Você está na página 1de 20

ADÃO E EVA NO PARAÍSO

POR SOY ORION · 24 DE SETEMBRO DE 2019


1.- QUEM FORAM NOSSOS PRIMEIROS PAIS?
Nossos primeiros pais foram Adão e Eva.
2.- FORAM ADAN E EVA UM HOMEM E UMA MULHER?
Adão e Eva representam as almas da humanidade
naquela época. Adão representa as almas de todos os
homens e Eva de todas as mulheres.
3.- ONDE MORAMOS NAQUELA HORA?
Eles viviam no paraíso terrestre.
4.- O QUE É O PARAÍSO TERRESTRE?
O paraíso terrestre é o mundo etérico, a quarta dimensão
5.- VOCÊ SIGNIFICA QUE NÃO VIVERAM NO MUNDO
FÍSICO, COMO NÓS?
Como não. Eles viviam fisicamente, assim como nós; mas
eles eram seres de consciência desperta e, portanto,
podiam ver, ouvir, sentir e governar as coisas da quarta
dimensão do mundo etérico.
6.- QUEM VIVE NO MUNDO ETERICO?
No mundo etérico vivem os elementais das plantas e os
corpos vitais de toda a humanidade. No mundo etérico
está o éter da natureza, que brilha com o azul das
montanhas.
7.- POR QUE NÃO POSSO VER O PARAÍSO TERRESTRE
Não podemos ver o paraíso terrestre ou o mundo etérico,
por causa do pecado original cometido por nossos
primeiros pais, que todos nós herdamos.
8.- QUAL É O PECADO ORIGINAL?
O pecado original é a desobediência de nossos primeiros
pais em comer o fruto proibido, que Deus ordenou que
eles não comessem.
9.- O QUE É ESSA FRUTA PROIBIDA?
Esse fruto proibido é a fornicação. Deus ordenou que eles
crescessem espiritualmente e se multiplicassem na
espécie, sem fornicação.
10.- O QUE É FORNICAÇÃO?
Fornicação é entendida como o derramamento de
energia seminal, em qualquer forma.
11.- POR QUE DEUS OS PROIBEU DE FORNICÁ-LOS?
Porque Deus sabia que se fornicassem perderiam todas as
faculdades, virtudes e poderes que possuíam e que
receberam gratuitamente.
12.- QUAIS FORAM AS CONSEQUÊNCIAS DO PECADO
ORIGINAL?
Por causa desse pecado, eles perderam a graça
santificadora, a inocência, o direito de viver no paraíso, as
faculdades e poderes sobre os reinos vegetal e animal.
13.- O QUE OS NOSSOS PRIMEIROS PAIS SENTIMAM AO
DESOBEJAR A DEUS?
Pecando na fornicação, a sagrada prática da alquimia
sexual que realizavam foi prostituída e com ela sentiram
vergonha.
14.- QUEM INDUZIU NOSSOS PRIMEIROS PAIS A
DESOBEDIR A DEUS?
Os terríveis Demônios foram aqueles que induziram
nossos primeiros pais a comer o fruto proibido, de modo
que perderam todo o relacionamento com Deus.
Samael Aun Weor

INTEGRAÇÃO
POR SOY ORION · 21 DE JUNHO DE 2018
Um dos maiores desejos da psicologia é alcançar a
Integração Total. Se o Ego fosse individual, o problema da
Integração Psicológica seria resolvido com grande
facilidade. Mas, infelizmente para o mundo, o eu existe
dentro de cada pessoa de forma pluralizada.
O Ego pluralizado é a causa fundamental de todas as
nossas contradições íntimas.
Se pudéssemos nos ver em um espelho de corpo inteiro
como somos psicologicamente, com todas as nossas
contradições íntimas, chegaríamos à dolorosa conclusão
de que não temos a verdadeira individualidade. O
organismo humano é uma máquina maravilhosa
controlada pelo Ego Pluralizado, amplamente estudado
pela Psicologia Revolucionária. “Vou ler o jornal”, diz o Eu
Intelectual. “Quero ir à festa”, exclama o Eu
Emocional. "Para o inferno com a festa", rosna o Yo del
Movimiento,
"É melhor eu dar um passeio." "Não quero andar", grita o
Eu do Instinto de Conservação, "Estou com fome e vou
comer" e assim por diante.
