Você está na página 1de 3

O Sapo no Inverno Certa manhã, o Sapo acordou sentindo que Foi até a janela e ficou espantado quando viu

é a janela e ficou espantado quando viu que Correu para fora, meio desnorteado.
(Max Veltuihjs) havia alguma coisa diferente no mundo. tudo estava completamente branco. Havia neve por todo lado.
Alguma coisa tinha mudado. O chão estava escorregadio.

Tremendo de frio, ele se sentou na margem.


Então chegou a Pata, patinando veloz pelo rio: —Venha, vou ensiná-lo.
De repente ele caiu de costas...
— Oi, Sapo — ela disse. A Pata emprestou seus patins e seu cachecol para Logo o Sapo caiu...
desceu a ribanceira e foi parar dentro do rio.
— Que dia lindo! Você não vem patinar? o Sapo. Saiu empurrando o amigo, que foi deslizando
Mas o rio estava congelado e o Sapo acabou deitando
— Não, estou morrendo de frio — respondeu o Sapo... pelo gelo, mas não por muito tempo.
no gelo frio e duro.
— Mas patinar vai fazer bem para você — disse a Pata.
Então apareceu o Leitão, carregando um cesto de lenha nas
costas. — Não está morrendo de frio, Leitão? — perguntou
o Sapo. — Morrendo de frio? — disse o Leitão. — Coitado do Sapo — pensou o Leitão. Um, dois! Um, dois! O Coelho vinha correndo pela neve. — Estou morrendo de frio — ele murmurou.
— Não, estou achando uma delícia esse ar fresco e – Bem que eu gostaria de ajudá-lo. — Que maravilha! — ele exclamou, todo contente. — Sou apenas um sapo gelado
saudável. O inverno é a estação mais bonita — Você tem — Esporte faz bem para a saúde! – e voltou para casa, arrasado.
uma boa camada de gordura para protegê-lo do frio. Viva o esporte! Três vivas ao esporte...
Mas eu não tenho nada.

Passou o resto do dia sentado perto do fogo, Quando o fogo acabou, o Sapo saiu para cortar E foi lá que os amigos acharam o Sapo.
sonhando com a primavera e o verão. mais lenha, mas não conseguiu achar nem um Exausto, ele deitou na neve. Um Sapo gelado. — Estou morrendo de frio — ele sussurrou.
Queimou até o último pedaço da lenha. pedacinho de madeira no meio da neve. Andou, — Vamos lá — disse o Coelho.
andou, até se perder. Estava tudo branco.
E, com todo cuidado, carregaram o Sapo para casa e o À noite, todos ficavam ouvindo histórias que o Coelho lia Um belo dia, o Sapo estava em condições de levantar. Mas certa manhã, quando o Sapo abriu os olhos,
colocaram na cama. O Coelho catou lenha e acendeu o sobre a primavera e o verão. Enquanto isso, o Leitão Ele não tinha pelagem, nem gordura, nem penas, mas de repente notou que havia alguma coisa
fogo. tricotava um pulôver quentinho para o Sapo. com seu pulôver novo deu os primeiros passos na neve. diferente. Uma luz clara se infiltrava pela janela.
O Leitão fez uma sopa deliciosa e a Pata tentava animar E o Sapo se deliciava com as atenções dos amigos. — Que tal? — perguntou o Coelho, curioso. Ele pulou da cama e correu para fora.
o Sapo. É maravilhoso passar o inverno na cama... — É bom — respondeu o Sapo, cheio de coragem.
Assim se passou o longo inverno.

O mundo estava verde e o sol brilhava no céu...


Os amigos ficaram felizes por verem o Sapo tão animado.
— O que seria de nós sem o Sapo? — riu o Coelho.
— Nem posso imaginar — disse o Leitão.
— Ora, — concordou a Pata
— sem ele a vida não seria a mesma.

Você também pode gostar