Você está na página 1de 124

Ramon Tessmann

Direitos autorais 

Este material está protegido por leis de direitos autorais. 


Todos os direitos sobre a obra são reservados. Você não 
tem permissão para vender este material nem para 
copiar/reproduzir o conteúdo em sites, blogs, jornais ou 
quaisquer outros veículos de distribuição e mídia. Qualquer 
tipo de violação dos direitos autorais estará sujeita a ações 
legais. Caso você acredite que alguma parte deste material 
deva ser removida ou alterada, por favor, entre em contato 
conosco através do e-mail 
equipe@ramontessmann.com.br​. 
 
Copyright © Ramon Tessmann. Todos os direitos 
reservados. 
 

Histórico de atualizações 
 
● 22/12/2020​ | Finalização da produção do material. 
● 04/01/2021​ | Lançamento da versão 1.0. 
 
Caso você encontre alguma incorreção no material, por 
favor, envie um e-mail para 
equipe@ramontessmann.com.br​. 
 

Imprima este livro 


 
Para facilitar o estudo você pode imprimir uma cópia desta 
obra para uso pessoal. A leitura no papel será mais 
confortável e prazerosa. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Dedicado a todos aqueles incomodados e 


famintos por descobrir seu propósito. 


 

Sobre o autor 

 
 
Meu  nome  é  Ramon,  muito  prazer!  Sou  casado  com  a 
Amanda  e  sou  pai  da  Laura.  Desde  muito  cedo,  tive  inclinação 
para  os  estudos.  Não  que  eu  fosse  um  grande  aluno  na  escola. 
Eu  só  gostava  de  estudar  aquilo  que  me  dava  prazer.  Aos doze 
anos  mergulhei  na  música.  Passei  a  adolescência  inteira  em 
cima  do  meu  pequeno  teclado.  Aos  dezessete,  comecei  a  me 
interessar  por  gestão,  marketing  e  liderança.  Era  hora  de 
decidir  qual  curso  seguir  na  faculdade.  Decidi  por 
administração e acabei me formando em 2004. 
Três  anos  depois,  lancei  o  Aprenda  Piano,  uma  escola 
online  que  chegou  a  ter  alunos  em  dezessete  países.  Meus 


 
anos  ralando  como  professor  particular  de  música  chegaram 
ao fim. 
Em  2010,  fundei  uma  agência  de  marketing  digital,  a 
Blueberry,  que  se  tornou  uma  das  cinco  melhores  agências 
PME do país, reconhecida pela gigante Google. 
Como  nem  tudo  são  flores,  tive  dois  grandes  fracassos: 
uma  agência  de  criação  e  uma  ​lan  house  que  só  me  trouxeram 
dor  de  cabeça.  Outros  fracassos incluíram livros e CDs que não 
venderam.  Só  quem  escreve  um  livro  sabe  o trabalho hercúleo 
envolvido.  Imagine  eu  que  já  havia  escrito  dez  livros,  mas  só 
um deles vendeu. 
A  despeito  disso,  em  2015,  cheguei  no  auge  da  carreira 
profissional.  Como  produtor  de  cursos  online  alcancei,  com 
meus  sócios,  a  independência  financeira.  Estava 
"aposentado" aos trinta e cinco anos. Que privilégio! 
Eu  já  disse  que  nem  tudo  são  flores?  Apesar  da  fé,  do 
sucesso,  da  saúde,  da  família,  dos  amigos  e  do  conforto 
financeiro,  uma  insistente  dúvida  me  incomodava:  "Será  que 
a vida é só isso mesmo?" 
Sentia-me  vazio. Eu não entendia o incômodo, pois tinha 
tudo  o  que  sonhava  ter.  A  partir  daí,  enfrentei  uma  dura  crise 
existencial  e  depois  de  seis  anos  comecei  a  encontrar  as 
respostas que procurava. Os primeiros raios de luz iluminaram 
meu caminho. Que alegria indescritível! 
Trilhei  uma  intensa  jornada  de  fracassos  e  sucessos  que 
me  propiciaram  lições  e  princípios  valiosos  que  carrego 
comigo  até hoje. Essa bagagem compõe um conhecimento rico 


 
e  útil  para  você  que  busca  um  sentido  para  sua  vida. 
Convivendo  nos  mais  variados  ambientes,  ouvi  as  mesmas 
perguntas  que  eu  mesmo  fazia  anos  antes:  "Como  descobrir 
minha  jornada?  Como  me  livrar  do  vazio  e  da angústia? Como 
ter certeza do quê fazer? O que Deus quer de mim?" 
Os  anos  passaram  e  sempre  fiquei  com  aquilo  na cabeça: 
"Um  dia  escreverei  sobre  esse  tema". A hora chegou. Em meio 
à  segunda  onda  da  pandemia  de  Covid-19  parei  tudo  o  estava 
fazendo  para  cumprir  mais  uma  missão  na  vida.  Na  verdade, 
fui "fisgado" por essa missão. 
Nas  páginas  deste  livro,  meu  propósito  é  ajudar  você  a 
descobrir  o  seu.  Reuni  as  principais  lições  que  aprendi  na 
busca  do  meu  propósito.  Espero  que  a  leitura  ajude  a  limpar 
algumas  nuvens  do  seu  caminho.  Talvez  até  eliminar  a 
maioria delas. Assim espero. 
Atualmente, dedico-me a mentorear pessoas na Altitude, 
ajudando-as  a  alinhar  suas  vidas  e  explorar  seus  potenciais 
para  que  vivam  uma  vida  mais  significativa  e  cheia  de 
realizações.  Vê-las  alinhando  suas  vidas  é  uma  paixão  para 
mim.  Eu  acredito  que  quem  se  propõe  a  buscar  respostas para 
suas  perguntas,  encontrará  o  que  precisa  para  viver  uma  vida 
com propósito e sentido. 
Para  saber  mais  sobre  a  Altitude,  nossa  comunidade 
online de crescimento pessoal, ​clique aqui​. 
   


 

Conecte-se comigo 
 
● Me siga no ​Instagram​. 
● Me siga no ​Facebook​. 
● Me siga no ​YouTube​. 
● Me siga no ​Twitter​. 
● Entre no meu grupo do ​Telegram​. 
● Visite meu ​blog oficial 


 

Índice 
Sobre o autor 3 

Conecte-se comigo 6 

Índice 7 

Introdução 10 

1. Crise existencial 12 


Noite dramática 13 
Elo perdido 14 
Sessenta anos 15 
Não fazia sentido 18 
O Dia da Marmota 20 

2. A origem 24 
"Cuspidos" no mundo? 25 
A Aposta de Pascal 26 
As 5 vias de Aquino 28 
A volta dos que não foram 31 
O maior propósito do universo 32 
As 2 chaves 34 
A conclusão do sábio 37 

3. Clareamento 39 
Canino ou molar 40 
Uma mesa com propósito 41 

 
Os chamados de Mário 42 
Em busca da vocação perdida 45 
Descomplicando 46 
Exercício 48 
Antes da próxima fase 49 

4. Aventura singular 52 


Impressão digital 53 
Propósitos subordinados 54 
Cavalo de Troia 55 
Por que eu? 58 
Chiados e ruídos 60 
Cílios e pálpebras 63 

5. Instruções para o viajante 67 


Sobre fases 68 
Sobre conciliação 69 
Sobre sementes 72 
Sobre marshmallows 73 
Sobre intenção 76 
Sobre pessoas 78 
Sobre escolhas 80 

6. Descobertas maravilhosas 84 


A utilidade da gaveta 85 
Você recebeu algo 86 
Vire à direita 87 
Não ultrapasse 90 
Que tal uma live? 93 

 
O que você ama? 94 
O que você odeia? 98 
Paralisou? 101 
O mundo pede socorro 104 
Exercício 106 

7. Mergulhando fundo 108 


Queimando formigas 109 
Aperte o cinto 111 
Esvazie a mochila 113 
Repartindo o fardo 115 
Mergulhe fundo 116 

Considerações finais 119 


 Sem despedidas, ok? 120 

Fontes bibliográficas 121 


 

Introdução 
 
 
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo 
o propósito debaixo do céu. - Eclesiastes 3:1 

A  ideia  foi  escrever  um  livro  provocador.  Talvez  é 


exatamente  o  que  você  precisa  no  momento.  Eu  pagaria  uma 
fortuna  para  poder  tê-lo  lido  em  2010.  Teria  me  privado  de 
tanto sofrimento! 
Como  eu  conto  nas  páginas  a  seguir,  há  propósito  para 
todas  as  coisas  debaixo  do  céu,  inclusive  para  o  sofrimento. 
Portanto,  consolo-me  em  saber  que  sem  a  dor  este  projeto 
nunca viria a existência. 
Não  escrevi  para  oferecer  respostas  diretas  e  absolutas 
para  suas  dúvidas  existenciais.  Quão  pretensioso  eu  seria  se 
tentasse  lhe  dizer:  "Faça  isso,  não  faça  aquilo".  Estou  mais 
interessado em provocar você.  
Me  ponho  ao  seu  lado,  onde  compartilho  minha  história 
e  levanto  algumas  questões  sobre  a  sua.  Há  conselhos,  dicas e 
sugestões  práticas?  Evidentemente.  Descobrir  seu  propósito, 
entretanto,  é  uma  jornada  pessoal.  Você  terá  que  investigar. 
Escrevi especialmente para quem deseja: 
 
● Compreender o sentido da vida. 
● Saber se há um propósito de Deus para sua existência. 

10 
 
● Compreender  as  relações  entre  propósito,  chamado  e 
vocação. 
● Realinhar a vida. 
● Resolver  o  sentimento  de  vazio  e  angústia,  embora 
tenha conquistado muitas coisas. 
● Saber  o  que  escolher  diante  das  várias  opções 
disponíveis. 
● Viver uma vida intensa e cheia de significado. 
● Construir  um  negócio  com  propósitos  e  princípios  bem 
definidos. 
● Deixar um legado na sua geração. 
● Ter maior clareza nas decisões do dia a dia. 
● Saber  quais  cursos,  faculdades  ou  trabalhos  estão  mais 
alinhados com o propósito. 
● Chegar  ao  fim  da  vida  sem  acumular  arrependimentos 
do tipo "Ah! Se pudesse voltar atrás!" 
 
Recomendo  que  você  imprima  este  livro  porque  a leitura 
será  mais  agradável.  Leia,  sublinhe  e  rabisque.  Faça  boas 
anotações.  Releia  quantas  vezes  achar  necessário.  Se  gostar, 
compartilhe  com  os  amigos  e  espalhe  as  boas  novas.  Boa 
leitura! 
 
Pessoa alguma pode dizer à outra o que é esse propósito. 
Cada um deve descobri-lo por si mesmo aceitar a 
responsabilidade que sua resposta implica. - Gordon 
Allport   

11 
 
Capítulo um. 

1. Crise existencial 
 
 

 
 
Uma noite quente, o elo perdido e o Dia da Marmota. 

12 
 

Noite dramática 
Quando um homem descobre que seu destino lhe reservou 
um sofrimento, tem que ver nesse sofrimento também 
uma tarefa sua, única e original. - Viktor Frankl 

Novembro  de  2011.  Mais  uma  madrugada  abafada  em 


Criciúma.  Estou  deitado  no  piso  morno  na  sala  do  nosso 
apartamento  lutando  contra  uma  forte  dor  no  peito. 
Respiração  controlada  e  aflita.  A  dor  lancinante me impede de 
respirar normalmente. 
Entre  as  inspirações  e  expirações  incompletas  começo  a 
me  perguntar  o  óbvio.  "Será  essa  a  dor  que  sentem  os  que 
passam  por  um  infarto?  Não  sei.  Talvez  seja  uma  crise  de 
estresse  ou  de  ansiedade.  Será  que  estou  trabalhando demais? 
Será  uma  opressão  espiritual?  Psicológica?  Talvez  seja  o 
refrigerante que bebi no almoço. Acho que não." 
Me  arrasto  até  a  cozinha  e  tomo  mais  um  copo  de  água 
fria. 
Quem  já  passou  por  uma  situação  agonizante  sabe  que 
minutos  se  transformam  em horas. O tempo não passa. Minha 
teimosia  também  não.  Se  existe  alguém  que  resiste  a  uma 
visita  ao  hospital  esse  alguém  sou  eu.  A  despeito  da 
resistência,  sou  vencido  pelo  medo  de  que  fosse  algo 
realmente ruim. 

13 
 
Toda  aquela  bobagem  do  "não  é  nada,  vai  passar!"  é 
evaporada  pelo  medo  da  morte.  A  hipótese  de  infarto  parece 
ganhar força. "Dor aguda no peito. Só pode ser isso." 
Grito  para minha esposa que dorme no quarto: "Amor, tô 
mal! Me leve no hospital, por favor!" 
 

Elo perdido 

São  quatro  da  manhã  no  hospital.  Faço  alguns  exames. 


"E  então,  doutor,  o  que  eu  tenho?"  Espero  receber  o 
diagnóstico.  Fico  curioso  porque  aquelas  dores  só  podiam 
apontar  para  algo  muito  sério.  "Não  é  nada",  diz  o  médico. 
Reajo  rápido:  "O  quê?  Como  assim  não  é  nada?  Doutor,  não  é 
possível.  Pensei  que  eu ia morrer. Não pode simplesmente não 
ser nada!" 
Ele  retruca:  "Não  apareceu  nada.  Passe  na  farmácia, 
compre esses remédios. Se acontecer de novo volte aqui."  
Provavelmente,  você  já  passou  por  isso.  Todo  mundo  já 
foi ao hospital pensando estar morrendo só para sair de lá com 
uma receita de paracetamol. 
Essa era a minha vez. 
A  essa  altura  eu  não  sentia  nenhuma  dor.  Fiquei aliviado 
por  poder  respirar  normalmente  de  novo.  Voltamos  para  casa 
e  vou  para  a  cama  pensando:  "Meu  Deus,  o  que  foi  que 
aconteceu  hoje?  E  se  a  dor  voltar?  E  se  não  descobrirem  o 
problema?" 

14 
 
No  fundo,  eu  tinha  uma  vaga  ideia  do  que  poderia  ser. 
Ninguém  mais  sabia  disso.  O  médico.  Minha  esposa.  Meus 
familiares.  Absolutamente,  ninguém.  Durante  um  bom  tempo 
a questão martelou em minha cabeça: 
"Será  que  as  dores  no  peito,  as  noites  mal  dormidas,  o 
estresse,  o  incômodo  na  alma...  Será  que  tudo  isso  está  ligado 
àquele problema que começou um ano e meio atrás?" 
Vamos voltar um pouco para descobrir. 
 

Sessenta anos 

É inerente ao homem o anseio por descobrir um ‘para 


quê’, uma finalidade última para existência, algo pelo 
qual valha à pena entregar a vida. - Sílvia Brandão 

Maio  de  2010. Maio é o mês do meu aniversário e naquele 


ano  eu  completaria  trinta  anos.  Me  lembro  de  ter  escutado 
uma  lenda  sobre  uma  tal  "crise  dos  trinta",  uma  espécie  de 
crise  existencial  que  acomete  parte  da  população  que  se  dá 
conta  de  que  a  vida  tem  um  fim.  Uns  enfrentam  fases  assim 
aos  quarenta.  Outros,  aos  cinquenta.  Tem  os  que  são 
"capturados" bem cedo. 
Eu  sempre  considerei  tais  crises  uma  grande  bobagem. 
Para  mim,  era  coisa  de  gente  que  não  tinha  o  que  fazer.  Crise 
existencial  era  para  os  fracos  e  problemáticos.  Talvez  para 
alguém  com  a  vida  sofrida  e  cheia  de  problemas  complexos 

15 
 
para  resolver.  Pensava  assim  até  que  eu  mesmo  fui  pego  de 
surpresa: enfrentei uma séria crise de propósito. 
Aquilo  que  eu  considerava  a  maior  bobagem  me 
aprisionou.  Tudo  começou  da  maneira  mais  boba  que  você 
possa  imaginar:  uma  simples  conta  matemática  de  adição  em 
que  o  resultado  teimava  em  dar  sessenta.  Esse  foi  o  gatilho. 
Vou contar como aconteceu. 
Prestes  a  fazer  trinta  anos  me  dei  conta  do  quão  rápido 
minha  vida  passara  até  ali.  Foi  um  sopro.  Um  dia,  caí  no  erro 
de  dobrar  minha  idade  para  concluir  que  se  vivesse  o  mesmo 
tanto  chegaria  aos  "longínquos" sessenta anos. Sessenta anos 
de idade! 
A crise bateu aqui. 
Eu  sempre  ouvia  dizer  que  quanto  mais  velho  mais 
rápido  o  tempo  passa.  É  evidente  que  é  só  uma  questão  de 
percepção.  O  relógio  parece  cada  dia  mais  implacável,  não 
menos.  A gota que faltava para encher meu cálice da agonia foi 
uma simples dedução: 
 
Se chegar aos trinta foi um sopro, chegar aos sessenta será 
menos que um sopro. "Se" chegar... 
 
A  conclusão  é  que  provavelmente  eu  já  passara  da 
metade  da  vida.  Até  os  vinte  e  nove  eu  raramente  pensava  na 
possibilidade  de  morrer.  Nem  sequer  pensava  que  iria 
envelhecer.  Agora,  pelo  menos  superficialmente,  eu  tinha  me 

16 
 
dado  conta  da  efemeridade  da  minha  existência  na  Terra  e  da 
cruel realidade da morte: 
 
"Um dia vou morrer. Quando a hora chegar, o que terei feito 
com minha vida?" 
 
Essa  dedução  começou  a  engatilhar  uma  série  de 
questões que volta e meia vinham me assombrar: 
 
● Qual é o sentido da minha vida? Para quê fui criado? 
● Será  que  estou  fazendo  o  que  deveria  estar  fazendo? 
Estou na jornada que deveria estar? 
● Minha  vida  tem  algum  significado  para  as  pessoas? 
Estou  impactando  os  outros?  Será  que  não  sou  egoísta 
demais,  preocupado  apenas  em  construir  um  reino 
próprio? 
● Porque  tenho  a  sensação  de  que  falta  alguma  coisa  ou 
que  "algo  está errado"? Porque minha vida parece estar 
desalinhada?  Será  que  meu  propósito,  chamado  e 
vocação não estão em direções divergentes? 
● Será  que  estou  na  cidade  certa?  Na  igreja  certa?  Na 
profissão  certa?  Nos  projetos  certo?  Com  os 
compromissos certos? 
● Porque não sou como as outras pessoas que parecem ter 
tanta clareza na caminhada? 
● A vida é isso mesmo? 
 

17 
 

Não fazia sentido 

É  estranho  que  alguém  como  eu  estivesse  ponderando 


sobre  questões  dessa  natureza.  Não  que  eu  me  considerasse 
alguém  especial.  Longe  disso.  Todavia,  além  de  sempre  ter 
considerado  tais  crises  uma  grande  bobagem  eu  não  tinha  a 
menor  razão  para  ter  uma.  Eu  tinha  tudo o que uma pessoa da 
minha idade desejaria ter. Não fazia sentido. 
Se  fosse  fazer  um  checape  da  minha  vida  dificilmente 
encontraria  um  grande  problema.  Eu  passaria  incólume  (e 
com  louvor)  em  qualquer  sessão  de  aconselhamento,  seja  ela 
espiritual,  matrimonial,  profissional,  financeira  ou  qualquer 
outra. Tudo ia bem. 
Minha  fé  sempre  foi  firme  em  Deus.  Minhas  questões 
nada  tinham  a  ver  com  a  vida  no  porvir.  Desde  os  meus 
quatorze  anos,  nunca  deixei  de  servir  minha  igreja  local. 
Sempre  tive  uma  família  incrível.  Casei  com  a  mulher  dos 
meus sonhos. Nenhum problema de saúde. 
Na  época,  alguém  poderia  notar  minha  angústia  e 
argumentar:  "Já  sei.  Você  está  com  problemas  financeiros. 
Está  aí  a  razão  do  estresse  e  da  insônia".  O  argumento  tem 
validade  já  que  é  comum  vermos  pessoas  perderem  o  rumo 
diante  de  um  fracasso  financeiro  ou  profissional.  Meu  caso, 
entretanto, era exatamente o oposto. 
No  livro  ​Em  busca  de  sentido​,  Viktor  Frankl  menciona 
uma  pesquisa  da  Universidade  John  Hopkins  realizada  com 
7.948  alunos  de  diversas  instituições.  A  pergunta  era  sobre  o 
18 
 
que  eles  consideravam  "muito  importante"  na  vida.  Pasme: 
16%  dos  estudantes  respondeu "ganhar muito dinheiro e 78% 
respondeu  que  o  seu  principal  objetivo  era  "encontrar  um 
propósito  para  minha  vida". Assim como a maioria dos alunos 
entrevistados, minha questão não era financeira. 
Durante  os  seis  anos  em  que  enfrentei  essa  crise  de 
propósito  eu  trabalhei  duro  e  fiz  dinheiro.  Muito  dinheiro.  No 
marketing  digital  brasileiro,  colecionei  algumas  vitórias  que 
me  levaram  à  independência financeira aos trinta e cinco anos 
e  ​status  de  semi  celebridade  em  alguns  círculos.  Quem  é  do 
meio  vai  lembrar  da  era  dos  "gurus  digitais".  Acrescento  que 
sempre  tive  ao  meu  lado  dois  sócios  incríveis,  meu  cunhado 
Sílvio  e  meu  irmão  Tiago,  cujo  entrosamento  sempre  foi 
impecável. Eu não podia desejar sócios melhores. 
Olhando  de  fora,  era  a  vida  perfeita.  Eu  deveria  estar 
vivendo  intensamente,  com  alto  grau  de  felicidade  e 
realização.  Podia  comprar  praticamente  tudo  o  que  queria. 
Podia  viajar,  fazer  cursos  ou  morar  no  exterior.  Podia 
desfrutar  da  família,  ajudar  a  igreja  ou  tirar um longo período 
de  férias,  porém,  as  coisas  começaram  a  "perder  o  gosto". 
Havia  dentro  de  mim  um  incômodo  retumbante:  "É  para  isso 
que estou aqui?" 
 
