Você está na página 1de 1

NOTA

Todos no mundo sabem o significado que se quer dar quando se oferecem


bananas a uma pessoa negra. É a tentativa de humilhá-la, comparando-a a um
macaco. É uma postura grosseira, condenável e combatida na vida social, na
política, nos estádios de futebol e em todo o mundo civilizado.

Dra. Isabela deixa claro em sua nota que é uma crítica das atuais gestões
da OAB, tanto a distrital, como a federal. E ela tem todo direito de expressar suas
opiniões, certas ou erradas. Mas para debater sobre assuntos da OAB deveria
trazer argumentos jurídicos e não oferecer bananas publicamente a uma jovem
advogada.

Esperava que a dra. Isabela percebesse a gravidade de sua atitude,


repudiada por muitos advogados do grupo, e se desculpasse publicamente, e não
que usasse suas críticas às gestões dos presidentes Felipe Santa Cruz e Délio Lins
e Silva Jr. para justificar o ataque que fez a uma jovem advogada negra, que
subiu na vida com muito esforço, trabalho e estudo.

Por fim, deixo claro que qualquer debate que se paute em bananas não terá
nunca a minha participação.

Daniela Teixeira, advogada