Cada um dos pequenos eus que constituem o Ego quer
comandar, ser o mestre, ser o senhor. À luz da Psicologia
Revolucionária podemos entender que o Self é uma
Legião e que o organismo é uma Máquina.
Os pequenos eus lutam entre si, lutam pela supremacia,
cada um quer ser o chefe, o senhor, o senhor. Isso explica
o lamentável estado de Desintegração Psicológica em que
vive o pobre Animal Intelectual equivocadamente
chamado de Homem.
Você precisa entender o que a palavra DESINTEGRAÇÃO
significa em psicologia. Desintegrar é se desintegrar, se
dispersar, se despedaçar, se contradizer, etc.
A principal causa da desintegração psicológica é a inveja,
que às vezes se manifesta de maneiras deliciosamente
sutis e deliciosas. A inveja é multifacetada e existem
milhares de razões para a justificar. A inveja é a fonte
secreta de todo mecanismo social. Os idiotas adoram
justificar a inveja. O homem rico inveja o homem rico e
quer ser mais rico. Os pobres invejam os ricos e querem
ser ricos também. Quem escreve, inveja quem escreve e
quer escrever melhor. Quem tem muita experiência
inveja quem tem mais experiência e quer ter mais
experiência do que isso.
O povo não está satisfeito com Pão, Abrigo e Abrigo. A
fonte secreta da Inveja pelo carro alheio, pela casa alheia,
pelo terno do vizinho, por muito dinheiro de um amigo ou
inimigo, etc., produz o desejo de melhorar, adquirir coisas
e mais coisas, vestidos, ternos, virtudes, de modo a não
ser menos do que os outros, etc., etc., etc.
O mais trágico de tudo isso é que o processo cumulativo
de experiências, virtudes, coisas, dinheiro, etc., fortalece
o Ego pluralizado, intensificando em nós as contradições
íntimas, as lágrimas terríveis, as batalhas cruéis de nosso
foro interno, etc., etc., etc. Tudo isso é dor. Nada disso
pode trazer verdadeiro contentamento ao coração
aflito. Tudo isso produz um aumento da crueldade em
nossa psique, uma multiplicação da dor e um
descontentamento cada vez mais profundo.
O Ego pluralizado sempre encontra justificativas até para
os piores crimes, e esse processo de invejar, adquirir,
acumular, realizar, mesmo quando às custas do trabalho
de outrem, é chamado de evolução, progresso, avanço,
etc. As pessoas têm a Consciência Adormecida e não
percebem que são invejosas, cruéis, gananciosas,
ciumentas, e quando por algum motivo passam a
perceber tudo isso, então se justificam, condenam,
buscam evasivas, mas não entendem.
A inveja é difícil de descobrir, devido ao fato concreto de
que a mente humana é invejosa. A estrutura da mente é
baseada na inveja e na aquisição. A inveja começa nos
bancos da escola. Invejamos a melhor inteligência de
nossos colegas, as melhores notas, os melhores ternos, os
melhores vestidos, os melhores sapatos, a melhor
bicicleta, os lindos patins, a linda bola, etc. etc.
Os professores chamados a formar a personalidade dos
alunos, devem compreender o que são os processos
infinitos da inveja e estabelecer na Psiquê de seus alunos,
o fundamento adequado para a Compreensão.
A Mente, invejosa por natureza, só pensa em termos de
"mais". “Posso explicar melhor, tenho mais
conhecimento, sou mais inteligente, tenho mais virtudes,
mais santificações, mais perfeições, mais evolução”,
etc. Todo o funcionalismo da mente é baseado no
"mais". O "mais" é a fonte secreta íntima da Envy.
O "mais" é o processo comparativo da Mente. Qualquer
processo comparativo é abominável. Exemplo: “Eu sou
mais inteligente que você. "Fulano é mais virtuoso do que
você." "Fulano é melhor do que você, mais sábio, mais
gentil, mais bonito", etc., etc., etc. O "mais" cria tempo. O
Eu Pluralizado precisa de tempo para ser melhor que o
vizinho, para mostrar à família que é muito legal e que
pode se tornar alguém na vida, para mostrar aos seus
inimigos ou a quem inveja, que é mais inteligente, mais
poderoso, mais forte, etc. O pensamento comparativo é
baseado na inveja e produz o que é chamado de
descontentamento, inquietação, amargura.
