vida. E a prática dessa fórmula é a recitação
da vida e as privam de viver com esperança. do Nam-myoho-rengue-kyo.
O presidente da SGI, Daisaku Ikeda, comenta: “O budismo Por meio dessa prática, individual e altruísta, a energia vital e o
expõe que uma pessoa terá de trilhar um curso de infelicidades como potencial do estado de Buda são fortalecidos para possibilitar a
resultado dos atos negativos do passado. Entretanto, este é apenas um transformação do destino em direção à felicidade.

Amenizar o efeito cármico


O princípio budista que elucida a transformação do destino é Mesmo que uma pessoa pratique corretamente e se empenhe
chamado de “amenizar o efeito cármico” (Tenju Kyoju, em japonês). em prol da propagação da Lei Mística, os efeitos do mau carma surgem
na forma de obstáculos e maldades, adversidades e perseguições.
Nitiren afirma no escrito “Amenizar o efeito cármico”: “O
Contudo, são efeitos que se manifestam de forma amenizada em
Sutra do Nirvana expõe o princípio de amenizar o efeito cármico. Se
conseqüência dos poderes benéficos da prática da Lei Mística. Embora
uma pessoa deixa de expiar seu pesado carma passado na presente
sejam à primeira vista efeitos negativos, são resultados concretos da
existência, ela experimentará os sofrimentos do inferno no futuro; mas
transformação do mau destino.
se ela enfrenta grandes obstáculos nesta vida [por causa do Sutra de
Lótus], os sofrimentos do inferno irão se desvanecer instantaneamente”. Na “Carta de Sado”, Nitiren afirma: “O ferro, quando
(Os Escritos de Nitiren Daishonin [Escritos], vol. 3, pág. 127.) aquecido e forjado, torna-se uma excelente espada. As pessoas de valor
e os sábios são testados com ofensas. Meu presente exílio não é
De acordo com esse princípio, uma pessoa pode receber os
resultado de nenhum crime secular, mas serve somente para que eu
efeitos do mau carma acumulado desde o passado de forma mais leve
possa expiar, na presente existência, as graves ofensas que criei no
por meio da fé e da prática do Budismo Nitiren.
passado e me libertar dos três maus caminhos na próxima”. (Escritos,
vol. 5, pág. 21.)

Aspiração do destino pretendido


Outro princípio budista que elucida também a transformação todos consegue transformar sua vida por meio da prática do budismo,
do destino é chamado de “aspiração ao destino pretendido” (Ganken- tornando-se feliz e líder na sociedade, estará comprovando
ogo, em japonês). brilhantemente a grandiosidade do ensino. (...) Em conclusão, quanto
maior for o infortúnio na vida, mais brilhante será a comprovação dos
De acordo com o Sutra de Lótus, uma pessoa que deveria
benefícios da prática budista. Pode-se dizer que carma é outro nome
renascer numa circunstância de felicidade como resultado da boa sorte
que se dá a missão”. (NRH, vol. 1, págs. 197-198.)
e dos benefícios provenientes da prática budista, nasce no meio de
pessoas infelizes mediante seu próprio desejo justamente para propagar O fato de uma pessoa viver numa situação adversa apesar de
a Lei Mística. praticar firmemente o Budismo Nitiren não significa que essa
circunstância de vida é simplesmente efeito do mau carma. Na verdade,
Consta na Nova Revolução Humana: “Se uma pessoa que
ela renunciou à vida de felicidade e optou por viver em meio às
vive como uma rainha, sem dificuldades ou problemas, disser que se
adversidades com o propósito de salvar as pessoas como Bodhisattva da
tornou feliz graças à prática do budismo, ninguém ficará surpreso com
Terra. Por isso, aspirou por um destino pretendido para comprovar e
isso. Contudo, quando uma pessoa doente, pobre e menosprezada por
propagar o poder da Lei Mística.
23
“Estabelecimento do ensino correto para a paz da nação”
e “Propagação mundial do budismo”
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1945, PÁG. B7, 28 DE JUNHO DE 2008.

O objetivo da prática do budismo é a realização da iluminação e da felicidade individual e coletiva. O Buda Nitiren expôs
o “estabelecimento do ensino correto para a paz da nação” (Rissho Ankoku) e a “propagação mundial do budismo” (Kossen-rufu)
como princípios que direcionam a prática budista para a realização desse objetivo.

Estabelecimento do ensino correto para a paz da nação


O Budismo Nitiren é o ensino que capacita o ser norteia todo o seu contexto busca a promoção do bem-estar
humano a transformar a condição interior de sua vida para da população. Portanto, os princípios revelados nessa tese
alcançar a felicidade absoluta na presente existência. Ao são válidos para a realização da paz do mundo e da
mesmo tempo, busca o estabelecimento da paz social por felicidade das pessoas, tanto nos dias atuais como por todo o
meio da reforma da vida de cada cidadão. Nitiren expôs o futuro.
princípio da realização da paz na “Tese sobre o Por outro lado, o ato de Nitiren submeter à tese para
estabelecimento do ensino correto para a paz da nação” admoestar as autoridades a fim de buscar soluções para os
(Rissho Ankoku Ron). sofrimentos da população indica que os praticantes do
O “estabelecimento do ensino correto” (rissho) budismo não devem orar apenas pela iluminação individual,
refere-se ao ato de as pessoas abraçarem o budismo como mas atuar também pelo bem-estar da sociedade com base nos
religião que as direciona pelo correto caminho de vida. princípios budistas. Portanto, fechar os olhos para os
Indica também o ato de estabelecer a filosofia do respeito à problemas sociais e se isolar no mundo da crença não é
dignidade da vida exposta no budismo como princípio atitude correta dos praticantes do Budismo Nitiren.
fundamental que orienta corretamente o rumo da sociedade. No dias atuais, a Soka Gakkai Internacional vem
A “paz da nação” (ankoku) refere-se ao ato de realizar a paz, contribuindo para a solução de questões globais promovendo
a prosperidade e o bem-estar na vida de todos os cidadãos. o movimento de paz, cultura, educação, meio ambiente e
A “Tese sobre o estabelecimento do ensino correto direitos humanos como atuação inspirada no espírito e
para a paz da nação” foi escrita visando à realização da paz princípios revelados na “Tese sobre o estabelecimento do
da nação japonesa daquela época. Contudo, o espírito que ensino correto para a paz da nação”.

Propagação mundial do budismo


O objetivo da propagação do budismo é o de Sutra de Lótus”. (Gosho Zenshu, pág. 736) e “Se a
capacitar as pessoas a revelarem o potencial de buda em sua benevolência de Nitiren for verdadeiramente grande e
vida. abrangente, o Nam-myoho-rengue-kyo propagar-se-á por
dez mil anos ou mais, por toda a eternidade, pois este possui
No Sutra de Lótus consta: “No quinto período de
o poder benéfico de abrir os olhos cegos de todos os seres
quinhentos anos após minha morte, realize o Kossen-rufu
vivos da nação japonesa e de bloquear a estrada que conduz
mundial e jamais permita que seu fluxo cesse.” Esta frase
ao inferno dos incessantes sofrimentos”. (Os Escritos de
prediz que, no “quinto período de quinhentos anos” após a
Nitiren Daishonin, vol. 4, pág. 91.)
morte do Buda Sakyamuni, isto é, na era dos Últimos Dias
da Lei, a Lei Mística será propagada pelo mundo inteiro. De acordo com essas frases, o espírito de Nitiren é
o de promover a propagação mundial do budismo. A Soka
O Sutra de Lótus descreve também que a missão de
Gakkai Internacional herdou esse espírito e vem propagando
realizar a propagação mundial do budismo foi delegada para
a Lei Mística pelo mundo inteiro.
os Bodhisattvas da Terra. Esses são discípulos de Sakyamuni
desde o remoto passado e eles surgem em suas respectivas Nitiren afirma: “Se tiver a mesma mente que
terras para cumprir essa missão. Nitiren, com certeza, o senhor deve ser um Bodhisattva da
Terra”. (END, vol. 5, pág. 252.) Conforme essa frase, a Soka
De acordo com o Sutra de Lótus, o Buda Nitiren
Gakkai Internacional é uma instituição de Bodhisattvas da
surgiu na era dos Últimos Dias da Lei para promover a
Terra que assumiram a missão de promover a propagação
propagação do Nam-myoho-rengue-kyo, pela qual arriscou
mundial do budismo. Em outras palavras, por herdar
sua própria vida em diversas perseguições.
corretamente o espírito de Nitiren, a SGI pôde propagar a
Com relação à propagação do budismo, Nitiren Lei Mística em escala mundial.
afirma: “O grande propósito não é senão a propagação do
24
Prática da fé para vencer as dificuldades
BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1945, PÁG. B8, 28 DE JUNHO DE 2008.