A vida pode ser cheia de tudo, parecer perfeita, mas estar 
vazia de propósito. 
 

19 
 
Era  isso  o  que  eu  não  entendia:  ter  alcançado  tudo  o  que 
alcancei  e  me  deparar  com  o  vazio.  Parecia  que  a  vida  era 
apenas  uma  sucessão  de  dias  bons  e  ruins  que  passavam 
diante  dos  meus  olhos  sem  qualquer  sentido  até  o  fim 
inexorável de todos. 
O  renomado  neuropsiquiatra  Dr.  Viktor  Frankl  em  certa 
entrevista  disse  que  frequentemente  doentes  terminais 
encontram  um  sentido para suas vidas mais facilmente do que 
pessoais  saudáveis  que  vivem  com  abundância  e 
tranquilidade.  Recentemente,  ao  assistir  essa  entrevista  me 
lembrei  daquela noite quente de novembro. De fato, eu parecia 
ter  "tudo"  sem  conseguir  enxergar  sentido,  enquanto  outros 
encontravam  sentido,  quando  nada  restava  a  não  ser  partir 
para o estado eterno. 
 

O Dia da Marmota 

O  Dia  da  Marmota  é  uma  festa  comemorada  na  cidade 


americana  de  Punxsutawney.  A  tradição  é baseada na lenda de 
que  marmotas  podem  prever  a  duração  do  inverno,  bastando 
as  pessoas  notarem  o  comportamento  delas  para  saberem  a 
duração da estação. 
O  filme  ​Feitiço  do  Tempo  explorou  esse  tema  em  1993, 
onde  o  meteorologista  Phil  Connors  (Bill  Murray)  acorda 
todos  os  dias  no  mesmo  dia,  exatamente  no  Dia  da  Marmota, 
em Punxsutawney. 

20 
 
Se  você não lembra desse filme, deve lembrar da comédia 
Como  Se  Fosse  a  Primeira  Vez​,  com  Adam  Sandler.  Na  trama, 
Henry  (Sandler)  se  apaixona  por  Lucy  (Drew  Barrymore),  que 
tem  um  grave  problema.  Toda  vez  que  ela  dorme,  o  dia 
anterior  é  apagado  da  sua  memória  e  ela  revive  sempre  o 
mesmo  dia  enquanto  todos  fazem  de  tudo  para  que  ela  não 
descubra  o  problema.  O  que  esse  tipo  de  trama  tem  a  ver  com 
propósito? Chegaremos lá. 
Cerca  de  seis  anos  depois  daquela  noite  no  hospital, 
alguns  raios  de  luz  começaram  a  clarear  meu  caminho. 
Comecei  a  enxergar  com  mais  clareza meu papel nesta grande 
peça  chamada  existência.  Sair  da  neblina  sufocante  não  foi 
nada  parecido  com  uma  ciência  exata.  Não  foi  tão  simples 
quanto  uma  conta  de  dois  mais  dois,  mas  uma  longa  jornada 
descobertas  cujas  lições  compartilho  nesta  obra.  Não  quero 
dar ​spoiler​ agora. 
É  importante  que  você  sublinhe  isso:  não  se  trata  de  um 
ato  único,  de  um  ​insight  ou  de  uma  dica  quente.  Encontrar 
propósito  é  um processo. Para muitos, um longo processo. Por 
isso,  não  dê  crédito  a  quem  vende  fórmulas  prontas  para  a 
vida.  Cuidado  com  os  livros  de  auto-ajuda  que  vendem 
supostas  fórmulas  milagrosas  para  a  felicidade  e  para  o 
sentido da existência. 
 
Quem tenta aliviar sua dor rapidamente costuma ser um 
alvo fácil daqueles que vendem atalhos, mas não 
entregam. - Joel Moraes 

21 
 
Meu  conselho  é  que  você  esteja  disposto  a  partir  em 
busca  do  seu  propósito  sem  atalhos fajutos. Para mim, valeu à 
pena  ter  iniciado  a  jornada  e  não  ter  desistido.  Foram  anos de 
dúvidas  e  de  turbulências,  mas  de  reflexões  e  aprendizados 
que  me  posicionaram  no  meu destino. Que deliciosa sensação! 
Que maravilhosa paz! 
Hoje  me  sinto  na  jornada  que  deveria  estar  trilhando. 
Talvez  dois  centímetros  à  direita  ou  quem  sabe  cinco  a 
esquerda.  A  correção  de  rota  é  contínua,  mas  prossigo  para  o 
alvo,  continuo  no  processo.  Nem  preciso dizer que as dores no 
peito, a insônia, o estresse, o incômodo na alma, a sensação de 
vazio,  tudo  isso  sumiu.  Minha  desconfiança  se  confirmava.  O 
elo perdido foi encontrado. 
Quão  incrível  é  enxergar  sentido  na  existência  e 
descobrir  que  há  muito  mais do que os olhos podem ver. Saber 
que  posso encontrar propósito em cada habilidade natural, em 
cada  característica  da  personalidade,  em  cada  traço  físico, em 
cada  centavo  conquistado,  em  cada  relacionamento,  em  cada 
porta  que  se  abre.  Saber  que  tudo  isso  aponta  para  algo maior 
do  que  mim  mesmo,  tudo isso traz uma indescritível sensação 
de pertencimento e completude. 
 
Você faz parte de algo inimaginavelmente grande e ainda 
pode contribuir deixando sua marca na história de alguém. 
Que privilégio! 
 

22 
 
Uma  instabilidade  existencial  tentava  me  condenar  a 
viver  as  mesmas  coisas  todos  os  dias.  Em  ​Feitiço  do  Tempo​, 
Phil  Connors  até  tenta  se  aproveitar  da  situação  inusitada  no 
início,  mas,  logo  se  cansa  da  rotina.  É  o  que  acontece  com 
quem  vive  como  um  autômato,  com  um  comportamento 
maquinal sem sentido. Uma hora cansa e adoece. 
 
Você não foi criado para viver preso no Dia da Marmota. 
 
Não  sei  qual  parte  da  jornada  você  trilha  hoje.  Você pode 
estar  vivendo a sua madrugada sufocante no hospital, ouvindo 
que  os  exames  não  acusaram  nada,  a  despeito  da  sua 
lancinante  dor  no  peito.  Você  pode  estar  naquela  fase  em  que 
pensa  que  não  sabe  seu  papel  no  mundo, mas, no fundo, sabe. 
Só  está  com  medo.  Talvez  você  até  sabe  sua  missão,  mas  não 
sabe  como  vivê-la.  Quem  sabe  você  se  considera  "velho" 
demais  ou  padece  de  uma  doença  terminal,  cujos  dias  foram 
penosamente abreviados. 
Não  sei  em  qual  parte  da  jornada  você  está,  mas  se  está 
lendo  estas  palavras  há  uma  esperança,  nem  que  seja  uma 
fagulha.  Há  propósito  para  cada  minuto  que  lhe  resta.  Você 
pode  decidir  descobrir  sentido  neles.  As  próximas  páginas 
podem lhe ajudar nessa tarefa. Caminharemos juntos por elas! 
 
Que você possa chegar ao fim de sua vida sem remorso, 
sem arrependimentos, tendo certeza de que deu tudo o 
que tinha, de que atirou todas as flechas que podia. - 
Erwin MacManus   
23 
 
Capítulo dois. 

2. A origem 
 
 

 
 
Se Ele existe tudo muda. 
O sentido da vida para alguns sábios, 
filósofos, cientistas e eu.   

24 
 

"Cuspidos" no mundo? 

No  século  XIV,  Soren  Kierkegaard  defendeu  que  cada 


pessoa  deveria  descobrir  a  sua  própria  verdade  (propósito  da 
vida),  encontrando  assim  uma  razão  pela  qual  viver  e  morrer. 
Kierkegaard  foi  um  filósofo  existencialista  dinamarquês.  Ele 
via o homem como o definidor de sua existência, cabendo a ele 
viver  de  forma  sincera  e  apaixonada, apesar dos obstáculos da 
vida. 
 
A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás. 
mas só pode ser vivida, olhando-se para frente. - Soren 
Kierkegaard 

No  entanto,  por  causa  da  liberdade  de  escolha, o homem 


pode  encontrar  sofrimento,  já  que  a  possibilidade  de  escolha 
entre  os  vários  caminhos  causa  angústia:  "Devo  cursar 
engenharia  ou  direito?  Abro  um  negócio  próprio  ou  continuo 
no emprego atual?" 
Para  Kierkegaard,  a  pessoa  não  deve  buscar um caminho 
ideal  para  si  (uma trilha pré-determinada), mas sim construir 
sua  própria  história  de  vida.  Ela  é  quem  dá  o  sentido  de  sua 
existência. 
No  século  XX,  Sartre,  outro  filósofo  existencialista, 
argumentou  a  favor  da  inexistência  de  Deus.  Por  isso,  o 
homem  nasce  completamente  "despido"  de  qualquer 
propósito.  A  existência  precede  a  essência.  Assim,  o  homem 

25 
 
vem  ao  mundo,  se  descobre  e  só  depois  se  define  por  meio  de 
suas  ações.  Se  Deus  não  existe,  o  homem  está  livre  e  é 
totalmente responsável pela sua existência. 
Sob  essa  ótica,  você  e  eu  apenas  "surgimos"  no  mundo. 
Não  há  um  Criador.  Não  há  nenhum  sentido  ou  propósito  e 
agora  cabe  a  nós  fazermos  nossas  escolhas.  Fomos 
simplesmente "cuspidos" à existência. Brotamos ao acaso. 
Se  decido  ser  um  jogador  de  futebol,  elimino  as 
possibilidades  de  ser  um  cantor  ou  um  bancário.  O 
responsável  sou  eu,  não  há  a  quem  culpar.  Não  há  um  Deus  a 
quem  posso  interrogar:  "O  que  estou  fazendo  aqui?".  Eu 
mesmo  devo  resolver  essa  questão  com  minhas  escolhas  e 
ações. 
Diferente  de  Sartre,  Kierkegaard  não  foi  ateu.  O 
Existencialismo  pode  parecer  um  sistema  de  pensamento 
completamente  ateu,  mas  o  próprio  Kierkegaard  foi  um 
cristão fervoroso. 
 

A Aposta de Pascal 

Voltando  um  pouco  no  tempo,  chegamos  ao  século  XIV, 


no  tempo  do  filósofo  e  matemático  Blaise  Pascal.  Talvez  você 
já  deva  ter  ouvido  falar  sobre  a  controversa  Aposta  de  Pascal, 
que  visou  derrubar  o  mito  de  que  não  existem  razões  lógicas 
para a crença na existência de Deus. 

26 
 
Em  linhas  gerais,  Pascal lançou um sistema de raciocínio 
em  que  a  crença  em  Deus  poderia  levar  a  apenas  dois 
resultados possíveis: 
 
1. Ganho infinito:​ significa a vida eterna. 
2. Perda  finita:  engloba  todos  os  sacrifícios  que  a  religião 
demanda do fiel durante sua vida. 
 
Segundo  Pascal,  não  acreditar em Deus também levaria a 
apenas dois resultados possíveis: 
 
1. Perda infinita:​ significa o sofrimento eterno no inferno. 
2. Ganho  finito:  engloba  todos  os  prazeres  que  o 
incrédulo  pode  usufruir  na  vida  sem  os  esforços  que  a 
religião exige. 
 
A  defesa  de  Pascal  é  que  racionalmente  não  valeria  a 
pena  não  crer  na  existência  de  Deus, pois ela oferece o melhor 
"custo-benefício".  Como  era  de  se  esperar,  isso  levantou 
muita  polêmica  e  Pascal  acabou  sendo  atacado  por  crentes  e 
incrédulos.  Os  crentes  condenaram  a  racionalização  da  fé  e os 
incrédulos  tentaram  apontar  supostas  falhas  lógicas  no 
raciocínio  dele.  Contudo,  não  é  minha  pretensão  aprofundar 
tais questões aqui. 
Apenas  ressalto  que no campo da fé e da razão os debates 
atravessam  os  séculos.  Se  voltarmos  um  pouco  mais  no 
tempo,  lá  para  o  século  XIII,  encontraremos  outra 

27 
 
personalidade  que  contribuiu  muito nesses debates: Tomás de 
Aquino. 
 

As 5 vias de Aquino 

Aquino  foi  um  frade  italiano  que  partiu  da  filosofia 


aristotélica  para  escrever  cinco  pontos  que  visam  "provar"  a 
existência de Deus. Muito resumidamente, são elas: 
 
1.  Primeiro  motor:  tudo  o  que  se  move  no  mundo  foi 
movido  por  alguém  e  este  alguém  não  pode  ser  imóvel.  Logo, 
há  um  primeiro motor que deu início ao movimento existente, 
ou seja, Deus. 
 
2.  Causa  eficiente: todas as coisas que existem no mundo 
são  fruto  de  uma  causa.  Não  há  efeito  sem  causa.  Se 
retrocedermos  ao  infinito,  devemos  chegar  a  uma  causa 
primeira que por ninguém foi causada, ou seja, Deus. 
 
3.  Ser  necessário:  todas  as  coisas  que  existem  no mundo 
podem  deixar  de  existir,  logo,  houve  um  momento  em  que 
elas  não  existiam.  Conclui-se  que  deve  haver  um  ser  eterno 
que seja a causa de tudo. 
 
4.  Ser  perfeito:  conseguimos  enxergar  graus  de 
perfeição,  bondade  e  beleza  nos  seres.  Diariamente,  fazemos 
comparações,  como,  por  exemplo,  algumas  coisas  são  mais 
28 
 
belas  do  que outras. Logo, deve haver um ser que seja o padrão 
máximo  de  perfeição,  a  referência,  que  é  a  causa  da  perfeição 
dos demais seres. 
 
5.  Inteligência  ordenadora:  existe  uma  ordem  no 
universo,  em  que  cada  coisa  cumpre  uma  finalidade,  um 
objetivo.  Não  se  chega  à  ordem  pelo  acaso  ou  pelo  caos. Logo, 
Deus  organizou  o  universo  e  governa  sobre  todas  as  coisas 
para que elas cumpram seu propósito. 
 
Sobre  o  ponto  cinco, o professor de filosofia Luiz Cláudio 
argumenta: 
 
O que justifica o fato da natureza ser “tão perfeita” no seu 
equilíbrio, cada coisa fazendo uma função específica, que 
no final dá um equilíbrio para tudo? O filósofo (Aquino) 
usa o argumento da flecha para exemplificar. Uma flecha 
não tem consciência, mas consegue seguir seu rumo e 
chegar em um objetivo se disparada por um arqueiro, esse 
sim, um ser consciente. 

Ele continua: 
 
Da mesma forma, a natureza é governada por uma 
inteligência superior, por trás dela, que lhe dá o 
direcionamento e a ordem do que fazer e para onde ir. A 
natureza não é um caos nem um acaso, ela é ordenada. E 
quem dá essa ordem é um ser supremo, que está para 

29 
 
além de todo o universo, regendo-o. Esse ser é Deus. - 
Luiz Cláudio (Nau dos Loucos) 

Meu  intuito  não  é  convencer  você  a  crer  em  Deus, 


embora  o  meu  desejo  é  que  todos  creiam.  Aliás,  se  nem  fatos 
conseguem  mudar  certas  opiniões,  eu  não  teria  esse  poder  de 
persuasão.  Eu  não  conseguiria  convencer  um  fumante  a 
abandonar  o  cigarro,  mesmo  provando  cientificamente  que 
uma  morte  horrível  o  espera  como  fruto  do  seu  vício 
destrutivo.  Que  dirá  convencer  alguém  sobre  um  tema  tão 
elevado,  acima  de  todas  as  minhas  limitações!  Meu  intuito 
aqui é anunciar uma boa notícia: 
 
Existe um Criador e Ele é o ponto de partida. 
 
Ao  contrário  de  Sartre,  não  creio  que  tenhamos 
"brotado"  no  mundo  desprovidos  de  sentido  ou  de  missão, 
embora  haja  certa  liberdade  de  escolha.  Particularmente,  não 
creio  ser  possível  conversar  sobre  propósito  de  vida  sem  falar 
sobre  Deus.  Sem  Ele,  seríamos  apenas  resto  da  poeira  das 
estrelas.  A  vida  seria  um  absurdo.  Não  creio  assim.  Creio  que 
fomos criados e esse é o nosso ponto de partida. 
 

A volta dos que não foram 


O Senhor confia o seu segredo aos que o temem [...] - 
Salmos 25:14 

30 
 
A  densa  neblina  das  minhas  dúvidas  existenciais 
começaram  a  se  dissipar  lentamente  quando  me  voltei  para 
Deus.  Se  há  um  Criador  que  criou  tudo  com  um  propósito,  Ele 
poderia dar indícios do meu. 
"Senhor,  sob  tua  palavra  lançarei  as  redes",  assentiu 
Pedro.  Depois de uma pescaria frustrada, coube ao contrariado 
pescador  seguir  o  estranho  conselho  de  Cristo.  As  redes  de 
Pedro ficaram cheias de peixe. 
Sair  em  busca  de  um  propósito  para  a  vida  é  antes  de 
tudo  uma  jornada  de  retorno  à  origem. Se fui criado à imagem 
e  semelhança,  carrego  algo  da  natureza  do  Criador.  "Ele  tem 
as respostas. Preciso voltar à fonte". 
 
O Senhor fez todas as coisas para determinados fins [...] - 
Provérbios 16:4 

Foram  muitas  perguntas  feitas  a  Deus  no  mais  absoluto 


silêncio.  Conversar  com  Ele  difere  de  conversar  com  uma 
pessoa  que  você  vê  bem  em  sua  frente.  Muitos  perguntam 
sobre  como  reconhecer  a  voz  de  Deus.  Sempre  me  lembro  do 
meu  falecido  avô,  que  tinha  um  ouvido  fino  para  o  canto  dos 
pássaros.  Diferente  de  mim,  ele  conseguia  diferenciar  um 
canário  de  um  curió  apenas  pelo  canto,  mesmo  de  bem  longe. 
É  o  que  acontece  com  alguém  que  passa  anos  "afinando  o 
ouvido".  É  o  mesmo  com  Deus.  Discernir  sua  voz  requer 
relacionamento e tempo. Você precisa experimentar. 

31 
 
Foi  assim  que  os  primeiros  raios  de  luz  começaram  a 
aparecer  para  mim.  No  caminho,  descobri  o seguinte: "Há um 
propósito mais elevado para toda a criação". 
Entendi  esse  propósito  como  o  maior  e  mais  importante 
que  existe,  comum  a  todas  as  criaturas.  Não  é  sobre  qual 
faculdade  ou  carreira  seguir.  Não  é  sobre  o  momento  certo  de 
casar  ou  de  ter  filhos.  É  sobre  algo  muito  mais  elevado. 
Precisamos  conversar  sobre  isso,  antes  de  falar  sobre  missão, 
chamado e vocação. 
 

O maior propósito do universo 

Todas as coisas não são somente dEle e por meio dEle, 


mas também “para Ele.” Portanto, “a Ele seja a glória.” 
Nossas vidas devem ser vividas voluntariamente para a 
glória de Deus, ou então serviremos a Sua glória 
involuntariamente em nossa condenação. Fomos criados 
e chamados para tornar a beleza e grandeza de Deus 
conhecidas no mundo. A razão de existirmos é para 
valorizar Deus, e levar todas as nações a confessar que 
Jesus é Senhor “para a glória de Deus o pai.” (Romanos 
11:36, Filipenses 2.11). - John Piper 

O propósito da criação é a glória de Deus. Tudo o que você 
vê  na  natureza  existe  primeiro  para  a  glória  de  Deus.  Esse  é  o 
porquê  principal  de  toda  a  criação.  Quer  você  acredite  ou  não, 
você  foi  criado  para  resplandecer  a  beleza  e  a  glória  de  Deus. 

32 
 
Com  essa  consciência,  nossa  perspectiva  sobre  a  vida  toma 
outra dimensão. O próprio Cristo diz: 
 
Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua 
justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. 
Mateus 6:33 

Em  certo  sentido,  Cristo  estabelece  prioridades: 


primeiro,  o  Reino  de  Deus,  primeiro,  a  vontade  e  a  glória  de 
Deus.  Suas  palavras  gritam:  “Primeiro,  se  voltem  para  o 
Criador  e  para  o  seu  Reino!”  Só  depois,  vêm  as  outras  coisas. 
Primeiro  vem  a  vontade  dEle,  o  seu  Reino  e  a  sua  justiça, 
depois o resto. 
Paulo diz: 
 
Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer 
outra coisa, façam tudo para a glória de Deus. - 1 
Coríntios 10:31 

Seu  maior  porquê  é  viver  para  a  glória  de  Deus.  Esse  é  o 


ponto  de  partida,  é  o  porquê  sob  o  qual  os  porquês  ulteriores 
estão submetidos. Se você não se alinhar a isso não viverá tudo 
o  que  poderia  viver.  Você  pode  ser  o  melhor  médico  ou 
advogado  do  mundo,  mas  se  viver  apenas  para  si  mesmo  e 
para  glória  própria,  terá  se  entregue  a  algo  muito  pequeno. 
Sua vida será muito aquém do que poderia ser. 
 