Infelizmente, as pessoas vão de um lado oposto ao outro,
de um extremo a outro. Eles não sabem andar pelo
Centro. Muitos lutam contra o descontentamento, a
inveja, a ganância, o ciúme, mas a luta contra o
descontentamento nunca traz o verdadeiro
contentamento do coração.
É urgente entender que o Verdadeiro Contentamento do
Coração calmo não se compra nem se vende, e só nasce
em nós com total naturalidade e espontaneamente,
quando compreendemos plenamente as próprias causas
do descontentamento: Ciúme, Inveja, Ganância, etc. etc.
Aqueles que desejam obter dinheiro, posição social
magnífica, virtudes, satisfações de todos os tipos, etc.,
etc., etc., com o propósito de alcançar o verdadeiro
contentamento, estão totalmente errados porque tudo
isso é baseado na Inveja e no caminho A inveja nunca
pode nos levar ao porto do Coração Quieto e Feliz.
A Mente engarrafada no Ego Pluralizado faz da Inveja
uma virtude e até se dá ao luxo de dar-lhe nomes
deliciosos: progresso, evolução espiritual, anseio por
melhorar, luta por dignidade, etc., etc., etc.
Tudo isso produz desintegração, contradições íntimas,
lutas secretas, problemas difíceis de resolver, etc.
É difícil encontrar alguém na vida que seja
verdadeiramente íntegro no sentido mais amplo da
palavra. É totalmente impossível alcançar a Integração
Total enquanto o Eu Pluralizado existir dentro de nós.
É urgente entender que dentro de cada pessoa existem
três fatores básicos. Primeiro: PERSONALIDADE. Segundo:
EU PLURALIZEI. Terceiro: O MATERIAL PSÍQUICO, ou seja,
a própria Essência da pessoa.
O Ego Pluralizado desperdiça desajeitadamente o
Material Psicológico em explosões atômicas de Inveja,
Ciúme, Ganância, etc., etc. É necessário dissolver o Ego
Pluralizado para se acumular no Material Psíquico para
estabelecer em nós um Centro Permanente de
Consciência. Aqueles que não têm um Centro
Permanente de Consciência não podem ser
Inteiros. Somente o Centro Permanente de Consciência
nos dá a verdadeira individualidade. Somente o Centro
Permanente de Consciência nos torna completos.
Samael Aun Weor

PSICOLOGIA REVOLUCIONÁRIA
POR SOY ORION · 25 DE JULHO DE 2018
Os professores de escolas, faculdades e universidades
devem estudar profundamente a Psicologia
Revolucionária ensinada pelo Movimento Gnóstico
Internacional.
A psicologia da revolução em marcha é radicalmente
diferente de qualquer coisa anteriormente conhecida por
este nome.
Sem dúvida, podemos dizer com segurança que no
decorrer dos séculos que nos precederam da noite
profunda de todas as idades, nunca a psicologia caiu tão
baixo como hoje nesta era de rebeldes sem causa e
senhores do mundo. Rocha.
A psicologia retardada e reacionária dos tempos
modernos, para piorar as coisas, infelizmente perdeu seu
sentido de ser e todo contato direto com sua verdadeira
origem.
Nestes tempos de degeneração sexual e total
deterioração da Mente, não só é impossível definir o
termo "Psicologia" com total exatidão, mas também os
assuntos fundamentais da Psicologia são
verdadeiramente desconhecidos.
Os que erroneamente supõem que a Psicologia é uma
ciência contemporânea de último minuto, ficam
realmente confusos porque a Psicologia é uma ciência
milenar que tem sua origem nas antigas Escolas de
Mistérios Arcaicos.
O tipo de esnobe, o malandro ultramoderno, o retardado,
acha impossível definir o que se chama de Psicologia
porque, exceto nesta época contemporânea, é óbvio que
a Psicologia nunca existiu com seu próprio nome porque,
por tais ou tais razões , sempre foi suspeitada de
tendências subversivas de cunho político ou religioso e
por isso foi necessário disfarçar-se com múltiplas roupas.
Desde a antiguidade, nas diferentes etapas do Teatro da
Vida, a Psicologia sempre desempenhou o seu papel,
habilmente disfarçada com o manto da Filosofia.
Nas margens do Ganges, na Índia Sagrada dos Vedas,
desde a aterrorizante noite dos séculos, existem formas
de Yoga que no fundo se tornam pura Psicologia
Experimental de alto voo.