No decorrer da prática da fé visando à realização da contrárias tanto no nosso interior como nas circunstâncias da
felicidade absoluta como também no curso da atuação em vida diária. No budismo, essas reações contrárias são
prol do Kossen-rufu surgem diversos obstáculos, maldades e chamadas de Três Obstáculos e Quatro Maldades e servem
até perseguições. Precisamos compreender corretamente a para comprovar a veracidade da prática da fé.
razão disso para que a nossa fé no budismo não seja Além disso, o budismo expõe também que, na
derrotada pelas dificuldades. atuação em prol do Kossen-rufu nos Últimos Dias da Lei,
O ato de praticarmos o budismo para a nossa surgem adversidades e perseguições provocadas por Três
felicidade é, em outras palavras, uma luta que promovemos Poderosos Inimigos, cujo surgimento comprova a atuação
para a transformação radical da nossa própria vida. E essa como digno devoto do verdadeiro ensino.
transformação provoca simultaneamente as reações

Três Obstáculos e Quatro Maldades


Na “Carta aos Irmãos”, Nitiren cita uma passagem e mentais das pessoas.
do quinto volume de Grande Concentração e Discernimento, 2- Maldades dos desejos mundanos: Impedimentos
uma das três principais obras do Grande Mestre Tient’ai, que à prática da fé causados pelos três venenos de avareza, ira e
afirma: “Se professar o verdadeiro ensino, os três obstáculos estupidez.
e quatro maldades surgirão em sucessão. Contudo, nunca
fique influenciado ou amedrontado. Se cair sob suas 3- Maldade da morte: Impedimentos à prática da fé
influências, será levado para o caminho do mal, e se ficar causados pela morte ou pela dúvida em função da morte
amedrontado, será impedido de praticar o verdadeiro prematura de um praticante.
ensino”. (As Escrituras de Nitiren Daishonin [END], vol. 1, 4- Maldade do rei das maldades do sexto céu:
pág. 239.) Nitiren completa essa frase dizendo que esse Impedimentos à prática da fé causados pelas ações do rei das
princípio é aplicável a ele próprio e a todos os seus maldades do sexto céu. É a mais terrível maldade por ser
discípulos, e recomenda que seja transmitido para as futuras difícil de ser identificada por se manifestar por meio de
gerações como uma importante lição. opressão praticada por pessoas que ocupam posições de
Conforme a explicação de Nitiren exposta nesse influência e poder.
mesmo escrito, os três obstáculos são geralmente ações O que devemos considerar nessa questão é o fato de
externas que ocorrem em oposição à prática da fé para que os Três Venenos, cônjuges, filhos, pais, cinco
impedir a crença no budismo. São eles: componentes e morte não são obstáculos e maldades por si
1- Obstáculos dos desejos mundanos: São mesmos. Esses fatores agem como ações a impedir a prática
provenientes dos Três Venenos —avareza, ira e estupidez. da fé em conseqüência da fraca energia vital do próprio
praticante. Por esta razão, é importante fortalecer a vida para
2- Obstáculos do carma: São provenientes do mau não sermos arrastados pelos obstáculos e maldades.
carma criado por cometer um dos cinco pecados
capitais ou dez maus atos. Nesta categoria inclui-se Em “Resposta a Hyoe-no-Sakan”, Nitiren afirma:
a oposição de cônjuges e filhos. “Existe, definitivamente, algo extraordinário no avanço e no
recuo da maré, no levantar e no descer da Lua e nas
3- Obstáculos da retribuição: São provenientes das mudanças das estações. Algo incomum acontece também
ações dos Três Maus Caminhos (estados de Inferno, Fome e quando uma pessoa comum atinge o estado de Buda.
Animalidade). Fazem parte desta categoria os obstáculos Indubitavelmente, com o aparecimento dos três obstáculos e
causados pelas pessoas que exercem algum poder, tais como quatro maldades, o sábio alegrar-se-á e o tolo se
autoridades, governantes e pais. acovardará”. (END, vol. 1, págs. 250-251.)
As quatro maldades se manifestam geralmente no Portanto, devemos considerar com convicção, que o
interior da própria pessoa e impedem a crença no budismo. momento em que surgem os Três Obstáculos e Quatro
São elas: Maldades é a hora de avançar ainda mais firmemente em
1- Maldade dos cinco componentes: Impedimentos direção à iluminação. O importante é superar essas
à prática da fé causados pela desarmonia nas funções físicas manifestações com alegria e fé de um sábio.
25

Três Poderosos Inimigos


No décimo terceiro capítulo do Sutra de Lótus, que gozam do respeito público e são adorados como sumo
“Devoção Encorajadora”, consta que os praticantes que sacerdotes budistas. Vivem geralmente em locais retirados
propagarem o verdadeiro ensino budista (Sutra de Lótus) na como nas montanhas. São ávidos por fama e dinheiro e não
era dos Últimos Dias da Lei enfrentarão diversos insultos têm escrúpulos em obtê-los perseguindo os devotos do Sutra
provocados por três tipos de perseguidores chamados de de Lótus. Por gozarem de certa influência no mundo
Três Poderosos Inimigos. religioso, acusam-os de serem heréticos e induzem as
autoridades a perseguí-los e a bani-los de suas terras.
O ponto em comum nos três inimigos é a
“arrogância” que se refere à presunção de que atingiram a Miao-lo afirma que as perseguições provocadas
iluminação e agem com prepotência se considerando pelos primeiros inimigos podem ser suportadas e vencidas.
superior às outras pessoas. Entretanto, as do terceiro são extremamente maldosas por
serem sorrateiras e difíceis de serem identificadas.
De acordo com a classificação definida pelo Grande
Mestre Miao-lo (711-782) da Escola Tendai da China, os Conforme o Sutra de Lótus, os Três Poderosos
Três Poderosos Inimigos são: Inimigos surgem infalivelmente quando se propaga o
verdadeiro budismo. Nitiren enfrentou as perseguições
1- Leigos arrogantes: Refere-se às pessoas que
desses inimigos e assim pôde comprovar que é o devoto do
desconhecem o budismo e perseguem os praticantes do Sutra
Sutra de Lótus da era dos Últimos Dias da Lei.
de Lótus, menosprezando-os, insultando-os e atacando-os
com espadas e bastões. No escrito “Abertura dos Olhos”, Nitiren escreveu:
“Em tal época, se os três poderosos inimigos preditos no
2- Bonzos arrogantes: Refere-se aos seguidores da
Sutra de Lótus não aparecessem, quem acreditaria nas
ordem budista que perseguem os praticantes do Sutra de
palavras do Buda? Se não fosse por Nitiren, quem cumpriria
Lótus. Por manterem uma fé distorcida, não conseguem
as profecias em relação ao devoto do Sutra de Lótus?” (Os
discernir o verdadeiro ensino do budismo.
Escritos de Nitiren Daishonin, vol. 4, pág. 74.)
Conseqüentemente, apegados a conceitos próprios,
presumem que são superiores aos outros e atacam os Da mesma forma, o surgimento dos Três Poderosos
seguidores do Sutra de Lótus. Inimigos nos tempos atuais comprova a legitimidade da
propagação do verdadeiro budismo.
3- Sacerdotes arrogantes: Refere-se a falsos sábios
26

História da Soka Gakkai


BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1946, PÁG. C2, 05 DE JULHO DE 2008.

A Soka Gakkai surgiu com a missão de propagar mundial mente o Budismo Nitiren. Por meio de suas ações, esse ensino
tornou-se conhecido em mais de 190 países. Ela é uma organização que herdou a ordem e o desejo de Nitiren de concretizar a paz e
o bem-estar da humanidade.
A essência do Sutra de Lótus e do Budismo Nitiren encontra-se na crença de que todas as pessoas, indistintamente,
possuem e podem manifestar o estado de Buda. É a filosofia que prega o humanismo e o respeito absoluto à dignidade da vida.
A Soka Gakkai promove diversas atividades com o propósito de contribuir para o desenvolvimento da cultura humana e
da paz mundial com base no ideal humanístico exposto por Nitiren.