33 
 
Há muitos planos no coração do ser humano, mas o 
propósito do Senhor permanecerá. - Provérbios 19:21 

Você  pode  ter  muitos  planos  e  alcançar  certo  êxito 


através  dos  seus  esforços.  Sua  capacidade  intelectual  pode até 
leva-lo a conquistar feitos admiráveis. Contudo, as realizações 
meramente humanas serão sempre limitadas e deixarão muito 
a  desejar  se  comparadas  ao  que  Deus  pode  fazer  através  de 
uma  pessoa.  A  obra  humana  passa  e  facilmente  vira  pó, 
enquanto  o  que  Ele  faz  através  de  você  é  estabelecido 
permanentemente. 
Talvez  esse  seja  um  dos  fatores  que  fazem  os  bem 
sucedidos  encherem  os  consultórios  de  psicologia.  A  saúde,  a 
fama,  o  dinheiro,  a  família,  os  amigos,  nada  disso  preenche  a 
sensação  de  vazio.  Aconteceu  comigo.  As  fases  mais 
angustiantes  foram  as  que  eu  me  encontrava  com  a  fé  fria, 
vivendo  pela  minha  glória  e  não  como  um  instrumento  da 
glória de Deus. 
 

As 2 chaves 
Se você luta por si mesmo, você se entregou a algo muito 
pequeno. - Erwin MacManus 

Ao  responder  um  especialista  da  lei  mosaica  que  o 


indagava  sobre  qual  seria  o  maior  dos  mandamentos,  Cristo 
aponta para duas chaves que são a base da ética cristã: 

34 
 
 
1. Ame a Deus. 
2. Ame o seu próximo. 
 
Se  você  quer  entender  seu  papel no mundo, se realmente 
quer  ter  mais  clareza  sobre  sua  missão  nesta  existência,  deve 
fundamentar  sua  busca  e  sua  vida  nestas  duas  chaves:  (1) 
voltar-se ao Criador e (2) dedicar-se ao próximo. 
 
Quanto mais você se relaciona com Deus, mais indícios sobre 
o seu propósito você terá. 
 
Se  você  seguir  esses  dois  mandamentos  não  só  estará 
agradando  a  Deus  e  cumprindo  a  elevada  lei  de  Cristo  como 
terá mais clareza para tomar melhores decisões no decorrer da 
caminhada.  Nos  últimos  dez  anos,  as  grandes  decisões  da 
minha  jornada  foram  pautadas  na  sabedoria  das  Escrituras, 
tendo  em  vista  os  dois  mandamentos,  e  assim  saí  de  uma 
grande  crise  de  dúvidas  para  uma  vida  cheia  de  sentido  e 
propósito. Isso teve impacto até mesmo nas menores decisões. 
 
Quanto mais a pessoa esquecer de si mesma, 
dedicando-se a servir uma causa ou a amar outra pessoa, 
mais humana será e mais realizará. - Viktor Frankl 

Lembro  muito  bem  que  quando  fazia  atendimentos  na 


Blueberry o senso de "amor ao próximo" pautava até mesmo o 
nível  de  sacrifício dedicado a um cliente que estava precisando 
35 
 
dos  meus  conhecimentos.  Passei  a  fazer  muitas  coisas  por 
puro  amor,  por  querer  o  máximo  bem  de  um  cliente 
necessitado,  sem  ganhar  um  centavo  a  mais  e  no  completo 
anonimato.  Muitos  deles  nem  sabem  que  fiz  mais  em  suas 
campanhas  do  que  eles  haviam  me  pago.  Por  quê?  Porque 
agora  minha  empresa  compreendia haver um propósito maior 
do que uma simples transação comercial. 
 
O amor não é um sentimento afetuoso, mas um desejo 
constante pelo bem maior da pessoa amada até onde for 
possível obtê-lo. - CS Lewis 

Agora,  se  eu  fosse  apenas  um  amontoado  de  células 


oriundas  de  reações  químicas,  um  mero  filho  do  caos ou fruto 
do  acaso,  algo  como  um  propósito  maior  não  faria  sentido. 
Nesse  caso,  o  sentido  óbvio  seria  se  empenhar  em  um  projeto 
egoísta,  em  um  reino  próprio  e  aproveitá-lo  ao  máximo 
enquanto  há fôlego nos pulmões. Se o nosso destino é o nada o 
negócio  é  aproveitar  o  mundo  da  matéria  enquanto há tempo. 
É  a  filosofia  de  vida  de  muitas  pessoas.  Converse com doentes 
terminais  e  pessoas  em  idade  avançada  e  você  encontrará 
lamentos:  "O  que  eu  fiz  com  a  minha  vida?  Ah!  Se  eu  pudesse 
voltar no tempo!" Uma tonelada de arrependimentos. 
Não  precisa  ser  um  moribundo  no  hospital para chegar a 
conclusões  assim.  Talvez  você  esteja  lendo  este  livro 
justamente  porque  chegou  no  topo,  mas  sua  alma  continuou 
incomodada. 
 
36 
 
Quem sabe, assim como eu, você alcançou tudo o que sempre 
desejou, mas se deu conta de que suas conquistas não 
preencheram a "lacuna". 
 
Quando  abri  a  primeira  turma  da  Altitude  fiz  uma 
pesquisa  de  satisfação  com  os  membros  e  identifiquei 
exatamente  isso.  A  maioria  dos  trinta  e  oito  assinantes  já 
havia  alcançado  certo  sucesso  na  vida,  mas  ainda  buscavam 
compreender o propósito de sua existência. 
As  respostas  da  pesquisa  quase  sempre  concluíam  algo 
como  "eu  sei  que  há  algo  maior,  quero  descobrir  o  quê".  Nas 
aulas  e  mentorias  da  comunidade,  ficou  cada  vez  mais  claro 
que  elas  encontravam  o  que  procuravam  quando  se  voltavam 
para  Deus  e  reposicionavam  suas  vidas  para  servir  o  próximo 
com aquilo que tinham nas mãos. 
Cristo sempre teve razão. 
 

A conclusão do sábio 
Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de 
vaidades! Tudo é vaidade. Que proveito tem o homem, de 
todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol? — Salomão 
em Eclesiastes 1:2,3 

Busquei  responder  minhas  dúvidas  existenciais  com 


mais  tarefas,  mais  projetos,  mais  compromissos,  mais 
dinheiro  e  mais  qualquer  outra  coisa.  Quis  preencher  o  vazio 

37 
 
com  mais  vazio.  Sobrou  aquilo  que  sobra  quando  se  estoura 
uma bolha de sabão. Tudo é vaidade. 
 
Para compreender o sentido de uma música, posso perguntar 
para o compositor. Se quero saber o sentido da vida, devo 
perguntar ao Autor da vida. 
 
O  grande  Salomão  tentou  viver à sua maneira, encontrou 
terrível  angústia,  só  para  concluir  em  avançada  idade  que  a 
única  vida  que  valia  a  pena  ser  vivida  era  uma  vida  ligada  a 
vontade  de  Deus.  Quer  descobrir  o  sentido  da  sua  vida?  Voltar 
ao Criador é o primeiro passo.   

38 
 
Capítulo três. 

3. Clareamento 
 

 
 
Caninos, Mario Bros e o resgate da princesa Cogumelo. 
 

   
39 
 

Canino ou molar 

● "O que está acontecendo?" - pergunta o médico. 


● "Meu peito está doendo!" 
 
Ninguém  vai  ao  hospital  para  esconder  uma  informação 
com  essa.  Rapidamente,  aponto  para  onde  dói. 
"Provavelmente,  o  problema  está  aqui."  Ocorre  o  mesmo  no 
dentista.  Seria  tolice  correr  ao  dentista  e  se  negar  a  apontar 
exatamente  onde  dói.  Na  consulta,  a  pergunta  surge 
rapidamente: "Qual dente está doendo?" 
Você só não apontaria a fonte da dor se por algum motivo 
não  conseguisse  identificá-la.  Do  contrário,  a  resposta  é 
rápida. "É este aqui, doutor. É bem aqui. Chega a latejar!" 
Eu  costumava  fazer  confusão  com  os  significados  dos 
termos  relacionados  ao  tema  propósito.  O  escritor 
norte-americano  Simon  Sinek  tornou  famoso  o  conceito  de 
Círculo  de  Ouro  em  seu  livro  Comece  Pelo  Porquê.  Um  dos 
grandes  temas  da  filosofia  é  o  sentido  da  vida.  Nos  círculos 
religiosos,  ouvimos  com  frequência  a  palavra  chamado.  Nos 
consultórios  de  psicologia,  nas  entrevistas  de  emprego  e  nos 
eventos motivacionais emprega-se o termo vocação. 
A  infinidade  de  termos  usados,  muitas  vezes  com 
significados  bastante  diferentes  dependendo  do  contexto, 
pode  ser  uma  pedra  no  sapato  de  quem  busca  compreender 
seu  papel  no  mundo.  Propósito,  chamado,  vocação,  causa, 
porquê,  missão,  sentido,  destino  —  será  tudo  a  mesma coisa? 
40 
 
É possível distinguir esses termos? Isso sempre me atrapalhou 
um pouco. "Preciso parar e remover esse pedregulho." 
Se  não  distingo  bem  as  coisas,  posso  me  encontrar 
fazendo  um  teste  vocacional  para  resolver  uma  dúvida  sobre 
um  chamado  divino.  Posso  buscar  livros  sobre  o  sentido  de 
vida  para  resolver  uma  desmotivação no trabalho. Posso ouvir 
conselhos  inadequados  de  um  eletricista  sobre  os  tipos  de 
tratamentos  dentários  que  deveria  escolher.  As  palavras  e  os 
problemas  precisam  ser  distinguidos.  Pelo  menos  um  pouco. 
Preciso  saber  diferenciar  um  canino  de  um  molar.  Depois, 
atacamos o problema. 
O resultado será mais clareza na caminhada.  
 

Uma mesa com propósito 


[...] e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de 
inteligência e de conhecimento, em todo artifício, para 
elaborar desenhos e trabalhar em ouro, prata e bronze 
[...] - Êxodo 31:3,4 

A  palavra  propósito  tem  sua  origem  em  termos  que 


fizeram  uma  longa  viagem  pela  história,  desde  o  grego,  o 
latim,  o  francês  antigo,  entre  outros.  Alguns  significados 
apontam  para  alvo,  fim,  finalidade,  sentido,  objetivo, 
intenção, vontade e assim por diante. 
Quando  o  marceneiro  constrói  uma  mesa  ele  tem  uma 
intenção.  Antes  mesmo  de  escolher  a  madeira,  dedica  algum 

41 
 
tempo  para  reflexão. Ele imagina a mesa em sua cabeça, pensa 
na  finalidade  dela,  em  como  será usada entre outras questões. 
Como  todas  as  outras, é uma mesa que vai servir a um ou mais 
propósitos  depois  que  ficar  pronta.  Há,  no  mínimo,  uma  boa 
razão  para  a  existência  dela.  Quando  terminar  o  trabalho,  o 
marceneiro  orgulho  vai  pensar:  "Ficou  muito  bom!  Esta mesa 
ficará perfeita na minha sala de jantar!" 
Certamente,  você  conhece  alguém  cujo propósito de vida 
é  tão  evidente  que  provoca  afirmações  do  tipo:  "Parece  que 
fulano  nasceu  para  aquilo".  Por  outro  lado,  imagine  a  família 
do  marceneiro  usando  a  nova  mesa  como  cadeira  e  todos 
sentados  nela. É possível alguém sentar sobre uma mesa? Sim, 
mas  não  faria  muito  sentido.  Seria  uma  mesa  muito  mal 
utilizada!  É  o  que  acontece  quando  olhamos  para  alguém  e 
pensamos: "Fulano não tem nada a ver com aquilo. Por que ele 
se meteu nessa?" 
Apesar  de  polímata,  um  gênio  com  conhecimento  em 
várias  áreas,  Leonardo  da  Vinci  foi  uma  pessoa  que  qualquer 
um poderia olhar e dizer: "Esse cara nasceu para ser pintor!"  
Na perspectiva cristã, Deus é o Marceneiro que criou tudo 
com um propósito e viu que tudo o que criou era bom. 
 

Os chamados de Mário 
[...] disse o Espírito Santo: Separem-me Barnabé e Saulo 
para a obra a que os tenho chamado. - Atos 13:2 

42 
 
Na  minha  infância,  eu  era  viciado  em  um  jogo  da 
Nintendo  chamado  Super  Mario  Bros.  Foi  um  divertido 
entretenimento  por  muito  tempo  da  minha  vida.  Agora  pense 
comigo,  para  quê  os  jogos  de  video  games  são  criados?  Os 
propósitos  podem  incluir  entretenimento,  diversão,  aliviar  o 
estresse,  reunir  os  amigos  entre  outros.  Os  desenvolvedores 
de  jogos  podem  ter  esses  alvos  em  mente  ou  também  podem 
criar  jogos  apenas  para  ganhar  dinheiro  e  fazer  fortuna. 
Depende da visão, dos valores e dos princípios da empresa e de 
cada um dos envolvidos. 
Agora,  olhemos  um  pouco  para  o  personagem  Mario. 
Qual  é  o  objetivo  dele  no  jogo?  Segundo  o enredo, Mario parte 
em  uma  jornada  para  salvar  a  princesa  Peach  Cogumelo  e 
libertar  o  reino  de  Bowser,  o  vilão.  Para  cumprir  esse 
propósito,  Mario  deve  cumprir  várias  missões  que  incluem 
perigos  diversos,  inclusive  derrotar  Bowser.  Se  o  propósito  de 
Mario  é  resgatar  a  princesa  e  libertar  o reino, suas missões no 
jogo  podem  ser  comparadas  ao  que  nos  referimos  por 
chamado. Pelo menos em certo aspecto. 
 
Mario tinha um propósito maior, mas para chegar nele 
precisou cumprir propósitos menores. 
 
Não  posso  dizer  quais  são  os  seus  propósitos, mas posso 
dizer  que  certamente  você  terá  vários  chamados.  Nas 
religiões,  o  termo  chamado  está  mais  ligado  ao  divino,  às 
questões  espirituais.  No  cristianismo,  Deus  chama  as  pessoas 

43 
 
para  missões  específicas  de  acordo  com  sua  vontade.  Assim, 
me  parece  que  o  termo  chamado  refere-se  mais 
frequentemente  a  uma  convocação  espiritual,  uma  missão 
divina ou algo parecido. 
Um  exemplo  é  o  chamado  comissional aos cristãos. "Vão 
e  façam  discípulos"  é  entendido  como  um  chamado  comum  a 
todos  os  cristãos,  sem  exceção.  Como  cristão,  não  preciso 
buscar  uma  confirmação  sobrenatural  para  esse  chamado,  ele 
simplesmente já foi feito. É só questão de obediência. 
Existem  também  as  designações  específicas.  Pedro  foi 
chamado  para  ser  um  dos  doze  apóstolos  de  Cristo.  Paulo  foi 
chamado  para  ser  apóstolo  entre  os  gentios.  Há  quem  seja 
chamado  para  o  matrimônio,  como  também  há  quem  seja 
chamado  para  o  celibato.  Uma  pessoa  provavelmente  terá  de 
cumprir  muitas  missões  na  vida,  o  que  pode  incluir  crescer, 
estudar,  trabalhar  ou  ter  filhos.  Falo  isso  porque  é  comum 
associarmos  todo  e  qualquer  chamado  aos  chamados  de 
Moisés  ou  de  Maria,  envoltos  em  visões  e  grandes  sinais 
sobrenaturais. Você não precisa disso para ter um chamado. 
Madre  Teresa  recebeu a missão de viver entre os pobres e 
doentes.  Foi  em  1946,  durante  uma  viagem  de  trem  na  Índia, 
que  ela  recebeu  o  "chamado dentro de um chamado". Além da 
grandiosa  missão  que  ela  já  desempenhava  agora  ela  havia 
recebido  uma  nova  missão  que  sabemos  que  cumpriu  com 
louvor.  Durante  a  vida,  receberemos  chamados  de  várias 
formas diferentes. 
 

44 
 

Em busca da vocação perdida 

Vocação  refere-se mais a um "chamado natural", muitas 
vezes  entendido  como  inclinações  pessoais,  gostos, 
habilidades  naturais,  entre  outros.  O  uso  corrente  do  termo 
está  bastante  ligado  a  escolha  de  um  curso ou de uma carreira 
profissional,  o  que  para  muitos  é  reduzir  o  conceito.  Para  fins 
didáticos, me focarei mais no aspecto popular do termo.  
Normalmente,  quando  as  pessoas  falam  em vocação elas 
estão  se  referindo  a  uma  atividade  que  gostam,  uma 
inclinação  ou  uma  profissão.  Talvez  você  já  tenha  ouvido  de 
alguém:  "Trabalho  nesse  emprego,  mas  não  é  minha 
vocação".  Ou  quem  sabe:  "Não  tenho  vocação  para 
matemática".  Essas  são  as conotações populares. Quem nunca 
passou por um teste vocacional na escola? 
Partindo  desse  ponto,  por  curiosidade,  observe  alguns 
personagens bíblicos e suas profissões: 
 
● Paulo:​ fabricante de tendas. 
● José:​ carpinteiro. 
● Dorcas:​ costureira. 
● Neemias:​ copeiro. 
● Lucas:​ médico. 
● Mateus:​ cobrador de impostos. 
● Pedro:​ pescador. 
● Amós:​ agricultor. 
● Daniel:​ político. 
45 
 
● Josué:​ soldado. 
 
Vocação  tem a ver com quem a pessoa é, o que inclui suas 
características  e  inclinações  inatas.  Para  muitos  especialistas, 
não  é  uma  coisa  a  ser  escolhida,  mas  a  ser  descoberta.  É  algo 
que Deus lhe deu de presente. 
Você  não  escolheu  nascer na cidade em que nasceu assim 
como  não  escolheu  as  habilidades  que  possui.  Não  decidiu 
preferir  tomate  em  vez  de  cebola.  Você  descobriu  tudo  isso 
vivendo,  prestando  atenção,  experimentando,  se  conhecendo. 
Portanto,  na  jornada  da  vida  você  descobre  sua  vocação  e 
então  pode escolher segui-la ou rejeitá-la, se encaixar a ela ou 
lutar contra ela. 
 

Descomplicando 

Deixo  claro  que  o  sistema  de  definições  que  apresento 


neste  capítulo  começou  meramente  como  um  projeto pessoal. 
Ele  foi  sendo  construído  lentamente como a montagem de um 
grande  quebra-cabeças  cujo  objetivo  era  facilitar  meu 
processo  de  auto-conhecimento.  Tenho  certeza  que  pessoas 
mais  capacitadas  do  que  eu,  nas  mais  diversas  áreas  do 
conhecimento,  podem  dar definições mais precisas sobre cada 
um  dos  termos.  Dito  isso,  apresento  alguns  exemplos bíblicos 
de acordo com meu sistema de definições: 
Se  eu  pensar  no  propósito  de  vida  de  ​Moisés​, 
inevitavelmente  surgem  palavras  como  libertador,  guia, 
46 
 
legislador,  profeta,  entre  outros.  Para  viver  seu  propósito,  ele 
cumpriu  diversos  chamados  como:  comparecer  diante  de 
Faraó,  entregar  a  lei  de  Deus,  conduzir  o  povo  pelo  deserto  e 
assim  por  diante.  A  vocação  de  Moisés  apontava  para 
liderança, política, intelectualidade e comunicação. 
Maria  nasceu  para  ser  a  mãe  de  Jesus  (Gênesis  3:15). 
Dentre  os  seus  chamados  estavam  gerar,  criar  e  cuidar  de 
Jesus,  o  que  ela fez até o último suspiro dele na cruz. É comum 
ouvirmos  sobre  a  "vocação  de  Maria",  mas  não  no  sentido  de 
uma  profissão  ou  de  uma  atividade  que  ela  desempenhasse, 
mas  como  um  sinônimo  de  chamado.  É  fácil  perceber  que 
popularmente os termos e os significados se misturam. 
O  próprio  ​Cristo  veio  à  Terra  com  o  propósito  bem  claro 
de  nos  salvar.  Qualquer cristão responderia facilmente sobre o 
principal  motivo  de  Cristo  descer  entre  nós.  Para  cumprir  seu 
propósito,  ele  foi  chamado  para  morrer  na  cruz,  missão  que 
ele decidiu obedecer até o fim: 
 
[...] foi precisamente com este propósito que eu vim para 
esta hora. - Jesus Cristo em João 12:27 

Durante  sua  vida,  Cristo  estudou,  trabalhou,  escolheu  e 


treinou  discípulos,  operou  milagres e muito mais. A Bíblia não 
indica  a  profissão  dele  com  clareza  absoluta,  embora  fosse 
comum  que  os  filhos  ajudassem  o  pai  no  trabalho.  Em  todo 
caso,  percebemos  que  Jesus  tinha  familiaridade  com 
elementos  da  construção  civil,  conforme  os  exemplos  que 
dava em suas pregações. 
47 
 
A  ​mesa  que  citei  anteriormente  tem  como  propósito  ser 
uma  mesa  de  jantar.  Um  dos  seus  chamados  é  servir  como 
ponto  de  encontro  da  família  nas  segundas-feiras  quando 
todos  jantam  juntos.  Ela  também já foi "chamada" para servir 
como a mesa principal de uma festa de aniversário. Que honra! 
E  quanto  a  vocação?  Ah!  Trata-se  de  uma  bela  mesa  de 
madeira,  grande,  forte,  com  duas  gavetas  embaixo  e  que 
encaixa  perfeitamente  na  sala  de  jantar  do  marceneiro  que  a 
construiu.  Temos aqui uma mesa muito bem alinhada com seu 
propósito de existência! 
 

Exercício 

Baseado  no  que  vimos  neste  capítulo,  responda  às 


questões a seguir: 
 
1. PROPÓSITO:  escreva  algumas  palavras-chave  que 
possuem  conexão  com  seu  propósito.  Não  precisa 
responder  com  exatidão.  Exemplo:  um  médico  poderia 
escrever  "cuidar  de  pessoas,  saúde,  ONG,  trabalho 
humanitário, pesquisa, cura, entre outros". 
2. CHAMADO:  você  já  se  sentiu  impelido  a  iniciar  ou 
participar  de  algum  projeto,  causa,  missão,  ministério, 
entre outros? Descreva. 
3. VOCAÇÃO:  liste  algumas  atividades  que  você  ama  fazer 
ou  habilidades  naturais  que  você  possui.  Exemplos: 

48 
 
liderar,  cantar,  vender,  organizar,  palestrar,  escrever, 
empreender, aconselhar, entre outros. 
 