Os Sete Yogas sempre foram descritos como métodos,
procedimentos ou sistemas filosóficos.
No mundo árabe, os ensinamentos sagrados dos sufis, em
parte metafísicos e em parte religiosos, são de natureza
totalmente psicológica.
Na velha Europa podre até a medula dos ossos com
tantas guerras, preconceitos raciais, religiosos, políticos
etc., mesmo até o final do século passado, a Psicologia se
disfarçava com o naipe da Filosofia para passar
despercebida.
A Filosofia, apesar de todas as suas divisões e subdivisões
como Lógica, Teoria do Conhecimento, Ética, Estética,
etc., está além de qualquer dúvida em si mesma Auto-
Reflexão Evidente, Cognição Mística do Ser,
Funcionalismo Cognitivo de Consciência Desperta.
O erro de muitas escolas filosóficas consiste em ter
considerado a Psicologia como algo inferior à Filosofia,
como algo relacionado apenas aos aspectos mais baixos e
mesmo triviais da natureza humana.
Um estudo comparativo das religiões nos permite chegar
à conclusão lógica de que a Ciência da Psicologia sempre
esteve intimamente associada a todos os princípios
religiosos.
Qualquer estudo comparativo das religiões vem nos
mostrar que na Literatura Sagrada mais ortodoxa de
diferentes países e épocas, existem maravilhosos
tesouros da Ciência Psicológica.
Investigações aprofundadas no campo do gnosticismo nos
permitem encontrar aquela maravilhosa compilação de
vários autores gnósticos que vem desde os primeiros dias
do cristianismo e é conhecida sob o título de "Philokalia",
ainda hoje usada na Igreja Oriental, especialmente para a
instrução dos monges. Sem dúvida e sem o menor medo
de sermos enganados, podemos afirmar enfaticamente
que "Philokalia" é essencialmente psicologia
experimental pura.
Nas antigas escolas de Mistérios da Grécia, Egito, Roma,
Índia, Pérsia, México, Peru, Assíria, Caldéia, etc., etc., etc.,
a Psicologia sempre esteve ligada à Filosofia, à Real Arte
Objetiva, à Ciência e religião.
Antigamente, a psicologia era habilmente escondida
entre as formas graciosas dos dançarinos sagrados ou
entre o enigma dos estranhos hieróglifos ou das belas
esculturas ou na poesia ou na tragédia e até mesmo na
deliciosa música dos templos.
Antes que Ciência, Filosofia, Arte e Religião fossem
separadas para viverem independentemente, a Psicologia
reinava suprema em todas as antigas Escolas de
Mistérios.
Quando as Faculdades Iniciáticas foram fechadas devido
ao Kali-Yuga ou Idade Negra em que ainda vivemos, a
Psicologia sobreviveu entre o simbolismo das várias
escolas esotéricas e pseudo-esotéricas do mundo
moderno, e muito especialmente entre o Esoterismo
Gnóstico.
Uma análise profunda e investigações aprofundadas nos
permitem compreender com clareza cristalina que os
diferentes sistemas psicológicos e doutrinas que existiam
no passado e que existem no presente podem ser
divididos em duas categorias:
Primeiro: Doutrinas como muitos intelectuais as
supõem. A psicologia moderna pertence de fato a esta
categoria.
Segundo: As doutrinas que estudam o homem do ponto
de vista da Revolução da Consciência. Estas últimas são
verdadeiramente as Doutrinas Originais, as mais
antigas. Somente eles nos permitem compreender as
origens vivas da psicologia e seu profundo significado.
Quando todos nós tivermos entendido de forma integral
e em todos os níveis da Mente, quão importante é o
estudo do homem do novo ponto de vista da Revolução
da Consciência, então entenderemos que a Psicologia é o
estudo dos Princípios, Leis e Fatos intimamente
relacionados à Transformação Radical e Definitiva do
Indivíduo.
É urgente que os professores das escolas, faculdades e
universidades compreendam plenamente a hora crítica
em que vivemos e o catastrófico estado de desorientação
psicológica em que se encontra a nova geração.
É preciso guiar a nova onda no caminho da Revolução da
Consciência, e isso só é possível por meio da Psicologia
Revolucionária da Educação Fundamental.