A época do primeiro presidente Tsunessaburo Makiguti


Tsunessaburo Makiguti nasceu em 6 de junho de 1871, na província de Niigata. Na adolescência, mudou sozinho para
Hokkaido, no norte do Japão, para trabalhar e sustentar seus estudos. Aos 18 anos, matriculou-se na Escola Normal de Hokkaido
(atual Faculdade de Pedagogia de Hokkaido). Após a formatura, atuou como professor de ensino fundamental.
Por ter vocação pelo estudo de Geografia, Makiguti escreveu sua primeira obra sob o título Geografia da Vida Humana.
Ele mudou-se para Tóquio em 1901 com o objetivo de publicá-la, o que aconteceu dois anos depois. Ele permaneceu em Tóquio e
exerceu a função de diretor em diversas escolas de ensino fundamental.
Seu discípulo, Jossei Toda, nasceu em 11 de fevereiro de 1900, na província de Ishikawa. Por volta de 1902, sua família
migrou para Vila Atsuta, em Hokkaido. Toda trilhou pelo caminho da educação e tornou-se também professor de ensino
fundamental.
Em 1920, Toda deixou a Vila Atsuta e foi para Tóquio. Ao ser contratado como professor substituto na Escola de Ensino
Fundamental Nishimati, conheceu Tsunessaburo Makiguti, diretor dessa escola. Pouco tempo depois, percebendo a grandiosidade
de Makiguti, Toda tornou-se seu discípulo.
Em meio à atuação na área educacional, Makiguti procurava uma religião que pudesse servir de base para a sua vida. Em
1928, converteu-se ao Budismo Nitiren, sendo seguido logo depois por Toda.

Fundação da Soka Kyoiku Gakkai


Makiguti vinha acumulando vasta experiência ao longo de muitos anos de atuação na área da Educação. Como resultado,
em 18 de novembro de 1930, Makiguti publicou a obra Teoria do Sistema Educacional de Criação de Valores, na qual consta o
nome Soka Kyoiku Gakkai (Sociedade Educacional de Criação de Valores) ao lado dos nomes de Makiguti como autor e de Toda
como editor. Por esse motivo, a data de publicação dessa obra, 18 de novembro de 1930, é considerada como data de fundação da
Soka Gakkai (sucessora da Soka Kyoiku Gakkai).
A Soka Kyoiku Gakkai foi estruturada gradativamente e começou a atuar efetivamente em 1937 como uma organização
composta de educadores que simpatizavam com o sistema educacional Soka (criação de valores). Mais tarde, passou a incorporar
pessoas de outras áreas e se tornou uma organização de leigos praticantes do Budismo Nitiren.
Nessa época, a Nitiren Shoshu, com sede no Templo Principal Taissekiji, era uma pequena entidade religiosa formada por
clérigos, cujos adeptos formavam uma espécie de paróquia em torno de templos locais e recebiam orientações de seus priores. No
entanto, desde a sua fundação, a Soka Kyoiku Gakkai se estabeleceu como instituição independente da Nitiren Shoshu. Em torno
do presidente Makiguti e do diretor-geral Toda, a organização permaneceu como entidade leiga autônoma e seus integrantes
receberam orientações sobre a prática do budismo por intermédio de sua liderança, sem se subordinarem ao clero da Nitiren
Shoshu.
A prática religiosa desenvolvida na Soka Kyoiku Gakkai objetivava a comprovação da felicidade na vida diária de seus
membros, incentivando-os a se fortalecerem na fé e na prática como também a atuarem pela paz e prosperidade social, sem se
prenderem a rituais religiosos nos templos ou nas ocasiões de casamentos e funerais. Portanto, promoveu a mais correta forma de
prática religiosa baseada no espírito original do Budismo Nitiren.
A Soka Kyoiku Gakkai foi se desenvolvendo por meio da promoção de reuniões de palestras e de campanhas de
conversão por todo o Japão, chegando a alcançar cerca de três mil associados.
27

Enfrentando o regime militar japonês


O governo japonês, que se inclinava para o militarismo com forte tendência para a expansão da guerra, adotou o
xintoísmo como religião oficial e como suporte espiritual da nação. Quando eclodiu a Segunda Guerra Mundial, o governo impôs a
unificação de religiões e a adoração do talismã xintoísta.
Em junho de 1943, o clero da Nitiren Shoshu, temendo a repressão do governo militar, instruiu a Gakkai a aceitar o
talismã xintoísta. Essa atitude do clero era uma heresia que contrariava os ensinos de Nitiren. A Gakkai rejeitou a idéia de aceitar o
talismã xintoísta, mantendo-se fiel aos ensinamentos budistas. Como resultado, no dia 6 de julho do mesmo ano, Makiguti, Toda e
mais 21 líderes da Gakkai foram detidos. Diante do rigor dos interrogatórios, somente Makiguti e Toda mantiveram-se firmes em
suas convicções, enquanto os demais se apostataram da fé.

A percepção alcançada na prisão


Na prisão, Jossei Toda empenhou-se na recitação do Após o término da guerra, durante uma cerimônia
Daimoku e na leitura do Sutra de Lótus e chegou à em memória a Makiguti, Toda disse: “Com sua vasta e
percepção de que “Buda é a própria vida”. Percebeu também ilimitada benevolência, o senhor deixou-me acompanhá-lo
que era um Bodhisattva da Terra que participara da até mesmo na prisão. Graças a isso, pude ler com minha
Cerimônia no Ar descrito no Sutra de Lótus. Essa percepção própria vida a passagem do Sutra de Lótus — ‘[eles]
ocorreu em novembro de 1944. habitaram aqui e lá em várias terras do Buda, renascendo
constantemente em companhia de seus mestres’. Como
Nessa mesma ocasião, no dia 18 de novembro de
resultado desse benefício, entendi o verdadeiro significado
1944, o presidente Makiguti veio a falecer na prisão, em
do ensino dos Bodhisattvas da Terra e pude, embora apenas
Tóquio, apresentando um quadro de senilidade e desnutrição.
superficialmente, compreender o significado do Sutra de
Assim, na mesma data de fundação da Soka Gakkai,
Lótus com a minha própria vida. Como é grande essa
Makiguti faleceu como um mártir aos 73 anos de idade. Foi
felicidade!”
uma nobre existência de ação concreta de “não poupar a
própria vida” conforme consta no Gosho. Ele reviveu, de A frase “[eles] habitaram aqui e lá em várias terras
forma pioneira para a época, o espírito de Nitiren Daishonin do Buda, renascendo constantemente em companhia de seus
de propagar a Lei Mística e de salvar o povo dos mestres” é uma passagem do 7o capítulo do Sutra de Lótus,
sofrimentos. “Parábola da Cidade Imaginária”, que descreve os laços de
mestre e discípulo nascendo sempre juntos em quaisquer
O seu discípulo, Jossei Toda, por meio da
terras do Buda para se empenharem pela salvação das
percepção alcançada na prisão, criou uma inabalável
pessoas. Enquanto as demais pessoas se afastavam da fé, o
convicção no Budismo de Nitiren Daishonin e a plena
presidente Toda relata o seu sincero sentimento de
consciência da própria missão como um líder do Kossen-
retribuição às dívidas de gratidão em relação ao seu mestre
rufu. A percepção de Toda na prisão se tornou o ponto
Makiguti, demonstrando o profundo laço de mestre e
primordial do progresso da Soka Gakkai de pós-guerra.
discípulo.

A época do segundo presidente Jossei Toda


Libertado em 3 de julho de 1945, Toda iniciou imediatamente a reconstrução da Soka Gakkai. Alterou o nome Soka
Kyoiku Gakkai (Sociedade Educacional de Criação de Valores) para Soka Gakkai (Sociedade de Criação de Valores) com o
propósito de atuar em prol da paz mundial e da felicidade da humanidade, transcendendo o objetivo inicial de promover a reforma
educacional. Retomou também a realização de reuniões de palestra e de campanhas de propagação em várias localidades do
interior do Japão.
Daisaku Ikeda nasceu no bairro de Ota, em Tóquio, no dia 2 de Janeiro de 1928. Quando estava com 13 anos de idade,
eclodiu a Segunda Guerra Mundial e seus quatro irmãos maiores foram convocados para a frente de batalha. O jovem Ikeda passou
a trabalhar numa indústria de armamentos para ajudar no sustento de sua família. Porém, vivia imerso no questionamento sobre a
vida e a morte por estar acometido de tuberculose. Ele vivenciou os horrores da guerra sob constantes ataques aéreos e sofreu com
a tristeza de sua mãe diante da morte do filho no campo de batalha. Após o término da guerra, estudou inúmeras obras literárias e
filosóficas em busca de uma visão correta sobre a vida.