Um  simples  exercício  como  esse  pode  lançar  luz  sobre 
seu  propósito. Tome como exemplo esta obra que você lê. Ela é 
fruto  de  perguntas  como  essas,  após  eu  ter  descoberto  uma 
paixão  por  servir  pessoas  através dos meus textos. Portanto, a 
existência  deste  livro  está  cem  por  cento  alinhada  ao  meu 
propósito e a considero mais um chamado cumprido. 
 

Antes da próxima fase 

Você  já  está  quase  passando  de  fase.  Antes,  quero 


compartilhar  alguns  pontos que respondem a dúvidas comuns 
ainda no tema. 
Primeiro​,  não  é  possível  traçar  uma  linha  divisória  clara 
entre  seu  propósito,  vocação  e  chamado.  Em  alguns  casos,  a 
divisão  pode  ser  nítida.  Em  outros,  as  coisas  vão  se  misturar 
completamente.  Às  vezes,  encontro  pessoas  tentando  fazer 
uma  divisão  tola:  "Das  oito às dezoito horas estou no trabalho 
(vocação).  A  noite  vou  à  igreja,  onde  sou  voluntário 
(chamado).  Nos  fins  de  semana,  faço  trabalho  social 
(propósito)".  Não  recomendo  fazer  delimitações  assim, 
especialmente  porque  quem  faz  isso  frequentemente  está 
comparando sua trajetória com a trajetória de outra pessoa. 
Segundo​,  deixe  o  passado.  Não  raro,  encontro  pessoas 
angustiadas  querendo  voltar  no  tempo  porque  deixaram  de 
49 
 
cumprir  alguma  missão  ou  chamado  lá  atrás.  Isso  não 
significa  que  seu  propósito  foi  cancelado.  Se  você  viveu  com a 
vida  desalinhada,  se  negligenciou  algum  chamado de Deus, se 
arrependa,  busque  alinhamento  e  continue  a  caminhada.  O 
que  Davi,  Elias,  Pedro,  Sansão,  Moisés,  Jacó,  Jonas,  Tomé  e 
outros  personagens  bíblicos  têm  em  comum?  Todos  eles 
falharam,  mas  isso  não  os  impediu  de  completarem  suas 
carreiras. 
Terceiro​,  busque  sabedoria  para  conciliar  as  várias 
esferas  da  vida.  Muitos  me  perguntam  sobre  como  concilio 
profissão, família, ministério, lazer, estudo, entre outros. Esse 
é  um  assunto  que  trato  em  detalhes  na  Altitude,  mas  posso 
adiantar  o  seguinte:  o  fato  de  Mario,  personagem  do  jogo, ser 
um  encanador  não o impediu de salvar a princesa, assim como 
o  fato  de  Paulo  de  Tarso  ser  um  fabricante  de  tendas  não  o 
impediu  de  pregar  aos  gentios.  "Como  assim,  Ramon?"  Fique 
tranquilo. No capítulo cinco, volto nesse tema. 
Quarto​,  reflita  nas  decisões  que  você  toma  diariamente. 
Não  adianta  você  dizer  que  tem  um  propósito  claro  se  não 
convergir  para  ele.  Se  não  há  decisões  alinhadas, pode ser que 
nem  você  mesmo  acredita  no  seu  propósito.  Pergunte-se 
todos  os  dias: "As decisões que estou tomando me aproximam 
ou me afastam da jornada que devo estar trilhando?" 
Quinto​,  mude  sua  perspectiva  a  respeito  da  sua 
profissão.  Se  você  não  gosta  do  seu  trabalho,  não  fique 
resmungando  pelos  cantos.  Tome  a  responsabilidade  de  dar  o 
melhor  de  si  e  enxergue  essa  etapa  como  parte  do  seu 

50 
 
aprendizado  e  crescimento.  Você  pode  não  ter  escolhido  seu 
trabalho,  mas  pode  tentar  ver  um  propósito  maior  onde  não 
consegue enxergar. 
Tenho  um  tio  que  é  dono  de  uma  loja  que  vende 
parafusos.  Alguém  poderia  menosprezá-lo  dizendo: 
"Parafusos?"  A  verdade  é  que  ele  não  vende  parafusos,  mas 
está  ajudando  a  construir  a  cidade. Os parafusos que ele vende 
contribuem  para  as  casas  e  apartamentos  que  surgem 
diariamente  para  abrigar  as  novas  famílias.  A  perspectiva 
muda  completamente.  Ao  vender  parafusos,  meu  tio  está 
contribuindo  para  a  sociedade  e  glorificando  a  Deus  com  sua 
postura  digna,  honesta,  dedicada  e  apaixonada.  Quem  o 
conhece  sabe  o  quanto  ele  gosta  de  resolver  os  problemas dos 
clientes. 
Trabalhei  por  cerca  de  oito  anos  com  coisas  que  não 
gostava.  Foram  quatro  anos  como  estoquista  na  loja  de  auto 
peças da família e quatro como professor particular de música. 
Hoje,  vejo  que  foi  um  tempo  valioso  de  aprendizado  e 
desenvolvimento  de  várias  habilidades  que  me  prepararam 
para saltos maiores. Sou muito grato a Deus por aquele tempo. 
Se você não vê sentido no seu trabalho, que tal mudar sua 
perspectiva  sobre  ele?  Comece  dando  o  melhor  de  si  no  que 
você  faz  e  continue  na jornada até enxergar uma possibilidade 
de  mudança.  Quem  sabe  você  não  precise  mudar  de  trabalho, 
mas  de  perspectiva.  Seja  grato  e  compreenda  que  tudo  pode 
estar servindo um propósito maior do que você imagina. 

51 
 
Capítulo quatro. 

4. Aventura singular 
 

 
Viagens no tempo, fitas cassetes e a 
importância das pálpebras. 

   
52 
 

Impressão digital 
Pois tu formaste o meu interior, tu me teceste no ventre 
de minha mãe. Graças te dou, visto que de modo 
assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas 
obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem. 
- Salmos 139:13,14 

A  biologia  garante  que  não  há  duas  pessoas  com 


impressões  digitais  iguais.  Cada  um  de  nós  possui  mãos  e 
dedos  com  linhas  diferentes,  os  sulcos  interpapilares.  Mesmo 
em  casos  em  que  duas  pessoas  têm  digitais  muito  parecidas, 
basta  aos  papiloscopistas  —  profissão  que  estuda  as  linhas 
das  mãos  e  dos  pés  —  expandir  um  pouco  a  área  de  análise 
para  encontrar diferenças. Por essa razão, o uso de impressões 
digitais para identificar uma pessoa remonta à Idade Antiga. 
No  capítulo  dois, vimos que o maior propósito da Criação 
é  a  glória  de  Deus.  Esse  é  o  propósito  universal  de  tudo  o  que 
foi  criado.  O  bramido  das  águas,  o  reluzir das estrelas, o canto 
do  galo,  o  afeto  da  mãe,  o  saborear  de  uma  maçã  -  tudo  isso 
concorre para que Deus seja glorificado. 
 
O céu e a terra, o paraíso e o inferno, o deserto e os 
prados, rios e mares – todos têm seu modo próprio de 
prestar homenagem a Deus. - Paulo Brabo 

Debaixo  do  propósito  universal para todas as pessoas, há 


propósitos  e  planos  divinos  para  cada  pessoa  na  Terra.  Isso 
53 
 
quer  dizer  que  os  planos  de  Deus  para  a  sua  vida  são únicos, e 
que Ele quer lhe usar de um jeito específico. 
A  estatística  e  a  biologia  afirmam  o  óbvio:  não  há 
ninguém  igual  a  você.  Não  existem  duas  pessoas  a  quem 
podemos  dizer:  "São  exatamente  iguais".  Logo,  não  haverá 
trajetórias  iguais.  As  manifestações  de  glória  e  louvor  da  sua 
vida  diferirão  das  manifestações  de  qualquer  outra  pessoa  na 
história  da  humanidade.  Assim  como  o  salmista,  o  próprio 
Deus  teceu  você  no  ventre  de  sua  mãe,  de  uma  maneira 
assombrosamente maravilhosa. 
 

Propósitos subordinados 

[...] o Espírito Santo disse: — Separem-me, agora, 


Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. - 
Atos 13:2 

Abaixo  do  propósito  universal  temos  algo  como 


propósitos  subordinados.  Me  refiro  a  todas  as  missões, 
chamados,  causas,  vocações,  atividades, tarefas, entre outros, 
que  são  particulares  de  cada  pessoa.  Abraão,  Moisés,  Isaías, 
Pedro,  Paulo  —  cada  um  deles  trilhou  uma  jornada  diferente. 
Muitos  apontam  para  essa  trajetória  única  como o tão famoso 
propósito de vida que tantos anseiam descobrir. 
 
A descoberta é uma combinação de auto-conhecimento 
(entender como Deus me criou), de relacionamento 

54 
 
(entender a vontade de Deus específica para mim) e de ações 
que respondem às questões que a vida me faz. 
 
Não se trata de uma jornada só de auto-conhecimento ou 
só  de  relacionamento.  No  auto-conhecimento  as  coisas  já  são 
dadas,  você  só  precisa  começar  a  se  examinar.  Não  é 
necessário  Deus  enviar  um  anjo  para  lhe  falar  sobre  sua 
inclinação  para  a  matemática.  Um  simples  teste  vocacional 
resolve  essa  questão.  Todavia,  o  entendimento  de  que  você 
deve  mergulhar  na  matemática  porque  em  três  anos  haverá 
uma  missão  importante  para  cumprir  pode  vir  do 
relacionamento  com  Deus.  Foi  assim  que  Barnabé  e  Saulo 
descobriram sua nova missão. Não com um teste vocacional. 
Com  isso  em  vista,  fica  claro  que  não  é necessário tentar 
saber  todas  as  coisas.  Compreender sua missão não se trata de 
tentar  prever  o  futuro.  Longe  disso.  Trabalhe  com  o  que  você 
já  sabe  sobre  si  e  continue  aprofundando  seu  relacionamento 
com  Deus  e  dessa  forma,  num  trabalho  a  quatro  mãos,  você 
descobrirá gradualmente a trajetória que deve viver. 
 

Cavalo de Troia 

Um  abismo  de  abstrações  pode  desconectar  você  do 


mundo  real.  Certos  questionamentos  podem  mais  atrapalhar 
do  que  ajudar,  por  isso,  eles  precisam  ser  identificados.  Ficar 
absorto  em  questões  sem  sentido  é  um  obstáculo  para  as 
questões  que  lhe  dariam  sentido.  Para  alguns,  é  um  desafio 
55 
 
escolher  as  reflexões  que  de  fato  frutificarão  em  melhores 
decisões e ações. 
 
● Por que nasci assim, com este cabelo, nariz e boca? 
● Por que nasci com esta personalidade? 
● Por que nasci nesta família? 
● Por que nasci nesta cidade? 

Frequentemente,  abro  a  caixa  de  perguntas  no  meu 


Instagram​ e recebo perguntas como: 
 
● Vai ter cachorro no céu? 
● Jesus tinha barba? 
● Quantos anjos existem ao todo? 
● Quem é o anticristo? 
 
Me  lembro  que  em  2004  caí  em  um  website  americano 
sobre  conspirações  e  quase  fiquei  maluco,  acreditando  em 
viagens  no  tempo  e  invasões  alienígenas.  Desperdicei  um  ano 
da  minha  vida  fuçando  tudo  o  que  podia  encontrar  naquelas 
páginas  fantasiosas  de  mau  gosto  ímpar.  Foram horas e horas 
por  dia  vasculhando  um  verdadeiro  buraco  negro  de 
informações  obscuras.  Isso  só  me  trouxe  uma  coisa: 
arrependimento (e vergonha). 
Não  foi a primeira vez. No fim da década de noventa, eu li 
um  livro  chamado  Operação  Cavalo  de  Troia,  do  espanhol  J.J. 
Benítez.  O  enredo  "provava"  uma  incrível  viagem  no  tempo  à 
Palestina  do  primeiro  século  realizada  pela  Força  Aérea 
56 
 
Americana.  A  obra  me  envolveu  tanto  e  fornecia  tantas 
"provas"  que  cheguei  a  acreditar  que fosse verdade. Cheguei a 
entrar  em  discussões  sobre  o  livro.  O  problema  é  que  a  obra 
(vendida  até  hoje)  se  trata  de  pura  ficção.  Benítez  ficou 
conhecido  por  fazer  muito  de  seus  leitores  acreditarem  em 
suas estórias fantasiosas. Pelo menos não fui o único. 
 
Quanto tempo você está desperdiçando com bobagens 
sem sentido? 
 
Enquanto  você  busca  saber  o  que  existia  antes  do  Big 
Bang  o  mundo  lá  fora  anseia  pela  manifestação  do  seu 
propósito.  Você  é  a  solução  viva  para  alguém!  Agora  mesmo, 
existe  uma  pessoa  que  poderia  ser  ajudada  através  do  seu 
propósito,  mas  alguns  devaneios inúteis estão tirando você do 
mundo  real.  A  atual  época  de  desinformação  não  tem  tido 
piedade e está lhe "puxando" para a confusão de pensamento. 
Você  não  tem  tempo  para  visitar  um  orfanato,  mas  é 
capaz  de  passar  uma  semana  assistindo  a  vídeos 
intermináveis  sobre  supostos  anticristos.  Por  mim,  tudo  bem 
se  é  esta  a  vida  que  você  escolheu  viver.  Todavia,  ler esta obra 
prova  que  você  não  quer  investir  sua  vida  fazendo  dancinhas 
no  TikTok.  Você  decide  como  vai  se  posicionar  diante  disso 
tudo. 
 
Embora eu não tenha controle sobre qualquer talento, 
habilidade, inteligência, vantagens ou desvantagens com 
as quais nasci, assumo a responsabilidade de maximizar 
57 
 
qualquer potencial de Deus tenha me dado para cumprir a 
minha missão. - Erwin MacManus 

Meu  conselho  é  que  você  escolha  bem  onde  vai  investir 


seu  tempo.  Escolha  bem  até  mesmo  as  questões  que  você  vai 
investigar.  "Por  que nasci com duas mãos e cinco dedos?" Não 
sei.  Só  sei  que  vou  usá-los  do  jeito mais proveitoso que puder. 
Tudo  o  que  recebi  é  fruto  da  multiforme  sabedoria  de  Deus. 
Cabe  a  mim  aceitar  essa  realidade  e  partir  para  a  jornada  com 
as  ferramentas  que  me  foram  dadas.  Com  tudo  o  que  sou  e 
tenho,  decido  glorificar  a  Deus  e  servir  as  pessoas  que  Ele 
colocar em meu caminho. 
 

Por que eu? 


Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de 
Israel? - Moisés em Êxodo 3:11 

A  pergunta  de  Moisés  representa  a  pergunta  de  muitos: 


"Por  que  eu?"  O  medo,  o  sentimento  de  incapacidade,  a 
incredulidade,  a  baixa  autoestima,  a  falsa  humildade  —  são 
alguns  dos  motivos  prováveis  para  retrucarmos: "Por que não 
fulano?" 
Você  lembra  que  no  primeiro  capítulo  contei  que  minha 
crise  durara  seis  anos?  Vou  lhe  contar  mais  detalhes.  Foi  no 
Chile  onde  Deus  usou  a  boca  de  um  homem  para  revelar  meu 
novo chamado. "Calma, o caminho é por ali." 

58 
 
A  densa  neblina  começava  a  se  dissipar  mais 
precisamente  no  dia  dez  de  março  de  2016  em  um  hotel  no 
centro  de  Santiago.  Eu  havia  sido  convidado  para  ministrar 
duas  palestras  para  um  grupo  de  duzentos  líderes  e 
empresários,  mas  chegando  lá  o  ministrado  fui  eu.  Após  o 
evento  tive  uma  experiência  marcante  que  apontaria  minha 
nova missão. Era a resposta que buscava por anos. 
Sabe  qual  foi  a  primeira  pergunta  que  fiz  depois disso? A 
mesma  de  Moisés:  "Quem  sou  eu?  Por  que eu?" Talvez você já 
tenha  cometido  esse  mesmo  erro.  Você  buscou  tanto  uma 
resposta e quando ela apareceu, sua a reação foi: 
 
● Ah! Isso não é para mim! 
● Tem outras pessoas para visitar o asilo hoje! 
● Tem  gente  mais  capacitada  para  aconselhar  aquele 
jovem! 
● Há funcionários melhores para este projeto! 
● Outros já pensaram nesta ideia! 
● Quem sou eu para liderar esta equipe! 
● Outras pessoas já escreverem um livro assim! 
● Já tem muita gente fazendo isso! 
 
Existem aqueles têm boas ideias para si, mas são 
covardes o suficiente para jogá-las no colo do outro. "Tive 
uma excelente ideia, toma faz você!" 
 

59 
 
As  desculpas  são  várias  e  todas  elas  são  filhas  da 
covardia.  Se  o  Marceneiro  lhe  chamou  a  única  resposta  é 
"Sim"  e  o  único  sentido  é  para  frente.  Não  jogue  no  colo  dos 
outros  aquilo  que  lhe  cabe  fazer.  Não  fique  buscando 
informações  sobre  seu  propósito  só  para  depois  querer  que 
outra pessoa o viva. É como se você dissesse a Deus: "Obrigado 
por me revelar tudo isso. Agora, envie fulano!" 
 

Chiados e ruídos 
Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando-lhe 
os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando 
ainda estava com elas. - Atos 9:39 

Uma  coisa  interessante  sobre  as  fitas  cassetes  de 


antigamente  era  que  uma  cópia  sempre  tinha  qualidade 
inferior  a  da  original.  A  diferença  entre  a original e a cópia era 
bastante  perceptível.  Os  chiados  e  ruídos  revelavam  quem  era 
quem.  Isso  significava  que  a  cópia  da  cópia  ficava  ainda pior e 
assim por diante. 
No  afã  de  ter uma vida mais significativa eu já caí no erro 
ser  aquela  cópia  mal  feita,  que  todos  percebiam  não  ser  a 
original.  Já  imitei  estilos  que  nada  tinham  a  ver  comigo,  já 
mudei  meu  jeito  de  falar  e  de  me  vestir, já preguei mensagens 
que  não  eram  minhas,  já  comprei  coisas  que  não  precisava, 
etc.  —  tudo  na  tentativa  de  ser  quem  não  nasci  para  ser. 

60 
 
"Quem  sabe  assim  chego  no  sucesso."  Quantas  decisões 
estúpidas! 
 
Existe apenas um de você [...] Se você bloquear sua 
expressão, ela nunca existirá por meio de outra pessoa e 
isso será perdido. - Martha Graham 

Imagine  o  agitado  canteiro  de  obras  de  uma  bela  casa de 


campo.  Uma  pequena  confusão  se  instala  quando  dois 
carpinteiros  tentam  dar  os  acabamentos  na  obra.  Um  deles 
precisa  fixar  um  último  prego  na  varanda,  mas  ao  apanhar  o 
martelo  o  serrote  "pula  na  frente"  e  se  oferece  para  a missão. 
O carpinteiro desconfiado apanha o serrote e começa a golpear 
o prego. 
O  segundo  carpinteiro  chega  e  requer  o  serrote  para 
serrar  um  pedaço  de madeira que completará o forro. Todavia, 
ele  descobre  que  o  serrote  está  "ocupado"  servindo  como 
martelo.  Ele  decide,  então,  levar o martelo para tentar serrar a 
madeira. Instala-se o caos. 
A  conclusão  da  história  é  que  a  casa  ainda  não  foi 
terminada.  Os  dois  carpinteiros  ainda  estão  lá,  pregando  com 
o  serrote  e  serrando  com  o  martelo.  Pode  ser  que  eles 
terminem  a  casa,  mas  ela  não  ficará  tão  bem  acabada  e  bela 
como  no  projeto.  No  mínimo,  será  um  serviço  mal-feito. 
Muito mal-feito.
É  isso  o  que  acontece  quando  estamos  fora de propósito: 
desperdício,  obras  mal-feitas,  angústia  e  confusão.  Eu  já  fui 
aquele  serrote  querendo  servir  como  martelo.  Seja  porque  eu 
61 
 
admirava  a  trajetória  de  alguém,  seja  por  inveja  ou  por 
insegurança. Posso dizer é que isso só me trouxe frustração. 
 
No fim, copiar outra pessoa sempre me trouxe um gosto 
amargo de desilusão.  
 
Veja  como  Moisés  cumpriu  sua  jornada.  Perceba  como  a 
costureira  Dorcas  viveu  sua  vida.  Moisés  usou  seu  cajado, 
Dorcas  usou  agulha  e  linha  de  costura.  Cada  um  trilhou  a 
própria  carreira  e  ambos  deixaram  um  legado  em  suas 
gerações.  Não  prive  sua  geração  da  marca  que  você  pode 
deixar nela. 
Se  tivesse  fugido  da  minha  responsabilidade,  eu  teria 
deixado  este  livro  inacabado  e  ninguém  teria  acesso  ao 
conteúdo.  Outros  podem  escrever  artigos  e  livros  abordando 
os  mesmos  assuntos,  mas  nunca  o  fariam  exatamente  como 
eu fiz aqui. 
Pense  em  quantos  projetos  inacabados  foram  deixados 
ao  longo  da  história.  Milhares  de  livros,  edificações, 
pesquisas,  sonhos,  viagens,  planos,  entre  outros.  Pense  nos 
relacionamentos  mal  acabados,  nas  pendências,  nas  carreiras 
ignoradas  e  nos  filhos  abandonados  que  cresceram  sem  o 
amor  dos  pais.  Muitas  coisas  ficaram  inconclusas  porque 
pessoas  se  eximiram  de  suas  responsabilidades.  Lacunas 
foram  deixadas  e  não  puderam  ser  preenchidas  da  mesma 
forma  que  os  autores  originais  fariam.  Essa  unicidade  e 
exclusividade dão sentido à vida de cada um de nós. 