Samael Aun Weor

A MÍSTICA MORTE
POR I AM FROM ORION · PUBLICADO 8 DE SETEMBRO DE
2018 ATUALIZADA 9 DE SETEMBRO DE 2018
Muito foi o que sofremos com os membros do
Movimento Gnóstico. Muitos juraram fidelidade ao Ara
dos Lumisiais, muitos prometeram solenemente trabalhar
na Grande Obra até a Auto-Realização total, há muitos
que gritaram jurando nunca se retirarem do Movimento
Gnóstico, porém, e é doloroso dizê-lo, tudo foi em
vão. Quase todos eles fugiram, tornaram-se inimigos
blasfemando, fornicando, adulterando, e seguiram pela
estrada negra. Na verdade, essas terríveis contradições
do ser humano se devem ao fato de que o ser humano
tem um fundamento fatal e um fundamento trágico, esse
fundamento é a pluralidade de si, a pluralidade
da catexia solta que todos carregamos dentro.
É urgente saber que o self é um conjunto de energias
psíquicas, catexis soltas, que se reproduzem no
submundo animal do homem. Cada catexia solta é um
pequeno eu que goza de uma certa independência.
Estes Eus, essas cathexis soltas, lutam entre si. Devo ler
um jornal, diz o eu intelectual. Vou dar um passeio de
bicicleta, contradiz o próprio motor. Estou com fome,
declara a autodigestão. Estou com frio, diz o me do
metabolismo. Eles não vão me impedir, exclama o eu
apaixonado em defesa de qualquer uma dessas catexias
soltas.
Total, o self é uma legião de catexis soltas.  Essas catexis
soltas já foram estudadas por Franz Hartmann. Eles vivem
dentro do submundo animal do homem; comem,
dormem, reproduzem-se e vivem às custas de nossos
princípios vitais ou catexia livre - energia cinética,
muscular e nervosa. Cada um dos egos, que juntos
constituem a catexia solta, o self, é projetado nos
diferentes níveis da mente e viaja ansiando pela
satisfação de seus desejos. O self, o ego, a catexia
solta, nunca podem ser aperfeiçoados.
O homem é a cidade das nove portas ... Muitos cidadãos
vivem nesta cidade que nem mesmo se conhecem. Cada
um desses cidadãos, cada um desses pequenos eus tem
seus projetos e sua mente; Esses são os mercadores que
Jesus teve que expulsar do Templo com o látego da
vontade. Esses mercadores devem ser mortos.
Agora vamos explicar por que tantas contradições
internas no indivíduo. Enquanto houver catexia solta, não
haverá paz. Os eus são a causa causorum de todas as
contradições internas. O eu que jura fidelidade à Gnose é
substituído por outro que o odeia. No geral, o homem é
um ser irresponsável que não possui um centro de
gravidade permanente.  O homem é um ser malsucedido!
O homem ainda não é um homem, ele é apenas um
animal intelectual. É um grande erro chamar a legião do
eu de "alma". Na verdade, o homem tem em sua Essência
o material psíquico, o material da alma, mas ainda não
tem alma.
Os Evangelhos dizem: Qual é a utilidade de ganhar o
mundo se você vai perder sua alma? Jesus disse a
Nicodemos que era necessário nascer da água e do
espírito para desfrutar dos atributos que correspondem a
uma verdadeira alma. É impossível fazer uma alma se não
passarmos pela Morte Mística.
Somente morrendo por nós mesmos podemos
estabelecer um centro permanente de consciência dentro
de nossa própria Essência interior. Este centro é o que se
chama alma. Somente um homem com alma pode ter
verdadeira continuidade de propósito. Somente em um
homem com alma não existem contradições internas e
existe verdadeira paz interior.
O ego desajeitadamente gasta material
psíquico, catexia, em explosões de raiva, ganância,
luxúria, inveja, orgulho, preguiça, gula, etc. É lógico que,
enquanto o material psíquico, a catexia, não se acumular,
a alma não pode ser fabricada. Para fazer algo você
precisa de matéria-prima, sem matéria-prima nada pode
ser fabricado porque nada sai de nada.
Quando o self começa a morrer, a matéria-prima começa
a se acumular. Quando a matéria-prima começa a se
acumular, o estabelecimento de um centro permanente
de consciência começa. Quando o eu estiver
absolutamente morto, o centro permanente de
consciência estará totalmente estabelecido.