O encontro com Jossei Toda


Nessas circunstâncias, o jovem Ikeda participou de uma reunião de palestra da Soka Gakkai no dia 14 de agosto de 1947,
encontrando-se pela primeira vez com Toda que se tornaria seu mestre.
Naquele dia, o presidente Toda explanou a “Tese sobre o estabelecimento do ensino correto para a paz da nação”. Ao
28
término da explanação, o jovem Ikeda fez uma série de perguntas tais como: Qual é o modo correto de vida? O que é ser um
verdadeiro patriota? Qual o significado de Nam-myoho-rengue-kyo? O que entende por imperador? Diante das respostas claras e
coerentes de Toda, o jovem Ikeda sentiu que poderia confiar em suas palavras. Dez dias depois, em 24 de agosto de 1947, Ikeda
converteu-se ao Budismo Nitiren.
A partir de então, o jovem Ikeda, que na época freqüentava o curso noturno do Instituto Educacional Taisei (predecessora
da Faculdade Fuji de Tóquio), estudou o budismo participando das explanações de Toda sobre o Sutra de Lótus. Em janeiro de
1949, passou a trabalhar na editora de Toda.
Devido à caótica situação econômica de pós-guerra, as empresas de Toda faliram e ele renunciou ao cargo de diretor geral
da Soka Gakkai. Enquanto a maioria dos funcionários o abandonava, somente Ikeda permaneceu ao lado de seu mestre. Deixou
inclusive de freqüentar o curso noturno para apoiá-lo integralmente. Por isso, Toda passou a ministrar aulas particulares sobre as
mais variadas matérias com qualidade superior a de qualquer curso superior, o qual ficou conhecido como “Universidade Toda”.

A posse do segundo presidente


Em 3 de maio de 1951, Jossei Toda tomou posse como segundo presidente e lançou o objetivo de concretizar 750 mil
conversões. Era um número quase impossível de ser alcançado considerando que havia apenas três mil membros. Toda planejou
diversas estratégias visando a ampliação do movimento pelo Kossen-rufu. Assim, um pouco antes de sua posse presidencial, no dia
20 de abril, foi publicada a primeira edição do jornal Seikyo Shimbun, ocasião em que ele começou a escrever a série do romance
Revolução Humana. O significado de “revolução humana” consiste na transformação da condição de vida de cada pessoa com base
na prática da fé. Toda reavivou o Budismo de Nitiren Daishonin na época contemporânea por meio da filosofia de vida inserida na
“revolução humana”. Além disso, logo após a sua posse, fundou as Divisões Feminina, Masculina de Jovens e Feminina de Jovens.
Em janeiro de 1952, indicado por Toda, Daisaku Ikeda assumiu a função de secretário do Distrito Kamata onde, em
fevereiro, alcançou o inédito resultado de 201 conversões, rompendo todos os limites da campanha de propagação da época. Tal
feito acelerou o ritmo da propagação em toda a Soka Gakkai.
Paralelamente à expansão, Toda publicou a Coletânea Completa dos Escritos de Nitiren Daishonin (Nitiren Daishonin
Gosho Zenshu) em abril de 1952, em comemoração dos 700 anos de fundação do Budismo Nitiren.

A manifestação da natureza maligna do poder


Em 1956, o jovem Ikeda desenvolveu uma ampla campanha de propagação na região de Kansai, alcançando no mês de
maio o inédito resultado de 11.111 conversões no Distrito Osaka. Em julho daquele ano, como responsável da campanha eleitoral
em Osaka, alcançou uma vitória prevista como impossível. A partir dessa vitória, a Soka Gakkai passou a ser o foco das atenções
como uma organização influente na sociedade. Ao mesmo tempo, passou a receber diversas pressões injustas por parte do poder
constituído. Daisaku Ikeda enfrentou de forma corajosa tais pressões com o propósito de proteger os membros da Soka Gakkai.
Em 3 de julho de 1957, Ikeda foi detido injustamente sob falsa acusação de fraude eleitoral. Durante as duas semanas de
interrogatório, foi ameaçado de que prenderiam o presidente Toda caso não assumisse a culpa. A fim de preservar a saúde de seu
mestre, que se encontrava debilitado, Ikeda viu-se obrigado a assumir a responsabilidade e foi libertado no dia 17 de julho. O
processo judicial desse Incidente de Osaka se arrastou até 25 de janeiro de 1962, quando a justiça japonesa o declarou inocente.

Confiando a herança do Kossen-rufu


Em 8 de setembro de 1957, Toda proferiu a “Declaração pela Abolição das Armas Nucleares” que se tornou diretriz do
movimento da Soka Gakkai em prol da paz. Na declaração, ele condena o uso de armas nucleares considerando-as como “grande
mal” a despojar o direito à vida. Em dezembro daquele ano, ele concluiu o empreendimento maior de sua vida concretizando 750
mil conversões.
No dia 16 de março de 1958, foi realizada a cerimônia de transmissão do bastão do Kossen-rufu a seis mil membros da
Divisão dos Jovens. Esse dia ficou conhecido como Dia do Kossen-rufu. Duas semanas depois, no dia 2 de abril, Jossei Toda
encerrou sua nobre existência aos 58 anos de idade, após concluir todos os seus empreendimentos.

A época do terceiro presidente e presidente da SGI, Daisaku Ikeda


Após o falecimento de Jossei Toda, Ikeda tornou-se o principal líder da Soka Gakkai e assumiu a terceira presidência da
organização em 3 de maio de 1960 com apenas 32 anos de idade.
Cinco meses depois, em 2 de outubro, Ikeda marcou o seu primeiro passo para a propagação mundial do Budismo Nitiren
partindo para a sua primeira viagem rumo à América do Norte e América do Sul. Em janeiro do ano seguinte, viajou para a Ásia e
29
Índia; e, em outubro, visitou a Europa. Assim se iniciou a promoção do Kossen-rufu mundial e o retorno do budismo para o oeste
conforme predito por Nitiren.
Para realizar os ideais traçados por Toda, Ikeda expandiu o movimento em prol da paz, cultura e educação e fundou o
Instituto de Filosofia Oriental, a Associação de Concertos Min-On, o Museu de Arte Fuji de Tóquio, e o Sistema de Ensino Soka,
que abrange o jardim de infância até o curso superior.
Em 8 de setembro de 1968, Ikeda apresentou uma proposta para reatar as relações diplomáticas sino-japonesas e, em
1972, dialogou com o renomado historiador Arnold Toynbee. Numa época em que havia espessas barreiras criadas pela Guerra
Fria, Ikeda abriu caminhos de paz e amizade visitando e dialogando com os líderes da China, da antiga União Soviética e dos
Estados Unidos.
Em 26 de janeiro de 1975, ele fundou a Soka Gakkai Internacional (SGI) na Ilha de Guam, sendo seu nome indicado para
presidente.
Em abril de 1979, ele se torna presidente honorário da Soka Gakkai.

Homenagens e reconhecimentos
A partir de 1983, Daisaku Ikeda veio apresentando honorária.
anualmente uma Proposta de Paz no dia 26 de janeiro, Dia Paralelamente a esse desenvolvimento, ocorreu um
da SGI. O encontro com personalidades e intelectuais soma incidente em 1991 em que o clero da Nitiren Shoshu
até hoje mais de 1.600 encontros. As obras literárias na excomungou mais de 10 milhões de adeptos que faziam
forma de diálogo com intelectuais do mundo alcançam 50 parte da Soka Gakkai. Esse ato arbitrário foi considerado
títulos. Em particular, o diálogo com o Dr. Arnold Toynbee como heresia por opor-se ao espírito do Buda Nitiren.
já foi publicado em 27 idiomas, recebeu a aprovação de um Apesar de outras diversas tentativas de destruir a
grande número de personalidades e de líderes mundiais. organização, a Soka Gakkai conseguiu superar essa
Além disso, o presidente Ikeda realizou até hoje mais de 30 problemática e promoveu uma ampla campanha de
palestras e conferências em renomadas universidades e propagação no mundo inteiro.
entidades científicas.
Atualmente (2008), os membros da SGI atuam em
Em 1995, foi aprovada a “Carta da SGI” que 192 países e territórios e vêm comprovando a veracidade do
estabelece os princípios filosóficos e humanísticos da SGI. Budismo Nitiren em sua vida, desenvolvendo ao mesmo
Em 1996, foi fundado o Centro Internacional Toda de tempo a formação de jovens como herdeiros do Kossen-rufu
Pesquisas da Paz que tem como fundamento os e como discípulos do presidente Ikeda.
ensinamentos do presidente Toda. E, em 2001, foi
inaugurada a Universidade Soka da América, em Aliso Por outro lado, como base no humanismo budista,
Viejo. Assim, atualmente, o movimento em prol da paz, os membros da SGI procuram contribuir para a prosperidade
cultura e educação com base no budismo se expandiu em social em seus respectivos países, promovendo diversos
escala mundial. eventos nas áreas de cultura, educação, música, dança,
exposição, os quais têm sido alvos de reconhecimento
Atualmente, os nomes dos presidentes Makiguti, público.
Toda e Ikeda vêm sendo reconhecidos em todo o mundo, na
forma de denominação de praças e logradouros bem como de Dessa forma, por meio da atuação dos membros da
homenagens e condecorações diversas. Até o dia 3 de maio SGI, o Budismo Nitiren vem se tornando uma luz de
de 2008, o presidente Ikeda havia recebido 27 condecorações esperança para toda a humanidade.
estatais, 234 títulos acadêmicos e 565 títulos de cidadania Fonte: Revista Daibyakurengue, outubro de 2007
30

