Você está na página 1de 2

Bibliografia

FURTADO, Júnia Ferreira (Org.) Trabalho Livre, trabalho escravo: Brasil e Europa,
séculos XVII e XIX. – São Paulo: Annablume, 2006. p. 247 e 248
BUESCO, A.I. O Milagre de Ourique e a História de Portugal de Herculano. Uma
Polémica Oitocentist. Lisboa: INIC. 1987.
COLLENBERG, Wipertus H. Rudt de. Lebaptêmedesjuifs à Rome de 1614 à 1798
selonles registres de la ‘casa dei catecumeni’. In: ArchivumHistoriæPontificae. vol.
XXIV (1986), p. 91-95.
Castro, Z. O. O Regalismo em Portugal, António Pereira de Figueiredo. Cultura
História e Filosofia, 6: 357-411. 1987.
Sobral, Luís de Moura, Espiritualidade e propaganda nos programas iconográficos
dos Jesuítas Portugueses: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/3567.pdf( consultado
12 julho, 2018).
CHARTIER, R. Libroslecturas y lectoresen la Edad Moderna. Madrid, Aliança
Editorial. 1993.
Dauril ALDEN. Themakingofanenterprise, theSocietyof Jesus in Portugal,
it’sEmpireandbeyond: 1540-1750. Stanford, Stanford UniversityPress, 1996.
MAXWELL,K. Pombal, ParadoxoftheEnlightenment. Cambridge, Cambridge
UniversityPress. 1995.
NOVINSKY, Anita. Inquisição, Rol dos Culpados: Fontes para a História do
Brasil/séc.XVIII. Rio de Janeiro, Expressão e Cultura, 1992.
LEVI, J. A. Portuguese andOtherEuropeanMissionaries in Africa: A look
attheirlinguisticproductionandattitudes (1415–1885). HistoriographiaLinguistica,
36, (2, Jan): 363 – 392. 2009.
XAVIER, A.B., Conformesà terra no modo de viver. Matrimônio e império na Goa
quinhentista. Cristianesimonellastoria, vol. 30, 2010,
https://www.academia.edu/3320211/_Conformes_
%C3%A1_terra_no_modo_de_viver_Matrim%C3%B3nio_e_imp
%C3%A9rio_na_Goa_quinhentista._Cristianesimo_nella_Storia_31_419-449._2010
(consultado 11 de julho de 2019).
MALAGRIDA, G. Juízo da verdadeira causa do terremoto, que padeceo a corte de
Lisboa, no primeiro de novembro de 1755. Lisboa: Na Officina de Manoel Soares.
1756.
Leite, António Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Rio de Janeiro,
Imprensa Nacional, 1938-1950 (10 vol.).
Mattos, Vicente da Costa. Breve discurso contra a hereticaperfidia do Iudaismo
continuada nos presentes apostatas de nossa santa Fé, com o que conuem a expulsão
dos delinquentes nella dos Reynos de sua Magestade, com suas molheres& filhos [...].
Lisboa, Pedro Craesbeek, 1622.
Venâncio, José Carlos. A economia de Luanda e Hinterland no século XVIII: um
estudo de Sociologia Histórica. Lisboa: Editorial Estampa, 1996.

Arquivo Histórico Ultramarino

AHU_ACL_CU015, Cx. 74, D. 6205.


AHU_ACL_CU_015, Cx 71, D. 6010, D.6147, D. 6184.
Fontes
Relação abreviada da República que os Religiosos Jesuítas das Províncias de Portugal, e
Espanha, estabeleceram nos Domínios Ultramarinos das duas Monarquias, e da guerra,
que neles tem movido, e sustentado contra os ExercitosHespanhoes, e Portugueses;
formada pelos registos das Secretarias dos dous respectivos Principaes Comissarios, e
Plenipotenciarios; e por outros documentos authênticos. Lisboa, 1757.
Queiroz, Fernão P. Conquista Temporal e Espiritual de Ceylão ordenada pelo Padre da
Companhia de Jesus ...; Fr. Paulo da Trindade, Conquista Espiritual do Oriente. Em que
se dá relação de algumas cousas mais notáveis que fizeram os Frades Menores da Santa
Província de S. Tomé da Índia Oriental em a pregação da fé e conversão dos infieis em
mais de trinta reinos, do Cabo da Boa Esperança até às remotíssimas Ilhas do Japão. 3
vols., Introdução e notas de F. Félix Lopes, OFM, Lisboa: Centro de Estudos Históricos
Ultramarinos, 1962-1967.
Silva, José de Seabra da. Deducçãochronologica, e analytica. parte primeira, na qual
se manifestão pela successiva serie de cada hum dos reynados da monarquia
portugueza, que decorrêrão desde o governo do senhor rey D. João III até o presente,
os horrorosos estragos, que a companhia denominada de jesus fez em portugal, e todos
seus dominios, por hum plano, e systema por ella inalteravelmente seguido desde que
entrou neste reyno, até que foi delleproscripta, e expulsa pela justa, sabia, e providente
ley de 3. de setembro de 1759 / dada à luz pelo doutor Jozeph de Seabra da Sylva
Desembargador da Casa da Supplicação, e Procurador da Coroa de S. Magestade (…).
Em Lisboa: na Officina de Miguel Manescal da Costa. 1766-1767.
Regimento do Santo Ofício da Inquisição dos Reinos de Portugal, ordenando com o
Real Beneplácito, e Regio auxílio pelo Eminentissimo, e Reverendissimo Senhor
Cardeal da Cunha, dos Conselhos de Estado, e Gabinete de Sua Majestade, e
Inquisidor Geral nestes Reinos, em todos os seus domínios, Impresso em Lisboa, 1774.