O capital da matéria psíquica se acumula quando
o ego morre e o desperdício de energia é
eliminado. Assim, o centro permanente de consciência é
estabelecido. Este centro maravilhoso é a alma.
Ele só pode ser fiel à Gnose, só pode ter continuidade de
propósito, que estabeleceu dentro de si o centro
permanente de consciência. Quem não tem este centro
pode estar na Gnose hoje e amanhã contra ela, hoje com
uma escola, amanhã com outra. Esse tipo de pessoa não
tem existência real.
A Morte Mística é uma área árdua e difícil da Revolução
da Dialética.
A catexia frouxa se dissolve com base no entendimento
rigoroso. Viver com os outros, lidar com pessoas, é o
espelho onde nos podemos ver por completo. Ao lidar
com as pessoas, nossos defeitos ocultos aparecem, vêm à
tona e, se estivermos vigilantes, então os veremos.
Todos os defeitos devem primeiro ser analisados
intelectualmente e depois estudados com meditação.
Muitas pessoas alcançaram a castidade perfeita e a
santidade absoluta no mundo físico, mas foram grandes
fornicadores e terríveis pecadores quando foram testados
nos mundos superiores. Eles haviam acabado com seus
defeitos no mundo físico, mas em outros níveis da mente
continuaram com sua catexia solta.
Quando um defeito é totalmente compreendido em
todos os níveis da mente, sua catexia
frouxa correspondente se desintegra , ou seja, um
pequeno eu morre.
É urgente morrer a cada momento. Com a morte do eu,
nasce a alma. Precisamos da morte do self pluralizado de
forma total para que a catexia vinculada, o Ser ,
se expresse plenamente .

O CENTRO PERMANENTE DE CONSCIÊNCIA


POR SOY ORION · 23 DE AGOSTO DE 2018
O cérebro bípede tem qualquer individualidade, não tem
um Centro Permanente de Consciência (CPC). Cada um de
seus pensamentos, sentimentos e ações dependem da
calamidade do eu que em um dado momento controla
os centros capitais da máquina humana.
Aqueles de nós que lutamos pelo Movimento Gnóstico
por muitos anos de sacrifício e dor, pudemos ver coisas
terríveis na prática; muitos juraram com lágrimas nos
olhos trabalhar pela Gnose até o fim de seus dias. Eles
prometeram à Grande Causa fidelidade eterna e fizeram
discursos tremendos. E que? Em que estavam suas
lágrimas de sangue? Em que juramentos terríveis? Tudo
era inútil, apenas o eu fugaz jurou por um instante, mas
quando outro eu deslocou aquele que jurou fidelidade, o
sujeito se separou da Gnose ou traiu a Grande Causa ou
foi para outras pequenas escolas, traindo as Instituições
Gnósticas.
Realmente, o ser humano não pode ter continuidade de
propósito porque ele não tem o CPC, ele não é um
indivíduo e tem um eu que é a soma de muitos pequenos
eus.
Muitos são os que esperam a Bem - aventurança
eterna com a morte do corpo físico, mas a morte do
corpo não resolve o problema do eu.
Após a morte, a catexia solta - o ego - continua envolta
em seu corpo molecular. O bípede humano acaba mas
a catexia solta continua , a energia do ego, em seu corpo
molecular e depois, o ego se perpetua em nossos
descendentes, retorna para satisfazer seus desejos e
continua as mesmas tragédias.
É chegado o momento de compreender a necessidade de
produzir uma Revolução Integral definitiva em nós
mesmos para estabelecer o PCC, um Centro Permanente
de Consciência; só assim nos individualizamos, só assim
deixamos de ser legião, só assim nos tornamos indivíduos
conscientes.
O homem de hoje é semelhante a um navio cheio de
muitos passageiros, cada passageiro tem seus próprios
planos e projetos. O homem de hoje não tem uma mente,
ele tem muitas mentes. Cada mim tem sua própria
mente.
Felizmente, dentro do bípede humano existe algo mais,
existe a Essência. Refletindo seriamente sobre este
princípio, podemos concluir que este é o material
psíquico mais elevado com o qual podemos moldar nossa
Alma.
Ao despertar a Essência, criamos Alma. Despertar a
Essência é despertar a Consciência. Despertar a
consciência é equivalente a criar um CPC dentro de
nós. Só quem desperta a consciência se torna um
indivíduo, mas o indivíduo não é o fim, depois temos que
alcançar a superindividualidade.