História da BSGI: As quatro visitas do presidente Ikeda ao Brasil


BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1946, PÁG. C5, 05 DE JULHO DE 2008.

Primeira visita
Daisaku Ikeda desembarcou no Aeroporto de em São Paulo, o presidente Ikeda anunciou a fundação do
Congonhas, em São Paulo, por volta da 1 hora da madrugada primeiro distrito fora do Japão, o Distrito Brasil, composto
do dia 19 de outubro de 1960. Esta data foi denominada mais das comunidades São Paulo, Arujá e Campinas.
tarde de Dia da BSGI. Nessa ocasião, ele disse: “O Brasil tornou-se
Ele havia tomado posse como terceiro presidente da pioneiro do Kossen-rufu mundial. Aqui existe um potencial
Soka Gakkai cinco meses antes, em 3 de maio, e ilimitado para o futuro. Como desbravadores da paz e da
empreendeu sua primeira viagem para fora do Japão partindo felicidade, solicito aos senhores que abram em meu lugar o
de Tóquio em 2 de outubro, data esta conhecida atualmente caminho do Kossen-rufu do Brasil. Por favor, conto com os
como Dia da Paz Mundial. senhores”. (Ibidem, pág. 199.)
Nessa viagem, que durou 23 dias, o presidente No jantar realizado nessa noite com os recém-
Ikeda visitou as cidades americanas de Honolulu, São nomeados dirigentes do Distrito Brasil, o presidente Ikeda
Francisco, Seattle, Chicago, Nova York, Washington e Los recomendou: “A partir de agora, o Kossen-rufu do Brasil vai
Angeles, além de São Paulo (Brasil) e Toronto (Canadá). alcançar um grande avanço. É importante que os senhores,
como dirigentes, em vez de pensarem em se tornar flores e
A exaustiva viagem e o intenso esforço para
frutos, tenham a decisão de se tornarem o próprio solo do
desbravar os primeiros passos do Kossen-rufu mundial
Brasil para o bem dos companheiros que os sucederão. Ao
debilitaram o seu corpo que sofria de problemas de saúde
mesmo tempo, transmitam a todos o quanto é maravilhoso
que o acometiam desde a juventude. Em Nova York, os
viver junto com a Soka Gakkai e em prol do Kossen-rufu.
líderes o aconselharam a interromper a viagem ao Brasil para
(...) Outro ponto importante é a decisão dos senhores de
não piorar sua condição de saúde.
jamais se afastarem da Soka Gakkai, aconteça o que
Diante dessa preocupação, o presidente Ikeda disse: acontecer. Uma vez que se encontram na posição de orientar
“Contudo, eu irei. Existem companheiros que estão me os membros, se abandonarem a prática da fé, traindo os
aguardando. Jamais cancelaria a viagem sabendo que eles companheiros, esse ato se constituirá numa falta muito
estão me esperando. O senhor sabe perfeitamente que o grave. Além disso, chegará a época em que a Gakkai terá de
maior objetivo desta viagem é a visita ao Brasil. Chegamos enfrentar várias formas de opressão. Haverá também com
até aqui exatamente para isso. Não podemos desistir na toda a certeza movimentos que tentarão conturbar a união
metade do caminho. Houve alguma vez em que o presidente harmoniosa da Soka Gakkai. Mas é justamente polindo-nos
Toda recuou em meio a uma luta?! Eu sou discípulo do por meio dessas provações que nos tornamos verdadeiros
presidente Toda! Eu vou. Vou sem falta, custe o que custar! budistas e alcançamos um glorioso curso de vida”. (Ibidem,
Se tiver de tombar, então tombarei em combate! Que págs. 203-204.)
desventura pode haver nisso?!” (Nova Revolução Humana,
No dia seguinte, 21 de outubro, o presidente Ikeda
vol. 1, pág. 178.)
seguiu viagem para Los Angeles, EUA, e retornou depois
Com essa determinação e mesmo ciente do risco para Tóquio no dia 25. Durante as poucas horas que passou
que poderia enfrentar, o presidente Ikeda desembarcou em em São Paulo, o presidente Ikeda plantou a semente do
São Paulo. espírito da unicidade de mestre e discípulo no coração de
No dia 20, diante de cerca de 150 pessoas reunidas algumas dezenas de membros daquela época e os incentivou
no salão do restaurante Chá Flora, no bairro da Liberdade, a iniciar o movimento de propagação do Budismo Nitiren em
terras brasileiras.

Segunda visita
Em pouco mais de cinco anos, desde a sua desembarcou no Rio de Janeiro em 10 de março de 1966,
fundação, a BSGI alcançou grande resultado na propagação acompanhado de sua esposa Kaneko. No Rio havia nessa
do budismo promovida por aqueles 150 membros que se época 166 famílias fazendo parte de três comunidades e dez
reuniram no restaurante Chá Flora. blocos.
No início de 1965, o número de membros girava em O Brasil estava sob regime militar desde 1964 e os
torno de 2.500 famílias. Essa quantidade cresceu para 5.600 cinco dias da segunda visita do presidente Ikeda
em agosto, e, no fim do ano, chegou a 6.800 famílias. Nos transcorreram sob constante vigilância policial em
dois primeiros meses de 1966 foram realizadas mais 1.200 conseqüência de informações distorcidas sobre a Soka
conversões, totalizando oito mil famílias. Gakkai.
Em sua segunda visita ao Brasil, o presidente Ikeda O Departamento de Ordem Política e Social —
31
poderosa polícia política da época, rotulou a Soka Gakkai campo da política deve ser analisada e definida pelos
como uma organização política com fachada de instituição membros de cada país. É um assunto que não devo interferir
religiosa. Com base na suspeita de que o objetivo da visita nem ditar alguma instrução. Antes de tudo, sou japonês e
do presidente Ikeda era o de fundar um partido político no penso que não devo intrometer-me nesse assunto.
Brasil, seus passos foram vigiados pelos agentes policiais. Pessoalmente, penso que não há nenhuma necessidade de
criar um partido político seja no Brasil ou em qualquer outro
Na manhã do dia seguinte da chegada no Rio, o
país”. (Ibidem, vol. 11, pág. 17.)
presidente Ikeda foi procurado por um jornalista que
publicara um artigo difamatório sobre a Soka Gakkai. Na Depois de algum tempo, esse jornalista publicou
entrevista, ele esclareceu: “A religião existe para uma matéria esclarecendo que não havia nenhum
proporcionar felicidade às pessoas, para construir um mundo fundamento no alarde criado em torno da Soka Gakkai,
de paz e também para criar uma sociedade cada vez melhor. tachando-a de organização fascista. A entrevista prestada
Esses propósitos fazem parte da missão original que deve ser pelo presidente Ikeda foi reportada corretamente e os
cumprida pelas religiões. Sendo assim, uma religião que objetivos da Soka Gakkai foram descritos sem distorção.
fecha seus olhos e permanece indiferente diante dos Além da entrevista e de encontrar com os membros
sofrimentos das pessoas e dos problemas sociais deve ser pioneiros, o presidente Ikeda subiu ao Morro do Corcovado
qualificada como uma religião morta. No caso do budismo, de onde conheceu a Baía da Guanabara, o Pão de Açúcar e o
cuja essência está embasada no Sutra de Lótus, expõe o Cristo Redentor.
caminho da benevolência e ensina que todas as pessoas são
dotadas da natureza de Buda, revelando a suprema igualdade O ponto alto da segunda visita ao Brasil foi a
e o respeito absoluto à dignidade da vida. A Soka Gakkai, realização de dois eventos: o Festival Cultural da América
por sua vez, tem como objetivo contribuir para a paz e a do Sul, realizado no dia 13 de março no Teatro Municipal de
felicidade das pessoas aplicando os princípios filosóficos do São Paulo com a presença de 1.700 figurantes de várias
budismo nos diversos campos da atividade humana tais localidades do Brasil e o encontro com cinco mil membros
como a arte, a cultura e a educação. Com base nesse no Ginásio de Esportes do Pacaembu, também em São
pensamento, elegemos nossos membros para atuarem Paulo. Esses eventos foram realizados sob a vigilância de
também no campo da política”. (Ibidem, vol. 11, pág. 16.) centenas de policiais.
O jornalista perguntou-lhe se a Soka Gakkai Todo o empenho dos membros dessa época resultou
pretendia criar um partido político no Brasil. A resposta foi na inauguração da sede própria da BSGI em São Paulo, hoje
clara: “No caso de assuntos relacionados com a crença no é a Sede Social da Divisão Feminina. A organização, que era
budismo, eu posso prestar meus conselhos e fazer minhas um distrito, passou a ser composta de três distritos gerais
recomendações. Porém, a questão de como tratar e agir no (atual regional ou área) e sete distritos.