62 
 
Você  não  precisa  ser  igual  aquele  cantor  famoso  ou 
empresário  de  sucesso  que  tanto  admira.  Você  não  precisa ser 
aquele  blogueiro  ou  grande  escritor  ​best-seller  com  milhares 
de seguidores. Você precisa ser você! 
Perceba  como  é  fácil  e  triste  uma  pessoa  entrar  no 
Instagram  e  desejar  ter  a  vida  do  outro,  enquanto  uma  linda 
jornada a espera se ela se dispuser a vivê-la. 
A  ironia  é  que  você  pode  estar  copiando  alguém  que  já 
está  copiando  alguém.  Se  a cópia fica ruim, imagina a cópia da 
cópia!  Se  você  não  pode  se  realizar  sendo  uma  cópia,  quanto 
mais sendo a cópia da cópia. Fuja dessas armadilhas. 
Seja  a  fita  original.  Sem  chiados.  Sem  ruídos.  Apenas, 
você mesmo. 
 

Cílios e pálpebras 
Até mesmo os animais e insetos que parecem à primeira 
vista inúteis e nocivos tem uma vocação a cumprir. A 
lesma, que deixa atrás de si uma trilha pegajosa, 
consumindo dessa forma a sua vitalidade, serve de 
remédio para o furúnculo. A picada do marimbondo é 
curada aplicando-se à ferida uma mosca doméstica 
esmagada. O mosquito, débil criatura, que capta alimento 
mas jamais o secreta, é específico contra o veneno da 
víbora, e esse réptil venenoso cura por sua vez erupções, 
enquanto que o lagarto é o antídoto ao escorpião. - Paulo 
Brabo 

63 
 
Quantas  vezes  no  ano  você  parou  para  pensar  em 
pálpebras?  Sim, me refiro a essas dobrinhas de pele que abrem 
e fecham como cortinas por cima do olho. Qual foi a última vez 
que  você  falou  a  um  amigo:  "precisamos  falar  sobre 
pálpebras"?  A  não  ser  que  você  tenha  algum  envolvimento 
específico  com  o  assunto,  sua  resposta  provavelmente  seria: 
"eu  nunca  falo  sobre  pálpebras.  Aliás,  por  que  estamos 
falando de pálpebras agora?" 
Apesar  de  não  ocuparem  nem  uma  fração  dos  nossos 
pensamentos,  as  pálpebras  exercem  uma  função 
importantíssima  na  proteção dos seus olhos, umidificando-os 
e  protegendo-os  de  lesões  (além  de  várias  outras  funções 
curiosas). 
Ainda  menos  visíveis  do  que  as  pálpebras  são  os  cílios. 
Além  de  proteger  nossos  olhos  da  poeira  e do sol, os cílios são 
excelentes  sensores de insetos. Um mosquito encosta nos seus 
cílios  e  a  reação  imediata  é  a  pálpebra  se  fechando.  Podemos 
passar  uma  vida inteira sem nos dar conta da importância e da 
complexidade disso. 
Paulo  compara  a  igreja  ao  Corpo  de  Cristo,  onde  cada 
membro  tem  sua  função  e  todos  são  importantes.  Na 
sociedade,  costumamos  valorizar  posições  de  liderança  e 
visibilidade,  como  se  fossem  vocações  mais  elevadas, 
inferiorizando as demais. Paulo rebate essa ideia: 
 
Se todo o corpo fosse ouvido, onde estaria o olfato? 

64 
 
Talvez  você  se  sinta  pequeno  diante  do  impacto  que 
outras  pessoas  exercem  no  mundo  e  acabe  reduzindo  a 
importância do seu propósito.  
Sei  que  não  é  difícil  compreendermos  a  grandeza  de 
pessoas  como  Moisés,  Paulo,  Martin  Luther  King  ou  Madre 
Tereza sem sermos afetados. Contudo, como você se comporta 
diante  do  sucesso  daqueles  que  o  cercam? Você tem um primo 
que  virou  um  empresário  bem  sucedido,  um  vizinho  que 
palestra  por  todo  o  Brasil,  uma  amiga  com  milhares  de 
seguidores  no  Instagram  e  um  colega  carismático  que  inspira 
a todos. Você pensa: "Nossa, eles são tão importantes!"  
No  momento  em  que  você  se  sentiu  com  menos  valor, 
caiu numa armadilha. 
 
Se você não aceita a jornada do outro é porque não dá valor 
para a própria jornada. 
 
Não  se  vitimize.  Evite  se  comparar.  Não  fique  olhando 
para a caminhada e para êxito de alguém, se lamentando: "Ah! 
Poderia  ser  eu!" Todas as jornadas têm valor, os seus valores é 
que estão invertidos. 
Seus  olhos  estão  brilhando  pelas  coisas  erradas,  pela 
fama,  pelo  poder,  pela  aparência,  pela  admiração  e 
congêneres.  Se  o  seu  propósito  não  envolve  estar  no  palco,  dê 
o  melhor  de  si  no  bastidor.  Sem  os  bastidores,  não  existe  o 
palco.  Assim  como  os  cílios  e  as  pálpebras,  tudo  o  que  Deus 
criou tem valor. 

65 
 
 
Nem todos os discípulos estiveram em destaque como 
Pedro ou João [...] Homens de bastidores são tão 
necessários quanto Pedro e João. Eles podem fazer 
algumas coisas melhor do que seus irmãos mais 
célebres. Todos são importantes! - Alexander Bruce 

66 
 
Capítulo cinco. 

5. Instruções para o 
viajante 
 

 
 
Lições, recomendações e dicas para você, viajante. 
 

67 
 

Sobre fases 
Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo 
propósito debaixo do céu. - Eclesiastes 3:1 

Quando  eu  era  criança  sonhava  em  ser  jogador  de 


futebol.  Na  juventude,  sonhava  em  ser  um  grande  músico  e 
viajar  pelo  Brasil  cantando.  A  partir  dos  24 anos comecei a ser 
"puxado"  pela  vontade  de  empreender.  Aos  36,  passei  a 
receber  um  novo  chamado para cuidar, discipular e mentorear 
pessoas.  Onde  ficou  meu  sonho  de  ser  jogador  de  futebol? 
Hoje,  o  futebol  é  só  um  ​hobby​.  Tudo  foi  se  encaixando  no  seu 
devido lugar a cada nova temporada da vida. 
"Que bom que não me tornei jogador!" 
A  vida  é  feita  de  ciclos.  É  importante  continuar  se 
alinhando  conforme a pessoa que você vai se tornando. Não há 
problema  nenhum  em  fazer  mudanças,  desde  que  façam 
sentido.  Alguns  amigos  e  conhecidos  não  entenderam quando 
decidi  parar  de  viajar  palestrando  em  eventos  de  música. 
Entendo  perfeitamente  o  espanto  já  que  esse  chamado  havia 
consumido  sete  anos  da  minha  vida,  todavia,  ele  não  fazia 
mais  sentido.  O  ciclo  havia  se  encerrado.  Algumas  pessoas 
entendem. Outras, não. Paciência. 
 
Se alinhe conforme a pessoa que você se torna. 
 

68 
 
Davi  viveu  um  tempo  de  sua  vida  como  pastor  de 
ovelhas,  depois  foi  um  soldado  temporário  derrotando  um 
certo  gigante  e,  por  fim,  cumpriu  o  seu  chamado  como  rei  de 
Israel. Cada propósito no seu devido tempo. 
Talvez  um  negócio  que  você  montou  ou  aquele  projeto 
que  participa  não  faz  mais  sentido  para você. Não há a mesma 
paixão  de  antes. Quem sabe chegou o tempo de você se dedicar 
mais  à  sua igreja, de fazer um novo curso ou de voltar para sua 
cidade  natal.  Se  sabe  que  deve  ir  em  frente,  vá.  Não  se  sinta 
culpado  ou  com  medo  de  fazer  mudanças.  A  vida  é  feita  de 
ciclos. Planeje e avance. 
 

Sobre conciliação 

Se  o  malabarista  joga  bolinhas  demais  para  o  ar  corre  o 


risco  de  frustrar  o  espetáculo.  Em  2012,  quando  nossa  filha 
Laura  nasceu  minha  vida  estava  agitadíssima.  Nossa  agência, 
a  Blueberry,  estava  a  mil  por  hora  e,  não  raro,  consumia 
minha  agenda  sete  dias  por  semana.  Com  o  sucesso  da 
empresa  surgiam  convites para palestrar em diversos eventos. 
Eu  acumulava  várias  funções,  uma  infinidade  de  tarefas  e 
tinha dezenas de ideias para novos projetos. 
Foi  no  meio  dessa  explosão  de  crescimento  profissional 
que  a  Laura  nasceu  e  tudo  mudou.  As  dúvidas  que  surgem  é 
comum a todos que se encontram em situação semelhante: 
 

69 
 
● Como  organizo  minha  agenda  quando  há  uma  grande 
mudança? 
● Como  concilio  os  compromissos  da  família,  da  igreja, 
da empresa, entre outros? 
● Como  sei  se  estou  me  dedicando  demais  a  uma  certa 
atividade e negligenciando outras? 
 
Naturalmente,  a  falta  de  experiência  e  maturidade  me 
fizeram  cometer  vários  erros.  Não  raro,  comprometi  o  tempo 
familiar  por  causa  de  compromissos  profissionais.  Digo  o 
mesmo  dos  compromissos  com  minha  igreja.  Passei  dos 
limites,  embora  foi  um  tempo  importante  de  plantio.  Se 
pudesse  retroceder,  teria  feito  muita  coisa  diferente, 
começando  com  definindo  prioridades  e  dividindo  melhor  o 
meu tempo entre elas. 
Se  você  é  solteiro,  tem  compromisso  apenas  com  você 
mesmo.  Se  abre  uma empresa pode se dedicar integralmente a 
ela,  o  que  pode  incluir  virar  noites  em  claro  e  trabalhar  em 
alguns  finais  de  semana.  Uma  dedicação  extraordinária  é 
requerida  nos  primeiros  meses  de  um  negócio.  Um  solteiro 
tem mais liberdade para isso. 
Quando  você  casa,  o  cenário  muda.  Mais  um  chamado  é 
adicionado  a  sua  vida:  o  matrimônio.  Você  terá  que  agir  com 
sabedoria  para equilibrar seus compromissos. Para o cristão, o 
matrimônio  é  um  dos mais elevados chamados. Se trata de um 
tema  caro  para Deus. No início da vida a dois, o foco deve estar 
nisso.  Na  lei  mosaica,  o  contrato  do  casamento  dispensava  o 

70 
 
homem  do  serviço  militar  por  um  ano  para  que ele pudesse se 
dedicar à esposa: 
 
Existe aqui entre nós algum homem que contratou 
casamento com uma mulher e ainda não a recebeu como 
esposa? Vá, volte para casa, para que não morra na 
batalha [...] - Deuteronômio 20:7 

Depois  de  um  tempo,  vem  um  filho.  Mais  um  chamado  é 
adicionado:  ser pai, ser mãe. Certamente, um chamado que vai 
demandar  dedicação,  sabedoria  e  maturidade.  Por  um  tempo, 
o  foco  de  sua  agenda  vai  estar  nisso.  Você  não  vai  querer 
perder  os  primeiros  meses  do  seu  filho. Uma parte da sua vida 
profissional  e do tempo que você daria ao seu cônjuge agora se 
acumulam  no  novo  chamado  de  ser  pai/mãe.  Mais  a frente, as 
coisas podem novamente ser reequilibradas. 
 
A cada nova fase, você faz uma avaliação e redistribui melhor 
o tempo. 
 
Um  conselho  importante  é  que  você  mantenha  uma 
comunicação  clara  com  todos  os  envolvidos  como  cônjuge, 
sócios,  clientes,  colegas,  amigos,  entre outros. Se você precisa 
dedicar  um  tempo  maior  ao  seu  trabalho,  converse  com  seu 
cônjuge  e  deixe  tudo  acertado.  Precisa  se  dedicar  mais  à 
família?  Tenha  uma  boa  conversa  com  seu  sócio.  Isso  pode 
evitar problema lá na frente. 
 
71 
 

Sobre sementes 
Deixe-me beijar o meu pai e a minha mãe e, então, eu o 
seguirei [...] - Eliseu em 1 Reis 19:20 

A  agricultura  nos  ensina  grandes  lições  de  sabedoria. 


Uma  delas  é  o  fato  de  perdermos  facilmente  de  vista a relação 
entre  semente  e  fruto.  O  curto  período  que separa o plantio da 
colheita  é  suficiente  para  perdermos  a  consciência  sobre  a 
causa de determinado efeito. 
Plantamos  sementes  de  tomate.  Depois  de  um  tempo  os 
tomates  nascem, mas a época do plantio desapareceu de nossa 
memória.  Nem  sequer  lembramos  de  onde  esses  tomates 
vieram. Nos distraímos com eles. Queremos comê-los. 
Quando  Eliseu  recebeu  seu  chamado ele soube encerrar o 
ciclo  com  honra.  Antes  de  se  mover  para  uma  nova  fase  ele 
tratou  de  resolver  as  pendências  da  antiga  vida.  Ele  se 
despediu  dos  pais  e  resolveu o que precisava resolver para não 
deixar nenhuma ponta solta para trás. 
 
Saiba fechar os ciclos da vida com honra e gratidão. 
 
Há  pessoas  que por onde passam deixam um rastro ruim. 
Deixam  pontas  soltas  que  as atormentam lá na frente. Quando 
encontram  portas  fechadas  não  se  lembram  do  motivo. 
Quando  se  deparam  com  semblantes  carrancudos  se 

72 
 
vitimizam:  "Ninguém  me  ajuda  mesmo!"  O  problema  é que lá 
atrás sementes ruins foram plantadas. 
A  lei  da  semeadura  fala  de  um  princípio  da  agricultura 
que  também  é  aplicado  espiritualmente.  Nossas  escolhas  têm 
consequências.  As  consequências  são  de  acordo  com  o  que 
plantamos.  Se  você  tomar  decisões  sábias,  de  acordo  com  a 
vontade  de  Deus,  receberá  recompensa  de  Dele.  Se  fizer 
escolhas  incorretas,  colherá  frutos  ruins.  Não  adianta  plantar 
cebolas e querer colher tomates. 
 

Sobre marshmallows 

Diz-se  que  Dom  Pedro  II,  último  rei  brasileiro,  quando 


entrava em sua carruagem real, ordenava seu cocheiro: 
  
“Devagar, pois estou com pressa” . Ele sabia que os 
apressados não apenas fazem tudo malfeito, como 
também se cansam logo. - Daniel Dutra 

O  psicólogo  Walter  Mischel,  de  Stanford,  colocou 


crianças  de  cinco  anos  dentro  de uma sala com ​marshmallows​, 
mas  avisou  que  sairia  por  quinze  minutos. Quem não comesse 
os ​marshmallows​ seria premiado com o dobro. 
Mais  de  dez  anos  depois  ele  procurou  os  participantes  e 
descobriu  um  estranho  padrão.  As  crianças  que  conseguiram 
"se  segurar"  diante  do ​marshmallow ​alcançaram mais sucesso 
em  vários  aspectos  da  vida  (família,  profissão,  emoções, 

73 
 
relacionamentos,  entre  outros).  O  experimento  concluiu  que 
pessoas  imediatistas  são  mais  propensas  a  uma  vida  menos 
feliz e de maiores fracassos. 
Aconselho  você  não  tentar  comer seu ​marshmallow antes 
do  tempo.  Saiba  a  hora  certa  de  fazer  mudanças  conforme  se 
conhece  melhor.  Frequentemente,  encontro  pessoas  ansiosas 
para  descobrirem  um  propósito,  um  chamado  ou  um trabalho 
pelo  qual  são  apaixonados  e  acabam  tomando  decisões 
precipitadas.  Inclusive,  no  âmbito  profissional  isso  é  muito 
comum. 
No  marketing  digital,  vi  pais  de  família  trocando 
empregos  estáveis  para  se  aventurar  em  projetos  arriscados, 
sem  qualquer  planejamento,  arriscando  o  sustento  familiar 
por  causa  de  "portas  mágicas".  Muitos  deles  quebraram  a 
cara.  A vida nos ensina que uma construção ideal é aquela feita 
gradualmente,  tijolo  a  tijolo,  com  planejamento  e 
responsabilidade.  Naturalmente,  não  me  refiro  a  você  nunca 
poder  arriscar  quando  estiver  preparado  e  enxergar  uma  boa 
oportunidade.  O  assunto  não  é  esse.  Me  refiro  a  pessoas  que 
fazem  do  imediatismo  um  estilo  de  vida,  tomando  decisões 
sempre visando o agora. 
 
Há uma lei de crescimento segundo a qual quanto mais 
elevado o produto estiver na escala da natureza mais 
lento será o processo pelo qual é produzido. - Alexander 
Bruce 

74 
 
Seria muito bom se você encontrasse amanhã mesmo um 
emprego  que  amasse  e  que  isso  possibilitasse  você  se  dedicar 
aos  seus  propósitos  com  maior  tranquilidade.  No  entanto,  a 
vida  não  é  assim  (pelo  menos  para  a  maioria).  Talvez  seja 
necessário  que  você  trabalhe  com  algo  que  não  gosta  (talvez 
até  odeie)  por  um  tempo.  Você  pode  até  pensar  que  isso  não 
tem  nada  a  ver  com  você,  mas  pode  ser  uma  atividade 
necessária  para  desenvolver  virtudes  ou  habilidades  que  lhe 
serão úteis mais a frente. 
Após  ter  dado  aulas  particulares  de  música  por  alguns 
anos,  me  encontrei  enfadado.  Não  suportava  mais  acordar 
todo  dia  às  sete  da  manhã  e  passar  o  dia  ouvindo  alunos 
cantando  desafinado.  É  claro  que  a  maioria  deles  não  era 
desafinada  nem  nada,  mas  eu  estava  tão  cansado  que essa era 
a impressão. 
A  situação  foi  para  além  dos  meus  limites.  Segurei  as 
pontas.  Embora  eu  quisesse  jogar  tudo  para  o  ar,  aprendi  a 
esperar  o  tempo  certo  de  fazer  uma  grande  mudança.  Foi 
naqueles fatigantes anos que aprendi a: 
 
● Ser paciente. 
● Organizar um pequeno negócio. 
● Desenvolver minha comunicação. 
● Expandir meus conhecimentos. 
● Expandir minha rede de contatos. 
● Gerenciar minhas finanças. 

75 
 
● Desenvolver  várias  outras  habilidades  que  me  são úteis 
até hoje. 
 
Não  comer  o  ​marshmallow  antes  do  tempo  me  trouxe 
vários  ​marshmallows  adicionais  logo  em  frente.  Isso  vai 
acontecer com você se souber esperar o tempo certo. 
 

Sobre intenção 
Muitas vezes contribuímos, nem que seja um bocadinho, 
para melhorar a vida de uma pessoa qualquer — e nunca 
poderemos medir as consequências dessa ação a longo 
prazo. - Joana Areias 

É  importante  cuidarmos  de  nossas  motivações.  Em 


algumas  fases  da  minha  jornada,  me  encontrei  cego  pela  má 
motivação.  "Era  para  eu  estar  em  evidência.  Eu  mereço  mais. 
Não nasci para ser anônimo!" 
Assim  pensava  eu.  Com  frequência,  escuto  o  jargão: 
"Agora  estou  sendo  humilhado,  depois  serei  exaltado".  A 
interpretação  incorreta  remete  para  um  desejo  oculto  por 
fama,  por  reconhecimento  e  por  exaltação  humana.  Muitos 
dos  que  assim  falam,  consideram  o  bastidor  uma  desonra  e  o 
palco  uma  honra.  Confundem  propósito  de  vida  com  sucesso 
mundano. É muito fácil se perder nisso. 
 

76 
 
O sábio pode ter fama, mas isso nunca será sua ambição 
principal. A fama é o alimento de pessoas pequenas. - 
Erwin McManus 

Quando você está de tanque vazio, você transforma 


aprovação humana em alimento. - Steven Furtick 

A  verdade  é  que  seu  bastidor  já  pode  estar  sendo  o  seu 


palco.  Você  não  precisa  se  tornar  mais  famoso  ou  mais  rico. 
Talvez  o  propósito  que  Deus  tem  para  sua  vida  é  o  serviço 
anônimo,  aquela  obra  que  só  Ele  vê,  como  a  oferta  da  viúva 
pobre. 
É  assim  que  seu  coração  deve  estar  focado  na  sua  trilha, 
em  servir  as  pessoas  como  Ele lhe chamou e não como você vê 
nas colunas sociais do jornal. 
 
Talvez você conheça Pedro, Tiago e João, mas raramente 
ouve falar de Filipe, Simão ou Lebeu Tadeu, mas, todos eles 
pertenceram aos doze de Cristo. 
 
Nem  todos  os  discípulos  estiveram  em  destaque.  Nem 
todos  eles  ficaram  na  história  com  a  mesma  fama,  contudo 
todos  serviram  a  Cristo  com  a  diversidade  de  dons  que  o 
Espírito  distribuiu.  Alguns  começaram  no  bastidor  e  foram 
para  o  palco,  outros  continuaram  nos  bastidores  até  a  morte 
(o bastidor se tornou o palco deles). 
O  melhor  disso:  todos  foram  importantes  para  a  Igreja. 
Portanto,  não  sonhe  com  prêmios  mundanos  e  passageiros. 

77 
 
Não  sonhe  com  aplausos  e  aclamação.  Sonhe  em  estar  no 
centro  da  sua  vocação.  Lute  para  cumprir o que Deus tem para 
você,  seja  estando  em  evidência,  seja  servindo  como  um 
honrado  anônimo  que  caminha  para  sua  coroa.  Cuide  com  as 
motivações do seu coração! 
 
Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o 
transfomarem num alvo, mais vocês vão errar. Porque o 
sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido; ele 
deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de 
uma dedicação pessoal a uma causa maior do que a 
pessoa, ou como subproduto da rendição pessoal a outro 
ser. O sucesso vai persegui-los precisamente porque vocês 
esqueceram de pensar nele. - Viktor Frankl 

Sobre pessoas 

Eu  sempre  sofri  ao  ver  pessoas  indo  embora,  seja  um 
amigo  que  foi  morar  fora,  um  discípulo  que me abandonou ou 
um  funcionário  que  pediu  demissão.  Após  a  descoberta  do 
propósito,  vivê-lo  torna-se  um  desafio.  Conforme  você  toma 
decisões  em  direção  a  sua  missão,  pessoas  entram  e  saem  da 
sua vida, como um ônibus enche e esvazia a cada parada. 
Sou  uma  pessoa  mais  reservada,  de  poucos 
relacionamentos.  Por  isso,  sempre  sofria  ao  "perder"  alguém 
próximo  porque  a  relação  "chegara  ao  fim".  Foi  assim  que 

78 
 
perdi  completamente  o  contato  com  gente  muito  próxima, 
com  quem  eu  pensava  ter  uma  relação  inquebrável.  No 
entanto,  o  propósito  estabelece  as  paradas:  alguns  entram, 
outros  saem.  O  propósito  lhe  aproxima  de  novas pessoas e lhe 
afasta  de  algumas  que  você  nem  imaginava.  Prepare-se  para 
surpresas agradáveis e para surpresas desagradáveis. 
 
Há pessoas que vieram para ficar e outras que simplesmente 
vão passar. Entenda: o destino seleciona os companheiros de 
viagem. 
 
Viver  o  propósito  é  um  desafio.  Você  não  quer  perder 
pessoas,  mas  terá  que  perdê-las.  Alguns  dos  seus 
companheiros  mais  íntimos  não  aceitarão  suas  decisões  em 
direção  ao  seu  destino.  Aprenda  a  não  se  mover  pela  opinião 
pública.  Se  mova  com  a  direção  de  Deus  e  trilhe  a  jornada  que 
deve  trilhar,  mesmo  sabendo  que  seus  relacionamentos 
podem mudar. 
Acostume-se  com  amigos  passageiros.  Eles  passam 
pelas  nossas  vidas  como  a  areia  fina  que  escorrega  por  entre 
os  dedos.  Alguns  são  verdadeiros  amigos,  mas  a  relação  tem 
prazo  de  validade.  Cada  um  seguirá  sua  jornada  e  o  contato 
será  perdido  para  sempre.  Não  é  assim  que  acontece  com  os 
amigos  da  escola  depois  que  a  turma  se  forma?  Cada  um  vai 
para o seu lado construir a vida. 
Você  também  vai  conhecer  pessoas  comprometidas 
somente  com  elas  mesmas.  Se  decidir  levar  seu  propósito  a 

79 
 
sério,  cedo  ou  tarde  você  será  abandonado.  Paulo  fala  de  um 
ajudante chamado Demas, que: 
 
[...] amando este mundo, abandonou-me [...] - 2 Timóteo 
4:10 

Certamente,  você  poderia  compartilhar  alguma  história 


de  pessoas  que  simplesmente  lhe  abandonaram  sem  deixar 
rastro.  Quem  sabe,  há  pessoas  que  simplesmente  "sumiram" 
da  sua  vida  e  você  não  entendeu  nada.  Se  está  com  a  vida 
alinhada,  não  se preocupe. É o propósito fazendo a seleção dos 
que vão e dos que ficam. 
Uma  coisa  é  certa:  Deus  nunca  nos  deixa  sozinhos  em 
nossa  jornada.  Sempre  teremos  os  "companheiros  de 
missão",  aqueles  cujos  propósitos  se ligam aos nossos por um 
bem maior. Deixe ir quem precisa ir e valorize os que ficam. 
 

Sobre escolhas 
[...] ela fica livre para casar com quem quiser, mas 
somente no Senhor. - 1 Coríntios 7:39 

O  apóstolo  Paulo  recomenda  que  as  viúvas  casem  "no 


Senhor".  Isso  significa  que  uma  viúva  deveria  procurar  um 
marido  da  mesma  fé,  obviamente  para  que  não  houvesse 
"jugo  desigual".  Isso  nos  ensina  uma  lição  sobre  nossa 

80 
 
liberdade  de  escolha.  Em toda história da igreja, há um grande 
debate sobre a relação entre soberania de Deus e livre arbítrio.  
Não  é  meu  intuito  abordar  esse  assunto,  mas  vale 
ressaltar  o  seguinte:  se  Paulo  recomendou  que  as  viúvas 
escolhessem  seus  maridos  (desde  que  "no  Senhor"),  isso 
indica  que  temos  poder  de  escolha em várias questões da vida. 
Paulo  não  ordenou  que Sara se casasse com Matias, mas disse: 
"Sendo da fé, vocês escolhem com quem casar". 
Em  certo  aspecto,  as Escrituras não apontam para a ideia 
de  uma  pessoa  pré-determinada  para  alguém, uma espécie de 
alma  gêmea  que  muitos  tentam  encontrar.  A  Bíblia estabelece 
princípios  que  norteiam  nossas  vidas  e  assim  temos  o  poder 
para  tomar  decisões  segundo  esses  princípios.  Uma  viúva  de 
Corinto  não  estava  impedida  de  se  casar  com  um  incrédulo, 
ela  poderia  tomar  essa  decisão  se  quisesse,  mas  não  seria 
sábio. 
Em  tudo  isso,  entendo  que  as  escolhas  da  vida  não  se 
tratam  de  uma  ciência  exata.  Normalmente,  as  coisas  não  são 
tão  claras  e  ficamos  angustiados  porque  não  sabemos  se 
estamos  tomando  a  melhor  decisão.  Às  vezes,  olhamos  para 
uma  pessoa  com  um  chamado  tão  claro  e  ficamos  buscando  a 
mesma  clareza  para  nós.  Vemos  uma  pessoa  tão  segura  de 
suas  decisões  que  começamos  a  questionar  as nossas. "Talvez 
esse não seja o meu propósito mesmo". É uma armadilha. 
Deus  não  vai  decidir  se  você  deve  comer  arroz  ou 
macarrão  no  almoço.  Ele  não vai enviar um anjo para lhe dizer 
a  cor  da  camiseta  que  você  deve  comprar.  Embora  possa fazer 

81 
 
isso,  essas  escolhas  foram  deixadas  para  nós  segundo  a 
sabedoria  que  temos.  Se  não  tivermos  sabedoria,  devemos 
busca-la (Tiago 1:5). 
 
Ao se descobrir tome decisões em direção ao que você 
entende ser seu propósito. Várias decisões são colocadas em 
suas mãos. Não é preciso um sinal divino para cada uma 
delas. 
 
Não  se  trata  de  viver  com  medo  do  certo  ou  do  errado, 
mas  de  se  perguntar:  "Isso  faz  sentido  para  minha  vida?"  Se 
faz,  vá  em  frente.  Se  não  faz,  recue.  Se  não  há  uma  direção 
clara  e  direta  de  Deus  para  alguma  missão  específica,  escolha 
no  que  se envolver baseado no conhecimento que possui sobre 
si e sobre sua jornada. 
Foi  assim  que  decidi  fazer  sociologia.  Eu  já  tinha  me 
formado  em  administração  de  empresas,  mas  recentemente 
comecei  a  sentir grande interesse por matérias como filosofia, 
psicologia,  sociologia  e  outras.  As  dúvidas  começaram:  "E 
agora?  Qual  curso  escolher? Será que Deus quer de mim algum 
curso específico?" 
Não  recebi  nenhum  sinal divino, mas sei que faz parte do 
meu  propósito  estudar  tais  matérias.  Me  informei  sobre  os 
cursos  e  decidi  por  aquela  que  achei  ter  mais  a  ver  com  o  que 
eu  precisava  no  momento.  E  se  tivesse  escolhido  psicologia? 
Teria  pecado?  Causado  um  grande  desvio  de  rota?  Não.  São 
escolhas  que  eu  poderia  ter  feito  sem  afetar  minha  jornada. 

82 
 
Agora  que  escolhi,  darei  o  meu  melhor  para  concluir  esse 
curso. 
Isso  pode  aliviar  o  coração  de  muita  gente que sofre com 
incertezas  diversas.  No  próximo  capítulo,  vou  tocar  em vários 
pontos  que  ajudarão  você  a  tomar  melhores  decisões. Por ora, 
esqueça  a  ideia  de  ter  cem  por  cento  de  certeza  em  cada 
escolha, pois ninguém vive assim. A vida é muito parecida com 
um  voo  de  avião.  Mesmo  que  o  destino esteja bem definido no 
GPS  é  necessário  corrigir  a  rota  vez  ou  outra.  Faça  isso 
conforme vai se descobrindo. 
 
A pessoa não deveria perguntar qual o sentido da sua 
vida, mas antes deve reconhecer que é ela que está sendo 
indagada. Em suma, cada pessoa é questionada pela vida; 
e ela somente pode responder à vida respondendo por sua 
própria vida; à vida ela somente pode responder sendo 
responsável. - Viktor Frankl   

83 
 
Capítulo seis. 

6. Descobertas 
maravilhosas 
 

 
Uma gaveta. Um talento. 
O mundo clama pela sua manifestação. 
 

84 
 

A utilidade da gaveta 

Assim  como  um  bom  marceneiro  constrói  uma  mesa 


para  cumprir  determinado  propósito,  Deus  criou  você  para 
determinados  propósitos.  Isso  incluiu  trazer  à  existência cada 
aspecto  da  sua  vida.  Cada  um  deles  com  sua  utilidade.  Se você 
observa  um  marceneiro  instalando  uma  gaveta  embaixo  da 
mesa,  automaticamente  pensa  no  propósito  ao  qual  aquela 
gaveta servirá. 
Deus  também  foi  intencional  com  cada  aspecto  da  sua 
vida,  por  menor  que  pareça.  Se  você  foi  criado  com  uma 
gaveta,  não  há  razão  para  pensar  que  ela  não  deva  ser 
utilizada.  Se  Deus  te  deu  uma  habilidade,  não  há  razão  para 
pensar  que ela foi "instalada" por acaso e que você não precisa 
desenvolvê-la. 
Você  gosta  de  escrever?  Ama  pintar?  Se  dá  bem  com 
planilhas?  Tem  facilidade  com  novos  idiomas?  Sabe liderar? É 
organizado?  Tem  interesse  por  política?  É  comunicativo? 
Sente-se  inclinado  para  os  esportes?  Todas essas habilidades, 
gostos  ou  inclinações  podem  indicar  seu  propósito  e  é  seu 
dever descobri-los e desenvolvê-los. 
É  sobre  isso  que  vamos  nos debruçar neste capítulo. Será 
uma oportunidade para descobertas maravilhosas. 
 

85 
 

Você recebeu algo 


A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada 
um de acordo com a sua capacidade. - Mateus 25:15 

No  dia  do  julgamento  final  você  não  poderá  reclamar  de 
não  ter  recebido  nada  nesta  vida.  Todos  os que vêm ao mundo 
receberam  alguma  coisa.  Uns  mais,  outros  menos,  mas  todos 
receberam. 
O  temor  nos  empurra  para  as  questões:  "O  quê, 
especificamente?  Como  saber  o  que  Deus  me  deu  para não ser 
negligente?"  Observamos  na  parábola  que  um  homem  (Deus) 
distribuiu  talentos  entre  cada  um  de  seus  servos,  conforme  a 
capacidade  deles.  No  Museu do Antigo Oriente de Istambul, na 
Turquia,  tive  o  privilégio  de  ver  um  talento  da  Palestina  do 
primeiro  século.  Na  época  de  Cristo,  era  um  objeto  de  ouro  de 
aproximadamente  trinta  e  quatro  quilos,  um  bem  muito 
precioso. 
Na  parábola,  o  talento  representa  tudo  o  que  Deus  nos 
"emprestou"  para  o  cumprimento  dos  nossos propósitos aqui 
na  Terra.  Muita gente tende a reduzir o termo "talento" a uma 
habilidade  natural  como  cantar  ou liderar, mas essa seria uma 
interpretação  parcial.  O  ensinamento  de  Jesus  aponta  para 
tudo  o  que  somos  e  para  tudo  o  que  passa  por  nossas  mãos, 
desde  os  primeiros  segundos  de  consciência  até  o  último 
suspiro  de  vida.  Tudo.  Isso  inclui  oportunidades,  recursos, 
características  físicas,  dons  espirituais,  inclinações, 

86 
 
relacionamentos,  gostos,  saúde,  personalidade,  enfim, 
absolutamente  tudo.  Até  mesmo  aquela  sua  velha  caneta  Bic 
jogada  no  canto  da  gaveta.  Se  Deus  tem  uma  missão  para 
alguém,  Ele  provê  todos  os  recursos  necessários e enterra-los 
não é uma opção. 
 
Não fuja do que você recebeu. 
 
Não há desculpas. Todas as pessoas receberam algo. Deus 
“emprestou”  uma  verdadeira  fortuna  para  cada  um  de  nós! 
Isso  é  importante  porque  os  talentos  que  você  recebeu podem 
lhe  dar  mais  clareza  acerca  do  seu  propósito.  De  fato,  eles 
fornecem pistas bastante evidentes. 
 

Vire à direita 

Com  dezessete  anos  comecei  o  curso  da  autoescola  para 


tirar  minha  carteira  de  motorista.  Recebi  um  manual  com  os 
vários  tipos  de  sinalizações  de trânsito. Para tirar a carteira de 
motorista,  saber  dirigir  não  é  suficiente.  É  necessário 
conhecer  o  conjunto  de  sinais  de  trânsito  (e  os  sinais  são 
muitos).  Lembro  que  gastei  um  bom  tempo  tentando  decorar 
todos eles. Já ouvi pessoas reclamarem: "Para quê tudo isso?"  
O  fato  é  que  os  sinais  ajudam  a  organizar  o  trânsito.  Se 
todos  obedecerem  à  sinalização  isso  garantirá  um  trânsito 
mais seguro para motoristas e pedestres. 
 
87 
 
Deus também nos deu sinais e eles apontam para o caminho 
que devemos seguir. Tudo aquilo que Deus lhe deu (incluindo 
a forma como foi criado) pode ajudar você a fazer escolhas 
mais alinhadas com seu propósito. 
 
Buscar  autoconhecimento,  se  descobrir,  compreender 
melhor  as  habilidades  recebidas  levam  você a uma caminhada 
mais  segura,  com  decisões  que  fazem  sentido  com  quem  você 
é.  Que  tal  um  exercício  prático.  Pegue  caneta  e  papel,  e 
responda às perguntas a seguir: 
 
● Quais  são  as  habilidades naturais que consigo enxergar em 
mim? 
● Quais  são  as  habilidades  que  as  pessoas  enxergam  em 
mim? 
● Em quais áreas pareço ter mais facilidade? 
● Quando  recebo  algum  elogio,  sobre  o  quê  as  pessoas 
falam? 
● Qual  foi  a  última  vez  que  uma pessoa me pediu ajuda para 
algo que ela não conseguiu resolver sozinha? 
● Em  quais  áreas  costumo  ajudar  as  pessoas?  O  que  elas  me 
chamam para resolver? 
● No quê as pessoas me dizem que eu sou bom? 
● O  que  eu  faço  com  uma  facilidade  que  outras  pessoas 
parecem não ter? 

88 
 
● Já  tive  que  explicar  algo  para  alguém  que  eu  considerei 
fácil demais? 
 
Pode  parecer  algo  simples,  mas  perguntas  como  essas 
me  deram  sentido  e  me  ajudaram  a  tomar  decisões  mais 
alinhadas  com  quem eu sou. Em um churrasco com os amigos, 
ninguém  me  chama  para  assar  a  carne,  porque  "não  é  a  do 
Ramon",  mas  se  precisar  organizar  a  pauta  de  um  evento 
"deixem com o Ramon, porque ele é bom com essas coisas". 
 
Suas habilidades apontam para as atividades e áreas que você 
deveria investir. 
 
As  pessoas  sempre  enxergaram  em  mim  uma  facilidade 
para  escrever.  É  interessante  como  muitas  habilidades  que 
possuímos  são  mais  reconhecidas  por  quem  nos  cerca  do  que 
por  nós  mesmos.  Demoramos  para  perceber  (e  aceitar)  certas 
realidades.  Desde  a  escola,  as  professoras  elogiavam:  "Que 
redação  interessante.  Parabéns!"  Eu  abaixava  a  cabeça corado 
de  vergonha.  Eram  sinais  apontando  meu  destino:  "Ramon,  é 
por  ali  o  caminho".  Como  eu  demorei  para  perceber  esses 
sinais! 
 
Os elogios que você recebe podem ser sinais de destino. 
 
Escrevi  meu  primeiro  livro  aos  vinte  anos.  As  palavras 
que  você  lê  agora,  os  artigos  do  ​meu  blog​,  as  postagens  no 

89 
 
Instagram,  as  apostilas  da  igreja,  os  manuais  da  minha 
empresa,  tudo  isso  é  fruto de uma habilidade que foi apontada 
pelas  pessoas  ao  meu  redor.  Até  hoje,  a  Amanda,  minha 
esposa,  costuma  me  lembrar  dessa habilidade. Penso que ela é 
um  anjo  que  não  me  deixa  esquecer.  É  como  se Deus estivesse 
dizendo: "Flua! Continue escrevendo!" 
Já  o  caminho  da  Amanda  sempre  esteve  ligado  às 
crianças.  Por  quase  duas  décadas  ela  cuidou  do  departamento 
infantil  na  igreja.  Ela  se  formou em pedagogia e trabalhou por 
anos  como  professora.  Os  elogios  que  a  Amanda  recebia  eram 
assim:  "Nossa,  como  você  tem  jeito  com  as  crianças".  Hoje, 
ela  não  trabalha  com  crianças,  mas  dá  conselhos  para  mães 
cujo  principal  problema  é  a  organização  do  lar  e  a  educação 
dos  filhos.  No  Instagram,  ela compartilha textos que inspiram 
milhares  de  mulheres. Todos os elogios que a Amanda recebeu 
foram  sinais  divinos  dizendo:  "Continue seguindo, o caminho 
é por ali." 
 

Não ultrapasse 

No  sistema  de  sinalização  de  trânsito  não  existem 


somente  placas  apontando  caminhos,  mas  também  há  placas 
apontando  "não  caminhos".  São  advertências  para  nos 
impedir  de  cometer algum erro. Certamente, você já viu placas 
do  tipo  "Pare",  "Não  estacione"  ou  "Não  ultrapasse". 
Devemos  ficar  atentos  quando  tais  sinais  aparecem.  Elas  não 

90 
 
são  necessariamente  maus.  Pelo  contrário,  são  alertas 
importantes. 
Não  sei  se  você  recebe  elogios  com  frequência,  mas 
certamente  se  lembra  que  já  foi  criticado.  As  críticas  podem 
ser  bobas  e  sem  sentido,  mas  também  podem  ser  bem 
fundamentadas.  Tais  críticas  podem  apontar  os  "não 
caminhos".  Uma  coisa  que  ouvi  algumas vezes durante minha 
vida  como  músico na igreja: "A voz do Ramon não é tão bonita 
quanto  a  do  fulano".  Alguém  mais ousado balbuciou: "Ele não 
canta tão bem". Uma facada doeria menos. 
Lembro  que  uma  vez  estávamos  gravando  um  CD  e  o 
técnico  de  som  disse:  "Vocês  não  são  tão  bons,  mas  são 
esforçados".  Aquele  suposto  elogio  me  apunhalou  forte. 
Passamos  três  meses  ensaiando  diariamente  para  ouvir  que 
éramos  "esforçados".  Mais  uma  advertência:  "O  prazo  de 
validade da banda é mais curto do que você pensa". 
 
Se você se encontrar sem talento natural para algo, 
pergunte-se: Fui criado para fazer isso? Estou preparado 
para fazer isso? - Erwin MacManus 

As  áreas  em  que  você  não  tem  habilidade  natural  podem 
indicar  caminhos  que  você  não  deveria  trilhar.  Se  um  talento 
natural  pode  indicar  o  caminho,  a  ausência  de  talento  pode 
indicar  que  o  caminho  não  é  por  ali.  O  processo  de  descobrir 
seu  propósito  passa  por  enfrentar  essa  dura  realidade  porque 
muitas  vezes  queremos  fazer  coisas  que  não  nascemos  para 
fazer.  Se  você  se  esquecer  disso,  vá  ao  YouTube  e  assista 
91 
 
alguns  episódios  do  programa  ​Ídolos​.  Alguns  candidatos 
deixarão isso bem evidente. 
Quando  eu  era  líder  da  música  na  igreja,  muitos 
expressavam  a  mim  o  “sonho”  de  ser  cantor.  Pode  acreditar, 
já escutei de alguém: "Eu nasci para o palco!" O fato é que nem 
todo  mundo  foi  equipado  com  uma  voz  arrebatadora.  Poucos 
realmente “nasceram para cantar”. 
 
Existem muitos cantores por aí, mas são poucos os que 
fazem você arrepiar. 
 
Os  cantores  natos  é  que  vieram  ao  mundo  para  isso. 
Contudo,  no  ​reverb  do  banheiro,  todo  mundo  “canta  bem”. 
Provavelmente,  essa  é  a  primeira  fase  de  seleção  do  ​Ídolos​.  A 
pessoa  canta  no  chuveiro  e  pensa: "Nossa, que voz linda!" Em 
frente  aos  jurados,  entretanto,  ela  é  trazida  de  volta  à 
realidade. 
  Aqui  abro  um  parêntese:  eu  acredito  em  milagres. 
Acredito  que  Deus  pode  “operar”  as  pregas  vocais  de  alguém 
para  algum  chamado  específico.  De  fato,  Deus  pode  capacitar 
qualquer  pessoa para qualquer missão que ele queira. Essa não 
é  a  questão.  A  questão  é  que se você não nasceu com um “bom 
ouvido”,  se  não  desenvolveu  sua  percepção  musical  na 
infância  e  se  não  tem  uma boa voz, provavelmente seu porquê 
não  está  ligado  a  isso.  Provavelmente,  seu  propósito  de  vida 
não  incluirá  uma  carreira  musical  profissional,  com  você 

92 
 
cantando  diante  das  multidões  ou  gravando  grandes  sucessos 
como meu primo Leandro Borges. 
O  Leandro  nasceu  para  compor  e  ministrar  suas  canções 
em  todo  o Brasil. Hoje, o país é abençoado pelo ministério dele 
porque  ele  está  fazendo  o  que  deveria  estar  fazendo. 
Enquanto,  a  placa  para  mim  foi  "Pare",  para  ele  foi  "Siga  em 
frente". É aceitar e prosseguir. 
 