Visita cancelada
Em 1974, o presidente Ikeda planejou uma viagem final, em uníssono, todos entoaram a canção “Juntos com
aos Estados Unidos e ao Brasil. A BSGI programou então a Sensei” num brado para comprovar a justiça e trazê-lo ao
realização de um festival cultural em São Paulo para recebê- Brasil.
lo. Todos os membros o aguardaram com expectativa, Figurantes e espectadores cantaram olhando
queriam mostrar suas vitórias e transformar o fixamente para a cadeira vazia no centro da primeira fila do
constrangimento da última visita que ocorrera sob rigorosa mezanino. Era o lugar que seria ocupado pelo presidente
vigilância policial. Ikeda. Havia ali apenas um ramalhete de flores que lhe seria
O festival seria nos dias 16 e 17 de março, no entregue como boas-vindas. Embora não estivesse presente,
Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo. Porém, todos viam vividamente no coração seu rosto sorridente
a emissão do visto de entrada no Brasil foi negado: o acenando em direção a eles.
governo brasileiro estava temeroso por causa de uma Durante o período que se sucedeu, os membros
denúncia anônima de que havia um indivíduo perigoso na brasileiros redobraram seus esforços nas atividades para que
comitiva. a BSGI fosse reconhecida como uma organização digna de
Dias antes do festival, o presidente Ikeda disse ao respeito.
telefone: “Embora não possa viajar desta vez, irei sem falta Os jovens não permitiriam que aquela situação se
para incentivar os companheiros do Brasil”. (Ibidem, vol. 11, repetisse e decidiram divulgar amplamente os ideais Soka à
pág. 58). A tristeza e indignação de todos se tornaria a força sociedade. A partir daí, muitos festivais e atividades
propulsora para mudar a história. culturais dos mais variados tipos foram promovidos e a
No dia 16, pouco antes do início do festival, os BSGI participou de diversos eventos sociais. Dessa forma, a
figurantes foram avisados do adiamento da visita. O que se organização cresceu e o rigoroso inverno estava chegando ao
seguiu foi um silêncio acompanhado de soluços. Mesmo fim.
assim, o festival foi realizado de forma magnífica. No grande
32

Terceira visita
Foram dezoito anos de espera, mas, em 19 de com os senhores, que são sublimes mensageiros do Buda.
fevereiro de 1984, o presidente Ikeda desembarcou pela Este grandioso festival cultural ficará sem dúvida alguma
terceira vez em São Paulo. gravado eternamente na história do Kossen-rufu do Brasil
com todo seu brilhantismo. Até chegar este momento,
Durante os onze dias de permanência no Brasil, ele
quanto avanço e devoção não houve da parte dos senhores e
viajou para Brasília onde manteve audiências com o
quantos belos laços de solidariedade não se formaram entre
presidente da República, com os ministros da Casa Civil, da
todos! Neste momento, meu sentimento é o de abraçar cada
Educação e Cultura e das Relações Exteriores como também
um dos senhores, apertar a mão de cada um e louvar com
visitou e doou livros para a Universidade de Brasília. Nos
lágrimas nos olhos e profunda gratidão o nobre empenho de
intervalos desses compromissos, encontrou-se com os
todos. A Lei Mística é a fonte inesgotável da criatividade
membros e os incentivou calorosamente.
cultural que construirá o novo século. Declaro com toda a
No dia 25 de fevereiro, o presidente Ikeda determinação que este é o caminho absoluto para edificar um
surpreendeu com sua repentina presença os milhares de mundo de verdadeira paz e felicidade”. (Ibidem, pág. 73.)
figurantes e membros que se encontravam no Ginásio de
Os figurantes e os espectadores, formando um único
Esportes do Ibirapuera, em São Paulo.
coro, cantaram com altivo orgulho a canção “Saudação a
Quando ele adentrou no ginásio e começou a dar a Sensei”. Essa canção encorajou os companheiros do Brasil
volta na pista olhando para os membros que lotavam as nos momentos mais difíceis, incentivando-os a desafiar seus
arquibancadas, uma forte ovação e um turbilhão de palmas próprios limites. Foi a canção que criou a forte solidariedade
estremeceram o local. Todos aguardavam por esse grande e o companheirismo entre os valorosos membros de todos os
momento. recantos da terra brasileira.
Depois de percorrer o ginásio com os braços Desde então, a BSGI avançou na vanguarda do
erguidos, ele pegou o microfone e externou seu profundo movimento pelo Kossen-rufu em direção ao século 21,
sentimento aos membros do Brasil: “Sinto-me muito feliz surpreendendo o mundo com seu resplandecente
por estar aqui junto com todos os senhores. Foram dezoito desenvolvimento tal como o sol que se ergue imponente e
anos de longa espera, mas finalmente pude reencontrar-me destemido lançando raios dourados pelo céu.

Quarta visita
O presidente da SGI, Daisaku Ikeda, desembarcou Escola Pública do Estado de São Paulo” e de “Professor
no dia 9 de fevereiro de 1993 no Aeroporto Internacional do Visitante Honorário” da Universidade de São Paulo.
Rio de Janeiro onde fora recebido por inúmeras No Paraná, o presidente Ikeda foi homenageado
personalidades, entre elas o presidente da Academia com a Ordem do Pinheiro pelo governo do Estado, com o
Brasileira de Letras (ABL), Austregésilo de Athayde. título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do
Nessa capital, além de manter inesquecíveis Paraná e recebeu o título de cidadão honorário de Londrina.
encontros com os membros, o presidente Ikeda foi acolhido No Centro Cultural Campestre, participou da
como sócio correspondente da ABL e homenageado com o Convenção Sul-Americana da SGI, da 16o Convenção da
título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do SGI e de vários outros eventos.
Rio de Janeiro.
Durante os memoráveis dias que esteve em terras
Na seqüência, viajou para Buenos Aires brasileiras, o presidente Ikeda vivenciou o grande avanço da
(Argentina), Assunção (Paraguai) e Santiago (Chile), BSGI desde sua primeira visita em 1960. A BSGI avança
retornou para São Paulo e permaneceu no Centro Cultural agora rumo ao seu cinqüentenário em 2010 e orgulha-se em
Campestre da BSGI. manter a relação de mestre e discípulo como fonte
O governo paulista homenageou-o com a Medalha primordial de seu crescimento desde a sua fundação.
dos Bandeirantes, com o título de “Educador Emérito da
33

A problemática do clero e as heresias da seita Nikken


BRASIL SEIKYO, EDIÇÃO Nº 1946, PÁG. C7, 05 DE JULHO DE 2008.

O que é o clero da Nitiren Shoshu?


A Soka Gakkai foi fundada em 18 de novembro de governo militar japonês impôs o xintoísmo (religião nativa
1930 por Tsunessaburo Makiguti e Jossei Toda. Por ser do Japão) à população como religião oficial, obrigando a
inicialmente uma instituição de pesquisa do Sistema adoração do talismã xintoísta. O clero da Nitiren Shoshu,
Educacional de Criação de Valores desenvolvido por temendo ser alvo de represálias do governo, convocou
Makiguti, foi composta de educadores e professores e por Makiguti e Toda, que na época eram respectivamente
esse motivo foi chamada de Soka Kyoiku Gakkai (Sociedade presidente e diretor-geral da Soka Gakkai, para convencê-los
Educacional de Criação de Valores). a aceitarem o talismã xintoísta. Entretanto, os dois
mantiveram o espírito de Nitiren Daishonin de jamais ser
Por outro lado, pelo fato de Makiguti e Toda
condescendentes com a heresia e rejeitaram energicamente
praticarem o Budismo de Nitiren Daishonin desde 1928, a
essa imposição. Eles lutaram também contra a posição do
Soka Kyoiku Gakkai foi se transformando gradativamente
governo de manter o controle de pensamento e convicção
numa organização de praticantes leigos do budismo.
religiosa em defesa da liberdade de crença.
Nessa época, entre as instituições religiosas que
Em meio a essa circunstância, o clero orientou os
professavam o Budismo Nitiren, a Nitiren Shoshu era a
adeptos a seguirem o xintoísmo, proibiu a publicação dos
única que seguia a doutrina herdada por Nikko Shonin,
escritos de Nitiren Daishonin, chegando inclusive a cometer
considerado o legítimo sucessor de Nitiren Daishonin. A
o terrível ato de eliminar frases dos escritos que pudessem
Nitiren Shoshu, com sede no Templo Principal Taissekiji,
ofender o governo xintoísta. Além disso, apoiou ativamente
era ainda uma pequena entidade religiosa composta de
os atos de guerra instigando os adeptos a orarem pela vitória
clérigos, cujos adeptos formavam uma espécie de paróquia
nas frentes de batalha. Esses fatos colocaram em evidência a
em torno de templos locais e recebiam as orientações de seus
inexistência do espírito de Nitiren Daishonin no clero da
priores. Contudo, a Soka Kyoiku Gakkai se posicionou como
Nitiren Shoshu.
instituição independente da Nitiren Shoshu, mantendo porém
vínculos correlatos. A Soka Gakkai permaneceu como No dia 6 de julho de 1943, Makiguti, Toda e mais
entidade leiga autônoma e seus membros receberam 21 líderes da Soka Gakkai foram detidos. Somente Makiguti
orientações sobre a prática do budismo de seus líderes sem e Toda se mantiveram firmes em suas convicções, enquanto
ficarem subordinados à classe dos clérigos. os demais se apostataram da fé. Makiguti morreu na prisão
em 18 de novembro de 1944 e Toda foi libertado em 3 de
A Soka Gakkai assumiu essa posição porque
julho de 1945.
Makiguti via com olhos críticos a situação do clero da
Nitiren Shoshu que havia se afastado do espírito de Nitiren Com sua libertação pouco antes do término da
Daishonin, tornando-se uma mera entidade religiosa, tal guerra, Toda se levantou sozinho para a reconstrução da
como outras seitas budistas que se ocupavam apenas de organização. Empenhou-se também em proteger o clero com
formalidades religiosas como funerais e cerimônias em a esperança de estabelecer a harmonia entre clérigos e leigos.
memória aos falecidos. Por essa decadência que aconteceu Em 1952, quando a Soka Gakkai já estava melhor
ao longo de muitos anos, as seitas budistas em geral foram estruturada, Toda organizou a realização de peregrinação ao
chamadas pela população de “religião de funeral” pelo fato Templo Principal para que os membros pudessem apoiar a
de os bonzos cobrarem donativos exorbitantes. caótica situação financeira do clero da Nitiren Shoshu e
elaborou também o projeto de construção de templos locais.
Além disso, os clérigos da Nitiren Shoshu não
tinham consciência de que o Budismo de Nitiren Daishonin Com a posse de Daisaku Ikeda como terceiro
expunha os princípios fundamentais que poderiam mudar o presidente da Soka Gakkai em 3 de maio de 1960, a proteção
destino das pessoas e da sociedade, nem se esforçavam em ao clero se tornou ainda mais acentuada. Com o apoio de
propagá-lo visando o Kossen-rufu. Devido a essa todos os membros da Soka Gakkai, ele promoveu a
decadência, agravada com a disputa interna de poder entre os construção do Daikyakuden e do Shohondo (ambos
clérigos, a doutrina de Nitiren Daishonin, herdada por Nikko destruídos mais tarde pelo sumo-prelado Nikken) nas áreas
Shonin, estava sendo desviada dos seus reais propósitos. do Templo Principal Taissekiji, além de construir mais de
Diante desse cenário, a Soka Kyoiku Gakkai pôde recuperar 350 templos locais.
a legitimidade do Budismo Nitiren como religião viva que Essa história repleta de desafios e triunfos foi
conduz as pessoas para a felicidade e realiza a paz social. construída sob a liderança de seus três primeiros presidentes,
A diferença de convicção religiosa entre a Soka considerados como eternos mestres do Kossen-rufu:
Gakkai e o clero tornou-se evidente em 1943 quando o Tsunessaburo Makiguti, Jossei Toda e Daisaku Ikeda.
34

A problemática do clero
Desde a sua fundação, a Soka Gakkai veio apoiando Shoshu). A direção do clero recusou todos os pedidos dos
e protegendo o clero da Nitiren Shoshu. Entretanto, devido à líderes da organização de manter contato direto para dialogar
natureza autoritária dos clérigos, ocorreram atritos entre o sobre a problemática numa tentativa de encontrar soluções.
clero e a Soka Gakkai. Tais situações foram ultrapassadas a Além disso, o clero proibiu a concessão do Gohonzon para
partir do propósito da organização de manter a harmonia os membros da Soka Gakkai, chegando ao extremo de
entre clérigos e adeptos. excomungá-los em novembro de 1991.
No final da década de 70, um grupo de clérigos Em 1993, a Soka Gakkai adotou o Gohonzon
chegou a promover ataques desarrazoados à Soka Gakkai transcrito por Nitikan Shonin promovendo a sua concessão
tentando persuadir os seus membros a se afastarem da para os membros do mundo inteiro. Ela se tornou realmente
organização e se tornarem adeptos diretos dos templos uma instituição independente do clero em todos os aspectos
(Danto). Nessa ocasião, da mesma forma como os atritos e assinalou um grande avanço como organização promotora
anteriores, a situação foi resolvida mediante a sincera e do Kossen-rufu, diretamente ligada a Nitiren Daishonin.
honesta conduta da Soka Gakkai. A heresia do clero e a retidão da Soka Gakkai se
Entretanto, em dezembro de 1990, o clero da tornaram evidentes passados poucos anos do início da
Nitiren Shoshu, sob a liderança do sumo-prelado Nikken, problemática. Enquanto a Soka Gakkai se expandiu de 115
investiu repentinamente contra a Soka Gakkai, atacando-a países em 1990 para 192 em 2008, o clero seguiu por uma
com injustas e infundadas críticas e difamações. O clero trilha de vertiginosa decadência.
colocava em ação um plano arquitetado por Nikken numa Em dezembro de 2005, alegando problemas de
tramóia de destruir a Soka Gakkai usurpando seus membros. saúde, Nikken se afastou da mais alta posição do clero,
Essa estratégia ficou conhecida como “Plano C” (a letra “c” transferindo o posto de sumo-prelado para Nitinyo.
é a inicial da palavra cut (cortar em inglês), indicando o ato Entretanto, a correnteza do clero foi definitivamente
de “cortar a Soka Gakkai”). manchada pelas ações maléficas de Nikken, transformando-
Assim, sem qualquer justificativa, o clero destituiu se em uma seita herética totalmente contrária ao Budismo de
o presidente Ikeda e líderes da Soka Gakkai da função de Nitiren Daishonin. Por essa razão, ela foi denominada de
coordenadores da Hokkeko (Associação de Leigos da Nitiren seita Nikken.