Que tal uma live? 


Já rejeitei grandes oportunidades de negócio por concluir que 
nada tinham a ver com meu propósito. 
 
Gosto  de  viajar  e  de  conhecer  novas  culturas,  mas 
descobri que não gosto de viajar a trabalho. Uma viagem é algo 
que  quero  fazer  com  minha  família  para  desfrutar tempo com 
ela.  Contudo,  na  minha  carreira  profissional,  tive  que  fazer 
várias  viagens  para  palestrar  e  participar  de  eventos  de 
negócios.  Descobri  logo  cedo  que  aquilo  teria  um  breve  fim. 
Não  nasci  para  viagens  profissionais.  Não  nasci  para  ser  um 
palestrante  que  vive  nos  aeroportos,  embora  conheça  gente 
que  ama viver assim. Eu não consigo. Meu primo Leandro todo 
dia está em uma cidade diferente. Isso é para ele, mas não para 
mim. Ele deve continuar nisso. Já eu, devo evitar. 
Quando  você descobre o que não nasceu para fazer, passa 
a  gerenciar  melhor  o  tempo.  Isso  significa  que  você  pode 
rejeitar  convites,  oportunidades  e  demandas  que  nada  têm  a 
93 
 
ver  com  você.  Não  nasci  para  viver  "na  estrada"  embora  eu 
tenha  vivido  grandes  aventuras  quando  viajava  com  a  banda 
na  juventude.  Esse  tempo  passou.  Ainda hoje, muitas pessoas, 
de  muitos  lugares  me  seguem  e  consomem  meu  conteúdo. 
Dessa  forma,  posso  abençoar  milhares  de  pessoas  sem sair de 
casa.  Se  alguém  me  chama  para  palestrar  em  algum  evento 
fora eu retruco: "Podemos fazer uma ​live​?". 
Não  que  eventualmente  eu  não  possa  me  locomover  até 
um  evento.  Vez  ou  outra  ainda  vou,  mas  só  quando  sinto  que 
tenho  que  estar  lá.  Por  quê?  Porque  lá  atrás  recebi  alguns 
avisos  dizendo: "Seu caminho não é por ali". Desde que me dei 
conta  disso,  viajar  profissionalmente  é  exceção,  não  uma 
regra. 
 

O que você ama? 

Todos  os  dias  surgem  novos  memes  na  internet  do  tipo 
"O  brasileiro  precisa  ser  estudado",  com  alguma  solução 
engenhosa  para  problemas  banais  do  dia  a  dia.  Penso  na 
criatividade  como  a  busca  de  soluções.  Problemas  catalisam  a 
criatividade.  Os  grandes  oradores  não  podiam  ser  ouvidos, 
então  inventaram  o  microfone.  Adão  estava  só,  então  Deus 
criou  Eva.  Sem  Davi,  os  israelitas  continuariam  sendo 
envergonhados  por  Golias.  Sem  a  prensa  de  Johannes 
Gutenberg,  os livros não seriam impressos e circulados em tão 
larga  escala.  Através  de  Elias,  Eliseu  pôde aprender tudo o que 
aprendeu. 
94 
 
 
Você é uma solução viva para alguém! 
 
Deus  usa  pessoas  para  servir  pessoas.  Você  é  a  solução 
que  alguém  está  precisando.  Por  mais  “insignificante”  que 
você  se ache, existem pessoas que precisam daquilo que você é 
e  tem  neste  exato  momento.  Você  pode se considerar a pessoa 
mais  inútil  da  Terra  e,  ainda  assim,  há pessoas precisando ser 
abençoadas por aquilo que Deus confiou a você. 
Anteriormente,  vimos  como  suas  habilidades  naturais 
podem  indicar  o  seu propósito. Agora, compartilho outra lição 
que  aprendi  em  minha  busca:  aquilo  que  eu  gosto  de  fazer 
também pode apontar para o caminho que devo seguir. 
 
Aquilo que você mais ama fazer pode revelar sua missão. 
 
Você  já  parou  para  analisar  quais  são  as  atividades  que 
você  mais  gosta?  Já  identificou  as  áreas  do  conhecimento 
humano  pelas  quais  é  apaixonado?  Qual  profissão  você 
sempre  sonhou  em  ter?  Que  tipos  de  trabalho  você  faria  de 
graça,  só  pelo  prazer  que  tem  na  atividade  em  si?  O  que  lhe 
deixa animado e cheio de energia? 
 
Se você é apaixonado pelo processo e não apenas pelo 
resultado, isso pode indicar que você está no caminho 
certo. - Erwin MacManus 

95 
 
Já  contei  a  você  sobre  minha  habilidade  para  escrever  e 
organizar  ideias.  O  que  não contei é que não se trata apenas de 
uma  atividade  para  a  qual  tenho  facilidade.  O  fato  é  que  amo 
escrever!  Gosto  tanto  dessa  atividade  que  passei  a  minha vida 
inteira  escrevendo  livros  e  artigos  sem  receber nada em troca. 
Muito  pelo  contrário,  só  gastei  tempo  e  dinheiro  no  processo. 
Escrever  alimenta  minha  alma,  me  energiza,  me  realiza. 
Quando eu escrevo, não vejo o tempo passar. 
 
Meu  cunhado  e  sócio,  Sílvio,  é  apaixonado  por 
tecnologia.  Minha  esposa  conta  que  desde  pequeno  ele  era 
fascinado  por  jogos  de  videogame.  Era  um  fascínio  além  do 
normal. Ele cresceu e aprendeu a mexer com computadores. Se 
apaixonou  por  web  design,  programação  e  experiência  do 
usuário.  O  curioso  é  que,  financeiramente,  ele  nunca  precisou 
estudar  essas  matérias.  Nunca  precisou  de  alguém  "no  pé 
dele"  para  que  estudasse  e  se  formasse  nisso.  Atualmente, ele 
faz  mestrado  em  experiência  do  usuário  na  Jönköping 
University,  na  Suécia.  Por  quê?  Porque  ele  é  apaixonado  pela 
área  e  essa  paixão  apontou  para  o  caminho  que  ele  deveria 
seguir.  Incontáveis  são  as  pessoas  e  projetos  que  ele já ajudou 
com os conhecimentos dele. 
 
Se Deus criou você com uma paixão por alguma área, isso 
pode indicar que Ele lhe quer envolvido nela. 

E quanto a você? O que ama fazer? Quem sabe você ame: 


 
96 
 
● Cuidar  de  crianças,  se  envolvendo  em  um  orfanato, 
ministério infantil ou escola do bairro. 
● Cozinhar,  participando  de  projetos  sociais  ou  unindo  a 
família através de deliciosas refeições. 
● Números  e  planilhas,  ajudando  a  organizar 
instituições,  igrejas,  Ongs  e  até  mesmo  a  vida  pessoal 
de alguém. 
● Empreender,  criando  negócios  com  propósito,  que  vão 
servir  os  funcionários,  clientes e fornecedores, gerando 
empregos e contribuindo para a sociedade. 
● Viajar, fazendo trabalho humanitário ou evangelístico. 
● Cantar,  pintar  ou  escrever poesias, produzindo arte que 
inspira e toca o coração das pessoas. 
● O  matrimônio,  criando  um  canal  no  YouTube  para 
ajudar  casais  em  crise  ou  criando  seminários  para 
casais. 
● A  natureza,  se  envolvendo  com  ações  de  proteção 
ambiental ou pesquisa. 
● Falar  em  público,  mergulhando  no  universo  de 
palestras, cursos, educação, entre outros. 
● A  política,  servindo  a  sua  comunidade  através  da 
dedicação ao primeiro setor ou engajado em uma causa. 
● A  área  da  saúde,  seguindo  uma  carreira  honrada  ou  se 
tornando  voluntário  em  algum  bairro  necessitado  da 
cidade. 

97 
 
● O  lar,  a  família,  decidindo  por  uma  vida  dedicada  aos 
cuidados da sua família. 
 
Eu  não  sei  o  que  você  gosta  de  fazer,  mas  você  sabe  e  as 
coisas  que  você  ama  podem  apontar  para  o  seu  propósito. 
Amar  o  processo  pode  ser  um  indício  da  sua  missão.  Fique 
atento. 
 

O que você odeia? 


Pode  parecer  estranho  para  alguns,  mas  há  quem  diga 
que  não  sabe  direito  o  que  gosta  de  fazer.  São  pessoas  que 
parecem  ser  movidas  mais  pelo  que  odeiam  do  que  pelo  que 
amam.  Eu  sei  que  odiar  é uma palavra forte demais e ninguém 
quer  ser  conhecido  por  ser  movido  pelo  ódio.  Contudo,  as 
coisas  que  você  odeia  também  podem  apontar  para  o  seu 
propósito.  Existem  pessoas  que  descobrem  ou  decidem  seu 
caminho  baseadas  na  raiva  que  têm  de  algo.  É  uma  raiva  tão 
profunda que as tiram da inércia. 
 
O que você mais odeia pode ser o que você veio resolver 
no mundo. 

Tenho  uma  cunhada  que  odeia  desorganização  e  sujeira. 


A  Luíza  não  suporta  ver  um  ambiente  com  as  coisas  fora  do 
lugar.  Sempre  que  há  alguma  festa  em  família  ela  nem sequer 
espera  o  último  familiar  levantar  da  mesa  e  já  começa  o 

98 
 
processo  de  limpeza.  Só  quem  já  viu  a  cena,  sabe do quê estou 
falando.  Uma  vez  minha  esposa  chamou  a  Luíza  para 
organizar  o  nosso  guarda-roupa  e  quando  chegamos  não 
acreditamos  no  que  vimos:  ela  havia  transformado  o  interior 
do  guarda-roupa  em  uma  obra  de  arte,  com  todas  as  roupas 
perfeitamente  dobradas  e  categorizadas  por  tipo  e  cor. Já falei 
para  ela  que  se  quisesse  ficar  rica  como  ​personal  organizer  era 
só  imprimir  os  cartões  de  visita.  Tudo  porque  ela  odeia 
desorganização e sujeira. 
Meu  amigo,  Júnior  Rostirola,  teve  uma  infância 
dificílima  com  seu  pai.  Uma  história  triste  que  nos  emociona 
cada vez que a ouvimos. Em seu site pessoal, ele revela: 
 
Meu pai nunca me abraçou, pegou no colo ou me disse 
“eu te amo”. Ser órfão de pai vivo é ter um pai, mas 
nunca sentir a presença do pai. - Junior Rostirola 

O  Júnior  cresceu,  foi  curado  na  alma,  porém  viu  várias 


outras  pessoas  passando  o  mesmo  que  ele  passou.  Ele  não 
aceitou  ver  isso  sem  se  movimentar  para  se  tornar  a  solução 
que  muitos  precisavam.  A raiva e a tristeza tiraram o Júnior da 
inércia.  Ele  escreveu um livro chamado ​Encontrei Um Pai e hoje 
abençoa milhares de pessoas por todo o Brasil. 
 
Pense em alguém que odeia: 
 
● Ver uma pessoa escravizada pelas drogas. 
● A fome e a miséria. 
99 
 
● A corrupção na política. 
● A falta de conhecimento bíblico. 
● Os maus-tratos aos animais. 
● A baixa qualidade na educação. 
● A condição espiritual de uma comunidade. 
● O racismo. 
● O desemprego. 
● O divórcio. 
● A falência de empresas. 
● Ver doentes morrendo nos hospitais. 
● Ver o orfanato ou o asilo da comunidade abandonados. 
 
Os  problemas  que  você  não  suporta  podem  ser  os 
problemas  que  você  irá  resolver  na  vida  das  pessoas.  Pode  ser 
que  você  escreva  um  livro,  crie  um  blog,  lance  um  canal, 
ministre  palestras,  lidere  um  grupo,  sirva  sua igreja, organize 
um  movimento,  eu  não  sei.  Só  sei  que  há  muita  coisa  a  fazer 
em  sua  volta.  As  pessoas  estão  clamando  por  quem  as  ajude  e 
você pode estender a mão. 
 
Já  me  perguntaram:  "Como  deixar  minha  marca  na  vida 
das pessoas?" 
Comece  assim,  identificando  os  problemas  da  sua 
comunidade  e  se  voluntariando  para  resolvê-los.  Você  é  a 
solução viva para alguém! 
 

100 
 

Paralisou? 
Elias saiu dali e encontrou Eliseu, filho de Safate, que 
estava lavrando com doze juntas de bois adiante dele [...] 
- 1 Reis 19:19 

Quando  Eliseu  foi  chamado,  ele  estava  lavrando  a  terra. 


Note  algo  em  comum  com  quem  Deus  chama:  eles  estão 
sempre  com  à  mão  na  massa,  pegando  no batente. De Gênesis 
a Apocalipse, Deus parece não chamar desocupados: 
 
● Moisés apascentava um rebanho (Êxodo 3). 
● Davi apascentava um rebanho (I Samuel 16:11). 
● Eliseu lavrava a terra (1 Reis 19:19). 
● Gideão estava malhando trigo (Juízes 6:11-14). 
● Mateus cobrava impostos (Mateus 9:9). 
● Pedro, André, Tiago e João pescavam (Mateus 4:18-22). 
● Saulo  viajava  a  trabalho,  perseguindo  cristãos  (Atos: 
26:9-12). 
 
Percebe  um  padrão?  Ao  receberem  um  chamado,  os 
grandes  heróis  da  Bíblia  estavam  trabalhando,  envolvidos  em 
sua  vocação.  Nenhum  deles  vivia  descansando  em  uma  rede 
refletindo  sobre  o  sentido  da  vida.  Não!  Eles  arregaçavam  as 
mãos e trabalhavam. Eles estavam em movimento! 
Não  raro  encontramos  pessoas  completamente 
paralisadas,  aguardando  algum  sinal  sobrenatural  para  se 

101 
 
envolverem  em  alguma  atividade  útil.  Esperam  uma 
"confirmação  do  céu"  que  nunca  chega.  Lembra  da 
experiência  do  ​marshmallow​?  Ela  revelou  que  o  imediatismo é 
prejudicial,  mas  isso  é  apenas  um  extremo.  O  outro  é 
composto  pela  procrastinação,  pela  preguiça  e  pela 
negligência. "Ah! Não preciso ter pressa. Um dia me levanto da 
rede.  Só quero ter certeza do meu chamado". Assim, você pode 
passar uma vida inteira sem nunca realizar nada. 
 
Viver não significa outra coisa se não arcar com a 
responsabilidade de responder adequadamente às 
perguntas da vida, pelo cumprimento das tarefas 
colocadas pela vida a cada indivíduo, pelo cumprimento 
da exigência do momento. - Viktor Frankl 

Não  ter  certeza  do  seu  propósito  ou  chamado atual não é 


desculpa  para  não  viver  intensamente.  Viva  o  presente,  se 
envolva  com  atividades  que  você  gosta,  faça  novas  amizades, 
responda  às  necessidades  da  sua  comunidade,  experimente 
novas  experiências,  seja  voluntário  na  sua  igreja,  abrace  uma 
causa, enfim, se movimente! 
 
Enquanto você trabalha, Deus trabalha em você! 
 
As  dúvidas  podem  paralisar  você,  mas  só  se  você  deixar 
(ou  quiser).  "Será  que  devo  tirar  umas  férias?  Devo  ficar  sem 
trabalhar  até  encontrar  um  trabalho  apaixonante?  E  se minha 
igreja  não  tiver  um  ministério  que  eu  me  encaixe?  Devo 
102 
 
esperar  algum  anjo  me  indicar  o  caminho?  Será  que  vai  dar 
certo?  O  que  as  pessoas  vão  pensar  disso?  Por  quê  me 
arriscar?" 
Embora  algumas  dessas  perguntas  façam  sentido  em 
certas  fases  da  vida,  em  muitos  casos  elas  são  usadas  apenas 
como  fuga.  Enquanto  você  fica  filosofando  o  mundo  continua 
girando.  Ao  alcance  de  poucos  cliques  no  computador,  você 
está  literalmente  frente  a  milhares  de  oportunidades  para  se 
envolver  com  algo  significativo  para  sua  vida.  Contudo,  você 
deve vencer a procrastinação, o medo e a preguiça. 
Em  todas  as  minhas  pesquisas,  desde  o  primeiro  dia  de 
estudo  sobre  o  assunto,  percebi  que  as  pessoas com propósito 
mais  claro  são aquelas que estão em constante movimento. Na 
intensidade  de  suas  experiências  elas  acabam  se  descobrindo 
mais rapidamente e com maior clareza. 
Evidentemente,  não  estou  me  referindo  a  você  ferir  o 
princípio  do  descanso.  Nada  disso!  Apenas,  que  você  já  tem 
informação  o  suficiente  para  não  ficar  parado.  Enquanto  não 
alcançar  certezas,  se  envolva  com  atividades  a  que  você  seja 
inclinado. 
 
Os personagens bíblicos estavam envolvidos em alguma 
atividade quando foram surpreendidos com uma missão! 
 
Mesmo  em  meus  grandes  momentos  de  dúvida  e 
angústia  eu  não  fiquei  parado.  Montei  negócios,  iniciei 
projetos,  servi  em  minha  igreja  local,  constituí  uma  família, e 

103 
 
tudo  isso,  com  a  cabeça  cheia  de  dúvidas  existenciais.  Nunca 
fiquei  parado  e  certamente  isso  me  ajudou  muito.  Enquanto 
estive  em  atividade,  aproveitei  para  ir  me  descobrindo  e  me 
desenvolvendo. 
É  isso  o  que  recomendo  para  quem  se  sente  paralisado. 
Estude  sobre  autoconhecimento,  se  conheça  melhor,  leia 
livros  sobre  o  assunto,  faça  novos  cursos,  enfim, 
movimente-se.  Converse  com  pessoas  sábias  capazes  de  lhe 
dar  bons  conselhos.  A  medida  que  for  alcançando  clareza 
sobre  seu  propósito,  vá  fazendo  os  ajustes necessários. Talvez 
iniciar  um  novo  projeto,  fazer  uma  mudança  profissional  ou 
terminar  um  namoro  que  não  faz sentido algum. Vá ajustando 
seu  curso  conforme  a  clareza  aumenta.  Apenas,  não  se 
acostume com a inércia. 
 

O mundo pede socorro 

Davi  não  recebeu  a  visita  do  anjo  Gabriel.  A  sarça  não 


ardeu  para  o  jovem  pastor  como ardeu para Moisés. Ele não se 
deparou  com  uma  aparição  sobrenatural  como  Paulo 
experimentara.  Davi  apenas respondeu a uma necessidade que 
surgiu  ao  seu  redor.  De  longe,  em  meio  à  poeira  do  deserto,  o 
gigante  de  três  metros  caçoava  do  povo  de  Israel.  Para  que 
Golias  fosse  derrotado  era  necessário  alguém  corajoso,  que 
tomasse  para  si  a  responsabilidade.  Alguém  que  não aceitasse 
ser  um  soldado  no  exército  dos  covardes  e  que  respondesse 
àquela situação: "Deixa que eu cumpro esta missão!" 
104 
 
É  irônico  que  de  um  lado  hajam  pessoas  aguardando  um 
"sinal  verde"  sobrenatural.  Do  outro,  situações  caóticas 
aguardam  alguém  responsável  que  diga:  "Deixem  comigo!" 
Enquanto  você  espera  o  anjo Gabriel há problemas do seu lado 
gritando: "Me resolva. A responsabilidade é sua!" 
Dê  uma  olhada  no  mundo  à  sua  volta.  Fique  atento  às 
necessidades  ao  seu  redor.  Olha  para  sua  família  e  para  os 
amigos.  Será  que  você  não  consegue  se  enxergar  usando  seus 
dons e talentos para ser a solução viva para alguém? 
Olhe  para  o  seu  local  de  trabalho.  Analise  todos  os 
departamentos  e  repartições  que  você  pode  se  envolver  ou 
almejar.  Preste  atenção  nas  oportunidades  relevantes  que 
aparecem.  Fique  atento  às  portas  que  se  abrem  e  veja  se  elas 
não  fazem  sentido  para  você.  Talvez  você  não  precisa  mudar 
de  empresa ou de profissão. Mudar de cargo ou de função pode 
ser o suficiente para alinhar sua carreira. 
Sua  vocação  pode  indicar  seus  primeiros  passos  na 
descoberta  do  seu  propósito.  Pense  um  pouco  na  igreja  que 
você  frequenta.  Reflita  nas  inúmeras  maneiras  que  você  pode 
servir  sua  comunidade.  Quem  sabe  você  possa  trabalhar  com 
adolescentes  ou  na  recepção.  Talvez  goste  de  música  ou  de 
ensino.  Quem  sabe  você  seja  um  advogado,  dentista  ou 
pedreiro  que  oferece  parte  do  seu  tempo  como  um  voluntário 
na  comunidade.  Não  importa,  mas  se  envolva.  Se  já  existe  um 
ministério  que  você  “se  encaixa”,  se  ofereça  para  servir  nele. 
Se não existe, que tal começá-lo? 

105 
 
Agora,  olhe  para  a  sociedade  atual.  Perceba  quantas 
profissões,  áreas,  empreendimentos,  projetos  e  causas 
existem  por  aí.  Será  que  nada  lhe  atrai?  Não  há  nada  que  você 
possa se envolver? 
 