As heresias da seita Nikken


1. Ameaça de destruição do Kossen-rufu inteiro é a adoração incondicional ao sumo-prelado. Esse
absolutismo do sumo-prelado é claramente uma heresia aos
Em novembro de 1991, o clero enviou uma ordem
ensinamentos de Daishonin. Essa idéia absurda, de que o
de excomunhão à Soka Gakkai. Em tal notificação não foi
sumo-prelado é absoluto, não consta em nenhum escrito de
mencionada nenhuma evidência do ponto de vista da
Daishonin nem nas diretrizes deixadas pelo seu sucessor
doutrina e muito menos citações do Gosho de Nitiren
Nikko Shonin. Pelo contrário, Nikko Shonin refuta esse
Daishonin. As únicas alegações eram de caráter autoritário e
ressentimentos da falta de submissão da Soka Gakkai à princípio de absolutismo do sumo-prelado nos seus “Vinte e
Seis Artigos de Advertência”, afirmando: “Mesmo que o
autoridade do clero.
sumo-prelado em exercício dite normas que se oponham ao
Conforme os ditos dourados de Nitiren Daishonin, a budismo, ninguém deve adotá-las em absoluto”.
realização do Kossen-rufu é o verdadeiro testamento do
Buda Original. A Soka Gakkai vem se empenhando desde a
sua fundação na promoção concreta do Chakubuku e da 3. Distorção do conceito de herança do sangue vital
propagação do Budismo de Nitiren Daishonin, hoje, em A seita Nikken alterou arbitrariamente a concepção
âmbito internacional, por intermédio da SGI. Portanto, as sobre a herança do sangue vital (transmissão da doutrina
ações do clero visando à destruição da Soka Gakkai budista), transformando-a numa crença mistificada de que o
representam uma gravíssima heresia da destruição do próprio simples ato de sucessão do posto de sumo-prelado faz do
Kossen-rufu. Em outras palavras, são calúnias da maior novo ocupante um indivíduo dotado plenamente da
gravidade, pois se opõem ao nobre espírito do Buda Original iluminação do Buda e dos “ensinos secretamente
Nitiren Daishonin em prol da felicidade de toda a transmitidos” no ato da sucessão. Tal idéia é totalmente
humanidade. distorcida e nada tem a ver com o conceito de herança do
sangue vital exposto por Nitiren Daishonin e Nikko Shonin.
2. Absolutismo do sumo-prelado No escrito “A herança da suprema Lei da vida”
consta: “Nitiren tem se dedicado a despertar todas as pessoas
O único ponto em que a seita Nikken se sustenta
do Japão para a fé no Sutra de Lótus de modo que elas
numa tentativa de frear sua vertiginosa decadência na
também compartilhem essa herança e alcancem o estado de
malograda perseguição a SGI e aos seus membros do mundo
35
Buda”. (Os Escritos de Nitiren Daishonin [Escritos], vol. 3, conduziu nenhum funeral de seus seguidores, não deu nomes
pág. 177.) Portanto, o sangue vital dos ensinos de Nitiren póstumos (kaimyo), nem escreveu ripas em memória aos
Daishonin pode ser herdado pelas pessoas que têm fé no falecidos (toba). Todos esses ritos foram criados
budismo e não é monopólio de um determinado indivíduo. posteriormente pelos clérigos como fonte de renda.
No mesmo escrito consta: “Sem a herança da fé, mesmo o
ato de abraçar o Sutra de Lótus será inútil”. (Ibidem, pág.
179.) Essa frase expõe claramente que a transmissão da 5. Discriminação entre clérigos e leigos
herança do sangue vital ocorre somente quando é mantida a A seita Nikken criou também o princípio de “mestre
genuína fé nos ensinamentos de Daishonin, e não da forma e discípulo entre clérigos e leigos”, colocando os sacerdotes
mistificada que estabelece como condição a detenção do numa posição superior como mestre e os leigos, na condição
poder exercido pelo sumo-prelado. Portanto, o fato de se inferior, de discípulos, determinando que os leigos devem
opor aos ensinos de Daishonin, como no caso da seita obediência cega aos clérigos. É uma discriminação estranha
Nikken, leva a uma prática sem o sangue vital da fé, razão entre praticantes do budismo. Além disso, o princípio de
pela qual não surgem os benefícios mesmo abraçando o mestre e discípulo exposto no budismo não é uma relação
Gohonzon. que se estabelece por uma simples diferença de posição.
Nitiren Daishonin e Nikko Shonin jamais mencionaram
conceitos rígidos do tipo “sacerdote é o mestre e o leigo é o
4. Abuso em cerimônias religiosas discípulo”. Pelo contrário, nos escritos de Nitiren Daishonin,
Uma das grandes calúnias cometidas pela seita consta: “O Buda considera, seguramente, qualquer um neste
Nikken, distorcendo o Budismo de Nitiren Daishonin, se mundo que abraça o Sutra de Lótus, seja homem ou mulher,
refere ao mau uso das cerimônias religiosas, tais como o monge ou freira, como o senhor de todos os seres vivos” (As
funeral, utilizadas como instrumentos de arrecadação de Escrituras de Nitiren Daishonin [END], vol. 5, pág. 189).
dinheiro. Ela alega, por exemplo, que a presença de Assim, Daishonin afirma categoricamente a igualdade entre
sacerdotes em funeral é obrigatória para que o falecido atinja clérigos e leigos. Portanto, a introdução da discriminação
a iluminação, pois somente eles estão capacitados a conceder entre os praticantes é um ato que contraria o espírito do
essa condição. Alega ainda que a cerimônia de falecimento Budismo de Nitiren Daishonin.
conduzida sem a presença de um sacerdote conduz o falecido
ao inferno. Trata-se de um abuso da posição de religioso e
uma forma de tirar proveito da tristeza das famílias 6. Degeneração religiosa
enlutadas. Nitiren Daishonin definiu o caminho dos sacerdotes
Nos escritos de Nitiren Daishonin, consta: “O Nam- com as seguintes palavras: “O verdadeiro sacerdote é aquele
myoho-rengue-kyo recitado pelo seu saudoso pai durante a que mantém pura honestidade, rara cobiça e sábio sustento”.
sua vida o tornou uma pessoa a alcançar o estado de Buda na (Gosho Zenshu [GZ], pág. 1.056). Entretanto, o
presente forma”. (The Writings of Nichiren Daishonin comportamento de Nikken e dos maus bonzos de sua seita
[WND], vol. 1, pág. 1.064). Assim, Daishonin enfatiza que a tem sido totalmente contrário a esses ensinamentos de
iluminação de cada pessoa depende unicamente da prática da Daishonin. A vida de luxúria levada por Nikken em suas
fé e das ações dela própria em vida. Não é algo definido pelo freqüentes visitas a hotéis de alto luxo em águas termais é
indivíduo que celebra o funeral. notória. Comportamentos semelhantes eram apresentados
por grande número de bonzos da seita Nikken, tornando-a
Portanto, o fato de se afirmar que a presença de um grupo de “aproveitadores” do budismo que nada tem a
sacerdotes em funeral é obrigatória para que o falecido ver com o real espírito ensinado por Nitiren Daishonin.
alcance a iluminação, ignorando os ensinamentos de Nitiren
Daishonin, constitui uma grande heresia que distorce o Daishonin repreende energicamente esse tipo de
budismo. maus sacerdotes com frases como “animais vestidos de
mantos clericais” (END, vol. 1, pág. 385) e “espíritos
Durante toda sua vida, Nitiren Daishonin não famintos devoradores da Lei” (END, vol. 3, pág. 107).

Conclusão
Em relação aos “inimigos do Sutra de Lótus” e aos “inimigos do Buda”, Nitiren Daishonin nos ensina em diversas passagens sobre
a atitude de denunciá-los veementemente, como por exemplo na seguinte frase: “Por maiores que sejam as boas causas que as
pessoas realizem, ou por mais que leiam e copiem o Sutra de Lótus inteiro mil ou dez mil vezes, ou atinjam o Caminho da
compreensão dos três mil mundos num único momento da vida, se falham em denunciar os inimigos do Sutra de Lótus, será
impossível atingirem o Caminho”. (Escritos, vol. 1, pág. 198). Assim, Daishonin chega a afirmar que sem a atitude de combater os
inimigos do Sutra de Lótus, não há como atingir a iluminação.
O combate às ações que tentam destruir o budismo é, sem dúvida, a maior das responsabilidades de um verdadeiro praticante
budista. Ignorar essas maldades, sem combatê-las, se torna, ao final, uma atitude caluniosa de conivência com a destruição do
budismo. Além disso, uma luta contra as maldades é em si uma prática para se elevar a condição de vida rumo à própria felicidade
absoluta.
36
Enfim, é desejável que possamos nos empenhar cada vez mais em prol da propagação mundial do budismo, combatendo
fortemente as maldades da seita Nikken.
Fonte: Revista Daibyakurengue, outubro de 2007