Será que neste exato momento não existe uma pessoa 
precisando justamente do que Deus confiou a você? 
 
Por  fim,  talvez  você  seja  alguém  criativo,  como  um 
empreendedor  ou, quem sabe, um inventor. Pode ser que o seu 
propósito  envolva  algo  que  ainda  não  foi  criado  (e  que  será 
criado  por  você)!  Quem  sabe  um  projeto,  uma  empresa,  uma 
causa, um movimento, enfim, eu não sei. 
Meu  trabalho  aqui  é  apenas  lhe  provocar.  Fique  com  seu 
radar  sempre  ligado  e  quando  se  sentir  “fisgado”  por  algo, 
investigue  e  tome  uma  atitude.  Quando  as  coisas  ficarem 
claras  mergulhe  no  seu  propósito  o  mais  fundo  que  puder.  As 
vidas  aí  fora  anseiam  pela  sua  manifestação  e  movimento. 
Assim  como o povo de Israel teve Davi, as pessoas ao seu redor 
têm  você.  Elas  precisam  da  sua  coragem  e  atitude.  Vai  ficar  aí 
esperando ou vai dizer: "Deixem comigo!" 
 

Exercício 

1. O  que  você  mais  gosta  e  o  que  mais  odeia  no  seu 


trabalho atual? 
2. Quais necessidades da sua igreja mais lhe incomodam? 
106 
 
3. Quais  necessidades  do  seu  bairro  ou  da  sua cidade mais 
lhe incomodam? 
4. Quais  as  atividades  que  você  gosta  de  fazer  mais  pelo 
processo do que pelo resultado? 
5. Você  já  recebeu  algum  sinal  positivo,  do  tipo  "Siga  por 
ali"? Explique. 
6. Você  já  recebeu  algum  sinal  negativo, do tipo "Ali não é 
seu caminho"? Explique. 
7. Você  sente  que  precisa  fazer  alguma  mudança  na  sua 
vida? Explique. 
8. Quais  são  os principais problemas que você não suporta 
ver  ao  seu  redor?  Como  você  poderia  ajudar  a 
resolvê-los? 
 
Após  ter  respondido  às  questões,  comece  a  pensar  nas 
possíveis  decisões  e  planos  de  ação  que  você  irá  tomar.  Não 
fique  apenas  no  campo  das  ideias.  Depois  das  descobertas 
maravilhosas, vá para a ação.   

107 
 
Capítulo sete. 

7. Mergulhando 
fundo 
 
 

 
 
A garrafa russa, o cinto de segurança e a mochila pesada. 
Chegou a hora de mergulhar. 

   

108 
 

Queimando formigas 
Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se 
todas elas fossem relatadas uma por uma, penso que nem 
no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos. 
- João 21:25 

Na  Copa  do  Mundo  da Rússia, um tipo de garrafa de água 


teve  suas  vendas  interrompidas  por  causa  de  um  motivo 
curioso.  Se  tratava  de  uma  garrafa  comemorativa  de  2,5 litros 
em  formato  de  bola  de  futebol.  O  produto  era  feito  pela 
fabricante  ​Sviatoi  Istochnik  e  estava  entre  os  mais  populares 
entre  as  crianças.  O  problema  é  se  a  garrafa  ficasse  no  sol  por 
um  certo  tempo,  poderia  queimar  outros  objetos  ao  redor. 
Houve  uma  grande  polêmica  no  país  e  os  supermercados 
acabaram parando de vendê-la. 
A  explicação  é  que  o  formato  da  garrafa  formava  o 
mesmo  efeito  de  uma  lente,  concentrando  os  raios solares em 
um  único  ponto,  o  foco.  Dessa  forma,  objetos  ao  redor 
poderiam esquentar até pegar fogo. 
Na  infância,  me  lembro  de  uma brincadeira cruel em que 
as  crianças  usavam  uma  lupa  para  queimar  formigas.  Era 
apontar  o  foco  para  uma  pobre  coitada  e  ela  "derretia"  em 
poucos  segundos.  Confesso  que  queimei  algumas.  Fazíamos  a 
mesma  coisa  com  pedaços  de  papel  causando  pequenos 
incêndios. 

109 
 
As  lupas  são  lentes  convergentes,  isto  é,  os  raios  solares 
que  passam  pelo  vidro  convergem  para  um  ponto  menor. 
Dependendo  da  posição  da lupa em relação ao Sol, os raios são 
reunidos  em  um  ponto  tão  pequeno  que  quase  toda  energia  é 
concentrada ali e, assim, a "mágica" acontece. 
Se  você  estudar  os  personagens  bíblicos,  verá  que  eles 
aplicavam  o mesmo princípio em suas vidas. Quando recebiam 
um  chamado  eles  concentravam  toda  energia  em  cumpri-los. 
Por  isso,  fizeram  tanto  em  tão  pouco  tempo.  Se  você  parar 
para  pensar,  tenho  certeza  que poderá apontar uma dezena de 
conhecidos  que  passam  décadas  de  suas  vidas  sem realizarem 
nada.  Quem  sabe  esse  é  o  seu  caso.  Agora,  pense  em  Moisés. 
Pense  na  libertação  do  povo  do  Egito,  na  travessia  do  Mar 
Vermelho,  na  formação  da  nação,  na  implementação  do 
complexo  sistema  de  leis  e  na  construção  do  Tabernáculo. 
Extraordinariamente,  tudo  isso  aconteceu  em  um  período  de 
um ano! 
Agora,  reflita  na  vida  de  Cristo.  Ele  cumpriu  seu 
ministério  em  pouco  mais  de  três  anos.  Praticamente,  tudo  o 
que  você  ouve  sobre  o  que  Cristo  falou,  ensinou  e  todos  os 
milagres  que  operou  estiveram  dentro  de  uma  janela  de 
poucos  anos.  Em seu livro, o apóstolo João revela que as coisas 
relatadas  são  apenas  uma  fração  do  que  Cristo  realizou. 
Seriam  necessários  muitos  livros  para  abordar  todos  os  seus 
feitos. 
O  que  os  personagens  bíblicos  e  as  maiores 
personalidades  da  história  têm  em  comum  é  a  capacidade  de 

110 
 
não  se  distrair  e  focar  naquilo  que  devem fazer. Eles são como 
grandes  lentes  concentrando  toda  energia  que  podem  no 
cumprimento  do  seu  propósito.  Por  isso,  seus  feitos  são 
grandiosos. 
Não  que você e eu sejamos como Moisés, Cristo ou Madre 
Tereza,  realizando  feitos  tão  grandiosos.  Todavia, 
independente  de  quais  sejam  os  nossos  propósitos  e 
chamados,  vamos  precisar  de foco. Afinal, quando não há foco 
a  energia  é  dispersa  para  todos  os  lados  e  nada  acontece.  É 
sobre isso que vamos conversar agora. 
 

Aperte o cinto 

O tolo levanta o machado e sai cortando toda árvore que 


ver. O sábio entende que nem toda batalha é dele, 
que nem toda árvore é para ele cortar. Quando pegar o 
seu machado e descobrir a sua árvore, continue 
golpeando-a até ela cair. - Erwin MacManus 

Eu  já  tive  medo  de  andar  de  avião.  Voar,  para  mim,  era 
um  mal  necessário.  Uma  coisa  curiosa  que  acontecia  quando 
eu  entrava  no  avião  era  prestar  atenção  em  tudo,  menos  no 
que  eu  devia  fazer.  Eu  sempre  sentava  na  poltrona  e  logo 
olhava  para  as  asas,  para  checar  se  elas  estavam  inteiras. 
Tentava  ver  quem  eram  os  pilotos,  para  ter  certeza  que 
inspiravam  confiança.  Obviamente,  olhava  para  o  clima 
torcendo  para  encontrarmos  céu  aberto  pela  frente.  Era  um 

111 
 
misto  de  preocupação  e  ansiedade.  Suor  escorria  pelo  nariz. 
Pupilas  dilatadas.  "E  a  fuselagem?  Está  intacta?  Será  que 
colocaram  combustível  suficiente?  Quantos  anos  este  avião 
está em operação?" 
O  erro  que  eu  cometia  era  o  erro  que  alimentava  minha 
ansiedade.  Me  preocupava  com  coisas que não podia controlar 
e  esquecia  de  fazer  minha  única  tarefa:  apertar  os  cintos!  Nos 
preparativos  antes  do  início  do  voo  as  aeromoças  sempre 
passam  por  cada  fileira  avisando  os  passageiros  distraídos: 
"Apertem os cintos". Quase sempre eu estava sem. 
Um  lenhador  não  precisa  derrubar  a  floresta  inteira.  Ele 
precisa  derrubar  apenas  as  árvores  que  foi  designado  para 
derrubar.  Cortará  apenas  as  árvores  que  precisa.  Só  um 
lenhador  tolo  se  preocuparia em derrubar mais árvores do que 
precisa e do que consegue. Não faz sentido. 
Talvez  você  esteja  resolvendo  problemas  que  não  são 
seus.  Há  pessoas  que  carregam  sozinhas  a  família  inteira  nas 
costas.  Há  pessoas  que  no  trabalho  fazem  o  serviço  delas  e 
ainda  o  serviço  dos  outros.  Vivem  sobrecarregadas.  Na  igreja, 
vemos  poucos  acumulando  tantas  tarefas  enquanto  tantos  se 
contentando em ser meros espectadores. 
 
Se você se concentra em muitas atividades e compromissos, 
você não está focado. Foco é justamente você concentrar suas 
energias em pouquíssimos lugares. 
 

112 
 
Você  pode  estar  tentando  pagar  um  preço  que  não  é  seu, 
pois  se  sente  culpado  por  não  fazê-lo.  "Se  eu  não  fizer,  quem 
fará?"  Pode  estar  se  preocupando  com  uma  porção  de  coisas 
que  não  deveria  e isso só aumenta o seu estresse, preocupação 
e  ansiedade.  Seu  tempo  é  desperdiçado  pelo  ralo,  enquanto 
você  corre  de  um  lado para o outro apagando incêndios. O pior 
é que sua parte acaba não sendo bem-feita, nem sequer feita. 
Você  olha  para  o  lado  e  percebe:  "Nossa,  como  os outros 
conseguem  fazer  tanto?"  Todas  as  pessoas  têm as mesmas 24 
horas  e  os  mesmos  7  dias  por  semana.  Qual  é  a  diferença?  A 
diferença  é  que  elas  se  focaram  em  apertar  os  cintos  e  você 
está tentando pilotar o avião. 
Está na hora de esvaziar a mochila. 
 

Esvazie a mochila 
Não estejais ansiosos quanto à vossa vida [...] - Cristo em 
Mateus 6:25 

Na  TV  à  cabo,  existe  um  ​reality  show  chamado 


Acumuladores.  Suponho  que  você  já  tenha  ouvido  falar  dele. 
Basicamente,  o  programa  aborda  pessoas  que  são  obsessivas 
por  acumular  objetos  em  casa,  formando  verdadeiras 
montanhas  de  lixo,  de  caixas  e  de  objetos  inúteis.  Isso  pode 
acarretar  doenças,  despejo,  prisão  e  até  mesmo  a  perda  da 
guarda  dos  filhos,  só  para  citar  alguns  problemas.  Penso  que 

113 
 
devemos  lutar  ferozmente  contra  essa  tendência  em  nossas 
vidas: acumular coisas. 
Na  vida,  não  é  difícil  carregar  mais  do  que  deveríamos. 
Cristo  sabia  dessa  propensão  que  as  pessoas  têm  para  "andar 
preocupadas  com  muitas  coisas".  Somos  peritos em acumular 
carga  excessiva  sobre  os  ombros.  Por isso, ele fala sobre alívio 
para  os  cansados  e  sobrecarregados.  Essa  carga  pode  incluir 
culpa,  pecados,  problemas,  projetos,  responsabilidades, 
feridas,  compromissos,  enfim,  tudo  que  pode  exaurir  suas 
forças e impedi-lo de cumprir seu propósito. 
Como  pai,  eu  nunca  daria  uma  mochila  muito  pesada 
para  minha  filha ir à escola. Aliás, o peso da mochila dela já foi 
motivo  de  discussão  aqui  em  casa.  Eu  seria  um péssimo pai se 
permitisse  que  a  coluna  dela  fosse  prejudicada  por  causa  do 
peso  excessivo.  Agora,  pense  por  um  minuto.  Se  nós  que 
somos  maus  não  damos  uma  mochila  excessivamente  pesada 
para  nossos  filhos,  que  dirá  o  nosso  Pai  celeste?  Será  que  Ele 
permitiria  que  vivêssemos  desafios  que  não  pudéssemos 
suportar? A resposta é não. 
Talvez  você  esteja  esgotado  porque  se  tornou  aquele 
malabarista  que  pegou  muitas  bolinhas  e  agora  está  penando 
para  mantê-las  no  ar.  Quem  sabe  você  se  comprometeu  com 
muita gente e agora não consegue dar conta da demanda. 
 
É uma ilusão julgar que sua vida vai ter mais significado se 
pegar mais e mais coisas para fazer. 
 

114 
 
O  ativismo  pelo  ativismo  inevitavelmente  te  levará  a 
deixar  bolinha  após  bolinha  cair  no  chão.  Certamente,  você 
conhece  alguém  que  tentando  fazer  tudo  não  faz  nada  bem 
feito.  Quem  não  consegue  dizer  "não"  com  a  boca,  dirá  não 
com  as  atitudes,  já  que  se  comprometerá  com  coisas  que  não 
conseguirá entregar. 
Deus  não  te  deu  um  propósito  que  esteja  acima  das  suas 
capacidades.  Se  o  fardo está pesado demais, provavelmente na 
sua  mochila  você  carrega  mais  coisas  do  que  deveria.  Seu 
alinhamento  de  vida  passará  por  esvaziar  sua  mochila  em vez 
de enchê-la ainda mais. 
 

Repartindo o fardo 

Todos  recebemos  um  grande  presente  que  nos  ajuda  a 


cumprir  nossos  propósitos:  os  companheiros  de  jornada. 
Nunca  foi  a  intenção  de  Deus  que  você  caminhasse  sozinho 
tentando  resolver  tudo.  Você  é  cercado  por  pessoas 
estratégicas  como  familiares,  amigos,  colegas  de  trabalho, 
irmãos  na  igreja,  colaboradores,  líderes,  mentores,  entre 
outros. Você precisa aprender a contar com eles. 
 
O bom líder não faz todas as coisas, mas organiza uma equipe 
que fará todas as coisas. 
 
Alex  Cavalheiro  é  o  fundador  da  rede  Instituto  Mix  de 
Profissões,  fundada  em  2010.  É  um  homem de grande sucesso 
115 
 
que  cumpre  seu  propósito  de  maneira  exemplar.  Ele  é  o 
responsável  direto  pelo  sustento  de  milhares  de  famílias  em 
todo  o  Brasil.  Se  você  conversar  com  o  Alex  se  perguntará 
como  ele  consegue  gerenciar  tantas  coisas.  Uma  vez  fomos 
passear  em um dos seus sítios e ouvi uma frase que explica um 
pouco do sucesso dele: 
 
Em vez de pensar em fazer eu mesmo certa atividade, eu 
tento pensar nas pessoas que poderiam fazer aquilo 
melhor do que eu. Então, delego para elas. 

Assim,  o  Alex  se  concentra  apenas  naquilo  que  pode 


fazer melhor. Ele se concentra apenas no seu propósito. 
 
Quanto mais você delega, mais alcançará. - Dr Charles 
Stanley 

Faço  um  alerta  para  quem  é  centralizador:  você  precisa 


aprender  a  delegar.  Precisa  aprender  a  repartir  o  fardo.  Conte 
com os companheiros de jornada. 
 

Mergulhe fundo 
Não há nada tão inútil quanto fazer com grande 
eficiência algo que nem deveria ser feito. - Peter Drucker 

Quando  você  está  dirigindo  de  volta  para  casa  e  escolhe 


seguir  por  uma  determinada  rua,  você  está  automaticamente 
116 
 
ignorando  todas  as  outras.  Quando  configura  um  destino  no 
GPS  você  tem  a  opção  de  escolher  um  caminho entre vários. A 
opção escolhida automaticamente elimina todas as outras.  
Seguir  seu  propósito  elimina  todos  os  outros  possíveis 
caminhos,  assim  como  seguir  outro  caminho  impossibilita 
você  viver  seu  propósito.  Você  não  consegue  ser,  em 
simultâneo, serrote e martelo. 
 
Uma vez que você descobre o seu caminho, vá por ele e 
esqueça dos outros caminhos. 
 
Os  apóstolos  tiveram  que  tomar  essa  decisão,  porque 
estavam sobrecarregados (Atos 6:4). O próprio Cristo se negou 
a  tratar  com  pessoas  de  outros  povos,  porque  não  era  sua 
missão  primordial  (Mateus  15:24).  Moisés  teve  que  decidir  se 
focar  nas  causas  mais  difíceis  do  povo,  deixando  o  restante 
com  outros  líderes  (Êxodo  18:22).  Você  não  veio  para  resolver 
o  problema  do  mundo  inteiro,  mas  para  cumprir  o  seu 
propósito. 
 
"Não é certo" - disseram - "negligenciarmos o ministério 
da palavra de Deus, a fim de servir às mesas". Não há 
indício de que os apóstolos considerassem o ministério 
social de algum modo inferir ao ministério pastoral ou 
aquém de sua dignidade como apóstolos. Todo o 
problema era uma questão de chamado. Os apóstolos não 
tinham a liberdade de renunciar às tarefas que Deus 
havia designado a eles. - John Stott 
117 
 
Não  é  tão  fácil  deixar  certas  coisas  para  trás,  mas se elas 
estão  tirando  energia  do  seu  propósito,  será  necessário 
deixá-las  ir.  Talvez  isso  signifique  que  você  precise  terminar 
um  namoro  que  não  faz  nenhum  sentido.  Quem  sabe  precise 
investir  em  alguns  amigos,  deixando  outros  irem.  Seu 
propósito  seleciona  seus  companheiros  de  viagem.  Se  você  se 
agarra  com  quem  não  devia,  acaba  prejudicando  sua 
caminhada. 
 
Paulo batizava muito pouco em razão da falta de tempo, 
pois tinha de pregar em lugares diferentes e longínquos; 
batizou apenas os coríntios Crispo, Caio e Estéfanas (1 
Coríntios 1:14-16), pois pregar era sua principal função (1 
Coríntios 1:17). - Thomas Hobbes 

O  apóstolo  Paulo  teve  que  deixar  certas  coisas  para  trás 


para  que  vivesse  seu  principal  propósito.  E  quanto  a  essas 
coisas  que  ficaram  para  trás?  Quem  ficará  responsável  por 
elas?  Deus  levanta  alguém.  Um  dia  uma  pessoa  com  aquele 
propósito  se  levanta  e coloca essas tarefas na mochila. Ou não. 
Talvez  alguém  que  deveria  fazê-las  acabe  negligenciando  sua 
missão,  mas  aí  não  cabe  mais  a  você.  Se  concentre  nos  seus 
passos. 
A  jornada  foi  proposta.  A  cada  nova  descoberta  sobre  o 
sentido  de  sua vida, mergulhe mais fundo. Você foi criado com 
propósito.  Meu  desejo  é  que  você  experimente  tudo  aquilo  o 
que Deus planejou para você!   

118 
 

Considerações finais 
 
 
Não tenho problema em morrer, mas pelo quê morrer. - 
Sam Childers 

Do  fundo  do  coração,  espero  que  a  leitura  deste  livro 


tenha  ajudado  você  de  alguma  forma.  Quem  sabe  uma  lição, 
uma  dica  ou  uma  simples  palavra  tenha  provocado  um  estalo 
em  sua  mente.  Se  for  o  caso,  ​me  escreva  contando  sua 
experiência. 
Falar  sobre  propósito  não  é  fácil.  Cada  pessoa  tem  uma 
história.  Por  isso,  é  importante  que  você  trilhe  a  própria 
jornada.  Se  trata  de  uma  missão  pessoal,  embora  você possa e 
deva  contar  com  auxílio.  Esta  é  a  mensagem  que  quero 
reforçar  no  final:  não  há  fórmulas  mágicas.  Apenas,  continue 
construindo  sua  vida  tijolo  por  tijolo.  Viva  uma  vida  digna, 
honesta e intensa. 
Digo  por  mim  que  foi  uma  jornada  e  tanto.  Me  refiro  ao 
livro  porque  nossas  jornadas  continuam.  O  relógio  está 
correndo.  Em  breve,  estaremos  todos  diante  de  Deus  quando 
esperamos escutar: 
 
Muito bem, servo bom e fiel; você foi fiel no pouco, sobre o 
muito o colocarei; venha participar da alegria do seu 
senhor. - Mateus 25:21 

119 
 

 Sem despedidas, ok? 

Caso  você  queira  saber  mais  sobre  meu  trabalho  e 


continuar conectado comigo acesse os endereços: 
 
● YOUTUBE: ​www.youtube.com/ramontessmann 
● INSTAGRAM: ​www.instagram.com/ramon_tessmann 
● FACEBOOK: 
www.facebook.com/ramontessmannoficial/ 
● TELEGRAM: ​https://t.me/ramontessmann  
● SITE: ​www.ramontessmann.com.br 
● TWITTER: ​www.twitter.com/tessmannramon 
● E-MAIL: ​equipe@ramontessmann.com.br 

120 
 

Fontes bibliográficas 
 
● Entrevista | "A descoberta de um sentido no sofrimento" - 
Viktor Frankl: 
https://www.youtube.com/watch?v=ilRNmwNvuWk​. 
● Website | Wikipedia - O Dia da Marmota: 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_da_Marmota​. 
● Artigo | As Cinco Vias da Existência de Deus Descomplicada - 
Luiz Cláudio: 
https://naudosloucos.com.br/as-cinco-vias-da-existencia-
de-deus-descomplicada/  
● Livro | Em busca de sentido - Viktor Frankl. 

121 

Você também pode gostar